P. 1
Aposentadoria especial - VIGIA

Aposentadoria especial - VIGIA

|Views: 516|Likes:

More info:

Published by: Alexandre Magno Alves on Apr 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/23/2012

pdf

text

original

STJ decide que vigia também tem direito à aposentadoria especial

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou que a profissão de vigia patrimonial, que no desempenho da sua função fica exposta a riscos para impedir ação criminosa, também tem direito à aposentadoria especial, da mesma forma que a do guarda. O Tribunal rejeitou recurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que tinha como intuito mudar acórdão do Tribunal Regional Federal da 1ª. Região (TRF1). O TRF1 concedeu tal aposentadoria a um cidadão que durante anos foi vigia do Banco do Estado de Minas Gerais S/A. E entendeu que esse segurado, que chegou a usar revólver no exercício da profissão, tem direito à conversão do período de atividade em que permaneceu nesse emprego em tempo especial para fins de aposentadoria. O argumento do INSS ao apresentar o recurso junto ao STJ foi de que a atividade de vigia patrimonial não pode ser considerada atividade especial, para fins de conversão de tempo de serviço. Uma vez que não se equipara à função de guarda – citada no Decreto 53.831/64 (referente à lista das profissões que podem ter aposentadoria especial). Além disso, a entidade recorrente alegou que o acórdão do TRF1 – que considerou como prejudicial à saúde o exercício da atividade profissional do referido vigia – é divergente de entendimento do TRF da 4ª. Região sobre o assunto. A relatora do recurso no STJ, ministra Laurita Vaz, entretanto, afirmou no seu voto que o rol de atividades consideradas prejudiciais à saúde ou à integridade física no decreto é meramente exemplificativo e não taxativo, sendo admissível que atividades não elencadas neste rol sejam reconhecidas como especiais, desde que tal situação seja comprovada por outros meios – caso do vigia em questão. E destacou que, nesse caso, a atividade desempenhada pelo vigilante expôs sua integridade física e sua vida aos mesmos riscos da profissão de guarda. Além disso, a ministra apresentou em seu relatório parecer do Ministério Público (MP) sobre o caso, segundo o qual o tempo de servido prestado pelo segurado à época em que estava enquadrado em atividades especiais pode e deve ser convertido como tempo especial, desde que a atividade laboral tenha sido realizada antes da Lei 9.711/98 – que dispõe sobre a recuperação de haveres do Tesouro e do INSS. A ministra Laurita Vaz citou, ainda, precedentes do STJ em relação ao caso, em recursos especiais que foram desprovidos anteriormente pelos ministros Hamilton Carvalhido e Arnaldo Esteves Lima

1128. 1681. parágrafo 4º. apreciar esse aspecto.213/1991. 1083. disse em seu voto que concedia a ordem. se ele atende ou não aos requisitos.213/1991. 957. Eu não posso. 923. 1747.213/91. que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social. conforme foi decidido pelo Pleno no julgamento de embargos declaratórios no MI 758. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF. mesclando a Constituição Federal e a Lei 8. Além disso. 1797. 1660. . nos moldes da decisão da Corte no MI 758. 1800. Em todos os processos. 1270. Foram julgados nesta segunda-feira (2/8) os MIs 835. 1682. 991. que trata do direito à aposentadoria especial dos servidores públicos. ministro Marco Aurélio. 1440. o Plenário do Supremo Tribunal Federal STF garante aposentadoria especial o direito à aposentadoria a servidores concedeu a ordem em todos os casos. 1182. “Eu apenas fixo os parâmetros para a aposentação. no mandado de injunção. para verificar se o servidor atende aos requisitos constantes da Lei 8. Isso ficará por conta do setor administrativo definir”. se o impetrante realmente atender aos requisitos da Lei 8. explicou o relator. O relator dos mandados de injunção. o ministro fez questão de deixar clara a impossibilidade de se criar um terceiro sistema. mas deixou claro que cabe ao setor administrativo responsável a comprovação de cada situação. a alegação é a mesma: os impetrantes afirmam trabalhar em situações insalubres e reclamam da ausência de regulamentação do artigo 40. 1700. 1152. 885. desde que a área administrativa responsável confirme o atendimento aos requisitos da Lei da Previdência Social.STF garante aposentadoria especial a servidores Ao analisar um conjunto de 21 Mandados de Injunção sobre aposentadoria especial de servidores públicos. 975. 1835 e 2426. da Constituição Federal. garantindo especial.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->