P. 1
Avaliação na LDB

Avaliação na LDB

|Views: 3.903|Likes:
Publicado porDiego Bertollo

More info:

Published by: Diego Bertollo on Apr 05, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/30/2013

pdf

text

original

Pra começo de conversa... ‡ O que avaliar? ‡ Por que avaliar? ‡ Como avaliar?

Concepções de avaliação na LDB

Capítulo II Da Educação Básica ‡ V .a verificação do rendimento escolar observará os seguintes critérios: a) avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno. . com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais.

quando houver. o ano letivo regular. duzentos dias de trabalho acadêmico efetivo. . 47. excluído o tempo reservado aos exames finais.‡ Art. tem. independente do ano civil. Na educação superior. no mínimo.

‡ § 1º As instituições informarão aos interessados. os programas dos cursos e demais componentes curriculares. recursos disponíveis e critérios de avaliação. sua duração. qualificação dos professores. . requisitos. antes de cada período letivo. obrigando-se a cumprir as respectivas condições.

demonstrado por meio de provas e outros instrumentos de avaliação específicos.‡ § 2º Os alunos que tenham extraordinário aproveitamento nos estudos. aplicados por banca examinadora especial. . poderão ter abreviada a duração dos seus cursos. de acordo com as normas dos sistemas de ensino.

seja relacionando-a a instituições.A preocupação com a avaliação é uma tônica da Lei 9. a alunos. ou aos processos educativos como um todo. aos docentes. .394/96. São pelo menos 26 referências explícitas à idéia de avaliar.

. O processo de avaliação deve ter como objetivo detectar problemas..5 princípios gerais. Segundo a LDB.. . para evitar repetições e organizar mais nossa análise. . servir como diagnóstico da realidade em função da qualidade que se deseja atingir.. 1.

ajudando a definir as estratégias didáticometodológicas das aulas seguintes. mas como um instrumento para diagnosticar deficiências a serem sanadas. Os resultados são material valioso para a contextualização do professor (e do próprio aluno).A avaliação não aparece como recurso classificatório. .

A avaliação é um direito (e deve ser assegurado). Ex. não somente alunos..2. . . mas cursos... talvez o único responsável. pelo sucesso escolar. Um dos mitos sobre a avaliação: o de que o aluno seria o maior.. instituições e professores são avaliados.

O professor já cumpriu seu trabalho: ensinar. .Tais comportamentos revelam uma concepção limitada de avaliação. a prova seria o momento de verificar se o aluno cumpriu o seu: estudar a matéria ensinada e saber lidar com ela numa situação de risco.

o professor está. o profissional que detém as competências para ensinar a cada um e não apenas àqueles que aprendem imediatamente. na verdade. desconsiderando sua própria função social. .Mas vale lembrar que ao considerar normal o baixo rendimento de um grupo. em tese. Ele é.

3. . pode e deve aproveitar o saber do aluno.A avaliação pode definir o grau de desenvolvimento e experiência discente.

..Daí se entende que a avaliação deve ser uma forma de permitir ao aluno demonstrar o seu conhecimento .e um conhecimento que é sempre global e abrangente... que exerçam consciente e criticamente a cidadania. que se expressem bem. ultrapassando a visão de conteúdo como fim e entendendo as disciplinas como meios para formar pessoas que dominem os princípios da ciência e da tecnologia.

4. deve ser voltada para a promoção. .. O termo contínua também é uma referência para o número de instrumentos de verificação que complementam essa observação. A avaliação deve ser contínua e cumulativa.. . com prevalência do qualitativo sobre o quantitativo. e não para a estagnação.

) ? .Uma ou duas provas parecem-nos recursos insuficientes para a avaliação discente. a realização de exercícios.. Como desconsiderar todo o resto (a interação nas aulas. as respostas às questões orais do professor..

senão para obter notas.Distribuir a avaliação em diversos instrumentos de medida. e incluir a observação diária. são maneiras de realizar uma avaliação contínua. para além das provas. . como registro qualitativo do processo.

. . Para além das conhecidas notas de participação.. conhecimento. atitudes.Outra prática interessante parece-nos ser o envolvimento do aluno na própria avaliação. de como foi o processo de estudo. dos pontos de maior ou menor dificuldade. Fazer as próprias anotações. registrando os dados da sua situação: falando de si mesmo. da interação.

NOTAS CULINÁRIAS .

além de contínua. que não se compartimentalizem os saberes segundo os semestres em que são trabalhados.O texto da Lei indica que. interligando os saberes estudados. em outras disciplinas. a avaliação seja cumulativa. Que as questões ou situações-problemas sejam abrangentes. em outros termos. levando o aluno a utilizar as competências que foi adquirindo em outros meses. Que os instrumentos e as formas de avaliação priorizem uma visão global das matérias estudadas. . Isso significa.

sim. Significa. que participam da aula. não limitar o olhar do que avalia aos conteúdos que podem ser objetivamente mensuráveis e quantificáveis.Considerar os aspectos qualitativos no processo de avaliação nada tem a ver com aprovar ou dar mais pontos para os alunos bonzinhos ou esforçados. . mas não sabem a matéria.

Evidentemente. o primeiro interessado na avaliação deve ser o próprio aluno. em que pontos está solidificada a aprendizagem e que aspectos precisam ser trabalhados melhor ou de modo diferente.A avaliação deve ter critérios definidos. dados a conhecer aos interessados. . É a ele que interessa saber quanto rendeu seu estudo.

é fundamental que o aluno conheça os critérios a partir dos quais a avaliação será realizada.Por isso. mesmo quando se trata de instrumentos de verificação de caráter subjetivo. como produções de texto. . por exemplo.

33 . no. comparada com a prática ainda corrente na educação. junho 1998. Andrea Cecília Ramal . de modo especial no ensino superior. 21. p. Referência Bibliográfica Lendo no viés das palavras: Concepções de Avaliação na LDB Artigo publicado em Salvador: Revista de Educação CEAP .A visão de avaliação subjacente ao texto da Lei 9.ano 6.394/96 parece-nos bastante nova.47.

Avaliação na LDB .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->