Você está na página 1de 7

Direito das Obrigações

Aula 1 – 11/02/2011
Conceito e Importância

• Obrigação é uma relação jurídica transitória de cunho pecuniário,


unindo duas (ou mais) pessoas, devendo uma (o devedor) realizar
uma prestação a outra (o credor).

• O direito das obrigações é importante para:

a) Proteger a autonomia privada no Direito;

b) Ordenar a atividade econômica do homem;

c) Assegurar a segurança nas relações de consumo, produção e


distribuição de bens e serviços.
Evolução da Teoria das Obrigações

• Força obrigatória dos contratos, inserida na codificação


napoleônica;

• Influência da legislação francesa, inspirada no liberalismo;

• Necessidades modernas de produção inserindo o indivíduo numa


disciplina coletiva.
Posição do Direito das Obrigações

• O Direito das Obrigações trata de direitos de índole patrimonial e


constitui a matéria do Livro I da Parte Especial do Código Civil;

• Conhecimento e técnica que influem em todos os campos do direito.


Diferenças entre Direitos reais e Direitos Pessoais

 Direito real recai diretamente sobre a coisa;

 Direito obrigacional tem em mira relações humanas, e a


prestação, seu objeto, só pode ser exigida do devedor;

 Direito real é atributivo, relativo ao seu titular;

 Direito obrigacional é cooperativo, comporta um sujeito ativo, um


sujeito passivo e a prestação, objeto da relação jurídica;
Diferenças entre Direitos reais e Direitos Pessoais

 Direito real concede o gozo e a fruição de bens;

 Direito obrigacional concede direito a uma ou mais prestações


efetuadas por uma pessoa;

 Direito obrigacional é de caráter essencialmente transitório;

 Direito real tem sentido de permanência;


Diferenças entre Direitos reais e Direitos Pessoais

 Direito real, como corolário de seu caráter absoluto, possui o


chamado direito de seqüela (o direito segue a coisa,
independente do seu detentor);

 Direito obrigacional confere ao credor uma garantia geral do


patrimônio do devedor;

 Direitos reais estão elencados num rol taxativo na lei civil;

 Direitos obrigacionais apresentam-se com um número


indeterminado por serem infinitas e variadas as relações
obrigacionais.