Você está na página 1de 15

Tipos de Resenha

Até agora eu falei sobre as resenhas de uma forma geral e livre e esses
dados são suficientes para você já esboçar alguns parágrafos.

Contudo, as resenhas apresentam algumas divisões que vale destacar. A


mais conhecida delas é a resenha acadêmica, que apresenta moldes
bastante rígidos, responsáveis pela padronização dos textos científicos. Ela,
por sua vez, também se subdivide em resenha crítica, resenha
descritiva e resenha temática.

Na resenha acadêmica crítica, os oito passos a seguir formam um guia ideal


para uma produção completa:

1. Identifique a obra: coloque os dados bibliográficos essenciais


do livro ou artigo que você vai resenhar;

2. Apresente a obra: situe o leitor descrevendo em poucas linhas


todo o conteúdo do texto a ser resenhado;

3. Descreva a estrutura: fale sobre a divisão em capítulos, em


seções, sobre o foco narrativo ou até, de forma sutil, o número de
páginas do texto completo;

4. Descreva o conteúdo: Aqui sim, utilize de 3 a 5 parágrafos para


resumir claramente o texto resenhado;

5. Analise de forma crítica: Nessa parte, e apenas nessa parte,


você vai dar sua opinião. Argumente baseando-se em teorias de
outros autores, fazendo comparações ou até mesmo utilizando-se
de explicações que foram dadas em aula. É difícil encontrarmos
resenhas que utilizam mais de 3 parágrafos para isso, porém não
há um limite estabelecido. Dê asas ao seu senso crítico.

6. Recomende a obra: Você já leu, já resumiu e já deu sua


opinião, agora é hora de analisar para quem o texto realmente é
útil (se for útil para alguém). Utilize elementos sociais ou
pedagógicos, baseie-se na idade, na escolaridade, na renda etc.
7. Identifique o autor: Cuidado! Aqui você fala quem é o autor da
obra que foi resenhada e não do autor da resenha (no caso,
você). Fale brevemente da vida e de algumas outras obras do
escritor ou pesquisador.

8. Assine e identifique-se: Agora sim. No último parágrafo você


escreve seu nome e fala algo como “Acadêmico do Curso de
Letras da Universidade de Caxias do Sul (UCS)”

Na resenha acadêmica descritiva, os passos são exatamente os mesmos,


excluindo-se o passo de número 5. Como o próprio nome já diz, a resenha
descritiva apenas descreve, não expõe a opinião o resenhista.

Finalmente, na resenha temática, você fala de vários textos que tenham


um assunto (tema) em comum. Os passos são um pouco mais simples:

1. Apresente o tema: Diga ao leitor qual é o assunto principal dos


textos que serão tratados e o motivo por você ter escolhido esse
assunto;

2. Resuma os textos: Utilize um parágrafo para cada texto, diga


logo no início quem é o autor e explique o que ele diz sobre
aquele assunto;

3. Conclua: Você acabou de explicar cada um dos textos, agora é


sua vez de opinar e tentar chegar a uma conclusão sobre o tema
tratado;

4. Mostre as fontes: Coloque as referências Bibliográficas de cada


um dos textos que você usou;

5. Assine e identifique-se: Coloque seu nome e uma breve


descrição do tipo “Acadêmico do Curso de Letras da Universidade
de Caxias do Sul (UCS)”.

Conclusão
Fazer uma resenha parece muito fácil à primeira vista, mas devemos
tomar muito cuidado, pois dependendo do lugar, resenhistas podem fazer
um livro mofar nas prateleiras ou transformar um filme em um verdadeiro
fracasso.

As resenhas são ainda, além de um ótimo guia para os apreciadores da arte


em geral, uma ferramenta essencial para acadêmicos que precisam
selecionar quantidades enormes de conteúdo em um tempo relativamente
pequeno.

Agora é questão de colocar a mão na massa e começar a produzir suas


próprias resenhas!

Como Fazer

Veja aqui artigos e dicas importantes para auxiliá-lo na sua vida acadêmica.
Você pode ainda contribuir para essa página enviando suas sugestões para
nosso e-mail, essas sugestões podem ser publicadas.

Veja Abaixo
      › Fichamento
      › Citação
      › Referência

Fichamento

É uma das fases da Pesquisa Bibliográfica, seu objetivo é facilitar o


desenvolvimento das atividades acadêmicas e profissionais. Pode ser utilizado
para:

 Identificar as obras;
 Conhecer seu conteúdo;
 Fazer citações;
 Analisar o material;
 Elaborar a crítica;
 Auxiliar e embasar a produção de textos;

Classificação de Fichamento:
1. FICHAMENTO TEXTUAL - é o que capta a estrutura do texto,
percorrendo a seqüência do pensamento do autor e destacando:
idéias principais e secundárias; argumentos, justificações, exemplos,
fatos etc., ligados às idéias principais. Traz, de forma racionalmente
visualizável - em itens e de preferência incluindo esquemas,
diagramas ou quadro sinóptico - uma espécie de “radiografia” do
texto.

2. FICHAMENTO TEMÁTICO - reúne elementos relevantes (conceitos,


fatos, idéias, informações) do conteúdo de um tema ou de uma área
de estudo, com título e subtítulos destacados. Consiste na transcrição
de trechos de texto estudado ou no seu resumo, ou, ainda, no
registro de idéias, segundo a visão do leitor. As transcrições literais
devem vir entre aspas e com indicação completa da fonte (autor,
título da obra, cidade, editora, data, página). As que contêm apenas
uma síntese das idéias dispensam as aspas, mas exigem a indicação
completa da fonte. As que trazem simplesmente idéias pessoais não
exigem qualquer indicação.

3. FICHAMENTO BIBLIOGRÁFICO - consiste em resenha ou comentário


que dê idéia do que trata a obra, sempre com indicação completa da
fonte. Pode ser feito também a respeito de artigos ou capítulos
isolados, a arquivado segundo o tema ou a área de estudo. O
Fichamento bibliográfico completa a documentação textual e temática
e representa um importante auxiliar do trabalho de estudantes e
professores.

Topo 

Citação

Citação é a menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte.

 Objetivo da NBR-10520

Fixar as condições exigíveis para padronização e coerência da seguridade das


fontes indicadas nos textos dos tipos de documentos (ABNT, 2002).
 Tipos de citação

De acordo com a ABNT, as formas de citações mais conhecidas são: direta,


indireta e citação de citação.

 Citação direta, literal ou textual

Citações diretas, literais ou textuais: transcrição do trecho do texto de parte da


obra do autor consultado.

Espaçamento 1,5cm
Tamanho = 12

 Exemplo :

Exemplo 2: A citação com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas”

 Citação indireta ou livre

Citações indiretas ou livres é o texto baseado na obra do autor consultado (uso


de paráfrase).

Exemplo 1: Indicação do Autor no começo do texto citar em Caixa Baixa


seguida da data
Citação de citação

 Citação de citação é aquela em que o autor do texto não tem acesso


direto à obra citada, valendo-se de citação constante em outra obra.

Exemplo 1: Indicação dos Autores separados pela expressão “apud” ou “citado


por”
 Citação de informação verbal

Os dados obtidos por informação oral (comunicação pessoal, palestras,


apontamentos em aula, etc.) podem ser citados e suas referências aparecerão
apenas em nota de rodapé.

Exemplo:

____________________
1 English, therefore, is not a good language to use when programming. This
has long been realized by others who require to communicate instructions.
(TEDD, 1977, p. 29).

 No texto (comunicação pessoal):

VALE constatou que há indícios de cones de rejeição².

 No texto (apontamentos em aula):


A Internet é vista como um grande meio de difusão dos aspectos da
globalização³.

 Formalização da citação

Para formalizar uma boa citação, sugerimos algumas formas para iniciar um
parágrafo no texto acadêmico. Veja:
Vale ressaltar que... / Em função disso... / A partir dessa reflexão, podemos
dizer que... / É importante ressaltar que... / Com base em (autor) queremos
buscar caminhos... / É necessário, pois, analisar... / Nesse sentido, ressaltamos
que... / Coaduna-se com essas reflexões (autor) quando ressalta que... / Posto
que [a leitura é sempre produção de significados], consideramos que... / Daí a
necessidade de... / Podemos inferir, com (autor) que... / Assim, entendemos
que... / Dessa perspectiva... / Dessas acepções, podemos ressaltar que... /
Disso decorre... / Assim sendo, salientamos que... / A partir desses
levantamentos, cabe-nos... / Contudo, ressalta (autor) que... / Podemos
compreender, com base em (autor) que... / Tais afirmações vêm de encontro
ao que queremos... (no sentido de choque) / Os estudos desses autores vêm o
encontro de nossos anseios, no sentido de mostrar que... (para somar)
(ECKERT-HOFF1, 2001 apud FACULDADES NETWORK, 2002).

Topo 

Referência

Referência é conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um


documento, que permite a sua identificação individual. (NBR 6023, 2002, p. 2).

ELEMENTOS DA REFERÊNCIA

 Autor da obra

Inicia-se a referência pelo Sobrenome do autor em maiúsculo, seguido pelo


nome. Emprega-se vírgula entre sobrenome e nome.

Ex.: GARCIA, J.
Quando a obra possuir até três (3) autores, indicam-se todos, na mesma ordem
em que aparecem na obra, emprega-se ( ; ) entre os autores.

Ex: GARCIA, Juarez; SILVA, Jorge; SOUZA, Standilau.

____________________________
1ECKERTT-HOFF, B. M.  Apostila de metodologia do trabalho científico.
Nova Odessa: Fac. Network, 2001

GARCIA, J.; SILVA, J.; SOUZA, S.

Quando a obra possuir mais de três (3) autores, menciona-se o primeiro,


seguido da expressão et al.

Ex.: GARCIA, J. et al.

Quando houver indicação de responsabilidade por uma coletânea de vários


autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, (seguida da
abreviatura entre parênteses).

Ex.: GARCIA, J. (Org.).

Indicação de parentesco no nome, manter a indicação em letra maiúscula.

Ex: BRITO FILHO, Dilermando.


AMATO NETO, Vicente.

Para entidades coletivas:

Órgãos de Administração governamental. (Ministério, Secretarias e outros).


Deve-se indicar a entrada pelo nome geográfico (País, Estado ou Município).

Ex.: BRASIL. Ministério da Saúde.


PARANÁ. Secretaria da Educação.
LONDRINA. Prefeitura Municipal.

Entidades independentes, empresas, universidades etc...


Ex.: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA.
CACIQUE CAFÉ SOLÚVEL.
IBGE.

Para publicações anônimas, entrar diretamente pelo título, sendo a primeira


palavra impressa em maiúsculo.

Ex.: A VIDA como ela é.

 Título da obra

O título deve ser reproduzido tal como aparece na obra, devendo ser destacado
dos demais elementos da referência (negrito, itálico ou sublinhado).

- Subtítulo
Indica-se o subtítulo após o título, precedido por dois pontos (:). O subtítulo
não deve ser destacado.

Ex.: Sistema de retroação e controle: aplicações para engenharia, física e


biologia.

 Edição

É indicada a partir da segunda edição, deve ser transcrita utilizando-se


abreviaturas dos numerais ordinais, na língua do documento.

Ex: 2. ed.
5th ed.

 Local

O local deve figurar na referência tal como aparece na publicação. Quando


houver mais de um local, indica-se o que estiver em destaque ou aparecer em
primeiro lugar. Quando não for mencionado, utilizar-se a expressão [S.l.].

 Editora

Deve ser citada tal como aparece na obra. Quando possuir mais de uma
editora,indica-se a que aparecer em destaque ou a que estiver em primeiro
lugar. Suprimir as palavras, Editora, Ltda., Cia, etc...
Se a Editora não estiver indicada na obra, utilizar a expressão [s.n.].

 Data

Quando houver dúvidas quanto à data

[2000?] Data provável.


[200 -] Para década certa.
[19 --] Para século certo.
[18 --?] Para século provável.

Obs.: Na ausência do local, editora e ano, abrir colchetes:


Ex: [S.l.: s.n., 19--].
[S.l.: s.n.], 1999.
São Paulo: [s.n., 19--].

ORDEM DOS ELEMENTOS DA REFERÊNCIA

 Livro no todo

SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome; SOBRENOME,


Nome./Título./edição./Local de publicação: Editora, ano.

EX: PINHO, Diva Benevides; VASCONCELOS, Marco Antonio Sandoval de.


Manual de economia. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 1998.

Com indicação de volume

BITTAR, Carlos Alberto. Curso de direito civil. Rio de Janeiro: Forense


Universitária, 1994. v.2 (volume citado)

Ou

BITTAR, Carlos Alberto. Curso de direito civil. Rio de Janeiro: Forense


Universitária, 1994. 3v. (quantidade de volumes da obra).

 Capítulo de livro
 Com autoria especial (autor do capítulo diferente do
autor do livro

SOBRENOME, Nome./Título do capítulo./In: SOBRENOME, Nome./Título do


livro./edição./Local: Editora, ano. p. inicial-final.

Ex.: ARCHER, Earnest R. Mito da motivação. In: BERGAMINI, Cecília; CODA,


Roberto (Org.). Psicodinâmica da vida organizacional: motivação e liderança.
2.ed. São Paulo: Atlas, 1997. p.23-46

  Sem autoria especial (quando o autor do livro for o


mesmo do capítulo).

SOBRENOME, Nome. /Título do capítulo./In: ______./Título do livro./


edição./Local: Editora, ano./p. inicial-final.
Ex: FOUCAULT, Michel. A prosa do mundo. In: ______. As palavras e as coisas.
São Paulo: Martins Fontes, 2000. p.23-58.

  Com indicação de volume

RODRIGUES, Silvio. Da cláusula penal. In: ______. Direito civil: parte geral das
obrigações. 28.ed. São Paulo: Saraiva, 2000. v.2, p.87-98

 Artigos periódicos

SOBRENOME, Nome (autor do artigo)./Título do artigo./Nome da Revista, Local,


v., n., p.inicial - final, mês ano.

Ex: PEIXOTO, Fábio. Sua empresa não quer fera. Exame, São Paulo, v.35,
n.738, p.30-31, abr. 2001.

Obs.: abreviar o mês até a terceira letra, com exceção ao mês de maio.

 Artigos jornais

SOBRENOME, Nome (autor do artigo)./Título do artigo./Nome do Jornal, Local,


dia mês e ano./Caderno, p.

Ex: SILVA, Carlos José. O drama da economia. Folha de Londrina, Londrina, 23


abr. 1998. Caderno Economia, p.4.
 Teses/dissertações/monografias

SOBRENOME, Nome./Título do trabalho./Ano./ Natureza do Trabalho (Nível e


área do curso) - Unidade de Ensino, Instituição, Local.

Ex: MONTAGNA, Adelma Pistun. Expressões de gênero no desenho infantil.


2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de
Uberlândia, Uberlândia.

 Documentos meios eletrônicos

  Páginas da Internet

SOBRENOME, Nome./Título da página./Disponível


em:<http:/www.editora.com.br>. Acesso em: 23 maio 2001.

Ex: CALDAS, Juarez. O fim da economia: o começo de tudo. Disponível em:


<http:/www.caldasecon.com.br>. Acesso em: 23 abr. 2001.

  Artigos de periódicos (Internet)

SOBRENOME, Nome./Título do artigo./Nome da Revista, Local, v. , n. , mês


ano. Disponível em: <http:/www.editora.com.br> . Acesso em: 23 maio 2001.

Ex: BAGGIO, Rodrigo. A sociedade da informação e a infoexclusão. Ciência da


Informação, Brasília, v.29, n.2, maio/ago. 2000. Disponível em:
<http:/www.scielo.br/cgi-bin/wxis.exe/iah>. Acesso em: 11 jun. 2002.

  E-mail

SOBRENOME, Nome (autor da mensagem). Título da mensagem. [mensagem


pessoal] Mensagem recebida por <endereço destinatário> data.
Ex: SILVA, Mário. Informações eletrônicas [mensagem pessoal]. Mensagem
recebida por <stujur@uol.com.br> em 11 jun. 2002.

  CD-ROM

Ex: RIO DE JANEIRO. Prefeitura Municipal. Subsecretaria de Desenvolvimento


Institucional. Organização básica do poder executivo municipal. Rio de Janeiro:
Unisys Brasil, 1996. CDROM.
 Documentos jurídicos: leis decretos e portarias

BRASIL. Decreto-lei n° 2423, de 7 de abril de 1998. Estabelece critérios para


pagamento de gratificações e vantagens pecuniárias as titulares de cargos e
empregos da Administração Federal direta e autárquica e dá outras
providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 8 abr.
1998, p.6009, Seção 1, pt.1.

 Jurisprudência (Acórdãos e demais Sentenças das


Cortes ou Tribunais)

AUTOR (entidade coletiva responsável pelo documento). Nome da Corte ou


Tribunal. Ementa (quando houver). Tipo e número do recurso (apelação,
embargo, habeas corpus, mandado de segurança, etc.). Partes litigantes
(precedida da palavra Apelante/Apelada). Nome do relator precedido da palavra
"Relator". Local, data. Dados da publicação que publicou. Voto vencedor e
vencido, quando houver.

BRASIL. Tribunal Regional Federal (5.Região). Apelação cível nº 42.441-PE -


(94.05.016-6). Apelante: Edilemos Mamede dos Santos e outros. Apelada:
Escola - Técnica Federal de Pernambuco. Relator: juiz Nereu Santos. Recife, 4
de março de 1997. Lex: Jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais,
São Paulo, v.10, n.103, p.558-562, mar. 1998.

 Constituição

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.


27.ed. São Paulo: Saraiva, 1991.

 Código

BRASIL. Código civil. Organização dos textos de Maurício Antônio Ribeiro Lopes.
5.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.

 Verbetes dicionário/enciclopédia

EMPIRIOCRITICISMO. In: ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. São


Paulo: M. Fontes, 2000. p.326.

 Trabalho apresentado em evento


AUTOR./Título do trabalho./In: NOME DO EVENTO, n., ano, Local. Anais.../Local
de publicação: Editora, ano./p.

Ex: GARCIA, Flávio. A zoologia aplicada no Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO


DE ZOOLOGIA, 34., 2002, Itajaí. Anais... Itajaí: UNIVALI, 2002. p.54-67. 

 Bíblia

BÍBLIA. Idioma. Título da obra. Tradução ou versão. Local: Editora, Data de


publicação. Total de páginas. Notas (se houver).

BIBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução por Padre Francisco Zbik. Rio de
Janeiro: Paumape, 1980.

FONTE: Material extraído (RIBEIRO, 2008)

Você também pode gostar