P. 1
Conteudo_EJA

Conteudo_EJA

|Views: 1.441|Likes:
Publicado porpontodeapoio2

More info:

Categories:Topics, Art & Design
Published by: pontodeapoio2 on Apr 09, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/22/2013

pdf

text

original

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS DO DISTRITO FEDERAL

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

1o SEGMENTO 2o SEGMENTO 3o SEGMENTO

OUTUBRO 2008

1

Governador do Distrito Federal JOSÉ ROBERTO ARRUDA Secretário de Estado de Educação JOSÉ LUIZ DA SILVA VALENTE Subsecretária de Educação Básica ANA CARMINA PINTO DANTAS SANTANA Gerente de Educação de Jovens e Adultos EDSON DE SOUSA GONÇALVES

EQUIPE GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

2

Gerente de Educação de Jovens e Adultos Edson de Sousa Gonçalves Chefe do Núcleo do Ensino Médio Christiane Leite Areias da Silva Chefe do Núcleo do Ensino Fundamental Rosangela Maria Pinheiro Equipe Pedagógica Maria Aparecida Borelli de Almeida Edna Guimarães Campos Lígia Maria Cracco Mazocato Giovanna Amaral da Silveira Equipe Administrativa Maria da Glória Neves Gontijo Jose de Ribamar Ribeiro Bonfim Maria Adelaide

ELABORADORES E COLABORADORES

3

DRE BRAZLANDIA

Aline Lílian da Silva André Lúcio Bento Antônio Paulo M. Lopes Darlene Alves de A. Monteiro Geraldo Nicanor Lamim Lenice Segal Ferreira Paulo Ayogi Yoshimoto Paulo Macedo de Almeida
DRE CEILÂNDIA

Adriano Batista de Araújo Airton Bezerra Reis Antônio Fernando O. Alencar Attila de Sena Oliveira Fábio Luís de Oliveira Paula Lúcio Flávio Barbosa Luiz Marcos M. Alencar Manoel R. S. Neto Maria Vilma Valente de Aguiar Haroldo J. de Assis Hugo Gonçalves do Nascimento Ivo Marçal Vieira Junior José Campos Kleuber Pereira Ferraz Lucio Flavio Barbosa Luis Marcos M. Alencar Luiz Nogueira de Souza Manoel R. J. Neto Marcos Antonio Soares Maria Cândida B. Simão Maria Vilma Valente de Aguiar Renato Koji Sato Robson Leite Fonseca Junior Rodrigo Vinicius Correa Rosaina A. Guimarães Sheila Borges Sheila Borges Valdirene Gomes Correia Vitória Régia O. Pires Valdirene Gomes Correa Vitória Régia de O. Pires Waldek Batista dos Santos Werton Pereira Dias

4

DRE GUARÁ

Adriano Bomtempo Pessoa Almére Verônica Seabra Falcão Everton Alves dos Santos Fernando S. Carvalho Marisa Camargo Ribeiro Orenita Rosa V. Suda Tânia Curi Garcia
DRE GAMA

Cristiano Rocha Machado Edmarine F.M. Silva Eleuza Anchanja de Resende José Barros Sobrinho Lecio Braz de Faria Leocin Nunes dos Santos Simone Correa do Nascimento
DRE NÚCLEO BANDEIRANTE

Alan Rodrigues de Oliveira Antonio Acassio de Freitas Claudia Maria Amorim de Castro Edson Luiz Simões
Eliane Mendes de Almeida

Fabio Fernandes T. Rodrigues Felix Cardoso da Silva Itanete G. C. Furtado Jefferson Edson B. Trindade Jhonata Soy Oliveira Carvalho
Jair Araújo Lima

Jucélia Ferreira Rocha Ludmila Costa S. Alves Márcio José de Souza Oliveira Maristela de Oliveira Permigiane Marcela Parnaiba Bernardes Maria Ireneuda S. Nogueira Nylda Aparecida S. Borges Paulo Dias Gomes Rubens de Macedo Couto Rúbia Mara de Sousa Tomaz dos Santos Abreu
DRE PARANOÁ

:

Adriano Sotero Bin Daisy de Almeida Faria José de Souza Soares Julio Maria de º Cerqueira Lília Hilário Carmona Zélia Santana Feitosa Rejane Florinda Cintra

5

DRE PLANALTINA

Clarice Pereira Cavalcanti David P. Cavalcante Eliete da Costa Marim Gilson de Carlos P. Leite Maria Solange Rezende de Lima Simone Maria da Silva Vanessa Ribeiro Soares
DRE PLANO PILOTO/CRUZEIRO

Abel Ferreira da S. Junior Ana Maria Monteiro Pires Ana Meire B. Maia José Ivan Mayer de Aquino Márcia C. B. Waquim Nancy de Fátima Silva Niedja Rosemary S. Carvallero Sandra Cristina de L. Leite Simônia F. Maia Sofia Mota de Almeida
DRE RECANTO DAS EMAS

Alonso Maciel Mendes Cristiano Rocha Machado Patrícia Bueno Marques Sueli Rodrigues S. Martins Paiva
DRE SANTA MARIA

Adriana Alves Ramos Alexandre José Branco Ângelo Balbino Carlos Alberto Alves Marreiro Claudio Denis Alves de Araújo Cleber dos Santos Ferreira Cristiane Coqueiro Cordeiro Cristiane Oliveira Santos Daniela Ferreira Carvalho Eleneia Soares Barbosa Eliane Cristina Neres Silva Fátima Porto J. M. Santos Joseana Vieira Ferreira Laércio N. Beserra Marcelo Costa Carvalho Maria da Guia de Oliveira Maria Nerise Monteiro Miguel Valter de Araújo

6

DRE SAMAMBAIA

Alex Cruz Brasil Edison Cosme da Silva João José Carneiro Alvarenga Lazaro Henrique Felix
DRE SÃO SEBASTIÃO

Christiane Paz Lapa Joaquim Dantas Neto Jorge Luiz de Souza Paulo Viana de Sousa Paulo Roberto Vieira Caldeira Suely Divina Santos
DRE SOBRADINHO

Ademir Carvalho Montenegro Belchior Benedito Artur Souto Carivaldo João da Silva Camila da Silva Borges Lacerda Delnilo Ribeiro Nogueira Edi Silva Pires Edson Antonio Cavalcante Edson de O. Clemente Eloilde Maria de Assis Edson de Oliveira Clemente Francisco Guimarães de Freitas Gilda das Graças e Silva José Aurimar P. Lima José de Albuquerque Alencar Filho Josimara Xavier Lilian Ly G. De Carvalho Luiz Marcio A. Curvo Manoel Alessandro M. de Araujo Marcos R. Pericoli Marcel Voos de Souza Maristela Jácome da Cunha Maria Aparecida Albuquerque Ozelb de Freitas Cardozo Paula Augusto da Silva Rita de Cássia G. R. Fonseca Wagner Macário de Carvalho Welder Lima de Ataides Márcia Sandrelli de Lima Fernandes Ana Cléria Rodrigues Durães

7

DRE TAGUATINGA

Aldenora Moraes de O. Paula Cristiane Borges de Oliveira Celi Antonia da Silva Cristina Ohtta Daniela Dias Braga Jabrane Divina Gonçalves Martins Eliene Ferreira B. Salomão Edna Lúcia Maria Aragão Elisângela da Silva Machado Genildo Alves Marinho Geórgia Carla I. F. Ferreira Geraldo Eudóxio Cândido de Lima Gilberto Alves Barbosa Herberth M. Guimarães Harlei Cursino Vieira Ivaldo Almeida Guimarães José Roberto Uchoa José Raimundo S. Oliveira Luciano Ribeiro Manoela Santana Miranda Maria Rutilene dos Anjos Márcia Limeira Lima Márcia Gomes Pinheiro Meiriane C. T. Caíres Patrícia Milanez Guimarães Sílvio Benício da Silva Aldenora Moraes de Oliveira Paula

8

Currículo da Educação de Jovens e Adultos EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A crescente evolução do ensino da modalidade de Educação de Jovens e Adultos - EJA, no Distrito Federal, perpassa historicamente pela criação e execução de programas e projetos educacionais, que contribuíram significativamente para o desenvolvimento de estratégias para a redução do analfabetismo na Rede Pública de Ensino do DF. Cabe-nos citar algumas Campanhas ou ações nacionais e locais que fizeram parte desse processo de atendimento à população de jovens e adultos não escolarizada, como: a Campanha de Jovens e Adultos – 1947; O Plano Nacional de Alfabetização, segundo a proposta de Paulo Freire, - 1964; a criação do Mobral – 1967, pelo governo militar. Nesse contexto, em 1971, tivemos a publicação da Lei n° 5.692, (hoje substituída pela Lei n° 9.394/96), com a concepção da escola com a idéia de supletividade. Ainda nessa época grupos de oposição à ditadura militar continuaram a desenvolver os postulados Freireanos, durante as décadas de 70 e 80. A Fundação Educar, surge, em 1985, com a extinção do Mobral. Ainda nesse ano, surge para a Rede Pública do Distrito Federal a Proposta para Educação de Jovens e Adultos ou Proposta de 1985. Acompanhando esse quadro histórico e cultural, é aprovada no Brasil, a Lei n° 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que em seu art. 4° ressalta o dever do Estado com a educação pública que é efetivada “mediante a garantia de ensino fundamental, obrigatório e gratuito, inclusive para os que a ela não tiveram acesso na idade própria”, norteada pela Constituição Federal de 1988, em seu art. 205, que estabelece que, “a educação é direito de todos e dever do Estado e da família”. Partindo dessa análise histórica, podemos provocar algumas reflexões, as quais consideramos pertinentes: * Qual o perfil do nosso aluno não alfabetizado ou semialfabetizado? * Quem é o analfabeto funcional? * Qual o papel do professor alfabetizador do jovem e adulto no contexto atual? A análise de indicadores de quantidade e de qualidade relacionados à educação no Brasil certamente tem contribuído para implantação de ações governamentais e estaduais de promoção do sucesso escolar de nossos alunos. Com isso, citaremos alguns dados elucidativos para o aclaramento do assunto em análise: * Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO – “Na América Latina, o processo de alfabetização só se consolida de fato para as pessoas que completaram a 4ª série”. (Boletim: Projecto Principal de Educação em América Latina e el Caribe, 1993);

9

* A mesma Organização – UNESCO, em 1978, cria o conceito de analfabeto funcional que diz: “Eles sabem ler mas não compreender. Reconhecem números mas não conseguem passar das operações básicas”. * De acordo com os últimos dados do Indicador de Alfabetismo Funcional – INAF (Brasil,2007) – parceria entre o Instituto Paulo Montenegro –responsável pela atuação social do IBOPE e a ONG Ação Educativa -, 75% dos brasileiros são considerados analfabetos funcionais. E que apenas 25% dos brasileiros com mais de 15 anos tem pleno domínio das habilidades de leitura e escrita”, que aqui podemos chamar de letramento. E complementa “segmentando os brasileiros em 04 (quatro) níveis, de acordo com suas habilidades em leitura/escrita, ou seja, letramento. São eles: analfabetismo, alfabetismo rudimentar, alfabetismo básico e alfabetismo pleno”. Sendo assim, a Educação de Jovens e Adultos, envolvida nesse processo, em seu caráter social e para fim de redução do analfabetismo na Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, atende alunos entre 15 a 65 anos, excluídos do sistema regular, privilegiando sua capacidade de pensar, suas vivências anteriores, suas especificidades culturais e seu conhecimento letrado, de uma forma holística. Desta forma propicia a formação a nível de ensino fundamental e médio , da população de jovens e adultos, regularmente matriculada na Rede Pública de Ensino do DF, de modo presencial e a distância, visando sua autonomia e independência. Para cumprir sua finalidade, que é atender o jovem e adulto em suas especificidades, fora da faixa etária regular, na Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, a Educação de Jovens e Adultos tem como Competências: • • Compreensão e prática da cidadania, participando das transformações sociais que visam ao bem-estar comum, e das questões da vida coletiva; Leitura, escrita e interpretação, com autonomia, das diferentes linguagens – verbal, matemática, artística, tecnológica, corporal, para interagir com o outro, usufruindo de diversas situações de comunicação; Adoção de postura coerente e flexível diante das diferentes situações da realidade social, econômica e política, questionando e buscando soluções, respaldando-se progressivamente numa consciência críticoreflexiva; Desenvolvimento da capacidade de aprender, continuar aprendendo, percebendo e respeitando as semelhanças e as diferenças culturais, religiosas, étnico-raciais e de gênero, valorizando, assim, a diversidade sociocultural e desenvolvendo a auto-estima; Compreensão e respeito a realidade do aluno na qual está inserido, para desenvolver os valores humanos intrínsecos ao ser.

Estruturalmente, no atendimento Institucional, em suas bases curriculares, os Cursos de EJA, são organizados por Segmentos e estes, por Semestres, sendo cada Segmento acompanhado pelos Componentes Curriculares específicos, dividindo-se em: 10

1º Segmento de EJA – Ensino Fundamental com a duração mínima de 1.600 (um mil e seiscentas) horas, distribuídas em 04 (quatro) semestres letivos de 400 (quatrocentas) horas cada uma, equivale às antigas Fases I e II do Ensino Supletivo e corresponde à alfabetização e aos 04 (quatro) primeiros anos do Ensino Fundamental, desenvolvido de forma presencial, com jornada diária de 04 (quatro) horas por turno. Os jovens e adultos não alfabetizados ou semi-alfabetizados que podem participar desse segmento devem ter idade mínima de 14 (quatorze) anos completos; 2º Segmento de EJA – Ensino Fundamental com a duração Mínima de 1.600 (um mil e seiscentas) horas, distribuídas em 04 (quatro) semestres de 400 (quatrocentas) horas cada um, equivale à antiga Fase III do Ensino Supletivo e aos 04 (quatro) últimos anos do Ensino Fundamental, desenvolvido de forma presencial, com jornada diária de 04 (quatro) horas por turno. Os jovens e adultos que podem participar desse segmento devem ter idade mínima de 14 (quatorze) anos completos; 3º Segmento de EJA – Ensino Médio com a duração mínima de 1.200 (um mil e duzentas) horas, distribuídas em 03 (três) semestres de 400 (quatrocentas) horas cada um, equivale à antiga Fase IV do Supletivo e aos 03 (três) anos do Ensino Médio, desenvolvido de forma presencial, com jornada diária de 04 (quatro) horas por turno. Os jovens e adultos que podem participar desse segmento devem ter idade mínima, igual ou superior a 17 anos completos.

Ressalta-se que para o cumprimento da carga horária semestral 400 (quatrocentas) horas é necessário que sejam ministrados 100 (cem) dias letivos com 05 (cinco) horas de atividades pedagógicas, para os turnos matutino e vespertino, distribuídas em 05 (cinco) aulas de 50 (cinqüenta) minutos; E para o turno noturno, com 04 (quatro) horas de atividades pedagógicas, distribuídas em 05 (cinco) aulas, sendo os 03 (três) primeiros horários de 50 (cinqüenta) minutos e os 02 (dois) últimos de 45 (quarenta e cinco) minutos. Além dessa modalidade oferecer o ensino regular nas Instituições Educacionais específicas, há também o atendimento especializado para inclusão do jovem em conflito com a Lei, nos Centros de Atendimento socioeducativos – Centro de Atendimento Juvenil Especializado – CAJE, Centro de Internação de Adolescentes Granja das Oliveiras – CIAGO, Centro de Internação de Adolescentes de Planantina – CIAP e Centro Socioeducativo Amigoniano – CESAMI; Incluindo ainda o atendimento ao adulto em conflito com a Lei, através de Termo de Cooperação com a Fundação Nacional de Apoio ao Preso – FUNAP.

11

Tendo por função primordial o processo de alfabetização de jovens e adultos, a EJA oferece o Ensino a Distância (EAD), para o 2° e 3° Segmentos, como uma estratégia, instituída pelas exigências contemporâneas e pelas necessidades de formação dos alunos em um processo contínuo, sem estar limitado no tempo e no espaço. É uma alternativa flexível, que favorece a adaptabilidade, a utilização de novas formas de linguagens e a inserção do jovem trabalhador na sociedade de uma forma crítico-reflexiva e seu acesso ao mundo das Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC. Buscando o desenvolvimento pleno de seu aluno, a EJA incorpora em suas bases curriculares, metodológicas e avaliativas, a amplitude da vivência da Diversidade. Isso, leva o aluno a manifestar, através de suas crenças e valores, mudanças atitudinais, comportamentais, de ressignificação de idéias, de formação de opiniões, de acitação do outro, de ingerênca social, cultural, econômica e política. Numa abordagem plural, na busca do equilíbrio entre o fundamento teórico e as práticas inovadoras, em nosso currículo, torna-se imprescindível o entendimento da ludicidade como prática pedagógica eficaz para o desenvolvimento integral do nosso aluno. Tendo a certeza que, através dessa forma lúdica de vivenciar e aprender, estaremos promovendo o sucesso da aprendizagem do nosso aluno, inserindo-o ao mundo do letramento, do ser plenamente alfabetizado. Nesse posicionamento podemos responsavelmente instigar algumas reflexões ou questionamentos a esse respeito: • Como posicionar o ser como cidadão, na sociedade, como aluno capaz de produzir inferências, ser pensante, histórico e transformador, sem práticas lúdicas nesse processo? Como entender a formação integral do aluno, sem práticas lúdicas nessa construção? Como facilitar a formação do ser consciente, autônomo, afetivo, sensível, com equilíbrio e auto-estima, sem o desenvolvimemnto de vivências lúdicas nas práticas educativas?

• •

Em relação ao assunto Santos nos elucida, subsidiando nossa posição perante a importância da ludicidade em nossas ações educativas, escrevendo: A ludicidade é uma necessidade do ser humano em qualquer idade e não pode ser vista apenas como diversão. O desenvolvimento do aspecto lúdico facilita a aprendizagem, o desenvolvimento pessoal, social e cultural, colabora para uma boa saúde mental, prepara para um estado interior fértil, facilita os processos de socialização, comunicação, expressão e construção do conhecimento.(1997, p.12)

12

Cabe aos professores, atuantes nessa modalidade, construir uma relação de confiança e solidariedade com os alunos, considerando seus conhecimentos anteriores, estimulando a prática da leitura, do cidadão em suas bases éticas, morais, sociais e políticas. E com isso propiciar condições de desenvolver suas capacidades intelectivas e sua habilidade de inferência, perante as exigências da sociedade atual. E acima de tudo, acreditar na Educação, como forma de inserção do jovem e adulto trabalhador ao mundo do trabalho, sendo a maneira mais segura e eficiente de preparar, capacitar e qualificar esse aluno para a vida e para assumir-se como capaz.

13

Currículo da Educação de Jovens e Adultos 1º SEGMENTO

É dever do Estado e dos governos locais oferecer educação de qualidade e garantir aos alunos da Educação de Jovens e Adultos, regularmente matriculados nas Instituições Educacionais da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, no 1º Segmento de EJA, o acesso e permanência ao processo de alfabetização, considerando as especificidades dessa clientela e respeitando as suas potencialidades. Segundo a Lei nº 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em seu art. 37 “A educação de Jovens e Adultos será destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria”. E em seu § 1º estabelece que “Os sistemas de ensino assegurarão gratuitamente aos jovens e adultos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho, mediante cursos e exames”. Considerando os fundamentos legais e os aspectos históricos no desenvolvimento da Educação de Jovens e Adultos no Brasil, em seu enfrentamento socioeconômico, político e cultural, baseamo-nos nos ideais pedagógicos freireanos, onde a alfabetização deve partir de um exame crítico da realidade existencial dos alunos, da identidade das origens de seus problemas e das possibilidades de superá-los. Segundo Paulo Freire (1987), “A leitura do mundo precede a leitura da palavra”. Sinalizando assim, a implicação de um profundo comprometimento ético e responsável do professor com os alunos na efetivação da construção do sujeito rumo à alfabetização conscientizadora. Nessa construção de saberes, na EJA, a atuação competente do professor torna-se primordial para o sucesso escolar e da aprendizagem, oferecendo condições para que os alunos avancem, aprendam, desenvolvam suas capacidades intelectivas e afetivas e se aproprie de sua autonomia, com dignidade, auto-estima e cidadania. Na formação holística do aluno de EJA, especificamente do 1º Segmento, nas práticas pedagógicas instituídas e planejadas, o professor deve considerar a carga cultural peculiar do aluno, a sua situação no mundo do trabalho e as suas potencialidades reais como um ser em transformação e aprendizado, consolidando as bases de seu desenvolvimento pleno. Além da dimensão pedagógica, organizacional e metodológica para o atendimento de sua clientela, a Educação de Jovens e Adultos, assegura a idéia da integração das áreas de conhecimento ao desenvolvimento de temas adequados às realidades vivenciadas, propiciando a interdisciplinaridade entre seus componentes curriculares na concretização desta proposta.

14

Neste sentido, percorrendo os caminhos da leitura, escrita, produção de textos e análise textuais, ressaltamos a importância da Língua Portuguesa, como componente básico e fundamental no desenvolvimento da expressão oral e escrita do indivíduo. O conceito de letramento, de acordo com a perspectiva da autora Magda Soares deve levar o aluno a perceber os usos sociais da leitura e da escrita, uma vez que devem descobrir a realidade, apropriar-se dela e transformá-la. Nesse contexto, vivendo numa sociedade letrada, a Língua Portuguesa permeia as outras áreas do conhecimento, sendo o principal instrumento que temos para interagir com outras pessoas, para termos acesso às informações, aos saberes e a cultura da qual fazemos parte. Assim, o desenvolvimento da leitura e da escrita devem ter relação direta com a compreensão da representação do sistema alfabético e ortográfico e do domínio da expressão oral e lingüística, nas relações inter-pessoais, possibilitando situações de comunicação fluente, de forma clara, objetiva e independente. Nas relações de comunicação e integração social, a aprendizagem da Matemática, como componente curricular, na Educação de Jovens e Adultos, amplia os meios de compreensão do mundo, através de diferentes representações assimiladas por meio da estruturação do pensamento e do raciocínio lógico. Consolida, assim, uma aprendizagem eficaz, nas aplicações da vida prática e na resolução de problemas de diversos campos de atividade. Cabe ao professor, em suas ações pedagógicas, reorganizar e planejar, por meio de métodos lúdicos e envolventes, a transformação de situações do cotidiano envolvendo noções matemáticas em procedimentos de aprendizagens significativas, de uma forma contextualizada, favorecendo a formação crítico-reflexiva do aluno. Na construção da identidade de cada sujeito, cabe ao professor/mediador organizar diversas formas de trabalho, percorrendo uma trajetória consciente, de inserção do jovem e adulto no processo de aprendizagem, como ser produtivo e criativo, intelectualmente capaz, como cidadão ciente de seus direitos e deveres, afirmando assim,a sua auto-estima. Na Educação de Jovens e Adultos, a área de Estudos da Sociedade e Natureza, como componente curricular, busca aprimorar a formação do aluno, como cidadão, sujeito da sua própria história e da história do seu tempo, desenvolvendo com isso, valores e posturas participativas e conscientes, dentro de sua realidade e de seu meio. Nesse processo de cidadania plena e de produção do conhecimento, em sua base curricular, a Educação de Jovens e Adultos, para formar e desenvolver o aluno alfabetizando, de forma integral, fortalece a vivência da Diversidade, na aceitação de si mesmo, do outro e dos processos coletivos de convivência e promoção. Nesse sistema de crenças e valores, na cultura construída no próprio processo histórico de exclusão social do analfabeto no país, cabe-nos ressaltar aqui a importância da alfabetização na EJA como resgate e inclusão do cidadão ao mundo

15

letrado, ampliando a sua leitura de mundo, suas capacidades intelectivas e o equilíbrio de suas relações afetivas. É parte integrante do currículo de 1º Segmento de EJA o atendimento educacional igualitário de seu aluno, da qualificação do acesso à tecnologia, ao esporte e lazer, a cultura e a arte, o direito a qualidade de vida, as relações de poder e ao mundo do trabalho, na construção da perspectiva do sucesso escolar, do ser plenamente alfabetizado. Enfatizamos ainda, que a escola deve priorizar, aceitar e valorizar as peculiaridades de sua clientela, aproveitando das experiências anteriores para aprimorar o desenvolvimento do aprendizado. Neste sentido, elucida-nos Faria (1997), que: “ ... a cidade que educa tem que ser plenamente responsável por prover as condições externas do educador: se não pode fazer todos iguais e sequer educar a todos por igual, deve ser patrocinadora de igualdade de direitos e oportunidades, de respeito à liberdade de idéias e convicções, de exercício da ação política, de acesso aos bens públicos e à dignidade humana em todos os sentidos” (FARIA 1997, p. 142).

16

1º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Apropriação e compreensão da Natureza alfabética do sistema de escrita Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Diferenciar letras de desenhos e rabiscos. Diferenciar letras de números e outros símbolos gráficos (setas, asteriscos, sinais matemáticos, etc.). Identificar a funcionalidade da escrita e a relação que ela mantém com as imagens, ou com o produto que nomeiam. Conhecer o uso da escrita na cultura escolar. Saber utilizar objetos da escrita presentes na cultura escolar. Distinguir e valorizar diferenças entre os padrões da linguagem oral e escrita. Reconhecer o uso social da escrita, valorizando a escrita como prática de interação social. Identificar as direções da escrita (da esquerda para direita, de cima para baixo). Compreender a função da segmentação dos espaços em branco, percebendo as unidades e o espaço inter-vocabular, evitando as junções arbitrárias. Reconhecer palavras como unidade gráfica. Diferenciar as formas de grafar uma mesma letra (letra maiúscula e minúscula, manuscrita e de imprensa). Construir hipótese de escrita e leitura. Identificar e distinguir vogais de consoantes, letras de sílabas e sílabas de palavras. Identificar sílabas de palavras ouvidas/ou lidas. Experimentar, progressivamente os diferentes procedimentos necessários para o ato de escrever.

Apropriação do Sistema de Escrita.

17

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Dominar as relações fonema/grafema (som/letra). Compreender o valor sonoro das letras e sílabas em uma palavra. Identificar as sílabas como unidades gráficas. Compreender que uma palavra pode ser representada graficamente por uma única sílaba. Reconhecer o valor sonoro e a função de unidades gráficas (sílabas e letras) no processo de decifração/ decodificação. Contar sílabas estabelecendo relação entre fonema e grafema. Separar sílabas. Reconhecer letras como unidades sonoras em palavras. Reconhecer letras como unidades sonoras em sílabas. Decifrar palavras. (sem exigir correção ortográfica). Reconhecer a ordem alfabética. Ler palavra.

Compreensão da Natureza Alfabética do Sistema de Escrita (princípio básico é o de que cada “som” é representado por uma “letra” – ou seja, cada “fonema” por um “grafema”).

18

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Estabelecer relação entre significante e significado. Localizar informação explícitas em frases lidas. Localizar informação explícitas em textos lidos. Reconhecer os usos sociais da escrita. Identificar personagens, ações, tempo, espaço, e conflito gerador nas narrativas. Localizar informações explícitas em diferentes gêneros textuais. Localizar e inferir informação em textos verbais e não verbais. Localizar informações explícitas em mapas, tabelas e gráficos. Reconhecer assunto do texto com base em título, subtítulo, imagens. Identificar a finalidade do texto pelo reconhecimento do suporte, do gênero e das características gráficas. Estabelecer relação entre as partes de um texto. Ler palavra inferindo seu significado em diferentes textos. Ler frases. Ler diferentes gêneros tipos e textuais. Ler imagens, desenhos, gráficos, tabelas, levantando hipóteses e discutindo coletivamente. Ler para usufruir momentos de lazer e estabelecer relação entre realidade e fantasia. Expressar oralmente a compreensão de mensagem da qual é destinatário. Expressar-se oralmente em diferentes situações de uso da linguagem oral.

Função Social e Comunicativa da Escrita

19

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Ler textos oralmente atentando para a expressividade oferecida pelos sinais de pontuação. Apresentar sua opinião a respeito de um dado fato. Debater um tema apresentando argumentos pro e contra. Elaborar argumentações. Elaborar perguntas. Recontar história conhecidas. Resumir oralmente um filme assistido. Reproduzir oralmente jogos verbais, como poema, canções, adivinhas, etc. Exprimir sentimentos diante de manifestações artísticas nas diversas linguagens, ampliando o universo lingüístico (gestos, postura corporal, expressão facial, entonação, etc). Reconhecer as diferentes formas de expressão oral e sua adequação de acordo com o contexto. Refletir sobre a utilização da língua oral e suas adequações. Atribuir significado a textos orais por meio de elementos não lingüísticos (gesto, postura corporal, expressão facial). Divisão do texto em frases por meio de recursos da pontuação (vírgula, ponto final, ponto de interrogação, ponto de exclamação). Refletir sobre as regularidades e irregularidades ortográficas de acordo com o contexto.

Ortografia.

20

HABILIDADES
• • • • • • • •

CONTEÚDOS
Escrita e produção de textos.

Produção de pequenos textos, observando os aspectos notacionais e discursivos. Escrever palavras e textos espontaneamente. Produzir pequenos textos a partir de associação a imagens, objetos, etc. Produzir texto orientado a partir de história contada (individual e coletivamente). Produzir texto atentando para a utilização pontuação e ortografia, mesmo que ainda de forma arbitrária (individual e coletivamente). Produzir textos de diferentes gêneros, adequados aos objetivos do destinatário e ao contexto de circulação. Planejar a escrita do texto, considerando sua finalidade, tipo, gênero, entre outros.

OBSERVAÇÃO: Utilizar para o trabalho em sala de aula diversos gêneros e tipos textuais: listas, receitas, questionários, anúncios, folhetos, letras de música, bulas de remédio, manuais, versos, poemas, bilhetes, jornais, revistas, fábulas, anedotas, relatos, imagens e símbolos (placas, mapas, fotos), dicionários, agendas, calendário, embalagens, entre outros.

21

1º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Leitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise textual.

Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Apropriação do Sistema de Escrita.

Identificar a funcionalidade da escrita e a relação que ela mantém com as imagens, ou com o • produto que nomeiam. Diferenciar a escrita de outras formas gráficas. Conhecer o uso da escrita na cultura escolar. Distinguir e valorizar diferenças entre os padrões da linguagem oral e escrita. Reconhecer o uso social da escrita, valorizando a escrita como prática de interação social. Entender e distinguir os signos verbais e não verbais. Identificar as letras e a ordem alfabética. Conhecer, utilizar e valorizar os modos de produção e circulação da escrita na sociedade. Divisão do texto em frases por meio de recursos da pontuação (vírgula, ponto final, ponto de • interrogação, ponto de exclamação, ponto e vírgula, travessão). Compreender o efeito de sentido decorrente da pontuação. Empregar as iniciais maiúsculas. Refletir sobre as regularidades e irregularidades ortográficas de acordo com o contexto. Paragrafação, utilização de margens e título. Identificar a diferença e saber utilizar corretamente: p/b; f/v; s/ss; gua, gue, gui, ge, gi; r/rr; que, qui; nh, lh, ch, h. Saber utilizar o til e a cedilha. Encontro consonantal com r e l.

Ortografia.

22

HABILIDADES

CONTEÚDOS

• • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Identificar relações fonema/grafema (som/letra). Compreender o valor sonoro das letras e sílabas em uma palavra. Identificar as sílabas como unidades gráficas em palavras polissílabas. Reconhecer sílabas em uma palavra polissílaba pelo seu valor sonoro. Compreender que uma palavra pode ser representada graficamente por uma única sílaba.

Compreensão da Natureza Alfabética do Sistema de Escrita.

Reconhecer o valor sonoro e a função de unidades gráficas (sílabas e letras). Reconhecer a posição da sílaba tônica. Reconhecer valor sonoro de sílabas terminadas em r e l. Reconhecer valor sonoro de sílabas terminadas em s, z, n e m. Reconhecer marcadores de nasalidade (m, n e til). Separar sílabas. Classificar sílabas quanto ao número: monossílaba, dissílaba, trissílaba, polissílaba; Contar sílabas estabelecendo relação entre fonema e grafema. Saber empregar artigo, preposição – sem nomeação e com foco na paragrafação). Utilizar e reconhecer nomes próprios e comuns. Trabalhar com o aumentativo e diminutivo. Saber noções de flexão do substantivo: número – singular e plural; grau – aumentativo e diminutivo. Utilizar adequadamente os adjetivos na construção de frases e pequenos textos. Saber empregar os pronomes pessoais (sem nomeação, uso contextual – substituir nomes, evitar repetições). • Utilizar e identificar noções de tempo e pessoa.
• • •

Morfologia

Elementos coesivos (progressão temática). Trabalhar noções de coesão e coerência. Compreender e identificar relações de sentido: sinônimos e antônimos.

Semântica

23

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Estabelecer relação entre significante e significado. Localizar informação implícitas em textos lidos. Reconhecer os usos sociais da escrita. Produzir e reproduzir textos orais (individual e coletivamente), observando a ordem cronológica dos fatos, assunto tratado e adequação ao gênero. Perceber os diferentes modos de falar, nas diversas situações de interlocução, diante de diferentes interlocutores. Identificar personagens, ações, tempo, espaço e conflito gerador em diferentes gêneros textuais. Localizar informações implícitas em diferentes gêneros textuais. Localizar e inferir informação em textos verbais e não-verbais. Localizar informações explícitas em mapas, tabelas e gráficos. Reconhecer assunto do texto com base em título, subtítulo e imagens. Identificar a finalidade do texto pelo reconhecimento do suporte, do gênero e das características gráficas. Estabelecer relação entre as partes de um texto. Ler palavra inferindo seu significado em diferentes contextos. Diferenciar fatos e opiniões. Identificar argumentos e contra-argumentos em textos. Ler imagens, desenhos, gráficos, tabelas, levantando hipóteses e discutindo coletivamente. Ler para usufruir momentos de lazer. Expressar oralmente a compreensão de mensagem da qual é destinatário. Expressar-se oralmente em diferentes situações de uso da linguagem oral. Ler textos oralmente atentando para a expressividade oferecida pelos sinais de pontuação.

Função Social e Comunicativa da Escrita

24

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS

Apresentar sua opinião a respeito de um dado fato. Debater um tema apresentando argumentos prós e contra. Elaborar perguntas a respeito de um determinado texto. Resumir oralmente um filme assistido. Reproduzir oralmente jogos verbais, como poema, canções, adivinhas, etc.

Função Social e Comunicativa da Escrita (continuação)

Exprimir sentimentos diante de manifestações artísticas nas diversas linguagens, ampliando o universo lingüístico (gestos, postura corporal, expressão facial, entonação, etc.). • Reconhecer as diferentes formas de expressão oral e sua adequação de acordo com o contexto. • Refletir sobre a utilização da língua oral e suas adequações. OBSERVAÇÃO: utilizar para o trabalho em sala de aula diversos gêneros e tipos textuais: listas, receitas, questionários, anúncios, folhetos, letras de música, bulas de remédio, manuais, versos, poemas, bilhetes, jornais, revistas, fábulas, anedotas, relatos, imagens e símbolos (placas, mapas, fotos), dicionários, agendas, calendário, embalagens, entre outros.

25

1º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Leitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise textual.

Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Compreender o emprego do “s” com som de “z”; “x” com som de z. Empregar a letra “g” e “j”: je, ji; “ge” e “gi”. Compreender a representação do fonema “s”: “c”, “ç”. Empregar o “s” com valor de “z”. Empregar a letra “z”. Empregar dígrafos: “ch”; “nh”; “lh”; “rr”; “ss”; “gue”; “gui”; “que”; “qui”. Compreender as diferentes representações do fonema “x”. Saber empregar as consoantes dobradas: c, r, s. Compreender a utilização do grupo: gue, gui, que qui. Reconhecer e saber empregar as vogais nasais. Identificar o emprego do “ge” e “se”; “gi” e “ce”; “ce” e “ci”. Empregar a letra “h”. Empregar as letras: e, i, o e u. Saber identificar as vogais tônicas e empregar a acentuação gráfica: agudo e circunflexo. Saber empregar paragrafação, margens e títulos. Saber empregar os sinais de pontuação: vírgula, ponto e vírgula, dois pontos, reticências, ponto final, ponto de exclamação e interrogação, travessão e parênteses. Compreender e reconhecer os encontros vocálicos: ditongo, tritongo e hiato. Compreender e reconhecer os encontros consonantais. Saber empregar as notações lexicais: emprego do til e do hífen.

Fonética

26

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Utilizar e reconhecer os substantivos próprios, comuns, concretos e abstratos. Reconhecer e empregar substantivos de gênero incerto e comuns de dois gêneros. Reconhecer e empregar substantivos que têm uma significação no masculino e outra no feminino. Saber empregar a flexão do substantivo: número – singular e plural; grau – aumentativo e diminutivo. Saber empregar artigos definidos e indefinidos. Identificar e utilizar adjetivos pátrios. Identificar e utilizar adjetivos primitivos, derivados, simples e compostos. Identificar e utilizar as locuções adjetivas. Saber empregar a flexão do adjetivo: gênero e número. Saber empregar os pronomes pessoais, possessivos e demonstrativos. Reconhecer que o verbo varia para indicar número e pessoa: singular e plural. Reconhecer e compreender que os tempos verbais situam o fato ou a ação verbal dentro de determinados momentos: pressente, passado e futuro. Aprender noções de preposições essenciais: a, com, de, em, entre, para, por, sobre, sob. Saber utilizar algumas conjunções coordenativas aditivas: e, também, mas ainda, bem como. Saber utilizar conjunções coordenativas explicativas: que, porque, pois. Saber utilizar conjunções coordenativas adversativas: no entanto, porém, mas, entretanto, contudo, em todo caso.

Morfologia

27

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Compreender e identificar relações de sentido: sinônimos e antônimos. Reconhecer e saber utilizar palavras homônimas. Identificar polissemia das palavras.

Semântica

Identificar finalidades e funções da leitura, em função do reconhecimento do suporte, do gênero e da • contextualização do texto. Reconhecer conteúdos de textos antecipadamente em função de seu suporte, seu gênero e sua contextualização. Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo do texto que está sendo lido. Buscar pistas textuais, intertextuais e contextuais para ler nas entrelinhas (fazer inferências), ampliando a compreensão. Construir compreensão global de textos lidos individual e coletivamente, unificando e inerrelacionando informações explícitas e implícitas. Apresentar sua opinião a respeito de um dado fato. Debater um tema apresentando argumentos prós e contra. Elaborar perguntas a respeito de um determinado texto. Resumir oralmente um filme assistido. Reproduzir oralmente jogos verbais, como poema, canções, adivinhas, etc. Exprimir sentimentos diante de manifestações artísticas nas diversas linguagens, ampliando o universo lingüístico (gestos, postura corporal, expressão facial, entonação, etc.). Reconhecer as diferentes formas de expressão oral e sua adequação de acordo com o contexto. Refletir sobre a utilização da língua oral e suas adequações.

Função Social e Comunicativa da Escrita

28

HABILIDADES
• • • •

CONTEÚDOS

Produzir pequenos textos, individual e coletivamente, observando aspectos de coesão e coerência. Fazer correção coletiva de pequenas produções textuais. Elaborar resumos críticos (resenhas) de textos lidos ou filmes. Elaborar textos de diversos gêneros textuais, observando o contexto para os quais se destinam.

OBSERVAÇÃO: utilizar para o trabalho em sala de aula diversos gêneros e tipos textuais: listas, receitas, questionários, anúncios, folhetos, letras de música, bulas de remédio, manuais, versos, poemas, bilhetes, jornais, revistas, fábulas, anedotas, relatos, imagens e símbolos (placas, mapas, fotos), dicionários, agendas, calendário, embalagens, entre outros.

29

1º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Leitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise textual. Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Morfologia

Utilizar e reconhecer os substantivos próprio. • s, comuns, concretos, abstratos, compostos, derivados, coletivos (específicos, indeterminados e numéricos), primitivos. Reconhecer e empregar substantivos de gênero incerto e comuns de dois gêneros. Reconhecer e empregar substantivos que têm uma significação no masculino e outra no feminino. Saber empregar a flexão do substantivo: número – singular e plural; grau – aumentativo e diminutivo. Saber empregar artigos definidos e indefinidos. Saber empregar artigos formando combinações e contrações: masculinos - ao, aos, do, dos, no, nos, pelo, pelos, num, nuns; femininos - à, às, da, das, na, nas, pela, pelas, numa, numas. Identificar e utilizar adjetivos pátrios. Identificar e utilizar adjetivos primitivos, derivados, simples e compostos. Identificar e utilizar as locuções adjetivas. Saber empregar a flexão do adjetivo: gênero, número e grau. Saber empregar o plural dos adjetivos compostos. Saber empregar os pronomes pessoais, possessivos, demonstrativos, de tratamento, relativos, indefinidos, interrogativos. Reconhecer que o verbo varia para indicar número e pessoa: singular e plural. Reconhecer e compreender que os tempos verbais situam o fato ou a ação verbal dentro de determinados momentos: pressente, passado e futuro. Saber empregar as conjugações: passado, presente e futuro. Aprender as preposições essenciais: a, ante, após, com, contra, de, desde, em, entre, para, por, sobre, sob, sem. Identificar e saber utilizar os advérbios de acordo com as circunstâncias ou a idéia acessória que exprimem: afirmação, dúvida, intensidade, lugar, modo, negação e tempo. Identificar as palavras que fazem parte dos numerais: zero, ambos, dezena, década, dúzia, centena, milhar, segundo, terço, triplo, etc.

Reconhecer e saber utilizar a flexão dos numerais: cardinais, ordinais.

30

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• •

Reconhece e sabe construir diversos tipos de frases.

Sintaxe Semântica

Reconhecer o sentido próprio e o sentido figurado das palavras.
Identificar os encontros vocálicos: ditongo (crescente e decrescente), tritongo e hiato. Identificar os encontros consonantais. Identificar vogais e semivogais. Identificar dígrafos que representam vogais nasais. Saber empregar as notações lexicais: acento agudo, cincunflexo, grave, til, cedilha e hífen. Classificar as palavras quanto ao número de sílabas: monossílabas, dissílabas, trissílabas e polissílabas. Saber realizar a divisão silábica. Saber realizar a partição das palavras no fim da linha. Classificar as palavras quanto ao acento tônico: oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas. Saber empregar paragrafação, margens e títulos. Saber empregar os sinais de pontuação: vírgula, ponto e vírgula, dois pontos, reticências, ponto final, ponto de exclamação e interrogação, travessão e parênteses. Identificar o efeito de sentido decorrente da utilização dos sinais de pontuação. Reconhecer palavras homônimas e parônimas. Saber empregar o “s” com valor de “z”. Saber empregar a letra “z”.

Fonética

31

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Saber empregar a letra “z”. Saber empregar as letras “e”, “i”, “o” e “u”. Saber empregar as letras “g” e “j”. Saber empregar as diversas representações do fonema “s”: c, ç, s, ss, sc, sç, x, xc. Saber empregar as consoantes dobradas: c, r, s, cc, cç.

Fonética

Identificar finalidades e funções da leitura, em função do reconhecimento do suporte, do gênero e da • contextualização do texto. Reconhecer conteúdos de textos antecipadamente em função de seu suporte, seu gênero e sua contextualização. Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo do texto que está sendo lido. Buscar pistas textuais, intertextuais e contextuais para ler nas entrelinhas (fazer inferências), ampliando a compreensão. Construir compreensão global de textos lidos individual e coletivamente, unificando e interrelacionando informações explícitas e implícitas. Avaliar ética e afetivamente o texto. Fazer extrapolações do texto. Apresentar sua opinião a respeito de um dado fato. Debater um tema apresentando argumentos prós e contra. Elaborar perguntas a respeito de um determinado texto. Resumir oralmente um filme assistido. Reproduzir oralmente jogos verbais, como poema, canções, adivinhas, etc. Exprimir sentimentos diante de manifestações artísticas nas diversas linguagens, ampliando o universo lingüístico (gestos, postura corporal, expressão facial, entonação, etc.). Reconhecer as diferentes formas de expressão oral e sua adequação de acordo com o contexto. Refletir sobre a utilização da língua oral e suas adequações. Participar ativamente das discussões em sala de aula.

Função Social e Comunicativa da Escrita

32

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Função Social e Comunicativa da Escrita

Respeitar a diversidade das formas de expressão oral manifestada pelos colegas, professores e • funcionários da escola, bem como por pessoas da comunidade extra-escolar. Planejar a fala em situações formais. Realizar com pertinência tarefas cujo desenvolvimento dependa da escuta atenta e compreensão. Escrever segundo o princípio alfabético e as regras ortográficas. Dispor, organizar e ordenar o próprio texto de acordo com as convenções gráficas apropriadas. Planejar a escrita do texto considerando o tema principal e seus desdobramentos. Organizar o texto de acordo com os padrões de composição usuais na sociedade. Utilizar de acordo com a situação de produção e de circulação do texto, a variedade lingüística apropriada fazendo escolhas adequadas quanto ao vocabulário e a gramática. Produzir pequenos textos, individual e coletivamente, observando aspectos de coesão e coerência. Revisar e reelaborar a própria escrita, segundo critérios adequados aos objetivos, ao destinatário e ao contexto de circulação previstos. Elaborar resumos críticos (resenhas) de textos lidos ou filmes. Utilizar recursos expressivos (estilísticos e literários) adequados ao gênero e aos objetivos do texto. Planejar e estruturar as idéias para a construção de um texto em função das características de cada gênero. Saber adequar a linguagem escrita de expressões que marcam temporalidade e casualidade. Compreende e valorizar o uso da escrita com diferentes funções, em diferentes gêneros.

OBSERVAÇÃO: utilizar para o trabalho em sala de aula diversos gêneros e tipos textuais: listas, receitas, questionários, anúncios, folhetos, letras de música, bulas de remédio, manuais, versos, poemas, bilhetes, jornais, revistas, fábulas, anedotas, relatos, imagens e símbolos (placas, mapas, fotos), dicionários, agendas, calendário, embalagens, entre outros.

33

1º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE
HistóriaCores, Pontos, linhas, Figuras e Arte na Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • •

Entender o conceito de cores. Diferenciar cores primárias, secundárias, quentes e frias. Produzir desenhos utilizando as cores, conforme a classificação.

Cores: Conceito Classificação das cores: primárias secundárias quentes frias Pontos Pontilhismo

• •

Entender o conceito de pontilhismo, sua origem e utilização. Produzir desenhos utilizando a técnica do pontilhismo.

1º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE HABILIDADES CONTEÚDOS

34

Letramento Diversidade Ludicidade

Cores, Pontos, linhas, Figuras e Arte na História

• • • •

Entender o conceito de linhas. Diferenciar linhas retas, curvas e quebradas. Produzir desenhos utilizando diferentes técnicas e linhas. Ler pequenos textos sobre o tema linhas na Arte.

• • • • •

Linhas: Conceito Classificação das linhas: reta curva quebrada

1º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE HABILIDADES CONTEÚDOS

35

Cores, Pontos, linhas, Figuras e Arte na História

Letramento Diversidade

• • • • • •

Entender o conceito de figuras geométricas. Compreender a diferença entre círculo e quadriláteros. Diferenciar os quadriláteros, classificando-os em quadrado, retângulo, losango e triângulo. Classificar os diferentes tipos de triângulos. Produzir desenhos utilizando diferentes técnicas e figuras geométricas. Ler textos sobre o tema Arte e figuras geométricas.

• • • • • •

Figuras geométricas círculo quadrado retângulo losango triângulo: classificação e tipos

1º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE HABILIDADES CONTEÚDOS

36

Cores, Pontos, linhas, Figuras e Arte na História

Letramento Diversidade

• • • • • • • • •

Entender o conceito de Arte. Diferenciar Arte de produções não-artísticas. Observar obras de diferentes artistas em diferentes épocas. Observar as figuras representativas das primeiras produções de Arte na Pré-história. Observar as figuras representativas das produções de Arte no período Neolítico. Observar as figuras representativas das produções de Arte no período Paleolítico. Comparar produções artísticas modernas com as da Pré-história e dos períodos Neolítico e Paleolítico. Entender que as pessoas têm diferentes gostos e que a obra de Arte tem padrões próprios. Ler textos sobre que favoreçam a compreensão do tema História da Arte.

• • • •

História da Arte: arte na Pré-história arte no período Neolítico arte no período Paleolítico

1º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FÍSICA
Diversidade Letramento Corpo Humano

HABILIDADES

CONTEÚDOS

Participar dos jogos respeitando as regras e desenvolvendo o espírito de equipe.

Cultura corporal: contexto histórico; contexto cultural; jogos e brincadeiras; regras, normas e limites Alongamento

1º SEGMENTO – 2º SEMESTRE

37

COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FÍSICA

Corpo Humano

Letramento Diversidade

HABILIDADES
• Reconhecer a importância e manutenção da saúde do corpo humano. • Deslocar-se adequadamente percebendo as limitações do espaço. • Realizar esquemas corporais explorando todas as possibilidades de movimento. • • • • •

CONTEÚDOS
Expressividade da comunicação humana Integrando funções do próprio corpo Movimentos corporais do cotidiano Saúde do corpo humano Alongamento

1º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FÍSICA
Diversidade Letramento Corpo Humano

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• •

Adquirir bons hábitos, posturas e atitudes corporais.

Relações com o trabalho: reflexos no trabalho; movimentos repetitivos; postura corporal Alongamento

38

1º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FÍSICA
Letramento Diversidade Ludicidade Corpo Humano

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• •

Identificar Relacionar as alterações físicas às atividades corporais

Envelhecimento: reflexos no organismo; benefícios do exercício físico Alongamento

1º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR MATEMÁTICA HABILIDADES

CONTEÚDOS

39

Identificação, interpretação e aplicabilidade dos Números.

Letramento Diversidade

Resolver situações-problema, bem como saber validar as estratégias e resultados, desenvolvendo diferentes formas de raciocínio.

• Reconhecer e interpretar o significado do número em situações cotidianas que envolvem códigos, números, medidas e contagem. • • • • Desenvolver procedimentos de cálculos por estimativa. Reconhecer a importância social das medidas. Estimar e interpretar resultados de medidas de tempo, capacidade e massa. Resolver problemas que envolvam números e unidades relacionados a resultados de diferentes medições.

Noções de história da matemática: o surgimento dos números: • os números em nossa vida; • medidas de tempo: calendário, ano, mês, semana, dia e data; • medidas de comprimento: metro (altura); • medidas de massa: quilograma (peso); • números de documentos, telefones, endereços, outros; • Números do sistema monetário. • Seqüência numérica: • contagem concreta, identificação e relação número e quantidade até 99 • antecessor e sucessor • números pares e ímpares • ordem crescente e decrescente Classificação, ordenação e comparação de objetos • • • • • • • • Adição e subtração Simples com reserva com reagrupamento em situações problema Sistema de numeração decimal Processo de agrupamento e transferência das ordens no QVL estruturado na base 10 Noções de multiplicação (soma de parcelas iguais)

1º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA

40

figuras.Identificação, interpretação e aplicabilidade dos números, formas e

Letramento Diversidade

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• Sistema de numeração decimal: unidade, • • • • • • • • • • •

Resolver situações-problema, bem como saber validar as estratégias e resultados, desenvolvendo diferentes formas de raciocínio. • Reconhecer e interpretar o significado do número em situações cotidianas que envolvem códigos, números, medidas e contagem. • Reconhecer e nomear os sólidos geométricos. • Desenvolver procedimentos de cálculos envolvendo a multiplicação e divisão. • Desenvolver procedimentos de cálculos por estimativa. • Desenvolver estratégias de cálculo mental. • Ler e escrever por extenso valor referentes ao sistema monetário. • Conhecer e utilizar medidas padronizadas.

dezena e centena Leitura/escrita de números até 999 Composição e decomposição Valor relativo e valor absoluto Seriação (ordem crescente e decrescente, 2 em 2, 3 em 3, 5 em 5...) Antecessor e sucessor Metade ou meio Conceitos de: dezena / meia dezena; dúzia / meia dúzia Números até 1000 Noções de algarismos romanos Cálculo mental Resolução de operações e situaçõesproblema: de divisão Figuras planas: quadrado, retângulo, triângulo, círculo e losango

• Adição, subtração e multiplicação. Noções • •

Sistema Monetário Brasileiro: leitura e escrita de quantias e resolução de problemas

1º SEGMENTO – 3º SEMESTRE

41

COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS
Sistema de numeração decimal: até dezena de milhar • Leitura e escrita de números até 99.999 • Uso dos sinais >, <, =. • Números racionais: - Frações, apresentação e compreensão • Leitura de frações • Operações de adição e subtração com o mesmo denominador
• • • • • • •

Reconhecer os significados e funções dos números. Reconhecer e utilizar características do Sistema de Numeração Decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicional. • Identificar a localização dos números na reta numérica. • Reconhecer a Decomposição de Números Naturais nas suas diversas ordens. • Resolver problemas com números naturais, envolvendo diferentes significados da multiplicação ou divisão: Multiplicação comparativa, idéia de proporcionalidade, configuração retangular e combinatória. • Identificar diferentes representações de um mesmo número racional. • Identificar a localização de números racionais representados na forma decimal na reta numérica. • Resolver problemas utilizando a escrita decimal de cédulas e moedas do Sistema Monetário Brasileiro. • Identificar fração como representação que pode estar associada a diferentes significados. • Resolver problemas com números racionais expressos na forma decimal envolvendo diferentes significados de adição e subtração. • Identificar e caracterizar formas geométricas em objetos que nos cercam em construções humanas e na natureza. • Representar ângulos. • Relacionar formas bi e tridimensionais. • Resolver problemas que envolvam números e unidades relacionados a resultados de diferentes medições. • Reconhecer a importância social das medidas, familiarizando-se com diferentes representações gráficas. • Ler informações e dados apresentados em tabelas e gráficos.

Resolução de operações e situaçõesproblema: Adição, subtração, multiplicação e divisão Figuras planas: quadrado, retângulo, círculo, losango e triângulo Sistema Monetário Brasileiro Interpretação de gráficos e tabelas Introdução à expressão numérica

42

1º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA
Identificação, interpretação e aplicabilidade dos números, formas e figuras.

Letramento Diversidade

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS
• Sistema de numeração decimal: até dezena de • • • •

Reconhecer os significados e funções dos números. Reconhecer e utilizar características do Sistema de Numeração Decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicional. • Identificar a localização dos números na reta numérica. • Reconhecer a Decomposição de Números Naturais nas suas diversas ordens. • Resolver problemas com números naturais, envolvendo diferentes significados da multiplicação ou divisão: Multiplicação comparativa, idéia de proporcionalidade, configuração retangular e combinatória. • Identificar diferentes representações de um mesmo número racional. • Identificar a localização de números racionais representados na forma decimal na reta numérica. • Resolver problemas utilizando a escrita decimal de cédulas e moedas do Sistema Monetário Brasileiro. • Identificar fração como representação que pode estar associada a diferentes significados. • Resolver problemas com números racionais expressos na forma decimal envolvendo diferentes significados de adição e subtração. • Identificar e caracterizar formas geométricas em objetos que nos cercam em construções humanas e na natureza. • Representar ângulos. • Relacionar formas bi e tridimensionais. • Resolver problemas que envolvam números e unidades relacionados a resultados de diferentes medições. • Reconhecer a importância social das medidas, familiarizando-se com diferentes representações gráficas. • Ler informações e dados apresentados em tabelas e gráficos.

milhar Leitura e escrita de números até 99.999 Uso dos sinais >, <, = Números racionais: Frações, apresentação e compreensão

• Leitura de frações • Operações de adição e subtração com o mesmo

denominador

• Resolução de operações e situações-problema: • Adição, subtração, multiplicação e divisão • Figuras planas: quadrado, retângulo, círculo,

losango e triângulo • Sistema Monetário Brasileiro • Interpretação de gráficos e tabelas • Introdução à expressão numérica

43

1º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS HABILIDADES CONTEÚDOS

44

funcionamentoSer humano; Meio ambiente; O homem e o meio ambiente; O corpo humano e seu

Letramento Diversidade

Relacionar o conhecimento científico com os dados observados no ambiente, construindo questionamentos, diagnosticando e propondo soluções para problemas reais, utilizando os conceitos, habilidades, procedimentos e atitudes desenvolvidas no contexto escolar.
• •

Reconhecer que o ciclo vital é característica comum a todos os seres vivos.

Reconhecer a importância da preservação e manutenção do ambiente (fauna e flora) para a saúde, o bem estar e a qualidade de vida humana.
• •

• • • • • •

Corpo humano Lateralidade Higiene: alimentar, pessoal e ambiental Alimentação: Hábitos de vida saudável

Perceber o corpo humano como um todo integrado. Construir atitudes e comportamentos favoráveis à preservação da saúde em relação à higiene corporal e ambiental, modos de transmissão e de prevenção de doenças contagiosas.

45

1º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

46

Ser humano; Meio ambiente; O homem e o meio ambiente.

Letramento Diversidade

Relacionar o conhecimento científico com os dados observados no ambiente, construindo questionamentos, diagnosticando e propondo soluções para problemas reais, utilizando os conceitos, habilidades, procedimentos e atitudes desenvolvidas no contexto escolar. • Desenvolver valores, atitudes e habilidades relacionadas à preservação e à solução de problemas ambientais, tendo em vista a qualidade de vida. • Perceber a importância e as diferentes utilidades da água para os seres vivos. • Reconhecer a relevância do solo para os seres vivos, em suas diversas formas de utilização. • Reconhecer a importância da alimentação e de hábitos saudáveis para a qualidade de vida. • Construir atitudes e comportamentos favoráveis à preservação da saúde em relação à higiene corporal e ambiental, modos de transmissão e de prevenção de doenças contagiosas e não contagiosas.

• • • • • • •

Água Lixo Atmosfera Solo Interação do homem Preservação e valorização Poluição

1º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS HABILIDADES CONTEÚDOS

47

funcionamentoSer humano; O homem e o meio ambiente; O corpo humano e seu

Letramento Diversidade

Relacionar o conhecimento científico com os dados observados no ambiente, construindo questionamentos, diagnosticando e propondo soluções para problemas reais, utilizando os conceitos, habilidades, procedimentos e atitudes desenvolvidas no contexto escolar.
• •

• Identificação de políticas de saúde pública

Desenvolver valores, atitudes e habilidades relacionadas à preservação e à solução de problemas ambientais, tendo em vista a qualidade de vida.

que favoreçam a qualidade de vida das populações e o aumento da longevidade • Educação Sexual
• Assistência à saúde na infância: • acompanhamento médico-

Reconhecer que a melhoria da qualidade de vida e de saúde está relacionada com a preservação e a odontológico recuperação do ambiente. • vacinação • Reconhecer o corpo humano como um todo integrado em que os diversos aparelhos e sistemas • saneamento básico realizam funções específicas, interagindo para a manutenção desse todo. • Saúde do adulto • Adquirir atitudes e comportamentos favoráveis à preservação da saúde em relação aos modos de • vacinação transmissão e de prevenção de doenças contagiosas (Vacinas, particularmente as DST/AIDS). • acompanhamento médico-odontológico • sexualidade: métodos contraceptivos, DST, gestação, pré-natal. • exames básicos • qualidade de vida • Saúde na 3ª idade: • vacinação • alimentação • atividade Física • exames básicos • Assistência ao idoso

48

1º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS

funcionamento.Ser humano; O corpo humano e seu

Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • •

Relacionar o conhecimento científico sobre o corpo humano, construindo questionamentos e propondo soluções para problemas reais. Relacionar o conhecimento científico à tecnologia, como forma de suprir as necessidades humanas, utilizando os recursos tecnológicos e discutindo as implicações éticas. Reconhecer o corpo humano como um todo integrado e complexo, em que os diferentes aparelhos e sistemas realizam funções específicas, interagindo para a manutenção desse todo.

Sistema digestivo Sistema respiratório Coração Sistema urinário Sistema nervoso Esqueleto, músculo, pele, pêlo e unhas. Sistema reprodutor masculino Sistema reprodutor feminino Educação sexual

49

1º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ESTUDOS SOCIAIS – HISTÓRIA E GEOGRAFIA
Cidadania Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • •

Localizar-se no espaço, tomando como referência o espaço imediato, a circunvizinhança e o Distrito Federal. Conhecer um pouco da história de sua família. Localizar-se no tempo, tomando como referência sua história pessoal. Refletir e adotar atitudes coerentes com a vida em família, participando de forma ativa e consciente. Conhecer e valorizar de maneira crítica e consciente os direitos do cidadão por meio das leis. Perceber por meio das leis que todo o cidadão tem deveres a cumprir. Conhecer as leis trabalhistas como condições de sobrevivência, sentimento de humanidade e construção social. Identificar as condições de cidadania: direitos e deveres.

Noções de tempo e espaço A família como unidade básica da sociedade Os diversos tipos de família Direitos do cidadão: moradia, trabalho, educação, saúde, segurança, justiça, votar e ser votado. • Deveres do cidadão: Participação no processo eleitoral, contribuição fiscal, zelar pela saúde, educação, moradia de seus familiares enquanto crianças, portadores de necessidades especiais e idosos
• Noções de direitos do trabalhador: código do

idoso, Estatuto da Criança e do Adolescente

50

1º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ESTUDOS SOCIAIS – HISTÓRIA E GEOGRAFIA
Organização Político Social do Estado Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • •

CONTEÚDOS
Aspectos sociais e econômicos da comunidade (região administrativa que mora, Brasília – DF – Brasil), utilizar mapas, trabalhar as características de cada uma: alimentação, moradia, meios de transporte, meios de comunicação, profissões, atividades econômicas (agricultura, indústria, pecuária, pesca e artesanato), relevo, hidrografia, clima Noções do mapa político do Brasil: estudar e reconhecer no mapa o estado, a cidade e a região de origem do cidadão

Reconhecer as diferenças culturais existentes entre o modo de vida de sua sociedade e de outros • povos e comunidades. Entender a organização do espaço geográfico de sua região e do Distrito Federal. Localizar no espaço, tomando como referência o espaço imediato, a circunvizinhança, a Região Administrativa e o DF. Conhecer a influência dos aspectos econômicos, físicos, sociais, políticos e culturais da Região Administrativa do DF. Conhecer a importância da interação entre as atividades urbanas e rurais para o desenvolvimento socioeconômicos e cultural. • Interpretar diferentes tipos de mapas. Conhecer a linguagem cartográfica para obter informações e representar a especificidade dos fenômenos geográficos e históricos. Conhecer através de mapas as Regiões Administrativas, o DF e o Estado de origem.

51

1º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ESTUDOS SOCIAIS – HISTÓRIA E GEOGRAFIA
Orientação Geopolítica Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • •

Reconhecer a relação existente entre a R.A onde mora com os fatos históricos do DF. Comparar diferentes explicações para fatos e processos históricos. Localizar espaços, acontecimentos, épocas e períodos da história da sua cidade. Reconhecer aspectos da organização política do Distrito Federal. Caracterizar o sistema de administração de sua cidade. Conhecer a linguagem cartográfica para obter informações e representar a especificidade dos fenômenos geográficos. Identificar as características dos aspectos físicos do Distrito Federal. Valorizar o patrimônio sociocultural e respeitar a sociodiversidade, reconhecendo-a como um direito dos povos e indivíduos e um elemento de fortalecimento da democracia. Reconhecer a importância da cultura e tradição da população do Distrito Federal. Conhecer a linguagem cartográfica para obter informações e representar a especialidade dos fenômenos geográficos. Conhecer o processo de formação da população do DF, bem como as diferenças entre povos. Conhecer o processo de formação do território do Distrito Federal, resgatando sua história sob o olhar da Geografia. Identificar e localizar o Distrito Federal no território brasileiro, comparar a sua extensão territorial e posição geográfica com os demais estados da federação.

Relação entre a localidade onde mora o aluno e a história do DF Localização geográfica Mapas: conceitos Estrutura política e administrativa do DF Aspectos físicos Aspectos culturais Aspectos econômicos Interpretação de mapas, identificar pontos cardeais e colaterais Os principais núcleos populacionais do DF. Limites

52

1º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ESTUDOS SOCIAIS – HISTÓRIA E GEOGRAFIA
Brasil Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • •

Estabelecer relações entre o conhecimento histórico e as ações humanas por intermédio da identificação e da compreensão de objetos e de fatos históricos. Entender a organização do espaço geográfico e o funcionamento da natureza em suas manifestações cotidianas. Identificar e localizar o Brasil na América do Sul, comparar a sua extensão territorial e posição geográfica com os demais países. Reconhecer a divisão do Brasil em regiões. Identificar as características físicas, socieconômicas e culturais das regiões brasileiras. Levantar diferenças e semelhanças entre grupos étnicos e sociais que lutam e lutaram no Brasil por causas políticas, sociais, culturais, étnicas e econômicas. Identificar o processo de formação da população brasileira.

Características geográficas e históricas Localizar o Brasil na América do Sul Regiões brasileiras Colonização Formação do povo brasileiro Independência Proclamação da República

53

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Língua Portuguesa – 2º Segmento

Pensar a utilização da língua pelos falantes e sua adequação às situações de interação social é o estímulo cotidiano dos professores de Língua Portuguesa, em especial, os que trabalham com a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Essa modalidade da Educação Básica nas etapas do Ensino Fundamental e Médio possui uma especificidade própria que necessita ser respeitada. A educação é um desafio diário vivenciado por professores dispostos a transformar as incongruências sociais vigentes. Desse modo, a Língua Portuguesa como ferramenta indispensável para mediar e construir o conhecimento tem suscitado o dinamismo da prática docente a fim de capacitar os estudantes a um bom desempenho lingüístico. Este Currículo visa enriquecer o trabalho dos professores no ensino da Língua Portuguesa na Educação de Jovens e Adultos, buscando, após ampla discussão entre professores e especialistas, as competências e habilidades em suas especificidades, considerando as transformações sociais e culturais da contemporaneidade e as necessidades efetivas do aluno. A conceituação de letramento que englobava o mero ato de ler e escrever está cada vez mais próxima do conceito de Paulo Freire. Para o pensador (1979, p. 20), “o ato de ler e escrever deve começar a partir de uma compreensão muito abrangente do ato de ler o mundo, coisa que os seres humanos fazem antes de ler a palavra”. Segundo Magda Soares (2004), o letramento é um um processo contínuo de alfabetização do sujeito, o que permite situá-lo em um longo processo limitado entre duas possibilidades: a aquisição do sistema de escrita e a efetiva possibilidade de uso no contexto social. Desse modo, ter sensibilidade para utilizar o saber do aluno e aliá-lo ao que precisa ser ministrado é uma tarefa decisiva para o sucesso da interação aluno-professor. A utilização de tecnologias que facilitem essa tarefa, o uso de diversas abordagens e

54

materiais que enriqueçam as aulas transformam o espaço educacional em um ambiente lúdico e, mais do que isso, propício ao conhecimento. O descompasso entre atravessar os rígidos conceitos estabelecidos e predispor a interdisciplinaridade entre outras áreas do conhecimento precisa ser discutido no âmbito educacional. Assim, a Língua Portuguesa permite a interação entre as diversas áreas do conhecimento, por ter um papel fundamental na prática social dos alunos. Reconhecer a diversidade de saberes e lidar com competências e habilidades significativas para a realidade sócio-cultural é um passo definitivo para o êxito do ensino da Língua Portuguesa na Educação de Jovens e Adultos.

55

2º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Letramento Diversidade textualLeitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • •

Relacionar informações sobre os sistemas de comunicação e informação, considerando sua função social que deve permanecer sempre com elevado alcance para o desenvolvimento cultural. Identificar a função argumentativa do uso de determinados termos e expressões de nossa língua, visando o estimulo ao bom entendimento daquilo que se quer falar, ouvir e escrever. Reconhecer e valorizar a linguagem de seu grupo social e as diferentes variedades do português, procurando combater o preconceito lingüístico. Analisar nas diferentes manifestações culturais, os fatores de construção de identidade e de estabelecimento de diferenças sociais e políticas. Analisar criticamente os diferentes discursos, inclusive o próprio, desenvolvendo a capacidade de avaliação de textos ou de conversão. Usar dos conhecimentos adquiridos por meio da análise e prática lingüística para expandir sua capacidade de uso da linguagem, ampliando a capacidade de análise e procedimentos críticos.

Produção de frases, tipos de frases, oração Emprego do parágrafo Emprego de letras maiúsculas e minúsculas Discurso direto e indireto Narração criativa Fonética e ortográfica Homônimos e parônimos Questões ortográficas Classe de palavras (variáveis e invariáveis). Flexão de gênero e número Flexão de substantivos, adjetivos e verbos Leitura e interpretação de textos literários: poemas cordel fábula causos e similares

56

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA HABILIDADES CONTEÚDOS

57

Letramento Diversidade

Leitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise textual

• • • • • • •

Reconhecer textos orais e escritos de diversos gêneros presentes na língua portuguesa compreendendo as circunstâncias lingüísticas e as implicações destas para o meio social. Perceber a importância do idioma no mundo do trabalho e para o desenvolvimento comunicacional da sociedade. Reconhecer as noções de sintaxe, concordância e morfologia imprescindíveis para criação e entendimento de textos. Empregar a linguagem oral de modo a expressar idéias, comunicando argumentos e elaborando pensamentos. Produzir textos diversos consoantes com o mundo do trabalho e as experiências do educando. Refletir sobre temas da atualidade, organizando idéia sobre o mesmo e chegando a ponto de vista próprio. Estabelecer relações entre as regras gramaticais e a produção de textos orais e escritos exercitados em sala.

Narração e descrição Tonicidade (sílaba tônica e sílaba átona) O foco narrativo Acentuação gráfica Pontuação Classes de palavras (variável e invariável). Flexão de gênero e número • Interpretação de texto • Termos essenciais da oração: • sujeito e predicado • classificação do sujeito • Transitividade verbal • verbos transitivos e intransitivos • complementos verbais: • objetos direto e indireto • verbo de ligação predicativo do sujeito • Ortografia • Uso correto de alguns termos • Leitura e interpretação de textos orais e escritos: • textos literários • crônica • conto • Texto jornalísticos • reportagens

• • • • • •

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA

58

Letramento Diversidade

Leitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise textual.

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Identificar a linguagem como elemento integrador dos sistemas de comunicação e reconhecer sua função social; Analisar a interpretação do texto literário e não literário. Reconhecer as funções predominantes em cada texto. Identificar a importância da análise lingüística para a compreensão dos textos. Reconhecer, em textos diversificados, as variedades lingüísticas sociais, regionais e de registro. e Compreender as versões de um fato presente no texto. Relacionar os textos a um contexto social, histórico político e cultural. Perceber as sutilezas do autor no texto. Identificar a variedade lingüística adequada ao contexto social. Reconhecer as variedades lingüísticas existentes e adequar seu uso em diferentes situações de interlocução. Posicionar-se de maneira crítica em relação aos padrões vigentes: de estética, preconceitos estereótipos. Compreender a identidade cultural e o estabelecimento de diferenças sociais e históricas. Reconhecer a relevância da compreensão dos sistemas de comunicação para a resolução dos problemas sociais. Identificar intertextualidade presente em textos diversos.

Classe de palavras (variáveis e invariáveis). Flexão de gênero e número Termo da oração: complemento nominal adjunto adnominal adjunto adverbial aposto e vocativo Sintaxe do período composto por coordenação Pontuação Concordância nominal Concordância verbal Ortografia Narração e descrição Interpretação de texto Leitura e interpretação de textos orais e escritos: textos Literários: crônica contos textos jornalísticos: artigos de opinião Reportagens

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE

59

COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Letramento Diversidade Leitura, produção de pequenos textos, oralidade e análise textual.

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Realizar produções textuais, individuais e ou coletivas, nas linguagens da norma culta, refletindo e compreendendo sãos diferentes processos produtivos, com seus diferentes instrumentos de ordem material e ideal como manifestações socioculturais e históricas. Usar os conhecimentos adquiridos por meio da pratica de analise lingüística para expandir sua capacidade de monitoração das possibilidades de uso da linguagem, ampliando a capacidade de análise crítica. Saber como proceder para ter acesso, compreender e fazer uso de informações contidas no texto, reconstruindo o modo pelo qual se organizam em sistemas coerentes ser capaz de operar sobre o conteúdo representacional dos textos, identificando aspectos relevantes, organizando notas, elaborando roteiros, resumos, índices, esquemas e outros aumentar e aprofundar seus esquemas cognitivos pela ampliação do léxico e de suas respectivas redes semânticas.

Classe de palavras (variáveis e invariáveis). Flexão de gênero e números Período composto por subordinação: orações subordinadas substantivas orações subordinadas adverbiais Concordância verbal Sintaxe de regência: regência verbal regência nominal Crase Redação oficial (noções): requerimento e curriculum vitae Análise de texto Comparação de textos Textos dissertativos e argumentativos Leitura e interpretação de textos orais e escritos: textos literários crônica Conto Textos jornalísticos textos de opinião reportagens Editorial

60

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Inglês – 2º Segmento

O componente curricular de Língua Inglesa no 2º Segmento da Educação de Jovens e Adultos, configura como linguagem importante no processo construtivo e formativo dos alunos nas metodologias curriculares desenvolvidas nas instituições educacionais da rede pública de ensino do Distrito Federal. No âmbito da Lei de Diretrizes e Base da Educação (LDB), a Língua Estrangeira Moderna recupera, de alguma forma, a importância que durante muito tempo lhe foi negada. Considerada, muitas vezes, como pouco relevante, adquire agora a configuração de componente curricular tão importante quanto qualquer outro do currículo. A relação professor e aluno se constrói na integração e convivência educacional, visando a produção do conhecimento, viabilizando, por meio da língua materna, o aprendizado da Língua Inglesa como mais uma maneira de inserção do jovem e adulto na sociedade. Para promover uma aprendizagem eficaz, o professor pode utilizar estratégias alternativas, como CD-ROM, vídeos, mídia impressa, música e outros, de forma lúdica, atendendo às especificidades do aluno nessa modalidade. O domínio da língua materna, fundamental para o bom desempenho do aluno, principalmente nas práticas de leitura e escrita, ou seja o letramento, proporciona acesso ao aprendizado da língua estrangeira contribuindo, assim, para seu acesso ao mundo globalizado. Para Gasparetti (2001 p.17), a cultura se torna cultura quando é capaz de transmitir não somente noções, mas sentimentos. Coração e razão unidos numa combinação. Combinação que diz respeito ao aprender, compreender e construir o saber em busca da cidadania.

61

Nessa construção, para o sucesso da aprendizagem é necessário que a relação professor e aluno seja transformadora. Em se tratando da Educação de Jovens e Adultos, no ensino de Língua Estrangeira, é necessário trabalhar numa perspectiva sócio-interacionista buscando uma nova prática pedagógica, abordando temas atuais, focados na realidade do aluno. Assim, a vivência da Diversidade é primordial na sustentação de uma educação de função reparadora, equalizadora e qualificadora. As aulas de Língua Inglesa vêm se destacando no espaço escolar, sendo que, associadas às novas tecnologias, estão adquirindo uma nova configuração no ambiente escolar. Utilizadas de forma adequada podem ser um meio que leva o jovem e o adulto a sair do seu nível de desenvolvimento real ao seu nível de desenvolvimento potencial. Desse modo, a Língua Inglesa passa a ser trabalhada como um conjunto de hábitos a serem automatizados e não mais como um conjunto de regras a serem memorizadas. Em se tratando do ensino da Língua Inglesa, o professor torna-se mediador no processo de integração do ouvir, do falar e do expressar do aluno, possibilitando uma melhor compreensão da capacidade de comunicação.

62

2º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - INGLÊS
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS
              Reading Comprehension Conversation Writing Greetings Titles The alphabet Subjective pronouns Verb To Be Nationalities; Countries; Languages Family members; Animals Prepositions of place (on, in, in front of, next to, between, behind, under) Articles (a, na, the) Demonstrative pronouns Possessive pronouns

Identificar vocábulos da Língua Inglesa, relacionando-os e associando-os com os da língua Materna, dentro do seu universo socioeconômico e cultural, com base no seu conhecimento de mundo. Reconhecer os sons e associá-los às letras do alfabeto. Manusear adequadamente o dicionário. Utilizar apropriadamente palavras e expressões simples de uso cotidiano, em diferentes situações de convívio social. Conhecer os países, interar-se sobre as diversas nacionalidades, lugares de origem e idiomas. Aplicar de maneira correta verbos no tempo presente.

63

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - INGLÊS
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • •

CONTEÚDOS
             Reading Comprehension Conversation Writing There is, There are School objects; Parts of the house; furniture Can, can’t Sports Adjectives (appearance, personality) Clothes and colors Occupations Days of the week Months and seasons of the year Birthdays and signs

Compreender e interpretar pequenos textos informativos e/ou formativos, relacionados às situações vivenciados no cotidiano. Observar a inserção da Língua Inglesa no atual contexto lingüístico. Trocar informações sobre talentos, atividades e habilidades. Conhecer e aplicar vocabulário referente a vestuário, cores, esportes, profissões, dias da semana, meses e estações do ano.

64

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - INGLÊS
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • •

CONTEÚDOS
           Reading Comprehension Conversation Writing Simple Present (Do, Does) Present Continuous Daily activities; Free time Parts of the body Frequency Adverbs Verb to Have Cardinal Numbers (21 – 100) Time

Compreender e interpretar pequenos textos informativos e/ou formativos, relacionados às situações vivenciados no cotidiano. Aplicar e diferenciar, estruturas afirmativas, negativas e interrogativas que indiquem ações habituais no tempo presente. Solicitar e obter informações sobre atividades do cotidiano e a freqüência que elas ocorrem. Compreender e utilizar números cardinais para indicar horas, para estabelecer ordem dos acontecimentos por meio de seqüência lógica.

65

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - INGLÊS
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS
             Reading Comprehension Conversation Writing Simple Past (Regular and Irregular Verbs) Past Tense of the Verb To Be Holidays Wh-questions Future (Going to) Simple Future (Will) Food Countable and Uncountable nouns Adverbs (manner, time, place) Reflexive pronouns

Compreender e interpretar pequenos textos informativos e/ou formativos, relacionados às situações vivenciados no cotidiano. Expressar opinião e impressão sobre fatos, desejos, emoções e outros. Criar diálogos que relatem ações, situações e acontecimentos no tempo passado, utilizando verbos regulares e irregulares. Trocar informação sobre planos no futuro imediato, tais como férias, finais de semana, feriados. Identificar vocábulos da Língua Inglesa, relacionando-os e associando-os com os da língua Materna, dentro do seu universo socioeconômico e cultural, com base no seu conhecimento de mundo. Expressar ações reflexivas.

66

67

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Arte – 2º Segmento A Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei n° 9.394/96 estabelece em seu artigo 26, § 2º, que, “O ensino da Arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos níveis da educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos.” E ainda complementa no § 6º, do mesmo artigo que, “A Música deverá ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, do componente curricular de que trata o § 2º, deste artigo.” Além do cumprimento do caráter legal, em sua obrigatoriedade, a Educação de Jovens e Adultos oferece ao aluno do 2º Segmento, regularmente matriculado na rede pública de ensino do Distrito Federal, as condições necessárias para o bom desenvolvimento educacional, em ações pedagógicas eficientes para a formação plena do ser. Os princípios norteadores do currículo de Arte da EJA abrangem a formação artística do aluno dentro de uma visão processual, valorizando a reflexão e a pluralidade cultural dentro do universo do componente curricular de Arte. Os valores culturais e a Diversidade estão no foco do trabalho de ensino e aprendizagem no campo das Artes, e neste sentido a EJA se apresenta como campo privilegiado, pois o aluno possui identidade cultural e ricas experiências de vida e está sujeito a influências por conta das interações vivenciadas dentro e fora da escola. As orientações propostas no novo currículo da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal visam ampliar a participação do aluno no processo de ensino aprendizagem, procurando trabalhar competências e habilidades a partir das potencialidades do aluno, abrindo espaços para a comunicação e a reflexão sobre a realidade através das Artes, trabalhando de forma lúdica, holística e interdisciplinar, atendendo as especificidades desta clientela. A área de arte permite ao aluno ampliar sua visão de mundo, abrindo espaços para pensar e analisar a cultura na qual está inserido, instigando-o a conhecer a si trocas e

68

mesmo e aos outros, no processo coletivo de construção. A experiência humana, processo esse que se torna fundamental na formação e na construção do saber, propicia formação integral do aluno, em todos os campos de atuação, seja na instrumentação tecnológica, na concretização das diversas linguagens por meio das artes visuais, do envolvimento, das relações cênicas/teatrais na vida social, na criatividade sensorial nas atividades de artes plásticas e na expressividade através da composição e audição musical. Em todos os campos do conhecimento, inclusive no campo das artes, o ser humano estabelece as suas relações inter-pessoais. Nessa constância de saberes é fundamental lembrarmos da importância do letramento, no envolvimento do indivíduo em suas comunicações e no desenvolvimento de suas capacidades intelectivas, afetivas e sensitivas. Nessa abrangência, Souza (2003, p.61), enfatiza que a educação “proporciona uma equilibrada cultura geral, com vivências culturais no âmbito das letras, das ciências e das arte, que levará a um melhor desenvolvimento da pessoa, no seu todo”. A educação pela arte é uma ação de conhecimento e esta auxilia para que o aluno cresça em todos os sentidos. Cabe ressaltar que toda a educação deve contemplar diversas culturas unindo o conhecimento, a educação e a estética.

69

2º SEGMENTO –1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – ARTE
Arte como produto social e histórico Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • •

Identificar os elementos básicos da linguagem visual, no espaço (bidimensional e tridimensional), em diferentes possibilidades expressivas. Perceber as diferentes linguagens, como forma de comunicação humana. Identificar as diferentes representações artísticas como linguagem estética que transmite idéias, pensamentos e emoções humanas. Identificar, nas produções visuais o uso dos elementos básicos da linguagem visual utilizados para comunicar, esteticamente, sentido e significados. Entender a produção visual como produto cultural sujeito à análise e ao entendimento. Identificar a relação básica entre o emissor, a obra e o espectador. Identificar nos diferentes meios de comunicação, o uso e a apropriação das produções de artistas consagrados para veicular sentidos e significados. Perceber a influência das culturas indígenas, negras e portuguesas na formação cultural do povo brasileiro. Reconhecer nas produções visuais brasileiras do período colonial, a nítida influência e interação das nossas matrizes culturais. Identificar e conhecer os artistas do Distrito Federal, suas produções visuais, e a sua contribuição para a construção da identidade cultural do Distrito Federal. Identificar e compreender as diferentes manifestações culturais, originais das diversas regiões do Brasil, presentes nas cidades circunvizinhas e sua importância na construção da identidade cultural do Distrito Federal.

Primeiras expressões artísticas:a arte da préhistória nos períodos paleolítico e neolítico A Arte rupestre brasileira Arte indígena brasileira do Período PréCabralino aos dias atuais: plumária, trançados, pintura corporal, cerâmica História da arte da Antigüidade, Idade Média e Renascimento Antigüidade: arte da Mesopotâmia e Egito arte grega arcaica, clássica e helenística arte romana arte cristã primitiva arte bizantina * Idade Média - arte românica – “as fortalezas de Deus” arte e a arquitetura gótica: a arte a serviço da igreja católica Renascimento: o ideal humanista a arte e a arquitetura renascentista História da música no Brasil (gêneros musicais) Elementos visuais: ponto,linha,volume,cor

70

HABILIDADES
• • • • • • •

CONTEÚDOS
A arte na região Nordeste: escultura Pintura Artesanato Folclore literatura de Cordel Lei nº 10.639/03 – Estudo da arte afrobrasileira e indígena

71

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE
Arte como produto social e histórico Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • •

CONTEÚDOS
Arte no Brasil e no mundo holandeses no Brasil barroco na Europa e o Barroco Colonial brasileiro • rococó • Missão Artística francesa no Brasil • A história da fotografia • A história do teatro • o teatro mambembe • a arte na região Centro-Oeste • imagens da região • lenda • Folclore brasileiro • A linguagem é cultura popular • a música (gêneros musicais) • a poesia • artesanato e Pintura • A Arquitetura inovadora em Brasília • Lei nº 10.639/03 – Estudo da arte afrobrasileira e indígena
• • •

Reconhecer e saber utilizar em expressões visuais, os elementos básicos da linguagem visual: a cor, a luz, o ponto, a linha, a forma, a direção, o tom, a textura, a dimensão, a escala e o movimento, no espaço (bidimensional e tridimensional) nas diferentes possibilidades expressivas. Identificar nas produções artístico-culturais do período colonial aos dias atuais, a influência das raízes étnicas brasileiras: indígena, negra e portuguesa. Identificar o conhecimento de outras áreas científicas e artísticas utilizado nas produções visuais. Perceber as diferentes linguagens (sonora, gestual, visual, oral, entre outras), como forma de comunicação humana. Perceber as diferentes representações artísticas como linguagens estéticas utilizadas para comunicar idéias, pensamentos e emoções. Entender a produção visual como produto cultural sujeito à análise e ao entendimento. Identificar a relação básica entre o emissor, a obra e o espectador.

72

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE
Arte como produto social e histórico Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS
Arte no Brasil e no mundo a pintura acadêmica (Classicismo) e a paisagem • a importância da luz no Impressionismo (profundas mudanças na arte) • novas tendências na Arte derivadas dos conflitos sociais • O Expressionismo • O Cubismo • O Fauvismo • Cinema • A história do Cinema • o cinema brasileiro • o cinema novo • A arte e o Folclore da região Sudeste • lendas • festas e as danças • a culinária da região • músicas (gêneros musicais) • poesia • Lei nº 10.639/03 – Estudo da arte afrobrasileira e indígena
• •

Identificar e utilizar os elementos básicos da linguagem visual: a cor, a luz, o ponto, a linha, a forma, a direção, o tom, a textura, a dimensão, a escala e o movimento, no espaço (bidimensional e tridimensional) nas diferentes possibilidades expressivas. Identificar o conhecimento de outras áreas científicas utilizado nas produções visuais. Compreender os elementos básicos da linguagem visual (materiais e formais) para comunicar, esteticamente, sentidos e significados. Identificar e compreender a relação básica entre emissor, obra e espectador. Valorizar e preservar a diversidade cultural do Distrito Federal. Valorizar e preservar os espaços reservados à Arte, reconhecendo a importância destes para a construção e preservação dos bens artísticos e culturais brasileiros.

73

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE
Arte como produto social e histórico Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • •

Indicar as funções básicas dos profissionais (designer, pintor, escultor, cenógrafo, iluminador e outros) relacionados às produções visuais. Conhecer, identificar, explorar os diferentes meios de produção imagética (artesanais, mecânicos, eletro-eletrônicos, digitais). Identificar e compreender a relação básica entre emissor, obra e espectador. Identificar a influência dos movimentos estéticos europeus do século XIX, sobre as produções visuais brasileiras, na primeira metade do século XX. Perceber as influências das ciências e da tecnologia sobre as produções visuais do século XX. Identificar e valorizar as manifestações visuais presentes nas cidades circunvizinhas, e sua contribuição na construção da identidade cultural do Distrito Federal.

Arte visual no Brasil e no mundo O modernismo A Semana da Arte Moderna O Cubismo O Fauvismo O Surrealismo O Abstracionismo Outras tendências Arte conceitual A arte e o Folclore nas regiões Norte e Sul mitos lendas festa e dança artistas da região a música (gêneros musicais) Lei nº 10.639/03 – Estudo da arte afrobrasileira e indígena

74

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Educação Física O desenvolvimento de uma proposta curricular de Educação Física para Educação de Jovens e Adultos – EJA constitui-se, simultaneamente, numa necessidade e num desafio. É preciso reconhecer que chegou o momento de olhar para esse segmento da sociedade brasileira e buscar novas formas de viabilizar o seu acesso a esse saber. Trata-se de ajustar os conteúdos a serem trabalhados aos interesses e possibilidades dos alunos de EJA, a partir de abordagens que contemplem a diversidade de objetivos. É importante lembrar que a maioria dos alunos de EJA estuda no período noturno e que, de acordo com a LDBEN nº 9.394/96, a Educação Física é facultativa nesses cursos: A Educação Física, integrada à proposta pedagógica da escola, é componente curricular da educação básica, ajustando-se às faixas etárias e às condições da população escolar, sendo facultativa nos cursos noturnos. (Art. 26, parágrafo 3). Nesse sentido, a escola de maneira geral e a Educação Física em particular podem colaborar, na medida em que mostram para os alunos os benefícios da prática regular de atividade física e constroem metodologias de ensino de maneira lúdica que propiciam a experimentação de atividades prazerosas, de tal modo que eles desejem continuá-las também fora da escola. Assim, espera-se que os alunos de EJA sejam capazes de assumir uma postura ativa na prática das atividades físicas e estejam conscientes da sua importância. As aulas de Educação Física devem discutir as mudanças no comportamento corporal decorrentes do avanço tecnológico e analisar seu impacto na vida do cidadão. Assim, o professor deve problematizar, interpretar, relacionar, compreender junto com os alunos as amplas manifestações de sua área de ensino, trabalhando a interdisciplinaridade, integrando as diversas áreas do conhecimento, propiciando assim, o desenvolvimento holístico do aluno. O princípio da Diversidade precisa estar presente ao se buscar uma aprendizagem significativa, entendida aqui como a aproximação entre os alunos e o 75

conhecimento construído pela cultura corporal de movimento ao longo do tempo. A cultura corporal de movimento caracteriza-se, entre outras coisas, pela diversidade de práticas, manifestações e modalidades. O conhecimento dessa cultura deve constituir-se num instrumento de compreensão da realidade social e humana do aluno. Neste sentido, é fundamental que seja garantido o acesso a informação variada e aos inúmeros procedimentos e recursos para obtê-la. A Educação Física escolar apresenta uma diversidade de formas de abordagem para a aprendizagem. O papel do professor é de mediador, garantindo espaço para que os alunos tenham voz ativa e possam caracterizar a aprendizagem segundo suas necessidades. A relação de aproximação, apreensão, crítica e recriação da produção dos alunos ocorre assim num contexto realista e político. De acordo com a concepção freiriana, não existe educação neutra, e os conteúdos precisam estar ligados à realidade, desenvolvidos de maneira não-mecânica, sempre buscando uma reflexão, priorizando a qualidade de vida, a expressividade através do letramento e indo ao encontro das expectativas do aluno. Não se pode perder de vista que os alunos estão inseridos numa cultura, trazem suas vivências próprias e são regidos por uma organização política e social. Isso cria a necessidade de olhar para a Educação Física como um componente curricular comprometido com o desenvolvimento da consciência crítica, capaz de estabelecer um canal para o desvelamento da realidade.

76

2º SEGMENTO –1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FÍSICA
Letramento Diversidade Corpo Humano

HABILIDADES
• • • Identificar e compreender a importância da prática da Atividade Física regular, como fator fundamental • • na manutenção da saúde física, mental e social; Compreender que a prática efetiva da Educação Física Escolar é dever da escola e direito inalienável do• • cidadão; Identificar, no contexto histórico-social, as diversas modalidades de execução das atividades corporais. •

CONTEÚDOS
Cultura Corporal contexto histórico contexto cultural jogos e brincadeiras regras, normas e limites Alongamento

2º SEGMENTO –2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FISÍCA
Letramento Diversidade Corpo Humano

HABILIDADES
• • • Identificar e compreender os mecanismos de funcionamento do organismo humano; Compreender as diversas formas de atividade física, identificando as características básicas do esforço físico, da intensidade e freqüência necessárias ao bom desempenho físico e na manutenção da saúde; Identificar, compreender e refletir sobre os conhecimentos científicos existentes na cultura corporal, agindo e interagindo, de forma autônoma, de maneira que adquira ou mantenha a sua saúde física. • • • • •

CONTEÚDOS
Expressividade da comunicação humana Integrando funções do próprio corpo Movimentos corporais do cotidiano Saúde do corpo humano Alongamento

77

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FISÍCA
Letramento Diversidade Corpo Humano

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS

Conhecer e compreender a importância da prática regular da Educação Física na manutenção da saúde • Relações com o trabalho: orgânica e social; • reflexos no trabalho Utilizar os conhecimentos adquiridos na prática corporal regular como mecanismo de prevenção e • movimentos repetitivos tratamento nas alterações orgânicas provocadas pelos movimentos repetitivos; • postura corporal Perceber, no convívio em sociedade, por meio da interação (processo de ação-reflexão), a importância • Alongamento da prática regular da Educação Física como elemento regulador da saúde física e como elemento de integração social.

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FISÍCA
Letramento Diversidade Corpo Humano

HABILIDADES
• • • •

CONTEÚDOS

Compreender e identificar, na prática corporal, mecanismos reguladores da saúde física; • Envelhecimento: Compreender a importância da alimentação saudável como forma de manutenção da saúde e melhoria • reflexos no organismo da qualidade de vida; • benefícios do exercício físico Conhecer, identificar e saber utilizar os procedimentos necessários a uma intervenção em caso de Alongamento socorros de urgência; Compreender a importância do treinamento físico-desportivo, não só na descoberta de possíveis talentos como também como elemento de interação social e produção do conhecimento científico

78

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Matemática – 2º Segmento

A Educação Básica para jovens e adultos deve voltar-se para o alcance da cidadania. O sentido e o significado da aprendizagem devem estar evidentes durante todo o processo de construção do conhecimento, assim, os alunos podem desenvolver suas diferentes capacidades enfatizando suas vivências e identidade cultural e social. Cada professor deve sensibilizar-se no sentido de associar o projeto pedagógico aos temas sociais necessários a cada comunidade escolar e utilizar-se dos meios tecnológicos à sua disposição. Neste contexto, o ensino da matemática deve buscar uma educação que integre o ambiente escolar com a sociedade, o conhecimento teórico e as exigências práticas profissionais. O aluno deve confrontar-se com desafios e metodologias de vivência lúdica que lhe permitam o desenvolvimento pleno, conquistando uma educação consistente que lhe favoreça o reconhecimento de seus direitos e deveres. Por ser a matemática um estudo originário das ações rotineiras dos alunos, o letramento matemático, ou numeramento, reflete a necessidade do discente de reconhecer o papel fundamental do estudo matemático de modo a propiciar-lhe a capacidade de elaboração, reflexão, comunicação de idéias, utilizando conceitos matemáticos, formulando e resolvendo problemas de modo a estabelecer relações com a compreensão dos âmbitos econômico, social e político. Entretanto, para que jovens e adultos percebam-se integrantes e transformadores das suas realidades, é fundamental que sejam capazes de utilizar tecnologias de informação e comunicação individual ou coletivamente. No estudo matemático, tais tecnologias pensamento. reforçam novas formas de representação e conceitos gráficos, contextualizam a necessidade do cálculo e a valorização da construção da solução e do

79

Para o exercício da cidadania é necessário saber utilizar os sistemas de medidas, evidenciar o raciocínio lógico e sua argumentação, fazer uso do tratamento de informação, ler e interpretar estatísticas para auxiliar a compreensão da informação e, dessa forma, alcançar a leitura de sua realidade para sua tomada de decisões de modo consciente, tornando-se sujeito ativo na transformação do mundo plural em que vive. Nesta abordagem de multiplicidade de idéias, de Diversidade, cabe ressaltar a importância da integração do sujeito em relação à prática matemática e suas vivências e experiências anteriores, de uma forma holística. Sendo assim, na Educação de Jovens e Adultos, especificamente no ensino da matemática, é imprescindível que o aluno se aproprie do conhecimento matemático de forma que “compreenda os conceitos e princípios matemáticos, raciocine claramente e comunique idéias matemática, reconheça suas aplicações e aborde problemas matemáticos com segurança” (LORENZATO e VILA, 1993, p.41).

80

2º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA
Letramento Diversidade Números, operações, espaço e forma

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS
• Conjunto dos números naturais: • operações: adição, subtração, multiplicação,

Identificar números primos como geradores multiplicativos de Números Naturais. Perceber a importância da criação, da evolução e da universalização da simbologia numérica e estabelecer comparações entre o sistema de numeração decimal e os outros sistemas de numeração. • Reconhecer o significado dos números naturais, em diferentes contextos, do ponto de vista histórico e prático. • Compreender e realizar os processos de cálculos mentais e escritos, exatos e aproximados com as operações: adição, subtração, multiplicação e divisão de números naturais, incluindo as propriedades e suas generalizações. • Compreender e aplicar regularidades observadas em seqüências numéricas, tais como: pares, ímpares, múltiplos, múltiplos comuns e divisores. • Conceituar frações e aplicá-las na resolução de problemas. • Conhecer números decimais e aplicá-los na resolução de problemas simples do cotidiano. • Compreender os conceitos de medidas e de suas unidades, os instrumentos de medidas e as suas formas de utilização, em relação a comprimento, tempo, temperatura, massa e capacidade.

divisão, potenciação e radiciação • expressões numéricas: todas as operações • Números primos: conceito • Decomposição em fatores primos • MMC (Mínimo Múltiplo Comum) • MDC (Maximo Divisor Comum) • Conjunto dos números racionais absolutos: • operações: adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação e radiciação • Números decimais e frações decimais: • operações: adição, subtração, multiplicação e divisão • transformação: número decimal para fração decimal e fração para número decimal • Sistema métrico decimal • Geometria: • ponto, reta e plano • o grau e o ângulo

81

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA
Letramento Diversidade Números, operações, espaço e forma

HABILIDADES
• • • • • •

CONTEÚDOS

Reconhecer a importância da estatística e organizar dados levantados em uma pesquisa. • Conjunto dos números inteiros: Compreender o significado da média aritmética como indicador da tendência de uma pesquisa. • Operações: adição, subtração, multiplicação, Compreender e representar problemas simples de contagem em situações combinatórias. divisão, potenciação e radiciação Conhecer os significados de porcentagens e aplicá-los em situações simples do cotidiano. • Conjunto dos números racionais: Aplicar os conceitos de operações com frações e de porcentagens em situações-problema. • Operações: adição, subtração, multiplicação, Compreender e explicar processos pessoais ou convencionais de resolução de situações-problema, divisão, potenciação e radiciação por meio de sistemas de equações do 1º grau. • Equações do 1° grau • Identificar, compreender e aplicar a relação entre duas grandezas, diretamente proporcionais, • Inequações do 1° grau inversamente proporcionais ou não proporcionais, na resolução de problemas. • Razão e Proporção • Regra de Três Simples e noções da Composta • Porcentagem e juros simples • Geometria: ângulos e seu elementos
• operações com medida de ângulos: adição, subtração, multiplicação (numero natural) e divisão para número natural • • •

ângulo reto, agudo e obtuso ângulos complementares e suplementares ângulos opostos pelo vértice

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – MATEMÁTICA HABILIDADES CONTEÚDOS

82

Letramento Diversidade

Números, operações, espaço e forma

• • • •

Construir estratégias de cálculo algébrico por meio de operações numéricas e suas propriedades. • Expressões algébricas Compreender o significado da fatoração e a sua utilidade na simplificação de expressões algébricas. • Monômios Compreender e aplicar o processo de produto de polinômios. • Operações com monômios: Reconhecer que representações algébricas permitem expressar generalizações sobre propriedades • adição, subtração, multiplicação, divisão e das operações numéricas, traduzir situações-problema e favorecer as possíveis soluções, bem como potenciação aplicar esses conhecimentos em situações cotidianas. • Polinômios • Compreender e explicar processos pessoais ou convencionais de resolução de situações-problema, • Operações com polinômios: por meio de sistemas de equações do 1º grau. • adição e subtração • Construir e classificar ângulos, estabelecer relações entre eles e algumas figuras, e relacioná-los • monômio por polinômio entre si. • Polinômio por polinômio • Identificar e classificar polígonos, bem como conhecer seus elementos e aplicar as suas propriedades • Multiplicação: em situações concretas. • monômio por polinômio • Compreender o conceito de congruência. • polinômio por polinômio • Desenvolver o conceito de semelhança de figuras e perceber a sua relação com outras áreas do • Divisão de polinômio por monômio conhecimento. • Produtos notáveis • Fatoração de polinômios • Sistemas de equações do 1° grau com duas variáveis: • problematização • Geometria: • ângulos formados por duas retas cortados por uma transversal: • noções de paralelismo e perpendicularismo • polígonos - elementos e nomenclatura • raciocínio lógico matemático

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – MATEMÁTICA HABILIDADES CONTEÚDOS

83

Letramento Diversidade

Números, operações, espaço e forma

• •

Identificar números irracionais em contextos variados. Compreender a idéia de perímetro e de área de figuras planas, bem como medir e calcular essas grandezas. • Compreender e aplicar o Teorema de Pitágoras em situações concretas. • Compreender os significados da potenciação e da radiciação e aplicá-los como recurso na resolução de problemas. • Reconhecer, em diversos contextos, números naturais, inteiros, racionais, e irracionais, percebendo a relação entre eles e a formação do Conjunto dos Números Reais. • Analisar, interpretar, formular e resolver situações-problema, compreendendo diferentes significados das operações, envolvendo números naturais, inteiros, racionais e irracionais. • Compreender os conceitos de porcentagem, de regra de três (simples e composta) e de noções de juros (simples e compostos). • Compreender e ampliar estratégias variadas de cálculo algébrico, em situações contextualizadas, na resolução de equações do 2º grau, formalizando o conceito. • Compreender a noção de medida de superfície e de equivalência de figuras planas e calcular a área total de sólidos. • Compreender sistemas de equações de 1º e 2º graus como um importante recurso na resolução de situações-problema. • Compreender as relações existentes entre as diferentes unidades de medida, construindo novos conceitos. • Identificar as diagonais de um polígono e determinar o número de diagonais de um polígono. • Reconhecer e aplicar os conceitos e os cálculos de áreas em situações-problema. • Compreender e aplicar o conceito de semelhança entre figuras planas. • Analisar figuras geométricas planas por meio do conceito de congruência. • Identificar e representar os elementos notáveis de um triângulo: medianas, bissetrizes, mediatrizes e altura. • Compreender e aplicar relações métricas decorrentes da semelhança entre triângulos retângulos.

Números irracionais e reais Potenciação: propriedades e aplicações potenciação com expoentes inteiros nãonegativos e negativos • propriedades da potenciação • potências de 10 e notação científica • Radicais: • propriedades, simplificação e comparação • Racionalização de denominadores • Equações de 2° grau completas e incompletas • Problemas com equações do 2º grau • Proporcionalidade entre segmentos de retas: • teorema de Tales e semelhança de triângulos • Triângulos retângulos: • teorema de Pitágoras e relações métricas • Áreas de figuras planas

• • • •

84

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Ciências Naturais – 2º Segmento O componente curricular de Ciências Naturais tem como objeto de estudo o conhecimento científico que resulta da investigação da Natureza. O método científico que levou à dominação cada vez mais eficaz da natureza passou assim a fornecer tanto os conceitos puros, como os instrumentos para a dominação cada vez mais eficaz do homem pelo próprio homem através da dominação da natureza (...) Hoje a dominação se perpetua e se estende não apenas através da tecnologia, mas enquanto tecnologia, e esta garante a formidável legitimação do poder político em expansão que absorve todas as esferas da cultura (HABERMAS, 1980, p. 305). O ensino de Ciências Naturais, na Educação de Jovens e Adultos, vem apontando para uma metodologia mais atualizada e dinâmica, com aplicação de práticas lúdicas, priorizando temas relevantes para o aluno, ligados ao meio ambiente, a saúde e a compreensão da ciência e tecnologia. Os estudos e a atuação do professor devem ajudar os alunos a perceberem a importância do letramento como forma de expressão e desenvolvimento do hábito de refletir, colaborando assim, com a melhoria da qualidade de vida e da melhor compreensão do mundo de que participa. Nesse sentido, em busca da qualificação do ensino-aprendizagem e vivenciando a Diversidade em suas ações pedagógicas, o professor propiciará a formação de alunos conscientes e tolerantes com opiniões diferentes das suas, sendo mais atuantes e propositivos em suas relações inter-pessoais. Para concretizar esse processo de trabalho com o aluno, tendo em vista “que é impossível, mesmo ao mais completo cientista, dominar todo o conhecimento no âmbito de uma única especialidade” (MENEZES, 2000, p.51), é imprescindível caracterizar a universalidade e determiná-la no tempo e no contexto das realizações humanas. Consolidando essa idéia Kneller afirma que “A ciência é uma atividade humana complexa, histórica e coletivamente construída, que influencia e sofre influências de questões sociais, tecnológicas, culturais, éticas e políticas” (KNELLER, 1980; ANDREY et AL., 1999)

85

2º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS HABILIDADES CONTEÚDOS

86

Letramento Diversidade

Universo e Terra; Vida e ambiente; Ser humano e saúde ambiental; Matéria, tecnologia e sociedade.

• •

Identificar as condições ambientais que propiciam a adaptação dos seres vivos. Interpretar as transformações ocorridas no ambiente, ocasionadas pelos seres vivos, destacando a ação humana na região na qual estão inseridos. • Analisar as situações de transformação ambientais provocadas pela ação humana, pelo próprio meio, fazendo comparações em espaços e tempos diferentes. • Reconhecer que o planeta terra reúne condições básicas que possibilitam a presença de vida. • Levantar hipóteses sobre os fatores que possibilitam a presença da vida na Terra. • Investigar as diferentes explicações sobre a vida na terra, sobre a formação de fósseis, comparando espécies extintas e atuais. • Constatar a importância do solo para os seres vivos, como fonte de obtenção de alimento e de moradia. • Identificar formas de utilizar racionalmente o solo, tratando e reaproveitando o lixo. • Reconhecer a importância da reciclagem do lixo para o mundo atual. • Construir idéias que relacionem a poluição do solo com os mananciais de água.Reconhecer as conseqüências da água poluída e ou contaminada para a saúde humana. • Constatar a importância do tratamento das águas poluídas e/ou contaminadas usadas no DF. • Analisar a importância do tratamento da água e do esgoto para o meio ambiente. • Compreender o uso racional da água pelo homem, no seu dia-a-dia, considerando o ciclo da água na manutenção dos recursos hídricos. • Questionar a utilização da água a partir de situações reais. • Reconhecer o ar puro como condição favorável para existência dos ecossistemas. • Identificar os agentes poluidores do ar, bem como suas conseqüências para o sistema respiratório humano e o meio ambiente. • Questionar a importância do som para os seres vivos. • Identificar os efeitos da poluição sonora sobre os seres vivos.

O sistema solar e a constituição da Terra Solos: formação, manejo, poluição e uso racional Água: composição e propriedades estados físicos ciclo da água uso racional poluição da água Ar-Atmosfera: composição (características e propriedades) poluição atmosférica inversão térmica camada de ozônio efeito estufa Saneamento básico (solo, água e ar) Resíduos sólidos: lixo, redução, reutilização e reciclagem Ecologia: noções básicas: ecossistema fatores bióticos e abióticos habitat, nicho ecológico, cadeia e teia alimentares

87

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

88

Letramento Diversidade

Universo e Terra; Vida e ambiente: Ser humano e saúde ambiental: Matéria tecnologia e sociedade

Reconhecer os alimentos, como fonte de energia indispensável aos seres vivos transportada nos diversos níveis da cadeia alimentar, relacionando-a aos diferentes ecossistemas. • Identificar o nível que cada ser ocupa na cadeia alimentar. • Reconhecer a fotossíntese como processos de transformação de energia. • Levantar hipóteses de como o vegetal produz energia, abordando as estruturas básicas de suas células. • Destacar a função da folha no vegetal. • Relacionar a respiração do vegetal com a do animal. • Reconhecer os alimentos, como fonte de energia indispensável aos seres vivos transportada nos diversos níveis da cadeia alimentar, relacionando-a aos diferentes ecossistemas. • Identificar o nível que cada ser ocupa na cadeia alimentar.

Seres vivos: diversidades e classificação vírus reinos (Monera, Protista, Fungi, Plantae e Animalia) • Reino animal (vertebrados): • mamíferos, Aves, Répteis, Anfíbios e Peixes • Reino animal (Invertebrados): • artrópodes, moluscos, equinodermos, anelídeos,poríferos, asquelmintos e platelmintos • Reino vegetal: • características gerais: raiz, caule, folha, flor e fruto

• • • •

89

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

90

Letramento Diversidade

Universo e Terra; Vida e ambiente: Ser humano e saúde ambiental: Matéria tecnologia e sociedade

Comparar as diferentes formas de reprodução sexuada e assexuada, nos diversos organismos, enfatizando a fecundação humana. • Relacionar o funcionamento dos sistemas para o bom desenvolvimento do corpo humano. • Inter-relacionar os sistemas nervoso, endócrino e reprodutor humano. • Identificar as principais glândulas do organismo humano, destacando as que se relacionam com o sistema reprodutor.

• • • • • • • • • • • •

Corpo humano: níveis de organização dos seres vivos Sistemas do corpo humano Sistema Digestório: nutrição e digestão Sistema Circulatório Sistema Respiratório Sistema Excretor Sistema Sensorial Sistema Nervoso Sistema Endócrino Sistema Muscular, Tegumentar e Esquelético Sistema Reprodutor

91

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - CIÊNCIAS NATURAIS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

92

Letramento Diversidade

sociedadeUniverso e Terra; Vida e ambiente: Ser humano e saúde ambiental: Matéria tecnologia e

Caracterizar as reações químicas como forma de compreender os elementos que integram o • Matéria: ambiente, observando o seu arranjo molecular. • Descoberta e constituição • Diferenciar reações químicas e misturas e compreender as propriedades específicas da matéria. • Conhecendo a Química • Identificar sais, bases, óxidos e ácidos. • Desvendando os mistérios da Química • Reconhecer que os modelos atômicos evoluíram com o avanço tecnológico. • Substâncias, fórmulas e equações químicas • Identificar sais, bases, óxidos e ácidos. • Misturas e soluções • Reconhecer que os modelos atômicos evoluíram com o avanço tecnológico. • Relacionar máquinas simples (descascador de alho, pinça, amassador de batata) com o trabalho • O átomo • Tabela periódica: exercido pelo corpo humano. • Ligações e reações químicas • Avaliar a energia desprendida por cada uma das máquinas acima citadas. • Energia: • A energia térmica • Eletricidade: • Eletricidade e estática • Eletricidade e dinâmica • Magnetismo • Mecânica • Cinemática

93

94

Currículo da Educação de Jovens e Adultos História – 2º Segmento

Este texto do componente Curricular de História foi elaborado para atender às especificidades da Educação de Jovens e Adultos, pois destina-se aos que não tiveram acesso ou continuidade de estudos e deve ser adequado às características da comunidade escolar, a seus interesses, condições de vida e trabalho. Sendo assim, esperamos que possam utilizar estas informações, não como eixos intocáveis e estáticos, e sim como possibilidades de se criar novas interpretações de nossa história, pois os conteúdos curriculares aqui apresentados contemplam a Base Nacional Comum e a Parte Diversificada do Currículo Escolar Brasileiro e, também, atendem à legislação do Governo Federal e do Distrito Federal, sobre a Educação de Jovens e Adultos. A relação professor aluno encontrará subterfúgios para ocorrer permeada dos conhecimentos diversos que poderão ser agregados diante das necessidades que os atores que estão envolvidos julguem necessários. O teor dessas informações devem ser apropriadas, no sentido de oferecer condições para construções do conhecimento a partir das experiências prévias dos alunos envolvidos no processo. As diversidades culturais, étnico-raciais e de gênero poderão ser exploradas no sentido de valorizar as contribuições dos variados grupos e suas respectivas manifestações, na constituição de uma sociedade que tem o direito à valorização de sua identidade. A condição da história como sendo uma ciência humana, em seu caráter social, aponta para a quebra da idéia linear do desenvolvimento histórico ao mesmo tempo que procura agregar ao processo, situações da contemporaneidade que envolvem as relações interpessoais, a questão das tecnologias, e da interdisciplinaridade, possibilitando integrar diversos conhecimentos a partir de uma síntese que seja capaz de promover um conhecimento significativo. 95

Sendo assim, a história permitirá o estabelecimento de relações continuas entre o nosso tempo e os tempos precedentes, levando-nos a distinguir o rumo do processo em que estamos envolvidos. Portanto, a história possui atualmente uma importância fundamental na formação de jovens e adultos, devendo merecer cuidadoso tratamento como uma área de conhecimento. Outra idéia comum entre alunos da Educação de Jovens e Adultos e de outras faixas etárias é a de que obras e documentos históricos são como verdades inquestionáveis. Com isso, cabe ao professor planejar momentos em que essas concepções prévias sejam questionadas, pois devem considerar que tanto os textos quanto os diferentes tipos de fontes constituem versões da realidade. Além da vivência da Diversidade como eixo temático em sua Base Curricular, o professor de história na Educação de Jovens e Adultos, deve inserir em sua prática pedagógica, atividades com percepção lúdica consolidando o desenvolvimento pleno do aluno. Como apontam os Parâmetros Curriculares Nacionais de História, “o conhecimento histórico é um campo de pesquisa e produção do saber em permanente debate que está longe de apontar para um consenso”. Com essa postura podemos perceber que “o conhecimento é uma reelaboração de muitos saberes, constituindo o que se chama de saber histórico escolar, sendo “permanentemente reconstruído a partir de objetivos sociais, didáticos e pedagógicos”, contemplando, assim, a importância do letramento na construção da autonomia do indivíduo.

96

2º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - HISTÓRIA
Letramento Diversidade O Brasil no contexto social

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • •

Interpretar os fatos históricos como um marco na formação da nação brasileira que através dos movimentos de revolta presente nessa construção. Identificar as transformações por meio das diferentes regiões que tiveram sua expansão através dos desbravamentos e lutas internas. Estabelecer e entender as relações, causa e efeito no processo histórico brasileiro, sistematizando cada movimento de revolta que ajudou o Brasil no crescimento econômico através das lutas internas e desbravamentos.

O que é História As grandes navegações Os povos indígenas Brasil colônia O pacto colonial A economia açucareira A vida e luta dos negros no Brasil O senhor do engenho Expansão territorial entrada e bandeiras Criadores de gado

97

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – HISTÓRIA
Letramento Diversidade O Brasil no contexto social

HABILIDADES

CONTEÚDOS
A vinda da Família Real. As mudanças advindas da fixação da coroa portuguesa. A volta da família Real. Processo da Independência do Brasil. A primeira Constituição do Brasil. Primeiro Reinado (1822 – 1831) Projeto: Constituição da Mandioca Constituição de 1824 Organograma dos poderes O caminho da abdicação Regências: Trina Provisória, Trina Permanente e Regência de Feijó Golpe da maioridade Rebelião da Praeira Parlamentarismo ou Império Confederação do Equador Questão Christie Cabanagem Revolta dos cabanos Sabinada Balaiada Guerra do Prata Luta contra Rosa Luta contra Aguirre O período regencial. As revoltas e rebeliões (1831 – 1840) O segundo Reinado (1840 – 1889). O governo de D. Pedro II

Estabelecer e entender as relações de causa e efeito no processo histórico brasileiro, sistematizando • cada movimento de revolta que ajudou o Brasil no crescimento econômico através das lutas internas e desbravamentos.
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

98

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - HISTÓRIA
O Brasil no contexto social
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS
Formas de governo Questões religiosas Proclamação da República Movimentos sociais rurais e urbanos A repercussão da 1ª. Guerra Mundial no Brasil A repercussão da crise mundial de 1929 no Brasil

Analisar as principais formas de governo e as questões religiosas que solapou parte da cultura. • Explicar as principais cisões da ordem oligárquica brasileira; analisar os motivos de seu esgotamento • relacioná-los com os fatores que conduziram a crise de 1929 e o movimento revolucionário de 1930. •
• • •

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - HISTÓRIA
O Brasil no contexto social
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS
• • • • • • •

Caracterizar os períodos de governos de Vargas; citar as medidas econômicas tomadas por Vargas. Compreender a 2ª. Guerra Mundial; analisar o impacto e conseqüências para o Brasil sob os aspectos sociais, éticos e culturais. Identificar avanços e retrocessos ocorridos na sociedade, tendo como base as constituições brasileiras.

Revolução de 1930 A Era Vargas A participação do Brasil na II Guerra Mundial A República Liberal A República Ditatorial A Nova República A história hoje

99

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Geografia – 2º Segmento

Estudar Geografia é uma forma de compreender o mundo onde vivemos. Por meio desse estudo, podemos entender melhor o lugar onde moramos, seja uma área urbana seja rural, o nosso país, assim como os demais países. O campo de investigação da geografia é o espaço da sociedade humana, onde homens e mulheres vivem, atuam e, ao mesmo tempo, produzem modificações que (re)constroem permanentemente. Indústrias, cidades, agricultura, rios, solos, climas, populações: todos esses elementos, além de outros, constituem o espaço geográfico, isto é, o meio ou realidade material em que a humanidade vive e do qual é parte integrante. A geografia escolar tem por referência o interesse público e a construção de uma sociedade verdadeiramente democrática. Sua função consiste em promover a cidadania, desenvolvendo as competências e habilidades para a “alfabetização espacial” dos jovens. Assim, ela tem um conteúdo que objetiva levar o aluno a interpretar de forma crítica e com base científica, de acordo com seu nível de compreensão, o mundo e, ao mesmo tempo, faz com que o aluno pense ou construa os conceitos antes de serem apresentados, incorporando, ao mesmo tempo, as mudanças recentes ocorridas no espaço geográfico mundial juntamente com as novas idéias pedagógicas que enfatizam a interdisciplinaridade e os temas transversais. Segundo Milton Santos, a Geografia é a ciência do presente, ou seja, é inspirada na realidade contemporânea1. Desse modo, o ensino de Geografia passa por um momento de redefinições impostas pela sociedade em geral e pela globalização, dada a necessidade de reconstruir um sistema escolar que contribua para a formação de cidadãos conscientes e ativos, como também pelas modificações que ocorrem nas ciências geográficas. A disciplina de Geografia na Educação de Jovens e Adultos deve ter uma perspectiva comprometida com a promoção da cidadania. É necessário
1

100

preparar o aluno para a vida e não apenas para reproduzir conceitos, assim como é preciso leva-lo a compreender que é uma ciência a partir da qual se pode desenvolver práticas de reflexões que, inevitavelmente, transbordam os limites da escolarização em sentido restrito. Os estudos geográficos, sejam no ensino regular sejam na modalidade da Educação de Jovens e Adultos, fornecem à sociedade uma visão mais ampla e profunda em relação ao homem-natureza, ao espaço e suas transformações. A partir desses estudos, o aluno pode perceber a importância de sua contribuição e compromisso na construção de uma sociedade igualitária, auxiliando na formação de cidadãos conscientes, ativos e dotados de opinião própria. As competências, habilidades e conteúdos referenciais do componente curricular Geografia no segundo Segmento da Educação de Jovens e Adultos estão organizados a partir de um Eixo Norteador que compreende, dentre outros aspectos, construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos históricos e geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas. A cognitiva abordagem que didática a deve acontecer numa seqüência

possibilite

continuidade

das

aprendizagens,

considerando o repertório cultural do educando, a complexidade dos assuntos e, de forma gradativa, o aprofundamento dos conteúdos referenciais que deverão ser trabalhados de forma interdisciplinar e contextualizada às demais áreas do conhecimento.

101

2º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - GEOGRAFIA
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS

Identificar as principais teorias sobre a origem e a formação do universo. Reconhecer transformações temporais e espaciais, e seus reflexos na atualidade.

A descoberta do tempo e do espaço.

• • • • • • • • • • •

Identificar e caracterizar os planetas do Sistema Solar e as teorias geocêntrica e heliocêntrica. • Localizar o planeta Terra no universo, destacando a sua importância como a “morada” do homem. Analisar argumentos que refutam ou aceitam conclusões apresentadas sobre características e dinâmicas do planeta Terra. Identificar a forma correta da Terra. Identificar os principais movimentos da Terra, suas conseqüências e influências no dia-a-dia das • pessoas. Reconhecer a importância da orientação no espaço e da sua utilização na vida do homem. Identificar e comparar meios e instrumentos de orientação, reconhecendo a revolução tecnológica. Reconhecer a importância das coordenadas geográficas para localizar os lugares no mundo. Determinar os fusos horários de um lugar e verificar a sua aplicabilidade na vida das pessoas. Relacionar os movimentos da Terra e Lua, aos diferentes fenômenos cíclicos como: dia/noite, • estações do ano, climas e eclipses, bem como suas implicações para a vida terrestre. Compreender a relevância de fenômenos como marés, eclipses ou fases da Lua, ensaiando superficiais previsões sobre estes fenômenos a partir de posições relativas da Terra.

A Terra, um astro do universo

Orientando-se na Terra

Movimentos da Terra

102

de fenômenos naturais, de processos histtórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas

• • •

Identificar os diferentes tipos de mapas, suas respectivas funções e a enorme gama de informações • que contêm. Reconhecer a importância da utilização e interpretação corretas dos elementos de um mapa (título, escala, legenda e convenções cartográficas). Utilizar mapas, gráficos ou fontes históricas para explicar processos histórico-geográficos e suas repercussão na sociedade mundial e brasileira.

As várias maneiras de representar o espaço.

103

HABILIDADES
Identificar a importância histórico-geográfica da Cartografia para a Geografia Mundial. Reconhecer a importância dos mapas na orientação espacial e desenvolvimento humano. • • •
• • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDO
Cartografia: a importância dos mapas A superfície terrestre

Identificar a presença dos recursos naturais na organização do espaço geográfico, relacionando transformações naturais e intervenção humana. Analisar relações entre as sociedades e a natureza na construção do espaço histórico e geográfico. Analisar propostas para o uso de materiais e recursos energéticos, tendo em vista o desenvolvimento sustentável, considerando-se as características e disponibilidades regionais (de subsolo, vegetação, rios, ventos, oceanos). - Identificar os elementos naturais e os elementos humanos que constituem o espaço geográfico. Identificar a importância dos recursos da litosfera para o desenvolvimento humano. Reconhecer a relevância dos fenômenos tectônicos para a formação da superfície terrestre, seus impactos para a sociedade e a importância dos estudos para a prevenção de desastres. Relacionar a importância de uma consciência sustentável para a qualidade de vida da espécie humana e preservação recursos naturais. Relacionar os fenômenos tectônicos com a formação do relevo. Identificar a importância do relevo terrestre para as atividades humanas, bem como para condições de temporais e climáticas. Identificar o homem como agente de transformação do relevo terrestre, atentando para problemas ocasionados por esta intervenção como: assoreamento, voçorocas e ravinas. Pesquisar sobre a formação e disposição da atmosfera. Analisar a importância da atmosfera para a vida terrestre. Conhecer e relacionar a circulação das massas de ar e suas interferências nos diferentes climas da terra.

Litosfera: as rochas e as placas tectônicas.

O relevo terrestre

• • •

Atmosfera: a camada gasosa da superfície terrestre a massa de ar e o clima Hidrosfera: a camada líquida da Terra as águas continentais

Reconhecer a importância vital da água para as sociedades humanas e para os demais elementos da • natureza. • Analisar o reflexo das atividades humanas na dinâmica das águas. • Reconhecer as características das principais bacias hidrográficas brasileiras.

104

HABILIDADES
• • • • •

CONTEÚDO
• • •

Reconhecer os diferentes seres vivos que habitam diferentes ambientes, segundo suas características ecológicas. Reconhecer a importância do equilíbrio e harmonia no manejo dos ecossistemas para a manutenção das espécies animais e vegetais. Identificar em situações reais, perturbações ambientais ou medidas de recuperação. Analisar o significado da importância da água e de seu ciclo em relação a condições sócio-ambientais e a produção de energia hidrelétrica. Analisar proposta para o uso de materiais e recursos energéticos, tendo em vista o desenvolvimento sustentável, considerando-se as características e disponibilidades regionais (de subsolo, vegetação, rios, ventos, oceanos e energia solar).

Biosfera: a esfera da vida do planeta Terra os grandes ecossistemas Fontes de energia

105

2º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - GEOGRAFIA
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS
O papel do homem na construção do espaço.

Analisar geograficamente características e dinâmicas das civilizações, relacionando-as com a • constituição do espaço. Interpretar situações histórico-geográficas da sociedade brasileira, referentes à constituição do espaço, do território, da paisagem e/ou do lugar. Identificar em diferentes documentos históricos os fundamentos da cidadania e da democracia • presentes na vida social. Caracterizar as lutas sociais, em prol da cidadania e da democracia, em diversos momentos históricos. Identificar representações do espaço geográfico brasileiro em textos acadêmicos, imagens, fotos, • gráficos. Identificar a presença de recursos naturais como fator de organização do espaço geográfico brasileiro, relacionando transformações naturais e intervenção humana. Conhecer e identificar como as paisagens, os lugares e os territórios se constroem no espaço geográfico, a fim de estabelecer suas particularidades e correlações. Estabelecer relações entre os processos de formação das instituições sociais e políticas no Brasil. • Reconhecer a importância da organização de formação do Estado Brasileiro. Reconhecer organizações políticas, econômicas e/ou sociais no Brasil, com vistas à promoção da equidade na qualidade de vida da população brasileira.

• • • • • • • •

O papel do homem na luta pela cidadania

O espaço geográfico brasileiro

Compreender os processos de formação das instituições sociais e políticas a partir de diferentes formas de regulamentação das sociedades.

106

de fenômenos naturais, de processos histtórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas

• •

Identificar e localizar o Brasil no mundo e comparar sua extensão territorial e posição geográfica com • os demais países. Analisar a formação da sociedade brasileira considerando as dinâmicas dos fluxos populacionais.

Localizar o Brasil no mundo

107

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Analisar os fatores e eventos que contribuíram para o crescimento da atividade industrial no Brasil. Relacionar o processo de industrialização e de modernização no Brasil ao aumento das desigualdades sociais. Caracterizar e relacionar espaço agrário e espaço urbano. Identificar os problemas urbanos e os problemas agrários, dando ênfase à questão do sem-teto e dos sem terra. Analisar o Brasil como um país urbano-industrial em desenvolvimento, porém com grande potencial agrário. Reconhecer como o crescimento urbano desordenado, a modernização e a tecnologia, estão diretamente relacionados aos grandes problemas sociais (favela, invasões, desemprego, violência, sem-teto, drogas e outros). Relacionar o êxodo rural ao processo de industrialização e ao crescimento das cidades do sudoeste brasileiro a partir da segunda metade do século XIX. Relacionar o processo de industrialização e de modernização no Brasil ao aumento das desigualdades sociais. Identificar como as atividades comerciais unem as diversas regiões brasileiras, a importância dos meios de transporte e de comunicação e suas influências nos aspectos culturais brasileiros Identificar e compreender as características socioeconômicas e culturais das regiões brasileiras.

A atividade industrial O espaço: urbano e rural

Comércio, transporte e comunicação

Identificar e localizar o Brasil no mundo e comparar sua extensão territorial e posição geográfica com • os demais países. Correlacionar as dimensões territoriais do Brasil e sua localização com as grandes diversidades físicas, sociais e econômicas existentes.

População: diversidade sócio-cultural brasileiro O Brasil e suas regiões

Interpretar o processo de ocupação e formação da sociedade brasileira, a partir da análise dos processos históricos e geográficos, como os ciclos de econômico-produtivos.
Analisar interações entre sociedade e natureza na organização do espaço histórico e geográfico, • envolvendo a cidade e o campo. Analisar a estrutura da população brasileira e considerar a imigração como fator de grande relevância na sua composição. Migrações

108

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS
Migrações

Relacionar o êxodo rural ao processo de industrialização e ao crescimento das cidades do sudoeste • brasileiro a partir da segunda metade do século XIX. Reconhecer como o crescimento urbano desordenado, a modernização e a tecnologia, estão diretamente relacionados aos grandes problemas sociais (formação de favelas, invasões, desemprego, violência, sem-teto, drogas e outros). Identificar os fatores de crescimento e de influência na distribuição da população pelo território • brasileiro, com ênfase na formação da macro-região nordeste. Analisar os aspectos que propiciam para que a macro-região nordeste seja a de maior taxa de emigração do país. Relacionar os aspectos políticos e climáticos às dificuldades encontradas na macro-região nordeste. Analisar as características sócio-culturais, econômicas e físicas da macro-região nordeste. Analisar os desafios sócio-ambientais na macro-região nordeste. Identificar os fatores de crescimento e de influência na distribuição da população pelo território • brasileiro, com ênfase na formação da macro-região centro-sul. Analisar os aspectos que propiciam para que a macro-região centro-sul seja a mais desenvolvida e rica do país. Analisar as características sócio-culturais, econômicas e físicas da macro-região centro-sul. Analisar os desafios sócio-ambientais na macro-região centro-sul. Identificar os fatores de crescimento e de influência na distribuição da população pelo território • brasileiro, com ênfase na formação da macro-região Amazônia. Analisar os aspectos que propiciam para que a macro-região Amazônia seja uma grande fronteira nacional, palco de constantes conflitos sócio-políticos. Analisar as características sócio-culturais, econômicas e físicas da macro-região Amazônia. Analisar os desafios sócio-ambientais na macro-região Amazônia.

• • • • • • • • • • • • •

O Nordeste

O Centro-sul

Amazônia

109

2º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - GEOGRAFIA
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • •

CONTEÚDOS
O papel do homem na construção do espaço e a luta pela cidadania

Identificar as principais teorias sobre as ações humanas na apropriação e transformação do espaço. • Reconhecer transformações temporais e espaciais, e seus reflexos na atualidade. Reconhecer as habilidades necessárias à assunção de uma postura cidadã. Analisar a dualidade existente entre a apropriação do espaço e necessidade de uma intervenção sustentável no espaço natural. Comparar os diferentes modos de organização do trabalho e suas conseqüências para a vida social. • Identificar como o trabalho se apropria da natureza na construção do espaço geográfico, as mudanças nas relações sociais do trabalho entre o campo e cidade, a divisão social e territorial do trabalho. Reconhecer o processo de industrialização e de urbanização, as transformações socioeconômicas brasileiras relacionando-as com o modo de vida urbano, com o surgimento e o fortalecimento de movimentos sociais, bem como as transformações ocorridas no campo por meio da modernização agrícola. Reconhecer as modificações ocasionadas pelo desenvolvimento de novas tecnologias. • Associar o papel da 1ª revolução industrial com o incremento tecnológico. Analisar o processo de industrialização, de urbanização e modernização do mundo. Identificar a divisão internacional do trabalho, as formas de produção e as relações de trabalho no • mundo capitalista.

• • •

O trabalho e a técnica nas diferentes sociedades humanas; sociedades agrícolas

• • • •

O papel das tecnologias e a 1ª Revolução Industrial

Divisão social do trabalho nas sociedades capitalistas industriais

• •

Identificar fenômenos e fatos histórico-geográficos e suas dimensões, relacionando-os com a • constituição do espaço. Interpretar situações histórico-geográficas da sociedade mundial referente à constituição do espaço, do território e dos lugares.

A organização do espaço geográfico mundial: espaço, poder e territórios nacionais

110

HABILIDADES
• • • • • • • • • Identificar as origens da bipolaridade capitalismo X socialismo, analisando o que restou desta ordem Bipolar no cenário atual. Identificar os principais aspectos da Guerra Fria, mas essencialmente identificar possíveis resquícios deste embate nas relacionais mundiais atuais. Identificar as origens da bipolaridade capitalismo X socialismo, analisando o que restou desta ordem Bipolar no cenário atual. Reconhecer os fatores que levaram ao declínio do sistema socialista e a configuração das economias nacionalistas mundiais. Analisar os efeitos das diretrizes das economias nacionalistas para o mundo capitalista desenvolvido e para países em desenvolvimento. Identificar as origens da divisão em múltiplos pólos de poder, identificando as vantagens comparativas de cada pólo. Analisar o papel do Brasil no cenário mundial e as maiores potências mundiais. Identificar as condições que levaram os países a organizarem através de acordos. Analisar como apesar da divisão ou fragmentação do trabalho, das economias, prevalecem aspectos da globalização. •

CONTEÚDOS
O antigo mundo bipolar e a Guerra Fria

Sistema capitalista e sistema nacionalista

O mundo multipolar

Um mundo fragmentado, porém globalizado

111

de fenômenos naturais, de processos histtórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas

• • • •

Identificar a existência de vantagens comparativas ou semelhanças entre os países que os fazem reunirem-se em blocos. Analisar como estes blocos podem tornar os países mais competitivos e proporcionar uma melhor inserção no mercado mundial. Identificar como as fronteiras nas economias mundiais se tornaram praticamente sem efeito com o processo de globalização.

A formação dos grandes blocos regionais

Analisar como a globalização da economia interfere nas sociedades, especialmente na brasileira, destacando seus benefícios e dificuldades.

112

HABILIDADES
• • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • •

Relacionar a revolução tecnológica e as mudanças no mercado de trabalho mundial. Relacionar os fatores advindos da globalização com as mudanças no mercado do trabalho. Conhecer as principais experiências de blocos regionais no mundo. Identificar as principais características dos países que se organizam em blocos regionais. Identificar os critérios para constituição da regionalização do espaço.

Globalização, revolução tecnológica e emprego A regionalização do mundo contemporâneo Como regionalizar o espaço geográfico mundial Países desenvolvidos e subdesenvolvidos (Em desenvolvimento) Ocupação e povoamento da América Latina e Anglo-saxônica A exploração colonial e o entrave ao desenvolvimento Monoculturas de exportação e exploração da terra

Identificar e conhecer os fatores determinantes para a ocorrência de países com diferentes graus de • desenvolvimento. Identificar e mapear as experiências de colônias de povoamento e exploração no continente • americano. Identificar as características essências de cada modelo de colonização. Analisar as conseqüências da herança colonial para o atual estágio de desenvolvimento dos países emergentes, contrapondo à realidade das colônias de povoamento. Identificar o reflexo das monoculturas no mercado nacional, bem como o impacto para ambiente. Analisar os benefícios e problemas decorrentes das monoculturas de exportação.

• •

Analisar os avanços tecnológicos e destacar a influência da mídia, como elemento de influência na • construção do imaginário social, percebendo-a como agente de estímulo à migração entre regiões.

A revolução econômica tecnológica e a formação do espaço global

113

2º SEGMENTO – 4º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - GEOGRAFIA
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS

Identificar a Guerra Fria como uma bipolarização política, ideológica e militar que afetou todo o mundo contemporâneo. Identificar os principais blocos econômicos e os novos pólos de poder econômico. Identificar e discutir a supremacia do Grupo dos Oito (G8) no poder econômico, militar e científicotecnológico. Identificar o significado no Mercosul para as economias Sul-americanas. Relacionar a hegemonia mundial americana com a desagregação do socialismo no Leste Europeu. Identificar a Rússia como país de destaque na porção centro-oriental da Europa. Interpretar as transformações ocorridas no Leste Europeu, o processo de crise e desintegração da antiga URSS, e a relevância destes acontecimentos para a atual configuração do Leste Europeu. Relacionar a hegemonia mundial americana com a desagregação do socialismo no Leste Europeu. Relacionar a revolução tecnológica e as mudanças no mercado de trabalho mundial. Relacionar os fatores advindos da globalização com as mudanças no mercado do trabalho. Descrever as desigualdades regionais nos países europeus no ponto de vista étnico-cultural, e no socioeconômico e explicar os objetivos da União Européia. Identificar os principais fatores que fizeram a China se tornar uma potência mundial. Caracterizar a China como uma potência demográfica, econômica e política.

Os blocos econômicos e os novos pólos de poder econômico

Continente europeu

Globalização e União Européia

Aspectos gerais da China

114

• •

Identificar o papel econômico do Japão no quadro mundial, sua área de influência e seus problemas atuais. Analisar o atual patamar de desenvolvimento japonês relacionando-o às suas características físicas.

Aspectos gerais do Japão

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS

Destacar a importância do petróleo para a economia dos países do Oriente Médio e do mundo. Identificar a relação entre os interesses de países produtores de petróleo, e a dificuldade de pesquisa e utilização de fontes “limpas” de energia. Identificar os fatores históricos que originaram a latente rivalidade entre Palestina e Israel. Compreender a importância dos interesses econômicos e religiosos na manutenção desta rivalidade.

Importância do petróleo para a economia do Oriente Médio Palestina X Israel

• • • • •

Relacionar os conflitos de interesses das nações “poluidoras” com a necessidade de revisão do • modelo de desenvolvimento mundial, com vistas ao desenvolvimento sustentável. Pesquisar as principais características das fontes alternativas de geração de energia, identificando os fatores que dificultam a sua implementação. Relacionar as experiências bem sucedidas para o desenvolvimento sustentável com ênfase em processos adotados no Brasil.

Desenvolvimento Sustentável

115

Construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histtórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas

• • • •

Identificar as principais características da colonização norte-americana. Relacionar o modelo de desenvolvimento norte-americano com a situação de desenvolvimento de seus principais parceiros comerciais. Identificar traços da americanização na cultura brasileira. Analisar a posição de liderança dos Estados Unidos e sua relação com os países em desenvolvimento.

Aspectos sociais, políticos, econômicos e científicos dos EUA

116

• • •

Identificar os fatores que motivam problemas ambientais como Aquecimento Global e destruição da • Camada de Ozônio. Relacionar os problemas ambientais com os elementos: solo, clima, água e ar. Identificar a posição do Brasil na questão ambiental, no contexto mundial.

Questões ambientais globais: Efeito estufa, Aquecimento global e camada de ozônio

117

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Língua Portuguesa – 3º Segmento

Considerando o percurso histórico do componente curricular de Língua Portuguesa na Educação de Jovens e Adultos e confrontando esse percurso com a situação do analfabetismo funcional no Brasil, temos grandes dificuldades: o pouco estímulo à leitura, o baixo desenvolvimento que envolve o processo de leitura e o de elaboração de textos e a precariedade da oralidade em processos de escuta e fala. A Lei n° 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, em seu art. 3° inciso I, estabelece a “Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola”, em consonância com a Constituição Federal de 1988, em seu art. 1° que diz: “ A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento de educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Nessa linha de pensamento, cabe ao Poder Instituído, nos Planos Nacionais e governamentais na área da educação, unir esforços para atender a clientela do 3° Segmento de EJA, oferecendo padrão de qualidade no processo de alfabetização plena do indivíduo. “A experiência mostra, segundo o Ministério da Cultura, que as nações avançadas produzem seus leitores em larga escala. Em todas elas, os fatores infra-estruturais envolvidos na geração de leitores revelam-se os mesmos: estímulo à leitura na família e na escola”. (texto: Brasil Analfabetizado, por Ricardo Tiezzi). De acordo com os últimos dados do Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional – INAF (2007), 75% dos brasileiros são considerados analfabetos funcionais. Destes, 8% são analfabetos absolutos, 30% lêem mais compreendem muito pouco e 37% entendem alguma coisa mas são incapazes de interpretar e relacionar informações.

118

Neste contexto, a Educação de Jovens e Adultos, em sua base legal e institucional, oferece acesso e permanência ao aluno de EJA, regularmente matriculado na Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, a participar do processo de alfabetização. Ampliando assim, a dimensão do uso da linguagem e da produção de saberes, evidenciando a cultura do letramento. No desenvolvimento construtivo da língua materna, como componente curricular, do 3° Segmento de EJA, é fundamental que o professor trabalhe a oralidade e a escrita, favorecendo a construção do pensamento crítico e o desenvolvimento das habilidades de comunicação. Permitindo com isso, a manifestação escrita dos alunos, por meio da produção de textos como: cartas, poesias, bilhetes e outros, evidenciando atividades pedagógicas lúdicas, na consolidação da alfabetização no ensino e aprendizagem. Enfatizando a importância do letramento como forma de expressão de idéias orais e escritas, contextualizadas às experiências do aluno, entendemos que, em sua vivência social, a Diversidade deve ser contemplada nos temas trabalhados no currículo, envolvendo a valorização de si mesmo, do outro, da aceitação das diferenças étnico-raciais e de gênero, na construção da cidadania. Inserido ao Sistema Público de Ensino, nas Instituições Educacionais estabelecidas, o aluno de EJA aprende a ter voz e fazer uso da palavra, estabelecendo, por meio da língua materna, relações de aprendizado, de inserção ao mundo do trabalho e participação segura e autônoma na sociedade letrada. Os cursos destinados à Educação de Jovens e Adultos devem oferecer a quem os procura a possibilidade de desenvolver as competências necessárias para a aprendizagem dos conteúdos escolares, bem como a possibilidade de aumentar a consciência em relação ao estar no mundo, ampliando a capacidade de participação social, no exercício da cidadania.

119

Na Educação de Jovens e Adultos, é importante que o aluno perceba que a Língua Portuguesa é um instrumento vivo, dinâmico, facilitador, com o qual é possível participar ativamente e essencialmente na construção da mensagem, em suas várias leituras e linguagens. Na dinâmica da produção do saber, o ato de comunicação, é, antes de tudo, uma prática social que se dá na interação com o outro, conscientizando o aluno de que, a tarefa da área de Língua Portuguesa, é estabelecer a cumplicidade entre ele, a palavra e a escrita.

120

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA
Letramento Diversidade intervenção na sociedade atual homem e sua capacidade de reflexão e O

HABILIDADES
• • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Recorrer aos conhecimentos sobre as linguagens dos sistemas de comunicação e informação para explicar problemas sociais e do mundo do trabalho. Posicionar-se criticamente sobre os usos sociais que se fazem das linguagens e dos sistemas de comunicação e informação. Relacionar informações veiculadas no cotidiano aos conhecimentos relativos à linguagem corporal, atribuindo-lhes um novo significado. Comparar as diferenciações morfológicas, semânticas, sintáticas e ideológicas de uma época para outra. Adequar a fala em função da reação dos interlocutores, levando em conta o ponto de vista do outro para acatá-lo, refutá-lo ou negociá-lo. Reconhecer as relações de sentido das palavras na leitura de textos (sentido conotativo e denotativo). Usar a intertextualidade no processo de construção do texto. Inferir o sentido de uma palavra ou de uma expressão considerando: o contexto, o universo temático e os elementos de coesão textual. Produzir e interpretar mensagens verbais e não-verbais. Identificar na linguagem do cotidiano, palavras que são de origem indígena, africana ou de outros grupos sociais estrangeiros que contribuíram para o enriquecimento cultural e social do país. Apontar as marcas próprias do texto literário e estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político.

Língua, linguagem e fala Linguagem verbal e não-verbal Variações lingüísticas Níveis de linguagem Elementos da comunicação Funções da linguagem Textos literários e não-literários Redação oficial tipologia textual Narrativo Descritivo gêneros literários Conto Crônica Soneto movimentos literários Trovadorismo Humanismo Classicismo Literatura informativa (jesuítica) Barroco Arcadismo

121

Letramento Diversidade

intervenção na sociedade atual homem e sua capacidade de reflexão e O

HABILIDADES
• • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • •

Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário com os contextos de produção, para atribuir significados de leituras críticas em diferentes situações. Analisar as intenções dos autores na escolha dos temas, das estruturas, dos estilos, gêneros discursivos e recursos expressivos como procedimentos argumentativos. Identificar a presença de valores sociais e humanos atualizáveis e permanentes no patrimônio literário nacional. Distinguir, em textos de diferentes gêneros, temas, macroestruturas, tipos, suportes textuais, formas e recursos expressivos. Relacionar textos ao seu contexto de produção/recepção histórico, social, político, cultural, estético. Reconhecer a importância do patrimônio lingüístico para a preservação da memória e da identidade nacional. Identificar, em um texto, os mecanismos lingüísticos utilizados na construção da argumentação. Analisar a relação entre preconceitos sociais e usos da língua, construindo, a partir da análise lingüística, uma visão crítica sobre a variação social e regional. Reconhecer que as concepções filosóficas desenvolvidas nas idades Antiga e Média influenciam a produção literária contextualizada do barroco e do arcadismo. Compreender que, a partir da leitura de poemas, a poesia lírica enraíza-se na revelação e no aprofundamento do “eu” lírico, distinguindo-se do texto narrativo e dramático.

Emprego das classes gramaticais Noções de fonética Semântica Ortografia e acentuação sintaxe Frase, oração e período Sintaxe do período simples (termos essenciais, integrantes e acessórios)

122

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA HABILIDADES CONTEÚDOS

123

Letramento Diversidade

O homem e sua capacidade de reflexão e

• • • • • • • • • • • • • •

Recorrer aos conhecimentos sobre as linguagens dos sistemas de comunicação e informação para explicar problemas sociais e do mundo do trabalho. Posicionar-se criticamente sobre os usos sociais que se fazem das linguagens e dos sistemas de comunicação e informação. Relacionar informações veiculadas no cotidiano aos conhecimentos relativos à linguagem corporal, atribuindo-lhes um novo significado. Comparar as diferenciações morfológicas, semânticas, sintáticas e ideológicas de uma época para outra. Adequar a fala em função da reação dos interlocutores, levando em conta o ponto de vista do outro para acatá-lo, refutá-lo ou negociá-lo. Reconhecer as relações de sentido das palavras na leitura de textos (sentido conotativo e denotativo). Usar a intertextualidade no processo de construção do texto. Inferir o sentido de uma palavra ou de uma expressão considerando: o contexto, o universo temático e os elementos de coesão textual. Produzir e interpretar mensagens verbais e não-verbais. Identificar na linguagem do cotidiano, palavras que são de origem indígena, africana ou de outros grupos sociais estrangeiros que contribuíram para o enriquecimento cultural e social do país. Identificar, em manifestações culturais individuais e/ou coletivas, elementos estéticos, históricos e sociais. Identificar categorias pertinentes para a análise e interpretação do texto literário e reconhecer os procedimentos de sua construção. Apontar as marcas próprias do texto literário e estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político. Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário com os contextos de produção, para atribuir significados de leituras críticas em diferentes situações.

• • • • • • • • • • • • • • • • • • •

intervenção na sociedade atual

Leitura e interpretação de textos cotidianos (jornais, revistas, bulas de remédio, contas de água, luz...) Narração Descrição Dissertação Prática e produção de textos orais e escritos Modalidades do discurso Tipologia textual Intertextualidade – paráfrase, paródia e epígrafe Vícios de linguagem Literatura romantismo realismo parnasianismo naturalismo simbolismo Morfossintaxe pontuação concordância nominal período composto por coordenação

HABILIDADES

CONTEÚDOS

124

• • • • • • • • •

Analisar as intenções dos autores na escolha dos temas, das estruturas, dos estilos, gêneros discursivos e recursos expressivos como procedimentos argumentativos. Identificar a presença de valores sociais e humanos atualizáveis e permanentes no patrimônio literário nacional. Distinguir, em textos de diferentes gêneros, temas, macroestruturas, tipos, suportes textuais, formas e recursos expressivos. Relacionar textos ao seu contexto de produção/recepção histórico, social, político, cultural, estético. Reconhecer a importância do patrimônio lingüístico para a preservação da memória e da identidade nacional. Identificar, em um texto, os mecanismos lingüísticos utilizados na construção da argumentação. Analisar a relação entre preconceitos sociais e usos da língua, construindo, a partir da análise lingüística, uma visão crítica sobre a variação social e regional. Reconhecer que as concepções filosóficas desenvolvidas nas idades Antiga e Média influenciam a produção literária contextualizada do barroco e do arcadismo. Compreender que, a partir da leitura de poemas, a poesia lírica enraíza-se na revelação e no aprofundamento do “eu” lírico, distinguindo-se do texto narrativo e dramático.

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - LÍNGUA PORTUGUESA

125

Letramento Diversidade

O homem e sua capacidade de reflexão e intervenção na sociedade atual

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Estrutura do texto Tipologia textual Intertextualidade Dissertação e modalidades de discurso Literatura: pré-modernismo modernismo pós-Modernismo Mecanismos discursivos e lingüísticos de coesão e coerência textuais conforme o gênero e os propósitos do texto

Desenvolver a argumentação através de um pensar sistemático e ordenado. • Compreender e transmitir os diversos tipos de mensagens existentes, a saber, visuais, escritas, • ouvidas e lidas. • Interagir com pessoas que possuem pensamentos e opiniões diferentes sobre certo tema. • Falar, ouvir e escrever sobre assuntos de diversas áreas do conhecimento. • Identificar temas e idéias centrais dos textos. • Organizar, identificar e relacionar informações de textos. Estabelecer relações entre as informações de um determinado tema e seus próprios conhecimentos. Avaliar, reestruturar e corrigir o próprio texto. Verificar as razões que levam alguém a produzir obras literárias. Fazer questionamentos em relação ao texto literário e seus próprios conhecimentos. Estabelecer relação entre os textos literários. Analisar de forma crítica o estilo dos autores. Estabelecer relação entre os acontecimentos da época em que os textos foram produzidos e os fatos vivenciados no cotidiano;Verificar as razões que levam alguém a produzir obras literárias. • Fazer questionamentos em relação ao texto literário e seus próprios conhecimentos. • Estabelecer relação entre os textos literários. • Analisar de forma crítica o estilo dos autores. • Estabelecer relação entre os acontecimentos da época em que os textos foram produzidos e os fatos • vivenciados no cotidiano. Identificar os elementos que compõem o funcionamento e a organização da Língua Portuguesa. Visualizar-se como emissor de diversos enunciados lingüísticos. Conhecer as classificações existentes na Língua Portuguesa. Estabelecer relação entre os conhecimentos gramaticais e o uso da língua. Reconhecer que a construção da própria identidade se dá através de fatos lingüísticos e que esses estão intimamente relacionados à gramática.
• • •

Prática de análise lingüística Orações subordinadas Regência verbal e nominal Crase Concordância verbal

126

Currículo da Educação de Jovens e Adultos LEM - Inglês

A Educação de Jovens e Adultos – EJA, visa transcender aspectos de caráter essencialmente profissional das relações de trabalho e buscar uma formação mais ampla, fundada em princípios éticos e humanitários. Essa educação deve ser, ao mesmo tempo, instrumento de construção da cidadania e meio de inserção do aluno ao mercado de trabalho. Segundo Vygostky (2003), “a motivação é um dos fatores principais não só para o sucesso da aprendizagem, como também na aquisição de uma língua estrangeira”. Nas metodologias de construção do processo pedagógico, as atividades lúdicas no ensino da língua estrangeira, vem promover essa motivação, imaginação e a transformação do aluno em relação ao seu objeto de aprendizagem , além de serem facilitadores do relacionamento e das vivências dentro da sala de aula. Neste contexto, o uso das tecnologias no ambiente escolar, associadas ao desenvolvimento intelectual, vem ampliar e oferecer subsídio para um aprendizado integrado à sociedade do conhecimento e ao mundo globalizado. Assim, através de atividades interativas e utilizando meios tecnológicos, em sua organização pedagógica, o professor terá elementos para promover num ambiente de multimídia educativo, dinâmicas para uma aprendizagem eficiente. Para Lévy (1999, p. 172), ao prolongar determinadas capacidades humanas, as tecnologias intelectuais como suporte digital redefinem seu alcance, seu significado e, algumas vezes, até mesmo a sua natureza. O estudo da Língua Inglesa, torna-se importantíssimo, como parte integrante do currículo da Educação de Jovens e Adultos, capacitando e qualificando o jovem e adulto trabalhador em suas reais necessidades para o ingresso ao mundo do

127

trabalho. Ainda assim, contribui para abrir os horizontes desse aluno para outras culturas e para a compreensão de sua própria identidade. Num mundo em rápida e crescente evolução, é necessário construir na Educação de Jovens e Adultos, no ensino da Língua Inglesa, a cultura da Diversidade. Formar novas consciências e sujeitos autônomos, consolidar valores éticos e padrões de superação e promoção, reavaliar posturas de aceitação das diferenças e redefinir ações pedagógicas é primordial para a construção do ser consciente e equilibrado. Para que este processo se efetive, é fundamental lembrarmos da importância do desenvolvimento do aluno letrado. Através da língua materna, na alfabetização plena do aluno e em suas ações no letramento, nos diversos tipos de leituras e linguagens, certamente a Língua Inglesa será mais um meio na prática da construção da socialização e da cidadania. Cabe ao professor se engajar nesse trabalho, de forma aberta, dinâmica e atual, buscando adquirir novas competências, a fim de desenvolver as suas atividades pedagógicas para a promoção do sucesso escolar. Sucesso do aluno, sucesso do professor, da Instituição Educacional, da comunidade e sociedade como um todo. Enfim, o sucesso da alfabetização, do resgate do ser pleno, por meio da educação. Nessa linha de pensamento, nos postulados da pedagogia freireana, reforçamos nossas ações, em busca da educação de qualidade, na alfabetização conscientizadora. Nessa perspectiva Freire (1986) nos esclarece: "Educar e educar-se, na prática da liberdade, é tarefa daqueles que pouco sabem - por isto sabem que sabem algo e podem assim chegar a saber mais - em diálogo com aqueles que, quase sempre, pensam que nada sabem, para que estes, transformando seu pensar que nada sabem em saber que pouco sabem, possam igualmente saber mais". (1986, P. 26-27).

128

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – LEM INGLÊS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

129

Letramento Diversidade

informationUnderstand and use the English language as a way to access a variety of

• • • • • • • •

Utilizar a leitura não como um processo linear que exige o entendimento de cada palavra. Reconhecer temas de textos em LEM e inferir sentidos de vocábulos e expressões neles presentes. Identificar as marcas em um texto em inglês que caracteriza sua função e seu uso social, bem como seus autores/ interlocutores e suas intenções. Utilizar os conhecimentos básicos de inglês e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informações, tecnologias e culturas. Conhecer e aplicar vocabulário referente a números cardinais e ordinais. Identificar ausência, existência, posição e qualidade de seres e objetos. Trocar informações sobre ações no presente e ações contínuas. Fornecer e obter informações sobre dados pessoais, tais como: nome, idade, profissão, rotina, esporte, número de telefone, endereço, nacionalidade, membros da família e preferências.

• • • • • • • • • • •

Instrumental reading Text comprehension Greetings Verb to be (simple present) Demonstrative pronouns Cardinal e ordinal numbers Verb there to be Simple present Present continuous Prepositions of places Interrogatives words

130

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – LEM INGLÊS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

131

Letramento Diversidade

informationUnderstand and use the English language as a way to access a variety of

• • • • • •

Identificar o possuidor de objetos e a relação entre seres. Relacionar na análise e na compreensão do texto, informações de outras fontes de referências (ilustrações, fotos, gráficos e tabelas). Usar a linguagem para opinar, sugerir, pedir e proibir. Trocar informações sobre o passado, com uma data definida, utilizando estruturas afirmativas, negativas e interrogativas. Trocar informações sobre planos para o futuro, tais como: finais de semana, feriados e férias. Identificar vocábulos da Língua Inglesa, relacionando-os e associando-os com os da língua Materna, dentro do seu universo socioeconômico e cultural, com base no próprio conhecimento de mundo.

• • • • • • • • •

Genitive case Text comprehension Prepositions Imperative Adjective and possessive pronouns Plural of nouns Simple past (regular e irregular verbs) Will and going to How much and how many

132

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – LEM INGLÊS

HABILIDADES

CONTEÚDOS

133

Letramento Diversidade

informationUnderstand and use the English language as a way to access a variety of

• • • • • • • •

Inferir o sentido de uma palavra ou expressão, considerando o contexto, o universo temático, as estruturas morfológicas. Compreender que a língua cria e vincula uma visão do mundo. Usar a intertextualidade no processo de produção de sentido do texto. Usar a linguagem para comparar e classificar. Trocar informações sobre ações no passado sem uma data definida. Expressar ações reflexivas. Perceber que diferentes combinações de palavras resultam em novos significados. Exteriorizar e socializar conhecimentos adquiridos.

• • • • • • • • • •

Instrumental reading Text comprehension Review of verbs Comparative vs superlatives of adjectives Present perfect Reflexive, relative and indefinites pronouns Adverbs Modal verbs Conditional tense Tag questions

134

135

Currículo da Educação de Jovens e Adultos LEM -Espanhol

A oferta do ensino de língua espanhola tornou-se obrigatória através da lei no. 11.161, de 5 de agosto de 2005, nos currículos plenos do Ensino Médio, sendo facultada a inclusão desse idioma nos currículos do ensino fundamental de 5ª a 8ª séries. Apesar disso e do crescente interesse por parte dos alunos pelo espanhol, a possibilidade de escolha dessa língua estrangeira ainda é restrita nas escolas públicas do Distrito Federal, ficando a sua oferta, na maior parte das vezes, a cargo dos Centros Interescolares de Línguas. Porém, não se extrapolou o prazo de cinco anos estabelecido pela citada lei para a implantação do ensino desse idioma, e a elaboração do conteúdo básico, assim como das competências e habilidades para esse componente na Educação de Jovens e Adultos, vem abrir mais espaço para a atuação de professores habilitados que desejem trabalhar com o espanhol ou dar continuidade a algum trabalho já existente na rede pública de ensino do Distrito Federal. O espanhol é hoje a quarta língua mais falada no mundo e a segunda em termos de importância política, sendo que sua difusão e relevância vêm crescendo a cada dia, inclusive em países cuja língua oficial é o inglês. No Brasil isso tem acontecido devido ao estreitamento de suas relações com os países fronteiriços que surgiu, principalmente, depois do início do processo de implantação do Mercosul. Porém, independentemente dos mecanismos econômicos que visam à integração das nações, o fato de sermos um país de língua portuguesa cercado por países cujo idioma é o espanhol já é o bastante para admitir-se a necessidade imperiosa do intercâmbio cultural que vem tomando forma nos últimos anos. Com os avanços tecnológicos e a constante evolução da Internet, o processo de ensino/aprendizagem tem se transformado e se tornado mais ágil. As possibilidades de uso de meios de comunicação no ensino de línguas se ampliam a cada dia, o que permite ao profissional de LEM um acesso mais amplo a recursos que antes eram restritos a poucos. Esse hábito crescente em todas as esferas sociais pode ser um meio

136

excelente de estímulo a um estudo mais divertido e coerente com o caráter e o desenvolvimento cognitivo das novas gerações. No âmbito de EJA, as possibilidades que permitirão um estudo efetivo e significativo da língua espanhola são inúmeras e plenamente realizáveis, dependendo, para tal, do compromisso e interesse dos atores envolvidos no processo de ensino/aprendizagem, mas principalmente daqueles que podem, imbuídos do espírito de suas propostas pedagógicas, oferecer ao aluno a abertura de portas a outros mundos. Dessa forma, ao aprender uma língua estrangeira o aluno deve perceber que ele não está apenas aprendendo a comunicar-se em um idioma diferente do seu, mas também construindo a sua formação como cidadão consciente e crítico, uma vez que a língua estrangeira estará abrindo novos horizontes ao seu pensamento, tanto no âmbito social e cultural como político. A intenção aqui almejada é fazer com que o aluno, se perceba como um cidadão de um mundo diversificado e heterogêneo, adotando uma postura crítica e comunicativa entre os diversos conteúdos abordados no curso, de maneira que se desenvolvam as competências recomendadas pelo MEC nas Orientações Curriculares para o Ensino Médio (2006), no componente currícular Espanhol, que são: a (inter)pluriculturalidade, a competência comunicativa, a compreensão oral, a produção oral, a compreensão leitora e a produção escrita sem perder de vista a ludicidade da aprendizagem e a construção da cultura da Diversidade no processo educacional. Entendemos, porém, que estas recomendações não se findam aqui e, sabemos que ao ter conhecimento da grandiosidade cultural de uma língua, o aluno é motivado a ser mais exigente, a medida que ele entende e interpreta a sua própria língua. Isso o levará a um estudo mais profundo, fazendo analogias com os conhecimentos já adquiridos o que promoverá um ganho a todos os envolvidos no processo educacional do aluno: pais, professores e sociedade, além de promovê-lo como ser humano. Assim, sugerimos a interdisciplinaridade com os demais componentes do currículo para maior alcance das estratégias educacionais e constitutivas de uma cidadania que é de suma importância para o letramento e a formação do aluno. 137

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – LEM ESPANHOL

HABILIDADES

CONTEÚDOS

138

Letramento Diversidade

resión de deseos, dudas y posibilidad; Hipótesis y razonamientos; El mundo y la sociedad; Vida y medio ambiente.

• • • • • • • • • • • • •

Inserção da língua e cultura espanhola e hispanoamericana. Demonstrar a importância do estudo de LEM- Espanhol num mundo globalizado. Conhecer os países hispanofalantes, localizá-los nos continentes e identificar suas capitais. Promover diálogos orais e escritos sobre apresentações. Criar diálogos telefônicos simulando situações concretas de uso da língua. Reconhecer as letras do alfabeto e formar palavras. Questionar sobre a existência e localização de pessoas, objetos, animais e outros. Interar-se sobre as diversas nacionalidades e lugares de origem. Perguntar sobre profissões e lugares de trabalho. Aplicar de maneira correta em textos orais e escritos os artigos definidos e indefinidos, masculinos e femininos, em singular e plural. Identificar aonde são vendidos: roupas, sapatos, comidas, bebidas e outros estabelecimentos comerciais. Aplicar de maneira correta os verbos em presente de indicativo em textos orais e escritos. Aplicar de maneira correta e com intenção de comunicar-se , verbos que expressam ações cotidianas como levantar-se, banhar-se, barbear-se e etc.

• • • • • • • • • • • • • • •

Saudações e apresentações O alfabeto Pronombres pessoais Os interrogativos Verbos auxiliares: Ser, Estar, Haber, Tener em Presente de Indicativo. Ofícios e profissões. Gentílicos Artigos definidos e indefinidos. As contrações. Gênero e número de substativos e adjetivos. Antônimos: substantivos, adjetivos e verbos. Expressões ao telefone. Os numerais Usos de “Hay e Tener”. Vocabulário de partes da casa. Vocabulário de lojas e comércios/ cidade.

139

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – LEM ESPANHOL HABILIDADES CONTEÚDOS

140

Letramento Diversidade

resión de deseos, dudas y posibilidad; Hipótesis y razonamientos; El mundo y la sociedad; Vida y medio ambiente.

• • • • • • • • • • • • • • • • • •

Empregar de maneira correta os verbos pronominais. Reconhecer o Pretérito Perfeito Composto em textos orais e escritos, em situações passadas, ainda relacionadas com o presente. Narrar oralmente e por escrito acontecimentos no passado recente utilizando os marcadores temporais do Pretérito Perfeito Composto. Reconhecer e empregar o Pretérito Indefinido em textos orais e escritos. Narrar situações passadas utilizando os marcadores temporais do Pretérito Indefinido. Ouvir e ler biografias de personalidades. Reconhecer o Pretérito Imperfeito em textos orais e escritos. Descrever situações passadas utilizando os marcadores temporais do Pretérito Imperfeito. Ouvir, ler e narrar oralmente e por escrito biografias de personalidades. Ampliar processualmente os conhecimentos históricos e culturais de países hispanofalantes.Ouvir, ler e narrar oralmente e por escrito biografias de personalidades. Ampliar processualmente os conhecimentos históricos e culturais de países hispanofalantes. Substituir em produções orais e escritas, os complementos diretos e indiretos pelos pronomes equivalentes. Expressar oralmente e por escrito ações em futuro imediato usando ir + a. Expressar oralmente e por escrito ações em desenvolvimento com o verbo em gerundio. Ler e produzir textos relacionados com partes do corpo e doenças. Perguntar e responder questões utilizando o verbo “doler” e o vocabulário das partes do corpo. Ouvir, ler e produzir textos sobre esportes, comparar a cultura local com a de países hispanofalantes. Reconhecer os desportistas famosos de países hispanofalantes.

• • • • • • • • • •

Verbos Gustar, Encantar, Parecer, Importar, Apetecer, Quedar, Doler, Fascinar e outros Pretérito Perfecto Compuesto e seus marcadores temporais Os participios passados regulares e irregulares Pretérito Indefinido e seus marcadores temporais Pretérito Imperfecto de Indicativo e seus marcadores temporais Formas não pessoais do verbo Complementos Diretos e Indiretos do Verbo Os indefinidos: adjetivos e pronomes Perífrases Verbais: IR + a + infinitivo e ESTAR + gerundio Vocabulário de partes do corpo, esportes e doenças

141

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – LEM ESPANHOL

HABILIDADES

CONTEÚDOS

142

Letramento Diversidade

resión de deseos, dudas y posibilidad; Hipótesis y razonamientos; El mundo y la sociedad; Vida y medio ambiente.

• • • • • • • • • • • • • • • •

Reconhecer e empregar o Futuro Imperfeito em textos orais e escritos. Prever situações futuras utilizando os marcadores temporais do Futuro Imperfeito do Indicativo. Reconhecer o Condicional Simples em textos orais e escritos. Expressar condição nas produções orais e escritas. Produzir textos orais e escritos expressando dúvidas e probabilidades. Reconhecer e empregar o Presente do Subjuntivo em textos orais e escritos. Expressar desejos, probabilidades e dúvidas. Manifestar desejo e/ou condição em situações pouco prováveis ou improváveis. Fazer comparações entre objetos, pessoas e ações usando os adjetivos em seus variados graus. Acentuar adequadamente as palavras. Separar as sílabas das palavras de acordo com a especificidade da língua espanhola. Ordenar, aconselhar, instruir, proibir . Seguir ou dar instruções de como preparar receitas de comidas típicas dos países hispanofalantes. Empregar de maneira correta palavras similares ao português em sua pronuncia,escrita e acentuação. Conhecer modelos de documentos pessoais de países hispanofalantes. Simular situações que envolvam a utilização desses documentos e preenchimento de formulários.

• • • • • • • • • • • •

Futuro de Indicativo: regulares e irregulares Si + Condicional: regulares e irregulares Presente do Subjuntivo regulares e irregulares e marcadores temporais Uso de Ojalá e Quizás Graus do adjetivo Acentuação Gráfica Heterotônicos, heterossemânticos e heterogênios Falsos cognatos O imperativo: afirmativo e negativo Uso de expressões e vocábulos similares ao português Vocabulário de comidas Vocabulário de documentos pessoais

143

144

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Arte – 3º Segmento

A promulgação da Lei nº 9394/96, incluindo o ensino da arte como área do conhecimento humano, representa o resultado de um processo importantíssimo rumo a ações educacionais produtivas e conscientes na formação intelectiva, afetiva e plena do aluno. A arte em suas diversas manifestações, inserida no universo escolar, é de fundamental importância no processo de formação do cidadão. Tem a função preponderante de conscientização social contribuindo na formação do indivíduo para que possa viver, conviver e trabalhar com autonomia e solidariedade. Portanto, a presente proposta curricular para a Educação de Jovens e Adultos das escolas públicas do Distrito Federal, em seu 3º Segmento, na EJA, estabelece princípios norteadores para a formação de valores, atitudes e comportamentos, consolidando a importância da vivência da Diversidade e o desenvolvimento do letramento, na construção do processo de alfabetização do indivíduo. A arte como área do conhecimento introduzida no meio escolar, possibilita ao indivíduo, o aprimoramento pessoal, social, produtivo e cognitivo preparando-o para interagir junto à realidade que o cerca e enfrentar os principais desafios da contemporaneidade. Considerou-se na elaboração do currículo da Educação de Jovens e Adultos o perfil da clientela que busca esta modalidade de ensino. Trata-se, basicamente, de indivíduos que, por motivos diversos, não puderam ingressar ou dar continuidade à educação básica regular na época adequada, entretanto, possuem uma bagagem cultural e de conhecimentos adquiridos na prática do trabalho e demais necessidades cotidianas. Com base nesta premissa, pretende-se com o ensino da arte, enquanto conteúdo curricular adequado ao amadurecimento e experiência do aluno, colaborar na transformação de cidadãos em verdadeiros agentes de transformações sociais.

145

O contato com os processos de produção e leitura das diferentes linguagens artísticas como o Teatro, as Arte Visuais e a Música, à nível nacional e mundial, favorece o desenvolvimento da sensibilidade estética do educando. Para tanto, o ensino da arte deve pautar-se na visualização da arte enquanto linguagem simbólica universal, produtora de significados dentro do processo histórico da construção humana, ao longo dos tempos. Ainda, a valorização da nossa cultura pelo conhecimento e apreciação das nossas raízes culturais, branca, índia e negra, pode contribuir para a formação integral dos alunos, conduzindo-os importância das linguagens artísticas identidade brasileira. Cabe ao professor, em sua prática pedagógica, reavaliar e reorganizar ações que propiciem um desenvolvimento pleno de seu aluno, readaptando métodos na ludicidade, possibilitando a inserção do ser letrado em seu contexto social, resgatando assim, a auto-estima do aluno rumo a autonomia e cidadania. Nessa abordagem, Cunha (2001, p.3), abre-nos os horizontes com novas perspectivas e possibilidades, escrevendo, “olhares sobre esta área do conhecimento que trabalha basicamente com a transformação, com a incerteza de modelos, com a investigação matérica e de linguagem, com a abertura ao inusitado”. como expressão máxima de emoções, pensamentos e valores humanos e sua importância na formação da

146

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE HABILIDADES
Letramento Diversidade A Arte como produto social e histórico
• •

CONTEÚDOS
Leitura e análise da obra de arte Elementos visuais: ponto, linha, forma, plano, volume, luz, textura, etc. • Contextualização histórica e cultural • pré-história: pré-colombiana, pré-história do Brasil; paleolítico, neolítico; pré-história do DF • Arte na Grécia, em Roma e na Idade Média • Renascimento • Cultura brasileira em relação à cultura mundial: aspectos da globalização, obra de arte e sua função • Cultura de massa • Cultura popular • Conceitos de obra de arte • Produção artística • produção, criação e análise de objetos artísticos relacionados aos aspectos das obras estudadas em suas devidas contextualizações e linguagens expressivas.
• •

Perceber as relações entre a forma e o conteúdo na produção artística. Apreciar esteticamente obras de arte analisando a organização e a estruturação dos elementos da linguagem visual (cor, linha, superfície, volume, luz, textura, ritmo, forma e outros). • Apropriar-se do conceito de estética de arte para compreender sua importância como instrumento de socialização, comunicação e humanização do indivíduo. • Entender as diferentes funções da arte na sociedade. • Estabelecer relação entre os conhecimentos em artes visuais e o pleno exercício da cidadania. • Conhecer os processos evolutivos da linguagem visual internacional e perceber suas conseqüências na produção visual brasileira. • Conhecer as profissões e a atuação dos profissionais da área de criação de imagens (artista plástico, marchand, arquiteto, desenhista gráfico, programador visual, diagramador, vitrinista, grafiteiros e outros), bem como seus processos (equipamentos, instrumentos, materiais, técnicas, suportes) e suas produções. • Compreender o papel do artista como cidadão, a contribuição de seu trabalho no processo de mudança e no avanço da sociedade. • Conhecer os elementos e componentes das linguagens audiovisuais (televisão, cinema, rádio) e das novas mídias (CD-ROM, home-page, dentre outras). • Analisar, criticar e comparar o fenômeno da globalização da arte e os conseqüentes reflexos no seu cotidiano artístico. • Reconhecer o campo de atuação, uso e acesso da linguagem audiovisual e das novas mídias no cotidiano e na comunidade. • Analisar imagens de novelas, propagandas, filmes e outros que trazem textos imagéticos e subtextos. • Distinguir os elementos que constituem a gramática visual (cor, linha, superfície, volume, luz, textura, ritmo, forma e outros) como elementos compositivos, formais, expressivos e simbólicos, na construção de imagens em suas produções.

147

HABILIDADES
• •

CONTEÚDOS

Conhecer técnicas, suportes e materiais diversos empregados na produção artística. Apropriar-se do conceito de estética e das questões que envolvem a estética para o aprofundamento da compreensão da obra de arte como linguagem expressiva. • Perceber a obra de arte e suas manifestações culturais como elementos de conscientização para uma ação transformadora. • Reconhecer o valor das diferentes culturas indígenas, negras e européias para formação da identidade nacional.

148

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - ARTE
Letramento Diversidade A Arte como produto social e histórico

HABILIDADES

CONTEÚDOS
Leitura e análise da obra de arte leitura e análise simbólica, estética e cultural: questões identitárias • Contextualização histórica e cultural • arte barroca: Europa e Brasil • neoclassicismo, realismo e romantismo • arte acadêmica brasileira • arte dos atuais índios no Brasil e arte africana • cultura brasileira e brasiliense em relação à mundial: aspectos da globalização, obras de arte e suas funções • Produção artística • produção, criação e análise de objetos artísticos relacionados aos aspectos das obras estudadas em suas devidas contextualizações e linguagens expressivas.
• •

Estabelecer relação entre forma e conteúdo, reconhecendo os sentidos e as expressões obtidos pela articulação dos elementos formais. • Perceber o reflexo da obra de arte e as manifestações culturais no seu cotidiano. • Perceber a obra de arte e manifestações culturais como elemento de conscientização para uma ação transformadora. • Experimentar as várias formas de estruturação e de organização de imagens, imprimindo, intencionalmente, idéias, emoções e experiências cotidianas. • Pesquisar e analisar as profissões e a atuação dos profissionais da área de criação de imagens (artista plástico, marchand, arquiteto, desenhista gráfico, programador visual, diagramador, vitrinista e outros) bem como seus processos (equipamentos, instrumentos, materiais, técnicas e suportes) e suas produções no país. • Investigar, conhecer e analisar as oportunidades oferecidas pelo mercado de trabalho a esses profissionais. • Estabelecer relação entre os conhecimentos em artes visuais e o pleno exercício da cidadania. • Identificar as artes visuais como forma de expressar anseios, protestos e denúncias. • Apropriar-se do conceito de estética e das questões que envolvem a estética para aprofundamento da compreensão da obra de arte como linguagem expressiva. • Perceber o papel do artista como cidadão e a atribuição de seu trabalho no processo de mudança e no avanço da sociedade. • Analisar o impacto do desenvolvimento científico, tecnológico e sociocultural no processo da produção visual (técnicas e materiais). • Avaliar a relevância de obras artísticas visuais para a formação do patrimônio cultural nacional. • Identificar, analisar e refletir os elementos e os componentes da linguagem audiovisual (televisão, cinema, rádio) e das novas mídias (CD-ROM, home-page e outros).

Analisar, refletir, criticar e comparar o fenômeno da globalização da arte e os reflexos no seu cotidiano artístico.

149

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – ARTE HABILIDADES
Letramento Diversidade A Arte como produto social e histórico

CONTEÚDOS
Leitura e análise da obra de arte composição visual: planos de obra de arte, linhas estruturais, simetria e assimetria; ritmos e espaço • Contextualização histórica e cultural: • impressionismo e pós-impressionismo: Brasil e Europa • modernismo europeu e brasileiro • arte contemporânea mundial com a vertente da multiculturalidade e interculturalidade. • arte africana e afrobrasileira • arte contemporânea de Brasília • Produção, criação e análise de objetos artísticos relacionados aos aspectos das obras estudadas em suas devidas contextualizações e linguagens expressivas.
• •

Apropriar-se do conceito de estética e das questões que envolvem a estética para aprofundamento da compreensão da obra de arte como linguagem expressiva. • Apreciar esteticamente obras de arte analisando a organização espacial dos elementos da linguagem visual, investigando os princípios da composição visual (equilíbrio, peso compositivo e regra das compensações, simetria, variedade e unidade), relações espaciais (superfície bidimensional e tridimensional, movimento espacial, proporções, configuração e forma, espaço negativo e positivo), interpretando o conteúdo expressivo em seus vários sentidos e significados. • Reconhecer técnicas, suportes e materiais diversos empregados na produção artística. • Refletir sobre o papel da arte na estruturação da sociedade e de seus avanços, bem como sua importância no processo de transformação política e ideológica. • Compreender o papel do artista como cidadão e o modo como contribui nos processos de mudança e de avanço da sociedade com seu trabalho que remete às condições do indivíduo e do coletivo nas diversas sociedades. • Reconhecer o valor das culturas indígenas, negras e européia para formação da identidade nacional. • Pesquisar e analisar e refletir os elementos e componentes da linguagem audiovisual (televisão, cinema e rádio) e das novas tecnologias(CD-ROM, home-page, entre outros). • Analisar, refletir, criticar e comparar o fenômeno da globalização da arte e os reflexos no seu cotidiano e na comunidade. • Identificar e analisar as profissões e os profissionais da área de criação de imagens, de divulgação, de crítica e de pesquisa, bem como seus processos (equipamentos, instrumentos, materiais, técnicas e suportes) e suas produções no país e no mundo. • Reconhecer e analisar as oportunidades oferecidas pelo mercado de trabalho a esses profissionais. • Organizar conhecimentos da história das artes visuais nos períodos entre o século XX e contemporaneidade, tendo como referência a arte desenvolvida no Brasil, relacionando-a com a latinoamericana e a européia, não necessariamente em ordem cronológica.

150

HABILIDADES

CONTEÚDOS

Compreender o papel do artista como cidadão e o modo como contribui nos processos de mudança e de avanço da sociedade com seu trabalho que remete às condições do indivíduo e do coletivo nas diversas sociedades. • Perceber a obra de arte e as manifestações culturais como elemento de conscientização para uma ação transformadora. • Estabelecer relação entre os conhecimentos em artes visuais e o pleno exercício da cidadania. • Identificar as artes visuais como forma de expressar anseios, protestos e denúncias. • Conhecer e documentar as manifestações culturais, locais e regionais. • Avaliar a relevância de obras artísticas visuais para a formação do patrimônio cultural nacional.

151

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Educação Física O desenvolvimento de uma proposta curricular de Educação Física para Educação de Jovens e Adultos – EJA constitui-se, simultaneamente, numa necessidade e num desafio. É preciso reconhecer que chegou o momento de olhar para esse segmento da sociedade brasileira e buscar novas formas de viabilizar o seu acesso a esse saber. Trata-se de ajustar os conteúdos a serem trabalhados aos interesses e possibilidades dos alunos de EJA, a partir de abordagens que contemplem a diversidade de objetivos. É importante lembrar que a maioria dos alunos de EJA estuda no período noturno e que, de acordo com a LDBEN nº 9.394/96, a Educação Física é facultativa nesses cursos: A Educação Física, integrada à proposta pedagógica da escola, é componente curricular da educação básica, ajustando-se às faixas etárias e às condições da população escolar, sendo facultativa nos cursos noturnos. (Art. 26, parágrafo 3). Nesse sentido, a escola de maneira geral e a Educação Física em particular podem colaborar, na medida em que mostram para os alunos os benefícios da prática regular de atividade física e constroem metodologias de ensino de maneira lúdica que propiciam a experimentação de atividades prazerosas, de tal modo que eles desejem continuá-las também fora da escola. Assim, espera-se que os alunos de EJA sejam capazes de assumir uma postura ativa na prática das atividades físicas e estejam conscientes da sua importância. As aulas de Educação Física devem discutir as mudanças no comportamento corporal decorrentes do avanço tecnológico e analisar seu impacto na vida do cidadão. Assim, o professor deve problematizar, interpretar, relacionar, compreender junto com os alunos as amplas manifestações de sua área de ensino, trabalhando a interdisciplinaridade, integrando as diversas áreas do conhecimento, propiciando assim, o desenvolvimento holístico do aluno.

152

O princípio da Diversidade precisa estar presente ao se buscar uma aprendizagem significativa, entendida aqui como a aproximação entre os alunos e o conhecimento construído pela cultura corporal de movimento ao longo do tempo. A cultura corporal de movimento caracteriza-se, entre outras coisas, pela diversidade de práticas, manifestações e modalidades. O conhecimento dessa cultura deve constituir-se num instrumento de compreensão da realidade social e humana do aluno. Neste sentido, é fundamental que seja garantido o acesso a informação variada e aos inúmeros procedimentos e recursos para obtê-la. A Educação Física escolar apresenta uma diversidade de formas de abordagem para a aprendizagem. O papel do professor é de mediador, garantindo espaço para que os alunos tenham voz ativa e possam caracterizar a aprendizagem segundo suas necessidades. A relação de aproximação, apreensão, crítica e recriação da produção dos alunos ocorre assim num contexto realista e político. De acordo com a concepção freiriana, não existe educação neutra, e os conteúdos precisam estar ligados à realidade, desenvolvidos de maneira não-mecânica, sempre buscando uma reflexão, priorizando a qualidade de vida, a expressividade através do letramento e indo ao encontro das expectativas do aluno. Não se pode perder de vista que os alunos estão inseridos numa cultura, trazem suas vivências próprias e são regidos por uma organização política e social. Isso cria a necessidade de olhar para a Educação Física como um componente curricular comprometido com o desenvolvimento da consciência crítica, capaz de estabelecer um canal para o desvelamento da realidade.

153

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE
COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FISÍCA

HABILIDADES

CONTEÚDOS

154

Letramento Diversidade

Histórico da Educação Física; Atividade física e vida saudável; Jogos cognitivos – Tabuleiro

Compreender, transferir e aplicar conceitos e vivências de atividade física abordadas na escola, para os momentos de lazer e trabalho, de forma a melhorar a própria condição de vida e a do outro.

  

Entender o processo de funcionamento do organismo humano. Saber reinterpretar as normas estabelecidas para a realização de eventos inerentes a Educação Física, com vistas à integração dos indivíduos em atividades que proporcionem a participação solidária.


Posicionar-se criticamente, em face das orientações e recomendações contidas em bulas, vídeos, rótulos, manuais e outros textos relativos ao consumo de medicamentos, suplementos alimentares, equipamentos, que relacionam a prática da atividade física à saúde do individuo. Compreender a importância da Educação Física no processo de preservação do meio ambiente como um dos principais fatores para a melhoria da qualidade de vida no planeta.

Educação Física através dos tempos Das antigas civilizações até a atualidade: pré-história: atividade como meio de sobrevivência e surgimento de modalidades e ferramentas (o lançamento da pedra e da lança utilizados na caça e posteriormente ligados ao surgimento do arremesso de peso e lançamento do dardo...) Grécia antiga: características da prática durante o período dos gregos e romanos e sua colaboração para o surgimento dos jogos. a Educação Física no Brasil: sua chegada, prática pelos índios e negros e a colaboração desse na história da Educação Física. Evolução da Educação Física no Brasil: principais características da Educação Física no Brasil, interesses políticos e econômicos em sua manutenção, e aspectos relacionados às discriminações (de classe, raça, sexo...) fases da Educação Física: Fase Higienista, Fase da Militarização, Fase da Pedagogização, Fase Competitivista... (características de cada fase, sua importância no processo de construção da Educação Física no Brasil, e sua relação com a Educação Física hoje).

 

155

Educação Física na Educação de Jovens e Adultos: normas e diretrizes, características do componente para o público envolvido e elementos abordados durante as aulas de Educação Física na EJA. Benefícios da prática de atividades físicas: importância da atividade física (preventiva, terapêutica e de qualidade de vida) orientações para sua prática saudável estilos de vida e doenças relacionadas (sedentarismos, obesidade, doenças cardíacas...) Atividade física na prevenção de doenças do trabalho vAlimentação saudável: sugestões para obtenção de uma vida saudável pela alimentação a nova Pirâmide dos Alimentos: importância dos grupos alimentares associados à prática da atividade física.

 

 

 

156

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FISÍCA HABILIDADES CONTEÚDOS

157

Letramento Diversidade

Histórico da Educação Física; Atividade física e vida saudável; Jogos cognitivos – Tabuleiro


• • • •

Posicionar-se criticamente, em face das orientações e recomendações contidas em bulas, vídeos, rótulos, manuais e outros textos relativos ao consumo de medicamentos, suplementos alimentares, equipamentos, que relacionam a prática da atividade física à saúde do individuo. Compreender a importância da Educação Física no processo de preservação do meio ambiente como um dos principais fatores para a melhoria da qualidade de vida no planeta. Aplicar a informática nos diversos seguimentos da Educação Física. Identificar e compreender a importância da prática da Atividade Física regular, como fator fundamental na manutenção da saúde física, mental e social; Compreender que a prática efetiva da Educação Física Escolar é dever da escola e direito inalienável do cidadão; Identificar, no contexto histórico-social, as diversas modalidades de execução das atividades corporais.

Esporte e sociedade: as várias definições de esporte e sua ligação com a sociedade O que é esporte e sua evolução Esporte antigo e esporte moderno Esporte e corpo: o corpo envolvido no esporte e na sociedade; o esporte na construção de ideais de corpo Esporte e mídia: a influência da mídia no esporte, a representação de heróis e ídolos pela mídia. A importância do esporte: definições e características: Esporte de rendimento Esporte e recreação Esporte e lazer Esporte participativo Esporte e qualidade de vida Brincadeira, recreação e jogo: conceitos, características. A importância de suas práticas no desenvolvimento dos domínios cognitivo, afetivo, motor e social: Elaboração de atividades: estratégias de equipe, regras combinadas, integração pelas práticas, solução de problemas

Oficina de atividades: aplicação prática das atividades desenvolvidas.

158

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - EDUCAÇÃO FISÍCA HABILIDADES CONTEÚDOS

159

Letramento Diversidade

Histórico da Educação Física; Atividade física e vida saudável; Jogos cognitivos – Tabuleiro

• • • •

 Educação Física e o Mercado de Trabalho: Compreender e identificar, na prática corporal, mecanismos reguladores da saúde física; Perspectivas e possibilidades de área em Compreender a importância da alimentação saudável como forma de manutenção da saúde e melhoria seus diversos ramos. da qualidade de vida;  Gestão de eventos: Conhecer, identificar e saber utilizar os procedimentos necessários a uma intervenção em caso de organização de competições socorros de urgência; elaboração de projetos (sociais, Compreender a importância do treinamento físico-desportivo, não só na descoberta de possíveis culturais e esportivos) talentos como também como elemento de interação social e produção do conhecimento científico  Aplicação prática do conteúdo abordado: organização, elaboração e realização de evento:  Rua de lazer, gincana, jogos interclasse..  O xadrez no auxílio da cognição, raciocínio lógico e solução de problemas:  Continuação do conteúdo trabalhado de forma interdisciplinar.

160

161

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Matemática – 3º Segmento O conhecimento da Matemática sempre foi de fundamental importância para o desenvolvimento da humanidade, e isso tem sido comprovado ao longo da nossa existência. Desde os primórdios que o grau de avanço, ou poder de uma sociedade estava condicionado nível dos conhecimentos matemáticos que tal sociedade detinha. A Matemática era usada para explicar, conhecer, representar e lidar com a natureza e ainda hoje está relacionada a vários aspectos da sociedade como a economia, a política, aos avanços tecnológicos. Também, cada vez mais está presente no cotidiano das pessoas. Por isso, o conhecimento matemático, não isoladamente, ajuda o cidadão a compreender o mundo que o cerca. É consenso que aprender matemática é uma necessidade e fundamental para que o indivíduo possa exercer a cidadania, pois faz parte do dia-a-dia das pessoas saber calcular, medir, raciocinar, argumentar, interpretar dados estatísticos. Então, para contribuir na boa formação desse cidadão, o ensino da Matemática não poderá ter como foco a memorização de regras, e, sim na apropriação dos conceitos e procedimentos matemáticos básicos. O ensino da Matemática contribui no desenvolvimento de capacidades cógnitas abstratas, formais de raciocínio, abstração de dedução de reflexão e de análise. Por isso, deve-se dar ênfase na resolução de problemas através de situação problema em que o aluno cria o seu próprio modelo matemático para solucioná-los. Essa é uma tendência que dá destaque à interpretação de textos possibilitando o raciocínio lógico. A linguagem utilizada deve ser próxima ao cotidiano do aluno, e, no decorrer da aprendizagem, chegar a uma linguagem formal e científica abrindo mais perspectivas investigativas. O ensino da matemática na educação de jovens e adultos deve cumprir o papel formativo de centra-se no desenvolvimento intelectual dos alunos com o objetivo de estruturação do pensamento e no aspecto prático, deve estimular a aplicação dessas

162

capacidades na vida diária e na resolução de problemas nas diferentes áreas de conhecimento. Nesta perspectiva, pretende-se de desenvolver: dados. O pensamento numérico ampliando e construindo novos significados para os O pensamento algébrico traduzindo situações-problema na linguagem O pensamento geométrico; O raciocínio proporcional observando a variação entre grandezas e O raciocínio combinatório analisando quais e quantas são as possibilidades O raciocínio estatístico e probabilístico através da organização e coleta de

números e as operações; matemática e também, traduzindo tabelas e gráficos em leis matemáticas;

estabelecendo relações entre elas; de algo ocorrer;

163

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA
Letramento Diversidade Números, operações, espaço e forma

HABILIDADES
• • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • •

Entender a linguagem gráfica apropriando-se de situações do cotidiano. Aplicar as funções como modelos ao estudo de situações reais e hipotéticas, observando seu comportamento quanto ao crescimento e decrescimento. Identificar máximos e mínimos de uma função polinomial. Utilizar operações e conceitos básicos de matemática na solução de situações-problema. Adequar as situações-problema aos conceitos matemáticos estudados. Apreciar e analisar os fatores que intervêm no comportamento financeiro e econômico da sociedade. Fazer generalizações e argumentações consistentes. Apropriar da história da matemática para a elaboração do seu conhecimento. Construir os conceitos geométricos e percebê-los nas demais áreas do conhecimento. Conhecer os elementos geométricos, suas formas e relações, relacionando-os com a realidade social e cultural do aluno.

Teoria de conjuntos Plano cartesiano Representação gráfica Revisão de operações e equações Conceito de Função Domínio, contradomínio e imagem Função de 1° grau e 2º grau Representação gráfica Zeros da função Pontos notáveis da função no gráfico Problematização (associar as funções a situações do cotidiano) Áreas de figuras planas

164

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA
Letramento Diversidade Números, operações, espaço e forma

HABILIDADES
• • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • •

Interpretar situações do cotidiano, apropriando-se do conhecimento matemático adquirido. Conhecer e analisar os fatores que interferem no comportamento financeiro e econômico da sociedade. Utilizar conceitos de Modelagem Matemática na solução de situações-problema. Identificar o conceito de matrizes para auxiliar na aplicação, interpretação e leitura de situações reais do cotidiano. Identificar, elaborar e modelar situações-problema relacionadas aos fenômenos físicos, sociais e naturais. Agrupar informações na forma de tabelas para uma melhor visão de organização. Resolver situações-problema envolvendo noções e operações com Álgebra. Analisar situações em seqüências numéricas ocorridas em eventos do cotidiano.

Porcentagem Regra de três simples Juros simples Conceito de matrizes Operações e igualdade Construção Multiplicação Problemas Noções de determinantes de ordem 2 e 3 Conceito de seqüências Progressão Aritmética – PA termo geral e soma dos termos Progressão Geométrica – PG termo geral e soma dos termos

165

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - MATEMÁTICA
Letramento Diversidade Números, operações, espaço e forma

HABILIDADES
• • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • •

Apreender a linguagem gráfica e utilizá-la na interpretação de situações do cotidiano. Modelar situações-problema relacionadas aos fenômenos físicos, sociais e naturais, auxiliando-as em todas as áreas do conhecimento. Utilizar operações e conceitos básicos de matemática na solução de situações-problema. Utilizar os princípios de contagem na resolução de situações-problema. Analisar a probabilidade de ocorrência de um fato para que possa criticá-lo de forma ética . Identificar e analisar dados estatísticos, em situações do cotidiano, apresentados em gráficos e tabelas. Reconhecer os elementos geométricos, formas, sólidos e suas relações, nos diversos ambientes e situações do cotidiano.

Análise Combinatória Fatorial Princípio multiplicativo Permutações simples e com repetição Arranjos Combinações Probabilidade e Estatística – Aplicações Média Moda Mediana Análise gráfica e de tabelas Probabilidade: definição e aplicações (noções) Eventos Problematização Geometria Espacial Áreas e volume

166

Currículo da Educação de Jovens e Adultos História – 3º Segmento

Na Educação de Jovens e Adultos, o componente curricular de História, no 3° Segmento de EJA, é parte integrante do currículo, numa articulação entre os saberes, a diversidade cultural, as concepções filosóficas, as diretrizes educacionais, em suas bases teóricas e práticas. Nesse contexto, em seu caráter legal, o cumprimento da Lei n° 10.693/03, também torna-se obrigatório para o Currículo Oficial da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal, estabelecendo a obrigatoriedade” do estudo da história e cultura afro-brasileira e africana no currículo escolar de Educação Básica”. Numa perspectiva plural, a relação entre o saber e os princípios propostos pela UNESCO (aprender a aprender, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser), devem estar contextualizados a uma proposta sociointeracionista, vinculando as ações pedagógicas ao eixo da Diversidade, na construção da memória histórico-cultural do país e nas capacidades de expressão do aluno por meio do letramento. Nessa linha de pensamento, Mendonça (2003, p.12), nos adverte (...) já que a definição de saberes e competências necessários e valorizados pela sociedade e pela escola é historicamente situada. Não é à toa que a mera capacidade de decifrar textos simples e curtos não mais garante o acesso ao mundo do trabalho atualmente, que, em nossa sociedade letrada exige outras competências. (Mendonça, 2003, p.12). Na complexidade do mundo atual, o papel social da Instituição Educacional se torna fundamental, cabendo ao professor reavaliar posturas e valores éticos e práticas pedagógicas, inserindo atividades lúdicas ao processo de alfabetização, trabalhando trabalho. a sensibilização e afetividade na construção da auto-estima, proporcionando assim, ao aluno a sua inserção na sociedade letrada e ao mundo do

167

Em relação a isso, Abrantes (1991, p. 21-21), nos esclarece, com propriedade, afirmando que: “ O aluno trabalhador que freqüenta as classes noturnas do supletivo normalmente já passou por várias experiências escolares. Essas experiências geraram no aluno sentimentos de incapacidade e desvalorização pessoal. Esses estigmas na escola autoritária são reforçadas em várias situações da prática pedagógica do profesor. (...) A baixa expectativa que o professor tem sobre o aluno também reforça a sua autodesvalia: aligeirar o conteúdo, porque o futuro lhe reservou apenas essa “chance” de estudar: acreditar que esses alunos são menos inteligentes que os da escola particular; imaginar que jamais poderão ascender profissionalmente face à sua incapacudade intelectual.” (Abrantes, 1991, p. 51-52). O componente curricular de História, na Educação de Jovens e Adultos, no 3° Segmento de EJA, é imprescindível para a compreensão e o entendimento da sociedade atual, com seu vínculo aos fatos passados. Sendo assim, o patrimônio histórico-cultural do país e as relações na sociedade, irão determinar e esclarecer sobre o porquê das permanências e contradições, das diretrizes e ideologias, dos conflitos e inserções, das inclusões legítimas e dos parâmetros educacionais, construídos na linha do tempo. A narrativa histórica contribui para a formação plena do aluno em sua construção holística, possibilitando o resgate de valores e auto-estima, por meio da educação, proporcionando a alfabetização plena do aluno, em suas relações interpessoais.

:

168

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – HISTÓRIA
Letramento Diversidade A evolução histórica das civilizações

HABILIDADES
• Identificar aspectos importantes no estudo da história • Conhecer e valorizar as diferenças existentes entre a pré-história mundial e a brasileira • Estabelecer relações entre os processos do povoamento das Américas e das civilizações précolombianas • Identificar características semelhantes em diferentes momentos históricos • Identificar fatos históricos relevantes ocorridos na Idade Média • Compreender a importância econômica da expansão marítima e comercial no mundo • Identificar as características do mercantilismo • Identificar as características do renascimento • Identificar as características da reforma protestante • Identificar as influências da história africana com na história do Brasil • Compreender a importância política e econômica do período colonial no processo de formação da história • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Objeto de estudo da História Pré-história mundial e brasileira Povoamento das Américas – Civilizações pré-colombianas Antigüidade Ocidental e Clássica Idade Média – características Expansão marítima e comercial Mercantilismo Renascimento Reforma Protestante História da África Brasil Colônia-século XVI e XVII

169

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - HISTÓRIA
A evolução histórica das civilizações
Letramento Diversidade

HABILIDADES
• • • • • • • • • • Identificar as características políticas, econômicas e sociais da sociedade brasileira no Brasil Colônia no século XVIII Identificar as características do iluminismo Identificar características políticas, econômicas e sociais da sociedade norte-americana após a independência Identificar características políticas, econômicas e sociais da revolução francesa Identificar a importância de fato histórico para o momento presente Identificar as características socioeconômicas da revolução industrial no Brasil Império Identificar fatores relevantes que contribuíram para a formação da sociedade brasileira com a vinda da família real para o Brasil Identificar fatores relevantes que contribuíram para a formação da sociedade Identificar fatores relevantes que contribuíram para a formação da sociedade brasileira no período regencial . Identificar fatores relevantes que contribuíram para a formação da sociedade brasileira no segundo reinado • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Brasil Colônia-século XVlll Iluminismo Independência dos EUA Revolução Francesa Era Napoleônica Revolução Industrial Brasil Império A vinda da Família Real l Reinado Regência ll Reinado

170

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – HISTÓRIA
A evolução histórica das civilizações

Letramento Diversidade

HABILIDADES
• Identificar aspectos relevantes do Imperialismo nas questões socioeconômicas do Brasil • Identificar fatores que contribuíram para a revolução Russa e suas conseqüências para o mundo • Identificar aspectos relevantes da Segunda Guerra Mundial nas questões socioeconômicas do Brasil • Identificar as principais características da República Velha . • Identificar fatores que contribuíram para a segunda guerra mundial e suas conseqüências para o mundo • Identificar fatores que contribuíram para o período entre guerras como facismo e nazismo e suas consequências para o mundo • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Imperialismo l Guerra Mundial Revolução Russa ll Guerra Mundial O segundo Governo Vargas O Governo JK Os Governos Jânio e Jango O Golpe Militar A Redemocratização Período entre-guerras (Fascismo Nazismo)

e

171

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Geografia – 3º Segmento

A geografia escolar tem por referência o interesse público e a construção de uma sociedade verdadeiramente democrática. Sua função consiste em promover a cidadania, desenvolvendo as competências e habilidades para a “alfabetização espacial” dos jovens. Assim, ela tem um conteúdo que objetiva levar o aluno a interpretar de forma crítica e com base científica, de acordo com seu nível de compreensão, o mundo e, ao mesmo tempo, faz com que o aluno pense ou construa os conceitos antes de serem apresentados, incorporando, ao mesmo tempo, as mudanças recentes ocorridas no espaço geográfico mundial juntamente com as novas idéias pedagógicas que enfatizam a interdisciplinaridade e os temas transversais. Estudar Geografia é uma forma de compreender o mundo onde

vivemos. Por meio desse estudo, podemos entender melhor o lugar onde moramos, seja uma área urbana seja rural, o nosso país, assim como os demais países. O campo de investigação da geografia é o espaço da sociedade humana, onde homens e mulheres vivem, atuam e, ao mesmo tempo, produzem modificações que (re)constroem permanentemente. Indústrias, cidades, agricultura, rios, solos, climas, populações: todos esses elementos, além de outros, constituem o espaço geográfico, isto é, o meio ou realidade material em que a humanidade vive e do qual é parte integrante. O ensino de Geografia passa por um momento de redefinições impostas pela sociedade em geral e pela globalização, dada a necessidade de reconstruir um sistema escolar que contribua para a formação de cidadãos conscientes e ativos, como também pelas modificações que ocorrem nas ciências geográficas. A disciplina de Geografia na Educação de Jovens e Adultos deve ter uma perspectiva comprometida com a promoção da cidadania. É necessário preparar o aluno para a vida e não apenas para reproduzir conceitos, assim como é preciso levá-lo a compreender que é uma ciência a partir da qual se 172

pode desenvolver práticas de reflexões que, inevitavelmente, transbordam os limites da escolarização em sentido restrito. Os estudos geográficos, sejam no ensino regular sejam na modalidade da Educação de Jovens e Adultos, fornecem à sociedade uma visão mais ampla e profunda em relação ao homem-natureza, ao espaço e suas transformações. A partir desses estudos, o aluno pode perceber a importância de sua contribuição e compromisso na construção de uma sociedade igualitária, auxiliando na formação de cidadãos conscientes, ativos e dotados de opinião própria. As competências, habilidades e conteúdos referenciais do componente curricular Geografia no terceiro Segmento da Educação de Jovens e Adultos estão organizados a partir de um Eixo Norteador que aborda, dentre outros aspectos, a sociedade humana, a natureza e o espaço geográfico; Brasil – Espaço geográfico Mundo contemporâneo: economia e geopolítica. No terceiro segmento de EJA, o aluno deve construir conceitos que permitam a análise do real, revelando as causas e efeitos, a intensidade a heterogeneidade e o contexto espacial dos fenômenos que configuram cada sociedade. Segundo Milton Santos, a geografia é a ciência do presente, ou seja, é inspirada na realidade contemporânea2. Esta idéia está em conformidade com o artigo 35, inciso III da LDB, o qual corrobora a premissa de que se deve promover “o aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico”. A abordagem que didática a deve acontecer numa seqüência e sociedade;

cognitiva,

possibilite

continuidade

das

aprendizagens,

considerando o repertório cultural do educando, a complexidade dos assuntos e, de forma gradativa, o aprofundamento dos conteúdos

2

173

referenciais que deverão ser trabalhados de forma interdisciplinar e contextualizada às demais áreas do conhecimento.

174

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – GEOGRAFIA HABILIDADES CONTEÚDOS

175

Letramento Diversidade

dade humana, a natureza e o espaço geográfico, Brasil – Espaço Geográfico e Sociedade; Mundo contemporâneo: Economia e

• • • • • • • • • • •

Conceituar as paisagens. Diferenciar os diversos tipos de espaço e as relações individuais e coletivas. Identificar os principais movimentos terrestre e suas conseqüências. Perceber a importância da orientação no espaço e sua utilização. Fazer leitura de mapas, gráficos e outras representações espaciais. Identificar as principais transformações ocorridas no Planeta ao longo do tempo. Compreender a interdependência dos aspectos físicos com a ação humana. Analisar as diversas teorias demográficas. Reconhecer e analisar o processo de evolução, distribuição e organização dos diversos tipos de ocupação do espaço territorial. Interpretar as pirâmides etárias. Reconhecer as vantagens e desvantagens do mundo Globalizado.

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Paisagem, espaço geográfico e sua construção. A Terra no espaço rotação e translação, dias e noites, as estações do ano. paralelos, meridianos, latitude, longitude, fuso horário. escalas e mapas. Os sistemas naturais do Planeta Terra teoria das placas tectônicas. estrutura geológica. hidrografia, clima e vegetação População. conceito. estruturas das Populações teorias populacionais e crescimento da população distribuição e movimentos populacionais questões Afro - descendentes e indígenas Formação do mundo atual primeira Guerra Mundial capitalismo, Socialismo e Comunismo. segunda Guerra Mundial Indústria. histórico principais centros industriais brasileiros Urbanização processo de urbanização brasileiro globalização comércio Internacional multinacionais

176

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - GEOGRAFIA HABILIDADES CONTEÚDOS

177

Letramento Diversidade

a e o espaço geográfico, Brasil – Espaço Geográfico e Sociedade; Mundo contemporâneo: Economia e Geopolítica.

• • • • • • •

Identificar as divisões dos continentes do ponto de vista físico e histórico. Analisar e interpretar as desigualdades econômicas da América latina e da América Anglo-saxônica. Analisar de forma contextualizada e interativa a organização e a ocupação do espaço territorial, mundial e brasileiro. Interpretar o processo de urbanização, a formação de redes e sua influência na estrutura socioeconômica e natural. Compreender as estratégias geopolíticas dos países nas questões que envolvem fontes de energia, distribuição espacial e utilização. Identificar as relações existentes entre cidade e campo. Compreender o sistema agropecuário brasileiro.

• • • • •

Continente Americano A formação Territorial do Brasil. Fontes de Energia. A industrial e o espaço geográfico A agropecuária e o espaço geográfico

178

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – GEOGRAFIA HABILIDADES CONTEÚDOS

179

Letramento Diversidade

a e o espaço geográfico, Brasil – Espaço Geográfico e Sociedade; Mundo contemporâneo: Economia e Geopolítica.

• • • • • • • • • • • • •

Identificar o processo que levou à desintegração do bloco de economia estatizada. Identificar os reflexos da ordem bipolar na organização do espaço mundial. Analisar criticamente o processo de universalização do consumo nas sociedades modernas. Analisar a evolução tecnológica do sistema industrial e seu efeito na sociedade. Compreender as novas relações de trabalho oriundas do grande emprego das novas tecnologias. Identificar as diversas categorias que possibilitem aprofundar os conhecimentos sobre Nação, País de acordo com o significado desses conceitos ao longo do processo histórico. Evidenciar o enfraquecimento do Estado Nacional no contexto da geopolítica atual. Identificar o modelo político chinês e sua organização espacial. Reconhecer as reformas liberalizantes da China após Mão Tse-Tung. Identificar as divisões regionais do continente africano. Compreender a África do Sul pós-apartheid. Identificar os Tigres Asiáticos. Identificar e entender os principais blocos econômicos europeus.

América latina Processo de colonização, as civilizações pré-coloniais Semelhanças e peculiaridades entre os países latinoamericanos • Europa • China • Ásia e Pacífico • África

• • •

180

181

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Sociologia

A Educação de Jovens e Adultos compreendida como um meio não só de resgate, mas de inclusão e ampliação dos acessos aos direitos fundamentais dos indivíduos, enquanto atores protagonistas da cidadania prescindem de oportunidade de acesso aos bens sócio-culturais. Não só uma educação para formar cidadãos para o mercado de trabalho, mas para além desse papel fundamental, um processo educativo cujo conhecimento dialogue com a cidadania. Nesse sentido a sociologia, enquanto espaço de reflexão ao qual articula à dialética indivíduo e sociedade é essencial para o amadurecimento de valores culturais típicos, na vivência da Diversidade, em uma sociedade aberta e democrática, não só formalmente, mas substancialmente, consonante com o princípio da dignidade da pessoa humana, esse consagrado na nossa Carta Maior. Em outros termos, a partir da reflexão sociológica e da construção da autonomia através do desenvolvimento do letramento, os atores principais do processo educativo, os alunos, poderão desconstruir concepções e visões de mundo “naturalizadas”, muitas delas associadas a preconceitos, diversas formas de intolerâncias adquiridas em seu contexto macro de socialização. Em se tratando de discurso, poder-se-ia radicalizar todo esse esforço interpretativo na medida em que se pensasse a “formação discursiva” do mesmo, utlizando-se, para tanto, um conceito foucaultiano. Em seu título Arqueologia do Saber, Foucault elabora tal conceito a fim de compreender o surgimento dos enunciados em determinada época histórica, revelando um nivelamento heurístico dos discursos.

182

Nesse sentido, todos os discursos seriam detentores de uma verdade, sendo que a vigência de uma ou de outra dependeria do poder e do prestígio do quadro institucional que a sustentasse. A partir desse quadro conceitual, a reflexão sociológica torna-se, deveras, impactante, em razão de agredir as tensões interpretativas onde os atores encontram-se e entram em conflito. Nesse contexto, cabe aos professores de Sociologia, desenvolver práticas que evidenciem a importância dos valores históricos e culturais, na formação do indivíduo, buscando atender as especificidades dos alunos, de uma maneira lúdica e responsável. O componente curricular de Sociologia, na Educação de Jovens e Adultos, visa integrar o aluno ao seu meio efetivando a relação professor e aluno na construção de um processo autônomo e independente.

183

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - SOCIOLOGIA
Letramento Diversidade O homem e sua capacidade de reflexão e intervenção na sociedade atual

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• •

Entender as diversas formas de conhecimento (mito, ciência humanas, naturais, filosofia, arte, tecnologias, linguagens) no processo de humanização da natureza e do próprio homem. • Analisar como as identidades se constituem no confronto com a diversidade cultural, étnica, religiosa e com as diferenças de orientação sexual e de gênero. • Compreender a escola como instituição social responsável pela socialização da cultura e pela construção de identidades. • Ler e interpretar tabelas, gráficos, mapas e imagens presentes em livros, jornais e revistas referentes aos processos de constituição da identidade social e cultural. • Identificar as relações de poder presentes nas micro-estruturas das relações sociais. • Investigar como as novas tecnologias de informação (celular, Internet, computador e outros) contribuem para a formação de novas identidades grupais. • Identificar os valores e as representações sociais que orientam as escolhas e suas ações nas mais diversas situações do cotidiano.

O surgimento da Sociologia Ciências Sociais – objeto de estudo e objetivos • Principais sociólogos e suas características (Comte e Durkhein, Max Weber e Karl Max)

184

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - SOCIOLOGIA

HABILIDADES

CONTEÚDOS

185

Letramento Diversidade

O homem e sua capacidade de reflexão e intervenção na sociedade atual

• •

Entender a Antropologia, a Ciência Política e a Sociologia como fenômenos históricos relacionados ao desenvolvimento da estrutura social capitalista.

Aplicar técnicas das Ciências Sociais na coleta e tratamento de dados referentes às classes e grupos de status, constitutivos da realidade social brasileira. • Aplicar os conhecimentos e tecnologias associadas à Sociologia e à Ciência Política na investigação de questões pessoais relativas às mudanças na estrutura social, especialmente ligadas ao casamento e à família. • Compreender a dupla função social da escola: contribuir para a conservação e, ao mesmo tempo, a transformação da sociedade. • Ler e interpretar tabelas, gráficos, mapas e imagens presentes em livros, jornais e revistas relacionados a indicadores sociais da realidade brasileira. • Investigar como as novas tecnologias de informação contribuem para a exclusão ou inclusão social.

• • • •

Teorias sociológicas: economia e Sociedade = Max Weber trabalho e Divisão Social = Durkhein relações de Produção = Karl Max

186

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - SOCIOLOGIA

Letramento Diversidade

intervenção na sociedade atual homem e sua capacidade de reflexão e O

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Instituições sociais Limites de democracia Agrupamentos sociais e agregados sociais. Democracia e Cidadania Fundamentos econômicos da sociedade Subdesenvolvimento: conceito, indicadores e situação brasileira. • Diversidade social, cultural e religiosa. • Cultura: • definição, identidade cultural, cultura material e não – material. • Elementos da cultura: traços, complexos, áreas padrões e subcultura. • Educação e escola: • objetivos • educação, escola e sociedade. • As relações de gêneros: • sexualidade, preconceitos e discriminação. • Avanços científicos e sua aplicabilidade às necessidades do indivíduo na sociedade contemporânea. • A degradação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável
• • • • • •

Compreender a existência das Instituições sociais como setores determinantes de organização social na sociedade. Diferenciar posturas totalitárias de atitudes democráticas e perceber os limites da democracia. Analisar os diferentes grupos e as unidades sociais. Perceber a existência do Estado democrático e a importância do exercício da cidadania. Compreender os conceitos de desenvolvimento e subdesenvolvimento aplicando aos fundamentos econômicos na sociedade brasileira. Perceber e compreender a diversidade cultural e religiosa existente nas sociedades. Compreender a cultura como construção da identidade de um povo e a importância da preservação do patrimônio histórico. Diferenciar elementos culturais existente na sociedade e compreender os micro-grupos frente aos padrões culturais dominantes. Perceber a instituição, escola, com seus objetivos educacionais como meios de promover a inserção do individuo na sociedade e sua formação. Compreender a existência de diversos gêneros sexuais, ampliando o respeito pleno às opções dos indivíduos. Discutir os avanços da bioética e temas como: aborto, pesquisa com células tronco e transgênicos e outros. Analisar os impactos ambientais, discutir mecanismos que amenizam a degradação ambiental como a questão da sustentabilidade.

187

188

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Filosofia

A filosofia não propõe e não traz as respostas que preencheriam paulatinamente as lacunas. As questões são interiores à nossa vida, à nossa história; nascem aí, aí morrem, se encontram resposta, o mais das vezes aí se transformam. Em todo o caso, é um passado de experiência e de saber que termina um dia nesse abismo. (Merleau-Ponty) O componente curricular de Filosofia visa principalmente, preparar o terreno para a análise sistemática da realidade através da Pesquisa Construtivista interagindo com a realidade funcional do atual contexto histórico. Evidentemente, a tarefa de “ensinar a pensar” exige que saiba pensar, que se esteja pronto para enfrentar situações inteiramente novas diante das quais esteja apto a levantar as questões essenciais e não possuir respostas prévias e dogmáticas. Esse é o sentido socrático de preparar as pessoas para “aprender a aprender”: uma pessoa que sabe pensar sem dogmatismos adquire versatilidade e é capaz de renovar constantemente suas habilidades e conhecimentos. Para se atingir a este objetivo era preciso fazer do conhecimento teórico uma realidade prática, era preciso levar estes conhecimentos ao homem, daí surgiram às técnicas convergindo filosofia e ciência, tecnologia e conhecimento. A Filosofia participou efetivamente nesta transformação, sendo mentora do tecnocentrismo3 convertendo antigos métodos pedagógicos à Educação Virtual, venceu antigos preceitos e ainda luta contra a falta de recursos materiais e humanos. Eis aí, a importância da Educação na evolução cultural da humanidade e principalmente das idéias e iniciativas dos primeiros mestre-pensadores da história, o valor incomensurável da filosofia neste processo e por que a filosofia não deveria ocupar um lugar de destaque no desenvolvimento humano? Por que não criar mecanismos que proporcione
3

Termo que expressa o poder da Tecnologia nas grandes decisões humanas na idade pósmoderna.

189

o conhecimento teórico e pratico da filosofia tendo como alternativa divulgadora – a própria tecnologia? O mundo globalizado exige a atualização constante daqueles que possuem a capacidade para melhorá-lo. O grupo educativo é um grupo responsável pelo processo associativo, haja vista, a relevância da necessidade de se pensar bem para se criar conforme divulga Paulo Freire (1993, p.40). “Quando horizontes a prática é tomada como

curiosidade, então essa prática vai despertar de possibilidades. [...]”

Segundo Chauí (2004) com referência ao nascimento da filosofia desde que a consciência racional filosófica surgiu na Grécia antiga por volta do século VI a C, em contraponto a consciência mítico-religiosa, o processo de ensino-aprendizado tem sofrido constantes alterações e elevado grau de evolução cultural, proporcionando, assim, novos paradigmas na Educação. As primeiras escolas fundadas nas colônias gregas buscavam a compreensão do mundo por intermédio de especulações estigmatizadas por algumas colocações míticas. Os sofistas foram os percussores da Educação Itinerante, A didática de Sócrates propôs a Educação Construtivista, Platão a fundação da primeira Universidade. Aristóteles, fundamentado no realismo concreto e na lógica formal fundou o Liceu, primeira escola voltada para a pesquisa científica. (DURANT, 1926). Vários autores da História da Filosofia dentre eles Boehner e Gilson (2003) relatam que as Disciplinas como a Ética, a Lógica e a Metafísica foram divulgadas até o século XIII d.C. durante o longo processo evolutivo da história cristã com a Escolástica de Tomás de Aquino e a Patrística de Santo Agostinho. As invenções e as novas descobertas levaram o mundo às revoluções industriais, políticas, sociais e culturais com o Renascimento e a Revolução Francesa. Assim estava inaugurada a sacralização do conhecimento com os novos métodos, novas abordagens. Os iluministas defendiam uma nova Era na História Humana. Já não havia a Paidéia 190

Grega, mas era preciso resgatar o homem, tão massacrado em sua essência e as transformações históricas com a dissolução do cosmo grego (KOYRÉ, 1991; p.154-55). A Filosofia deve voltar-se para a formação de homens conscientes e comprometidos com a emancipação coletiva e individual e, dessa forma, contribuir para a transformação e humanização da sociedade e constituição do sujeito que é a peça chave de todo este processo. Nesta concepção pragmática da filosofia o objetivo é tornar o indivíduo um ser capaz de compreender a sua dimensão histórica, em suas crenças e valores na Diversidade, e juntamente, com a educação fomentar condições e sentidos para a existência humana. Em cada época e meio a educação tem variado muito, na Grécia, por exemplo, formavam-se espíritos delicados, prudentes; em Roma, queriam que as crianças se tornassem homens de ação; na Idade Média a educação era cristã; na Renascença a educação torna-se mais leiga, literária; nos dias atuais a ciência tenta tomar o primeiro lugar na educação. Neste panorama podemos perceber que a educação foi usada como forma de segregação e dominação do povo e aparece como outros tantos erros do passado que não podemos repeti-los no momento atual. Uma Educação sem filosofia não é Educação, uma Educação sem a visão do letramento não é Educação, assim é primordial construirmos uma educação que valorize o homem como ser capaz de buscar sentidos, respostas e soluções. É preciso que a filosofia resgate os seus valores sistemáticos de idéias acerca da natureza humana, sobre o direito e dever, sobre a sociedade, o indivíduo, o progresso, a ciência, a arte, etc., idéias essas que são à base do espírito nacional; toda e qualquer educação independente da área, classe ou profissão tem por objetivo fixar essas idéias na consciência dos educandos, de uma maneira lúdica, fazendo-os homens ideais, tanto do ponto de vista intelectual, quanto do físico e moral. Esse ideal, ao mesmo tempo uno e diverso, é que constitui a parte básica da educação.

191

A Filosofia consiste neste processo de libertação do homem de si mesmo na busca de sua essência sem contrapor sua existência, neste ponto que se revela a importância e a fecundidade do trabalho educativo, pois, esse ser social não nasce com o homem, como também não resulta de nenhum desenvolvimento espontâneo. Ele é um trabalho continuo de introspecção, pois ela cria no homem um ser novo. Este homem novo precisa, constantemente, de situar-se historicamente com o mundo através das novas tecnologias de aprendizagem. Portanto, as escolhas de uma pessoa levam à transformação do mundo para que ele se adapte ao seu projeto. Mas cada pessoa tem um projeto diferente, Só através dos olhos de outras pessoas é que alguém consegue se ver como parte do mundo. Sem a convivência, uma pessoa não pode se perceber por inteiro. "O ser Para-si só é Para-si através do outro" (SATRE, 1998) Cada pessoa, embora não tenha acesso às consciências das outras pessoas, pode reconhecer neles o que têm de igual. E cada um precisa desse reconhecimento. Eis a importância da Filosofia na formação e na informação e do indivíduo com introspecção, valorizando a intencionalidade consciência e necessária para a reconquista de sua existência como elemento transformador de si próprio e do mundo.

192

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - FILOSOFIA HABILIDADES CONTEÚDOS

193

Letramento Diversidade

A Origem e o Desenvolvimento da Filosofia; o mundo da ética; política e cidadania

• • • • • • • • • • • • •

Esclarecer conceitos. Utilizar conceitos básicos. Interpretar significados. Articular conhecimentos de diferentes áreas. Elaborar argumentos consistentes. Identificar problemas. Levantar questões e formular hipóteses. Perceber a presença da filosofia no cotidiano. Participar da comunidade de investigação. Explicar teorias. Reportar-se através do tempo (contextualizar). Elaborar registros. Ler textos de modo filosófico.

• • • • • •

Contexto histórico, cultural e humano do mundo ocidental (gregos) Pensamento racional e místico O que é filosofia? a origem da palavra Filosofia para que serve a Filosofia principais períodos da filosofia

194

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - FILOSOFIA HABILIDADES CONTEÚDOS

195

Letramento Diversidade Ludicidade

A Origem e o Desenvolvimento da Filosofia; o mundo da ética; política e cidadania

• • • • • • • • • • •

Analisar o agir humano. Interrogar-se. Refletir sobre: ser e dever; felicidade; liberdade e determinação; o bem, o mal; o justo e os modelos de reflexão ética. Diferenciar ética e moral. Fazer analogias. Preservar significados. Construir exemplos e contra-exemplos. Problematizar o evidente. Ler textos de modo filosófico. Elaborar registros. Usar critérios éticos: coerência e não-contradição.

• • • • •

Ética e Moral A existência ética: a questão do bem Ética das profissões Correntes éticas O Belo e a sua relação com o mundo da ética - Teoria do Conhecimento

196

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - FILOSOFIA

HABILIDADES

CONTEÚDOS

197

Letramento Diversidade

A Origem e o Desenvolvimento da Filosofia; o mundo da ética; política e cidadania

• • • • • • • • •

Identificar as situações políticas implicadas na vida cotidiana: representação, democracia, • • participação, política e cidadania. • Reconhecer a presença da reflexão filosófica no dia-a-dia. Perceber as diferentes formas de compreender e interpretar a realidade. Reconhecer ambigüidades. Questionar o óbvio. Fazer conexões. Generalizar. Concluir e sintetizar. Refletir, interrogar e elaborar idéias, construindo conceitos a partir de critérios universais.

Agir reflexivamente. Compreender a importância da atitude filosófica. Entender e refletir sobre a convivência social.

198

199

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Física “Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino.” Paulo Freire

“A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original” Albert Einstein A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade educacional cujas habilidades e competências devem ser cuidadosamente harmonizadas para atender a realidade do aluno. Desse modo, visa ser uma ferramenta e nortear os professores de Física acerca do que é essencial a ser desenvolvido em sala de aula. Este texto foi elaborado a partir de debates e questionamentos de professores regentes que conhecem a realidade de seus alunos e das instituições educacionais. Conscientes da importância de uma reformulação no currículo de Física da Educação de Jovens e Adultos algumas alterações foram feitas e sugestões foram incluídas. A interação da ciência física com a organização social e com a cultura é um fator decisivo para se evitar a dicotomia entre a cultura humanística e a cultura científica, de acordo com Zanetic (1989). Para o autor, o conhecimento científico deve ser caracterizado como produto da vida social, marcado pela cultura de época, influenciando e sendo influenciado pelos outros conjuntos de conhecimento. Esse aspecto cultural da Física tem aceitação unânime no ensino contemporâneo e acentua o fato de que a transformação no ensino de Física implica uma renovação do conteúdo programático tradicional, e não somente, a melhoria de abordagens metodológicas.

200

Esta busca por uma atualização motivou o desenvolvimento deste trabalho e é resultado da constatação de que o conhecimento não é algo estático, portanto, deve estar em constante movimento a fim de que possa ser aprimorado. O professor de Física deve compreender a importância de valorizar o entendimento da ciência como produção humana e disseminar o processo ensinoaprendizagem de modo a agregar o conhecimento formal da ciência aos saberes do aluno. Desse modo, o ensino tradicional deve ser reavaliado e redirecionado para práticas mais atraentes, cuja compreensão dos conceitos físicos esteja relacionada aos fatos vivenciados no cotidiano pelos alunos. É mister compreender que para o aluno da Educação de Jovens e Adultos o conhecimento da Física nem sempre é facilmente assimilado, apresentar a Física de maneira lúdica e integrada ao cotidiano do aluno é decisivo para o êxito da aprendizagem em sala de aula. Contudo, nem sempre o aluno tem uma compreensão eficiente dos fenômenos físicos. Sendo assim, a necessidade de se transmitir o conhecimento leva à necessidade de modificá-lo – e essa modificação é chamada de transposição didática. Ao entrarem para a escola, os objetos de conhecimento – o saber científico ou as práticas sociais – convertem-se em “objetos de ensino”, isto é, em conteúdo curricular, segundo Guiomar Namo de Mello. O uso da tecnologia na educação, especialmente os recursos computacionais, passou a ser exigência do novo padrão de formação e qualificação. E também, tendo como parâmetro a Diversidade como referência à necessidade de formação de cidadãos polivalents, criativos, e capazes de adaptação permanente às novas formas de produção, reorientando a formação e a qualificação profissional para que se alcance a qualidade e a competitividade. Assim, apesar de a Física apresentar teorias complexas, o professor deve transformá-las em formas simples a fim de que o aluno possa compreender as teorias físicas. Contudo, esta transformação não se dá de maneira simples e exige do docente uma vigilância epistemológica que possa impedir a possibilidade de distorções sobre os 201

conhecimentos científicos. O rigor teórico é exigido para que não se perca a compreensão das teorias científicas. O ato de educar exige, do profissional da área de Física, uma postura letrada e uma visão mais abrangente de conceitos e definições, até então, tomados como verdades absolutas, em situações contextualizadas, entendidas de uma maneira socioeducativa. A mediação pedagógica deve ser construída pelo professor e pelo aluno. Juntos vão poder trilhar um itinerário repleto de possibilidades. O docente conduz esta experiência e deve buscar elementos que enriqueçam esse percurso, este texto tem o intuito de ser uma ferramenta para que o êxito do ensino da Física para classes da Educação de Jovens e Adultos possa ser alcançado.

202

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRICULAR - FÍSICA
Letramento Diversidade Fenômenos físicos e atividades humanas

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • •

Representar adequadamente medidas do cotidiano, por meio de algarismos significativos e de notação científica, e avaliar a sua ordem de grandeza. • Reconhecer as unidades básicas e as derivadas do Sistema Internacional de Unidades. • Reconhecer e representar as grandezas físicas fundamentais e as derivadas (escalares e vetoriais). • Caracterizar a grandeza vetorial e aplicar operações entre vetores (adição, subtração). • Localizar posições, descrever deslocamentos e representar velocidades ou acelerações, utilizando linguagem vetorial. • Distinguir o peso e a massa, bem como relacionar a força e o movimento em situações reais (Leis de Newton. • Quantidade de Movimento e Impulso, Conservação da Quantidade de Movimento). • Relacionar força, peso, aceleração gravitacional e os movimentos dos corpos celestes ou satélites artificiais com o princípio de atração de massas (Leis de Kepler e Lei de Newton - Gravitação Universal). • Avaliar torques em configurações simples (p.ex., pedais, volantes) e ampliações de forças em ferramentas e nos movimentos do corpo humano. • Utilizar a definição de trabalho para o cálculo da energia necessária para a realização de diversas atividades (p.ex., subir escada, frear veículos, arrastar objetos). • Relacionar trabalho e energia, em situações reais (p.ex., quando se atira uma pedra, quando se lança um dardo).

Medidas de comprimento, massa e tempo (sistema internacional de unidades) Notação científica Ordem de grandeza Movimento uniforme e uniforme variado (abordagem qualitativa) Velocidade escalar média Aceleração escalar média Vetores Leis de Newton Trabalho, energia, impulso e quantidade de movimento Potência Hidrostática

203

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - FÍSICA
Letramento Diversidade Fenômenos físicos e atividades humanas

HABILIDADES
• • •

CONTEÚDOS
• Termologia • escalas termométricas • dilatação térmica • calorimetria • termodinâmica • trabalho numa transformação isobárica • leis termodinâmicas • Óptica • princípios. • leis da reflexão • espelhos planos e esféricos • refração • lentes

Reconhecer as unidades básicas e as derivadas do Sistema Internacional de Unidades. Reconhecer e representar as grandezas físicas fundamentais e as derivadas (escalares e vetoriais). Distinguir calor e temperatura, em situações do cotidiano, bem como, reconhecer os pontos fixos em diferentes escalas termométricas (Celsius, Fahrenheit e Kelvin). • Avaliar temperaturas, a partir de propriedades térmicas sensíveis, tais como: cor de uma chama, dilatação térmica dos sólidos e fluidos (linear, superficial e volumétrica). • Reconhecer o calor, como energia transferida do mais quente para o mais frio, em exemplos práticos (como o uso de agasalhos). • Relacionar o fluxo de calor, a pressão e a temperatura com o estado físico dos materiais. • Identificar materiais bons, e maus condutores térmicos em função de sua utilização em construções, equipamentos e utensílios. • Calcular variações de pressão, de volume e de temperatura, utilizando a equação geral dos gases ideais. • Relacionar o calor e o trabalho como formas de troca de energia e quantificá-los. • Avaliar as características do som e da luz e analisar as condições de propagação. • Reconhecer o espectro eletromagnético e as características de fenômenos ondulatórios: reflexão, refração, eco, batimento, ressonância, reverberação, difração, interferência, polarização e efeito Doppler. • Avaliar, compreender e relacionar as características de propagação e os fenômenos de reflexão e refração da luz, nos meios materiais e no seu cotidiano. • Compreender os mecanismos de formação de imagens por meio de instrumentos ópticos.

Ondas classificação, período e onda velocidade e comprimento de onda Fórmula de Taylor • ondas estacionárias • Fenômenos ondulatórios

• • •

204

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - FÍSICA
Letramento Diversidade Fenômenos físicos e atividades humanas

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • • • • • • • •

Representar adequadamente medidas do cotidiano, por meio de algarismos significativos e de notação científica, e avaliar a sua ordem de grandeza. • Reconhecer as unidades básicas e as derivadas do Sistema Internacional de Unidades. • Compreender correntes elétricas, considerando a configuração de cargas em átomos e íons, e relacionar o sentido da corrente com o do movimento de cargas. • Compreender o modelo microscópico para resistência elétrica e relacionar tensões, correntes elétricas, resistências e resistividades em condutores lineares. • Relacionar potência elétrica dissipada com a energia elétrica em térmica. Entender a utilidade dos dispositivos elétricos num sistema de circuito elétrico, além de refletir sobre a melhor forma de economizar energia elétrica para consumo. • Reconhecer e definir os campos magnéticos associados aos ímãs, às correntes em fios retilíneos em espiras e nos solenóides. • Definir a força magnética em aplicativos sobre o magnetismo. • Entender e relacionar a variação do fluxo magnético e identificar o princípio de funcionamento de motores elétricos. • Compreender o princípio de funcionamento de transformadores de tensão, utilizados em instalações elétricas.

Carga elétrica Processo de eletrização Lei Coulomb Campo, potencial e corrente elétrica Efeitos das correntes Resistores 1ª Lei de Ohm Resistividade Potência dissipada Associação de resistores Geradores Receptores Circuito simples Eletromagnetismo campo magnético força magnética indução magnética leis de Lenz e Faraday

205

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Biologia

O Ensino de Biologia na Educação de Jovens e Adultos deverá levar o aluno à compreensão dos fenômenos biológicos, em suas manifestações, enquanto processo de produção da própria existência, buscando o saber científico de forma sistematizada. Moran (2000) afirma que o conhecimento das informações ou dos dados isolados é insuficiente. É preciso situar as informações e os dados em seu contexto para que adquiram sentido. Para ter sentido, a palavra necessita do texto, que é o próprio contexto, e o texto necessita do contexto no qual se enuncia. Aprendemos pelo interesse, pelo prazer e pela necessidade e dessa forma interagimos com os outros e com o mundo. Quando percebemos mais facilmente os objetivo, a utilidade de algo. Aprender é um processo permanente, nunca acaba. O componente curricular de Biologia tem como objeto de estudo o fenômeno VIDA. Sendo assim, com relação ao aspecto metodológico, o ensino da Biologia não pode continuar mantendo um caráter essencialmente informativo, o processo investigativo deve ser explorado em aulas práticas e com projetos que tornem a pesquisa científica mais dinâmica. A proposta de condução deste componente está no tratamento interdisciplinar, sobre o qual o caráter ativo e coletivo do aprendizado se firmará buscando integração desta área com as demais áreas do conhecimento. Neste sentido, entendemos que as habilidades e conteúdos abordados neste componente tenham relação estreita ao fenômeno da vida em sua totalidade e suas aplicações e conseqüências perante as relações do homem em seu meio e sua vivência na Diversidade.

206

Essa concepção nos leva a direcionar as práticas de ensino para temas e desenvolvimento de projetos considerados necessários para a vida dos alunos em seu caráter investigativo e laboratorial. Na prática, a aplicação do currículo demanda esforços coletivos no sentido de dar condições a professores e alunos de construir de uma forma lúdica um processo de aprendizagem eficaz. Assim, vale ressaltar a importância do letramento para o processo de entendimento de conceitos e métodos integrados ao currículo, no componente de Biologia, promovendo a construção do pensamento crítico-reflexivo.

207

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - BIOLOGIA
Letramento Diversidade Ecologia e citologia

HABILIDADES
• Compreender que a morfologia e a fisiologia dos seres unicelulares e pluricelulares estão relacionadas diretamente com a organização de suas estruturas e componentes. • Identificar e justificar a morfologia e a fisiologia dos seres vivos como características evolutivas e imprescindíveis para a manutenção do equilíbrio ecológico. • Compreender que nosso planeta sofreu profundas transformações, no decorrer do tempo, e que apresenta um equilíbrio dinâmico. • Compreender a célula como unidade transformadora e consumidora de energia. • Reconhecer a célula como unidade viva formadora de todos os organismos e observar que sua organização e funcionamento são semelhantes em todos os seres vivos. • Compreender a função e a importância dos nutrientes na formação das células e na manutenção da saúde. • Relacionar os alimentos com os processos de desenvolvimento e de manutenção da vida dos seres vivos, e reconhecer sua participação na formação celular. • Associar as divisões celulares como meio de reprodução, crescimento e regeneração, compreendê-las como processos que mantêm a composição genética das células e das espécies. • Reconhecer que a origem e a variabilidade das espécies resultam da interação de mecanismos físicos e biológicos que determinam sua existência, transformação e preservação. • Relacionar os efeitos sofridos pelos sistemas decorrentes do uso indevido de substância. • Identificar, localizar, comparar e reconhecer a importância dos ecossistemas brasileiros. • Reconhecer a interdependência das espécies e a influência que o meio exercer sobre elas e vice-versa. • Compreender que os organismos possuem ecossistemas internos em equilíbrio dinâmico, e que podem sofrer alterações decorrentes de influências externas. • Compreender que a matéria transita de modo cíclico nos meios bióticos e abióticos, acarretando fluxo de energia. • Estabelecer diferenças entre conservação e preservação do meio ambiente, reconhecer e executar procedimentos de proteção e de preservação das espécies envolvidas. • •

CONTEÚDOS
Ecologia meio ambiente, biomas, fluxo de energia e ciclos da matéria • desequilíbrios ambientais e ação humana • conservação e preservação do meio ambiente Citologia células - conceito, importância e funções química da célula: compostos orgânicos e inorgânicos • fisiologia celular • divisão celular - mitose e meiose OBS.: Temas transversais: drogas
• • •

208

Letramento Diversidade

HABILIDADES

CONTEÚDOS

Compreender a importância da conservação da flora e da fauna e reconhecê-las como fonte de matéria-prima. • Constatar os prejuízos causados na biosfera e sugerir formas de intervenção coletiva, de maneira a reduzir os efeitos agudos e crônicos da ação natural e identificar possíveis alterações ambientais que modificam o equilíbrio ecológico. • Reconhecer a necessidade do controle biológico, recursos utilizado pelo homem na produção de alimentos na manutenção da cadeia e teia alimentar.

209

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - BIOLOGIA
Letramento Diversidade

Biodiversidade e fisiologia humana

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• • •

Compreender a divisão dos grupos de seres vivos e os seus processos de adaptação e conhecer a sua anatomia microscópica e macroscópica. • Compreender que a morfologia e a fisiologia dos seres unicelulares e pluricelulares estão relacionadas diretamente com a organização de suas estruturas e componentes. • Identificar e justificar a morfologia e a fisiologia dos seres vivos como características evolutivas e imprescindíveis para a manutenção do equilíbrio ecológico. • Compreender que o funcionamento adequado do organismo depende da regulação e da coordenação das funções vitais. • Compreender os aspectos básicos da etiologia das doenças causadas por infecções. • Compreender a divisão dos grupos de seres vivos e os seus processos de adaptação e conhecer a sua anatomia microscópica e macroscópica. • Reconhecer que a gravidez precoce provoca desequilíbrio social. • Compreender e analisar as diferenças na morfologia e na fisiologia masculina e feminina, e entender as transformações orgânicas e as comportamentais próprias do adolescente e apreender os fundamentais biológicos e sociais da sexualidade. • Identificar e descrever as conseqüências da fome no Brasil e no mundo. • Relacionar os alimentos com os processos de desenvolvimento e de manutenção da vida dos seres vivos e reconhecer sua participação na formação celular. • Reconhecer que a alimentação é requisito fundamental para os processos vitais e adaptativos dos seres vivos.

Reino Monera, Protista e Fungi diferenciação funções (benefícios ao ser humano e ao meio ambiente) • doenças • Histologia e Fisiologia Humana • nutrição e respiração • circulação e excreção • revestimento, sustentação e locomoção • controle nervoso e sentidos • hormônios e reprodução OBS.: Temas transversais: gravidez, contracepção e DST/Aids

210

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR – BIOLOGIA
Letramento Diversidade Citologia, Genética e Evolução

HABILIDADES

CONTEÚDOS
• •

Associar as divisões celulares como meio de reprodução, crescimento e regeneração, compreendêlas como processos que mantêm a composição genética das células e das espécies. • Identificar e interpretar processos genéticos associados à tecnologia e a avaliar eticamente suas repercussões. • Compreender que nosso planeta sofreu profundas transformações, no decorrer do tempo, e que apresenta um equilíbrio dinâmico. • Reconhecer que a origem e a variabilidade das espécies resultam da interação de mecanismos físicos e biológicos que determinam sua existência, transformação e preservação. • Relacionar os diversos ecossistemas da biosfera e perceber suas constantes modificações. • Identificar e justificar a morfologia e a fisiologia dos seres vivos como características evolutivas e imprescindíveis para a manutenção do equilíbrio ecológico.

Citologia e Noções de Embriologia núcleo celular, código genético e síntese protéica • clivagem • folhetos embrionários
• •

Genética: genética: variações e dominância e genes recessivos • importância da genética para a saúde humana • hereditariedade e 1ª Lei de Mendel • monoibridismo e alelos múltiplos • 2ª Lei de Mendel e interações gênicas • sistema ABO.
• • • • • •

Evolução: origem e evolução da vida surgimento das espécies evidências evolutivas adaptação especiação

OBS.: Temas transversais: clonagem, clonagem terapêutica, DNA recombinante, e alimentos transgênicos.

211

Currículo da Educação de Jovens e Adultos Química

Ser educador é vivenciar a coletividade em sua essência. É estar sempre disponível para dividir seus conhecimentos com outros, desenvolvendo assim diversas habilidades e ampliando seus horizontes tanto no campo pessoal quanto profissional. O binômio indissociável ensino/aprendizagem se mostra mais forte a cada instante da relação entre educador e educando. Aprende-se muito ensinando, da mesma forma com que também se ensina muito aprendendo. Com este espírito vivenciamos a Educação de Jovens e Adultos – EJA – e podemos vislumbrar diversas oportunidades, porém a mais nobre delas é a de poder levar o conhecimento aos estudantes que não o fizeram, pelos mais diversos motivos, em idade adequada. O processo educacional na EJA se dá por meio de características próprias e especiais. Ao lidar com alunos que são, em sua grande maioria, integrantes do mercado de trabalho, cabe ao professor apresentar uma adaptação em relação às especificidades desse aluno. O ensino de Química deve contemplar os conhecimentos do cotidiano dos alunos, buscando uma adequação à linguagem científica e destacando, principalmente, as relações entre o senso comum e o conhecimento científico. O conhecimento do senso comum é dominante nos alunos atendidos pela EJA, fato que não podia ser diferente, pois os saberes científicos são aprendidos, em sua grande maioria, na formalidade dos ambientes escolares. O conhecimento científico é apresentado distante e pouco acessível àqueles que pouco frequentaram a escola, muito disso deve-se ao fato de que os meios de comunicação o tratam como algo distante da simples compreensão popular, sendo cultuada a imagem do cientista despenteado com seu jaleco branco e surrado em meio a diversos equipamentos de laboratório tirando conclusões mirabolantes de análises inacessíveis e inaceitáveis às mentes dos seres humanos ditos normais.

212

Além de técnicas laboratoriais de experimentação, é necessário que o professor de Química vivencie em suas práticas pedagógicas a ludicidade como uma forma eficiente e capaz de atender as expectativas desse aluno. Nessa perspectiva, em meio às exigências da sociedade atual, é imprescindível que o professor de Química reavalie suas práticas, tendo como enfoque o uso das tecnologias e vivencie a cultura da Diversidade em suas ações. Sendo assim, é inegável a importância do letramento na contextualização de situações pedagógicas e efetivação do processo ensino-aprendizagem. Perante tudo o que foi apresentado podemos citar que o papel do professor de Química na EJA é o de levar aos alunos, que já possuem uma boa visão dos fenômenos estudados pela Química, o conhecimento científico de maneira agradável e interessante, deixando de lado a matematização e a memorização dos conteúdos para privilegiar os fundamentos e os conceitos básicos dessa fascinante área das ciências da natureza.

213

3º SEGMENTO – 1º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - QUÍMICA
Letramento Diversidade A química na sociedade e o papel do homem na transformação da natureza

HABILIDADES
• • • • • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
Nascimento da ciência química Química e sociedade Conceitos de matéria, corpo, objeto e química Modelo atômico de Dalton Estados físicos da matéria e suas transformações: • solubilidade • transformações da matéria (fenômenos físicos e químicos) • Substância e mistura (homogênea e heterogênea) • Métodos de separação de misturas • Leis ponderais da química
• • • • •

Reconhecer que os caminhos para o conhecimento não são unilaterais. Reconhecer a evolução da Química como construção humana. Criticar as informações a partir da compreensão da importância da história da Química no desenvolvimento social, tecnológico e científico. Reconhecer as transformações dos materiais por meio de observação experimental. Reconhecer que as transformações envolvem troca de energia, promovendo ou não mudanças de estado físico. Entender que existe relação entre as transformações dos materiais de suas propriedades. Compreender o uso de modelos para explicar a constituição dos materiais. Reconhecer o uso da simbologia Química por meio de modelos. Converter a linguagem discursiva da Química em linguagem simbólica. Diferenciar substâncias de misturas, de modo geral e a partir dos conceitos de temperatura de fusão, de temperatura de ebulição, de densidade e de solubilidade das substâncias. Reconhecer as substâncias simples e compostas, a partir do uso de modelos. Reconhecer que substâncias compostas podem ser decompostas em substâncias simples. Representar graficamente propriedades de substâncias e misturas. Reconhecer a importância dos gases para os seres vivos. Reconhecer os efeitos dos gases poluentes na atmosfera e descrever os principais problemas por eles gerados. Reconhecer as aplicações dos gases no cotidiano. Descrever os principais problemas gerados pelos gases poluentes. Aplicar o sistema internacional de medidas nos conceitos básicos da química: massa e volume.

214

3º SEGMENTO – 2º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - QUÍMICA HABILIDADES
Letramento Diversidade naturezaA química na sociedade e o papel do homem na transformação da
• • • • • • • • • • • • • • •

CONTEÚDOS
• • • • • • • • • • • •

Identificar o modelo atômico atual. Identificar as partículas fundamentais que constituem o átomo. Reconhecer a importância dos isótopos e dos nuclídeos. Reconhecer as semelhanças entre os diversos átomos (isóbaros, isótonos e isótopos). Identificar, construir e compreender o diagrama de Linus Pauling para a realização da distribuição eletrônica. Identificar camadas de valência e subníveis mais energéticos de cada elemento. Reconhecer na Tabela Periódica a organização dos elementos químicos. Correlacionar a posição dos elementos na Tabela Periódica com suas propriedades (eletronegatividade, temperatura de fusão e ebulição, densidade, caráter metálico e raio atômico). Reconhecer a ocorrência, obtenção e aplicação de alguns elementos. Identificar os elementos naturais e artificiais. Reconhecer a importância tecnológica e econômica dos metais. Reconhecer os tipos de ligações químicas. Identificar as representações de Lewis, estrutural e molecular. Reconhecer a polaridade de moléculas por meio dos tipos de átomos que constituem a molécula e de sua geometria. Correlacionar as propriedades físico-químicas das substâncias com as interações intermoleculares e intramoleculares.

Modelo atômico atual Constituição da matéria Características do átomo Semelhanças – Isóbaros, isótonos e isótopos Digrama de Linus Pauling – Distribuição eletrônica Camadas de valência e sub-níveis mais energéticos Tabela periódica grupos períodos famílias classificação Propriedades periódicas

215

3º SEGMENTO – 3º SEMESTRE COMPONENTE CURRÍCULAR - QUÍMICA HABILIDADES CONTEÚDOS

216

Letramento Diversidade

naturezaA química na sociedade e o papel do homem na transformação da

• • • • • • • • • • • •

Reconhecer a importância dos compostos orgânicos. Identificar os tipos de carbonos nos compostos orgânicos. Identificar a classificação e as propriedades das cadeias carbônicas. Reconhecer a nomenclatura das cadeias carbônicas. Reconhecer as funções: hidrocarbonetos, álcool, éter, cetona, éster, aldeído, ácido carboxílico, amina, amida, nitrocompostos e mistas. Nomear os compostos com até dez átomos de carbono (usual e IUPAC) para cada função. Estudar as propriedades físicas e químicas dos compostos orgânicos. Identificar polímeros sintéticos e polímeros naturais. Reconhecer os três grupos de polímeros sintéticos (de adição, de condensação e de rearranjo). Identificar os principais polímeros de cada um dos três grupos. Reconhecer as aplicações gerais dos polímeros. Identificar os polímeros naturais.

Química orgânica definição e química orgânica postulados de Kekulé classificação do átomo de carbono Cadeias carbônicas: classificação e propiredades • nomenclaturas das cadeias normais e ramificadas • principais funções orgânicas - utilização no cotidiano • polímeros

• • • • •

217

REFERÊNCIAS

Lei n° 5.692/71, art. 24 – Estabelece a concepção da idéia de supletividade. Boletim: Projecto Principal de Educação em América Latina e el Caribe, 1993. Lei n° 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, art. 4°. SANTOS, Santa Marti Pires (Org.). O lúdico na formação do educador. Petrópolis: Vozes, 1997. Constituição Federal de 1998, art. 205, Cap. III – Da Educação, da Cultura e Desporto, Seção I – Da Educação. UNESCO, 1998 – extraído do texto “Brasil Analfabetizado”, de Ricardo Tiezzi – http://www.geracaobooks.com.br/literatura/texto1.php Regimento Escolar das Instituições Educacionais da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal – Subseção III, art. 52, 53, 54 e 55 – 3ª Ed. – Brasília; Subsecretaria de Educação Pública, 2004. INAF (Brasil, 2007) – parceria entre o Instituto Paulo Montenegro – Responsável pela atuação social do IBOPE e a ONG Ação Educativa www.ipm.org.br FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Brasiliense, 1979. SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2004. STAM, Robert. Bakhtin - Da teoria literária à cultura de massa. São Paulo: Ática, 1992. SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1996. BOURDIEAU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo, Perspectiva, 1974. FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. Petrópolis, Vozes, 1972. GOMES, Roberto. Crítica da Razão Tupiniquim. São Paulo, Ed. Mercado Aberto, 1984. CHAUI, M. Filosofia, Série Novo Ensino Médio, Volume Único, São Paulo, Editora Ática, 2004.

218

COTRIM, G. Fundamentos da Filosofia: História e Grandes Temas, São Paulo, Ed. Saraiva, 7a tiragem, 2005. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 30ª edição. São Paulo: Paz e Terra, 2004. KANT, I.. Crítica da Razão Pura. Tradução de Valério Rohden e Udo Baldur Moosburger. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Os Pensadores) KOYRÉ, A. Estudos de história do pensamento científico. Tradução de Márcio Ramalho. RJ: Forense universitária, 1991 - p. 154-55 REALE, Giovanni e ANTISERI, Dario. História da Filosofia: Antigüidade e Idade Média. 3. ed. São Paulo: Paulus, 1990. v. 1,2 e 3. MELO, Guiomar Namo de. Transposição didática in http://www.namodemello.com.br/pdf/escritos/outros/contextinterdisc.pdf. Acesso em agosto de 2008. ZANETIC, J. Física também é cultura. Tese de Doutorado. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), 1989. MORIN, Edgar, Os sete saberes necessários à educação do futuro / Edgar Morin ; tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya ; revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho. – 2. ed. – São Paulo : Cortez ; Brasília, DF : UNESCO, 2000. FREIRE, P. Extensão ou Comunicação? 6ª edição. Rio de Jnaeiro: Paz e Terra, 1986.

219

220

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->