Você está na página 1de 2

Anatomia do Aparelho Locomotor – Caso clínico II (Viscerocrânio)

Anamnese

ID (Identificação): V.M.A.V, sexo feminino, 23 anos.

QP (Queixa Principal): Cefaléia há 10 anos.

HMA (História da Moléstia Atual): Paciente refere episódios intermitentes de cefaléia


bilateral, pulsátil, retro-orbital, sem irradiação, associada a fotofobia e fonofobia. Refere
início dos sintomas há aproximadamente 10 anos. Inicialmente sua dor manifestava-se
de forma mais branda (4/10) e com freqüência de 2 a 3 vezes no mês. Evoluiu com
piora progressiva do quadro e, atualmente, refere dores de maior intensidade, variando
de 6/10 a 9/10, com freqüência de 2 vezes por semana e comprometimento de suas
atividades habituais (estudos, atividade física). Nega tontura e trauma. Realizou
avaliação neurológica.

Ao exame físico:

Impressão geral: paciente em bom estado geral e nutricional, idade aparente compatível
com idade referida, fácies atípica, lúcida e orientada, eutímica.

Cabeça: crânio indolor à palpação. Ausência de deformidade, protuberância ou lesão.


Seios paranasais: ausência de dor à palpação.
Aparelho osteoarticular: protusão e hipermobilidade mandibular. Presença de dor à
palpação da articulação temporomandibular. Presença de crepto e estalido em
articulação temporomndibular.
Exame neurológico: sem alterações.

Exames complementares: foi solicitada Ressonância Magnética no Crânio.

1) Marque todos os termos que você não conhece e busque seus significados.
2) Que estruturas do viscerocrânio e neurocrânio podem ser identificadas na
Ressonância Magnética do Crânio? Que tipo de corte foi utilizado no exame de
imagem?
3) Que alteração foi identificada no exame? Existe alguma assimetria? Qual o lado
afetado? O que poderia significar, clinicamente, essa alteração?
4) Através de que forames o seio maxilar se abre na cavidade nasal? A paciente
poderia apresentar a queixa de obstrução nasal? Justifique.
5) Se a paciente apresentasse uma queixa de “dor de dente” em hemiarcada
superior direita, qual seria a provável explicação? Que inervação estaria
envolvida nessa sensibilidade dolorosa?
6) A que nervo corresponde o V par craniano? Quais os seus ramos? Por quais
forames passam cada uma desses ramos? Em qual osso do viscerocrânio estão
situados esse forames?
7) Estabeleça uma relação plausível entre a sintomatologia da paciente e: a)
achados do exame físico da articulação temporomandibular; b) achados do
exame de imagem.

Você também pode gostar