P. 1
TAXONOMIA

TAXONOMIA

|Views: 1.346|Likes:
Publicado pormiltonnneto

More info:

Published by: miltonnneto on Apr 06, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/27/2012

pdf

text

original

Taxonomia Animal

Taxonomia Grego= taxis= ordem, arranjo Nomos= lei
Trata da classificação dos seres vivos, procurando tornar mais fácil a sua compreensão e manipulação.

O homem primitivo já se preocupava com a classificação dos seres vivos que os cercavam, distinguindo-os em perigosos ou não perigosos, terrestres ou aquáticos, comestíveis ou não comestíveis. Essa sistemática não era científica, mas útil à sobrevivência, sendo considerada uma CLASSIFICAÇÃO ARTIFICIAL, por não levar em conta o parentesco evolutivo entre os indivíduos.

Existem registros de vários tipos de classificação antigas, como a de Aristóteles (384-322 a.C.), que dividia os animais em dois grandes grupos: com sangue e animais sem sangue. De Aristóteles até o século XVIII houve pouco progresso, pois a comunicação entre os naturalistas era difícil, e isso impossibilitava a adoção de um sistema de classificação único, aceito por todos.

Carlos Linneu, ( 1707-1778 ) 1707‡ Dedicado à botânica e à física, tem como grande contribuição a criação da taxonomia, ciência que trata da classificação dos seres vivos. ‡ ³Systema Naturae´; ‡ Fixista ( número de espécies existentes são os mesmos desde a sua criação ); ‡ Geração espontânea;

ordem. o médico e botânico sueco Lineu (Carl Von Linné (1707-1778)) publicou um livro chamado Systema Naturae. 2. constituindo uma hierarquia. XVIX em 1735. 3-uso de categorias de classificação (reino. classe.uso de palavras latinas ou latinizadas para denominar os seres vivos. no qual propôs um sistema de classificação baseado em alguns princípios: 1. gênero.No séc. espécie). .nomenclatura binominal.

. da Paleontologia.Classificação Naturais Embora Lineu não acreditasse na evolução dos seres vivos (fixismo). começaram as classificações naturais e que atualmente contam com o auxílio da Anatomia e da Fisiologia Comparada. elaborou um sistema de classificação natural. da Genética de da Bioquímica. Assim. isto é. tentou agrupar os seres vivos de acordo com o grau de parentesco. da Embriologia.

usa-se o termo Divisão. REINO FILO CLASSE ORDEM FAMÍLIA GÊNERO ESPÉCIE Obs. O sistema proposto por Lineu continua sendo usado. São 7.as unidades básicas de classificação. .A Classificação Atual A classificação atual é uma adaptação dos sistema de Lineu.: para as plantas no lugar de Filo. acrescido de mais duas categorias: filo e família.

O Sistema de Classificação .

Exemplo da classificação científica do homem Categoria taxonômica Reino Filo Classe Ordem Família Gênero Espécie Classificação Homem Animalia Chordata Mammalia Primata Hominidae Homo Continente País Estado Cidade Bairro Rua Homo sapiens sapiens Nº Unidade de classificação .

além de estarem isolados reprodutivamente de outros grupos. filo e reino. e a de espécies (plural) é spp.Se um animal pertence ao mesmo gênero que o outro. A abreviatura de espécie é sp. ordem. obrigatoriamente ambos pertencem à mesma família. capazes de se reproduzirem. gerando descendentes férteis. . Reino>Filo>Classe>Ordem>Família>Gênero>Espécie Espécie: Espécie é um conjunto de indivíduos semelhantes entre si e que apresentam um mesmo patrimônio genético.

passou a usar seu nome na forma latina: Carolous Linnaeus.Todo nome científico deve ser latino ou latinizado. Exemplos: Canis familiaris Canis familiaris ( cão doméstico) (lobo) Canis lupus Canis lupus Bufo marinus (sapo) Pongo pygmaeus (orangotango) Bos taurus (boi) Bubalus bubalis (búfalo) Felis tigris (tigre) Felis leo (leão) .REGRAS 1º. em função disso. O próprio Lineu.

Plasmodium sp. A abreviatura de espécie é sp. Canis familiaris Canis familiaris ( cão doméstico) Canis lupus Canis lupus (lobo) Canis spp Canis latrans Canis latrans (coiote) Canis familiaris gênero epíteto específico Bothrops alternatus Bothrops alternatus (jararaca) Grafia itálica grifados (quando se usa a escrita manual) Canis spp. e a de espécies (plural) é spp.2º-Todo nome deve possuir no mínimo 2 nomes (nomenclatura binominal). (referente a uma espécie) Plasmodium spp (referente ás várias espécies existentes) .

Nome da espécie (primeiro o nome do gênero e depois o da espécie) Oriza sativa (arroz) Gênero espécie Canabis sativa (maconha) Gênero espécie .

ae se for mulher Anopheles darlingi Wuchereria bancrofti .3º O GÊNERO é geralmente designado por um substantivo. Musca domestica (mosca doméstica) Hyla arborea ( rã verde) Trypanosoma cruzi ou Cruz (no Br) -i se for homem Schistosoma mansoni ou Mansoni (nos EUA) Peripatus heloisae . o qual deve ser escrito com INICIAL MAIÚSCULA. A espécie é geralmente designado por um adjetivo e deve ser escrita com inicial minúscula.

Entre o gênero e a espécie. Exemplos: Anopheles (Nyssorhynchus) darlingi gênero subgênero espécie Aedes (Stegomya) aegypti Anopheles (Kertesia) bellator .4º. o animal pode ter um terceiro nome. escrito com inicial maiúscula e entre parênteses. que é o subgênero.

Exemplos: Homo sapiens sapiens . é a subespécie. o animal pode ter um terceiro nome (nomenclatura trinominal).Homo sapiens neanderthalensis gênero sp subespécie g sp sbsp Rhea americana alba (ema branca) Rhea americana grisea (ema cinza) Micrurus frontalis frontalis (MT) Micrurus frontalis multicinctus (SC) Micrurus frontalis altirostris (RS) Gorilla gorilla (tautonomia) .4ª Regra Depois da espécie. Este nome deve ser escrito com inicial minúscula e sem pontuação intermediária.

1903 . Em seguida coloca-se a data. O nome e a data não são grifados. Exemplos: Passer domesticus Linnaeus.Passer domesticus L. Desejando citar o nome do autor.adota-se para cada gênero e cad espécie. Entamoeba histolytica Shaudinn. colocá-lo logo após o nome científico sem qualquer pontuação intermediária.Lei da prioridade. separada do nome do autor por uma vírgula. o nome mais antigo pelo qual foi designado.

Regra para família Apis IDAE apidae Gênero + sufixo .

É o caso do cruzamento do jumento (Equus asinus) X égua (Equus caballus) = mula ou o burro(híbridos). gênero gêneros afins formam famílias e estas compõem ordens que se reúnem ordens. HÍBRIDOS Algumas espécies podem cruzar entre si.5m de comprimento e meia toneladade peso). em classes. Se o cruzamento for entre um cavalo X jumenta. mas os filhos são estéreis(híbrido).Espécies muito parecidas podem ser reunidas no grupo de gênero.Os diversos filos são reunidos em Reinos. . que apresenta mais semelhança com a jumenta do que com o cavalo(isolamento reprodutivo). Tigon filho de tigre com leoa. Os filos são compostos por classes semelhantes. nasce um animal conhecido como bardoto. Liger é o maior felino do mundo= leão e tigre (ele é 30% maior que o pai e a mãe. chegando a 3.

 Especie .

Outra explicação é que tanto o macho quanto a fêmea não têm os órgãos genitais bem desenvolvidos. . A mula também é estéril porque não pode produzir óvulos.Mula e Burro= híbridos O burro não consegue produzir espermatozóides por isso é estéril. o que dificulta o acasalamento.

mula. O jumento é famoso por sua grande resistência e pode ser encontrado em praticamente todo o planeta. Em média. ela é chamada de mula. formado a partir do cruzamento entre um jumento e uma égua. exceto em regiões mais frias. são nomes regionais diferentes dados para exatamente o mesmo animal: o Equus asinus. por sua vez. tem 1. Quando o filhote desse acasalamento é uma fêmea. quando nasce um macho. jegue e asno?  Jumento. sendo muito útil para trabalhos pesados no campo. asno e jegue. Mula e burro. são um outro animal. ele vem sendo usado como animal de carga. ele é popularmente chamado de burro.Qual a diferença entre jumento. burro.30 metro de altura e chega a pesar 400 quilos. . sela e tração. Desde o início das civilizações. uma espécie de "parente" do cavalo.

       Namoro em família Crias dos cruzamentos entre Equus caballus e Equus asinus são sempre inférteis Equus caballus cavalo (macho) ou égua (fêmea) Equus asinus jumento (macho) ou jumenta (fêmea)* Jumento + égua = burro (macho)ou mula (fêmea) Cavalo + jumenta = bardoto (macho ou fêmea) *Asno e jegue são outros nomes para o jumento .

como no caso dos ursos cinzentos. Através de técnicas de engenharia genética. e as zéguas.zéguas  Entre outros exemplos de animais híbridos podemos citar os ligres. cruzamento de ursos polares e cinzentos. é relativamente fácil criar embriões de animais híbridos em laboratório. resultantes do cruzamento entre uma égua e uma zebra. animais resultantes do cruzamento entre um leão e uma tigresa. . porém. novas pesquisas afirmam que o processo de hibridação pode ocorrer de forma natural e espontânea na própria natureza.

LIGER= LEÃO X TIGRE liger .

Liger  Ele é o maior de todos os felinos. Liger = Lion + Tiger . Num dia normal ele devora quilos de carne. Com somente três anos já pesa meia tonelada. normalmente de vaca ou frango.

2 TIGONS .

Liger e tigon .

Os 5 Reinos Reino característi ca Nº de célula Reino Monera uni Procarionte Autótrofo heterotrofo Reino Protista uni Eucarionte Reino Fungi Uni e pluri Eu Hetero Quitina cogumelo Reino Vegetal pluri Eu Reino Animalia pluri Eu Organização celular Nutrição Hetero autotrofo Tipo B ameba Autótrofo Hetero Celulose banana homem Parede celular Tipo A bactérias Exemplos .

5 MIL ESPÉCIES GÊNEROGÊNERO.CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS REINO .Tracheophyta + ou .Rosa + ou ± 500 ESPÉCIES ESPÉCIEESPÉCIE.Rosales + ou ± 18 MIL ESPÉCIES FAMÍLIAFAMÍLIA.Rosaceae + ou ± 3.Rosa galica .250 MIL ESPÉCIES CLASSE ± Angiospermae + ou .Plantae + OU ± 275 MIL ESPÉCIES FILO .235 MIL ESPÉCIES Carl von Linné ORDEM .

SUBLINHADO OU ESCRITO EM NEGRITO ± Perna perna (mexilhão) TODO NOME CIENTÍFICO DEVE SER ESCRITO EM LATIM OU LATINIZADO ± Homo sapiens ENTRE GÊNERO E ESPÉCIE PODE HAVER O SUBGÊNERO .Anopheles (Nysorhincus) darling ESPÉCIES PARECIDAS PODEM APRESENTAR SUBESPÉCIES ± Crotalus terrificus terrificus (cascavel) O NOME DAS FAMÍLIAS DOS ANIMAIS RECEBE O SUFIXO idae (Felidae). SENDO O PRIMEIRO NOME IGUAL AO DO GÊNERO E O SEGUNDO É O EPECÍFICO OU EPÍTETO ± Musca domestica O NOME CIENTÍFICO DEVE SER GRIFADO.OBJETIVO DA NOMENCLATURA . E NAS PLANTAS O SUFIXO É: aceae (Rosaceae) .CADA NOME DESIGNA UMA ÚNICA ESPÉCIE REGRAS DE NOMENCLATURA TODO NOME CIENTÍFICO DEVE SER ESCRITO EM LATIM OU LATINIZADO ± Homo sapiens ± Trypanosoma cruzi ou Tryapanosoma Cruzi A NOMENCLATURA É BINOMIAL.ELIMINAR NOMES MÚLTIPLOS .

famílias. gêneros e espécies e. Reinos são divididos em Filos. em maior ou menor grau. ou grupos taxonômicos. taxon).TAXONOMIA OU SISTEMÁTICA   Taxonomia é a ciência da identificação. A taxonomia de Lineu classifica as coisas vivas em uma hierarquia. A espécie é um grupo de indivíduos (espécimes) que mostram. que visa a identificar espécies e não espécimes. então em ordens. O criador do método de classificação foi Carolus Linnaeus (século XVIII) e até hoje é extensamente usada nas ciências biológicas. Grupos de organismos em qualquer uma destas classificações são chamados taxa (singular. Filos são divididos em classes. . começando com os Reinos. Esta é a missão do taxonomista: conhecer a variabilidade e separá-la. ou phyla. dentro de cada um em sub-divisões. a variabilidade intrapopulacional sempre presente.

distinguíveis das outras por diferenças marcantes.É o agrupamento de espécies semelhantes ou parecidas entre si. Infra-classe Subclasse Superordem Ordem . Subordem Superfamília Família . pg. 2076). 2001. têm em comum outros caracteres pelos quais se assemelham entre si e se distinguem dos das demais espécies. além dos caracteres genéricos. que signifiquem relações genéticas. Subespécie     .é a categoria superior da classificação científica dos organismos introduzida por Lineu no século XVIII. Lineu considerou as coisas naturais no mundo divididas em três reinos: Mineral.indivíduos que.é a categoria taxonômica que agrupa ordens relacionadas filogeneticamente .os "animais" (com movimento próprio) e Plantae . 2001.é a categoria taxonômica que agrupa famílias relacionadas filogeneticamente . pg. Animalia . Originalmente.as "plantas" (sem movimentos). Subfamília Gênero . (Dicionário Houaiss.  Reino . distinguíveis das outras por diferenças marcantes. (Dicionário Houaiss. Filo (animais) / Divisão (plantas) Subfilo / Subdivisão Superclasse Categorias facultativas Classe . Subgênero Espécie . 736).Reúne gêneros semelhantes e estas estão reunidas em classes e as classes em Divisão. e que é a principal subdivisão das classes. e que é a principal subdivisão dos filos.

Reino: Animalia Filo: Chordata Classe: Mammalia Infra-classe: Placentalia Ordem: Primata Família: Hominidae Subfamília: Homininae Gênero: Homo Espécie: Homo sapiens sapiens .

cujas bases foram lançadas na 10ª edição do Systema Naturae. Estas respeitam um código internacional. de Lineu (1758) e atualizadas com o decorrer do tempo. versão 2000) Há certas regras que devem ser obedecidas ao se tratar com categorias taxonômicas. .Regras de nomenclatura (Código Internacional de Nomeclatura Zoológica. presentes no Código Internacional de Nomenclatura Zoológica. Como a nomenclatura para os fósseis é a mesma. deve-se utilizar as mesmas regras de nomenclatura.

Schlumbergerina alveoliniformis. . pelo menos. Amphisorus hemprichii. É o sistema binominal criado por Lineu. O nome do gênero deve ser escrito com inicial maiúscula e o nome da espécie deve ser escrito com inicial minúscula. Todo animal deve ter. o primeiro referente ao gênero e o segundo à espécie.As regras mais importantes são:    O nome dos animais deve ser escrito em latim ou idioma latinizado. dois nomes.

é indiferente utilizar inicial maiúscula ou minúscula. quaisquer designações posteriores equivalem a sinonímia. Deve-se usar sempre o primeiro nome com o qual o animal foi descrito. Lagena laevis ou Lagena laevis.Quando a espécie tem nome de pessoa. devem ser revistas e voltar ao gênero original. ou seja. O nome dos animais deve ser em destaque (itálico ou negrito). .

depois do nome da espécie. se houve modificação na descrição original de uma espécie. As abreviaturas sp (espécie) ou spp (espécies) são utilizadas quando o material só foi determinado até o nível genérico. Pyrgo sp.  Em trabalhos científicos. 1958. coloca-se o nome do autor que o descreveu seguido de vírgula e data. . autor e ano aparecem entre parênteses. Massilina pernambucensis Tinoco.

. usa-se a abreviatura aff (affinis = afim com) entre o nome do gênero e da espécie. Quinqueloculina cf. ou seja. A abreviatura de cf (confers = comparar com) é utilizada em casos de dúvida maior do que o do caso anterior.  Quando a identificação da espécie é impossível. ele é chamado de Incertae sedis. Q. que tem posição incerta na classificação. Quando a posição taxonômica de um organismo não pode ser determinada. implexa.

.O uso de nomes científicos facilita a comunicação entre pessoas que falam diferentes idiomas e mesmo entre pessoas de diferentes regiões geográficas de um mesmo país. que variam de região para região. atualmente são adotadas regras universais de nomenclatura promulgadas pelos congressos internacionais de Zoologia. pois as espécies de seres vivos recebem nomes vulgares ou populares.Regras Internacionais de Nomenclatura Para não haver confusão na designação científica dos animais.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->