P. 1
CANTAIaoSENHOR

CANTAIaoSENHOR

5.0

|Views: 36.602|Likes:
Publicado porFreneck Oliver

More info:

Published by: Freneck Oliver on Apr 11, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/10/2014

pdf

text

original

Canto Inicial

01 (Tom: Dm) D.R.
1 – Cantai ao Senhor um cântico novo. (3x) / Cantai ao Senhor. (2x) 2 – Porque Ele fez, Ele faz maravilhas. (3x) / Cantai ao Senhor. (2x) 3 – É Ele quem dá o Espírito Santo. (3x) / Cantai ao Senhor. (2x) 4 – Jesus é o Senhor, amém, aleluia. (3x) / Cantai ao Senhor. (2x) 5 – Louvai ao Senhor, amém, aleluia. (3x) / Louvai ao Senhor. (2x)

2 – Nos passos de teu Filho toda a Igreja também vai, / seguindo teu chamado de ser santa qual Jesus. / Apóstolos e mártires se deram sem medir. / Apóstolo me chamas: / vê, Senhor, estou aqui! 3 – Os séculos passaram, não passou, porém, tua voz, / que chama ainda hoje, que convida a te seguir. / Há homens e mulheres que te amam mais que a si / e dizem com firmeza: / vê, Senhor, estou aqui!

06 (Tom: Cm) D.R.
1 – Meu Cristo amigo, novamente estou aqui. / Mais uma vez venho pedir pra me ajudar / na grande luta contra os males que há em mim. / Dá-me tua força e não me deixes vacilar. É preciso mais amor, / compromisso e união. / É preciso compreender que amor é doação. 2 – Eu quero ser um missionário do Senhor, / eu sou pequeno, junto a ti serei maior. / Eu quero ser um instrumento de amor. / Quero lutar pro nosso mundo ser melhor. 3 – Que cada homem reconheça o seu valor, / os seus direitos e também sua missão; / pois não há pobre sem ter nada a oferecer / e nem há rico que não precise do irmão.

02 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Quando chamaste os doze primeiros pra te seguir, / sei que chamavas todos os que haviam de vir. Tua voz me fez refletir, / deixei tudo pra te seguir, / nos teus mares eu quero navegar. (bis) 2 – Quando pediste aos doze primeiros: Ide e ensinai, / sei que pedias a todos nós: Evangelizai! 3 – Quando enviaste os doze primeiros de dois em dois, / sei que enviavas todos os que viessem depois.

07 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Vem e segue-me! Vem, sou teu Pastor! / Vem, Eu te farei / do meu povo servidor! (2x) 1 – Porém eu não sei falar, / sou ainda uma criança. / A quem eu te enviar, / falarás da esperança! 2 – Falarás do novo Reino, / da justiça e da verdade, / onde houver escravidão, / levarás a liberdade! 3 – Eu te faço um profeta, / pra arrancar e destruir; / sobre reinos e nações, / pra plantar e construir.

03 (Tom: G) Letra e Música: Cireneu Kuhn
1 – Como membro desta Igreja peregrina, / recebi de Jesus Cristo uma missão: / de levar a Boa Nova a toda gente, / a Verdade, a Paz e o Perdão. Envia, envia, Senhor, / operários para a messe. / Escuta, escuta esta prece, / multidões te esperam, Senhor! 2 – Por caminhos tão difíceis, muita gente / vai andando sem ter rumo e direção. / Não conhecem a verdade do Evangelho, / que liberta e dá força ao coração. 3 – A missão nos acompanha dia a dia, / na escola, no trabalho e no lar. / Precisamos ser no mundo testemunhas / pra que Deus possa em nós se revelar.

08 (Tom: G) Letra: Pe. Pedro Brito Guimarães / Música: Frei Fabreti
Feliz de quem caminha tendo Deus no coração, / quem faz da sua vida uma eterna procissão. (2x) 1 – Escolhi o Cristo / como companhia, / escolhi o Reino, / como vocação, / escolhi o mundo, / como moradia, / escolhi o pobre / como meu irmão. 2 – Quero ver o mundo, / com o teu olhar, / e a dor da vida, / com teu coração. / Vou levar ajuda / a quem precisar, / vou cantar a vida / como uma canção. 3 – Quero descobrir / minha vocação: / Leiga, religiosa ou sacerdotal. / Quero ver meu povo / todo em missão, / numa Igreja toda ministerial.

04 (Tom: Cm) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
1– 2– 3– 4– O Senhor necessitou de braços / para ajudar a ceifar a messe. / E eu ouvi seus apelos de amor, / então, respondi: / aqui estou, aqui estou. Eu vim para dizer / que eu quero te seguir, / eu quero viver com muito amor o que aprendi. Eu vim para dizer / que eu quero te ajudar, / eu quero assumir a tua cruz e carregar. Eu vim para dizer / que eu vou profetizar, / eu quero ouvir a tua voz e propagar. Eu vim para dizer / que eu vou te acompanhar / e, com os meus irmãos, um mundo novo edificar.

09 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Como eu amo vossa casa, o’ Senhor, / como sinto vossa vida a palpitar. / Sou chamado a fazer vossa vontade, / eis-me aqui, a resposta quero dar. 2 – O chamado que fizestes no batismo, / vai guiando nossos passos no viver. / Assumindo um constante compromisso / de seguir, sem jamais desfalecer. 3 – São felizes os que sabem responder / o chamado que Deus faz aos filhos seus. / Que nos pede mais justiça e caridade, / e perdão, para quem nos ofendeu. 4 – Nossos olhos pouco sabem ver a Deus, / os ouvidos que se fecham ao clamor. / Nossas mãos que se ocupam da matéria, / todo o ser deve unir-se ao Senhor.

05 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Carlos Susin
Senhor, se Tu me chamas, eu quero te ouvir. / Se queres que eu te siga, respondo: “Eis-me aqui!” (bis) 1 – Profetas te ouviram e seguiram tua voz, / andaram mundo afora e pregaram sem temor. / Seus passos Tu firmaste sustentando seu vigor. / Profeta - Tu me chamas: / vê, Senhor, aqui estou!

10 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos

1 – Oh! vinde, continente da esperança, / celebrar a confiança, / o martírio e a missão. / O’ povo, é chegada a nossa hora, / vamos todos, sem demora, / partilhar o mesmo pão. Vinde, vede e anunciai / o Evangelho do Senhor / com nova expressão, / é a Igreja em missão, / um compromisso de amor. 2 – Oh! vede tanta fome e injustiça, / pranto, dor, morte e cobiça / golpeando o nosso irmão. / O branco, o negro, o índio espoliado, / quanto sangue derramado / a clamar libertação. 3 – Anunciai, América Latina, / com Maria peregrina, / ide aos pobres proclamar / que Deus vem ao encontro do seu povo, / recriando o mundo novo, / faz a Igreja caminhar. 4 – Agora, com ardor missionário, / todo o povo solidário / quer rever sua missão. / Criar um novo rosto de Igreja / construída na pobreza: nova evangelização.

14 (Tom: G) Letra: Pe. Lucas de Paula Almeida / Música: Pe. Lauro
Palu

1 – Ouvi a voz de Cristo no silêncio me chamar / e vim com meus amigos com meu Deus me encontrar. / E agora nos dispomos na alegria a escutar. Cristo vivo que nos ama, / Cristo amigo nos chamou. (bis) 2 – O Cristo definiu-se pelo Pai e pelo irmão / e foi sempre constante por amor nessa missão. / E agora vem fazer-nos mesmo apelo ao coração. 3 – O Cristo é sempre jovem, continua a passar / nas praças e nas ruas sempre há gente a esperar. / E Cristo testemunha como vale a gente amar.

15 (Tom: F) Letra: Gustavo Balbinot / Música: Osmar Coppi
1 – No meu coração sinto o chamado, / fico inquieto: preciso responder. / Então pergunto: “Mestre, onde moras?” / E me respondes que é preciso caminhar, / seguindo teus passos, fazendo a história, / construindo o novo no meio do povo. (2x) Mestre, onde moras? Mestre, onde estás? / No meio do povo, vem e verás. (2x) 2 – Te vejo em cada rosto das pessoas, / tua imagem me anima e faz viver. / No coração amigo que se doa, / no sonho do teu Reino acontecer. / Teu Reino é justiça, é paz, é missão. / É a Boa Nova da libertação! 3 – Tua Palavra abre novos horizontes, / é convite de serviço aos irmãos. / Me consagra, me envia a assumir / teu projeto nesta vida, neste chão. / Meu “sim” é resposta, é meu jeito de amar, / estar com teu povo, contigo morar.

11 (Tom: A) Letra e Música: Frei Fabreti
O Senhor me chamou, / e eu respondi: "Eis-me aqui!" / O Senhor me chamou, / e eu respondi: "Eisme aqui, Senhor!" 1 – Para levar a Palavra que faz / tudo na vida ser bem melhor; / para anunciar novo tempo e viver / nova proposta que vem de Deus. 2 – Pra proclamar que o amor é maior, / e o novo Reino se faz de irmãos; / pra semear novo modo de ser: / ir ao encontro do irmão no amor. 3 – Para plantar a semente da paz / num coração que abrigou rancor; / para entoar a canção do bem / e entre as nações ser o seu sinal.

12 (Tom: E) Letra e Música: Geraldo Carlos da Silva
1 – Nós somos testemunhas do que Jesus falou, / nós somos missionários do Reino que deixou; / pois é nossa missão: profetas da alegria, / amar o nosso irmão, viver da Eucaristia. Feliz é quem habita a casa do Senhor. / Feliz é quem revive ali o seu amor. (bis) 2 – Aqui e agora somos profetas do amanhã: / artífices da paz vivendo a fé cristã; / pois é nossa missão: profetas da alegria, amar o nosso irmão, viver da Eucaristia. 3 – Nós somos os herdeiros da ressurreição, / pois Cristo é a meta da nossa vocação; / pois é nossa missão: profetas da alegria, / amar o nosso irmão, viver da Eucaristia. 4 – O Cristo, nossa Páscoa, foi quem nos escolheu / pra difundir o Reino e o amor que o Pai nos deu; / pois é nossa missão: profetas da alegria, / amar o nosso irmão, viver da Eucaristia.

16 (Tom: C) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Somos chamados a evangelizar, / a Boa Nova do Reino anunciar. / Quebrar algemas dos corações cativos, / dizer que ainda há motivos / pelos quais vamos lutar. Vai, missionário, o mundo te espera, / anuncia esta nova era / que já se faz por acontecer. / Que o DeusConosco, conosco se faz presente, / grita alto ao mundo descrente / pra que no amor todos possam crer. 2 – Somos chamados a profetizar, / em toda parte a justiça anunciar, / anunciar esse Reino de igualdade, / de justiça e de verdade onde todos têm lugar.

17 (Tom: E) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Alegres vamos à Casa do Pai / e na alegria cantar seu louvor. / Em sua casa, somos felizes: / participamos da ceia do amor. 1 – A alegria nos vem do Senhor, / seu amor nos conduz pela mão. / Ele é luz que ilumina o seu povo, / com segurança lhe dá a salvação. 2 – O Senhor nos concede os seus bens, / nos convida à sua mesa sentar. / E partilha conosco o seu Pão, / somos irmãos ao redor deste altar. 3 – Voltarei sempre à casa do Pai, / de meu Deus cantarei o louvor. / Só será bem feliz uma vida / que busca em Deus sua fonte de amor.

13 (Tom: E) Letra: Pe. Pedro Brito Guimarães / Música: Frei Fabreti
Eis-me aqui, Senhor, (2x) / pra fazer tua vontade, / pra viver no teu amor: (2x) / Eis-me aqui, Senhor! 1 – O Senhor é o Pastor que me conduz / por caminho nunca visto me enviou, / sou chamado a ser fermento, sal e luz / e, por isso, respondi: aqui estou! 2 – Ele pôs em minha boca uma canção, / me ungiu como profeta e trovador / da história e da vida do meu povo / e, por isso, respondi: aqui estou! 3 – Ponho a minha confiança no Senhor. / Da esperança sou chamado a ser sinal, / seu ouvido se inclinou ao meu clamor / e, por isso, respondi: aqui estou!

18 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Cecília Vaz Castilho
A gente tem um mundo pra celebrar; / é Deus que está no fundo deste meu cantar. (bis)

1 – Aqui nos reunimos pra agradecer: / a vida é um presente, nela eu posso crer! 2 – Eu vim pedir perdão por te desconhecer. / Agora, em cada irmão, eu vou te receber. 3 – O que estou sofrendo vai construir, / pois tudo aqui é vida pra se repartir. 4 – O amor nos fez um povo pra te louvar, / e todo dia é novo tempo de amar.

1 – Nossos irmãos repartiam os seus bens, / fraternalmente, tinham tudo em comum. / E era grande a alegria e união, / no dia-a-dia e ao partir o pão. 2 – Hoje de novo a Palavra nos reúne / e com a mesma união e alegria, / vamos, na Ceia do Senhor, "Partir o Pão", / para depois repartir com nosso irmão.

24 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Weber
Juntos como irmãos, membros da Igreja, / vamos caminhando, vamos caminhando, / juntos como irmãos, ao encontro do Senhor. 1 – Somos povo que caminha / num deserto como outrora, / lado a lado, sempre unidos / para a terra prometida. 2 – Na unidade caminhemos, / foi Jesus quem nos uniu, / nosso Deus hoje louvemos, / seu amor nos reuniu. 3 – A Igreja está em marcha: / a um mundo novo vamos nós / onde reinará a paz, / onde reinará o amor.

19 (Tom: C) Letra e Música: João Bento de Souza
1 – Celebremos com alegria nosso encontro, / Jesus Cristo é nosso ponto de união. / É o caminho que nos leva para a vida, / a verdade que nos traz libertação. Formamos a Igreja viva, / que caminha para o Reino do Senhor. / Vivendo em comunidade, / nós faremos este mundo ser melhor. 2 – Vamos juntos construir fraternidade, / Trabalhando pela paz universal. / Ser semente de uma nova sociedade, / gente unida para combater o mal. 3 – Jesus Cristo realiza a unidade / e não quer que nós vivamos separados. / Na união teremos força pra vencer / e ajudar o nosso irmão desamparado.

25 (Tom: Em) Letra: Pe. José Weber / Música: C. Haffter
1– Anunciaremos teu Reino, Senhor! / Teu Reino, Senhor! Teu Reino! Reino de paz e de justiça! / Reino de vida e verdade! / Teu Reino, Senhor! Teu Reino! Reino de amor e de graça! / Reino que habita em nós, teus filhos! / Teu Reino, Senhor! Teu Reino! Reino que sofre violência! / Reino que não é deste mundo! / Teu Reino, Senhor! Teu Reino! Reino que já começou! / Reino que não terá fim! / Teu Reino, Senhor! Teu Reino!

20 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. (bis) 1 – Guardo no meu coração tua Palavra / para não te ofender. 2 – Tua fala permanece para sempre, / é eterna como o céu. 3 – Minha boca sempre cante tua Palavra, / pois são justos teus preceitos.

2– 3– 4–

21 (Tom: G) Letra: Gildes Bezerra / Música: Amaury Vieira
De onde vens, o’ caminheiro? / Vim dos campos do sertão. / Pra onde vais, o’ companheiro? / Vou querer ganhar meu pão! 1 – Este chão é teu lugar, / não precisas mais seguir. / Temos paz para te dar, / temos pão pra repartir. 2 – Sou bem pobre e nada tenho / que não caiba no olhar. / Amor trago de onde venho, / nessas mãos pra trabalhar. 3 – Caminheiros sem fadiga, / somos pau da mesma cruz. / Somos grãos da mesma espiga, / peregrinos de Jesus.

26 (Tom: Dm) Letra e Música: Frei Domingos dos Santos
1 – Peregrino nas estradas de um mundo desigual, / espoliado pelo lucro e ambição do capital; / do poder do latifúndio enxotado e sem lugar, / já não sei pra onde andar: / da esperança, eu me apego ao mutirão. Quero entoar um canto novo de alegria / ao raiar aquele dia / de chegada em nosso chão. / Com meu povo celebrar a alvorada, / minha gente libertada, / lutar não foi em vão. 2 – Sei que Deus nunca esqueceu dos oprimidos o clamor / e Jesus se fez do pobre companheiro e servidor; / os profetas não se calam, denunciando a opressão, / pois a terra é dos irmãos / e na mesa igual partilha tem que haver. 3 – Pela força do amor, o universo tem carinho / e o clarão de suas estrelas ilumina o caminho. / Nas torrentes da Justiça meu trabalho é comunhão. / Arrozais florescerão! / E em seus frutos liberdade colherei.

22 (Tom: Em) Letra: Jaime Vitalino dos Santos / Música: Pe. José
Weber

De Cristo o Novo Mandamento eu hoje escolho: / Amar e perdoar sem medir, sem calcular. / Longe de mim: "Dente por dente e olho por olho!" 1 – De pé para fazer minha oração, / eu começo perdoando a meu irmão. / Não pode unir-se a esta reunião / quem não traz consigo a reconciliação. 2 – Ouvistes que foi dito: Amai o amigo! / Eu, porém, vos digo: Amai o inimigo. / Fazei o bem a quem vos odiar; / e por quem vos perseguir deveis orar! 3 – Não basta sete vezes perdoar, / mas setenta vezes sete: sem contar. / Perfeitos como o Pai celestial: / não pagueis a ninguém o mal com o mal.

27 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1– 2– O’ Pai, somos nós o povo eleito / que Cristo veio reunir. (bis) Pra viver da sua vida, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia! Pra ser Igreja peregrina, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia! Pra anunciar o Evangelho, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia! Pra servir na unidade, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia!

23 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Everaldo Peixoto
E todos repartiam o pão / e não havia necessitados entre eles. (bis)

3– 4–

5 – Pra celebrar a sua glória, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia! 6 – Pra construir um mundo novo, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia! 7 – Pra caminhar na esperança, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia! 8 – Pra ser sinal de salvação, aleluia! / O Senhor nos enviou, aleluia!

32 (Tom: Am) Letra: Maria de F. de Oliveira / Música: Djanira L. dos
Santos

1– 2–

28 (Tom: C) D.R.
1 – Nós somos o povo, / porém desejamos viver seu projeto / de fraternidade, / partilha e justiça, / de vida e verdade. Vamos, irmãos, lutar / por este mundo novo / com fé no Deus que ama, / nos salva e nos liberta. (bis) 2 – Se somos Igreja, / temos compromisso com o mundo novo. / Somos responsáveis pela caminhada da história do povo. 3 – Jesus deu exemplo, / se comprometeu com o projeto do Pai. / Quem nEle acredita faz do mesmo jeito, da luta não sai. 4 – Olhando o passado / pra animar o presente em rumo ao futuro, / a realidade será iluminada, não fica no escuro.

3– 4–

Vimos te louvar em tua casa, o’ Senhor. / Somos a família que teu Filho congregou. Teu povo, tua família, vem hoje, com gratidão, / louvar o teu nome santo, / unidos na adoração. Cantamos a tua graça, o teu infinito amor; / a prece de nossas vidas, /em casa já começou. Das faltas contra a unidade queremos pedir perdão. / É falta todo egoísmo / que gera separação. Começa em nossa casa a vida em fraternidade. / Possamos, com tua graça, / vivê-la na liberdade.

33 (Tom: A) Letra: Edson de Castro / Música: Waldeci Farias
Vimos te encontrar em tua casa, o’ Senhor. / Somos o teu povo / reunido em teu amor. (2x) 1 – O’ Pai, nos reunimos em torno do altar / pra celebrar a Ceia, / memória do Senhor. / Trazemos nossa vida, / queremos te louvar. / Por aquilo que nos dás, / nosso canto é gratidão. 2 – O’ Pai, nos alegramos em torno do altar / em celebrar a Ceia, / em nome do Senhor. / És fonte de alegria, / queremos te seguir, / pois um dia nos darás um lugar bem mais feliz. 3 – O’ Pai, nos encontramos em torno do altar / pra celebrar a Ceia, / presença do Senhor. / Perdão das nossas faltas / queremos te pedir, / por aquilo que nos faz / separar-nos de ti.

29 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
Somos um povo que alegre vai / marchando dia a dia ao encontro do Pai. / Aqui reunidos nós participamos / desta Igreja santa que pro céu vai caminhando. 1 – Todos congregados pelo amor do Senhor, / nossa voz unida cantará seu louvor. 2 – Todos, peregrinos, pela terra passamos, / nossa fé ardente vai o mundo iluminando. 3 – Temos alegria de viver como irmãos, / entre nós começa a unidade dos cristãos. 4 – A esperança fala de um mundo melhor, / onde não existe mais tristeza nem dor.

34 (Tom: G) Letra: Nilo Aparecida Pinto / Música: Pe. José Weber
Vamos servir: Jesus manda servir. / Ele serviu ao Pai e a seus irmãos. / Quero acolher, Senhor, vossa palavra, / seguir o vosso exemplo! 1 – Como o Verbo encarnado vindo ao mundo, / com a missão de salvar o pecador, / disse ao Pai, aceitando o sacrifício: / "Eis que venho fazer vossa vontade!" 2 – Sendo Deus não teve apego à sua glória, / sendo servo de todos, proclamava: / "Não me agrada ser servido, mas servir, / e pela vossa salvação darei a vida!"

30 (Tom: E) Letra e Música: Frei Gotzon Aulestia
Unidos todos, vamos celebrar / o Pão de Deus, a Páscoa do amor! / Raças, povos e todo o universo, / cantai um hino ao Senhor! 1 – A quem de ti tem fome, / vou repartir o pão. / A quem de mim precisa, / vou dar-lhe a minha mão. 2 – Quem busca a verdade, / a encontra na oração. / Quem quer fraternidade, / encontrará um irmão.

35 (Tom: E) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – O’ Senhor, nós estamos aqui, / junto à mesa da celebração, / simplesmente atraídos por Vós, / desejamos formar comunhão! Igualdade, fraternidade, nesta mesa nos ensinais. / As lições que melhor educam, na Eucaristia / é que nos dais. (2x) 2 – Todos cantam o vosso louvor, / pois em Vós todos somos irmãos. / Ouviremos com fé, o’ Senhor, / os apelos de libertação. 3 – Este encontro convosco, Senhor, / incentiva a justiça e a paz; / nos inquieta e convida a sentir / os apelos que o pobre nos faz. 4 – Acolheis, com o vosso perdão, / todo homem disposto a crescer; / ao redor desta mesa, Senhor, / a unidade podemos viver!

31

(Tom: F) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Waldeci Farias

1 – Vamos todos, irmãos, reunidos, / ao Senhor, nosso Deus, adorar. / Ele quer, pelo nosso trabalho, / mundo novo e fraterno criar. Senhor, na tua casa entramos com louvor. / Nós somos o teu povo, irmãos no teu amor. 2 – Mas o homem no seu egoísmo / muito explora o trabalho do irmão. / Nele ofende a imagem divina / e por isso pedimos perdão. 3 – Tu és Santo, és a Fonte da Vida / e nos chamas contigo a lutar. / Obrigado porque, trabalhando, / nossa história podemos mudar. 4 – Vem conosco, Senhor, caminhar, / e que haja no mundo, em verdade, / para todos justiça e trabalho, / na alegria da fraternidade.

36 (Tom: A) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Pe. Lucas de Paula
Almeida

1–

2–

3–

4–

No seu Reino Jesus deixa entrar / quem o pobre, o menor libertar. / "Quem acolhe o menor,com amor, / me acolhe", nos diz o Senhor. No deserto Jesus passa fome. / O deserto água e vida não tem. / Se há menores sem pão e sem nome, / é que somos deserto, também. Lá, no monte, no rosto divino, / nossa face é que brilha e reluz. / Mas, no rosto de tanto menino, / onde está, meu Senhor, tua luz? Teve sede Jesus junto ao poço... / Eis a imagem tocante, mas dura, / dos menores que são pele-e-osso, / bem ao lado de nossa fartura! Na piscina do Grande Esperado, / Cristo faz mais um cego enxergar. / Assim eu, por Jesus batizado, / vejo irmão na criança sem lar!

Louvai, louvai, louvai ao Criador! / Cantai, cantai, cantai a Deus, que é nosso Pai! 1 – Cantai salmos de alegria, / cantai salmos de gratidão. / Cantai salmos em louvor / ao Deus, que é Pai e nosso Irmão. 2 – Louvai, homens, terra inteira! / Louvai com todo fervor. / Louvai a Deus, que é somente / misericórdia e amor. 3 – Louvando e sempre cantando, / caminhando em direção / ao Deus que nos acompanha / para o encontro com o irmão.

42 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1– Desde a eternidade o amor fecundo de meu Pai, / belo paraíso para todos quis criar. / Vinde, meus irmãos, dou-vos minha paz! / O Reino de Deus vamos semear! Tudo preparado, faltava o melhor. / “Homens e mulheres aqui vivereis. / Tudo é vosso, vinde ver! ” / Meu Pai só quer que a vida preserveis. Mas a liberdade não pode faltar / quando o compromisso é viver pleno amor. / Mesmo quando o mal se impõe, / meu Pai sustenta a vida com vigor. Deus ouviu o céu, do seu povo o clamor, / hoje estou convosco, preciso cumprir / a vontade do meu Pai / não vim pra ser servido, mas servir. Vim servir à vida, presente de Deus, / paz, e liberdade, e justiça, e perdão, / novo Reino entre as nações, / fazer dos povos todos mundo irmão!

37 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Aqui nos encontramos / reunidos no amor de Deus, / para louvar, alegres, nosso Pai, / como convém aos filhos seus. Cantemos juntos o seu louvor, / pois Ele é nosso Deus e Senhor! (bis) 2 – De todos os lugares / à sua mesa Ele nos chamou / para que assim possamos em família / cantar o bem que Ele nos fez. 3 – O amor, a graça, a vida / nós buscamos aqui, Senhor, / para voltarmos fortes, animados / à luta contra o mal e a dor.

2–

3–

4–

38 (Tom: D) D.R.
1 – Senhor, quem entrará no santuário / pra te louvar? (2x) / Quem tem as mãos limpas e o coração puro, / quem não é vaidoso e sabe amar. (2x) 2 – Senhor, eu quero entrar no santuário / pra te louvar. (2x) / Oh! dá-me mãos limpas e um coração puro, / arranca a vaidade, ensina-me a amar. (2x) 3 – Senhor, já posso entrar no santuário pra te louvar. (2x) / Teu Sangue me lava, teu fogo me queima, / o Espírito Santo inunda meu ser. (2x)

43 (Tom: Em) Letra: Nelson Gil Tolentino / Música: Pe. Osmar A.
Bezutte

Vamos em torno deste altar / receber a mensagem de amor, / onde Jesus nos vai mostrar / os caminhos do Deus salvador. 1 – A estrada de Deus nos conduz / pelo mundo ao encontro do irmão, / que não teve o anúncio da cruz, / que não sabe se há salvação. 2 – Toda terra é campo, é missão / pra quem sabe amar e lutar, / e fazer a Igreja plantar / liberdade, amor, salvação.

39 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Sílvio Milanez
Bem contentes viemos, Senhor, / pra cantar jubiloso louvor. / Nossa vida está cheia de graça / a mostrar tua amável presença. 1 – Por meus olhos que vêem, / eu te canto louvor, / eu te vejo em meu ser. / Como és bom, meu Senhor! (bis) 2 – Tudo vem só de ti, / que és fonte do ser. / Toda glória a ti, / toda honra e poder. (bis)

44 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Deus de nós quer formar um só povo / e em Jesus reunir todo homem no amor, / para que a vida trazida por Deus / seja vida em cada coração. Não me instalarei jamais / no pequeno mundo meu. / Largo é o horizonte, o olhar / que alcança a fé. Muita gente nunca ouviu / a mensagem de Jesus. / Temos todos a missão / de evangelizar. A Igreja do Senhor / é presença, é sinal / deste Reino que dos céus / veio até nós. Com o mesmo amor de Deus / procuremos nosso irmão, / para que ele chegue à fé, / pela conversão.

1– 2– 3–

40 (Tom: F) Letra e Música: Frei Fabreti
A Bíblia é a Palavra de Deus / semeada no meio do povo, / que cresceu, cresceu e nos transformou, / ensinando-nos viver um mundo novo. 1 – Deus é bom, nos ensina a viver, / nos revela o caminho a seguir. / Só no amor, partilhando seus dons, / sua presença iremos sentir. 2 – Somos povo, o Povo de Deus, / e formamos o reino de irmãos. / E a Palavra, que é viva, nos guia / e alimenta a nossa união.

4–

45 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Carlos Susin
1 – Abre, Senhor, os meus lábios, / pois quero entoar a canção / que vem da fonte da vida / e toma o meu coração. Abre, Senhor, os meus lábios / e toma o meu coração. 2 – Tu és rochedo que salva / nas águas do mar desta vida. / É teu o abismo profundo / é tua a montanha infinita. 3 – Tu és um Deus diferente / que rompe, liberta, alivia. / Um coração mesmo duro, / Tu o transformas num dia.

41 (Tom: A) Letra e Música: Waldeci Farias

4 – Hoje eu canto a alegria / de estar com teu povo unido. / Sim, somos teus consagrados, / reunidos ao som deste hino. 5 – Quando a vida se torna / deserto de dura aflição. / Que nós possamos ouvir-te, / mostra-nos a direção.

46 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Deus está chamando o povo pra se unir. / Formaremos, sim, uma família só, / tendo à frente um Deus que nos quer bem. Senhor, aqui estamos pra ouvir a tua voz; / marchamos destemidos para te encontrar. / E sempre te encontramos na tua Palavra / e na fração do Pão que vamos celebrar. 2 – Vinde, irmãos, uni a voz ao coração / pra cantar com fé, para agradecer / quanta coisa fez o nosso Deus. 3 – Caminhar, andar, correr sem descansar; / nossa vida é um deserto infindo, / vamos sempre em busca do amor.

2 – Vinde, um canto novo ao Senhor cantai! (bis) / Seu nome, o’ terra inteira, vinde, celebrai! (bis) 3 – Dia após dia cantai sua vitória! (bis) / Entre os povos todos cantai sua glória! (bis) 4 – Nada são os grandes, tudo é ilusão! (bis) / Quem fez os céus merece nossa louvação! (bis) 5 – Em seu Santuário só se vê beleza! (bis) / Trazei-lhe as ofertas de nossa pobreza! (bis) 6 – Céus e terra cantam de tanta alegria! (bis) / A Deus que hoje nos deu este novo dia! (bis) 7 – Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito! (bis) / Glória à Trindade Santa, Glória ao Deus bendito! (bis) 8 – Vinde, adoremos, Cristo ressurgiu! (bis) / A criação inteira, Ele redimiu! (bis) 9 – Aleluia, irmãos, vinde com fervor! (bis) / Povo de sacerdotes, a Deus o louvor! (bis)

51 (Tom: F) Letra: Pe Virgílio / Música: Frei Fabreti
1 – É o amor de Cristo que me faz cantar. / É o amor do irmão que me faz caminhar. / A Boa Nova da liberdade / nestas mãos eu trago pra quem sabe amar. Creio que amor triunfará! / Logo justiça voltará! / E da velha terra, / vida nova nascerá! 2 – É a fé em Cristo a me confortar. / Força no sofrer e luz a me guiar. / Pela poeira da longa estrada, / a esperança levo da ressurreição.

47 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Sabe quanto custa um filho seu partir, / certo que uma herança poupará suor? / O silêncio diz que vai se ferir. / Ao cair em si, nada ao seu redor. Vamos preparar tudo sem igual, / tragam do rebanho o que melhor cresceu: / roupas e um anel, nem perguntem qual, / que hoje esse meu filho renasceu. 2 – Sabe quanto custa ter um filho seu / longe, sem notícia, descuidado assim? / A esperança diz que não se perdeu: / logo voltará, tenho bem pra mim! 3 – Sabe quanto custa ter um filho ao léu, / fome, desconsolo, triste, sem ninguém? / Coração me diz: vai sentir-se um réu, / mas se levantar saberá também!

52 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Te louvo, meu Senhor, pois olhaste para mim. / Caídos e humilhados têm sempre o teu favor. / Se eu não tinha nada, bastou-me dizer sim: / és o meu socorro, meu Deus, meu Salvador. Teu amor sempre faz maravilhas: / a quem se faz menor estende tua mão; / és a luz dos teus filhos e filhas, / vigor de quem não fecha o coração! 2 – Te louvo, meu Senhor, o teu nome é sem igual, / fizeste grandes coisas em mim que nada sou. / O teu nome é santo, superas todo o mal / e onde houver bondade tua mão já transbordou. 3 – Te louvo, meu Senhor, pois assim é teu poder: / dispersa os prepotentes, acolhe quem sofreu, / fere os poderosos, mas nutre e faz crescer / quem se reconhece pequeno filho teu.

48 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhor, atendei os pedidos. / Senhor, escutai nossa voz, / pois sempre serão atendidos / aqueles que esperam em Vós. Vinde, Senhor, visitar vosso povo: / em Jesus Cristo recriá-lo de novo. (bis) 2 – Vós sois nossa grande esperança, / certeza de libertação. / Mandai vosso Filho criança / ao mundo trazer salvação. 3 – Do céu vai jorrar água viva, / que faz o deserto florir / e quem esta graça cultiva / feliz haverá de sorrir.

49 (Tom: D) Letra e Música: Frei Fabreti
Javé, o Deus dos pobres, do povo sofredor, / aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor. / Pra nos dar esperança / e contar com sua mão, / na construção do Reino, Reino novo, povo irmão. 1 – Sua mão sustenta o pobre, / ninguém fica ao desabrigo. / Dá sustento a quem tem fome / com a fina flor do trigo. 2 – Alimenta os nossos sonhos, / mesmo dentro da prisão; / ouve o grito do oprimido, / que lhe toca o coração. 3 – Cura os corações feridos, / mostra ao pobre seu poder. / Dos pequenos a defesa: / deixa a vida florescer.

53 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Lucas de Paula Almeida
1 – Jesus sempre estava a caminhar / com amor a visitar as aldeias do país, / a pé, sem dinheiro a carregar, / sem ter casa pra morar, na pobreza mui feliz. As multidões acorriam ao Pastor / para ouvir a sua voz que falava do amor. / O bom Pastor procurava socorrer / quem não tinha lar nem pão, nem saúde pra viver. 2 – Jesus, contemplando as multidões, / sente grande compaixão pelo seu abatimento. / Está já cansado em sua dor, / são ovelhas sem pastor, / vivem só de sofrimento. 3 – Jesus, vendo o povo, diz assim: / "A seara não tem fim, mas são poucos pra ceifar. / Pedi meus discípulos ao Pai, / operários enviai para a messe cultivar." 4 – Senhor, muitas graças eu te dou: / sou semente que brotou do clamor do povo teu. / Em mim põe agora aquele amor / de Jesus o bom Pastor, / que por nós na cruz se deu.

50 (Tom: F) Letra e Música: Frei Domingos dos Santos
1 – Estes lábios meus vinde abrir, Senhor! (bis) / Cante esta minha boca o vosso louvor! (bis)

54 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. José Weber
Reúne o teu povo, Senhor nosso Deus; / reúne os eleitos de toda a terra, / para viver na união do Espírito Santo, teu dom, / para louvar, bendizer e cantar teu amor. (2x) 1 – Exorto-vos, irmãos, em nome do Senhor, / que não haja entre vós discórdia e divisão! / Ficai sempre unidos no mesmo parecer, / na mesma fé comum, no Espírito de Cristo! 2 – Nós temos dons diversos, carismas diferentes; / mas um só e mesmo Espírito atua em todos nós, / levando à unidade, para na caridade edificar / o Corpo de Cristo que nós somos. 3 – O corpo é um só, mas tem membros diversos / que, apesar de muitos, formam um só Corpo, / assim também em Cristo formamos um só Corpo, / pois fomos batizados num só e mesmo Espírito.

1 – Com a presença de Cristo entre nós, / temos certeza que o Reino chegou. / Tudo de novo renasce de Deus / e o povo sente que tudo mudou. Este é o Reino chegando, / aurora nascendo e a fonte jorrando. / Jesus está vivo no meio de nós. 2 – Jesus convoca e reúne no amor, / faz enxergar o que o povo não vê. / Revela ao pobre seu grande valor, / garante a vida a todo o que crê. 3 – O povo simples encontra em Jesus / uma resposta que vem confirmar: / o que é de Deus, o que é bom, o que é luz / e um tempo novo que vai começar.

59 (F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Juntos, bem presentes estamos / e na fé celebramos nosso encontro / com Deus e Senhor. / Temos nossa história da vida, / seja alegre ou sofrida tudo canta / em sincero louvor. Viver é encontrar-se com Deus, com os irmãos. / No encontro com o mundo está nossa missão. 2 – Gestos, todo o bem que fazemos / nesta hora trazemos num encontro / de fé, gratidão. / Passos, nos caminhos que andamos, / para Deus orientamos / como um povo que quer ser irmão. 3 – Tempo, ocupado na lida / a serviço da vida corresponde / ao que Deus quer de nós. / Sonhos, de um mundo fraterno / só o amor que é eterno / pode nos garantir e nos dar.

55 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – A vida pra quem acredita / não é passageira ilusão. / E a morte se torna bendita, / porque é nossa libertação. Nós cremos na vida eterna / e na feliz ressurreição, / quando de volta à casa paterna, / com o Pai os filhos se encontrarão. 2 – No céu não haverá tristeza, / doença, nem sombra de dor: / e o prêmio da fé é a certeza / de viver feliz com o Senhor. 3 – O Cristo será, neste dia, / a luz que há de em todos brilhar; / a Ele, imortal melodia, / os eleitos hão de entoar.

60 (Tom: F) Letra: Maria de F. de Oliveira / Música: Pe. José Freitas
Campos

56 (Tom: E) Letra: Flávio Irala / Música: Valdomiro de Oliveira
1 – Estamos aqui, Senhor, / viemos de todo lugar, / trazendo um pouco do que somos / pra nossa fé partilhar. Trazendo o nosso louvor / um canto de alegria. / Trazendo a nossa vontade / de ver raiar um novo dia. (2x) 2 – Estamos aqui, Senhor, / cercando esta mesa comum, / trazendo idéias diferentes, / mas em Cristo somos um. E, quando sairmos daqui, / nós vamos para voltar, / na força da esperança / e na coragem de lutar. (2x)

57 (Tom: E) Letra e Música: Zé Vicente
Como te cantarei, Senhor? Como te cantarei, Senhor? (bis) 1 – Quando a justiça nos falta, quando o poder nos oprime, / quando forçaram calar nossa voz, nossa dor, Senhor! / Quando da terra expulsos, em terra alheia sofremos, / quando obrigaram a esquecer nossa história de amor, Senhor! 2 – Quando arrancam os frutos e o lucro de nossas mãos, / quando é negado ao pobre o direito e o valor, Senhor! / Quando perseguem e matam os companheiros da gente, / quando esmagam a esperança e nos fazem o terror, Senhor! 3 – Quando prometem e enganam a confiança do povo, / quando dividem os pequenos num plano traidor, Senhor! / Quando na Cruz te afogaste, no poço de nossa dor, / contigo ressuscitamos, Jesus vencedor, Senhor!

1 – No princípio Deus fez o universo, / céus, estrelas, aurora, luar / e enfeitou de mil flores o berço / onde a vida pudesse habitar. Jesus Cristo ontem, hoje. / Homem-Deus, eterno sim. / DEle os tempos e os milênios, / dEle os séculos sem fim! (2x) 2 – Neste espaço de graça e de cor, / pôs o homem, unido à mulher, / viva imagem do seu esplendor, / conscientes, com força e poder. 3 – Ressurgindo, Jesus nos revela / que o amor é mais forte que a morte / e se torna o alicerce, a estrela, / dando à vida um sentido e um norte. 4 – O caminho, a procura, a esperança, / nós queremos, o’ Pai, celebrar/ como povo da Nova Aliança, / de mãos dadas em torno do altar!

61 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Aves pelo céu, quais as flores do chão, / vivem como ao léu, mas têm sempre à mão / todo o seu sustento e cor, / porque Deus mesmo cuida com amor. Ninguém, olhando o chão, / supõe sementes mil / que assim crescendo estão. / Mas Deus fecunda o que assumiu! 2 – Com amor assim sua plantinha me fez. / Cada dia, enfim, sempre é minha vez. / Ele traz o seu calor, / me dá o sustento, todo o seu vigor. 3 – Estes frutos meus não têm vida por mim. / Tudo vem de Deus, do princípio ao fim: / ramo pequenino sou, / Ele é a videira, tudo me doou.

58 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra 62 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana

Que alegria, quando me disseram: / Vamos à casa do nosso Pai! 1 – Eterno Pai, Tu nos chamaste à vida: / nós somos filhos do teu grande amor. / Uma família sempre agradecida, / que se reúne para o teu louvor. 2 – Na tua casa, ao redor da mesa, / os que vieram vão se dando as mãos. / E tu contemplas toda essa riqueza / de ver os filhos sempre mais irmãos. 3 – E sobre a mesa, numa santa ceia, / Jesus se faz o teu sagrado pão. / Em nossas vidas teu amor semeia / para colher os dons da salvação.

1 – Só Vós sois minha força, o’ meu Deus, / preservai-me de todo o mal. 2 – Vós sois bom, Vós sois Pai, o’ meu Deus, / dai-me luz, dai-me paz, dai-me amor. 3 – E eu quero cantar-vos, meu Deus, / vosso nome eu quero louvar.

67 (Tom: C) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Waldeci Farias
Sou “Cidade sobre o monte”, / mensageiro sou da luz, / porque tenho em minha fronte / o sinal da Santa Cruz. 1 – Quero ter vida de gente, / eu não sou nenhuma ilha: / nesta Igreja, de presente, / Deus me dá uma família. 2 – Quero ter o bem profundo, / que o Batismo nos encerra: / ter seu reino no outro mundo, / ser seu povo aqui, na terra. 3 – Que o Batismo, então, nos faça / de verdade sermos um: / um só coração na graça, / partilhando o bem comum!

63 (Tom: G) Letra e Música: Haydn
1 – Deus eterno, a Vós louvor! / Glória a vossa majestade! / Anjos e homens com fervor / vos adoram, Deus Trindade. / Cante a terra com amor: / Santo, Santo é o Senhor. (2x) 2 – Pai Eterno, a Criação, / que tirastes Vós do nada, / repousando em vossa mão, / um acorde imenso brada: / quem me fez foi vosso amor, / glória a Vós, Pai criador. (2x) 3 – Filho eterno, nosso irmão, / vossa morte deu-nos vida, / vosso sangue, salvação. / Toda a Igreja, agradecida, / louva e exalta a Vós, Jesus, / glória canta à vossa cruz. (2x) 4 – Deus Espírito, Sol de amor, / procedeis do Pai, do Filho, / eis vos louvam vossos santos, / entoando eternos cantos: / Santo, Santo é o Senhor, / Uno e Trino, Deus de Amor. (2x)

68 (Tom: G) Letra: João de Araújo / Música: André Jamil Zamur
1 – Eu era ovelha desgarrada e sem pastor, / não mais vivia no aconchego de meu Deus; / mas o Senhor não me deixou sem seu amor / e, então, voltei e vi brilhar os sonhos meus! A ti, meu Deus, voltei / e na alegria teus caminhos vou trilhar, / teu amor encontrei / e com teu povo venho agora te louvar! 2 – Eu tinha tudo pra viver e ser feliz, / mas outra vida fui buscar longe de Deus; / porém o Pai no seu amor sempre me quis / e, então, voltei e vi brilhar os sonhos meus! 3 – A minha herança no pecado eu dissipei, / meu coração não mais pulsava no meu Deus; / mas o perdão de meu Senhor eu encontrei / e, então, voltei e vi brilhar os sonhos meus!

64 (Tom: Fm) Letra e Música: José Raimundo Brandão
1 – Vamos todos celebrar / o novo que vai chegar, / com a Palavra nos fortalecer / e o novo tempo evangelizar. Jesus ontem, hoje e sempre / quero ser fermento na tua missão, / compartilhar teu profetismo: / converte e transforma o meu coração. 2 – Nossa fé testemunhar / no mundo que aí está. / União, diálogo promover, / a sociedade vamos transformar. Jesus, limiar dos tempos, / um novo advento quero anunciar: / supremo amor, paz e justiça / vida plena veio nos comunicar.

69 (Tom: Am) Letra e Música: José Roberto
Venha, irmão, vamos trabalhar, / o Reino de justiça em toda a terra anunciar. (bis) 1 – Nossa Igreja necessita é de gente destemida, / que o preço do Evangelho pague até com sua vida. 2 – Nossa gente é tão sofrida, oprimida que dá dó. / Mas, se o povo se organiza, nascerá um mundo melhor. 3 – Todos temos o dever: da missão não se esquivar. / Quem se omite do Evangelho deve até se envergonhar.

65 (Tom: A) Letra: João de Araújo / Música: Frei Luiz Turra
1 – Volta, meu povo, volta agora ao teu Senhor. / Vem celebrar a grande paz do teu perdão, / pois, ao te ver, o’ povo meu, longe do amor, / imensa dor sinto agitar meu coração. Tu és, Senhor, o nosso Deus / e somos teus também, Senhor! / Queremos, sim, viver no amor, / plantar a paz dos sonhos teus! 2 – De teus pecados desviei o meu olhar, / as tuas culpas atirei longe de mim! / Sempre te amei e te criei só para amar. / Volta, meu povo, e vem amar também assim. 3 – Vem, povo meu, e busca agora o teu Senhor. / Um Deus mais santo tu não podes encontrar! / Se sempre quis te ver feliz, ser teu pastor, / de todo o mal, eu quero, pois, te libertar.

70 (Tom: F) Letra: Dom Carlos Alberto Navarro / Música: Waldeci
Farias

Eis, meu povo, o banquete, / que preparei para ti! / Sofredor, pecador, também, / todo pobre é bem-vindo aqui! 1 – Quis preparar um banquete festivo, / mandei convidar multidões! / Muitos amigos deixaram de vir / e fecharam os seus corações. 2 – Mandei os servos por ruas e praças: / “Fazei todo o povo entrar!” / “Cego e coxo, o pobre, o infeliz, / venham todos comigo cear!”

71 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Weber
Nós somos muitos, mas formamos um só Corpo, / que é o Corpo do Senhor, a sua Igreja; / pois todos nós participamos do mesmo Pão da unidade, / que é o Corpo do Senhor, a Comunhão.

66 (Tom: F) Letra: C.P.D. / Música: Pe. J. Gelineau
Do altar de Deus me aproximarei, / meu Deus e minha vida.

1 – O pão que reunidos nós partimos / é a participação / do Corpo do Senhor. 2 – O cálice por nós abençoado / é a nossa comunhão / no Sangue do Senhor. 3 – À ordem do Senhor obedecendo, / celebramos a memória / da nossa redenção. 4 – Da Ceia do Senhor participando, / pelo Espírito seremos / unidos num só Corpo. 5 – Seu Corpo e seu Sangue comungando, / sua morte anunciamos, / até que Ele venha.

3 – São Pedro é Igreja, São Paulo é Igreja, / somos Igreja do Senhor. / Irmão, vem... 4 – Os leigos são Igreja, os padres são Igreja, / somos Igreja do Senhor. / Irmão, vem... 5 – Os homens são Igreja, as mulheres são Igreja, / somos Igreja do Senhor. / Irmão, vem... 6 – Os pobres são Igreja, os ricos são Igreja, / somos Igreja do Senhor. / Irmão, vem... 7 – Os jovens são Igreja, os velhos são Igreja, / somos Igreja do Senhor. / Irmão, vem...

72 (Tom: Bm) Letra e Música: David Julien
1 – Reunidos em torno dos nossos pastores, nós iremos a ti. / Professando todos uma só fé, nós iremos a ti. / Armados com a força que vem do Senhor, nós iremos a ti. / Sob o impulso do Espírito Santo, nós iremos a ti. Igreja santa, templo do Senhor. / Glória a ti, Igreja santa, / o’ cidade dos cristãos. / Que teus filhos hoje e sempre / vivam todos como irmãos! 2 – Com nossos anseios e nossos desejos... / Com nossas angústias e nossas alegrias... / Com nossa fraqueza e nossa bondade... / Com nossa riqueza e nossa carência. 3 – Curvados ao peso de nosso trabalho... / Curvados ao peso de nossos pecados... / Confiantes por sermos os filhos de Deus... / Confiantes por sermos os membros de Cristo.

76 (Tom: D) Letra e Música: Maria Luíza Ricciardi
Agora é tempo de ser Igreja, / caminhar juntos, participar. (bis) 1 – Somos povo em missão, / já é tempo de partir. / É o Senhor que nos envia, / em seu nome a servir. 2 – Somos povo a caminho, / construindo em mutirão / nova terra, novo reino, / de fraterna comunhão.

77 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1 – Tem que ser agora, / já chegou a hora da condivisão. / Deus é Pai da gente, / fez-nos diferentes, mas nos quer irmãos. Eu sou dizimista, eu sou. / Vou ser dizimista, eu vou. / Vamos partilhar o que Deus nos dá, / todo nosso amor. (bis) 2 – Oh! que maravilha, / festa da partilha, sem obrigação. / Deus é Pai bondoso, / é tão generoso, multiplica o pão. 3 – Os irmãos carentes, / pobres e doentes se alegrarão / quando a nossa oferta / for de mão aberta, for de coração.

73 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Vejo a multidão em vestes brancas, / caminhando alegre, jubilosa: / é a aclamação de todo o povo / que Jesus é seu Senhor. Também estaremos nós, um dia, / assim regenerados pelo amor. / Nesta esperança viveremos, / somos a família dos cristãos. / Nossa lei é sempre o amor. Povo que caminha rumo à pátria, / a nova cidadela dos cristãos. / Passos firmes, muita fé nos olhos, / muito amor carregam, são irmãos. / Nossa lei é sempre o amor. Rumo à liberdade, decididos, / nem sequer se voltam para trás. / Muita violência se fizeram, / alcançaram com denodo a paz. / Nossa lei é sempre o amor. Nós aqui estamos ansiosos, / celebrando o dia do Senhor. / Não nos custa crer, / pois, afinal, unidos já estamos no amor. / Nossa lei é sempre o amor.

1–

78 (Tom: G) Letra: Cícero Alencar / Música: Norival de Oliveira
1 – Somos gente da esperança / que caminha rumo ao Pai. / Somos povo da Aliança / que já sabe aonde vai. De mãos dadas, a caminho / porque juntos somos mais / pra cantar o novo hino / de unidade, amor e paz. 2 – Para que o mundo creia / na justiça e no amor, / formaremos um só povo / num só Deus, um só Pastor. 3 – Todo irmão é convidado / para a festa em comum: / celebrar a nova vida / onde todos sejam um.

2–

3–

4–

74 (Tom: Bb) Letra e Música: Ir. Maria da Conceição Villac
1– 2– 3– 4– Com a Igreja subiremos / o altar do Senhor. Toda a Igreja aqui está / para o encontro com Deus. / Ele mesmo o marcou / para nós, filhos seus. Entre nós e o Pai santo / está Jesus, nosso Irmão: / mediador, sacerdote, / nosso ponto de união. Rezaremos com Cristo / o perfeito louvor / e seremos pro Pai / uma imagem de amor. Céus e terra estarão / na oblação de Jesus. / Quer unir num rebanho / os remidos da cruz.

79 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Entremos com grande alegria / na casa do Senhor, / em sua fiel companhia / cantemos seu louvor. Honra e glória à Santíssima Trindade, / honra e glória por toda a eternidade! / Honra e glória à Trindade Santa! 2 – Em nome do Pai sacrossanto, / do Filho salvador. / No amor do Espírito Santo / vivemos sem temor. 3 – Aqui todos juntos oramos / com fé e gratidão. / E a bênção de Deus invocamos / de todo o coração.

75 (Tom: E) D.R.
1 – A edificar a Igreja, (2x) / A edificar a Igreja do Senhor. Irmão, vem, ajuda-me, / irmã, vem, ajuda-me a edificar a Igreja do Senhor. 2 – Eu sou Igreja, tu és Igreja, / somos Igreja do Senhor. / Irmão, vem...

80 (Tom: A) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Quando o Espírito de Deus soprou, / o mundo inteiro se iluminou, / a esperança na terra brotou, / e um povo novo deu-se as mãos e caminhou. Lutar e crer, / vencer a dor, / louvar o Criador. / Justiça e paz hão de reinar. / E viva o amor!

2 – Quando Jesus a terra visitou, / a Boa Nova da justiça anunciou; / o cego viu, o surdo escutou, / e os oprimidos das correntes libertou. 3 – Nosso poder está na união: / o mundo novo vem de Deus e dos irmãos. / Vamos lutando contra a divisão / e preparando a festa da libertação. 4 – Cidade e campo se transformarão! / Jovens unidos na esperança gritarão! / A força nova é o poder do amor! / Nossa fraqueza é força em Deus libertador!

81 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Não há medo, incerteza ou cansaço, / quando o Espírito Santo nos vem: / quem temia recobra seu passo, / quem calava proclama, porém. Somos povo de Deus caminheiro, / testemunhas do Reino que vem; / renovar corações por inteiro,/ não deixando de lado ninguém. 2 – Toda a terra se vê transformada, / quando o Espírito Santo nos vem / e a Palavra de Deus é levada / aos cativos e aos pobres também. 3 – Vida nova na terra se faz, / quando o Espírito Santo nos vem. / A justiça é o caminho da paz. / Povo irmão: ninguém pesa ninguém.

1 – Nós estamos aqui reunidos / pela força da fé no Senhor. / Fomos todos por Ele escolhidos / como filhos do seu grande amor. Hoje e sempre o Senhor nos convida / para sermos mais santos e bons. / Nos envia a sua luz, sua vida / e a riqueza de todos os dons. 2 – Protegidos por Deus, qual um manto, / caminhamos sem medo e temor, / pois a força do Espírito Santo / faz em nós renascer o vigor. 3 – Como filhos de Deus, renovamos / compromisso a que fomos chamados. / Na esperança sua graça invocamos, / para sermos na fé confirmados.

85 (Tom: D) Letra e Música: Estêvão Bruyland
Vem, Espírito Santo, / vem e não demores, / vem e não demores! (bis) 1 – Faz dos cristãos que aqui estão / tuas testemunhas da ressurreição. / Da luta pela paz e o amor, / da luta por um mundo melhor. 2 – Vem animar a nossa missão, / vem trazer à nossa Igreja um novo vigor. / Vem iluminar a nossa vida, / vem nos unir como irmãos. 3 – Vem, Espírito Santo, e não demores, / vem renovar a face da terra. / Vem eliminar toda guerra, / vem libertar o teu povo!

82 (Tom: Em) D.R.
Chegando o dia de Pentecostes, / o Espírito de Deus, aleluia, / num vento impetuoso e em línguas de fogo, / encheu todo o universo, aleluia. O Espírito do Senhor encheu todo o universo. / É Ele que contém tudo e tem a ciência da palavra. Os justos se alegram, exultam na presença do Senhor / e triunfam jubilosos. É Ele que ao desamparado dá um lar, / leva a liberdade aos prisioneiros. Bendito seja Deus dia por dia, / Ele é o Deus de nossa salvação. Bendizei ao Senhor em coros festivos, / bendizei ao Senhor, filhos de Israel! É Ele que a seu povo dá força e poder, / bendito seja Deus!

86 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
Salve, Espírito Divino, nós viemos vos saudar! / Luz de Deus, que é Uno e Trino, vinde nos iluminar! (2x) 1 – Envolvei as nossas vidas com os dons do vosso amor. / Acendei os corações no vosso fogo abrasador. 2 – Vós, que um dia unificastes tantas línguas diferentes, / ensinai-nos a unidade, clareai as nossas mentes. 3 – Derramai a vossa luz, iluminai todos os povos. / Saibam promover a paz e procurar caminhos novos.

1– 2– 3– 4– 5– 6–

87 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Tua família aqui reunida / vem hoje pedir-te, Senhor, / a paz que nos vem de tua vida / e é fruto do teu amor. 1 – Quando o ódio, a vingança, o rancor, / vierem nos destruir, / nós queremos ser em tuas mãos / instrumentos do teu amor. 2 – Quando a treva, que ao erro conduz, / cegar muitos corações, / nós queremos ser em tuas mãos / instrumentos da tua luz. 3 – Quando a ofensa, a discórdia, enfim, / romperem a união, / nós queremos ser em tuas mãos instrumentos do teu perdão.

83 (Tom: F) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

1–

2–

3–

4–

Nós estamos aqui reunidos, / como estavam em Jerusalém, / pois, só quando vivemos unidos, / é que o Espírito Santo nos vem. Ninguém pára esse vento passando; / ninguém vê e Ele sopra onde quer. / Força igual tem o Espírito quando / faz a Igreja de Cristo crescer. Feita de homens, a Igreja é divina, / pois o Espírito Santo a conduz, / como um fogo que aquece e ilumina, / que é pureza, que é vida, que é luz. Sua imagem são línguas ardentes, / pois amor é comunicação. / E é preciso que todas as gentes / saibam quanto felizes serão. Quando o Espírito espalma suas graças, / faz dos povos um só coração. / Cresce a Igreja, onde todas as raças / um só Deus, um só Pai louvarão.

88 (Tom: D) Letra: Rafael P. da Silva / Música: João Carlos de Almeida
A família, como vai? / Meu irmão, venha e responda! / Quem pergunta é o Pai, / a verdade não esconda! 1 – Vem à igreja, reza e pede / um amor que sempre mede, / quando é hora de doar? / Sufocando o seu desejo, / vai vivendo no varejo, / não é templo, nem altar? / Vai levando a vida em curso, / pregadora de discurso, / sem combate à opressão? / Nada falta, tem de tudo, / tem até coração mudo / e jamais reparte o pão? 2 – Num viver de alegria, / dia e noite, noite e dia, / num eterno agradecer. / Com o pouco que se tem, / se trabalha para o bem, / sem deixar ninguém sofrer. / Coração que se

84 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana

faz templo, / modelando o bom exemplo / de amor puro e profundo. / Abram templo e coração, / para que na comunhão / se devolva a paz ao mundo.

89 (Tom: A) Letra: D. Carlos Alberto Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Não sei se descobriste a encantadora luz, / no olhar da mãe feliz que embala o novo ser. / Nos braços leva alguém, / em forma de outro eu. / Vivendo agora em dois, / se sente renascer. A mãe será capaz de se esquecer / ou deixar de amar algum dos filhos que gerou? / E, se existir, acaso, tal mulher, / Deus se lembrará de nós em seu amor. 2 – O amor de mãe recorda / o amor de nosso Deus: / tomou seu povo ao colo, / quis nos atrair. Até a ingratidão / inflama seu amor: / um Deus apaixonado / busca a mim e a ti!

1 – Eu me alegrei quando me disseram: / vamos à casa do Senhor. 2 – Os nossos pés já se detêm / às portas da grande cidade. 3 – Eis que ela é uma Cidade Santa, / edificada no Senhor. 4 – O povo todo a ela acorre, / louvando o nome do Senhor.

94 (Tom: A)
Farias

Letra: D. Carlos Alberto Navarro / Música: Waldeci

1 – Protegida por uma mulher / nossa família vem cantar / e a seu Pai, a Jesus redentor, / ao Espírito Santo, ela quer adorar. Sendo normal num lar, Deus quer também, na Igreja, / uma figura de mulher que proteja os cristãos. / Maria, Virgem Mãe, somos teus filhos e somos irmãos! 2 – A missão da mulher é velar / discretamente pelos seus. / Quem cuidou de Jesus, olha agora por nós, / a família dos filhos de Deus.

90 (Tom: Cm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Maria cheia de graça / não teme o que possa vir: / "Palavra de Deus não passa, / sem antes tudo florir!" Na casa de Nazaré / um sim ecoou sereno. / Na casa de Nazaré, / Deus mesmo se fez pequeno. 2 – José não temeu agrura, / Maria foi sempre forte. / E Deus encontrou ternura, / e o povo uma nova sorte. 3 – Maria foi resistente, / falou pelo povo seu: / "O braço do prepotente / Deus mesmo desmereceu!" 4 – Maria, toda humildade, / não foge nem mesmo à cruz, / confia: "Deus é bondade, / perdão, fortaleza e luz!"

95 (Tom: F) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Ao subir a montanha de pedra / que a Senhora escolheu por morada, / vem teu povo, romeiros devotos, / te louvar, Mãe de Deus, tão amada. És estrela do mar que nos guia, / a mais bela de todas as criaturas. / És o hino que todos cantamos: / glória a Deus, glória a Deus nas alturas! (2x) 2 – Vêm de longe teus filhos confiantes, / entoando canções de alegria, / de louvores à Mãe tão bendita / antes mesmo que a aurora irradia. 3 – Ao Menino que trazes nos braços, / no aconchego do teu coração, / nós pedimos, Senhora tão santa, / luz e fé, paz e bem e união.

91 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Ave, Maria, Mãe do Salvador, / viva esperança do povo sofredor, / face materna, sinal de nosso Deus, / vem orientar os homens, filhos teus. Maria, Mãe da Igreja, Rainha universal, / modelo de virtude, liberta-nos do mal. / Ensina a ser fiel o povo do Senhor. / Que o mundo se transforme num Reino de amor. 2 – Humilde serva, vem nos ensinar / por onde ir e como caminhar, / servindo a Deus e também o nosso irmão / como resposta à nossa vocação. 3 – És bem feliz porque soubeste crer / dizendo sim, sem nada em ti reter. / Serás bendita em todas as nações, / em ti sentimos a paz dos corações.

96 (Tom: A) Letra e Música: Marco A. Gaspar Gouveia
1 – Vamos, irmãos, é tempo de unidos caminhar / e agradecer ao Deus da vida no nosso cantar. Nossa Senhora canta: / Deus é nossa esperança, / Ele derruba o poderoso / e ao humilde eleva. / Dá pão a quem tem fome, santo é o seu nome. / E hoje Ele nos convida a sermos mais irmãos. 2 – Insegurança e fome são frutos do desamor, / que sacrifica o povo humilde a viver na dor. 3 – Deus é a favor dos pobres, com eles caminhará, / e das correntes do egoísmo vai nos libertar.

92 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Damião Clemente
O’ Mãe, neste dia queremos cantar / com grande alegria, teu nome exaltar. / Unidos aos anjos, que cantam no além; / é festa no céu e na terra também. 1 – Na Encarnação te entregaste ao Senhor; / à sua vontade aderiste com ardor. 2 – Na Visitação prorrompeste em louvor, / ao Deus que de ti fizera um primor. 3 – De Deus a Palavra guardavas na mente; / a graça crescia em tua alma ardente.

97 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Tu és bendita sobre todas as mulheres, / foste escolhida para Mãe do Salvador. / Tu és a glória e alegria do teu povo, / és nosso orgulho, nossa mãe e nosso amor. Ave, Maria, cheia de graça, / bendito Aquele que nasceu do teu amor! (bis) 2 – Tu és formosa, de beleza encantadora, / nenhum pecado empobreceu os planos teus. / Tu és a serva que tornou-se uma rainha, / tu és a filha transformada em Mãe de Deus.

93 (Tom: D) Letra e Música: Roberto Lima de Souza
Nós te louvamos, o’ Virgem Maria, / no dia de tuas santas alegrias. / Antes na terra junto ao Salvador, / hoje, no céu, pede por nós a Deus.

98 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Sílvio Milanez
De alegria vibrei no Senhor, / pois vestiu-me com sua justiça; / adornou-me com jóias bonitas, / como esposa do Rei me elevou. (2x) 1 – Transborda o meu coração / em belos versos ao Rei; / um poema, uma canção / com a língua escreverei: / De todos

és o mais belo, / a graça desabrochou / em teu semblante, em teus lábios, / pra sempre Deus te abençoou. 2 – Gente importante de longe / vem te homenagear; / entra a Rainha tão linda, / vestida em ouro a brilhar. / No meio de suas amigas, / ao Rei vai se apresentar; / por entre grande alegria / vai no palácio entrar.

99 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Celebremos na alegria nossa festa com Maria: / pelo Pai amados, somos convidados / ao banquete do Senhor! 1 – É a festa de Jesus que vai acontecer: / feliz está meu coração. / O vinho do amor que Deus hoje me der, / depois eu servirei ao meu irmão! 2 – Maria sempre está lá onde está seu Deus! / Viver eu quero assim também, / pois onde está Jesus, é festa, vida e céu: / cantar comigo vem, amigo, vem!

1 – Nós te saudamos, cheia de graça, / todos abraças com tua luz. / Te consagramos a nossa vida, / Aparecida, Mãe de Jesus. Na imagem tão pequena, tu és a Mãe morena, / a Padroeira do Brasil.(bis) 2 – O’ Mãe divina, consolo santo, / que enxuga o pranto dos filhos teus. / Tu nos ensinas que o rosto escuro / também é puro perante Deus. 3 – Os caminhantes que te procuram, / aqui se curam na tua paz. / Aos navegantes do rio da vida / tua acolhida sempre darás.

103 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
O’ Mãe divina, Aparecida, / sinal de Deus que apareceu em nossa vida. (bis) 1 – Um grande sinal apareceu no céu: / uma mulher vestida com a luz do sol. 2 – Trazia a lua debaixo dos seus pés / e na cabeça uma coroa com doze estrelas. 3 – Um grande sinal apareceu em nossa vida: / a Mãe do céu nos visitou e se tornou Aparecida.

100 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
Venho cantar meu canto / cheio de amor e vida, / venho louvar aquela / a quem chamo "Senhora de Aparecida". / Venho louvar Maria, / Mãe do Libertador, / venho louvar a Virgem de cor morena, por seu amor. (2x) Quero lembrar os fatos que aconteceram naquela dia, / quando, por entre as redes, aquela imagem aparecia. / Vendo surgir das águas a tosca imagem de negra cor, / agradeceram todos à Mãe do Cristo por tanto amor. (2x) Quero entender o culto que começou desde aquele dia, / muitos não compreendem, dizendo ser uma idolatria. / Mas neste simbolismo daquela imagem de negra cor, / chega-se com Maria ao santuário do Salvador. (2x) Torno a lembrar os fatos que agora tocam a tanta gente: / esta Senhora humilde, de cor morena, se fez presente / numa nação, aonde imperava a mancha da escravidão. / Nossa Senhora escura nos diz que o Cristo nos quer irmãos. (2x) Hoje que eu vejo gente voltar contente de Aparecida, / penso na minha Igreja com os pequenos comprometida. / Penso nas diferenças que ainda ferem o meu país, / peço que a Mãe do Cristo conduza o povo ao final feliz. (2x) Hoje eu me fiz romeiro sem ilusão e sem utopia: / fui visitar a casa que construíram pra Mãe Maria. / E, no meu jeito simples de entender esta devoção, “Virgem Morena”, eu disse: / “conduz meu povo à libertação”. (2x)

104 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Weber
1 – Senhor, vem salvar teu povo / das trevas da escravidão. / Só Tu és nossa esperança, / és nossa libertação. Vem, Senhor, / vem nos salvar, / com teu povo, / vem caminhar! (bis) 2 – Contigo o deserto é fértil, / a terra se abre em flor; / da rocha brota água viva, / da terra nasce esplendor. 3 – Tu marchas à nossa frente, / és força, caminho e luz. / Vem logo salvar teu povo, / não tardes, Senhor Jesus.

1–

2–

3–

105 (Tom: Dm) D.R.
1 – Quando virá, Senhor, o dia, / quando virá o Salvador, / pondo-se termo à profecia, / que nos promete um Redentor?! Que o céu envie à terra / o Justo que esperamos. 2 – Dia que fora prometido / tão firmemente aos nossos pais! / Dia em que o mal será banido, / dia de hosanas triunfais! 3 – Filha de reis, o’ Virgem pura, / eis a celeste saudação: / és a escolhida criatura, / Mãe da celeste Promissão!

4–

5–

106 (Tom: Dm) Letra e Música: Zé Vicente
1– Oh! vem, Senhor, não tardes mais, / vem saciar nossa sede de paz! O’ vem, como chega a brisa do vento, / trazendo aos pobres justiça e bom tempo! Oh! vem, como chega a chuva no chão, / trazendo fartura de vida e de pão! Oh! vem, como chega a luz que faltou, / só tua Palavra nos salva, Senhor! Oh! vem, como chega a carta querida ,/ bendito carteiro do Reino da vida! Oh! vem, como chega o filho esperado, / caminha conosco, Jesus Bem-Amado! Oh! vem, como chega o Libertador, / das mãos do inimigo, nos salva, Senhor!

101 (Tom: Em) Letra e Música: José Vieira de Azevedo
Viva a Mãe de Deus e nossa, / sem pecado concebida. / Salve, Virgem Imaculada, / o’ Senhora Aparecida! 1 – Aqui estão vossos devotos, / cheios de fé incendida, / de conforto e de esperança, / o’ Senhora Aparecida! 2 – Virgem santa, Virgem bela, / Mãe amável, Mãe querida, / amparai-nos, socorrei-nos, / o’ Senhora Aparecida! 3 – Ah! Velai por nossos lares, / pela infância desvalida, / pelo povo brasileiro, / o’ Senhora Aparecida!

2– 3– 4– 5– 6–

102 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana

107 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente

1–

2–

3–

4–

5–

Bendito seja, seja o Senhor, / Aquele que vem salvar o seu povo. / Bendito seja, seja o Senhor, / Aquele que ama e liberta o seu povo. Do cativeiro o Senhor nos chamou / e a terra nos ofereceu. / Um povo unido em marcha se pôs ,/ e a força do mal se rompeu. Dos inimigos as armas quebrou / e a força dos fracos dobrou. / Em nossa frente avança o Senhor, / vitória Ele nos confiou. Sua presença certeza nos traz / de termos a terra e a paz. / Em Jesus Cristo a palavra cumpriu / e a vida cantou e sorriu. Num sopro novo a justiça rompeu, / em nós a esperança cresceu. / Sua mão bendita abate o opressor, / reúne os pequenos no amor. Bendito seja o Deus criador, / bendito Jesus redentor. / Bendito os pobres que vivem a união, / na terra, livres, reinarão!

Vamos esperar que o Senhor virá! / O Libertador já vem. 2 – Como esperava o povo hebreu, / o Senhor do povo não se esqueceu. 3 – Hoje o povo espera de coração / por um mundo novo bem mais irmão.

112 (Tom: E) Letra: Ir. Neiva M. Fiorenti / Música: Ir. Maria A. de
Castro

108 (Tom: Em) Letra: Pe. José M. S. de Cueto / Música: Lindberg
Pires

1 – Preparemos os nossos caminhos, / o Senhor está para chegar. / Alegria, não estamos sozinhos, / o Senhor vem até nosso lar. Vivemos na esperança de ver, neste Natal, / o mundo renovado, pois Deus a nós se dá. 2 – Deus não envia até nós "um presente". / Ele vem com amor no Natal. / Com a Igreja exultemos contentes: / Emanuel! Deus Conosco! Natal! 3 – A este mundo enfermo e cansado / vem Jesus com amor visitar. / Confiemos! Estando Ele ao lado, / nosso mundo vai pronto sarar!

1 – Ao terceiro milênio rumemos festejando nosso Salvador. / Jubilosos hoje celebremos Jesus Cristo, o Rei e Senhor. Aquele que era Jesus Cristo ontem! / Aquele que é Jesus Cristo hoje! / Aquele que vem: Jesus Cristo sempre! / A Ele glória e louvor eternamente! (2x) 2 – A Trindade redime a História com Maria, mulher companheira. / Toda a Igreja renova o vigor anunciando a mensagem primeira. / Com Jesus encarnado redime e o Batismo concede a fé. / Salve Cristo que chama e envia a vivermos o Reino de Deus! 3 – A Trindade santifica a História, pois o Espírito Santo a conduz. / Confirmados em nosso Batismo na esperança sejamos a Luz. / Com Maria fiel, disponível caminhemos para a união. / Acolhendo os Carismas diversos, promovendo unidade aos cristãos. 4 – A Trindade acolhe a História por Deus Pai, que é amor sem medida. / Devolvendo nossa identidade ao perdão e ao amor nos convida. / Dá-nos Pai testemunho do Amor que o mundo nos veja: cristãos. / Com Maria, a Mãe, em Caná, vinho novo nos faz mais irmãos.

113 (Tom: Dm) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – A salvação de nosso Deus já se aproxima, / de sua glória a nossa terra habitará. / Verdade e amor na encruzilhada se encontram, / paz e justiça um grande abraço vão se dar. Misericórdia o nosso Deus / vai, vai nos mostrar. / A salvação de nosso Deus / vai, vai, vai chegar. 2 – De nossa terra brotará toda a verdade, / quando do céu sua justiça se inclinar, / pois o Senhor irá nos dar seus benefícios, / e a terra, então, seu grande fruto nos dará.

109 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
Ouve-se na terra um grito, / do povo um grande clamor: / Senhor, abre os céus, / que as nuvens chovam o Salvador! É o nosso canto de amor e esperança, / que toda a terra proclama também, / e a nossa voz não se cansa: / Vem, Senhor Jesus, vem! Quando as trevas invadem a terra, / e quando muitos um guia não têm, / o nosso amor sempre espera: / Vem, Senhor Jesus, vem! Embora muitos rejeitem o apelo, / que toda luz e verdade contém, / a Igreja insiste em seu zelo: / Vem, Senhor Jesus, vem! Para que o mundo descubra a mensagem, / a Boa Nova da paz e do bem, / temos a mesma linguagem: / Vem, Senhor Jesus, vem!

1–

2–

114 (Tom: G) Letra: João de Araújo / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

3–

4–

110 (Tom: E) Letra: Pe. José M. S. de Cueto / Música: Lindberg Pires
Estamos, Senhor, "esperando" com amor, assim como outrora Maria aguardou. 1 – Era uma espera cheia de amor, / pois ela sabia que sois, Senhor, / a nossa feliz salvação.

111 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Tempo de esperança e de viver. / Tempo de ser novo e renascer. Eis que uma criança já se anuncia. / Dentro de Maria o céu conosco está. / Tempo de esperança e de alegria. /

1 – Uma voz fez-se ouvir lá no deserto: / “Preparai os caminhos do Senhor!” / Na alegria do céu assim tão perto, / entoou toda a Terra este clamor: Vem, Senhor, não tardes mais, és o anseio das nações! / Vem curar os nossos “ais” e expulsar as opressões! / Pastor santo de Israel, vem salvar teu povo, vem! / Deus bendito, Emanuel, toda a Terra hoje é Belém! 2 – Vai cumprir-se do céu a profecia: / “Nosso Deus entre nós vem habitar”. / Reunido, e na paz da liturgia, / vem o povo de Deus então cantar: 3 – No horizonte já brilha nova vida, / luz sublime de um novo amanhecer. / E, feliz, rumo à Terra Prometida, / eis o povo de Deus sempre a dizer: 4 – Eis grilhões da injustiça já rompidos, / mil algemas quebradas pelo amor. / Mas, na paz, o clamor dos oprimidos / chega ao céu neste brado de louvor.

115 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Sílvio Milanez

1 – O Senhor está pra chegar, já se cumpre a profecia / e o seu Reino então será liberdade e alegria. / E as nações, enfim, recebem salvação a cada dia. Das alturas orvalhem os céus / e das nuvens que chova a justiça. / Que a terra se abra ao amor / e germine o Deus salvador. (bis) 2 – Vem de novo restaurar-nos. De que lado estará? / Indignado contra nós? E a vida não darás? / Salvação e alegria, outra vez não nos trarás? 3 – Escutemos sua palavra: é de paz que vai falar. / Paz ao povo e aos seus fiéis, a quem dEle se achegar. / Está perto a salvação e a glória vai voltar.

120 (Tom: F) Versão: D.R. / Música: Melodia francesa
1 – Vinde, cristãos, vinde à porfia, / hinos cantemos de louvor, / hinos de paz e de alegria, / hinos dos anjos do Senhor: Glória a Deus nas alturas! (bis) 2 – Foi nesta noite venturosa / do nascimento do Senhor / que anjos, de voz harmoniosa, / deram a Deus o seu louvor: 3 – Vinde juntar-vos aos pastores, / vinde com eles a Belém! / Vinde, correndo pressurosos, / o Salvador, enfim, nos vem!

116 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
O Senhor vem ao nosso encontro, / o Senhor vem nos libertar! / O Senhor vem ao nosso encontro! 1 – Todo o espaço vazio do coração / seja pleno de luz e de alegria. / Todo o ódio transforme-se em perdão, / toda a treva se torne luz do dia. 2 – Todo o pranto em sorriso se transforme, / o convívio domine a solidão. / Vida nova desperte o amor que dorme, / pois Jesus vem trazer a salvação. 3 – Cantem todos um hino de louvor, / aclamando o Menino de Belém. / Todo o povo receba o seu pastor / a guiar nos caminhos para o bem.

121 (Tom: Bm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
Nasceu-nos hoje um menino / e um Filho nos foi dado. / Grande é este pequenino, / Rei da paz será chamado. Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (2x) Cantai, cantai ao Senhor / um canto novo, um louvor! / Por maravilha tão grande, / um canto novo, um louvor! / Por tal vitória e poder, / um canto novo, um louvor! / Por um amor tão fiel, / um canto novo, um louvor! A salvação resplendeu: / um canto novo, um louvor! / Justiça apareceu, / um canto novo, um louvor! / Toda a Terra contemplou, / um canto, um louvor! / Com alegria aplaudi, / um canto novo, um louvor! Clarins, violões, tocai / um canto novo, um louvor! / Ao Rei Senhor aclamai / um canto novo, um louvor! / Cante o mar, o universo, / um canto novo, um louvor! / Na presença do Senhor, / um canto novo, um louvor! Ao justo Juiz que vem, / um canto novo, um louvor! / Por todo sempre, amém, / um canto novo, um louvor! Glória ao Pai por seu Filho, / um canto novo, um louvor! A quem no Espírito vem, / um canto novo, um louvor!

1–

2–

3–

117 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
É Natal de Jesus! / Festa de alegria, / de esperança e luz. (bis) 1 – Toda a Terra canta um hino / bendizendo o Salvador, / que em Belém se fez menino / dando exemplo de amor! 2 – Uma estrela diferente, / toda a Terra iluminou, / foi Jesus que humildemente, / a nós todos se igualou. 3 – Nasceu pobre e sem palácio / este Rei que trouxe o bem; / quis apenas ensinar-nos / a mensagem de Belém. 4–

122 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Cantemos de alegria, ovelhas sem pastor, / na gruta de Belém, nasceu o Salvador. Cristo se fez homem / por amor dos homens. 2 – Na escuridão da noite brilhou-nos uma luz, / aos cânticos dos anjos a nós nasceu Jesus. 3 – Prostrados vos pedimos das culpas o perdão. / Nascei, Jesus, por graça, em nosso coração. 4 – Também vos pede paz o século da luz, / porque ele precisa do vosso amor, Jesus.

118 (Tom: F) Texto adap.: Frei Emílio Scheid / Melodia do séc. XVII
ou XVIII

1 – Cristãos, vinde todos / com alegres cantos. / Oh! vinde, oh! vinde até Belém! / Vede, nascido, / vosso Rei eterno. Oh! vinde, adoremos (3x) o Salvador! 2 – Humildes pastores / deixam seus rebanhos / e alegres acorrem ao Rei dos céus. / Nós, igualmente, / cheios de alegria. 3 – O Deus invisível / de eternal grandeza, / sob véus de humildade, podemos ver. / Deus pequenino, / Deus envolto em faixas! 4 – Nasceu em pobreza, / repousando em palhas, / o nosso afeto lhe vamos dar. / Tanto amou-nos! / Quem não há de amá-lo?

123 (Tom: E) Letra: Ir. Maria de Fátima de Oliveira / Música: Pe. José
Weber

119 (Tom: Bb) Letra: Frei Pedro Sinzig / Música: Franz X. Gruber
1 – Noite feliz! Noite feliz! O Senhor, Deus de amor, / Pobrezinho, nasceu em Belém, / Eis na lapa Jesus, nosso bem! / Dorme em paz, o’ Jesus! (2x) 2 – Noite feliz! Noite feliz! / O’ Jesus, Deus da luz, / Quão afável é teu coração, / Que quiseste nascer nosso irmão, / E a nós todos salvar! (2x) 3 – Noite feliz! Noite feliz! Eis que no ar vêm cantar / Aos pastores os anjos do céus, / Anunciando a chegada de Deus, / De Jesus salvador. (2x)

1 – Nas terras do Oriente, / surgiu dos céus uma luz / que vem brilhar sobre o mundo, / e para Deus nos conduz. (2x) Nasceu Jesus salvador: / aleluia, aleluia! / É Ele o Cristo Senhor: / aleluia, aleluia! 2 – Nasceu-nos hoje um menino, / um filho que nos foi dado. / É grande e tão pequenino, Deus forte é Ele chamado. (2x) 3 – Cantai com muita alegria, / que grande amor Deus nos tem! / Pequeno, pobre, escondido, / nasceu por nós em Belém. (2x)

124 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – É festa de grande alegria, / nasceu o Menino Jesus, / ternura do céu que na terra brotou, / trouxe paz, trouxe amor, trouxe luz.

Venham todos cantar, / é natal do Menino Jesus. 2 – Maria, tão meiga, tão pura, / seu rosto resplende de paz. / No berço repousa suave Jesus: / Ele é Deus, muito amor Ele traz.

4 – Hoje o sonho de Deus tudo abraça / Para tudo salvar pelo amor. / E é Jesus, dom do Pai, pura graça, / Rei da paz, Verbo Eterno e Salvador.

125 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Nosso Deus viu que o tempo chegou / e uma Virgem lhe disse que sim. / Vem, que um menino chorou / entre as palhas assim: é Natal! Glória a Deus no mais alto dos céus / e que os homens encontrem Belém. / Tragam seus olhos sem véus, / reconheçam também: É Natal! É Natal! 2 – O poder fez as contas, porém, / para ter a certeza na mão, / mas nem notou que em Belém / encontramos o irmão. É Natal! 3 – Um menino nasceu, vamos lá! / E quem viu, foi correndo e contou: / na manjedoura Ele está. / Deus-Conosco chegou. É Natal!

129 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
A noite se iluminou, o céu se vestiu de luz, / os anjos cantaram glória, quando nasceu Jesus. 1 – Eu quero ver tua estrela no céu / iluminando o caminho do bem. / Eu quero ver todo o povo sorrindo / e junto seguindo a lição de Belém. 2 – Eu quero ver os pastores chegando / pra visitar o Menino Jesus. / Eu quero ver todo o povo sorrindo / e junto seguindo a mensagem da luz. 3 – Eu quero ver os Reis Magos chegando / e humildemente adorando o Senhor. / Eu quero ver todo o povo sorrindo / e junto seguindo a mensagem do amor.

130 (Tom: Bb) Letra e Música: José Acácio Santana
À noite, enquanto a cidade sonhava, / no céu a luz de uma estrela brilhava, / e os anjos anunciavam: Hoje é Natal de Jesus! 1 – A noite ficou tão clara, / tão clara como de dia. / Na gruta Jesus menino, / humilde e pobre nascia. 2 – No campo, junto aos rebanhos, / alguns pastores dormiam. / Mas acordaram com os anjos / que glória a Deus repetiam. 3 – E foi assim que nasceu / o Rei de toda a esperança, / nos braços da Mãe Maria / em forma de uma criança.

126 (Tom: C) Letra: Maria de Fátima de Oliveira
Weber

/ Música: Pe. José

Aleluia, aleluia! Glória a Deus nos altos céus! / E, na terra, paz aos homens, / bem-amados filhos seus! 1 – Da flor plantada na terra, / nasceu um fruto divino. / Um filho foi concebido, / o céu nos deu um menino. 2 – O "sim" da Virgem Maria / gerou a luz da esperança. / E Deus o mundo recria / na forma de uma criança. 3 – Alegres como os pastores, / cantemos graças a Deus. / Seu filho vem como pobre, / unir a terra e os céus.

127

131 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
(Tom: Em) Letra: D. Carlos A. Navarro / Música: Ir. Míria T.

Kolling

“Eu vos anuncio grande alegria: O Salvador nasceu!” / Glória a Deus que a tal ponto nos amou! / Terceiro Milênio chegou! / Tal amor deve ser mais proclamado! (2x) 1 – Rumo ao novo milênio, a Igreja escuta / novo anúncio e vai evangelizar. / Ódio em amor, paz e justiça, / nosso projeto é transformar. 2 – Jubileu de Dois Mil já se aproxima. / Eis o Ano da Graça do Senhor! / Deus faz de nós seus missionários, / enche de fé e novo ardor. 3 – Quando o Reino de Deus se manifesta, / quer de nós a fé e a conversão. / De quem diz “sim”, o’ Mãe Maria, / és o modelo, a proteção.

1 – Hoje é dia da gente se encontrar, / hoje é dia da gente resolver. / O Senhor no mundo quer morar, / o que é que vamos responder? É Natal! É Natal! / O Menino Jesus já nasceu! / É Natal! É Natal! / E no meio de nós quer viver! 2 – Ele outrora não encontrou lugar, / a cidade não tinha mais pensão. / Não sabia que Ele vinha dar / vida e paz, amor e salvação. 3 – Se o mundo é tão pequeno assim, / que não pode a Cristo hospedar, / nossa vida é dimensão sem fim, / e é nela que Ele quer morar.

132 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
Natal é vida que nasce. / Natal é Cristo que vem. / Nós somos o seu presépio e a nossa casa é Belém. 1 – Deus se tornou nossa grande esperança / e como criança no mundo nasceu; / por isso vamos abrir nossa porta a Cristo / o que importa é conosco viver. 2 – Ele assumiu nossa vida terrena, / ao céu nos acena com gesto de amor; / veio a todos salvar igualmente, / queria somente ser nosso Pastor. 3 – Deus infinito aos homens se iguala / e a todos só fala palavras de paz; / quer ser o nosso irmão mais fraterno, / do seu Reino eterno herdeiros nos faz.

128 (Tom: C) Letra: João de Araújo / Música: André Jamil Zamur
1 – Vinde, irmãos, e exultai na alegria, / Do céu vede mistérios sem véus. / E com anjos cantai, na harmonia, / Glória a Deus no mais alto lá dos céus! Feliz Natal! Nasceu Jesus! / Brilhou a luz do eterno amor. / Glória e louvor ao dom do céu, / Emanuel, Deus salvador! 2 – Paz aos homens de boa vontade, / Lá, no céu, cantam anjos também. / É Jesus vindo a nós na humildade, / Toda a Terra se torna, então, Belém. 3 – Em mistério, sorri o menino / No aconchego e ternura dos pais. / E louvores ao Deus pequenino, / Vêm pastores cantando sempre mais.

133 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – São três reis que chegam lá do Oriente / para ver um rei que acaba de nascer. / Dizem que um é branco, outro, cor de jambo; / o outro rei é negro e que vieram ver. O novo Rei que nasceu, / igual estrela no céu! (bis)

2 – Dizem que uma estrela muito diferente / lá, no Oriente, se podia ver. / Falam de um cometa, ninguém sabe ao certo, / mas pelo deserto eles vieram ter. O novo Rei que nasceu, / igual estrela no céu! (bis) E trazem ouro, incenso e mirra / pra festejar o novo Rei, / que tem poder e majestade / que vem do céu, que é de Deus; / que vai sofrer, que vai morrer / e que nos libertará. (bis) 3 – São milhões de vidas que no Ocidente, / que no Oriente sofrem de opressão. / Têm todas as cores, todos os temores, / todos os rancores desta humilhação. Esperam libertação / e olham todos pro céu! (bis) 4 – Dizem que um futuro muito diferente / essa pobre gente ainda conhecerá. / Dizem que é seguro, o futuro é certo, / que anda muito perto, que começa já. Olham pro Rei que nasceu, / igual estrela no céu. (bis)

Meu coração me diz: "O amor me amou, / e se entregou por mim! "Jesus ressuscitou! / Passou a escuridão, o Sol nasceu! / A Vida triunfou: Jesus ressuscitou! 2 – "Jesus me amou e se entregou por mim!" / Os homens todos podem o mesmo repetir. / Não temeremos mais a morte e a dor. / O coração humano em Cristo descansou.

138 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Venham comigo, vamos comer minha Páscoa: / isto é meu Corpo, isto também é meu Sangue. / Eis o meu testamento, até que se cumpra no Reino de Deus. De bem longe é preciso lembrar: / Deus ouviu o clamor do seu povo, / nos tirou das amarras do Egito: / nem a morte nos pode dobrar! Todo dia é preciso lembrar: / sou a luz, o caminho, a verdade, / sou o trigo que morre e floresce, / sou o pão, sou fermento, sou vida! Com firmeza é preciso lembrar / que ninguém seja escravo ou senhor, / que jamais falte o pão aos irmãos, / que o perdão transfigure e liberte! Para sempre é preciso lembrar: / volto ao Pai, mas vocês ainda ficam. / Muita gente haverá de seguir-me / se em vocês me enxergarem presente!

1–

2–

134 (Tom: C) Recolhido no Norte do Paraná
1 – Santos reis aqui chegaram, ai, ai, / cansados de viajar, ai, ai. / Vieram pedir uma oferta, ai, / veja lá se pode dar, ai, ai... 2 – Deus menino hoje nasce, ai, ai, / na cidade ou no sertão, ai, ai. / Na manjedoura que deve, ai, / ser o nosso coração, ai, ai... 3 – Santos reis pedem justiça, ai, ai, / aos que governam a nação, ai, ai. / Porque existem cofres cheios, ai, / e há marmitas sem feijão, ai, ai... 4 – Santos reis vão despedindo-se, ai, ai, / mas prometem aqui voltar, ai, ai. / Junto com Jesus menino, ai, / para todos abençoar, ai, ai... 3– 4–

139 (Tom: Eb) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
O Senhor ressurgiu, aleluia, aleluia! / É o Cordeiro Pascal, aleluia, aleluia! / Imolado por nós, aleluia, aleluia! / É o Cristo Senhor, Ele vive e venceu, aleluia! 1 – O Cristo Senhor ressuscitou, / a nossa esperança realizou: vencida a morte para sempre, / triunfa a vida eternamente! 2 – O Cristo remiu a seus irmãos, / ao Pai os conduziu por sua mão; / no Espírito Santo unida esteja / a família de Deus, que é a Igreja! 3 – O Cristo, nossa Páscoa, se imolou, / seu Sangue da morte nos livrou: / incólumes o mar atravessamos, / e à Terra Prometida caminhamos!

135 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Tu és o Rei dos reis: / o Deus do Céu deu-te Reino, força e glória / e entregou em tuas mãos a nossa História: / Tu és Rei e o Amor é a tua lei. 1 – Sou o primeiro e o derradeiro, / fui ungido pelo amor. / Vós sois meu povo, Eu vosso Rei e Senhor redentor! 2 – Vos levarei às grandes fontes, dor e fome não tereis. / Vós sois meu povo, eu vosso Rei, junto a mim vivereis!

140 (Tom: A) D.R.
1– 2– 3– 4– Ressuscitei, aleluia! / E ainda estou contigo, aleluia! Senhor, Tu me sondas e me conheces, / sabes da minha morte e da minha ressurreição. Puseste sobre mim a tua mão, aleluia! / Admirável é a tua sabedoria. Se tomo as asas da aurora, / e vou pousar no fim dos mares. Ainda aí a tua mão me alcança, / a tua destra me segura.

136 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1– Nós nos gloriamos na cruz de Nosso Senhor, / que hoje resplandece com o novo mandamento do amor. Na Ceia da Nova Aliança, Jesus na tarde santa ao Pai se entregou. / Na Ceia que hoje acontece o povo oferece a Deus o seu louvor. Comer e beber pão e vinho, sinais de carinho, anúncio do amor! / Na luta de cada jornada, a cruz é pesada. Salvainos, Senhor! Viver, partilhar cada dia a dor, a alegria, nos faz celebrar: / a Páscoa de Cristo, de novo, na vida do povo, pra ressuscitar. O povo carrega tua cruz no escuro e na luz, marchando assim vai. / A cruz plenifica a vida, resposta sofrida, vontade do Pai.

2–

3–

141 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Jesus Cristo, nossa Páscoa, / ressuscitou e hoje vive, / celebremos, pois, a sua festa / na alegria da fraternidade. Jesus Cristo está vivo entre nós, / aleluia, aleluia! (bis) 2 – Ele é a nossa esperança, / com sua morte deu-nos vida, / e hoje vai conosco, lado a lado, / dando sentido ao nosso caminhar. 3 – Também nós ressuscitemos / para uma vida de amor, / é preciso que o mundo veja / em nós, cristãos, a Páscoa do Senhor.

4–

137 (Tom: G) Letra: D. Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Por sua morte, a morte viu o fim. / Do sangue derramado a vida renasceu. / Seu pé ferido nova estrada abriu. / E, neste Homem, o homem, enfim, se descobriu.

142 (Tom: Dm) Letra e Música: Lindberg Pires

Cristo ressuscitou. Aleluia! / Venceu a morte com o amor. / Cristo ressuscitou. Aleluia! / Venceu a morte com o amor. Aleluia! 1 – Tendo vencido a morte, / o Senhor ficará para sempre entre nós, / para manter viva a chama / do amor que reside / em cada cristão / a caminho do Pai. 2 – Tendo vencido a morte, / o Senhor nos abriu um horizonte feliz, / pois nosso peregrinar / pela face do mundo / terá seu final / na morada do Pai.

3 – Reconciliou todas as criaturas, / dando-nos paz pelo sangue da cruz. / Deus nos tirou do império das trevas / e nos chamou a viver na luz.

147 (Tom: A) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Novo sol brilhou, a vida superou / sofrimento, dor e morte, tudo, enfim. / Nosso olhar se abriu, Deus mesmo se incumbiu / de tomar-nos pela mão assim. O Deus de Amor jamais se descuidou. / Em seu vigor, Jesus ressuscitou. (bis) 2 – Estender a mão, abrir o coração, / acolher, compartilhar e perdoar. / É fazer o Céu cumprir o seu papel, / já na Terra tem que vigorar.

143 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – A cruz, quem olha envergonhado nem notou / que a mão do nosso Deus não vacilou. / O amor venceu! / Aquele que pensaram destruir / é o nosso Bem! O nosso Deus, aleluia! / Nos visitou, aleluia! / No Filho seu, aleluia! / Venceu a cruz, aleluia! / Ressuscitou! Aleluia! / A vida é mais, aleluia! / Nos recompõe, aleluia! / É nossa luz! Aleluia! 2 – Ninguém que vê e se escandaliza, vai saber / que a mão do nosso Deus não vai ceder. / O amor venceu! / Aquele que viveu para servir / é o nosso Pão. 3 – Então, cativos e oprimidos e outros mais, / olhai que o nosso Deus deixou sinais / o amor venceu! / Aquele que cuidou sem desistir / é o nosso irmão!

Ato Penitencial
148 (Tom: Em)
Haddad Letra: Aurea Candida Sigrist / Música: Pe. Antônio

Eu canto a alegria, Senhor, / de ser perdoado no amor. (bis) 1 – Senhor, tende piedade de nós! (bis) 2 – Cristo, tende piedade de nós! (bis) 3 – Senhor, tende piedade de nós! (bis)

144 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1– 2– 3– 4– O Ressuscitado vive entre nós. / Amém, aleluia! (bis) Não temais, irmãos, / Eu estive morto, / mas agora vivo, / vivo para sempre. Amém. Não temais, irmãos, / Eu sou o primeiro, / último também; / Eu sou o vivente. Amém. Não temais, irmãos, / tenho em mãos as chaves / que da morte foram; / hoje são vitória. Amém. Não temais, irmãos, / paz convosco esteja! / Vós sereis felizes, / crendo sem ter visto. Amém.

149 (Tom: C)

Letra: Jaime Vitalino dos Santos / Música: Pe. José Weber

145 (Tom: E) Letra e Música: Zé Vicente
1– 2– 3– 4– 5– 6– Oh! vem cantar comigo, irmão, / nesta festa da ressurreição. (bis) Jesus está vivo é Rei vencedor. / O céu e a terra lhe cantam louvor. / Aleluia! Aleluia! A tua vitória, o’ morte, onde está? / A sorte dos pobres Jesus quis mudar. / Aleluia! Aleluia! Da terra do pranto, do mal e da dor, / Jesus abre as portas pro Reino do Amor. / Aleluia! Aleluia! É o dia da graça, a Páscoa da vida. / Venceu a aliança por Deus garantida. / Aleluia! Aleluia! Bendito pra sempre o Pai criador, / que mata a morte é libertador. / Aleluia! Aleluia! Feliz é o povo que Deus é Senhor, / que luta unido será vencedor. / Aleluia! Aleluia!

Perdoai-nos, o’ Pai, as nossas ofensas / como nós perdoamos a quem nos ofendeu. 1 – Se eu não perdoar a meu irmão, / o Senhor não me dá o seu perdão. / Eu não julgo para não ser julgado; / perdoando é que serei perdoado. 2 – Ajudai-me, Senhor, a perdoar / e livrai-me de julgar e condenar. / Vou ficar sempre unido em comunhão / ao Senhor e também ao meu irmão. 3 – Vou levar para a vida a união, / que floresce nesta santa Comunhão. / Vivo em Cristo a vida de cristão, / sou mensagem de sua reconciliação.

150 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Nereu de C. Teixeira
Perdão, Senhor, perdão por não ser santo! / Perdão, Senhor, por ter pecado tanto! 1 – A história é uma só, da humanidade e minha: / a queda sempre existe pra aquele que caminha; / mas há um Salvador que vem ressuscitar, / aquele que da queda quiser se levantar. 2 – O senso do pecado estamos nós perdendo; / para a eternidade estamos nós morrendo! / Que adianta termos cruz em nossa companhia, / se dela nós tiramos o Cristo noite e dia? 3 – A nossa vocação é para a santidade: / ausência de pecado, união na caridade. / Passamos desta terra para o paraíso, / sofrendo na esperança de Deus Pai um sorriso.

146 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Jesus Cristo ontem, hoje e sempre. / Ontem, hoje e sempre aleluia! (bis) 1 – Ele é a imagem do Deus invisível, / o Primogênito da criação. / Tudo o que existe foi nEle criado, / nEle encontramos a Redenção. 2 – Ele é a cabeça da Igreja, seu Corpo, / o Primogênito entre os mortais. / Que nEle habite a vida mais plena, / foi do agrado de nosso Pai.

151 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhor, tende piedade / e perdoai a nossa culpa! (2x) Porque nós somos vosso povo / que vem pedir vosso perdão! 2 – Cristo, tende piedade / e perdoai a nossa culpa! (2x) 3 – Senhor, tende piedade / e perdoai a nossa culpa! (2x)

152 (Tom: Em) Letra: Adap. de Umberto Cantoni e P. S. Sosa /
Música: Pe. José Weber

1 – Se sofrimento te causei, Senhor, / se a meu exemplo o fraco tropeçou, / se em teus caminhos eu não quis andar, Perdão, Senhor! Perdão, Senhor! 2 – Se vão e fútil foi o meu falar, / se a meu irmão não demonstrei amor, / se ao sofredor não estendi a mão, 3 – Se indiferente foi o meu viver, / tranqüilo e calmo, sem lutar por ti, / devendo estar bem firme no labor, 4 – Escuta, o’ Deus, a minha oração, / e vem livrar-me de incertezas mil. / Transforma este pobre pecador. Amém, Senhor! Amém, Senhor!

1 – Por nossas fraquezas humanas, / Senhor, tende piedade! / Por nosso injusto egoísmo, / Senhor, tende piedade! Por nossas faltas de fé e de amor, piedade, piedade, Senhor! (bis) 2 – Porque eu não fui solidário, / Senhor, tende piedade! / Porque fomos indiferentes, / Senhor, tende piedade!

158 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Paulo Batista
1– 2– 3– 4– 5– Foram 500 anos de evangelização, / viemos pedir perdão: (2x) Aos índios que eram felizes / e foram exterminados, / queremos ser solidários / num mundo novo, irmanados. Aos negros escravizados, / tratados como animais, / juntos, num só quilombo, / seremos todos iguais. Mulheres sempre sofreram / pelo machismo opressor. / Queremos gerar contigo / o novo Reino de amor. Aos jovens marginalizados, / aos velhos e as crianças / seremos sinal de vida, / de alegria e e esperança. Senhor de todas as raças, / Mãe-Pai de todo o povo, / viemos pedir perdão, / buscando um mundo novo.

153 (Tom: A) D.R.
1 – O pecado arrancou a alegria do sertão, / Senhor, Senhor, perdão! / Só o lucro tem lugar, camponês não tem chão, / Senhor, Senhor, perdão! Jesus Cristo, piedade! Vem trazer a nós justiça, / pão e paz, fraternidade. / Jesus Cristo, piedade! (bis) 2 – Na cidade desumana, continua a exploração, / Senhor, Senhor, perdão! / Nós perdemos a esperança quando falta a união, / Senhor, Senhor, perdão!

159 (Tom: G) Letra e Música: Geraldo Carlos da Silva
1 – Perdoai-me outra vez, Senhor, / novamente eu me fechei / dentro do meu desamor, / vossa imagem eu mutilei. Perdoai-me, Senhor, / não vivi minha vocação. / Perdoai-me, Senhor, / não amei o meu irmão. 2 – Deveria ser vosso apóstolo, / mas pequei por omissão. / Eu também me acomodei, / fracassei vossa missão. 3 – Deveria ser bom discípulo, / mas calei a minha voz, / camuflando o ideal, / sem pregar a vossa paz.

154 (Tom: Cm) Letra e Música: Pe. Lucas de Paula Almeida
Perdão, Senhor, para o vosso povo. (bis) 1 – Perdão, Senhor, por termos preferido / celebrar só a Paixão, sem saber que sois Ressurreição. 2 – Perdão, Senhor, por termos tantas vezes aceitado a opressão / sem saber que sois libertação. 3 – Perdão, Senhor, por termos preferido recusar a vossa Verdade, / sem saber que ela é liberdade. 4 – Perdão, Senhor, por termos tantas vezes caminhado sem esperanças, / sem saber que sois a segurança.

160 (Tom: D) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Perdão, Senhor, por ter te ofendido! / A teus pés volto arrependido! / Perdão, Jesus, reconheço meu pecado, / certeza tenho de ser perdoado! Perdão, Senhor! Senhor, meu Deus! / Tem piedade dos filhos teus! (bis)

155 (Tom: D) Letra e Música: Frei José Alberto Fontanella
Que eu me conheça a mim mesmo / e que eu vos conheça, Senhor. (bis) 1 – Por meu amor desordenado. / Piedade de mim, o’ Senhor! Por caminhar cheio de orgulho. / Piedade de mim, o’ Senhor! Por procurar honras e glórias. / Piedade de mim, o’ Senhor! Pelo apego a coisas fúteis. / Piedade de mim, o’ Senhor! 2 – Pela ambição e avareza. / Piedade de mim, o’ Senhor! Por eu viver na indolência. / Piedade de mim, o’ Senhor! Por eu gostar de muito luxo. / Piedade de mim, o’ Senhor! Pela inveja e pela ira. / Piedade de mim, o’ Senhor!

161 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Senhor, que viestes salvar os corações arrependidos. Piedade, piedade, piedade de nós! (bis) 2 – O’ Cristo, que viestes chamar os pecadores humilhados. 3 – Senhor, que intercedeis por nós junto a Deus Pai, que nos perdoa.

162 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Senhor, tende piedade de nós! (bis) 1 – Pai de infinita bondade, / que a tua vontade se faça verdade no meio de nós. (bis) 2 – Senhor Jesus Cristo, piedade, / piedade de mim que não te obedeci / nem segui tua voz! (bis) 3 – Que teu Espírito Santo / nos mostre o caminho de paz e justiça, / sem ódio e sem dor. (bis) Senhor! Senhor! Senhor!

156 (Tom: Em) Letra e Música: Frei José Alberto Fontanella
1 – Do amor eu fugi, / do irmão me esqueci, / não abri meu coração / e neguei o meu perdão. Perdão, Senhor, / perdão, meu Deus, eu pequei. / Teu amor eu recusei, / do irmão me afastei. (bis) 2 – Pobres eu não socorri, / nus também eu não vesti, / dos doentes me afastei / e aos presos desprezei. 3 – Eu tentei recomeçar, / ir o próximo encontrar, / pois a Lei manda amar / e a todos se doar.

163 (Tom: Am) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Perdão, Senhor, pelas vezes que sufocamos / a vossa Palavra com nossas preocupações. / Queremos pedir vosso perdão: / Senhor, tende piedade de nós! (2x)

157 (Tom: Em) Letra e Música: Frei Luiz Turra

2 – Perdão, Senhor, quando vossa Luz ofuscamos, / fazendo de vossa doutrina apenas lei. / Queremos pedir vosso perdão: / Jesus, tende piedade de nós! (2x) 3 – Perdão, Senhor, quando nós nos desesperamos / e não mais buscamos a vossa misericórdia. / Queremos pedir vosso perdão: / Senhor, tende piedade de nós! (2x)

170 (Tom: C) Letra e Música: Luiz Carlos Agostini
1 – Perdão, Senhor, tantos erros cometi. / Perdão, Senhor, tantas vezes me omiti. Perdão, Senhor, pelos males que causei, / pelas coisas que falei, / pelo irmão que eu julguei. 2x) Piedade, Senhor, tem piedade, Senhor! / Meu pecado vem lavar com teu amor! / Piedade, Senhor, tem piedade, Senhor! / E liberta minh’alma para o amor! 2 – Perdão, Senhor, porque sou tão pecador. / Perdão, Senhor, sou pequeno e sem valor. Mas, mesmo assim, tu me amas, quero então, / te entregar meu coração, / suplicar o teu perdão. (2x)

164 (Tom: Cm) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Perdão, Senhor, eu me afastei de ti / por ter negado ajuda ao necessitado. / Perdão, Senhor, perdão, por ter fechado o meu coração. 2 – Perdão, Jesus, eu traí o teu amor / por ser omisso diante das injustiças. / Perdão, Jesus, perdão, é muito grande / a minha omissão. 3 – Perdão, Senhor, perdão, Jesus! / Perdão para o mundo, perdão para mim. / Perdão para quem fechou seu coração.

171 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O’Deus bondade, Pai e Criador, / somos o teu povo santo e pecador. / Nós te pedimos força e proteção, / o’ Deus da Vida e da Libertação. O’ Deus, perdoa o nosso desamor, / do céu envia o Filho salvador! (bis) 2 – Nosso pecado quer nos condenar, / da vossa face vai nos afastar. / Porém, Tu és o Deus consolação / e nos concedes sempre o teu perdão. 3 – Aqui estamos para suplicar / que nossas culpas queiras perdoar. / Te prometemos nossa conversão, / porque Tu és o Deus da Salvação.

165 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Luís G. de Moura
1 – Porque fui omisso e não soube doar / e o pranto do pobre não quis enxugar. Perdão, Senhor, perdão! Perdão, perdão! (bis) 2 – Por não ser como Cristo um libertador, / o sal, o fermento vivificador.

166 (Tom: A) Letra: D. Carlos A. Navarro / Música: Ir. Míria T.
Kolling

1 – Pelos pecados, erros passados, / por divisões na tua Igreja, o’ Jesus! Senhor, piedade! (2x) Senhor, piedade, piedade de nós! (bis) 2 – Quem não te aceita, quem te rejeita, / pode não crer por ver cristãos que vivem mal! Cristo, piedade! (2x) Cristo, piedade, piedade de nós! (bis) 3 – Hoje, se a vida é tão ferida, / deve-se à culpa, indiferença dos cristãos! Senhor, piedade! (2x) Senhor, piedade, piedade de nós! (bis)

172 (Tom: E) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Vosso perdão vem renovar, / vem renovar o nosso ser, Senhor! / Vosso perdão vem libertar, / vem devolver ao coração o amor. Misericórdia nosso Deus, perdão! / Misericórdia, tende compaixão. (bis) 2 – Vosso perdão vem nos erguer, / vem nos erguer e nos fazer andar! / Vosso perdão vem reunir / e quer fazer o povo mais feliz.

173 (Tom: Dm) Letra e Música: José Acácio Santana
1– 2– 3– 4– Pequei, meu Pai, eu quero teu perdão! / Por teu amor espero salvação! (bis) As coisas deste mundo afastaram-me de ti, / mas hoje estou de volta, / meu Pai, estou aqui. Do teu imenso amor eu confesso que esqueci, / mas hoje estou de volta, / meu Pai, estou aqui. No amor aos meus irmãos me neguei e me omiti, / mas hoje estou de volta, / meu Pai, estou aqui. Eu quero prometer nunca mais fugir de ti, / por isso estou de volta, / meu Pai, estou aqui.

167 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Senhor, tende piedade de nós. (bis) 2 – Cristo, tende piedade de nós. (bis) 3 – Senhor, tende piedade de nós. (bis)

168 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
Tende piedade, (2x) / tende piedade de nós, o’ Senhor! / Tende piedade, (2x) vosso povo é santo, mas também é pecador. 1 – Vosso coração de Pai sabe perdoar. / Vosso coração de Filho sabe perdoar. / Vosso coração de Deus consolador / sabe perdoar, sabe perdoar.

174 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1 – Senhor, Vós sois o Caminho, / guiai-nos ao Pai com carinho. De nós tende piedade. / Senhor, tende piedade! 2 – O’ Cristo, sois a Verdade, / enchei-nos de caridade. De nós tende piedade. / O’ Cristo, tende piedade! 3 – Senhor, Vós sois nossa vida, / buscais a ovelha perdida. / De nós tende piedade. / Senhor, tende piedade!

169 (Tom: G) D.R.
1 – Senhor, tende piedade dos corações arrependidos. / Piedade de nós, piedade! (2x) 2 – Jesus, tende piedade dos pecadores tão humilhados. / Piedade de nós, piedade! (2x) 3 – Senhor, tende piedade, intercedendo por nós ao Pai. / Piedade de nós, piedade! (2x)

175 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Pedro Brito Guimarães
1 – Senhor, tende piedade de nós! (2x) / Pelo irmão que não amei, pelo mal que lhe causei, piedade! (2x)

2 – O’ Cristo, tende piedade de nós! (2x) / Pelo bem que eu não fiz, pela paz que eu não quis, piedade! (2x) 3 – Senhor, tende piedade de nós! (2x) / Pelo amor que sufoquei, pela vida que matei, piedade! (2x)

Senhor, Senhor ...

181 (Tom: Dm) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Senhor, se tua voz não ouvi, / e por caminhos do mal me perdi: / Piedade, Senhor! Piedade, Senhor! 2 – Senhor, se não te amei no irmão, / fechando a ele o meu coração: / Piedade, Senhor! Piedade, Senhor! 3 – Senhor, se não cumpri meu dever / e se o bem eu deixei de fazer: / Piedade, Senhor! Piedade, Senhor!

176 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Perdoai nossos pecados, (2x) perdoai nossos pecados, o’ Senhor! Vosso povo quer amar, / vosso povo é santo, / vosso povo é santo, / mas também é pecador! (2x) Tende piedade de nós, / piedade de nós, / piedade de nós, o’ Senhor! (bis)

182 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhor, tende piedade de nós! (bis) 2 – Jesus, tende piedade de nós! (bis) 3 – Senhor, tende piedade de nós! (bis)

177 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Tanta esperança de chegar, / tanta estrada por andar, / tantas marcas e sinais. / Tantas palavras por falar, / tantas outras pra gritar, / tantas mais pra se calar, ô, ô. (bis) Perdão, Senhor, pela palavra que eu falei e não devia. / Perdão, Senhor, pela palavra que eu guardei e não devia. / Perdão, Senhor, pelas verdades que eu calei / quando era hora de profetizar.

183 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhor, tende piedade dos corações arrependidos. Senhor, a bondade do vosso coração / é fonte de graça e de perdão! (bis) 2 – Jesus, tende piedade dos pecadores humilhados. 3 – Senhor, tende piedade intercedendo junto ao Pai por nós.

178 (Tom: Em) D.R.
1 – Em cada caminho que ponho meus pés, / encontro a ti naqueles que passam estendendo as mãos. / Chamando Tu estás, eu não quis ouvir, / fechado em mim faltou-me coragem pra exercer a missão. Senhor, eu te peço perdão / pelas vezes que não acreditei / que juntos podemos fazer / deste mundo, um mundo de irmãos. / Senhor, eu te peço perdão, / pois o medo não me deixa agir. / Faze-me um instrumento, / um profeta que fala de ti. 2 – Ouvindo a palavra, eu pude entender / que estando sozinho, sem o outro, não estou em ti. / O outro aparece mendigando o pão, / querendo a partilha e, não sendo profeta, também disse não.

184 (Tom: D) Letra: Pe. Lauro Palú / Música: Pe. Ronoaldo Pelaquin
Perdão, Senhor, por eu não amar / a cada irmão / com o mesmo amor / com que você amou. (bis) 1 – A Deus, que é Pai, / você amou constante / sem nunca estar cansado, / fiel, a cada instante, até morrer! 2 – A meus irmãos / você amou constante / sem nunca estar cansado, / também, a cada instante, eu devo amar.

Hino de Louvor
185 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Glória a Deus no céu / E na terra paz aos homens! / Glória, aleluia! 1 – Glória ao Pai, o Criador, / seu poder nos chamou à vida. 2 – Glória ao Filho redentor, / sua cruz reconciliou-nos. 3 – Glória ao Espírito de amor, / sua graça é que nos renova.

179 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Senhor, Senhor, piedade de nós! / Senhor, Senhor, piedade de nós! 2 – Cristo, Jesus, piedade de nós! / Cristo, Jesus, piedade de nós! 3 – Senhor, Senhor, piedade de nós! / Senhor, Senhor, piedade de nós!

186 (Tom: F) Letra e Música: Gustavo Balbinot
Glória, glória! / Ao Pai criador, ao Filho redentor / e ao Espírito, glória! (2x) Ao Pai criador do mundo, / ao Filho redentor dos homens, / ao Espírito de amor demos sempre glória! (2x)

180 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Ir. Míria T.
Kolling

1 – Quantas vezes quis tudo pra mim: / o poder, o saber, a riqueza. / Quão mesquinho parece o teu Reino, / se rejeito as migalhas da mesa! Senhor, Senhor, por nossa voz, / tende piedade, olhai por nós! / Por nossas mãos e o coração, / tende piedade, olhai por nós! 2 – Quantas vezes olhei com desdém / as sementes, dezenas, centenas. / Quão inútil parece o teu Reino, / se descuido das coisas pequenas! Senhor, Senhor ... 3 – Quantas vezes passei por aqui, / sem notar o tesouro que havia. / Quão distante parece o teu Reino, / se descanso esperando o meu dia!

187 (Tom: E) D.R.
Glória a Deus, glória a Deus / porque Ele vive / junto de nós e dá a paz / aos homens de boa vontade. (bis) 1 – Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso, / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, vos glorificamos, / nós vos damos graças pela vossa imensa glória, / imenso amor. 2 – Senhor Nosso Jesus Cristo, / Filho amado de Deus Pai, / Vós, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade do vosso povo, / só Vós sois o Altíssimo no Espírito e na Glória de Deus Pai.

188 (Tom: Bb) Letra: D. Carlos A. Navarro / Música: David Julien
Glória a Deus no mais alto dos céus! (bis) 1 – Glória a Deus, nosso Pai, seu poder nos criou! 2 – Glória a Cristo, seu Filho, que nos resgatou! 3 – Glória ao Espírito Santo que nos confirmou!

189 (Tom: G) Letra: Pe. Alírio Pedrini / Música: Pe. Zezinho
Glória a Deus na imensidão / e paz na terra ao homem, nosso irmão. (bis) 1 – Senhor Deus Pai, Criador onipotente, / nós vos louvamos e vos bendizemos, / por nos terdes dado o Cristo salvador. 2 – Senhor Jesus, Unigênito do Pai, / nós vos damos graça por terdes vindo ao mundo, / feito nosso irmão: sois nosso Redentor. 3 – Senhor Espírito Santo, Deus-amor, / Nós vos adoramos e vos glorificamos / por nos conduzirdes por Cristo a nosso Pai.

2 – Ao Deus Pai, que nos criou, / a ternura filial. / Deus é nosso Pai. / Jesus Cristo, nosso irmão, / deu a vida pelos seus, / nós somos de Deus. Glória ao Senhor! Glória ao Senhor! Deus Salvador. (bis) 3 – Deus é fonte de amor, / santifica o nosso ser, / Espírito de amor. / Nós, Igreja militante, o amor de Deus cantamos / para sempre. Amém! Glória ao Senhor! Glória ao Senhor, / Deus-Amor! (bis)

193 (Tom: D) Música: Frei Joel Postma
Glória a Deus nas alturas! / Glória a Deus nas alturas! E paz na terra aos homens de boa vontade. Nós vos louvamos. / Nós vos bendizemos. Nós vos adoramos. / Nós vos glorificamos. Nós vos damos graças por vossa imensa glória. Glória a Deus nas alturas! / Glória a Deus nas alturas! Senhor Deus, Rei do Céu, Deus Pai todo-poderoso. Senhor Filho único, Jesus Cristo! Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Glória a Deus nas alturas! / Glória a Deus nas alturas! Vós, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós, que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós, que estais sentado à direita do Pai, tende piedade de nós, / tende piedade de nós! Porque só Vós sois o Santo. Só Vós sois o Senhor. Só Vós sois o Altíssimo, Jesus Cristo. Com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém! Glória a Deus nas alturas! / Glória a Deus nas alturas!

190 (Tom: E) Letra: Pe. José C. da Silva / Música: Pe. Ney B. Pereira
Glória, glória nas alturas, / paz e amor na terra aos homens! / Dêem-vos glória as criaturas, / dêem-vos graças e louvores! 1 – Nós vos louvamos, o’ Criador: / vos bendizemos por vosso amor. 2 – Nós vos louvamos, Senhor Jesus! / vos aclamamos por vossa cruz. 3 – Espírito Santo, Consolador: / vós que dais vida e sois Senhor.

191 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
Glória a Deus lá nas alturas / e na terra paz aos homens, que são por Ele muito amados. O’ Senhor Deus, nós vos louvamos, / vos bendizemos e adoramos. E nós vos glorificamos / e vos damos muitas graças, por vossa glória tão imensa. Senhor Jesus, Filho Unigênito, / Cordeiro Santo de Deus Pai. Vós podeis tirar o mal, / todo pecado deste mundo, tende piedade de nós todos! Vós, que tirais nosso pecado, / bem acolhei a nossa súplica. Vós, que estais eternamente / à direita de Deus Pai, tende piedade de nós todos! Porque só Vós é que sois Santo, / porque só Vós sois o Senhor. E só Vós sois o Altíssimo, Jesus Senhor, o Cristo, só Vós sois o Senhor Altíssimo. Só Vós com o Espírito Santo, / na glória de Deus Pai. Amém.

194 (Tom: Dm) D.R.
1 – Glória a Deus. (2x) / Glória ao Criador. (bis) A Ele seja a Glória. (2x) / Aleluia, amém. (4x) 2 – Glória a Deus. (2x) / Glória ao Redentor. (bis) A Ele seja a Glória. (2x) / Aleluia, amém. (4x) 3 – Glória a Deus. (2x) / Santificador. (bis) A Ele seja a Glória. (2x) / Aleluia, amém. (4x)

195 (Tom: Dm) Letra e Música: João E. Roath Machado
Glória a Deus Pai de bondade, que à vida todos chamou. / Glória, glória à Trindade, que em Jesus se revelou. (2x) 1 – Glória a Deus no alto dos céus, / paz na terra ao pobre sofrido. / Que a justiça do Reino de Deus seja luz do povo oprimido. 2 – Glória ao Filho Jesus, encarnado, / companheiro na luta e na dor, / nos remiu da morte e do pecado, / deu a vida por nós, com amor. 3 – Demos glória ao Espírito Santo, / força viva de nossa missão. / Ele vem nos lembrar, / entretanto, que Deus faz conosco comunhão.

192 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Este hino de louvor, que envolve o meu ser, / é de gratidão. / A bondade do Senhor é tão grande, sem confim, veio até a mim. Glória ao Senhor! Glória ao Senhor, Deus Criador! (bis)

196 (Tom: E) D.R.
Aleluia (4x), glória ao Senhor! (bis) 1• Glória ao Senhor, nosso Pai! (3x) / Glória ao Senhor! 2• Glória a Jesus Cristo redentor. (3x) / Glória ao Senhor! 3• Glória ao Espírito Santo. (3x) / Glória ao Senhor!

4• Glória à Santíssima Trindade. (3x) / Glória ao Senhor!

197 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Glória a Deus no céu! / Glória a Deus no céu! / Paz na terra aos homens! 1 – Glória a Deus, o Pai! / Glória ao Criador! / Glória nas alturas! 2 – Glória ao Salvador, / a Jesus Senhor! / Glória nas alturas! 3 – Glória ao Espírito santificador! / Glória nas alturas!

2 – Senhor Jesus, o Cristo, Filho de Deus Pai, / Vós que venceis o mal, tirais nosso pecado. 3 – Só Vós, Senhor, o Santo, só Vós sois o Altíssimo, / Jesus, o Cristo, com o Espírito Santo.

202 (Tom: G) Letra: CNBB / Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Glória a Deus nos altos céus! / Paz na terra a seus amados! / A Vós louvam, Rei celeste, / os que foram libertados! Glória a Deus, lá nos céus, e paz aos seus. Amém! 2 – Deus e Pai, nós vos louvamos, / Adoramos, bendizemos; / Damos glória ao vosso nome, / Vossos dons agradecemos! 3 – Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito do Pai, / Vós, de Deus Cordeiro Santo, / Nossas culpas perdoai! 4 – Vós, que estais junto do Pai, / Como nosso Intercessor, / Acolhei nossos pedidos, / Atendei nosso clamor! 5 – Vós somente sois o Santo, / O Altíssimo, o Senhor, / Com o Espírito Divino, / De Deus Pai no esplendor!

198 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Glória a Deus lá nos céus! / Todos os anjos cantam sua bondade! / E entre nós paz e bem! / Pedem os homens de boa vontade. 1 – Glória ao Pai Eterno, Criador de tudo! / É a glória do Senhor vivermos sem temor, / não como escravos, mas filhos livres. 2 – Glória a Deus, o Filho, Salvador do homem! / É a glória do Senhor vivermos no amor, / irmãos de todos, todos irmãos. 3 – Glória a Deus, o Santo santificador! / É a glória do Senhor vivermos o louvor / na unidade que gera a vida.

203 (Tom: G) Letra: CNBB / Música: Renato Bevilacqua
1– Glória a Deus lá nos céus, / e paz na terra aos seus! (bis) Glória a Deus nos altos céus! / Paz na terra a seus amados! / A Vós louvam, Rei Celeste, / Os que foram libertados! Deus e Pai, nós vos louvamos, / Adoramos, bendizemos; / Damos glória ao vosso nome, / Vossos dons agradecemos! Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito do Pai, / Vós, de Deus Cordeiro Santo, / Nossas culpas perdoai! Vós, que estais junto do Pai, / Como nosso Intercessor, / Acolhei nossos pedidos, / Atendei nosso clamor! Vós somente sois o Santo, / O Altíssimo, o Senhor, / Com o Espírito Divino, / De Deus Pai no esplendor!

199 (Tom: E) Letra e Música: Frei Fabreti
Glória, glória, glória, aleluia! (2x) / Glória, glória, glória a Deus nos altos céus, / Paz na Terra a todos nós! Deus e Pai nós vos louvamos, glória a Deus! / Adoramos, bendizemos, glória a Deus! / Damos glória ao vosso Nome, glória a Deus! / Vossos dons agradecemos! Senhor nosso, Jesus Cristo, hosana rey! / Unigênito do Pai, hosana rah! / Vós de Deus, Cordeiro Santo, hosana rey! / Nossas culpas perdoai! Vós, que estais junto do Pai, aleluia! / Como nosso intercessor, aleluia! / Acolhei nossos pedidos, aleluia! / Atendei nosso clamor! Vós somente sois o Santo, glória a Deus! / O Altíssimo Senhor, hosana rah! / Com o Espírito Divino, aleluia! / De Deus Pai no esplendor!

2–

1–

3– 4– 5–

2–

3–

4–

204 (Tom: F) Letra: CNBB / Música: André Jamil Zamur
1– Glória, glória! Anjos no céu / cantam todos seu amor! / E na terra, homens de paz: / “Deus merece o louvor!” Deus e Pai, nós vos louvamos, / Adoramos, bendizemos, / Damos glória ao vosso nome, / Vossos dons agradecemos! Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito do Pai, / Vós, de Deus Cordeiro Santo, / Nossas culpas perdoai! Vós, que estais junto do Pai, / Como nosso Intercessor, / Acolhei nossos pedidos, / Atendei nosso clamor! Vós somente sois o Santo, / O Altíssimo, o Senhor, / Com o Espírito Divino, / De Deus Pai no esplendor!

200 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Glória a Deus nas alturas: / Glória, glória, aleluia! / Glória a Deus, paz na terra, / Glória, glória, aleluia! / Glória, glória nos céus! / Paz na terra entre os homens. (2x) Glória a Deus, glória ao Pai! / Glória a Deus criador, / que no Filho tornou-se / o Senhor Deus da vida! Glória a Deus, glória ao Filho! / Glória a Deus, nosso irmão! / Nos remiu do pecado, / nos abriu novo Reino! Glória ao Espírito Santo, / Deus que nos santifica! / Glória a Deus que nos une / a caminho do Pai! Glória a Deus uno e santo: / Pai, Espírito e Filho! / Glória a Deus uno e trino! Glória ao Deus comunhão! 2– 3– 4–

1– 2– 3– 4–

205 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
Glória ao Pai Eterno, santo e criador, / que nos deu Jesus, irmão e Salvador / E nos enviou o Espírito do amor! / Glória ao Pai eterno, glória e louvor! 1 – Com amor louvamos nosso Pai, numa só voz; / Ele é o pastor e as ovelhas somos nós. 2 – Ele nos criou e nos conduz com suas mãos; / Ele é nosso Pai e todos nós somos irmãos. 3 – Ao abandonarmos seu caminho e seu amor, / reconciliounos em seu Filho salvador.

201 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Glória a Deus no céu, paz na terra aos homens, glória a Deus! Aleluia! 1 – Senhor Deus, Rei do céu, Pai todo-poderoso, / Nós vos damos graças pela vossa glória.

206 (Tom: G) Música: José Acácio Santana
1 – Glória a Deus nas alturas, / e paz na terra a todos que são por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, / Deus Pai todo-poderoso, / nós vos louvamos. / Nós vos bendizemos / e nós vos adoramos / e vos glorificamos. / Nós vos damos graças / e nós vos damos graças / por vossa glória. 2 – Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito. / Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós. / Vós, que tirais o pecado do mundo, / acolhei nossa súplica. / Vós, que estais à direita do Pai, / tende piedade de nós! 3 – Porque só Vós sois o Santo, / só Vós sois o Senhor, / só Vós, o Altíssimo, / com o Espírito Santo, / com o Espírito Santo, / na glória de Deus Pai. / Amém! Amém! Amém! Amém!

3 – De nós piedade, o’ Jesus ressuscitado! / O’ Cordeiro de Deus vivo, que tirais nosso pecado / E lavais a terra inteira na água viva do perdão, / Escutai o vosso povo, vossa Igreja em oração! 4 – O’ Jesus Cristo libertador, só Vós sois santo. / Só Vós, Senhor, com o Espírito de santidade / Na glória eterna do Deus Trindade! / Amém! Amém! Amém!

211 (Tom: C) Letra e Música: Adenor João Terra
1– Glória, glória, / glória a Deus nas alturas / E na terra paz aos homens! (bis) Senhor Deus, Rei dos céus, / Deus Pai todo-poderoso, / nós vos louvamos, / nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, / nós vos glorificamos. Nós vos damos graças / por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito. / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós. / Vós, que tirais o pecado do mundo, / acolhei a nossa súplica. Vós, que estais à direita do Pai, / tende piedade de nós. / Só Vós sois o Santo, só Vós, o Senhor, / Só Vós, o Altíssimo, Jesus Cristo. / Com o Espírito Santo / na glória de Deus Pai.

2–

207 (Tom: A) Letra e Música: José Acácio Santana
Glória ao Pai e glória ao Filho, ao Espírito que vem, / agora e para sempre, pelos séculos. Amém! Amém! (bis) 1 – Louvor ao Pai, que nos amou na eternidade / e nos amou para vivermos como irmãos. / O seu Espírito nos fez comunidade, / uniu a todos numa santa Comunhão. 2 – Louvor ao Pai, que deu ao mundo o Filho amado / para trazer a todos nós a salvação. / O seu Espírito arrancou nosso pecado, / nos envolveu em sua santificação. 3 – Louvor ao Pai, que nos mandou o Espírito Santo / com sua luz nosso caminho iluminar. / Sua energia, que nos cobre, qual um manto, / consegue sempre nossas vidas transformar.

3–

4–

212 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Glória a Deus Trindade que “primeiro nos amou”, / Deus comunidade que em Jesus se revelou. Viver e conviver em comunhão, / glória, glória, aleluia! / Eis a nossa vocação. (2x) 2 – Glória ao Filho amado que do Pai vem anunciar: Grande “Boa Nova para os homens libertar”. 3 – Glória ao Santo Espírito que o mundo renovou, / Vem e ensina a todos o que o Filho nos falou.

208 (Tom: E) Letra e Música: Geraldo Carlos da Silva
Glória a Deus, / glória a Deus, / glória a Deus nos céus / e paz aos homens na terra / que trabalham para Deus. (2x) 1 – Glória ao Pai do céu, / que primeiro nos amou. / E em vista do seu Cristo / livremente nos criou. 2 – Glória a Jesus Cristo / porque veio nos salvar. / E o mistério de Deus Pai / veio aos homens revelar. 3 – Glória ao Espírito Santo / porque é o consolador, / que ilumina nossa vida / e nos enche de amor.

213 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Em todo o universo, glória a Deus! / E no planeta terra, glória a Deus! / Paz na ONU e no meu país, / e que a humanidade seja mais feliz! 2 – Nós te adoramos, e louvamos, / e te agradecemos, e te suplicamos. / Teu imenso amor de Pai / vai nos ensinar a cultivar a paz. 3 – Tu, que és o Filho de Deus vivo, / Tu, que tens poder e majestade, / piedade, o’ Jesus, / tira-nos da treva com a tua luz. 4 – Tu, que vens do Pai e vens do Filho, / Tu, que nos conduzes com ternura, / brilhe em nós o teu amor, / és o Santo Espírito consolador!

209 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Joãozinho
Glória, glória no céu, glória ao Senhor. / Glória, glória na terra, paz e amor. (bis) 1 – Glória ao Rei da paz, / que nos faz irmãos. / Fez o universo / pelo toque de sua mão. 2 – Glória ao Rei do amor, / que morreu na cruz. / O seu nome é santo / e Ele se chama Jesus. 3 – Glória, paz e amor / ao que canta em nós. / Glória no Espírito / cantando a uma só voz.

214 (Tom: Dm) Música: Pe. Zezinho
Glória ao nosso Deus, glória ao nosso Deus / e paz na terra aos homens por Ele amados! (2x) 1 – Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / Nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. 2 – Senhor Deus, Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Cordeiro de Deus e Filho de Deus Pai. (2x) 3 – Vós, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós. (2x)

210 (Tom: E) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: André
Jamil Zamur

1 – Glória a Deus nos altos céus, / A Deus Pai onipotente / E na terra paz aos homens, / Que Ele ama ternamente! 2 – O’ Jesus Cristo, Deus encarnado, / Senhor da vida, ressuscitado. / Do Pai eterno, glória e esplendor, / Sois nossa Páscoa, nosso Senhor!

Vós, que tirais o pecado do mundo, / acolhei a nossa súplica. (2x) Vós, que estais à direita do Pai, / tende piedade de nós, / piedade de nós, piedade de nós. 4 – Somente Vós sois Santo, só Vós sois o Senhor, / só Vós sois o Altíssimo, Jesus Cristo, Jesus Cristo, Jesus Cristo, / Que com o Espírito Santo viveis e reinais na glória de Deus Pai, / e com o Espírito Santo viveis e reinais na glória de Deus Pai. Glória ao nosso Deus, glória ao nosso Deus e / paz na terra aos homens por Ele amados. / Paz na terra aos homens por Ele amados. / Amém, amém, amém, amém, amém.

6 – É mais que ouro e mais que sol, a tua lei, / dos teus caminhos, meu Deus, não desviarei. (bis) 7 – Bendita seja esta Palavra do Senhor, / mel saboroso e alimento para o amor. (bis) 8 – O céu proclama a tua glória, o’ meu Senhor, / a terra inteira canta um hino de louvor. (bis)

218 (Tom: C) D.R.
Toda palavra é uma semente, / jogada no chão do coração. / Cabe ao cristão, com muito amor, / cuidar dessa planta, / e os frutos virão, virão. 1 – Palavras que trazem mensagem / de alguém que se deu por nós, / que, às vezes, nos fazem tremer / por não as querermos viver. 2 – Palavras bem escolhidas / e preparadas com amor. / Enfim, nos falam da vida, / que é o próprio Senhor.

215 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Anjos cantam: Glória a Deus! / Paz na terra aos filhos seus! (2x) 1 – Glória ao Pai que tanto nos amou: / entre nós seu Filho enviou! 2 – A Jesus, nascido em Belém, / damos glória, nós aqui também. 3 – Glória a Deus, Espírito de amor, / que por nós se faz intercessor.

219 (Tom: Dm) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Senhor, que a tua palavra transforme a nossa vida, / queremos caminhar com retidão na tua luz. 1 – No Senhor está toda graça e salvação. / NEle encontramos o amor e o perdão. 2 – Não vacilará quem confia no Senhor. / Ele nos sustenta, nos conduz pela mão. 3 – O Senhor é bom, é ternura e compaixão. / Seu amor nos chama a viver como irmãos.

216 (Tom: D) Letra e Música: Zé Martins
1 – Glória a Deus, glória a Deus / Pai de bondade e amor. / Glória em todos os tempos / Javé, nossa força, Deus criador. (2x) / Oi, glória a Deus, / oi glória a Deus, / glória ao Criador. (2x) 2 – Glória a Deus, glória a Deus, Jesus é o Irmão redentor. / Homem no meio de nós, / Deus companheiro e libertador. (2x) / Oi, glória a Deus, / oi, glória a Deus, / glória ao Libertador. (2x) 3 – Glória a Deus, glória a Deus Espírito consolador. / Luz que mostra o caminho / do Reino de paz, de vida e de amor. (2x) / Oi, glória a Deus, / oi, glória a Deus, / glória ao Amor. (2x) 4 – Glória a Deus, glória a Deus / glória à Santa Trindade, / exemplo de paz e carinho, / de vida vivida em comunidade. (2x) / Oi, glória a Deus, / oi, glória a Deus, / glória à Fraternidade. (2x)

220 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Toda a Bíblia é comunicação / de um Deus amor, de um Deus irmão. / É feliz quem crê na revelação, / quem tem Deus no coração. Jesus Cristo é a Palavra, / pura imagem de Deus Pai. / Ele é vida e verdade, / a suprema caridade. Os profetas sempre mostram / a vontade do Senhor. / Precisamos ser profetas, / para o mundo ser melhor. Nossa fé se fundamenta/ na palavra dos apóstolos. / João, Mateus, Marcos e Lucas / transmitiram esta fé. Vinde a nós, o’ Santo Espírito, / vinde nos iluminar. / A Palavra que nos salva, / nós queremos conservar.

1– 2– 3– 4–

Acolhida da Palavra de Deus
217 (Tom: Dm) Letra e Música: Zé Vicente
1– 2– 3– 4– 5– Chegou a hora da alegria, / vamos ouvir esta Palavra que nos guia. (2x) Tua Palavra vem chegando bem veloz, / por todo canto hoje se escuta a tua voz. (bis) Nada se cria sem a força e o calor / que sai da boca de Deus, nosso Criador. (bis) A tua lei, o’ meu Senhor, é perfeição, / conforta a alma e nos educa pra união. (bis) O mandamento de meu Deus é retidão, / é luz nos olhos e prazer no coração. (bis) Esta é a Palavra da certeza e da justiça, / que nos liberta da opressão e da cobiça. (bis)

221 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente
A Palavra de Deus já chegou, / Nova luz clareou para o povo. (2x) Quando a Bíblia Sagrada se abriu, / Todo pobre já viu mundo novo. (2x) 1 – Quem andava espalhado se juntou, / quem vivia como cego enxergou. / Por todo canto já nasceu comunidade / e no caminho da verdade muita gente já entrou. (2x) 2 – Quem vivia explorado protestou, / quem calava só por medo já gritou. / Por todo canto os pequenos vão se unindo, / a liberdade vai surgindo e todo velho renovou. (2x) 3 – A semente da Palavra se espalhou, / caiu no campo coração-de-lavrador, / pela favela a semente germinou / e na colheita vai ter festa, meu Senhor! (2x) Aleluia, aleluia, aleluia!

222 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Quero levar esta Bíblia, / ir cantando em procissão, / ir feliz como quem leva / a luz do céu em sua mão!

2– 3– 4– 5–

Ergo bem alto esta Bíblia: / ei-la entre nós e o bom Deus! / É bênção que à terra desce, / é prece que sobe aos céus! Quero beijar esta Bíblia, / como beijo sempre, sim! / Mão de Pai que abençoa / e Mãe sorrindo para mim! Quero deixar este Livro, / qual um coração no altar: / Coração de Deus, aberto,/ ansioso por se revelar! Quero nas mãos este Livro, / vou levá-lo aonde for! / Eu o levo pela vida / e ele me leva ao Senhor! Ficam perfumes em gente / que só lida com a flor. / Assim, deixa em nós a Bíblia / a Luz de Deus, o seu Amor!

227 (Tom: F) Letra e Música: Celina Scandian Barbosa
1 – A Palavra de Deus é vida. / A Palavra de Deus é luz. / A Palavra de Deus transforma / o coração e o torna feliz. (bis) A Palavra de Deus convida / a seguir o exemplo de Jesus / e a aceitar o seu convite de ser sal, fermento e luz. (bis)

228 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
A Palavra de Deus é luz, / que nos guia na escuridão: / é semente de paz, de justiça e perdão! (bis) 1 – Que a tua Palavra, Senhor, / renove o nosso coração, / fortifique a nossa esperança / e nos faça viver como irmãos!

223 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
É como a chuva que lava, / é como o fogo que arrasa. / Tua Palavra é assim, / não passa por mim sem deixar um sinal. (bis) 1 – Tenho medo de não responder, / de fingir que não escutei. / Tenho medo de ouvir teu chamado, / virar pro outro lado e fingir que não sei. (2x) 2 – Tenho medo de não perceber, / de não ver teu amor passar. / Tenho medo de estar distraído(a), / magoado(a) e ferido(a), e, então, me fechar. (2x) 3 – Tenho medo de estar a gritar / e negar-te o meu coração. / Tenho medo do Cristo que passa, / oferece uma graça e eu lhe digo que não. (2x)

229 (Tom: A) Letra e Música: Socorro Lira
1 – A Palavra de Deus / chegou para nós (2x) / como luz na aurora / clamando na história / é Javé, tua voz. (2x) 2 – A verdade de Deus / quer nos libertar. (2x) / Boa Nova e vida / é pão, é bebida, / quer nos saciar. (2x) 3 – A justiça de Deus / na Bíblia Sagrada (2x) / é seu mandamento / perpassando o tempo, / sempre proclamada. (2x) 4 – Aleluia! Aleluia! Aleluia! (2x) / Boa Nova e vida / é pão, é bebida / quer nos saciar. (2x)

224 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
Palavras de salvação, / somente o céu tem pra dar, / por isso meu coração / se abre para escutar. 1 – Por mais difícil que seja seguir, / tua Palavra queremos ouvir. / Por mais difícil de se praticar, / tua Palavra queremos guardar. 2 – Com Simão Pedro diremos também / que não é fácil dizer sempre amém. / Mas não há outro na terra e no céu, / mais companheiro, mais santo e fiel.

230 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
Escutamos com grande carinho / as palavras do teu Precursor. / Elas vão preparar os caminhos / do teu Filho, Jesus salvador! Solo: Sou a voz que clama no deserto: / preparai os caminhos do Senhor! (2x)

231 (Tom: Dm) D.R.
Escuta, Israel, Javé, teu Deus, quer falar! (bis) Fala, Senhor Javé: Israel quer te escutar! (bis)

225 (Tom: D) Letra e Música: Josenildo do Pajeú
1– 2– 3– 4– 5– 6– A Palavra de Deus vai chegando, vai! (bis) É Jesus que hoje vem nos falar! (bis) É Palavra de Deus aos pequenos! (bis) É Palavra de libertação! (bis) Como o sol a brilhar no horizonte! (bis) É semente fecunda na terra! (bis) É a experiência do povo! (bis)

232 (Tom: C) Letra: Almir G. dos Reis / Música: Paulo Rafael e
Adenor Leonardo

226 (Tom: Em) Letra e Música: Ir. Maria José
1– 2– 3– 4– 5– 6– Fazei ressoar a Palavra de Deus em todo lugar. (bis) Na cultura, na história, vamos expressar, / levando a Palavra de Deus em todo lugar. Vamos lá! Com o negro e com o índio, vamos louvar, / e com toda a comunidade vamos festejar. Vamos lá! O Evangelho é a Palavra que Deus Pai proclamou. / Só Ele é o Caminho, Verdade, Vida e Amor. Vamos lá! Juventude, caminho aberto, vamos construir / fraternidade, renovação, vamos transmitir. Vamos lá! Na cultura popular, vamos catequizar, / celebrando fé e vida em todo lugar. Vamos lá! Com o pandeiro e com a viola, vamos cantar, / animando a nossa luta em todo lugar. Vamos lá!

Fala, Senhor, fala, Senhor! / Palavra de fraternidade! / Fala, Senhor, fala, Senhor! / És luz da humanidade! 1 – A tua Palavra / é fonte que corre, / penetra e não morre, / não seca jamais. 2 – A tua Palavra / que a terra alcança, / é luz, esperança / que faz caminhar. 3 – A tua Palavra, / farol da justiça, / que vence a cobiça, / é bênção e paz.

233 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
A comunidade dança alegre e canta, / acolhendo agora a Palavra santa. 1 – A Palavra vem, vem nos libertar, / como um vento forte a nos arrastar. 2 – A Palavra vem, fala ao coração, / chega como a chuva, fecundando o chão. 3 – Bem-aventurado, e povo feliz, / quem vive a Palavra e a Deus bendiz.

4 – Vamos caminhar, irmãs e irmãos, / já chegou a hora da nossa missão. 5 – Aleluia, irmãos, Jesus vai falar, / o santo Evangelho vamos aclamar!

239 (Tom: D) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Maurício
França Mendes e Maria Stela de Toledo Grillo

234 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente
Ouçamos todos boa notícia / que vem da vida, / que vem do amor! / Ouçamos todos boa notícia: / É o Evangelho de Deus salvador! 1 – É palavra que abre as prisões / e os corações atribulados. / Nossos lábios se abrem em canções / e os oprimidos são libertados. 2 – É palavra de Cristo Jesus, / o Deus da cruz, Libertador. / Nossos olhos se enchem de luz / e o pão dos pobres tem mais sabor!

1– 2– 3– 4–

Felizes os que ouvem a Palavra do Senhor; / Felizes os que buscam a justiça e o amor. Volta, meu povo, ao teu Senhor mudando a vida, / mudando a história por ti mesmo construída. Clamas por Deus, mas o oprimes no operário, / que tem direito a bom trabalho e bom salário. Quebras as cadeias da miséria e a opressão: / eis o jejum, eis a sincera conversão. Ouve a Palavra que te dá coração novo / e que te faz sentir irmão, formar um povo.

240 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhor, tua santa Palavra é mensagem de vida, / nos fala de paz. / É luz que ilumina os caminhos, / põe rumo nos passos, / nos fala de amor. Por tua Palavra, sempre estarás / falando de amor e paz! (bis) 2 – Ensina, Senhor, a mensagem da tua Palavra, / que fala de paz. / Queremos viver o sentido do teu mandamento, / que fala de amor.

235 (Tom: C) Letra: Gustavo Balbinot / Música: Osvaldo de Oliveira
1 – No seio das comunidades a tua Palavra é viva, Senhor! / Abertas ao compromisso, assumem o serviço, a causa do amor. (2x) Aleluia! Aleluia! A Palavra de Deus é justiça! / Aleluia! Aleluia! Denuncia a opressão e a cobiça. 2 – A tua Palavra é alimento, é força e sustento para caminhar! / Na busca de um mundo mais justo, não deixa o povo jamais se cansar. (2x) 3 – É como semente lançada com muito carinho por um semeador! / A tua Palavra germina, cativa e anima quem vive na dor. (2x)

241 (Tom: C) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Cantemos alegres, vibrantes, / ergamos a Deus nossa voz, / acolhamos a sua Palavra, / que passa no meio de nós. Cantai, cantai, irmãos, / cantai com amor e fé. / A Palavra de Vida, aclamemos de pé. (bis) 2 – A Bíblia é o Livro Sagrado / e que muitos livros contém; / ela é a verdade inspirada, / é nosso viver, nosso amém. 3 – Ergamos bem alto a Bíblia, / que a temos em nossas mãos, / com um beijo firmemos a crença / em Deus que abençoa, irmãos. 4 – Presente se faz na História, / por sua Palavra e ação; / nosso Deus, que caminha com o povo, / presente se faz no irmão.

236 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Ouçamos o(a) nosso(a) irmão(ã) que foi ungido(a). / Ele(a) nos dirá como Jesus viveu. / Abençoai, Senhor, o(a) vosso(a) escolhido(a) / que anunciará a vossa Palavra. Eu me levanto feliz para escutar / vossa Palavra que me faz feliz. Preciso de uma palavra, / De uma palavra boa. Não pode ser qualquer uma, / Tem que ser cheia de luz. Preciso de uma palavra / Que oriente a minha vida. Preciso de uma palavra, / E a Palavra é de Jesus. Jesus tem Palavra santa, / Jesus tem Palavra boa. É quando Jesus me fala / Que eu me torno mais pessoa. Jesus tem Palavra santa, / Palavra que traz a paz. Ouvindo a Palavra dEle, / A gente acerta muito mais. (2x)
Solista:

242 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Tua Palavra é vida, Senhor, / a Boa Nova nos congregou. / Tua verdade é paz, é justiça e amor. / No irmão, o Evangelho é salvação. 1 – O Pai nos ama, / seu amor é infinito. / Por Jesus Cristo, seu amor se revelou. 2 – O mandamento de Jesus nos orienta. / Ele é a Palavra que o Pai já proclamou.

237 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Fala, Senhor, fala da vida! / Só Tu tens palavras eternas: / queremos te ouvir! (bis)

243 (Tom: E) Letra: Maria de Fátima de Oliveira
Villar Guedes

e Música: Blesila

238 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – É a Palavra como a semente na terra: / morre e renasce, toda riqueza encerra. / E os seus frutos são a justiça, a verdade. / Volta ao Senhor, vida no amor, / na construção da unidade. 2 – Pelo Batismo, somos de Deus missionários. / A messe é grande, faltam, porém, operários. / Todos os homens cheguem a ter plena vida. / Povos, nações, num coração, / sejam família reunida.

Salvação, poder e glória, / honra, graças e louvor / sejam dados ao Deus vivo, / ao Deus nosso, Deus Amor. 1 – Tua Palavra de verdade / cria em nós fraternidade. 2 – Tua família reunida / vem ouvir-te, agradecida.

244 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Casimiro Irala
A Palavra é a semente / Que Jesus jogou no chão; / No chão da tua mente, / No chão do teu coração.

1 – Semente que caiu na pedra, / Semente que não quis brotar. / Há muito coração de pedra / Que não tem vida pra dar. 2 – Há gente que não tem ouvido, / Há gente que não quer ouvir, / Quem ouve logo frutifica, / Cem por um, milhão por mil.

4 – Não o irriteis, perdição há de ser sua ira. / Bem feliz é aquele que nEle se abriga! / Glória ao Pai pelo Filho, no Espírito-Amor! / Os teus filhos e filhas te cantam louvor!

248 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
SALMO 5

245 (Tom: Em) Letra e Música: Irene Gomes
Palavra não foi feita para dividir ninguém, / Palavra é uma ponte onde o amor vai e vem. (2x) 1 – Palavra não foi feita para dominar, / destino da palavra é dialogar; / palavra não foi feita para opressão, / destino da palavra é a união. 2 – Palavra não foi feita para vaidade, / destino da palavra é a eternidade; / palavra não foi feita pra cair no chão, / destino da palavra é o coração. 3 – Palavra não foi feita para semear, / a dúvida, a tristeza e o mal-estar; / destino da palavra é a construção / de um mundo mais feliz e mais irmão.

Cantos inspirados em Salmos
246 (Tom: Dm) D.R.
SALMO 1

É feliz quem a Deus se confia! (bis) 1 – Feliz aquele homem que não anda / conforme os conselhos dos perversos; / que não entra no caminho dos malvados / nem junto aos zombadores vai sentar-se; / mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar. 2 – Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; / ela sempre dá seus frutos a seu tempo / e jamais as suas folhas vão murchar. / Eis que tudo o que ele faz vai prosperar, / mas bem outra é a sorte dos perversos. 3 – Ao contrário, são iguais à palha seca / espalhada e dispersada pelo vento; / por isso, os ímpios não resistem no juízo / nem os perversos, na assembléia dos fiéis, / pois Deus vigia o caminho dos eleitos, /mas a estrada dos malvados leva à morte.

1 – Senhor, escuta o que eu digo, / considera o meu gemido. / Estou pedindo socorro, / abre bem o teu ouvido! / Tu és meu Deus e meu Rei, / eu, sem ti, estou perdido. (2x) 2 – Senhor, é a ti que eu suplico, / de manhã estou falando, / vem escutar minha voz. / Mal o dia vai raiando, / o meu problema te conto, / fico aqui só te esperando. (2x) 3 – Não gostas de malvadeza / e nem mora o mau contigo. / Quem é injusto e opressor, / consideras inimigo. / Quem mata, mente e engana, / vais tratar como maldito. (2x) 4 – Alegre eu entro em tua casa, / me ajoelho para orar. / Porque me dás tua graça, / eu me alegro em te adorar. / Em tua casa estou firme / contra quem quer me arrasar. (2x) 5 – Por causa dos inimigos, / tua justiça é meu guia. / Preparas o meu caminho: / meu andar não se extravia. / Eu ando com segurança, / quer de noite, quer de dia. (2x) 6 – A boca dos que me odeiam / diz mentira deslavada. / Por dentro armam ciladas, / que me agarram pela estrada. / Sua boca é uma cova aberta, / sua língua é afiada. (2x) 7 – Só pode alegre viver / quem procura a ti, Senhor. / Feliz é quem Tu proteges / e quem tem o teu amor. / Tu cobres como um escudo, / o justo com teu favor. (2x) 8 – A nosso Pai demos glória, / glória ao Filho seu também. / Louvor e glória igualmente / ao Espírito que vem. / Se estenda o nosso louvor, / hoje, agora e sempre. Amém! (2x)

249 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 6

247 (Tom: Ab) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Lindberg Pires
SALMO 2

1 – Reis e nações se amotinam e tramam, por quê? / E vão contra o Senhor e o Messias, por quê? / Deles se ri e aborrece o Senhor, e ouvirão: / “Fui eu quem consagrei o meu Rei em Sião!” Glória ao Senhor, nas alturas sem cessar! / Glória ao Senhor, terra inteira a cantar! (bis) 2 – Vou proclamar o decreto que vem do Senhor, / O que disse o Senhor e dizer me mandou: / “Tu és meu Filho, meu Filho, a ti hoje eu gerei, / Tu me pedes e eu as nações te darei!” 3 – Cetro de ferro nas mãos, as nações regerás, / Como um pote de barro as despedaçarás! / Reis e juízes da terra, guiar-vos deixai. / Ao Senhor com temor lhe servi e honrai!

1 – O’ meu Senhor, não me castigues não, / não me corrijas co’esse teu furor. / Tem piedade, estou me acabando, / meus ossos tremem; cura, meu Senhor! (2x) 2 – Todo o meu ser está estremecendo, / e Tu, Senhor, quando vais me atender? / Olha pra mim, Senhor, vem libertarme, / por teu amor vem logo socorrer.(2x) 3 – Pois quem dos mortos vai lembrar de ti, / quem foi pra cova vai poder louvar? / Estou exausto, choro noite e dia, / meus olhos murcham de tanto chorar.(2x) 4 – Longe de mim os malfeitores todos, / pois o Senhor ouviu os meus gemidos. / Senhor, escuta esta minha prece, / envergonhados, vão-se os inimigos!(2x) 5 – Louvor e glória ao Deus, que é Deus da Vida, / todos os povos te procuram tanto. / De quem acolhe teu perdão bondoso / recebe agora este novo canto! (2x)

250 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
SALMO 8

1 – Teu nome é, Senhor, maravilhoso, / por todo o universo conhecido; / até por crianças pequeninas / tua força domina o inimigo. 2 – Olhando pro céu que Tu fizeste, / pra lua e as estrelas tão bonitas. / Indago o lugar que cabe ao homem, / que vale a teus olhos sua vida? 3 – A um Deus semelhante o fizeste / coroado de glória e de valor. / De ti recebeu poder e força / de tudo vencer e ser Senhor.

4 – Dos bois, das ovelhas nos currais, / das feras que vivem pelas matas, / dos peixes do mar, dos passarinhos, / de tudo o que corta o ar e as águas. 5 – A Deus criador pertence a glória, / ao Verbo em Jesus manifestado, / divino amor que rege a História, / vem, fica pra sempre ao nosso lado.

1–

2– 3–

251 (Tom: F) Letra e Música: Maria Luíza Ricciardi
SALMO 8

4–

1–

2–

3–

4–

Meu Deus, como és grande, / imenso é teu amor! (bis) À noite, ao ver o céu, a lua e as estrelas, / eu penso que criaste / o mundo por amor. / Pergunto: quem sou eu, / pra Deus me amar assim? Dos lábios das crianças, / dos simples, dos humildes, / recebes o louvor / que sobe até os céus / e mostra teu poder / que vence pelo amor. Tu me fizeste livre / pra amar e ser feliz / e me deste o poder / de te chamar de Pai / que mais poderei ser / que ser filho de Deus? Eu amo a beleza / de tudo que criaste: / os pássaros do céu, / os peixes e o mar, / a vida, a natureza / e os homens, meus irmãos.

5–

6–

7–

8–

A Palavra de Deus é a verdade, sua lei, liberdade. A lei do Senhor é perfeita, / conforto para a alma; / o testemunho do Senhor é verdadeiro, / sabedoria dos humildes. Os preceitos do Senhor são justos, / alegria ao coração; / o mandamento do Senhor é reto, / esplendor para os olhos. O temor do Senhor é santo / e firme para sempre; / os juízos do Senhor são fiéis / e justos igualmente. E mais desejáveis do que o ouro / do que o ouro mais fino; / sua palavras são mais doces do que o mel, / do que o suco dos favos. Teu servo por elas instruído / encontrará recompensa; / mas quem de toda falta se apercebe? / Perdoa as que eu não vejo. Do orgulho preserva o teu servo / que ele em mim não domine; / então, serei puro e preservado / dos grandes pecados. Recebe as palavras de meus lábios / e os afetos de minh'alma; / na tua presença, o’ Senhor, / meu rochedo e redentor. Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito / desde agora e para sempre, / ao Deus que é, que era e que vem, / pelos séculos. Amém.

252 (Tom: C) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Aury A.
Brunetti SALMO 15/14

255 (Tom: Dm) Letra: Pe. Geraldo Leite Bastos / Música: Reginaldo
Veloso SALMO 22/21

1 – Quem, o’ Senhor, em tua casa habitará? / O que for justo e a verdade praticar. / Aquele que não fala mal de seu irmão / e não pratica a injustiça e opressão. Feliz quem ama a fraternidade / e em sua casa vive a verdade! (bis) 2 – Quem não explora dos pequenos a fraqueza / e não se deixa seduzir pela riqueza. / Aquele que tem da justiça sede e fome / e é perseguido pela causa do teu nome. 3 – Aquele que constrói a paz na caridade / e é fermento de uma nova humanidade. / Aquele que começa em casa, cada dia, / a construir fraternidade na alegria.

1–

2–

3–

253 (Tom: G) D.R.
SALMO 18/17

4–

1– 2– 3– 4– 5– 6– 7– 8–

Se o grão de trigo não morrer, sozinho vai ficar, / mas, se morrer no chão, dará, com tempo, muito fruto. Eu vos amo, o’ Senhor, sois minha força, / minha rocha, meu refúgio e Salvador. Ondas da morte me envolveram totalmente / e as torrentes da maldade me aterraram. Ao Senhor eu invoquei na minha angústia / e elevei o meu clamor para o meu Deus. De seu Templo Ele escutou a minha voz / e chegou a seus ouvidos o meu grito. O Senhor recompensou minha justiça / e a pureza que encontrou em minhas mãos. Pois salvais, o’ Senhor Deus, o povo humilde, / mas os olhos dos soberbos humilhais. O’ Senhor, fazeis brilhar a minha lâmpada; / o’ meu Deus, iluminais as minhas trevas. Concedeis ao vosso Rei grandes vitórias / e mostrais misericórdia ao vosso Ungido.

5–

6–

7–

8–

Meu Deus, o’ meu Deus, / por que me abandonaste? (bis) Meu Deus, o’ meu Deus, por que me abandonaste? / Não acha este traste paz em seu lamento. / De dia eu não agüento de tanto chorar, / de noite a gritar e sem ter alento. E tu que estás no trono assentado, / os pais no passado em ti confiavam; / quando eles chamavam, eram libertados, / assim confiados, não se envergonhavam. Mas eu sou um verme, um ente sem graça, / motivo nas praças de riso e galhofa; / e dizem com mofa: que Deus o liberte / e o desaperte, se dele ‘inda gosta. Por ti fui formado no ventre materno / e co’amor tão terno, eu fui aleitado, / a ti consagrado bem pequenininho, / e hoje sozinho e tão angustiado. Me sinto cercado de touros ferozes, / me atacam atrozes, parecem leões; / já se decompõe minh’alma partida, / qual cera vertida é meu coração. Já sinto na goela o gosto da morte, / jogado à sorte de cães tão malvados. / Em bandos irados, que eu perdi a fala, / minha boca se cala, ninguém do meu lado. Furaram minhas mãos, cravaram meus pés, / meus ossos de vez eu posso contar; / pessoas a olhar, mexendo as cabeças, / minhas vestes sorteiam e se põem a zombar. Porém, meu Senhor, não fiques de fora! / Me livra da hora, da facada certa! / Dos dentes das feras, do lobo feroz, / da ira do algoz, minha vida liberta.

256 (Tom: Eb) Versão: CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 23/22

254 (Tom: Bb) Letra: Liturgia das Horas / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 19/18

O Senhor é meu pastor, nada me pode faltar! 1 – O Senhor é o Pastor que me conduz, / nada me falta; / é nos prados da relva mais fresca, / que me faz descansar; / para as águas tranqüilas me conduz, / reconforta a minha alma.

2 – Ensina-me os caminhos mais seguros / por amor de seu nome; / passarei os mais negros abismos / sem temer mal nenhum: / junto a mim teu bastão teu cajado, / eles são o meu conforto. 3 – Preparas uma mesa para mim / bem à face do inimigo; / teu óleo me ungiu a cabeça / e minha taça transborda. 4 – Viverei a ventura da graça / cada dia da vida; / minha casa é a casa do Senhor / e para sempre o há de ser. 5 – Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito, / desde agora e para sempre. / Ao Deus que é, que era e que vem, pelos séculos. Amém.

4 – Com alegria e esperança, caminhando eu vou! / Minha vida está sempre em suas mãos. / E na casa do Senhor eu irei habitar. / E este canto para sempre irei cantar!

260 (Tom: Gm) Letra: Ir. Maria C. Ramos / Música: Pe. José Weber
SALMO 24/23

1– 2–

257 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
SALMO 23/22

3– 4– 5– 6–

1 – O Senhor é meu Pastor, / Nada me pode faltar. / Onde houver muita fartura, / onde houver muita fartura, / Ele aí vai me levar! 2 – Para as fontes de água fria / Ele vai me conduzir. / Vou repousar, ganhar força, / Vou repousar, ganhar força / E vontade de sorrir. 3 – Por caminhos bem traçados / Ele me faz caminhar; / Nas passagens perigosas, / Nas passagens perigosas, / Ele vem me acompanhar. 4 – Me prepara mesa farta / De invejar o meu vizinho; / Me abraça e põe perfume, / Me abraça e põe perfume, / Enche o meu copo de vinho. 5 – Me acompanha noite e dia / Tua força e teu amor; / Vou morar na tua casa, / Vou morar na tua casa, / Toda a vida, meu Senhor!

Abre as portas, deixa entrar / o Rei da Glória! / É o tempo, Ele vem orientar / a nossa história. A Terra inteira está aberta ao Senhor, / para elevar a Deus seu canto de amor. Só Ele é o Senhor, pois tudo Ele faz, / vamos reconhecer os dons que Ele traz. Deves lavar as mãos e ter retidão. / Deixa o Senhor entrar no teu coração. Quem dedicar-lhe amor e muita afeição, / Deus vai abençoar, trazer salvação. Buscando caminhar, teu povo no mar, / anseia por ver o teu rosto, Senhor! Com esplendor, poder, o Rei vai chegar, / vamos espaço abrir, pra Ele entrar!

261 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 24/23

1–

258 (Tom: F) Letra e Música: Maria Luíza Ricciardi
SALMO 23/22

2–

O Senhor é o meu pastor / perto dEle sou feliz, sou feliz! (bis) 1 – A um lugar bem tranqüilo me leva, / um lugar onde o céu é azul, / um lugar onde há muito verde / e a água pura cantando no rio. / Um lugar onde encontro esperança / e a paz que me faz reviver. 2 – Se na estrada eu passar por um túnel / onde nada mais vejo, só trevas, / e o vazio invadir o meu ser, / mesmo assim confiarei no meu Deus. / E não hei de sentir medo algum / porque está o Senhor junto a mim. 3 – Para mim preparaste um jantar / e sentaste à mesa comigo, / me serviste e ficamos amigos, / desde então conheci tua paz; / teu amor que me faz tão feliz! / Junto a ti ficarei para sempre.

3–

4–

5–

6–

Quem é que vai, Senhor, / entrar em tua morada? / Quem tem as mãos bem limpas / e os pés em tua estrada! (bis) O mundo / e tudo o que tem nele é de Deus, / a terra e os que aí vivem, todos seus! / Foi Deus / que a terra construiu por sobre os mares, / no fundo do oceano, seus pilares! Quem vai / subir ao monte santo do Senhor, / da sua casa vai ser morador? / Quem tem / as mãos bem limpas de toda maldade / e puro o coração na lealdade! Quem vai / subir ao monte santo do Senhor, / da sua casa vai ser morador? / Quem não / confia em deuses falsos, deuses vãos, / nem jura em prejuízo dos irmãos! A bênção, / a bênção do Senhor receberá, / justiça e salvação encontrará! / Aí / está a geração que busca a Deus / a face do Senhor, / Deus dos hebreus! Quem é, / quem é, então, quem é o Rei da Glória? / O Deus forte Senhor da nossa História! / Portões / antigos se escancarem, vai chegar, / alerta, o Rei da Glória vai entrar! Quem é, / quem é, então, quem é o Rei da Glória? / O Deus que tudo pode é o Rei da Glória! / Aos Três, / ao Pai, ao Filho e ao Confortador / do povo que caminha o louvor!

259 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho e Música: Frei Fabreti
SALMO 23/22

262 (Tom: C) Letra e Música: José Alves
SALMO 24/23

1 – Pelos prados e campinas verdejantes, eu vou! / É o Senhor que me leva a descansar. / Junto às fontes de águas puras, repousantes, eu vou! / Minhas forças o Senhor vai animar! Tu és, Senhor, o meu Pastor! / Por isso nada em minha vida faltará. (bis) 2 – Nos caminhos mais seguros junto dEle, eu vou! / E pra sempre o seu nome eu honrarei. / Se eu encontro mil abismos nos caminhos, eu vou! / Segurança sempre tenho em suas mãos! 3 – No banquete em sua casa, muito alegre, eu vou! / Um lugar em sua mesa me preparou! / Ele unge minha fronte e me faz ser feliz, / E transborda a minha taça em seu amor.

Hosana ao Filho de Davi! Hosana ao Filho de Davi! / Bendito o que vem em nome do Senhor! Rei de Israel, Hosana nas alturas! / Hosana ao Filho de Davi! Hosana ao Filho de Davi! / Os filhos dos hebreus, com ramos de oliveira, / foram ao encontro do Senhor clamando: / Hosana nas alturas! Hosana nas alturas! 1 – Ao Senhor pertence a terra e sua plenitude, / o mundo inteiro com os seus seres que o povoam. / Porque Ele a tornou firme sobre os mares / e sobre as águas a mantém inabalável.

2 – Quem subirá até o monte do Senhor? / Quem ficará em sua santa habitação? / Quem tem mãos puras e inocente o coração, / quem não dirige sua mente para o crime. 3 – Dizei-nos: Quem é este Rei da Glória? / O Rei da Glória é o Senhor onipotente! / O Rei da Glória é o Senhor do Universo! / O Rei da Glória é o Senhor de toda a Terra!

263 (Tom: F#m) Letra: Liturgia das Horas / Música: Frei Joel Postma
SALMO 25/24

Verdade e amor são os caminhos do Senhor. 1 – Mostrai-me, o’ Senhor, vossos caminhos / e fazei-me conhecer a vossa estrada! / Vossa verdade me oriente e me conduza, / porque sois o Deus da minha salvação. 2 – Recordai, Senhor, meu Deus, vossa ternura / e a vossa compaixão que são eternas! / De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia / e sois bondade sem limites, o’ Senhor! 3 – O Senhor é piedade e retidão / e reconduz ao bom caminho os pecadores. / Ele dirige os humildes na justiça / e aos pobres ele ensina o seu caminho.

Tende piedade, / piedade de nós, o’ Senhor! / O nosso olhar sereno vos busca. (2x) 1 – Senhor, meu Deus, a Vós elevo a minha alma, / em Vós confio: que eu não seja envergonhado. Senhor, meu Deus, a Vós elevo a minha alma, / não se envergonha quem em Vós põe a esperança. 2 – Fica mal quem nega por um nada a sua fé. / Mostrai-me, o’ Senhor, vossos caminhos. E fazei-me conhecer a vossa estrada! / Vossa verdade me oriente e me conduza. 3 – E Vós sois o Deus da minha salvação; / em Vós espero, o’ Senhor, todos os dias! Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura / e a vossa compaixão que são eternas! 4 – Não recordeis os meus pecados quando jovem, / nem vos lembreis de minhas faltas e delitos! De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia / e sois bondade sem limites, o’ Senhor! 5 – O Senhor é piedade e retidão, / e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, / e aos pobres ele ensina o seu caminho. 6 – Verdade e amor são os caminhos do Senhor / para quem guarda sua Aliança e seus preceitos. O’ Senhor, por vosso nome e vossa honra, / perdoai os meus pecados que são tantos. 7 – Quem é a pessoa que respeita o Senhor? / Deus lhe ensina o caminho a seguir. Será feliz e viverá na abundância, / e os seus filhos herdarão a nova terra. 8 – O Senhor se torna íntimo aos que o temem / e lhes dá a conhecer sua Aliança. Tenho os olhos sempre fitos no Senhor, / pois ele tira os meus pés das armadilhas. 9 – Voltai-vos para mim, tende piedade, / porque sou pobre, estou sozinho e infeliz! Aliviai meu coração de tanta angústia, / e das minhas aflições me libertai! 10 – Considerai minha miséria e sofrimento / e concedei vosso perdão aos meus pecados! Olhai meus inimigos que são muitos, / e com que ódio violento eles me odeiam! 11 – Defendei a minha vida e libertai-me; / em Vós confio, que eu não seja envergonhado! Que a retidão e a inocência me protejam, / pois em Vós eu coloquei minha esperança! 12 – Libertai, o’ Senhor Deus, a Israel, / de toda sua angústia e aflição! Glória ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo, / como era no princípio, agora e sempre.

265 (Tom: Cm) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
SALMO 27/26

O Senhor é minha luz, / Ele é minha salvação. / Que poderei temer? / Que poderei temer? 1 – O Senhor é minha luz, / Ele é minha salvação. / O que é que vou temer? / Deus é minha proteção. / Ele guarda minha vida: / Eu não vou ter medo, não. (2x) 2 – Quando os maus vêm avançando, / procurando me acuar, / desejando ver meu fim, / só querendo me matar. / Inimigos opressores / é que vão se liquidar. (2x) 3 – Se um exército se armar / contra mim, não temerei. / Firme está meu coração, / sempre firme ficarei. / Se estourar uma batalha / mesmo assim, confiarei. (2x) 4 – A Deus peço uma só coisa, / sei que ele vai me dar: / habitar em sua casa / todo tempo que eu durar, / para provar sua doçura / e no templo contemplar. (2x) 5 – Ele vai me dar abrigo, / em sua casa vou morar. / Nestes tempos de aflição / sei que vai me agasalhar, / me escondendo em sua tenda, / para na rocha eu me firmar. (2x) 6 – A cabeça eu tenho erguida, / mesmo em meio de inimigos. / Ofereço um sacrifício, / pois livrou-me dos perigos. / Canto hinos com a viola, / o meu salmo a Deus eu digo. (2x) 7 – O’ Senhor, ouve o meu grito / e de mim tem compaixão. / Eu te falo confiante, / firme está meu coração. / Eu procuro é tua face, / não me tires tua visão. (2x) 8 – Em tua ira não me enxotes. / Só Tu podes me ajudar. / Não me deixes enjeitado. / Vem, Senhor, me segurar. / Se meus pais me abandonarem, / sei que vens me agasalhar. (2x) 9 – Vem, me ensina teus caminhos / e me mostra a boa estrada. / Me protege do inimigo / que só pensa coisa errada. / Falsidade estão tramando, / tenho a vida amargurada. (2x) 10 – Sei que eu hei de ver, um dia, / a bondade do Senhor: / lá, na terra dos viventes, / viverei no seu amor. / ‘Spera em Deus! Cria coragem! / ‘Spera em Deus, que é teu Senhor! (2x) 11 – Glória a Deus que nos acolhe, / glória a Cristo salvador. / Igualmente demos glória / ao Espírito de amor. / Deus é Mãe que nos consola, / cantaremos seu louvor. (2x)

266 (Tom: Am) Letra: Liturgia das Horas / Música: Série “Povo de
Deus” SALMO 29/28

264 (Tom: G) Letra: Liturgia das Horas / Música: Frei Joel Postma
SALMO 25/24

Na graça do Senhor mergulhados, / fomos batizados no Espírito Santo. 1 – Filhos de Deus, tributai ao Senhor, / tributai-lhe a glória e o poder! Dai-lhe a glória devida ao seu nome; / adorai-o com santo ornamento!

2 – Eis a voz do Senhor sobre as águas! / Eis a voz do Senhor com poder! Eis a voz do Senhor majestosa, / sua voz no trovão reboando! 3 – Eis que a voz do Senhor quebra os cedros, / o Senhor quebra os cedros do Líbano. Faz o Líbano saltar qual novilho / e o Sarion como um touro selvagem! 4 – Eis que a voz do Senhor lança raios, / voz de Deus faz tremer o deserto, voz de Deus que contorce os carvalhos, / no seu templo os fiéis bradam: “Glória!” 5 – É o Senhor que domina os dilúvios, / o Senhor reinará para sempre. Que o Senhor fortaleça o seu povo / e abençoe com a paz o seu povo! 6 – Glória ao Deus e Senhor desta terra, / a Jesus que o Pai nos enviou, à Divina e materna ternura / toda graça, alegria e louvor.

SALMO 31/30

267

(Tom: C) Letra: Liturgia da Horas / Música: José Alberto

Fontanella SALMO 30/29

Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito! (bis) 1 – Senhor, eu ponho em Vós minha esperança, / que eu não fique envergonhado eternamente. / Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, / porque Vós me salvareis, o’ Deus fiel. 2 – Tornei-me o opróbrio do inimigo, / o desprezo e zombaria dos vizinhos / e objeto de pavor para os amigos, / fogem de mim os que me vêem pela rua. 3 – A Vós, porém, o’ meu Senhor, eu me confio, / e afirmo que só Vós sois o meu Deus! / Eu entrego em vossas mãos o meu destino, / libertai-me do inimigo e do opressor! 4 – Mostrai serena a vossa face ao vosso servo, / e salvai-me pela vossa compaixão! / Fortalecei os corações, tende coragem, / todos vós que ao Senhor vos confiais!

268 (Tom: Am) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 30/29

1–

2–

3–

4–

5–

6–

Cai a tarde, vem a noite, / a tristeza, o pranto, a dor; / de manhã renasce o sol, / novo dia, alegria! Senhor, / grandes coisas direi eu de ti, / porque / me livraste e não permitiste / que os maus / rissem, fazendo pouco de mim! Senhor, / eu por ti clamei e me curaste; / minha vida, / do lugar onde os mortos residem, / só Tu / me tiraste e me libertaste! Cantai, / santos todos, dai glória ao Senhor! / Sua raiva / é um momento e logo acabou; / bondade, / toda a vida perdura o amor! Seguro, / eu dizia: jamais tremerei! / Favor, / me cobriste de honra e poder. / Teu rosto / escondeste e eu me apavorei. Piedade / a meu Deus eu estou a implorar; / vantagem, / por acaso, na morte haverá? / O pó / dos meus ossos irá te louvar?! Senhor, / piedade, vem me socorrer! / Minha dor / e meu pranto mudaste em prazer, / teu nome / para sempre eu irei bendizer!

Eu me entrego, Senhor, / em tuas mãos / e espero pela tua salvação! (bis) 1 – Junto de ti, o’ Senhor, eu me abrigo, / não tenha eu de que me envergonhar; / por tua justiça me salva e teu ouvido / ouça meu grito: "Vem logo libertar!” 2 – Sê para mim um rochedo firme e forte, / uma muralha que sempre me proteja; / por tua honra, Senhor, vem conduzirme, / vem desatar-me, és minha fortaleza! 3 – Em tuas mãos eu entrego o meu espírito, / o’ Senhor Deus, és tu quem me vai salvar; / Tu não suportas quem serve a falsos deuses, / somente em ti, o’ Senhor, vou confiar! 4 – Por teu amor vou dançar de alegria, / pois bem que olhaste pra minha opressão; / não me entregaste nas mãos do inimigo, / meus pés firmaste em boa posição. 5 – Tem piedade, Senhor, deste oprimido / dói-me a vista, garganta e coração; / a minha vida se acaba em tristeza, / gemo e definho, meus anos lá se vão... 6 – Meus opressores são tantos que eu me acanho, / de mim se enojam vizinhos e amigos; / quem me encontra na rua, vira a cara, / sou feito um traste, de todos esquecido. 7 – Por toda a parte ouço gente cochichando, / apavorado não sei pr’onde correr; / eles se juntam e contra mim conspiram, / estão tramando, já sei que vou morrer. 8 – De minha parte, Senhor, em ti confio, / Tu és meu Deus, meu destino, em tuas mãos! / Vem libertar-me de quantos me perseguem, / por teu amor, faz brilhar tua salvação! 9 – Não me envergonho, Senhor, de te implorar, / envergonhados eu veja os malfazejos, / emudecidos na região dos mortos, / quem contra o justo só fala com desprezo! 10 – Oh! Como é grande, Senhor, tua bondade! / publicamente abençoas quem te busca; / Tu os escondes em tua própria tenda, / e das más línguas e intrigas os ocultas. 11 – Bendito seja o Senhor que tanto fez, / em meu favor maravilhas operou! / Em minha angústia dizia: "Excluiume" / mas Tu ouviste meu grito e meu clamor. 12 – Amai a Deus! O Senhor guarda os fiéis! / Vão pagar caro os soberbos, seus rivais! / De coração sede firmes, corajosos, / Vós todos que no Senhor sempre esperais! 13 – Ao Pai do Céu, que seu Filho entregou, / ao Filho que sua vida deu também / e ao Divino, segredo deste amor, / nós damos glória agora e sempre. Amém!

270 (Tom: E) Letra: Amália Ursi / Música: Waldeci Farias
SALMO 32/31

1 – Eu só tentava viver me iludindo, / diante dos outros eu vivia fingindo. / Mas o silêncio, a verdade gritava, / muito confuso e aflito, eu ficava. A hipocrisia eu ponho de lado, / e reconheço o erro que fiz. / É feliz quem foi perdoado, / livre da culpa é muito feliz. 2 – Já não podia! Não mais agüentei! / E o meu rosto então desvendei. / Reconheci ser aquilo que sou: / Deus me acolheu e me perdoou. 3 – Livre é aquele que quer ser leal, / nada mais teme, nem mesmo o mal. / Se junto a Deus procura a verdade, / a própria noite se faz claridade.

269 (Tom: F) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. Sílvio Milanez

271 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 32/31

1 – Feliz aquele a quem Deus perdoa, / quem de suas culpas recebeu perdão. / Feliz aquele a quem Deus não condena, / porque é sincero no seu coração. (2x) 2 – Enquanto eu não confessei minhas culpas, / o dia inteiro fiquei a chorar; / me castigavas, Deus, e minhas forças / eram sereno no sol a secar. (2x) 3 – Os meus pecados, então, confessei, / minha maldade não te escondi: / Tu perdoaste todas as minhas faltas, / pois confessar-te tudo eu resolvi. (2x) 4 – Os que te amam, quando angustiados, / devem assim fazer sua oração. / E podem vir as ondas mais pesadas, / grandes tormentos não os ferirão. (2x) 5 – Tu és, o’ Deus, o meu esconderijo, / Tu quem me livras de toda aflição; / porque, o’ Deus, Tu me tens protegido / bem alto eu canto a tua salvação! (2x) 6 – Deus disse: “Eu vou te mostrar o caminho, / por onde andares, vou te ensinar... / Não sejas feito um burro sem juízo / e de cabresto e rédea a precisar!” (2x) 7 – Sofrem os maus, mas quem confia em Deus / do seu amor recebe a proteção; / Vós, que sois justos, gritai de alegria, / ficai contentes, fazei louvação! (2x) 8 – Pelo que Deus tem feito, alegrai-vos, / Vós que honestos sois de coração! / Sua compaixão a nós se revelou, / e os perdoados fazem louvação! (2x)

274 (Tom: F) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. José Weber
SALMO 42/41

1– 2– 3– 4–

A minh'alma tem sede de Deus, / pelo Deus vivo anseia com ardor: / quando irei ao encontro de Deus, / e verei tua face, Senhor. (2x) A ovelha sedenta procura o riacho, / A minh'alma suspira por Deus; onde o acho? Dor e lágrima são meu constante alimento; / "Onde está o teu Deus?" dizem os maus e agüento. Pelas águas que correm suspira a ovelha, / Pelas fontes de Deus a minh'alma anseia. Por que estás abatida e confusa, o’minh'alma? / Deus é teu companheiro: espera e te acalma!

275 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Ronoaldo Pelaquim
SALMO 42/41

272 (Tom: E) Letra: Liturgia das Horas / Música: Série “Povo de
Deus” SALMO 36/35

1–

2–

3–

4–

5–

Em vós, o’ Senhor, esperamos, / da nossa vida Vós cuidareis. (bis) Vosso amor chega aos céus, o’ Senhor, / chega às nuvens a vossa verdade. / Como as altas montanhas eternas, / é a vossa justiça, Senhor. Os vossos juízos superam / os abismos profundos dos mares. / Os animais e os homens salvais: / quão preciosa é, Senhor, vossa graça! Eis que os filhos dos homens se abrigam / sob a sombra das asas de Deus. / Na abundância de vossa morada, / eles vêm saciar-se de bens. Vós lhes dais de beber água viva, / na torrente das vossas delícias, / pois em Vós está a fonte da vida, / e em vossa luz contemplamos a luz. Conservai aos fiéis a vossa graça / e aos retos, a vossa justiça. / Toda glória, o’ Deus, nós vos damos, / e louvores alegres cantamos.

Por que chorar, meu coração? / Por que chorar, sem ter razão? / Confia em Deus, que é Pastor, / confia em Deus, que é Senhor. (bis) 1 – Tem muita sede a minh'alma, / sede de Deus, do Deus vivo. / Quando irei ver tua face, / meu Deus e meu Senhor? 2 – Saudades tem a minha alma, / ao recordar por onde andei, / ao ver meu povo de tão longe, / meu Deus e meu Senhor! 3 – Meu alimento é meu pranto. / Vivo a chorar de dia e noite. / Dizem ainda: "Onde está Deus? / meu Deus e meu Senhor!"

276 (Tom: G) D.R.
SALMO 45/44

1– 2– 3– 4– 5– 6– 7–

273 (Tom: C) Letra: Liturgia das Horas / Música (refrão): Série “Povo
de Deus” SALMO 40/39

1–

2–

3–

4–

Eu disse: “Eis que venho, Senhor! / Com prazer faço a vossa vontade”. Esperando, esperei no Senhor / e, inclinando-se, ouviu meu clamor. / Canto novo ele pôs em meus lábios, / um poema em louvor ao Senhor. Sacrifício e oblação não quisestes, / mas abristes, Senhor, meus ouvidos; / não pedistes ofertas nem vítimas, / holocaustos por nossos pecados. E, então, eu vos disse: “Eis que venho!” / Sobre mim está escrito no Livro: / “Com prazer faço a vossa vontade, / guardo em meu coração vossa lei!” Boas novas de vossa justiça / anunciei numa grande assembléia; / Vós sabeis: não fechei os meus lábios, / proclamei toda a vossa justiça.

Então, da nuvem luminosa dizia uma voz: / “Este é meu Filho amado, escutem sempre o que Ele diz!” Transborda um poema do meu coração: / vou cantar-vos, o’ Rei, esta minha canção. Sois tão belo, o mais belo entre os filhos dos homens! / Porque Deus, para sempre, vos deu sua bênção. Levai vossa espada de glória no flanco, / herói valoroso, no vosso esplendor. Saí para a luta no carro de guerra / em defesa da fé, da justiça e verdade. Vosso trono, o’ Deus, é eterno, sem fim; / vosso cetro real é sinal de justiça. Vós amais a justiça e odiais a maldade. / É por isso que Deus vos ungiu com seu óleo. Cantarei vosso nome de idade em idade, / para sempre haverão de louvar-vos os povos.

277 (Tom: A) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
SALMO 47/46

Quão formosos são os pés / de quem deixa sua terra, seu lar / pra levar entre as nações / o Evangelho do amor e da paz! 1 – Povos todos, aclamai e batei palmas, / vinde a Deus com brados de alegria! / Ele é grande sobre toda a nossa terra, / traz os povos e nações em suas mãos. 2 – Seu amor nos preparou a grande herança / para orgulho do Eleito, o Bem Amado. / Cantai hinos para o nosso Deus, cantai! / O Senhor é o soberano desta terra!

278 (Tom: G) Letra: Pe. Jocy Rodrigues / Música: Pe. Ronoaldo
Pelaquim SALMO 47/46

1– 2– 3– 4– 5– 6–

Povos todos do universo batam palmas, / soltem gritos de alegria, aleluia! (bis) Ele é o Deus Altíssimo, / Soberano, Rei, Senhor. / Povos todos do universo / num só povo congregou. Num só povo congregou / as nações que ele venceu. / Deu a terra como herança / a este povo que escolheu. Deus subiu por entre aplausos, / com trombetas a tocar. / Cantem salmos ao Senhor, / todos juntos, sem cessar. Toquem músicas alegres / ao Senhor, que é Rei da terra, / cada povo do universo / do seu trono Ele governa. Reuniu todas as gentes / com os filhos de Abraão, / pois só Ele é Deus Altíssimo: / tem os reis em sua mão. Glória ao Deus que nos anima / e a seu Filho vencedor. / Seu Espírito é coragem, / força que nos libertou.

7 – Dai-me de novo alegria de ser salvo / E confirmai-me com espírito generoso! / — Ensinarei vosso caminho aos pecadores, / E para Vós se voltarão os transviados. 8 – Da morte como pena, libertai-me, / e minha língua exaltará vossa justiça! / — Abri meus lábios, o’ Senhor, para cantar, / E minha boca anunciará vosso louvor! 9 – Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, / E, se oferto um holocausto, o rejeitais. / — Meu sacrifício é minha alma penitente, / Não desprezeis um coração arrependido! 10 – Sede benigno com Sião, por vossa graça, / reconstruí Jerusalém e os seus muros! / — E aceitareis o verdadeiro sacrifício, / os holocaustos e oblações em vosso altar!

281 (Tom: F#m) Letra e Música: Pe. Geraldo Leite Bastos
SALMO 51/50

279 (Tom: D) Letra: Liturgia das Horas / Música (refrão): Pe. Jocy
Rodrigues; (estrofes): Pe. José Weber SALMO 50/49

A todo homem que procede retamente, / eu mostrarei a salvação que vem de Deus. 1 – Falou o Senhor Deus, chamou a terra, / do sol nascente ao sol poente a convocou. / “Eu não venho censurar teus sacrifícios, / pois sempre estão perante mim teus holocaustos. 2 – Não te diria, se com fome eu estivesse, / porque é meu o universo e todo ser. / Porventura, comerei carne de touros? / Beberei, acaso, o sangue de carneiros? 3 – Imola a Deus um sacrifício de louvor / e cumpre os votos que fizeste ao Altíssimo; / invoca-me no dia da angústia / e, então, te livrarei e hás de louvar-me”.

280 (Tom: F) Letra: Liturgia das Horas / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 51/50

Pequei, Senhor, misericórdia! 1 – Tende piedade, o’ meu Deus, misericórdia, / Na imensidão de vosso amor, purificai-me! — Do meu pecado, todo inteiro, me lavai / E apagai completamente a minha culpa! 2 – Eu reconheço toda a minha iniqüidade / E meu pecado está sempre à minha frente. / — Foi contra Vós, só contra Vós, que eu pequei, / E pratiquei o que é mau aos vossos olhos. 3 – Mostrais assim quanto sois justo na sentença / E quando é reto o julgamento que fazeis. / — Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade / E em pecado minha mãe me concebeu. 4 – Mas Vós amais os corações que são sinceros, / Na intimidade me ensinais sabedoria. / — Aspergi-me e serei puro do pecado, / E mais branco do que a neve ficarei. 5 – Fazei-me ouvir cantos de festa e alegria, / E exultarão estes meus ossos que esmagastes. / — Desviai vosso olhar dos meus pecados / E apagai todas as minhas transgressões! 6 – Criai em mim um coração que seja puro, / Dai-me de novo um espírito decidido. / — O’ Senhor, não me afasteis de vossa face, / Nem retireis de mim vosso santo espírito!

Senhor Deus, misericórdia! (bis) 1 – Misericórdia de mim, Deus de bondade, / misericórdia por tua compaixão! / Vem me lavar das sujeiras do pecado, / vem me livrar de tamanha perdição! Reconheço toda a minha maldade, / diante de mim a vastidão de minha ofensa... / foi contra ti, meu Senhor, o meu pecado, / e pratiquei o que é mal em tua presença! 2 – Bem sei da retidão dos teus mandados / e da verdade que teu falar propõe, / mas te lembras: eu nasci já na maldade / e no pecado concebeu-me minha mãe! Que tu amas a verdade sei e sinto / e me ensinas o saber do coração; / vem me banhar com tua graça e serei limpo, / mais puro que um capucho de algodão! 3 – Faz-me escutar uma palavra de alegria / e assim contentes vão dançar os ossos meus; / minha culpa apagarás em pleno dia / e os meus pecados faz sumir dos olhos teus! Cria em mim um coração imaculado, / não desprezes a poeira que criaste, / não me ponhas para fora do teu lado / e teu Espírito não se afaste deste traste! 4 – Que teu perdão me inunde de alegria / e um espírito generoso me sustente; / ensinarei aos maus as tuas vias, / será imensa a procissão dos penitentes! Vem me livrar de toda morte violenta / e tua justiça, o’ meu Senhor, irei gritando; / abre meus lábios e esta boca, bem atenta, / o teu louvor alegremente irá cantando! 5 – Pois Tu não queres sacrifício nem oferta, / meu sacrifício é meu espírito contrito. / Um coração que esmagado se converta, / Tu não desprezas, nem te vai despercebido! Derrama, enfim, tuas graças em Sião, / vem, reconstrói as ruínas do teu povo; / aceitarás as oferendas e oblações, / receberás em teu altar um culto novo! 6 – Louvor a ti, o universo todo adora, / Tu és a paz, a vida plena e o perdão. / Do mundo inteiro vem a prece que te implora, / oh! vem depressa e dá-nos tua salvação!

282 (Tom: Em) Letra: Liturgia das Horas / Música: Ir. Míria T.
Kolling e Pe. José Weber SALMO 62/61

Só em Deus a minha alma tem repouso / porque dEle é que me vem a salvação! 1 – Só em Deus a minha alma tem repouso / porque dEle é que me vem a salvação! / Só Ele é meu rochedo e salvação, / a fortaleza onde encontro segurança! 2 – Até quando atacareis um pobre homem, / todos juntos procurando derrubá-lo, / como a parede que começa a inclinar-se, / ou um muro que está prestes a cair?

3 – Combinaram empurrar-me lá do alto, / e se comprazem em mentir e enganar; / enquanto eles bendizem com os lábios, / no coração, bem lá no fundo, amaldiçoam. 4 – A minha glória e salvação estão em Deus; / o meu refúgio e rocha firme é o Senhor! / Povo todo, esperai sempre no Senhor, / e abri diante dele o coração. 5 – Todo humano a um sopro se assemelha, / o filho do homem é mentira e ilusão; / se subissem todos eles na balança, / pesariam até menos do que o vento. 6 – Não confieis na opressão, na violência, / nem vos gabeis de vossos roubos e enganos! / E, se crescerem vossas posses e riquezas, / a elas não prendais o coração! 7 – Nosso Deus é um refúgio para nós! / Uma palavra Deus falou, duas ouvi: / “O poder e a bondade a Deus pertence, / pois pagais a cada um conforme as obras”. 8 – Glória a Deus presente em toda a terra, / a Jesus, que o Pai nos enviou, / ao Espírito de Deus, amor materno / toda graça, toda honra e louvor.

5 – Que todos os povos te louvem, Senhor, / Que todos os povos te cantem louvor! 6 – O chão se abra em frutos, é Deus quem abençoa! / E brotem dos cantos do mundo esta loa!

286 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 68/67

1–

2–

3–

283 (Tom: Cm) Inspirado em Santo Agostinho
SALMO 62/61

4–

1– 2– 3–

4–

Tarde te amei, beleza infinita, tarde te amei, tarde te amei, / beleza sempre antiga e sempre nova. No entanto, Senhor, estavas dentro de mim e eu fora de ti. / Embora confuso via a beleza de tuas criaturas. Comigo tu estavas e eu longe de ti, preso às criaturas. / Elas me amarravam querendo me reter longe de ti. Então me chamaste e tua meiga voz abriu os meus ouvidos. / Então me tocaste e tua luz amiga meus olhos clareou. Tu derramaste o teu suave perfume, de ti tenho sede. / Tu me tocaste e agora só anseio pela tua paz.

5–

6–

7–

O Espírito do Senhor / O universo todo encheu. / Tudo abarca em seu saber, / Tudo enlaça em seu amor, / Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!(2x) Levanta-se Deus, cadê os inimigos? / Na sua presença perecem os iníquos! / São como fumaça que desaparece, / São cera no fogo, que logo derrete! Os justos se alegram diante de Deus. / Cantai ao Senhor, vibrai, filhos seus! / Abri o caminho ao grão-cavaleiro, / Dançai diante dele, Senhor justiceiro. Dos órfãos é Pai, das viúvas juiz, / Em sua morada só Ele é quem diz: / Quem estava sozinho, família encontrou, / Quem estava oprimido, minha mão libertou! À frente do Povo saíste, o’ Deus, / Os céus gotejaram, a terra tremeu; / Na sua presença se abala o Sinai, / É Deus que avança, que avança e vai! U'a chuva abundante do céu derramaste / E a tua herança exausta saciaste; / Fizeste em tua paz viver teu rebanho / E os necessitados tiveram seu ganho. Falou sua Palavra, saem os portadores, / Debandam os reis e fartam-se os pobres! / Imenso é o poder de nosso Senhor, / Subindo às alturas, cativos livrou. Bendito sejas, Senhor, todo dia, / Tu és quem nos salva, quem nos alivia; / És Tu nosso Deus, o Libertador! / Quem livra da morte, só mesmo o Senhor!

284 (Tom: D) Letra e Música: Frei Fabreti
SALMO 65/64

287 (Tom: D) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 68/67

1 – Vou cantar, entoar um canto novo, / vou sair, chamar o povo pra louvar, / Aleluia! Assim toda criatura, nossa terra, sol e lua / vão louvar e cantar. Se alguém te louva em silêncio, / Tu acolhes, o’ Senhor, sua oração. / Se alguém entoa um canto novo, / Tu acolhes, o’ Senhor, sua canção! / Aleluia! 2 – É feliz, quem em ti fez a morada, / vida nova, outra casa pra ficar, aleluia! / Tu preparas mesa farta e alimentas pra jornada / Dando amor, luz e paz. 3 – O nascer de uma aurora radiante, / vai dourando a cada instante os trigais, aleluia! / E os pequenos e sofridos, nos teus braços acolhidos / vão louvar e cantar.

285 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. Geraldo Leite Bastos
SALMO 67/66

1 – Eis a procissão do Rei, nosso Deus, / ao seu santuário, seguido dos seus! (2x) 2 – À frente, cantores, atrás, tocadores, / no meio vão jovens tocando tambores. (2x) 3 – Uni-vos em coros, a Deus bendizei, / vós, moços e idosos, cantai vosso Rei! (2x) 4 – O’ Deus, manifesta teu grande poder, / ofertas e dons irás receber! (2x) 5 – Reprime os ferozes, os fortes que exploram, / que oprimem teus pobres e a guerra promovem. (2x) 6 – Do sul e do norte os povos se achegam, / humildes se dobram, a ti, Deus, adoram. (2x) 7 – Cantai ao Senhor, o’ reinos da terra, / ao Deus poderoso, que tudo governa! (bis) 8 – Seu grande poder nos céus resplandece, / Ele é nosso Deus, quem nos fortalece! (2x)

1– 2– 3– 4–

Ter orgulho não é bom, mas nem por isso / nos orgulhamos na cruz de Jesus Cristo. / NEle está a vida e a ressurreição, / nEle, a esperança de libertação! (2x) Deus se compadece e de nós se compraz, / Em nós resplandece seu rosto de paz. Pra que o povo todo encontre o caminho / E os povos descubram teu terno carinho. Que todos os povos te louvem, Senhor, / Que todos os povos te cantem louvor! Por tua justiça se alegram as nações, / Com ela governas das praias aos sertões.

288 (Tom: Bm) Letra: Liturgia das Horas / Música: (refrão): Pe. Ney
Brasil Pereira; (estrofes): Pe. José Weber SALMO 69/68

Atendei-me, o’ Senhor, / pelo vosso imenso amor! (bis) 1 – Por vossa causa é que sofri tantos insultos / e o meu rosto se cobriu de confusão; / eu me tornei como um estranho a meus irmãos, / como estrangeiro para os filhos de minha mãe; / pois meu zelo e meu amor por vossa casa / me devoram como um fogo abrasador. 2 – Por isso elevo para Vós minha oração, / neste tempo favorável, Senhor Deus! / Respondei-me pelo vosso

imenso amor, / pela vossa salvação que nunca falha! / Senhor, ouvi-me, pois suave é vossa graça, / ponde os olhos sobre mim com grande amor! 3 – Humildes, vede isto e alegrai-vos: / o vosso coração reviverá, / pois nosso Deus atende às preces de seus pobres / e não despreza o clamor de seus cativos. / Que céus e terra glorifiquem o Senhor / com o mar e todo ser que neles vive.

292 (Tom: Dm) Letra: Hinário Litúrgico / Música: (refrão): D.R.;
e(estrofes): Pe. José Weber SALMO 86/85

289 (Tom: F) Letra: Liturgia das Horas / Música: (refrão): Série “Povo
do Deus”; (estrofes): Pe. José Weber SALMO 80/79

A vinha do Senhor / é a casa de Israel. 1 – Arrancastes do Egito esta videira / e expulsastes as nações para plantá-la. / Até o mar se estenderam seus sarmentos, / até o rio seus rebentos se espalharam. 2 – Por que razão Vós destruístes sua cerca, / para que todos os passantes a vindimem, / o javali da mata virgem a devaste / e os animais do descampado nela pastem? 3 – Voltai-vos para nós, Deus do universo, / visitai a vossa vinha e protegei-a! / Foi a vossa mão direita que a plantou; / protegei-a e ao rebento que firmastes!

O’ Senhor, Vós sois bom, / sois clemente e fiel! 1 – O’ Senhor, Vós sois bom e clemente, / sois perdão para quem vos invoca. / Escutai, o’ Senhor, minha prece, / o lamento da minha oração! 2 – As nações que criastes, virão / adorar e louvar vosso nome. / Sois tão grande e fazeis maravilhas: / Vós, somente, sois Deus e Senhor! 3 – Vós, porém, sois clemente e fiel, / sois amor, paciência e perdão. / Tende pena e olhai para mim! / Confirmai, com vigor, vosso servo!

293 (Tom: Cm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 91/90

1–

290 (Tom: G) Letra: D. Carlos A. Navarro / Música: Ir. Míria T.
Kolling SALMO 84/83

2–

Uma voz clamou: / “Chegou o tempo e a graça! / Abram suas portas ao Redentor!” 1 – Quero ouvir o que o Senhor irá falar: / é a paz que Ele vai anunciar; / a paz para o seu povo e seus amigos, / para os que voltam ao Senhor seu coração. 2 – A verdade e o amor se encontrarão, / a justiça e a paz se abraçarão: / da terra brotará a fidelidade, / e a justiça olhará dos altos céus. 3 – O Senhor nos dará tudo o que é bom: / e a nossa terra nos dará suas colheitas; / a justiça andará na sua frente, / e a salvação há de seguir os passos seus.

3–

4–

Quando invocar, eu o atenderei, / na aflição com ele estarei; / libertarei, glorificarei, / minha salvação eu lhe mostrarei! Tu, que moras sob a sombra / do Senhor onipotente, / lhe dirás em confiança: / “Meu refúgio, meu batente, / só em ti é que eu confio!” / E Ele vem tão fielmente / te amparar com seu amor, / qual escudo resistente. Não terás o que temer / nem de noite, nem de dia, / venha a guerra e o terror, / venha a peste, epidemia. / Pode o mundo se acabar, / nenhum mal te contraria; / o Senhor é teu abrigo, / n’Ele é que te refugias! O Senhor mandou seus anjos / pra teus passos vigiarem, / eles te sustentarão / pra teus pés não tropeçarem / os perigos mais temidos / sem temor vais enfrentá-los; / já que a mim se confiou, / cuidarei de resguardá-lo! Glória ao Pai onipotente, / que é do mundo o Criador / e a seu Filho, Jesus Cristo, / dos pobres Libertador, / e ao Espírito Divino, / nossa força e valor, / ao Deus vivo, Uno e Trino, / dos remidos o louvor!

294 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Geraldo Leite Bastos
SALMO 95/94

291 (Tom: Am) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 85/84

1–

2–

3–

4–

5–

6–

Das alturas orvalhem os céus / E as nuvens que chovam justiça, / Que a terra se abra ao amor / E germine o Deus salvador! (bis) Foste amigo antigamente / Desta terra que amaste, / Deste povo que escolheste; / Sua sorte melhoraste, / Perdoaste seus pecados, / Tua ira acalmaste. Escutemos suas palavras, / É de paz que vai falar, / Paz ao povo, a seus fiéis, / A quem dele se achegar. / Está perto a salvação / E a glória vai voltar! Eis: Amor, Fidelidade / Vão unidos se encontrar, / Bem assim, Justiça e Paz / Vão beijar-se e se abraçar. / Vai brotar Fidelidade / E Justiça se mostrar! E virão os benefícios / Do Senhor a abençoar / e os frutos do amor / Desta terra vão brotar. / A Justiça diante dEle / E a Paz o seguirá! Vem de novo restaurar-nos! / Sempre irado estarás, / Indignado contra nós? / E a vida não darás? / Salvação e alegria, / Outra vez, não nos trarás? Glória ao Pai onipotente, / Ao que vem, glória e amor. / Ao Espírito cantemos: / Glória a nosso Defensor! / Ao Deus Uno e Trino demos / a alegria do louvor!

Vinde, vinde, adoremos! (bis) 1 – Vinde, adoremos o Senhor, / Ao rochedo salvador vamos louvar, / Dançando em sua frente com fervor, / Aos toques do tambor e do ganzá! 2 – Nosso Deus e Senhor é muito grande / E neste mundo maior que Deus ninguém, / Dominador dos altos céus, dos altos montes / E a fundura deste mar Ele detém. 3 – Diante dEle inclinai vossas cabeças / E de joelhos adorai o Criador; / Somos o povo por Ele conduzido, / Das ovelhas do rebanho, Ele é Pastor! 4 – Ah! Se agora escutásseis minha voz: / Não fecheis os corações como em Meriba. / No lugar em que vossos pais me provocaram / E esqueceram minhas grandes maravilhas! 5 – Quarenta anos desgostou-me aquela gente / E eu disse: é um povo transviado; / Não gozarão, eu lhes juro para sempre, / Do repouso para eles preparado! 6 – Glória demos a Deus Pai onipotente / E a Jesus, o seu Filho salvador, / E ao Espírito que anima toda a gente, / E que dure para sempre este louvor!

295 (Tom: F) Letra: Liturgia das Horas / Música: Pe. José Weber
SALMO 97/96

Resplandeceu a Luz sobre nós, / porque nasceu Cristo, o salvador! (bis) 1 – Deus é Rei! Exulte a terra de alegria, / e as ilhas numerosas rejubilem! / Os céus proclamam a justiça do Senhor, / todos os povos podem ver a sua glória. 2 – Uma luz já se levanta para os justos / e a alegria para os retos corações. / Homens justos, alegrai-vos no Senhor, / celebrai e bendizei seu santo nome!

5 – Reboe a plenitude do oceano, / o mundo e toda gente / batam palmas os rios e as montanhas / exultem de alegria. 6 – Na presença do Senhor porque Ele vem / governar toda a terra; / regerá o universo com justiça / e as nações com eqüidade. 7 – Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito / desde agora e para sempre; / ao Deus que é, que era e que vem, / pelos séculos. Amém.

296 (Tom: B) Letra e Música: Ir. M. Janete Sturmer
SALMO 95/94

299 (Tom: Bb) Letra CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 100/99

1–

2–

3–

4–

Nasceu hoje para nós / o Salvador, que é Cristo, o Senhor! Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / cantai ao Senhor Deus, o’ terra inteira! / Cantai e bendizei seu santo nome, / dizei entre as nações: Javé é Rei! Dia após dia anunciai sua salvação, / manifestai a sua glória entre as nações. / E entre os povos do universo seus prodígios, / Ele governa os povos com retidão! O céu se rejubile e exulte a terra, / aplauda o mar com o que vive em suas águas; / os campos com seus frutos rejubilem / e exultem as florestas e as matas. Na presença do Senhor, pois Ele vem, / porque vem para julgar a terra inteira. / Governará o mundo todo com justiça, / e os povos julgará com lealdade.

Cantemos ao Senhor com hinos de alegria. 1 – Aclamai o Senhor, a terra inteira, / servi ao Senhor com alegria: / ide a Ele cantando jubilosos. 2 – Sabei que o Senhor é Deus: / foi Ele que nos fez e somos seus, / nós somos o seu povo e seu rebanho. 3 – Penetrai em suas portas dando graças, / entrai cantando hinos nos seus átrios; / agradecei e bendizei o seu nome. 4 – Sim, o Senhor é bom, / sim, para sempre é seu amor, / para sempre o Senhor é fiel. 5 – Demos glória ao Pai, que nos criou, / a seu Filho Jesus, que nos salvou / e ao Espírito, que desce sobre nós.

300 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. Geraldo Leite Bastos
SALMO 100/99

297 (Tom: F) Letra: Liturgia das Horas / Música: (refrão): “Série
“Povo de Deus”; (estrofes): Pe. José Weber SALMO 96/95

O’ família das nações, / dai ao Senhor poder e glória! 1 – Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / cantai ao Senhor Deus, o’ terra inteira! / Manifestai a sua glória entre as nações / e entre os povos do universo, seus prodígios! 2 – Pois Deus é grande e muito digno de louvor, / é mais terrível e maior que os outros deuses, / porque nada são os deuses dos pagãos; / foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus. 3 – O’ família das nações, dai ao Senhor, / o’ nações, dai ao Senhor poder e glória, / dai-lhe a glória que é devida ao seu nome, / oferecei um sacrifício nos seus átrios! 4 – Adorai-o no esplendor da santidade, / terra inteira, estremecei diante dEle! / Publicai entre as nações: “Reina o Senhor”, / pois os povos Ele julga com justiça.

Cantai a Deus, terra inteira, / Aclamai ao Senhor! 1 – Aclamai ao Senhor, terra inteira, / servi a Deus com singeleza! 2 – Sabei que o Senhor é nosso Deus, / é o Criador, somos filhos seus! 3 – Penetrai em seu templo agradecendo / seu santo nome, bendizendo! 4 – Nosso Senhor é bom assim! / sua bondade jamais tem fim! 5 – Glória ao Pai, ao Filho também / e ao Santo Espírito. Amém!

301 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Weber
SALMO 100/99

298 (Tom: F) Letra: CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 98/97

1–

2–

3–

4–

Cantai ao Senhor um canto novo, Aleluia! / Pois Ele fez maravilhas, Aleluia! Cantai ao Senhor um canto novo, / pois Ele fez maravilhas, / a vitória proveio de sua mão / de seu braço divino. O Senhor manifestou a salvação / aos pagãos revelou sua justiça, / Não esqueceu sua bondade e seu amor / pela casa de Israel. Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus; / aclamai ao Senhor, terra inteira, / alegraivos e cantai. Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa, / ao som dos instrumentos, / ao som dos clarins e das cornetas, / ao Senhor nosso Rei.

1 – Cante ao Senhor a terra inteira, / sirvam ao Senhor com alegria, / vinde ao seu encontro alegremente. O Senhor é bom, eterno é seu amor. (bis) 2 – O Senhor somente é o nosso Deus, / Ele é que nos fez e somos seus. / Somos o seu povo e seu rebanho. 3 – Vinde, aproximai-vos dando graças, / todos a cantar hinos de alegria, / bendizei louvai seu santo nome. 4 – O Senhor é bom, nós repetimos, / Sua misericórdia é sem limite, / Seu amor fiel é para sempre.

302 (Tom: C#m) Letra e Música (refrão): Jorge Pereira Lima
SALMO 103/102

Bendize, o’minha alma, ao Senhor, / pois Ele é bondoso e compassivo! 1 – Bendize, o’minha alma, ao Senhor / e todo o meu ser, seu santo nome! / Bendize, o’minha alma, ao Senhor, / não te esqueças de nenhum de seus favores! 2 – Pois ele te perdoa toda culpa / e cura toda a tua enfermidade; / da sepultura ele salva a tua vida / e ter cerca de carinho e compaixão. 3 – O Senhor é indulgente, é favorável, / é paciente, é bondoso, e compassivo. / Não nos trata como exigem

nossas faltas / nem nos pune em proporção às nossas culpas. 4 – Quanto dista o Nascente do Poente, / tanto afasta para longe nossos crimes. / Como um pai se compadece de seus filhos, / o Senhor tem compaixão dos que o temem.

303 (Tom: Em) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. Sílvio Milanez
SALMO 104/103

1–

2–

3–

4–

Quando Tu, Senhor, teu Espírito envias, / todo o mundo renasce, é grande alegria! (bis) O’ minh'alma, bendize ao Senhor: / “o’ Deus grande em poder e amor! / O esplendor de tua glória reluz / e o céu é teu manto de luz!” Firme e sólida a terra fundaste, / com azul do oceano a enfeitaste! / E rebentam tuas fontes nos vales, / correm as águas e cantam as aves! Lá do alto Tu regas os campos, / cresce a relva e os viventes se fartam! / De tuas obras a terra encheste, / todas belas e sábias fizeste! Que se sumam da terra os perversos, / e minh'alma te entoe os seus versos! / Glória ao Pai, pelo Filho, no Amor, / ao Deus vivo, eterno louvor!

7 – Tua face escondes e se apavoram; / se lhes retiras o ar, já se enterram; / o teu Espírito sopra e envias / todas as coisas renovas na terra. Que do Senhor dure sempre sua glória, / com suas obras se alegre o Senhor! / Ele olha a terra e tudo estremece, / toca as montanhas, sai fogo e calor! 8 – Por toda a vida ao Senhor vou cantar, / por toda a vida a meu Deus, meu louvor! / Que meu poema lhe seja agradável, / minha alegria está no Senhor! Desapareçam da terra os malvados / e gente ruim não exista jamais! / Vem, o’ minh’alma, bendize ao Senhor, / glória ao Deus santo e na terra haja paz!

305

(Tom: G) Letra: Liturgia das Horas / Música: Ir. Míria

Therezinha Kolling SALMO 104/103

1–

2–

304 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 104/103

3–

1–

2–

3–

4–

5–

6–

Aleluia! (3x) / Vem, minh’alma, bendizer teu Senhor, aleluia! (bis) Senhor, meu Deus, como és tão imenso! / O teu vestido, esplendor e clarão. / Como num manto de luz envolvido, / os céus desdobras, são teu barracão! Tua morada, por cima das águas! / Montado em nuvens, Tu voas no vento; / dos ventos fazes os teus mensageiros, / como dos raios, ministros atentos! Em suas bases a terra assentas, / inabalável pra sempre a assentaste; / com o oceano, qual manto, a cobriste, / sobre as montanhas as águas pousaste! Por teus trovões açoitadas correram, / montanha acima ou vales abaixo, / para o lugar que marcaste se foram, / não voltarão a inundar este barro! Fazes brotar fontes d’água nas várzeas, / por entre as serras marulham riachos / e, enquanto os bichos sua sede saciam, / os passarinhos gorjeiam nos galhos! De lá do alto Tu regas os montes, / com teus favores a terra se farta, / para o rebanho o pasto forneces / e o ser humano co’as plantas regalas! E o homem tira dos campos o pão, / seu coração com vinho se alegra, / e o azeite ilumina-lhe a face, / com o alimento ele se regenera! Foi o Senhor quem plantou estas matas / e satisfeitas se enchem de ninhos; / as cabras pastam nas altas montanhas / e os urubus nos rochedos vizinhos! Fizeste a lua pros tempos marcar / e o sol se põe ao cumprir sua rota; / a noite desce e as trevas ocultam / da selva os bichos que rondam nas grotas! Os leõezinhos em busca da presa / rugem pra Deus suplicando o alimento; / renasce o sol, todos eles se entocam / e o homem sai a buscar seu sustento. Quão numerosas, tuas obras, Senhor! / Tudo fizeste com sabedoria! / A terra, cheia de tantas criaturas, / e o mar abriga incontável família! Todos esperam de ti o alimento, / jogas pra eles e logo recolhem; / abres tua mão, ficam todos contentes, / por ti em tudo o que é bom se promovem!

4–

Enviai o vosso Espírito, Senhor! (2x) / E da terra toda a face renovai! (2x) Bendizei o’ minha alma, ao Senhor! / O’ meu Deus e meu Senhor, como sois grande! / De majestade e esplendor vos revestis / e de luz vos envolveis como num manto. Quão numerosas, o’ Senhor, são vossas obras, / e que sabedoria em todas elas! / Encheu-se a terra com as vossas criaturas, / bendize, o’ minha alma, ao Senhor! Todos eles, o’ Senhor, de Vós esperam / que a seu tempo Vós lhes deis o alimento; / Vós lhes dais o que comer e eles recolhem, / Vós abris a vossa mão e eles se fartam. Se tirais o seu respiro, eles perecem / e voltam para o pó de onde vieram; / enviais o vosso Espírito e renascem / e da terra toda a face renovais.

306 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Geraldo Leite Bastos
SALMO 111/110

1 – Dou graças ao Senhor de coração, / com os santos todos seus em comunhão. / São grandes as proezas do Senhor, / matéria são de estudo e de amor. 2 – Bonito e formidável o que Ele faz, / ninguém sua justiça abafa não; / deixou uma coleção de maravilhas / e conosco tem carinho e compaixão. 3 – Fornece aos pobrezinhos o alimento, / se lembra que assinou uma aliança; / demonstra para o povo seus portentos / e deixa-lhe as nações por sua herança. 4 – É justo e verdadeiro o que Ele faz, / comprova que é fiel nas suas leis, / pois foram preparadas para serem / bem cumpridas com verdade e honradez. 5 – Envia a liberdade ao povo seu, / renova para sempre o seu amor; / princípio do saber; temer a Deus! / Cantemos para sempre o seu louvor! 6 – Glória a Deus que a nós se manifesta / ao seu Filho, Jesus, o Salvador, / ao Espírito que habita em nosso peito, / toda honra, toda graça, todo amor!

307 (Tom: C#m) Letra: Hinário Litúrgico / Música: (refrão): Jorge
Pereira Lima; (estrofes): Pe. José Weber SALMO 112/111

Uma luz brilha nas trevas para o justo, / permanece para sempre o bem que fez. 1 – Feliz o homem caridoso e prestativo, / que resolve seus negócios com justiça. / Ele é correto, generoso e compassivo, / como luz brilha nas trevas para os justos.

2 – Porque jamais vacilará o homem justo, / sua lembrança permanece eternamente. / Ele não teme receber notícias más; / confiando em Deus, seu coração está seguro. 3 – Seu coração está tranqüilo e nada teme, / Ele reparte com os pobres os seus bens; / permanece para sempre o bem que fez / e crescerão a sua glória e o seu poder.

312 (Tom: D) D.R.
SALMO 118/117

1– 2–

308 (Tom: A) Letra e Música: José Acácio Santana
SALMO 115/114

O Cálice por nós abençoado é a nossa comunhão com o sangue de Jesus. 1 – Que poderei retribuir ao Senhor Deus, / por tudo aquilo que ele fez em meu favor? / Elevo o cálice da minha salvação, / invocando o nome santo do Senhor! 2 – É sentida por demais pelo Senhor / a morte de seus santos, seus amigos. / Eis que sou o vosso servo, o’ Senhor. / Vós me quebrastes os grilhões da escravidão. 3 – Por isso oferto um sacrifício de louvor, / invocando o santo nome do Senhor. / Vou cumprir minhas promessas ao Senhor, na presença de seu povo reunido.

3– 4– 5–

Eis o dia que o Senhor fez; dia de vitória e alegria! Dai graças ao Senhor, pois ele é bom, / eterna é a sua misericórdia. Repita o seu povo eleito: / Eterna é a sua misericórdia! / O poder do Senhor fez maravilhas, / o poder do Senhor me exaltou. Não morrerei, hei de viver, / e cantarei as maravilhas do Senhor. A pedra que os construtores rejeitaram / tornou-se a pedra angular. Foi o Senhor que operou estes prodígios, / é maravilhoso para quem contempla!

313 (Tom: F) Letra e Música: Frei Fabreti
SALMO 119/118

309 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Weber
SALMO 116/115

1 – Que poderei retribuir ao Senhor, / por tudo aquilo que Ele me deu? Oferecerei o seu sacrifício / e invocarei o seu santo nome. 2 – Que poderei oferecer ao meu Deus / pelos imensos benefícios que me fez? 3 – Eu cumprirei minha promessa ao Senhor, / na reunião do povo santo de Deus. 4 – Vós me quebrastes os grilhões da escravidão, / e é por isso que hoje canto vosso Amor.

É feliz, muito feliz, / quem guarda no coração / a lei do Senhor, que é bendito / e ajuda o seu irmão. 1 – O meu coração te procura, / eu quero a tua palavra. / Bendito és Tu, o’ Senhor, meu Deus, / do mal Tu sempre me guardas. 2 – Que fuja de mim todo o insulto, / és Tu, meu Deus, o meu guia! / Vem dar-me a graça da lei, Senhor, / lei que me leva pra vida. 3 – Os teus mandamentos eu vivo. / És luz pro meu coração. / Tuas promessas, o’ meu Senhor, / me tiram da aflição.

314 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
SALMO 119/118

310 (Tom: D) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. José Weber
SALMO 116/115

1– 2– 3– 4– 5– 6– 7–

Para Deus todo canto e louvor! / Invocamos teu nome, Senhor! (bis) 1 – Deus liberta da morte minh’alma, / dos meus olhos o pranto enxugou. / Os meus pés tão feridos na queda / Ele ampara e dá força com amor. 2 – Glória seja ao Pai de bondade / e a Jesus, nosso único bem, / e ao Espírito Santo, Verdade. / Aleluia, pra sempre. Amém!

311 (Tom: D) Letra: Liturgia das Horas / Música: Pe. José Weber
SALMO 118/117

1– 2– 3– 4– 5– 6–

Este é o dia que o Senhor fez para nós, / Alegremo-nos e nEle jubilemos. Dai graças ao Senhor, pois Ele é bom: / Eterna é a sua misericórdia. A casa de Israel agora o diga: / Eterna é a sua misericórdia. O poder do Senhor fez maravilhas, / O poder do Senhor me exaltou. Não morrerei, ao contrário, viverei / E cantarei as maravilhas do Senhor. A pedra que os pedreiros rejeitaram / Tornou-se agora a pedra angular. Foi o Senhor que operou estes prodígios: / É maravilhoso para quem contempla.

Eu vos dou um novo mandamento: / "Que vos ameis uns aos outros, / assim como eu vos amei", disse o Senhor. Feliz o homem sem pecado em seu caminho, / que na lei do Senhor Deus vai progredindo! / Que vos ameis... Feliz o homem que observa seus preceitos, / e de todo o coração procura a Deus! / Que vos ameis... Que não pratica a maldade em sua vida, / mas vai andando nos caminhos do Senhor. / Que vos ameis... Os vossos mandamentos Vós nos destes, / para serem fielmente observados. / Que vos ameis... Oxalá seja bem firme a minha vida / em cumprir vossa vontade e vossa lei! / Que vos ameis... Então não ficarei envergonhado, / ao repassar todos os vossos mandamentos. / Que vos ameis... Quero guardar vossa vontade e vossa lei; / Senhor, não me deixeis desamparado! / Que vos ameis...

315 (Tom: C) Versão: D.R. / Música: Recolhida em Goiás
SALMO 121/120

Sou romeiro que caminha, / sou devoto do Senhor, / caminhamos pra terra santa, / para o encontro de nosso Senhor. 1 – Eu levanto meus olhos pros montes: / onde está quem me ajuda, onde? / Meu socorro está no Senhor, / que os céus e a terra formou! (2x) 2 – Tu não vais tropeçar nas estradas, / acordado está quem te guarda! / Um cochilo tirar pode não / o vigia da santa nação! (2x)

3 – O Senhor fica sempre a teu lado, / te guardando com todo cuidado! / Que o fogo do sol não te açoite, / nem a lua te ofenda de noite! (2x) 4 – Ele vai te livrar dos desastres, / Ele sempre te afasta dos males: / te protege no ir, no voltar, / toda hora sem nunca faltar! (2x) 5 – A Deus Pai seja todo louvor, / e a seu Filho, Jesus, Salvador, / e ao Espírito Santo também, / na seqüência dos tempos. Amém! (2x)

319 (Tom: Gm) Letra: CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 130/129

1–

2– 3–

316 (Tom: D) Letra: Liturgia das Horas / Música: Pe. José Weber
SALMO 122/121

1–

2–

3– 4–

5–

6–

Que alegria, quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!” (bis) Que alegria quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!” / E agora nossos pés já se detêm, / Jerusalém, em tuas portas. Jerusalém, cidade bem edificada / num conjunto harmonioso; / para lá sobem as tribos de Israel, / as tribos do Senhor. Para louvar, segundo a lei de Israel, / o nome do Senhor. / A sede da justiça lá está / e o trono de Davi. Rogai que viva em paz Jerusalém, / e em segurança os que te amam! / Que a paz habite dentro de teus muros, / tranqüilidade em teus palácios! Por amor a meus irmãos e meus amigos, / peço: “A paz esteja em ti!” / Pelo amor que tenho à casa do Senhor, / eu lhe desejo todo bem! Glória a Deus presente em toda a terra, / que Jesus manifestou, / ao Espírito, de Deus amor materno, / toda graça e todo amor.

4– 5–

Confia minh'alma no Senhor, / nEle está minha esperança! Das profundezas, Senhor, clamo a ti: / escuta a minha voz! / Atentos se façam teus ouvidos / ao clamor da minha prece. Se reténs os pecados, Senhor, / quem poderá subsistir? / Mas em ti se encontra o perdão: / eu temo e espero. No Senhor ponho a minha esperança / e na sua palavra / espera a minh'alma no Senhor / mais que o guarda pela aurora. No Senhor está toda a graça, / copiosa redenção, / Ele vem resgatar Israel / de toda iniqüidade. Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito, / desde agora e para sempre, / ao Deus que é, que era e que vem, / pelos séculos. Amém.

320 (Tom: C) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Folcmúsica Religiosa
SALMO 133/132

1– 2– 3– 4–

Oi, que prazer, que alegria / o nosso encontro de irmãos! (bis) É óleo que nos consagra, / que ungiu teu servo Aarão. É como um banho perfumado, / gostosa é nossa união! Orvalho de alta montanha / que desce sobre Sião. Sereno da madrugada, / gostosa é nossa união! Senhor, tu nos abençoas, / e a vida vem de porção. É vida que dura sempre, / gostosa é nossa união! Ao Deus de todas as crenças / a glória e a louvação. No amor da Santa Trindade, / gostosa é nossa união!

317 (Tom: D) Letra: CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 126/125

321 (Tom: D) Letra: J. Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
SALMO 133/132

1–

2–

3–

4– 5–

Quem semeia entre lágrimas, / recolhe a cantar. Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, / parecíamos sonhar; / nossa boca se encheu de sorrisos / e nossos lábios de canções. Entre os pagãos se dizia: "Maravilhas / fez com eles o Senhor!" / O Senhor fez conosco maravilhas! / exultamos de alegria. Reconduze, Senhor, nossos destinos / como torrentes no deserto. / Com lágrimas lançaram as sementes, / ceifarão com alegria. Chorando, chorando, sairão / espalhando as sementes, / cantando, cantando, voltarão, / trazendo os seus feixes. Glória ao Pai, ao Filho, ao Santo Espírito / desde agora e para sempre. / Ao Deus que é, que era e que vem / pelos séculos. Amém.

Como é bom, como é bom, / irmãos viverem unidos como irmãos. (bis) 1 – É como um óleo perfumado sobre a fronte / e pelos ombros a escorrer. / É como orvalho sobre a relva / e sobre os montes / que renova inteiro nosso ser!

322 (Tom: A) Letra CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 136/135

318 (Tom: F) Letra: CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 128/127

Feliz quem teme o Senhor / e anda em seus caminhos! 1 – Do trabalho de tuas mãos comerás / tranqüilo e feliz. / Tua esposa qual vinha fecunda / no recesso do teu lar; / teus filhos, rebentos de oliveira, / ao redor de tua mesa. 2 – Assim é a bênção do homem / que teme o Senhor. / O Senhor te abençoe de Sião, / cada dia da vida! / Possas ver prosperar Jerusalém / e os filhos de teus filhos! 3 – Glória ao Pai, ao Filho, ao Santo Espírito / desde agora e para sempre, / pelos séculos dos séculos. Amém. / Paz sobre Israel.

1 – Demos graças ao Senhor porque Ele é bom; / sim, para sempre é seu amor! / Demos graças ao Senhor Deus dos deuses; sim, para sempre é seu amor! / Demos graças ao Senhor dos senhores; / sim, para sempre é seu amor! 2 – Só Ele operou maravilhas; / sim,... / Criou o firmamento com saber; / sim,... / E estendeu sobre as águas a terra; / sim, ... 3 – Criou os luminares mais brilhantes; / sim,... / Deu ao sol o governo do dia; / sim,... / À lua e às estrelas deu a noite; / sim,... 4 – Repartiu sua terra em herança; / sim,... / Em herança a seu servo Israel; / sim,... / Recordou-se de nós na humilhação; / sim ... 5 – Libertou-nos dos nossos inimigos; / sim,... / Distribuiu o alimento para todos; / sim,... / Demos graças ao Senhor e Deus dos céus! / Sim, para sempre é seu amor!

323 (Tom: A) Letra e Música: João Carlos Ribeiro
SALMO 136/135

1 – Ao Senhor dos senhores cantai! / Ao Senhor, Deus dos deuses, louvai! / Maravilhas só Ele é quem faz! / Bom é Deus; ao Senhor, pois, amai! / Com saber Ele fez terra e céu. / Sobre as águas a terra firmou; / para o dia reger fez o sol / e as estrelas pra noite criou. Pois eterno é o seu amor por nós, / eterno é o seu amor! (bis) 2 – Primogênitos todos feriu / do Egito, um povo opressor / e dali Israel fez sair / o poder de sua mão o salvou! / No mar bravo Ele fez perecer / os soldados do rei Faraó; / aliança Ele fez com Israel, / no deserto seu povo guiou! 3 – Poderosos sem dó abateu, / a famosos reis desbaratou; / sua terra Israel recebeu, / como herança a seu povo entregou! / Se lembrou de nós na humilhação! / Ao Senhor, Salvador proclamai! / DEle nós recebemos o pão / ao Senhor, Deus dos céus, proclamai!

Terra inteira, louvai ao Senhor nosso Deus! / Quem tem fome Ele vem sustentar. / Nem a mão do opressor poderá nos deter. / Exultai! Ele vem nos livrar! 1 – Vou te exaltar, o’ meu Senhor, por toda a vida / e bendizer o teu nome eternamente. / Todos os dias co'alegria te aclamar / e te louvar co'amor! 2 – Misericórdia e clemência é o Senhor, / cheio de amor, indulgente e compassivo. / Sua bondade para todos se estende, / sempre se dá no amor! 3 – Que tuas obras, o’ Senhor, te rendam graças / e te bendiga todo homem que te ama. / Que cantem glória ao teu Reino de bondade: / Reino de grande amor!

327 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
SALMO 145/144

324 (Tom: C) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 138/137

1 – Eu te agradeço bem de coração, / eu canto a ti, Senhor, perante os anjos. / Eu me ajoelho pra teu santuário, / por teu amor fiel teu nome eu canto! (bis) 2 – Além de toda imaginação, / tua palavra, teu nome engrandeces, / e, quando eu grito, meu Senhor, respondes, / me satisfazes e me fortaleces. (bis) 3 – Todos os reis da terra te celebrem, / pois já ouviram os dizeres teus / façam poemas sobre os teus caminhos, / pois é tão grande tua glória, o’ Deus! (bis) 4 – Nosso Senhor é um Deus tão imenso, /mas é capaz de ver o pequenino / e já de longe avista o arrogante; / em minha angústia livra do inimigo! (bis) 5 – Tua mão direita para mim estendes, / sempre me salva teu amor fiel. / De tua mão a obra não desprezes, / glória a Deus, Mãe que une terra e céu! (bis)

Bendirei, eternamente, / vosso nome, o’ Senhor! (bis) 1 – O’ meu Deus, quero exaltar-vos, o’ meu Rei, / e bendizer o vosso nome pelos séculos. / Todos os dias haverei de bendizer-vos, / hei de louvar o vosso nome para sempre. 2 – Misericórdia e piedade é o Senhor, / Ele é amor, é paciência, é compaixão. / O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura. 3 – Que vossas obras, o’ Senhor, vos glorifiquem / e os vossos santos com louvores vos bendigam! / Narrem a glória e o esplendor de vosso Reino / e saibam proclamar vosso poder! 4 – O Senhor é amor fiel em sua palavra, / é santidade em toda obra que Ele faz. / Ele sustenta todo aquele que vacila / e levanta todo aquele que tombou.

328 (Tom: F) Letra: Amália Ursi / Música: Waldeci Farias
SALMO 146/145

325 (Tom: Dm) D.R
SALMO 139/138

1 – Tu me conheces quando estou sentado, / Tu me conheces quando estou de pé. / Vês claramente quando estou andando, / quando repouso, Tu também me vês. / Se pelas costas sinto que me abranges, / também de frente sei que me percebes. / Para ficar longe do teu Espírito, / o que farei? aonde irei? / não sei! Para onde irei? / Para onde fugirei? / Se subo ao céu ou se me prostro no abismo eu te encontro lá. / Para onde irei? / Para onde fugirei? / Se estou no alto da montanha verdejante ou nos confins do mar! 2 – Se eu disser que as trevas me escondam / e que não haja luz, onde eu passar. / Pra ti a noite é clara como o dia, / nada se oculta ao teu divino olhar. / Tu me teceste no seio materno / e definiste todo o meu viver. / As tuas obras são maravilhosas!/Que maravilha, meu Senhor, sou eu! 3 – Dá-me tuas mãos, o’ meu Senhor bendito! / Benditas sejam sempre as tuas mãos! / Prova-me, Deus, e vê meus pensamentos, / olha-me, Deus, e vê meu coração. / Livrame, Deus, de todo o mau caminho, / quero viver, quero sorrir, cantar. / Pelo caminho da eternidade, / Senhor, terei toda a felicidade.

1 – Por melhor que seja alguém, / chega o dia em que há de faltar. / Só o Deus vivo a palavra mantém / e jamais há de falhar. Quero cantar ao Senhor / sempre enquanto eu viver. / Hei de provar seu amor, / seu valor e seu poder. 2 – Ele barra o caminho dos maus / que exploram sem compaixão. / Mas dá força ao braço dos bons / que sustenta o peso do irmão. 3 – Nosso Deus põe-se do lado / dos famintos e injustiçados. / Dos pobres e oprimidos, / dos injustamente vencidos. 4 – Esse é o nosso Deus, / seu poder permanece sempre. / Sua força é a força da gente, / vamos todos louvar nosso Deus!

329 (Tom: G) Letra: CAMS / Música: Pe. J. Gelineau
SALMO 147/146

1–

2–

3–

326 (Tom: A) Letra: J. Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
SALMO 144/143

4–

Glorifica o Senhor, Jerusalém, / celebra o teu Deus, o’ Sião! Reforçou as defesas de tuas portas, / abençoou os teus filhos em teu seio, / concedeu a paz às tuas terras / e dá como alimento a flor do trigo. Ele envia à terra suas ordens, / e a palavra que Ele diz corre veloz, / faz cair a neve como lã, / espalha a geada como cinza. Ele atira o granizo em migalhas / e as águas se congelam com o frio, / Ele diz sua palavra e as derrete, / sopra o vento e de novo as águas correm. Anuncia a Jacó sua palavra, / seus preceitos, suas leis a Israel, / nenhum povo mereceu tanto cuidado, / a nenhum revelou os seus preceitos.

5 – Demos glória a Deus Pai onipotente, / a seu Filho Jesus, nosso Senhor, / e ao Espírito que habita em nosso peito, / pelos séculos dos séculos. Amém.

11 – Ao Espírito de Deus amor materno, / toda graça, toda honra e louvor. (bis)

330 (Tom: Gm) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. Sílvio Milanez
SALMO 147/146

333 (Tom: Am) Letra e Música: Reginaldo Veloso
SALMO 150

1–

2–

3–

4–

5–

Jerusalém, Povo de Deus, Igreja santa, / Levanta e vai, sobe as montanhas, ergue o olhar: / Lá no oriente desponta o sol da alegria, / Que vem de Deus, aos filhos teus, eis o teu dia! Louva, Jerusalém, / Louva o Senhor, teu Deus! / Tuas portas reforçou / E os teus abençoou. / Te cumulou de paz / E o pão do céu te traz. Sua Palavra envia; / Corre veloz sua voz! / Da névoa desce o véu, / Unindo a terra e o céu; / As nuvens se desmancham, / O vento sopra e avança! Ao povo revelou / Palavras de amor; / A sua Lei nos deu / E o mandamento seu; / Com ninguém fez assim, / Amou até o fim! Ao Pai do céu louvemos /E ao que vem cantemos; / E ao Divino, então, / A nossa louvação! / Aos três que são um Deus / Exalte o povo seu! A Virgem Mãe será, / Um filho à luz dará, / Seu nome, Emanuel: / “Conosco Deus” do céu; / O mal desprezará, / O bem escolherá.

Aleluia, (3x) / Aleluia! (3x) (bis) 1 – Louvação ao Senhor na sua casa, / louvação no azul do firmamento, / louvação pelos seus vistosos feitos, / louvação pelo seu amor imenso! 2 – Louvação co'afoxês e tamborins, / louvação com pandeiros e pistões, / louvação co'atabaques e com danças, / louvação com sanfonas, violões! 3 – Louvação com ganzá e craviolas, / louvação, guisos, flautas e tambor, / louvação ao Senhor com vibração, / com prazer entoai o seu louvor.

Aclamação ao Evangelho
334 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Sílvio Milanez
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Bem-aventurados aqueles que ouvem a Palavra de Deus. Bem-aventurados aqueles que praticam a Palavra de Deus.

331 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
SALMO 147/146

1 – Eu te exaltarei, meu Deus e Rei, / por todas as gerações. / És o meu Senhor, Pai que me quer no amor. Entoai ação de graças, / e cantai um canto novo! / Aclamai a Deus Javé, / aclamai com amor e fé! 2 – Eu vou reunir Jerusalém / pra te louvar, o’ Senhor! / Te glorificar ao dar-me a tua paz! 3 – Ao me revelar a tua lei, / as tuas mãos eu senti. / Sim, te louvarei enquanto eu existir.

335 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Weber
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Eu sou o pão da vida, / que do céu desceu ao mundo; / quem come deste pão / viverá eternamente. (2x) 2 – Quem come a minha carne / e bebe o meu sangue / viverá sempre por mim / e terá a vida eterna. (2x) 3 – Pois o Verbo se fez carne, / entre nós ele acampou, / e quem acolheu o Verbo, de Deus filho se tornou! (2x)

332 (Tom: Dm) Letra: Liturgia das Horas / Música: Reginaldo Veloso
SALMO 147/146

A Palavra se fez carne, / a Palavra se fez pão, / a Palavra se fez pobre; / fez-se evangelização. 1 – Glorifica o Senhor, Jerusalém! / O’ Sião, canta louvores ao teu Deus! (bis) 2 – Pois reforçou com segurança as tuas portas / e os teus filhos em teu seio abençoou. (bis) 3 – A paz em teus limites garantiu / e te dá como alimento a flor do trigo. (bis) 4 – Ele envia as suas ordens para a terra / e a Palavra que ele diz corre veloz; (bis) 5 – Ele faz cair a neve como lã / e espalha a geada como cinza. (bis) 6 – Como de pão lança as migalhas do granizo, / a seu frio ficam as águas congeladas; (bis) 7 – Ele envia sua Palavra e as derrete, / sopra o vento e de novo as águas correm. (bis) 8 – Anuncia a Jacó sua Palavra, / seus preceitos, suas leis a Israel. (bis) 9 – Nenhum povo mereceu tanto carinho, / a nenhum outro revelou os seus preceitos. (bis) 10 – Glória a Deus presente em nossa história / e a Jesus, que o Pai nos enviou,

336

(Tom: G) Letra: Maucyr Gibim e Pe. José Weber / Música:

Waldeci Farias

Bendita (3x) a Palavra do Senhor! / Bendito (3x) quem a vive com amor! 1 – A Palavra de Deus escutai, no Evangelho Jesus vai falar: / "A justiça do Reino do Pai / procurai em primeiro lugar".

337 (Tom: C) Letra e Música: M. Frankreich
1 – Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça. / E tudo mais vos será acrescentado. Aleluia, aleluia! 2 – Não só de pão o homem viverá, / mas de toda palavra / que procede da boca de Deus. Aleluia, aleluia!

3 – Se vos perseguem por causa de mim, / não esqueçais o porquê. / Não é o servo maior que o Senhor. Aleluia, aleluia! Aleluia! (5x)

338 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Cantemos com alegria, aleluia, aleluia! / Vivamos a Boa Nova, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Todos são convidados, todos são convocados / para viver, para formar um reino de amor e paz.

1 – Vamos todos bendizer, alê-alê! / Jesus Cristo vai falar, luiá-luiá! / A Palavra de viver, alê-alê! / E que vai nos transformar, luiá-luiá! 2 – Cristo quer um coração, ação-ação! / Onde o amor possa morar, orar-orar! / E que saiba perdoar, doar-doar / Sem fingir ou reclamar, amar-amar! 3 – Aleluia, Aleluia, luiá-luiá! / Aleluia, Aleluia, luiá-luiá! / Aleluia, Aleluia, luiá-luiá! / Aleluia, Aleluia, luiá-luiá!

339 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Weber
Honra, glória, poder e louvor / a Jesus, nosso Deus e Senhor! 1 – É Ele o pão que se vai repartir, / o pão da Palavra que vamos ouvir. 2 – O homem não pode viver só de pão, / mas vive quem guarda a Palavra de Deus.

344 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Jubilosos, entoemos / cantos, vivas, aleluias: / aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 1 – O nosso é um canto de glória / ao Deus, Senhor da História, / que anuncia a vitória / da justiça e do amor! 2 – O nosso é um canto de vida, / na voz do povo acolhida, / caminho à paz prometida, / no aleluia lá dos céus!

340 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Porque és, Senhor, o Caminho, / que nós seguir. Nós te damos, hoje e sempre, toda louvor. (bis) 2 – Porque és, Senhor, a Verdade, / que aceitar. 3 – Porque és, Senhor, plena Vida, / que nós viver. devemos glória e devemos devemos

345 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Aleluia, Cristo é o Senhor! / Aleluia, nosso Salvador! 1 – Cristo é o Caminho, a Verdade e Vida! / Creiam nEle os povos, e se salvarão. 2 – Mas o Evangelho deve ser pregado / Pelos Missionários, em nome de Deus. 3 – Vamos pelo mundo anunciar aos homens / Esta Boa Nova da libertação.

341 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Élio Athayde
1 – Todos de pé, vamos ouvir a Palavra do Senhor, / o Evangelho da alegria, o Evangelho do amor. Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 2 – Quando a gente não sentir mais razão para viver, / a Palavra de Jesus nos dá força pra sofrer. 3 – Quem escuta a voz de Deus nunca mais vacilará / e nas pedras do caminho nunca mais tropeçará.

346 (Tom: A) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
Aleluia! (2x) como o Pai me amou, / assim também eu vos amei. / Aleluia! (2x) / como estou no Pai, permanecei em mim. 1 – Vós todos que sofreis aflitos vinde a mim! / Repouso encontrarão os vossos corações. / Dou graças a meu Pai, que revelou ao pobre, / ao pequenino seu grande amor.

342 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Vai falar no Evangelho / Jesus Cristo, aleluia! / Sua Palavra é alimento / que dá vida, aleluia! Glória a ti, Senhor, / toda graça e louvor! (bis) 2 – A mensagem da alegria / ouviremos, aleluia! / De Deus as maravilhas / cantaremos, aleluia!

347 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Cristo, Mestre e Senhor, / a Vós nosso louvor, / dignai-vos falar! 1 – Crede em mim, sou a Verdade; / Somente a Verdade vos libertará! 2 – Vós não tendes muitos mestres: / Um só é o vosso Mestre, todos sois irmãos.

343 (Tom: C) Letra: Gildes Bezerra / Música: Amaury Vieira

348 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Maria das Graças Nunes
Bíblia Sagrada, Palavra de Deus, / Palavra de amor e paz. Aleluia, / aleluia, aleluia!

1 – Ouviremos a voz do Senhor, / revelada na história dos homens. / Apóstolos e profetas / anunciam justiça e amor. 2 – Jesus Cristo assumiu nossa vida, / Deus presente no meio de nós. / Vivendo o que Ele ensina, / construímos o Reino de Deus.

3 – Neste encontro da Eucaristia, / aprendemos a grande lição.

354 (Tom: C) Letra e Música: João Bento de Souza
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Onde dois ou mais, reunidos em meu nome, / Eu estou sempre presente junto a eles. / Jesus é a força da vida em comunidade. (2x) 2 – Quando estamos reunidos em seu nome, / Ele está falando e agindo em nosso meio. / Jesus é a força da vida em comunidade. (2x)

349 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Eu vim para escutar Tua Palavra, tua Palavra, / tua Palavra de amor. (bis) 2 – Eu gosto de escutar 3 – Eu quero entender melhor 4 – O mundo ainda vai viver32

355 (Tom: C) Letra e Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 1 – Bem-aventurado quem tem misericórdia, / pois misericórdia do meu coração terá.

350 (Tom: D) D.R.
Ai de mim, se eu não disser / a verdade que ouvi, / ai de mim, se eu me calar / quando Deus me mandar falar! 1 – Muitos homens anunciaram / a Palavra da Salvação, / transformando suas vidas / na mais bela pregação. 2 – Eu também vou anunciando / a mensagem que Deus me diz: / meu viver vai se tornando / cada dia mais feliz.

356 (Tom: A) D.R.
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Vai e anuncia a toda gente, / proclama aos povos, essa é tua missão: / que o Reino já se faz presente, / aqui, na Terra, e em cada coração.

357 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Minha rede tão vazia / rompeu de peixes por tua voz! / Me entregaste um novo dia: / que não me prendam meus próprios nós!

351 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Graças eu te dou, te louvo, meu Senhor, / pois entre os pequeninos tua Palavra é luz! / Sábios e entendidos seguem seus caminhos, / mas os pequeninos tua mão conduz!

358 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
O meu Espírito conduz / quem ouve a voz do Filho meu. / Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (2x) 1 – Quem der testemunho de mim / diante dos homens dos tronos, / não tema o que possa dizer, / que o meu Espírito mesmo dirá.

352 (Tom: Eb) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Pela Palavra de Deus, / saberemos por onde andar. / Ela é luz e verdade, / precisamos acreditar. 1 – Cristo me chama, Ele é Pastor, / sabe meu nome: fala, Senhor. 2 – Sei que a resposta vem do meu ser: "Quero seguir-te para viver". 3 – Mãos estendidas pedem meu pão, / devo parti-lo com meu irmão.

359 (Tom: E) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Ide pelo mundo, o Evangelho anunciai / a toda a criatura "Boa Nova" proclamai! 2 – Cristo vem falar-nos com cuidados de Pastor / e vem comprometer-nos com seus planos de amor.

353 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
A vossa Palavra, Senhor, / é sinal de interesse por nós (bis) 1 – Como um pai ao redor de sua mesa, / revelando seus planos de amor. 2 – É feliz quem escuta a Palavra, / e a guarda no seu coração.

360 (Tom: G) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
Aleluia, aleluia, aleluia! 1 – Se alguém quer vir após mim, diz Jesus, / deve tomar cada dia a sua Cruz.

2 – O que recebe o talento e não o enterra, / é neste mundo uma luz; sal da terra.

361 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Alê! Alê! Aleluia! (2x) / Alê! Alê! Aleluia! Alê! Aleluia! (2x) 1 – Vamos ouvir, aleluia! Jesus falar, aleluia! / O Evangelho, aleluia! Alê! Vai nos libertar! (2x)

Aleluia, aleluia, aleluia! / Jesus Cristo vai falar! / Aleluia, aleluia! / Ide pelo mundo o Evangelho anunciar! 1 – Mas como invocarão / aquele em quem não creram? / E como podem crer / se ainda não ouviram? / E como podem ouvir / se não houver quem pregue? / E como pregarão / se não forem enviados?

362 (Tom: D) Letra: Pe. Virgílio / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 1 – Vamos, irmãos, a Palavra festejar! / Ela vem, liberta e salva: / Algemada não está.

369 (Tom: A) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

363 (Tom: C) Letra: Pe. Pedro B. Guimarães / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) Ponho-me a ouvir / o que o Senhor dirá, / Ele vai falar, vai falar de paz. / Pela minha voz / e pelas minhas mãos, / Jesus Cristo vai, / vai falar de paz!

1 – Aleluia! Cantamos vibrando / ao ouvir o Evangelho de pé. / Fala o Espírito Santo a nós quando / a Palavra acolhemos com fé. 2 – Aleluia, aleluia! Nós cremos! / Mas iremos nós crer muito mais, / pois, se aqui sons e letras colhemos, / luz e graça em nossa alma semeais. Aleluia, aleluia!

370 (Tom: Dm) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – “Sou a Vida e a Verdade! / Quem crê em mim ressuscitará. / E feliz, na eternidade, / para sempre viverá!” Aleluia, aleluia! / Louvor e glória a ti, Senhor! (bis) 2 – Creio em ti, Senhor da vida! / És minha luz e salvação! / Porque a morte foi vencida, / estes meus olhos te verão.

364 (Tom: C) Letra e Música: Reginaldo Veloso
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Diz o Senhor: "Eu chamei vocês de amigos, / pois os segredos do meu Pai lhes revelei. / Contei-lhes tudo que do Pai tenho ouvido!” (2x)

365 (Tom: D) Letra e Música: Frei José Alberto Fontanella
Aleluia, aleluia, aleluia!’ / Glória a Vós, Senhor, aleluia! (bis) 1 – Como o Pai sempre me ama, / assim Eu vos tenho amado. / Tende amor uns para os outros, / assim como Eu vos amei.

371 (Tom: C) D.R.
Aleluia, aleluia! A minh’alma abrirei. Aleluia, aleluia! Cristo é meu Rei.

372 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Aleluia, aleluia! / Glória, glória, aleluia! 1 – Evangelho é vida, é de Deus acolhida. / Na conversão do coração / é que está a salvação. 2 – Testemunho encarnado, Evangelho integrado. / No meu viver eu devo ser, / para em Deus os homens crer.

366 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – O cristão é convocado / para a todos anunciar / a mensagem que ouviremos / o Evangelho do Senhor. Aleluia, aleluia, aleluia! (bis)

367 (Tom: C) Letra e Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia! 1 – No princípio era a Palavra / e a Palavra se encarnou. / E nós vimos sua glória, / seu amor nos libertou.

373 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Cecília Vaz Castilho
Aleluia, aleluia! / Acolhamos nosso Deus! / Aleluia, aleluia! / Vem falar nos filhos seus. 1 – A Palavra que ouviremos vai crescer, multiplicar, / e será a voz do povo que com força ecoará. 2 – Quem souber ouvir a vida vai, feliz, reconhecer: / cada rosto é uma palavra, nele Deus vai “se dizer”.

368 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos

374 (Tom: C) Letra: D. Carlos Alberto Navarro / Música: Waldeci
Farias

380 (Tom: A) D.R.
Aleluia, aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia! (bis) 1 – Senhor, eu creio em ti e espero em teu amor. / Meu caminho é tua lei, grandioso Deus! 2 – Escuto a tua voz, teus passos seguirei, / contigo quero estar, verdadeiro Deus!

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Jesus, primeiro evangelizador, / a Igreja continua a tua missão, / porém precisa ainda ser evangelizada / e sempre renovada por uma conversão. 2 – Os teus ensinamentos, o’ Senhor, / a Igreja é fiel em proclamar; / a salvação, a graça, / tesouros preciosos, não sejam escondidos, / são pra comunicar.

381 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Aleluia, aleluia, aleluia! 1 – Teu Evangelho, Senhor, é sempre novo, / é vida e luz no caminho do teu povo.

375 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos e Maria L.
Ricciardi

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – A Palavra de Deus está viva, / ilumina a vida do povo. / Repartir essa luz é preciso, / dando hoje à missão rosto novo.

382 (Tom: C) Letra: D. Carlos A. Navarro / Música: Ir. Míria T.
Kolling

376 (Tom: C) S.P.D.
Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia! 1 – Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis, / e acendei neles o fogo de vosso amor.

Aleluia, aleluia! / Vamos aclamar o Evangelho, aleluia! (bis) 1 – Cristo vive no meio da gente! / Ontem, hoje, eternamente! / Cada dia nos chama à conversão! 2 – O Evangelho será proclamado; / o mistério, revelado. / Corações e olhares, atenção!

383 (Tom: E) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Um barco, uma rede deixados / na praia bem perto do mar. / Falavam de homens que foram / o Reino de Deus anunciar. Ô, ô, ô, eu quero tua voz escutar. / Ô, ô, ô, eu quero teu Reino anunciar. 2 – A rede lançada na fé, / lançada na força do amor, / colhia pequenos e grandes / pro Reino de Nosso Senhor. 3 – Também eu deixei o meu barco / e andei sem olhar para trás. / Aos braços de quem me chamava / a outros mares pescar. 4 – Nos mares que agora navego, / tem luz e tem noites sem fim. / Remando e cuidando do leme, / Jesus é quem cuida de mim.

377 (Tom: Em) Letra: João de Araújo / Música: André Jamil Zamur
Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – De alegria e de paz é meu canto, / pois em mim renasceu teu amor! / Vem cantar-te a minh’alma, o’ Deus santo, / um eterno aleluia, Senhor! 2 – Minha vida a mil vozes unida, / no fervor sempre ardente da cruz, / vem saudar-te feliz, redimida / e aclamar-te, Senhor, Deus da Luz!

378 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Cecília Vaz Castilho
1 – Bem feliz é o manso e o pobre: / vão a terra conquistar! / Mansamente vai a fonte / grande rio se tornar. Aleluia, aleluia, liberdade chegará! / Pelas mãos de todo um povo o Evangelho falará!

384

(Tom: F) Letra: Pe. Amaury de Paula / Música: Ir. Míria

Therezinha Kolling

379 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Ir. Míria T. Kolling
Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia. Aleluias ao Senhor! 1 – Quando meu barco vacila / nas ondas bravas do mar, / tua Palavra me anima: “Coragem, sou Eu!” 2 – Quando não tenho palavras / todos tramando meu fim, / o teu Espírito fala: / “Não temas, sou Eu!”

Aleluia, aleluia! Tu és Pedro, aleluia! (bis) 1 – És a rocha viva, Cristo te escolheu, / quando a Simão Pedro disse: / “Eu te darei do meu Reino as chaves. Eis a minha Igreja, / sobre esta pedra edificarei!” 2 – Cristo salvador, a pedra angular, / que ampara tudo, pois é Homem-Deus, / escolheu a Pedro para sustentar / como rocha viva o edifício seu. 3 – “Eis que estarei convosco até o fim! / Do inferno as forças não triunfarão!” / Foi Jesus,

um dia, que falou assim, / dando à sua Igreja perenização.

385 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Palavra de Pai é chuva, / é chuva na plantação. / Palavra de Pai é vida, / é vida no coração. / Alê, Aleluia! Alê, Aleluia! / É vida no coração! (bis) 2 – Palavra de Pai é força, / é força que faz crescer. Palavra de Pai é graça, / é graça que faz viver. / Alê, Aleluia! Alê, Aleluia! / É graça que faz viver! (bis)

1 – Um dia perguntaram a Jesus: / Senhor, lá, no céu, quem é o maior? / Mostrando a criancinha, Cristo respondeu: / “Quem se faz assim menor!” 2 – “Deixai os pequeninos se achegar a mim; / não os mandeis se afastar! / Se alguém não se fizer pequeno assim, / jamais poderá no céu entrar!”

391

(Tom: G) Letra: José Acácio Santana / Música: Paulo Luís

Coutinho

386 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Cada um partilhe conforme o impulso do seu coração, / pois Deus am quem reparte com alegria.

Entre aclamações Jesus subiu ao céu. / Aleluia, aleluia! 1 – Jesus Cristo regressou para o seu Pai; / e, por isso, vossos cantos entoai! 2 – Como o vistes para o céu se elevar, / Ele, um dia, novamente há de voltar.

392 (Tom: D) Letra e Música: Natanael Alcântara
Aleluia, aleluia! Ouviremos co’atenção o Senhor! (bis) 1 – A Palavra de Deus é mensagem / de libertação, / tenho sede de aprender e viver / no caminho do amor. 2 – A Palavra de Deus ilumina / nossa missão, / mensageiros, seremos da paz / com a vida e ação.

387 (Tom: D) Letra e Música: Geraldo Carlos da Silva
1 – O Senhor me mandou profetizar / e pregar o Evangelho da alegria. / As mensagens do Senhor vão libertar / os que sofrem pelo Reino todo dia. Por isso eu canto: / aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 2 – O Evangelho mostra reta direção / para quem sua vida quer mudar. / Deus profere só palavras verdadeiras: / “Todo homem neste mundo quer salvar”.

393 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Sou Rei e vim testemunhar a verdade que vos libertará!

388 (Tom: G) Letra e Música: José Raimundo Brandão
Aleluia! Alegria! / Vamos todos escutar / a Palavra que irradia. / Força para proclamar! 1 – Caminhamos na estrada de Jesus, / suportando o peso da nossa cruz, / testemunhando a fé que professamos / em Jesus ressuscitado, / modelo que buscamos.

394 (Tom: F) Letra: João de Araújo / Música: Frei Luiz Turra
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 1 – Salve, Senhor, o’ Deus da luz! / Salve, Jesus, Deus redentor! / É só de paz teu coração / e em teu perdão o céu nos dás. 2 – Fala, Senhor, pois tua voz / ressoa em nós num vivo ardor. / Um só louvor, o’ Deus fiel, / te cante o céu e nosso amor.

389 (Tom: C) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Waldeci Farias
Aleluia! Estou contente! / Falar o Senhor me vai. / Palavra do Onipotente, / Palavra amiga de Pai! 1 – Aleluia! É meu canto de festa! / Aleluias eu canto ao Senhor. / Deus me deu esta vida e, além desta, / quer me dar sua Vida de amor!

395 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. Zezinho
Meu Deus me fala sempre aonde eu estiver. / Sua Palavra tem amor / e o que Ele diz me faz feliz. / A Palavra do Senhor tem sentido, / eu vou ouvir a Palavra do Senhor. / Eu vou ouvir a Palavra do Senhor.

390 (Tom: A) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
Aleluia! Quem é o maior? / Aleluia! Quem se faz menor! (bis)

396 (Tom: D) Letra e Música: F. Wozniack
Aleluia, aleluia, nós te louvamos, Senhor! (bis)

1 – Como Igreja missionária aqui estamos, / para acolher a Boa Nova de Jesus, / que é partilha e compromisso com os pobres. / Este é seu Reino, que nós vamos anunciar. Aleluia!

402 (Tom: E) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Como Maria, agora vou ouvir / o que Jesus quer hoje me dizer: / Feliz é quem sabe escutar a Deus no coração! / Eu quero, o’ meu Senhor, te amar! Aleluia, aleluia! / O Evangelho vamos nós ouvir! / Aleluia, aleluia! / A Jesus queremos aplaudir! 2 – Como Maria, depois vou guardar / o que Jesus quer hoje me ensinar: / Feliz é quem sabe cumprir na vida o que aprendeu! / Eu quero a ti, Senhor, seguir!

397 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
Aleluia, aleluia, aleluia! / A Palavra de Deus escutai! / Aleluia, aleluia, aleluia! / É mensagem que chega do Pai! 1 – Quem ouve a Palavra do Filho Jesus / não anda nas trevas, caminha na luz. / O céu e a terra haverão de passar, / Palavra de Deus jamais passará.

398 (Tom: F) Letra e Música: Vanda
1 – A Palavra do Senhor trazemos de mão em mão. / Ela é boa semente, dos pobres libertação. Alê, alê, luiá, luiá. / A Palavra do Senhor nós vamos anunciar. 2 – A Palavra do Senhor, nós iremos escutar. / Pra nossas comunidades é Jesus quem vai falar.

403 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Como é bela e graciosa a esposa do Senhor! Aleluia! 1 – Maria, tu foste preservada / da mancha do pecado original, / por isso tu és Imaculada / e tens uma beleza divinal.

399 (Tom: F) Letra e Música: João Bento de Souza
Vamos ouvir a Palavra do Senhor. (bis) 1 – A Palavra que nos dá a vida, / vamos ouvir. / A Palavra que nos liberta, / vamos ouvir. 2 – A Palavra que nos dá força... / A Palavra que nos desperta... 3 – A Palavra que nos ilumina... / A Palavra que nos orienta... 4 – A Palavra que nos anima... / A Palavra que alimenta...

404 (Tom: E) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia! Aleluia! Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (2x) 1 – Feliz quem te gerou / te amamentou e assim! / Feliz quem tudo ouviu / e cumpriu como quer meu Pai! 2 – Feliz é quem ouviu / a minha voz compreendeu! / Feliz quem me escutou / fez como quer meu Pai! te fez assim e me e tudo

405 (Tom: F) Letra: Ir. Maria Domitila / Música: Waldeci Farias
1 – Que ditosa és tu, que creste / no que o anjo do Senhor dizia! / Toda a terra cantará, Maria, / na alegria, o teu louvor! Aleluia, aleluia, aleluia! / Glória a Vós, Senhor! (bis) 2 – És feliz, ó Mãe, que escutas / do Senhor a voz, que docemente / quer falar de seu amor ardente / no segredo do coração! Aleluia, aleluia, aleluia! / Glória a Vós, Senhor! (bis) / Aleluia, aleluia!

400 (Tom: D) Letra e Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – O’ mulher cheia de graça, disse o anjo do Senhor, / nosso Deus te escolheu pra ser Mãe do Salvador. 2 – Eis aqui a tua serva, diz Maria ao seu Senhor, / o Espírito a cobriu e a Palavra se encarnou.

401 (Tom: G) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Alguém do povo exclama: Como é grande, o’ Senhor, / quem te gerou e alimentou! / Jesus responde: O’ mulher, pra mim é feliz / quem soube ouvir a voz de Deus e tudo guardou! 2 – "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, chega ao céu; / Mas só quem obedece ao Pai". / Jesus, se a Igreja louva tua Mãe, louva é a ti, / E espera que a conduzas pela estrada aonde vais.

406 (Tom: F) Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Aleluia! Aleluia! Aleluia! 1 – Não fostes vós que me escolhestes, / mas fui Eu que vos escolhi! 2 – Eu enviei-vos a dar fruto, / e o vosso fruto permaneça!

407 (Tom: G) Letra: Pe. José M. S. de Cueto / Música: Lindberg Pires
Aleluia, aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia, aleluia! 1– Que as nuvens se abram e enviem / o orvalho reconfortador. / Que da terra brote já a flor! / Que venha pra nós o Salvador!

412 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia! Quem diria! / Boa Nova é encontrar um menino! / Aleluia! Quem diria! / Partilhando o nosso destino! 1 – Já nasceu nos mostrando outro jeito / de plantar novamente a harmonia, / de viver, de acolher o desfeito. / Vem chegando da periferia!

408 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Weber
Envia tua Palavra, / Palavra de salvação, / que vem trazer esperança, / aos pobres, libertação. 1 – Tua Palavra de vida é como a chuva que cai, / que torna o solo fecundo e faz nascer a semente; / é água viva da fonte, que faz florir o deserto, / é uma luz no horizonte, / é novo caminho aberto.
2 – Ela nos vem no silêncio, no coração de quem crê, / no coração dos humildes, que vivem por teu poder. / Aos fracos ela dá força, aos pobres, sabedoria, / e se tornou nossa carne: nasceu da Virgem Maria.

413 (Tom: C) Letra: João de Araújo / Música: André J. Zamur
Aleluia! Ao Deus Santo, aleluia, aleluia! / Aleluia! Mil hosanas, aleluia! 1 – No ardor divino, o Deus menino / tão pequenino, vinde aclamar. / E o nosso canto, de puro encanto, / ao Deus tão santo, vem exaltar. 2 – A Deus tão terno, o Deus menino / louvor eterno, cantai o’ céus. / E o mundo alcança toda a esperança / no Deus criança, Emanuel!

414 (Tom: G) Letra e Música: Ir. M. Villac
1 – Brilha uma luz sobre nós, / a luz que é Cristo, o Salvador. / A terra inteira canta feliz: / chegou a paz, chegou o amor. Cristo, és nossa esperança! / Cristo, és o nosso irmão! 2 – Vinde, cristãos do universo, / este Menino adorai. / Fruto bendito da Virgem Mãe, / é fruto do eterno Pai.

3 – Vem visitar nossa terra, o’ Sol de um novo dia, / que rasga a treva da noite, e todo o mundo alumia! / Olha o teu povo cativo, tem pena de sua dor, / porque és nossa esperança, és nosso Deus salvador.

409 (Tom: Gm) Música: Reginaldo Veloso
Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia!
1 – Voz que clama no deserto: (2x) / “Preparai-lhe um caminho, (2x) / Uma estrada ao Senhor!” (2x) 2 – “Todo vale aterrado, (2x) / Todo monte nivelado (2x) / E vereis o Salvador!” (2x)

415 (Tom: E) Letra: M. Quintana / Música: Melodia do Século XVII
1 – Nasceu-nos um Menino na gruta de Belém. / Serás, o’ Pequenino, / meu Rei e sumo Bem! / Glória, glória! Meu Rei e sumo Bem! 2 – E nosso irmão tornou-se / na noite de Natal. / Maria foi que o trouxe / à vida terrenal. / Glória, glória à vida terrenal!

410 (Tom: C) Letra: Maria de Fátima Oliveira / Música: Folcmúsica
Religiosa

Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia! (bis) 1 – O’ Senhor, abre os ouvidos / do teu povo aqui presente, / para ouvir a Boa Nova / e guardá-la fielmente! 2 – A Palavra, qual semente, / vai cair nos corações. / Que sejamos boa terra, / dando frutos: cem por um.

416 (Tom: D) Letra: Pe. Lauro Palú e Música: Pe. Ronoaldo Pelaquim
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Aos pastores na noite em paz / veio o anjo anunciando a luz. / Encontraram a Virgem Mãe / e em seu colo, feliz, Jesus. (bis) 2 – No Evangelho que vou ouvir / eu encontro a Jesus também. / Quero ouvir o que vai dizer, / quero alegre vivê-lo. Amém! (bis)

411 (Tom: G) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Pe. José
Weber

1 – Uma grande alegria. / Aleluia, aleluia! / O Anjo de Deus anuncia. / Aleluia, aleluia! 2 – Nasceu, hoje, o Salvador. / Aleluia, aleluia! / Nosso irmão, nosso Senhor. / Aleluia, aleluia! 3 – Aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia!

417 (Tom: G) Letra e Música: F. Gotzon Auléstia
Aleluia, Páscoa do Senhor! / Aleluia, nosso Salvador! / Aleluia ao Libertador, / que vem salvar o mundo com justiça e amor!

1 – Quem nEle se confia, aleluia! / Terá a vida eterna, aleluia! / É Ele que prepara o caminho do Pai. 2 – Gerado antes dos tempos, aleluia! / Entrou na história humana, aleluia! / Para livrar o homem, restaurando a paz.

422 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Cristo venceu, aleluia! / Ressuscitou, aleluia! / O Pai lhe deu glória e poder, / eis nosso canto, aleluia! 1 – Este é o dia em que o amor venceu, / brilhante luz iluminou as trevas. / Nós fomos salvos para sempre. 2 – Suave aurora veio anunciando / que uma nova era foi inaugurada. / Nós fomos salvos para sempre. 3 – No coração de todo homem nasce / a esperança de um novo tempo. / Nós fomos salvos para sempre.

418 (Tom: F) Letra: Aurea Candida Sigrist / Música: Antônio Haddad
Aleluia, aleluia, aleluia! / Alegria no Senhor! (bis) 1 – Cristo assumiu toda a nossa natureza, / vivendo nossa vida humana intensamente; / ressuscitando assegurou-nos a certeza / de realizarmos nossa vida plenamente. 2 – Testemunhamos a ressurreição. / Sabemos que nossa fé não é vã. / Acreditamos em nossa Redenção. / Vamos em busca de um novo amanhã. 3 – O grão de trigo enterrado em chão duro / dará colheita abundante no futuro. / Quem vive e morre libertando seu irmão / terá em Cristo vida e ressurreição.

423 (Tom: F) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Que alegria, Cristo ressurgiu! / No Evangelho Ele vai falar. / Entoemos nosso canto de louvor e gratidão. / Sua Palavra vamos aclamar. Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis)

424 (Tom: C) Letra: Nilo Aparecida Pinto / Música: Pe. José Weber
1 – O Senhor venceu a morte. Aleluia, aleluia! / Já um anjo o revelou. Aleluia, aleluia! 2 – Já foi vê-lo Madalena. Aleluia... / Já com Ele se encontrou. Aleluia... 3 – Emaús viu sua glória. Aleluia... / Já aos doze se mostrou. Aleluia... 4 – Já Tomé não mais duvida. Aleluia... / Pois suas chagas lhe tocou. Aleluia... 5 – Já no campo os lírios sabem. Aleluia... / Veio a Pedro o Salvador. Aleluia... 6 – Para abrir-nos o seu Reino. Aleluia... / Deu a chave ao Pescador. Aleluia...

419 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia! (bis) 1 – Vós povos todos da Terra: Aleluia, aleluia! / Vinde, cantai ao Senhor: Aleluia, aleluia! 2 – Vinde, louvai nosso Deus - Aleluia... / Que seu amor é sem fim: Aleluia... 3 – Frente à loucura dos homens: Aleluia... / Vive a loucura do amor: Aleluia... 4 – Vem nos doar em pessoa: Aleluia... / A vida plena que é sua: Aleluia ... 5 – E que na terra se faça: Aleluia... / Como no céu, harmonia: Aleluia... 6 – Tanto o sofrer quanto a morte: Aleluia... / Saibam que a vida é maior: Aleluia...

425 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Sílvio Milanez
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Rendei graças ao Senhor, / que seu amor é sem fim. Diga o povo de Israel / que seu amor é sem fim. Digam os seus sacerdotes / que seu amor é sem fim. Digam todos os cristãos / que seu amor é sem fim. 2 – Sua destra fez prodígios, / pois o Senhor me salvou. Viverei, não morrerei, / pra seu amor proclamar. Construtores me rejeitaram, / mas o Senhor me escolheu. Fez-me a pedra principal, / pois o Senhor me escolheu. 3 – Eis o dia do Senhor! / Alegres nele exultemos!

420 (Tom: E) Letra e Música: Everaldo Peixoto
Aleluia, alegria, minha gente, / aleluia, aleluia! (bis) 1 – O Senhor ressuscitou, minha gente, / Ele está vivo em nosso meio, aleluia! 2 – O Sepulcro está vazio, minha gente, / o Senhor ressuscitou, aleluia!

421 (Tom: D) D.R.
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 1 – A nossa Páscoa é o Cristo imolado, / alegremonos todos no Senhor!

Que nos salve, imploremos! / Alegres nele exultemos! Bem-vindos à sua casa! / Alegres nele exultemos! Nós todos os seus amados! / Alegres nele exultemos!

2 – Creio em Jesus, nosso Redentor, / verdadeiramente Homem-Deus. 3 – Creio, também, no Espírito de amor, / grande dom que a Igreja recebeu.

432 (Tom: A) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Eu creio em ti, Deus Pai, divino Criador. / Eu creio em ti, Deus Mãe, fonte do puro amor. / Eu creio em ti, Deus Irmão, / Luz na escuridão, Jesus libertador. (2x) 2 – Não creio em Deus sem nome, sem rosto e sem lugar. / Não creio no Deus dos homens que vivem a escravizar. / Meu Deus é força de vida / e a classe oprimida vem firme livrar. (2x) 3 – Creio na força nova, vinda da união. / Creio em ti, companheiro fiel de coração. / Eu creio em ti que foi morto, / lutando disposto por libertação. (2x)

426 (Tom: C) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Ressuscitei! Olhai meus pés e mãos! / Alegres, lhes custou tocar e crer. / Louvando a Deus, partiram os cristãos, / felizes por Jesus aparecer.

427 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – A pedra rolou do sepulcro. Quem foi? / Madalena, então, chorou! / Um anjo feliz assim anunciou: / “O Senhor Ressuscitou!”

428 (Tom: D) D.R.
Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) 1 – Anúncio da ressurreição, / Palavra da libertação. (bis)

433 (Tom: F) D.R.
Creio em Deus Pai todo-poderoso, / Criador do céu e da terra. / Creio em Jesus Cristo, um só seu Filho, / Nosso Senhor, o qual foi concebido / do Espírito Santo, nasceu de Maria Virgem, / padeceu sob o poder / de Pôncio Pilatos, foi crucificado, / morto e sepultado, desceu aos infernos, / ao terceiro dia ressurgiu dos mortos, / subiu ao céu, subiu ao céu. / E está sentado à mão direita / de Deus Pai, todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica. / na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, / na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

429 (Tom: B) Letra e Música: José Acácio Santana
Aclamemos Cristo ressurgido, aleluia! 1 – O cordeiro que se imolou, / ressurgiu e nos resgatou. 2 – Quem com Ele se entregar / vai com Ele ressuscitar! 3 – Em Jesus temos a razão / do sofrer que traz a salvação!

Creio
430 (Tom: D)
Letra: Dom Carlos A. Navarro Música: David Julien

434 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Creio em Deus Pai todo-poderoso, / Criador do céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, Nosso Senhor, / pelo Espírito Santo concebido. Nasceu da Virgem Maria, / padeceu sob Pôncio Pilatos. Foi crucificado, morto e sepultado / e desceu à mansão dos mortos. Ressuscitou ao terceiro dia, / subiu ao céu, à direita de Deus Pai, donde há de vir para julgar, / para julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, / creio na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, / creio na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, / creio também na vida eterna. Amém! Amém! Amém! Amém!

Creio, Senhor, / mas aumentai minha fé. 1 – Eu creio em Deus Pai onipotente, / Criador da terra e do céu. 2 – Creio em Jesus, nosso irmão, / verdadeiramente Homem-Deus. 3 – Creio, também, no Espírito de amor, / grande dom que a Igreja recebeu.

431 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
Creio, Senhor, creio, Senhor, / mas aumentai, aumentai minha fé! 1 – Eu creio em Deus Pai onipotente, / Criador da terra e do céu.

435 (Tom: A) Letra e Música: José Acácio Santana
Cremos, Senhor! / Cremos que Vós sois o Deus Javé! / Com nosso amor testemunharemos nossa fé! 1 – Cremos em Vós, Deus Pai onipotente, / Criador da terra e Criador do céu. 2 – Cremos em Vós, Deus Filho salvador, / que por nós nasceu, morreu e nos salvou. 3 – Cremos em Vós, Espírito de amor, / dom celestial que o Pai nos enviou.

são seus. / Creio no Espírito Santo, / na Santa Igreja universal. / Creio na ressurreição, / na vida eterna, no Reino de Deus.

438 (Tom: Bb) Letra e Música: Nairzinha
1 – Creio num Deus feito homem, / feito de dores e sonhos também. / Creio na sua mensagem, / na certeza da paz, na coragem do bem. / Creio num Deus esperança, / que foi pequenino, criança também. / E, como um pobre menino, / nasceu peregrino na gruta de Belém. Creio, creio, / creio em meu Deus salvador. / Creio, creio / que sou renascido do amor. (bis) 2 – Creio num Deus que se parte / e que se reparte em forma de pão, / que se faz nosso alimento, / que assume o homem e o faz seu irmão. / Creio no sangue sofrido, jorrado, doído, / que o amor derramou. / Creio que sou renascido / de um Deus, que é Pai de infinito amor.

436 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Zezinho
Eu creio, eu creio, eu creio no meu Deus. (bis) Creio em Deus Pai todo-poderoso, / Criador do céu e da terra. Creio num Deus que tudo criou, / creio num Pai que sempre me amou. Eu creio, eu creio, eu creio no meu Deus. (bis) Creio em Jesus Cristo seu único Filho, / Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo. / Nasceu da Virgem Maria, / padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, / morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, / desceu à mansão dos mortos. Eu creio, eu creio, eu creio no meu Deus. (bis) Ressuscitou, ressuscitou, ressuscitou. / ao terceiro dia, subiu ao céu, subiu ao céu, subiu ao céu e está sentado à direita de Deus Pai / todopoderoso, donde há de vir, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos, donde há de vir, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Eu creio, eu creio, eu creio no meu Deus. (bis) Creio no Espírito Santo, / na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, / na remissão dos pecados, na ressurreição da carne; e creio na vida eterna e creio na vida eterna, e creio na vida eterna, e creio, / e creio na vida eterna. Eu creio, eu creio, eu creio no meu Deus. (bis) Amém, amém, amém, amém, amém!

439 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
1 – Creio em um só Deus! / Pai todo-poderoso, / Criador do céu e da terra! Esta é a nossa fé, / bendita seja a Palavra de Deus! 2 – Creio em um só Senhor: / Filho do eterno Pai, / que por amor de nós se fez homem! 3 – Creio no Espírito Santo: / fonte de graça e vida, / que do Pai procede e do Filho! 4 – Creio na Santa Igreja: / povo de Deus em marcha, / sob a guia de seus pastores! 5 – Creio na vida eterna: / quando o Senhor vier, / para julgar os vivos e os mortos!

440 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Eu creio que Deus Pai criou os céus, / e as belezas deste mundo, por amor. Eu creio, sim! Eu creio, sim! / E vivo alegre a minha fé. 2 – Eu creio que Deus Filho nos salvou, / morreu na cruz e ressurgiu por nosso amor. 3 – Eu creio que o Espírito de amor / mora na Igreja e nos homens, por amor. 4 – Eu creio que a vida está no céu, / que viveremos para sempre no amor.

437 (Tom: Dm) Letra e Música: Valter Freitas
Eu creio em ti, Senhor, / mas aumenta a minha fé, (2x) minha fé! 1 – Creio em Deus, meu Pai, / Poderoso eu sei que é. / Creio em Jesus / Unigênito, Filho de Deus, / que da Virgem Maria / vem a nós, nos redimir, / mas padeceu na dor. / Assim morreu e ressuscitou. 2 – Glorioso subiu ao céu, / sentado está à destra de Deus / de onde virá, enfim, / buscar aqueles que

441 (Tom: E) Letra e Música: José Eugênio Rodolfo
Eu creio que Tu estás no céu. Eu creio que és o meu Pai. Eu creio que me deste a vida. Eu creio que queres me santificar.

Eu creio que Tu estás no céu, que sentas ao lado do Pai. Eu creio que deste a vida, Jesus, para me libertar. Eu creio que Tu estás aqui. Eu creio que és meu defensor. Eu creio que és o Espírito do Pai e do Filho no Amor. Eu creio que existe um só Deus, e existe em três formas de Amor: O Pai me criou! Jesus me salvou! E o Espírito me transformou!

3 – Cremos também no Espírito de amor, / dom celestial que o Pai mandou. (2x)

445 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Cremos em Deus Pai: / Ele nos amou. / Para nos salvar, / nos mandou Jesus. Esta é a nossa fé, irmãos, / nossa razão de ser. / Nossa alegria é bem maior: / outros também vão crer! 2 – Cremos em Jesus, / nosso Salvador. / Cremos no amor / que entre nós ficou. 3 – Cremos e esperamos / transformar o mundo. / Cresça entre nós / o amor do Pai.

442 (Tom: A) Letra e Música: Rosa Maria
Creio sim, o’ Senhor, que estás no céu, na terra e no mar. Creio sim, o’ Senhor, no teu amor sem fim. Creio sim, o’ Senhor, que teu Filho Jesus morreu por mim. Creio sim no Espírito de Amor que me transformou. Creio sim, o’ Senhor que sois Trindade num só amor. Creio sim, meu Senhor, e me entrego a ti. Aleluia, Glória ao Pai. Glória ao Filho e Santo Espírito. Ao Deus de Amor. Aleluia, Glória ao Pai. Ao Filho e Santo Espírito, Deus de Amor. Deus de Amor... Aleluia, aleluia!

Apresentação das Oferendas
446 (Tom: D) Letra e Música: Flávio Wozniack
1 – A fé é compromisso, que é preciso repartir / em terras bem distantes ou em nosso próprio lar. / Nós somos missionários: eis a nossa vocação. / Jesus convida a todos, ai de mim, se eu me calar. Nesta mesa, o’ Senhor, apresentamos / pão e vinho, dons da terra e do trabalho. / Pela Igreja Missionária vos louvamos. / Vede a messe, que precisa de operários. (bis) 2 – Há muitos consagrados anunciando sem temer, / e tantos perseguidos dando a vida pela fé. / Mas quem faz de sua vida um sinal de comunhão, / também dá testemunho, nos convida à conversão.

443 (Tom: Bb) Letra e Música: Reginaldo Veloso
Eu creio em Deus Pai, / poder e ternura, / que toda criatura governa. / Amém! / Amém! Aleluia! / Por Deus fomos feitos / à sua imagem pra sempre. Amém! Eu creio em Jesus, / o Filho de Deus, / que deu sua vida por nós. Amém! / Amém! Aleluia! / Jesus é o Senhor, / pois ressuscitou para sempre. Amém! Eu creio no Espírito, / verdade e amor, / que o Cristo mandou sobre nós. Amém! / Amém! Aleluia! / O Espírito Santo / nos une e conduz para sempre. Amém!

447 (Tom: G) Letra: Pe. Cloves e Pe. José R. Galvão / Música: Pe. José
Raimundo Galvão

1– 2– 3– 4–

Ouvindo o apelo de Deus, que resposta nós daremos? / Ofertamos ao Senhor tudo aquilo que nós temos. Nós temos alegria / e é isto que te damos, / neste mundo de agora / em que todos caminhamos. No altar nós colocamos / o sorriso desta vida, / nossas horas de angústia / e a esperança desta lida. Aqui te apresentamos / a história do teu povo, / que, buscando tua graça, / te oferece um mundo novo. A tua gente oferta / pão e vinho em teu louvor. / Sobre o altar nós deixamos / alegria, vida e amor.

448 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Muitos grãos de trigo se tornaram pão, / hoje são teu Corpo, Ceia e Comunhão; / muitos grãos de trigo se tornaram pão. Toma, Senhor, nossa vida em ação / para mudá-la em fruto e missão. / Toma, Senhor, nossa vida em ação / para mudá-la em missão. 2 – Muitos cachos de uva se tornaram vinho, / hoje são teu Sangue, Força no caminho; / muitos cachos de uva se tornaram vinho. 3 – Muitas são as vidas, feitas vocação, / hoje oferecidas em consagração; / muitas são as vidas, feitas vocação.

444 (Tom: Ab) Letra e Música: José Acácio Santana
Cremos em Deus, Santíssima Trindade, / cremos em Deus com amor e fé! 1 – Cremos em Deus, Pai onipotente, / Criador da terra e do céu. (2x) 2 – Cremos em Jesus, Filho redentor, / que por nós morreu e ressurgiu. (2x)

449 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Fui um fruto pequenino que a videira produziu. / Fui um simples grão de trigo que cresceu, mas ninguém viu. / Quando, enfim, chegou o tempo que o Senhor me destinou, / de pequeno grão de uva, gota dele agora sou. / De pequeno grão de trigo esmagado até ser pão, / transformei-me em corpo santo de um amigo e de um irmão. / Ô, ô, ô, ô, ô, ô, ô, ô. (2x) 2 – Fui aquele vinho puro que no altar alguém deixou. / Fui aquele pão pequeno que um irmão no forno assou. / Quando, enfim, chegou o tempo que o amor predestinou, / Eu que era vinho puro, gota dele agora sou. / Eu que era tão somente nada mais que simples pão, / sou agora o alimento que produz libertação. / Ô, ô, ô, ô, ô, ô, ô, ô. (2x)

2 – Nossa vida toda inteira / ofertamos ao Senhor / como prova de amizade, / como prova de amor; / com o vinho, com o pão / ofertamos ao Senhor / nossa vida toda inteira, / o louvor da criação.

454 (Tom: G) Letra: Nelson Tolentino / Música: Osmar A. Bezutte
Eu venho trazer pra junto do altar / o que fui colher no meu caminhar. (2x) 1 – A sede de amor de todos irmãos, / te oferto, Senhor, com vinho e com pão. 2 – Oferto a criança, o jovem, o velho, / a paz, a esperança, na luz do Evangelho. 3 – Eu trago, também, ao teu santo altar, / os passos de quem te quer anunciar.

450 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Nas tuas mãos, o’ Pai do Céu, todo o universo, / frágil canoa a navegar, / tem equilíbrio e segurança, espaço e tempo / e a humanidade que vem desfrutar. O vinho e pão que nós trazemos / falam do amor de quem constrói a vida. / Vem sustentar, o’ Pai, teu Reino, / que a tua voz no mundo inteiro seja ouvida! 2 – Mas nossa terra, que é o lugar da consciência, / não aprendeu a conviver: / São tantos reinos, cada qual querendo tudo, / e as multidões com tamanho sofrer! 3 – Cuidar da terra e da justiça para todos, / o compromisso que te apraz. / Que a tua mesa seja anúncio do teu Reino! / Que os povos todos cultivem a paz!

455 (Tom: Bm) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Marília A. de Moura
Estêvão

Esta mesa nos ensina: / todo bem que a gente alcança, / em comum devemos pôr: / o remédio e a medicina, / pão e vinho e segurança, / alegria, fé e amor. (2x) 1 – Meu irmão eu vi plantar, / meu irmão nos fez o pão, / mas, na hora do jantar, / não chamaram meu irmão! 2 – Minha irmã trabalhadora, / é operária e mãe também; / sai de casa, o filho chora; / fica em casa, o pão não vem! 3 – Meu irmão pagou imposto / para a vida melhorar, / mas não tem doutor nem posto, / porque é pobre o seu lugar!

456 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Minha vida tem sentido / cada vez que eu venho aqui, / e te faço o meu pedido / de não me esquecer de ti. Meu amor é como este pão, / que era trigo / que alguém plantou, depois colheu; / e depois tornou-se salvação, e deu mais vida, / e alimentou o povo meu. Eu te ofereço este pão! / Eu te ofereço meu amor! (bis) 2 – Minha vida tem sentido / cada vez que eu venho aqui, / e te faço o meu pedido / de não me esquecer de ti. Meu amor é como este vinho, / que era fruto / que alguém plantou, depois colheu; / e depois encheu-se de carinho, / e deu mais vida, / e saciou o povo meu. Eu te ofereço vinho e pão! / Eu te ofereço meu amor! (bis)

451 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – As pedras da nossa estrada queremos te ofertar, / são flores depositadas na mesa do teu altar. 2 – As lutas da caminhada, as dores e o sofrer / são partes da nossa vida, que vamos te oferecer. 3 – Assim nossos braços erguem ofertas de vinho e pão, / erguendo também o mundo, no gesto das nossas mãos.

452

(Tom: G) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Pe. J. Ximenes

Coutinho

1 – Alegres, em prece, / teu povo agradece / teus dons, o’ Senhor! E, como família, / cantando partilha / seu pão, seu amor. 2 – Unidos fazemos / os dons que trazemos, / o vinho e o pão. / Quem colhe, quem planta, / quem faz e quem canta, / é tudo oração. 3 – Falou-nos Maria: / "És Pai, que sacia / famintos de ser. / E deixas de lado / o rico enfarado / que só pensa em ter". 4 – Bem vês, nesta mesa: / Deus quer, com certeza, / a todos saciar. / “Ninguém vá na vida, / sem pão, sem comida!”, / proclama este altar.

457 (Tom: F) Letra e Música: João Bento de Souza
1 – Nossa vida de comunidade, Senhor, / nós queremos com fé ofertar. / Alegrias, fracassos, vitórias, são frutos da vida / para o teu altar: Aceita estas nossas ofertas que fazemos com todo fervor. (bis) 2 – Ofertamos o duro trabalho, / o nosso esforço da vida mudar. / Convivência de um povo fraterno, / que luta unido para se libertar. 3 – Nós trazemos ofertas de vida, / de luta sem paga em favor do irmão. / Com amor vamos tudo entregar ao Senhor, / na oferta do vinho e do pão.

453 (Tom: Dm) Letra: Ir. Salete / Música: Pe. Sílvio Milanez
De mãos estendidas, ofertamos / o que de graça recebemos. (bis) 1 – A natureza tão bela, / que é louvor, que é serviço; / o sol que ilumina as trevas, / transformando-as em luz; / o dia que nos traz o pão, / a noite que nos dá repouso, /ofertamos ao Senhor / o louvor da criação.

458 (Tom: G) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Waldeci
Farias

Neste pão e neste vinho, / o suor de nossas mãos: / o trabalho e a justiça / para todos os irmãos.

1 – Ofertamos, o’ Senhor, os sofrimentos / dos pequenos e dos pobres, teus amados, / dos que lutam à procura de trabalho, / das crianças e anciãos abandonados. 2 – Ofertamos a firmeza e a coragem / dos que lutam em favor dos oprimidos, / dos famintos e sedentos de justiça / e que são por tua causa perseguidos. 3 – Ofertamos, o’ Senhor, toda certeza / na vitória do amor sobre o pecado. / Tua luz há de brilhar, vencendo a treva, / sobre o mundo convertido e renovado.

3 – Vem, Senhor, vem caminhar à nossa frente, / vem conosco toda a terra transformar. / E, no mundo libertado e transparente, / os irmãos à mesma mesa vão sentar.

463 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Se meu irmão me estende a mão / e pede um pouco de meu pão, / eu não respondo ou digo "não", / errei de rumo e direção. / Nesta mesa de perdão, / o pão e o vinho elevarei / e, pensando em meu irmão, / o meu Senhor receberei. Quero ver no meu irmão a imagem dele, / meu irmão que até nem tem o necessário pra ter paz; / quero ser pro meu irmão a resposta dele, / eu que vivo mais feliz e, às vezes, tenho até demais. 2 – O Corpo e Sangue do Senhor, / o corpo e sangue de um irmão. / O mesmo Pai e o mesmo amor, / o mesmo rumo e direção. / Nesta mesa do Senhor, / sou responsável pela paz / de quem, no riso e na dor, / comigo vai buscar o Pai.

459 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
Meus irmãos, minhas irmãs! / O que eu posso ofertar? / Se tudo é de Deus / o que eu posso lhe dar? (2x) 1 – Vou ofertar o meu viver, meu coração, / o carinho dos amigos, / nosso amor feito canção! (bis) O pouco com Deus é muito. / O muito sem Deus é nada. (2x) / O pouco que repartimos / é fartura abençoada! (2x) 2 – Vou ofertar, neste vinho, neste pão, / o suor de nossas lutas, / nossa fé, nossa união! (bis)

464 (Tom: F) Letra: Pe. Cornélio B. Neto / Música: Pe. J. Ximenes
Coutinho

460 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Os grãos que formam a espiga / se unem pra serem pão. / Os homens que são Igreja / se unem pela oblação. Diante do altar, Senhor, / entendo minha vocação: / devo sacrificar / a vida por meu irmão. (bis) 2 – O grão caído na terra / só vive se vai morrer. / É dando que recebe, / morrendo se vai viver. 3 – O vinho e o pão ofertamos, / são nossas respostas de amor. / Pedimos humildemente: / “Aceita-nos, o’ Senhor”.

1 – Senhor, vos ofertamos, / em súplice oração, / o cálice com vinho, / e na patena o pão. (2x) 2 – O pão vai converter-se / na Carne de Jesus, / e o vinho será o Sangue, / que derramou na cruz. (2x) 3 – Senhor, vos damos tudo, / nosso pesar e gozo, / nossa alegria e dores, / trabalhos e repouso.(2x) 4 – Amigos e parentes, / os vivos e os defuntos, / em torno à vossa mesa, / estamos sempre juntos. (2x) 5 – A voz do sacerdote, / que é nossa voz, / vos dá a Hóstia viva, / que somos todos nós. (2x)

461 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Aceita, Senhor, nossos dons. / Aceita, Senhor, nosso pão. / Aceita, Senhor, nosso vinho. / Aceita, Senhor, nossa gente / sofrida, oprimida, esquecida. / Aceita esta dor que machuca demais. / Aceita também nossa fome de paz. / Aceita, Senhor, nossa fome de amor. / Aceita, Senhor, este humano calor / dos povos latinos que querem viver / sem fome e sem medo num mundo de paz, / na paz da justiça de homens iguais. Aceita, Senhor, nosso Deus, / os dons que, por certo, são teus! (bis) 2 – Aceita, Senhor, nossos dons. / Aceita, Senhor, nosso pão. / Aceita, Senhor, nosso vinho. / Aceita, Senhor, nossa gente / sofrida, oprimida, esquecida. / Aceita esta dor que machuca demais. / Aceita, também, / nossos povos, Senhor, / crianças e jovens sedentos de amor / e todos aqueles sem voz e sem vez, / com fome de paz e de amor e de pão, / que esperam os ventos da renovação, / à luz do que disse Jesus, nosso irmão.

465 (Tom: E) Letra e Música: Ir. Cecília Vaz Castilho
1 – Vou te oferecer a vida / e tudo que eu já sei viver: / tempo e trabalho, amor que eu espalho, / coisas que me fazem crer. 2 – Vou te oferecer o pranto, / aquilo que é meu sofrer. / Paz que ainda não sei e tudo que errei, / são coisas que me fazem crer. Pão e vinho são sinais do teu amor: / nele eu vou saber viver. / Alegria e dor eu vou te oferecer, / são coisas que me fazem crer. (2x)

466 (Tom: F) Letra: Maria de F. de Oliveira / Música: Frei Beraldo J.
Hanlon

1–

462 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Weber
Pão e vinho apresentamos com louvor / e pedimos o teu Reino! / Vem, Senhor! (bis) 1 – Pão e vinho repartidos entre irmãos / são o laço da unidade de teu povo. / Nossas vidas são também pequenos grãos / que contigo vão formar o homem novo. 2 – Eis aqui a nossa luta, dia a dia, / pra ganhar com o trabalho nosso pão. / Mas Tu és o alimento da alegria, / que dos pobres fortalece o coração.

2–

3–

4–

A ti, o’ Deus, celebra a criação / que aqui trazemos neste vinho e pão. (bis) Conversão, esperança de vida, / renovada na fé e no amor, / com os frutos colhidos da terra, / colocamos no altar do Senhor. O infinito dos céus e dos mares, / a beleza e perfume da flor, / a magia dos nossos luares, / a ti cantam, por nós, seu louvor. Tu ao homem confiaste o universo, / nós queremos cumprir a missão / de tornar nosso mundo fraterno, / preservando o que deste ao irmão. Por um mundo mais justo e habitável, / cada dia queremos lutar. / E o produto do nosso trabalho / em Pão vivo se vai transformar.

467 (Tom: G) Letra: Ir. Natalina Grande / Música: Marcos José M.
Machado

1–

2–

3–

4–

Suba a ti, o’ Deus Pai, como prece, / nossa oferta do vinho e do pão! / Se o teu Reino de amor acontece, / “Paz, Justiça se abraçarão!” Ofertamos a voz do teu povo, / que defende a vida e diz: não! / Ao sistema injusto que nega, / liberdade e vida ao irmão! Ofertamos a luta do pobre, / que espera seu pão conseguir. / No suor do seu rosto sofrido, / para um mundo mais justo surgir. Teus caminhos, Senhor, são justiça, / é de paz que Tu queres falar! / Partilhar nossos bens, sem cobiça, / é serviço e é forma de amar! Como Igreja, também, te ofertamos / o empenho intenso de quem, / em defesa do povo, trabalha, / dando o tempo e os talentos que tem.

2 – Com as mãos bem abertas, / trazendo as ofertas / do vinho e do pão, / surge o nosso dever / de tudo fazer / com mais doação. 3 – Alegrias da vida, / momentos de lida, / eu posso ofertar, / pois, nas mãos do Senhor, / um gesto de amor / não se perderá.

472 (Tom: G) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
Com o Pão e com o Vinho nossa oferta apresentamos, / nossa vida e missão, em tua Palavra renovamos. 1 – Ofertamos os nossos ouvidos e abrimos o nosso coração / pra acolhermos a tua Palavra e sentirmos a transformação. 2 – Ofertamos as nossas famílias, onde tua Palavra é luz. / Juventude, infância, velhice, todo aquele que abraça a Cruz. 3 – Ofertamos as lutas do povo, seus anseios, amor, doação. / Que a tua Palavra, Senhor, firme sempre a nossa união.

468 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
De nada vale a nossa oferta sobre o altar, / se o nosso coração não sabe unir nem perdoar. (2x) 1 – As nossas ofertas deixamos / no altar de onde brota o perdão. / É bom ser unidos com Deus, / mas nunca sem nossos irmãos. 2 – Felizes, Senhor, nós queremos / um pouco de nós ofertar. / Mas tua alegria maior / é ver-nos os dons partilhar. 3 – O pão e o vinho figuram / os frutos do nosso labor. / Aquilo que é um gesto pra ti, / é vida pra o irmão sofredor.

473 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Nesta mesa da irmandade / a nossa comunidade / se oferece a ti, Senhor. / Nosso sonho e nossa luta, / nossa fé, nossa conduta, / te entregamos com amor. Novo jeito de sermos Igreja / nós buscamos, Senhor, na tua mesa. (bis) 2 – Neste pão te oferecemos / os mutirões que fazemos / a partillha e a produção. / Neste vinho, a alegria / que floresce cada dia / dentro da nossa união. 3 – Nosso coração inteiro, / Deus humano e companheiro, / deixamos no teu altar. / Nosso canto e a memória / do martírio e da vitória / nós trazemos pra te dar.

469 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – É prova de amor, / junto à mesa, partilhar. / É sinal de humildade, / nossos dons apresentar. Acolhei as oferendas deste vinho e deste pão / e o nosso coração também! / Senhor, que vos doastes totalmente por amor, / fazei de nós o que convém! 2 – Quem vive para si, / empobrece seu viver. / Quem doar a própria vida, / vida nova há de colher. 3 – Oferta é bem servir / por amor ao nosso irmão. / É reunirse nesta mesa / e celebrar a redenção.

474 (Tom: Dm) Letra e Música: Zé Vicente
1 – As mesmas mãos / que plantaram a semente / aqui estão; / o mesmo pão / que a mulher preparou / aqui está; / o vinho novo / que da uva sangrou, jorrará / no nosso altar! A liberdade haverá, / a igualdade haverá / e nessa festa / onde a gente é irmão / o Deus da vida / se faz comunhão. (2x) 2 – Na flor do altar brilha o sonho / da paz mundial; / na luz acesa é a fé que palpita / hoje em nós; / do livro aberto, / o amor se derrama total / no nosso altar. 3 – Benditos sejam os frutos / da terra de Deus! / Bendito seja o trabalho / e a nossa união! / Bendito seja Jesus, / que conosco estará / além do altar.

470 (Tom: E) Letra e Música: Silvino A. Turco
1 – Ofertas singelas, pão e vinho, / sobre a mesa colocamos, / sinal do trabalho que fizemos / e aqui depositamos. É teu também nosso coração. / Aceita, Senhor, a nossa oferta, / que será depois na certa / o teu próprio ser. (2x) 2 – Recebe, Senhor, da natureza, / todo o fruto que colhemos. / Recebe o louvor de nossas obras / e o progresso que fizemos. 3 – Sabemos que tudo tem valor / depois que a terra visitaste. / Embora tivéssemos pecado, / foi bem mais o que pagaste.

475 (Tom: D) Letra: Pe. Virgílio / Música: Frei Fabreti
1 – És, Jesus, a oferta preferida / pelo Pai, do mundo redenção. / Junto vai contigo minha vida, / como Tu, me entrego pelo irmão. Ofertar ao Pai o vinho e o pão / é lembrar a morte do Senhor. / É entrar com ele em comunhão, / partilhar sua vida e seu amor. 2 – "Eis-me aqui!" ao Pai falaste um dia. / "De meu ser eu faço uma oblação". / Eu também, assim como querias, vou ficar unido à tua paixão.

471 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
Não se deve dizer: nada posso ofertar, / pois as mãos mais pobres / é que mais se abrem para tudo dar. (2x) 1 – O Senhor só deseja / que em nós tudo seja / constante servir. / Quando nada se tem, / só resta dizer: / “Senhor, eis-me aqui!”

476 (Tom: Dm) Letra: Pe. Pedro Brito Guimarães / Música: Frei
Fabreti

1 – Nos caminhos deste mundo onde andei, / a tristeza me cortou o coração: / ao ver homem contra homem, / ao ver vida contra vida, / desespero e solidão, / violência sem medida. Que poderei ao Senhor apresentar / além da oferta do vinho e do pão? / Em procissão, eu me achego ao teu altar / e te ofereço por inteiro o coração. 2 – Este encontro plenifica o meu viver, / e descubro qual a minha vocação: / sem reserva e sem temor, / trabalhar pela verdade, / espalhando pelo chão / as sementes da bondade. 3 – O meu nome está escrito no seu livro: / os meus dias e as minhas intenções. / Quando ando e quando paro / pelas costas, pela frente; / quando canto e quando falo, / teu olhar está presente.

nosso vinho e pão, / firmeza dos que aprendem / a força do perdão!

480 (Tom: Bb) Letra: Pe. Almir Gonçalves dos Reis / Música: Valtair
Francisco da Silva

1 – A mesa santa que preparamos, / mãos que se elevam a ti, o’ Senhor. / O pão e o vinho, frutos da terra, / duro trabalho, carinho e amor. / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x) 2 – Flores, espinhos, dor e alegria, / pais, mães e filhos diante do altar. / A nossa oferta em nova festa. / A nossa dor, vem, Senhor, transformar! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x) 3 – A vida nova, nova família / que celebramos, aqui tem lugar. / Tua bondade vem com fartura, / é só saber reunir, partilhar. / Ô,ô, ô, recebe, Senhor! (2x)

477

(Tom: D) Letra: Pe. Raimundo do Carmo Borges / Música:

481 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Muito obrigado, Senhor, / pelos bens da criação. / Vimos com amor ofertar / os dons partilhar, doar ao irmão. (2x) 1 – Senhor, aqui ofertamos / vidas sofridas que temos, / fadiga, tempo e trabalho, / graças de ti recebemos.(2x) 2 – Senhor, aqui ofertamos / vinho unido ao pão, / semente de esperança, / fruto de paz neste chão.(2x) 3 – Senhor, aqui ofertamos / nosso clamor de justiça. / Queremos ser solidários, / livres de toda a cobiça (2x)

Martins Antonello

1 – Ofertar nossa vida queremos / como gesto de amor, doação. / Procuramos criar mundo novo, / trazer para o povo a libertação. De braços erguidos, a Deus ofertamos / aquilo que somos e tudo o que amamos. / Os dons que nós temos compartilharemos, / aqueles que sofrem, sorrir os faremos. 2 – A injustiça que fere e que mata / tanto homem, criança e mulher / faz o jovem viver sem sentido: / frustrado, perdido, distante da fé. 3 – Como o pão e vinho se tornam / Corpo e Sangue de Cristo Jesus, / transformemos a realidade / pra ser, de verdade, Esperança e Luz! 4 – Juventude, milhões pelo mundo / tanto anseio de libertação! / Gente nova, sem cercas e muros, / constrói seu futuro, liberta o irmão. 5 – Na família, primeira escola, / aprendemos a lei do amor. / Nos estudos, uma habilidade, / com seriedade, buscamos, Senhor.

482 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Em nossos dons de pão e vinho, / apresentamos nossa missão. / Eis a resposta viva da fé, / eis nosso gesto de gratidão. A Vós, o’ Deus da vida, / o nosso sincero louvor. / Que nosso viver missionário / transforme este mundo no amor. 2 – Tudo o que somos e fazemos / em vossas mãos queremos trazer. / Vós nos criastes para servir, / disponde, o’ Pai, de nosso viver.

478 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1 – O pão amassado, / a uva pisada, / eis a oblação! / Pastores sofridos, / o pobre esquecido, / e o povo sem pão. Quero ser fiel a Deus / respondendo à vocação. / Quero ser junto do povo / o irmão entre os irmãos. (bis) 2 – O tempo, a idade, / o bem, a verdade, / a paz e o perdão; / vigor, esperança, / amor, confiança, / jamais faltarão. 3 – A dor, a alegria, / a vida vazia / de tantos irmãos / cansados, vencidos, / também oprimidos, / ofertas serão.

483 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Zezinho
Trabalhar o pão, celebrar o pão, / oferecer e consagrar / e comungar o pão. (bis) 1 – Fruto do suor e do trabalho, / sacrifício que Jesus pediu, / pão da liberdade e da justiça, / pão da vida, pão do céu: / te ofertamos porque tudo é teu. 2 – Fruto da esperança e da partilha, / santa missa que nos faz irmãos, / pão da liberdade e da justiça, / pão da vida, pão do céu: / pão bendito de libertação!

479 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – O’ Pai, que pelo Espírito / dás vida e santidade / a toda criatura, / recebe, que te agrade, / a oferta que trazemos: / o nosso vinho e pão, / esforço que fizemos e dom de tua mão. Transforma a nossa oferta / no dom do Filho teu, / e os passos do teu povo / em luz que se acendeu. 2 – O’ Pai, que pelo Espírito, / em rios de água viva, / transformas nossa sede, / recebe sem esquiva / a oferta que trazemos: / o nosso vinho e pão, / sinais do compromisso: / plantar um mundo irmão! 3 – O’ Pai, que pelo Espírito / nos fazes renascer / e tudo nos ensinas, / recebe com prazer / a oferta que trazemos: / o

484 (Tom: D) Letra e Música: Flávio Wozniack
1 – Aos doze que estavam contigo disseste, Senhor: / “Ide, anunciai”. / E o Reino de Deus semeando partiram, / sem medo de a vida entregar. Trazemos, Senhor, pão e vinho: / são frutos do nosso trabalho. / Lembramos também os profetas, / na messe do Reino, operários. (bis) 2 – E hoje nós somos chamados / a ser os sinais de que o Reino chegou: / erguendo o irmão oprimido / que, à margem da vida, sem vida ficou.

485 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

1 – Enfrentei o dia inteiro, / trabalhando a plantação, / semeando e cultivando: / meu suor merece o pão. Terra boa, chuva e sol. / Cresce a uva, cresce o trigo! / No suor do pão e vinho, / meu Senhor, eu te bendigo! 2 – O trabalho é cansativo, / tem lugar pra muita gente. / Meio-dia, às três, às cinco, / chegam outros, de repente. 3 – Fim do dia, o pagamento: / recebendo o combinado; / vão os últimos primeiro, / eu serei recompensado. 4 – Mas recebo igual a todos! / E reclamo: “Não é justo!” / “Se eu te dei trabalho e pão, / me responde: qual teu custo?”

490 (Tom: G) CEEPP Cristo
1 – Meu coração é para ti, Senhor. (3x) / Meu coração é para ti. Porque Tu me deste a vida, porque Tu me deste o existir. / Porque Tu me deste o carinho, me deste o amor! (bis) 2 – Pão e vinho são para ti, Senhor.(3x) / Pão e vinho são para ti. 3 – A minha vida é para ti, Senhor.(3x) / A minha vida é para ti. 4 – Meu servir é para ti, Senhor. (3x) Meu servir é para ti.

486 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Recebei, o’ Deus de amor, os dons de vinho e pão; / com eles entregamos o nosso coração. Pai Santo, recebei a nossa gratidão! / Fazei-nos à imagem do vosso coração! 2 – Neste gesto de oferenda, / trazemos sobre as mãos a vida e o trabalho de todos os irmãos. 3 – As oferendas que vos damos, por Cristo, nosso irmão, / se tornem para todos sinal de salvação.

491 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1– Ofertar pra meu povo é dar a vida, / a vida inteira oferecida! (bis) Homem e mulher, mãos a trabalhar, / terra a produzir, frutos partilhar, / da videira o vinho e do trigo o pão, / recebei, Senhor, nossa oblação! De quem zela a casa e costura a roupa, / lava, passa e ainda tempera a sopa, / cuida da limpeza e ornamentação, / recebei, Senhor, nossa oblação! De quem ergue o muro e levanta a casa / e constrói a ponte e aplaina a estrada, / de toda oficina e toda invenção, / recebei, Senhor, nossa oblação! Dos sem-terra a luta e dos favelados, / de quem une o bairro e dos sindicatos, / do povo oprimido a juntar as mãos, / recebei, Senhor, nossa oblação. Dos que no hospital cuidam do doente, / na repartição dão ouvido à gente, / dos irmãos garis a dedicação, / recebei, Senhor, nossa oblação! Das indústrias tudo o que se produz, / os serviços, água, transporte e luz, / dos artistas todos, dos artesãos, / recebei, Senhor, nossa oblação! Nossa vida inteira, aos irmãos servir, / nossa militância, o nosso porvir, / com Jesus unidos em sua Paixão, / recebei, Senhor, nossa oblação!

2–

487 (Tom: F) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Pe. José F.
Campos

3–

1– 2– 3– 4–

O terceiro milênio te ofertamos, / Senhor, com os frutos da terra / e do nosso labor. (2x) Jesus com sua vinda / os tempos demarcou, / os séculos proclamam / seu nome e seu louvor! Ao Pai oferecemos / a marcha do seu povo, / que luta e faz história, / buscando um mundo novo. Seus erros, descaminhos, / angústias, desalento, / as flores e os espinhos, / vitórias, crescimento. O amor de dois milênios, / a uva, o trigo, o grão / se tornem pão da vida, / banquete de união.

4–

5–

6–

7–

488 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Recebe, Senhor, este pão, o trabalho das mãos dos que são filhos teus. / Recebe, Senhor, este vinho que tem o caminho do povo de Deus. São de ti, Senhor, nossos dons de amor! (bis) 2 – Recebe, Senhor, nossa vida pra ser acolhida na mesa do pão. / Recebe, Senhor, este povo, que sempre de novo te pede perdão. 3 – Recebe, Senhor, os romeiros, que são os primeiros na mesa do amor. / Com tua Mãe Aparecida, transformas em vida o pranto e a dor.

492 (Tom: D) Letra: Pe. Lauro Palú / Música: Pe. Ronoaldo Pelaquim
Vou levar a Deus no altar meus dons, / o bem que pratiquei e meus desejos bons! (bis) 1 – Sobre o altar oferecemos pão e vinho ao Senhor, / como o Cristo recebeu coisas simples do pastor. 2 – Os reis magos lhe trouxeram seus presentes de valor: / sendo igual o coração, vale o Rei, vale o Pastor.

493 (Tom: E) Letra e Música: Zé Martins
1 – O trigo nos dá o pão, a uva nos dá o vinho. / O Pai nos dá Jesus, companheiro no caminho. / Por isso agora vamos a Deus apresentar / estes dons da alegria, para tudo transformar. Aceita, meu Senhor, o que vimos ofertar. / É fruto do coração, o que trazemos para o altar. 2 – Os sonhos é que nos movem a fazer um mundo irmão. / E Jesus será a força neste vinho e neste pão. / O cansaço dessa luta, que trazemos neste altar, / manifesta a comunhão, que queremos realizar.

489 (Tom: Eb) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Pai Santo, na força deste rito, sejais sempre bendito pelo vinho e pão. / Da vossa bondade recebemos os dons que oferecemos para a salvação. Senhor, eterno Pai, os dons de vinho e pão / agora transformai em vida e salvação. (bis) 2 – Pai Santo, sejamos água pura, que ao vinho se mistura e vai se consagrar. / Por Cristo, a nossa humanidade da vossa divindade vai participar. 3 – Pai Santo, que o vosso amor compreenda que as nossas oferendas vêm do coração. / São frutos regados pelo orvalho, que a bênção do trabalho transformou em pão.

494 (Tom: G) Letra e Música: Roberto Lima de Souza
Num gesto de amor, / as nossas oferendas, / Senhor, apresentamos / na festa de Maria.

1 – Senhor do universo, / por tua bondade / o pão recebemos, / que o homem plantou. / E o trigo brotou. / Que ele se transforme / no pão que dá a vida / e traz a salvação. 2 – Senhor do universo, / por tua bondade / colhemos a uva / que o homem plantou. / E a vinha cresceu. / Que ela se transforme / no vinho mais puro / que traz a salvação.

499 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Quando tudo bem, em meio à festa / é muito fácil descuidar. / Um olhar, porém, se faz atento / e a mão de Deus não vai faltar. O’ Pai, vinho e pão: / nosso esforço, a natureza e teu vigor. / Pai, o teu Reino: / no teu Filho, dom do teu amor. 2 – Quando a dor nos vem, no desespero / é muito fácil não ver mais. / Um olhar, porém, se faz humilde / e nas migalhas vê sinais. 3 – Quando é só desdém, é muito fácil / de mil pedras lançar mão. / Um olhar, porém, se faz firmeza / e mostra a força do perdão.

495 (Tom: G) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – A nossa vida é como um barco velejante / em mar aberto, navegando à eternidade; / também Maria assim viveu a sua vida: / foi navegando rumo ao porto da Verdade. Lançamos rede pra ganhar nosso sustento, / é o pão e o vinho que estão sobre a santa mesa, / serão depois o pão divino, o vinho novo, / que partiremos logo mais na Santa Ceia. 2 – O nosso barco tem por guia a Mãe bendita, / e na confiança e no amor que ela encerra, / nós navegamos pra Jesus, "o sol radiante", / que, no horizonte, junto aos santos nos espera.

500 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Como vai ser? / Nossa festa não pode seguir: / tarde demais / pra buscar outro vinho e servir. Em meio a todo o sobressalto, é Maria quem sabe lembrar: / “Se o meu Filho está presente, nada pode faltar! (2x) 2 – Mas que fazer? / Se tem água, tem vinho também: / basta um sinal! / E em Caná quem provou: “tudo bem!” 3 – Como não crer? / A alegria da vida nos vem / quando os irmãos / põem à mesa seus dons e o que têm.

496 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O’Mãe, por intermédio do teu nome, / queremos nossos dons oferecer. / O povo não tem pão e passa fome, / espera a nossa oferta acontecer. Maria, medianeira divinal, / se pedes teu Jesus atenderá. / Repete o teu apelo maternal, / assim como nas bodas de Caná! 2 – O’Mãe, por teu materno sentimento, / queremos nossos dons oferecer. / O povo não tem vinho está sedento, / espera a nossa oferta acontecer. 3 – Pedido de um materno coração, / o filho certamente escutará. / Jesus, por tua santa intercessão, / em vida nossos dons transformará.

501 (Tom: Em) Letra: Pe. José M. S. de Cueto / Música: Lindberg
Pires

497 (Tom: F) Letra: Ir. Maria Domitila / Música: Waldeci Farias
1 – Mãe, o povo teu a palmilhar longo caminho, / traz o que colheu para ofertar no pão, no vinho! / Mãe, em tuas mãos vêm colocar os filhos teus os seus dons a Deus! Por nós, pede ao Senhor receber o nosso amor! / E faze, o’ Mãe, de nós um mesmo dom com o teu Jesus! 2 – Mãe, leva ao Senhor o pranto, a dor, / as alegrias, com o nosso amor, todo o labor de nossos dias! / Mãe, tu que no templo ofereceste o teu Jesus, nossos dons conduz! De nós, pequenos grãos, vem fazer um mesmo pão! / Perdidos em Jesus, ao Pai serão grata oblação!

Que alegria, que esperança, / aguardar Jesus que vem! / Renovemos nossas vidas, / confirmemos nossa fé. 1 – Junto ao pão e junto ao vinho colocamos / a promessa de vivermos como irmãos. / Sobre a ara do altar depositamos / o aperto fraternal de nossas mãos. 2 – Aceita, o’ Senhor, nesse momento, / nossa vida transformada em oblação, / como aceitas, o’ Senhor, o alimento / que o fermento, levedando, torna pão.

502 (Tom: C) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Frei Joel
Postma

1– 2– 3– 4–

498 (Tom: Em) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Em Caná, o teu amor, Maria, / preparou a festa da alegria. / Ajuda-nos aqui esta mesa preparar! Pão e vinho ao Pai / nós vamos ofertar; / depois o Pai nos dará Jesus, / feito pão sobre este altar! 2 – É no lar, na escola, em toda parte, / que este pão se faz e se reparte: / se amo e faço o bem, / tenho mais pra oferecer. 3 – Vem, o’ Mãe, prepara a nossa oferta: / por tuas mãos será comida certa. / E assim cantamos nós / todo o amor que Deus nos tem.

A nossa oferta apresentamos no altar / e te pedimos vem, Senhor, nos libertar! A chuva molhou a terra, / o homem plantou um grão, / a planta deu flor e frutos, / do trigo se fez o pão. O homem plantou videiras, / cercou-as com seu carinho. / Da vinha brotou a uva, / da uva se fez o vinho. Os frutos de nossa terra / e as lutas dos filhos teus / serão pela tua graça. / Pão vivo que vem dos céus. Recebe, Pai, nossas vidas, / unidas ao pão e vinho: / e vem conduzir teu povo, / guiando-o em teu caminho.

503 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
Senhor, aceita o nosso vinho e o nosso pão, / que eles mereçam teu amor e salvação. (bis) 1 – Pai Eterno as oferendas do teu povo: / sua vida colocada em tuas mãos! / Que por elas venha ao mundo um tempo novo, / onde todos sejam vistos como irmãos. 2 – Tu serás o bom Pastor à nossa frente, / dando rumo à caminhada dos irmãos. / Que teu Reino seja verdadeiramente / de justiça, de verdade e salvação.

504 (Tom: C) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria T. Kolling
1 – Quando nasceste, trouxeram ouro, perfume e sedas, pra te servir. / E os pobrezinhos, vestindo couro, vieram só verte, ver-te e sorrir! (2x) 2 – Hoje trazemos o pão e o vinho, pomos a mesa santo altar. / Se a gruta ensina qual é o caminho, o altar revela que a lei é amar! (2x) 3 – O mundo salvas tão docemente: numa família a de São José! / Possa esta mesa fazer da gente irmãos unidos, no amor e fé. (2x)

3 – Por meio deste pão e deste vinho, / que nós te oferecemos com prazer, / tenhamos claridade no caminho, / o Espírito nos faça renascer. (2x)

509 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Aceita, Senhor, a minha oferta, / fruto do suor de cada dia! / Eu tudo recebi de tuas santas mãos: / devolvo com amor e alegria! Toma, o’ Senhor, / alegria e dor: / nelas, toda gratidão! / Junto com meu ser, / vou te oferecer / vida e trabalho, em oração! 2 – Aceita, Senhor, o meu serviço: / parte eu me sinto da tua Igreja! / Sem nunca me omitir, / eu quero te servir / na comunhão-partilha e compromisso! 3 – Maria, Mãe nossa e de Jesus, / dá-nos força e fidelidade / pra os bens compartilhar / e outros ajudar / a construir, na fé, comunidade!

505 (Tom: F) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Em procissão vão o pão e o vinho / acompanhados de nossa devoção, / pois simbolizam aquilo que ofertamos: / nossa vida e o nosso coração. Ao celebrar nossa Páscoa / e ao vos trazer nossa oferta, / fazei de nós, o’ Deus de amor, / imitadores do Redentor! 2 – A nossa Igreja, que é Mãe, deseja / que a consciência do gesto de ofertar / se atualize durante toda a vida, / como o Cristo se imola sobre o altar. 3 – Eucaristia é sacrifício, / aquele mesmo que Cristo ofereceu. / O mundo e o homem serão reconduzidos / para a Nova Aliança com seu Deus. 4 – O pão e o vinho serão em breve / o Corpo e o Sangue do Cristo salvador. / Tal alimento nos une num só Corpo, / para a glória de Deus e seu louvor.

510 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Mª do Carmo S. Ramos
Lá, laiá, lá, laiá, lará, laiá. 1 – Quando o trigo amadurece / e do sol recebe a cor, / quando a uva se torna prece / na oferta do nosso amor. / Damos graças pela vida / derramada neste chão, / pois és Tu o Deus da vida, / quem dá vida à criação. (2x) 2 – Os presentes da natureza, / o amor do coração, / o teu povo canta a certeza, / traz a vida em procissão. / Abençoa nossa vida, / o trabalho redentor, / as colheitas repartidas / para celebrar o amor.(2x)

506 (Tom: F) Letra e Música: Waldeci Farias
1 – Vendo Jesus aparecer / e com eles vir comer, / explicando a Paixão, / todos entendem que o Senhor / está vivo e por amor / os envia em missão. Ressuscitado, o Cristo apareceu; / com seus amigos fez a refeição; / e, dando a paz, mandou anunciar / o amor de seu Pai em toda nação. 2 – Hoje também, na refeição, / revivemos a Paixão / e a vitória da Cruz. / Vinho e pão sobre o altar / servirão para anunciar: / "Deus nos salva em Jesus".

511 (Tom: D) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: André Jamil Zamur
1 – Espírito Criador! / Com o Pai fazeis fecundo / o solo imenso do mundo, / pra nos dar trigo e flor. / Bendito sois, noite e dia, / por tão grande doação, / fonte sem fim de alegria, / são matérias pro nosso pão. 2 – Espírito Criador! / Foi dom de vossa bondade / encher-nos de habilidade, / pro trabalho, Senhor. / Com o Pai Vós sois bendito, / porque dais à nossa mão, / com poder que é quase infinito, / continuar a Criação. 3 – Espírito Criador! / Bendito sempre sejais / por tudo isso; e bem mais, / pelo imenso dom do Amor. / Pela força no terreno, / pelo dom de fazer pão, / por esse impulso sereno / pra nos pôr em comunhão.

507 (Tom: C) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: André
Jamil Zamur

As nossas ofertas de vinho e de pão / celebram a glória da Ressurreição. (2x) 1 – O grão que morrera no seio do chão / renasce no trigo, tornando-se pão. / A uva amassada, pisada, moída / ressurge no vinho, sustento da vida. 2 – O pão e o vinho são hoje memória / do novo Cordeiro, na sua vitória. / Sinais da aliança da terra e dos céus, / no Corpo e no Sangue do Filho de Deus. 3 – Ao Pai ofertamos também nossa vida, / o chão que pisamos, a relva florida. / Os frutos da terra, por nós cultivados, / se tornem o Corpo do Ressuscitado.

512 (Tom: Bb) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Daqui, do meu lugar, / eu olho teu altar. / E fico a imaginar aquele pão, / aquela refeição. / Partiste aquele pão / e o deste aos teus irmãos. / Criaste a religião do pão do céu, / do pão que vem do céu. Somos a Igreja do Pão, / do pão repartido, / e do abraço, e da paz. (2x) 2 – Daqui, do meu lugar, / eu olho teu altar. / E fico a imaginar aquela paz, / aquela comunhão. / Viveste aquela paz / e a deste aos teus irmãos. / Criaste a religião do pão da paz, / da paz que vem do céu. Somos a Igreja da paz, / da paz partilhada, / e do abraço, e do pão. (2x)

508 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O’ Pai, que, pelo Espírito Divino, / dás vida e santidade à criatura, / recebe nosso dom, que é pequenino, / mas feito com esforço e com ternura. (2x) 2 – São frutos do trabalho e do serviço / os dons do nosso vinho e nosso pão. / Que sejam um sinal de compromisso / de sempre partilharmos com o irmão. (2x)

513 (Tom: A) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Todo o verde das matas, / te ofertamos, Senhor. / Todo o perfume das flores, / te ofertamos, Senhor. / O canto da

passarada, / te ofertamos, Senhor. / Nossos sonhos, nossas dores, harmonia e cores / são pra ti, Senhor! (2x) Toma, Senhor, nossa vida, nosso lar, nossa família, / nossa uva, nosso trigo, celebremos a partilha! (bis) 2 – Nossas mãos cheias de calo, / te ofertamos, Senhor. / O suor que cai do rosto, / te ofertamos, Senhor. / Ferramentas e roçados, / te ofertamos, Senhor. / A chuva que molha a gente, o chão e a semente / são pra ti, Senhor! (2x)

2 – Cremos que a riqueza desta vida se completa no se dar. / Dons de Deus em nós, distribuídos, devem-se multiplicar. 3 – Forças do Senhor que tudo pode, nós queremos receber. / Lutas, novos passos, mesmo as quedas, fazem parte do viver.

519 (Tom: D) Letra: Aurea Candida Sigrist e Música: Pe. Antônio
Haddad

514 (Tom: E) Letra: Ir. Maria de Fátima Ávila / Música: Lindberg
Pires

Aceita, o’ Pai, a nossa oferta, / transforma tudo o que te damos. / Por Jesus Cristo te pedimos, / pois é com Ele que contamos. 1 – Ofertamos ao Senhor a nossa luta / para um mundo mais fraterno construir; / começando o trabalho em nossa casa, / na família, pra depois se difundir. 2 – Ofertamos ao Senhor, com alegria, / nossa vida em sacrifício e oblação; / por famílias e povos que não sabem / o que é ser fraterno, ser cristão.

Ofertamos ao Senhor um mundo novo: / o futuro do seu povo. (bis) 1 – Ofertamos o homem que chora, / não vendo a aurora do mundo em mudança. / E ofertamos a esperança / dos que descobrem a ressurreição. 2 – Ofertamos o homem que espera / por nova era de vida em plenitude. / E o que não tem quem ajude / a trocar morte por ressurreição. 3 – Ofertamos a meta e a procura, / a luta dura entre o "velho" e o "novo": / A noite escura do povo / e a madrugada de ressurreição.

520 (Tom: E) Letra e Música: Zé Vicente
1– Quem disse que não somos nada, / que não temos nada para oferecer; / repare as nossas mãos abertas / trazendo as ofertas do nosso viver. (2x) A fé do homem nordestino, / que busca um destino e um pedaço de chão. / A luta do povo oprimido, / que abre caminho e transforma a nação. / Ô, ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x) Retalhos de nossa história, / bonitas vitórias que meu povo tem. / Palmares, Caldeirão, Canudos, / são lutas de ontem, de hoje também. / Ô, ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x) Aqui trazemos a semente, / sangue dessa gente que fecunda o chão. / Do gringo e tantos lavradores, / santo e operários em libertação. / Ô, ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x) Coragem de quem dá a vida / seja oferecida neste vinho e pão. / É força que destrói a morte / e muda nossa sorte: é ressurreição! / Ô, ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x)

515 (Tom: G) Letra: João de Araújo / Música: Frei Luiz Turra
1 – Deixa aqui tua oferta sobre o altar, / vai primeiro abraçar o teu irmão. / E depois poderás apresentar / ao teu Deus o louvor de teu perdão. Somos, Senhor, o teu povo, / hóstias também neste altar. / Vidas que agora se alegram / de sempre mais perdoar. 2 – Oferendas sem paz não têm valor, / sem amor tu não podes ter a paz. / Se, porém, sepultares teu rancor, / meu perdão redentor também terás. 3 – Abre, pois, ao irmão teu coração, / busca aqui o teu Deus sempre imitar; / mãos abertas na cruz tu vês então, / para sempre acolher e perdoar.

2–

3–

4–

516 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Com alegria, ofereço o meu sacrifício / e vou cantando e louvando o Senhor. 1 – És nossa força, és nossa vida / e, por isso, queremos louvar-te, / ao teu nome elevar nossas mãos. 2 – Feliz o povo que te procura / caminhando à luz do teu rosto / e buscando a Verdade, o Amor.

521 (Tom: Em) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci
Farias

517 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
No teu altar, Senhor, / coloco a minha vida em oração. 1 – A alegria de te amar e ser amado, / quero em tuas mãos depositar. 2 – O desejo de ser bom e generoso / faz-me viver com mais amor. 3 – Os amigos que me deste e que são teus, / tudo entrego a ti, Senhor.

Os cristãos tinham tudo em comum, / dividiam seus bens com alegria. / Deus espera que os dons de cada um / se repartam com amor no dia-a-dia. (2x) 1 – Deus criou este mundo para todos, / quem tem mais é chamado a repartir / com os outros o pão, a instrução / e o progresso: fazer o irmão sorrir. 2 – Mas, acima de alguém que tem riquezas, / está o homem que cresce em seu valor, / e, liberto, caminha para Deus, / repartindo com todos o amor. 3 – No desejo de sempre repartirmos / nossos bens, elevemos nossa voz. / Ao trazer pão e vinho para o altar / em que Deus vai se dar a todos nós.

522 (Tom: Am) Letra e Música: Frei Fabreti 518 (Tom: C) D.R.
1 – Vidas, alegrias e esperanças se misturam neste altar. / Sonhos, luzes, planos e caminhos nos envolvem sem parar. Ao Senhor da vida, que nos deu a paz, / no seu imenso amor nos fez crescer. / Hoje agradecemos entoando a voz: muito obrigado, Senhor, nosso Deus! 1 – Numa terra distante daqui, / um povo buscava sua libertação. / Este povo era um povo de escravos / já sem esperança no seu coração. / Deste povo surgiu um profeta, / de sua vida ao Senhor fez oferta. / Ao ouvir a Palavra de Deus, que é amor, / o seu povo libertou. (2x)

2 – Mas aqui, neste chão, nossa terra, / um povo sofrido eleva suas mãos. / Fala alto, o Senhor por suas vozes / que clamam justiça e libertação. / Este povo também tem profeta, / de sua vida ao Senhor faz oferta: / escutando a Palavra de Deus lhe chamar, / quer seu povo libertar. (2x)

523 (Tom: E) Letra e Música: Lindberg Pires
Sabes, Senhor, / o que temos é tão pouco pra dar. / Mas este pouco nós queremos / com os irmãos compartilhar. 1 – Queremos nesta hora, / diante dos irmãos, / comprometer a vida, / buscando a união. 2 – Sabemos que é difícil / os bens compartilhar, / mas com a tua graça, / Senhor, queremos dar. 3 – Olhando o teu exemplo, / Senhor, vamos seguir, / fazendo o bem a todos, / sem nada exigir.

oferecer / meus passos e meu viver, / meus caminhos, meu sofrer. A tua ternura, Senhor, vem me abraçar / e a tua bondade infinita, me perdoar. / Vou ser o teu seguidor / e te dar o meu coração. / Eu quero sentir o calor de tuas mãos. 2 – A ti, meu Deus, que és bom e que tens amor, / ao pobre e ao sofredor, / vou servir e esperar. / Em ti, Senhor, humildes se alegrarão, / cantando a nova canção de esperança e de paz.

528 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Cada vez que eu venho para te falar, / na verdade eu venho para te escutar. / Fala-me da Vida, preciso te escutar! / Fala da Verdade que vai me libertar! (2x) 2 – Cada vez que eu venho para oferecer, / na verdade eu venho para receber. / Dá-me o pão da Vida, que vai me alimentar! / Dá-me a água viva, que vai me saciar! (2x)

524 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Eu te ofereço o meu viver, / o meu agir, meu pensamento. / A minha força, minha fraqueza, / eu fui chamado para a doação. Neste ofertório, renovarei / o meu desejo de servir. / Mesmo sabendo que nada sou, / eis-me, Senhor, aqui estou! 2 – Quem me seguir terá que sofrer, / tomar a cruz e ser pregado. / A cruz sem ti, quem vai suportar? / Porém contigo não é nada. 3 – Minha alegria é ser presença, / é ser sinal de esperança. / Farei da vida a oblação, / que tu fizeste ao Pai de todos nós.

529 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Um coração para amar, / pra perdoar e sentir, / para chorar e sorrir, / ao me criar Tu me deste. / Um coração pra sonhar, / inquieto e sempre a bater, / ansioso por entender / as coisas que Tu disseste. Eis o que eu venho te dar, / eis o que eu ponho no altar. / Toma, Senhor, que ele é teu, / meu coração não é meu. (bis) 2 – Quero que o meu coração / seja tão cheio de paz, / que não se sinta capaz / de sentir ódio ou rancor. / Quero que a minha oração / possa me amadurecer, / leve-me a compreender / as conseqüências do amor.

525 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Toda semente é um anseio de frutificar, / e todo fruto é uma forma de a gente se dar. Põe a semente na terra, / não será em vão. / Não te preocupe a colheita, / plantas para o irmão. (bis) 2 – Toda palavra é um anseio de comunicar, / e toda fala é uma forma de a gente se dar. 3 – Todo tijolo é um anseio de edificar, / e toda obra é uma forma de a gente se dar. 4 – Todo poema é um anseio de se expressar, / e todo canto é uma forma de a gente se dar.

530 (Tom: Cm) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Nem a vida, nem a morte / vão nos separar de Deus. / Mais que a vida, mais que a morte, / é o eterno amor de Deus! 1 – É feliz quem ao céu já foi chamado: / sua vida está nas mãos do Pai! 2 – Nós, também, peregrinos neste mundo, / caminhamos alegres para Deus! 3 – Fica firme. Sê forte. Tem coragem! / Tu verás a bondade do Senhor!

526 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente
Com as mãos abertas, estou / trazendo as ofertas, Senhor! (bis) 1 – Trazendo nas mãos os calos da enxada, / vida marcada de lavrador. / Os frutos e o canto quase lamento / neste momento te entrego, Senhor. 2 – Oferta pequena de pouco salário, / luta de operário trazemos também. / Todo sacrifício das mãos que suaram / e este pão assaram para o nosso bem. 3 – Tudo é teu, Senhor, nós somos teu povo, / neste gesto novo, vamos celebrar / nosso compromisso, nossa esperança, / na eterna aliança pra nos libertar.

531 (Tom: D) Letra: Dom Carlos Alberto Navarro / Música: Waldeci
Farias

1 – Muito alegre, eu te pedi o que era meu. / Partir! / um sonho tão normal. / Dissipei meus bens, / o coração também. / No fim, meu mundo era irreal. Confiei no teu amor e voltei. / Sim, aqui é meu lugar! / Eu gastei teus bens, o’ Pai, e te dou / este pranto em minhas mãos. 2 – Mil amigos conheci, / disseram adeus: / caiu a solidão em mim. / Um patrão cruel levou-me a refletir: / "Meu pai não trata um servo assim!" 3 – Nem deixaste-me falar da ingratidão: / morreu, no abraço, o mal que eu fiz. / Festa, roupa nova, o anel, sandália aos pés: / voltei à vida, sou feliz!

527 (Tom: F) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – A ti, meu Deus, elevo o meu coração, / elevo as minhas mãos, / meu olhar, minha voz. / A ti, meu Deus, eu quero

532 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling

Os olhos jamais contemplaram, / ninguém sabe explicar / o que Deus tem preparado / àquele que em vida o amar. 1 – As lutas, a dor e o sofrer, / Tão próprios à vida do ser; / Ninguém poderá comparar / Com a glória sem fim do céu. 2 – Foi Cristo quem nos mereceu / Com a morte, a vida e o céu; / E ainda se entrega por nós, / Como oferta constante ao Pai.

537 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – As sementes que me deste e que não eram pra guardar, / pus no chão da minha vida, quis fazer frutificar. Dos meus dons que recebi pelo Espírito do amor, / trago os frutos que colhi e em tua mesa quero pôr. (bis) 2 – Pelos campos deste mundo quero sempre semear / os talentos que me deste para eu mesmo cultivar. 3 – Quanto mais eu for plantando, mais terei para colher. / Quanto mais eu for colhendo, mais terei a oferecer.

533 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. José Weber
1 – De muitos grãos dispersos nos trigais de nossas várzeas, / foi feito este pão que uniu aqueles grãos. Assim reúne a tua Igreja dos confins de toda a terra em teu Reino imortal. / Glória e louvor seja a ti, o’ Senhor, / por todo o sempre sem fim, sem cessar! 2 – De muitos bagos de uva, dispersos nas colinas, / foi feito este vinho que os uniu entre si. 3 – Recorda-te, o’ Pai, da tua Igreja santa: / que seja sempre unida, que cresça em caridade, reúne, pois, a tua Igreja.

538 (Tom: C) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Quando esse tudo era nada, / só três Pessoas havia / numa comunicação de amor, / em total e perfeita harmonia. / Uma doou-se na Criação, / a outra doou-se na Encarnação / e a terceira se doa / e trabalha na Igreja / por nossa santificação. Nossa oferta na Trindade Santa / de nossas vidas, talentos e bens, / apresentemos pra que as consagrem / Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. / Nossa oferta na Trindade Santa / de nossas vidas, talentos e bens, / ofereçamos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. 2 – Temos que ser solidários, / saber nossos bens partilhar, / tal qual o Amor trinitário, / que se doa no comunicar. / O Pai doou-se no Filho, / o Filho se deu a nós por amor / e ao Espírito Santo no Pai e no Filho, / prestemos o nosso louvor.

534 (Tom: Bm) D.R.
Dá-nos um coração, grande para amar! / Dá-nos um coração, forte para lutar. 1 – Homens novos criadores da história, / construtores da nova humanidade. / Homens novos que vivem a existência, / com risco de um novo caminhar. 2 – Homens novos lutando com esperança, / caminhantes sedentos de verdade. / Homens novos sem freios nem cadeias, / homens livres que exigem liberdade. 3 – Homens novos amando sem fronteiras, / superando a raça e a nação. / Homens novos ao lado dos mais pobres, / partilhando com eles teto e pão.

539 (Tom: G) Letra e Música: José Raimundo Brandão
1 – Somos do campo, da terra e do roçado, / do escritório, da fazenda, / da indústria e da cidade. / Comerciários, estudantes, lavradores, / pacientes e doutores, / empresários e outros mais. Aqui viemos nossa vida partilhar, / os dons que recebemos ofertamos no altar, / pois, quando menos nos deram / alegria e felicidade, / foi quando não os colocamos / a serviço da comunidade. (2x) 2 – Religiosos, catequistas e pedreiros, / taxistas, caminhoneiros, / gente disposta a lutar; / subempregados, engraxates, vendedores, / esportistas, professores, / somos da empresa e do lar. 3 – Advogados, dentistas, encanadores, / diaristas, servidores, artistas e liberais; / eletricistas, pedreiros e camelôs, / desempregados, cantores, / somos mães, filhos e pais.

535 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Quem se propõe cultivar o chão, / preparar o pão, e assim repartir, / pode contar com a mão de Deus, / que sustenta os seus e sabe cumprir. Grande é o Senhor! / Todo o universo, a terra, o sol nos deu, / nos esperava quando amanheceu! / Só nos pediu amor! / Santo é o Senhor! / Vem e oferece mesmo o Filho seu / pra nos dizer que nunca se esqueceu / de nos doar seu amor! 2 – Quem se fechar, esquecendo o irmão, / lhe negando o pão, e assim persistir, / vai se entender com a mão de Deus, / que sustenta os seus e sabe cumprir. 3 – Quem se fizer contra essa opressão, / que destrói o irmão, e assim resistir, / vai revelar qual a mão de Deus, / que sustenta os seus e sabe cumprir!

540 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Tu és, Senhor, a Riqueza do meu coração! / Tu és, Senhor, o Sentido da minha missão! E eu sou, Senhor, em tuas mãos,/ inteira entrega, oblação! 2 – Tu és, Senhor, o Tesouro que faz meu viver! / Tu és, Senhor, a Alegria que tece o meu ser! 3 – Tu és, Senhor, o Rochedo que firma meus pés! / Tu és, Senhor, o meu Tudo, por seres Quem és! 4 – Tu és, Senhor, o Lugar deste meu caminhar! / Tu és, Senhor, Coração pelo qual quero amar!

536 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Não tinha nada pra te oferecer. / Não tinha nada que eu pudesse pôr no teu altar. / Eu só pensava nos pecados que eu já fiz. / Eu só pensava nos irmãos aos quais não fiz felizes. / Então eu me lembrei, então eu me lembrei. Mais do que o ouro, mais que prata, / mais que qualquer dom, / o que tu queres é meu coração. (bis) 2 – De mãos abertas e em procissão, / eu te ofereço o fruto do trabalho dos irmãos. / Eis minhas mãos, eu sou trabalhador. / Trago nas mãos este sinal, sinal do meu amor. / Enquanto eu trabalhei, foi isso o que pensei.

541 (Tom: A) Letra e Música: Márcio Gomes Camacho

1 – As coisas que o mundo oferecia, / me impediam de te encontrar. / De ver que a vida é só em ti, / mas Tu vieste e tocaste / bem no fundo do meu coração, / me ensinaste a te amar. O’ Jesus, recebe então a minha vida, / recebe as coisas que de ti me afastam, / pois só em ti quero viver. 2 – Agora que o meu coração é teu, / quero sempre te louvar, / tua vida transbordar. / Para que mais gente experimente / teu amor nos transformando, / tua mão a nos tocar.

pobre espera, / o pé no caminho faz revolução. / Um povo de fé na história, / Judite e Rute buscando este chão.

546 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Tanto que esperou pudesse um dia / chegar bem perto, dizendo tudo! / Se não conseguiu como queria, / o seu silêncio não ficou mudo. Ela muito amou, tem a minha paz, / vai seguir caminho sem temor. / Sabe quem Eu sou e será capaz / de espalhar na terra o meu amor. 2 – Ela ultrapassou toda medida, / não lhe bastando meros preceitos. / Lágrimas, perfume - que acolhida! / Nem se importando com preconceitos. 3 – Se ninguém ousou dizer bem claro / o que pensava daquele gesto, / Ele revelou como era raro / esse carinho tão manifesto. 4 – Ele é sempre mais que um convidado, / se põe à mesa nutrindo a vida; / olha os corações e põe de lado / toda aparência, cura a ferida.

542 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Casimiro Irala
Nesta prece, Senhor, venho te oferecer o crepitar da chama, a certeza de dar. 1 – Eu te ofereço o sol que brilha forte, / te ofereço a dor do meu irmão, / a fé na esperança / e o meu amor! 2 – Eu te ofereço as mãos que estão abertas, / o cansaço do passo mantido, / meu grito mais forte de louvor! 3 – Eu te ofereço o que vi de belo / no interior dos corações: / a coragem de me transformar!

543 (Tom: G) Letra: Pe. Almir G. Reis / Música: Simei P. do Amaral
1 – Nossos sonhos, clamores, / todo o nosso viver. / Nosso rumo de dores / sem trabalho... por quê? / A esperança que resta / de quem crê com vigor / na certeza da festa / do encontro e do amor. Ô, ô, ô, recebe, Senhor! (2x) 2 – Neste chão de fartura / falta o pão pra comer. / Quanta gente insegura / sem trabalho... por quê? / Mesmo assim, Deus da vida, / bendizemos teu nome, / pelo pão que convida / a matar toda fome. 3 – Já o trigo floresce, / novo tempo se vê. / Nosso grito se aquece: / sem trabalho... por quê? / Nossa lida e vontade, / nossa luta e labor pela fraternidade / te ofertamos, Senhor.

547 (Tom: Am) Letra: João de Araújo / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

1 – “Do céu vai descer o Cordeiro”, / é dom, puro dom, salvação! / No altar do penhor verdadeiro, / também vamos ser oblação. Eis, Senhor, a tua vinha, / frutos mil te traz, Senhor! / Mas teu povo que caminha, / mais que fruto, é dom de amor! 2 – Na terra já brota a esperança / e a graça de Deus vem dizer / que o povo da Nova Aliança / também oferenda vai ser. 3 – Irmãos na fé viva, exultantes, / partilham o pão sempre mais. / E campos jamais verdejantes / também já se tornam trigais!

544 (Tom: E) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Sobe a Jerusalém, Virgem oferente sem igual; / vai, apresenta ao Pai teu Menino: / Luz que chegou no Natal. / E, junto à sua cruz, / quando Deus morrer, fica de pé. / Sim, Ele te salvou, mas o ofereceste por nós com toda fé. 2 – Nós vamos renovar este sacrifício de Jesus: / Morte e Ressurreição; vida que brotou de sua oferta na cruz. / Mãe, vem nos ensinar a fazer da vida uma oblação: / culto agradável a Deus é fazer a oferta do próprio coração.

548 (Tom: Em) Letra e Música: Frei Fabreti
Desde a manhã preparo uma oferenda, (2x) / e fico, Senhor, à espera do teu sinal. (2x) 1 – Que poderei retribuir ao meu Senhor, / por tudo o que Ele fez e faz em meu favor? (bis) 2 – Elevo o cálice da minha salvação / clamando sem cessar o nome do Senhor. (bis) 3 – Por isso oferto um sacrifício de louvor, / pois Ele me livrou da grande escravidão. (bis)

545 (Tom: F) D.R.
1 – O sonho de tantas Marias, / viemos aqui ofertar. / O pranto de todas mulheres, / viemos aqui ofertar. / A luta de todos os dias, / o leite da vida, a esperança nas mãos. / Profeta da nova história, / mulher companheira da libertação. As mulheres latinas: índias, negras, / Marias, Conceição, Margarida, oferendas de amor. / Operárias sofridas, lavradoras, / mulheres, pão e vinho na mesa, paz e ressurreição. 2 – O sangue caído na terra, / viemos aqui ofertar. / O grito da mulher do povo, / viemos aqui ofertar. / O canto, a dança ameríndia / da mulher latina que traz / comunhão. A justiça, o trabalho suado, / a fé partilhada, nosso mutirão. 3 – Mulheres deste continente, / viemos aqui ofertar. / Irmãs campesinas da gente, / viemos aqui ofertar. / A terra que o

549 (Tom: D) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música:
Weber

Pe. José

1– 2– 3– 4– 5–

Que poderemos ao Senhor apresentar, / quando seu Filho de presente Ele nos dá? O infinito do universo / e o sorriso das crianças, / nossas lutas e alegrias, / nossas dores e esperanças. Toda flor que desabrocha, / toda lágrima que cai, / o clamor dos pequeninos, / todo riso e todo ai. Nossos campos que florescem, / o suor de nossas mãos, / e o trabalho do operário, / que do trigo fez o pão. Nossas vinhas cultivadas, / e cuidadas com carinho, / o labor do vinhateiro, / que da uva fez o vinho. Pão e vinho vão tornar-se / Corpo e Sangue do Senhor. / Nossa vida também seja / transformada em seu amor.

550 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Simplicidade é mensagem de Natal. / Deus é criança, nunca vimos coisa igual. 1 – Mãos encontram mãos, e no calor da união se faz Natal. / Jesus da manjedoura 'stá presente no altar da doação. 2 – Nesta oferenda colocamos nossa vida tão pequena; / mas Deus se fez pequeno, o Infinito veio a nós, ser nosso irmão. 1– 2– 3– 4– 5–

551 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Longe, distante de casa, / o Menino nasceu: / dor e alegria tão juntas, / nosso Deus conheceu! 1 – Então chegaram pastores / trazendo suor do trabalho, / simples na pobreza, / num sorriso o mais nobre agasalho! 2 – Então os sábios partiram: / humilde, insistente procura! / Longe dos palácios, / manjedoura foi berço e ternura! 3 – E nós também acorremos, / quem pode esquecer o Menino? / Quis morar conosco, / desvelou-nos o nosso destino!

Eu creio num mundo novo, / pois Cristo ressuscitou! / Eu vejo sua luz no povo, / por isso alegre estou! Em toda pequena oferta, / na força da união, / no pobre que se liberta, / eu vejo ressurreição! Na mão que foi estendida, / no dom da libertação, / nascendo uma nova vida, / eu vejo ressurreição! Nas flores oferecidas / e quando se dá o perdão, / nas dores compadecidas, / eu vejo ressurreição! Nos homens que estão unidos / com outros partindo o pão, / nos fracos fortalecidos, / eu vejo ressurreição. Na fé dos que estão sofrendo, / no riso do meu irmão, / na hora em que está morrendo, / eu vejo ressurreição!

556 (Tom: Fm) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Bendito sejas, o’ Rei da Glória, / Ressuscitado, Senhor da Igreja! / Aqui trazemos as nossas ofertas. Vê com bons olhos nossas humildes ofertas; / tudo o que temos seja pra ti, o’ Senhor! 2 – Vidas se encontram no altar de Deus. / Gente se doa: dom que se imola. / Aqui trazemos as nossas ofertas. 3 – Maior motivo de oferenda, / pois o Senhor ressuscitou / para que todos tivéssemos vida. 4 – Irmãos da terra, irmãos do céu, / juntos cantemos glória ao Senhor. / Aqui trazemos as nossas ofertas.

552 (Tom: G) Letra: Manoel Trogo / Música: Lima Pasce
1 – Uma noite, no Oriente, / uma estrela apareceu, / anunciando a toda gente / a mensagem lá do céu. Meu Jesus, Jesus menino, / para o nosso bem nasceu. / Trouxe paz, trouxe alegria, / quanto amor ofereceu! 2 – Ao surgir da luz radiosa, / que no alto fulgurou, / nessa hora tão formosa, / Deus o mundo iluminou. 3 – Tangem sinos nas igrejas, / há nos lábios orações, / sobem preces benfazejas, / com fervor dos corações.

Santo
557 (Tom: G) Letra e Música: Frei Beraldo
Santo, Santo, Santo é o Senhor, / todos nós sabemos e queremos proclamar. (bis) 1 – Santo é o Senhor em toda parte. / O Senhor é Santo! 2 – Viva o Senhor nas alturas. / O Senhor é Santo!

553 (Tom: C) Letra: João de Araújo / Música: André Jamil Zamur
1 – No templo santo, a te ofertar / um dom sublime, o’ Deus de amor. / Teu Filho infante, a nos salvar / da vida escrava, Libertador! Natal! Festa de harmonia: / O amor veio nos libertar. / E Deus, na feliz liturgia, / nos faz também dons neste altar! (2x) 2 – Repica o sino lá, em Belém, / e gente simples vem adorar. / É o Deus menino, salvar-nos vem, / do mal, da morte, vem nos livrar. 3 – Mãe oferente, Mãe tão feliz, / que tudo guarda no coração. / Assim, por todos o céu bendiz / e dá seu Filho em oblação.

558 (Tom: D) Música: Frei Joel Postma
Santo, Santo, Santo é o Senhor / Deus do Universo! / Céus e terras estão cheios da vossa glória. / Hosana nas alturas! / Bendito Aquele que vem em nome do Senhor! / Hosana nas alturas!

554 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Olhando a Sagrada Família, / Jesus, Maria e José, / saibamos fazer a partilha / dos gestos de amor e de fé. (bis) 1 – Maria, Mãe santa e esposa exemplar, / José, pai zeloso voltado a seu lar. / Jesus, Filho amado em missão de salvar, / caminhos distintos, num só caminhar. 2 – Maria do sim e do amor-doação, / José, operário a serviço do pão; / Jesus ocupado com sua missão: / três vidas distintas, num só coração. 3 – Se todas as mães em Maria se acharem, / se todos os pais em José se espelharem, / se todos os filhos em Cristo se olharem, / serão mais família, quanto mais se amarem.

559 (Tom: F) Letra e Música: David Julien
O Senhor é Santo! (3x) 1 – O Senhor é nosso Deus, / o Senhor é nosso Pai. / Que seu Reino de Amor / se estenda sobre a terra. 2 – Bendito o que vem em nome do Senhor! / Bendito o que vem em nome do Senhor! / Hosana! Hosana! Hosana!

560 (Tom: C) Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Santo, Santo, Santo, / sois Vós, Senhor, nosso Deus.

555 (Tom: Eb) Letra e Música: Pe. Geraldo Pennock

1 – O Céu e a terra proclamam, / proclamam a vossa glória. 2 – Bendito o que vem, Bendito, / em nome do Senhor. 3 – Hosana, hosana, hosana, / hosana nas alturas!

566 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Do menor dos grãos de areia à maior estrela que há, / cante o Universo: Santo, Santo, Santo é o Senhor! 2 – Da menor das criaturas à maior das vidas que há, / cante o planeta Terra: Santo, Santo, Santo é o Senhor! Hosana e bendito e hosana, vivas ao Criador. / Hosana e bendito e hosana ao Filho dEle, nosso Senhor! (2x) / Santo! Santo! Santo!

561 (Tom: C) Música: Pe. José Cândido da Silva
Santo, Santo! / Santo é o Senhor! /Deus do Universo! / Santo é o Senhor! / O Céu e a Terra! / Santo é o Senhor! / Proclamam vossa glória! / Santo é o Senhor! / Bendito o que vem! / Santo é o Senhor! / Em nome do Senhor! / Santo é o Senhor! / Hosana nas alturas! / Santo é o Senhor! / Hosana nas alturas! / Santo é o Senhor!

567 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
Santo, Santo é meu Senhor, / Santo, Santo é o nosso Deus. / Céus e terra proclamam sua glória. / Bendito é o que vem em nome desse Deus. Hosana em toda a terra, (3x) / hosana lá nos céus. (2x)

562 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo, / o céu e a terra proclamam, proclamam a vossa glória: / o Santo, o Justo, o Verdadeiro Deus! Hosana, hosana, hosana nas alturas! (bis) 2 – Bendito o que vem em nome do Senhor! (2x) / o Santo, o Justo, o Verdadeiro Deus!

568 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Carlos Susin
1 – Deus é Santo, Deus é amor! Deus é Pai e Criador. / E nos deu Jesus por irmão: Louvado seja o Senhor! 2 – Céus e terra cantarão ao que vem nos acolher / no seu Reino de amor. / Hosana damos ao Senhor!

563 (Tom: E) Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Santo, Santo, Santo é o Senhor. / Santo, Santo, Santo é o Senhor, nosso Deus! 1 – Senhor Deus do Universo, os céus e a terra / proclamam vossa glória, hosana nas alturas! 2 – Bendito o que vem em nome do Senhor, / hosana nas alturas, hosana nas alturas!

569 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
Santo, três vezes Santo, mil vezes Santo, / Santo é o Senhor. (bis) Os céus e a terra proclamam / que Deus é poderoso, / que Deus é mil vezes Santo. Milhares de vozes proclamam, / num coro harmonioso, / que Deus é mil vezes Santo. E nós, reunidos aqui, / também proclamamos que Deus / é Santo, é Santo, é Santo. (2x) E Santo é / Aquele que vem (2x) / em nome do Pai. Jesus também é Santo. (3x)

564 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Santo, Santo, Santo / É o Senhor da luz / Santo, Santo é o Senhor Jesus. Numa canção sideral / De um Hosana total, / A criação se extasia. / E o céu e a terra também / Entoam o seu grande amém. / Bendito é Aquele que vem, Aquele que vem, Aquele que vem / Em nome da luz. / Bendito é Aquele que tem, / Aquele que tem, / Aquele que tem a paz: / Nosso Senhor Jesus.

570 (Tom: F) Letra e Música: Joel Eloi Franz
Santo é o Senhor Deus do Universo. (2x) Santo é o Senhor, Santo é o Senhor, / hosana nas alturas! O céu e a terra proclamam vossa glória! (2x) Santo é o Senhor! Santo é o Senhor, hosana nas alturas. Bendito o que vem em nome do Senhor! (2x) Santo é o Senhor, / Santo é o Senhor, / hosana nas alturas!

565 (Tom: C) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
Santo, Santo é o Senhor! / Terra e céus cantam em seu louvor. / Santo, proclamam suas criaturas: / Hosana, hosana, hosana nas alturas! / Hosana cantemos, hosana louvemos / com filial ternura! / Bendito é o que vem / em nome do Criador. / Bendito é o que traz a paz / em plenitude do amor! Hosana!

571 (Tom: A) Letra e Música: Paulinho Ribeiro
Santo, Santo é Santo, Santo é / Deus do Universo, o’ Senhor Javé. (2x) O céu e a terra o proclamam glorioso. / Hosana, hosana nas alturas! / Bendito o que vem em nome do Senhor! / Hosana, hosana nas alturas! / Hosana, hosana ao Rei! (2x)

572 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo! / Céus e terra cantam seu imenso amor. Hosana, hosana, hosana nas alturas! 2 – E bendito seja Cristo salvador, / que em seu nome veio ser o Redentor.

1 – Santo, Santo, Santo é o Deus da vida. / Santo, Santo, Santo é o Senhor. / É o Deus da vida quem convida / Todos ao banquete do amor. 2 – Santo, Santo, Santo canta o povo / E este canto novo tem amor. / Mil milhões de vezes Deus é Santo. / Santo, Santo, Santo é o Senhor. Céus e terra cantam sua glória, / céus e terra cantam seu louvor. / No céu se canta um grande amém / e nós aqui na terra, também. (2x) / Bendito é Aquele que veio, / é Aquele que vem! (2x) / Em nome de Deus Ele vem. (2x)/ Santo também é Jesus. (3x)

578 (Tom: C) Música: Adenor João Terra
Santo! Santo! Santo! Santo! / Senhor Deus do Universo! (bis) 1 – Céus e terra / proclamam vossa glória. / Hosana nas alturas! 2 – Bendito o que vem / em nome do Senhor. / Hosana nas alturas!

573 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhor Deus do Universo, Santo, Santo é vosso nome! / Nós proclamamos vossa glória! Hosana, hosana, nas alturas! / Hosana a Deus três vezes Santo! 2 – E bendito seja Aquele que em seu nome veio ao mundo, / que em seu nome veio ao mundo!

579 (Tom: F) Letra e Música: Antonieta (BA)
Santo! Santo é o Senhor! / Santo é o Deus de amor! (bis) 1 – Cantai ao nosso Deus: Santo é o Senhor! / Vida nova Ele nos deu: Santo é o Senhor! / Salvação nos prometeu: Santo é o Senhor! / Seu olhar para nós voltou: Santo é o Senhor! 2 – Céus e terra a cantar: Bendito é o Senhor! / Vamos todos proclamar: Bendito é o Senhor! / Hosana, hosana, hosana! Bendito é o Senhor! / Hosana, hosana, hosana! Bendito é o Senhor!

574 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Santo, Santo, Santo, / Santo é o Senhor! / Céus e terra cantam seu imenso amor. Hosana, hosana, hosana, / hosana nas alturas! (bis) 2 – E bendito seja Cristo salvador, / que em seu nome veio ser o Redentor.

575 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Santo, Santo, Santo é o Senhor. (bis) Nosso Deus e nosso Criador. (bis) Céus e terra cantam seu louvor. (bis) Hosana ao nosso Deus libertador. (bis) Bendito o que vem em nome do Senhor. (bis) Hosana, hosana ao nosso Salvador. (bis)

580 (Tom: A) Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo! / O céu e a terra cantam, o’ Deus, a vossa glória! Hosana, hosana, hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana, hosana, hosana nas alturas!

576 (Tom: D) Música: André Jamil Zamur
1 – Santo, Santo, Santo, / Senhor Deus do Universo! / O céu e a terra proclamam / vossa glória, o’ Senhor! Hosana, hosana, hosana! / Hosana nas alturas! / Hosana, hosana, hosana! / Hosanas ao Senhor! 2 – Bendito Aquele que vem / em nome do Senhor!

581 (Tom: E) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Nosso Deus Senhor é Santo, Santo, Santo! / Do universo Criador, Santo, Santo! / Céus e terra alegres cantam Santo, Santo! / E nós cantamos seu louvor, Santo é o Senhor! 2 – Lá no céu e aqui na terra: Hosana, hosana! / Bendito seja o Senhor! Hosana, hosana! / Nosso Rei e nosso Deus! Hosana, hosana! / A Ele glória e louvor! Hosana ao Senhor! Bendito é Aquele que vem! Hosana! Amém! (2x) Amém!

577 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho

582 (Tom: Em) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. Geraldo Leite
Bastos

1 – Santo, Santo, Santo é o Senhor! (bis) O’ Deus do universo, Deus nosso Criador! (bis) 2 – No céu, na terra brilha o esplendor. (bis) Da tua imensa glória, o’ Deus, nosso Senhor! (bis) 3 – Bendito seja Aquele que vem! (bis) Aquele que vem vindo em nome do Senhor! (bis) 4 – Hosana, hosana, hosana ao Salvador! (bis) Oh! vem nos socorrer no teu imenso amor! (bis) Oh! vem nos libertar no teu imenso amor! (bis)

1 – O povo canta o seu louvor! / O Senhor é Santo! / Na terra plantou o seu amor! / O Senhor é Santo! 2 – É o Pai de Isaac e Abraão! / O Senhor é Santo! / É Deus nossa libertação! / O Senhor é Santo! 3 – Espírito que dá respiração! / O Senhor é Santo! / O Cristo, que é nosso irmão! / O Senhor é Santo! 4 – Hosana, hosana ao Criador! / O Senhor é Santo! / Bendito o que vem em seu amor! / O Senhor é Santo!

Abraço da Paz
589 (Tom: D) D.R.
Eu vou abraçar o meu irmão, vou lhe dar o meu sorriso, / eu vou lhe dar a mão. / Eu voulhe mostrar que o sorriso / faz parte de um paraíso onde reina a união. 1 – Espero que não se feche comigo, / pois eu sou o seu amigo / e lhe peço a sua mão. / A paz esteja sempre contigo. / É Cristo agora comigo / que faz esta saudação. 2 – Amigo, se eu já o ofendi, / eu lhe peço por clemência / que me dê o seu perdão. / E você que, um dia, me ofendeu, / como eu já lhe perdoei, / eu não guardo mágoa, não.

583 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Santo, Santo, Santo, / Senhor Deus da nossa história! / Céus e terra cantam, / celebrando sua glória! Hosana, hosana, hosana e louvor! / Hosana, hosana! Ao Pai, o nosso amor! 2 – E bendito seja / Jesus Cristo salvador, / que em seu nome veio / ser o nosso Salvador.

584 (Tom: F) Música: Frei José Luiz Prim
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo! / O céu e a terra proclamam a vossa glória. / Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! / Hosana, hosana nas alturas!

590 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Élio Athayde 585 (Tom: E) Letra e Música: Odilo Heissler
Santo, Santo, Santo, Santo é o Senhor! / Ao Deus três vezes Santo, glória e louvor. / Hosana, hosana, hosana nas alturas! (2x) / Bendito é Aquele que vem em nome do Senhor! / Hosana, hosana, hosana nas alturas! Paz, paz de Cristo, / paz, paz que vem do amor / lhe desejo, irmão. / Paz, que é felicidade de ver em você Cristo, nosso irmão. 1 – Se algum dia na vida, / você de mim precisar, / saiba: eu sou seu amigo, / pode comigo contar. / O mundo dá muitas voltas! / A gente vai se encontrar! / Quero nas voltas da vida / a sua mão apertar.

586 (Tom: Gm) Letra e Música: Gustavo Balbinot
Santo, Santo, Santo, Santo é o Senhor! / A Ele toda glória, a Ele o louvor! 1 – Bendito o que vem em nome do Senhor! / Hosana nas alturas! Hosana ao Senhor!

591 (Tom: Am) D.R.
Eu quero ver este mundo amando, amando mais. / Eu quero ver alegria e todos cantando a Paz. Paz! Paz! 1 – Pra que eu viver brigando / por coisas que são banais? / É tanto tempo perdido e vai-se embora a paz. / A gente fica mais velho, ranzinza e de mau humor / nem lembra que tem por dentro a riqueza do amor. 2 – Pra que eu reter comigo o que posso repartir? / Se, dando, ganho um amigo e faço alguém sorrir. / Da vida nada se leva, somente o quanto

587 (Tom: Bb) Música: Ornelina da Silva Oliveira
1 – Santo, Santo, Santo! / Senhor Deus do Universo, / o céu e a terra proclamam, / proclamam a vossa glória. Hosana, hosana, hosana nas alturas! (bis) 2 – Bendito o que vem em nome do Senhor! (bis)

588 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Lúcia Silva
Santo, é Santo, o Senhor é Santo. (bis)

se amou. / No meu coração só fica, só fica aquilo que dou. 3 – Pra que aplicar dinheiro em armas que vão matar? / É bem mais inteligente a vida tentar salvar. / A mãe que gerou um filho, jamais quer vê-lo morrer. / Vamos acabar com a guerra e ajudar alguém a viver.

egoísmo / e de todo o mal. / Shalom, Shalom, Shalom!

597 (Tom: E) D.R.
Que viva a paz, viva a esperança, / viva o amor! (4x) Que viva Cristo. / Que viva, que viva Cristo. / Que viva, que viva Cristo, / que vive em nós. (bis)

592 (Tom: Dm) D.R.
Bênção sobre bênção, bênção sobre bênção, / vivendo cada dia no Senhor. (bis) 1 – Irmão você também é uma bênção para mim. / Que seria da minha vida sem você? / Aperte a minha mão, sinta meu coração bater. / Eu te amo porque vejo Cristo em ti.

598 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Jonas Abib
Aperta a minha mão, irmão, / quero te dar a paz do meu Senhor. / Me dá um abraço forte, / bem mais forte do que forte, / num gesto de amor. A paz do Senhor, quero te dar, meu irmão, / com toda a alegria que existe no meu coração. (bis)

593 (Tom: G) Letra e Música: Pedro de Almeida
Quero te dar a paz do meu Senhor, com muito amor! (bis) 1 – Na flor vejo manifestar o poder da criação. Nos seus olhos eu vejo estar o sorriso de um irmão. Toda vez que te abraço e aperto sua mão. / Sinto forte o poder do amor dentro do meu coração. 3 – Deus é Pai e nos protege; Cristo é Filho e Salvação. / Santo Espírito consolador. / Na Trindade somos irmãos. Toda vez...

599 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Paz, paz, paz, eu te desejo a paz e a luz. (2x) / Não do jeito do mundo, / mas do jeito de Jesus. (2x) Paz, paz, paz, eu te desejo a paz. / Luz, luz, luz, eu te desejo a luz (2x) / do jeito de Jesus.

600 (Tom: F) Letra e Música: Geraldo Carlos da Silva
Eu te saúdo, meu irmão, / eu te abraço e aperto a mão / porque Jesus, no meio de nós, / veio trazer a sua paz. (2x) Shalom, Shalom, Shalom, Shalom, Shalom, meu irmão! Que a paz de Jesus Cristo / venha ao teu coração. (2x) Shalom!

594 (Tom: A) Letra e Música: Agostinho B. Soares
Esteja sempre com você / a Paz do Senhor Jesus! (3x) Esteja sempre com você, meu irmão, / a Paz do Senhor Jesus!

595 (Tom: A) Letra e Música: Zé Vicente
É bonita demais, é bonita demais / a mão de quem conduz a bandeira da paz. (bis) 1 – É a paz verdadeira que vem da justiça, irmão. / É a paz da esperança que nasce de dentro do coração! (bis) 2 – É a paz da verdade, da pura irmandade do amor. / Paz da comunidade que busca igualdade, ô, ô, ô! (bis) 3 – Paz é a graça e presente na vida da gente de fé. / Paz do onipotente Deus da nossa frente, Javé! (bis)

601 (Tom: F) Letra e Música: Juliana Colli
Que a paz esteja contigo! / A paz de Deus, meu irmão! / E juntos flores plantemos / nos jardins dos corações! / Que a paz de Deus venha agora / e nos cubra de harmonia; / então, faremos deste mundo / um céu de alegria!

602 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
A paz esteja contigo, / a paz esteja comigo, / a paz esteja com ele / com ela e com todos os irmãos. (bis) Como Jesus pediu, / como Jesus orou, / como Jesus nos ensinou. Paz, paz, paz / na nossa Igreja, / paz na terra, / em toda parte e assim seja. (2x) Paz pra você que tem Jesus no coração, / paz pra você que é meu amigo e meu irmão. (2x)

596 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Zezinho
Que a paz do Senhor Jesus / em meio à nossa prece / se torne bem real. / Que a paz do Senhor Jesus, / que o mundo não conhece, / nos livre do

603 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Jonas Abib
Irmão, minha paz eu te dou, / irmão, minha paz é de amor. (bis) 1 – Que a paz esteja contigo / na rua, na escola, onde for. / Que o Cristo, irmão e amigo, / esteja contigo no amor.

1 – Num mundo tão perturbado / que o próprio homem criou, / é difícil de a gente viver, / sem a paz que Jesus deixou. 2 – Jesus Cristo ressuscitado / nos deixou esta lição: / de saudarmos uns aos outros / com a paz no coração.

609 (Tom: Em) Letra e Música: Anders Ruuth
1 – A paz do Senhor, a paz do Senhor, / a paz do Ressuscitado. / A paz do Senhor a ti e a mim, / a todos alcançará. (2x) 2 – A paz do Senhor, a paz do Senhor, / a paz do Ressuscitado. / Se faz presente agora e aqui. / Apressa-te a recebê-la. (2x) 3 – A paz do Senhor, a paz do Senhor, / a paz do Ressuscitado. / Não pode viver trancada em ti. / Dispõe-te a compartilhá-la. (2x)

604 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
Deus nos abençoe, Deus nos dê a paz! / A paz que só o amor é que nos traz. (2x) 1 – A paz na nossa vida, no nosso coração / e a bênção para toda a criação! (bis) 2 – A paz na nossa casa, nas ruas, no país / e a bênção da justiça que Deus quis! (bis) 3 – A paz pra quem viaja, a paz pra quem ficou / e a bênção do conforto a quem chorou! (bis) 4 – A paz entre as igrejas e nas religiões / e a bênção da irmandade entre as nações! (bis) 5 – A paz pra toda a terra e a terra ao lavrador / e a bênção da fartura e do louvor! (bis)

Cordeiro de Deus
610 (Tom: E) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O’ Cordeiro, que tirais todo o pecado deste mundo, / tende piedade de nós todos. / Cordeiro por nós imolado, / tende piedade de nós todos. 2 – O’ Cordeiro, que tirais todo o pecado deste mundo, / tende piedade de nós todos. / Cordeiro por nós imolado, / tende piedade de nós todos. 3 – O’ Cordeiro, que tirais todo o pecado deste mundo, / dai-nos a paz, a vossa paz. / Cordeiro por nós imolado, / dai-nos a paz, a vossa paz.

605 (Tom: Em) Letra e Música: Eliomar Ribeiro
Um abraço de paz, / um abraço de irmão, / um abraço que vá / alegrar seu coração. (bis) 1 – Paz pra você, paz para nós, / paz para o mundo. / Onde há dor, melancolia, / nós vamos cantar a paz! (bis)

606 (Tom: Em) Letra: Maria e Dulce / Música: Irmãos Toledo
1 – A paz de Cristo, meu irmão, / a paz de Cristo, minha irmã, / a paz de Deus esteja em nós, / ao saudar-nos em alta voz. A paz vem de Deus, a paz vem do amor, / a paz vem da paz, que reina entre nós. (bis)

611 (Tom: Em) Música: Pe. José C. da Silva
1 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. Tende piedade, (3x) piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. Tende piedade, (3x) piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. Dai-nos a paz, (2x) / dai-nos a paz, Senhor, a vossa paz!

607 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
Paz na terra, paz no céu, / paz na ONU, / paz aqui, no meu país. (bis) 1 – Paz aqui, paz no céu, paz em cada coração. / Paz aqui, paz no céu, todo o mundo é meu irmão. 2 – Glória ao Pai criador, glória ao Filho redentor. / Glória Deus, Deus de amor, Santo e Santificador.

612 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – O’ Cordeiro de Deus! (3x) / Morrestes por causa de nós, / fostes imolado no nosso lugar, / por isso tende piedade, / tende piedade, / piedade de nós. (2x) 2 – O’ Cordeiro de Deus! (3x) / Morrestes por causa de nós / fostes imolado no nosso lugar, / por

608 (Tom: D) Letra e Música: Adelar Z. Bongiovani
É paz no meu coração. / É paz no seu coração. / É a paz que vem do céu, / não é a deste mundo, não. (bis)

isso tende piedade, / tende piedade, / piedade de nós. (2x) 3 – E dai-nos a paz, (3x) / Cordeiro de Deus!

618 (Tom: F) Música: Frei Fabreti
1 – Cordeiro de Deus, que mundo, Tende piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, que mundo, Tende piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, que mundo, Dai-nos a paz, dai-nos a paz! tirais o pecado do

613 (Tom: G) Música: José Acácio Santana
1 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. Tende piedade, (2x) tende piedade de nós, Senhor! (bis) 2 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. Tende piedade, (2x) tende piedade de nós, Senhor! (bis) 3 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. Dai-nos a paz, (2x) dai-nos a graça da vossa paz! (bis)

tirais o pecado do

tirais o pecado do paz, Senhor, a vossa

619 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade, tende piedade, tende piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade, tende piedade, tende piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / dai-nos a paz, dai-nos a paz, dai-nos a paz, Senhor, a vossa paz!

614 (Tom: G) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
Cordeiro de Deus, Cordeiro de Deus, / só Tu é que tiras o pecado do mundo. Cordeiro de Deus, Cordeiro de Deus, / piedade do mundo, piedade de nós! Escuta a nossa súplica, escuta a nossa voz! Cordeiro, Cordeiro de Deus, / dá-nos a paz, tua paz, a paz! (2x)

620 (Tom: G) Música: Pe. Ney Brasil Pereira
1 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / dai-nos a paz!

615 (Tom: C) Música: André Jamil Zamur
1 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, Tende piedade de nós, piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, Tende piedade de nós, piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, Dai-nos a paz, vossa paz, / vossa paz, o’ Senhor! / Vossa paz, o’ Senhor!

621 (Tom: G) Música: Pe. Zezinho
1 – Cordeiro de Deus, (3x) / que tirais o pecado do mundo. 2 – Tende piedade de nós. / Tende, tende piedade, tende piedade de nós! (2x) 3 – Cordeiro de Deus, (3x) / que tirais o pecado do mundo. / Dai-nos a paz, dai-nos a paz, / dai-nos a paz, dai-nos a paz.

616 (Tom: Dm) Música: Pe. Zezinho
Cordeiro de Deus, (3x) / Tu, que tiras o nosso pecado, / tem piedade de nós, piedade de nós, piedade de nós / e dá-nos a paz.

622 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Cordeiro de Deus, / que levaste os pecados do mundo nos ombros, / tem piedade de nós. 2 – Cordeiro de Deus, / que morreste por causa dos nossos pecados, / tem piedade de nós. / Tem piedade de nós, Cordeiro de Deus! (2x) 3 – Dá-nos a paz, dá-nos a paz, que o mundo não tem! / Tem piedade de nós, Cordeiro de Deus! / Tem piedade de nós, Cordeiro de Deus! / Dános a paz, dá-noss a paz! Amém! / Dá-noss a paz! Amém!

617 (Tom: G) Música: Frei Fabreti
1 – Cordeiro de Deus, (2x) que tirais o pecado do mundo, (2x) / tende piedade de nós! (2x) 2 – Cordeiro de Deus, (2x) que tirais o pecado do mundo, (2x) / tende piedade de nós! (2x) 3 – Cordeiro de Deus, (2x) que tirais o pecado do mundo,(2x) / dai a todos vossa paz! (2x)

623 (Tom: Am) D.R.
1 – Cordeiro, Cordeiro, Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. / Tende, tende, tende piedade de nós! 2 – Cordeiro, Cordeiro, Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. / Tende, tende, tende piedade de nós! 3 – Cordeiro, Cordeiro, Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. / Dai-nos, dai-nos, dai-nos a paz!

624 (Tom: Ab) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Cordeiro de Deus, Cordeiro do Pai, o mal do pecado do mundo tirai. / Tende piedade, tende piedade, tende piedade de nós! (2x) 2 – Cordeiro de Deus, Cordeiro do Pai, o mal do pecado do mundo tirai. / Tende piedade, tende piedade, tende piedade de nós! (2x) 3 – Cordeiro de Deus, Cordeiro do Pai, a paz duradoura no mundo implantai. / Dai-nos a paz, dai-nos a paz, dai-nos a vossa paz! (2x)

1 – Jesus Cristo, Cordeiro do Pai, / conheceis os nossos pecados. / Humildes, nós vos suplicamos: / tende piedade de nós! Tende piedade, / tende piedade de nós! (bis) 2 – Jesus Cristo, Cordeiro do Pai, / conheceis nossa situação. / Humildes, nós vos suplicamos: / tende piedade de nós! Tende piedade, / tende piedade de nós! (bis) 3 – Jesus Cristo, Cordeiro do Pai, / que tirais o pecado do mundo. / Humildes, nós vos suplicamos: / dai-nos a vossa paz! Dai-nos, dai-nos, / dai-nos a vossa paz! (bis)

629 (Tom: G) Música: Francisco Miguel Sobrinho
1 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, / dai-nos a vossa paz, dai-nos a vossa paz, / dai-nos a vossa paz!

625 (Tom: F) Letra: Pe. Lauro Palú / Música: Pe. Ronoaldo Pelaquim
Cordeiro de Deus, / Cristo, nosso irmão, / Cristo, bom Pastor, de todos tenha compaixão. (bis) 1 – Nosso coração traiu / quando a vida mais pesou. / Nós pedimos seu perdão / pelo amor que não bastou. 2 – Quantas vezes ofender, / tantas vezes voltará. / Nosso pobre coração, / seu amor perdoará.

Canto da Comunhão
630 (Tom: F) Letra e Música: Frei Fabreti
Feliz o homem que ama o Senhor / e segue seus mandamentos. / O seu coração é repleto de amor, / Deus mesmo é seu alimento. 1 – Feliz o que anda na lei do Senhor / e segue o caminho que Deus lhe indicou: / terá recompensa no Reino do céu / porque muito amou. 2 – Feliz quem se alegra em servir o irmão, / seguindo os preceitos que Deus lhe ensinou: / verá maravilhas de Deus, o Senhor, / porque muito amou. 3 – Feliz quem confia na força do bem, / seguindo os caminhos da paz e o perdão: / será acolhido nos braços do Pai / porque muito amou. 4 – Feliz quem dá graças de bom coração / e estende sua mão ao sem-voz e sem-vez: / terá no banquete um lugar para si / porque muito amou.

626 (Tom: E) Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Cordeiro de Deus, / que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós, / piedade de nós! Cordeiro de Deus, / que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! Cordeiro de Deus, / que tirais o pecado do mundo, / dai-nos a paz, / dai-nos a paz!

627 (Tom: Gm) Música: Frei José Luiz Prim
1 – Cordeiro de Deus, / que tirais mundo, / tende piedade de nós! 2 – Cordeiro de Deus, / que tirais mundo, / tende piedade de nós! 3 – Cordeiro de Deus, / que tirais mundo, / dai-nos a paz, dai-nos a paz! o pecado do o pecado do o pecado do paz, dai-nos a

631 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Nahilson Pereira
Araújo

628 (Tom: C) Letra e Música: Zé Martins

1 – Vem, minha irmã, me ensinar a vencer / a tentativa do mais fácil caminho: / ou de poder e de glória fartar-me, / vem me mostrar que tal sonho é mesquinho. 2 – Vem, meu irmão, transformar meu viver, / vem me ajudar a cortar tanta trama: / graça e beleza

não podem manter-me / de mãos atadas, que a vida reclama. Somos convivas da terra de todos, homens, mulheres, pra que divisão? / Só na união a imagem de Deus / vai-se mostrar na partilha do pão. 3 – Vem, minha irmã, me ajudar a encontrar / água mais pura, que venha e me lave / dos preconceitos que impedem teus braços / de se somarem na luta que é grave. 4 – Vem, meu irmão, vem meus olhos abrir: / não sou menor, nem escrava, nem peça; / tenho meu jeito de ser diferente, / vamos cumprir o que à vida interessa! 5 – Minhas irmãs, meus irmãos, vinde todos, / vamos ouvir os reclamos da vida, / vamos romper as algemas da morte! / Fraternidade, a mais nova medida!

1 – Bem-vindos à mesa do Pai, onde o Filho se faz fraternal refeição. / É Cristo a forte comida, o Pão que dá vida com amor-comunhão. Vinde, o’ irmãos, adorar, / vinde adorar o Senhor. / A Eucaristia nos faz Igreja, / comunidade de amor. (bis) 2 – Partimos o único pão, no altar refeição, oh, mistério de amor! / Nós somos sinais de unidade na fé, na verdade, convosco, o’ Senhor. 3 – No longo caminho que temos, o pão que comemos nos sustentará. / É Cristo o pão repartido, que o povo sofrido vem alimentar. 4 – Há gente morrendo de fome, sofrendo e sem nome, sem terra e sem lar. / Não é a vontade de Deus, pois Jesus, Filho seu, quis por nós se doar. 5 – Queremos servir a Igreja, na plena certeza de nossa missão. / Vivendo, na Eucaristia, o pão da alegria e da libertação.

632 (Tom: C) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – A palavra do anjo minha Mãe acolheu: "Nada é impossível, Maria, a teu Deus"! / Com a Virgem repito: "Eis-me aqui, o’ Senhor"! E com fé eu me entrego; sou teu servidor. De homens e anjos eu sou o pão! / Tu crês em mim ou também vais partir? / O’ Senhor, para quem irei? / Dá-me este pão, creio em ti; ficarei! 2 – "Deus é amor", os meus anjos cantaram em Belém. / Tu não queres fazer este anúncio também? / – Sim, eu quero outra vez, meu Senhor, proclamar: / “Meus irmãos, não se pode ao amor não amar”! 3 – Jejuei no deserto e sofri tentações. Fui servido por anjos na fome e aflições. / – Eu também, meu Senhor, servirei aos irmãos; a quem sofre darei o meu pão, minhas mãos. 4 – Haverá alegria entre os anjos do Rei / por um só pecador que disser: Eu pequei! / – Fui ovelha perdida, teu Pai me encontrou, / na alegria proclamo aos irmãos seu amor. 5 – Com meus anjos na glória do Pai, hei de vir; / quem souber se vencer, poderá me seguir. / – Vou vencer-me e salvar minha vida, o’ Jesus; / por amor vou seguir-te e tomar minha cruz. 6 – No sepulcro vazio o meu anjo surgiu / e anunciou: "Não está aqui, vinde ver: ressurgiu”! / Esta alegre mensagem que o anjo me traz, / compromete-me a ser missionário da paz!

634 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Reunidos ao redor de tua mesa, / Aqui vimos e pedimos, o’ Senhor: / Dá-nos sempre deste Pão! / A Palavra e Comunhão, / O pão nosso, pão da Vida, pão do Amor! (2x) 1 – O pão da Palavra, repartido / pela Igreja missionária em ação, / cinco séculos em nosso continente: / Muitas raças, um só povo, o mesmo pão! 2 – O pão da Eucaristia é teu Corpo, / é teu Sangue derramado em oblação: / Alimento de um povo peregrino, / sempre em marcha para a nova Promissão! 3 – O pão das conquistas do trabalho: / com teu gesto, solidário, nossas mãos / anunciam a chegada do teu Reino, / já presente quando somos mais irmãos. 4 – Guiados pela estrela do Natal, / o Evangelho nos aponta a conversão, / sob o olhar materno de Nossa Senhora, / revigora tua Igreja em missão! 5 – No sangue dos mártires, banhada, / nossa terra testemunha tua Cruz. / Com os mártires de ontem e de hoje, / caminhamos na estrada de Jesus!

635 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Weber
Para que todos sejam um, / como sou um em ti, o’ Pai! 1 – Guarda em teu nome, Pai Santo, / aqueles que Tu me deste. 2 – Rogo também por aqueles / que por tua Palavra hão de crer.

633 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos

3 – Que sejam unidos em mim, / e mostrem que Tu me enviaste. 4 – O mundo há de crer em teu Verbo, / vendo a sua união. 5 – Eu estarei sempre neles, / como estás sempre em mim. 6 – Para que o mundo conheça / que Tu por amor me enviaste. 7 – Dei-lhe a glória que é tua, / a glória que Tu me deste. 8 – Quero, meu Pai, que estejam / onde estou sempre contigo.

5 – Glória ao Pai e glória ao Filho, / glória ao Espírito também! / Pelo amor e pelo tempo, / agora e sem fim. Amém. (2x)

638 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O Senhor Deus é meu Pastor amado. / Eu me coloco em suas mãos divinas. / Ele me leva pelos verdes prados / e para as fontes de águas cristalinas. O Senhor Deus é meu Pastor / e nada pode me faltar. 2 – O Senhor Deus meus passos fortalece. / Pelos caminhos me conduz e guia. / O Filho amado em ceia me oferece, / se torna pão na Santa Eucaristia. 3 – O Senhor Deus me tira todo o medo, / mesmo que eu passe por caminho escuro. / Sua presença é todo o meu segredo / de ser feliz e muito mais seguro. 4 – O Senhor Deus é o rumo dos meus passos. / A sua graça é minha experiência. / Eu me abandono em seus divinos braços, / pois acredito em sua providência.

636 (Tom: D) Letra e Música: Zé Martins
Bendito seja, seja o nosso Deus, / Pão que foi partido e repartido entre nós. (bis) 1 – O pão repartido é melhor: / ele chega a todo irmão. / Ele faz saciar a fome, / constrói outro homem e faz a união. 2 – O pão repartido é melhor: / acalenta os sonhos da gente. / Ele faz ser bem mais Igreja, / viver a certeza que o amor é semente. 3 – O pão repartido é melhor: / faz vencer toda morte e cobiça. / Ele aponta pra gente o caminho / de amor e carinho pra viver na justiça. 4 – O pão repartido é melhor: / é sinal de uma nova Igreja. / Ele traz toda paz e alegria, / a certeza que um dia acaba a peleja. 5 – O pão repartido é melhor: / faz a gente ser comunidade. / Nos aponta o caminho do amor / e da vida vivida em fraternidade. 6 – O pão repartido é melhor: / ele ajuda a escolher um lugar / para a luta não ser diferente / diante da gente, que sofrendo está.

639 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Élio Athayde
Vinde, irmãos, Deus nos convidou / para a festa que Ele preparou. / Deus nos chama, ordem do Senhor: / vinde todos à Festa do Amor! 1 – Um rei preparou uma ceia / e convidou seus amigos pra cear. / Mas cada qual se julgou por escusado / e nenhum dos convidados aceitou participar. / Então, o rei deu a chance aos aleijados, / pobres, marginalizados, que chamou para jantar. 2 – Jesus é o dono da festa, / e a festa é a nossa Comunhão. / Os convidados somos nós que comungamos dia a dia / os desenganos e alegrias dos irmãos. / Se Deus nos chama, é preciso estar presentes, / assumir bem conscientes nossa vida de cristãos. 3 – São muitos que são convidados, / mas escolhidos bem poucos serão. / O egoísmo é na vida da gente / traiçoeira serpente e a pior tentação. / Quem se acomoda e nunca pensa no outro, / sofre mais que um louco, numa triste solidão. 4 – Você foi também convidado / a celebrar esta Ceia do Senhor. / Então, amigo, venha bem preparado, / coração desarmado, coração sem rancor. / Feliz quem traz no coração a bondade, / quem não tem falsidade, acredita no amor.

637 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
Deus seja louvado no pão partilhado, / no pão partilhado, / Deus seja louvado! 1 – Bendito e louvado seja este Santo Sacramento! / Deus no céu nos dê a glória, / cá na terra o alimento. (2x) 2 – Bendita e louvada seja esta Santa Eucaristia! / Corpo e Sangue de Jesus, / Filho da Virgem Maria. (2x) 3 – Bendita seja esta Ceia entre irmãos compartilhada! / Onde está o cálice bento, / e a hóstia consagrada! (2x) 4 – Bendita a fruta ligeira, vinda da terra sagrada! / Bendita a mão companheira, / seja sempre abençoada. (2x)

640 (Tom: A) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – O meu Reino tem muito a dizer: / não se faz como quem procurou / aumentar os celeiros bem mais e sorriu! / Insensato, que vale tais bens, / se hoje mesmo terás o teu fim? / Que tesouros tu tens pra levar além? Sim, Senhor, nossas mãos / vão plantar o teu Reino! / O teu Pão vai nos dar / teu vigor, tua paz! 2 – O meu Reino se faz bem assim: / se uma ceia quiseres propor, / não convides amigos, irmãos e outros mais. / Sai à rua, à procura de quem / não puder recompensa te dar, / que o teu gesto lembrado será por Deus! 3 – O meu Reino, quem vai compreender? / Não se perde na pressa que tem / sacerdote e levita que vão sem cuidar. / Mas se mostra em quem não se contém, / se aproxima e procura o melhor / para o irmão agredido que viu no chão! 4 – O meu Reino não pode aceitar / quem se julga maior que os demais / por cumprir os preceitos da lei, um a um. / A humildade de quem vai além / e se empenha e procura o perdão, / é o terreno onde pode brotar a paz. 5 – O meu Reino é um apelo que vem / transformar as razões de viver / que te faz desatar tantos nós que ainda tens. / Dizer sim é saberes repor / tudo quanto prejuízo causou, / dar as mãos, repartir, acolher, servir!

1 – Cantarei ao meu Senhor e Deus, / cantarei ao meu Senhor e Pai. / No meu canto louvarei tudo aquilo que Ele faz / e cantando chegarei ao Pai. (2x) 2 – Bendirei o nome do meu Deus / e direi que me deixou em paz. / Com Jesus repetirei / tudo aquilo que já sei e cantando bendirei seu Pai. (2x) 3 – Viverei na casa do meu Deus, / levarei comigo o seu amor. / Onde eu for eu gritarei / que acredito em meu Senhor / e onde eu for eu falarei do amor. (2x) 4 – Estarei onde estiver a paz, / ouvirei a voz do meu Senhor. / Repetindo o que ele diz, / eu serei bem mais feliz, / se estiver ouvindo o meu Senhor. (2x) 5 – Andarei seguro até na dor, / meu caminho tem de ser de amor. / Buscarei na religião / caminhar com meu irmão / e seremos povo do Senhor. (2x)

643 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Weber
Eu vim para que todos tenham vida, / que todos tenham vida plenamente. 1 – Reconstrói a tua vida em comunhão com teu Senhor, / reconstrói a tua vida em comunhão com teu irmão. / Onde está o teu irmão, Eu estou presente nele. 2 – Quem comer o Pão da Vida viverá eternamente. / Tenho pena deste povo que não tem o que comer. / Onde está um irmão com fome, / Eu estou com fome nele. 3 – Eu passei fazendo o bem, Eu curei todos os males. / Hoje és minha presença junto a todo sofredor. / Onde sofre o teu irmão, Eu estou sofrendo nele. 4 – Entreguei a minha vida pela salvação de todos. / Reconstrói, protege a vida de indefesos e inocentes. / Onde morre o teu irmão, Eu estou morrendo nele. 5 – Vim buscar e vim salvar o que estava já perdido. / Busca, salva e reconduze a quem perdeu toda esperança. / Onde salvas teu irmão, tu me estás salvando nele. 6 – Não apago o fogo tênue do pavio que ainda fumega. / Reconstrói e reanima toda vida que se apaga. / Onde vive o teu irmão, Eu estou vivendo nele. 7 – Salvará a sua vida quem a perde, quem a doa. / Eu não deixo perecer nenhum daqueles que são meus. / Onde salvas teu irmão, tu me estás salvando nele.

641 (Tom: Em) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Com amor eterno eu te amei. / Dei a minha vida por amor. / Agora, vai, também, ama o teu irmão. (2x) 1 – Já não somos servos, mas os teus amigos. / À tua mesa nos sentamos / pra comermos deste pão. 2 – Que nossa amizade se estenda a todos, / pois o Cristo nos ensina que / o amor é dom total. 3 – Terá recompensa até um copo d'água. / O amor, que é verdadeiro, / se traduz em gesto e vida. 4 – Cristo, partilhando sua graça e vida, / quer que unidos a vivamos / também entre os irmãos. 5 – Se permanecermos no amor de Cristo, / viveremos sua mensagem / de esperança e alegria. 6 – O pão da alegria nos alimentou. / Que ele seja nossa força / e nos sustente na caminhada.

642 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Zezinho

644 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – É bom estarmos juntos / à mesa do Senhor / e, unidos na alegria, / partir o pão do amor. Na vida caminha / quem come deste pão; / não anda sozinho / quem vive em comunhão. 2 – Embora sejam muitos, / é um o nosso Deus. / Com Ele vamos, juntos, / seguindo os passos seus. 3 – Formamos a Igreja, / o Corpo do Senhor; / que em nós o mundo veja / a luz do seu amor. 4 – Foi Deus quem deu outrora / ao povo o pão do céu; / porém nos dá agora / o próprio Filho seu. 5 – Será bem mais profundo / o encontro, a comunhão, / se formos, para o mundo, / sinal de salvação. 6 – A nossa Eucaristia / ajude a sustentar / quem quer, no dia-a-dia, / o amor testemunhar.

4 – Cristo a nós hoje se une / pela santa Comunhão, / para que depois vivamos / esse amor entre os irmãos. 5 – O’ Senhor, que nossa vida / com a vida alimentais, / dai-nos sempre vossa graça, / vosso amor e vossa paz.

647 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
Eis o Pão da Vida, eis o Pão dos céus, / que alimenta o homem, em marcha para Deus. 1 – Um grande convite o Senhor nos fez / e a Igreja o repete a toda vez. / Feliz quem ouve e alegre vem / trazendo consigo o amor que tem. 2 – Um dia por nós o Senhor se deu, / do sangue da cruz o amor nasceu. / E ainda hoje Ele dá vigor / aos pobres, aos fracos, ao pecador. 3 – Há várias maneiras de o receber, / efeitos diversos pode conter. / Não nos suceda comer em vão / aquilo que é fonte de salvação. 4 – Quem come este pão sempre viverá, / pois Deus nos convida a ressuscitar. / Oh! vinde todos, comei também / o pão que encerra o sumo bem. 5 – Se o homem deseja viver feliz, / não deixe de ouvir o que a Igreja diz: / Procure sempre se aproximar / do Deus feito Pão para nos salvar.

645 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Amém! Eu aceito teu Corpo, Senhor! / Amém! Eu assumo ser pão de amor! 1 – Famintos do pão da igualdade, / na mesa da fraternidade, / Tu és nossa vida e verdade; / sustenta os que em ti são irmãos! 2 – Sedentos de paz e alegria, / buscamos na Eucaristia / a fonte que ao mundo anuncia / só Deus pode o homem saciar! 3 – Mendigos de amor e de graça, / às mãos estendidas Tu passas, / e esperas que em nós também nasça / o gesto de dar e servir! 4 – Tão fracos, em ti somos fortes, / vencendo o mal e a morte! / Em ti, o repouso e a sorte / de quem se alimenta da fé! 5 – Assim como o pai de família / os dons entre os filhos partilha, / Tu fazes por nós maravilhas. / É eterno e fiel teu amor! 6 – Feliz de quem foi convidado / e, atento, ouviu teu chamado! / Na terra será saciado / e à mesa do céu sentará!

648 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. José Weber
Eis meu Corpo por vós doado, / eis meu Sangue por vós derramado. / É o sangue da nova aliança, / fonte viva de eterna esperança. (2x) 1 – Eu sou o novo pão vivo, / o pão que desce dos céus! / Quem deste pão se alimenta / possui a vida de Deus. 2 – Quem crê em mim não tem fome, / nem sede em seu coração. / Em mim terá plenitude, / luz, vida e salvação. 3 – Quem crê em mim tem a vida / por toda a eternidade! / O pão que Eu dou sou Eu mesmo, / Caminho, Vida e Verdade. 4 – A minha Carne é comida, / penhor da Ressurreição. / E o meu Sangue é bebida / das fontes da salvação. 5 – Este é o novo alimento / do povo que congreguei, / pra viver o mandamento / de amar como Eu vos amei.

646 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Exultando, vamos todos / à mesa do Senhor, / que reúne sua família, / para celebrar o amor. É o Pai que nos convida / para a ceia do amor / e nos dá seu próprio Filho, Cristo, nosso Salvador. 2 – Todos nos alimentamos / deste Pão que vem do céu, / Ele vai ser nossa força no caminho para o Pai. 3 – Quem de Cristo se alimenta / jamais vacilará, / os seus passos serão firmes, / no amor caminhará.

649 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Cecília Vaz Castilho
1 – Eu vim para celebrar a vida e cantar bem junto de ti. / o que estou vivendo é Deus acontecendo, é gesto de amor. / O tempo faz crescer o tudo

que eu viver é só esperar! / Eu vim pra celebrar bem junto de ti. 2 – Eu vim para alegrar. É tempo de ficar bem junto de ti. / E todos aproveitem, de amor se enfeitem pra ser feliz. / Eu vou cantar somente amor pra toda gente se encontrar. / Com todos vou ficar bem junto de ti. 3 – Eu vim pra descobrir o céu e repartir bem junto de ti. / Do povo eu faço parte e venho aqui buscar-te pra construir. / O amor já nos chamou e a gente se lançou em busca da paz. / Eu vim aqui, pois ela está junto a ti. 4 – Eu vim para abraçar a todos que encontrar bem junto de ti. / O céu já começou, e com um sorriso eu vou lutar pra viver. / É Deus a minha festa, e quero todos nesta dança feliz. / Eu quero sempre todos juntos de ti!

4 – Comece em casa a ser bondoso e paciente, / não arrogante, mas humilde e diligente. 5 – Comece em casa a perdoar de coração / e ter coragem de também pedir perdão. 6 – Comece em casa a esquecer-se de você: / só o amor, que é de graça, faz crescer.

652 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. José Weber
O Pão de Deus é Pão da vida / que do céu veio até nós. / O’ Senhor, nós vos pedimos: / dai-nos sempre deste pão! (2x) 1 – O pão que eu vos dou / é a minha própria Carne / para a vida do mundo. 2 – Eu sou o Pão da vida. / Quem come deste pão / viverá eternamente. 3 – Se comerdes minha Carne / e beberdes o meu Sangue, / tereis a vida em vós. 4 – No deserto, vossos pais / comeram o maná, / mas morreram todos eles. 5 – Meu Corpo é a comida / e meu Sangue é a bebida / que alimenta a vida eterna. 6 – Quem come a minha Carne / e bebe o meu Sangue, / viverá sempre por mim. 7 – Quem come a minha Carne / e bebe o meu Sangue, / Eu o ressuscitarei. 8 – Quem come a minha Carne / e bebe o meu Sangue / fica em mim e Eu nele. 9 – Eu sou o Pão da vida, / quem vem a mim não mais / terá fome ou terá sede. 10 – Quem come a minha Carne / e bebe o meu Sangue / terá a vida eterna.

650 (Tom: C) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Todo aquele que comer do meu Corpo, que é doado, / todo aquele que beber do meu Sangue derramado / e crê nas minhas palavras que são plenas de vida, / nunca mais sentirá fome e nem sede em sua lida. Eis que sou o Pão da Vida, / eis que sou o Pão do Céu. / Faço-me vossa comida, / Eu sou mais que leite e mel. 2 – O meu Corpo e meu Sangue são sublimes alimentos, / do fraco indigente é vigor, do faminto é o sustento. / Do aflito é consolo, do enfermo é a unção, / do pequeno e excluído, rocha viva e proteção. 3 – Eu sou o Caminho, a Vida, Água viva e a Verdade. / Sou a Paz e a Luz do mundo, sou a própria Liberdade. / Sou a Palavra do Pai, que entre vós habitou, / para que vós habiteis na Trindade onde estou. 4 – Eu Sou a Palavra viva que sai da boca de Deus. / Sou a Lâmpada para guiar vossos passos, irmãos meus. / Sou o rio, Eu sou a ponte, sou a brisa que afaga. / Sou a água, sou a fonte, fogo que não se apaga.

653 (Tom: Cm) Letra e Música: Pe. José Weber
O Pão da vida, a comunhão, / nos une a Cristo e aos irmãos; / e nos ensina a abrir as mãos, / para partir, repartir o Pão. (2x) 1 – Lá, no deserto, a multidão / com fome segue o Bom Pastor, / com sede busca a Nova Palavra: / Jesus tem pena e reparte o pão. 2 – Na Páscoa Nova da Nova Lei, / quando amounos até o fim, / partiu o Pão, disse: "Isto é meu Corpo, / por vós doado: tomai, comei!" 3 – Se, neste Pão, nesta comunhão, / Jesus por nós dá a própria vida, / vamos também repartir os dons, / doar a vida por nosso irmão. 4 – Onde houver fome, reparte o pão, / e tuas trevas hão de ser luz: / encontrarás Cristo no irmão, / serás bendito do Eterno Pai. 5 – Não é feliz quem não sabe dar, / quem não aprende a lição do altar: / de abrir a mão e o coração, / para doar-se no próprio dar.

651 (Tom: C) Letra: Maria de F. de Oliveira / Música: Djanira Luiza
dos Santos

O Pão da vida, Pão da unidade, / faz-nos família na caridade. 1 – Comece em casa a cultivar o amor cristão, / e a alegria invadirá seu coração. 2 – Comece em casa a aceitar seu semelhante, / comece a ser compreensivo e confiante. 3 – Comece em casa a crer no outro cada dia, / e Deus será a sua fonte de alegria.

6 – Abri, Senhor, estas minhas mãos, / que para tudo guardar se fecham! / Abri minha'alma, meu coração, / para doar-me no eterno dom.

654 (Tom: Am) Letra e Música: João Bento de Souza
O Pão sagrado que agora recebemos, / Vai nos dar força para a gente caminhar / No compromisso de formar comunidade / Onde o amor e a justiça vão reinar. 1 – Foi Jesus Cristo que se fez nosso alimento / Na comunhão, o sacramento do amor. / Nós vamos juntos sustentar a nossa vida / Na caminhada para o Reino do Senhor. 2 – Foi Jesus Cristo que aqui nos reuniu, / Todo este povo escutou a sua voz. / Com sua graça Ele vai nos ajudar / A combater o mal que existe entre nós. 3 – Foi Jesus Cristo que mostrou o bom caminho, / Falou a todos sem temer ser torturado. / Deu sua vida com amor e doação; / Pra nos salvar, Ele morreu crucificado. 4 – Foi Jesus Cristo quem falou aos seus amigos: / vão pelo mundo ensinar o que Eu falei; / Vão praticando, vão mostrando com a vida / O mandamento do amor, a nova lei. 5 – Foi Jesus Cristo que nos deu esta missão: / Formar Igreja e lutar contra o pecado. / Não há razão para viver no comodismo; / Pelo batismo cada um foi convocado.

É meu Sangue, / Todos vós: bebei! Eu sou a Vida e Eu sou o Amor. Conduzi-nos, o’ Senhor, no vosso amor! 2 – O Senhor nos amou, ninguém teve tanto amor. Ele nunca se cansava quando aqui na terra andava. Seu amor era tão forte que venceu até a morte. Foi no dia em que por nós ressuscitou. 3 – O Senhor nos amou, ninguém teve mais amor. Ele dá o seu amor aos que estão em seu redor. Seguremos nossas mãos, todos somos seus irmãos! Nada pode destruir este amor!

657 (Tom: C) Letra: Ir. Mª Luíza Ricciardi / Música: Pe. Ronoaldo
Pelaquim

655 (Tom: F) Letra: Irmão Bento Gomes / Música: Pe. José Weber
O Corpo de Cristo é o Pão do altar. / A mesa é de todos: irmão, vem sentar. 1 – Um dia reparte com Deus o seu Pão / o homem da fé, o Pai Abraão. / O Filho de Deus, Jesus, nosso irmão, / reparte na Missa com todos o Pão. 2 – O Pão repartamos em todo lugar: / na igreja, na escola, na rua, no lar: / o Pão da palavra, o Pão da cultura, / o Pão da amizade, o Pão da procura. 3 – Na Casa da Fé, no Altar da Esperança, / o Amor é o Pão da Nova Aliança. / Irmão, comeremos da Ceia Celeste: / o Pão que te dei, o Pão que me deste.

O’ Trindade, vos louvamos, / vos louvamos pela vossa comunhão! / Que esta mesa favoreça, / favoreça nossa comunicação! 1 – Contra toda tentação da ganância e do poder, / nossas bocas gritem juntas / a palavra do viver! (2x) 2 – Na montanha, com Jesus, no encontro com o Pai, / recebemos a mensagem: "Ide ao mundo e o transformai!"(2x) 3 – Deus nos fala na história e nos chama à conversão: / vamos ser palavras vivas proclamando a salvação! (2x) 4 – Vamos juntos festejar cada volta de um irmão / e o amor que nos acolhe, restaurando a comunhão! (2x) 5 – Comunica quem transmite a verdade e a paz, / quem semeia a esperança e o perdão que nos refaz. (2x)

658 (Tom: Bm) Letra: Enédio Naider Filho / Música: Cireneu Kuhn
1 – Do abismo profundo, / dos becos e ruas, / das grandes favelas, / de sonhos e dor; / dos tristes cortiços / das noites de frio, / do chão das calçadas, / clamamos, Senhor. (2x) Que a Eucaristia / apresse o dia por nós esperado: / de irmãos libertados, / de toda injustiça, de todo pecado. (bis) 2 – Da fome forçada, / da vida negada, / na morte apressada, cruel desamor; / das grandes manchetes, / de olhos vendados, menores pisados, / clamamos, Senhor. (2x) 3 – Das noites escuras / de horríveis cadeias, / de loucas torturas, / da droga o pavor; / sem ter um futuro de amor e sentido, / com medo da guerra, / clamamos, Senhor. (2x)

656 (Tom: E) Letra: Simeão G. / Música: Espiritual Negro
1 – O Senhor nos amou, ninguém teve tanto amor. É Pastor que nos vigia e nos guia cada dia. Quando o pão está no altar, Ele quer nos abraçar. É o pão da amizade, o pão de Deus. É meu Corpo, / Todos vós: comei!

4 – Por fraternidade / que faz povo irmão, / nos dá vida nova e um mundo de amor; / abrindo às crianças / caminhos de luz, de fé e esperança, / clamamos, Senhor. (2x)

659 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Desta mesa ninguém é estrangeiro, / deste pão todos podem partilhar; / irmão algum vai expulsar o outro irmão: / lutamos sempre pela terra da união. Nova terra eu busquei encontrei a mesa farta e pão; / pise firme, meu irmão, / pise firme que este é nosso chão. 2 – Uma história muito triste vou contar; / nós a lemos na Palavra revelada: / é a história de José que foi vendido, / irmãos malvados o expulsaram e destruíram. 3 – Nesta vida, quanto irmão expulsa irmão! / Quantas faces que demonstram frustração! / É necessário acolher o peregrino, / que passa fome, não tem terra nem destino. 4 – Se, algum dia, alguém chegar à sua casa, / inseguro, vem pedir-lhe proteção, / Deus gostaria que você abrisse as portas, / lhe desse amor, lhe desse paz, compreensão. 5 – Se José conseguiu vencer o ódio, / deu de volta o perdão ao seu irmão; / também aquele que por nós foi injustiçado, / quem sabe, um dia, vai nos dar uma lição. 6 – Comungar é estar com o Senhor, / é estar também em paz com nosso irmão; / é compromisso sem medida co’a justiça, / é vivenciar a Lei eterna do Amor.

3 – Todos somos a família do Senhor, / o povo eleito por Ele escolhido. / E, em torno à sua mesa, na união, / com sua Palavra e seu Pão temos vivido. / Mas muita gente não conhece / a Boa Nova que nos transformou / Em cidadãos do Reino, que o Pai / para seus filhos desde sempre preparou.

661 (Tom: C) Letra e Música: Zé Vicente
1 – O pão sofrido da terra / Na mesa da refeição. / O pão partido na mesa / Se torna certeza / E se faz comunhão. / O Corpo do meu Senhor / é força viva de paz. (2x) 2 – Vinho de festa e alegria / É vida no coração. / Vinho bebido na luta / Se torna conduta / De libertação. / O Sangue do meu Senhor / É força viva de paz. (2x) 3 – Palavra vinda do Reino / Na boca de cada irmão. / Palavra que fortalece, / Anima e esclarece / A nossa união. / Palavra do meu Senhor / É força viva de paz. (2x) 4 – Flores dos jardins, dos campos, / Sorriso exposto no altar. / Flores molhadas no pranto / De quem deu a vida / Pra vida mudar. / A vida de quem tombou / É força viva de paz. (2x) 5 – Ceia, sagrada Aliança, / Ato supremo do Amor. / Ceia, encontro e esperança / De Jesus com a gente / Transformando a dor. / A ceia do meu Senhor / É força viva de paz. (2x) 6 – Louvor que nasce da história / Do dia-a-dia do povo. / Louvor ao Deus verdadeiro, / Fiel Justiceiro, / Pai do mundo novo. / O nome do meu Senhor / É força viva de paz. (2x) 7 – Água trazida da fonte / Matando a sede que mata. / Água da chuva no chão / Traz vida e traz pão / Pra gente e pra mata. / Água da vida, Jesus, / É força viva de paz. (2x)

660 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Regina Squarizi
1 – Todos somos evangelizadores / Com a missão de anunciar / A mensagem de Cristo entre os irmãos / E com um gesto concreto transformar. / Mas dentre nós sairá alguém / Que este apelo de Cristo escutou: / Tu deixas tua família e tua terra. / Vai mais distante anunciar o meu amor! Vai em nome de Cristo / sendo fiel à tua missão. / Continuaremos todos unidos, / alimentados com o mesmo pão. 2 – Partilhando nosso pão e nossa vida, / na igualdade vamos caminhar / Ao encontro de quem não encontrou, / nesta vida, motivos pra lutar. / Pois a injustiça que fere este mundo, / fere também o nosso coração. / E libertar os que estão oprimidos / é também compromisso do cristão.

662 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Cecília Vaz Castilho
1 – Se calarem a voz dos profetas, / as pedras falarão. / Se fecharem uns poucos caminhos, / mil trilhas nascerão. / Muito tempo não dura a verdade / nestas margens estreitas demais: / Deus criou o infinito pra vida ser sempre mais. É Jesus este pão de igualdade: / viemos pra comungar / com a luta sofrida do povo / que quer ter voz, ter vez, lugar. / Comungar é tornar-se um perigo: / viemos pra incomodar. / Com a fé e união, / nossos passos, um dia, vão chegar! 2 – O Espírito é vento incessante, / que nada há de prender. / Ele sopra até no absurdo / que a gente não quer ver. / Muito tempo...

3 – No banquete da festa de uns poucos, / só rico se sentou. / Nosso Deus fica do lado dos pobres, /colhendo o que sobrou. / Muito tempo... 4 – O poder tem raízes na areia, / o tempo o faz cair. / União é a rocha que o povo / usou pra construir. / Muito tempo... 5 – Toda luta verá o seu dia / nascer da escuridão. /Ensaiamos a festa e a alegria, / fazendo comunhão. / Muito tempo...

6 – Cada dia teu amor, / tua graça, o’ Deus de minha vida, / concede a quem chamaste. / Cada noite cantarei teu louvor. 7 – Vai em Deus a multidão / que caminha, cantando um hino à vida. / A casa está em festa: / Dia a dia cresce o amor em cada irmão.

665 (Tom: Bm) D.R.
1 – O’ meu Deus, quantos homens sofridos! / Quanta gente sem o seu lugar! /São os nossos irmãos oprimidos, / perseguidos no seu caminhar. Só podemos comer deste pão / se com eles o amor partilhar, / ensinar a comum união / para o povo se organizar. (2x) 2 – O’ meu Deus, quantos filhos sem nome! / Quantas mães que estão a sofrer! / São os nossos irmãos andarilhos, / são carentes de afeto e do ter. 3 – O’ meu Deus, quantos braços fechados! / Que podiam se abrir e dar as mãos! /Quantos lábios são mudos, serrados / Que não sabem falar ao irmão. 4 – O’ meu Deus, quanto pobre operário / sem direito, sem vez e sem voz! /Esperando um justo salário, / faz apelo para todos nós. 5 – O’ meu Deus, quantos corpos cansados / que já não podem mais trabalhar! /São os nossos irmãos asilados, / anciãos experientes do amar. 6 – O’ meu Deus, quanta escola inútil! / Só ensina a ler e a escrever! / Não promove, mas dá um diploma; / mas o homem não sabe viver. 7 – O’ meu Deus, nossa Igreja caminha, / muitos querem fazê-la parar! /Mas o Espírito Santo que a anima, / faz por um mundo novo gritar.

663 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Fazemos comunhão / Construindo a unidade. / É nossa vocação / Servir a comunidade, / Com Cristo, nosso irmão, / No sertão ou na cidade. 1 – Falta gente pra colheita, / Há ovelhas sem pastor. / Onde estão os operários / Do roçado do Senhor? 2 – Quem visita os doentes? / Quem constrói um mundo novo? / Quem proclama a Salvação? / Quem reúne nosso povo? 3 – Onde moro tem ministros, / Vocações especiais: / Bispos, freiras, padres, leigos, / Todos servem como iguais. 4 – Nesta terra sou migrante, / Nordestino sofredor, / Mas, no meio do meu grupo, / Me tornei animador. 5 – Somos pobres, pouca gente, / Uma Igreja em mutirão; / Mas, unidos num só povo, / Toda vida é vocação. 4 – Sou roceiro, estudante, / Catequista e artesão, / Operário, agricultor, / Temos nossa vocação.

664 (Tom: C) D.R.
1 – Eu me alegro no Senhor, / que me chama e vem à minha casa / sentar-se à minha mesa. / Sua vida Ele deu por amor. Aqui estou, Senhor! / Eu dou a minha vida por amor. 2 – Deus me envia, eu vou dizer / a mensagem que põe na minha boca / e está na minha vida. / A vontade do Senhor vou fazer. 3 – Meu serviço eu vou prestar / ao irmão que pede justiça e paz / e espera a salvação, / para o Reino de amor edificar. 4 – Como a corça vai beber água pura, / do amor eu sinto a sede; / procuro o Deus vivo. / Vida nova eu quero ter no meu ser. 5 – Assim posso avançar / no caminho, levando a esperança / de ver a tua face, / pois o Cristo outra vez vai salvar.

666 (Tom: D) Letra: Pe. Tarcísio Marchiori / Música: Pe. Ney Brasil
Pereira

Permanecei em mim, / é teu pedido, Senhor, / e Eu ficarei em vós, / é tua promessa de amor. (bis) 1 – Minha vida em tua vida, / teu desejo é transformar / meu sorriso em teu sorriso, / meu olhar em teu olhar! 2 – Une em ti, o’ meu Senhor, / o meu nada com o teu ser, / minha fraqueza e a tua força, / meu viver com o teu viver! 3 – Para que sejamos um / como a árvore e o seu ramo, / unifica em teu amor / todas as coisas, tudo o que eu amo! 4 – Para que não seja eu / quem vive agora, / mas sim nas alegrias e na dor / sejas tu quem vive em mim!

667 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Por um pedaço de pão / e por um pouco de vinho, / eu já vi mais de um irmão / se desviar do caminho; / por um pedaço de pão / e por um pouco de vinho, / eu também vi muita gente / encontrar novamente o caminho do céu. / Eu também vi muita gente / voltar novamente ao convívio de Deus. Por um pedaço de pão e um pouquinho de vinho, / Deus se tornou refeição e se fez o caminho. / Por um pedaço de pão.(4x) 2 – Por não ter vinho / nem pão, / por lhe faltar a comida, / eu já vi mais de um irmão / desiludido da vida. / E por não dar do seu pão, / e por não dar do seu vinho, / vi quem dizia ser crente, / perder de repente os valores morais. / Vi que o caminho da paz / só se faz com justiça e direitos iguais. 3 – Por um pedaço de pão / e por um pouco de vinho, / eu já vi mais de um irmão / tornar-se um homem mesquinho. / Por um pedaço de pão / e por um pouco de vinho, / vejo as nações em conflito / e este mundo maldito por não partilhar. / Vejo metade dos homens / morrendo de fome, sem Deus e sem lar.

faz do Brasil / a tua cidade, / encontro e caminho / de vida e verdade. 2 – Tornei-me alimento pra ser teu sustento. / Aonde tu vais? / Se a forte cobiça / te nega a justiça / no chão dos teus pais. 3 – Na minha viagem / faltou hospedagem. / Aonde tu vais? / As tuas andanças / são minhas lembranças, / são outros natais. 4 – Os ventos vadios, / os mares bravios, / são teus dois rivais; / da Terra da Luz / o céu te conduz. / Aonde tu vais? 5 – Feliz violeiro, / sou teu companheiro. / Aonde tu vais? / Se a tua viola, / cantando, consola / os que sofrem mais. 6 – Valente vaqueiro, / herói caminheiro / das sendas rurais; / Eu sou teu amigo, / labuto contigo. Aonde tu vais? 7 – Pão vivo e celeste / eu marco o Nordeste / com grandes sinais. / O mundo é a estrada / da eterna pousada. / Aonde tu vais?

670 (Tom: G) Letra: Pe. Lucas de Paula Almeida / Música: Pe. Lauro
Palú

668 (Tom: C) Letra e Música: Roberto Malvezzi
Bastariam dois pães e dois peixes / e o milagre do amor, / pra acabar com tanta fome / e acabar com tanta dor. (bis) 1 – Jesus, vendo a multidão, / sabendo que tinha fome, / pediu a quem tivesse / alguma coisa pra aqueles homens. / E repartiu o peixe e o pão, / criou assim a comunhão. 2 – Maria, em seu fogão, / cozeu um pouco de pão, / depois repartiu aos filhos, / como se fosse o seu coração. / Refez o gesto de Nosso Senhor, / refez o gesto do seu amor. 3 – O Cristo, que agora vem, / e dá-se entre os irmãos, / sacia a cada um / com o pão da vida e a vida do pão. / Essa é a lei de Nosso Senhor: / não há medida para o amor!

669 (Tom: Bm) Letra: Prof. Gerardo Campos / Música: Mons. José
Mourão Pinheiro

1 – Na comunhão, recebemos do Pai / o Corpo e Sangue de Cristo Jesus, / força e sustento da vida de amor, / vida que brota da cruz. / Juntos, na mesma certeza feliz, / vamos em busca do Cristo e do irmão. / Deus nos chamou ao amor e nos dá / gosto por nossa missão. Em procissão, povo que crê. / Juntos na fé, povo que vê. / Na comunhão, vamos buscar / graça, perdão e luz / do Corpo de Jesus; / fé, esperança e amor / do Sangue do Senhor! 2 – A comunhão alimenta a fé, / faz ver o Cristo no irmão a sofrer, / nutre a esperança no Reino de Deus, / dá-nos razão de viver. / A comunhão nos inspira o amor / e nos ensina o ideal de servir. / Junto com Cristo nos faz trabalhar, / nos dedicar sem medir. 3 – Quando comungo se acende a esperança / do irmão que é pobre e que sofre na vida. / O Corpo e Sangue de Cristo sustentam / a caridade exercida. / Cristo repete ainda hoje o chamado / e quer os jovens, conscientes, seguindo / como os Apóstolos, tudo deixando / e o coração repartindo.

1 – Por longas estradas / sem fim, palmilhadas, / aonde tu vais? / Procuras a vida, / trabalho e comida, / ser livre e ter paz. Não vais tão sozinho com tua saudade. / Meu Pão e meu Vinho / são dons da unidade / que

671 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
Poucos os operários, poucos trabalhadores / e a fome do povo aumenta mais e mais. / És o Senhor da messe, / ouve esta nossa prece, / põe sangue novo nas veias da tua Igreja.

1 – Falta pão porque falta trigo, / falta trigo porque não semeiam / e faltam semeadores / porque ninguém foi lá fora chamar. Falta fé porque não se ouve, / não se ouve porque não se fala / e falta esse jeito novo / de levar luz e de profetizar. 2 – Falta gente pra ir ao povo, / descobrir por que o povo se cala, / pastores e animadores / pra incentivar o teu povo a falar. Falta luz porque não se acende, / não se acende porque faltam sonhos / e falta esse jeito novo / de levar luz e falar de Jesus.

672 (Tom: A) Letra: Lindberg Pires / Música: Waldeci Farias
1 – Quando meus braços abri para o pobre abraçar, / quando minhas mãos estendi para o outro se erguer, Tua presença senti, minha fé aumentou, / teu amor se encarnou, Senhor. 2 – Quando na noite fui luz para o irmão prosseguir, / quando na hora da dor no meu peito o acolhi, 3 – Quando o irmão a vagar, sem ter onde morar, / quando sem pão pra comer meu lugar lhe entreguei, 4 – Quando a criança a chorar pela fome a bater, / quando a mãe a sofrer minha ajuda lhe dei,

quero que o meu amor / ajude o meu irmão / a caminhar, guiado por tua mão, / em tua lei, em tua luz, Senhor! 1 – Esta terra, os astros, o sertão em paz, / esta flor e o pássaro feliz que vês, / não sentirão, não poderão jamais viver / esta vida singular que Deus nos dá. 2 – Em minh'alma cheia do amor de Deus, / palpitando a mesma vida divinal, / há um resplendor secreto do Infinito Ser, / há um profundo germinar de eternidade. 3 – Quando eu sou um sol a transmitir a luz / e meu ser é templo onde habita Deus, / todo o céu está presente dentro em mim, / envolvendo-me na vida e no calor. 4 – Esta vida nova, comunhão com Deus, / no Batismo, aquele dia eu recebi; / vai aumentando sempre e vai me transformando, / até que Cristo seja todo o meu viver.

675 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Somos felizes, os convidados / a celebrar esta ceia do Senhor. / Na alegria nós viveremos: / Deus se fez pão por amor. 1 – Quando de Deus me aproximo, / meu coração se alegra. / Ele faz bem à minh'alma; / junto de Deus sinto paz. 2 – És Tu, Senhor, a alegria / do povo que te procura; / és a razão da esperança / de quem confia em ti. 3 – Um dia, em tua casa, / toda uma vida ilumina. / Tua morada é segura; / nela queremos ficar. 4 – Feliz quem mora contigo, / nunca se encontra sozinho. / Sabe escolher o caminho / do bem, do amor e da paz. 5 – Conserva em nós tua graça, / dá-nos viver teu amor, / para que aos homens levemos / tua mensagem, Senhor.

673 (Tom: G) D.R.
Receber a comunhão, / com este povo sofrido, / é fazer a aliança / com a causa do oprimido. (2x) 1 – Celebrando a Eucaristia, / a vida a gente consome; / ao lutar pela justiça, / acabando com a fome, / pra que o outro seja gente, / pra que ele tenha nome. 2 – Celebrar a Eucaristia, com famintos e humilhados, / com o pobre lavrador, / sem ter nada no roçado, / é estar em comunhão / com Jesus crucificado. 3 – Celebrar a Eucaristia / é também ser torturado, / é ser perseguido e preso, / é ser marginalizado, / ser entregue aos tribunais / numa cruz, pra ser pregado. 4 – Vai também ao nosso lado, / nesta santa Eucaristia, / a companheira de luta, / a santa Virgem Maria, / guardará no coração, / do seu povo a agonia.

676 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Só tem lugar nesta mesa / pra quem ama e pede perdão. / Só comunga nesta ceia / quem comunga na vida do irmão. (2x) 1 – Eu tive fome, e não me deste de comer; / eu tive sede, e não me deste de beber. 2 – Fui peregrino, e não me acolheste; / injuriado, e não me defendeste. 3 – Fui pequenino e quiseste me pisar; / da ignorância não quiseste me tirar. 4 – Eu nasci livre e quis viver com liberdade; / fui perseguido só por causa da verdade.

674 (Tom: D) Música: Pe. José Weber
Sim, eu quero que a luz de Deus / que um dia em mim brilhou, / jamais se esconda / e não se apague em mim o seu fulgor. / Sim, eu

5 – Pra ser feliz, eu quis amar sem distinção; / só por orgulho tu não foste meu irmão. 6 – Eu vivi pobre, mas lutei para ser gente; / fui sem direito de levar vida decente.

677 (Tom: C) Letra: Gildes Bezerra / Música: Amaury Vieira
1 – Somos todos roceiros da roça do Pai / e posseiros das terras deixadas pra nós. / Vamos todos fazer a partilha, irmão, / entre todas as famílias sem terra e sem pão. Vamos plantar mais um pouco / de amor de caboclo e fazer mutirão. / Pra começar, nós já temos / semente, que é Cristo, é JesusComunhão. 2 – Se um dia a tarefa pesar como a cruz, / ou nos ombros da gente ou nos ombros do irmão, / vamos todos pedir o reforço a Jesus, / que Ele vem ajudar se houver união. 3 – Mas, se grande alegria igual brilho reluz, / ou no peito da gente ou no peito do irmão, / vamos todos mostrar gratidão a Jesus, / que Ele vai alegrar, Ele vê o coração. 4 – Mas, chegando a tristeza que ofusca a luz, / ou nos olhos da gente ou nos olhos do irmão, / vamos todos mostrar nosso pranto a Jesus, / Que Ele vem consolar quem tiver aflição. 5 – Mas, chegando a riqueza que cega e seduz, / ou a alma da gente ou a alma do irmão, / vamos todos doar uma parte a Jesus, / que Ele vai demonstrar o que é gratidão. 6 – Se andamos na estrada que não mais conduz, / ou os passos da gente ou os passos do irmão, / vamos todos voltar para o Cristo Jesus, / que Ele faz caminhar, Ele é direção. 7 – Se as coisas são caras e o pão se reduz, / ou na mesa da gente ou na mesa do irmão, / vamos todos pedir para o Cristo Jesus, / que Ele mostre ao governo esses homens sem pão.

4 – Poderás falar línguas estranhas, / poderás ganhar mundo sem fim; / dominar junto a ti muita gente: / Sem amor nada tem valor! 5 – Quando vês o irmão que te chama / e abre a mão esperando um favor; / não pretendas fugir, tem presente: / Sem amor nada tem valor!

679 (Tom: G) Letra: Pe. Josmar Braga / Música: Waldeci Farias
1 – – Vem, e Eu mostrarei que o meu caminho te leva ao Pai, / guiarei os passos teus e junto a ti hei de seguir. / – Sim, eu irei e saberei como chegar ao fim; / de onde vim, aonde vou, por onde irás, irei também. 2 – – Vem, e Eu te direi o que ainda estás a procurar. / A verdade é como o sol e invadirá teu coração. / – Sim, eu irei e aprenderei minha razão de ser. / Eu creio em ti, que crês em mim, e à tua luz verei a luz. 3 – – Vem, e Eu te farei da minha vida participar, / Viverás em mim aqui, viver em mim é o bem maior. – Sim, eu irei e viverei a vida inteira assim. / Eternidade é na verdade o amor vivendo sempre em nós. 4 – – Vem, que a terra espera quem possa e queira realizar / com amor a construção de um mundo novo muito melhor. – Sim, eu irei e levarei teu nome aos meus irmãos. / Iremos nós, e teu amor vai construir, enfim, a paz.

680 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Vigne
Vós sois o Caminho, a Verdade e a Vida, / o Pão da alegria descido do céu. 1 – Nós somos caminheiros / que marcham para os céus. / Jesus é o Caminho, / que nos conduz a Deus. 2 – Da noite da mentira, / das trevas para a luz, / busquemos a verdade, Verdade é só Jesus. 3 – Pecar é não ter vida, / pecar é não ter luz; / tem vida só quem segue / os passos de Jesus. 4 – Jesus, Verdade e Vida, / Caminho que conduz / as almas peregrinas /que marcham para a luz.

678 (Tom: G) Letra e Música: Frei Gotzon Aulestia
1 – Não existe amor sem entrega, / não existe amor sem a dor; / é a herança que Cristo nos lega: / Sem amor nada tem valor! O Senhor nos convida, à mesa, / a comer juntos do mesmo Pão, / da Palavra, da fé, da esperança, / e repartir com o nosso irmão. 2 – É feliz quem perdoa as ofensas, / quando dá nunca olha o dom; / nem espera ganhar recompensa: / Sem amor nada tem valor! 3 – Quando ao triste arrancaste um sorriso, / teve fome e lhe deste o pão; / é uma dor que tiraste do Cristo: / Sem amor nada tem valor!

681 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
1 – Vamos entrando na fila / pra receber o Senhor. / Ele quis ser alimento / e se entregou por amor. Isto é meu Corpo, comei; / isto é meu Sangue, bebei; / comemorando o que fiz, / a mesma coisa fazei. 2 – A fila dos que têm fome / dá volta no mundo inteiro. / Fome de pão, de justiça, / fome de amor verdadeiro.

3 – A fila dos explorados / não tem tamanho, é imensa! / Trabalho duro ou mal pago, / causando morte ou doença. 4 – A fila dos humilhados / percorre nossa cidade, / gente que nós expulsamos / da terra e até da amizade. 5 – A fila dos irmãos tristes / passa por nós cada dia, / mas nunca nós temos tempo / de lhes servir alegria.

684 (Tom: D) Letra: Pe. Cleiton P. de Miranda / Música: Ir. Míria T.
Kolling

682 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Ainda que eu passe por serras, / por vales e rios sem fim, / se Deus é meu Rei, o amor, minha lei, / eu nada temerei! / E pode me odiar o malvado, / meu forte é Deus ao meu lado: Em tuas mãos, em tuas mãos, Senhor, sempre em tuas mãos! 2 – Ainda que eu ande no escuro, / me queime de dia o sol, / se Deus é meu Pai e comigo vai, / meu ser já não decai. / E, mesmo por dor atingido, / eu sei que sou seu protegido: 3 – Ainda que eu prove a sede, / de fome enfraqueça o meu ser, / se Deus é a razão da minha missão, / não sofro nada em vão. / E posso enfrentar mil perigos; / é Deus meu seguro abrigo: 4 – Ainda que longos caminhos / meus pés tenham de percorrer, / se Deus é o lugar do meu caminhar, / ninguém me faz parar! / E à morte, sorrindo ou em pranto, / em mim nascerá este canto:

1 – Novamente nos unimos / nesta ceia de perdão, / para em Cristo e só por Cristo / encontrar a salvação. Renovemos nossa vida nesta santa Comunhão; / na esperança trabalhemos por um mundo mais cristão. 2 – Na justiça e no trabalho, / povo santo, caminhai; / com Jesus ressuscitado / demos novo mundo ao Pai. 3 – Tudo o que nasceu do amor / em amor há de ficar; / nosso irmão é como a hóstia: / não se pode profanar. 4 – "O meu Pai trabalha sempre", / Cristo um dia revelou; / pela glória do Calvário, / vida nova começou. 5 – Não se ponha o sol da tarde / sobre a ira e a opressão. / O trabalho e a justiça / deve haver pra todo irmão. 6 – Quando no alto a liberdade, / majestosa, aparecer, / a alegria da verdade / todos vamos receber.

685 (Tom: D) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Vim de longe, de outras terras, / pelo Espírito enviado, / pelo Cristo separado, / proclamar a salvação. Cristo-Pão vem me sustentar. / Sua palavra é vida para a vida iluminar. 2 – Mas não lembro os sofrimentos, / os açoites que ganhei, / os insultos que levei, / por amor ao meu irmão. 3 – Esquecido do passado, / vivo em Cristo meu presente / e me lanço para frente, / para o Reino construir. 4 – Neste peito meu de barro, / para o homem desvalido, / trago o "Deus desconhecido", / e a esperança do porvir. 5 – Para o fraco sem defesa, / para o pobre injustiçado, / e o inocente acorrentado, / anuncio libertação. 6 – Pelo mundo sem fronteiras, / continuo minha viagem. / Sou de Cristo a nova imagem, / sou de Cristo o coração. 7 – Vou correndo até que o Reino / seja a todos proclamado; / e o homem, libertado, / reconheça o Deus-Amor.

683 (Tom: C) Letra: Pe. Jocy Rodrigues / Música: Frei Joel Postma
Um Rei fez um grande banquete, / O povo já foi convidado, / A mesa já está preparada, / Já foi o Cordeiro imolado. 1 – Eu me sinto feliz perto de Deus, / em achar um abrigo no Senhor. 2 – Eu agora estarei sempre com Ele, / pois me veio trazendo pela mão. 3 – Vosso plano de amor me vai guiando, / para chegar finalmente em vossa glória. 4 – Só por Vós me interesso lá, no céu. / Se vos tenho, que me importa a terra inteira? 5 – Os desejos do mundo nada valem, / eu me firmo na pedra, que é meu Deus. 6 – Quem se afasta de Vós nada consegue, / quem se alegra sem Vós não é feliz. 7 – Para mim, ser feliz é ter meu Deus, / e conserválo sempre, sempre, dentro de mim.

686

(Tom: Dm) Letra: Pe. Pedro Brito Guimarães / Música: Frei

Fabreti

1 – O pão que não se reparte, / não mata a fome, deixa de ser pão. / Vida se torna mais vida, / quando é vivida na condivisão. Ô, ô, ô, ô, ô, eu vivia fugindo de Cristo / e não lhe dava o meu coração. / Ô, ô, ô, ô, ô, mas aqui os meus olhos se abriram / quando repartiram comigo o pão! 2 – Na mesa do nosso Deus, / há lugar pra todos, / há vinho e pão. / É o próprio Deus quem se doa, / liberta, e perdoa, / e envia em missão. 3 – A mesa da Eucaristia / nos quer ensinar um mistério profundo: / Corpo de Cristo é comida, / seu Sangue é bebida pra vida do mundo. 4 – Na mesa, o pão partilhado, / é fonte de vida, de amor, comunhão. / Sinal que a vida é serviço, / real compromisso de libertação. 5 – São partes deste caminho, / chamado e proposta, resposta e missão. / Deus caminha com a gente, / lançando a semente de ressurreição.

3 – É por causa do profeta que se cala, / mas até com seu silêncio grita e fala. / É por causa de Jesus que anunciava, / mas também gritava aos grandes: ai de vós! 4 – É por causa do que fez João Batista, / que arriscou, mas preparou a sua vinda. / É por causa de milhões de testemunhas / que apostaram suas vidas no amor.

689 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Coração compadecido, / o meu Pai se viu movido, / "vou tirar-vos deste Egito, / sou libertação!" Aprendei os meus caminhos, / não vos deixo aqui sozinhos, / permaneço em vosso meio, / sou o vosso pão! 2 – Nos caminhos do deserto, / o meu Pai foi braço certo, / sustentou os vossos passos, / vos deu nova lei. 3 – Toda vez que a prepotência / decretou vossa falência, / o meu Pai marcou presença, / vos reconduziu. 4 – Quando o tempo se fez pronto, / o meu Pai: "Contigo conto. / Vai curar toda aflição, / meu Reino semear." 5 – Eu vos dou nova medida: / não a morte, mas a vida! / Implantai minha justiça, / cultivai a paz! 6 – Quando à cruz me condenaram, / nem de longe imaginaram / que o meu Pai, / o Deus da vida, se mantém fiel. 7 – Crer em mim é todo o dia, / meu Espírito vos guia! / ser fermento do meu Reino, / como quer meu Pai.

687 (Tom: C) Letra: Ir. Cecília Domezi / Música: Pedro Batista de
Moraes

1 – Sempre tem mais um lugar na mesa / pra quem sabe repartir o pão. / Do que temos em nossa pobreza, / o amor faz multiplicação. Felizes os pobres na mesa do Rei! / Meu Corpo e meu Sangue tomai e comei! / Eu sou o Pão vivo, o amor é a lei. (2x) 2 – Comer juntos no jantar de Deus / é mudar a triste situação. / É querer que a terra seja um céu / onde a gente vive como irmão. 3 – Quando a gente é mesmo companheiro / no caminho de Nosso Senhor, / Comunhão é gesto verdadeiro, / que entrega a vida por amor. 4 – Pra bater o duro chão da estrada, / nossa força não pode minguar. / O alimento desta caminhada / é o próprio Cristo neste altar.

690 (Tom: G) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

688 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Zezinho
É por causa do meu povo machucado / que acredito em religião libertadora. / É por causa de Jesus ressuscitado / que acredito em religião libertadora. 1 – É por causa dos profetas que anunciam, / que batizam, que organizam, denunciam. / É por causa de quem sofre a dor do povo, / é por causa de quem morre sem matar. 2 – É por causa dos pequenos oprimidos, / dos seus sonhos, dos seus ais, dos seus gemidos. / É por causa do meu povo injustiçado, / das ovelhas sem rebanho e sem pastor.

1 – Meu Pão, minha Vida, / sem ti não sei viver, / pois na comida encontro meu jeito de ser! / O trigo, esta uva, / me põem em feliz comunhão com o sol, / vento e chuva, / e toda a riqueza do chão! Povo feliz, / a Igreja vai, / nova canção a cantar! / Tem Bispo assim, / Pastor e Pai, / pondo este Pão sobre o altar! 2 – Meu Pão da Alegria, / sem ti não viverei: / Deus que me cria, / me diz: "Ser alegre é a lei!" / O céu é só festa, / os santos se alegram com Deus. / Este Pão me põe nesta / feliz comunhão com os céus! 3 – Meu Pão da Amizade, / sem ti não vou passar: / vida, em verdade, / é só ser amado e amar! / Pão que chega à mesa, / unindo centenas de grãos, /

neste altar, com certeza, / reúne os que Deus fez irmãos! 4 – Meu Pão da Esperança, / não sei viver sem ti; / pois na confiança, / já temos o céu por aqui! / É só nesta mesa / que eu posso encontrar o vigor / de exigir, com firmeza, / justiça na paz, com amor! 5 – Pão que ressuscita, / o’ vem me libertar: / vida bendita / é vida pra sempre durar! / Pão vivo é semente / de céu bem no meu coração, / e me faz ser mais gente, / na espera da ressurreição! 6 – Pão que se partilha, / sem ti meu ser decai: / somos família, / chamamos a Deus nosso Pai! / Os bens desta vida / pra todos serão, quer o Altar: / nada mais nos divida / na fé, no trabalho e no lar!

693 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Vejam, Eu andei pelas vilas, / apontei as saídas / como o Pai me pediu. / Portas, Eu cheguei para abri-las, / Eu curei as feridas como nunca se viu. Por onde formos também nós, / que brilhe a tua luz! / Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida. / Nosso caminho, então, conduz, / queremos ser assim! / Que o pão da vida nos revigore no nosso "sim"! 2 – Vejam, fiz de novo a leitura / das raízes da vida / que meu Pai vê melhor. / Luzes, acendi com brandura, / para a ovelha perdida não medi meu suor. 3 – Vejam, procurei bem aqueles / que ninguém procurava / e falei de meu Pai. / Pobres, a esperança que é deles, / Eu não quis ver escrava / de um poder que retrai. 4 – Vejam, semeei consciência / nos caminhos do povo, / pois o Pai quer assim. / Tramas, enfrentei prepotência / dos que temem o novo / qual perigo sem fim. 5 – Vejam, Eu quebrei as algemas, / levantei os caídos, / do meu Pai fui as mãos! / Laços, recusei os esquemas. / Eu não quero oprimidos, / quero um povo de irmãos. 6 – Vejam, procurei ser bem claro: / o meu Reino é diverso, / não precisa de rei! / Tronos, outro jeito mais raro / de juntar o disperso, / o meu Pai tem por lei. 7 – Vejam, do meu Pai, a vontade / Eu cumpri passo a passo. / Foi pra isso que Eu vim. / Dores, enfrentei a maldade, / mesmo frente ao fracasso, / Eu mantive o meu "sim"! 8 – Vejam, fui além das fronteiras, / espalhei Boa Nova: / todos filhos de Deus! / Vida, não se deixe nas beiras / quem quiser maior prova: venha ser um dos meus!

691 (Tom: E) Letra e Música: Ir. Egnalda Rocha
A partilha começa na mesa, / a justiça é rebento e certeza / de quem luta e abraça a razão / de fazer do pão comunhão. (bis) 1 – Acredito que a força do povo / forjará e fará o mundo novo, / porque o Pai é presença maior, / que caminha no meio de nós. (2x) 2 – Que o pão seja farto na mesa, / que a fome, ódio e tristeza / dêem espaço e criem esperança / pra fazer neste mundo mudança. (2x) 3 – Ofertamos o pão sacramento / e as mãos calejadas também / que constroem a fraternidade / com a força da comunidade. (2x)

692 (Tom: C) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Não pode faltar a Palavra, / não pode faltar o pão; / não pode faltar compromisso / a quem quer um mundo de irmãos. Teu pão, o’ Senhor, nos sustenta / na luta de um mundo melhor. / O teu Evangelho transforma! / Tu és nosso Deus salvador! (bis) 2 – Passaste no mundo dos homens, / fazendo a todos o bem. / Teu jeito de amar os humildes / a todos ensinas também. 3 – A boa notícia do Reino, / aos pobres Tu vens anunciar: / É Deus que se põe a seu lado, / é Deus que nos vem libertar. 4 – Contigo fazendo aliança, / fazemos também comunhão. / A causa que Tu abraçaste, / anima a tomar posição. 5 – Senhor, o teu povo reunido, / comunga teu gesto de amor, / aprende a viver a partilha, / dos pobres se faz defensor.

694 (Tom: D) Letra: Pe. Almir Gonçalves dos Reis / Música: José
Edson R. de Freitas

Na mesa do lar, a família reparte seu pão. / Na mesa do altar, / renovamos fraterna união. (2x) 1 – No deserto saciaste, o’ Senhor, / o teu povo com maná. / Também, hoje, o teu povo passa fome / e procura o teu altar: / são famílias exploradas por um mundo / que não sabe partilhar. 2 – E na terra prometida, o’ Senhor, / o teu povo teve um lar. / Novamente, este povo peregrino / tua casa vem buscar: / são famílias ao relento, sem ter teto / e nem chão onde plantar.

3 – No exílio sustentaste, o’ Senhor, / o teu povo na esperança. / Ainda hoje há profetas, animando / a coragem no lutar: / das famílias que, embora oprimidas, / ainda sabem te louvar. 4 – Novo rumo concedeste, o’ Senhor, / ao teu povo com Jesus. / O Caminho, a Verdade e a Vida / tua gente vem buscar: / são famílias excluídas e migrantes, / neste mundo, a caminhar. 5 – Aos discípulos Tu deste, o’ Senhor, / teu Espírito de amor. / Este povo que precisa de tua força, / sempre volta ao teu altar: / são famílias que desejam a chegada / do teu Reino apressar.

695 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Por essa paz que a juventude tanto quer, / pela alegria que as crianças têm à mão, / Eu rendo graças ao meu Pai que se compraz, / e assim me pede para abrir meu coração. Tomai, comei, tomai, bebei meu Corpo e Sangue que vos dou. / O Pão da vida sou Eu mesmo em refeição! / Pai de bondade, Deus do amor e do universo, sustentai / os que se doam por um mundo irmão! 2 – Pelos que firmam na justiça os próprios pés, / pelo suor dos que mais lutam pelo pão, / Eu rendo graças ao meu Pai, o Deus fiel, / que assim me pede para abrir meu coração. 3 – Pelos que sabem enxergar um pouco além, / e assim repartem a esperança com razão, / Eu rendo graças ao meu Pai que tudo vê, / e assim me pede para abrir meu coração. 4 – Pelos que choram, mas não perdem sua fé, / pelos humildes que praticam o perdão, / Eu rendo graças ao meu Pai que vem nutrir, / e assim me pede para abrir meu coração. 5 – Pelos pequenos que só sabem confiar, / pelos que sabem dizer sim e dizer não, / Eu rendo graças, que o meu Pai tudo sustém, / e assim me pede para abrir meu coração. 6 – Por todo aquele que ainda sabe agradecer, / e por quem ama sem pensar em condição, / Eu rendo graças ao meu Pai, o Deus-Amor, / que assim me pede para abrir meu coração. 7 – Por minha vida, por meu povo, pelos meus, / Eu rendo graças, que o meu Pai estende as mãos, / tudo sustenta, e nos renova, e dá vigor, / e assim me pede para abrir meu coração.

Vamos, braços abertos, junto com Jesus Cristo, / viver esta vida, dom a partilhar. / Não, ninguém se omita, temos de alegrar / a todo irmão que procura a paz, a paz no seu coração. 2 – Sempre haverá, junto a um altar, / gente a pedir e a agradecer; / gente a esperar e a celebrar / o amor de Cristo vivo entre nós. 3 – Celebração é verdadeira / quando se quer ser comunhão; / quando lutamos e acreditamos que o amor de Cristo vive entre nós. 4 – Quando há encontro, sempre há desejo / de se libertar da solidão. / Aqui, no altar, somos irmãos, / pois Jesus Cristo vive entre nós. 5 – Eu sou feliz, tu és feliz, / somos felizes, é nosso cantar. / Sempre que posso, aqui vou voltar, / pois Jesus Cristo vive entre nós.

697 (Tom: A) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

1 – Deus põe a mesa e vai seu povo reunindo: / quer rico e pobre o mesmo Pão de Deus partindo! / A gente só reparte o pão / com quem é nosso irmão: / bendito Altar que irmana mais a gente! Jesus, feito Pão, és dom supremo! / Jamais Deus se revelou assim: / com seu poder, para fazer milagre extremo, / com seu amor, chegando mesmo até o fim. 2 – Meu alimento é hóstia e vinho consagrado: / quem me sustenta é meu Senhor ressuscitado. / Aqui já tenho a garantia / de ressurgir um dia: / bendito Pão que ressuscita a gente! 3 – O vinho é Sangue derramado! O pão, partido... / Todo o calvário aqui nós temos revivido! / Quiseste assim, em cada altar, / o teu perdão nos dar: / bendita Missa que redime a gente! 4 – Quem vive triste porque, pensa, é solitário, / tem em Jesus o companheiro no sacrário. / Eu sei que estás assim comigo, / meu Deus e meu Amigo: / Oh! sacramento que me faz mais gente! 5 – Na Santa Ceia, Tu disseste: "Façam isto!"/ A Igreja, assim, vai perpetuar o nosso Cristo. / O mundo quer mais comunhão / – A Missa é uma missão: / feliz quem vive o que Ele ensina à gente!

696 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – É comunhão, é união, / é amizade, fraternidade. / Vamos cantar, vamos louvar / o amor de Cristo vivo entre nós.

698 (Tom: Dm) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci
Farias

1 – Jorra uma fonte de graça de teu sacrifício na Cruz, o’ Senhor, / que é renovado na missa, lembrança perpétua da morte de um Deus vencedor.

Evangelização nos leva até o próprio Deus / aqui, na Eucaristia, e noutra vida que virá, no céu. 2 – Para anunciar o Evangelho, a Igreja se nutre do vinho e do pão: / prova de amor que nos deste, exemplo de como devemos amar nosso irmão. 3 – Dizes, no teu testamento, que o mundo crerá, saberá quem Tu és; / vendo a unidade da Igreja, reflexo do amor entre ti e teu Pai, nos fiéis. 4 – Teu Evangelho renova, faz dar testemunho, nos leva a anunciar. / Quando ele é bem acolhido, mais um coração se une ao grupo cristão, para amar. 5 – Os pequeninos e pobres reclamam de nós desapego total: / na santidade, renúncia, a Igreja procura imitar teu amor radical. 6 – Sempre que a Igreja promove a paz, liberdade, justiça também, / lembra que está em quem sofre, e o amor só descansa se a dor não ferir mais ninguém.

1 – A farinha molhada na água é o pão. / A farinha molhada na fé é Jesus! / Eis o sonho que o mundo não quis entender: / Quem não comer, não viverá. 2 – Muita uva amassada no pé é o vinho. / Muita uva amassada na fé é Jesus! / Eis o sonho que o mundo não quis entender. / Quem não beber, não viverá.

701 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente
1 – A mesa tão grande e vazia de amor e de paz - de paz! / Aonde há o luxo de alguns alegria não há - jamais! / A mesa da Eucaristia nos quer ensinar - á, á, / que a ordem de Deus, nosso Pai, é o pão partilhar. Pão em todas as mesas, / da Páscoa a nova certeza: / a festa haverá / e o povo a cantar, aleluia! (2x) 2 – As forças da morte: a injustiça e a ganância de ter - de ter. / Agindo naqueles que impedem ao pobre viver - viver. / Sem terra, trabalho e comida, a vida não há - não há. / Quem deixa assim e não age, a festa não vai celebrar. 3 – Irmãos, companheiros na luta, vamos dar as mãos - as mãos. / Na grande corrente do amor, na feliz comunhão! - irmãos! / Unindo a peleja e a certeza, vamos construir - aqui / na terra o projeto de Deus: /todo o povo a sorrir!
4 – Que em todas as mesas do pobre, haja festa de pão - de pão. / E as mesas dos ricos, vazias,sem concentração - de pão! / Busquemos aqui, nesta mesa do Pão redentor- do céu , / a força e a esperança que anima o povo de Deus!

699 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Cantar a beleza da vida, / presente do amor sem igual: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, vem livrar-nos do mal! Vem dar-nos teu Filho, Senhor, / sustento no Pão e no Vinho, / e a força do Espírito Santo, / unindo o teu povo a caminho. 2 – Falar do teu Filho às nações, / vivendo como Ele viveu: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, vem cuidar do que é teu! 3 – Viver o perdão sem medida, / servir sem jamais condenar: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, vem conosco ficar! 4 – Erguer os que estão humilhados, / doar-se aos pequenos, aos pobres: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, nossas forças redobre! 5 – Buscar a verdade, a justiça, / nas trevas brilhar como a luz: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, nossos passos conduz! 6 – Andar os caminhos do mundo, / plantando teu Reino de paz: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, nossos passos refaz! 7 – Fazer deste mundo um só povo / fraterno, a serviço da vida: / missão do teu povo escolhido, / Senhor, vem nutrir nossa lida!

5 – Bendito o Ressuscitado, Jesus vencedor, ô, ô, / no pão partilhado, a presença Ele nos deixou deixou! / Bendita é a vida nascida de quem se arriscou, ô, ô, / na luta pra ver triunfar,neste mundo, o amor!

702 (Tom: G) Letra: Maria Luíza Ricciardi / Música: José Edson R. de
Freitas

700 (Tom: C) D.R.
O Corpo que era dEle eu comerei agora, / O Sangue que era dEle meu será! / A vida que era dEle eu viverei agora: / O sonho que era dEle meu será.

1 – Mesa pronta, toalha limpa, / flores, luzes e canções. / Nos olhares, um sorriso, / muita paz nos corações. / É a ceia partilhada / nesta casa de irmãos, / Páscoa sempre renovada, / recriando a comunhão. És, Senhor, o Deus da Vida, / És a Festa, és a Dança. / No banquete de tua casa, / Somos povo da Aliança. (2x) 2 – Somos povo em travessia / no deserto a caminhar, / revestidos de esperança, / contra o mal vamos lutar. / Na montanha contemplamos, / na sua glória e esplendor, /

Jesus Cristo, nosso Guia, / Companheiro sofredor. 3 – Procurando uma fonte, / já cansados de andar, / assentado, junto ao poço, / aqui vimos te encontrar. / Água viva, te pedimos, / faz brotar no coração. / Renascidos e libertos, / partiremos em missão.

703 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – É na Eucaristia que nós renovamos / nossa vida, nosso compromisso de ser luz e sal de Deus. Somos na Igreja o sacramento / do Reino celestial de união, de amor, / na vivência plena e total da mesma vida do Senhor. 2 – Não se faz Igreja sem Eucaristia: / força para o nosso testemunho é o Senhor, o altar, a cruz. 3 – Por Deus consagrados em favor dos homens, / somos enviados para a todos anunciar a salvação. 4 – Em comunidade, somos para o mundo / o sinal do Reino e dos valores que aqui constroem o céu. 5 – Para o Pai voltados, como Jesus Cristo, / com o irmão buscamos a justiça, o amor, o bem, a luz. 6 – Deus se faz encontro, Deus se faz presença, / para prolongarmos o seu Corpo, a sua voz, num sim total.

o Espírito e o Pai. / E um dia, eu bem sei, tu retornarás / e abrirás o Reino dos céus! 3 – Tu és minha força, outro Deus não há. / Tu és minha paz, minha liberdade, / nada nesta vida nos separará. / Em tuas mãos seguras minha vida guardarás. / Eu não temerei o mal, Tu me livrarás / e no teu perdão viverei! 4 – O’ Senhor da Vida, creio sempre em ti! / Filho salvador, eu espero em ti! / Santo Espírito de Amor, desce sobre nós, / Tu, de mil caminhos, nos conduzes a uma fé / e por mil estradas onde andarmos nós, / qual semente, nos levarás!

706 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – A nossa vida a um sopro é semelhante, / e nós passamos como o tempo, num instante, / pois são mil anos para Deus como um dia, / como a vigília de uma noite que se foi. Só Tu, meu Deus, / me dás o Pão que vence a morte, o mal e a dor. / Só Tu, meu Deus, / me dás o Pão da vida nova em teu amor. 2 – Tal como a flor que de manhã no campo cresce, / logo de tarde é cortada e fenece, / assim a vida é muito breve aqui, na terra, / feita de luta, de vaidade e muita dor. 3 – Que o teu Espírito nos dê sabedoria, / pra bem vivermos nossos anos, nossos dias. / Tem compaixão, Senhor, dos teus humildes servos, / e exultará de alegria o coração. 4 – Já aqui, na terra, Tu revelas tua bondade / a quem te busca sempre com sinceridade. / E é vivendo, na esperança desta glória, / que caminhamos ao clarão da tua Luz. 5 – Hei de cantar tua bondade eternamente, / me confiar à tua Graça tão somente. / Só Tu, Senhor, podes salvar a minha vida; e, desde já, me entrego inteiro em tuas mãos.

704 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O nosso Deus, com amor sem medida, / chamou-nos à vida, nos deu muitos dons. / Nossa resposta ao amor será feita / se a nossa colheita mostrar frutos bons. Mas é preciso que o fruto se parta / e se reparta na mesa do amor. (bis) 2 – Participar é criar comunhão, / fermento no pão, saber repartir. / Comprometer-se com a vida do irmão, / viver a missão de se dar e servir. 3 – Os grãos de trigo em farinha se tornam, / depois se transformam em vida no pão. / Assim, também, quando participamos, / unidos, criamos maior comunhão.

707 (Tom: Cm) Letra: José Thomaz Filho / Música: José Edson R. de
Freitas

705 (Tom: Dm) D.R.
1 – Tu és minha vida, outro Deus não há. / Tu és minha estrada, a minha verdade. / Em tua Palavra eu caminharei / enquanto eu viver e até quando Tu quiseres. / Já não sentirei temor, pois estás aqui, / Tu estás no meio de nós! 2 – Creio em ti, Senhor, vindo de Maria, / Filho eterno e santo, Homem como nós. / Tu morreste por amor, vivo estás em nós, / unidade trina com

1 – À beira do lago dos teus afazeres, / eu abro horizontes de luta e esperança. / A pescas maiores convoco teus braços: / que leves a paz onde impera a vingança. O tempo não pára, chegou minha hora. / Eu vou para o Pai, mas eu fico por perto: / Eu sou este Pão, este Vinho, este Amor! / Perfaz o caminho que encontras aberto! 2 – A história dos homens tem tanta cobiça, / inveja, opressão e desdém pelos fracos. / Chegou novo tempo, de plena mudança: / sou luz, Boa Nova aos teus olhos opacos.

3 – Revelo outro lado, que é pleno de brilho: / é assim que meu Pai quer a vida de todos! / Pois vai, transfigura esta terra dos homens: implanta a justiça, demite os engodos. 4 – Não penses que a dor é dos céus um castigo. / Meu Pai não se move por vil julgamento, / mas quer corações bem fiéis, renovados; / não fere o caído, lhe dá seu sustento. 5 – Te quero comigo. Proclama bem alto: / "O’ vós, que esbanjastes, voltai para casa! / Plantemos de novo o sustento de todos, / que a vida se alegra, que a paz não se atrasa!" 6 – Supera estas leis que têm dupla medida: / condenam o pobre, o mais fraco, o pequeno, / enquanto mantêm a opressão e a mentira. / Em vez de mil pedras, semblante sereno!

5 – Irei ao Pai: sinto a vossa tristeza; / porém, no céu, vos preparo outra mesa. 6 – De Deus virá o Espírito Santo / que vou mandar pra enxugar vosso pranto. 7 – Eu vou, mas vós me vereis novamente; / estais em mim e Eu em vós estou presente. 8 – Crerá em mim e estará na verdade / quem vir cristãos na perfeita unidade.

710 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. José Weber
Prova de amor maior não há / que doar a vida pelo irmão. (bis) 1 – Eis que Eu vos dou o meu novo mandamento: / "Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado". 2 – Vós sereis os meus amigos se seguirdes meu preceito: / "Amai-vos...” 3 – Como o Pai sempre me ama, assim também Eu vos amei: / "Amai-vos...” 4 – Permanecei em meu amor e segui meu mandamento: / "Amai-vos...” 5 – E, chegando a minha Páscoa, vos amei até o fim: / "Amai-vos...” 6 – Nisto todos saberão que vós sois os meus discípulos: / "Amai-vos...”

708 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Na mesa sagrada, se faz unidade / no pão que alimenta, que é o pão do Senhor. / Formamos família na fraternidade: / não há diferença de raça e de cor. Importa viver, Senhor, / unidos no amor, / na participação, / vivendo em comunhão! (bis) 2 – Enquanto na terra o pão for partido, / o homem nutrido se transformará, / vivendo a esperança num mundo melhor: / com Cristo lutando, o amor vencerá. 3 – Chegar junto à mesa é comprometer-se, / é a Deus converter-se com sinceridade. / O grito dos fracos devemos ouvir, / e, em nome de Cristo, amar e servir. 4 – Se participamos da Eucaristia, é grande a alegria / que Deus oferece, / porém não podemos deixar esquecida / a dor, nesta vida, que o pobre padece. 5 – Assim, comungando da única Vida, / a morte vencida será nossa sorte. / Se unidos buscarmos a libertação, / teremos com Cristo a ressurreição.

711 (Tom: F) Letra e Música: Lindberg Pires
1 – São muito felizes os que crêem mesmo sem ver / que estás, Senhor Jesus, sob o pão presente e vivo / no meio de nós. Eis o meu Corpo, / tomai e comei! / Eis o meu Sangue, / tomai e bebei! 2 – Só tua vitória sobre a morte fez-nos sorrir. / É a alegria de saber: / o futuro de nossa vida / é viver junto ao Pai. 3 – Com esta certeza de teu Reino estar entre nós, / entregamos-te, Senhor, nossa vida, e trabalhar / na construção da paz. 4 – Juntos, nesta hora, nós queremos te agradecer, / pois tua vida em nossa vida nos faz, Senhor, / ser sinais de um futuro feliz.

709 (Tom: F) Letra e Música: Waldeci Farias
1 – Eu quis comer esta ceia agora, / pois vou morrer, já chegou minha hora. Comei, tomai! É meu Corpo e meu Sangue que dou, / vivei no amor, / eu vou preparar a ceia na casa do Pai. (bis) 2 – Comei o pão: é meu Corpo imolado / por vós; perdão para todo pecado. 3 – E vai nascer do meu Sangue a esperança, / o amor a paz; uma nova aliança. 4 – Vou partir; deixo o meu testamento: / Vivei no amor, eis o meu mandamento.

712 (Tom: G) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

1 – Senhor, vem dar-nos sabedoria, / que faz ter tudo como Deus quis. / E assim faremos da Eucaristia / o grande meio de ser feliz. Dá-nos, Senhor, esses dons, essa luz, / e nós veremos que Pão é Jesus. 2 – Dá-nos, Senhor, o entendimento, que tudo ajuda a compreender. / Para nós vermos como é alimento / o Pão e o Vinho que Deus quer ser.

3 – Senhor, vem dar-nos divina ciência, / que, como o Eterno, faz ver sem véus: / "Tu vês por fora, Deus vê a essência, / pensas que é pão, mas é nosso Deus". 4 – Dá-nos, Senhor, o teu conselho, / que nos faz sábios para guiar. / Homem, mulher, jovem e velho / nós guiaremos ao santo altar. 5 – Senhor, vem dar-nos a fortaleza, / a santa força do coração. / Só quem vencer vai sentar-se à Mesa, / para quem luta Deus quer ser pão. 6 – Dá-nos, Senhor, filial piedade, / a doce forma de amar, enfim, / Para que amemos quem, na verdade, / aqui amou-nos até o fim. 7 – Dá-nos, enfim, temor sublime / de não amá-los como convém: / O Cristo-Hóstia, que nos redime; / o Pai celeste, que nos quer bem.

esta chama tenho que acender. / Eu cumpro a ordem do meu coração. 4 – Aqui dentro, o amor nos entretém, / e, lá fora, o dia eterno vem. / Finalmente, nós seremos um / e teremos tudo em comum. / Eu cumpro a ordem do meu coração.

715 (Tom: A) Letra: Pe. Lucas de Paula Almeida / Música: Pe. Lauro
Palú

713 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Todo aquele que crê em mim, / um dia ressurgirá / e comigo, então, se assentará / à mesa do banquete de meu Pai. 1 – Aos justos reunidos neste dia / o Cristo, então, dirá: / Oh, venham gozar as alegrias / que meu Pai lhes preparou. 2 – A fome muitas vezes me abateu, / fraqueza Eu senti. / Vocês, dando o pão que era seu, / mais ganharam para si. 3 – E, quando Eu pedi um copo d'água, / me deram com amor, / e mais consolaram minha mágoa, / ao me verem sofredor. 4 – Eu lembro que também estive preso: / terrível solidão. / Vocês aliviaram este peso / com a sua compreensão. 5 – O frio me castigava sem piedade, / não tinha o que vestir; / num gesto de amor e de bondade, / vocês foram me acudir.

1 – Na comunhão recebemos / teu Corpo e Sangue, Senhor, / e tua vida divina, / dons do teu grande amor. / São nossa força na luta, / fazem vencer todo mal / e nos conduzem ao Pai, / glória a Deus imortal. Senhor Jesus, Senhor Jesus, / Deus vivo e vencedor. (bis) 2 – Entre as angústias da vida / não cairemos jamais, / pois tua força nos leva / a caminhar sempre mais. / Na comunhão nos deixastes / força e motivo de amor. / Todo caminho da vida / nos traga sempre ao altar. 3 – Ao comungar, caminhamos / para o altar com o irmão; / o teu amor nos atrai, / centro de nossa união. / Em cada esforço que pedes, / vamos sentir tua mão, / vamos sentir que nos dais / força de ressurreição.

716 (Tom: D) Letra: Roberto L. de Souza / Música: Eriberto de Jesus
Carvalho

714 (Tom: Dm) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci
Farias

Procuro abrigo nos corações, / de porta em porta, desejo entrar. / Se alguém me acolhe com gratidão, / faremos juntos a refeição. (2x) 1 – Eu nasci pra caminhar assim. / Dia e noite, vou até o fim. / O meu rosto o forte sol queimou, / meu cabelo o orvalho já molhou. / Eu cumpro a ordem do meu coração. 2 – Vou batendo até alguém abrir, / não descanso, o amor me faz seguir. / É feliz quem ouve a minha voz / e abre a porta: entro bem veloz. / Eu cumpro a ordem do meu coração. 3 – Junto à mesa vou sentar depois / e faremos refeição nós dois. / Sentirá seu coração arder / e

Vem, Senhor, faze entre nós / novamente moradia / pra juntarmos nossa voz / no altar da Eucaristia! / "Chama os pobres da cidade, / traze o irmão que não tem lar, / para entrar na minha casa, / que assim hás de abençoar! 1 – Há crianças pela rua, / há famílias pelo chão; / nas calçadas, gente nua.../ onde moras, meu irmão? 2 – Há favelas na cidade, / pouco teto, pouco chão; / quem pergunta, com bondade: / onde moras, meu irmão? 3 – Moradias sem ter água, / sem ter luz, na escuridão; / sem esgoto e muita mágoa: / onde moras, meu irmão? 4 – Muitos chegam à cidade, / vêm fugindo do sertão; / e, ao relento, não se sabe: / onde moras, meu irmão? 5 – Há famílias despejadas / que pagar não podem, não / prestações tão elevadas. / onde moras, meu irmão?

717 (Tom: Em) Letra e Música: Ir. Maria das Graças Nunes

Venham todos, amigos de meu Pai, / participar do seu Reino de amor. / O que fizerem ao pobre e ao pequeno, / é a mim que o estão fazendo. 1 – Se alguém tem sede, dê-lhe de beber; / se alguém tem fome, dê-lhe de comer. / Sede e fome também de justiça, / de amor e paz e de alegria! 2 – Se alguém foi preso, vá encontrá-lo; / se alguém está triste, vá consolá-lo. / Deus fez o homem com liberdade, / Ele os quer todos na verdade. 3 – Se alguém enfermo, vá visitá-lo; / se maltrapilho, não vá deixá-lo. / Todos querem a sã bondade, / sempre viver na igualdade. 4 – Se peregrino, sem o seu lar, / procure sempre o abrigar. / Vivam unidos, filhos de Deus Pai, / irmãos em Cristo, buscando a paz. 5 – Por que existe tal realidade: / fome, doença, tanta maldade? / Quem permite a opressão, / faz sofrer Cristo no seu irmão.

Permanecei no meu amor. / Quando treme a esperança, / Permanecei em mim!

719 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Dois amigos caminham pela estrada, / conversando a respeito do Senhor, e um Deus acompanha essa jornada, / escondido num simples viajor. Se dois ou mais se reunirem em meu nome, / com o desejo de a verdade compreender, / no meio deles estarei saciando a fome,/ partindo o pão, Eu me darei a conhecer! 2 – Quando chegam à noite, à cidade, / Jesus quer o caminho prosseguir, / mas o acolhem, num gesto de bondade, / pra que fique, não deixam de insistir. 3 – Convidado a sentar-se à sua mesa, / para simples e amiga refeição,/ o Senhor lhes garante com certeza / que abençoa quem serve e dá seu pão. 4 – Também nós caminhamos lado a lado, / cada dia encontramos nosso irmão. / Só o acolhe quem não vai apressado, / com lugar para o amor no coração. 5 – A presença de Deus traz alegria, / mas exige cuidado e atenção, / pois no humilde se esconde cada dia, / e é tão simples que cabe neste pão. 6 – O’ Senhor, que te deste em comida, / sustentando o nosso caminhar,/ entre os teus fica hoje e toda a vida, / pois contigo queremos nós ficar!

718 (Tom: E) Letra e Música: Frei Luiz Carlos Susin
Eu sou a Videira, meu Pai é o Agricultor. / Vós sois os ramos, permanecei no meu amor! 1 – Para dar muito fruto, / Permanecei no meu amor. / Para dar amor puro, Permanecei no meu amor. / Como ramos ao tronco, / Permanecei em mim! 2 – Para amar sem medidas, / Permanecei no meu amor. / Para dar vossas vidas, Permanecei no meu amor. / Para ser meus amigos, / Permanecei em mim! 3 – Para ver o caminho, / Permanecei no meu amor. / Para ver a verdade, / Permanecei no meu amor. / Para ter sempre vida, / Permanecei em mim! 4 – Para ser sal da terra, / Permanecei no meu amor. / Para ser luz do mundo, / Permanecei no meu amor. / Para ser testemunhas, / Permanecei em mim! 5 – Se o mundo odeia, / Permanecei no meu amor. / Se a dor vos assalta, / Permanecei no meu amor. / Se a morte vos chega, Permanecei em mim! 6 – Se vos dobra a tristeza, / Permanecei no meu amor. / Se amargo é o pranto, / Permanecei no meu amor. / Se inquieta a tentação, Permanecei em mim! 7 – Quando a noite é longa, / Permanecei no meu amor. / Quando não há estrelas, / Permanecei no meu amor. / Se a morte vos chega, / Permanecei em mim! 8 – Quando a estrada é difícil, / Permanecei no meu amor. / Quando o passo é impossível, /

720 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Eu sou o pão que vem do céu. / Quem crer em mim irá viver. 1 – Nós reconhecemos o Senhor partindo o pão, / mistério de amor, a nossa refeição. 2 – O Senhor Jesus no sacramento nos deixou / memorial da cruz: morte e ressurreição. 3 – Tão grande mistério adoremos neste altar; / que nossa fé sustente o nosso caminhar. 4 – Ao povo de Deus lá, no deserto, sem pão, sem lar, / Deus fez cair do céu comida salutar. 5 – Todos se assentaram, todos comeram até fartar; / glória e louvor a Deus, que vem nos alimentar. 6 – Corpo do Senhor é o pão que temos no altar, / e o vinho consagrado é o Sangue redentor.

721 (Tom: A) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Waldeci Farias
1 – Meu irmão, tu não vês, buscando vais em vão; / de teu ser os porquês, ninguém te diz, irmão! / Aqui no altar vem te dizer Deus, / que por ti morreu: / “Toda a razão do teu viver sou Eu!”

“Sou Pão! Eu sou a Refeição! / Só nesta mesaaltar tu poderás saciar teu coração! / Só Eu te amei até o fim. / Aqui Eu sou, Eu sou, enfim, teu Redentor!” 2 – Meu irmão! Vê, irmão, tens fome assim de amar. / Quanta dor, quanto não, achaste sem parar! / Aqui, no altar, teu Redentor / te diz: “A ti me dou, / todo teu bem, teu grande amor, Eu sou!” 3 – Solidão... estar só... só essa dor dói mais, / sem ninguém pra ter dó, sozinho assim tu vais. / Mas este altar te dá a paz, / teu Redentor o quis, / em comunhão tu viverás feliz. 4 – Queres, sim, reclamar justiça que não vês: / teu irmão sem lugar, está sem voz, nem vez. / Só com Jesus, teu Redentor, é que construirás, / com ódio, não, com muito amor, a paz! 5 – Ao tentar o prazer, sonhando ser feliz, / outra luz queres ter e nova diretriz. / Eu sou a Luz! Eu sou o Bem! / Teu Redentor Eu sou! / Só Eu te amei como ninguém te amou.

723 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – O mesmo Cristo que passava nos caminhos, / amando a todos e acolhendo os excluídos, / aqui se encontra neste pão que recebemos. / É seu desejo que vivamos sempre unidos. No Cristo-Pão, há encontro e acolhida, / nos animando a um novo encontro com a vida. 2 – Um Deus humano que se encontra com os simples / revela ao mundo o coração de Deus bondade. / Socorre enfermos e perdoa aos pecadores, / convida a todos para a mesa da unidade. 3 – Sinais de morte transformou em sinais de vida / porque à vida todos nós fomos chamados. / Os mudos falam e os coxos vão andando, / os oprimidos das prisões vai libertando. 4 – Deus, solidário com a dor da humanidade, / vem ao encontro da ovelha desgarrada. / Sustenta os fracos e dá pão a quem tem fome, / chamando a todos a uma nova caminhada.

722

(Tom: F) Letra: Maria Luíza Ricciardi / Música: Pe. José F.

724 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Eis o grande sacramento, / que o Senhor nos oferece. / Para ser nosso alimento, / Deus conosco permanece. Este encontro nos dá vida, / nos dá força e dá coragem. / Quem comer desta comida / terá forças na viagem. 2 – Transformando o pão e o vinho, / se tornou nosso alimento. / Vai conosco no caminho, / não nos deixa um só momento. 3 – Como outrora no deserto, / o Senhor se faz comida / e nos mostra o rumo certo / para a terra prometida. 4 – Que esta Santa Eucaristia, / em que Deus é repartido, / faça o pão de cada dia / ser melhor distribuído.

Campos

1 – Vem, meu povo, ao banquete da vida, / vem provar o sabor deste pão. / Partilhado no abraço fraterno, / na ternura de Deus-comunhão. Vem que a mesa já está preparada, / vem trajando a veste mais linda. / Há irmãos esperando nas ruas, / dize a todos que aguardo sua vinda. Nesta ceia, Senhor, partilhamos / tua vida no vinho e no pão. / No fraterno convívio, seremos / testemunhas da Ressurreição. (bis) 2 – Vem, meu povo, ao banquete da vida / entoar solidária canção, / que aos pequenos e pobres da terra / seja força de libertação. Vem em nome de todos os povos / espoliados da própria nação. / Nas antigas e novas culturas, / vê pegadas de Deus neste chão. 3 – Vem, meu povo, ao banquete da vida, / vem, de graça te dou minha paz. / Aos que choram perdidos no escuro / o arco-íris no céu mostrarás. Vem sentar-te à mesa entre amigos, / como povo a quem dou liberdade. / Sem temer a opressão, denuncia / o poder que não quer igualdade. 4 – Vem, meu povo, ao banquete da vida, / vem buscar a coragem de amar. / Se a defesa do Reino tomares, / com a vida terás que pagar. Vem, já vai despontar novo dia / de ciranda e festa geral. / Já se avista a terra sem males, / milenar esperança pascal.

725 (Tom: D) Letra: Dom Carlos Alberto Navarro / Música: Ir. Míria
T. Kolling

1 – - Fui judeu plenamente, / na Cultura, na mente / o Evangelho preguei, / da vida falei, / e o povo entendeu. - O’ Jesus, tua Igreja imitar-te deseja: / às diversas culturas vai levar o amor do Pai! - “Vinde, assentai-vos à mesa! / Corpo e Sangue vos dou! / Quero ver meu fogo arder!” - Cristo, novo ardor, com certeza, / abrasou tua Igreja, nesta chama acesa!

2 – - Amo o Pai, que me ama! / Amo o Espírito em chama! / Três em Um: Comunhão! / Um só coração! / Cristãos, aprendei! - Sim, Senhor, aprendemos; / testemunho daremos. / Forte o amor entre nós será / e o mundo então crerá. 3 – - Eu não vim ser servido; / vim servir e convido: / Quem fizer como eu fiz, / e grande e feliz / no Reino do céu! - Toma igual compromisso. / Tua Igreja a serviço, / construindo um Brasil melhor / na paz, justiça e amor. 4 – - Pouco a pouco, a Trindade / revelou amizade. / Com amor, dialogou / e vos convidou à plena união. - Cristo, a escola divina, / tal Diálogo ensina: / Aos cristãos e aos não cristãos, / chamar à comunhão. 5 – - Qual fiel emissário, / fui do Pai Missionário, / minha boca se abriu, / meu pé se feriu; não pude calar! - Missionário celeste, / teu Anúncio nos deste: / “Quem está perto ou distante irá / ouvir tua voz chamar”.

727 (Tom: F) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Pe. José F.
Campos

726 (Tom: Am) Letra e Música: Joel Elói Franz
1 – Ele não disse: Isto é como se fosse... / Ele não disse: Isto é apenas a lembrança... / Ele não disse: Isto é simbologia... / Ele disse: Isto é o meu Corpo, / que é dado por vós! Que é dado por vós! / Que é dado por nós! 2 – Ele não disse: Isto é como se fosse... / Ele não disse: Isto é apenas a lembrança... / Ele não disse: Isto é simbologia... / Ele disse: “Isto é o meu Sangue / derramado por vós!” / Derramado por vós! Derramado por nós! 3 – “Se dois ou mais se reunirem em meu nome, / no meio destes sempre me farei presente”. / Participando e renovando cada vida / promessa feita, templo vivo / nessa gente que reparte o pão, / que reparte o pão, / que se faz comunhão. 4 – Cristo nos mostra a importância do alimento. / Mostrou o quanto é sagrado o que se come. / Filosofia, economia ou ciência, / de nada adianta quando o povo passa fome! / Não só ao meu redor / ajudai-me a ver horizonte maior. 5 – Eu acredito e até sinto sua presença / que incomoda esse meu grande comodismo. / Mostra que pouco ou nada de mim é doado, / pouco de mim estou deixando ao meu redor! / Ajudai-me a amar! Ajudai-me a amar! / Ajudaime a amar!

Eis meu Corpo, que é dado por vós, / eis o Sangue da Nova Aliança, / é a taça do Novo Milênio / para o mundo sinal de esperança. 1 – Senhor, suba até Vós um canto novo, / um hino de louvor e gratidão. / Sois Vós, que sustentais o vosso povo / na força deste vinho e deste pão. 2 – Senhor, estais conosco cada dia, / no campo, na cidade ou no deserto. / E, mesmo quando a noite é mais sombria, / sois Vós, que nos mostrais o rumo certo. 3 – Milênios vão passando velozmente, / no giro do Universo pelo espaço. / Mas Vós sois o amor sempre presente / que envolve o céu e a terra em seu abraço. 4 – É este o vosso novo mandamento: / “Amai-vos como eu mesmo vos amei”. / Do Reino Ele é a base e o fundamento, / no qual está contida toda a lei. 5 – Unidos no banquete da alegria, / no qual sois o convite e a refeição, / Sejamos pacientes na ousadia / da luta pelo Reino em construção. 6 – Possamos criar juntos, como irmãos, / unindo nossas forças, nosso amor, / um mundo de homens novos, cidadãos, / libertos da miséria e do rancor. 7 – E, quando formos livres de verdade, / amando simplesmente por amar, / o Reino se fará realidade, / e em nós a vossa glória brilhará.

728 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Quem acendeu uma luz / não a esconde, pois quer ver brilhar. / O meu Senhor com sua cruz / foi caminho pra ressuscitar. / Sei que seu Reino de amor / quer meus passos com seu valor. “Quero o meu Reino do céu nesta terra. / Eis que a vontade do Pai tudo encerra. / Vai cultivá-la em teu chão. / Sou teu próprio Pão!” 2 – Quem as sementes plantou / vai cuidando, quer vê-las brotar. / O meu Senhor me chamou, / me ensinou, me mandou semear. / Sei que em seu Reino o maior / tem tarefa: servir melhor. 3 – Quem temperou com o sal / tem medida pra não estragar. / O meu Senhor fez igual, / renovou corações sem cessar. / Sei de seu Reino o sabor: / a esperança onde existe a dor. 4 – Quem com fermento compôs / vê que a massa não vai se perder. / O meu Senhor se propôs / ser a força de quem quer crescer. / Sei que seu Reino, afinal, / quer a vida em vigor total.

5 – Quem peregrino se faz / não ajunta tesouros pra si. / Ao meu Senhor só lhe apraz / dar as mãos, repartir por aqui. / Sei que seu Reino não quer / nem escravo nem senhor qualquer. 6 – Quem, num espelho, se olhou / reconhece as razões que entretém. / O meu Senhor revelou / que a vontade do Pai vai além. / Sei que seu Reino se faz / nos meus passos, se planto a paz.

4 – Lá, na Penha, a Senhora bendita / tem nos olhos de Mãe novo brilho. / Quem assim nessa Hóstia acredita / é seu fã, seu devoto, seu filho. 5 – Pão do pobre que em Deus só confia, / alimento da comunidade. / Vem! Ensina-nos, Eucaristia, / os caminhos da fraternidade.

731 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Tenho sede! Tu és a Fonte! / Tenho fome! / Tu és o Amor! / Pão e Vinho - Santa Eucaristia, / dá-me a comer, beber, Senhor! 1 – Sede ardente tens, Divino Coração, / fogo em chamas, Tu nos queres inflamar! / Me dá tua sede, me dá tua fome: / quero ajudar-te a salvar os meus irmãos! 2 – Fome e sede tens do nosso puro amor, / mais que de obras, grandes coisas e saber. / Total entrega à tua vontade: / o meu viver e o meu morrer és Tu, Senhor! 3 – Se, Jesus, te dás a mim na Comunhão, / eu me darei também a ti, meu Salvador! / Nada no mundo vai separar-nos: / Tu és meu Tudo, é teu inteiro o coração! 4 – Se Tu deixas lá, no alto, o teu céu, / um outro queres encontrar no coração. / Vem, já não tardes! Meu ser te espera: / Pequeno céu imenso amor, hoje sou eu! 5 – Por amor nos dás tua vida numa Cruz. / Na Eucaristia, de presente, o dom maior! / Presença amada e desejada: / meu coração, tua hóstia viva, eu sou, Jesus! 6 – Gota d’água no oceano a se perder / é a minha vida com a tua uma só: / eu já não vivo, em mim Tu vives! / Que outro céu senão o Amor quisera eu ter?!...

729 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Quando te domina o cansaço / e já não puderes dar um passo; / quando o bem ao mal ceder / e tua vida não quiser / ver um novo amanhecer: / Levanta-te e come! (2x) / Que o caminho é longo! caminho longo! Eu sou teu Alimento, o’ caminheiro! / Eu sou o Pão da Vida verdadeiro! / Te faço caminhar, / vale e monte atravessar, / pela Eucaristia, / Eucaristia! 2 – Quando te perderes no deserto, / e a morte então sentires perto, / sem mais forças pra subir, / sem coragem de assumir / o que Deus de ti pedir: / Levanta-te... 3 – Quando a dor, o medo, a incerteza, / tentam apagar tua chama acesa, / e tirar do coração / a alegria e a paixão, / de lutar, não ser em vão: / Levanta-te... 4 – Quando não achares o caminho, / triste e abatido, vais sozinho, / o olhar sem brilho e luz, / sob o peso de tua cruz, / que a lugar nenhum conduz: / Levanta-te... 5 – Quando a voz do anjo então ouvires, / e o coração de Deus sentires / te acordando para o amor, / renovando o teu vigor / Água e Pão, o Bem Maior: / Levanta-te...

730 (Tom: C) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria Therezinha
Kolling

732 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Na sua despedida, orando com os seus, / Jesus se fez comida, tornou-se Pão de Deus. Recebe, o’ Pai, no Filho feito pão, / louvor e ação de graças e a nossa adoração! (bis) 2 – Na Santa Eucaristia Jesus é nosso pão; / é força que irradia os dons da salvação. 3 – Quem come desta mesa jamais irá morrer; / na glória, com certeza, com Deus irá viver. 4 – Quem come esta comida assume uma missão; / unir-se ao Deus da vida, na vida dos irmãos.

Fonte de Alegria, / Santa Eucaristia, / Vida para a Igreja: / Sê em nossa História / O Pão da Vitória / Que o Brasil deseja! 1 – Somos terra do Espírito Santo / onde a Igreja há cem anos floriu. / Em Congresso, hoje somos, portanto, / o fiel coração do Brasil. 2 – Como o nosso altaneiro Penedo / vela sobre a cidade e a baía. / No Sacrário, Jesus em segredo / nos defende, nos guarda e nos guia. 3 – Nossas praias – patena dourada – / colhem hóstias de espuma do mar. / Quem te fez bela assim, Pátria amada. / Vem, Brasil, na Hóstia santa, adorar!

733 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1 – Ninguém pode calar a voz, / ninguém pode forjar a razão. / Ninguém pode conter de novo / o grito do povo faminto de pão.

Se entre nós / já existe a partilha,/ entremos na fila / do amor comunhão. (bis) 2 – O’ Senhor, tantos braços fechados / poderiam se abrir, dar as mãos. / Quantos lábios tão mudos, cerrados, / não querem falar, defender o irmão. 3 – O’ Senhor, tantos trabalhadores / e outros tantos sem ocupação, / esperando trabalho e salário, / o pobre operário a viver de ilusão. 4 – O’ meu Deus, há mulheres sofrendo, / há crianças na rua sem pão, / e a Igreja se faz solidária, / na prece diária, convida à ação. 5 – Pais e filhos, família unidas, / sem conflito, sem dor e exclusão. / Se a Palavra do Pai acolhemos, / no lar viveremos a paz e o perdão. 6 – Se em ti tudo é só tristeza / nem mais força tens pra oração, / com as mãos elevadas aos céus / ofertas a Deus todo o teu coração.

de se doar sem medida, / deixa que compreendamos / que este é o sentido da vida. 3 – Ao virmos te receber, / nós te pedimos, o’ Cristo: / faze vibrar nosso ser, / indo ao encontro ao Pai Santo / sem descuidar dos irmãos, / mil faces da tua face. / Faze que o coração sinta / a força da Caridade.

736 (Tom: C) Letra e Música: José Raimundo Brandão
1 – Para celebrar a festa, / vamos fazer uma refeição. / No cardápio há pão e vinho, / alimento adequado para a salvação. Eis o meu Corpo, tomai e comei! / Eis o meu Sangue, tomai e bebei! / Fazei isto em memória de mim / hoje e sempre, pelos séculos sem fim. 2 – Toda a comunidade / é chamada à mesa do altar. / Da Palavra, do pão e do vinho / outra vez para se alimentar. 3 – Nossa vida comunitária, / alimentada pelos sacramentos, / testemunha pra que o mundo creia / no amor, “primícia” dos mandamentos. 4 – Saciados para o objetivo / de uma nova evangelização: / Novas metas, expressões e ardor / na busca de outros cristãos.

734 (Tom: A) Letra e Música: Geraldo Carlos da Silva
Vinde e vede como Deus é bom, / porque Ele é nossa redenção. / Vinde e vede como Deus é bom, / porque nos deu a libertação. 1 – Eis o pão que constrói o homem, / que promove a vida e nos leva a Deus. / Eis o líder que não aliena / e que alimenta os amigos seus. 2 – Eis o pão que nos equilibra / e nos desenvolve de modo integral. / É o Cristo que nos fortalece / para o crescimento do homem total. 3 – Este pão não é subterfúgio / de quem nesta lida foge do dever, / pois o Cristo só nos enriquece / se correspondermos ao seu querer. 4 – Nossa mente ganha mais saúde / e a nossa vida muito mais vigor. / Este pão sustenta a caminhada / até nossa morada junto do Senhor. 5 – Eis aqui o pão que enobrece / o homem que é pobre, mas ama o Senhor. / O sorriso do cristão alegre / traz deste alimento todo o seu sabor.

737 (Tom: E) Letra e Música: Zé Martins
1 – Vê este povo que caminha a sofrer, / procurando saber onde chegar. / Chegue aqui, Senhor, vem nos alimentar / deste pão, que é teu Corpo, venha nos guiar. Vem, Senhor Jesus, com teu povo caminhar, / vem ser a vida que nos há de libertar. / Vem, Senhor Jesus, deste povo ser o pão / que nos há de reunir nesta mesa-comunhão. 2 – Vê este povo que vai a chorar, / procurando acertar querendo viver. / Chegue aqui, Senhor, vem nos ensinar / neste pão, que é teu Corpo, o chão a pisar. 3 – Vê este povo que caminha sofrido, / tão oprimido sem poder viver. / Chegue aqui, Senhor, vem nos alimentar / deste pão, que é teu Corpo, venha nos salvar.

735 (Tom: G) Letra e Música: Joel Elói Franz
1 – Ao recebermos, Senhor, / tua presença sagrada, / pra confirmar teu amor, / faz de nós tua morada. / Surge um sincero louvor, / brota a semente plantada, / faz-nos seguir teu caminho, / sempre trilhar tua estrada. Desamarrem as sandálias e descansem, / este chão é terra santa, irmãos meus! / Venham, orem, comam, cantem, venham todos / e renovem a esperança no Senhor. 2 – O Filho de Deus com o Pai / e o Espírito Santo: / nesta Trindade um só Ser, / que pede a nós sermos santos. / Dá-nos, Jesus, teu poder /

738

(Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Ir. Míria

Therezinha Kolling

1 – Vem comigo à minha mesa, / vem nutrir toda esperança. / Dar as mãos é descobrir / que o meu Pai tudo anima e não cansa! Sim, eu vou, Senhor da vida, / vou juntar-me aos meus irmãos! / Vai florir um mundo novo, / semeado por tuas mãos.

2 – Vem comigo à minha mesa, / vem provar toda a alegria, / de manter a vigilância. / Há surpresas que a vida nos cria! 3 – Vem comigo à minha mesa / sustentar a persistência, / pois não basta dizer sim / e depois não tirar conseqüência! 4 – Vem comigo à minha mesa, / vem, aprende a ser pequeno, / que o meu Reino é de quem serve. / Mãos à obra! Que fértil terreno! 5 – Vem comigo à minha mesa, / vem buscar força e coragem / de acolher e perdoar, / que o meu Pai sabe ouvir tal linguagem! 6 – Vem comigo à minha mesa, / vem saber de tantas dores. / Põe nas mãos o desafio: / mundo irmão não tem rei nem senhores! 7 – Vem comigo à minha mesa, / vem cumprir minha memória, / vem juntar-te aos meus irmãos: / vamos lá renovar toda a história!

Venho, Senhor, te receber agora. / Teu santo Sangue, Senhor, / transborda meu coração, Senhor. 1 – E, ao receber teu Corpo e Sangue, Senhor, / possa em mim brotar a paz, o amor, a salvação. / E no teu altar seremos um em comunhão. / És grande, o’ meu Salvador! 2 – E, ao receber teu Corpo e Sangue, Senhor, / não se faça em mim motivo de condenação. / Mas se faça sim, Senhor, presença tua em mim. / És grande, o’ meu Salvador!

742 (Tom: E) Letra e Música: José Eugênio Rodolfo
Sim, eu sei, Jesus, que Tu estás aqui, / com meu coração posso te ver. / E te peço: vem manifestar a graça em mim, / esta comunhão renova o meu viver. / Sim, eu sei, Jesus, que vais falar em mim, / com meu coração posso escutar. / E eu te peço: vem manifestar a graça em mim, / com teu Corpo e Sangue vem me transformar. Eu não sou digno, Senhor, de que entres em minha morada, / mas dize uma palavra e terei a salvação. A Eucaristia se faz vida em minha vida. / Te recebo, meu Jesus, no coração. (2x)

739 (Tom: C) DR
1 – Alimento aos caminheiros, / o’ pão santo dos anjos, / maná celestial. / Senhor, não negue alimento / ao povo seu peregrino, / sedento de amor, / sedento de amor. 2 – Nesta hora tão sagrada / em que o pão é partilhado, / melhor não pode haver. / Senhor, não negue alimento / ao povo seu peregrino, / sedento de amor, sedento de amor. 3 – E também nós comungando / este pão que nos dá vida, / que grande refeição! / Senhor, não negue alimento / ao povo seu peregrino, / sedento de amor, sedento de amor. 4 – O’ Senhor, nós te pedimos: / dá-nos sempre este pão, / conforto dos cristãos. / Senhor, não negue alimento / ao povo seu peregrino, / sedento de amor, sedento de amor.

743 (Tom: D) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Eriberto
de Jesus

740 (Tom: G) Letra e Música: Paulão
1 – Na comunhão Jesus se dá no pão, / o Cordeiro imolado é refeição: / Nosso alimento de amor e salvação. / Em torno deste altar, somos irmãos. O pão da vida és Tu, Jesus, o pão do céu. / O caminho, a verdade, via de amor. / Dom de Deus, nosso Redentor. (bis) 2 – Toma e come, isto é meu Corpo, / que do trigo se faz pão e refeição. / Na Eucaristia o vinho se torna Sangue, / verdadeira bebida, nossa alegria.

741 (Tom: D) Letra e Música: Rodolfo Ribeiro
Venho, Senhor, te receber agora. / Teu santo Corpo, Senhor, me enche do teu amor. /

O meu Corpo e o meu Sangue vos dou. / O pão vivo, maná da aliança, / a serviço da vida do povo / que caminha na luz da esperança. 1 – Irmãos, agradeçamos ao Senhor, / louvando, demos graças ao seu nome. / É Ele que nos dá o pão do céu, / Pão vivo que sacia toda fome. 2 – É Ele que educa sua Igreja, / guiando-a por caminhos sempre novos. / E a cruz, que é loucura para muitos, / é sinal de amor e graça para os povos. 3 – E chama a todos nós, seu povo amado, / a sermos educados na irmandade, / fazendo a experiência que liberta / da vida construída em igualdade. 4 – É Ele que perdoa nossas faltas / e envolve-nos em graça e compaixão. / Aos pobres e pequenos deste mundo / dedica especial predileção. 5 – Senhor, uni em Cristo o vosso povo, / lembraivos de que sois misericórdia. / Fazei-nos construir um mundo novo / na paz, na justiça e na concórdia.

744 (Tom: A) Letra: Ir. Natalina Grande / Música: Frei Victor Krüger

1 – Sol do Amor, teu fulgor me fascina, como a águia, sedenta de luz; / voarei as alturas divinas, pequenina em teus braços, o’ Jesus! Vem, Senhor, com teu Corpo e teu Sangue, / tua morada em mim, vem fazer; / és a vida, sustento, esperança, alegria que faz meu viver. 2 – Com sorriso escondendo a dor, / abraçando entre rosas a cruz, / em anseio salvar multidões, / por sua graça, que imploro, / o’ Jesus! 3 – Teu amor que o mundo redime, / em teu sangue, vertido na cruz, / nos atraia, liberte e ilumine, / nos congregue em teu Reino, o’ Jesus! 4 – Com tua Mãe, que sorriu-me na vida, / eu te sigo, espalhando, Senhor, / pelo mundo as rosas colhidas, / no caminho onde brilha o amor!

6 – Na mesa da Eucaristia, miséria não pode existir, / pois povo que aqui se alimenta, / quer pão e amor dividir. 7 – Na mesa da Eucaristia, é Cristo o DeusComunhão, / de um povo que quer nova terra / e, unido, construir novos céus.

747 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Teu Filho amado, o’ Mãe querida, / na comunhão se tornou Pão da Vida. (bis) 1 – O Salvador, que geraste, Maria, / é nossa vida na Eucaristia. 2 – A humanidade que deste a Jesus, / é alimento que ao céu nos conduz. 3 – Ouvindo as preces da Mãe, com carinho, / o Filho amado mudou água em vinho. 4 – Pelos pedidos da Mãe tão querida, / Cristo Jesus mudará nossa vida.

745 (Tom: C) D.R.
1 – A tua santa Palavra nos diz que teu Corpo é pão, / por isso nós vamos agora à mesa da comunhão. / Tu te tornas humilde pão, alimentas todo cristão; / e um só Corpo nós somos em ti, repartindo esse único pão. 2 – Tu te deste na cruz por nós, Tu te dás neste pão; / nós nos damos a ti, Senhor, de todo o coração. / Te recebemos na Hóstia, Senhor, nosso Salvador e irmão. 3 – Todos, no amor, recebemos também, cantando este alegre refrão. / Unidos fiquemos contigo, Senhor, unidos com nosso irmão; / unidos louvando ao Pai de amor no Espírito da comunhão.

748 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Quando o teu Filho contigo vier / pra festa da vida fazer: / Ensina-nos, Maria, / a fazer o que Ele disser! Tudo é possível / nas tuas mãos, meu Senhor! / A Eucaristia / é teu Milagre de Amor! 2 – Quando o vinho do amor nos faltar, / e a gente ao irmão se fechar: / Ensina-nos, Maria... 3 – Quando na mesa do nosso irmão / faltar água, vida e pão: / Ensina-nos, Maria... 4 – Quando faltar a justiça entre nós, / e muitos ficarem sem voz: / Ensina-nos, Maria... 5 – Quando o serviço ao irmão nos custar, / cedendo à preguiça o lugar: / Ensina-nos, Maria... 6 – Quando o homem, em nome da paz, / matar o irmão pra ter mais: / Ensina-nos, Maria... 7 – Quando a tristeza invadir nosso ser, / e a vida o sentido perder: / Ensina-nos, Maria... 8 – Quando é difícil ser bom e ter fé / na Força e Poder que Deus é: / Ensina-nos, Maria...

746 (Tom: G) Letra: Pe. Vanildo de Paiva / Música: Pe. José Eugênio
Fonseca

1 – Na mesa da Eucaristia, o amor se faz doação / a um povo que vive e partilha, / trabalha e constrói mundo irmão. Comigo irá cear, o Pão da Vida ter / quem até o fim fiel permanecer! (2x) 2 – Na mesa da Eucaristia, lugar do encontro de iguais, / há um povo que quer a justiça, / que sonha com um mundo de paz. 3 – Na mesa da Eucaristia, divina lição de amar, / há um povo que sofre e caminha, / pra vida com alegria gerar. 4 – Na mesa da Eucaristia, a festa fazemos por crer, / que o povo alegre anuncia / que a vida vai a morte vencer. 5 – Na mesa da Eucaristia, não deve haver divisão: / Um povo que exclui outro povo, / irmão que abandona outro irmão.

749 (Tom: A) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Pra cumprir as escrituras, o’ Senhora, / que os profetas anunciavam com vigor, / recebeste do Senhor um mensageiro / te pedindo pra ser Mãe do Salvador. Eis aqui a serva do Senhor, / e alegre é meu viver / em Deus, meu Salvador. / Também nós, / nutridos deste pão, / digamos como irmãos: / Queremos te servir. 2 – O’ Maria, Santa Mãe da Providência, / teus serviços a Isabel oferecias; / neste encontro um

coração alegre exclama: / Dentre todas as mulheres és bendita. 3 – Completando-se os dias da chegada / de Jesus, nossa alegria e nosso bem, / deste à luz uma criança tão singela, / numa gruta, na cidade de Belém. 4 – Uma estrela no Oriente já brilhava, / reis da terra a seguiram pra encontrar. / O teu Filho, repousando em berço pobre, / com presentes vieram todos pra adorá-lo. 5 – Tu recordas quando a tarde já caía, / com José saíste aflita sem saber / onde estava teu Jesus; mas que alegria / ao achá-lo ensinando a Nova Lei. 6 – Teu olhar de Mãe sofrida no Calvário, / desfalece de tristeza aos pés da Cruz. / Mas rebrilha de alegria no sepulcro, / ao saber que ressurgiu a Nova Luz! 7 – Demos graças a Deus Pai onipotente, / por Maria, que mudou a nossa história; / junto aos anjos, junto aos santos celebremos / nossa Mãe no esplendor da eterna Glória.

751 (Tom: F) Letra: Ir. Maria Domitila / Música: Waldeci Farias
1 – É pão! É maná dos céus / o Corpo do meu Deus, / que, no seio puro da Virgem, por nós, / tornouse salvação! Vem, o’ Jesus, vem! / De nosso ser faz teu céu também! / Vem, Senhor Jesus! / Em nossa estrada, sê paz, sê luz! 2 – Senhor, que te fazes pão, / sacia o povo teu! / Que faminto vai à procura de amor, / de volta para o Pai! 3 – Jesus, vem nos transformar! / Nutridos deste pão, / possa ver em nós, da Trindade o olhar, / teu próprio coração! 4 – No amor dá-nos caminhar, / formando um coração. / Junto à Virgem Mãe descobrindo, na fé, / teu rosto em cada irmão!

752 (Tom: E) D.R.
1 – Senhor, nós te esperamos! / Senhor, não tardes mais! / Senhor, nós te esperamos! / Vem logo, vem nos salvar! 2 – O mundo morre de frio, / a alma não tem calor. / Os homens não são irmãos, / o mundo não tem amor. 3 – Envolto em noite escura, / o mundo sem paz não vê. / Tu és nossa esperança, / és a razão da nossa fé. 4 – Ao mundo falta a vida, / ao mundo falta a luz, / ao mundo falta Deus, / ao mundo faltas, Senhor! 5 – Do céu descendo à terra, / Jesus é o Salvador; / viveu, sofreu, morreu, / e nossa vida mudou. 6 – Passando em meu caminho, / meu coração conquistou. / Razão do meu viver, / a minha vida mudou. 7 – A minha solidão / tornou-se comunhão: / Um novo céu, nova terra / é a razão do meu cantar.

750 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Povo de Deus, foi assim: Deus cumpriu a palavra que diz: / “Uma virgem irá conceber”, / e a visita de Deus me fez mãe! – Mãe do Senhor, nossa Mãe, / nós queremos contigo aprender / a humildade, a confiança total, / e escutar o teu Filho que diz: Senta comigo à minha mesa, /nutre a esperança, reúne os irmãos, / planta meu Reino, transforma a terra. / Mais que coragem, tens minha mão! 2 – Povo de Deus, foi assim: / nem montanha ou distância qualquer / me impediu de servir e sorrir. / Visitei, com meu Deus. Fui irmã! – Mãe do Senhor, nossa Mãe, / nós queremos contigo aprender / desapego, bondade, teu “sim”, / e acolher o teu Filho que diz: 3 – Povo de Deus, foi assim: / meu menino cresceu e entendeu / que a vontade do Pai conta mais. / E a visita foi Deus quem nos fez! – Mãe do Senhor, nossa Mãe, / nós queremos contigo aprender / a justiça, a vontade do Pai / e entender o teu Filho que diz: 4 – Povo de Deus, foi assim: / da verdade jamais se afastou. / Veio a morte e ficou nosso pão. / Visitou-nos e espera por nós! – Mãe do Senhor, nossa Mãe, / nós queremos contigo aprender / a verdade, a firmeza, o perdão / e seguir o teu Filho que diz:

753 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Weber
Vem, o’ Senhor, com o teu povo caminhar, / teu Corpo e Sangue, vida e força, vem nos dar. (bis) 1 – A Boa Nova proclamai com alegria: / Deus vem a nós, Ele nos salva e nos recria. / E o deserto vai florir e se alegrar, / da terra seca flores, frutos vão brotar. (2x) 2 – Eis nosso Deus, e Ele vem para salvar, / com sua força vamos juntos caminhar / e construir um mundo novo e libertado / do egoísmo, da injustiça e do pecado. (2x) 3 – Uma voz clama no deserto com vigor: / "Preparai, hoje, os caminhos do Senhor". / Tirai

do mundo a violência e a ambição, / que não vos deixam ver no outro vosso irmão. (2x) 4 – Distribuí os vossos bens com igualdade, / fazei na terra germinar fraternidade. / O Deus da vida marchará com o seu povo, / e homens novos viverão num mundo novo. (2x) 5 – Vem, o’ Senhor, ouve o clamor da tua gente, / que luta e sofre, porém crê que estás presente. / Não abandones os teus filhos, Deus fiel, / porque teu nome é Deus-Conosco: Emanuel! (2x)

754 (Tom: C) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Convertei-nos, Senhor Deus do mundo inteiro, / sobre nós a vossa face iluminai! / Se voltardes para nós seremos salvos, / Vós que sobre os anjos todos assentais. Arrancastes do Egito esta videira e expulsastes muita gente pra plantá-la; / diante dela preparastes terra boa, / vinde logo, Senhor, vinde depressa pra salvá-la! 2 – Suas raízes se espalharam pela terra, / e os seus ramos recobriram o sertão. / Levantai-vos, vinde logo em nosso auxílio, / libertai-nos pela vossa compaixão! 3 – Seus rebentos atingiram as montanhas, / verdes mares, longos rios e palmeiras. / Vinde logo, Senhor, Deus do universo, / visitai a vossa vinha e protegei-a! 4 – Vossa mão foi quem plantou esta videira, / vinde cuidar deste rebento que firmastes! / E aqueles que a cortarem ou queimarem, / vão sofrer ante o furor de vossa face. 5 – Até quando ficaremos esperando? / Escutai a oração do vosso povo! / Vinde livrar-nos e banir da nossa história / de bebermos pranto amargo e copioso! 6 – Estendei a vossa mão ao "protegido", / que escolhestes para Vós, o "Filho do Homem"! / E jamais vos deixaremos, Senhor Santo, / dai-nos vida e louvaremos vosso Nome!

2 – Contemplamos lá, no monte, a vitória sobre a cruz: / do calvário, no horizonte, vida nova já reluz. / Não nos seja indiferente tanto pranto, tanta dor, / o lutar de nossa gente por emprego e mais valor. 3 – És a fonte que sacia toda sede eternamente, / vem, Senhor, dar, neste dia, / dessa água a toda gente; / pois, assim, logo veremos os direitos que Deus quer / respeitados nos pequenos, no idoso e na mulher. 4 – Nova lei que vem do amor, faz nascer fraternidade; / como filhos do Senhor, temos vida em liberdade. / Vem, Senhor, nos conduzir pra vencer a divisão. / Nós queremos construir o teu Reino em mutirão. 5 – Toda morte foi vencida, és total libertação./ Tu, que és Verdade e Vida, / plena luz na escuridão. / Haja em nós gratuidade no serviço a nosso irmão, / pois de graça recebemos de Jesus a Salvação.

756 (Tom: F) Letra: Ir. Míria Therezinha Kolling / Música: João de
Araújo

1 – As colinas vão ser abaixadas, / os caminhos vão ter mais fulgor. / O Senhor quer as vidas ornadas / para a festa da vida e do amor! Vem, Senhor! Vem salvar teu povo! / DeusConosco, Emanuel! / Neste pão, um mundo novo / quer teu povo, Deus fiel! 2 – Vão brotar em desertos mil fontes, / que canteiros de paz vão regar. / Também vidas sem luz de horizontes, / na luz viva do céu vão brilhar. 3 – Nosso Deus vem plantar a justiça / neste mundo de sonhos tão vãos. / E banir para sempre a cobiça, / que destrói sempre a vida de irmãos! 4 – Não impérios de morte reinando, / só gerando caminhos de dor. / O Senhor quer a vida ostentando / o troféu sempre eterno do amor! 5 – A chegada de Deus aguardando, / eis um povo em caminhos de luz! / E com ele o Senhor caminhando, / para a casa do Pai o conduz!

755 (Tom: F) Letra: Pe. Almir G. Reis / Música: Carlindo P. Barbosa
1 – Convidado para a mesa da partilha, da esperança, / o teu povo aqui deseja celebrar nova aliança. / Pra vencer a idolatria do dinheiro e do poder, / nós buscamos, na alegria, o teu pão que faz viver. Em tua mesa, solidários, / repartimos o teu pão. / Com justiça e mais trabalho / haverá mais comunhão.

757 (Tom: F) Letra: Pe. José M. S. de Cueto / Música: Lindberg Pires
1 – Caminhemos, alma em festa, / ao encontro do Senhor! / É Jesus que está chegando, / é Natal no coração. Vamos, pois, com alegria, / é o Advento do Senhor: / Para nós, na Eucaristia, / o Natal se adiantou. 2 – Caminhemos, alma em festa, / ao encontro do Senhor! / Comunhão é unidade, / e unidade é comunhão.

3 – Caminhemos, alma em festa, / ao encontro do Senhor! / Comunhão é aliança / renovada com amor. 4 – Caminhemos, alma em festa, / ao encontro do Senhor! / Comunhão é vida nova, / renovados estamos nós. 5 – Caminhemos, alma em festa, / ao encontro do Senhor! / Comunhão é compromisso, / fiéis seremos por amor.

758 (Tom: A) Letra: Pe. Lauro Palú / Música: Pe. Ronoaldo Pelaquim
Os anjos vêm cantando no céu, / contando felizes que Cristo nasceu. (bis) 1 – Os pastores levam os seus presentes, / vão cantando também estão contentes. / Na esperança falam sua alegria / e encontram Deus feito uma criança / nos braços de Maria. 2 – Deus agora ao seu altar nos chama, / nos convida a vir porque nos ama. / Comunguemos cheios de alegria, / Jesus Cristo feito também pequeno / na Santa Eucaristia.

Jesus vem nascer em cada cristão, / Jesus vem trazer a paz e a união. 2 – Estamos sedentos de fraternidade, / ouvidos atentos à voz da verdade. 3 – No humilde presépio o céu encontramos: / Jesus e Maria a quem nós amamos. 4 – Alguém tão zeloso, um homem de fé, / nós só encontramos no amigo José. 5 – A Igreja com cantos celebra, unida, / momentos felizes, a festa da vida. 6 – E nós comungando queremos dizer / que em nossa pessoa Jesus vai nascer. 7 – Firmamos pra sempre real compromisso, / é aos pobres, aos fracos o nosso serviço.

761 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Deus nos espera em Belém, / sabe da fome que temos! / Vamos à Casa do Pão: / Lá nosso irmão nós veremos! 1 – Toda a bondade de Deus / desde o começo vigora. / Felizes todos os povos: / hoje conosco Ele mora! 2 – Foram Maria e José / os escolhidos da vida, / que viram a Felicidade / em se entregar sem medida. 3 – Anjos cantaram por lá / cantos de plena alegria; / e quem se fez vigilante / viu que o Menino sorria. 4 – Longe uma estrela brilhou / e nos chamou para perto; / e quem buscou a Verdade / viu que há bem mais que o deserto. 5 – Justo e piedoso ancião / teve o Consolo em seus braços; / e quem a luz procurava / pôde seguir os seus passos.

759 (Tom: F) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: Pe. José
Weber

No presépio pequenino, Deus é hoje nosso irmão. / E nos dá seu Corpo e Sangue / nesta santa Comunhão. 1 – Para os homens que erravam nas trevas, / lá do céu resplandece uma luz. / Hoje Deus visitou nossa terra / e nos deu o seu Filho Jesus. 2 – Duma flor germinada na terra. / Fecundada por sopro de Deus, / hoje um novo começo desponta / e se abraçam a terra e os céus. 3 – Boas Novas de grande alegria, / mensageiros do céu vêm cantar, / e aos pastores um anjo anuncia: / "Deus nasceu em Belém de Judá". 4 – Para nós, nasceu hoje um menino, / do seu povo Ele é Salvador. / Glória a Deus no mais alto dos céus, / paz aos homens aos quais tanto amou! 5 – Para os pobres e fracos da terra, / em Belém nasceu hoje um irmão. / Ele humilha os soberbos e fortes / e se faz dos pequenos o Pão. 6 – Poderosos e grandes da terra / nem souberam da grande alegria; / Mas pastores e pobres vieram / adorar o Senhor com Maria. 7 – Hoje o mundo é de novo criado / e a glória se espalha na terra. / Como irmãos, homens todos, uni-vos, / destruí vossas armas de guerra.

762 (Tom: A) Letra: João de Araújo / Música: André Jamil Zamur
1 – Já o céu contemplamos neste dia, / pois nasceu para nós o Salvador! / E, feliz, eis a terra ao céu unida / no louvor puro e santo ao Deus amor. Já cumpriu-se a profecia, já nasceu o Salvador. / Céus e terra, na alegria, cantam hoje um só louvor. / No presépio pequenino e no Pão celestial, / honra e glória ao Deus Menino, num louvor sempre eternal. 2 – Vem do céu o esplendor de nova aurora, / uma luz que é celeste o mundo viu. / No clarão redentor que brilha agora, / no deserto a esperança então floriu. 3 – Tudo é pobre na gruta e tão singelo, / mas transborda de paz como um jardim. / E Natal é mistério assim tão belo, / pois quis Deus ser também pequeno assim.

760 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Nós somos pastores e vamos adorar / o Deus feito homem, que é pão no altar.

4 – Vindo a nós, entre pobres, na alegria, / o Senhor sempre é luz para as nações. / E, se, humilde, em Belém nasceu um dia, / hoje vem renascer nos corações.

763 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
É Sangue o que era vinho, é Corpo o que era pão. / Cristo venceu o tormento, é nosso sustento e se faz comunhão. (2x) 1 – Às núpcias do Cordeiro, / em brancas vestes vamos. / Transpondo o Mar Vermelho, / ao Cristo Rei cantamos. 2 – Por nós, no altar da cruz, seu Corpo ofereceu. / Comendo deste pão, / nascemos para Deus. 3 – O Cristo, nossa Páscoa, morreu como um Cordeiro. / Seu Corpo é nossa oferta, / pão vivo e verdadeiro. 4 – Da morte o Cristo volta, / a vida é seu troféu. / O injusto traz cativo, / e a todos abre o céu. 5 – Jesus, pascal Cordeiro, / em Vós se alegra o povo, / que, livre pela graça, / em Vós nasceu de novo. 6 – Seu Sangue, em nossas portas, / afasta o anjo irado, / das mãos de um rei injusto, / seu povo é libertado.

3 – Quem comer deste pão viverá, / é o pão vivo que vem do céu; / esperamos a salvação, / novos céus, nova terra. 4 – No Senhor fomos redimidos, / no seu Sangue lavados fomos. / Sua cruz é libertação,/ Jesus Cristo é nosso irmão. 5 – Quem nos vir sempre reunidos, / vai dizer: como são unidos. / Nossos sonhos se realizaram, / quem tem fé vive a eternidade.

766

(Tom: Em) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci

Farias

764 (Tom: G) D.R.
1 – Eu sou o pão da vida: / O que vem a mim não terá fome, / o que crê em mim não terá sede. / Ninguém vem a mim se meu Pai não o atrair. Eu o ressuscitarei (3x) no dia final. (bis) 2 – O pão que Eu darei / é meu Corpo, / Vida para o mundo. / O que sempre comer de minha carne / viverá em mim como Eu vivo no Pai. 3 – Eu sou o pão da vida, / que se prova, / e não se sente fome. / O que sempre beber do meu sangue / viverá em mim e terá a vida eterna. 4 – Sim, meu Senhor, eu creio / que vieste ao mundo a remi-lo, / que Tu és o Filho de Deus / e que estás aqui alimentando nossas vidas.

1 – Antes da morte e ressurreição de Jesus, / Ele, na Ceia, quis se entregar: / deu-se em comida e bebida pra nos salvar. E, quando amanhecer / o dia eterno, a plena visão, / ressurgiremos por crer / nesta vida escondida no pão. (bis) 2 – Para lembrarmos a morte, a cruz do Senhor, / nós repetimos, como Ele fez: / gestos, palavras, até que volte outra vez. 3 – Este banquete alimenta o amor dos irmãos / e nos prepara a glória do céu; / Ele é a força na caminhada pra Deus. 4 – Eis o pão vivo mandado a nós por Deus Pai! / Quem o recebe, não morrerá; / no último dia vai ressurgir, viverá. 5 – Cristo está vivo, ressuscitou para nós! / Esta verdade vai anunciar / a toda a terra, com alegria, a cantar.

767 (Tom: F) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: André J.
Zamur

765 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Este é o hino do povo de Deus, / que caminha pra união. / Venham todos à comunhão / com Jesus e com nosso irmão. Cristo ressuscitou, / Cristo ressuscitou, / vive no nosso meio, aleluia! (bis) 2 – Meus irmãos, venham todos cear, / é a ceia da ressurreição. / O Cordeiro está imolado, / celebremos a salvação.

O Senhor preparou um banquete. / O’ famintos de amor, acorrei. / O Cordeiro já foi imolado. / Vinde todos, tomai e comei! (2x) 1 – Já foi preparada a festa do Rei. / A mesa está posta. Oh, vinde, comei! / O novo Cordeiro já foi imolado, / Seu Corpo, pão vivo, a todos foi dado. 2 – A fonte da vida brotou de seu lado, / Seu povo escolhido foi nela banhado. / Se alguém tiver sede, que venha beber, / Verá a alegria de novo nascer. 3 – Senhor, vosso povo, por Cristo Jesus / Passou, no Batismo, das trevas à luz. / E senta-se à mesa do Reino dos céus, / Comendo o Pão vivo, o Corpo de Deus. 4 – Conosco convivem as forças do mal: / Orgulho, injustiça e ódio mortal. / Mas cremos na vida que brota da morte, / Conosco aprendemos: o amor é mais forte.

5 – Jesus, nossa Páscoa, por nós se entregou. / Por Ele remidos, nós cremos no amor, / Nós cremos na força do grão que morreu, / Porém ressurgindo, seus frutos nos deu. 6 – Sentados à mesa da Ressurreição, / Senhor, recebemos o vinho e o pão. / Iremos agora, unidas as mãos, / Plantar alegria, viver como irmãos. 7 – Queremos convosco, Senhor, proclamar / Que o grande segredo consiste em amar. / E ser testemunhas da glória imortal, / Do Cristo imolado, Cordeiro Pascal!

2 – “Dom de amor é a vida entregar”, falou Jesus e assim o fez; / dom de amor é a vida entregar, / chegou a minha vez. 3 – Teu irmão à tua porta vem bater, / não vais fechar teu coração; / teu irmão a teu lado vem sofrer, / vai logo socorrer. 4 – Todo bem que na terra alguém fizer, / Jesus no céu vai premiar: / cem por um já na terra Ele vai dar, / no céu vai premiar.

770 (Tom: E) Letra e Música: Jarbas Gregório
Vai, vai, missionário do Senhor, / vai trabalhar na messe com ardor. / Cristo também chegou para anunciar, / não tenhas medo de evangelizar! 1 – Chegou a hora de mostrarmos quem é Deus / à América Latina e aos sofridos povos seus / que passam fome, labutam, se condoem, / mas acreditam na libertação! 2 – Ai daqueles que massacram o pobre, / vivendo mui tranqüilos, ocultando a exploração, / enquanto o irmão à sua porta vem bater, / implorando piedade, água e pão. 3 – Ai daqueles que promovem a guerra, / semeando discórdia, injustiça e rancor. / Um mundo novo nós vamos construir / na unidade, na paz e no amor. 4 – Se és cristão, és também comprometido, / chamado foste tu e também foste escolhido / pra construção do Reino do Senhor. / Vai, meu irmão, sem reserva e sem temor.

768 (Tom: G) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
Tua Igreja é um Corpo, cada membro é diferente. / E há no Corpo, certamente, coração, o’ meu Senhor. / Dele nasce a caridade, dom maior, mais importante. / Nele, enfim, achei radiante, minha vocação: o amor. (bis) 1 – Que loucura não fizeste, / v indo ao mundo nos salvar! / E, depois que Tu morreste, / ficas vivo neste altar. 2 – Os teus santos compreenderam / teu amor sem dimensão / e loucuras cometeram / em sua própria vocação. 3 – Sou pequeno, igual criança, / cheio de limitações; / mas é grande a esperança: / sinto muitas vocações. 4 – Quero ser um missionário / até quando o sol der luz; / dá-me por itinerário toda a terra, / o’ Jesus. 5 – O martírio – eis meu sonho – / dar-te o Sangue de uma vez; / a mil mortes me disponho: / sofrerei com intrepidez. 6 – Tantas vocações sentindo, / que martírio, meu Senhor! / Alegrei-me descobrindo / minha vocação: o Amor. 7 – Sentimento é coisa vaga! / Por meus atos provarei / que o amor com amor se paga: / toda cruz abraçarei.

771 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Isaac Isaías Valle
1 – Como o Pai me enviou, / assim também vos envio. Tendes minha autoridade / e também a de meu Pai. / Lembrar-vos-eis do que Eu disse, / do que de mim escutastes. / Todos esperam ouvir a mensagem que vai em vós. Ide por todo este mundo, / ide, pregai o Evangelho! / Há muita gente que espera ouvir / o que vos disse o Senhor. / Ide, ensinai às nações / tudo o que ouvistes de mim. / Sempre convosco eu estarei, todos os dias sem fim! 2 – Vede quão grande é a messe, quão poucos os operários. / Outros colaboradores ao Pai deveis suplicar. / Como o trigo se perde quando não é recolhido, / assim se dá com o rebanho na ausência de seu pastor. 3 – No mundo há sede e fome das coisas espirituais, / mas poucos dispensadores das graças celestiais. / Quem quiser ser meu discípulo, / ser

????
769 (Tom: C) Letra e Música: Aimé Duval
1 – O Senhor me chamou a trabalhar, / a messe é grande; a ceifar, / a ceifar o Senhor me chamou, / Senhor, aqui estou! Vai trabalhar pelo mundo afora: / Eu estarei até o fim contigo. / Está na hora, o Senhor me chamou, / Senhor, aqui estou!

um meu continuador, / deve tomar sua cruz todo dia, com muito amor.

772 (Tom: D) Letra e Música: José Waldir Rodrigues
Ide pelo mundo, / pregai o Evangelho a toda criatura! (bis) 1 – Se Deus Pai deu a missão a Jesus de nos salvar, / Cristo é que hoje nos envia pelo mundo anunciar / a palavra de esperança para os jovens, / para os velhos, os adultos, as crianças e todos creiam no Evangelho. 2 – A Igreja é missionária, pedras vivas somos dela; / é, portanto, necessária de nós todos a parcela / de labor comprometido com o Reino do Senhor, / e ele seja construído na paz, justiça e no amor. 3 – Ser missionário no mundo, seja longe, seja perto, / é levar, antes de tudo, por meio de atos concretos, / a mensagem da salvação que Jesus veio trazer / para todos, sem distinção, os que a quiserem receber.

Cristo é a felicidade! / Cristo é a felicidade! / Sem ter amor nesta vida não há / quem seja feliz de verdade. 1 – Andar sem temor pela vida / e sentir o valor de se ter liberdade; / poder, abraçar um amigo / e sentir o calor de uma grande amizade. 2 – Sentir que se está sempre perto de Deus / e nEle encontrou a verdade. / Sorrir com a paz de um menino / a olhar para o sol que começa a brilhar. 3 – Saber que jamais se perdeu a ilusão, / saber perdoar com bondade. / Andar sem temor pela vida / e sentir o valor de se ter liberdade.

776 (Tom: E) Letra e Música: Roberto Carlos
Graças, Senhor, te damos graças / a ti, que reinas nos séculos eternos. 1 – Porque nos deste a fé... 2 – Porque nos dás o teu amor... 3 – Porque perdoas as culpas... 4 – Pela nossa amizade... 5 – Pelo nosso encontro... 6 – Pela nossa união... 7 – Com alegria cantamos...

773 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Quero ouvir teu apelo, Senhor, / ao teu chamado de amor responder. / Na alegria te quero servir / e anunciar o teu Reino de amor. E pelo mundo eu vou / cantando o teu amor, / pois disponível eu estou / para servir-te, Senhor. (bis) 2 – Dia a dia, tua graça me dás, / nela se apóia o meu caminhar. / Se estás ao meu lado, Senhor, / o que, então, poderei eu temer?

777 (Tom: D) Letra e Música: M. C. Pichault
1 – Jesus, eu irei te louvar pela vida; / Jesus, eu irei te anunciar para sempre aos irmãos, / pois só Tu és a paz e o amor dos cristãos. / Jesus, eu irei te louvar pela vida. 2 – Jesus, eu irei te cantar pela vida; / Jesus, eu quisera meu amor fosse o eco de meu Deus. / E que cante na terra, e que cante no céu. / Jesus, eu irei te cantar pela vida. 3 – Jesus, eu irei te servir pela vida; / Jesus, dando a ti meu viver, meu sofrer, meu amar, / pois teu Corpo e teu Sangue por mim quiseste dar. / Jesus, eu irei te servir pela vida. 4 – Jesus, eu irei te levar pela vida; / Jesus, a viver teu mistério divino de amor, / pois teu Corpo e teu Sangue por mim entregaste. / Jesus, eu irei te levar pela vida.

774 (Tom: F) Letra e Música: Francisco José da Silva
1 – Senhor, eu quero te agradecer / de todos os dias a gente poder conversar. / Senhor, o mundo precisa te conhecer, / mas eu te prometo que vou evangelizar. Eu quero te dizer agora / que eu já vou embora, evangelizar. (bis) 2 – Senhor, às vezes, me ponho a rezar / e peço o fim da violência e da fome do irmão. / Senhor, que chegue a todos os povos / a graça, o perdão, o anúncio da salvação. 3 – Senhor, às vezes, me ponho a rezar / e peço a você pra que fique mais perto de mim. / Senhor, às vezes, me ponho a chorar / e não compreendo por que o mundo sofre sem fim.

778 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Weber
1 – Obrigado, Senhor, / porque és meu amigo, / porque sempre contigo eu posso falar; / no perfume das flores, / na harmonia das cores / e no mar que murmura o teu nome a cantar. Escondido, Tu estás / no verde da floresta, / nas aves em festas, / no sol a brilhar; / na sombra que abriga, / na brisa amiga, / na fonte que corre ligeira a cantar.

775 (Tom: A) Letra e Música: Palito Ortega e Wagnésio

2 – Te agradeço ainda porque na alegria, / ou na dor de cada dia, posso te encontrar; / quando a dor me consome, / murmuro o teu nome / e, mesmo sofrendo, eu posso cantar. Obrigado Senhor! Obrigado Senhor!

Vamos prosseguir na caminhada, / de mãos dadas pela estrada / ao encontro do Senhor.

782 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Todo dia eu encontro muita gente / que vai, que vem. / O que pensa, o que vive, o que sente, / eu não sei se o sabe alguém. Caminhar com razão, / eis da vida uma lição. / E sorrir, e cantar, / e o mundo a Deus levar. 2 – Tenho pena de quem anda pela vida, / sem ter pra quê. / É jornada que se vê quase perdida / quando há tanto que aprender. 3 – Nossa vida deve ter um rumo certo: / o céu, o além. / Cada passo nos conduz dele mais perto, / mas aqui é céu também.

779 (Tom: F) Letra e Música: Nélson Monteiro da Mota
1 – Se as águas do mar da vida quiserem te afogar, / segura na mão de Deus e vai! / Se as tristezas desta vida quiserem te sufocar, / segura na mão de Deus e vai! Segura na mão de Deus, / segura na mão de Deus, / pois ela, ela te sustentará. / Não temas, segue adiante e não olhes para trás, / segura na mão de Deus e vai! 2 – Se a jornada é pesada, e te cansas na caminhada, / segura na mão de Deus e vai! / Orando, jejuando, confiando e confessando, / segura na mão de Deus e vai! 3 – O Espírito do Senhor sempre te revestirá, / segura na mão de Deus e vai! / Jesus Cristo prometeu que jamais te deixará, / segura na mão de Deus e vai!

783 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Silvino Turco
1 – Uma semana de trabalho, / espero ter feliz, / para depois vir novamente / trazer o bem que fiz. A graça que recebo deste altar / irá comigo para o lar, / ser na tristeza a flor / do meu sorrir. (bis) 2 – É condição da humanidade / ganhar o pão na dor, / mas tudo torna-se mais fácil / quando se tem amor.

780 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Vem, caminheiro, o caminho é caminhar. / Vai, peregrino, meu amor testemunhar. (bis) 1 – Eu escutei os clamores do meu povo / eu pensei no mundo novo / que está no coração / de cada homem que responde à vocação. 2 – Você que tem o futuro pela frente, / anda muito descontente / e não tem tempo pra pensar: / Deus tem um plano pra você realizar. 3 – Nosso Senhor é a parte da herança / pra quem vive na esperança, / sem orgulho e sem temor. / A liberdade é conquistada com amor.

784 (Tom: A) D.R.
1 – Senhor, meu Deus, quando eu, maravilhado, / fico a pensar nas obras de tuas mãos; / no céu azul de estrelas pontilhado, / o teu poder mostrando a criação. Então, minh'alma canta a ti, Senhor: / “Quão grande és Tu! / Quão grande és Tu!” (bis) 2 – Quando, a vagar nas matas e florestas, / o passaredo, alegre, ouço a cantar; / olhando os montes, vales e campinas, / em tudo vejo o teu poder sem par. 3 – Senhor, meu Deus, eu canto o teu amor. / Pai, tua bondade deu-me grandes dons. / A vida inteira é só pra teu louvor, / e tudo ponho sempre em tuas mãos. 4 – Quando eu medito em teu amor, tão grande, / teu Filho dando ao mundo, pra salvar, / na Cruz vertendo o seu precioso sangue, / minh’alma pode, assim purificar. 5 – Quando, enfim, Jesus vier em glória / a ao lar celeste, então, me transportar; no lar eterno, quero, jubilando, / a tua santa face contemplar!

781 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Élio Athayde
Vamos em paz, e o Senhor nos acompanhe para sempre! / Nossa missão é construir um mundo novo, mais irmão. 1 – Vamos repartir mais alegria / num mundo que se esvazia / do sentido de viver. / Vamos crer na força da verdade / para que a humanidade / sinta a vida renascer. 2 – Vamos, neste mundo de incerteza, / defender com mais firmeza / o calor da união. / Onde não houver fraternidade, / levemos nossa amizade / em verdadeira comunhão. 3 – Vamos ser a luz de um mundo novo, / que desperta esperançoso / como o dia que raiou. /

785 (Tom: D) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
A tua vida, Senhor, é minha vida; / teu Evangelho, / Senhor, o meu caminho. / Livre, firme, seguirei proclamando o amor. 1 – Anunciarei tua bondade / aos oprimidos, aos pobres, / pois o teu Reino de paz / já começou e está presente entre nós. 2 – Denunciarei, com tua graça, / toda injustiça e maldade / por uma vida de fé, / que encarne as bem-aventuranças, / teu viver. 3 – Marque o meu testemunho / todo lugar onde passo; / sejam os homens, assim, / cada vez mais, conforme o Coração de Deus.

789 (Tom: D) Letra e Música: Neguinha
1 – Boa-noite, meu Pai, venho te agradecer. / Mais um dia vivi, vivi por teu amor. / Boa-noite, meu Pai, fala o meu coração. / Se eu falhei, nesse dia, peço o teu perdão. / Meu Senhor, o’ meu Pai, meu Amigo, vim agradecer / esse dia que tive com amor pra viver como irmão. / Se eu não fui tão perfeito, Senhor, / modifica o meu coração, / para estar sempre a teu serviço e do meu irmão. / Boa-noite, meu Pai. 2 – Boa-noite, meu Pai, um teu filho diz; / e, unido a ti, serei mais feliz. / Boa-noite, meu Pai, vim aqui te pedir: / Não deixes que eu me esqueça / um momento de ti. / Meu Senhor, o’ meu Pai, meu Amigo, já vou descansar / e em ti deposito a esperança de um dia melhor. / Que amanhã possa te servir mais, / com amor e compreensão, / e fazer por ti tudo aquilo que ainda não fiz. / Boa-noite, meu Pai.

786 (Tom: F) Letra: Pe. Josmar Braga / Música: Waldeci Farias
1 – O Senhor me chamou a viver, / a viver a alegria do amor. / Foi teu amor que nos fez conhecer / toda alegria da vida, Senhor. Senhor da vida, teu amor nos faz recomeçar. / Eu sei que a nossa vida é vida perdida pra quem não amar. 2 – Nunca é longo demais o caminho / que nos leva ao encontro do amor. / Foi teu amor que nos fez descobrir / toda alegria da vida, Senhor. 3 – O Senhor nos chamou a viver, / a viver como irmãos simplesmente. / Foi teu amor que nos fez conhecer / que o próprio Deus vive a vida da gente.

790 (Tom: C) Letra e Música: Simei Monteiro
1 – Se caminhar é preciso, / caminharemos unidos, / e nossos pés, nossos braços, / sustentarão nossos passos. / Não mais seremos a massa, / sem vez, sem voz, / sem história, / mas uma Igreja que vai / em esperança solidária. 2 – Se caminhar é preciso, / caminharemos unidos / e nossa fé será tanta / que transporá as montanhas. / Vamos abrindo fronteiras / onde só havia barreiras, / pois somos povo que vai / em esperança solidária. 3 – Se caminhar é preciso, / caminharemos unidos, / e o Reino de Deus teremos / como horizonte de vida. / Compartiremos as dores, / os sofrimentos e as penas, / levando a força do amor / em esperança solidária. 4 – Se caminhar é preciso, / caminharemos unidos, / e nossa voz no deserto / fará brotar novas fontes. / E a nova vida na terra / será antevista nas festas. / É Deus que está entre nós / em esperança solidária.

787 (Tom: E) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Juntos vamos para a luta / vivenciar o que aprendemos; / com amor na Eucaristia, / unidade formaremos. Jesus Cristo no altar, / Jesus Cristo no viver; / onde quer que estejamos, / nele sempre vamos crer! (bis) 2 – A Palavra que escutamos / é a luz na caminhada, / e o Pão que repartimos / é o sustento da jornada.

788 (Tom: D) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Se um dia caíres no caminho, / não digas nunca ao teu pobre coração: / És mau e traidor, / ingrato e desleal. / Nem olhes mais para o céu, / não tens perdão! Rancor destrói / um coração que errou. / Melhor usar / de mansidão e amor. 2 – Corrige teu coração ferido, / dizendo: "Amigo, coragem, vamos lá! / Tentemos, outra vez, chegar até o fim, / e Deus é bom, / Ele vai nos ajudar!"

791 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Como é bonito, Senhor, / cada manhã te agradecer, / mais uma vez teu amor / vem me chamar para viver. Contigo, Pai de Amor, / eu quero caminhar / e assim, por onde eu for, / irás me acompanhar! (bis)

2 – Como é bonito, Senhor, / cada manhã ter o meu pão / e desejá-lo também / a cada um dos meus irmãos. 3 – Como é bonito, Senhor, / cada manhã recomeçar, / tendo a certeza e a fé / que tua mão vai me ajudar.

792 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Vamos andar, vamos andar, / vamos andar os caminhos do Senhor. 1 – O caminho do Senhor é uma estrada só de luz, / que nos mostra o rumo certo, / que nos guia e nos conduz. 2 – O caminho do Senhor é uma estrada só de amor, / guia os passos das ovelhas, / mostra a casa do pastor. 3 – O caminho do Senhor é uma estrada só de paz. / Quem por ela vai andando / não se perderá jamais. 4 – O caminho do Senhor é uma estrada só de glória. / Vem primeiro o sofrimento, / mas depois chega a vitória.

Vai também tu, vai, meu irmão, / deixa no chão pegadas de louvor! / Não negues não o teu perdão, / pois o teu irmão espera o teu amor! 2 – Se quer, meu Deus, me ver sempre a sonhar / E o céu me dar sem nunca merecer! / Semente, então, do Reino eu vou lançar / E ver também o céu pra ti nascer!

796 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1 – No Reino que padece violência, / quem quer seguir a Cristo tome a cruz; / quem quer ser o primeiro seja o servo / e logo sua treva será luz. Por isso eu canto e vou cantar / e o grito dos irmãos vou escutar. / Por isso eu canto e vou cantar / e o Reino de Jesus anunciar. 2 – É Deus que chama e Ele dá a graça / e este seu apelo é vocação. / E todos que respondem a seu chamado, / já vão realizando uma missão.

797 (Tom: E) Letra: D. Carlos Alberto Navarro / Música: Waldeci
Farias

793 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
Meu filho, minha filha, no amor eu teu gerei, eu te gerei. / Tu és a maravilha, que eternamente amei, que tanto amei! (2x) 1 – Na eternidade pelo nome te chamei; / com meu carinho te escolhi e te criei. 2 – Para meus filhos eu serei um pai de amor; / eles serão minha alegria e meu louvor. 3 – Junto a meus filhos vou viver e caminhar; / as suas mãos na minha mão vou segurar.

Vem e segue-me! Diz Jesus a todos nós. Seu amor nos faz ser fiéis, / ter coragem, seguir sua voz. (2x) 1 – O mundo necessita de gente de valor / que faça de sua vida missão; ato de amor. 2 – No ofício que realiza o leigo vai servir / a Cristo e a humanidade, e o mundo redimir.

798 (Tom: C) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
1 – Eu vou, / com meu Jesus eu vou. / Não temo o caminhar, / pois tenho o seu amor junto a mim. / Por mais / que se revolte o mar / feroz, quando eu passar, / sereno eu estarei. / Jesus me estende a sua mão: descansa, coração, / repousa no teu Rei! 2 – Estou, / com meu Jesus estou. / Não temo a solidão, / pois sinto a pulsação de seu ser. / Por mais / que o mundo me isolar, / alheio ao meu penar, / povoado eu estarei. / Jesus / é amor sem condição: / descansa, coração, / repousa no teu Rei! 3 – Eu sou, / de meu Jesus eu sou. / Não temo a escravidão: / pertenço ao meu Senhor, dEle sou! / Por mais / que a treva me envolver / não tenho o que temer, / liberto eu estarei. / Jesus / me deu libertação: / descansa, coração, / repousa no teu Rei!

794 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Todos, membros vivos / do Corpo do Senhor, / vamos anunciar / seu Reino de amor. Amor não tem fronteiras, / a vida é uma missão; / amor é para todos, / Deus quer um mundo irmão. (bis) 2 – Onde nós estamos, / o Cristo deve estar; / somos a sua voz, / que fala em seu lugar. 3 – Tudo o que fizermos / em nome do Senhor, / vamos realizar / alegres, sem temor.

795 (Tom: G) Letra: João de Araújo / Música: Frei Luiz Turra
1 – Alegre estou, feliz vou caminhar. / Na paz de Deus, a paz levando eu vou! / Meu coração já sabe perdoar / E quer te amar no amor que Deus te amou.

799 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: André Jamil Zamur

1 – Olhando de novo o horizonte, / não há que temer a distância. / Quem bebe daqui desta fonte / aprende: é preciso constância! Que o Espírito Santo de Deus sustente / coragem, vigor, fortaleza e luz: / assim nossa vida vai ser semente / do Reino de paz que não teme a cruz! 2 – Olhando de perto este chão, / não há que esquecer paraíso. / Quem planta a justiça, o perdão, / aprende: ser firme é preciso! 3 – Olhando bem firme a esperança, / não há que estranhar o seu custo. / Quem sabe o que é ter confiança / aprende: com Deus não há susto!

3 – Pela vida que nos prova, / obrigado, Senhor! / Pelo amor que nos renova, / obrigado, Senhor!

802 (Tom: A) D.R.
Tomado pela mão com Jesus eu vou, / sigo-o como ovelha que encontrou o pastor. / Tomado pela mão com Jesus eu vou aonde Ele for. 1 – Se Jesus me diz: “Amigo, deixa tudo e vem comigo / onde tudo é mais formoso e mais feliz”. / Se Jesus me diz: “Amigo, deixa tudo e vem comigo, / Eu minha mão porei na sua, e irei com Ele”. 2 – Eu te levarei, amigo, a um lugar comigo / Onde o sol e as estrelas brilham mais. / Eu te levarei, amigo, a um lugar comigo / Onde tudo é mais formoso e mais feliz.

800 (Tom: E) Letra e Música: Edson Rodrigues
Evangelizar, / pede de nós mais ardor, mais empenho. / Como Igreja vamos preparar / a chegada do novo milênio. / Evangelizar / olhos abertos, missão pela frente / para que possamos proclamar: / “Jesus Cristo ontem, hoje e sempre.” 1 – A missão nos convida ao serviço / e aos pobres a vida entregar. / Atendendo ao apelo de Cristo: / de segui-lo e a cruz carregar. / Não nos falte o diálogo sério, / pois missão é assim que se faz, / procurando viver o Evangelho / ao criar novos laços de paz. 2 – Também temos que dar testemunho, / muito mais que em palavras pregar; / misturados no meio do mundo, / por justiça na vida gritar. / Se pra nós o Evangelho é palavra / que convoca e envia em missão, / seu anúncio no mundo se encarna / como fonte de libertação. 3 – Na esperança de um mundo fraterno, / sem violência, sem fome, nem guerra. / Irmanados com tantas Igrejas, / preparemos o Reino na terra. / Mas não basta com os lábios dizer: / Jesus Cristo é nosso Senhor, / se, depois, com o nosso viver, / ao irmão lhe negamos amor.

803 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Nosso povo, nossa gente, / nosso canto, nossa dor. / Na mãe terra, chão de Deus, / o amor vai em cada coração; / na cidade, no sertão, / estendendo ao sofredor as mãos! Vai levando o Evangelho, missionário, vai! / Vai levando paz e bem pelo mundo, vai! / Paz e bem! Pelo mundo vai! (2x) (bis)

804

(Tom: G) Letra e Música: Donald Moore

Caminhamos

pela luz de Deus. (bis) Caminhamos sempre, caminhamos, ô, ô, / caminhamos pela luz de Deus.

Canto Final
805 (Tom: Cm) Letra e Música: Casimiro Vidal Nogueira
1 – Agora que a missa termina, começa então nossa missão. / A Palavra de Deus nos ensina e nos aponta a direção: / sejamos comunicadores, a Bíblia é Comunicação! Vamos, vamos comunicar / que o amor de Deus é revelação. / Vamos, vamos testemunhar / que a Bíblia é Comunicação. (bis) 2 – Repletos do amor do Senhor, de sua Palavra e seu Pão, / fiéis comuniquemos o Amor, pois Deus se faz comunicação. / Testemunharemos com ardor, pois essa é a nossa missão.

801 (Tom: C) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Nós te damos graças, nosso Criador! / Bem que tu mereces toda a honra e louvor! / Somos os teus filhos, és o nosso Pai! / Nós agradecemos teu imenso amor! 1 – Pelos anos que vivemos, / obrigado, Senhor! / Pelos frutos que colhemos, / obrigado, Senhor! Tempo, espaço, terra e céu, todo o universo / homens, mulheres, vinde agradecer! / Obrigado, Senhor! 2 – Pelas lutas superadas, / obrigado, Senhor! / Pelas bênçãos derramadas, / obrigado, Senhor!

806

(Tom: F) Letra: Armindo Trevisan / Música: Pe. Ney Brasil

Pereira

Como o sol nasce da aurora, de Maria nascerá / Aquele que a terra seca em jardim converterá. / O’ Belém, abre os teus braços ao Pastor que a ti virá. / Emanuel, DeusConosco, vem ao nosso mundo, vem! 1 – Ouve, o’ Pastor do teu povo, / vem do alto dos céus onde estás! 2 – Vem teu rebanho salvar, / mostra o amor que lhe tens! 3 – Cultiva e protege esta vinha, / foi tua mão que a plantou! 4 – Protege e confirma o teu eleito, / aquele que é nosso Pastor! 5 – Nunca mais de ti nos afastaremos, / dá-nos a vida e louvaremos o teu nome!

2 – Há mulher pequena e pobre, / Respondendo “sim” ao amor; / Há um homem buscando guarida, / Na terra ferida, nasce o Salvador! 3 – Há pastores pelos campos, / Há esperança ainda no ar. / Paz ao povo de boa vontade, / Justiça e Verdade sem fim vão reinar! 4 – Caminheiros vêm de longe, / Uma estrela vem do céu / Confundindo a reis e tiranos: / Se cumprem os planos benditos de Deus! 5 – Entre o campo e a cidade, / Entre a noite e o alvorecer, / Cantam o galo, os anjos, o povo, / Deus, menino-novo, pra nós quis nascer! / Aleluia! Aleluia! Aleluia! (2x)

810 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1 – A terra canta: Alegria! / Brota um sorriso no povo, / como quem vem da colheita, / trazendo às mãos fruto novo! Fardos que os ombros carregam, / peso que ao chão faz cair: / Vem um menino aliviar, / levando o povo a sorrir! (bis)

807 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
Seremos a voz que clamará ao mundo: / preparai os caminhos do Senhor! 1 – Envia-nos, Senhor, a preparar os teus caminhos; / contigo ao nosso lado, / não iremos mais sozinhos.

811 (Tom: G) Letra: Pe. Lauro Palú / Música: Pe. Ronoaldo Pelaquim 808 (Tom: C) Letra e Música: João de Araújo
1 – Na aldeia sofrida, o sino da vida celebra o louvor. / É o Deus pequenino, que nasce menino, mistério de amor! / Pastores tão pobres se tornam tão nobres na escolha de Deus! / Pois reis, só de luta, não viram a gruta nem anjos do céu! E bate o sino, feliz também, / pois um menino salvar-nos vem. / Deus pequenino encheu Belém / do amor divino que o céu nos tem! 2 – Seguindo uma estrela, fiéis sem perdê-la, vêm magos também. / E trazem presentes, que dão tão contentes ao Deus de Belém. / Em torno da mesa, Natal é certeza de paz e do pão, / e assim, sempre unidas, pulsar vão as vidas, num só coração! E bate... Final: E bate o sino, é Natal! Amém! Guiados pela voz dos anjos e da fé, / achamos Deus menino com Maria e José. (bis) 1 – O’ Príncipe da Paz, / o’ Deus libertador, / transforme nossa vida / em aliança de amor. 2 – Trocamos dons com Deus, / trouxemos vinho e pão, / e agora comungamos / recebendo a salvação. 3 – Saindo agora eu vou / cumprir minha missão. / E Cristo, Deus-Conosco, / levarei a cada irmão.

812 (Tom: G) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Ressuscitou! Toda a Igreja proclama / e convida o homem novo a cantar. / Povo santo e feliz, Jesus Cristo vos chama: / “Amai-me e havereis de me possuir.” Quereis cantar louvor a Deus?! / E não sabeis com que louvar? / Cantai com a voz, com os lábios, / e louvai com a vida e o coração! 2 – Cantai, irmãos, este cântico novo, / que é expressão de alegria e amor. / A palavra e a voz anunciem de novo / aquilo que sois, por viverdes bem.

809 (Tom: Em) Letra e Música: Zé Vicente
O que era noite tornou-se dia, / o que era trevas resplandeceu! / O que era morte tornou-se vida / porque há um Deus que hoje nasceu! 1 – Sobre a terra pesa a noite, / Sobre os pobres pesa a opressão, / Sobre os braços dos pequeninos, / Jesus, Deus menino, traz a redenção!

813 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Nossa vida é um louvor a Deus / pelas suas maravilhas. / Todo dia se tornou domingo, / toda vida vem de Deus.

Ressurgiu Cristo Deus, / vamos cantar, aleluia! (bis) 2 – Vida nova em todo o universo, / tudo se unificou. / Deus se reconciliou com os homens / em Jesus, o Salvador.

814 (Tom: D) Letra: Maria de Fátima de Oliveira / Música: André J.
Zamur

2 – Concede-nos a graça da saúde, / renova nossas forças e energias. / Tu és o Deus da nossa juventude / e a fonte das mais santas alegrias. 3 – Tu és o grande sol que se levanta / e vem a nossa vida iluminar. / Porque Tu és bondade eterna e santa, / Nos guardas sob a luz do teu olhar.

Aleluia, aleluia! / Hoje a morte foi vencida. / O Senhor é nossa Páscoa, / nossa luz, verdade e vida. 1 – Vamos em paz, conosco vais, / Cristo Jesus ressuscitado. / Hoje teu povo nasceu de novo, / da fonte viva do teu lado. 2 – Vamos na paz que Tu nos dás, / Cristo Jesus libertador. / Dá-nos viver, firmes na fé, / Teu mandamento de amor. 3 – Vamos em paz para transformar / A terra em lar de todo ser. / Onde os irmãos, o mesmo pão, / Na tua mesa vêm comer. Aleluia, aleluia! / Hoje a morte foi vencida. / O Senhor é nossa Páscoa, / nossa luz, verdade e vida. / Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia!

Cantos Bíblicos
817 (Tom: A) D.R.
1 – Como são belos os pés do mensageiro, que anuncia a paz. / Como são belos os pés do mensageiro, que anuncia o Senhor. Ele vive, Ele reina, Ele é Deus e Senhor! (bis) 2 – O meu Senhor chegou com toda glória, vivo Ele está, Ele está. / Bem junto a nós, seu Corpo santo a nos tocar, e vivo eu sei: Ele está.

818 (Tom: Dm) D.R.
1 – Antes de te formares dentro do ventre de tua mãe, / antes de tu nasceres, te conhecia, te consagrei. / Para ser meu profeta pelas nações, eu te escolhi. / Irás onde eu te envio e o que eu te mando proclamarás! Tenho que gritar, / tenho que arriscar, / ai de mim se não o faço! / Como escapar de ti, / como calar, / se tua voz arde em meu peito? / Tenho que andar, / tenho que lutar, / ai de mim se não o faço! / Como escapar de ti, / como calar, / se tua voz me queima dentro? 2 – Não temas arriscar-te, porque contigo Eu estarei, / não temas anunciar-me porque em tua boca Eu falarei. / Eu te carrego hoje, para arrancar e derrubar. / Para edificar, destruirás e plantarás. 3 – Deixa os teus irmãos, deixa teu pai e tua mãe, / abandona tua casa, porque a terra gritando está. / Nada tragas contigo, porque a teu lado eu estarei. / É hora de lutar, porque meu povo sofrendo está.

815 (Tom: Em) D.R.
1 – Amor é vida, e vida é alegria / que nunca morre em nossos corações. / Alegres cantam suas melodias / as esperanças do coração. (2x) Alegre eu vou, cantando eu vou, / este é o dia que o Senhor fez. (bis) 2 – Quando me lembro daquele amor divino, / que, sendo Deus, à terra desceu, / minha alma canta e se alegra / porque a vida o Senhor me deu. (2x) 3 – Eu sou feliz em cada dia novo, / pela ilusão de ver amanhecer, / pelas estrelas e pelo céu, / pela alegria de renascer.(2x) 4 – Pelos caminhos áridos do mundo, / busco as pegadas de um amor feliz. / Sou peregrino, vou pelo mundo, / um céu eterno brilha hoje em mim.(2x)

819 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Valmir Neves Silva
Quem nos separará? / Quem vai nos separar / do amor de Cristo? / Quem nos separará? / Se Ele é por nós, / quem será, quem será contra nós? / Quem vai nos separar / do amor de Cristo? Quem será? 1 – Nem a angústia, / nem a fome, / nem nudez ou tribulação, / perigo ou espada, / toda perseguição! 2 – Nem a morte, / nem a vida, / nem os anjos, dominações, / presente e nem futuro, / poderes e nem pressões! 3 – Nem as forças / das alturas, / nem as forças das profundezas; / nenhuma das criaturas / nem toda a natureza!

816 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O’ Deus, vem conduzir a nossa história / Por Cristo, que é teu Filho salvador, / Que vive para sempre em tua glória, / contigo e com o Espírito do amor. O teu poder será nossa vitória / e a tua mão virá nos conduzir. / Alegres, cantaremos tua glória / em cada novo dia que surgir.

820 (Tom: A) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – O amor não tem soberba, / o amor não tem vaidade, / o amor é paciente, / é o amor também bondade! O amor é compassivo, / não suspeita nenhum mal; / só no amor o amor se busca, / só o amor é dom total! 2 – O amor tudo desculpa, / o amor tem confiança, / o amor tudo suporta, / o amor tem esperança!

3 – Não se alegra co’a injustiça, / mas somente co’a verdade; / não tem próprios interesses, / é unido à caridade!

821 (Tom: A) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Ainda que eu fale as línguas dos homens, / ainda que eu fale a língua dos anjos, / serei como bronze que soa em vão, / se eu não tenho amor, amor aos irmãos! O amor é paciente / e tudo crê; / é compassivo, não tem rancor. / Não se alegra co’a injustiça / e com o mal. Tudo suporta! / É dom total! 2 – Ainda que eu tenha vigor de profeta, / e o dom da ciência, firmeza na fé; / ainda que eu possa transpor as montanhas, / se eu não tenho amor, de nada adianta! 3 – Ainda que eu doe meus bens para os pobres, / que eu deixe meu corpo em chamas arder; / será como sonhos, será tudo em vão, / se eu não tenho amor, amor aos irmãos!

de gerar. / Nosso Deus empobrece e exalta, / favorece e humilha também. / Ele desce da glória mais alta, / pra salvar todo pobre, Ele vem. 4 – Deus levanta do lixo o abatido, / guarda os pés do seu povo fiel. / O que vive na força iludido, / fica mudo, perdido ao léu. / O arrogante metido a divino, / Deus confunde e não tarde em julgar. / Toda a terra conhece o domínio / do Senhor, que nos vem libertar. 5 – Quem cantou no passado este canto / foi Ana, a mãe de Samuel / e a história guardou seu encanto / por Javé, Deus da vida, o fiel. / Aleluia! (4x)

824 (Tom: Em) Letra e Música: Zé Vicente
1– 2– 3– 4– 5– 6– 7– 8– Minha força e meu canto é o Senhor, (2x)/ Salvação Ele se fez para mim! (2x) Cantemos a Deus que nos libertou (2x) / Das mãos do inimigo, dos pés do opressor. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou; (2x) / Cavalos e carros no mar afogou. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou; (2x) / Soldados e chefes vencidos deixou. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou: (2x) / No longo deserto com a gente ele andou. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou: (2x) / Na fome e na sede nos alimentou. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou: (2x) / A Lei da Justiça pra nós ensinou. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou: (2x) / Na terra bendita coma gente Ele entrou. (2x) Cantemos a Deus que nos libertou: (2x) / Eterna aliança com a gente firmou. (2x)

822 (Tom: Em) Letra e Música: Reginaldo Veloso
1– Da cepa brotou a rama, / da rama brotou a flor, / da flor nasceu Maria, / de Maria, o Salvador. (bis) O Espírito de Deus sobre Ele pousará, / de saber, de entendimento, este Espírito será. / De conselho e fortaleza, de ciência e de temor, / achará sua alegria no temor do seu Senhor. Não será pela ilusão do olhar, do "ouvir falar", / que Ele irá julgar os homens, como é praxe acontecer. / Mas os pobres desta terra com justiça julgará / e dos fracos o direito Ele é quem defenderá. Neste dia, neste dia, o incrível, verdadeiro, / coisa que nunca se viu: morar lobo com cordeiro. / A comer do mesmo pasto tigre, boi, burro e leão, / por um menino guiados, se confraternizarão. Um menino, uma criança com as feras a brincar, / e nenhum mal, nenhum dano mais na terra se fará. / Da ciência do Senhor cheio o mundo estará, / como o sol inunda a terra e as águas enchem o mar. Neste dia, neste dia, o Senhor estenderá / sua mão libertadora pra seu povo resgatar. / Estandarte para os povos o Senhor levantará. / A seu povo, a sua Igreja toda a terra acorrerá. A inveja, a opressão entre irmãos se acabará / e a comunhão de todos o inimigo vencerá. / Poderosa mão de Deus fez no Egito o mar secar; / para o resto do seu povo um caminho abrirá.

2–

3–

825 (Tom: Bm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
1– Como o raiar, raiar do dia, / a tua luz surgirá / e minha glória te seguirá! (2x) Penitência que me agrada, / é livrar o oprimido / das algemas da injustiça, / abrigar o desvalido, / repartir comida e roupa / co'o faminto e maltrapilho! Teus clamores ouvirei, / tuas chagas sararão, / se expulsares de tua terra / toda vil escravidão, / se com pobres e famintos / dividires o teu pão! Tua noite será clara / como um dia de verão, / te guiarei pelo deserto, / te darei da força o pão; teu jardim florescerá, vivas fontes jorrarão! Sobre antigos alicerces / reconstróis nova cidade; / se prezares o meu nome, / se meu Dia respeitares, / se por mim deixas teus planos, / acharás felicidade!

4–

5–

2–

3–

6–

4–

823 (Tom: A) Letra e Música: Zé Vicente
Meu coração se enche de alegria, / minha energia exalta o meu Deus. (bis) 1 – Bem diante de meus inimigos, / minha boca se abre a cantar, / mais que a rocha é Javé, meu abrigo, / não há santo maior pra eu louvar. / Nosso Deus é a inteligência, / eu me alegro em sua salvação. / O discurso cheio de ciência / não precisa, ele pesa a ação. 2 – Toda arma dos fortes quebrou, / mas a força do fraco acendeu. / Deus da vida e da morte é Senhor, / e a beleza do mundo nos deu. / Os que sempre esbanjaram fartura / se obrigam a ir trabalhar; / os que gemem na fome e amargura, / com certeza irão se fartar. 3 – A mulher estéril concebeu / e as crianças encheram seu lar, / mas aquela que a Deus esqueceu, / de repente parou

826 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
Dizei aos cativos: "Saí!" / Aos que 'stão nas trevas: "Vinde à Luz!” / Caminhemos para as fontes, / é o Senhor quem nos conduz. (2x) 1 – Foi no tempo favorável / que eu te ouvi, te escutei. / No dia da salvação, / socorri-te e ajudei. / E assim te guardarei, / te farei Mediador, / da Aliança com o povo, / serás seu Libertador. 2 – Não terão mais fome e sede, / nem o Sol os queimará. / O Senhor se compadece, / qual Pastor os guiará. / Pelos montes, pelos vales, / passarão minhas estradas, / e virão de toda parte, / e encontrarão pousada. 3 – Céus e terra, alegrai-vos, / animai-vos e cantai; / o Senhor nos consolou, / dos aflitos se lembrou. / "Poderia uma

mulher / de seu filho se esquecer? / ‘Inda que isso acontecesse, / nunca iria te perder".

827 (Tom: E) Transcrição: Pe. José Weber
Sai da tua terra e vai pra onde te mostrarei! (bis) 1 – Abraão, não te afastes da tua terra, / Abandonas a tua casa, / O que esperas encontrar? / A estrada é sempre a mesma, / Mas a gente diferente é inimiga. / Onde esperas tu chegar? / O que tu deixas, já bem conheces. / Mas o teu Deus, o que te dá? / “Um povo grande, a terra e a promessa”: / Palavra de Javé. 2 – A rede está na praia abandonada, / Pois aqueles pescadores já seguiram a Jesus. / E, enquanto caminhavam pensativos, / No silêncio, uma pergunta nasce em cada coração. / O que deixaste, tu bem conheces, / Mas teu Senhor, o que te dá? / “O cêntuplo e a mais, a eternidade”: / Palavra de Jesus. 3 – Partir não é tudo, certamente, / Há quem parte e nada dá, / Busca sua liberdade. Partir, mas com a fé no teu Senhor, / Com o amor aberto a todos, / Leva ao mundo a salvação. / O que deixaste, tu bem conheces, / O que tu levas é muito mais: / “Pregai entre os povos o Evangelho”: / Palavra de Jesus.

1 – Eu não sou digno, o’ meu Senhor, / eu não sou digno / de que Tu entres, o’ meu Senhor, / na minha casa, / porque és tão santo e eu, pecador, / eu nem me atrevo a te pedir este favor. 2 – Eu não sou digna, o’ meu Senhor, / eu não sou digna / de que Tu entres, o’ meu Senhor, / na minha casa; / meu coração é tão pecador / que eu nem me atrevo a te pedir este favor. Mas, se disseres uma palavra, / a minha casa se transformará; / uma palavra é suficiente, / suavemente ela nos salvará. (bis)

831 (Tom: Bb) D.R.
Seduziste-me, Senhor, / e eu me deixei seduzir; / numa luta desigual, / dominaste-me, Senhor, / e foi tua a vitória. Vantagens e honras são perdas para mim, / diante do conhecimento deste bem supremo, / que é Cristo, meu Senhor. Para conhecê-lo, fui longe e me perdi. / Agora que o encontrei, / não quero mais deixá-lo. Nada sou na minha justiça / que é só aparência; / mas tudo sou na justiça de Deus / que nasce da fé em Cristo. Quero conhecê-lo ainda mais / e a força da sua ressurreição. / Sei que conhecê-lo / é sofrer e morrer com ele, / mas a vida é mais forte.

1–

2– 3– 4–

828 (Tom: Dm) Letra: Pe. Argemiro M. Leite / Música: Pe. Lucas de P.
Almeida

1 – Caminhando Jesus junto ao mar, / avistou dois irmãos a pescar: / um André, outro, Pedro ou Simão, / pescadores de profissão. / Um convite os faz parar, / e se vão a seguir Jesus. / Para trás fica o lar, o mar, / ofuscados por nova luz. / “Quem quiser me acompanhar, / ao deixar tudo há de achar!” / Pedro achou no amor de Deus, / novamente o calor dos seus. Ao passar Jesus, / dá prazer seguir, / pois a sua cruz / é um ressurgir./Ao passar Jesus, / dá prazer seguir, / pois a sua luz / é um ressurgir. 2 – Uma voz eu ouvi me chamar, / ecoando no meu coração: / “Grande a messe, não há pra ceifar / operários em profusão!” / O convite me fez parar / e me pus a seguir Jesus: / para trás eu deixei meu lar, / fascinado por nova luz. / “Quem quiser me acompanhar, / ao deixar tudo há de achar!” / Encontrei no amor de Deus / novamente o calor dos meus.

832 (Tom: C) Letra: Liturgias das Horas / Música: Pe. Ney Brasil
Pereira

1–

2–

3–

4–

829 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – A voz de nosso Deus ainda não cessou. / Enquanto sofre o povo, o Pai não se calou. / Do Egito vem a nós o grito de opressão, / da terra vão aos céus clamores de aflição. “Vai, Moisés, liberta o meu povo!” / Vá você também e construa um mundo novo! (bis) 2 – Embora com temor, Moisés se pôs a ouvir: / “Contigo estarei, não temas, podes ir”! / Confuso e sem temor, sem armas de matar, / com Deus e seu irmão, o povo vai salvar. 3 – Há muitos faraós, Egitos há também, / há povo escravizado que sofre e nada tem. / Um novo Moisés, que venha libertar, / devemos todos ser, devemos nos tornar.

5–

6–

Bendito seja o Senhor, Deus de Israel: / Ele visita o seu povo, Ele nos salva! E fez surgir um poderoso Salvador / na casa de Davi, seu servidor! / Como falara pela boca de seus santos, / os profetas, desde os tempos mais antigos. Para salvar-nos do poder dos inimigos / e da mão de todos quantos nos odeiam. / Assim mostrou misericórdia a nossos pais, / recordando a sua santa Aliança. E o juramento a Abraão, o nosso Pai,/ de conceder-nos que, libertos do inimigo, / a Ele nós sirvamos sem temor, / em santidade e justiça diante dele, / enquanto perdurarem nossos dias. Serás profeta do Altíssimo, o’ menino, / pois irás andando à frente do Senhor / para aplainar e preparar os seus caminhos, / anunciando ao seu povo a salvação, / que está na remissão de seus pecados. Pela bondade e compaixão de nosso Deus, / que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, / para iluminar a quantos jazem entre as trevas / e na sombra da morte estão sentados. E, para dirigir os nossos passos, / guiando-os no caminho da paz. / Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. / Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

833 (Tom: Bb) Letra e Música: Reginaldo Veloso
1 – Agora, Senhor, podes deixar / partir em paz teu servidor, / porque os meus olhos já contemplam / da salvação, o resplendor! / Segundo a tua Palavra, / vi a tua salvação. / Manda em paz teu servidor, / no fulgor do teu clarão! 2 – Pra todos os povos preparaste / a salvação que resplendeu, / a luz que ilumina as nações todas, / a glória deste povo

830 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho

teu! / O Espírito de Deus / conduzia Simeão, / em seus braços recebeu / de Deus a consolação! 3 – Pra muitos será este Menino / razão de queda e elevação, / sinal, entre o povo, discutido, / sinal, pois, de contradição! / Pai e Mãe maravilhados / Simeão abençoou; / a Maria, inspirado / pelo céu, profetizou. 4 – “De dor uma espada afiada / transpassará teu coração; / de muitas pessoas os segredos / assim se manifestarão!” / Glória ao Pai, Glória ao Menino, / Deus que veio e Deus que vem; / Glória seja ao Divino, / que nos guarde sempre. Amém!

os meus passos. / E, antes que haja em mim palavras, / sei que tudo me conheces. Senhor, eu sei que Tu me sondas. (4x) 2 – Deus, Tu me cercaste em volta, / tuas mãos em mim repousam. / Tal ciência é grandiosa, / não alcanço de tão alta. / Se eu subo até o céu, / sei que ali também te encontro. / Se no abismo está minha alma, / sei que aí também me amas. Senhor, eu sei que Tu me sondas. (4x) / Senhor, eu sei que Tu me amas. (4x)

834 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
A minha alma engrandece o Senhor, / meu coração muito se alegrou / em Deus, meu Salvador, / em Deus, meu Salvador! Minh’alma exalta o Senhor / e o meu coração, vibrando, se alegra / em Deus, que é meu Salvador, / o Deus, que minh’alma alegre celebra. Ele voltou seu olhar / para a pequenez de sua servidora, / e todas as gerações / me proclamarão feliz e ditosa! Ele, que é todo poder, / me fez grandes coisas, santo é seu nome! / Sua bondade se estende / de pais para filhos sobre os que o temem! Ele agiu com braço forte / e os cheios de orgulho Ele dispersou! / Botou abaixo os potentes; / humildes, pequenos, Ele elevou! Ele enricou os famintos / e os ricos, sem nada, embora mandou! / Ele a seu povo acudiu, / de sua promessa aos seus pais se lembrou! Ele aliou-se a Abraão / e a seus descendentes, sem fim, também! / Glória ao Pai por seu Filho, / no Espírito Santo, pra sempre. Amém!

837 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. Joãozinho
Quem me tocou? Quem me tocou? / Alguém me tocou, / senti que uma força saía de mim. / Quem me tocou? 1 – Fui eu: a mulher que sofria. / Nada não me valia. / Doze anos a fio, / arrastei meu penar! Fui eu: pela dor consumida, / a mulher excluída / da alegria da vida / pela lei, pela fé! 2 – Fui eu: que gastei o que tinha / e melhora não vinha. / Tua fama eu ouvindo, / a esperança voltou! Fui eu: a mulher que corria / empurrando quem vinha. / Conseguir haveria / eu tocar-te, Senhor! 3 – Fui eu: a mulher que procuras / do meu mal tive cura. / O final da amargura / no meu corpo provei! Fui eu: que fui me aproximando / por detrás me curvando. / Coração me apertando / tua veste toquei! O’ filha minha! O’ filha minha! / Você me tocou. / Senti que uma força saía de mim. / Sua fé a salvou! / Vá em paz! Vou em paz!

1–

2– 3–

4–

5–

6–

838 (Tom: A) Letra: Adap. D. Tomás Balduíno / Música: Pe. Joãozinho
1 – De Deus criaturas e todos mortais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” / O’ anjos celestes que a Deus adorais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” Bendito sejais, o’ Pai Criador, / Pai Santo e Senhor, bendito sejais! / Três jovens de fé desafiaram o rei, / e no fogaréu louvaram a Deus! 2 – Estrelas, e lua, e sol que brilhais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” / O’ noites e dias, manhãs que raiais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” 3 – O’ ventos e nuvens que as chuvas formais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” / Montanhas e vales que o mundo enfeitais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” 4 – Florestas e campos, lavouras, quintais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” / O’ aves, e peixes, e os animais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” 5 – Crianças e jovens, o’ filhos e pais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!” / Profeta e justos, de Cristo sinais, / dizei-lhe cantando: “Bendito sejais!”

835 (Tom: A) Letra e Música: L. Deiss
1– Filha de Sião, tu és feliz, porque o Senhor está em ti, Salvador e Rei! Levanta-te com alegria porque chegou a tua luz. / Sobre ti resplandece a glória do Senhor. / Enquanto a noite encobre a terra e a escuridão, os povos, / sobre ti se levanta o Senhor / e sua glória te ilumina. As nações caminharão na tua luz / e os reis ao brilho de tua aurora. / Levanta os olhos e olha a tua volta, / de longe teus filhos / que vêm perto de ti. Esta visão te encherá de alegria, / cheio de gozo palpitará teu coração, / pois a ti afluirão as riquezas do mar / e a ti virão / os tesouros das nações. Será chamada a cidade do Senhor / a Sião do Santo de Israel, / tu serás para sempre admirada / e causa de alegria/ para as gerações futuras. O sol não será mais a luz dos teus dias, / nem a lua será de tuas noites a claridade, / pois o Senhor é que será a tua luz, / e em Deus terás /o eterno resplendor. Jamais o teu sol terá ocaso, / nem a tua lua terá seu declínio, / porque o Senhor é que será tua luz eternamente, / e teus dias de luto / chegaram ao fim.

2–

3–

4–

5–

6–

839 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Antonio Maria
1 – Se repete de novo a história de dois homens que foram rezar. / Um dizia ser bom dando graças a Deus, sem nem mesmo a fronte abaixar. / E o outro humilde num canto implorava o perdão do Senhor, / se julgava injusto, imperfeito, pequeno e dos homens o mais pecador. Um voltou coma paz dentro do coração e o outro voltou sem justiça e perdão. / O humilde subiu, o orgulhoso desceu. / Publicano feliz, infeliz fariseu.

836 (Tom: Dm) D.R.
1 – Senhor, eu sei que Tu me sondas, / sei, também, que me conheces. / Se me assento ou me levanto, / conheces meus pensamentos. / Quer deitado, quer andando, / sabes todos

2 – Quero a paz de saber-me pequeno, precisando de Deus o perdão. / Quero ver com olhos de verdade e amor sem jamais condenar o irmão. / Quero a paz que vem da humildade, quero ver-me sem véu, sem engano. / Eu não quero ser bom como o fariseu, quero a paz como a do publicano.

5 – Chegando, afinal, ao destino, / Jesus fez que ia passar, / mas eles demais insistiram: / “Vem, Senhor, vem conosco ficar!” / Sentado com eles à mesa, / deu graças e o pão repartiu; / dos dois foi tão grande a surpresa: / “Jesus Cristo, o Senhor, ressurgiu”.

840 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Partiu Abraão esperando, / partiu contra toda esperança. / Na fé se lançou a caminho / seguro, sem ter segurança. Feliz é quem parte, quem anda e quem vai, / certeza na frente, história nas mãos. / Feliz é quem crê na promessa do Pai, / consagra sua vida em favor dos irmãos. 2 – Partiu Moisés ao Egito por ver o seu povo na dor. / Um povo oprimido e aflito, na espera do Libertador. / Partiu Isaías dizendo: “Aqui eu estou, eu irei”. / Profeta da paz e justiça, prepara a chegada do Rei. 3 – Partiu Jeremias temendo, / no risco da vida perder, / levando a Palavra divina, / vai firme e disposto a sofrer. / Maria partiu confirmando / total doação ao Senhor. / O Verbo entre nós se faz Carne, / no mundo nasceu o Salvador. 4 – E Paulo partiu convertido, / sabendo em quem confiou. / Pregando a “Nova do Reino”, / no Sangue a fé confirmou.

843 (Tom: G) D.R.
Lembra-te de Jesus Cristo / ressuscitado dentre os mortos: / Ele é nossa salvação, / nossa paz, nossa vida. / Cristo Jesus, Cristo Senhor! 1 – Se morrermos com Ele, com Ele viveremos. / Se sofrermos com Ele, com Ele reinaremos! 2 – Se nós o negarmos, também nos negará. / Se formos infiéis, Ele permanece fiel! 3 – Porque Ele cumpre tudo o que promete. / Este é o ensino seguro e verdadeiro!

Refrãos Meditativos
844 (Tom: D) Letra e Música: Comunidade G. Champs
O’ luz do Senhor, / que vens sobre a terra, / inunda meu ser, / permanece em nós!

841 (Tom: Em) Letra e Música: João Batista Magalhães Sales
1 – Cristo padeceu por nós, / um exemplo nos deixou: / que sigamos os seus passos, / para isto nos chamou. (2x) 2 – Quem não cometeu pecado / nem um falso levantou. / Mal por mal jamais pagava, / ao Deus justo se entregou. (2x) 3 – Em seu corpo lá na cruz, / carregou nossos pecados, / para que ao pecado mortos / fôssemos justificados.(2x) 4 – Por suas chagas nos curou, / nós, ovelhas, já perdidas; / para Ele retornemos, / ao pastor das nossas vidas. (2x) 5 – Glória ao Pai onipotente, / e a Jesus, o Redentor. / E ao Espírito Divino, / na Trindade eterno amor. (2x)

845 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Agostinha V. de Melo
Que arda como brasa / tua Palavra nos renove / esta chama que a boca proclama!

846 (Tom: E) D.R.
Boa Nova do Senhor Jesus, / Boa Nova do Senhor Jesus: / Que se espalha, que se espalha, / que se espalha como a luz! (2x)

847 (Tom: F#m) Letra e Música: Ir. Agostinha Vieira de Melo
Inclinemos o ouvido do coração / para acolher o Evangelho! (A Palavra!) / Atenção, atenção!

842 (Tom: G) Letra e Música: João Carlos Ribeiro
1 – Andavam pensando, tão tristes, / de Jerusalém a Emaús, / os dois seguidores de Cristo, / logo após o episódio da cruz. / Enquanto assim vão conversando, / Jesus se achegou devagar: / “De que vocês vão palestrando?” / E ao Senhor não puderam enxergar. Fica conosco, Senhor, / é tarde e a noite já vem! / Fica conosco, Senhor, / somos teus seguidores também! 2 – Não sabes, então, forasteiro, / aquilo que aconteceu? / Foi preso Jesus Nazareno, / Redentor que esperou Israel. / Os chefes a morte tramaram / do santo Profeta de Deus; / o Justo foi crucificado, / a esperança do povo morreu. 3 – Três dias, enfim, se passaram, / foi tudo uma doce ilusão; / um susto as mulheres pregaram: / não encontraram seu corpo mais, não. / Disseram que Ele está vivo, / que disso souberam em visão. / Estava o sepulcro vazio, / mas do mestre ninguém sabe, não. 4 – Jesus foi, então, relembrando: / pro Cristo na glória entrar, / profetas já tinham falado, / sofrimentos devia enfrentar. / E, pelo caminho afora, / ardia-lhes o coração: / falava-lhes das escrituras, / explicando a sua missão.

848 (Tom: E) Letra e Música: Ir. Agostinha Vieira de Melo
Suba, Senhor, nosso louvor! / Como fumaça perfumada. / Adoração, no silêncio espalhada.

849 (Tom: E) Letra e Música: Frei Joel Postma
O Senhor dará a sua bênção / e nossa terra, o seu fruto, / e nossa terra, o seu fruto.

850 (Tom: G) D.R.
Uma grande multidão viera à festa / e gritava com bravura: / Vem em nome do Senhor, bendito seja! / E hosana nas alturas!

851 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Nós, porém, nos gloriamos / da cruz, que é salvação / porque ela é nossa vida, / é nossa ressurreição. (bis) 2 – Pela força dessa cruz, / fomos salvos e libertos; / nela Cristo se entregou / com seu coração aberto. (bis)

852 (Tom: D) Letra e Música: Reginaldo Veloso
Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor, / Jesus Cristo, a Vós nosso louvor. / Porque, pela vossa santa cruz, / Vós remistes o mundo, meu Jesus!

4– 5– 6– 7– 8–

Deus salve a praça, / onde mora Deus. Deus salve a rua, / onde mora Deus. Deus salve a casa, / onde mora Deus. Deus salve o povo, / onde mora Deus. Deus salve a Igreja, / onde mora Deus.

853 (Tom: Dm) Letra: Frei Adolfo Temme
Indo e vindo / trevas e luz! / Tudo é graça, / Deus nos conduz!

865 (Tom: F) Taizé
No Senhor sempre darei graças, / no Senhor me alegrarei. / Venham todos, / não tenham medo, / muita alegria, o Senhor já vem! / Muita alegria, o Senhor já vem!

854 (Tom: F) Taizé
Onde reina amor, / fraterno amor. / Onde reina amor, / Deus aí está.

866 (Tom: Em) Letra e Música: Ir. Agostinha Vieira de Melo
Desça como a chuva a tua Palavra, / que se espalhe como orvalho, / como o chuvisco na relva, / como o aguaceiro na grama. Amém!

855 (Tom: D) Taizé
Confiemo-nos ao Senhor, / Ele é justo e tão bondoso. / Confiemo-nos ao Senhor, / aleluia!

867 (Tom: Dm) Taizé
Noss’alma espera o Senhor, / que dá alegria ao coração.

856 (Tom: F) Taizé
Louvarei a Deus, / seu nome bendizendo! / Louvarei a Deus, / à vida nos conduz.

868 (Tom: G) Letra: Maria de Fátima Oliveira / Música: Marília A. de
M. Estêvão

857 (Tom: F) D.R.
O’ Senhor, Senhor, neste dia, / escutai nossa prece!

A tua santa Palavra / é como a chuva no chão. / Fecunda a vida do povo, / converte o seu coração!

858 (Tom: G) Letra e Música: A. Cangiani
Vossa Igreja vos pede, o’ Pai: / Senhor, nossa prece escutai!

869 (Tom: F) Letra: Lindberg Pires / Música: Waldeci Farias
Purificai, Senhor, meus ouvidos, / purificai, Senhor, meu coração, / para ouvir e guardar vossa Palavra!

859 (Tom: F) D.R.
Vossa Igreja eleva um clamor, / escutai nossa prece, Senhor!

870 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Weber
O Senhor é bom, / eterno é seu amor. / O Senhor é bom, / eterno é seu amor. (bis)

860 (Tom: D) D.R.
Não fecheis hoje o vosso coração, / mas ouvi a voz do Senhor.

871 (Tom: Am) D.R.
Não te perturbes, / nada te espante, / quem com Deus anda, / nada lhe falta! / Não te perturbes, / nada te espante, basta Deus, / só Deus!

861 (Tom: Dm) Taizé
Confiar no Senhor é bom, confiar, / bom é esperar sempre no Senhor.

872 (Tom: G) D.R.
Hum, hum, hum! / Adoramos-te, o’ Senhor! (bis)

862 (Tom: C) Letra e Música: Simei Monteiro
Tua Palavra é lâmpada / para os meus pés, Senhor! / Lâmpada para os meus pés e luz, / luz para o meu caminho! (2x)

873 (Tom: F) D.R.
Que minha prece feita a ti / se eleve como incenso, / minhas mãos como a oferta vespertina.

863 (Tom: D) Taizé
O’ Cristo, amado Senhor, / o’ Cristo, amado Senhor!

874 (Tom: F) D.R.
O sol nasceu, é novo dia! / Bendito seja Deus, quanta alegria!

864 (Tom: E) D.R.
Deus vos salve, Deus! / Deus vos salve, Deus! 1 – Deus salve o mundo, / onde mora Deus. 2 – Deus salve a terra, / onde mora Deus. 3 – Deus salve a cidade, / onde mora Deus.

ADVENTO
875 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho

1 – Igual ao Rei Davi / e como Salomão / e todos os profetas, vou abrir meu coração; / e vou pensar em ti, / pensar nos meus irmãos. / E vou profetizar que meu Senhor já vem. Tempo de Advento, tempo de esperar / que o Senhor Jesus virá nos libertar. / Tempo de certeza em nosso coração. / Deus é nosso amigo e nosso irmão. 2 – Igual a Simeão, / no templo do Senhor, / e todos os pastores, vou abrir meu coração. / E vou profetizar / e ao povo anunciar / que o Filho de Javé entre seu povo está. 3 – E, agora com João, / eu vou anunciar / que o Reino do Messias já chegou e vai ficar. / Eu vou diminuir / e o Reino crescerá, / e o tempo de esperar certeza, então, será.

Por que não respondes? / Por que tu te escondes? / Impedes Jesus de renascer! (bis) 2 – Tira este manto que veste o velho homem, / tira da vida ideais que te consomem: / abre a porta pra Jesus. 3 – Quando acolheres idosos e crianças / para cobri-los de paz e de esperança: / é Jesus que vem a ti.

879 (Tom: Bb) Letra e Música: Maria Sardenberg
1 – Uma vela acendemos neste momento. / É a primeira vela da coroa do Advento. (2x) Uma voz que clamava no deserto falou: / “Preparai os caminhos do Senhor”. (2x) Vem, vem, Jesus! Vem, vem, Jesus! / Que nos ilumine com a tua luz! (bis)

876 (Tom: C#m) Letra e Música: Pe. Luizinho
1 – É tempo do meu advento, da vinda surpresa no meio de vós; / por isso conclamo profetas que, ao longo da terra, elevem sua voz. / É tempo de um novo Isaías, / que, atento aos rumos da vida, / indique um caminho novo e a libertação para todo o meu povo! Isaías, Isaías! / Anuncia o Messias / e consola o povo meu. (2x) 2 – Que eleve sua voz contra todos aqueles que levam uma vida maldosa. / Que aja com grande energia, que implante a justiça e aos pobres console. Que anuncie uma nova esperança / e um Deus, que é sempre presença. / Que a todos os homens conteste e, no meio dos povos, / se torne um profeta. 3 – Eu quero que todos os homens caminhem segundo os critérios de Deus. / Eu quero uma tal comunhão que eu possa chamá-los de filhos meus! / Eu quero as crianças sorrindo / sempre ao ver novo mundo surgindo. / Eu quero esperança maior para aqueles que lutam por um mundo melhor. Solo: Vá, enche a terra de esperança, ô, / pois junto a ti, junto a ti sempre estou, ô, ô, ô, ô. / Leva a tua fé e sê um sinal ô, ô, / pois Emanuel, Emanuel já vai voltar, ô, ô, ô, ô. / Crê no meu amor, ele é constante, ô, ô, / pois junto a ti, junto a ti sempre estou, ô, ô, ô, ô. 4 – É tempo de ter mais justiça, não hipocrisia no meio de vós. / De gente que goste de gente e espere contente o Messias voltar./ É tempo de ter solução para um mundo que segue pro mal, / por isso você é escolhido e este povo sofrido será meu sinal.

880

(Tom: Eb) Letra: Jaci C. Maraschim / Música: Marcílio de

Oliveira Filho

1 – Vem, Jesus, nossa esperança, / nossas vidas libertar. / Vem nascer em nós, criança, / vem o teu poder nos dar. Vem, liberta os prisioneiros / da injustiça e da aflição; / vem, reúne os brasileiros / em amor e em compreensão. 2 – Vem tecer um mundo novo / nos caminhos da verdade, / para que, afinal, o povo / viva em plena liberdade. Vem, Jesus, abre o futuro / do teu Reino de alegria. / Vem, derruba o imenso muro / que separa a noite e o dia.

881 (Tom: Gm) Letra e Música: Pe. Geraldo Leite Bastos
1– É bom cantar um bendito, / um canto novo, um louvor: (bis) Ao Deus dos tempos de outrora, / suprema força da História, / que merece toda glória, / por Jesus, nosso Senhor! (2x) Por Jesus, o Prometido, / pelos profetas predito, / pela Virgem concebido / e esperado com amor! (2x) Jesus, por João anunciado, / presente entre nós mostrado, / por Ele o prazer é dado / de esperá-lo com ardor! (2x) Ao preparar seu Natal, / querer sua vinda final, / quando finda todo mal / e se acaba toda dor! (2x) Que na prece vigiemos, / de esperar não nos cansemos, / à sua vinda nos achemos / celebrando seu louvor! (2x) E agora, o’ Desejado, / o teu povo congregado, / aos céus e à terra irmanado, / louva e bendiz ao Senhor! (2x)

2– 3– 4– 5– 6–

882 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Chegou a hora de sonhar de novo, / de tornar-se povo e se fazer irmão. / Chegou a hora que ligeiro passa / de ganhar a graça para a conversão. Meu caro irmão, / olha pra dentro do teu coração, / vê se o Natal se tornou conversão / e te ensinou a viver. (bis) 2 – Chegou a hora de viver o Cristo / e acreditar que isto é se tornar maior. / Chegou a hora de pensar profundo / e perceber que o mundo pode ser melhor. 3 – Será difícil tantas mãos unidas / não fazer da vida um tempo sem igual. / Será difícil tanto amor e afeto / não tornar concreto o gesto do Natal.

877 (Tom: Am) D.R.
1– 2– 3– 4– Vem, Senhor, nos salvar, vem, sem demora nos dar a paz! Senhor, meu Deus, a Vós elevo a minha alma, / em Vós confio: que eu não seja envergonhado! Recordai, Senhor, meu Deus, vossa ternura / e a vossa compaixão, que são eternas! O Senhor é piedade e retidão, / e reconduz ao bom caminho os pecadores. O’ Senhor, por vosso nome e vossa honra, / perdoai os meus pecados que são tantos!

878 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Abre tua porta, que alguém está batendo, / abre tua porta que alguém está nascendo: / é Jesus que vem a ti.

883 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana

1 – A gente passa o ano inteiro assim, / andando sempre do começo ao fim. / Será que Cristo esteve cada dia / ao nosso lado, em nossa companhia? Natal é tempo de rever, / da gente amar e renascer. / Natal é tempo de pensar / em Deus, que só nos quer salvar. (bis) 2 – Por toda parte vemos tantas luzes, / por toda parte vemos tantas cruzes. / Natal é tempo de partir o pão, / Natal é tempo de salvar o irmão. 3 – Em nossa festa é bom lembrar também / daquela gente que Natal não tem. / Tem mais sentido toda a nossa vida, / ao repartir a graça recebida.

887 (Tom: D) Letra: D.R. / Música: G. F. Handel
1 – Mundo feliz, nasceu Jesus. Nasceu trazendo a luz! / Trazendo a salvação, trazendo a redenção. / Louvemos ao Senhor, louvemos ao Senhor! / Louvemos, louvemos ao Senhor! 2 – Mundo feliz, o seu perdão roguemos em união! / Na terra e no mar cantemos sem cessar, / cantemos seu louvor, cantemos seu louvor! / Cantemos, cantemos seu louvor! 3 – Mundo feliz, hoje, afinal, vencido foi o mal! / Trazendo a salvação, trazendo a redenção. / Louvemos ao Senhor, louvemos ao Senhor! / Louvemos, louvemos ao Senhor! 4 – Mundo feliz, louvai a Deus, louvai, louvai a Deus! / Na terra e no mar cantemos sem cessar, / cantemos seu louvor, cantemos seu louvor! / Cantemos, cantemos seu louvor!

884 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
Hoje, uma luz brilhou, / grande alegria nos traz, / canta, meu povo, canta ao Senhor, / Jesus chegou, trazendo a paz! Ao mundo desunido / Jesus mostrou / que a paz se encontra, plantando amor. Surgiu a luz do alto / na escuridão, / trazendo a todos / a salvação. A vida em plenitude / desceu do céu, / e nós vivemos / no amor de Deus. E agora proclamamos / em alta voz: / o Deus da vida / vive entre nós!

888 (Tom: F) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Já raiou a barra do dia / por detrás da escuridão. / Mais que o sol brilha Jesus Cristo / dentro do meu coração. (2x) 2 – Deus vos salve, noite linda / de estrelas e de luz! / Há na terra um canto novo: / nasce o menino Jesus. (2x) 3 – Não se assustem os pequeninos, / Senhor Deus mandou dizer / que seu Filho Jesus Cristo, / pobrezinho quis nascer. (2x) 4 – Bendita sejas, o’ Maria, / pelo teu imenso amor! / Esmagaste a serpente, / Santa Mãe do Salvador. (2x) 5 – Meu São José carpinteiro, / operário, lavrador, / hoje tu és tão bendito: / criaste quem te gerou! (2x) 6 – Bata palmas, minha gente, / cantem os pobres com ardor, / cante o céu e cante a terra, / viva o menino-Senhor! (2x)

1– 2– 3– 4–

885 (Tom: D) Música: Melodia Tradicional Inglesa
1 – Ah! Um anjo proclamou o primeiro Natal / a uns pobres pastores ao pé de Belém. / Lá nos campos a guardar os rebanhos do mal, / numa noite tão fria e escura também. Natal! Natal! Natal! Natal! / É-nos nascido um Rei divinal! 2 – E, de súbito, no céu, linda estrela surgiu, / no Oriente brilhou com estranho fulgor. / E a terra recebeu essa luz que caiu. / Muitas noites ainda em exímio esplendor. 3 – Tendo visto a clara luz dessa estrela sem par, / do Oriente alguns magos a foram seguir, / à procura de um Rei que devia chegar / aos judeus, e as velhas promessas cumprir. 4 – Essa estrela apareceu e os magos guiou / na estrada que, para Belém, os conduz; / afinal, sobre Belém essa estrela parou, / mesmo acima da casa em que estava Jesus. 5 – E os magos com afã e com grande temor, / de joelhos entraram naquele lugar, / com ofertas liberais e de muito valor: / ouro e mirra e incenso vieram lhe dar. 6 – E com eles vamos nós, com sincero fervor, / dar louvores ao nosso sublime Senhor, / que, deixando os altos céus, a este mundo baixou, / e, morrendo na cruz, nossas almas salvou.

889 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – O tempo vai passando sutilmente, / de repente, a gente lembra / que o Natal já vai chegar. / É preciso parar, é preciso lembrar / que Cristo veio para nos salvar. (2x) 2 – A praça apareceu iluminada, / na calçada, o povo pensa / que em pacotes compra a paz. / Só de Deus vem a paz, é só Ele quem traz / felicidade para todos nós.(2x) 3 – O meu Natal seria uma prece / se eu pudesse / em alegria todo o pranto transformar. / Ele veio salvar, todo o pranto enxugar, / tornou-se gente para humanizar.(2x)

890 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Deus vem morar com seu povo, / vem habitar entre nós; / tudo começa de novo, / vamos unir nossa voz para cantar: Glória, glória, glória, / glória ao Senhor nas alturas! / Paz e justiça entre os homens: Reino presente no amor. 2 – Hora de imensa alegria, / somos irmãos de Jesus; / nós temos Mãe em Maria, / veio brilhar nova luz! Vamos cantar: 3 – Tempo de viva esperança, / Cristo renasce no bem. / Lá onde o pobre é amado, / Cristo é amado também. Vamos cantar:

886

(Tom: E) Letra e Música: Tim Cullen (versão: Adebaldo A.

Cardoso)

1 – Aleluia, é Natal! / Deus mandou para nós Jesus / e o mandou a este mundo / para salvar a todos nós. / Sabemos que vivemos / cansados de tanto pecar. / Aleluia, és bemvindo, / nossas vidas veio resgatar. / Aleluia, nasceu Cristo, / é o Filho de Deus muito amado. 2 – Glória, glória, sejam dadas / a Deus Pai, que seu Filho nos deu. / E será a luz do mundo, / foi Maria que o concebeu. / Mãe pura, tão singela, / que a Jesus Cristo gerou. / És bendita dentre todas, / porque és Mãe do nosso Salvador.

891 (Tom: G) Letra: Joseph W. Clokey e Hazel J. Kisk / Música: W.
Zlobie Lezy

1 – Brilha, brilha, linda estrela, / tua luz desfaz a dor. / Ilumina nossas almas, / espalhando teu fulgor. / Brilha,

brilha, esplendorosa. / brilha, intensa, majestosa. / Brilha, brilha, linda estrela, / astro és de paz e amor. 2 – Exultai, corais celestes, / boas novas proclamai: alegria nos trouxestes, / “Paz na terra anunciai”. / Linda estrela refulgente, / brilha, brilha, resplendente. / Exultai, corais celestes, / ao excelso Rei louvai.

Semana Santa
895 (Tom: F) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Minha alma se esvai em tristeza, / e meus anos se vão em gemidos; enganado / por meus opressores, / só em ti eu encontro abrigo! Atende, Senhor, o clamor do meu coração: "O meu espírito entrego em tuas mãos"! 2 – Quanta angústia! meus olhos são tristes, / e me vejo qual vaso partido. / Mas tua face é a luz que procuro, / de tua vista eu não seja excluído. 3 – Às ocultas me dizem blasfêmias, / por tua graça tão plena me salves! / Em correntes pesadas me ataram, / vem depressa, Senhor, libertar-me! 4 – Tem piedade de mim, Senhor Santo! Sê a casa que possa abrigar-me! / Ao meu lado só tramam a morte, / mas confio que vens libertar-me.

892 (Tom: G) Letra e Música: Toninho Prado
1– 2– 3– 4– Uma estrela a brilhar, / no infinito azul do céu. / Já nasceu Jesus, enfim, / o nosso grande Rei! Nesta noite linda, / quanto esplendor! / É Jesus que nasce, / nosso Salvador! Numa gruta humilde, / nasce o Rei dos céus, / não teve lugar / entre o povo seu. Vida e esperança / a todos sua paz. / Oh! quanta alegria / seu Natal nos traz! O’ Jesus querido, / vinde habitar / no meu coração, / quero vos amar!

893 (Tom: A) Letra e Música: Reginaldo Veloso
1– É bom cantar um bendito, / um canto novo, um louvor: (bis) Ao Deus que fez nesta noite / nascer-nos um Salvador! (2x) / Jesus nasceu de Maria,/ proclamem essa alegria! (2x) De Deus o Verbo se encarna / e entre nós habitou! (2x) / Jesus nasceu em Belém, / de Deus a graça nos vem! (2x) Humano Deus se tornando,/ Divino o homem se achou! (2x) / Emanuel, Deus - co’a gente, / o povo todo contente! (2x) Os oprimidos em festa,/ nasceu o Libertador! (2x) / Se une o Céu e a Terra / num mesmo canto de amor! (2x)

896 (Tom: Dm) Cânticos Espirituais – F.T.D.
1 – A morrer crucificado, / teu Jesus é condenado / por teus crimes, pecador. (2x) Pela Virgem dolorosa, / vossa Mãe tão piedosa, / perdoai-me, bom Jesus! (2x) 2 – Com a cruz é carregado, / vai sofrendo resignado, / vai morrer por teu amor. (2x) 3 – Sob o peso desmedido, / cai Jesus desfalecido / pela tua salvação. (2x) 4 – Vê a dor da Mãe amada, / que se encontra desolada, / com seu Filho em aflição. (2x) 5 – No caminho do Calvário, / um auxílio necessário, / não lhe nega o Cireneu. (2x) 6 – Eis o rosto ensangüentado, / por Verônica enxugado, / que no pano apareceu. (2x) 7 – Novamente desmaiando, / sob a Cruz que vai levando / cai por terra o Salvador. (2x) 8 – Das mulheres que choravam, / que fiéis o acompanhavam, / é Jesus consolador. (2x) 9 – Cai exausto o bom Senhor, / esmagado pela dor / dos pecados e da cruz. (2x) 10 – Já do algoz as mãos agrestes, / as sangrentas, pobres vestes, / vão tirar do bom Jesus. (2x) 11 – Sois por mim na cruz pregado, / insultado, blasfemado, / com cegueira e com furor. (2x) 12 – Por meus crimes padecestes, / meu Jesus, por mim morrestes, / quanta angústia, quanta dor! (2x) 13 – Do madeiro vos tiraram / e à Mãe vos entregaram, / com que dor e compaixão. (2x) 14 – No sepulcro vos puseram, / mas os homens tudo esperam / do Mistério da Paixão. (2x)

2– 3–

4–

894 (Tom: Gm) Letra: Adaptação / Música: Frei Tito Medeiros
1 – Ouçamos um canto novo / tomando conta da terra: / “Glória a Deus e paz ao povo, / ódio ao ódio, guerra à guerra!” 2 – Miséria, mentira e morte / não vão nos fazer parar. / Oh! Venham, cantemos forte, / ‘inda é tempo de louvar! Celebrante:– O Senhor esteja convosco! – Ele está no meio de nós! – Os corações para o alto! – Ao Deus ressoe a nossa voz. 3 – O’ noite silenciosa! / O Desejado chegou. / A promessa foi cumprida: / tempo de espera acabou! Bendito seja o Cristo Senhor, / hoje, nascido, nosso Salvador! 4 – O’ noite silenciosa! / Chegou-nos o Emanuel! / O clamor foi atendido, / choveu justiça do céu! 5 – O’ noite silenciosa! / A sede foi saciada! / O esposo está à porta! / Encontra a sua amada! 6 – O’ noite silenciosa! / Chegou o dia esperado! / Brotou a antiga raiz, / sinal do céu nos foi dado! 7 – O’ noite silenciosa! / Deus enviou o seu Filho! / Nasceu o sol do Oriente, / a luz espalha o seu brilho! 8 – A Vós, o’ Pai, nesta noite,/ os servos cantam louvor. / Tornados filhos do Oriente, / no Espírito de amor.

897 (Tom: Em) D.R.
1 – A Paixão de um Deus amante / meditar vinde, cristãos! / E contritos, neste instante, / ah, chorai, chorai, irmãos! / Já que foi nossa maldade / que o fez tanto padecer, / o’ cristãos, por piedade, / com Jesus vinde sofrer! 2 – De temores assaltado, / no jardim quando se viu, / todo o peso do pecado / em sua alma recaiu. / Correu sangue de seu corpo / numa grande profusão: / Ele, quase como morto, / curva a fronte até o chão. 3 – Judas vem, dissimulado, / vem fingindo o abraçar. / O covarde e desalmado / quer assim o atraiçoar. / Do traidor

Quaresma e

imitadores, / sois vós que ofendeis a Deus. / Vós, /cristãos, se pecadores, / sois piores que os judeus. 4 – Entre mãos de vil soldado / cai o nosso Redentor / e seu rosto, profanado, / traz sinais de seu furor. / Eu também, com que maldade, / meu Jesus, quanto pequei! / Vossa augusta divindade / quanta vez não ultrajei! 5 – Assim, preso e amarrado, / é levado a Caifás, / por quem é mais maltratado / do que na casa de Anás. / De mil modos afrontado, / nosso pio Salvador / vê-se, por fim, condenado, / como vil blasfemador. 6 – E não só dos inimigos / vem-lhe causa de pesar: / Um discípulo dos queridos / vem-no três vezes negar. / Mas o Redentor benigno, / com seu brando e meigo olhar, / faz nascer na alma do indigno / um leal, vero pesar. 7 – Na presença de Pilatos / ousa o povo preferir / o pior dos celerados / ao Senhor que o vem remir. / “Mais indigna preferência / tenho feito muita vez, / contra Deus, dando sentença, / preferindo a malvadez”. 8 – Que suplício horroroso / meu Jesus quer padecer! / No seu corpo tão formoso / um soldado vil bater! / O inocente é flagelado, / até sangue derramar. / E eu, Senhor, que sou culpado, / nem meus crimes sei chorar! 9 – A coroa (dor acerba!) / sua fronte transpassou; / nosso crime de soberba / desse modo condenou. / Vê, cristão, que muito gozas / e te entregas a folgar: / um cristão, não é de rosas / que se deve coroar. 10 – Já no ombro fatigado / vai levando a grande Cruz, / para morte condenado, / o dulcíssimo Jesus! / De ferido, de cansado, / vê-se três vezes cair, / tanto, o’ Deus, vos há custado / nosso crime redimir. 11 – No madeiro, enfim pregado, / uma voz solta: "Perdão! / Tende, Pai do céu amado, / dos algozes compaixão!" / O terrível atentado / não hesita perdoar! / Assim, quando injuriado, / se deve um cristão vingar. 12 – A Jesus, manso Cordeiro, / sobe o insulto dos judeus: "Desce, dizem, do madeiro, mostra a todos se és Deus!" / Não os cravos, povo insano, / prendem a quem é Senhor. / O que à cruz o tem pregado, / é seu forte e terno amor. 13 – Não, Jesus, do lenho duro, / eu vos peço, não desçais; / essa cruz é leito puro, / onde à vida nos gerais. / Ao pecado, sim, morramos, / que só ele é vosso algoz. / Só por Vós, Senhor, vivamos, / pois morrestes só por nós. 14 – Jesus morre; a natureza / pasma e chora seu autor; / tudo veste de tristeza, / tudo manifesta dor. / Tu, cristão, que vês as pedras / estalarem de pesar, / ah! não queiras mais que elas, / insensível te mostrar!

1–

2–

3– 5–

Eis o tempo de conversão, / eis o dia da salvação: / Ao Pai voltemos, juntos andemos, / eis o tempo de conversão! Os caminhos do Senhor / são verdade, são amor, / dirigi os passos meus: / em Vós espero, o’ Senhor! Ele guia ao bom caminho / quem errou e quer voltar. / Ele é bom, fiel e justo, / Ele busca e vem salvar. Viverei com o Senhor, Ele é o meu sustento. / Eu confio, mesmo quando / minha dor não mais agüento. Tem valor aos olhos seus / meu sofrer e meu morrer: / libertai o vosso servo / e fazei-o reviver! A Palavra do Senhor / é a luz do meu caminho: / ela é Vida, é alegria, / vou guardá-la com carinho. Sua lei, seu mandamento, / é viver a caridade. Caminhemos todos juntos, / construindo a unidade!

900 (Tom: Eb) D.R.
1 – Em Jerusalém, / prenderam Jesus, / o meu Salvador. / Cuspiram na face / e a força do braço / o chicoteou. Como sofreu / o meu Redentor! / Foi sobre o madeiro / que crucificaram / o meu Salvador! 2 – Soldados romanos / trouxeram a cruz, / Jesus a tomou; / por todas as ruas / daquela cidade / o Cristo a arrastou. 3 – E, quando chegaram / até o Calvário, / deitaram Jesus, / de braços abertos, / no grande madeiro / em forma de cruz. 4 – E sobre os seus pés, / também, suas mãos / os cravos pregaram / e, entre os ladrões, / o meu Salvador / na cruz levantaram. 5 – O fel da amargura / na boca do Mestre / alguém colocou. / E um dos soldados / seu lado esquerdo / com a lança furou. Foi feito assim / ao meu Redentor. / Depois de três dias, / saiu do sepulcro / e ressuscitou.

901 (Tom: Em) Dos Cânticos Sagrados
1– 2– 3– 4– Perdão, meu Jesus! / Perdão, Deus de amor! / Perdão, Deus clemente, / Perdão, meu Senhor! (2x) Eu fui quem no duro / madeiro inclemente / vos pus, oh! pendente, / com vil impiedade! Por mim vosso sangue / na cruz derramastes / e prendas deixastes / de amor e humildade! E eu em recompensa / sempre fementido / me tenho esquecido / de tanta bondade! Mas já arrependido / vos busco, chorando, / meu bom Pai, clamando perdão e piedade!

898 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Conversão, justiça, comunhão e alegria no cristão / é missão de cada dia. (bis) 1 – Feliz quem tem coração de pobre. / Dele é o Reino, Cristo falou. / Grito de fé e de esperança / num só caminho de paz e amor. 2 – Feliz o manso e o oprimido / que a Boa Nova anunciou. / Grito de fé e de esperança / num só caminho de paz e amor. 3 – Feliz também é o perseguido, / do irmão a dor o preocupou. / Grito de fé e de esperança / num só caminho de paz e amor.

902 (Tom: Am) Letra: Frei José Luiz Prim / Música: Melodia Séc. XII
1 – O’ face ensangüentada de Cristo salvador, / o ver-vos ultrajada nos causa imensa dor. / O’ face iluminada no eterno resplendor! / Agora maltratada com tanto desamor. 2 – "Enfermidades vossas tomei-as sobre mim; / e todas vossas dores fui Eu que as padeci.” / Senhor, sois a riqueza de nossa salvação: / vos damos nossa vida / e eterna gratidão. 3 – Com grande paciência levais a dura cruz / ao alto do Calvário por nosso amor, Jesus. / Sofrestes, inocente, Senhor, por todos nós; / e a vida recebemos por morte tão atroz. 4 – Os povos emudecem de espanto e comoção; / e o mundo escurece ao ver vossa paixão. / Vós fostes esmagado por

899 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Weber

nossa salvação; / de todos os pecados pedimos-vos perdão. 5 – Jesus, quanto sofrestes por nossa redenção: / maus tratos recebeste da humana ingratidão. / Oh! dai-nos sempre a graça de sermos-vos fiéis, / e a morte, enfim, nos faça gozar-vos lá, nos céus.

903 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. José Weber
1 – Do Rei avança o estandarte, / fulge o mistério da Cruz, / que fere a vida de morte, / morte que à vida conduz. (2x) 2 – Do lado morto de Cristo, / ao golpe que lhe vibraram, / para lavar meu pecado / sangue e água jorraram. (2x) 3 – O’ Árvore bela e fúlgida, / de rubra púrpura ornada, / de os santos membros tocar, / digna só tu foste achada. (2x) 4 – O’ Cruz feliz, cujos braços / do mundo o preço ergueu; / balança foste do corpo / que duro inferno venceu. (2x) 5 – Tu és, o’ Cruz, esperança: / concede aos réus remissão / por um aumento de graça / enquanto passa a paixão. (2x)

1 – Sabendo que acolheste Zaqueu, o cobrador, / e assim lhe devolveste tua paz e teu amor, / também nos colocamos ao lado dos que vão / buscar no teu altar a graça do perdão. 2 – Revendo em Madalena a nossa própria fé, / chorando nossas penas diante dos teus pés, / também nós desejamos o nosso amor te dar, / porque só muito amor nos pode libertar. 3 – Motivos temos nós de sempre confiar, / de erguer a nossa voz, de não desesperar. / Olhando aquele gesto que ao bom ladrão salvou; / não foi, também, por nós, teu sangue que jorrou?

908 (Tom: F) Folcmúsica Religiosa
1 – Virgem dolorosa, / que aflita chorais, / repleta de angústias, / bendita sejais! Bendita sejais, / Senhora das Dores, / ouvi nossos rogos, / Mãe dos pecadores! 2 – De Simeão as vozes / no tempo escutais, / cruéis profecias! Bendita sejais! 3 – Manda o céu um anjo / dizer que fujais / do servo tirano. / Bendita sejais! 4 – Volvendo do templo / Jesus não achais; / que susto sofrestes! Bendita sejais! 5 – Que dor indizível / quando o encontrais / com a cruz às costas! / Bendita sejais! 6 – A dor ainda cresce / quando contemplais / Jesus expirando! / Bendita sejais! 7 – No vosso regaço / seu corpo abrigais / com Ele abraçada! / Bendita sejais! 8 – Sem Filho, e tal Filho! / Então suportais / cruel soledade! / Bendita sejais! 9 – Uma dura espada / de dores mortais / o peito vos passa! / Bendita sejais! 10 – Entre dois bandidos, / Jesus avistais, / pendente dos cravos! / Bendita sejais!

904 (Tom: F) Letra: David Julien / Música: Pe. Carlos A. Navarro
Vitória, tu reinarás! / O’ Cruz, tu nos salvarás! 1 – Brilhando sobre o mundo / que vive sem tua luz, / tu és um sol fecundo / de amor e de paz, o’ Cruz! 2 – Aumenta a confiança / do pobre e do pecador, / confirma nossa esperança / na marcha para o Senhor. 3 – À sombra dos teus braços, / a Igreja viverá; / por ti, no eterno abraço, / o Pai nos acolherá.

905 (Tom: Am) Letra e Música: José Alves
1– 2– 3– 4– O vosso coração de pedra / se converterá / em novo, em novo coração. Tirarei de vosso peito / vosso coração de pedra, / no lugar colocarei / novo coração de carne. Dentro em vós Eu plantarei, / plantarei o meu Espírito: / amareis os meus preceitos, / seguireis o meu amor. Do meio das nações, / com amor vos tirarei. / Qual pastor vos guiarei, / para a terra, a vossa Pátria. Esta terra habitareis: / foi presente a vossos pais / e sereis sempre o meu povo, / Eu serei o vosso Deus.

909 (Tom: G) DR
1– 2– 3– 4– 5– Pecadores redimidos / com o sangue do Senhor, / atendei, olhai se existe / dor igual à minha dor. Dolorosa aguda espada / transpassou-me o coração / quando a morte do meu Filho / me predisse Simeão. (2x) Junto ao Filho para o Egito, / eu fugi com dor atroz, / quando Herodes o buscava / para dá-lo ao vil algoz. (2x) Quem dirá meu sentimento? / Desolada me encontrei / vendo o Filho meu perdido! / Por três dias o busquei. (2x) Que martírio na minha alma, / encontrando meu Jesus, / no caminho do Calvário / arquejante sob a Cruz. (2x) Mas, o’ céus, o’ terra, vede: / Dor maior não pode haver / vendo a morte do meu Filho / foi milagre eu não morrer. (2x) Contemplai meu sofrimento, / minha angústia ao pé da Cruz: / Pela lança transpassado / vi meu Filho, o meu Jesus. (2x) Oh! que dor mais cruciante, / que suprema solidão, / ao levarem-no ao sepulcro, / invadiu-me o coração! (2x)

906 (Tom: E) Popularizado
1 – Meu Deus, logo murchou, / logo secou a flor da inocência! / Meu Deus, logo chegou / e me assaltou suprema indigência! Perdoai, Senhor, por piedade! / Perdoai a minha maldade! Senhor, / antes morrer, antes morrer que vos ofender! 2 – Deixei de Deus a lei / e me entreguei a toda maldade! / Deixei de Deus a lei / e me afastei da felicidade! 3 – Meu Deus, o que há de ser, / quando vier a tremenda morte? / Meu Deus, se já vier, qual há de ser a minha eterna sorte? 4 – Fazei, meu bom Jesus, / por vossa cruz, do mal me desvie! / Fazei, meu bom Jesus, que vossa luz do céu me alumie!

6–

7–

907 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
Senhor, eis aqui o teu povo, / que vem implorar teu perdão. / É grande o nosso pecado, / porém é maior o teu coração.

910 (Tom: E) Folcmúsica Religiosa
1 – Bendita e louvada seja / a Paixão do Redentor, / que por nós sofreu martírios, / morreu por nosso amor! (2x) 2 – Os céus cantam a vitória / de Nosso Senhor Jesus; / cantemos também na terra / louvores à Santa Cruz! (2x)

3 – Sustenta gloriosamente / nos braços ao bom Jesus; / sinal de esperança e vida / o lenho da Santa Cruz. (2x) 4 – Humildes e confiantes / levemos a nossa cruz; / seguindo o sublime exemplo / de Nosso Senhor Jesus! (2x) 5 – Cordeiro imaculado, / por todos morreu Jesus; / pagando as nossas culpas, / é Rei pela sua Cruz. (2x) 6 – É arma em qualquer perigo / é raio de eterna luz; / bandeira vitoriosa / o Santo Sinal da Cruz. (2x) 7 – Ao povo, aqui reunido, / dai graças, perdão e luz; / salvainos, o’ Deus clemente, / em nome da Santa Cruz! (2x)

915 (Tom: E) Letra e Música: José Alves
Os filhos dos hebreus, com ramos de oliveira, / foram ao encontro do Senhor, clamando: / Hosana, hosana nas alturas! (2x) 1 – Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, / o mundo inteiro com os seres que o povoam. 2 – "O’ portas, levantai vossos frontões! / para que assim o Rei da glória possa entrar!" 3 – Dizei-nos: "Quem é este Rei da glória?"/ "É o Senhor, o Valoroso, o Onipotente!"

911 (Tom: Em) D.R.
1 – Estava a Mãe dolorosa / ao pé da Cruz lacrimosa, / enquanto o Filho pendia. (2x) Mãe de Jesus, traspassada / de dores ao pé da Cruz, / rogai por nós, rogai por nós, / rogai por nós a Jesus! (2x) 2 – Quão triste, oh! quão aflita / se viu a sempre bendita, / a Mãe de Nosso Senhor! (2x) 3 – Quem se não entristecera / e se não compadecera / da Mãe tão penalizada! (2x)

916 (Tom: Dm) Letra e Música: Reginaldo Veloso
1– Os filhos dos hebreus, / com ramos de palmeira, / correram ao encontro de Jesus, Nosso Senhor, / cantando e gritando: / Hosana, o’ Salvador!" (2x) O mundo e tudo que tem nele é de Deus: / A terra e os que aí vivem, todos seus! / Foi Deus que a terra construiu por sobre os mares, / no fundo do oceano seus pilares! Quem vai morar no templo de sua cidade? / Quem pensa e vive longe das vaidades! / Pois Deus, o Salvador o abençoará, / no julgamento o defenderá! Assim, são todos os que prestam culto a Deus, / que adoram o Senhor, Deus dos Hebreus! / Portões antigos, se escancarem, vai chegar, alerta! O Rei da glória vai entrar! Quem é, quem é, então, quem é o Rei da glória? / O Deus, forte Senhor da nossa história! / Portões antigos, se escancarem, vai chegar, / alerta! O Rei da glória vai entrar! Quem é, quem é, então, quem é o Rei da glória? / O Deus, que tudo pode, é o Rei da glória! Aos Três, / ao Pai, ao Filho e ao Confortador / da Igreja que caminha o louvor!

2–

912 (Tom: Em) Letra: Jaime Vitalino dos Santos / Música: Pe. José
Weber

3–

1– 2– 3– 4– 5–

Como o Senhor vos perdoou e acolheu, / perdoai e acolhei vossos irmãos! Não pagueis o mal com mal, / nem injúria com injúria; / ao contrário, abençoai, / pois Deus chamou-nos para isto. O Senhor, na sua Cruz, / carregou nossos pecados: / carreguemos, também, nós / as fraquezas dos irmãos! O Senhor, pregado à cruz, / implorou por seus algozes: / "perdoai-lhes, o’ meu Pai, / pois não sabem o que fazem!" Tende em vós os sentimentos / que Jesus teve por vós: / sendo Deus se humilhou, / fez-se servo e nos salvou. Senhor santo e inocente, / que sofrestes injustiças: / ensinai-nos vosso exemplo / tão sublime de perdão!

4–

5–

917 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. José Weber
Nossa glória é a cruz, / onde nos salvou Jesus. 1 – Nós devemos gloriar-nos / nesta cruz de salvação: / traznos vida e liberdade / e nos dá ressurreição. 2 – Foi preciso o Senhor, / para entrar na sua glória, / ser na cruz crucificado: / é o caminho da vitória. 3 – E quem quer viver unida / sua vida à de Jesus, / não terá outro caminho: / "pela cruz se chega à luz."

913 (Tom: Dm) D.R.
1 – Pequei, pequei, meu Deus! / Piedade, Senhor, piedade! Se grandes são as culpas, / maior é tua bondade! 2 – Por tua longa agonia. / Piedade, Senhor, piedade! 3 – Por teu precioso sangue. / Piedade, Senhor, piedade! 4 – Por teu lado chagado. / Piedade, Senhor, piedade! 5 – Por tua aflita Mãe. / Piedade, Senhor, piedade!

918 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Todos nós devemos gloriar-nos na cruz / de Nosso Senhor Jesus Cristo, / que é nossa salvação, nossa vida, / nossa esperança de ressurreição / e pelo qual fomos salvos e libertos. 1 – Esta é a noite da Ceia Pascal, / a Ceia em que o nosso Cordeiro se imolou. 2 – Esta é a noite da Ceia do amor, / a Ceia em que Jesus por nós se entregou. 3 – Esta é a Ceia da Nova Aliança, / a Aliança confirmada no Sangue do Senhor.

914 (Tom: D) Letra e Música: Antônio
1 – Meu Senhor despojou-se de si, sendo Deus; / se fez homem, se entregou e morreu numa cruz. / Meu Senhor, para salvar a mim e meus irmãos, se humilhou, veio ao mundo e das trevas fez luz. Eu te amo, sou louco de amor por ti, meu Jesus. / Tu és minha paz, minha luz, meu Rei e meu bom Pastor. / Eu te amo, sou louco de amor por ti, meu Jesus. / Tu és minha paz, minha luz, meu Deus, meu Senhor! 2 – Meu Senhor, que tudo criou por amor, / não foi recebido pelo povo seu. / Lá, na cruz, pede ao Pai que perdoe aos cruéis, / que não sabem que matam o Filho de Deus. 3 – Meu Senhor cumpriu a promessa, / nos deu o Espírito Santo da parte de Deus. / Foi à Casa do Pai preparar-nos lugar / para levar-nos consigo ao Reino dos céus.

919 (Tom: C) Letra e Música: Waldeci Farias
1 – Jesus, erguendo-se da Ceia, / jarro e bacia tomou, / lavou os pés dos discípulos, / este exemplo nos deixou. / Aos pés de Pedro inclinou-se. / - O’ Mestre, não, por quem és?! / "Não terás parte comigo, / se não lavar os teus pés." (2x)

2 – És o Senhor, Tu és o Mestre, / os meus pés não lavarás. / "O que ora faço não sabes, / mas depois compreenderás. / Se Eu, vosso Mestre e Senhor, / vossos pés hoje lavei, / lavai os pés uns dos outros, / eis a lição que vos dei.” (2x) 3 – “Eis como irão reconhecer-vos, / como discípulos meus, / se vos amais uns aos outros”, / disse Jesus para os seus. / “Dou-vos novo mandamento, / deixo ao partir nova lei: / que vos ameis uns aos outros, / assim como Eu vos amei.” (2x)

924 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Que foi, povo meu, que te fiz? / Jamais te deixei sem defesa. / Fui Eu que te fiz infeliz? / Te esqueces da minha presteza? Deus Santo, Deus forte, Deus imortal, / olhai deste povo a fraqueza, piedade, livrai-nos do mal! 2 – Te lembras do Egito, que dor? / E Eu te tirei com mão firme. / E agora me vens com furor? / E queres co’a lança ferir-me? 3 – Do Nilo mudei água em sangue, / rasguei o Mar Vermelho e passaste. / E, quando eu bem mais do que exangue, / meu lado, de um golpe, rasgaste! 4 – Fartei com maná teu deserto, / da pedra te dei água pura. / E agora me zombas de perto, / na sede me dás amargura! 5 – Só tive palavras de alento, / e quis boa terra te dar. / Não pude te ver ao relento, / e insultos gritaste sem par? 6 – Fui simples, sereno semblante, / e a vida te dei, dom supremo: / De ti me ocupei incessante, / e tu me acusaste blasfemo? 7 – Falei pelos fracos sem medo, / curei, perdoei, fui tua luz. / E tu, com teu torpe segredo, / a mim reservaste uma cruz!

920 (Tom: Am) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. Sílvio Milanez
Salve, o’ Cristo obediente! / Salve, Amor onipotente, / que te entregou à cruz / e te recebeu na luz! 1 – O Cristo obedeceu até à morte, / humilhou-se e obedeceu o bom Jesus, / humilhou-se e obedeceu sereno e forte, / humilhou-se e obedeceu até à cruz. 2 – Por isso, o Pai do Céu o exaltou; / exaltou-o e lhe deu um grande nome; / exaltou-o e lhe deu poder e glória, / diante dEle céus e terra se ajoelham.

921 (Tom: Cm) Letra: Missal Romano / Música: Pe. J. Ximenes
1 – Povo meu, que te fiz Eu? / Dize: Em que te contristei? / Por que à morte me entregaste? / Em que foi que Eu te faltei? Deus santo, / Deus forte, / Deus imortal, / tende piedade de nós! 2 – Eu te fiz sair do Egito, / com maná te alimentei. / Preparei-te bela terra. / Tu, a Cruz para o teu Rei! 3 – Bela vinha eu te plantara, / tu plantaste a lança em mim. / Águas doces Eu te dava, / foste amargo até o fim! 4 – Flagelei por ti o Egito, / primogênitos matei. / Tu, porém, me flagelaste, / entregaste o próprio Rei! 5 – Eu te abri o mar Vermelho, / tu me abriste o coração. / A Pilatos me levaste, / Eu levei-te pela mão. 6 – Só na Cruz tu me exaltaste, / quando em tudo te exaltei. / Que mais podia Eu ter feito? / Em que foi que te faltei?

925 (Tom: A) Letra e Música: Roberto Malvezzi
1– Hosana hey! Hosana ha! / Hosana hey! Hosana hey! Hosana ha! (bis) Ele é o Santo, / é o Filho de Maria, / é o Deus de Israel, / é o Filho de Davi! / Santo é seu nome, é o Senhor Deus do universo. / Glória a Deus de Israel, nosso Rei e Salvador! Vamos a Ele / com as flores dos trigais, / com os ramos de oliveiras, / com alegria e muita paz. / Santo é seu nome... Ele é o Cristo, / é o Unificador, / é hosana nas alturas, / é hosana no amor. / Santo é seu nome... Ele é alegria, / a razão de meu viver, / é a vida de meus dias, / é o amparo no sofrer. / Santo é seu nome...

2– 3– 4–

922 (Tom: Bb) Música: Pierre Sanches
Eis o lenho da Cruz, do qual pendeu a salvação do mundo. Vinde, adoremos!

926 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
O’ Pai, se possível, o’ Pai, se possível, afasta de nós este cálice; / porém não se faça, porém não se faça a nossa vontade, mas a tua! 1 – São tantas lágrimas no cálice do povo: / tua Paixão parece acontecer de novo. 2 – São tantas pedras no caminho do teu povo: / tua Paixão parece acontecer de novo. 3 – São tantas cruzes sobre os ombros do teu povo: / tua Paixão parece acontecer de novo.

923 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Casimiro Irala
1– Que mais podia Eu ter feito? / Que mais podia Eu te dar? Plantei-te como vinha nova, / toda graciosa, nada havia igual; / e castiguei os malfeitores / que te perseguiam pra fazer-te mal. Abri o mar na tua passagem, / e da escravidão Eu te levei à paz; / e fiz caminho no deserto, / para o lugar certo, / para o bem total. E esqueceste o amor, / e entregaste o Senhor. / O mundo inteiro se esqueceu da luz, e pregou o Salvador na Cruz! Eu dei o pão da nova vida, / e a pedra ferida a sede apagou; / e fiz para o meu povo eleito / os maiores feitos, como ninguém viu. Eu dei o sol da liberdade, / a luz da verdade, onde nasce o amor; / E dei o pão da caridade, na fraternidade do mundo melhor. E esqueceste o amor, / e entregaste o Senhor. / O mundo inteiro se esqueceu da luz, e pregou o Salvador na Cruz!

2–

927 (Tom: Dm) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Quando Jesus se aproximou / de Jerusalém e nela entrou, / os amigos seus foram também, / multidão em festa assim cantou: Glória, glória ao Filho de Davi! / E aos que perguntam assim: “Quem Ele é?” / Se não respondem, as pedras falarão: / “Este é o Profeta Jesus de Nazaré!” 2 – Num jumentinho vem Jesus, / e não se contém a multidão. / Mantos pelo chão: “Eis nosso Rei!” / Ramos agitando de emoção.

3–

4–

3 – Deus nos mandou o nosso Rei! / Louvam as crianças com razão: / luz, perdão e amor Ele se fez, / veio libertar, nos deu a mão! 4 – Foi para o templo e se indispõe: / câmbio e vendilhões viu por ali; / “Casa de Oração” - disse Jesus - / “Covil de ladrões”, longe daqui! 5 – Muitos tramavam o seu fim. / Mas a tarde cai, a noite vem, / e Jesus se vai... mas voltará: / quem pode esquecer Jerusalém?

2–

3–

928 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
Amar e servir, servir e amar, / a exemplo daquele que veio servir./ E a seus amigos os pés quis lavar, / eis o compromisso: amar e servir. Se Eu, vosso Mestre, lavei-vos os pés, / se Eu, o Senhor, por vós me humilhei, / também vós deveis lavar-vos os pés, / amar uns aos outros, como Eu vos amei! O servo não é maior que o Senhor,/ nem o enviado, de Quem o enviou: / Felizes de vós se o compreenderdes / e o praticardes, felizes sereis. Um novo preceito, eis o que vos dou: / “Amai uns aos outros, como Eu vos amei!” / É nisto que todos hão de saber / que sois meus discípulos, se o Amor vos unir! Ninguém tem maior Amor do que aquele / que dá a própria vida pelos seus amigos! / Vós sois meus amigos, se praticardes / o que vos mandei: Amar e Servir! 4–

1–

2–

3–

5–

4–

6–

929 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. Élio Athayde
1– Quanto tempo Eu desejei, / com vocês, unir-me nesta refeição! / Venham todos, meus irmãos, / de mãos estendidas, repartir o pão! Jesus, um dia, reuniu todos os seus amigos numa refeição, / cingiu-se com uma toalha e lavou os pés de todos seus irmãos. / Depois de lhes lavar os pés, o Mestre explicoulhes aquela lição: / “Quem quer ser o maior na vida, deve se tornar o menor dos irmãos”. Jesus, naquela despedida, Ele pregava vida, Ele pregava amor. / E qual não foi sua tristeza, quando ali, à mesa, estava o traidor! / Também, na nossa própria vida, somos, muitas vezes, / “Judas traidor”, / comemos e bebemos juntos e depois negamos ao irmão amor. E o Mestre, repartindo o pão e repartindo o vinho, assim Ele falou: / “Tomai, comei deles, agora, é o meu Corpo e Sangue, que por vós Eu dou!” / Também, no nosso dia-adia, vamo-nos doar ao pobre, nosso irmão! / Tem gente morrendo de fome e na nossa mesa está sobrando pão! Assim foi a última Ceia, a primeira Missa que Jesus rezou, / tornou-se nosso alimento e, de amor sedento, por nós se entregou. / No mundo há uma grande Ceia, a Festa da Vida, a Ceia Pascal / e a festa só será completa, quando houver no mundo amor universal.

Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival. / Que selva outro lenho produz, / que traga em si fruto igual? O Criador teve pena / do primitivo casal, / que foi ferido de morte,/ comendo o fruto fatal, / e marcou logo outra árvore / para curar-nos do mal. Quão doce peso conduz, / o’ lenho celestial! / Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival! Tal ordem foi exigida / na obra da Salvação: / cai o inimigo no laço / de sua própria invenção. / Do próprio lenho da morte / Deus fez nascer redenção. Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival! / Que selva outro lenho produz, / que traga em si fruto igual? Na plenitude dos tempos, / a hora santa chegou / e, pelo Pai enviado, / nasceu do mundo o autor; / e duma Virgem no seio / a vossa carne tomou. Quão doce peso conduz,/ o’ lenho celestial! / Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival! Seis lustros tendo passado, / cumpriu a sua missão, / só para ela nascido, / livre se entrega à Paixão. / Na cruz se eleva o Cordeiro, / como perfeita oblação. Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival! / Que selva outro lenho produz, / que traga em si fruto igual? Glória e poder à Trindade. / Ao Pai ao Filho, louvor. Honra ao Espírito Santo, eterna glória ao Senhor, / que nos salvou pela graça / e nos remiu pelo amor. Quão doce peso conduz, / o’ lenho celestial! / Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival!

931 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1– O Senhor me chamou / e me ungiu, me enviou: / “Levarás a Boa Nova!” / Vossos pés vou lavar, / vou ser Pão, e deixar-vos a cruz como prova. Vim da parte de Deus anunciar-vos / novo tempo mais pleno de vida: / Vim curar, reerguer, renovar, / libertar toda gente oprimida! Dentre vós que não haja senhores: / que o maior lave os pés dos irmãos, / que o mais sábio se instrua co’os simples / e que todos se dêem sempre as mãos! Não vos chamo de servos, amigos: / confiei-vos o amor de meu Pai! / Cultivai a semente, dai frutos, / toda a face da terra mudai! Sede fortes, brilhai como luz, / frente ao ódio mantende o vigor. / Perdoai, persisti, sem ceder / demonstrai o que tenho a propor. Não vos peço impossíveis façanhas, / nem conquistas, nem feitos dos reis. / Simplesmente façais como Eu fiz: / sem cessar como amei, vos ameis! Não temais trono algum deste mundo, / na verdade vivei sem cessar: / Sede assim testemunhas do Reino / que meu Pai quis na terra plantar! Crede em mim, pois assim vivereis! / Meu Espírito vos nutrirá! / Nem a morte havereis de temer! / Sede firmes, que a paz nascerá! Volto ao Pai, preparar-vos a mesa, / que Ele quer todos juntos de si. / Cativai toda gente em meu nome, / anunciai: todo mal Eu venci!

2–

2–

3–

3–

4–

4–

5–

6–

930 (Tom: Eb) F.R.
Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival! / Que selva outro lenho produz, / que traga em si fruto igual? / Quão doce peso conduz, / o’ lenho celestial! / Fiel madeiro da Santa Cruz, / o’ árvore sem rival! 1 – Cantem meus lábios a luta / que sobre a cruz se travou; / cantem o nobre triunfo / que no madeiro alcançou / o Redentor do Universo, / quando por nós se imolou. 7–

8–

Vigília e Tempo Pascal
932 (Tom: G) Letra: M. H. Toigo / Música: Ivaldo Roque
1– 2– 3– 4– 5– 6– Cristo, nossa Páscoa, foi imolado, / Aleluia! Glória a Cristo Rei / Ressuscitado, aleluia! Páscoa sagrada! Oh, festa de luz! / Precisas despertar, Cristo vai te iluminar! Páscoa sagrada! Oh, festa universal! / No mundo renovado é Jesus glorificado! Páscoa sagrada! Vitória sem igual! / A cruz foi exaltada, foi a morte derrotada! Páscoa sagrada! Oh, noite batismal! / De tuas águas puras nascem novas criaturas! Páscoa sagrada! Banquete do Senhor! / Feliz a quem é dado ser às núpcias convidado! Páscoa sagrada! Cantemos ao Senhor! / Vivamos a alegria, conquistada em meio à dor!

933 (Tom: Dm) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Pe. Sílvio Milanez
Entoou Moisés este canto ao Senhor, / todo o povo se uniu em alegre louvor: 1 – O Senhor glorioso triunfou, / cavaleiro e cavalo afogou. O Senhor é minha força e meu canto, / salvação Ele foi em meu pranto. 2 – O Senhor, sim, que é forte guerreiro, / e seu nome é Senhor justiceiro. Lança ao mar comandados e chefes, / carros e homens nas ondas perecem. 3 – O furor da tua destra ameaça, / o inimigo se arma e fracassa. No teu monte o introduzirás, / e para sempre, Senhor, reinarás.

934 (Tom: Dm) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Sílvio Milanez
Ao Senhor dai graças, seu nome invocai. / Entre os povos seus feitos de amor proclamai! 1 – Salvação é meu Deus e confio, / é minha força e meu canto e meu brio. Com alegria beber todos vão, / vão às fontes beber salvação. 2 – Vamos todos cantar ao Senhor, / proclamar os seus feitos de amor! Que teu povo exulte e se alegre, / e teu nome entre nós se celebre!

935 (Tom: A) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1– 2– 3– 4– O’ morte, onde está tua vitória? / Cristo ressurgiu, honra e glória! (bis) Não temos medo de nada: / Cristo ressuscitou! / A morte foi derrotada: / Cristo ressuscitou! Surgiu a grande esperança: / Cristo ressuscitou! / Razão da nossa confiança: / Cristo ressuscitou! Justiça, paz e verdade: / Cristo ressuscitou! / Constroem a fraternidade: / Cristo ressuscitou! As trevas foram vencidas: / Cristo ressuscitou! / Cadeias foram rompidas: / Cristo ressuscitou!

936 (Tom: Em) D.R.

Solo 1 – Exulte o céu e os anjos triunfantes, / mensageiros de Deus, desçam cantando; / façam soar trombetas fulgurantes, / a vitória de um Rei anunciando. Solo 2 – Alegre-se também a terra amiga, / que em meio a tantas luzes resplandece; / e, vendo dissipar-se a treva antiga, / ao sol do eterno Rei brilha e se aquece. Solo 1 – Que a mãe Igreja alegre-se igualmente, / erguendo as velas deste fogo novo, / e escutem, reboando de repente, / o Aleluia cantado pelo povo. Cel. – O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós! Cel. – Corações ao alto! O Nosso coração está em Deus! Cel. – Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É nosso dever e nossa salvação! Solo 1 – Sim, verdadeiramente é bom e justo / cantar ao Pai de todo o coração / e celebrar seu Filho Jesus Cristo, / tornado para nós um novo Adão. Solo 2 – Foi Ele quem pagou do outro a culpa, / quando por nós à morte se entregou: / para apagar o antigo documento, / na cruz todo o seu sangue derramou. Oh, noite de alegria verdadeira, / que une de novo o céu e a terra inteira! Solo 1 – Pois eis agora a Páscoa, nossa festa, / em que o real Cordeiro se imolou: / marcando nossas portas, nossas almas, / com seu divino sangue nos salvou. Solo 2 – Esta é, Senhor, a noite em que do Egito / retirastes os filhos de Israel, / transpondo o mar Vermelho a pé enxuto, / rumo à terra onde correm leite e mel. / Oh, noite de alegria... Solo 1 – Oh, noite em que a coluna luminosa / as trevas do pecado dissipou, / e aos que crêem no Cristo em toda a terra, / em novo povo eleito congregou! Solo 2 – Oh, noite em que Jesus rompeu o inferno, / ao ressurgir da morte vencedor: / de que nos valeria ter nascido, / se não nos resgatasse em seu amor? / Oh, noite de alegria... Solo 1 – O’ Deus, quão estupenda caridade / vemos no vosso gesto fulgurar: / não hesitais em dar o próprio Filho, / para a culpa dos servos resgatar. Solo 2 – Oh, pecado de Adão indispensável, / pois o Cristo o dissolve em seu amor; / oh, culpa tão feliz, que há merecido a graça de um tão grande Redentor! / Oh, noite de alegria... Solo 1 – Pois esta noite lava todo crime, / liberta o pecador de seus grilhões, / dissipa o ódio e dobra os poderosos, / enche de luz e paz os corações. Solo 2 – Oh, noite de alegria verdadeira / que prostra o Faraó, e ergue os hebreus, / que une de novo ao céu a terra inteira, / pondo na treva humana a luz de Deus. / Oh, noite de alegria... Solo 1 – Na graça desta noite, o vosso povo / acende um sacrifício de louvor; / acolhei, o’ Pai santo, o fogo novo: / não perde ao dividir-se o seu fulgor. Solo 2 – Cera virgem de abelha generosa / ao Cristo ressurgido trouxe a luz: / eis de novo a coluna luminosa, / que o vosso povo para o céu conduz. / Oh, noite de alegria... Solo 1 – O Círio que acendeu as nossas velas / possa esta noite toda fulgurar; / misture sua luz à das estrelas, / cintile quando o dia despontar. Solo 2 – Que ele possa agradar-vos como o Filho, / que triunfou da morte e vence o mal. / Deus, que a todos

acende no seu brilho, / e um dia voltará, sol triunfal! / Oh, noite de alegria...

937 (Tom: Bb) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Frei Tito Medeiros
Exulte de alegria / dos anjos a multidão, / exultemos, também, nós / por tão grande salvação! Do grande Rei a vitória / cantemos o resplendor: / das trevas surgiu a glória, / da morte o Libertador. – O Senhor esteja convosco! / – Ele está no meio de nós. – Os corações para o alto! / – A Deus ressoe nossa voz. No esplendor desta noite, / que viu os Hebreus libertos, / nós, os cristãos bem despertos, / brademos: morreu a morte! Bendito seja / Cristo, Senhor, / que é do Pai / imortal esplendor! (bis) No esplendor desta noite, / que viu vencer o Cordeiro, / por Cristo salvos, cantemos / a seu Sangue justiceiro! No esplendor desta noite, / que viu ressurgir Jesus / do sepulcro, exultemos / pela vitória da Cruz! Noite mil vezes feliz, / Deus por nós seu Filho deu, / o Filho salva os escravos, / quem tanto amor mereceu? Noite mil vezes feliz, / oh, feliz culpa de Adão, / que mereceu tanto amor, / que recebeu tal perdão! Noite mil vezes feliz, / aniquilou-se a maldade, / as algemas se quebraram, / despontou a liberdade! Noite mil vezes feliz, / o opressor foi despojado, / os pobres, enriquecidos, / o céu à terra irmanado! Noite mil vezes feliz, / em círio de virgem cera,/ nova esperança se acende / no seio da tua Igreja! Noite mil vezes feliz, / noite clara como o dia, / na luz de Cristo glorioso / exultemos de alegria!

1–

2– 3– 4– 5– 6– 7– 8– 9–

escravo, / sacrificaste o Filho. / Sem o pecado de Adão, / Cristo não nos teria resgatado. / Oh, feliz culpa / que mereceu tão grande Redentor! / Oh, feliz culpa! Oh, feliz culpa / que mereceu tão grande Redentor! / Oh, feliz culpa! 5 – O’ noite maravilhosa, que despojaste o Faraó e enriqueceste Israel! / Oh, noite que destrói o pecado / e lava as nossas culpas! / Oh, noite realmente gloriosa / que reconciliou o homem com Deus. / Esta é a noite em que Cristo venceu a morte / e dos infernos retorna vitorioso. Esta é a noite em que Cristo venceu a morte / e dos infernos retorna vitorioso. 6 – Nesta noite, aceita, Pai Santo, / este sacrifício de louvor que a Igreja te oferece por meio dos seus ministros / na liturgia solene deste Círio, / que é sinal da nova Luz. / Nós te rogamos, Senhor, / que este Círio oferecido / em honra do teu nome / brilhe radiante, / chegue a ti como perfume suave / e se confunda com as estrelas do céu; / o encontre aceso a estrela da manhã, / essa estrela que não conhece ocaso, / que é Cristo, teu Filho ressuscitado, / ressuscitado da morte. Que é Cristo, teu Filho / ressuscitado, / ressuscitado da morte. / Amém! Amém!

939 (Tom: Eb) Letra: Reginaldo Veloso / Música: Folcmúsica Religiosa
É bom cantar um Bendito, / um canto novo, um louvor: (bis) Jesus nasceu de Maria, / hoje Ele é nosso Senhor! (bis) Hoje Ele é nosso Senhor / por sua ressurreição! (bis) Da morte é vencedor. / Da Vida é campeão! (bis) Cordeiro sacrificado, / é nossa Páscoa, irmãos! (bis) Ele é do Céu e da Terra / a reconciliação! (bis) Dos tristes, consolador; / dos pobres, libertação! (bis) As mãos se dão Céu e Terra, / é uma só louvação! (bis)

938 (Tom: Am) D.R.
1 – Exultem os coros dos anjos, / exulte a assembléia celestial, / e um hino de glória clame o triunfo do Senhor ressuscitado; / alegre-se a terra inundada de nova luz. / O esplendor do Rei destruiu as trevas, / destruiu as trevas, / as trevas do mundo! O esplendor do Rei destruiu as trevas, / destruiu as trevas, / as trevas do mundo! 2 – Que se alegre nossa Mãe, a Igreja, / resplandecente da glória do seu Senhor, / e que neste lugar ressoe, unânime, / a aclamação de um povo em festa. – O Senhor esteja convosco! – Ele está no meio de nós! – Corações ao alto! – O nosso coração está em Deus. – Demos graças ao Senhor, nosso Deus! – É nosso dever e salvação. (2x) 3 – Realmente é justo e necessário, / exaltar com o canto a alegria do Espírito / e elevar um hino ao Pai todopoderoso / e ao seu único Filho Jesus Cristo. / Ele pagou por nós ao eterno Pai / a dívida de Adão / e com seu sangue derramado, / derramado por amor, / cancelou a condenação do pecado. / Esta é a Páscoa em que é imolado o Cordeiro. / Esta é a noite em que foram libertados nossos pais do Egito. / Esta é a noite que nos salva da escuridão do mal. / Esta é a noite em que Cristo venceu a morte / e dos infernos retorna vitorioso. Esta é a noite em que Cristo venceu a morte / e dos infernos retorna vitorioso. 4 – Oh, admirável condescendência do teu amor! / Oh, incomparável ternura e caridade / que, para resgatar o

940 (Tom: G) Letra: D. Marcos Barbosa / Música: Pe. José Weber
1 – Cantai, cristãos, afinal: / “Salve, o’ vítima pascal!” / Cordeiro inocente, o Cristo / abriu-nos do Pai o aprisco. 2 – Por toda ovelha imolado, / do mundo lava o pecado. / Duelam forte e mais forte: / é a vida que vence a morte. 3 – O Rei da vida, cativo, / foi morto, mas reina vivo! / Responde, pois, o’ Maria: / no caminho o que havia? 4 – “Vi Cristo ressuscitado, / o túmulo abandonado, / os anjos da cor do sol, / dobrado no chão o lençol. 5 – O Cristo, que leva aos céus, / caminha à frente dos seus!” / Ressuscitou, de verdade! / O’ Cristo Rei, piedade!

941 (Tom: Dm) Letra e Música: Frei Wilson
Senhor, tende piedade de nós! (2x) / Jesus Cristo, tende piedade de nós! (2x) / Senhor, tende piedade de nós! (2x) O’ Santa Mãe de Deus, / com o esposo São José, / São Pedro e São Paulo, / São João e Santo André. Aos anjos lá do céu / pedimos todo dia, / também a São Miguel / e Inácio de Antioquia. Rogai por nós, rogai por nós! (bis) O’ Santos João Batista, / Gregório e Agostinho, / Também Santo Atanásio, / São Bento e São Martinho. Lembrai-vos São Francisco / e dai-vos vosso auxílio / Lembrai-vos São Domingos / lembrai-vos São Basílio. Rogai por nós, rogai por nós! (bis)

1– 2–

3– 4–

5 – Estêvão e Lourenço, / Sinais de muita fé, / O’ Senhor Cura D'Ars / e Francisco Xavier. 6 – Catarina de Sena, / Santa Felicidade, / Maria Madalena, / com amor e com bondade. Rogai por nós, rogai por nós! (bis) O’ Senhor, sede nossa proteção, / ouvi-nos, Senhor! / Para que nos livreis de todo mal... / Para que nos livreis de algum pecado... / Para que nos livreis da morte eterna... / Vos pedimos por vossa encarnação... / Pela vossa morte e ressurreição... / Pelo Espírito Santo de amor... / Apesar de nós sermos pecadores... / Conduzi e protegei a vossa Igreja... / Conservai o Santo Padre como guia... / Conservai nossos bispos, nosso clero... / Concedei-nos paz e união.../ Conservai-nos em nossa pastoral... / E pedimos bênção para o povo... / E pedimos pela união dos cristãos... / Renovai, no Batismo, este eleito... / Tornai santa nossa fonte batismal... / O’ Jesus, sois o Filho do Deus vivo! / Ouvi-nos, Senhor! Jesus Cristo, ouvi-nos! / Jesus Cristo, atendei-nos! (bis)

Para que vos digneis dar a nova vida Aos que chamastes ao Batismo, (se não houver Batismo) Para que santifiqueis com a vossa graça esta água, onde renascerão os vossos filhos, Jesus, Filho de Deus Vivo, Cristo, ouvi-nos! Cristo, atendei-nos!

ouvi-nos, Senhor!

ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! Cristo, ouvi-nos! Cristo, atendei-nos!

943 (Tom: A) D.R.
Senhor, tende piedade de nós! piedade de nós! Cristo, tende piedade de nós! piedade de nós! Senhor, tende piedade de nós! piedade de nós! Santa Maria, Mãe de Deus, São Miguel, Santos anjos de Deus, São João Batista, São José, Santa Maria Madalena, Santo Estêvão, Santo Inácio de Antioquia, São Lourenço, Santas Perpétua e Felicidade, Santa Inês, São Gregório, Santo Agostinho, Santo Atanásio, São Basílio, São Martinho, São Bento, São Francisco e São Domingos, São Francisco Xavier, São João Maria Vianney, Santa Catarina de Sena, Santa Teresa d’Ávila, Todos os Santos e Santas de Deus, Sede-nos propício, Para que nos livreis de todo mal, Para que nos livreis de todo pecado, Para que nos livreis da morte eterna, Pela vossa encarnação, Pela vossa morte e ressurreição, Pela efusão do Espírito Santo, Apesar de nossos pecados, Para que vos digneis dar nova vida a estes eleitos, que chamastes ao Batismo, Cristo, ouvi-nos! Cristo, atendei-nos! Senhor, tende Cristo, tende Senhor, tende rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós!! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! rogai por nós! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor! ouvi-nos, Senhor!

942 (Tom: D) D.R.
Kyrie eleison. / Kyrie eleison. Christe eleison. / Christe eleison. Kyrie eleison. / Kyrie eleison. Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós! São Miguel, rogai por nós! Santos Anjos de Deus, rogai por nós! São João Batista, intercedei por nós! São José, rogai por nós! São Pedro e São Paulo, rogai por nós! Santo André, rogai por nós! São João, intercedei por nós! Santa Maria Madalena, rogai por nós! Santo Estêvão, rogai por nós! Santo Inácio de Antioquia, rogai por nós! São Lourenço, intercedei por nós! Santas Perpétua e Felicidade, rogai por nós! Santa Inês, rogai por nós! São Gregório, rogai por nós! Santo Agostinho, intercedei por nós! Santo Atanásio, rogai por nós! São Basílio, rogai por nós! São Martinho, rogai por nós! São Bento, intercedei por nós! São Francisco e São Domingos, rogai por nós! São Francisco Xavier, rogai por nós! São João Maria Vianney, rogai por nós! Santa Catarina de Sena, intercedei por nós! Santa Tereza de Jesus, rogai por nós! Santa Tereza de Ávila, rogai por nós! Santos Mártires dos nossos tempos, rogai por nós! Todos os Santos e Santas de Deus, intercedei por nós! Sede-nos propício, ouvi-nos, Senhor! Para que nos livreis de todo o mal, ouvi-nos, Senhor! Para que nos livreis de todo o pecado, ouvi-nos, Senhor! Para que nos livreis da morte eterna, ouvi-nos, Senhor! Pela vossa encarnação, ouvi-nos, Senhor! Pela vossa ressurreição, ouvi-nos, Senhor! Pela efusão do Espírito Santo, ouvi-nos, Senhor! Apesar de nossos pecados, ouvi-nos, Senhor! (se houver Batismo)

ouvi-nos, Senhor! Cristo, ouvi-nos! Cristo, atendei-nos!

Obs.: Canta-se a ladainha, à qual se podem acrescentar alguns nomes de Santos, sobretudo os de padroeiros da Igreja, do lugar e dos que vão receber o Batismo.

Espírito Santo
944 (Tom: C)
Letra: José Thomaz Filho Música: Frei Fabreti

1 – Vinde, Espírito de Deus, / e enchei os corações / dos fiéis com vossos dons. / Acendei neles o amor / com um fogo abrasador, / vos pedimos, o’ Senhor! E cantaremos aleluia! / E a nossa terra / renovada ficará / se o vosso Espírito, Senhor, nos enviais. 2 – Vós que unistes tantas gentes, / tantas línguas diferentes numa fé, na unidade / pra buscar sempre a verdade / e servir o vosso Reino / com a mesma caridade.

945 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria T. Kolling
1 – Espírito de Deus, / enviai dos céus / um raio de luz! (2x) Vinde, Pai dos pobres, / dai aos corações / vossos sete dons. (2x) 2 – Consolo que acalma, / hóspede da alma, / doce alívio, vinde! (2x) No labor descanso, / na aflição remanso, / no calor aragem. (2x) 3 – Ao sujo lavai, / ao seco regai, / curai o doente. (2x) Dobrai o que é duro, / guiai no escuro, / o frio aquecei. (2x) 4 – Enchei, luz bendita, / chama que crepita, / o íntimo de nós! (2x) Sem a luz que acode, / nada o homem pode, / nenhum bem há nele. (2x) 5 – Dai à vossa Igreja, / que espera e deseja, / vossos sete dons. (2x) Dai em prêmio ao forte / uma santa morte, / alegria eterna. (2x) Amém! Amém!

O Espírito do Senhor repousa sobre mim, / o Espírito do Senhor me escolheu, me enviou. 1 – Para dilatar o seu Reino entre as nações, / para anunciar a Boa Nova a seus pobres. / Para proclamar a alegria e a paz: / Exulto de alegria em Deus, meu Salvador. 2 – Para dilatar o seu Reino entre as nações, / consolar os corações esmagados pela dor. / Para proclamar sua graça e salvação, / acolher quem sofre e chora sem apoio, sem consolo. 3 – Para dilatar o seu Reino entre as nações, / para anunciar libertação e salvação. / Para anunciar o seu amor e o seu perdão, / para celebrar sua glória entre os povos.

949 (Tom: E) Letra e Música: Aurimar José Pecorari / Cleuber da
Silva

Que sabedoria é esta que vem do meu povo? / É o Espírito Santo agindo de novo. (bis) 1 – Quem te ensinou, povo meu, / a repartir entre irmãos o teu pão, / os teus dons, teu coração? / Quem te ensinou, povo meu, / que o amor a teu Deus buscarás / para o ódio não poder nascer? 2 – Quem te ensinou, povo meu, / que o Senhor tudo vê e julgará / o que procuras esconder? / Quem te ensinou, povo meu, que é preciso ter fé pra sentir Deus, / que sempre esteve em ti? 3 – Quem te ensinou, povo meu, / que na Bíblia terás reflexões / para tudo sob o sol? / Quem te ensinou, povo meu, / no Evangelho encontrar condições / pra uma vida já igual?

946 (Tom: A) Letra: Madre Tarcísia / Música: José Alves
1– 2– 3– 4– 5– Enviai, Senhor, sobre os vossos filhos / o Espírito de santidade! Que o Espírito nos ensine a rezar, / que Ele atraia nossas almas para Deus. Que nossas almas em fogo se transformem, / pois é ardente o Espírito do Senhor. Que Ele encha os corações de alegria / e sua paz ilumine nossa fronte. Passo a passo, Ele nos guie para Deus, / e sua Lei grave em nossos corações. Para servir na Igreja Santa do Cristo, / que Ele nos dê a audácia dos santos.

950 (Tom: Em) Música: Pe. Antonio Haddad / José Natal dos Santos
1– 2– 3– 4– Vós sois o mistério, Senhor, / nós vos contemplamos no amor. (bis) Vinde, Espírito Santo, / Vós sois o amor do Pai e do Filho, / o Espírito de Comunhão. Vinde, Espírito Santo, / Vós sois o mistério de amor, / que dá vida e fecundidade. Vinde, Espírito Santo, / Vós sois a luz que nos ilumina / e nos aquece no seu fogo abrasador. Vinde, Espírito Santo, / Vós sois o Deus, que nos invade, / como o vento que sopra onde quer.

951 (Tom: D) Letra e Música: Frei Wilson Sperandio
Vem, Espírito Santo, vem, / vem iluminar! 1 – Nossos caminhos, vem / Iluminar! Nossas idéias, vem / Iluminar! 2 – Nossas angústias, vem / Iluminar! As incertezas, vem / Iluminar! 3 – Toda a Igreja, vem / Iluminar! A nossa vida, vem / Iluminar! 4 – Nossas famílias, vem / Iluminar! Toda a Terra, vem / Iluminar!

947 (Tom: G) Tradução: Pe. José Weber
1– Dia e noite, vai teu Espírito, Senhor, comigo. / Dia e noite, sei que estás junto a mim. Se anoitece em meu caminho, / vai teu Espírito, Senhor, comigo. / No sofrer confio em ti, / sei que estás junto a mim. Quando o sol vai se apagando, / vai teu Espírito, Senhor, comigo. / Se estou só, confio em ti, / sei que estás junto a mim. Caminhando com meus irmãos, / vai teu Espírito, Senhor, comigo. / Ao teu lado hei de vencer, / sei que estás junto a mim. E, ao chegar a minha hora, / vai teu Espírito, Senhor, comigo. Vai levar-me perto de ti, / sei que estás junto a mim.

2–

3–

952 (Tom: A) Letra: Liturgia das Horas / Música: D.R.
1 – Oh! vinde, Espírito Criador, / as nossas almas visitai / e enchei os nossos corações / com vossos dons celestiais! 2 – Vós sois chamado o “Intercessor”, / do Deus excelso o dom sem par, / a fonte viva, o fogo, o amor, / a unção divina e salutar! 3 – Sois doador dos sete dons, / e sois poder na mão do Pai, / por Ele prometido a nós, / por nós seus feitos proclamai!

4–

948 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Weber

4 – A nossa mente iluminai, / os corações enchei de amor, / nossa fraqueza encorajai, / qual força eterna e protetor! 5 – Nosso inimigo repeli / e concedei-nos vossa paz; / se pela graça nos guiais, / o mal deixamos para trás! 6 – Ao Pai e ao Filho Salvador / por vós possamos conhecer: / que procedeis do seu amor, / fazei-nos sempre firmes crer!

1– 2–

953 (Tom: D) D.R.
1– 2– 3– 4– 5– Envia teu Espírito, Senhor, / e renova a face da terra. (bis) Bendize minha alma ao Senhor! / Senhor, meu Deus, como és tão grande! Como são numerosas tuas obras, Senhor, / a terra está cheia de tuas criaturas! Quando ocultas tua face, elas se perturbam, / quando lhes tiras sua vida, voltam ao seu nada. Seja ao Senhor eterna glória, / alegre-se Ele em suas obras! Que o meu canto, ao Senhor, seja agradável, / é nEle que está minha alegria.

3– 4–

5–

Vem, vem , vem, / vem, Espírito Santo de amor! / Vem a nós, / traz à Igreja um novo vigor! Presente no início do mundo, / presente na criação, / do nada geraste a vida, / que a vida não sofra no irmão. Presença de força aos profetas, / que falam sem nada temer, / contigo sustentam o povo, / na luta que vão empreender. Presença que gera esperança, / Maria por ti concebeu. / No povo renasce a confiança, / o’ Espírito Santo de Deus. Presença com força de vida, / presença de transformação, / tiraste a vida da morte, / em Cristo, na Ressurreição. Presença na Igreja nascente, / os povos consegues reunir. / Na mesma linguagem se entendem, / o amor faz a Igreja surgir.

957 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
Repousa sobre mim o Espírito do Senhor. / Ele me escolheu, me consagrou, me enviou. (2x) 1 – Para celebrar a sua glória entre os povos, / para dilatar o seu Reino entre as nações, / para anunciar a alegria e a paz, / para consolar os corações! 2 – Para proclamar a Boa Nova a seus pobres, / para anunciar libertação aos prisioneiros, / para publicar o Ano do Senhor. / Exulto de alegria em Deus!

954 (Tom: G) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria T. Kolling
Divino Espírito que sois amigo, / vinde louvar o Pai dentro de nós, / Convosco em mim, somente assim consigo / falar a Deus, e com divina voz. 1 – Aconchegais como se fosse um ninho, / convosco o Pai, o Filho em tal união. / Que Deus é único sem ser sozinho: / São três amando num só coração. 2 – Vós sois união de três lá na Trindade, / união de muitos sempre é vosso dom. / Vós sois riqueza, sois a variedade, / por Vós há mil maneiras de ser bom! 3 – Toda a alegria e tudo o que eu espero, / toda a beleza que este mundo tem, / a luz, a fé, bondade, amor sincero, / é tudo graça que de Vós nos vem.

958 (Tom: Dm) Letra e Música: Antônio Carlos Santini
1– 2– 3– 4– 5– Espírito de Deus, vem sobre nós / e traz ao coração a tua voz! (bis) Vem me iluminar, Senhor! / Vem me iluminar, Senhor! / Vem me iluminar! (bis) Vem me transformar, Senhor! / Vem me transformar, Senhor! / Vem me transformar! (bis) Vem me restaurar, Senhor! / Vem me restaurar, Senhor! / Vem me restaurar! (bis) Oh! Vem me lavar, Senhor! / Oh! Vem me lavar, Senhor! / Oh! Vem me lavar! (bis) Oh! Vem me curar, Senhor! / Oh! Vem me curar, Senhor! / Oh! Vem me lavar! (bis)

955 (Tom: E) Refrão: Folcmúsica Religiosa / Versos: Reginaldo Veloso
A nós descei, divina luz! / A nós descei, divina luz! / Em nossas almas acendei / o amor, o amor de Jesus! (2x) 1 – Vinde, Santo Espírito, / e do céu mandai / luminoso raio! (2x) 2 – Vinde, Pai dos pobres, / Doador dos dons / Luz dos corações! (2x) 3 – Grande Defensor, / em nós habitai / e nos confortai! (2x) 4 – Na fadiga, pouso; / no ardor, brandura, / e na dor, ternura! (2x) 5 – O’ luz venturosa, / divinais clarões / encham os corações! (2x) 6 – Sem um tal poder, / em qualquer vivente, / nada há de inocente! (2x) 7 – Lavai o impuro / e regai o seco, / sarai o enfermo! (2x) 8 – Dobrai a dureza, / aquecei o frio, / livrai do desvio! (2x) 9 – Aos fiéis que oram / com vibrantes sons, / dai os sete dons! (2x) 10 – Dai virtude e prêmio / e, no fim dos dias, / eterna alegria! (2x) 11 – Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! 12 – Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!

959 (Tom: E) Letra e Música: Francé / Eduardo Issa
Espírito Santo de Deus, inunda meu ser, inunda meu ser. Quero sentir o Amor do meu Senhor, do meu Senhor! Pra poder perdoar a meu irmão, abrir meu coração, viver o amor! Para sentir a paz interior, sobre o mal ser vencedor, alegrar-me em ti! Inunda meu ser! Ah, inunda meu ser! (4x)

960 (Tom: Fm) D.R.
1– 2– 3– 4– Vem, Espírito de Deus, vem, Espírito Santo, / manda teu fogo, dá-nos teu poder. Vem Espírito Santo, és a luz infinita! / Tua glória sublime, nos envias do céu. Fonte de água viva, és eterna esperança! / Nossas vidas te damos, vem nos acalentar! Testemunha fiel, és a nossa verdade! / Juntos proclamaremos: Cristo ressuscitou! Vem, Espírito Santo, és promessa divina! / Vem, revelanos sempre a vontade do Pai!

956 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra

5 – És a fonte do amor, és o sopro da vida! / Tu nos santificas na cruz do Senhor!

961 (Tom: G) Letra: Jorge M. Rehder / Música: Guilherme Ker Neto
Enche-me, Espírito, / mais que cheio quero estar. / Eu, o menor dos teus vasos, / posso muito transbordar. 1 – Oh, dá-me falar cada dia / com salmos, hinos de amor! / Oh, dá-me viver cada dia / com gratidão e louvor! 2 – Oh, dá-me viver cada dia / com sobriedade e temor, / em sujeição uns aos outros, / como convém no Senhor.

962 (Tom: D) D.R.
1 – Que sejam um é o que eu quero mais. / Que sejam um é o que eu quero mais. / O meu amor é o que os torna capazes. 2 – Sem medo algum, se amem mais. / Sem medo algum, se amem mais. / O meu Espírito é quem age e faz.

Vem da terra o grito do povo, / procurando um guia, um clarão. / Cristo em nós é a luz, é a vida, / continuando no mundo a missão. Com a força da esperança / vão a todos anunciar / que o Reino está presente / onde há justiça e paz. (bis) 2 – Partiremos alegres, confiantes / como pobres, aos pobres levando / Boa-Nova de libertação: / “já o Reino de Deus vem chegando!” Nas cidades, nas vilas, nos campos, / brota nova semente no chão, /misturando ao sangue da terra / força viva de ressurreição. 3 – Como o vento que sopra onde quer / o Espírito em nós é ação. / Pentecostes presente de novo, / recriando hoje aqui a missão. / Ao império da morte gritamos: / “A esperança jamais é perdida / se os povos da América lutam / resistindo na festa da vida!”

967 (Tom: D) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Presente Tu estás desde o princípio / nos dias da criação, Divino Espírito! (2x) / És sopro criador que a terra fecundou / e a vida no universo despertou! 2 – Presente Tu estás desde o Egito / vencendo a opressão, Divino Espírito! (2x) / És fogo e claridão, luz da libertação / de um povo em movimento de união! 3 – Presente Tu estás em Jesus Cristo / na cruz, ressurreição, Divino Espírito! (2x) / Boa Nova do perdão, carinho entre os irmãos, / ardor na militância e na missão! 4 – Presente Tu estás desde o início / nos primeiros cristãos, Divino Espírito! (2x) / Firmeza e novidade, estrela da unidade / amor concreto, solidariedade! 5 – Presente Tu estás no sacrifício, / na dor das multidões, Divino Espírito. (2x) / Clamor e profecia, ternura e ousadia, / sabor do nosso pão de cada dia!

963 (Tom: E) Letra e Música: Luiz Alfredo
1 – Quando o Espírito desceu em Pentecostes, / ao lado de Maria estava André; / Pedro, Tiago e Bartolomeu / também estavam lá, / com outros para orar. (2x) 2 – Quando o Espírito desceu em Pentecostes, / oh! quanta gente ria / e, ao vê-los pela rua, / são bêbados, diziam. 3 – Por isso não me importo hoje também. / Se de meu Pentecostes alguém ri, / nem ligo pro seus risos / e fico a pensar / ainda há quem ria / de Pedro e de Maria. (2x)

964 (Tom: D) Letra e Música: J. Wimbert
Deixa Jesus encher tua vida / com seu Espírito e seu amor, / encher teu coração de gozo e louvor. / Deixa Jesus cuidar das coisas / que te fazem infeliz, / e andarás do modo como a Bíblia diz. O’, o’, o’ Jesus, o’ Jesus, venha em mim morar! (bis) Oh, vem e canta com toda / a alegria do teu coração; / rende a tudo a Ele e tem a salvação. / A Ele dá tuas tristezas, / desilusões e tua cruz; / tudo entrega, hoje, em nome de Jesus.

968 (Tom: C) Letra e Música: Marta Simone
1 – O Espírito de Deus repousa sobre mim / e assim caminhando eu vou. / Alegria, paz e amor, fruto que vem de ti, Senhor, / em mim brotou. Glória, glória eterna! Glória a ti, Senhor! (bis) 2 – Servi ao Senhor com toda alegria. / Vinde, exultaremos. / Sabei que o Senhor é Deus e Salvador, / e só a Ele pertencemos.

965 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Joãozinho
1 – Conheço um coração tão manso, humilde e sereno / que louva o Pai por revelar seu nome aos pequenos; / que tem o dom de amar, / que sabe perdoar / e deu a vida para nos salvar. Jesus, manda teu Espírito para transformar meu coração. (bis) 2 – Às vezes no meu peito bate um coração de pedra, / magoado, frio, sem vida, aqui dentro ele me aperta. / Não quer saber de amar, / nem sabe perdoar, / quer tudo e não sabe partilhar. 3 – Lava, purifica e restaura-me de novo; / serás o nosso Deus e nós seremos o teu povo. / Derrama sobre nós / a água do amor, /o Espírito de Deus, Nosso Senhor.

Eucarísticos
969 (Tom: F) Música: José Weber
1 – Canta, Igreja, o Rei do mundo, / que se esconde sob os véus. / Canta o Sangue tão fecundo, / derramado pelos seus / e o mistério tão profundo / de uma Virgem, Mãe de Deus. 2 – Um Menino nos foi dado, / veio aos servos o Senhor. / Foi na terra semeado / o seu Verbo salvador. Ao partir, nos foi deixado. / Pão da vida, Pão do Amor. 3 – Celebrando a despedida, / com os doze Ele ceou. / Toda a Páscoa foi cumprida, / novo rito inaugurou. / E seu Corpo, Pão da Vida, / aos irmãos Ele entregou. 4 – Cristo, o Verbo onipotente, / deu-nos nova refeição: / fazse Carne realmente / o que deixa de ser pão. / Eis que o vinho é Sangue ardente: / vence a fé, gosto e visão.

966 (Tom: C) Letra: Maria L. Ricciardi / Música:
Campos

Pe. José Freitas

1 – Como o vento que sopra onde quer, / o Espírito aqui nos convoca. / Renascidos da água e do fogo, / em missão partiremos agora. /

5 – Tão sublime Sacramento / adoremos neste altar; / pois o Antigo Testamento / deu ao Novo seu lugar. / Venha a fé por suplemento / os sentidos completar. 6 – Ao Eterno Pai cantemos / e a Jesus, o Salvador. / Ao Espírito exaltemos, / na Trindade, eterno Amor. / Ao Deus Uno e Trino demos / a alegria do louvor. Amém.

esperança, cresce o meu amor, / creio em ti ressuscitado, meu Deus e Senhor! 5 – O’ Jesus que, nesta vida, pela fé eu vejo, / realiza, eu te suplico, este meu desejo: / Ver-te, enfim, face a face, meu divino amigo, / lá, no céu, eternamente ser feliz contigo.

970 (Tom: A) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo, / aqui e em todas as comunidades que há em todo o mundo, / e vos bendizemos, Senhor! Porque passastes entre nós / fazendo o bem a todos, / nós vos adoramos! 1 – Vós sois o Caminho: / nós vos adoramos! / Vós sois a Verdade: / nós vos adoramos! / Sois a nossa vida: / nós vos adoramos! / Sois Pastor e Mestre: / nós vos adoramos. 2 – Sois o Pão da vida: nós vos adoramos! / Vós sois a Videira: nós vos adoramos! / Sois a Água viva: nós vos adoramos! / Sois nossa Justiça: nós vos adoramos!

974 (Tom: F) D.R.
1 – Glória a Jesus na Hóstia santa, / que se consagra sobre o altar, / e a nossos olhos se levanta / para o Brasil abençoar. Que o Santo Sacramento, / que é o próprio Cristo Jesus, / seja adorado e seja amado / nesta Terra de Santa Cruz. (2x) 2 – Glória a Jesus, prisioneiro / do nosso amor. A esperar / lá, no sacrário, o dia inteiro, / que o vamos todos procurar. 3 – Glória a Jesus, Deus escondido, / que, vindo a nós na Comunhão, / purificado, enriquecido, / deixa-nos sempre o coração. 4 – Glória a Jesus, que ao rico e ao pobre / se dá na Hóstia em alimento! / E faz do humilde e faz do nobre / um outro Cristo em tal momento. 5 – Glória a Jesus sacramentado, / que vai o enfermo visitar / e deixa-o sempre, confortado, / no seu amor a confiar. 6 – Glória a Jesus na Eucaristia, / no Sacramento do amor! / Longe de nós toda a heresia / que à nossa fé se queira opor! 7 – Glória a Jesus na Eucaristia, / cantemos todos sem cessar! / Certos também que de Maria, / bênçãos a pátria há de ganhar!

971 (Tom: D) D.R.
1 – Bendito, louvado seja! (bis) O Santíssimo Sacramento. (bis) 2 – Os anjos adorem todos. (bis) 3 – Os santos adorem todos. (bis) 4 – Os povos adorem todos. (bis) 5 – Os astros adorem todos. (bis) 6 – Os mares adorem todos. (bis) 7 – As terras adorem todas. (bis)

972 (Tom: Eb) Música: .J. Busca de Sagastizabal
1 – Cantemos a Jesus Sacramentado! / Cantemos ao Senhor!/ Deus está aqui, / dos anjos adorado! / Adoremos / a Cristo Redentor! Glória a Cristo Jesus! / Céus e terra, bendizei ao Senhor! / Louvor e glória a ti, o’ Rei da Glória! / Amor eterno a ti, o’Deus de Amor! 2 – Unamos nossas vozes aos cantares / do coro celestial! / Deus está aqui! / Ao brilho dos altares / exaltemos com gozo angelical! 3 – Jesus, acende em nós a viva chama / do mais fervente amor. / Deus está aqui! / Está porque nos ama, / como Pai, como amigo e benfeitor! 4 – Ergamos a Jesus o nosso canto, / pedindo proteção! / Deus está aqui / a dar consolo santo / para nossa sublime salvação!

975 (Tom: F) Hino do Congresso Eucarístico de Malta
1 – Eu te adoro, Hóstia divina, / eu te adoro, Hóstia de amor! / És dos fortes a doçura, / és dos fracos o vigor. Eu te adoro, Hóstia divina, / eu te adoro, Hóstia de amor! 2 – Eu te adoro, Hóstia divina, / eu te adoro, Hóstia de amor! / És na vida nossa força, / és na morte defensor! 3 – Eu te adoro, Hóstia divina, / eu te adoro, Hóstia de amor! / És na terra nosso amigo, / és do céu feliz penhor! 4 – Eu te adoro, Hóstia divina, / eu te adoro, Hóstia de amor. / És um Deus eterno, imenso, / és dos homens o Senhor!

976 (Tom: C) Letra e Música: Wagne Romero e Paragon
1 – Vamos adorar a Deus. (2x) / Vamos invocar seu nome. / Vamos adorar a Deus. Ele veio em minha vida, em um dia especial, / trocou meu coração por um novo coração. / E esta é a razão por que eu digo que / vamos adorar a Deus. (3x) 2 – Vamos entregar a Deus. (2x) / Toda a nossa vida a Ele. / Vamos adorar a Deus.

973 (Tom: Gm) Letra: Pe. Josmar Braga / Música: José Alves
1 – Deus de amor, nós te adoramos neste Sacramento. / Corpo e Sangue que fizeste nosso alimento. / És o Deus escondido, vivo e vencedor, / a teus pés depositamos todo nosso amor. 2 – Meus pecados redimiste sobre tua Cruz, / Com teu Corpo e com teu Sangue, o’ Senhor Jesus! / Sobre nossos altares, vítima sem par, / teu divino sacrifício queres renovar. 3 – No Calvário se escondia tua divindade, / Mas aqui também se esconde tua humanidade. / Creio em ambas e peço como o bom ladrão, / no teu Reino, eternamente, tua salvação. 4 – Creio em ti ressuscitado, mais que São Tomé, / mas aumenta em minha alma o poder da fé. / Guarda a minha

977 (Tom: E) Letra e Música: Francisca Butler
1 – Eu quisera, Jesus adorado, / teu sacrário de amor rodear / de almas puras, florinhas mimosas, / perfumando teu santo Altar. O desejo de ver-te adorado / tanto invade o meu coração / que eu quisera estar noite e dia / a teus pés em humilde oração. 2 – Pelas almas, as mais pecadoras, / eu teu peço, Jesus, o perdão; / dá-lhes todo amor e carinho, / todo o afeto do meu coração.

3 – Pelas almas que não te conhecem, / eu quisera, Jesus, só te amar: / e daqueles que de ti se esquecem, / as loucuras também reparar. 4 – E, se, um dia, meu Jesus amado, / meu desejo se realizar, / hei de amar-te por todos aqueles / que, Jesus, não querem te amar.

2 – O universo inteiro não pode receber / Aquele que tu guardaste / em teu seio materno.

983 (Tom: Dm) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci
Farias

978 (Tom: C) Letra e Música: Eugênio Jorge
Só por ti, Jesus, quero me consumir / Como vela que queima no altar, / Me consumir de amor. Só em ti, Jesus, quero me derramar, / Como rio se entrega ao mar, / Me derramar de amor. Pois Tu és o meu amparo, o meu refúgio, / És a alegria de minh’alma. / Só em ti repousa a minha esperança, não vacilarei, / E, mesmo na dor, quero seguir até o fim. / Só por ti, Jesus. (2x)

1 – És, Maria, a Virgem que sabe ouvir / e acolher com fé a santa Palavra de Deus. / Dizes “sim” e logo te tornas Mãe; / dás à luz depois o Cristo, que vem nos remir. Virgem que sabe ouvir / o que o Senhor te diz. / Crendo, geraste quem te criou! / O’ Maria, tu és feliz! 2 – Contemplando o exemplo que tu nos dás, / nossa Igreja escuta, acolhe a Palavra com fé. / E anuncia a todos, pois ela é pão / que alimenta, é luz que a sombra da História desfaz.

984 (Tom: G) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Waldeci Farias
1 – Quando teu Pai revelou o segredo a Maria / que, pela força do Espírito, conceberia / a ti, Jesus, ela não hesitou logo em responder: / Faça-se em mim, pobre serva, o que a Deus aprouver! / Hoje imitando Maria, que é imagem da Igreja, / nossa família outra vez te recebe e deseja, / cheia de fé, de esperança e de amor, dizer “sim” a Deus: / Eis aqui os teus servos, Senhor! Que a graça de Deus cresça em nós sem cessar! / E de ti, nosso Pai, venha o Espírito Santo de amor / pra gerar e formar / Cristo em nós. 2 – Por um decreto do Pai ela foi escolhida / para gerar-te, o’ Senhor, que és a origem da vida; / cheia do Espírito Santo no corpo e no coração / foi quem melhor cooperou com a tua missão. / Na comunhão recebemos o Espírito Santo / e vem contigo, Jesus, o teu Pai sacrossanto; / vamos agora ajudar-te no plano da salvação: / Eis aqui os teus servos, Senhor! 3 – No coração de Maria, no olhar doce e terno, / sempre tiveste na vida um apoio materno. / Desde Belém, Nazaré, só viveu para te servir; / quando morrias na cruz tua Mãe estava ali. / Mãe amorosa da Igreja quer ser nosso auxílio, / reproduzir no cristão as feições de seu Filho. / Como ela fez em Caná, nos convida a te obedecer: / Eis aqui os teus servos, Senhor!

979 (Tom: F) D.R.
Glória pra sempre / ao Cordeiro de Deus. / A Jesus, o Senhor, / ao Leão de Judá, / a raiz de Davi, / que venceu e o livro abrirá. O céu, a terra e o mar / e tudo o que neles há, / o adorarão e proclamarão: Jesus Cristo é o Senhor. Ele é o Senhor. (2x) / Ressurecto dentre os mortos, / Ele é o Senhor. / Todo joelho se dobrará, toda língua proclamará / que Jesus Cristo é o Senhor.

980 (Tom: A) D.R.
1 – O meu Jesus, amante de minh’alma, / veio morar no templo dos mortais. / Que grande amor é esse que te inflama? / Vem, vem, Jesus, e não te apartes mais! (2x) 2 – O Sacramento é todo meu tesouro, / o Sacramento é meu supremo amor. / Doce Jesus, alívio de minh’alma, / meu coração não quer outro Senhor. (2x) 3 – Cativo estás, Jesus, no Sacramento / nem podem ver-te ainda os olhos meus. / Mas a minh’alma, crente no sacrário, / chora de amor por ter sempre seu Deus. (2x) 4 – Não podem mais as coisas deste mundo / ter para mim encanto nem fulgor. / O santuário no meu Jesus encerra: / o meu Jesus é só meu doce amor. (2x)

985 (Tom: Dm) Letra e Música: Roberto Lima de Souza

Nossa Senhora
981 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Sílvio Milanez
1 – Eu te saúdo, cheia de graça, / saudou o Anjo à Virgem Santa, / meu coração em Deus espera, / em ti confia, a ti se eleva. 2 – Cumpra-se em mim tua palavra, / pois do Senhor sou a escrava. / O’ Deus, revela-me os teus planos, / na tua verdade guia meus passos. 3 – Feliz és tu que acreditaste, / pois se fará como escutaste. / Deus mostra aos pobres sua justiça / e seus caminhos aos bons ensina. 1– 2– 3– 4–

Este é o dom da vida, / é o Corpo do Senhor, / formado no seio / da Virgem Maria. (bis) Não temas, o’ Maria, / eis que conceberás, / darás à luz um Filho, / seu nome é Jesus. Ele será tão grande, / chamar-se-á o Filho / do Altíssimo e terá, / o trono de Davi. Maria então responde: / Pois faça-se em mim / segundo esta Palavra: / Sou serva do Senhor. Todos os anjos cantam / glória a Deus nas alturas / e paz aos homens todos, / que Ele tanto amou.

986 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Como é bonito teu nome, o’ Maria, / cantando a vida, quanta alegria! (2x) / No teu nome, o nome de cada mulher / que na vida busca sempre o que Deus quer. (2x) 2 – Como é bonito teu rosto, o’ Maria, / paz e ternura, luz irradia! (2x) / Nos teus olhos todo jovem pode ver / a certeza do futuro renascer. (2x)

982 (Tom: E) Letra e Música: Roberto L. de Souza
Todas as gerações / hão de me bendizer, / pois olhou para mim / o Senhor poderoso. 1 – Bendita e venerável és tu, / Virgem Maria! / Virgem permanecendo, / geraste o Salvador.

3 – Como são lindas tuas mãos, o’ Maria, / porta-estandarte da estrela-guia. (2x)/ Uma mão pra consolar quem está chorando / e a outra encorajar quem está lutando. (2x) 4 – Como são belos teus pés, o’ Maria, / descendo os montes, paz anuncias. (2x) / Companheira mais fiel deste meu povo / nos caminhos do amanhã, do mundo novo. (2x) 5 – Como é bendito teu ventre, o’ Maria, / trazendo o fruto da profecia. (2x) / Quem na vida ao amor se faz fiel / é profeta do divino Emanuel. (2x) / Como é bonito te ver, o’ Maria!

6 – Mais sacerdotes, / O’ Mãe, envia! / Sábios e santos, / Ave, Maria! 7 – Nossas famílias / Protege e guia; / És seu amparo, / Ave, Maria! 8 – Virgem da Penha, / Tão doce e pia, / És padroeira, / Ave, Maria! 9 – Contigo espero / Estar um dia, / Na eternidade, / Ave, Maria!

991 (Tom: C) Letra e Música: Carlos Bonna
Virgem da Penha, minha alegria, / Senhora nossa, Ave, Maria! 1 – Nós vamos em procissão, / com fé e muita oração, / agradecer as bênçãos / com muita devoção. / Saímos da Catedral / a pé, não importa o tempo, / e congregados ao redor do altar, / irmãos em um só pensamento, / alimentados com o pão da vida, / louvamos nossa Mãe do convento. 2 – Nossa Senhora da Penha, / Mãe, Padroeira e Amor, / Nossa Senhora da Penha, / que nos braços tem o Salvador. / Nossa Senhora da Penha, / que do alto seus filhos conduz, / abençoando as romarias e procissões de fé, / com o seu manto de glória e de luz.

987 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Imaculada, Maria de Deus, / coração pobre acolhendo Jesus: / Imaculada, Maria do povo, / Mãe dos aflitos que estão junto à cruz. 1 – Um coração que era "sim" para a vida, / um coração que era "sim" para o irmão, / um coração que era "sim" para Deus: / Reino de Deus renovando este chão! 2 – Olhos abertos pra sede do povo, / passo bem firme que o medo desterra, / mãos estendidas que os tronos renegam: / Reino de Deus que renova esta terra! 3 – Faça-se, o’ Pai, vossa plena vontade, / que os nossos passos se tornem memória, / do Amor fiel que Maria gerou: / Reino de Deus atuando na História!

988 (Tom: C) Letra e Música: M. Espinosa
1 – Pelas estradas da vida, / nunca sozinho estás; / contigo pelo caminho, Santa Maria vai. Oh, vem conosco, vem caminhar, / Santa Maria, vem! (2x) 2 – Mesmo que digam os homens: / Tu nada podes mudar; / luta por um mundo novo / de unidade e paz. 3 – Se, pelo mundo, os homens / sem conhecer-se vão, / não negues nunca a tua mão / a quem te encontrar. 4 – Se parecer tua vida / inútil caminhar, / pensa que abres caminho; / outros te seguirão!

992 (Tom: C) D.R.
Mãe santa de Deus / e nossa também / protege-nos sempre / e na morte. Amém. 1 – Devotos, corramos / à Mãe de Jesus, / ao seu santuário, / que é graça, que é luz! 2 – Frei Pedro Palácios / à vila chegou, / e ao bem dessas almas / com fé se entregou. 3 – O humilde eremita, / em santa porfia, / modesto oratório / consagra a Maria. 4 – Da rude capela / subia oração. / Do Trono divino / descia o perdão. 5 – Aos pobres, aos ricos / a lei do Senhor, / o apóstolo santo / pregava com ardor. 6 – E as tribos dos índios, / com grande alegria, / adoram a Cristo, / amando a Maria. 7 – Compreende Frei Pedro / da Virgem o querer, / e seu santuário / vai lá, no alto, erguer. 8 – É dos peregrinos / materno solar, / o templo onde alcançam / favores sem par! 9 – Anchieta querido / do nosso Brasil / da Virgem recebe / ali bênçãos mil. 10 – "Senhora da Penha, / desdobra o teu manto, / guardando este povo / do Espírito Santo."

989 (Tom: D) Letra: Ir. Isabel / Música: Frei Fabreti
1 – Senhora de todos os caminhos, / Senhora da esperança. / Estrela que é luz pra caminhada! / Vem mostrar-nos, o’ Mãe, a estrada! Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, / caminhaste rumo ao teu Senhor! / Vem olhar nosso caminho, / pra que ninguém ande sozinho. 2 – Maria, modelo dos chamados, / queremos dizer o "sim"! / Contigo plantar o Reino novo. / O’ Maria, caminha com teu povo!

990 (Tom: E) D.R.
1 – Virgem da Penha, minha alegria, / Senhora nossa, Ave, Maria! Ave, ave, ave, Maria! / Ave, ave, ave, Maria! 2 – Deste teu trono / Tu irradias / Paz e esperança, /Ave, Maria! 3 – És meu refúgio, / Seguro guia / Nas tentações, / Ave, Maria! 4 – A dor que oprime / Tu alivias; / Dá-me saúde, / Ave, Maria! 5 – Amar-te quero / Todos os dias, / Minha doçura, / Ave, Maria!

993 (Tom: F) D.R.
1 – Com minha Mãe 'starei / na santa Glória, um dia; / ao lado de Maria, / no céu, triunfarei. No céu, no céu, com minha Mãe 'starei. (bis) 2 – Com minha Mãe 'starei, / aos anjos me ajuntando, / do Onipotente ao mando, / hosanas lhe darei. 3 – Com minha Mãe 'starei, / então coroa digna, / de sua mão benigna, / feliz receberei. 4 – Com minha Mãe ‘starei, / palavra deleitosa, / que, em hora trabalhosa, / fiel recordarei. 5 – Com minha Mãe 'starei, / e sempre neste exílio, / de seu piedoso auxílio / com fé me valerei.

994 (Tom: C) D.R.
1– 2– 3– 4– 5– 6– 7– Ave, Maria do povo, / Ave, Maria de Deus! / Maria dos oprimidos, / liberta os filhos teus. (2x) Companheira do teu povo, / Maria da Libertação, / do presépio até a cruz, / Tua vida marcou nosso chão. Atende, o’ Mãe querida, / latino-americana, / o grito do teu povo / que pede justiça e clama. Teu canto de profecia, / Maria da esperança, / derruba os poderosos / e aos fracos dá liderança. Companheira de luta, / Maria da união, / reforça os laços da gente / e livra-nos da opressão. Festa de Deus entre os homens, / Maria – sinal da história – / une os pobres na luta, / e alcançaremos vitória. Mãe do povo de Deus, / Maria do nosso chão, / conquistas pra nós a terra / nos braços do mutirão. Colheita de muitos frutos, / Maria da liberdade, / dá hoje o pão amassado, / na mesa da igualdade.

5 – Quão triste foi a caminhada / de volta a Jerusalém, / sentindo-se angustiada / na longa busca do teu bem. 6 – Humilde foi a caminhada / em companhia de Jesus, / quando pregava, sem parada, / levando aos homens sua luz. 7 – De dores foi a caminhada, / no fim da vida de Jesus. / Mas o seguiste conformada, / com Ele foste até à cruz. 8 – Vitoriosa caminhada / fez finalmente te chegar / ao céu, a meta da jornada / dos que caminham sem parar.

998 (Tom: D) D.R.
1 – O’ Maria, concebida sem pecado original, / quero amarvos toda a vida / com ternura filial. Vosso olhar a nós volvei, / vossos filhos protegei! / O’ Maria, o’ Maria, / vossos filhos protegei! (2x) 2 – Mais que a aurora sois formosa / mais que o sol resplandeceis! / Do universo, Mãe bondosa, / o louvor vós mereceis. 3 – Exaltamos a beleza / com que Deus vos quis ornar. / Vossa graça de pureza / venha em nós também brilhar. 4 – Nesta terra peregrina / nós buscamos vida e luz; / Virgem Santa, conduzi-nos / para o Reino de Jesus.

995 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
Ensina o teu povo a rezar, / Maria, Mãe de Jesus, / que um dia o teu povo desperta / e na certa vai ver a luz; / que um dia o teu povo se anima / e caminha com o teu Jesus. 1 – Maria de Jesus Cristo, / Maria de Deus, Maria mulher, / ensina a teu povo / o teu jeito de ser o que Deus quiser. (2x) 2 – Maria, Senhora nossa, / Maria do povo, povo de Deus, / ensina teu jeito perfeito / de sempre escutar teu Deus. (2x)

999 (Tom: D) Letra e Música: José Alves
1 – Salve, Rainha, Mãe de Deus! / És Senhora, nossa Mãe, / nossa doçura, nossa luz, / doce Virgem Maria! 2 – Nós a ti clamamos, / filhos exilados. / Nós a ti voltamos / nosso olhar confiante. 3 – Volta para nós, o’ Mãe, / teu semblante de amor! / Dá-nos teu Jesus, o’ Mãe, / quando a noite passar. 4 – Salve, Rainha, Mãe de Deus! / És auxílio do cristão, / o’ Mãe clemente, Mãe piedosa, / doce Virgem Maria!

996 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Maria de Nazaré, / Maria me cativou; / fez mais forte a minha fé / e por filho me adotou. / Às vezes eu paro e fico a pensar, / e sem perceber me vejo a rezar, / e meu coração se põe a cantar / pra Virgem de Nazaré. / Menina que Deus amou e escolheu / pra Mãe de Jesus, o Filho de Deus, / Maria que o povo inteiro elegeu / Senhora e Mãe do céu. Ave, Maria! (3x) Mãe de Jesus! 2 – Maria que eu quero o bem, / Maria do puro amor, / igual a você ninguém, / Mãe pura do meu Senhor. / Em cada mulher que a terra criou / um traço de Deus, Maria deixou, / um sonho de mãe, Maria plantou / pro mundo encontrar a paz. / Maria que fez o Cristo falar, / Maria que fez Jesus caminhar, / Maria que só viveu pra seu Deus, / Maria do povo meu.

1000 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Manuel Machado
1– Virá o dia em que todos, / ao levantar a vista, / veremos nesta terra / reinar a liberdade. (bis) Minh’ alma engrandece / o Deus libertador. / Se alegra meu espírito / em Deus, meu Salvador, / pois Ele se lembrou / de seu povo oprimido / e fez de sua serva / a Mãe dos esquecidos. Imenso é seu amor, / sem fim sua bondade / pra todos que na terra / o seguem na humildade. / Bem forte é nosso Deus, / levanta o seu braço, / espalha os soberbos, / destrói todo pecado. Derruba os poderosos / dos seus tronos, erguidos. / Com sangue e o suor / de seu povo oprimido. / E farta os famintos, / levanta os humilhados, / arrasa os opressores, / os ricos e os malvados. Protege o seu povo / com todo o carinho, / fiel é seu amor / em todo o caminho. / Assim é o Deus vivo, / que marcha na história, / bem junto de seu povo / em busca da vitória. Louvemos nosso Pai, / Deus da Libertação, / que acaba injustiça, / miséria e opressão. / Louvemos os irmãos, / que lutam com valia, / fermentando a história, / pra verem novo dia.

2–

3–

997 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Geraldo Pennock
Maria, Mãe dos caminhantes, / ensina-nos a caminhar. / Nós somos todos viandantes, / mas é difícil sempre andar. Fizeste longa caminhada / para servir a Isabel. / Sabendote de Deus morada, / após teu "sim" a Gabriel. Depois de dura caminhada, / para a cidade de Belém, / não encontraste lá pousada; / mandaram-te passar além. Com fé fizeste a caminhada, / levando ao templo teu Jesus. / Mas lá ouviste da espada, / da longa estrada para a cruz. De medo foi a caminhada, / que para longe te levou. / Para escapar à vil cilada / que um rei atroz te preparou.

4–

1– 2– 3–

5–

1001 (Tom: A) Letra e Música: Rosa e Lourdes
Vem, Maria mulher, / teu canto novo nos ensinar! / Um Deus com rosto de mãe / vem aos pobres anunciar! (2x)

4–

1 – Vamos, irmãos e irmãs, / um canto de júbilo alegres cantar / ao Deus que faz maravilhas / em seu povo que luta pra se libertar. / Seu nome três vezes santo e pra todo sempre dura o seu amor. / Que viva o Deus dos pequenos, parceiro dos pobres libertador! 2 – Nosso Deus derruba do trono / o poderoso, machista, opressor / que rouba, ajunta e massacra / e obriga o povo a viver na dor. / E eleva os pobres cativos, / enche sua mesa de vinho e pão, / mostrando o poder de seu braço / destrói a injustiça e a opressão. 3 – Socorre seu povo escolhido / lembrando sempre de sua promessa. / Ele é o Deus da História, / sua misericórdia por nós nunca cessa. / Vem, o’ Deus de Abraão, / Deus de Sara, Deus de Agar, / Deus de Isabel, Deus de Maria / Deus Pai e Mãe a vida gerar! 4 – Vem, Maria dos pobres, / vem com teu povo, vem caminhar, / apressa a hora do Reino / que a luta do povo faz germinar! / Desperta os que estão cansados, / aponta a aurora da ressurreição, / renova a esperança da gente / com o vinho novo da libertação!

1004 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
1– Salve, Maria, tu és a estrela virginal de Nazaré, / és a mais bela entre as mulheres, / cheia de graça, esposa de José. (bis) O anjo Gabriel foi enviado / à vilazinha de Nazaré / pra dar um recado lá do céu / àquela moça que casara com José. Maria, ao ver o anjo, se espantou, / e o anjo lhe disse nada temer, / pois ela tem cartaz lá pelo céu, / e o próprio Deus um dia dela irá nascer. Maria acha difícil a mensagem, / e o anjo afirma que Deus fará. / E sua prima Isabel, embora velha, / vai ter um filho, que João se chamará. Maria fez-se escrava do Senhor / e apresentou-se para a missão / de ser a Imaculada Mãe de Deus, / contribuindo para nossa salvação.

2–

3–

4–

1005 (Tom: Dm) Letra e Música: M. Espinosa
1– 2– 3– 4– 5– 6– Mãe de todos os homens, / ensina-nos a dizer amém! Quando a noite está perto / e obscurecida a fé. Quando a vontade do pai / não é fácil de se fazer. Quando temos de esquecer-nos / para pensar em alguém. Ao acordar cada dia, / antes de nada saber. Se, pelo amor dos irmãos, / devemos algo sofrer. Quando deitamos à noite, / fechando o dia na fé.

1002 (Tom: F) D.R.
1 – A treze de maio, / na cova da Iria, / do céu aparece / a Virgem Maria. Ave, ave, ave, Maria! (bis) 2 – A três pastorinhos, / cercada de luz, / visita Maria, / a Mãe de Jesus. 3 – A luz lhes parece / sinal de trovão / e com o rebanho / a casa se vão. 4 – Da agreste azinheira / a Virgem falou, / e aos três a Senhora, / tranqüilos, deixou. 5 – Então, da Senhora, / o nome indagaram; / do céu, a Mãe terna / bem claro escutaram. 6 – Se o mundo quiserdes / da guerra livrar, / fazei penitência / de tanto pecar. 7 – Das mãos lhes pendiam / continhas de luz: / assim era o terço / da Mãe de Jesus. 8 – A Virgem lhes manda / o terço rezar, / a fim de alcançarem / da guerra o findar. 9 – Com estes cuidados, / a Mãe amorosa / do céu vem os filhos / salvar, carinhosa.

1006 (Tom: A) Letra e Música: Roberto Malvezzi
1 – Ave, Maria dos oprimidos, / abri a nós nosso coração. / Bendito é o fruto do vosso ventre, / que é semente de libertação. Ouvi o grito que sai do chão, / dos oprimidos em oração. (bis) 2 – Santa Maria dos infelizes, / das horas extras, das horas tristes, / livrai-nos todos da opressão, / de toda forma de escravidão.

1007 (Tom: Am) Letra e Música: Lindberg Pires
Vem, Maria, vem, vem nos ajudar / neste caminhar tão difícil, rumo ao Pai. (bis) 1 – Vem, querida Mãe, nos ensinar / a ser testemunhas do amor, / que fez do teu Corpo sua morada, / que se abriu pra receber o Salvador! 2 – Nós queremos, o’ Mãe, responder / ao amor do Cristo salvador. / Cheios de ternura, colocamos / confiantes, em tuas mãos, esta oração.

1003 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Élio Athayde
Ave, Maria! (bis) Eu canto louvando a Maria, minha Mãe. / A ela um eterno obrigado eu direi. / Maria foi quem me ensinou a viver, / Maria foi quem me ensinou a sofrer. Maria, em minha vida, é luz a me guiar. / É Mãe que me aconselha, me ajuda a caminhar. / Mãe do Bom Conselho, / rogai por nós! Quando eu sentir tristeza, sentir a cruz pesar, / o’ Virgem, Mãe das Dores, de ti vou me lembrar: / Virgem Mãe das Dores, / rogai por nós! Se, um dia, o desespero vier me atormentar, / a força da esperança em ti vou encontrar: / Mãe da esperança, / rogai por nós! Nas horas de incerteza, o’ Mãe vem me ajudar. / Que eu sinta confiança na paz do teu olhar: / Mãe da Confiança, / rogai por nós! Que eu diga, a vida inteira, o “sim” aos meus irmãos, / o "sim" que tu disseste, de todo o coração: / Virgem Mãe dos Homens, / rogai por nós!

1–

1008 (Tom: F) D.R.
T: 1– 2– 3– 4– 5– T: 6– 7– 8– 9– Mãe de Deus, clamamos a vós. (bis) Os coros dos anjos vos louvam. / Maria, clamamos a vós. Saúdam-vos todos os santos. / Maria, clamamos a vós. O mundo dos astros vos louva. / Maria, clamamos a vós. A Santa Igreja vos louva. / Maria, clamamos a vós. Os homens na terra vos louvam. / Maria, clamamos a vós. Mãe de Deus, clamamos a vós. (bis) Vós sois medianeira das graças. / Maria, clamamos a vós. Sois sede da sabedoria. / Maria, clamamos a vós. Sois Mãe da eterna beleza. / Maria, clamamos a vós. Sois Mãe do perpétuo socorro. / Maria, clamamos a vós.

2–

3–

4–

5–

10 – Sois Mãe do amor verdadeiro. / Maria, clamamos a vós. T: Mãe de Deus, clamamos a vós. (bis) 11 – Vós sois a alegria dos santos. / Maria, clamamos a vós. 12 – Dos mártires sois a Rainha. / Maria, clamamos a vós. 13 – Vós sois a Rainha dos justos. / Maria, clamamos a vós. 14 – Vós sois o socorro na luta. / Maria, clamamos a vós. 15 – De paz sois fiel mensageira. / Maria, clamamos a vós. T: Mãe de Deus, clamamos a vós. (bis) 16 – Sois fonte de toda a virtude. / Maria, clamamos a vós. 17 – Sois templo do Espírito Santo. / Maria, clamamos a vós. 18 – Sois arca da nova aliança. / Maria, clamamos a vós. 19 – Do Reino do céu sois a porta. / Maria, clamamos a vós. 20 – Sois glória da Santa Igreja. / Maria, clamamos a vós. T: Mãe de Deus, clamamos a vós. (bis) 21 – Vós sois o refúgio nas dores. / Maria, clamamos a vós. 22 – Vós sois o auxílio do povo. / Maria, clamamos a vós. 23 – Vós sois dos enfermos saúde. / Maria, clamamos a vós. 24 – Consolo dos desamparados. / Maria, clamamos a vós. 25 – Na morte sois nossa esperança. / Maria, clamamos a vós. T: Mãe de Deus, clamamos a vós. (bis)

7 – Da Igreja és modelo / De fé, esperança e amor, / Porque sempre observaste / A Palavra do Senhor. / Como estrela em noite escura, / Aos que buscam o Salvador, / Mostra sempre o caminho / Da Palavra do Senhor.

1011 (Tom: D) Letra e Música: Pe. José Freitas Campos
1– Ave, cheia de graça, Ave, cheia de amor! / Salve, o’ Mãe de Jesus, a ti nosso canto e nosso louvor. (2x) Mãe do Redentor, rogai. / Mãe do Salvador, rogai. / Do Libertador, rogai por nós. / Mãe dos oprimidos, rogai. / Mãe dos perseguidos, rogai. / Dos desvalidos, rogai por nós. Mãe do bóia-fria, rogai. / Causa da nossa alegria, rogai. / Mãe das mães, Maria, rogai por nós. / Mãe dos humilhados, rogai. / Dos martirizados, rogai. / Marginalizados, rogai por nós. Mãe dos despejados, rogai. / Dos abandonados, rogai. / Dos desempregados, rogai por nós. / Mãe dos pescadores, rogai. / Dos agricultores, rogai. / Santos e doutores, rogai por nós. Mãe do céu clemente, rogai. / Mãe dos doentes, rogai. / Do menor carente, rogai por nós. / Mãe dos operários, rogai. / Dos presidiários, rogai. / Dos sem-salários, rogai por nós. Mãe imaculada, rogai. / Mãe santificada, rogai. / Sempre a Deus doada, rogai por nós. / Mãe dos consagrados, rogai. / Dos vocacionados, rogai. / Para Deus chamados, rogai por nós.

2–

3–

4–

1009 (Tom: G) D.R.
1 – Santa, mais que tudo Santa, / fez do seu ser moradia de Deus. / Tão Mulher, Mãe da esperança, / força orante, fez a luz nascer. Santa, Santa Maria, seguro aos olhos teus, / sigo o meu caminhar! / Santa, Santa Maria, / roga a Deus por todos nós! 2 – Veja este mundo meu, / pouco difere do que Maria conheceu. / Terra e ser, amor profundo, / solo fecundo onde o amor venceu!

5–

1012 (Tom: Em) Letra e Música: Frei Fabreti
1– 2– 3– 4– Maravilha do poder de Deus, / é esta graça que reside em ti. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / suas obras são constantes maravilhas! O Senhor mostrou-nos sua salvação, / e aos povos revelou sua bondade. Os confins da terra foram testemunhas / do seu gesto que nos trouxe salvação. Aclamai ao Senhor Deus, o’ terra inteira, / alegrai-vos e exultai em nosso Deus!

1010 (Tom: E) Letra e Música (refrão): Pe. Sílvio Milanez
1– Maria, cheia de graça, Virgem Mãe do Salvador, / Ensina-nos a escutar a Palavra do Senhor. (2x) Pelo Anjo visitada, / Te encheste de temor, / Mas, confiada, respondeste: / "Eis a serva do Senhor". / O Espírito desceu, / Sua força te animou, / No teu seio se fez carne / A Palavra do Senhor. Isabel tu visitaste, / Alegraste o Precursor. / "Feliz tu que acreditaste / Na Palavra do Senhor". / De alegria exultaste / E cantaste ao Salvador, / Pois em ti fez grandes coisas / A Palavra do Senhor. Vieram sábios e pastores / Adorar seu Salvador: / Em teu peito meditavas / A Palavra do Senhor. / Tu levaste o Filho ao Templo / Como oferta ao Senhor. / Simeão te fez ouvir / A Palavra do Senhor. Foste às pressas ao Egito / Fugindo ao perseguidor, / Sofrendo a contradição da Palavra do Senhor. / Mãe, perdeste o Filho amado / E choraste imensa dor: / Nem sempre logo entendeste / A Palavra do Senhor. Em Caná tu não faltaste, / Dos noivos sentiste a dor; / Vinho novo alcançaste / Da Palavra do Senhor. / Tu da Cruz não arredaste / Vendo morrer teu amor, / Porque nunca duvidaste / Da Palavra do Senhor. De Jesus ressuscitado / Contemplaste o resplendor, / Para sempre te alegraste / Na Palavra do Senhor. / Com os Doze recebeste / O Espírito de amor / Mais que nunca entendeste / A Palavra do Senhor.

2–

1013 (Tom: Am) Letra e Música: Eliomar Ribeiro de Souza
1 – Olha por este povo, por esta massa, / por esta gente tão inocente, / suando sangue pra ter o pão. / Olha por este povo que, caminhando, / melhor caminho está procurando, / para sair da situação. Maria libertadora, / liberta teus filhos da opressão. (bis) 2 – Olha pela criança abandonada / que quer amor, mas é desprezada, / para o sistema não tem função. / Olha o adolescente que está crescendo, / o tempo passa e nem está sabendo / que tem que haver participação. 3 – Olha por estes jovens alienados / que vivem sempre sendo enganados, / pra que construam libertação. / Olha pela mulher marginalizada / que quer viver, mas é rejeitada, / que busca ainda compreensão.

3–

4–

5–

6–

1014 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Minh'alma dá glórias ao Senhor, / meu coração bate alegre e feliz. / Olhou para mim com tanto amor / que me escolheu, me elegeu e me quis!

2–

3–

4–

5–

E, de hoje em diante, eu já posso prever: / todos os povos vão me bendizer! / O Poderoso lembrou-se de mim! / Santo é seu nome sem fim! O povo dá glórias ao Senhor, / seu coração bate alegre e feliz: / Maria carrega o Salvador / porque Deus Pai sempre cumpre o que diz. E, quando os povos aceitam a lei, / passa de Pai para Filho o seu dom: / das gerações Ele é mais do que Rei: / Ele é Deus Pai; Ele é bom! Minh'alma dá glórias ao Senhor, / meu coração bate alegre e feliz. / Olhou para mim com tanto amor / que me escolheu, me elegeu e me quis! O orgulhoso Ele sabe dobrar, / o poderoso Ele sabe enfrentar. / O pobrezinho Ele defenderá. / Não nos abandonará. O povo dá glórias ao Senhor, / seu coração bate alegre e feliz. / Maria carrega o Salvador / porque Deus Pai sempre cumpre o que diz. Quem tem demais qualquer dia vai ver / o que é ter fome e não ter pra comer. / Quem passa fome comida terá. / Eis que a Justiça virá. Minh'alma dá glórias ao Senhor, / meu coração bate alegre e feliz. / Meu povo já sente o seu amor / Ele promete, Ele cumpre o que diz. Aos nossos pais Ele um dia jurou: / Ele é fiel e jamais enganou. / Estamos perto da era do amor. / Bendito seja o Senhor!

adormeço, / e, embora cansado, sem rezar como eu devo, / eu de ti, Maria, não me esqueço.

1017 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1– Em procissão, em romaria, / romeiro ruma para a casa de Maria. / Em procissão, feliz da vida, / romeiro vai buscar a paz de Aparecida. E cada qual tem uma história pra contar, / e o coração de cada qual tem um motivo pra rezar. / Vem pra pedir agradecer ou celebrar, / ai, quem tem fé no infinito sabe aonde quer chegar. Eu vim de carro, eu vim de trem, eu vim a pé, / eu vim de perto, eu vim de longe, / eu vim sereno, eu vim com fé, / que nem se eu fosse até o lar de Nazaré, / pra conversar com Jesus Cristo, / e com Maria, e com José. Vim ver a imagem que no rio foi achada, / e sei também, sei muito bem, que ela não é Nossa Senhora. / Não vim falar com a imagem, não senhor, / eu vim falar é com Maria, que é a Mãe do Salvador. Tenho certeza que não faço idolatria, / aquela imagem pequenina, nunca foi nem é Maria! / É só sinal pra eu me lembrar da Mãe de Deus, / que me conduz a Jesus Cristo, / que me ensina a ser mais eu. Eu vim juntar a minha pobre oração / à oração da minha Igreja e de milhares, meus irmãos. / Aparecida é um convite pra rezar, / por isso eu venho todo ano, / e para o ano eu vou voltar. Eu tô chegando, eu tô feliz, feliz da vida, / eu vou rezar com minha gente, / lá, no altar de Aparecida. / E romaria a gente faz porque acredita / que a viagem vale a pena e faz a vida mais bendita!

2–

3–

4–

5–

1015 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Foi Maria de Nazaré que me ensinou / o segredo que mudou / o rumo do meu coração. / Eu vivia dizendo não, / e Maria me convenceu / que, pra gente se realizar, / é preciso fazer o que Ele mandar. 2 – Foi Maria de Nazaré que me ensinou / o segredo que mudou / o pique do meu coração. / Eu vivia sem me preparar, / e Maria me segredou / que, pra festa não se acabar, / é preciso fazer o que Ele mandar. 3 – Foi Maria de Nazaré que me ensinou / o segredo que mudou / o toque do meu coração. / Eu vivia sem me questionar, / e Maria me sugestionou / que, pra gente se realizar, / é preciso guardar o que Ele falou.

6–

1018 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Santa Mãe Maria, nesta travessia, / cubra-nos teu manto cor de anil. / Guarda nossa vida, Mãe Aparecida, / Santa Padroeira do Brasil. Ave, Maria! Ave, Maria! (bis) 2 – Mulher peregrina, força feminina, / a mais importante que existiu. / Com justiça, queres que nossas mulheres / sejam construtoras do Brasil. 3 – Com amor divino, guarda os peregrinos / nesta caminhada para o além. / Dá-lhes companhia, pois, também, um dia, / foste peregrina de Belém. 4 – Com seus passos lentos, enfrentando os ventos / quando sopram noutra direção; / toda a Mãe Igreja pede que tu sejas / companheira de libertação.

1016 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Eu era pequeno, nem me lembro, / só lembro que, à noite, ao pé da cama, / juntava as mãozinhas e rezava apressado, / mas rezava como alguém que ama. / Nas ave-marias, que eu rezava, / eu sempre engolia umas palavras / e muito cansado acabava dormindo, / mas dormia como quem amava. Ave, Maria, Mãe de Jesus, / o tempo passa, não volta mais. / Tenho saudade daquele tempo / que eu te chamava de minha mãe. / Ave, Maria, Mãe de Jesus! (2x) 2 – Depois fui crescendo, eu me lembro, / e fui esquecendo nossa amizade, / chegava lá, em casa, chateado e cansado, / de rezar não tinha nem vontade. / Andei duvidando, eu me lembro, / das coisas mais puras que me ensinaram. / Perdi o costume da criança inocente, / minhas mãos quase não se ajuntavam. 3 – O teu amor cresce com a gente, / a mãe nunca esquece o filho ausente. / Eu chego lá, em casa, chateado e cansado, / mas eu rezo como antigamente. / Nas avemarias que hoje eu rezo, / esqueço as palavras e

1019 (Tom: D) Folcmúsica Religiosa
1 – Graças demos à Senhora, / que por Deus foi escolhida / para ser a Mãe de Cristo, / a Senhora Aparecida! (2x) 2 – Virgem santa, Virgem bela, / Mãe amável, Mãe querida, / amparai-nos, socorrei-nos, /o’ Senhora Aparecida! (2x) 3 – Nos momentos de perigo / que são tantos nesta vida, / confiantes recorramos / à Senhora Aparecida! (2x) 4 – Protegei a Santa Igreja, / nossa mestra, nossa guia; / protegei a nossa pátria, / o’ Senhora Aparecida! (2x) 5 – Pelos lares brasileiros, / pela infância desvalida; / oh, velai maternalmente, / Virgem Mãe Aparecida! (2x) 6 – E na hora derradeira, / ao sairmos desta vida, / suplicai a Deus por nós, / Virgem Mãe Aparecida! (2x)

1020 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Zezinho

Mãe do céu morena, / Senhora da América Latina, / de olhar e caridade tão divina, / de cor igual à cor de tantas raças. / Virgem tão serena, / Senhora destes povos tão sofridos, / patrona dos pequenos e oprimidos, / derrama sobre nós as tuas graças. 1 – Derrama sobre os jovens tua luz, / aos pobres vem mostrar o teu Jesus, / ao mundo inteiro traz o teu amor de Mãe. / Ensina a quem tem tudo a partilhar; / ensina a quem tem pouco a não cansar, / e faz o nosso povo caminhar em Paz. 2 – Derrama esperança sobre nós, / ensina o povo a não calar a voz, / desperta o coração de quem não acordou. / Ensina que a justiça é condição / de construir um mundo mais irmão, / e faz o nosso povo conhecer Jesus.

3 – E Jesus tocou na água, / água em vinho transformou. / Murmurava um convidado: / vinho igual nunca tomou.

1025 (Tom: Dm)
Míria T. Kolling

Letra: H. F. / Música: Frei Fabreti e Ir.

1–

2–

1021 (Tom: E) Letra: Belmiro Braga / Música: Pe. João B. Lehmann
1 – Virgem Mãe Aparecida, / estendei o vosso olhar / sobre o chão da nossa vida, / sobre nós, sobre nós e nosso lar. Virgem Mãe Aparecida, / nossa vida e nossa luz! / Dainos sempre, nesta vida, / paz e amor do bom Jesus! (2x) 2 – Estendei os vossos braços, / que trazeis no peito em cruz, / para nos guiar os passos, / para o Reino, para o Reino de Jesus. 3 – Desta vida nos extremos, / trazei paz, trazei perdão / a nós, Mãe, que vos trazemos / todo o amor, todo o amor do coração. 3– 4–

5–

Senhor, que nascestes da Virgem, tende piedade de nós! O’ Cristo, Filho de Maria, tende piedade de nós! Senhor, Senhor, piedade, piedade de nós! Virgem do sim à Palavra, rogai por nós! Virgem do risco do amor, rogai por nós! Virgem de toda alegria, rogai por nós! Rogai por nós, o’ Maria! Virgem das altas montanhas, rogai por nós! Virgem do entusiasmo, rogai por nós! Virgem do irmão caminheiro, rogai por nós! Virgem dos desamparados, rogai por nós! Virgem de todos os lares, rogai por nós! Virgem da paz para o mundo, rogai por nós! Virgem das mãos que se doam, rogai por nós! Virgem do amor tão fecundo, rogai por nós! Virgem do amor consagrado, rogai por nós! Virgem do amor verdadeiro, rogai por nós! Virgem Rainha da Igreja, rogai por nós! Virgem do amém, do aleluia, rogai por nós!

1022 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Nossa Senhora Aparecida, / por vossas mãos e vosso amor, / apresentamos a nossa vida / ao vosso Filho salvador. A vós, o’ mãe Aparecida, / nós consagramos nossa vida! 2 – Aqui estamos com nossos hinos / e muito amor no coração. / Somos romeiros e peregrinos / pedindo a vossa proteção. 3 – O vosso exemplo que nos encanta, / nos orienta e nos conduz. / Com vossa bênção materna e santa / nós chegaremos a Jesus.

1026 (Tom: Am) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Maria, o’ Mãe cheia de graça, / Maria, protege os filhos teus. Maria, Maria, / nós queremos contigo estar nos céus. 1 – Aqui servimos à igreja do teu Filho, sob o teu imaculado Coração. / Dá-nos a bênção, e nós faremos / de nossa vida uma constante oblação. 2 – A nossa vida é feita de esperança, / paz e flores nós queremos semear. / Felicidade somente alcança / quem cada dia se dispõe a caminhar. 3 – Ah! Quem me dera poder estar agora / festejando, lá no céu, Nosso Senhor! / Mas sei que chega a minha hora, / e, então, feliz eu cantarei o seu louvor.

1023 (Tom: Am) Letra e Música: Eugênio Jorge Rodolfo
1 – Quando faltou vinho naquela festa, Maria, / tu percebeste: em todos, havia aflição. / Olhaste para teu Filho e pediste a Ele, / e Jesus te atendeu, / a graça aconteceu, / a água foi transformada em vinho pra todos. 2 – Quando faltou a alegria em minha vida, / tu percebeste o cansaço em meu coração. / Olhaste para teu Filho e pediste a Ele, / e Jesus te atendeu, / veio e me socorreu. / Hoje eu canto alegre o mesmo canto seu. “O Senhor fez em mim maravilhas (3x), Santo é o Senhor!” (bis)

1027 (Tom: G) Letra e Música: Maria Aparecida Alves
1 – Maria, quero seguir o teu exemplo de amor: / Dizer sim, ser forte e fiel / ao amor de Deus, que nos acolhe e nos ensina / a caminhar sem medo de errar. Quero, o’ Maria, agradecer-te / por tudo que me ensinaste / que dizer sim para Deus / é buscar felicidade. (bis) 2 – Maria, quero pedir que me ensines a orar / e doar-me sempre aos irmãos. / E levar o amor a quem precisa aprender / te respeitar e amar de coração.

1024 (Tom: C) Letra e Música: Isaura e Norival
Foi nas bodas de Caná, foi lá, / que o milagre aconteceu. / Foi nas bodas de Caná, / que Maria intercedeu. 1 – Veio o dono da casa, / preocupado e envergonhado, / dizendo aos convidados / que o vinho tinha acabado. 2 – E, Maria percebendo, / o seu Filho ela tocou. / Corram logo buscar água, / façam o que Ele mandou.

1028 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
1 – Maria, Maria da Páscoa, / Maria da Ressurreição, / vem nos guiar na “passagem” da culpa para o perdão. Alegra-te, o’ Maria, vem dar-nos tua alegria! 2 – Ao pé da Cruz tu morreste, / ao veres o Filho morrer; / na Páscoa tu reviveste / ao veres Jesus reviver. 3 – Senhora da Glória bendita, / das Dores Senhora também, / ensina a ver desdita / a Cruz que a Glória contém.

4 – Aquele a quem tu geraste / dos mortos ressuscitou; / a nós na Cruz aceitaste / por filhos gerados na dor. 5 – Por nós intercede, o’ Maria, / Maria da Ressurreição, / a Páscoa eterna nos guia, / vem nos conduzir pela mão.

1029 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Ney Brasil Pereira
1 – Maria do Pentecostes, Maria da intercessão, Maria que atrai o Espírito, / Maria da Oração, Maria com as mulheres, reunida com os irmãos, / à espera do Prometido, o Espírito dos sete dons! Tal como lá, no Cenáculo, Maria, roga por nós! / Atrai-nos os dons do Espírito / e leva ao Pai nossa voz! (bis) 2 – Com Pedro, os Onze que viram Jesus em sua ascensão, voltaram para a cidade, à sala da oração. / Unânimes todos eles, oraram por nove dias, Maria no meio deles, e então a Igreja nascia. 3 – Naquele manhã bendita, um vento forte soprou e, em línguas de fogo, / ardentes, o Santo Espírito entrou! / As portas se abriram todas e começou a Missão: / Maria, junto aos discípulos, é a Intercessora em ação.

Quero que faças em mim / segundo a tua Palavra, Senhor. / Quero dizer sempre sim / ao teu projeto de amor. (2x) 1 – O Anjo de Deus anunciou a Maria / e ela aceitou o que o Anjo dizia. 2 – Os anjos da terra também anunciam / palavras de vida e de luz que nos guiam.

1034 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Tu foste a primeira criatura / que o Corpo de Cristo recebeu. / Tão cheia de graça e toda pura, / tu deste morada ao próprio Deus. Senhora, Mãe da vida e da alegria, / ensina-nos a abrirmos para o amor. / Por meio desta Santa Eucaristia / queremos ser os templos do Senhor. 2 – Belém se fechou, quando pediste / um simples lugar pra teu Jesus. / Choraste de dor, mas assumiste / num rancho de ovelhas deste a luz. 3 – Depois, bem no alto do Calvário, / recebes o Cristo aos pés da cruz. / E o teu coração foi o sacrário / de toda a Paixão do teu Jesus. 4 – O anúncio de Cristo ressurgido / refez teu sofrido coração. / E toda a Paixão criou sentido, / porque mereceu a Redenção.

1030 (Tom: Em) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – A vossos pés, o’ Maria, / Mãe nossa e de Jesus, / pedimos: Estrela-Guia, / guiai-nos para a Luz! / Livrai-nos dos perigos, / do mal, da tentação! / De Deus seremos amigos, / levados por vossas mãos! Mãe do Redentor, / aos filhos volvei / o vosso materno olhar! / Fazendo do amor / a única lei, / oh, dai-nos no céu vos louvar! 2 – Vós sois a Intercessora / dos homens junto a Deus! / Fazei-nos, Nossa Senhora, / viver na terra os céus! / Pedimos, Mãe querida, / a vossa proteção. / E seja, assim, nossa vida, / convosco um só coração! 3 – Cantando aqui vossas glórias, / se ergue a nossa voz. / E, passo a passo, as vitórias, / seguindo vamos nós! / Bendito o Filho amado, / que assim, o’ Mãe, vos fez! / E, filhos, ao vosso lado, / também nos chegue a vez!

1035 (Tom: Bb) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Santa Maria, Mãe imaculada, / Deus fez de vós portal da salvação. / Em nossa humana e dura caminhada, / queremos ter a vossa proteção. Ave, Maria imaculada, / Mãe e Rainha de todos os cristãos! / Ave, Maria imaculada, / Dai-nos a bênção e a vossa proteção! 2 – Santa Maria, Mãe dos peregrinos, / Deus fez de vós caminho, exemplo e luz. / Dai rumo certo aos nossos destinos / e com amor levai-nos a Jesus. 3 – Santa Maria, Mãe da unidade, / Deus fez de vós Rainha dos cristãos. / Em nossa casa e na comunidade, / vós sois a Mãe, nós somos os irmãos.

1031

(Tom: A) Letra: Pe. Lauro Palú / Música: Pe. Ronoaldo

1036 (Tom: Bm) Letra e Música: Pe. Antonio Maria
1– No mar de Maria eu mergulhei, / eu mergulhei e me banhei de luz. / No mar de Maria eu mergulhei, / eu mergulhei e encontrei Jesus. Esse Jesus que abranda o vento e o mar / E sabe acalmar as minhas tempestades. / Esse Jesus andando sobre as águas, / curando as minhas mágoas, / dizendo só verdades. Esse Jesus do mar da Galiléia / me faz mudar de idéia, me faz feliz na dor. / Esse Jesus que quer que eu deixe a rede,/ repete: “Vinde e vede”, / me faz seu pescador. Esse Jesus chamou André, Simão, / Tiago e João, filhos de Zebedeu. / Esse Jesus, nascido de Maria, / que está na Eucaristia, / também me escolheu. Esse Jesus que deu a mão a Pedro, / quando este teve medo e a fé quase perdia. / Esse Jesus que prova a minha fé, / no meu Genesaré, / o mar da vida.

Pelaquim

O Menino e sua Mãe, em Belém, eu encontrei: / entre os reis e os pastores, meu Pastor, meu Rei. (bis) Meu Pastor, meu Rei é Jesus Cristo! / Meu Pastor, meu Rei é Jesus Cristo! / E Maria é minha Mãe! / Mãe que com carinho eu amo, / Mãe que me conduz e guia, / Mãe na vida, Mãe na morte. Amém! (2x)

2–

1032 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Foi um anjo que disse, o’ Maria, que foste escolhida Mãe da vida, Mãe do amor. / E teu “sim” foi a nota mais forte, o acorde mais santo do teu canto de louvor. Pelas mãos de Maria, Jesus, ajudai / a fazermos no mundo a vontade do Pai. (bis) 2 – Ao trabalho nos campos do mundo nós somos chamados, enviados em missão. / Vem, Maria, ensinar a viver o amor compromisso a serviço dos irmãos.

3–

4–

1037 (Tom: Dm) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
1 – Ah! Como é bom ser amado debaixo dos olhos da MãeToda-Amor! / Ah! Como é bom ver seu manto, / tirar todo o espanto, curar nossa dor! / Ah! Como é bom ter certeza

1033 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana

que, junto da mesa que Deus preparou, / há uma presença materna, bem doce e bem terna, que nos adotou. Nossa Mãe és, Maria, / toda a Igreja te canta / e um louvor se levanta / quando unimos a nossa voz. / E, se a Mãe nós louvamos, / com amor e com brilho, / nós honramos o Filho / feito Homem por nós. 2 – Ah! Como é bom não ser órfão, ter todo o carinho que a Mãe sabe dar: / ter junto ao berço o seu canto, o mais doce acalanto que nos vem ninar! / Ah! Como é bom ter um teto e provar esse afeto que a Mãe traz ao lar! / E se o irmão vai sozinho, aceite o carinho que a Mãe quer lhe dar!

2 – Intercessora Maria, perfeita harmonia entre nós e o Pai. / Justiça dos explorados, combate o pecado, torna os homens iguais. 3 – Transformadora Maria, perfeita harmonia entre nós e o Pai. / Espelho de competência, afasta a violência, enche o mundo de paz.

1042 (Tom: D) Letra e Música: Maria de C. Barreto
1 – Quem é essa que surge formosa / como o sol fulgurante na serra, / como a aurora de luz radiosa, / qual exército em linha de guerra. É a virgem, a Mãe legionária. / É Maria, Rainha dos céus, / que nos faz ser a luz missionária, / para o mundo levar até Deus. (bis) 2 – Dai-nos, Virgem, a fé mais profunda, / como a rosa plantada no mar,/ que a todos coragem infunda, / se a vida vitórias negar! 3 – Dai-nos fé que nos faça lutar, / grandes coisas por Deus empreender; / procuremos as almas salvar, / pois é este o nosso dever! 4 – Dai-nos fé que na santa Legião / seja o vínculo, a chama brilhante / que conserve entre nós a união / e ao fraco transforme em gigante! 5 – E, um dia, no céu, o’ Maria; / nós unidos queremos estar, / entoando a mais doce harmonia, / vossa glória nós vamos cantar!

1038 (Tom: F) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música: Ir. Míria T.
Kolling

Estrela da evangelização, / Maria, Maria! / Orando presidiu / o início da missão, / que inundou Jerusalém. / Mãe, já vem Dois Mil! / Desça nova unção! / Maria, Maria, amém. 1 – Natal! O Pai abriu seu coração / e o Sol brilhou, vencendo a escuridão. / Maria, a Estrela, / anunciou o Salvador. / Vamos acolher, neste Jubileu, / o Sol que a Estrela antecedeu. 2 – Maria abriu também seu coração: / louvor e agradeceu a Encarnação. / A Igreja exulta,/ em multidão de amor e fé, / para anunciar como a Estrela fez: / “Nasceu o Sol, mais uma vez!”

1039 (Tom: E) Letra e Música: Walmir Alencar
1 – Se, um dia, um anjo declarou / que você era cheia de Deus. / Agora penso: quem sou eu / para não te dizer também. / Cheia de graça, o’ mãe? (2x) / Agraciada. 2 – Se a Palavra ensinou / que todos hão de concordar, / e as gerações te proclamar, / e agora eu também direi: / tu és bendita, o’ Mãe! (2x) Bem-aventurada! 3 – Surgiu um grande sinal no céu: / uma mulher revestida de sol. / A lua debaixo dos seus pés / e na cabeça uma coroa. 4 – Não há como se comparar. / Perfeito é quem te criou. / Se o Criador te coroou, / Te coroamos, o’ Mãe (3x) Nossa Rainha.

1043 (Tom: A) Letra e Música: Eugênio Jorge Rodolfo
1 – Singela doce e pura, Maria de José, Mãe terna e escolhida, / és Mãe leal da fé, seu nome é Maria de Deus. Maria santa e fiel, ensina-nos a viver como escolhidos. / Olhos voltados para o céu e por eles construir a nova vida. 2 – Mãe da obediência, da graça e do amor, que os homens se encontrem / no Filho desta flor, seu nome é Maria de Deus.

1044 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Antonio Maria
1 – Por que amo assim, Maria? Perguntou-me um dia alguém. / Devo e quero sempre amar a quem Deus ama também. / Se até meu inimigo devo amar com todo amor, / como não amar aquela que me trouxe o Salvador? Ave, Maria, Ave, Maria! Estrela guia, / Mãe admirável que ao Pai me conduz. / Ave, Maria, Ave, Maria! No dia-a-dia, / eu quero te amar com amor de Jesus. 2 – Só Deus pode responder por aquilo que Ele faz, / quis precisar de Maria para nos trazer a paz. / De outro modo poderia vir a nós o Salvador, / mas quis ter medianeira o que é mediador. 3 – Não encontra quem quiser encontrar Cristo sem cruz. / Impossível é sem Maria encontrar também Jesus. / Como não há cruz sem Cristo e não há Cristo sem cruz, / não há Jesus sem Maria nem Maria sem Jesus.

1040 (Tom: D) D.R.
1 – Uma entre todas foi a escolhida: / foste tu, Maria, serva preferida, / Mãe do meu Senhor, / Mãe do meu Salvador. Maria, cheia de graça e consolo, / vem caminhar com teu povo, / Nossa Mãe sempre serás. (bis) 2 – Roga pelos pecadores desta terra, / roga pelo povo que em seu Deus espera, / Mãe do meu Senhor, / Mãe do meu Salvador.

1041 (Tom: C) Letra e Música: José Raimundo Brandão
1 – Companheira Maria, perfeita harmonia entre nós e o Pai. / Modelo dos consagrados, nosso “sim” ao chamado do Senhor confirmai. Ave, Maria, cheia de graça, / plena de raça e beleza. / Queres com certeza que a vida renasça. / Santa Maria, Mãe do Senhor. / Que se fez pão para todos, / criou mundo novo, só por amor.

1045 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Antonio Maria
Mãe admirável, o’ Mãe peregrina, / a tua visita aquece e ilumina, / pois trazes contigo teu Filho Jesus, / que é Vida, Caminho, Verdade e Luz.

1 – Por nossa Judéia, o’ Mãe, com carinho, / tu vens apressada, estás a caminho. /E aonde tu chegas a paz faz morada, / as portas se abrindo em cada chegada. 2 – De teu Santuário, tu vens, peregrina, / a graça trazendo que lá se origina. / Ao dar-nos abrigo, transformas pro bem, / nosso apostolado abençoas também. 3 – Unida a teu Filho, és co-redentora, / milagres alcanças, doce intercessora. / A água é mudada em vinho de Amor, / também de esperança e de fé no Senhor. 4 – Rezando e vivendo o santo Rosário, / será nossa casa também santuário. / Oh, fica conosco, haja o que houver, / faremos contigo o que Cristo disser. 5 – E assim, Mãe querida, doce peregrina, / rumamos ao tempo que se descortina. / Vivendo a aliança, teu santo convênio, / será para Cristo o novo milênio.

2 – Filho, por que fizeste assim conosco? / Entre os amigos tu caminhavas, / depois com eles não mais estavas. / Filho, retorna pra nós! 3 – Filho, por que fizeste assim conosco? / Será que estavas dentro do templo, / testemunhando com teu exemplo? / Filho, retorna pra nós!

1049 (Tom: F) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Senhora, seguiste o caminho / que à prima Isabel te levou. / Serviço, trabalho e carinho / o teu coração ofertou. Visita, Senhora, teu povo, / que a ti continua fiel, / repete este gesto de novo, / que encheu de alegria Isabel. 2 – Conduz nossos passos, Maria, / aponta o caminho do Irmão. / Presença, trabalho, alegria, / são frutos da nossa missão. 3 – Nas horas difíceis da vida, / conosco presente estarás. / Tu és a melhor acolhida, / abraço de força e de paz. 4 – Contigo, Deus Pai exaltamos / e o Filho Jesus redentor. / O Espírito Santo louvamos, / unidos na ação e no amor.

1046 (Tom: G) Letra e Música: Maria do Carmo S. Ramos
1 – Maria do sonho de Deus, / do sonho mais lindo que é seu. / Do sonho do povo em clamor: / “Que venha Jesus salvador!” Sonho lindo, encantador, / esperança, amor e fé. / Sonha Deus libertador com Jesus de Nazaré. 2 – A graça do Pai em Maria, / um anjo de Deus anuncia. / Ao mundo revela Jesus, / o Espírito Santo a conduz. 3 – A terra que Deus preparou / acolhe este amor que chegou. / Sinal que nos vem indicar / a casa onde Deus quer morar. 4 – As coisas que tecem a vida, / mensagem alegre ou sofrida, / guardava em seu coração, / Maria de contemplação. 5 – As marcas de Deus procurado, / montanhas e vales cruzados / proclamam em seu grande louvor: / Deus lembra a promessa de amor.

1050 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Coração imaculado de Maria, / nossa luz, nosso caminho e salvação. / Tua santa e permanente companhia / será sempre nosso auxílio e proteção. Ave, Maria imaculada, / dá-nos a graça do teu materno amor. (bis) 2 – És a nossa Mãe divina, imaculada, / e o rosário, nossa terna devoção. / Tua bênção fortalece a caminhada / dos que buscam a perfeita conversão.

1047 (Tom: Em) Letra: Dom Carlos A. Navarro / Música:
T. Kolling

1051 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
Ir. Míria

1 – Nossa Senhora entrou na glória; / de corpo e alma, com seu Filho está no céu. / Foi companheira de sua história: / É Mãe! Rainha! Agora, vive imersa em Deus. Dos anjos pela mão, / partiste, enfim, daqui. / Tu és Senhora dos santos Anjos! / Recorda, o’ Mãe de Deus, / dos filhos que são teus / e nos ensina a contemplar e a bem servir. 2 – Anjos contemplam; entoam: “Santo!” / louvando a glória, honra, força do Senhor. / Mais belo ainda se eleva um canto: / já concebida, a Virgem encanta o Deus de amor. 3 – Anjos nos servem; são mensageiros / em Nazaré, Belém, na Páscoa e na Ascensão. / Correu Maria, com pés ligeiros; / serviu sua prima, anunciou a salvação. 4 – Anjos celestes e a Mãe Maria, / iguais lições de vida querem inspirar: / a Deus louvando, com alegria; / a cada irmão servir, em paz e em tudo amar.

1– 2–

3– 4–

5–

6–

Por ti, Maria, cheia de graça, / Jesus Messias no mundo nasça! (bis) Alegra-te, Maria, Mãe de Deus, / pois concebeste o Verbo do Senhor. / E te fizeste Mãe da Salvação! Alegra-te, Maria, Mãe de Deus, / pois foste a primeira no louvor e no serviço. / e proclamaste as maravilhas do Pai onipotente. Alegra-te, Maria, Mãe de Deus, / pois soubeste guardar todas as coisas / e meditá-las no silêncio do teu coração. Alegra-te, Maria, Mãe de Deus, / pois assumiste a paixão do próprio Filho / E em Jesus acolheste a dor de todos nós. Alegra-te, Maria, Mãe de Deus, / pois na ressurreição também ressuscitaste / para mostrar que a luz supera a sombra. Alegra-te, Maria, Mãe de Deus, / pois recebeste o Espírito Santo com os apóstolos, / E te fizeste também a Mãe da Igreja.

1048 (Tom: C) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Filho, por que fizeste assim conosco? / Por toda parte te procuramos, / com tua vida nos preocupamos. / Filho, retorna pra nós! Perdão, minha Mãe e meu Pai, / Eu sei que pequei contra Vós. / Meus erros de amor perdoai,/ não quero estar longe de Vós.

1052 (Tom: D) Letra e Música: F. X. Engelhart
1 – Ave, Maria, cheia de graça, Deus é contigo, Mãe do Senhor! (bis) Solo: Ave, Maria! Ave, Maria! Ave, Maria! Ave, Maria! Maria! Ave, Maria! / Ave, Maria! Ave, Maria! 2 – Bendita sejas entre as mulheres, Virgem das virgens, Mãe de Jesus! (bis)

1053 (Tom: G) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – No mistério profundo do amor de Deus, / Maria compreendeu sua vocação: / seu “sim” pronuncia, e o novo se faz. / Neste mesmo amor Deus me escolheu, / e, livre, lhe dei minha adesão: / Gerar, na alegria, a vida que o Verbo traz! Quero, Maria, ser “sim” também: / Deus é a herança que escolhi! / Minha resposta ao Senhor: “Amém!” / Faça-se em mim como em ti! 2 – No mistério pascal do Senhor Jesus, / Maria aprofunda a consagração, / que faz de sua vida constante doar. / Também eu, no “perder-me” aos pés da cruz, / encontro a plena ressurreição: / semente escondida que a morte faz germinar. 3 – Pentecostes! O Espírito Santo vem, / Maria confirma em sua missão. / E faz ela ao mundo o anúncio feliz. / O Senhor me convida a ser também / sinal de verdade e salvação: / o amor é fecundo, se é vida o que se diz!

4 – Algum dia, o’ nossa Padroeira, / estaremos contigo na Glória, / mas, agora, ilumina tua igreja / desta ilha feliz de Vitória.

1057 (Tom: D) Versão: Pe. Joãozinho
Mãe de Deus, / nossa querida Mãe, / você nos trouxe a paz, / você nos traz o amor. / Mãe de Deus, / ensine a sermos irmãos / e amar do jeito que Jesus amou. 1 – Mãe, a sua vida / foi resposta ao Criador. / E foi escolhida pra gerar o amor. / Deus mandou ao mundo / seu Filho, o Senhor. / Ele é o nosso Salvador! 2 – Mãe do Deus menino / ensinou ao Filho / os primeiros passos, / fez Jesus andar. / Olhe os nossos filhos, / ensine a mostrar / os caminhos do Senhor. 3 – Nós cantaremos juntos, / pedindo paz na terra / e rezaremos muito, pedindo conversão. / Protege os teus filhos / que ouvem com atenção, / o’ Rainha da Paz!

1054 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Primeira cristã, Maria da Luz. / Sabias, o’ Mãe, amar teu Jesus. / Primeira cristã, Maria do Amor. / Sabias, o’ Mãe, seguir teu Senhor. Nossa Senhora das milhões de luzes / Que meu povo acende pra te louvar. / Iluminada, iluminadora, inspiradora / de quem quer amar / E andar com Jesus! (4x) 2 – Primeira cristã, Maria do lar. / Ensinas, o’ Mãe, teu jeito de amar. / Primeira cristã, Maria da Paz. / Ensinas, o’ Mãe, como é que Deus faz. 3 – Primeira cristã, sempre a meditar. / Vivias em Deus, sabias orar. / Primeira cristã, fiel a Jesus, / em todo lugar, na luz e na cruz.

Santos e Santas
1058 (Tom: C) D.R.
1 – O’ São José querido, / meu caro protetor, / seja meu canto ouvido / na glória do Senhor. Quando estiver morrendo, / quero, com viva fé, / me consolar dizendo: / Jesus, Maria, José! 2 – És de Maria esposo, / íntegro São José! / Para eu morrer ditoso, / pede por mim mercê. 3 – Quando uma vez partida / para a mansão da luz, / minh’alma dirigida, / oh, leva ao bom Jesus!

1055 (Tom: G) Letra e Música: Zé Martins
1 – Neste chão tu és tantas Marias / de fé e alegria, de libertação. / E te doas com força e com garra / na fé e na marra constróis mundo irmão. / Operária ou dona de casa, / és vida marcada nos trilhos de Deus. / Não te cansas, esperas um dia / de ver com alegria um mundo pros teus. És lutadora na rua ou na escola, / e fazes história sem ter teu valor. / Mas não cansas, tens nova esperança / de ver nova dança na festa do amor. 2 – Nesta luta tu és o amor, / que vence a dor de tanta opressão. / Nos animas, és toda coragem / tu és a mensagem de paz e união. / E na vida és toda alegria, / és tantas Marias, és força do amar. / Companheira na dura peleja, / tu és a certeza que vamos ganhar.

1059 (Tom: D) D.R.
1 – Vinde, alegres cantemos, / a Deus demos louvor. / A um pai exaltemos / sempre com mais fervor. São José, a vós nosso amor, / sede nosso bom protetor. / Aumentai o nosso fervor! 2 – São José triunfante / vai a glória gozar. / E pra sempre reinante / no Senhor repousar. 3 – Vós, Esposo preclaro, / amantíssimo pai, / dos cristãos firme amparo, / este canto aceitai. 4 – José, por um decreto / de Deus, o Criador, / desposastes, discreto, / a Mãe do Salvador. 5 – Quis o Verbo divino / dar-vos nome de Pai; / um glorioso destino / para nós implorai! 6 – Ao Senhor, já nascido, / amoroso abraçais; / lá, no Egito, fugido, / do perigo o salvais! 7 – O’ Trindade inefável, / a oração escutai. / De quem nos ama afável / de José, nosso Pai!

1056 (Tom: E) Letra e Música: Maria das Dores Silva Barros
Senhora da Vitória, tua força queremos pedir. / Senhora da Vitória, tuas bênçãos de amor sem medir. 1 – És Maria Virgem, Mãe bondosa, / o modelo de vida pra mim. / Com amor és vitoriosa / coração sempre aberto ao “sim”. 2 – Tua vida, Maria, nos ensina / a amar e darmos as mãos. / Este dom que nos anima / a viver por nossos irmãos. 3 – Lá, no céu, puríssima e bela, / vencedora de todo o pecado, / a brilhar como esplêndida estrela, / protegendo teu Filho amado.

1060 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Joãozinho
1 – Todos os trabalhadores / vamos juntos entoar / operários, lavradores / São José vamos saudar, ai, ai, ai, ai!

2 – A mulher trabalhadora, / faxineira e professora, / e também dona de casa, / tem os filhos pra cuidar, ai, ai, ai, ai! São José, homem do povo, / entendeu a mensagem do Senhor. / Operário, feliz esposo / de Maria, a Mãe do Salvador. / De Maria, a Mãe do Salvador, ai, ai, ai, ai! 3 – Empregada, balconista, / empresário e escritor; / comerciante e artista / cantam juntos o louvor, ai, ai, ai, ai! 4 – Santo humilde, homem justo, / elevamos nossa voz; / teu exemplo nos ajude / que a justiça viva em nós, ai, ai, ai, ai!

Para acharmos o perdido, intercedei!

1063 (Tom: G) Letra e Música: Lambillotte
1 – Que cantos, que luzes, que festa, / que deslumbrante animação! / A corte do Céu manifesta / na mais atraente união. / De quem vai celebrar a glória / o povo eleito do Senhor? / A quem seus hinos de vitória / as ovações de seu louvor? (2x) Santo Antônio triunfou, / ganhou celeste palma, / cantemos seu louvor. / Peçamos que, na vida, / amparo de noss’alma, / nos seja seu fervor, / nos seja seu favor!

1061 (Tom: C) Versão: Nara Leão / Música: G. Moustaki
1 – Olha o que foi, meu bom José, / se apaixonar pela donzela. / Dentre todas a mais bela, / de toda a sua Galiléia. 2 – Casar com Débora ou com Sara, / meu bom José, você podia / e nada disso acontecia, / mas você foi amar Maria. 3 – Você podia simplesmente / ser carpinteiro e trabalhar. / Sem nunca ter que se exilar, / de se esconder com Maria. 4 – Meu bom José, você podia / ter muitos filhos com Maria, / e teu ofício ensinar / como o teu pai sempre fazia. 5 – Por que será, meu bom José, / que esse teu pobre Filho, um dia, / andou com estranhas idéias / que fizeram chorar Maria? 6 – Me lembro, às vezes, de você, / meu bom José, meu pobre amigo, / que desta vida só queria / ser feliz com sua Maria.

1064 (Tom: Cm) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Santo Antônio, que estás junto a nós, / nos ajuda a plantar mundo novo. / Onde a paz, a justiça e a verdade / sejam força e esperança do povo. (2x) 2 – Santo Antônio, presente na luta / de quem parte na busca de pão. / Que o suor derramado cultive / a semente do reino de irmãos. (2x) 3 – Santo Antônio do povo sofrido / vem mostrar novo tempo florir. / Onde tudo será partilhado. / Nova era de um povo a sorrir. (2x) 4 – Santo Antônio, teu rosto de pobre / brilha a paz do Menino Jesus, / Deus-criança, esperança do povo, / nossa força, do céu nossa luz! (2x) 5 – Santo Antônio, que, em gesto e palavra, / foste sempre um louvor à Trindade. / És bendito de Deus e do povo / que proteges no amor caridade. (2x)

1062 (Tom: C) Letra e Música: Frei Luiz Turra
Santo Antônio, rogai por nós! Intercedei a Deus por nós! (bis) 1 – Pregador do Evangelho, intercedei! Pelo povo abandonado, intercedei! 2 – Para sermos mensageiros,intercedei! Da justiça e da esperança,intercedei! 3 – Mestre sábio da verdade, intercedei! Pela Igreja peregrina, intercedei! 4 – Pelos jovens namorados, intercedei! Pelos lares em perigo, intercedei! 5 – Vós, irmãos dos pequeninos, intercedei! Pelos pobres e doentes, intercedei! 6 – Pelos tristes e abatidos, intercedei! Pelos povos oprimidos, intercedei! 7 – Para o mundo ser mais justo, intercedei! Pela paz da humanidade, intercedei! 8 – Para sermos mais fraternos, intercedei!

1065 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Tantos anos já passaram pela história, / tantos homens este mundo já esqueceu. / Mas alguém está presente na memória, / porque vive para sempre junto a Deus. Santo Antônio, pregador do Evangelho, / tanta gente escutou a tua voz. / Aproxima da verdade o nosso tempo, / Santo Antônio, roga a Deus por todos nós! 2 – És amigo do Senhor e dos pequenos, / sempre atento a escutar o seu clamor. / Eras ontem o que és em nosso tempo, / porque em ti Deus nos garante o seu amor. 3 – Nesta hora de mudanças tão profundas, / teu exemplo nos anima a caminhar / na certeza de seguir a Jesus Cristo, / plena vida haveremos de encontrar.

1066 (Tom: F) D.R.
São Benedito, que é tão simples como nós, / sabe quem somos, vai ouvir a nossa voz. (bis) 1 – Quem é esse negro que nós homenageamos? / É o filho de uma escrava, uma negra de valor. / Dona Diana, mulher santa, braço forte, / ensinou pro seu negrinho a ser bom trabalhador. 2 – E foi crescendo, trabalhava arando a terra, / e também já cultivava o valor do coração. / E desse jeito foi lutando pra viver. / Não foi fácil pro negrinho garantir o seu feijão. 3 – E, certo dia, Benedito e seus amigos / descobriram outro modo de servir a Jesus. / O Benedito foi ser frade franciscano, / continuou vivendo santo; muitas graças, muitas luzes. 4 – O Santo negro, que é o nosso protetor, / sempre amou a sua gente, a sua raça desprezada. / Ele não tinha nem dinheiro nem leitura, / mas sabia dar lições a muita gente preparada. 5 – Quem é o santo que nós homenageamos? / É o negro poderoso, sua força é do divino, / todos os negros e os pobres desta terra / são irmãos de Benedito, protetor dos pequeninos.

Então, cuide das ovelhas, / cuide delas por mim! (bis)

1069 (Tom: E) Letra: Pe. Geraldo C. da Silva / Música: Pe. Joãozinho
O’ São Pedro, pedra forte, / rocha firme do Senhor, / intercede pela gente, / nosso apóstolo pastor! / Reza pela tua Igreja, / São Pedro protetor! (2x) 1 – Ajuda o povo a caminhar / na tua Igreja sem desviar. 2 – Rede na praia, barco no mar, / e a tua Igreja a navegar. 3 – Ensina a gente evangelizar, / nova semente a semear.

1070 (Tom: D) D.R.
1 – Rogamos-te, patrono, / a tua intercessão / nas dores, no abandono, nas penas, na aflição. São Judas, consola / os pobres filhos teus / que esperam, suplicam / a paz, o amor de Deus. 2 – O teu nome esquecido / queremos relembrar, / torná-lo muito querido, / fazê-lo retumbar. 3 – Se chora nossa alma, / premida pela dor, / a suspirada calma / derramas com amor. 4 – Atende os nossos votos, / o céu é quem nos diz: / a graça aos teus devotos, / o teu Jesus prediz.

1067 (Tom: E) Letra: Pe. Geraldo C. da Silva / Música: Pe. Joãozinho
1 – Viemos celebrar a festa / dos pobres co’a alegria, / dos negros da irmandade, / do povo da romaria. / O santo que era humilde / nos leva à oração, / com danças e com folia, / com cantos de louvação. Salve, São Benedito, / o Santo padroeiro! / Viva São Benedito, / o Santo cozinheiro! (bis) 2 – Viemos celebrar a festa / dos irmãos desamparados / que o santo socorria / com seus irmãos amados. / Piedoso São Benedito, / escuta nossa oração. / No ritmo da congada, / canta o nosso coração. 3 – Viemos celebrar a festa / com bandeira e estandarte. / Quem ama São Benedito / sabe festejar com arte. / Benedito, Bene, Bento / da congada e da folia. / Oi, quem quiser ser santo / tem que ter muita alegria.

1071 (Tom: A) Letra e Música: Célia Augusta O. Bortolotti
O’ São Judas Tadeu, / vem conosco morar. / Se somos filhos de Deus, / de ti seremos irmãos. / Vem, que este é o teu lar. 1 – Que sejas bem-vindo a nós! / Aqui é a casa de Deus. / Aqui estamos reunidos, / o’ São Judas Tadeu! 2 – Tu és o nosso padroeiro / que a todos vai proteger. / Tu és um milagreiro, / o’ São Judas Tadeu! 3 – Ao apóstolo de Cristo / queremos agradecer. / Por ti, a nosso Senhor, / preces oferecer.

1068 (Tom: D) D.R.
1 – Ei, você me ama? Jesus disse a Pedro. / Ei, você me ama? Falou outra vez. / – Sim, Senhor, te amo! Pedro respondeu. Então, cuide dos cordeiros; / cuide que eles são meus! (bis) 2 – Ei, você me ama? Jesus disse a mim. / Ei, você me ama? Pergunta agora a ti. / – Sim, Senhor, te amo, te seguiremos, sim!

1072 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Francisco, que trazes para hoje uma lição de amor, / dá-nos teus olhos puros para perceber a Deus. / Que nossas mãos saibam unir-se e os corações se libertar. / Que nossa voz e a natureza se unam a ti num só cantar. São Francisco, vem ensinar os teus filhos, / o Cristo imitar. (bis)

2 – Francisco, irmão da natureza, amigo do Senhor, / grita aos homens surdos o respeito pela paz. / Que as aves cantem sem ser feridas, / e as plantas cresçam com sua flor. / Os homens vivam fraternidade, / e todos louvem o bom Senhor. 3 – Francisco, que inspiras paz e bem na vida dos irmãos, / dize qual o segredo da alegria de viver. / A tua pobreza tornou-te livre, / e foste puro de coração. / Obedeceste com humildade, / tornaste a vida uma oração.

1073 (Tom: A) Letra e Música: Frei Basílio Roewer
1 – Salve, Mestre e Pai amado, / Serafim de santo amor! / No caminho da virtude, / sede nosso protetor. São Francisco, nossas preces ao Senhor apresentai. / Belos frutos de virtude, de Jesus nos alcançai. 2 – De Jesus, seguindo os passos, / desprezastes com desdém / os enganos deste mundo, / toda a glória que ele tem. 3 – Vosso exemplo luminoso / nós queremos imitar; / com rigor e penitência, / a pureza conservar. 4 – Na humildade mais profunda / renunciastes ao querer, / mil vitórias alcançastes / pelo humilde obedecer. 5 – Também nós, por vós guiados, / submetemos com amor / toda a nossa liberdade / à lei santa do Senhor.

alegria, o dia-a-dia, / ele vivia o Evangelho com fervor. A gente pode ser muito mais feliz, / seguindo o exemplo de Francisco de Assis.(bis) 2 – Lá, entre as flores, encontrou paz e harmonia, / cantando amores ao Deus da criação. / Pássaros, ventos, animais, o sol, e a lua, / e os arvoredos, chamou todos de irmãos. Sorriu aos pobres, seus amigos preferidos, / viu Jesus Cristo no semblante do irmão. / Com os mais sofridos, mais amados, mais queridos, / na sua mesa, ele repartiu o pão. 3 – Depois, vieram também Clara e Antônio / e muitos outros com entusiasmo e ardor. / E tão somente pela fé em Jesus Cristo / eles fizeram a revolução do Amor. E este “Amor foi tão amado” por Francisco / que o seu ser se revestiu de luz. / E, na explosão da graça, em felicidade, / celebrou sua Páscoa nos estigmas da cruz.

1076 (Tom: A) Letra e Música: F.L. Comire
1 – Glória e louvor ao ínclito Vicente, / o’ meu bom Pai e Santo protetor, / sois na Igreja um sol resplandecente, / louvar-vos-ei alegre e com fervor. A nosso Deus glória e louvor / eternamente! / Ao Deus de São Vicente, / Glória e louvor! Glória e amor! / Por nos ter concedido / protetor tão querido! 2 – Glória e louvor a quem formou tal alma / e a encheu de seu divino amor! / Desde a infância, um vivo fogo inflama / a São Vicente! É luz! / É chama ardente! 3 – Glória e louvor à grande caridade: / é vivo o ardor do servo do Senhor. / Pra consolar a pobre humanidade / em todo mal e infeliz labor. 4 – Glória e louvor! Vicente compassivo, / rogai por nós a nosso Salvador! / E alcançai, no dia decisivo, / nos dê, no céu, da glória o resplendor.

1074 (Tom: G) Letra e Música: Frei Fabreti
Senhor, estamos reunidos / fraternalmente no vosso altar. / Queremos, como São Francisco, / ser instrumento de vossa paz. 1 – Viemos celebrar, unidos como irmãos, / viemos aprender a mais bela lição; / o Deus que se despoja, torna-se um irmão, / trazendo em si o amor, verdade, paz, perdão. 2 – Alegra-nos, Senhor, saber que estás aqui, / chamando sem cessar, querendo repartir / os bens do Reino eterno: paz, verdade e luz, / caminho que, na terra, ao vosso amor conduz.

1077 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Joãozinho
São Vicente, / amigo dos pobres, / amigo da gente, / amigo de Deus. (bis) 1 – Coração humilde, / sem marcas de ambição, / sempre ajudando seu irmão. (2x). 2 – Coração que acolhe / o pobre e o sofredor / cheio de ternura e de amor. (2x)

1075 (Tom: D) Letra: Pe. Geraldo C. da Silva / Música: Pe. Joãozinho
1 – Quando o fogo do amor ardeu no peito, / vindo da luz tão radiante de Jesus, / não resistiu a este amor puro e perfeito, / seguiu feliz os estigmas da cruz! E na pobreza foi reerguer Santa Maria / e nela toda Igreja do Senhor. / Na Eucaristia, na

1078 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. Joãozinho

1 – Salve, o nosso Santo padroeiro, / foi soldado e foi guerreiro, / mas lutou só pelo bem, / São Sebastião lutou no exército de Deus também. E não bastou, / não, não, não, não, não. / Uma flecha não bastou / pra calar a sua voz. / São Sebastião, São Sebastião, rogai por todos nós! 2 – Salve, o nosso Santo preferido, / São Sebastião querido / mora em nosso coração. / Força, fé e amor e a esperança em Cristo redentor. 3 – Salve, o nosso Santo glorioso, / Santo humilde e poderoso / vence a morte pelo amor. / São Sebastião, morrer por Cristo é ser vencedor.

1079 (Tom: Bb) D.R.
1 – A ti, santo, hoje damos louvores, / grande mártir São Sebastião, / que da morte afrontaste os horrores, / indo à glória reinar em Sião. Indo à glória, / indo à glória, / indo à glória reinar em Sião. (2x) 2 – Protetor desta terra querida, / livra-nos de flagelos mortais; / dá-nos paz, e pura santa vida, / para glória gozar imortais. 3 – Três batalhas tremendas venceste: / a abastança, a grandeza, o prazer; / três triunfos que tu mereceste, / tripla glória que sempre hás de ter. 4 – Grande santo, alcança-me da glória / força contra as más inclinações; / de mim mesmo constante vitória, / a vitória das minhas paixões.

1 – Eu ia pela estrada de Damasco, / para a Igreja nascente perseguir, / a voz do Senhor falou mais alto, / e eu não lhe pude resistir. 2 – Fui posto a serviço da palavra / e, ai de mim, se eu não evangelizar, / pregando a tempo e contra tempo / aquilo que Deus mandar falar. 3 – Um homem cresceu no amor de Cristo / e ao mais alto dos céus se transportou, / porém foi, na dor e na fraqueza, / que a força de Deus se revelou. 4 – Fui preso e açoitado muitas vezes / como sendo um grande malfeitor, / mas não me senti envergonhado, unido à Paixão do meu Senhor. 5 – Com Cristo estou crucificado / e me sinto feliz, vivendo assim; / agora não sou mais eu que vivo, / é o Cristo que está vivendo em mim! 6 – No amor combati o bom combate, / findei a luta e a minha fé guardei. / E creio que o prêmio da justiça / das mãos do Senhor receberei!

1082 (Tom: G) D.R.
1 – Vem a nós, o’ grande Santo, / oh, vem nos proteger! / Guarda-nos sob o teu manto, / vem por nós interceder! O’ São Geraldo, vem nos proteger! / O’ São Geraldo, vem nos proteger! 2 – Exemplo de cristão, / sempre tu hás de ser. / No decorrer da vida, / nos ensina a viver. 3 – Contra o vigor do inferno, / oh, vem nos defender! / Com teu amor fraterno, / oh, vem nos proteger!

1080 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Geraldo C. da Silva
1 – Um dia, na Galiléia, / um homem chamado João Falava com ternura / de amor aos seus irmãos. (2x) 2 – Seu rosto resplandecia / a paz que ele trazia. Fazei penitência / sempre, sempre, João dizia. (2x) Viva João Batista! / Viva o precursor! Porque João Batista / anunciava o Salvador. (2x) 3 – Às margens do Jordão, / João batizava o povo, Dizendo que Deus viria / instaurar o Reino novo. (2x) 4 – Às vezes João se zangava / com os duros de coração, Dizendo que já estava / muito perto a salvação. (2x)

1083 (Tom: E) Letra e Música: Tony Rochar
Santo Expedito, socorre-me agora, / Santo Expedito, és o Santo da última hora. / Levarei teu nome pelo mundo afora.
Santo Expedito, um Show de Graças, / és soldado defensor de todas as causas urgentes, / aos pés do Nosso Senhor. / Santo Expedito, um Show de Graças, derramai em minhas mãos, / meus pedidos leva ao Pai, / pois urgente é a missão.

1084 (Tom: D) Letra e Música: Lindberg Pires e Pe. Manoel Sanches
1 – Catequista, Missionário e Poeta, / ensinaste o Brasil a rezar; / faz que agora caminhemos unidos / com o Cristo libertador. Anchieta, Santo da nossa raça, / santifica estas plagas,/ este imenso Brasil! / Anchieta, qual cruzeiro celeste, / ilumina esta pátria, / que nasceu sob a cruz! 2 – Sob o manto da Santíssima Virgem, / com coragem enfrentaste o mal; / com amor o Evangelho pregaste, / proclamando a salvação.

1081 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Raimundo Galvão
– Paulo, o’ Paulo, por que me queres perseguir? / – Senhor, Senhor, se precisas de mim, estou aqui!

3 – Pelo bem que fizeste ao povo, / novo Cristo desta terra tu foste; / Anchieta, ergue a voz / e as mãos ao Pai / suplicando por todos nós. 4 – Foste simples com as nossas crianças, / foste pai para o índio inocente; / foste irmão junto ao povo sofrido, / que te aclama com o coração.

1085 (Tom: G) D.R.
1 – Esses homens do volante / levam a vida a lutar, / enfrentando mil perigos / para a vida ganhar. São Cristóvão, São Cristóvão, / Santo de virtudes mil, / protegei os motoristas / do nosso amado Brasil. (bis) 2 – O Brasil de norte a sul / saúda hoje o nosso irmão. / Motorista, és hoje e sempre / o pioneiro desta grande nação. 3 – Se no lar ou no trabalho, / na alegria ou lazer, / São Cristóvão, com vossos braços, / vinde a todos socorrer. 4 – Protegei o motorista, / ele é o nosso irmão; / livrai-o sempre do perigo / na jornada pelo pão.

2 – Na amarga vida, o’ Santa Rita, / quem sabe amar, sabe sofrer. / E no silêncio que tortura / aprende a arte de viver. / O teu semblante refletia / da tua vida o esplendor. / A luz brilhante da alegria / de expressar Nosso Senhor. / O teu perfume tão divino / faz nosso povo, então, sonhar. / Mesmo sofrendo nesta vida, / só é feliz quem sabe amar. 3 – Santa mulher dos impossíveis, / abençoai as nossas rosas. / Para os momentos mais difíceis, / que sejam flores milagrosas. / Remédio para as nossas dores, / bálsamo para o coração. / E, quando houver desamores, / entre os casais haja união. / Dá-nos o teu Jesus querido / pra que possamos caminhar. / E, abraçando a nossa cruz, / também possamos nos salvar.

1088 (Tom: C) Letra e Música: Frei Kiko
Padroeira dos casos impossíveis, / Santa Rita, roga por nós! (bis) 1 – Toda criança, toda beleza, / louvando a Deus co’a natureza, / orando com os pais na família, / foi se entregando à graça do Pai. 2 – No matrimônio, fidelidade, / toda bondosa maternidade! / Amando esposo e filhos, / encaminha a todos a graça do Pai. 3 – Viúva e pobre, diante de Deus, / Convento, oração! Jesus padecente! / Sofrendo a chaga na fronte! / Na fé confiava a graça do Pai. 4 – Vida vivida por muitos caminhos, / sempre voltada pra Cristo Jesus. / Exemplo pra nós hoje em dia, / recomenda a todos a graça do Pai.

1086 (Tom: D) Letra e Música: Frei José Alberto Fontanella
1 – Se você quer seguir a senda que Agostinho nos deixou, / faça como ele fez, pois ele creu, não duvidou. Tolle et lege! (2x) / Ouça a voz do Pai celeste, que em Cristo nos falou. / Tolle et lege! (2x) / Ouça a voz que Agostinho meditando escutou: “Toma e Lê”. 2 – Se você quer viver a graça e voltar ao Criador: / vá buscar nas escrituras o que diz o seu Senhor. 3 – Se você quer viver a vida que Agostinho prescreveu: / vá buscar na santa regra, veja como ele viveu. 4 – Se você quer seguir o lema da ciência e do amor: / vá viver “uma só alma e um só coração” no amor.

1089 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – Escolhendo a vida de trabalho e convivência, / foi a terra boa de um jardim que se firmou. Clara, como o sol iluminou o meu caminho: / Deus está aqui! Que digam sim os passos meus. 2 – Fonte de ternura, acolhimento e reverência, / aprendeu dos pobres que a partilha é o dom maior. 3 – Longe de honrarias quis falar pelo silêncio. / Um perfume bom que se espalhou por nosso chão.

1087 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Geraldo C. da Silva
1 – Ah! Não há rosas sem espinhos. / Não no canteiro de Jesus. / Lá, quem quiser ganhar a vida / tem que levar a sua cruz. / Neste jardim foi semeada / Rita de Cássia, a rosa-flor, / que deixou tudo nesta vida / porque entendeu o que é o amor. / Nem sofrimentos e família / desiludiu sua decisão. / Seguir somente Jesus Cristo / jamais trair seu coração. Foste a rosa preferida, / o’ Santa Rita de Jesus! / Ensinas-me lição de vida: / sofrer, amar levando a cruz.

1090 (Tom: Em) Letra: Ir. Natalina Grande / Música:
Krüger

Frei Victor

Teresinha do Menino Jesus, / sobre nós, deixa agora cair / tua chuva de rosas mimosas, / graças mil para o mundo sorrir!

1 – Teresinha, Teresinha, / tuas rosas de amor, / suaviza os caminhos / que os levam ao Senhor! 2 – Teresinha, que disseste: / “o meu céu hei de passar, / só fazendo o bem na terra”, / a Jesus, vem nos guiar! 3 – Teresinha, Teresinha, / vem de novo nos dizer: / “o que conta é o amor, / só amor nos faz viver!”

1091 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Passarei o meu céu fazendo o bem sobre a terra! / Junto a Deus, com os anjos, rosas distribuirei. / Cada flor, meu amor, tocando o amor de Jesus! Uma chuva de rosas mandarei sobre a terra: / Graças de amor do meu Senhor, flores do coração! 2 – Infeliz lá, nos céus, seria eu, não pudesse / promover alegrias aos que amo aqui. / Quero, sim, até o fim, meu céu na terra passar!

/ junto ao trono de Maria, / nossas súplicas lhe envia, / para seus dons alcançar. O’ Inês, somente um voto / as tuas aras nos conduz. / Como tu, só desejamos / ser esposas de Jesus. 2 – Aos treze anos de idade, / já vencias o tirano, / que te armou embuste e engano, / para conquistar-te o amor; / mas, amante da pureza, / e de Jesus protegida, / não deste a menor guarida / aos ardis do tentador.

1095 (Tom: Em) Letra: Ricardo Ramos / Música: Vainer Celestino
1 – Na reserva Apurinã, margeando o Caititu, / surge intriga e revolta igualzinho no Xingu. 2 – Capixaba de origem deixa sua terra natal / pra levar o Cristo amigo bem longe, no castanhal. 3 – Lá vai ela na canoa bem cedinho ao Tapiri / assistindo os doentes, abençoando os curumins. 4 – Paciá, um grito de dor ecoa pelo ar, suas águas / sangrentas deslizam no leito a delirar / da morte ao vento lamento relento a perguntar / perseguição aflição e na morte a ressurreição. Lá, lá, lá, uê - lauê - lá, lá, uê. (bis) 5 – Missão sacrificada é a luta do cristão / que arrisca a própria vida em favor de seu irmão. 6 – Alegrai-vos e exultai, pois é grande a recompensa / dos que forem perseguidos por causa do meu nome.

1092 (Tom: C) D.R.
1 – O’ grã-santa do Carmelo, / Flor querida do Senhor! / Sê a nossa padroeira, / Teresinha de Jesus! (2x) 2 – Nobre Virgem, nívea rosa, / linda flor, fúlgido amor!/ Por nós ora, Teresinha, / junto a Cristo redentor. (2x) 3 – Para a Igreja Missionária / do Evangelho do Senhor. / Muitas rosas perfumadas / sejam hoje o teu penhor. (2x)

1096 (Tom: D) D.R. 1093 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Rosemere Moraes
Cante a terra inteira, / vibre o céu e o mar, / uma grande santa vamos festejar. / É a Teresinha! A Santa do amor, / que fez da sua vida / um dom para o Senhor! 1 – Ela ensina ao mundo inteiro / o seu jeito simples de saber amar, / pois ser grande é ser pequeno, / e, como uma criança, em Deus se abandonar. 2 – A mensagem do Evangelho, / pelo tempo afora ela quer levar, / e, enquanto houver o “hoje”, / ela sobre a terra vai o “céu passar”. 3 – A Igreja a reconhece / como grande Santa entre os filhos seus. / Pelos povos de outros credos / ela é invocada: “Amiga de Deus”. 4 – O Carmelo todo em festa / louva as maravilhas que Deus operou / nesta Santa Carmelita, / que do céu derrama rosas de amor. 1 – Rogamos, virgem mártir, a vossa intercessão, / nas dores do abandono a tua proteção. Luzia, consola devotos filhos teus / que pedem, suplicam a luz que vem de Deus. 2 – Quando lhe tiraram os olhos, que dor ela sentia! / Mesmo assim, Luzia via a luz do novo dia. 3 – Abrir os nossos olhos ao pobre, nosso irmão, / que tenhamos compromisso vivendo em comunhão. 4 – Luzia, conservaste a fé no Redentor, / através do teu martírio nos mostra o Salvador.

Vocação / Missão
1097 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Aderbal T. de Paula
1 – Siga a Deus, não duvide do caminho / se uma lágrima em seus olhos transbordar. / Siga a Deus, tenha fé, tenha esperança: / seu veleiro Ele conduz em alto mar. 2 – Deus é simples, como simples são as flores. / Deus é grande que nem cabe explicação! / Tanto amou que deu seu Filho Jesus Cristo, / pra salvar e nos unir como irmãos.

1094 (Tom: A) D.R.
1 – O’ Inês, a ti se eleve / destas filhas a homenagem / que, na mais terna linguagem, / ao teu culto vêm prestar: / tu que és nossa protetora

3 – Sopre o vento, encrespe as ondas, não se aflija! / Tenha fé, porque Deus vela por você. / Jogue a rede, que Jesus está mandando. / Sempre vence quem confia no Senhor! 4 – Quem quiser viver feliz, abra o Evangelho; / nunca é tarde para a gente começar. / Jesus Cristo está presente em cada linha, / seu amor, ternura e paz querendo dar. 5 – Se faz frio, Ele aquece a sua vida; / se faz noite, Ele é o sol que vai brilhar. / Quem quiser viver feliz venha comigo, / pra Jesus as nossas vidas entregar.

1098 (Tom: D) D.R.
1 – Eu vim de longe pra encontrar o meu caminho, / Tinha um sorriso e o sorriso ainda valia. / Achei difícil a viagem até aqui, / Mas eu cheguei, / mas eu cheguei. 2 – Eu vim depressa, eu não vim de caminhão, / Eu vim a jato neste asfalto e neste chão. / Achei difícil a viagem até aqui, / Mas eu cheguei, / mas eu cheguei. 3 – Eu vim por causa daquilo que não se vê, / Vim nu, descalço, sem dinheiro e o pior. / Achei difícil a viagem até aqui, / Mas eu cheguei, / mas eu cheguei. 4 – Eu tive ajuda de quem em você não acredita, / Tive a esperança de chegar até aqui, / Vim caminhando, aqui estou, me decidi: / Eu vou ficar, / eu vou ficar.

mensageiro enviado do Senhor. / Onde houver trevas, irei levar a luz, / também direi a todos que Deus é Pai, / anunciando a mensagem de Jesus. 3 – Quem perguntar por que Jesus veio ao mundo, / eu vou dizer: foi pra salvar a humanidade, / pra libertar o homem da escravidão / e dar a ele uma nova oportunidade, / pois os profetas já vinham anunciando / a sua vinda e qual a finalidade: / Jesus Profeta, Sacerdote, Rei, Pastor, / veio ensinar-nos o caminho da verdade. 4 – Mesmo sofrendo calúnia e perseguição, / vou procurar viver em comunidade. / Onde houver ódio, vingança e injustiça, / quero levar o amor e a caridade. / Sou missionário e por isso vou lutar / para levar meus irmãos à eternidade. / Vamos louvar e bendizer ao nosso Deus, / vivendo juntos a nossa fraternidade.

1102 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Kiko
Quem é que vai? / Quem é que vai? / Quem é que vai nessa barca de Jesus? / Quem é que vai? (bis) 1 – Tem muita gente esperando por você / a caminhar, esperando por você, / todos cantando esperando por você, / juntos com Jesus, esperando por você. / E tem lugar esperando por você, / para sentar esperando por você, / a barca está esperando por você, / para partir esperando por você. 2 – Jesus está esperando por você, / com um sorriso esperando por você, / a caminhar esperando por você, / com a multidão esperando por você, / a sua mão esperando por você, / a acenar esperando por você, / chamando, vem, esperando por você, / de coração esperando por você.

1099 (Tom: Dm) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Eu venho do sul e do norte, do oeste, do leste, de todo o lugar. / Estradas da vida eu percorro, levando socorro a quem precisar. / Assunto de paz é meu forte, / eu cruzo montanhas, mas vou aprender. / O mundo não me satisfaz, / o que eu quero é a paz, / o que eu quero é viver. No peito eu levo uma cruz, / No meu coração, o que disse Jesus. (bis). 2 – Eu sei que eu não tenho a idade da maturidade de quem já viveu. / Mas sei que eu já tenho a idade de ver a verdade: O que eu quero é ser eu. / O mundo, ferido e cansado de um negro passado de guerras sem fim, / tem medo da bomba que fez e da fé que desfez, mas aponta pra mim. 3 – Eu venho trazer meu recado, não tenho passado, mas sei entender. / Um jovem foi crucificado por ter ensinado a gente a viver. / Eu grito ao meu mundo descrente / que eu quero ser gente, / que eu creio na cruz. / Eu creio na força do jovem que segue o caminho do Cristo Jesus.

1103 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
1– Quando Jesus passar, (3x) / eu quero estar no meu lugar. No meu telônio ou jogando a rede, / sob a figueira ou a caminhar, / buscando água pra minha sede, / querendo ver meu Senhor passar. No meu trabalho e na minha casa, / no meu estudo e no meu lazer, / no compromisso e no meu descanso, / no meu direito e no meu dever. Nos meus projetos olhando em frente, / no meu sucesso e na decepção, / no sofrimento que fere a gente, / sonhando o sonho de um mundo irmão. Com meus amigos, com minha gente, / com quem da vida já se cansou, / a semear e a espalhar sementes / na terra onde meu Deus andou.

2–

3–

1100 (Tom: C) Letra e Música: Maria Elisa de Andrade Mendes
1 – Olho em tudo e sempre encontro a ti. / Estás no céu, na terra, onde for. / E em tudo que me acontece encontro o teu amor, / já não se pode mais deixar de crer no teu amor. É impossível não crer em ti, / é impossível não te encontrar, / é impossível não fazer de ti meu ideal. (bis)

4–

1104 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Se ouvires a voz do vento, chamando sem cessar; / se ouvires a voz do tempo, mandando esperar. A decisão é tua. (2x) / São muitos os convidados. (2x) / Quase ninguém tem tempo. (2x) 2 – Se ouvires a voz de Deus, chamando sem cessar; / se ouvires a voz do mundo, querendo te enganar. 3 – O trigo já se perdeu, cresceu, ninguém colheu, / e o mundo passando fome, passando fome de Deus.

1101 (Tom: C) Letra e Música: Antônio Marques da Costa Ferreira
1 – Pelo Batismo recebi uma missão: / Vou trabalhar pelo Reino do Senhor, / vou anunciar o Evangelho para os povos, / vou ser profeta, sacerdote, rei pastor. / Vou anunciar a Boa Nova de Jesus: / como profeta recebi esta missão. / Aonde eu for, serei fermento, sal e luz, / levando a todos a mensagem de cristão. 2 – O Evangelho não pode ficar parado: / vou anunciá-lo, esta é minha obrigação. / A messe é grande e precisa de operários, / vou cooperar na evangelização: / sou

1105 (Tom: G) Letra e Música: Ivo Fachini
Tu me cativaste, meu Deus e Senhor, / eu já não consigo esquecer teu amor.(bis)

1 – Estreito é o caminho, / é preciso saber / andar entre espinhos e rosas colher; / deixar redes, barcos, a vida perder, / deixar o dinheiro, riquezas não ter. 2 – O Reino é semente / de trigo no chão, / que morre gerando a ressurreição. / É luz constante em favor do irmão / é luta, é fermento, é água, é pão. 3 – A vida é tão breve, / um sonho fugaz; / daqui só se leva / o bem que se faz. / Senhor Jesus Cristo, / meu Deus e Senhor, / ensina de novo / o caminho do amor.

1106 (Tom: C) Letra e Música: Cesareo Gabarain
1 – Tu te abeiraste da praia, / não buscaste nem sábios nem ricos, / somente queres que eu te siga. Senhor, Tu me olhaste nos olhos / a sorrir pronunciaste o meu nome. / Lá na praia, eu deixei o meu barco, / junto a ti, buscarei outro mar. 2 – Tu sabes bem que, em meu barco, / eu não tenho espadas, nem ouro, / somente redes e o meu trabalho. 3 – Tu, minhas mãos, solicitas, / meu cansaço que a outros descanse. / Amor que almeja seguir amando. 4 – Tu, pescador de outros lagos, / ânsia eterna de almas que esperam,/ bondoso amigo, assim me chamas.

esquecido na praia, / um barco esquecido na praia, / um barco esquecido na praia! 2 – Há um barco esquecido na praia: / já não leva ninguém a pescar. / É o barco de João e Tiago, / que partiram pra não mais voltar. / Quanta vez em tempos sombrios / enfrentando os perigos do mar, / barco e rede voltavam vazios, / mas os dois precisavam pescar. 3 – Quantos barcos deixados na praia / entre eles o meu deve estar. / Era o barco dos sonhos que eu tinha, / mas eu nunca deixei de sonhar. / Quantas vezes enfrentei o perigo / no meu barco, de sonho a singrar. / Jesus Cristo remava comigo: / eu no leme, Jesus a remar. De repente me envolve uma luz e eu entrego o meu leme a Jesus. / É preciso pescar diferente, que o povo já sente que o tempo chegou. / E partimos pra onde Ele quis, / tenho cruzes, mas vivo feliz. / Há um barco esquecido na praia, / um barco esquecido na praia, / um barco esquecido na praia!

1110 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Por escutar uma voz que disse que faltava gente pra semear, / deixei meu lar e saí sorrindo e assobiando pra não chorar. / Fui me alistar entre os operários que deixam tudo pra te levar, / e fui lutar por um mundo novo, / não tenho lar, mas ganhei um povo. (2x) Sou cidadão do infinito, do infinito, do infinito / e levo a paz no meu caminho, no meu caminho, no meu caminho. 2 – Eu procurei semear a paz, e onde fui andando falei de Deus. / Abençoei quem fez pouco caso e espalhou cizânia onde eu semeei. / Não recebi condecoração por haver buscado um país irmão, / vou semeando por entre o povo e vou sonhando este mundo novo. (2x)

1107 (Tom: D) Letra e Música: Ivo Antônio Lenarto-Viez
Vai, meu amigo, vai, meu irmão! / Vai falar do Evangelho! / Quanto é grande tua missão! (bis) 1 – Deixa teu povo e por caminhos cansativos, / tão corajoso pelo mundo tu vais. / Não levas ouro, mas tens o dom da verdade. / Planta justiça pra outros colherem paz! 2 – És peregrino pelas terras que andejas, / deixas certeza quando as verdades tu dizes. / Embora cubram teu caminho quando passas, / sabes que o preço é ser pregado na cruz. 3 – Tua palavra fere mais os poderosos, / pois sempre o fraco é que sofre a opressão. / Dizendo hoje o que Cristo disse outrora, / maior riqueza está dentro do coração.

1111 (Tom: C) D.R.
1 – Vem, filho querido, / vem, meu amigo, pro meu amor; / vem, serás mensageiro / da salvação por onde fores. / Vou fazer de você / o meu sinal de luz e paz, / para mostrar ao mundo a salvação que meu amor traz. Vem, filho querido, / quero contar com você / para salvar o mundo / e ver meu Reino crescer. 2 – Seja meu mensageiro, / teu companheiro prometo ser, / vem, vou enviar-te / para salvares fazendo crer. / Dou sabedoria pra na alegria muito ensinares, / vem que eu preciso de tua ajuda para salvar.

1108 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
O Espírito do Senhor está sobre nós. / Seu poder nos envia para anunciar, / proclamar seu amor, sua paz. 1 – O Senhor é fiel para sempre / faz justiça aos que são oprimidos. / Ele dá alimento aos famintos, / é o Senhor quem liberta os cativos. 2 – O Senhor abre os olhos aos cegos. / O Senhor faz erguerse o caído. / O Senhor ama aquele que é justo. / É o Senhor que protege o estrangeiro. 3 – Ele ampara a viúva e o órfão. / Mas confunde os caminhos dos maus. / O Senhor reinará para sempre, / o’ Sião o teu Deus reinará!

1112 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Por Deus chamado e escolhido, / livre, sou comprometido / com a construção de seu Reino entre nós. Seguirei o meu Senhor, / vivendo o Evangelho do amor. 2 – Pobre, sou enriquecido, / por um amor feito pleno, / comungando sempre a vontade do Pai. 3 – Deixando tudo por Cristo, / a Ele só me reservo, / para disponível servir o irmão. 4 – Minha resposta ao chamado / é radical, sem medida, / numa adesão renovada, atual.

1109 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Há um barco esquecido na praia: / já não leva ninguém a pescar. / É o barco de André e de Pedro, / que partiram para não mais voltar. / Quantas vezes partiram seguros, / enfrentando os perigos do mar. / Era chuva, era noite, era escuro, / mas os dois precisavam pescar. De repente, aparece Jesus, pouco a pouco se acende uma luz. / É preciso pescar diferente, que o povo já sente que o tempo chegou. / E partiram sem mesmo pensar / nos perigos de profetizar. / Há um barco

1113 (Tom: G) Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Sem fronteiras é teu Reino, / não conhece raça e nação; / tua cruz libertadora / é semente-vida em todo chão; / mas

Tu queres mensageiros, / eis a nossa vocação, / que proclamem teu amor, / construam tua paz, / convertam corações. 2 – Sem fronteiras é teu Reino, / cabe a cada um o construir, / para que um mundo novo, / mais humano e justo possa vir. / Quero ser teu missionário, / e por ti me decidir / em favor dos meus irmãos, / no pobre e sofredor, / o apelo teu sentir. / Sem fronteiras é teu Reino!

3 – Abandonei a minha casa / e os meus pais para lutar. / Por muita gente que não tem uma família, / um grande amor, ou mesmo um lar. / Não fui indiferente ao teu chamado, meu Senhor, / conserva-me na graça, na graça do amor. 4 – Agora eu faço uma oração / para louvar-te, meu Jesus, / te agradecer por este dom / e pela minha vocação. / É impossível ser chamado e não te obedecer, / Tu tens a minha vida e o meu ser em tuas mãos.

1114 (Tom: G) Recolhido por Frei Victor O. K. Júnior
1 – Me chamaste para caminhar na vida contigo, / decidi para sempre seguir-te, não voltar atrás. / Me puseste uma brasa no peito e uma flecha na alma. / É difícil agora viver sem lembrar-me de ti. Te amarei, Senhor! / Te amarei, Senhor! / Eu só encontro a paz e a alegria / bem perto de ti. (bis) 2 – Eu pensei muitas vezes calar e não dar nem respostas; / eu pensei na fuga esconder-me, ir longe de ti; / mas tua força venceu e, ao final, eu fiquei seduzido. / É difícil agora viver sem saudade de ti! 3 – O’ Jesus, não me deixes jamais caminhar solitário, / pois conheces a minha fraqueza e o meu coração. / Vem, ensina-me a viver a vida na tua presença, / no amor aos irmãos, na alegria, na paz, na união.

1118 (Tom: D) Letra e Música: José Acácio Santana
1 – Um dia escutei teu chamado, / divino recado batendo no coração. / Deixei deste mundo as promessas, / e fui bem depressa no rumo da tua mão. Tu és a razão da jornada, / Tu és minha estrada, meu guia e meu fim! / No grito que vem do teu povo, / te escuto de novo chamando por mim! 2 – Os anos passaram ligeiro, / me fiz um obreiro do Reino de paz e amor. / Nos mares do mundo navego, / e às redes me entrego, tornei-me teu pescador! 3 – Embora tão fraco e pequeno, / caminho sereno com a força que vem de ti! / A cada momento que passa, / revivo esta graça de ser teu sinal aqui!

1119 (Tom: G) Letra e Música: Nelsinho Corrêa
1 – Não dá / mais pra voltar, / o barco está em alto mar. (bis) Não dá / mais pra negar: / o mar é Deus e o barco sou eu. / E o vento forte / que me leva pra frente / é o amor de Deus. (bis) 2 – Não dá / nem mais pra ver / o porto que era seguro. / Eu sou / impulsionado / a desbravar um novo mundo.

1115 (Tom: G) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Em tuas mãos eu me abandono, / Tu és meu Deus, Pai criador. / Faze de mim o que te agrada, / a ti me entrego com todo amor. Entregue a ti, tenho certeza / que tu me entregas para servir. / Senhor, eu quero servir teu povo; / os teus projetos, quero assumir. 2 – Em tuas mãos eu me abandono, / Tu és Senhor, teu servo eu sou. / Sei que é feliz quem dá a vida, / se me doar feliz estou. 3 – Em tuas mãos eu me abandono, / dá-me o amor, o amor da cruz. / Faça-se em mim tua vontade, / continuando o que fez Jesus.

1120 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Vimos o Senhor e aqui nos encontramos, / entre nós está o Cristo, bom Pastor. / Ele nos congrega como seus amigos, / para revelar do Pai o imenso amor. Senhor, é bom nós estarmos aqui, / junto à fonte das águas vivas. / Mas o clamor e a sede do irmão / desperta nossa fé, envia em missão. 2 – Vimos o Senhor e aqui nos encontramos, / para escutar sua voz que nos chamou. / Ele nos garante sempre estar conosco / em todo o lugar que o Pai nos indicou.

1116 (Tom: D) Letra e Música: Jorge Chamoun
1 – Sou Eu que te falo agora. / Assume tua condição. / És ramo da minha Igreja / voltada para o irmão. Eu vim para ensinar / Igreja viva formar. / Preciso do compromisso, / você tem a ver com isso. / Não quero a omissão, / procura por teu irmão. / Meu Pai concedeu os dons, / sacrifícios não são em vão. 2 – São tantos que me procuram / buscando uma solução. / Eu quero contar contigo: / estende a tua mão.

1121 (Tom: A) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
1 – Sopra um vento sobre o mundo, vai mexer bem fundo no teu coração. / Ele faz tremer as águas, vem curar as mágoas e a solidão. / Tu, que sofres desse jeito, abre logo o peito à consolação, / joga tua noite fora e reparte a aurora com o teu irmão. Cristo te ama! Cristo te chama! / E te convida com Ele morar. / Ouve bem isto: quem chama é Cristo. / Traz vida nova pra te transformar. 2 – Não importa o teu passado, tens agora ao lado o teu Salvador. / É Jesus que no calvário faz-se solidário com a tua dor! / Clama por Jesus, entrega a tua dor mais cega e teu amargor. / Provarás toda a doçura e a paz mais pura do Libertador. 3 – De que vale a tua vida para não ser vivida com amor e paz? / E pensar no teu futuro como um poço escuro onde afogarás? / Só Jesus tem água viva que te reaviva quando morto estás. / Vem! Mergulha neste rio, e do teu vazio te libertarás.

1117 (Tom: A) Letra e Música: Antonio Cardoso
1 – Fui escolhido pra servir-te / e para amar-te, meu irmão. / Meu coração se dividiu entre o meu ser / e o teu ser em comunhão. / A vida colocou-me frente a frente com um reino, / um reino que eu sonhava / e era a minha vocação. Eis-me aqui, Senhor, para servir! / Eis-me aqui, Senhor, no teu altar! / Celebrar a vida e a vida em comunhão, / a minha vida eu quero te entregar. 2 – Me fiz um sacerdote para ser como Jesus, / eu quero iluminar-te e receber a tua luz. / A cruz que eu abracei é tua cruz, o’ meu irmão, / se for preciso dar a vida, é minha vocação.

1122 (Tom: C) Letra e Música: Manoel Carvalho
1 – Alguém chama, / Ele me ama / e me conduz / e me quer feliz. / Ele fala, / só escuto, / paro mudo / e o que Ele me diz: / Vem me seguir, / que eu caminho junto com você ao fim, / depois da caminhada, você é feliz / se deixa todas as coisas só por mim, / por mim. / Vem me seguir / que o meu caminho é o da porta estreita, sim; / porém, ao acabar junto de mim, / você vai entender por que é bom, / é bom servir. 2 – Ele quer / uma resposta / todo dia / de você, irmão. / É difícil / a caminhada, / e, por isso, / Ele lhe estende a mão.

1126 (Tom: G) Letra e Música: Maria Luíza Ricciardi
1 – O amor de Deus me escolheu / olhou-me, disse o meu nome, / confiou em mim, me enviou / pra Boa Nova levar. (2x) Vai aos pobres anunciar / a mensagem da esperança. / E aos que sofrem oprimidos, / que Eu sou libertação. 2 – O amor de Deus me escolheu / pra consolar os que choram. / Trocar as vestes de tristeza / em lindas vestes de festa. (2x) 3 – O amor de Deus me escolheu / pra dar aos cegos visão. / Ao homem pobre e escravo / levar a luz que liberta. (2x) 4 – O amor de Deus me escolheu, / Senhor, serei o teu servo. / Serás a minha alegria, / a herança que hei de ganhar. (2x)

1123 (Tom: G) P.O.M.
Vida abundante ao mundo ofereço, / quero acender a chama do amor. / Sou missionário(a) e, mesmo pequeno(a), / sirvo alegre ao Reino de Deus. 1 – Mãe de Jesus e das crianças, / que mais precisam do nosso amor, / acolhe a todos sob o teu manto, / guia-nos sempre para o Senhor. 2 – Seguindo os passos dos padroeiros, / vamos a vida inteira doar, / como Francisco e Teresinha, / nossa missão é Cristo anunciar. 3 – Com a alegria construiremos, / Senhor Jesus, teu Reino de amor! / A Boa -Nova anunciaremos / com nossa vida, em teu nome, Senhor!

1127 (Tom: G) Letra: Ir. Maria Domitila / Música: Waldeci Farias
De ti, o’ meu Senhor e Deus, / desde o amanhecer, / vai em busca meu ser. / A ti cantam os lábios meus / um hino de louvor / a exaltar teu amor. 1 – Tu me escolheste e eu te segui, / teu infinito amor / me acompanhou, Senhor. / A cada dia eu te senti, / guiando os passos meus / pelos caminhos teus. 2 – Por Mãe me deste quem te gerou. / Mãe, que é ternura e paz, / Mãe, que fiel me faz; / Mãe, que é silêncio, me ensina a amar, / a dar-me sem medir / e os votos meus guardar. 3 – De mim fizeste filho querido / nesta pequena grei. / Onde me consagrei / ao teu serviço e ao meu irmão / para levar a todos a tua salvação.

1124 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Cristo, Missionário do Pai, / vem a nós neste pão / e se dá em amor doação / para os irmãos. Como o Pai enviou seu Filho Jesus, / hoje também nos envia / para no mundo ser luz / como Jesus. 2 – Cristo, Boa Nova do Pai, / com a vida ensinou / ser fiel na missão até o fim / para os irmãos. 3 – Cristo, viva imagem do Pai, / vem a nós revelar / como ser e fazer pra servir / nossos irmãos. 4 – Cristo, verdade do Pai, / vem de nós afastar / todo o mal que desfaz, no temor, / nossos irmãos. 5 – Cristo, a bondade do Pai, / vem a nós perdoar, / renovar, pra seguir, com vigor, / junto aos irmãos. 6 – Cristo, a justiça do Pai, / vem a nós indicar / como agir sem ferir o amor / para os irmãos.

1128 (Tom: C) Letra e Música: Renato Caron
1 – Ide por todo o Universo o meu Reino anunciar, / dizei a todos os povos que Eu vim pra salvar. / Quero que todos conheçam a luz da verdade / e possam trilhar os caminhos da felicidade. Ide anunciar minha paz, / ide sem olhar para trás. / Estarei convosco / e serei vossa luz na missão. (bis) 2 – Vós sois os meus mensageiros e meus missionários, / ide salvar o meu povo de tantos calvários. / Minha verdade liberta e a vida promove, / meu Evangelho ilumina e as trevas remove. 3 – Eu anunciei o meu Reino na vida e no templo, / dei minha vida por todos, deixei meu exemplo. / Quem por amor der a vida será meu amigo / e na riqueza do Pai terá parte comigo.

1125 (Tom: E) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1– Ide pelo mundo, / ide pelo mundo / e anunciai , / e anunciai o Evangelho / a toda criatura. Eu vos envio, servidores do Reino, / onde estiveres, Eu convosco estarei. / Eu vos envio, despojados de tudo, / só levareis a bagagem do amor. Eu vos envio, promotores da paz, / ministros sois da reconciliação. / Eu vos envio, mensageiros alegres, / quem encontrardes, tratareis com amor. Eu vos envio, testemunhas da vida, / clamor supremo, vocação universal. / Eu dou a todos vida plena e fecunda, / sinais da morte combate, é o mal. Eu vos envio, construtores do amor, / fazei irmãos, Deus é Pai, proclamai. / Cidade viva, um só povo formai, / um só batismo, só um Senhor adorai.

Outros
1129 (Tom: Dm) Letra e Música: Ir. Míria T. Kolling
Segurança, felicidade, / eu encontro no Senhor. / É Ele a minha rocha, / meu Deus e meu Libertador! 1 – Bendito o homem que confia no Senhor! / Como a planta junto às águas lança à terra sua raiz! / E venha o sol, o vento, a chuva, o seu verdor / permanece vivo e firme, / pois é Deus que o faz feliz! 2 – Agora eu sei que me sustenta a tua mão, / e me guia a Providência por caminhos só de luz. / Longe de ti não sei viver, tudo ilusão. / Só em ti busco refúgio, / és o Pai que me conduz!

2–

3–

4–

1130 (Tom: F) Letra: D. Carlos Alberto Navarro
Música: Waldeci Farias

Sou bom Pastor, / ovelhas guardarei. / Não tenho outro ofício, nem terei. / Quantas vidas eu tiver, eu lhes darei. 1 – Maus pastores, num dia de sombra, / não cuidaram e o rebanho se perdeu. / Vou sair pelo campo, reunir o que é meu, / conduzir e salvar. 2 – Verdes prados e belas montanhas / hão de ver o pastor, rebanho atrás. / Junto a mim, as ovelhas terão muita paz, / poderão descansar.

3 – Onde houver erro, Senhor, / que eu leve a Verdade, fruto de tua luz! / Onde encontrar desespero, / que eu leve a esperança do teu nome, Jesus! 4 – Onde eu encontrar um irmão / a chorar de tristeza, sem ter voz e nem vez. / Quero bem no seu coração / semear alegria, pra florir gratidão! 5 – Mestre, que eu saiba amar, / compreender, consolar e dar sem receber. / Quero sempre mais perdoar, / trabalhar na conquista e vitória da paz!

1135 (Tom: Eb) Música: Frei Luiz Carlos Susin
1– Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz! / Senhor, fazei de mim um instrumento de vosso amor! Onde há ódio, que eu leve o amor; / onde há ofensa, que eu leve o perdão; / onde há discórdia, que eu leve a união; / onde há dúvidas, que eu leve a fé. Onde há erro, que eu leve a verdade; / no desespero, que eu leve a esperança; / onde há tristeza, que eu leve a alegria; / onde há trevas, que eu leve a luz. Mestre, fazei que eu procure menos / ser consolado do que consolar; / ser compreendido do que compreender, / e ser amado do que amar. Sim, pois é dando que se recebe, / é perdoando que se é perdoado / e é morrendo que se vive para a vida eterna.

1131 (Tom: C) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
A certeza que vive em mim / é que um dia verei a Deus: / contemplá-lo com os olhos meus / é a felicidade sem fim. 1 – O sentido de todo viver / eu encontro na fé e no amor. / Cada passo que eu der, / será buscando o meu Senhor. 2 – Peregrinos, nós somos aqui, / construindo morada no céu, / quando Deus chamar a si / quem foi na terra amigo seu.

2–

3–

4–

1132 (Tom: F) D.R.
1 – Mais perto de Deus, o’ Pai do céu, / mais perto dos irmãos, que são filhos seus. / Não há maior amor que faça tanto assim. / Como o amor de Deus, que é amor sem fim. 2 – Mais perto de Deus, o’ Pai do céu, / somos um povo irmão em comunhão. / Temos um mesmo Pai, temos a mesma fé, / vamos seguir Jesus de Nazaré. 3 – Mais perto de Deus, vamos buscar / mais esperança e paz, que nos refaz. / Hinos de gratidão, juntos a entoar. / Mais perto de Deus, vamos cantar.

1136 (Tom: E) Letra e Música: Jorge Trevisol
1 – O povo está cansado de tanta opressão. / O mal da injustiça cegou seu coração. / E Deus, que não se esquece do povo sofredor, / precisa de profetas que levem seu amor. (2x) Eu quero te ouvir, eu vou te seguir! / “Senhor, eis-me aqui!” (bis) 2 – Coragem, esperança, vigor em sua mão, / olhares de denúncia, firmeza na missão. / Amor e confiança, num grito aterrador, / profeta tem na boca palavras do Senhor. (2x) 3 – Do mal, as estruturas Deus manda demolir, / buscar suas raízes, cortar e destruir. / Abrir caminhos novos e nunca desistir, / fazer feliz o povo, plantar e construir. (2x) 4 – Profetas derramaram seu sangue por amor / e há tantos perseguidos por causa do Senhor. / Semente que se espalha na terra dos irmãos / é voz que não se cala e converte o coração. (2x)

1133 (Tom: Dm) Letra: Oração de São Francisco / Música:
Casimiro Irala

Pe.

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz! / Onde houver ódio, que eu leve o amor; / onde houver ofensa, que eu leve o perdão; / onde houver discórdia, que eu leve a união; / onde houver dúvida, que eu leve a fé; / onde houver erro, que eu leve a verdade; / onde houver desespero, que eu leve a esperança; / onde houver tristeza, que eu leve alegria; / onde houver trevas, que eu leve a luz. O’ mestre, fazei que eu procure mais / consolar que ser consolado; / compreender que ser compreendido; / amar que ser amado; / pois é dando que se recebe, / é perdoando que se é perdoado / e é morrendo que se vive / para a vida eterna.

1137 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Procuro alguém que cante comigo esta canção, / que venha repartir comigo o coração, / que saiba dizer sim, / que saiba dizer não, / que diga sim à vida mesmo quando ela diz não, / eu quero um companheiro que me aceite por irmão. Você é meu irmão, / você é meu irmão, / você, você, / você é meu irmão! 2 – Ao longo do caminho eu rezo uma oração, / que é feita de esperança que vai no coração, / que sabe dizer sim / que sabe dizer não, / sorri para a verdade e não mergulha na ilusão, / eu quero um companheiro que me aceite por irmão. 3 – Eu faço um mundo novo ao longo dos meus passos, / enquanto existe povo não sei o que é cansaço. / O mundo está melhor, / pois hoje eu sei sorrir / e levo o meu sorriso a quem padece a solidão, / eu quero um companheiro que me aceite por irmão.

1134 (Tom: D) Letra e Música: Frei Fabreti
1 – Cristo, quero ser instrumento / de tua paz e do teu infinito amor. / Onde houver ódio e rancor, / que eu leve a concórdia, que eu leve o amor! Onde há ofensa que dói, / que eu leve o perdão; / onde houver a discórdia, / que eu leve a união e tua paz! 2 – Mesmo que haja um só coração, / que duvide do bem, do amor e da fé. / Quero com firmeza anunciar / a Palavra que traz a clareza da fé!

1138 (Tom: C) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
1 – O amor de Deus se mostra em pleno sol, / flore o jardim, dá vida ao beija-flor, / brinca no mar e as nuvens põe no céu / pra me dizer: Grande é teu valor! 2 – O amor de Deus vem antes e depois, / e vai além dos sonhos que aprendi. / Não se desfaz nem mesmo ao dizer não. / É a luz que diz: Filho, é por aqui! 3 – O amor de Deus renova os corações, / fala de paz, reparte sempre o pão, / fere o temor, enfrenta os desafios, / me faz dizer: Tudo bem, irmão! 4 – O amor de Deus compõe e recompõe, / estende a mão, jamais exclui alguém; / frente ao rancor, se firma no perdão, / fazendo ver: Eu te quero bem!

2 – Glória a ti, Jesus, Filho de Deus! (2x) / Vieste das alturas, morar junto dos teus! (2x) / Boa Nova ao pobre anunciaste! (2x) / Por nós deste tua vida, Senhor, ressuscitaste! (2x) 3 – Glória ao Santo Espírito de Deus! (2x) / Mandado por Jesus, sobre os amigos seus! (2x) / Suavidade, és nossa comunhão! (2x) / És força em nossa luta, és nossa animação. (2x)

1142 (Tom: Em) Letra e Música: Zé Vicente
1– 2– Glória, glória, glória a ti, meu Deus! / Paz na terra, cantam os povos teus. Violões, charangas, flautas, sons do coração, (2x) / tambores, atabaques, te glorificarão. (2x) Teu nome é tão bonito, não existe outro igual. (2x) / Glória ao que vence a morte e o ídolo do mal. (2x) América, Ameríndia e África na dor, (2x) / Latina convertida, dai glória ao Deus amor. (2x) Na fé da resistência, no axé do nosso canto, (2x) / no sangue da aliança, glória, glória ao Deus Santo. (2x) Memória dos vencidos, na cruz seja bendita; (2x) / no Cristo canta a vida, brilhando infinita. (2x)

1139 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Ô, ô, ô, ô, ô, lá, lá, lá, lá, laiá, laiá! (bis) 1 – Ninguém pode prender um sonho / e impedir alguém de sonhar. / Ninguém pode prender a esperança / de um povo sofrido a lutar. / Ninguém pode abafar o grito / do povo oprimido clamando a Javé, / Deus que salva e liberta o seu povo / e ergue o caído e alimenta sua fé. 2 – Todo sonho alimenta a história / e a vitória do povo a chegar. / Vamos juntos, que neste caminho, / ninguém sobra ou fica pra trás. / Para ver este mundo florindo, / criança sorrindo sem fome e sem dor, / é preciso cuidar bem da vida, / que vida sofrida se eleva em clamor. 3 – Ninguém pode prender um sonho, / como a luz do sol que nasceu; / ele brilha inventando caminhos / e desvela o que a noite escondeu. / Ninguém pode abafar o grito / e o clamor de quem sofre de tanto suor / pelo pão, pela paz e justiça, / e anda à procura de um mundo melhor.

3– 4– 5–

1143 (Tom: Em) D.R.
1 – Santo, Santo, Santo! / Dizem todos os anjos. / Santo, Santo, Santo / é o Senhor Jesus! / Santo, Santo, Santo / é quem nos redime: / Porque meu Deus é Santo, / a terra cheia de sua glória está! (2x) Céus e terras passarão, / mas sua Palavra não passará! (2x) / Não, não, não passará! / Não, não, não, não, não, não passará! 2 – Hosana a Jesus Cristo, / o Filho de Maria! / Bendito o que vem / em nome do Senhor! / Santo, Santo, Santo / é quem nos redime: / Porque meu Deus é Santo, / a terra cheia de sua glória está! (2x)

1140 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Glória, glória a Deus nas alturas! / Nas criaturas, na história! Glória, glória ao Deus criador, / vivo amor entre os povos, glória! (2x) No sol, nas estrelas, na terra e no mar, / glória, glória, aleluia! (bis) 2 – Glória, glória ao Cristo bendito! / Ressuscitou é vitória! Glória, oxalá Deus presente / na vida da gente, glória! (2x) Nas comunidades, na rua e no lar, / glória, glória, aleluia! (bis) 3 – Glória, glória ao Espírito Santo! / Graça, esperança e memória! Glória, glória à luz que alumia, / alegria dos pobres, glória! (2x) No canto, na dança, na festa, no altar, / glória, glória, aleluia! (bis)

1144 (Tom: Ab) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Deus infinito, nós te louvamos / e nos submetemos ao teu poder. / As criaturas, no seu mistério, / mostram a grandeza de quem lhes deu o ser. / Todos os povos sonham e vivem / nesta esperança de encontrar a paz. / Suas histórias todas apontam / para o mesmo rumo, onde Tu estás. Santo, santo, santo! / Santo, santo, santo! / Todopoderoso, é o nosso Deus! 2 – Senhor Jesus Cristo, nós te louvamos / e te agradecemos teu imenso amor. / Teu nascimento, teu sofrimento, / trouxe vida nova, onde existe a dor. / Nós te adoramos e acreditamos / que és o Filho Santo do nosso Criador / e professamos tua verdade / que, na humanidade, plantou tamanho amor. 3 – Deus infinito, teu Santo Espírito / renova o mundo sem jamais cessar. / Nossa esperança, nossos projetos, / só se realizam quando Ele falar. / Todo-poderoso, somos o teu povo / que, na esperança, vive a caminhar. / Dá que sejamos teu povo santo / que fará do mundo teu trono e teu altar.

1141 (Tom: C#m) Letra e Música: Reginaldo Veloso
1 – Glória a Deus no imenso azul do céu! (2x) / Tão grande é teu amor por tudo que é teu! (2x) / Paz na terra ao homem e à mulher! (2x) / Nós somos filhos teus, teu grande bemquerer! (2x) Glória, glória, glória, glória, glória te damos, Senhor! Glória, glória, glória, glória, / venha teu Reino de amor!

1145 (Tom: C) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva

1 – Deus é Pai, Deus é amor, / Deus é esperança pra quem nEle crê. / Confiou a construção do Reino de Paz ao homem que ama. Eu creio em Deus que o meu caminho iluminou, / que a minha vida transformou. Feliz eu sou! / Eu creio em Deus! Se posso crer, se posso amar, / a minha vida tem valor. Feliz eu sou! 2 – Jesus Cristo caminha conosco, amigo e irmão, / que nos leva ao Pai. / Jesus Cristo nasceu e viveu a vida dos homens, e ressurgiu. 3 – Deus é amor, é consolador, conforta e ampara o pecador, / Deus é amor. / Espírito Santo, destrói o que é mal, dá vida ao que é bom.

1146 (Tom: G) Letra: D.R.
Glória, glória! Aleluia! (3x) / Louvemos ao Senhor! 1 – Na beleza do que vemos, / Deus nos fala ao coração. / Tudo canta, Deus é grande, / Deus é bom e Deus é Pai. / É seu Filho Jesus Cristo / que nos une por amor. / Louvemos ao Senhor! 2 – Deus nos fez comunidade / pra vivermos como irmãos, / braços dados, todos juntos / caminhemos sem parar. / Jesus Cristo vai conosco, / Ele é jovem como nós. / Louvemos ao Senhor! 3 – Jesus Cristo é alegria, / Jesus Cristo é o Senhor! / Da vitória sobre a morte / deu a todos o penhor. / Venceremos as tristezas, / venceremos o temor. / Louvemos ao Senhor!

1 – Nosso Deus é o artista do universo, / é a fonte da luz, do ar, da cor, / é o som, é a música, é a dança, / é o mar, jangadeiro e pescador, / é o seio materno sempre fértil, / é beleza, é pureza e é calor! (2x) / Aleluia! Aleluia! (2x) Vamos criar / que é pra glória de Deus brilhar! (2x) 2 – Nosso Deus é caminho e caminhada / do seu povo para a libertação. / Onde quer que esteja um oprimido / é Javé que promove a redenção. / Ele quebra a força do tirano / e garante a vitória da união! (2x) / Aleluia! Aleluia! (2x) Vamos lutar / que é pra glória de Deus brilhar! (2x) 3 – Nosso Deus é a voz que se levanta, / é o canto, o gemido e o clamor. / É o braço erguido para a luta, / É o braço em nome do amor. / É o pé conquistando novo espaço, / é a terra. é o fruto. é a flor! (2x) / Aleluia! aleluia! (2x) Vamos amar / que é pra glória de Deus brilhar! (2x) 4 – Nosso Deus está brilhando noite e dia / pelos campos e praças do país. / É presença na voz da meninada / que convoca um futuro mais feliz. / É a infinita razão de plena vida: / todo o povo cantando hoje bendiz! (2x) / Aleluia! Aleluia! (2x) Vamos cantar / que é pra glória de Deus brilhar! (2x)

1150 (Tom: G) D.R.
Eu louvarei (5x) ao meu Senhor! (bis) 1 – João viu o mundo dos redimidos, / e todos louvavam ao Senhor. / Uns oravam, outros cantavam / e todos louvavam ao Senhor. 2 – Todos unidos, alegres cantavam / glória e louvores ao Senhor: / glória ao Pai, glória ao Filho, / glória ao Espírito de amor. 3 – Somos filhos de ti, Pai eterno, / Tu nos criaste por amor. / Nós te adoramos, te bendizemos / e todos cantamos teu louvor.

1147 (Tom: C) D.R.
1 – Quando olhei o sol brilhar, / vi que o Senhor é Santo. / Tem estrelas no céu, / vi que o Senhor é Santo. / Na imensidão do mar, / vi que o Senhor é Santo. / No orvalho da manhã, / vi que o Senhor é Santo. O Senhor é Santo, / Ele está aqui! / O Senhor é Santo, / eu posso sentir. (bis) 2 – Nas aves do céu, / vi que o Senhor é Santo. / Na planta a florir, / vi que o Senhor é Santo. / Na fonte a cantar, / vi que o Senhor é Santo. / No irmão a sorrir, / vi que o Senhor é Santo. 3 – Os céus proclamam vossa glória, / vi que o Senhor é Santo. / Hosana nas alturas, / vi que o Senhor é Santo. / Bendito o que nos vem, / vi que o Senhor é Santo. / Em nome do Senhor, / vi que o Senhor é Santo. 4 – As crianças a brincar, / vi que o Senhor é Santo. / Os homens a amar, / vi que o Senhor é Santo. / A natureza a desabrochar, / vi que o Senhor é Santo. / O enfermo a sorrir, / vi que o Senhor é Santo.

1151 (Tom: D) Letra e Música: Frei Luiz Carlos Susin
1 – Em coro a Deus louvemos, Eterno é seu amor! Pois Deus é admirável, Eterno é seu amor! Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor! (bis) 2 – Criou o céu e a terra, Eterno é seu amor! Criou o sol e a lua. Eterno é seu amor! 3 – Fez águas, nuvens, chuvas, Eterno é seu amor! Fez pedras, terras, montes. Eterno é seu amor! 4 – Distribuiu a vida, Eterno é seu amor! Na planta, peixe e ave. Eterno é seu amor! 5 – E fez à sua imagem, Eterno é seu amor! O homem livre e forte. Eterno é seu amor! 6 – Na história que fazemos, Eterno é seu amor! Deus vai à nossa frente. Eterno é seu amor! 7 – E, quando nós pecamos, Eterno é seu amor! Perdoa e fortalece. Eterno é seu amor!

1148 (Tom: G) D.R.
Louvado seja meu Senhor! (4x) 1 – Por todas as suas criaturas, / pelo sol e pela lua, / pelas estrelas no firmamento, / pela água e pelo fogo. 2 – Por aqueles que agora são felizes, / por aqueles que agora choram, / por aqueles que agora nascem, / por aqueles que agora morrem. 3 – O que dá sentido à vida / é amar-te e louvar-te, / para que a nossa vida / seja sempre uma canção.

1152 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
Onipotente e bom Senhor, / a ti a honra, glória e louvor, / todas as bênçãos de ti nos vêm, / e todo o povo te diz: "Amém"! 1 – Louvado sejas nas criaturas, / primeiro o sol, lá nas alturas, / clareia o dia, grande esplendor, / radiante imagem de ti, Senhor. 2 – Louvado sejas pela irmã lua, / no céu criaste, é obra tua, / pelas estrelas claras e belas, / Tu és a fonte do brilho delas.

1149 (Tom: E) Letra e Música: Zé Vicente
Olha a glória de Deus brilhando, aleluia! / Olha a glória de Deus brilhando, aleluia! (bis)

3 – Louvado sejas pelo irmão vento, / e pelas nuvens, o ar e o tempo, / e pela chuva que cai no chão, / nos dás sustento, Deus da Criação. 4 – Louvado sejas, meu bom Senhor, / pela irmã água e seu valor, / preciosa e casta, humilde e boa, / se corre, um canto a ti entoa. 5 – Louvado sejas, o’ meu Senhor, / pelo irmão fogo e seu calor, / clareia a noite, robusto e forte, / belo e alegre, bendita sorte. 6 – Sejas louvado pela irmã terra, / Mãe que sustenta e nos governa, / produz os frutos, nos dá o pão, / com flores e ervas sorri o chão. 7 – Louvado sejas pela irmã morte, / que vem a todos, ao fraco e ao forte, / feliz aquele que em ti amar, / a morte eterna não o matará. 8 – Bem-aventurado quem guarda a paz, / pois o Altíssimo o satisfaz. / Vamos louvar e agradecer, / com humildade, ao Senhor bendizer!

2 – O Senhor é Santo, / Ele é o Amor. / O Senhor é Santo, / Amor que refaz. / O Senhor é Santo / Ele é nossa Paz. / Ele é Bendito, Ele é Bendito. / Está entre nós. (2x)

1156 (Tom: E) Letra e Música: Martin Valverde
1 – Mesmo na tempestade, mesmo que se agite o mar, / te louvo, te louvo em verdade. / Mesmo longe dos meus, mesmo na solidão, / te louvo, te louvo em verdade, Pois somente tenho a ti. / Tu és a minha herança, / te louvo, te louvo em verdade. 2 – Mesmo que me faltem palavras, / mesmo que eu não saiba louvar, / te louvo, te louvo em verdade,

1157 (Tom: Dm) Letra e Música: Zé Vicente
Grande, grande e Santo é só Deus! (2x) / Grande, grande e Santo é nosso Deus! (2x) / Grande, grande e Santo é nosso Deus! (2x) 1 – Pai grande, Deus índio, divino Tupã! (2x) / Dos filhos da mãe-terra, dos povos da América! (2x) Deus Filho, Deus negro, Escravo Redentor! (2x) / Deus Santo, Deus bendito dos netos da mãe África! (2x) Grande, grande e Santo é nosso Deus! (bis) 2 – Deus lindo, Deus criança, Deus mãe do belo amor! (2x) / Da vida sois semente de toda a criação! (2x) As honras de aleluia, ao Santo Deus fiel! (2x) / Bendito Mensageiro, divino Emanuel! (2x) Grande, grande e Santo é nosso Deus! (bis)

1153 (Tom: G) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Louvemos todos juntos o nome do Senhor; / por nós fez maravilhas, eterno é o seu amor! 2 – Louvemos pelo Cristo, que veio nos salvar; / por nós deu o seu Sangue, sem fim quis nos amar! 3 – Louvemos pela terra que nos dá de comer; / se a terra é de todos, pra todos deve ser. 4 – Louvemos bem unidos, irmãos trabalhadores; / na graça do Espírito, nós somos criadores. 5 – Louvemos com pandeiros, sanfonas, violões; / louvemos com cirandas, com sambas e baiões. 6– Louvemos por Maria, a Mãe de todos nós; / com ela venceremos, o inimigo mais atroz. 7– Louvemos pelos pobres que vivem na união; / na luta dos pequenos, Jesus se faz irmão! 8– Louvemos com os anjos, os santos, todo povo; / cantemos, todos juntos, a Deus um canto novo. Santo, Santo, Santo! / Santo, Santo, Santo! / Santo, Santo, Santo! / É Javé, nosso Deus criador! Santo, Santo, Santo! / Santo, Santo, Santo! / Santo, Santo, Santo! / É Jesus, nosso Libertador! Santo, Santo, Santo! / Santo, Santo, Santo! / Santo, Santo, Santo! / É o Espírito Santo de amor!

1158 (Tom: F) Letra e Música: José Luiz Rizzieri
Deixe-me ser jovem, não me impeça de lutar, / pois a vida me convida, uma missão realizar: 1 – Deixe-me ser jovem, ser livre pra sonhar, / não reprima, não reprove o meu jeito de amar. / Fazer também a história e não ser ignorado, / preservar os meus valores e não ser massificado. 2 – Muitos jovens sem saber esbanjaram sua idade, / alienados se entregaram aos dragões da sociedade. / Não me sinto revoltado, mas eu quero me explicar: / de tanto ser explorado eu me pus a protestar. 3 – Não nasci para servir como peça de engrenagem, / nem ser coisa que se vende ou se compra por vantagem. / Quero ser considerado como filho de Deus, / realizar os meus anseios cada vez sendo mais eu.

1154 (Tom: A) Letra e Música: Pedrinho de Almeida
1 – Eu quero estar em tua vida, / cuidar de ti e te dar todo meu amor. / Compartilhar contigo o teu dia-a-dia, / viver contigo, participar da tua alegria. Vou te consolar na tristeza e na dor e transformar todo o teu interior. (bis) 2 – Se tu estás árido como um deserto, / enfraquecido, minado na tua fé, / se me invocas, sempre vou estar por perto. / Busca a mim que sou teu amigo certo. 3 – Quero fazer de ti criatura nova. / Quero dizer que meu Espírito renova. / Renova teu ser, é só conviver comigo / e experimentar que sou teu melhor amigo.

1159 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
1 – Quem foi que aqui nos reuniu? / – Foi o amor! / Quem foi que um dia na cruz nos remiu? – Foi o amor! / Quem livrará do fracasso este mundo? / – É o amor! / Quem é o maior? / – É o amor! / E o mais profundo? / – É o amor! Juntemos nossas vozes e demo-nos as mãos: / Assim ninguém nos poderá vencer. / Pelo Cristo libertador: / NEle e por Ele, / libertaremos este mundo / pelo amor. 2 – Que levaremos nós daqui? / – É o amor! / Qual a mensagem que vamos transmitir? / – É o amor! / Como é possível nossa vida transformar? / – Pelo amor! / E o mundo todo? / – Pelo amor! / Valorizar? / – Pelo amor! 3 – Que quis Jesus nos ensinar? / – Foi o amor! / Quando na ceia a tal ponto se humilhou? / – Foi o amor! / Lavando os pés dos discípulos assim? /

1155 (Tom: Em) Letra e Música: Zé Martins
1 – O Senhor é Santo, / Ele é nosso Deus. / O Senhor é Santo / Ele é nosso Pai. / O Senhor é Santo, / Ele é nossa Paz. / Ele é Bendito, Ele é Bendito. / Está entre nós. (2x)

– Por nosso amor! / Qual servo humilde? / – Por nosso amor! / Até o fim? / – Por nosso amor! 4 – Por que Jesus parece pão? / – É por amor! / Parece vinho e se torna refeição?/ – É por amor! / E vem nutrir o faminto pecador? / – Por seu amor! / Fazendo dele? / – Por amor! / Co-Redentor? / – Eterno amor!

1160 (Tom: Dm) D.R.
1 – Seu nome é Jesus Cristo, e passa fome, / e grita pela boca dos famintos. / E a gente, quando o vê, passa adiante, / às vezes, pra chegar depressa à igreja. / Seu nome é Jesus Cristo e está sem casa / e dorme pelas beiras das calçadas. / E a gente, quando o vê, aperta o passo / e diz que Ele dormiu embriagado. Entre nós está, e não o conhecemos, / entre nós está, e nós o desprezamos. (bis) 2 – Seu nome é Jesus Cristo, e é analfabeto, / e vive mendigando um subemprego. / E a gente, quando o vê, diz: “É um à-toa, / melhor que trabalhasse e não pedisse”. / Seu nome é Jesus Cristo e está banido / das rodas sociais e das igrejas / porque dEle fizeram um Rei potente, / enquanto que Ele vive como um pobre. 3 – Seu nome é Jesus Cristo, e é difamado, / e vive nos imundos meretrícios, / mas muitos o expulsam da cidade, / com medo de estender a mão a Ele. / Seu nome é Jesus Cristo e é todo homem / que vive neste mundo ou quer viver, / pois pra Ele não existem mais fronteiras, / só quer fazer de nós todos irmãos. 4 – Seu nome é Jesus Cristo, e está doente, / e vive atrás das grades da cadeia. / E nós tão raramente vamos vê-lo, / sabemos que Ele é um marginal. / Seu nome é Jesus Cristo e anda sedento / por um mundo de amor e de justiça, / mas, logo que contesta pela paz, / a ordem o obriga a ser da guerra.

2 – Eu me angustio quando vejo que, depois de dois mil anos, / entre tantos desenganos, poucos vivem sua fé; / muitos falam de esperança, mas esquecem de você. 3 – Tudo podia ser melhor se meu povo procurasse, / nos caminhos onde andasse, pensar mais no seu Senhor, / mas você fica esquecido e por isso falta o amor. 4 – Tudo seria bem melhor se o Natal não fosse um dia, / e se as mães fossem Maria, e se os pais fossem José, / e se a gente parecesse com Jesus de Nazaré.

1163 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. Zezinho
Pai nosso, / dos pobres marginalizados! / Pai nosso / dos mártires, dos torturados! 1 – Teu nome é santificado / naqueles que morrem, defendendo a vida! / Teu nome é glorificado / quando a justiça é nossa medida. / Teu Reino é de liberdade, / de fraternidade, paz e comunhão. / Maldita toda violência / que devora a vida pela repressão! 2 – Queremos fazer tua vontade, / és o verdadeiro Deus libertador! / Não vamos seguir as doutrinas, / corrompidas pelo poder opressor. / Pedimos-te o pão da vida, / o pão da segurança, o pão das multidões, / o pão que traz a humanidade, / que constrói o homem em vez de canhões. 3 – Perdoa-nos quando, por medo, / ficamos calados diante da morte. / Perdoa e destrói os reinos / em que a corrupção é a lei mais forte! / Protege-nos da crueldade, / do Esquadrão da Morte, dos prevalecidos! / Pai nosso, revolucionário, / parceiro dos pobres, Deus dos oprimidos!

1164 (Tom: C) Versão e Música: Pe. Casimiro Irala
Cantemos confiantes a oração que o Senhor nos ensinou: Pai, Pai, Pai, Pai nosso, que estais nos céus! Santificado seja o vosso nome, / venha a nós o vosso Reino, / seja feita a vossa vontade, / assim na terra como no céu. Pai, Pai, Pai, Pai nosso, que estais nos céus! O pão nosso de cada dia nos dai hoje, / e perdoai-nos as nossas ofensas, / assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. Pai, Pai, Pai, Pai nosso, que estais nos céus! E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Pai, Pai, Pai, Pai nosso, que estais nos céus!

1161 (Tom: F) F. X. Moreau
1 – Queremos Deus! Homens ingratos / ao Pai supremo, ao Redentor / zombam da fé; os insensatos / erguem-se em vão contra o Senhor. Da nossa fé, o’ Virgem, o brado abençoai! / Queremos Deus, que é nosso Rei! / Queremos Deus, que é nosso Pai! (2x) 2 – Queremos Deus! Um povo aflito, / o’ doce Mãe, vem repetir; / aos vossos pés, d'alma este grito, / que aos pés de Deus fareis subir. 3 – Queremos Deus! E a sã doutrina, / que nos legou na sua cruz; / leve à escola e à oficina / a lei de Cristo, amor e luz! 4 – Queremos Deus! Na Pátria amada, / amar-nos todos como irmãos / e ver a Igreja respeitada: / são nossos votos de cristãos. 5 – Queremos Deus! E prontos vamos / sua lei santa defender. / Sempre servi-lo aqui juramos: / queremos Deus até morrer!

1165 (Tom: Eb) Letra e Música: Pe. Zezinho
Pai nosso, que estais no céu, / santificado seja o vosso nome, / venha a nós o vosso Reino, / seja feita a vossa vontade, / assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, / perdoai-nos as nossas ofensas, / assim como nós perdoamos / a quem nos tem ofendido, / e não nos deixeis cair em tentação, / mas livrai-nos do mal.

1162 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
Estou pensando em Deus, / estou pensando no amor. (bis) 1 – Os homens fogem do amor e depois que se esvaziam / no vazio se angustiam e duvidam de você, / você chega perto deles, mesmo assim ninguém tem fé.

1166 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
Pai nosso, que estais no céu, / santificado seja o vosso nome, / venha a nós o vosso Reino, / sejam feitos vossos projetos / aqui, na terra, aqui, na terra, / antecipando o que será viver no céu. O pão nosso de cada dia, dai a nós e ao nosso irmão / como fruto de quem trabalha e constrói esta nação. / E perdoai-nos os nossos egoísmos / e prometemos perdoar

também a quem nos ofender / pra não sermos instrumentos de egoísmo e de opressão, / libertai nosso coração, pois teu é o poder: / livrai-nos do mal. / Teu Pai também trabalha: / livrai-nos do mal / e nós trabalharemos pra fazer o mundo igual: / livrai-nos do mal.

1167 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Inspirados na Palavra de Jesus, ousamos proclamar: Pai nosso, que estais no céu, / santificado seja o vosso nome, / venha a nós o vosso Reino, / seja feita a vossa vontade, / assim na terra como no céu. Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. / O pão nosso de cada dia nos dai hoje e perdoai. / Perdoainos as nossas ofensas, perdoai-nos as nossas ofensas. Assim como nós perdoamos a quem nos tiver ofendido / e não nos deixeis cair, cair em tentação, mas livrai-nos do mal, / livrai-nos do mal. Amém!

Teus caminhos conheci desde pequeno, / tua graça me acompanha sem cessar. / Meu coração vai ao compasso do amor. / A minha vida te pertence, meu Senhor. / O Senhor fez em mim maravilhas, / eu vou cantar os louvores do Senhor. 2 – Pra que eu não me canse, uma oração eu vim fazer, / pois a minha vida muitas vezes tem sofrer, / eu nem sempre posso teus caminhos entender, / mas, por teu amor, /eu sei que ainda é bom viver.

1172 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – No fim desta tarde, Senhor, / a ti volto o meu coração. / Eu te agradeço este dia: / foi ele prova do teu amor. Nas tuas mãos eu entrego, Senhor, / tudo aquilo que hoje vivi. / Meu coração fica em paz junto a ti. / Boanoite, meu Pai, meu Senhor! 2 – Bendigo a esperança, o amor, / a luz, a alegria, o sofrer. / Muito obrigado, amigo, / por todo bem que realizei. 3 – Perdão pelo bem que omiti. / Tu sabes o esforço que fiz. / Que amanhã, o novo dia, / seja melhor, mais vivido em ti.

1168 (Tom: C#m) Letra e Música: Pe. Zezinho
Bem vês o mundo em que vivemos, / por isso te pedimos, Senhor: / ensina-nos a rezar, ensina-nos a rezar. 1 – Pai nosso, que estais no céu, / santificado seja o vosso nome, / venha a nós o vosso Reino, / seja feita a vossa vontade, / assim na terra como no céu. 2 – Nosso pão de cada dia, / dai-nos hoje mais uma vez / e perdoai-nos nossas ofensas / que prometemos também perdoar. 3 – E não nos deixeis pecar, / pecado não satisfaz; / livrai-nos do mal caminho / para não errarmos, ao buscar a paz.

1173 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Mais outro dia findou, / eu venho te ver / para conversar. / Mais outra noite chegou, / eu venho agradecer / antes de repousar. Andei o dia inteiro, procurando o meu irmão. / Eu quis ser instrumento do teu amor, do teu perdão. 2 – Muito obrigado, Senhor, / pelo amor que eu ensinei, / pelo amor que eu recebi. / Muito obrigado, Senhor, / pela dor que suavizei, / por sorrisos que sorri. 3 – Sou peregrino do amor / e venho agradecer / o dia que vivi. / Houve tristezas, Senhor, / mas eu não quis sofrer, / pois caminhei em ti.

1169 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Joaquim Ximenes Coutinho
Pai nosso, que estás nos céus, / santificado seja o teu nome. / Venha o teu Reino / seja feita a tua vontade / assim na terra como no céu. / O pão nosso de cada dia nos dá hoje, / perdoa-nos as nossas ofensas / assim como nós perdoamos aquemnos tem ofendido. / E não nos deixes cair em tentação, / mas livra-nos do mal, / pois teu é o Reino, o Poder e a Glória para sempre (2x)

1174 (Tom: Dm) Letra: O.T.P. / Música: Pe. José Weber
1 – Senhor, abri os meus olhos / às maravilhas do vosso amor. / Sou o cego pelo caminho. / Oh, curai-me, eu vos quero ver! 2 – Senhor, abri minhas mãos, / que para tudo guardar se fecham. / Bate o pobre à minha porta: / ensinai-me a partilhar! 3 – Senhor, fazei com que eu ande, / por mais duro que seja o caminho! / Vou seguir-vos até à cruz. / Vinde, sim, tomai minha mão! 4 – Senhor, fazei com que eu ouça / todo grito dos meus irmãos. / Seus apelos, seus sofrimentos, / abram sempre meu coração! 5 – Senhor, guardai minha fé. / Tantos querem a vossa morte. / Vem a noite e o peso do dia. / O’ Senhor, comigo ficai!

1170 (Tom: Gm) Letra e Música: Waldeci Farias
1 – Irmão sol com irmã luz, trazendo o dia pela mão, / irmão céu de intenso azul a invadir o coração, aleluia. Irmãos, minhas irmãs, / vamos cantar nesta manhã, / pois renasceu mais uma vez / a criação das mãos de Deus. / Irmãos, minhas irmãs, vamos cantar: / Aleluia, aleluia, aleluia! 2 – Minha irmã terra que ao pé dá segurança de chegar. Minha irmã planta que está suavemente a respirar, aleluia. 3 – Irmã flor que mal se abriu, fala do amor que não tem fim. / Água irmã que nos refaz e sai do chão cantando assim, aleluia. 4 – Passarinhos, meus irmãos, com mil canções a ir e vir. / Homens todos, meus irmãos, que nossa voz se faça ouvir, aleluia.

1175 (Tom: E) Letra: Ailton Cabral de Melo Neto / Música: B.D.
1 – Quanta beleza existe no mar, / e o homem não quer contemplar. / Quanto descanso existe na paz, / e o homem só pensa em matar. / Quanta ternura existe no amor, / e o homem só quer odiar. Se a gente compreendesse / o amor que Deus nos dá, / o inferno poderia se acabar! 2 – Cristo nos manda fazer sempre o bem, / e o homem só pensa no mal. / O Evangelho nos dá a semente, / e o

1171 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Se meu coração ficar cansado de esperar, / e, se, por acaso, eu me esquecer de te falar, / peço encarecido o teu favor pra me encontrar, / e mais uma vez o teu amor eu vou cantar.

homem não quer semear. / A caridade é amor que se dá, / e o homem só pensa em ganhar. 3 – Quantas crianças chorando a implorar / alguém que as ensine a andar! / Quantos velhinhos pedindo a chorar / alguém que os possa amparar! / Quanta maldade no mundo a rolar / e o homem não quer nem pensar!

1180 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – O silêncio está cantando uma canção de amor e paz; / o silêncio está rezando uma oração por seu irmão. Muita gente vive sem amor e tem solidão, / mas aqui, nesta casa do senhor, solidão não existe não! (2x) 2 – O silêncio está gritando, pedindo paz, gritando amor; / o silêncio está falando: / põe teu amor no teu Senhor!

1176 (Tom: G) D.R.
Jesus Cristo é o Senhor, o Senhor, o Senhor! Jesus Cristo é o Senhor! / Glória a ti, Senhor! 1 – Da minha vida Ele é o Senhor. (3x) / Glória a ti, Senhor! 2 – Do meu passado Ele é o Senhor. (3x) / Glória a ti, Senhor! 3 – Do meu futuro Ele é o Senhor. (3x) / Glória a ti, Senhor!

1181 (Tom: F) Letra e Música: Gen. Jorge Pinheiro
1– Eu confio em Nosso Senhor / Com fé, esperança e amor. (bis) A meu Deus, fiel sempre serei, / Eu confio em Nosso Senhor. / Seus preceitos, oh! sim, cumprirei / Com fé, esperança e amor. Venha embora qualquer tentação, / Eu confio em Nosso Senhor. / Mostrarei que sou sempre cristão, / Com fé, esperança e amor. Com as armas da fé lutarei, / Eu confio em Nosso Senhor. / Nessa luta por Deus vencerei / Com fé, esperança e amor. Os fracassos não hei de temer, / Eu confio em Nosso Senhor. / Pois com Deus hei de sempre vencer / Com fé, esperança e amor. Em perigo, aflição ou em dor, / Eu confio em Nosso Senhor. / Chamarei a meu Deus com fervor, / Com fé, esperança e amor. E depois de uma vida com Deus, / Eu confio em Nosso Senhor. / Eu espero partir para os céus, / Com fé, esperança e amor. Povo unido não será vencido, / povo unido não será vencido. (bis) Uma só varinha é tão fácil de quebrar, / Mas ajunte um feixe... Você pode até suar! / É um exemplo da força da união. Uma só formiga não dá conta da roseira, / Mas desfolha a mata se ajuntar a formigueira. / Mais um exemplo da força da união. Uma gota d'água o mormaço vai secar. / Ajuntando muitas, formam rio, enchem mar. / Mais um exemplo da força da união. Melhorar o mundo, ninguém vai, se for sozinho. / Há de transformar se a união for o caminho. / Eis nossa força, que está na união.

1177 (Tom: G) D.R.
1 – Senhor, eu sei que é teu este lugar, todos querem te adorar, / toma Tu a direção. / Sim, oh, vem, o’ Santo Espírito, os espaços preencher! / Reverência à tua voz vamos fazer. Podes reinar, Senhor Jesus, oh, sim! / Teu poder teu povo sentirá. / Que bom, Senhor, saber que estás presente aqui! / Reina, Senhor, neste lugar! 2 – Visita cada irmão, o’ meu Senhor, / dá-lhe paz interior e razões pra te louvar. / Desfaz todas as tristezas, incertezas, desamor, / glorifica o teu nome, o’ meu Senhor! 2– 3–

4–

5–

1178 (Tom: C) Música: Tavinho Moura
1 – O’ Deus, salve o oratório, / O’ Deus, salve o oratório, / onde Deus fez a morada / oiá, meu Deus, / onde Deus fez sua morada, oiá. 2 – Onde mora o cálice bento, / onde mora o cálice bento / e a hóstia consagrada, / oiá, meu Deus / e a hóstia consagrada, oiá. 3 – De Jessé nasceu a vara, / De Jessé nasceu a vara, / da vara nasceu a flor, / oiá, meu Deus, / da vara nasceu a flor, oiá. 4 – E da flor nasceu Maria, / e da flor nasceu Maria; / de Maria, o Salvador, / oiá, meu Deus, / de Maria, o Salvador, oiá.

6–

1182 (Tom: D) Letra e Música: João Bento de Souza
1–

2–

1179 (Tom: E) Letra e Música: Nely Silva Barros
1 – O Povo de Deus no deserto andava, / mas à sua frente alguém caminhava. / O Povo de Deus era rico de nada, / só tinha esperança e o pó da estrada. Também sou teu povo, Senhor, / e estou nessa estrada. / Somente a tua graça / me basta e mais nada. 2 – O Povo de Deus também vacilava, / às vezes custava a crer no amor. / O Povo de Deus chorando rezava, / pedia perdão e recomeçava. Também sou teu povo, Senhor, / e estou nessa estrada. / Perdoa se, às vezes, / não creio em mais nada. 3 – O Povo de Deus também teve fome, / e tu lhe mandaste o pão lá do céu. / O Povo de Deus, cantando, deu graças, / provou teu amor, teu amor que não passa. Também sou teu povo, Senhor, / e estou nessa estrada. / Tu és alimento na longa jornada. 4 – O Povo de Deus ao longe avistou / a terra querida, que o amor preparou. / O Povo de Deus corria e cantava, / e nos seus louvores teu poder proclamava. Também sou teu povo, Senhor, / e estou nessa estrada, / cada dia mais perto da terra esperada.

3–

4–

1183 (Tom: G) Música Mexicana
América do índio, / América do branco, / América do negro, / América de irmãos. / América de Cristo / desde há quinhentos anos. 1 – Ao Deus da História louvamos, / que fez de ti, América, / acolhedora terra / de fé, amor e esperança, / de solo rico e fértil, / de povo solidário, / povo da Bíblia e de Cristo, / de imenso amor a Maria. 2 – Mas o perdão te pedimos, / terra de Deus, América: / mesmo seguindo o Cristo, / também o mal te fizemos; / desde o começo ao índio, / depois ao negro escravo, / sem contar tantas guerras, / tanta opressão e injustiça. 3 – Hoje, diante da História, / um compromisso temos: de renovar tua gente, / pelo vigor do Evangelho, / força

libertadora, / que faz o mundo justo, / mundo de irmãos em partilha, / mundo de irmãos sempre em festa.

as terras, matam os índios, / nos deixam restos de nossa América Latina.

1184 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
1 – Povos d'América! Gente sofrida, / onde a esperança insiste em germinar. / Povos d'América! / Quanta alegria! São tantas raças, vozes a cantar. Negros e brancos, índios, mestiços, / de todos Deus é Pai. / Uma só fé, um só Salvador, / o mundo evangelizai. / “Vinde, vede e anunciai!” (2x) 2 – Povos d'América! Denunciai / rostos marcados pela opressão. / Povos d'América! Anunciai: / da cruz de Cristo, surge um mundo irmão. 3 – Povos d'América! Povos da terra! / Desfigurados na pobreza e dor. / Povos d'América! Nações do mundo! / Buscai no Cristo a força do amor. 4 – O’ Mãe d'América! De Guadalupe, / de Aparecida e tantos nomes mais. / Virgem Maria, Mãe destes povos, / eis vossos filhos a quem tanto amais.

1187 (Tom: D) D.R.
Irá chegar um novo dia, / um novo céu, / uma nova terra, / um novo mar. / E, neste dia, os oprimidos, / numa só voz, a liberdade irão cantar! 1 – Na nova terra, o negro não vai ter corrente, / e o nosso índio vai ser visto como gente. / Na nova terra, o negro, o índio e o mulato, / o branco e todos vão comer no mesmo prato. 2 – Na nova terra, a mulher terá direitos, / não sofrerá humilhações e preconceitos; / o seu trabalho todos vão valorizar, / das decisões ela irá participar.

1188 (Tom: D) D.R.
1 – O teu povo, Senhor, está sofrendo, / caminhando de um lado / para outro. / Uma vida mais justa está querendo, / pois senão vai migrar / até estar morto. Animados pela fé / e bem certos da vitória, / vamos fincar nosso pé / e fazer a nossa história. / E fazer a nossa história, / animados pela fé. 2 – Desse jeito que a coisa / está andando, / o sistema escraviza e nos domina. / Ele é o mal / que está nos desviando / da verdade, / que Cristo hoje ensina. 3 – A estrutura da nossa sociedade / força o povo para a migração. / Os da roça vão para a cidade, / sempre em busca / da melhor situação. 4 – É verdade que nós, neste mundo, / somos sempre um povo a caminho. / E Deus nunca / se afasta um segundo, / acompanha e ajuda com carinho.

1185 (Tom: Cm) Letra e Música: Zé Vicente
1– Pelos caminhos da América, (3x) / Latino-América. Pelos caminhos da América, / há tanta dor, tanto pranto, / nuvens, mistérios e encantos / que envolvem nosso caminhar. / Há cruzes beirando a estrada, / pedras manchadas de sangue, / apontando, como setas, / que a liberdade é pra lá!. Pelos caminhos da América, / há monumentos sem rosto, / heróis pintados, mau gosto, / livros de história sem cor. / Caveiras de ditadores, / soldados tristes, calados, / com olhos esbugalhados, / vendo avançar o amor! Pelos caminhos da América, / há mães gritando qual loucas, / antes que fiquem tão roucas, / digam onde acharão / seus filhos mortos, levados / na noite da tirania, / mesmo que matem o dia, / elas jamais calarão! Pelos caminhos da América, / no centro do Continente, / marcham punhados de gente / com a vitória na mão. / Nos mandam sonhos, cantigas, / em nome da liberdade, / com o fuzil da verdade, / combatem firme o dragão! Pelos caminhos da América, / bandeiras de um novo tempo / vão semeando no vento / frases teimosas de Paz. / Lá, na mais alta montanha, / há um pau d'arco florido, / um guerrilheiro querido / que foi buscar o amanhã! Pelos caminhos da América, / há um índio tocando flauta, / recusando a velha pauta / que o sistema lhe impôs. / No violão, um menino, / e um negro toca tambores. / Há sobre a mesa umas flores / pra festa que vem depois!

2–

3–

1189 (Tom: G) Letra e Música: Zé Martins
1 – Liberdade, vem e canta, e saúda este novo sol que vem; / canta com alegria o escondido amor que no peito tens. Mira o céu azul, espaço aberto pra te acolher. (2x) Ê, ê, ê, ... 2 – Liberdade, vem e pisa, este firme chão de verde ramagem. / Canta louvando as flores que, ao bailar do vento, fazem sua mensagem./ Mira estas flores abraço aberto pra te acolher. (2x) Ê, ê, ê, ... 3 – Liberdade, vem e pousa nesta dura América, / triste e vendida. / Canta com o teu grito nossos filhos mortos / e a paz ferida. Mira este lugar, desejo aberto pra te acolher. (2x) Ê, ê, ê, ... 4 – Liberdade, liberdade, és o desejo que nos faz viver. / És o grande sentido de uma vida pronta para morrer. Mira o nosso chão banhado em sangue pra reviver. Mira a nossa América banhada em morte pra renascer. Ê, ê, ê, ...

4–

5–

6–

1186 (Tom: F) D.R.
Acorda, América, chegou a hora de levantar. / O sangue dos mártires fez a semente se espalhar! 1 – Nestes campos, nestas planícies, nestes vales e caatingas, / nestas raízes entrelaçadas / de etnias tão misturadas, / é assim, meu povo, a nossa América Latina. 2 – Meu irmão índio, meu irmão afro, / meus latinos companheiros, / nós somos vítimas das dependências / de um império estrangeiro. / É assim, meu povo, a nossa América Latina. 3 – Eu me pergunto e a nós todos: / até que dia nós agüentamos / essa violência tão assassina? / Nos tomam

1190 (Tom: Dm) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Venham todos, cantemos um canto que nasce da terra, / canto novo de paz e esperança em tempos de guerra. / Nesse instante há inocentes tombando nas mãos de tiranos. / Tomar terra, ter lucro, matando, são esses seus planos. Eis o tempo de graça! / Eis o dia da libertação! / De cabeças erguidas, / de braços unidos, irmãos! / Haveremos de ver qualquer dia / chegando a vitória: /

O povo nas ruas, / fazendo a história, crianças sorrindo em toda nação. (bis) 2 – Lavradores: Raimundo, José, Margarida, Nativo... / Assumir sua luta e seu sonho por nós é preciso! / Nós havemos de honrar todo aquele que caiu lutando / contra os muros da morte jamais recuando! 3 – Companheiros, no chão desta Pátria é grande a peleja! / No altar da igreja o seu sangue, bem vivo, lateja! / Sobre as mesas de cada família há frutos marcados / e há flores vermelhas, gritando por sobre os roçados! 4 – O’ Senhor, Deus da vida, escuta esse nosso cantar, / pois contigo o povo oprimido há de sempre contar! / Para além da injúria e da morte conduz nossa gente! / Que o teu Reino triunfe na terra deste continente!

3 – É tempo de rever a caminhada, / assumida ao longo do caminho, / são muitos anos de história / em que as CEBs apareceram / e a missão que tem agora / a Igreja de Vitória.

1194 (Tom: F) D.R.
1 – Povo que luta, cansado da mentira, / cansado de sofrer, cansado de esperar; / povo que luta, cansado de esperar, / procura redenção. Porque Ele é luz, verdade, / justiça, bem, perdão, / paz, esperança, amor e redenção. (bis) 2 – Povo que luta por terra onde há fartura, / por paz sem fingimento, por vida partilhada; / povo que luta por vida partilhada, / procura redenção. 3 – Povo que espera colheitas mais serenas, / verdades mais profundas, caminhos mais fraternos; / povo que espera caminhos mais fraternos, / proclama redenção.

1191 (Tom: Em) Letra e Música: Ernesto Barros Cardoso
1 – Deus chama a gente pra um momento novo: / de caminhar junto com o seu povo. / É hora de transformar o que não dá mais; / sozinho, isolado, ninguém é capaz. Por isso vem, / entra na roda com a gente também. / Você é muito importante. (bis) Vem! 2 – Não é possível crer que tudo é fácil. / Há muita força que produz a morte / gerando dor, tristeza e desolação. / É necessário unir o cordão. 3 – A força que hoje faz brotar a vida / atua em nós pela sua graça. / É Deus quem nos convida pra trabalhar, / o amor repartir e as forças juntar.

1195 (Tom: F) Letra: Pe. Leôncio Asfury / Música: Bacurau
1– Igreja é povo que se organiza, / gente oprimida buscando libertação / em Jesus Cristo, a Ressurreição. O operário lutando por seu direito / de reaver a direção do sindicato; / o pescador, vendo a morte do seu rio, / já se levanta contra esse desacato. O seringueiro com sua faca de seringa / se libertando das garras de seu patrão; / a lavadeira, mulher forte e destemida, / lava sujeira da injustiça e opressão. Posseiro unido que fica na sua terra / e desafia a força do invasor; / índio poeta que pega a sua viola / e canta a vida, a saudade e a dor. É gente humilde, é gente pobre, mas é forte / dizendo a Cristo: meu irmão, muito obrigado / pelo caminho que você nos indicou / pra ser um povo feliz e libertado.

2–

1192 (Tom: E) D.R.
1 – Nossa alegria é saber que, um dia, / todo esse povo se libertará, / pois Jesus Cristo é o Senhor do mundo, / nossa esperança realizará. (2x) 2 – Jesus manda libertar os pobres, / e ser cristão é ser libertador. / Nascemos livres pra crescer na vida, / não pra ser pobre, nem viver na dor. (2x) 3 – Vejo no mundo tanta coisa errada, / a gente pensa em desanimar. / Mas quem tem fé sempre está com Cristo, / tem esperança e força pra lutar. (2x) 4 – Não diga nunca que Deus é culpado / quando na vida o sofrimento vem. / Vamos lutar que o sofrimento passa, / pois Jesus Cristo já sofreu também. (2x) 5 – Libertação se encontra no trabalho, / mas há dois modos de se trabalhar: / há quem trabalha, escravo do dinheiro; / há quem procura o mundo melhorar. (2x) 6 – E, pouco a pouco, o tempo vai passando, / a gente espera a libertação. / Se a gente luta, ela vai chegando, / se a gente espera, ela não chega, não! (2x)

3–

4–

1196 (Tom: Am) D.R.
CEBs, povo unido, semente da nova sociedade. / CEBs é força e vida, é luta e caminhada. 1 – CEBs é caminho de libertação, / é o povo oprimido fazendo união. / Da cidade ao campo não faz distinção / da raça, nem cor ou religião. 2 – As bases despertam as organizações, / instrumento de luta de reivindicação. / Do Sindicalismo e associações / e dos movimentos sai conscientização. 3 – É o Povo de Deus em movimentação, / procurando sair desta opressão. / Das experiências faz reflexão: / Sociedade nova é a solução.

1193 (Tom: A) Letra e Música: Ir. Madalena Dias de Jesus
1 – Parece que não tem jeito a caminhada / com tantos sinais de morte no caminho, / mas a voz do Senhor está dizendo / que é preciso caminhar, que é preciso caminhar. / Ele mesmo é o Caminho. Já faz dois mil anos que aconteceu: / o Filho de Deus nasceu na cidade de Belém. / Ele veio ao mundo pra nos salvar, / Ele está neste lugar, / com o povo a caminhar. (bis) 2 – Vamos prosseguir a caminhada, / na luta pela justiça e pela vida, / com a nossa mão na mão de Deus, / celebrando o jubileu, / com Maria, a Mãe de Deus, / do Senhor da nossa história.

1197 (Tom: F) D.R.
1 – Sempre encontrando (3x) o nosso irmão. / Sempre encontrando (2x) o nosso irmão. Viva a nossa bela união (3x) / Sempre encontrando nosso irmão.

1198 (Tom: Eb) Letra e Música: Zé Vicente
Eu quero ver, eu quero ver acontecer / o sonho bom, sonho de muitos acontecer. (bis) 1 – Nascendo da noite escura / a manhã futura trazendo amor./ No vento da madrugada, / a paz tão sonhada, brotando em flor. / Nos braços da estrela guia, / a alegria chegando da dor.

2 – Na sombra verde e florida, / crianças em vida, brincando de irmão. / No rosto da juventude, sorriso e virtude, virando canção. / Alegre e feliz camponês, / entrando de vez na posse do chão. 3 – Um sorriso em cada rosto, / uma flor em cada mão. / A certeza na estrada, o amor no coração. / E uma semente nova, escondida, / em cada palmo deste chão. 4 – Sonho que se sonha só / pode ser pura ilusão. / Sonho que se sonha juntos, / é sinal de solução. / Então, vamos sonhar, companheiros, / sonhar ligeiro, / sonhar em mutirão.

1201 (Tom: E) Letra e Música: Márcio Pimentel
1 – Nosso trem vem animado, vem de longe. / Povo de Deus vem vindo nele celebrar! / São 2000 anos de memória e caminhada, / sonho e esperança: a Vitória conquistar! É memória, é caminhada: nossa história celebrar! / Nosso sonho e compromisso: comunidades sempre vivas a lutar! 2 – A nossa luta vem do tempo de Jesus. / Assumimos sua Cruz e também sua Vitória! / Nos empenhamos, guiados por sua luz,/ acabar com a injustiça, recriar a nossa história. 3 – Servir, esta é nossa bandeira: transformar a / terra inteira em justiça e comunhão! / De braços dados na ciranda da igualdade, / construir nova cidade, trabalhando em mutirão! 4 – Cantamos a Javé, Tupã, Olorum, / o nosso Deus, Pai e Mãe da Criação! / Bem unidos, índios, negros e mestiços, / no Seio Criador todos nós somos irmãos! 5 – Celebramos, no altar da Eucaristia, / nossa dor e alegria, a esperança de viver! / Nós sentamos ao redor da mesma mesa, / comungando a certeza do Reino acontecer!

1199 (Tom: A) Letra e Música: Zé Vicente
Somos gente nova vivendo a união, / somos povo, semente de nova nação, ei, ê. / Somos gente nova vivendo o amor, / somos comunidade, povo do Senhor, ei, ê! Vou convidar meus irmãos trabalhadores, / operários, lavradores, biscateiros e outros mais. / E, juntos, vamos celebrar a confiança, / nossa luta na esperança de ter terra, pão e paz, ei, ê! Vou convidar os índios que ainda existem, / as tribos que ainda insistem no direito de viver. / E, juntos, vamos, reunidos na memória, / celebrar uma vitória que vai ter de acontecer, ei, ê! Convido os negros, irmãos no sangue e na sina, / seu gingado nos ensina a dança da redenção. / De braços dados, no terreiro da irmandade, / vamos sambar de verdade enquanto chega a razão, ei, ê! Vou convidar Conceição e Ana Maria, / a mulher que, noite e dia, luta e faz nascer o amor. / E, reunidos no altar da liberdade, / vamos cantar a verdade, / vamos pisar sobre a dor, ei, ê! Vou convidar criançada e juventude, / tocadores me ajudem, / vamos cantar por aí. / O nosso canto vai encher todo o país, / velho vai dançar feliz, / quem chorou vai ter que rir, ei, ê! Desempregados, pescadores, desprezados / e os marginalizados, venham todos se ajuntar / à nossa marcha para a nova sociedade. / Quem nos ama de verdade pode vir, tem um lugar, ei, ê!

1–

2–

1202 (Tom: C) Letra e Música: João Bento de Souza
1 – Viver em comunidade exige sacrifício: / nosso tempo é tomado a serviço dos irmãos, / estar sempre em reunião, / procurando construir a justiça e a verdade, / que é dever de um bom cristão. Quem não vive pra servir também não serve pra viver. 2 – Viver em comunidade exige compreensão: / somos todos diferentes no pensar e no falar; / cada um tem o seu dom, / deve ser valorizado; / cada um tem seu talento e deve se multiplicar. 3 – Viver em comunidade exige decisão: / ter responsabilidade em tudo o que se faz / e levando bem a sério as palavras de Jesus, / corrigir nossos defeitos para viver na santa paz. 4 – Viver em comunidade exige doação: / fazer tudo por amor, não querer aparecer. / Jesus Cristo nos ensina no Evangelho uma lição: / quem quiser ser o maior, seja o menor dos irmãos.

3–

4–

5–

6–

1200 (Tom: F) Letra e Música: Pedro S. de Andrade
1 – Movimento que se tornou CEBs em nosso País pela primeira vez. / Um encontro que se falava da Igreja / que nasce pelo Espírito de Deus. (2x) Neste País da América Latina, / o trem das CEBs vai aparecer. / Em cada vagão que se une, / é sinal que as CEBs vão sempre crescer. (2x) 2 – Este mesmo povo sofrido que luta esperando a libertação / e coloca a caminho da vida na locomotiva o segundo vagão. (2x) 3 – No terceiro encontro se fala de uma vitória através da união / da “Igreja, povo oprimido que se organiza pra libertação”. (2x) 4 – As CEBs que crescem no campo e têm esperança, também, na cidade / de se tornar povo unido, semente de uma nova sociedade. (2x) 5 – O povo em Goiás refletia como ficava a Terra Prometida. / O povo em Caxias que busca a libertação de sua própria vida. (2x)

1203 (Tom: D) Letra e Música: João Bento de Souza
A nossa comunidade tem lugar pra muita gente, / e você junto com a gente tudo vai facilitar. / Nós estamos convidando, você vem nos ajudar. / Muita coisa vai mudar se você participar. Se você quer trabalhar na catequese: / pode vir que tem lugar. Se você quer trabalhar na liturgia: / pode vir que tem lugar. Se você quer trabalhar nas pastorais: / pode vir que tem lugar. Se você quer trabalhar em mutirão: / pode vir que tem lugar. Se você quer trabalhar com a juventude: / pode vir que tem lugar. Se você quer trabalhar com as crianças: / pode vir que tem lugar. Se você quer trabalhar com os excluídos: / pode vir que tem lugar.

1–

2–

3–

4–

Se você quer pôr em prática sua fé: / pode vir que tem lugar.

1204 (Tom: G)Letra e Música: Simei Pereira do Amaral
Vamos fazer Igreja viva / CEBs em mutirão pra libertar nossa América Latina / da humilhante escravidão. (bis) 1 – Operários e lavradores, / tenham fé, coragem e ação. / Nesta luta venceremos / toda forma de opressão. / Nossas CEBs transformadoras / levam o povo humilde a vencer / os preconceitos e racismos / que fazem os homens matar e morrer. 2 – Deus eterno de Abraão / está presente na América Latina / pra ajudar nosso povo irmão, / que luta em defesa da paz e da vida. / Com justiça e trabalho, / vamos unir nossas forças e mãos / pra construir o Reino / do Cristo vivo -Libertação!

1205 (Tom: F) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Quando o dia da paz renascer, / quando o sol da esperança brilhar, / eu vou cantar! / Quando o povo nas ruas sorrir / e a roseira de novo florir, / eu vou cantar! / Quando as cercas caírem no chão, / quando as mesas se encherem de pão, / eu vou cantar! / Quando os muros que cercam os jardins, / destruídos, então os jasmins / vão perfumar! Vai ser tão bonito se ouvir a canção, / cantada de novo. / No olhar da gente a certeza de irmãos: / reinado do povo! (bis) 2 – Quando as armas da destruição, / destruídas em cada nação, / eu vou sonhar! / E o decreto que encerra a opressão, / assinado, só no coração / vai triunfar! / Quando a voz da verdade se ouvir / e a mentira não mais existir, / será, enfim, / tempo novo de eterna justiça, / sem mais ódio, sem sangue ou cobiça; / vai ser assim!

brasileiro: / de cada roceiro plantar sua área, / sei que na miséria ninguém viveria, / e a produção já aumentaria / quinhentos por cento até na pecuária. 2 – Esta grande crise que, há pouco, surgiu, / maltrata o caboclo feliz em seu brio. / Dentro de um país rico e altaneiro, / morrem brasileiros de fome e de frio. / Em nossas manchetes de ricos imóveis, / milhões de automóveis já se produziu. / Enquanto o coitado do pobre operário, / vivendo apertado, ganhando um salário / que sobe depois que tudo subiu. 3 – Nosso lavrador que vive do chão, / só tem a metade de sua produção / porque a semente que ele semeia / tem de ser a meia com o seu patrão. / Os nossos roceiros vivem num dilema, / e o seu problema não tem solução / porque o ricaço que vive folgado, / acha que o projeto, se for assinado, / estará ferindo a Constituição. 4 – A grande esperança que o povo conduz, / pedindo a Jesus pela oração, / pra guiar o pobre por onde ele trilha, / e à sua família não faltar o pão. / Que ele não deixe o capitalismo / levar ao abismo a nossa nação. / A desigualdade que existe é tamanha: / enquanto o ricaço não sabe o que ganha, / o pobre do pobre vive de tostão.

1208 (Tom: Am) Letra e Música: Pe. Joãozinho
A terra Deus deixou, Deus deixou, pra gente trabalhar, trabalhar, / agindo neste chão, pra não faltar o pão na mesa de ninguém. / A terra Deus deixou, Deus deixou, pra gente habitar, habitar, plantar e produzir, colher e repartir, e ao Pai erguer as mãos. 1 – E ao Pai erguer as mãos, / pra agradecer: trabalho, chuva e pão, / e bendizer! Rogar do seu amor: / acrescentar justiça, entre nós, / saúde e paz. 2 – E ao Pai erguer as mãos / para alertar: há gente aos milhões, sem pão, sem lar. / Rogar do seu amor: / a união pra gente restaurar / a criação.

1206 (Tom: A) Letra e Música: Toinha (Beberibe)
1 – Eu quero, quero, quero ouvir a voz do povo, / eu quero ver todo o povo acordar / e descobrir dentro da realidade / que a semente da verdade está querendo germinar. (2x) 2 – Eu quero, quero, quero ouvir a voz do povo, / eu quero ver todo o povo como irmão; / eu quero ver todo o povo caminhando, / libertando-se do medo e de toda opressão. (2x) 3 – Eu quero, quero, quero ouvir a voz do povo, / todo povo tem boca pra falar. / Ainda tem gente que aí se faz de mudo / e calado lá, no canto, não se mexe do lugar. (2x) 4 – Eu quero, quero, quero ouvir a voz do povo, / o povo já não é mais caranguejo. / Eu quero ver todo povo consciente, / descobrindo que é gente caminhando para frente. (2x) 5 – Eu quero, quero, quero ouvir a voz do povo, / eu quero ver todo o povo em união. / Consciência não se ganha sem esforço, / é preciso abrir os olhos pra enxergar a situação. (2x)

1209 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Jocy Rodrigues
1– Povo de Deus, / abre o coração! / És povo santo, chamado a ser livre / e à libertação! Deus quer todo o mundo / alegre, feliz, bem nutrido, / gozando saúde. / Preciso estudar, / mas a vida é dura, / ainda não pude. O povo tudo se unindo, / formando esta Igreja, / logo vai crescer. / É grande a labuta, / Jesus ‘stá conosco, / nós vamos vencer. Nós aprendemos, o’ Cristo, / que és o Messias, / o Libertador. / Tu és nosso Mestre, / contigo se aprende / a viver com amor. Nós somos filhos de Deus / e nossos filhinhos / são gente de bem. / Nós vamos lutar / pra ser bem melhor / o mundo que vem.

2–

3–

4–

1210 (Tom: C) Letra e Música: Zé Martins
Eu sou teu povo sou, / em romaria vou cantar o amor, / vencer toda dor, eu sei que vou. (bis) 1 – Essa é a romaria da esperança /convidando todos que quiserem vir / pôr os pés nessa estrada sem bonança, / caminhando e aprendendo a repartir. 2 – Nosso Deus nos convida a caminhar, / Deus dos pobres, Jesus, o Libertador. / Nessa marcha todo irmão tem seu lugar; / é o caminho da esperança e do amor.

1207 (Tom: F) Letra: Goiá / Música: Francisco Lázaro
1 – A classe roceira e a classe operária, / ansiosa, espera a reforma agrária, / sabendo que ela dará solução / para a situação, que está precária. / Saindo projetos do chão

3 – Meus irmãos e irmãs, vamos cantar / canto novo de alegria e de louvor. / Com Maria, companheira no estradar; / a Javé, que é liberdade e amor. 4 – Bendita e louvada seja a romaria / que caminha para a terra prometida. / Vence a morte, tantos males noite e dia / e replanta nesse chão a nova vida.

5 – Os jovens são teus! Dá-lhes força e ternura! / Sustenta teu povo na luta tão dura! / E juntos andemos, em fraternidade, / sejamos irmãos, não importa a idade! 6 – Se somos felizes no amor repartido, / daremos apoio ao mais pobre e sofrido; / nas lutas da vida, com Deus cantaremos, / aos outros unidos, com Deus venceremos!

1211 (Tom: E) D.R.
1– 2– 3– 4– 5– 6– 7– Vamos, minha gente, / vamos dar as mãos, / do nascente ao poente, / norte a sul, somos irmãos. (bis) Minha gente, fique atenta / no que vou apresentar: / A união de nosso povo / é que vai nos libertar. CEBs, gente fraca, / é o povo sofredor, / unidos em Jesus Cristo, / que é nosso Libertador. Em nossa força e nossa luta / nossa vida basear; / segurar nossos direitos / pra ninguém poder tomar. A união dos moradores / é a luta popular / para a todos garantir / o direito de morar. A direção do Sindicato / tem que estar na nossa mão. / O pelego vai pra fora / que defende o tubarão. Lute, minha gente, / não confie no doutor, / quem defende nossa terra / é o próprio lavrador. CEBs é uma semente / que vem brotando da base; / é daí que vai nascer / a nova sociedade.

1214 (Tom: D) Letra e Música: Manoelão
Da terra tão seca já brota uma flor, / afagando prantos e gritos de dor. / Correntes se quebram, as cercas tombando, / uma nova era da história brotando. Dentro da noite escura / da terra dura do povo meu / nasce uma luz radiante no peito errante já amanheceu. (bis) 1 – Mãos se entrelaçam na luta por pão, / repartindo a terra da libertação / regada com sangue, com prantos de dor. / Silêncios se quebram num grito de amor. 2 – Ninguém pára as águas que correm pro mar, / nem mata a semente de um novo raiar, / que brota do povo em corrente de união, / cultivando a terra da libertação.

1215 (Tom: Bm) Letra e Música: Geraldo Vandré
1 – Caminhando, e cantando, e seguindo a canção, / somos todos iguais, braços dados ou não; / nas escolas, nas ruas, campos, construções, / caminhando, e cantando, e seguindo a canção. Vem, vamos embora, que esperar não é saber. / Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. (bis) 2 – Pelos campos há fome em grandes plantações, / pelas ruas marchando indecisos cordões; / ainda fazem da flor seu mais forte refrão / e acreditam nas flores vencendo canhão. 3 – Há soldados armados, amados ou não, / quase todos perdidos de armas na mão; / nos quartéis lhes ensinam antigas lições / de morrer pela pátria e viver sem razão. 4 – Nas escolas, nas ruas, campos, construções, / somos todos soldados, armados ou não; / caminhando, e cantando, e seguindo a canção, / somos todos iguais, braços dados ou não. 5 – Os amores na mente, as flores no chão, / a certeza na frente, a História na mão; / caminhando, e cantando, e seguindo a canção, / aprendendo e ensinando uma nova lição.

1212 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Dizem que este país é feliz, / porque o povo ainda canta nas ruas. / Dizem que nossa nação não vai mal / porque o povo ainda faz carnaval. / Eu queria somente lembrar / que milhões de crianças sem lar / não partilham da mesma visão: / Há tristeza no seu coração. Menores abandonados, / alguém os abandonou; / pequenos e mal amados, / o progresso não os adotou. 2 – Pelas esquinas e praças, / estão desleixados e até maltrapilhos, / Frutos espúrios da nossa nação; / são rebentos, porém não são filhos, / e eu queria somente lembrar / que milhões de crianças sem lar / compartilham do mesmo sofrer: / Já não sabem a quem recorrer. 3 – Vivem à margem da nossa nação, / assaltando e ferindo quem passa. / Tentam gritar do seu jeito infeliz / que o país os deixou na desgraça. / E eu queria somente lembrar / que milhões de crianças sem lar / são os frutos do mal que floriu / num país que jamais repartiu.

1213 (Tom: Em) Letra: Elda Secchi / Música: Antonio Colaço
1 – Queremos ser jovens, libertos, doados, / na causa da vida e do amor empenhados, / abertos, conscientes, bem esclarecidos, / juntar nossas mãos, caminhar mais unidos. Os jovens, teus irmãos, Jesus Senhor, têm fome de justiça e de amor! / Sustenta sua luta, seu vigor. / Na força do teu Pão libertador! 2 – Em nossa família, na comunidade, / queremos ser luz para a sociedade / formando Igreja, formando teu povo / na fraternidade, na busca do novo. 3 – Estamos dispostos – que Deus nos ajude – / a abrirmos espaço para a juventude. / Que jovem algum seja, pois, excluído / de participar, de também ser ouvido! 4 – Nas leis da Nação, no trabalho e estudo, / comunicação, arte esporte... em tudo, / que, sem leviandades, engano ou violência, / respeite-se o jovem e sua consciência.

1216 (Tom: Eb) Letra e Música: Renato Teixeira
1 – É de sonho e de pó o destino de um só / feito eu perdido em pensamentos / sobre o meu cavalo. / É de laço e de nó, / de gibeira o jiló / dessa vida cumprida a sol. Sou caipira, Pirapora, Nossa / Senhora de Aparecida, / ilumina a mina escura e funda / o trem da minha vida. (bis) 2 – O meu pai foi peão, / minha mãe, solidão, / meus irmãos perderam-se na vida / à custa de aventuras. / Descasei, joguei, investi, desisti; / se há sorte, eu não sei, nunca vi. 3 – Me disseram, porém, / que eu viesse aqui / pra pedir de romaria e prece / paz nos desalentos. / Como eu não sei rezar, / só queria mostrar / meu olhar, meu olhar, meu olhar.

1217 (Tom: C) D.R.
1 – Os devotos do Divino / vão abrir sua morada / pra a bandeira do Menino / ser bem-vinda, ser louvada, ai, ai. 2 – Deus vos salve esse devoto / pela esmola em vosso nome, / dando água a quem tem sede, / dando pão a quem tem fome, ai, ai. 3 – A bandeira acredita / que a semente seja tanta, / que essa mesa seja farta, / que esta casa seja santa, ai, ai. 4 – Que o perdão seja sagrado, / que a fé seja infinita, / que o homem seja livre, / que a justiça sobreviva, ai, ai. 5 – Assim como os três Reis Magos, / que seguiram a estrela guia, / a bandeira segue em frente, / atrás de melhores dias, ai, ai. 6 – No estandarte vai escrito / que ele voltará de novo / e o Rei será bendito, / Ele nascerá do povo, ai, ai.

7 – Nossa festa toma conta da cidade e do sertão. / A força nova da vida brota em cada coração. (2x) 8 – No corpo trazemos as marcas, do sofrimento e da dor. / Na alma trazemos a força de Cristo, Nosso Senhor. (2x) 9 – De ladrões e preguiçosos, somos sempre acusados. / Da riqueza que criamos, não somos recompensados. (2x)

1220 (Tom: C) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Bendita e louvada seja esta santa romaria! / Bendito o povo que marcha, / bendito o povo que marcha tendo o Cristo como guia. (2x) Sou, / sou teu, Senhor. / Sou povo novo, retirante, lutador! / Deus dos peregrinos, / dos pequeninos, Jesus Cristo redentor. 2 – No Egito, antigamente, / do meio da escravidão, / Deus libertou o seu povo; / hoje Ele passa de novo / gritando a libertação! (2x) 3 – Para a terra prometida / o povo de Deus marchou: / Moisés andava na frente; / hoje Moisés é a gente / quando enfrenta o opressor. (2x) 4 – Quem é fraco Deus dá força, / quem tem medo sofre mais, / quem se une ao companheiro / vence todo cativeiro, / é feliz e tem a paz. (2x) 5 – Caminheiro, na estrada, / muita cerca prende o chão, / todo arame e porteira / merecem corte e fogueira, / são frutos da maldição. (2x) 6 – Mãos ao alto, voz unida, / nosso canto se ouvirá / nos caminhos do sertão, / clamando por terra e pão, / ninguém mais nos calará. (2x)

1218 (Tom: E) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Irmãos, esta é a mãe terra, / nosso Deus assim deixou. Hoje somos peregrinos / pelos caminhos que Cristo andou. (2x) Meu povo é um povo romeiro / desde os tempos de Abraão. Vamos nesta marcha santa / esta terra é tanta em tão poucas mãos! (2x) Salve, salve, a caminhada! / Salve, salve, a romaria! / Em busca da nova aurora, / de um novo dia! (bis) 2 – Em nome de tantos povos / que habitaram este imenso chão. Dos índios tão massacrados, / clamor sagrado de conversão! (2x) Ninguém é dono da terra, / pois a terra é mais que mãe. Disse o mestre, disse o rio / não quebre esse fio de inspiração! (2x) 3 – Bendita escrava Anastácia! / Salve, o negro rei Zumbi! Das terras da liberdade / novos quilombos façam surgir! (2x) Quem vem nesta romaria / da promessa é seguidor. Será sempre abençoado / e acompanhado na luz do amor. (2x) 4 – Bendita seja esta marcha / dos romeiros da esperança. Quem tem Deus na companhia / luta noite e dia, mas não se cansa. (2x) Bendita a história sagrada / do beato Conselheiro! Salve, a luta dos sem-terra / e dos sem-teto no mundo inteiro! (2x)

1221 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Por causa da tua palavra, / por causa da libertação, / por causa de um pouco de terra, / por uma fatia de pão, Mataram mais um irmão: (4x) / Mas ele ressuscitará, / ressuscitará, ressuscitará! / O povo não esquecerá, não esquecerá, não esquecerá! 2 – Por causa do teu Evangelho, / por causa da nossa nação, / por causa da nossa esperança, / por causa da religião, 3 – Por causa de um mundo mais justo, / por causa de tanta opressão, / por causa das coisas que disse, / por ter defendido os irmãos,

1222 (Tom: F) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Nas horas de Deus, amém! / Pai, Filho, Espírito Santo, (2x) Luz de Deus em todo canto / Nas horas de Deus, amém! (2x) 2 – Nas horas de Deus, amém! / Que o bem nos favoreça, (2x) Que o mal não aconteça / Nas horas de Deus, amém! (2x) 3 – Nas horas de Deus, amém! / Que o coração do meu povo (2x) De amor se torne novo / Nas horas de Deus, amém! (2x) 4 – Nas horas de Deus, amém! / Que a colheita seja boa, (2x) Que ninguém mais vague à toa / Nas horas de Deus, amém! (2x) 5 – Nas horas de Deus, amém! / Deus abençoe os artistas, (2x) As crianças e as catequistas. / Nas horas de Deus, amém! (2x)

1219 (Tom: C) Letra e Música: Zé Vicente
1 – Bendita seja esta marcha dos pobres, dos sofredores / romeiros de São Francisco, de Jesus os seguidores. (2x) Já chegou a hora, / tempo de alegria, / festa dos pequenos, nesta grande romaria. (bis) 2 – Das favelas e dos becos, do abandono nós chegamos. / E a ti, nosso Deus clemente, reunidos nós clamamos. (2x) 3 – Da terra somos expulsos pela força da ambição. / Vem, Senhor, fazer justiça aos pobres desta nação. (2x) 4 – Nas cadeias torturados, nos tribunais sem defesa, / Deus da vida e liberdade, vem salvar nossa pobreza. (2x) 5 – Menores, negros, mulheres, deficientes e pisados, / reunidos na irmandade, nós seremos libertados. (2x) 6 – Com Jesus, servo bendito, com Maria, Mãe das Dores; / com os mártires, nosso santos, seremos libertadores. (2x)

1223 (Tom: A) Letra e Música: Frei Luiz Turra

“Eis que venho, o’ Pai, / para fazer vossa vontade”. (bis) 1 – Bem confiante esperei no Senhor, / pois Ele escutou e atendeu o meu brado. / Sacrifício nenhum satisfaz, / mas vossa vontade quereis que se faça. 2 – Não fechei os meus lábios, Senhor, / jamais deixarei de anunciar a justiça. / Proclamei sem cessar vosso amor, / também proclamei vossa fidelidade. 3 – Sou tão fraco e tão pobre, Senhor, / que venha de Vós proteção e auxílio.

1 – É bastante pra mim a tua graça, receber a salvação e o perdão. / É maravilhoso saber que para sempre com Jesus vou viver. / É bastante pra mim a tua graça. 2 – A tua graça / é maior que a vida. (2x) / Meus lábios te louvam, / e eu a ti bendirei, / e em teu nome as minhas mãos levantarei. 3 – As minhas mãos / eu levantarei. (2x) / Meus lábios te louvam / e eu a ti bendirei, / e em teu nome as minhas mãos levantarei.

1224 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Alô, meu Deus, fazia tanto tempo que eu não mais te procurava. / Alô, meu Deus, senti saudades tuas e acabei voltando aqui. / Andei por mil caminhos e, como as andorinhas, / eu vim fazer meu ninho em tua casa e repousar. / Embora eu me afastasse e andasse desligado, / meu coração, cansado, resolveu voltar. Eu não me acostumei, nas terras onde andei. (bis) 2 – Alô, meu Deus, fazia tanto tempo que eu não mais te procurava. / Alô, meu Deus, senti saudades tuas e acabei voltando aqui. / Gastei a minha herança, comprando só matéria, / restou-me a esperança de outra vez te encontrar. / Voltei arrependido, de coração ferido, e volto convencido que este é meu lugar.

1228 (Tom: A) Letra e Música: Salette
Com Jesus tudo pode ser mudado pela força da oração! (bis) 1 – Tenha fé, acredite no poder de Deus, meu irmão! (bis) 2 – Creia sim, como Maria, que no poder de Deus confiou! (bis) 3 – Ele vive, Ele reina, Ele é Deus, nosso Senhor! (bis)

1229 (Tom: A) Letra e Música: Martin Valverde
1 – Tenho esperado este momento, / tenho esperado que viesses a mim. / Tenho esperado que me fales, / tenho esperado que estivesses assim. / Eu sei bem o que tens vivido, / sei também que tens chorado. / Eu sei bem que tens sofrido, / pois permaneço ao teu lado. Ninguém te ama como eu, (2x) / Olhe pra cruz esta é a minha grande prova. / Ninguém te ama como eu. Ninguém te ama como eu. (2x) / Olhe pra cruz, foi por ti, porque te amo, / ninguém te ama como eu. 2 – Eu sei bem o que me dizes / ainda que nunca me fales. / Eu sei bem o que tens sentido / ainda que nunca me reveles. / Tenho andado a teu lado, / junto a ti permanecido. / Eu te levo em meus braços, / pois sou teu melhor amigo.

1225 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
Obras do Senhor, bendizei o Senhor! / Filhos do Senhor, bendizei o Senhor! / Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! / Céus do meu Senhor, bendizei o Senhor! / Anjos do Senhor, bendizei o Senhor! / Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! 1 – Estrelas e planetas, bendizei o Senhor! / Mundos e universos, bendizei o Senhor! / Dias e noites, trevas e luzes, / corpos siderais, bendizei o Senhor! / Águas lá do céu, bendizei o Senhor! / Fontes e nascentes, bendizei o Senhor! / Rios e lagos, mares e oceanos, / chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor! 2 – Vento e ventania, bendizei o Senhor! / Neves luzidias, bendizei o Senhor! / Vales e colinas, desertos e campinas, / praias e montanhas bendizei o Senhor! / Frutos do alto mar, bendizei o Senhor! / Frutos do pomar, bendizei o Senhor! / Aves do céu, aves do chão, / feras e rebanhos, bendizei o Senhor! 3 – Filhos de Israel, bendizei o Senhor! / Servos de Jesus, bendizei o Senhor! / Filhos da paz, / vós que buscais / religiões do mundo, bendizei o Senhor!

1230 (Tom: G) D.R.
1 – Deus enviou seu Filho amado para morrer no meu lugar. / Na cruz pagou por meus pecados, mas o sepulcro vazio está, porque Ele vive. Porque Ele vive, eu posso crer no amanhã. / Porque Ele vive, temor não há! / Mas eu bem sei que o meu futuro / está nas mãos do meu Jesus, que vivo está. 2 – Um dia eu vou cruzar os rios e verei, então, um céu de luz. / E verei que lá, em plena glória, vitorioso, vive e reina o meu Jesus.

1231 (Tom: A) Letra e Música: Roseli Duque
Quando contemplo a tua face, tua voz envolve o meu ser. Eu só sei dizer que te quero mais que tudo nesta vida. Mais que o ar que eu respiro, eu preciso de você. / Mais que a terra precisa da chuva, eu preciso de você. / Como a abelha precisa da flor, eu preciso de você. / Como o rio que corre para o mar, meu destino é você. E eu só sei dizer que te quero mais que tudo nesta vida. Mais que o ar... Meu Senhor, meu amigo.

1226 (Tom: D) Letra e Música: Daniel Poli
1 – Eu creio nas promessas de Deus. (2x) Eu creio nas promessas do meu Senhor. Se sou fiel no pouco, / Ele me confiará mais. / Se sou fiel no pouco, meus passos guiará. 2 – Eu creio na misericórdia de Deus. (2x) Eu creio na misericórdia do meu Senhor. 3 – Eu creio no amor de Deus. (2x) Eu creio no amor do meu Senhor. 4 – Eu creio no poder de Deus. (2x) Eu creio no poder do meu Senhor.

1232 (Tom: D) Letra e Música: Sueli de Faria Teixeira

1227 (Tom: A) D.R.

1 – Vamos, Jesus, passear na minha vida. / Quero voltar aos lugares em que fiquei só. / Quero voltar lá contigo, vendo que estavas comigo, / quero sentir teu amor a me embalar. Cura, Senhor, onde dói. / Cura, Senhor, bem aqui. / Cura, Senhor, onde eu não posso ir. (bis) 2 – Quando a lembrança me faz adormecer, / sabes que a espada de dor entra em meu ser. / Tu me carregas nos braços, leva-me com teu abraço, / sinto minha alma a chorar junto de ti. 3 – Tantas lembranças eu quero esquecer, deixam um vazio / em minha alma e em meu viver. / Toma, Senhor, meu espaço, te entrego todo cansaço, / quero acordar com tua paz a me aquecer.

1– 2– 3– 4– 5–

Toca, Senhor, toca, Senhor, / com teu amor, com teu amor. Tira todo medo, angústia e aflição. / Toca nesta alma e cura o coração. Cura da doença que faz o irmão sofrer, / toca neste corpo, Jesus com teu poder. Tira toda mágoa que faz alguém chorar, / tira todo ódio, ensina a perdoar. Cura do pecado e lava com perdão, / faz das nossas pedras um novo coração. Toca nossos lábios e o nosso interior. / Vamos te louvar, Jesus, com muito amor.

1233 (Tom: D) Letra e Música: Roseli Duque
1 – Ele veio e ensinou que o amor conduz a unidade / e que, repartindo o pão, a paz se faz realidade; / que é preciso muito mais que um poema e um refrão: / É preciso que o homem abra o seu coração. A paz que é tão sonhada, / cantada em canções tão lindas, / só chegará até nós / quando ouvirmos a voz do Senhor. 2 – Há milhares de menores desprezados por aí, / e há crianças inocentes que não têm pra onde ir. / - Eu estou presente neles, é a mim que rejeitais. / Se me negais vosso amor, como quereis ter a paz? 3 – Se hoje fabricais bombas, muitas armas e canhões, / tanto mais duros e frios serão vossos corações. / Mas é tempo de mudança, de voltar para o Senhor e / de se cantar com a vida que mais forte é o amor.

1238 (Tom: D) Letra e Música: José Mauro A. Cardoso
Liberta-me, Senhor Jesus, / cura-me de todo o mal. (bis) 1 – Jesus Cristo é o mar da vida, / Jesus Cristo é o mar de amor. / Jesus Cristo vive e salva, / Jesus é Libertador. 2 – Jesus Cristo é a natureza / suave como um beija-flor. / Quem o procura, com certeza, / terá paz e muito amor.

1239 (Tom: G) Letra e Música: Reginaldo de Koven
1 – O’ Deus, aqui viemos te adorar, / trazendo humildemente o nosso amor / para as esperanças renovar, / como renova o sol, as flores! Na primavera vêm as rosas / sagradas, puras, perfumosas. Tu, Deus, que fazes estas rosas, / sagrado faze o nosso amor. 2 – O’ Deus, Senhor, protege nossa união, / és símbolo eternal de puro amor. / Tu, fonte de alegria e devoção, / livra estas vidas de temores! No outono vêm os lindos lírios,/ a flor perfeita dos idílios. Tu, Deus, que aperfeiçoaste os lírios, / perfeito faze o nosso amor.

1234 (Tom: G) D.R.
1 – Estás assentado no trono, sempre reinando, Soberano! / Anjos cantando, homens louvando, Deus reunido com seu povo! / Oh! o’ Alfa! Omega! Cristo Filho! / Oh, oh, vem, (3x) Senhor Jesus! (2x) 2 – Ansioso espero a tua volta: O grande dia em que tu virás. / Então, subiremos, contigo estaremos pra todo o sempre, aleluia! / Maranatha, Cristo, Filho, Mestre. / Oh, oh, vem, (3x) Senhor Jesus! (2x)

1240 (Tom: Dm) Letra e Música: Jacira Helena B. Corneau
1 – Senhor, eu clamo a Vós: / ouve, Senhor, minha oração. / Estou tão humilhado, / mas em ti encontro / de meus pecados o perdão; / por isso eu ponho em ti / minha esperança, o’ Senhor! / Tenho a alma sedenta, / sedenta de paz e luz, / que encontro só em ti, o’ meu Jesus! Ajoelhado em teu altar, / contemplo tua face, o’ Senhor! / Que poderei te ofertar / por essa imensa prova de amor? 2 – Olhei tua face triste, / resplandecente de tanta luz. / Por causa do pecado e da descrença, / o homem te levou à cruz. / Teu corpo imolado é para mim a redenção, / farol forte iluminando / e das trevas libertando. / Não existe amor maior que o de Jesus!

1235 (Tom: D) D.R.
Renova-me, Senhor Jesus, já não quero ser igual. Renova-me, Senhor Jesus, põe em mim seu coração. 1 – Porque tudo que há dentro de mim precisa ser mudado, Senhor! Porque tudo que há dentro do meu coração precisa mais de ti.

1236 (Tom: C) D.R.
És precioso para mim, Senhor, és grandioso, o’ meu Deus! / Tua bondade é sem fim. / Oh, sim, és tudo para mim. / Ainda que os montes se levantem e se transportem para o mar, / creio em ti, o’ meu Senhor, e sei: jamais falharás. Sei que em breve voltarás / como o nascer do sol / para tudo renovar, / bem sei, minha vida assim. / Sentido terá... Sentido terá... / És o Deus de Israel.

1241 (Tom: A) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
Eu tenho um Pai no céu! (2x) / Jesus veio me revelar. (bis) E agora filho sou: / no amor eu vou / a vida inteira transformar. (bis) 1 – A prova disso tudo está em meu coração: / – O Espírito que veio de Jesus, o irmão, / não cessa de clamar / com toda a emoção: / – “Aba! Pai! Aba! Pai!” (2x)

1237 (Tom: D) Letra e Música: Pe. Joãozinho

2 – Já estava tudo escrito desde a criação: / viria por Jesus o tempo de adoção. / E a Graça do Senhor / me faz dizer no amor: / – “Aba! Pai! Aba! Pai!” (2x) 3 – Não tenho mais temor! Livrei-me da aflição! / Não vive em mim o Espírito de escravidão! / Eu canto, por Jesus, / o que herdei da Cruz: / – “Aba! Pai! Aba! Pai!” (2x) 4 – A quem o receber e no seu nome crer, / o Verbo traz a luz, o Verbo dá o poder. / De em filho se mudar / e logo proclamar: / – “Aba! Pai! Aba! Pai!” (2x)

1242 (Tom: F) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
Abre agora o coração, / estende a tua mão! / Há um irmão / para amar! / Sim! Chegou a tua vez! / O Amor foi quem te fez / e te quer renovar. 1 – De que vale viver / se não posso encher / a metade vazia / do teu coração? / Repartir tua cruz, / te falar de Jesus, / nossa alegre esperança, / verdadeiro irmão! 2 – De que vale a manhã / se uma alma irmã / não cruzar meu caminho / como a luz do sol? / E, se alguém não passar, / para quem vou cantar / feito um passarinho, / como um rouxinol?

Oh! Vem, Senhor, fica comigo! / Quero amar-te por toda vida, / quero conhecer-te cada vez mais / e ter-te sempre em meu coração. 2 – Quero levar-te aos meus amigos / mostrar teu amor aos inimigos. / Quero ser presença para meus irmãos / ser firme na fé e também na oração. 2 – Abraça-me, Senhor, Jesus amigo, / ilumina o meu ser com tua luz. / Guia-me sempre na retidão, / dá discernimento ao meu coração. Oh! Vem, Senhor, fica comigo! / Quero amar-te por toda vida, / quero conhecer-te cada vez mais / e ter-te sempre em meu coração. Oh! Vem, Senhor, fica comigo, Senhor!

1247 (Tom: C) Letra e Música: Irene Gomes
Fica sempre um pouco de perfume / nas mãos que oferecem rosas, / nas mãos que sabem ser generosas. (bis) 1 – Dar do pouco que se tem / ao que tem menos ainda, / enriquece o doador, / faz sua alma ainda mais linda. 2 – Dar ao próximo alegria / parece coisa tão singela, / aos olhos de Deus, porém, / é das artes, a mais bela.

1243 (Tom: E) Letra e Música: Frei Kiko
O Senhor mexe e remexe o profundo do meu ser. / Jesus me transforma por dentro e por fora, o Senhor me faz crescer. (2x) 1 – Beleza infinita verdade, com Ele eu quero ficar. / Com Ele eu serei mais feliz, eu serei fiel ao que Ele falar. (2x) 2 – Um dia Ele disse com amor Palavra que nos faz viver / “Deixe que eu esteja presente em você, sem mim nada se pode fazer”. (2x)

1248 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Um certo dia, à beira-mar, / apareceu um jovem Galileu. / Ninguém podia imaginar / que alguém pudesse amar / do jeito que Ele amava. / Seu jeito simples de conversar / tocava o coração / de quem o escutava. E seu nome era Jesus de Nazaré, / sua fama se espalhou e todos vinham ver / o fenômeno do jovem pregador, / que tinha tanto amor. 2 – Naquelas praias, naquele mar, / naquele rio, em casa de Zaqueu. / Naquela estrada, naquele sol, / e o povo a escutar histórias tão bonitas. / Seu jeito amigo de se expressar / enchia o coração / de paz tão infinita. 3 – Em plena rua, naquele chão, / naquele poço e em casa de Simão. / Naquela relva, no entardecer, / o mundo viu nascer a paz de uma esperança. / Seu jeito puro de perdoar / fazia o coração / voltar a ser criança. 4 – Um certo dia, ao tribunal / alguém levou o jovem Galileu. / Ninguém sabia qual foi o mal / e o crime que Ele fez, / quais foram seus pecados. / Seu jeito honesto de denunciar / mexeu na posição / de alguns privilegiados. / E mataram a Jesus de Nazaré, / e no meio de ladrões puseram sua cruz. / Mas o mundo ‘inda tem medo de Jesus, / que tinha tanto amor.

1244 (Tom: E) Letra e Música: Grupo Mensagem 2000
1 – Hoje o mundo oferece caminhos demais. / Você chora, você ri, nem sempre é feliz, é feliz. / O mundo não te satisfaz, pois sua alma é grande demais, / só Deus pode enchê-la, pode enchê-la. Hoje, seus passos se perdem na estrada. / Nem sempre você tem chegada. / Entregue seu caminho a Deus. (3x) Lará, lará... 2 – Pois Ele quer transformar sua vida, / alegria e paz encontrarás, quando nEle se apoiar, se apoiar.

1245 (Tom: D) Letra e Música: Manoel Corrêa
Em Jesus nós confiamos. (2x) / Mas o colocamos em segundo plano. (bis) 1 – Ele está para chegar, devemos acreditar, / amando os irmãos, abrindo os corações. – Pra quê, pra quê? – Para o Senhor entrar. 2 – Jesus Cristo é o Senhor, é o nosso Protetor; / ao Pai agradecemos, foi Ele quem o enviou. – Pra que, pra quê? – Para ser nosso Salvador.

1249 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – O orvalho da manhã criança / Me fala do meu Deus. O cantar da brisa mansa / Me fala do meu Deus. / O pássaro que canta e trina / Me fala do meu Deus. / Minha vida uma canção me ensina, / A canção que eu fiz para meu Deus. / Ô, ô, ô... 2 – A dor do meu irmão que chora / Me fala do meu Deus. / A alegria que hoje eu vi lá fora / Me fala do meu Deus. / A esperança que aqui dentro vai, / Me fala do meu Deus. / E bem dentro de minha alma sai / A canção que eu fiz para meu Deus. Ô, ô, ô...

1246

(Tom: Eb) Letra:

Terezinha Maria D. Pozzati / Música:

Marciele D. Pozzati

1 – Estou aqui, Senhor, pra te louvar. / Estou aqui, Senhor, pra te adorar. / Tu és Amor, Tu és Caminho, / Tu és a Paz que eu preciso.

1250 (Tom: D) D.R.

Por que esperar amanhã? / Por que esperar amanhã? Escuta este canto, / enxuga este pranto! / Por que esperar amanhã? 1 – Escuta este canto / que nos traz o vento: / é um canto de sofrimento. / Alguém pede pão, alguém pede paz, / e tu o que lhe darás? 2 – Escuta este canto / de quem está sedento: / é um canto de sofrimento. / Alguém pede paz, alguém pede amor, / e tu o que lhe darás? 3 – Quem pode falar, / quem vai responder / ao que nos pede esta voz? / Cada um de nós tem sempre o que dar, / por isso não vai deixar! Deixar pra fazer amanhã? Deixar pra dizer amanhã? / Eu conto contigo, eu sou teu amigo! / Por que esperar amanhã?

1254 (Tom: E) D.R.
Eles queriam um grande rei, / que fosse forte e dominador / e por isso não creram nEle / e mataram o Salvador! Quantos surdos que escutaram, / quantos cegos que enxergaram, / quantos coxos que andaram! / Só eles não enxergaram. Quantas pessoas de má vida / se converteram e aceitaram. / No que viram e que ouviram, / só eles o rejeitaram. Quantos vinham lhe escutar / e escreviam pra não esquecer, / que falava brilhantemente / com a luz do amanhecer. Jesus Cristo aceita o homem / que se entrega inteiramente; / não aquele apegado ao mundo / que hora é frio, outra hora é quente. Os homens seguiam a lei / de Moisés e de Abraão; / só não creram que Jesus Cristo / veio nos trazer a salvação. Jesus Cristo é o Rei dos reis, / seu Mistério é muito profundo. / O seu Reino é lá do céu, / não é reino aqui do mundo.

1–

2–

3–

4–

1251 (Tom: Eb) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Um dia, uma criança me parou, / Olhou-me nos meus olhos a sorrir, / Caneta e papel na sua mão, / Tarefa escolar para cumprir. / E perguntou no meio de um sorriso: / O que é preciso para ser feliz? Amar como Jesus amou, / sonhar como Jesus sonhou, / pensar como Jesus pensou, / viver como Jesus viveu. / Sentir o que Jesus sentia, / sorrir como Jesus sorria, / e, ao chegar ao fim do dia, / eu sei que dormiria muito mais feliz. (2x) 2 – Ouvindo o que eu falei, ela me olhou /e disse que era lindo o que eu falei. / Pediu que eu repetisse, por favor, / que não falasse tudo de uma vez. / E perguntou de novo num sorriso: / O que é preciso para ser feliz? 3 – Depois que eu terminei de repetir, / seus olhos não saíram do papel. / Toquei no seu rostinho e, a sorrir, / pedi que, ao transmitir, fosse fiel. / E ela deu-me um beijo demorado / e, ao meu lado, foi dizendo assim: 5– 6–

1255 (Tom: D) D.R.
Vamos celebrar com júbilo / a festa do Rei Jesus. / Os homens: com glória. / As mulheres: Aleluia! / Vamos celebrar ao Rei! 1 – Vamos todos nos amar, / que sua glória vai brilhar / em cada face, em cada coração. / Esta é a festa do Rei Senhor Jesus! 2 – O perdão irá fluir. / O amor vai nos unir / em um só corpo, em um só coração. / Esta é a festa do Rei Senhor Jesus!

1252 (Tom: F) Letra e Música: Cireneu Kuhn
1– 2– 3– 4– Cristo vence, Cristo reina, Cristo, Cristo impera! Que Deus dê ao Santo Padre, pai universal, / paz, vida e salvação eterna. Ao nosso bispo e nosso pastor, / que Deus o ilumine para guiar seu povo santo. Venham a nós melhores dias! / Venha a paz e o Reino de Cristo! Venha seu Reino de justiça, paz e amor! / Reino da verdade, da graça e da vida!

1256 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. Joãozinho
Rei, Rei, Rei, Jesus é o Rei, Rei, Rei! (2x) / Jesus é o Senhor! 1 – Vem com poder para nos libertar, / sua palavra ensina a amar. / Eu grito pro mundo que Cristo Jesus é o Rei. 2 – E vem de novo para nos socorrer, / somos seu povo que espera e que crê. / Eu grito pro mundo que Cristo Jesus é o Rei. 3 – Vem todo dia de novo pra dar / um coração para quem quer amar. / Eu grito pro mundo que Cristo Jesus é o Rei.

1253 (Tom: D) Letra: Amélia Rodrigues / Música: Melodia de 1781
1 – Honra, glória, louvor sempiterno / a Jesus, a Jesus redentor. / Deus de Deus, luz de luz, Verbo eterno, / Cristo Rei, do universo Senhor. Jesus, Rei, Deus verdadeiro, / o teu Reino venha a nós! / Obedeça o mundo inteiro / ao poder de tua voz! 2 – Todo o orbe homenagem lhe renda! / Aos seus pés traga o mundo cristão. De almas livres a livre oferenda, / corações para o seu Coração. 3 – Também nós, brasileiros, queremos / de Jesus o Reino aclamar! / de noss’alma os afetos supremos / são por Ele, sua Lei, seu Altar! 4 – O estandarte de amor se desdobra! / Brilha aí o sinal do perdão! / Ele guia os valentes à obra / do divino e imortal coração!

1257 (Tom: Em) Letra e Música: Alfredo
O Senhor é Rei, o Senhor é meu Pastor e Rei. (bis) O Senhor está no céu, o Senhor está no mar, na extensão do infinito. (bis) Está no céu, está no mar, na extensão do infinito. (bis) Quando eu vacilar, eu não temerei, pois o Senhor está comigo. (bis) / Está no céu, está no mar, na extensão do infinito. (bis)

1258 (Tom: A) D.R.
Hosana, hosana ao Rei! (bis) 1 – Mantos e palmas espalhando vai / o povo alegre de Jerusalém. / Lá, bem ao longe, se começa a ver / o Filho de Deus que montado vem.

Enquanto mil vozes ressoam por aí. / Hosana ao que vem / em nome do Senhor. / Com um alento de grande exclamação, / prorrompem com voz triunfal: / Hosana... 2 – Como na estrada de Jerusalém, / um dia, também, poderemos cantar. / A Jesus Cristo, que virá outra vez, / para levar-nos ao eterno lar.

1259 (Tom: Eb) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Por causa de um certo Reino, / estradas eu caminhei, / buscando sem ter sossego / o Reino que eu vislumbrei. / Brilhava a estrela d'alva, / e eu, quase sem dormir, / buscando este certo Reino / e a lembrança dele a me perseguir. (2x) 2 – Por causa daquele Reino, / mil vezes eu me enganei, / tomando o caminho errado, / errando quando acertei. / Chegava o cair da tarde, / e eu, quase sem dormir, / buscando este certo Reino / e a lembrança dele a me perseguir. (2x) 3 – Um filho de carpinteiro, / que veio de Nazaré, / mostrouse tão verdadeiro, / pôs vida na minha fé. / Falava de um novo Reino / de flores e de pardais, / de gente arrastando a rede / que eu tive sede da sua paz. (2x) 4 – O Filho de carpinteiro / falava de um mundo irmão, / de um Pai que era companheiro / de amor e libertação. / Lançou-me um olhar profundo / gelando meu coração, / depois me falou do mundo / e me deu o selo da vocação. (2x) 5 – Agora, quem me conhece / pergunta se eu encontrei / o Reino que eu procurava, / se é tudo que eu desejei. / E eu digo, pensando nele, / no meio de vós está / o Reino que andais buscando / e quem tem amor compreenderá. (2x) 6 – Jesus me ensinou de novo / as coisas que eu aprendi, / por isso eu amei meu povo / e o livro da vida eu li. / E em cada menina moça, / em cada moço e rapaz, / eu sonho que a minha gente / será semente da eterna paz. (2x)

2 – Creio, pois, na divina Trindade: / Pai e Filho e inefável Amor, / no Mistério do Verbo encarnado, / na Paixão de Jesus redentor. 3 – De Jesus sempre quero constante / o preceito em meu peito gravar, / combatendo, lutando e vencendo, / a Igreja, fiel, sempre amar. 4 – Fugirei dos conselhos perversos, / fugirei de Satã com horror. / Nem do mundo os prazeres funestos / poderão esfriar meu fervor. 5 – De Maria serei terno filho, / Dela espero eficaz proteção. / Vencedor nos combates da vida, / reinarei na celeste mansão.

1262 (Tom: C) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Pe. Joaquim Ximenes
1 – Batismo é como outro nascimento, / que faz a gente filho de Deus. / Por isso agora posso, sem medo, / dizer: “Pai nosso, que estais nos céus.” Água dos mares, água da chuva, / água dos rios, água dos céus! / Deus fez a água ser mãe da vida, / n’água nascemos filhos de Deus. 2 – Batismo é como um mergulho santo / nas águas vivas de uma piscina, / que limpa as almas de toda mancha / e embebe a gente em vida divina. 3 – Batismo é sério e nos compromete / com todo o povo que a Igreja é; / nossa missão é mostrar ao mundo / que vale a pena ter nossa fé. 4 – Batismo é vida e Batismo é morte: / vida divina em morte do mal, / pois é da morte do Cristo-Vida / que ganha a vida todo mortal. 5 – Pequeno era eu no meu Batismo, / alguém jurou ao Senhor por mim. / Hoje, consciente que sou da Igreja, / serei de Cristo, prometo, sim!

1263 (Tom: Dm) D.R.
1 – Batiza-me, Senhor, no teu Espírito. (3x) / Batiza-me, batiza-me, Senhor. E deixa-me sentir teu fogo de amor aqui, no coração, Senhor. (bis) 2 – Inunda-me... 3 – Transforma-me... 4 – Lava-me... 5 – Ilumina-me...

1260 (Tom: Eb) D.R.
1 – Chegou o dia da querida festa, / chegou a hora em que vamos comungar. / A inocência brilha em nossa testa, / queremos sempre a Jesus amar. Senhor Jesus, nós, crianças, vos amamos / com todo o nosso pequeno coração; / a recompensa que nós esperamos / será a nossa eterna salvação. (2x) 2 – Abençoai-nos, o’ Jesus querido, / no Sacramento de vosso santo amor, / enquanto sois por muitos esquecido, / vos adoramos, o’ bom Pastor. 3 – Senhor Jesus, nós cremos firmemente / e confessamos sem medo e sem temor: / na Hóstia santa Vós estais presente, / sois nosso Deus, nosso Redentor. 4 – Vinde, Senhor de toda a majestade, / vinde, Jesus, nosso Deus e Redentor, / com Corpo, Sangue, Alma e Divindade, / vinde, mostrai-nos o vosso amor!

1264 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Zezinho
1– Vós sois o sal da terra, / Vós sois a luz do mundo! Ninguém mais quer o sal quando ele perde o seu sabor, / Ninguém acende a luz / Para escondê-la logo após. / O sal e a luz sou Eu: / Eu sou do povo do Senhor! (2x) Eu quero que esta vida tenha muito mais sabor. / Eu quero que meu povo tenha muito mais amor. Há muito prato insípido no mundo sem sabor. / Há muita escuridão cegando o mundo sem amor. Há vidas sem tempero, muita gente sofre a dor. / Existe a escuridão porque ninguém acende o amor. Num mundo que não ama é preciso ter amor. / Amai-vos uns aos outros é o desejo do Senhor.

2– 3– 4– 5–

1261 (Tom: A) D.R.
1 – Prometi no meu santo Batismo / a Jesus sempre e sempre adorar. / Pais cristãos em meu nome falaram: / hoje os votos eu vim confirmar. Fiel, sincero, eu mesmo quero / a Jesus prometer meu amor. (2x)

1265 (Tom: D) Letra: Pe. José Weber / Música: Negro espiritual
1 – Eu cantarei / eu cantarei / sempre ao Senhor, / sempre ao Senhor! / Aleluia, aleluia! És, o’ Cristo, nossa vida! / És, o’ Cristo, nossa luz!

2 – Tu és a Luz, / Tu és a Luz! / Tu és o Amor. / Tu és o Amor! / Aleluia, aleluia! 3 – Tu és o Pão, / Tu és o Pão! / És a Videira. / És a Videira! / Aleluia, aleluia! 4 – Tu és a Paz, / Tu és a Paz! / Princípio e Fim, / Princípio e Fim! / Aleluia, aleluia!

1270 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Dentro de mim existe uma luz / que me mostra por onde eu deverei andar. / Dentro de mim também mora Jesus, / que me ensina o seu jeito de amar. Minha luz é Jesus, / e Jesus me conduz / pelos caminhos da paz. 2 – Dentro de mim existe um farol / que me mostra por onde deverei remar. / Dentro de mim Jesus Cristo é o sol, / que me ensina o seu jeito de sonhar. 3 – Dentro de mim existe um amor / que me faz entender o meu irmão. / Dentro de mim Jesus Cristo é o calor, / que aqueceu pra valer meu coração.

1266 (Tom: Em) Letra e Música: Pe. José Weber
Um só é o Senhor, / uma só a nossa fé, / um só o nosso batismo, / um só Deus e nosso Pai. / Um só Deus e nosso Pai. Chamados a guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz,/ cantemos a uma só voz, unidos na mesma oração: Chamados a formar um só corpo num só Espírito em Cristo, o Senhor, / cantemos a uma só voz, unidos na mesma oração: Chamados a ter parte na mesma esperança da vida eterna em Jesus Cristo, / cantemos a uma só voz, unidos na mesma oração: Chamados a viver a verdade em caridade, crescendo naquele que é a cabeça, / cantemos a uma só voz, unidos na mesma oração:

1– 2–

1271 (Tom: C) Letra: Jairo Lara / Música: Pe. Élio Athayde
1– 2– 3– Senhor, dá-me de beber / uma água pura que me faz viver. (bis) Esta história aconteceu à beira do poço de Sicar. / Uma mulher samaritana o Cristo veio a encontrar. Ela, sendo samaritana, com Cristo não podia conversar. / Quando Jesus lhe pediu água, ela queria lhe negar. E foi, então, que o Mestre amigo lhe censurou a indecisão: / “Todos que bebem desta água, sempre com sede ficarão!” “Ah! se soubesses quem te fala e quem te pede de beber, / lhe pedirias água viva, e sede não irias ter!” Esta história ‘inda acontece com quem não ouve a voz de Deus. / Morre de sede ao pé da fonte; fonte é o amor, e o amor é Deus.

3–

4–

1267 (Tom: F) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Waldeci Farias
Eu era a ovelha perdida, / mas Deus, que é meu Pastor, / me trouxe às águas da Vida, / me leva à Vida de Amor! 1 – Nas águas deste Batismo, / mergulho meu ser, Senhor! / E afogo nele o egoísmo, / e nasce em mim teu Amor! 2 – Batismo me faz Igreja, / nem todos nela estarão. / Mas Deus assim me deseja: / profeta sempre em missão. 3 – A Vida, o Espírito Santo, / já pulsa em meu coração: / de Deus sou filho, portanto, / de todos vou ser irmão! 4– 5–

1272 (Tom: Em) Letra e Música: Frei Beraldo José Hanlon
Quem não renascer da água, o Reino de Deus não verá. / Quem não renascer do alto, no Reino não entrará. A verdade vos digo e quem escutará? / O que nasce da carne, só carne ficará; / mas o que nasce do Espírito, Espírito será! O Senhor saiu da água e o céu logo se abriu, / o Espírito em forma de pomba, então, se viu, / e uma voz: “Tu és meu Filho bem amado” se ouviu. Deixai vir as criancinhas, deixai vir todas a mim, / porque delas, porque delas é o Reino de Deus, sim: / entrarão no céu somente os que se tornarem assim. Toda autoridade foi-me dada pelo Pai; / pelo mundo ide, então, ensinai e batizai / e, assim, os povos todos em discípulos transformai!

1268 (Tom: C) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Waldeci Farias
1 – A minha vela acenderei contente / na vela acesa que ilumina o altar. / A luz de Cristo nos clareia a mente, / como Ele pensa, assim irei pensar. Círio Pascal! Teu santo simbolismo / lembra o Senhor que já ressuscitou. / E me garante que, com meu Batismo, / como Jesus ressuscitar eu vou. 2 – Na chama quente desta grande vela / vou acender minha pequena chama: / E minha vida ficará mais bela, / pois vou amar como Jesus só ama. 3 – A minha vela acenderei tremendo, / emocionado até chorar, pois não; / pois esta chama que você está vendo, / é vida nova no meu coração.

1–

2–

3–

3–

1273 (Tom: C) D.R.
1 – Existe um poço no meio do deserto, / o povo passa perto, da sede a reclamar. Eu quero um rio de água viva! / Eu quero um sopro de esperança. / Minha alma segue e não se cansa de caminhar. (bis) 2 – Se tu soubesses quem pode dar-te a vida, / seria dissolvida a mágoa mais cruel. 3 – Jesus é a Vida, vencendo toda a morte, / mudando a nossa sorte, livrando-nos do mal.

1269 (Tom: D) D.R.
1 – Tu anseias, eu bem sei, a salvação. / Tens desejo de banir a escuridão. / Abre, pois, de par em par teu coração / e deixa a luz do céu entrar. Deixa a luz do céu entrar. (2x) / Abre bem as portas do teu coração / e deixa a luz do céu entrar. 2 – Cristo, a luz do céu, em ti quer habitar, / para as trevas do pecado dissipar, / teu caminho e coração iluminar / e deixa a luz do céu entrar. 3 – Que alegria andar ao brilho dessa luz. / Vida eterna e paz no coração produz. / Oh! aceita agora o Salvador Jesus / e deixa a luz do céu entrar.

1274 (Tom: C) Letra e Música: Antonio Carlos Santini

1 – A minha vida um dia foi deserto / e, a reclamar, passava ali bem perto. / E, junto ao poço, achei a plena luz: / era Jesus a me chamar. Eu encontrei o rio de água viva. / Eu encontrei o rio de água viva. / Ele brotou da rocha, que é Jesus. / Ele brotou, jorrou da cruz. (bis) 2 – Agora, eu sei quem é o dom de Deus: / o santo Espírito que vem dos céus / pra me mudar e ao mundo transformar / numa família toda amor. 3 – E com Jesus não temo mais a morte, / e a minha sorte agora já mudou. / O meu Senhor domina todo o mal! / É universal a sua salvação!

1279 (Tom: F#m) Letra e Música: Reginaldo Veloso
Solo: Lavai-me, Senhor, lavai-me, / e bem limpo eu vou ficar! (bis) Senhor, Vós me lavareis, / de tão limpo eu vou brilhar! (bis) 1 – Misericórdia de mim, Deus de bondade, / misericórdia por tua compaixão! / Vem me lavar das sujeiras do pecado, / vem me livrar de tamanha perdição! / Reconheço toda minha maldade, / diante de mim a vastidão de minha ofensa. / Foi contra ti, meu Senhor, o meu pecado, / e pratiquei o que é mau em tua presença! Solo: Mostrai-nos vossa bondade, / salvai-nos, o’ Redentor! (bis) Senhor, eu peço, escutai-me, / a Vós chegue o meu clamor! (bis)

1275 (Tom: Em) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Waldeci Farias
Há mistérios nas águas por isto: / vida e morte elas trazem no fundo. / E era assim que, na morte do Cristo, / escondias a vida do mundo!(2x) 1 – Vossa bênção, Senhor, redentora / para as águas da chuva e do mar; / na enxurrada vi flor ir embora / e já vi tanta onda matar! 2 – Vossa bênção, Senhor, à pureza / dessas fontes que brotam do chão. / Água irmã, que nos limpa e embeleza, / e, entre as pedras, parece oração!

1280 (Tom: E) Letra e Música: David Lima
Água cristalina, que jorra do peito aberto de Jesus, lá na cruz. / É uma água viva, que cura e que liberta, / cuja fonte é o próprio Jesus. Chuê, chuê, chuá, chuá, nesta água eu vou me banhar. (bis)

1276 (Tom: F) Letra e Música: Pe. José Cândido da Silva
Mergulho na água, / mergulho no Senhor. / Morrendo ao pecado, / eu vivo para o amor. 1 – Deus me chamou para ser filho seu. / Deus me chamou para vida do céu. / Eu respondi: Eis-me aqui, / pois batizado eu sou! 2 – Sou a Igreja de Cristo Jesus, / templo do Espírito Santo de Deus. / Vou anunciar aos meus irmãos / que o Reino já chegou. 3 – Deus me convida ao seu Reino implantar / e um mundo novo de paz recriar. / Vida de luz, vida de amor, / sempre vou espalhar.

1281 (Tom: Dm) Letra e Música: Josenildo do Pajeú
1 – No princípio, teu Espírito / sobre as águas a pairar, / o chão seco, eis a terra, / águas juntas, eis o mar! (2x) Bendito, bendito, bendito sejas, Senhor! / Bendito, bendito pela água e pelo amor! (bis) 2 – Pelas águas do dilúvio / vem a nova criação, / se levanta um arco-íris no / esplendor da imensidão. (2x) 3 – E do mar Vermelho as águas / e o Senhor as dividiu; / o meu povo do Egito / com sua mão Deus conduziu. (2x) 4 – E Moisés, tocando a rocha, / faz da rocha água brotar, / Israel, matando a sede, / ao Senhor põe-se a louvar. (2x) 5 – Sai do templo um rio d’água, / vai correndo pro Oriente. / Toda vida se renova / onde alaga a torrente. (2x) 6 – Jesus Cristo batizado / com as águas do Jordão: / “Eis meu Filho muito amado, / dEle vem a Redenção”! (2x) 7 – Do seu peito transpassado, / uma fonte a jorrar. / Vem, Senhor, com esta água / nossas culpas apagar! (2x) 8 – Vinde, fontes de água viva, / a esta fonte bendizer. / Quando a chuva molha a terra, / o chão há de florescer. (2x)

1277 (Tom: Dm) Letra: Pe. Lúcio Floro / Música: Ir. Míria T. Kolling
Água santa! O’ água pura, / vem! Purifica este povo! / Dá-nos da neve a brancura, / e um coração sincero, forte, grande, novo! (2x) 1 – Lembrança do meu Batismo, / grande graça do Senhor! / Que afogou meu egoísmo / e regou em mim o amor! 2 – Não é do Templo, por certo, / que jorram águas assim: / É do coração aberto / de quem quis morrer por mim! 3 – Nós somos raça escolhida, / Deus não te quer bem em vão. / Muitos erros tens na vida, / Deus tem muito mais perdão!

1282 (Tom: D) D.R.
1 – Banhados em Cristo, somos uma nova criatura. As coisas antigas já se passaram, / somos nascidos de novo. Aleluia, aleluia, aleluia! (bis)

1278 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
Eu te peço desta água que Tu tens, / é água viva, meu Senhor. / Tenho sede e tenho fome de amor / e acredito nesta fonte de onde vens. / Vens de Deus, estás em Deus também és Deus / e Deus contigo faz um só. / Eu, porém, que vim da terra e volto ao pó, / quero viver eternamente ao lado teu. És água viva, / és vida nova. / E todo dia me batizas outra vez. / Me fazes renascer, / me fazes reviver, / e eu quero água desta fonte de onde vens. (bis)

1283 (Tom: D) Letra: José Thomaz Filho / Música: Ir. Míria T.
Kolling

Teu óleo santo, que marcou a minha fronte, / e o teu sinal, que iluminou todo o horizonte, / vêm confirmarme na missão, que é sem fronteira: / que o teu Espírito renove a Terra inteira! 1 – Sabedoria, bom conselho, entendimento, / temor, ciência, com piedade e fortaleza, / eis a bagagem, o roteiro e o

2–

3–

4–

5–

bom sustento / de quem se entrega ao novo Reino com firmeza. No mais profundo de mim mesmo e no convívio, / na intimidade ou pelos campos, pelas praças / o novo Reino quer ser mais que mero alívio: / é o tal tesouro que não sofre com as traças. Se homem, mulher, qualquer idade, qualquer povo / são todos filhos do Pai nosso, Deus de Amor, / nos mais sofridos se revela o Reino novo: / quem os acolhe é que aprendeu a recompor. Onde houver dor ou desalento ou desespero, / eis o terreno para o Reino crescer firme. / É desse lado que se espera o nosso esmero / para que a imagem-semelhança se confirme. A criação tem fonte, rumo e tem destino / no Deus Amor que tudo deu pra todo o mundo. / E o que é de todos não merece o desatino / da exploração e de um descuido tão profundo.

dois. / Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho / seja firme esperança de um céu aqui mesmo e depois.

1286 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Antonio Maria
1 – É no campo da vida que se esconde um tesouro, / vale mais que o ouro, mais que a prata que brilha. / É presente de Deus, é o céu já aqui, / o amor mora ali e se chama família. Como é bom ter a minha família, como é bom! / Vale a pena vender tudo o mais para poder comprar. / Esse campo que esconde um tesouro, que é puro dom. / É meu ouro, meu céu, minha paz, minha vida, meu lar. 2 – Até mesmo o céu desejou ser família / para que a família desejasse ser céu. / Nela se faz a paz no ouvir, no falar / e na arte de amar o amargor vira mel. 3 – Na família a mentira não se dá com a verdade / e a fidelidade sabe o peso da cruz. / Porque lá há amor, há renúncia e perdão, / há também oração e o chefe é Jesus. 4 – Surgem falsos brilhantes enganando a família, / tão sutil armadilha de um doce sabor. / A riqueza maior é de Deus a presença, / na saúde ou doença, na alegria e na dor.

1284 (Tom: G) Letra: José Thomaz Filho / Música: Frei Fabreti
Creio em ti, meu Senhor e meu Deus, minha luz. / És, enfim, meu viver, tua mão me conduz! / Minha fronte a ungir, tua mão sentirei; / teu sinal, meu Senhor, serei! Na natureza em que nada se perde, / na inteligência que tanto recria, / estás presente, Senhor, nosso Deus: / em ti se encontra a razão da harmonia! Nos descaminhos que a História retrata, / sempre há lições apontando o horizonte. / Estás conosco, Senhor, nosso Deus! / Um rio que vai não se perde da fonte! Somos na terra teu povo escolhido, / nos compromete a missão que cumpriste: / plantar a paz, a justiça, o perdão. / Estás convosco, ninguém fique triste! Fomos ungidos, Senhor, para a vida. / Fraternidade, serviço e coragem / e cada gesto, palavra ou querer / confirme: somos irmãos, tua imagem! Venha teu Reino, renove esta terra! / Não esqueçamos criatura nenhuma: / se mesmo a morte quiser nos deter, / seremos flor que amassada, perfuma!

1–

1287 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Das muitas coisas do meu tempo de criança, / guardo vivo na lembrança o aconchego do meu lar. / No fim da tarde, quando tudo se aquietava, / a família se ajuntava lá, no alpendre, a conversar. Meus pais não tinham nem escola, nem dinheiro, / todo dia, o ano inteiro, trabalhavam sem parar. / Faltava tudo, mas a gente nem ligava, / o importante não faltava: seu sorriso e seu olhar. 2 – Eu tantas vezes vi meu pai chegar cansado, / mas aquilo era sagrado, um por um ele afagava. / E perguntava quem fizera estripulia, / e mamãe nos defendia, e tudo aos poucos se ajeitava. / O sol se punha, a viola alguém trazia, / todo o mundo, então, queria / ver papai cantar com a gente. / Desafinado, meio rouco e voz cansada, / ele cantava mil toadas, seu olhar no sol poente. 3– Correu o tempo, e hoje eu vejo a maravilha / de se ter uma família quando tantos não a têm. / Agora falam do desquite ou do divórcio, / o amor virou consórcio, compromisso de ninguém. / Há tantos filhos que, bem mais do que um palácio, / gostariam de um abraço e do carinho de seus pais. / Se os pais amassem, o divórcio não viria, / chame a isso de utopia, / eu a isso chamo paz.

2–

3–

4–

5–

1285 (Tom: C) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Que nenhuma família comece em qualquer de repente. / Que nenhuma família termine por faltar de amor. / Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente, / e que nada no mundo separe um casal sonhador. / Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte. / Que ninguém interfira no lar e na vida dos dois. / Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte. / Que eles vivam do ontem, no hoje e em função do depois. Que a família comece e termine sabendo onde vai / e que o homem carregue nos ombros a graça de um pai. / Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor / e que os filhos conheçam a força que brota do amor. / Abençoa, Senhor, as famílias, amém. / Abençoa, Senhor, a minha também! (2x) 2 – Que marido e mulher tenham força de amar sem medida. / Que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão. / Que as crianças aprendam no colo o sentido da vida. / Que a família celebre a partilha do abraço e do pão. / Que marido e mulher não se traiam nem traiam seus filhos. / Que o ciúme não mate a certeza do amor entre os

1288 (Tom: E) Letra e Música: Maria do Carmo S. Rocha
1 – Começa assim a história / da jovem cheia de amor, / que foi escolhida entre todas pra ser / a Mãe de Jesus salvador. Jesus, Maria e José formaram / uma família feliz. / Na humildade e no amor de Deus, / pois assim Ele quis. 2 – José um simples carpinteiro, / com muito zelo aos seus, / cuidou de sua Maria / e também de Jesus, o Filho de Deus. 3 – Que nossas famílias aprendam / a viver com amor e com fé, / seguindo o exemplo da santa Família: / Jesus, Maria e José.

1289 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Zezinho

1 – Minha prece de pai é que meus filhos sejam felizes. / Minha prece de mãe é que meus filhos vivam em paz. / Que eles achem os seus caminhos! / Amem e sejam amados! / Vivam iluminados! / Nossa prece de filhos é prece de quem agradece. / Nossa prece é de filhos que sentem orgulho dos pais. / Que eles trilhem os seus caminhos! / Louvem e sejam louvados! / Sejam recompensados! Ilumina, ilumina nossos pais, nossos filhos e filhas! / Ilumina, ilumina cada passo das nossas famílias! (bis) 2 – Minha prece, o’ Senhor, é também pelos meus familiares. / Minha prece, o’ Senhor, é por quem tem um pouco de nós. / Que eles achem os seus caminhos! / Amem e sejam amados! / Vivam iluminados! / Nossa prece, o’ Senhor, é também pelos nossos vizinhos. / Por quem vive e trabalha e caminha conosco, Senhor. / Que eles achem os seus caminhos! / Amem e sejam amados! / Vivam iluminados!

1292 (Tom: F) Letra e Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
Amigo, sê bem-vindo! / Vem trazendo amor e paz. / Corações também amigos, / tu aqui encontrarás! 1 – A nossa felicidade, / na amizade, se dá as mãos. / E o presente, de repente, / faz do céu o nosso chão! 2 – O encontro será uma festa: / partilha desta quem sabe amar! / E a alegria contagia / meu viver e meu cantar. 3 – Estava à tua espera / o que já era em mim canção. / Sê bem-vindo! Vem sorrindo, / que te abraça o coração!

1293 (Tom: F) D.R.
1 – A amizade não se compra, / a amizade não tem preço, / a amizade é jóia natural do coração. / Tem que ter sinceridade, / tem que ter humanidade. / Ser um bom amigo é ser irmão. 2 – A amizade é um tesouro valioso, / mais que ouro; a amizade não tem raça e não tem cor. / Quem quiser ser meu amigo / abre o peito e vem comigo / semear no mundo paz e amor.

1290 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Um lar onde os pais ‘inda se amam / e os filhos ‘inda vivem como irmãos. / E, venha quem vier, encontra abrigo, / e todos têm direito ao mesmo pão. Onde todos são por um e um por todos, / onde a paz criou raízes e floriu. / Um lar assim feliz / seja o sonho das famílias do Brasil! 2 – Os filhos, qual rebentos de oliveira, / alegrem os caminhos dos seus pais / e façam a família brasileira / achar seu amanhã na mesma paz! 3 – Que os jovens corações enamorados, / humildes, e aprendendo o verbo amar, / não deixem de sonhar extasiados / que, um dia, também eles vão chegar! 4 – Que aqueles que se sentem bem casados, / deu certo seu amor, o amor valeu, / não vivam como dois alienados: / partilhem esta paz que Deus lhes deu!

1294 (Tom: C) Letra e Música: Antonio Cardoso
1 – Quem conheceu um amigo jamais morrerá, / pois os amigos são um pedaço do céu. / É como ser uma flor no quintal, / desapegada, no chão floresceu. / Quem conheceu um amigo / descobriu o seu Deus. 2 – Quem aceitou um amigo, para caminhar, / sente que não vai cair no espinho da flor. / É como ter descoberto o amor, / ter encontrado um conforto maior. / Sentir o carinho de alguém / na hora da dor. Mas o bem maior / é ter no peito / um jeito sincero / de se dar. / É deixar o coração / se abrir direito / do jeito que alguém precisar. 3 – Quem acolheu um amigo encontrou a paz. / Não há discórdias no mundo, ninguém sabe mais. / Não há feridos nem guerras, / todos são filhos do mesmo pai. / Quem aceitou um amigo / não morre jamais.

1291 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Zezinho
Abençoa, Senhor, meus amigos e minhas amigas e dálhes a paz. / Aqueles a quem ajudei, que eu ajude ainda mais! / Aqueles a quem magoei, que eu não magoe mais! / Saibamos deixar um no outro uma saudade que faz bem! / Abençoa, Senhor, meus amigos e minhas amigas. Amém! 1 – Luzes que brilham juntas, velas que juntas queimam no altar da esperança, / trilhos que juntos percorrem os mesmos dormentes e vão terminar no mesmo lugar. / Aves que vão em bando, verso que segue verso nas rimas da vida, / barcos que singram os mares até separados, mas sobem o porto onde vão se encontrar. São assim os amigos que a vida me deu: / meus amigos e minhas amigas e eu! 2 – Gente que sonha junto, gente que brinca e briga e se zanga e perdoa. / Um sentimento forte mais forte que a morte, nos faz ser amigos no riso e na dor. / Vidas que fluem juntas, rios que não confluem, mas vão paralelos, / aves que voam juntas e sabem que, um dia, por força da vida não mais se verão. Resta apenas o sonho que a gente viveu: / meus amigos e minhas amigas e eu!

1295 (Tom: C) Letra e Música: Irene Gomes
1 – Se uma boa amizade você tem, / louve a Deus, pois a amizade é um bem. / Toda boa amizade você deve conservar, / como é bom quando se sabe amar! / A amizade vem de Deus, e a Deus deve levar, / como é bom quando se sabe amar! Uma boa amizade / é mais forte do que a morte, / mesmo longe, na saudade, / a amizade vai ficando até mais forte. 2 – A amizade é na vida uma canção, / a amizade faz cantar o coração, / ser amigo é fazer ao amigo todo bem, / como é bom saber amar alguém! / A amizade vem de Deus, e a Deus deve levar, / como é bom quando se sabe amar!

1296 (Tom: A) J.W. Faustini / Melodia folclórica americana
1 – Se com beleza eu falar / e as multidões arrebatar. / Mas se o amor não possuir / serei qual sino a retinir! 2 – Se os bens que tenho aos pobres der, / mas puro amor eu não tiver, / de nada, então, me valerá, / e sem proveito, e vão será!

3 – Entre os caminhos do viver, / somente irá permanecer / a esperança, a fé e o amor, / mas destes é maior, mas destes é maior o amor! Amém, amém, amém!

1302 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Eu te agradeço tanto / por este amor bonito / que entrou na minha vida. / Entrou e foi ficando e me envolveu. / Me trouxe um novo encanto, / mostrou-me o infinito, / e aquela dor doída, a dor da solidão / não mais doeu. / Eu disse aonde eu ia, / contei-te os sonhos meus. / Disseste que era teu o meu caminho, / encheste a minha vida de carinho, / disseste que também buscavas Deus. 2 – Eu te agradeço tanto / por este matrimônio, / que se tornou meu sonho, / que é muito mais bonito que eu pensei. / É grande, é puro, é santo, / é cheio de lembranças, / é feito de esperanças, / te amo e para sempre te amarei. / Com Deus por testemunha, / eu juro, neste altar, / que venha o que vier em nossos dias, / por entre mil tristezas e alegrias, / pra sempre, sempre, sempre vou te amar.

1297 (Tom: A) D.R.
1 – O amor de Deus nos envolve, / somos todos sinais deste amor. / Com ternura chamou-nos à vida / e, em seu amor, nos convida a viver. Se isto não for amor, / a vida não é real, / pois tudo perde o valor. / Não há beleza nem ideal, / mas construindo no amor, / a vida vai florescer / na paz de um novo amanhã, / felizes vamos viver. 2 – E quando duas vidas se encontram, / e se unem num só coração, / o divino amor glorificam / na alegria do amor, doação.

1303 (Tom: A) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Teus pais serão meus pais, / meus pais serão teus pais. / Teu lar será meu lar, / teus sonhos hão de ser também os meus. / Teus ais serão meus ais / e, cada dia mais, / na dor e na alegria, seremos este par apaixonado. Se foi amor o que nos fez olhar na mesma direção, / se foi amor o que nos fez tomar a mesma decisão. / Se foi amor, que fale o coração / e nunca mais se canse de falar: Te amo e te amarei! / Te amo e te amarei! Te amo e te amarei!

1298 (Tom: F) Letra: Adapt. Frei Luiz Turra / Música: S. S. Wesley
1 – Nosso amor une nossas vidas, sim! / Juntos, nós dois, até o fim! / Deus está sempre onde há verdadeiro amor, / sempre fiel na alegria e dor. Mesmo caminho, um igual destino, / a bênção de Deus sempre conosco irá. (bis) 2 – Nosso olhar vem iluminar o amor. / Luz a brilhar, luz do Senhor! / Se chegar sombra, nuvens nos tirando a luz, / fortes na fé, a mão de Deus conduz.

1299 (Tom: Am) D.R.
1 – O amor que nasce de Deus é fonte de vida e sabedoria. / Se neste amor se constrói um lar, será sempre um lugar de alegria. Somente o amor será o caminho da liberdade. / Somente o amor será o segredo da felicidade. 2 – Unir duas vidas num só viver, com as bênçãos das mãos divinas, / na rocha firme se vai fazer uma história que nunca termina.

1304 (Tom: Ab) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – E eu que creio em Deus, / eu sei que Deus te fez pra mim. / E eu que creio em Deus, / te juro, eu juro amor sem fim. Te amo e te amarei / pra sempre e sempre eu te amarei. / Seremos um casal inseparável, / sonharei os mesmos sonhos que sonhares, / pra sempre, sempre te amarei.

1305 (Tom: G) Letra e Música: Rodger Strader
1 – Deus mesmo planejou a nossa união, / findou-se a nossa solidão e juntos somos um. / Por onde quer que vás, tu hás de me abrigar, / terás o meu apoio seguindo o teu andar. E seguiremos juntos, sempre juntos, / com grande amor que vem dos altos céus. / Sempre oraremos juntos, sempre juntos, / dedicando as nossas vidas a Deus. 2 – Fiéis em nosso lar a Deus vamos seguir. / Ele há de nos guardar dos males que hão de vir. / Segura a minha mão e pela escuridão / Deus mesmo nos conduz, pois Ele é nossa luz.

1300 (Tom: F) Letra: Adapt. Frei Luiz Turra / Música: M. Wagner
Sonho de amor que faz feliz / um compromisso de eterna união! / Um sonho assim: bênção de Deus / torna duas vidas um só coração. Terna alegria vem confirmar / esta harmonia de um novo lar. / Gestos amigos, mais esperança, / tornam mais viva esta aliança. / Deus acompanhe, com seu vigor, / este momento de tanto amor. Sonho de amor que faz feliz / um compromisso de eterna união! / Um sonho assim: bênção de Deus / torna duas vidas um só... um só coração. / Um só coração.

1306 (Tom: C) Letra e Música: Fernanda Brum
1 – Quando o amor toca o coração, / traz um sentimento maior que a paixão. / Basta um olhar, um toque e nada mais / pra fazer feliz, como só você me faz. 2 – Deus uniu as nossas vidas de uma vez / e cada dia é o primeiro outra vez, / como no primeiro olhar; / nada nunca vai mudar, não vai mudar, não vai mudar. 3 – Quando o amor toca o coração, / o tempo pára, a vida vira uma canção. / E não há nada melhor do que amar você. / Eu nunca vou te perder, foi Deus quem me deu você. / É como poder sonhar e nunca acordar.

1301 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Zezinho
1 – Ave, Maria, / cheia de Graça, / Deus está contigo / e bendita és / entre as mulheres / e bendito é quem te fez mulher / e em teu ventre quis nascer. 2 – Santa Maria, Mãe do nosso Deus, / Santa Maria, a quem Deus tanto amou, / roga por nós, que, embora pecadores, / também juramos agora e sempre / amar-nos um ao outro, (2x) / como Jesus teu filho amou. / Amém, amém, amém!

1307 (Tom: D) Letra: Manoel Avelino de Souza / Música: Samuel W.
Beazley

1 – Duas vidas, Senhor, se unem num só ser: / duas almas e dois nobres corações; / pelo amor e afeição mútua, assim viver, / querem juntos, na paz ou más aflições. Abençoa, Senhor, esta santa união. / Dando graça e favor, faze-a prosperar. / Na alegria, na fé, na consagração. / Que ambos, sempre, só queiram contigo andar. 2 – Mais um lar que se faz cheio de vigor, / do caráter cristão, base principal. / Duma vida feliz numa união de amor / que abençoa e mantém a paz conjugal. 3 – Preparaste, Senhor, para o gozo e paz / do teu povo que habita esta terra aqui. / Essa união tão feliz, que amplas bênçãos traz; / gratos, pois, entoamos louvor a ti.

3 – Bodas de prata são abraços, / tantos passos, descompassos, / pela vida, repartida neste chão. / E Deus permita que nós dois sigamos juntos, / que o amor é sempre assunto / que não cansa um coração!

1312 (Tom: C) Letra e Música: Rosa P. dos Anjos
O sol nasce sempre para todos. / Não faz distinção de raça e cor. Você vive muito apagado. / Ouça bem este recado, / ponha na vida mais amor. (2x) Jesus, quando passou pela terra, / Ele deixou para todos nós uma lição. / Muito Ele falou da paz, e do amor, / e, sobretudo, do perdão. / Por isso, em sinal de nossa fé, / procuremos com bondade ser / solidário ao nosso irmão.

1308 (Tom: G) Letra e Música: José Acácio Santana
O amor do nosso Deus vos una. 1 – Esteja sempre convosco quem vos mostrou compaixão. / Os dois que viviam sós, serão um só coração. 2 – Fazei que, ao longo da vida, vos louvem sempre, Senhor; / seguindo os vossos preceitos, serão felizes no amor.

1313 (Tom: A) D.R.
1 – Procurei o amor, procurei a alegria. / E agora eu sou feliz, pois, enfim, eu te encontrei. Agora eu sei que Tu és a vida. / Nunca mais eu irei te deixar. (bis) 2 – Eu não vou levar a vida, vou viver intensamente, / pois contigo eu sou maior, Tu serás o meu presente. 3 – Sou feliz sempre ao teu lado, o’ Jesus, meu Redentor. / Proclamar teu nome eu vou, na alegria e também na dor. 4 – Eu agora sou feliz, em tua mão já me senti, / pois o amor e a alegria, felicidade estão em ti.

1309 (Tom: F) Letra e Música: Frei Luiz Turra
1 – Vocês construíram a casa na rocha, / sobre a rocha do amor. / Parabéns! / Vocês construíram a história, / com a bênção do Senhor. / Parabéns! / Por isso chegou este dia / tão feliz e de tanta alegria. Como é bonito um amor que nunca envelhece, / que nunca se esquece da fonte, / da fonte do amor. / Como é feliz o casal que ouve a Palavra, / em Deus encontrou a verdade, / vida, verdade e amor. 2 – Vocês entenderam que a fidelidade tem consigo sua cruz. / Parabéns! / Mas nunca perderam o rumo, / pois na fé há sempre luz. / Parabéns! / Por isso chegou este dia / tão feliz e de tanta alegria.

1314 (Tom: G) Letra e Música: Jorge Guedes
Meu pensamento vive em Você, / a luz do meu viver, Senhor. / Basta entrar, eu me abrir pra te amar, / nem precisa perguntar te amo. Há um clima todo diferente, / que aquece e mexe com o coração da gente. / É como um sonho... É como um sonho. / Eu me dou por inteiro, teu é o meu coração. E ao teu lado, eu sempre sigo, já não há mais talvez, / basta querer te ver outra vez, outra vez.

1310 (Tom: C) Letra e Música: Roberto Martins e Mário Rossi
1 – Beijando teus lindos cabelos / que a neve do tempo marcou. / Eu tenho nos olhos molhados / a imagem que nada mudou: / Estavas vestida de noiva, / sorrindo e querendo chorar / feliz, assim, / olhando para mim, / que nunca deixei de te amar. 2 – Vinte e cinco anos vamos festejar de união, / e a felicidade continua em meu coração. / Vai crescendo sempre mais o meu amor por ti,/ eu também fiquei mais velho e quase não senti. / Vinte e cinco anos de veneração e prazer, / pois, até nos momentos de dor, / o teu coração me faz compreender / que a vida é bem pequena para tanto amor.

1315 (Tom: Em) Letra e Música: Roberto Carlos e Erasmo Carlos
1 – Com o terço na mão, peço a vós, minha Virgem Maria, / Minha prece levai a Jesus, Santa Mãe que nos guia. / Com o terço na mão, peço a vós, minha Nossa Senhora, / por nós todos rogai a Deus Pai, vos pedimos agora. / Com o terço na mão, de joelhos no chão, vos pedimos: / aliviai as tristezas e as dores que, às vezes, sentimos. / Clareai o caminho daqueles que vivem perdidos / e olhai por aqueles que o mundo deixou esquecidos. Santa Maria, rogai por nós / que recorremos a vós. (bis) 2 – Nos mistérios contemplo o nascer de Jesus e a alegria. / Na paixão por amor, preso à cruz, sua dor e agonia. / Sua Ressurreição e aos céus a ascensão no terceiro dia. / Vossa coroação junto a Deus, Coração de Maria. / Com o terço na mão e com fé aprendi, Mãe querida, / que aceitar a vontade de Deus é o maior bem da vida, / que ajudar um irmão, no instante do seu sofrimento, / é amar nosso próximo e servir a Deus nesse momento. Santa Maria, rogai por nós / que recorremos a vós. (bis)

1311 (Tom: Gm) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
1 – Vejo que o tempo trouxe a prata aos teus cabelos, / que são mais belos do que o dia em que te vi. / É assim que o tempo vai passando de repente, / vai mudando a nossa gente, / mas não muda o que eu senti! 2 – Repara bem a mão de Deus pelo caminho, / como este ninho o seu Amor abençoou: / foram dois filhos, mil amigos lado a lado / pra mostrar que o Pai amado / não desfaz o que juntou.

1316 (Tom: A) Letra e Música: Roberto Carlos e Erasmo Carlos
1 – Cubra-me com seu manto de amor, / guarda-me na paz desse olhar. / Cura-me as feridas e a dor, / me faz suportar. / Que as pedras do meu caminho / meus pés suportem pisar, / mesmo ferido de espinhos, / me ajude a passar. Se ficaram mágoas em mim, / Mãe, tira do meu coração, / e àqueles que eu fiz sofrer peço perdão. / Se eu curvar meu corpo na dor, / me alivia o peso da cruz, / interceda por mim, minha Mãe, / junto a Jesus. Nossa Senhora, / me dê a mão, / cuida do meu coração, / da minha vida, / do meu destino. / Nossa Senhora, / me dê a mão, / cuida do meu coração, / da minha vida, / do meu destino. / Do meu caminho, / cuida de mim. 2 – Sempre que meu pranto rolar, / ponha sobre mim suas mãos, / aumenta a minha fé e acalma / meu coração. / Grande é a procissão a pedir / a misericórdia e o perdão, / A cura do corpo e pra alma / a salvação. Pobres pecadores, o’ Mãe, / tão necessitados de vós, / Santa Mãe de Deus, tem piedade / de nós. / De joelhos aos vossos pés, / estendei a nós / vossas mãos. / Rogai por todos nós, / vossos filhos, / meus irmãos.

Eu sinto que a vida da gente / parece uma hóstia na mesa do altar. / Um pão repartido com todos, / louvor que se oferta no dom de se dar. Eu vou com fé...

1319 (Tom: Dm) Letra e Música: Tiburtino Mondin
1– Coração santo, Tu reinarás, / Tu nosso encanto sempre serás! (bis) Jesus amável, Jesus piedoso, / Deus amoroso, frágua de amor! / Aos teus pés venho se Tu me deixas, / humildes queixas sentido expor. Divino peito que amor inflama, / em viva chama de eterna luz. / Por que a tens sempre reconcentrada, / não adorada, doce Jesus? Estende às almas teu suave fogo, / e tudo logo se inflamará! / Mais tempo a terra no mal sumida / e endurecida não ficará. Por estas chamas de amor benditas, / nunca permitas ao mal reinar! / Ao Brasil chegue tua caridade: / que, em verdade, te saiba amar.

2–

3–

4–

1320 (Tom: A) D.R.
1 – Levantai-vos, soldados de Cristo! / Sus! correi, Sus! voai à vitória, / desfraldando a bandeira da glória / o pendão de Jesus redentor. (2x) 2 – Não nascemos senão para a luta; / de batalha amplo campo é a terra: / É renhida e constante esta guerra, / é herança dos filhos de Adão! (2x) 3 – E Jesus nosso Rei soberano / de vencer dá-nos firme promessa. / Seu amor, que atrair-nos não cessa, / nos prepara eternal galardão. (2x) 4 – Oh! segui deste Rei glorioso / o divino estandarte da cruz! / Ele só à vitória conduz, / de triunfo é seguro penhor. (2x) 5 – Esforçai-vos contentes na luta, / guardai pura esta santa Bandeira. / No combate, esperança fagueira, / será sempre a vitória a ganhar. (2x)

1317 (Tom: G) Letra e Música: Dunga
1 – Deus vê o coração, sonda com a compaixão e sabe o tamanho da sua dor. / Ele não pode pôr limites no seu amor, / pois sabe até onde vai todo pecador. 2 – Lágrimas são suor das almas que lutam só. / Só Deus pode entender o que lhe causa a dor. / Pense no seu Senhor, recorra ao seu amor / e creia: Ele é fiel, justo é o seu Amor. Pare de se maltratar, não queira aos outros culpar. / Diga: por hoje, por hoje eu não vou mais pecar. / Estenda a sua mão e abra o seu coração. / Volte pro seu Senhor e se abra à restauração. / Com Cristo você vai superar todas as barreiras passar, / todo pecado vencer: um homem novo vai nascer.

1318 (Tom: F) Letra e Música: Pe. Élio Athayde
O meu coração é só de Jesus, / a minha alegria é a Santa Cruz. (2x) 1 – No tempo em que eu era criança / cantava este canto pensando em Jesus. / Agora, Jesus estou vendo no irmão / que sofrendo carrega sua cruz. A gente no mundo de hoje / precisa ser forte pra não vacilar. / Se a gente não toma cuidado, / Deus fica de lado e o fracasso virá. Eu vou com fé viver a vida, / levar o amor onde faltar. / Levo comigo a esperança de todo o mundo / poder cantar: o meu coração... 2 – Os homens só vivem pensando / que a felicidade é dinheiro na mão. / Feliz é quem faz caridade / e não guarda maldade no seu coração. Há muitos que vivem xingando, / que vivem clamando da vida que têm. / A vida é um peso suave / que a gente carrega do jeito que vem. Eu vou com fé... 3 – Queria sair pelo mundo / gritando bem forte que existe o amor. / Queria que em todo semblante / se abrisse um sorriso igual a uma flor.

1321 (Tom: A) Letra: José Agostinho dos Reis / Música: Francisco
Braga

1 – Coração adamantino, Coração que jorra luz, / Coração do ser divino, Coração do bom Jesus! Na miséria, no perigo, / no sofrer, na tentação, / quem procura encontra abrigo / de Jesus no coração. 2 – Coração todo clemência, /Coração, que doce Lei! / Coração todo inocência, / vossos filhos atendei! 3 – Coração, Reino dos reinos, / Coração de amigo e pai! / Amparai-nos, socorrei-nos, / nossas culpas perdoai!

1322 (Tom: A) D.R.
1 – Minh’alma entoa um hino, em êxtase de amor, / ao Coração divino, do amante Redentor. Louvado seja e amado, dulcíssimo Jesus! / Teu Coração sagrado que o amor feriu na cruz. (2x) 2 – Em célica harmonia / quisera te exaltar! / Exaltem-te, à porfia, / o céu, a terra, o mar!

3 – Descei, por um instante, / da perenal mansão. / Cantai, anjos, o amante / divino Coração! 4 – O’ Coração que a lança / cruel rasgou na cruz, / Tu és minha esperança, / Tu és a minha luz! 5 – Ah! pelo teu ferido, / amável Coração, / te abrande o meu gemido! / Perdão, Jesus, perdão!

1324 (Tom: G) Letra e Música: Pe. José Pedro Martins
1– 2– 3– 4– 5– 6– Não fiqueis tristes, Eu vou partir; / Eu vou partir, mas voltarei. Vou preparar-vos um lugar, não fiqueis tristes, tende fé. Vou enviar-vos o Espírito que vos dará toda a verdade. Sereis as minhas testemunhas, para que todos me conheçam. Anunciai a Boa Nova. Vou para o Pai que me enviou. Ficarei sempre ao vosso lado; onde estiverdes, Eu estou. Hão de expulsar-vos das cidades; por minha causa sofrereis.

1323 (Tom: A) Música: Ir. Míria Therezinha Kolling
1 – Terra, exulta de alegria, / louva teu pastor e guia, / com teus hinos, tua voz! (2x) Tanto possas, tanto ouses, / em louvá-lo não repouses; / sempre excede o teu louvor! (2x) 2 – Hoje a Igreja te convida: / ao pão vivo que dá vida / vem com ela celebrar! (2x) Este pão, que o mundo o creia! / Por Jesus, na santa Ceia, / foi entregue aos que escolheu. (2x) 3 – Nosso júbilo cantemos, / nosso amor manifestemos, / pois transborda o coração! (2x) Quão solene a festa, o dia, / que da santa Eucaristia / nos recorde a instituição! (2x) 4 – Novo Rei e nova mesa, nova Páscoa e realeza, / foi-se a Páscoa dos judeus. (2x) Era sombra o antigo povo, / o que é velho cede ao novo: / foge a noite, chega a luz. (2x) 5 – O que o Cristo fez na ceia, / manda a Igreja que o rodeia / repeti-lo até voltar. (2x) Seu preceito conhecemos: / pão e vinho consagramos / para nossa salvação. (2x) 6 – Faz-se Carne o pão de trigo, / faz-se Sangue o vinho amigo: / deve-o crer todo cristão. (2x) Se não vês nem compreendes, / gosto e vista tu transcendes, / elevado pela fé. (2x) 7 – Pão e vinho, eis o que vemos: / mas o Cristo é que nós temos / em tão íntimos sinais. (2x) Alimento verdadeiro, / permanece o Cristo inteiro / quer no vinho, quer no pão. (2x) 8 – É por todos recebido, / não em parte ou dividido, / pois inteiro é que se dá! (2x) Um ou mil comungam dele, / tanto este quanto aquele: / multiplica-se o Senhor. (2x) 9 – Dá-se ao bom como ao perverso, / mas o efeito é bem diverso: / vida e morte traz em si. (2x) Pensa bem: igual comida, / se ao que é bom enche de vida, / traz a morte para o mau. (2x) 10 – Eis a hóstia dividida. / Quem hesita, quem duvida? / Como é toda o autor da vida, / a partícula também. Jesus não é atingido: / o sinal é que é partido; / mas não é diminuído, / nem se muda o que contém. 11 – Eis o pão que os anjos comem / transformado em pão do homem; / só os filhos o consomem: / não será lançado aos cães! Em sinais prefigurado, / por Abraão foi imolado, / no cordeiro aos pais foi dado, / no deserto foi maná. 12 – Bom pastor, pão de verdade, / piedade, o’ Jesus, piedade, / conservai-nos na unidade, / extingui nossa orfandade, / transportai-nos para o Pai! Aos mortais dando comida, / dais também o pão da vida; / que a família assim nutrida / seja um dia reunida / aos convivas lá do céu!

1325 (Tom: D) Letra e Música: Agnaldo José / Paulo S. Souza
Deus é nosso Pai de amor, Ele nos deu o dom da vida. Deus nos ama, temos valor, o Filho morreu por nós na cruz. Pode nossa mãe nos esquecer, Deus jamais nos vai deixar. Deus é Espírito a nos consolar, nEle podemos confiar. Meu irmão, estenda as mãos. Você e eu somos irmãos. O caminho temos por onde passar. A água viva a nos saciar. Foi o Pai quem nos criou, foi Jesus que nos salvou. O Espírito Ele nos enviou. Vamos a Trindade adorar! Deus Trindade: Pai, Filho e Espírito! Deus Trindade: perfeito amor e unidade! (bis) Dá-nos tua Paz! Dá-nos tua Luz! Dá-nos teu Amor!

1326 (Tom: Em) Letra e Música: Sílvio Meincke, E. Reinhardt e J.
Gottinari

1 – Um pouco além do presente, / alegre o futuro anuncia / a fuga das sombras da noite, / a luz de um bem novo dia. Venha o teu Reino, Senhor! / A festa da vida recria! / A nossa espera e ardor / transforma em plena alegria. (2x)/ Aê, ea, aê, aê, aiá. 2 – Botão de esperança se abre, / prenúncio da flor que se faz, / promessa da tua presença / que vida abundante nos traz. 3 – Saudade da terra sem males, / do Éden de plumas e flores, / da paz e justiça irmanadas / num mundo sem ódio nem dores. 4 – Saudade de um mundo sem guerras, / anelos de paz e inocência: / de corpos e mãos que se encontram, / sem armas, sem mortes, violência. 5 – Saudade de um mundo sem donos: / ausência de fortes e fracos, / derrota de todo o sistema / que cria palácios, barracos. 6 – Já temos preciosa semente, / penhor do teu Reino agora. / Futuro ilumina o presente, / Tu vens e virás sem demora.

1327 (Tom: E) Letra e Música: Pe. Joãozinho
Subindo ao monte Tabor, / vamos juntos louvar o Senhor. (bis) 1 – Transfigurará Jesus, o nosso Redentor, / e apagará ódio, pecado e rancor. 2 – Oh, que bom será ficar aqui neste lugar! / Dar o coração, amar, amar, pra sempre amar. 3 – Mas não poderá ficar aqui, neste lugar. / Mandará descer, e o mundo transfigurará. Descendo do monte Tabor, / vamos juntos lutar pelo amor. (2x)

1328 (Tom: G) Letra e Música: Pe. Joãozinho
1 – Mestre, bom é estarmos aqui, / reunidos bem perto de ti, no silêncio e na paz. / Mestre, reunidos no amor, / nós viemos ao monte Tabor para em ti repousar. E nós cantaremos a mesma canção, unidos no mesmo coração. (2x) 2 – Mestre, ao sairmos daqui, / nós iremos teus passos seguir com sementes nas mãos. / Mestre, nós queremos plantar / o teu Reino em todo lugar e crescer como irmãos. T– S–

também pelo vosso servo o Papa N., por nosso bispo N., e por todos os que guardam a fé que receberam dos apóstolos. Conservai a vossa Igreja sempre unida! Lembrai-vos, o’ Pai, dos vossos filhos e filhas N.N. e de todos que circundam este altar, dos quais conheceis a fidelidade e a dedicação em vos servir. Eles vos oferecem conosco este sacrifício de louvor por si e por todos os seus, e elevam a Vós as suas preces para alcançar o perdão de suas faltas, a segurança em suas vidas e a salvação que esperam. Lembrai-vos, o’ Pai, de vossos filhos! (Ver comunicantes) Em comunhão com toda a Igreja, veneramos a sempre Virgem Maria, Mãe de nosso Deus e Senhor Jesus Cristo; e também São José, esposo de Maria, os santos Apóstolos e Mártires: Pedro e Paulo, André, (Tiago e João, Tomé, Tiago e Felipe, Bartolomeu e Mateus, Simão e Tadeu, Lino, Cleto, Clemente, Sisto, Cornélio e Cipriano, Lourenço e Crisólogo, João e Paulo, Cosme e Damião) e todos os vossos santos. Por seus méritos e preces, concedei-nos, sem cessar, a vossa proteção. (Por Cristo, Senhor nosso. Amém!) Em comunhão com toda a Igreja, aqui estamos! Recebei, o’ Pai, com bondade, a oferenda dos vossos servos e de toda a vossa família; dai-nos sempre a vossa paz; livrai-nos da condenação e acolhei-nos entre os vossos eleitos. (Por Cristo, Senhor nosso. Amém!) Dignai-vos, o’ Pai, aceitar e santificar estas oferendas, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. Santificai nossa oferenda, o’ Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão em suas mãos, elevou os olhos a Vós, o’ Pai, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA A REMISSÃO DOS PECADOS. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, a memória da paixão do vosso Filho, da sua ressurreição dentre os mortos e gloriosa ascensão aos céus, nós, vossos servos, e também vosso povo santo, vos oferecemos, ó Pai, dentre os bens que nos destes, o sacrifício perfeito e santo, pão da vida eterna e cálice da salvação. Recebei, o’ Senhor, a nossa oferta! Recebei, o’ Pai, esta oferenda, como recebestes a oferta de Abel, o sacrifício de Abraão e os dons de Melquisedeque. Nós vos suplicamos que ela seja levada à vossa presença, para que, ao participarmos deste altar, recebendo o Corpo e o Sangue de vosso Filho, sejamos repletos de todas as graças e bênçãos do céu.

1329 (Tom: G) Letra e Música: Antonio Carlos Santini
1 – O meu povo é um rio / que vai ter ao mar. / No calor, no frio, / vou te acompanhar. / O meu povo é um rio / que vai ter ao mar. / O meu povo santo, / Eu quero salvar. Povo meu, / povo meu, / canta ao Senhor! (4x) 2 – O meu povo é um rio, / vai se derramar. / E do chão vazio / flores vão brotar. / O meu povo é um rio, / águas vão correr. / Leva essa corrente / dentro do teu ser. 3 – E, no mar salgado, / este rio vai / levar a doçura / do amor do Pai. / Todo o que tem sede / dele vai beber. / E, nas águas vivas, / há de renascer. 4 – Vinde agora e vede / o homem do mar. / Com a sua rede / peixes a pescar. / Nunca mais de fome / vamos perecer. / E o santo nome / faz-nos reviver.

T– S–

T– S–

1330 (Tom: E) D.R.
Bom-dia, sol, bom-dia, terra, bom-dia, mar, / bom-dia, mundo, começa a cantar. (bis) Bom-dia, você, que é meu amigo. / Bom-dia, você, que é meu irmão. / Bom-dia, você, bom-dia, você, / do meu coração. (bis) T– S–

Apêndice
ORAÇÕES EUCARÍSTICAS (para as missas) Oraçãoucarística I (ou Cânon Romano) S– T– S– T– S– T– S– T– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É nosso dever e nossa salvação.
(Prefácio próprio do tempo)

T– S–

Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Pai de misericórdia, a quem sobem nossos louvores, nós vos pedimos por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que abençoeis + estas oferendas apresentadas ao vosso altar. Abençoai nossa oferenda, o’ Senhor! Nós as oferecemos pela vossa Igreja santa e católica: concedei-lhe a paz e proteção, unindo-a num só corpo e governando-a por toda a terra. Nós as oferecemos

S–

T– S–

T– S–

T– S–

(Por Cristo, Senhor nosso. Amém!) Recebei, o’ Senhor, a nossa oferta! Lembrai-vos, o’ Pai, dos vossos filhos e filhas N.N. que partiram desta vida, marcados com o sinal da fé. A eles, e a todos os que adormeceram no Cristo, concedei a felicidade, a luz e paz. (Por Cristo, Senhor nosso. Amém!) Lembrai-vos, o’ Pai, dos vossos filhos! E a todos nós, pecadores, que confiamos na vossa imensa misericórdia, concedei, não por nossos méritos, mas por vossa bondade, o convívio dos Apóstolos e mártires: João Batista e Estêvão, Matias e Barnabé, (Inácio, Alexandre, Marcelino e Pedro; Felicidade e Perpétua, Águeda e Luzia, Inês, Cecília, Anastácia) e todos os vossos santos. Por Cristo, Senhor nosso. Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por Ele não cessais de criar e santificar estes bens e distribuí-los entre nós. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre! Amém!

T– S–

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO M EU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. T– S– Eis o mistério da fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir. Recebei, o’ Senhor, a nossa oferta! E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo. Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Lembrai-vos, o’ Pai, da vossa Igreja que se fez presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o Papa N., com nosso bispo N., e todos os ministros do vosso povo. Lembrai-vos, o’ Pai, da vossa Igreja! Lembrai-Vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a Vós, na luz da Vossa face. Lembrai-Vos, o’ Pai, dos Vossos filhos! Enfim, vos pedimos: tende piedade de todos nós e dainos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que, neste mundo, vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho. Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre! Amém!

T– S–

T– S–

T–

T–

Oração Eucarística II S– T– S– T– S– T– S– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Ele é a vossa Palavra viva, pela qual tudo criastes. Ele é o nosso Salvador e Redentor, verdadeiro homem, concebido do Espírito Santo e nascido da Virgem Maria. Ele, para cumprir a vossa vontade, e reunir um povo santo em vosso louvor, estendeu os braços na hora da sua paixão a fim de vencer a morte e manifestar a sua ressurreição. Por Ele os anjos celebram vossa grandeza e os santos proclamam vossa glória. Concedei-nos, também a nós, associarmo-nos a seus louvores, cantando (dizendo) a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Na verdade, o’ Pai, Vós sois santo e fonte de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e + o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. Santificai nossa oferenda, o’ Senhor! Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, Ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T–

Oração Eucarística III S– T– S– T– S– T– S– T– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É o nosso dever e nossa salvação.
(Prefácio próprio do tempo)

S–

T– S–

Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Na verdade, Vós sois santo, o’ Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por

S–

T– S–

Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito. Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai, pelo Espírito Santo, as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas a fim de que se tornem o Corpo + e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. Santificai nossa oferenda, o’ Senhor! Na noite em que ia ser entregue, Ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Anunciamos, Senhor a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando agora, o’ Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e, enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos, em ação de graças, este sacrifício de vida e santidade. Recebei, o’ Senhor, a nossa oferta! Olhai, com bondade, a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos, em Cristo, um só corpo e um só espírito. Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que Ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, o’ Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai, na fé e na caridade, a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo; o vosso servo o Papa N., o nosso bispo N. e os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. Lembrai-vos, o’ Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em Vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T– S–

Lembrai-vos, o’ Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade, no vosso reino, os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. A todos saciai com vossa glória! Por Ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todopoderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre! Amém!

T– S–

T– S–

T–

Oração Eucarística IV S– T– S– T– S– T– S– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus! Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É o nosso dever e nossa salvação. Na verdade, o’ Pai, é nosso dever dar-vos graças; é nossa salvação dar-vos glória: só Vós sois o Deus vivo e verdadeiro que existis antes de todo tempo e permaneceis para sempre, habitando em luz inacessível. Mas, porque sois o Deus de bondade e a fonte da vida, fizestes todas as coisas para cobrir de bênçãos as vossas criaturas e a muitos alegrar com a vossa luz. Alegrai-nos, o’ Pai, com vossa luz! Eis, pois, diante de Vós todos os anjos que vos servem e glorificam sem cessar, contemplando a vossa glória. Com eles, também nós, e, por nossa voz, tudo o que criastes, celebramos o vosso nome, cantando (dizendo) a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Nós proclamamos a vossa grandeza, Pai Santo, a sabedoria e o amor com que fizestes todas as coisas: criastes o homem e a mulher à vossa imagem e lhes confiastes todo o universo, para que, servindo a Vós, seu criador, dominassem toda criatura. E, quando, pela desobediência, perderam a vossa amizade, não os abandonastes ao poder da morte, mas a todos socorrestes com bondade, para que, ao procurar-vos, vos pudessem encontrar. Socorrei, com bondade, os que vos buscam! E ainda mais: oferecestes, muitas vezes, aliança aos homens e às mulheres e os instruístes pelos profetas na esperança da salvação. E de tal modo, Pai Santo, amastes o mundo que, chegada a plenitude dos tempos, nos enviastes vosso próprio Filho para ser o nosso Salvador. Por amor nos enviastes vosso Filho! Verdadeiro homem, concebido do Espírito Santo e nascido da Virgem Maria, viveu em tudo a condição humana, menos no pecado; anunciou aos pobres a salvação, aos oprimidos, a liberdade, aos tristes, a

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T– S–

S–

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

alegria. E, para realizar o vosso plano de amor, entregou-se à morte e, ressuscitando dos mortos, venceu a morte e renovou a vida. Jesus Cristo deu-nos vida por sua morte! E, a fim de não mais vivermos para nós, mas para Ele, que por nós morreu e ressuscitou, enviou de Vós, o’ Pai, o Espírito Santo, como primeiro Dom aos vossos fiéis para santificar todas as coisas, levando à plenitude a sua obra. Santificai-nos pelo Dom do vosso Espírito! Por isso, nós vos pedimos que o mesmo Espírito Santo santifique estas oferendas, a fim de que se tornem o Corpo e Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, para celebrarmos este grande mistério, que Ele nos deixou em sinal da eterna aliança. Santificai nossa oferenda pelo Espírito! Quando, pois, chegou a hora em que por Vós, o’Pai, ia ser glorificado, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. Enquanto ceavam, Ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Anunciamos, Senhor a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, agora, o’ Pai, a memória da nossa redenção, anunciamos a morte de Cristo e a sua descida entre os mortos; proclamamos a sua ressurreição e ascensão à vossa direita e, esperando a sua vinda gloriosa, nós vos oferecemos o seu Corpo e Sangue, sacrifício do vosso agrado e salvação do mundo inteiro. Recebei, o’ Senhor, a nossa oferta! Olhai, com bondade, o sacrifício que destes à vossa Igreja e concedei a nós, que vamos participar do mesmo pão e do mesmo cálice, que, reunidos pelo Espírito Santo num só corpo, nos tornemos, em Cristo, um sacrifício vivo para o louvor da vossa glória. Fazei de nós um sacrifício de louvor! E agora, o’ Pai, lembrai-vos de todos pelos quais vos oferecemos este sacrifício: o vosso servo o Papa N., o nosso bispo N., os bispos do mundo inteiro, os presbíteros e todos os ministros, os fiéis, que, em torno deste altar, vos oferecem este sacrifício, o povo que vos pertence e todos aqueles que vos procuram de coração sincero. Lembrai-vos, o’ Pai, dos vossos Filhos! Lembrai-vos também dos que morreram na paz do vosso Cristo, e de todos os mortos dos quais só vós conhecestes a fé. A todos saciai com vossa glória!

S–

T– S–

E a todos nós, vossos filhos e filhas, concedei, o’ Pai de bondade, que, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os Apóstolos e todos os santos, possamos alcançar a herança eterna do vosso Reino, onde, com todas as criaturas libertas da corrupção do pecado e da morte, vos glorificaremos por Cristo, Senhor nosso. Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por Ele dais ao mundo todo bem e toda a graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todopoderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre! Amém!

T– S–

T–

Oração Eucarística V S– T– S– T– S– T– S– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É nosso dever e nossa salvação. É justo e nos faz todos ser mais santos louvar a Vós, o’ Pai, no mundo inteiro, de dia e de noite, agradecendo com Cristo, vosso Filho, nosso irmão. É Ele o sacerdote verdadeiro que sempre se oferece por nós todos, mandando que se faça a mesma coisa que fez naquela ceia derradeira. Por isso, aqui estamos, bem unidos, louvando e agradecendo com alegria, juntando nossa voz à voz dos anjos e à voz dos santos todos, para cantar (dizer): Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Senhor, Vós, que sempre quisestes ficar muito perto de nós, vivendo conosco no Cristo, falando conosco por Ele, mandai vosso Espírito Santo a fim de que as nossas ofertas se mudem no Corpo + e no Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo. Mandai vosso Espírito Santo! Na noite em que ia ser entregue, ceando com seus apóstolos, Jesus, tendo o pão em suas mãos, olhou para o céu e deu graças, partiu o pão e o entregou a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, no fim da ceia, tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Tudo isto é Mistério da Fé! Toda vez que se come deste Pão, toda vez que se bebe deste Vinho, se recorda a paixão de Jesus Cristo e se fica esperando sua volta.

T– S–

T–

T– S–

S–

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T–

S–

T– S–

Recordamos, o’ Pai, neste momento, a paixão de Jesus, Nosso Senhor, sua ressurreição e ascensão: nós queremos a Vós oferecer este Pão, que alimenta e que dá vida, este Vinho, que nos salva e dá coragem. Recebei, o’ Senhor, a nossa oferta! E quando recebermos Pão e Vinho, o Corpo e Sangue dele oferecidos, o Espírito nos una num só corpo, para sermos um só povo em seu amor. O Espírito nos una num só corpo! Protegei vossa Igreja, que caminha nas estradas do mundo rumo ao céu, cada dia renovando a esperança de chegar junto a Vós, na vossa paz. Caminhamos na estrada de Jesus. Dai ao santo Padre, o Papa N. ser bem firme na fé, na caridade, e a N., que é Bispo desta Igreja, muita luz para guiar o seu rebanho. Caminhamos na estrada de Jesus. Esperamos entrar na vida eterna com a virgem, Mãe de Deus e da Igreja, os apóstolos e todos os santos que na vida souberam amar Cristo e seus irmãos. Esperamos entrar na vida eterna. A todos que chamastes para outra vida na vossa amizade, e aos marcados com o sinal da fé, abrindo vossos braços, acolhei-os. Que vivam para sempre bem felizes no Reino que para todos preparastes. A todos dai a luz que não se apaga! E a nós, que agora estamos reunidos e somos povo santo e pecador, dai força para construirmos juntos o vosso reino que também é nosso. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre! Amém!

S–

T– S–

Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo + e o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mandai o vosso Espírito Santo! Na véspera de sua Paixão, durante a última ceia, Ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo ao fim da ceia, Ele, tomando o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Toda vez que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos, Senhor, a vossa morte, enquanto esperamos a vossa vinda. Celebrando pois, o’ Pai Santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que, pela paixão e morte de cruz, fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que Ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos. Aceitai, o’ Senhor, a nossa oferta! Pela participação neste mistério, o’ Pai todo-poderoso, santificai-nos pelo Espírito e concedei que nos tornemos semelhantes à imagem de vosso Filho. Fortalecei-nos na unidade, em comunhão com o nosso Papa..., e o nosso Bispo..., com todos os bispos, presbíteros, diáconos e todo o vosso povo. O vosso Espírito nos una num só corpo! Fazei que todos os membros da Igreja, à luz da fé, saibam reconhecer os sinais dos tempos e empenhemse, de verdade, no serviço do evangelho. Tornai-nos abertos e disponíveis para todos, para que possamos partilhar as dores e as angústias, as alegrias e as esperanças, e andar juntos no caminho do vosso Reino. Caminhamos no amor e na alegria. Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs..., que adormeceram na paz do vosso Cristo, e de todos os falecidos cuja fé só Vós conhecestes: acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição, a plenitude da vida. Concedei-lhes, o’ Senhor, a luz eterna! Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos para sempre com os apóstolos e mártires (santo do dia ou padroeiro) e todos os santos, vos louvaremos e glorificaremos, por Jesus Cristo, vosso

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T– S–

S–

T– S–

T–

T– S–

Oração Eucarística VI - C S– Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai Santo, Senhor do céu e da terra, por Cristo, Senhor nosso. Pela vossa Palavra criastes o universo; com vossa justiça tudo governais. Tendo-se encarnado, Vós nos destes o vosso Filho como mediador. Ele nos dirigiu a vossa Palavra, convidando-nos a seguir seus passos. Ele é o caminho que conduz para Vós, a verdade que nos liberta e a vida que nos enche de alegria. Por vosso Filho, reunis, em uma só família, os homens e as mulheres, criados para glória de vosso nome, redimidos pelo sangue de sua cruz e marcados com o selo do vosso Espírito. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos à multidão dos anjos e dos santos, cantando (dizendo) a uma só voz: Santo, Santo, Santo. Na verdade, Vós sois santo e digno de louvor, o’ Deus, que amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso Filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, nos revela as escrituras e parte o pão para nós. O vosso Filho permaneça entre nós!

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T–

Filho. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre! Amém! T– S–

ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Anunciamos, Senhor a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Lembramo-nos de Jesus Cristo, nossa Páscoa e certeza da paz definitiva. Hoje celebramos sua morte e ressurreição, esperando o dia feliz de sua vinda gloriosa. Por isso, vos apresentamos, o’ Deus fiel, a vítima de reconciliação que nos faz voltar à vossa graça. Esperamos, o’ Cristo, vossa vinda gloriosa! Olhai, com amor, Pai misericordioso, aqueles que atraís para Vós, fazendo-os participar no único sacrifício do Cristo. Pela força do Espírito Santo, todos se tornem um só corpo bem unido, no qual todas as divisões sejam superadas! Esperamos, o’ Cristo, vossa vinda gloriosa. Conservai-nos, em comunhão de fé e de amor, unidos ao Papa N., e ao nosso bispo N. Ajudai-nos a trabalhar juntos na construção do vosso Reino, até o dia em que, diante de Vós, formos santos com os vossos santos, ao lado da Virgem Maria e dos Apóstolos, com nossos irmãos e irmãs já falecidos, que confiamos à vossa misericórdia. Quando fizermos parte da nova criação, enfim liberada de toda maldade e fraqueza, poderemos cantar a ação de graças do Cristo que vive para sempre. Esperamos, o’ Cristo, vossa vinda gloriosa. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós Deus Pai todopoderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre! Amém!
(Outra opção é cantar)

Oração Eucarística sobre Reconciliação I S– T– S– T– S– T– S– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É o nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e bom agradecer-vos, Deus Pai, porque constantemente nos chamais a viver na felicidade completa. Vós, Deus de ternura e de bondade, nunca vos cansais de perdoar. Ofereceis vosso perdão a todos, convidando os pecadores a entregar-se confiantes à vossa misericórdia. Como é grande, o’ Pai, a vossa misericórdia! Jamais nos rejeitastes quando quebramos a vossa aliança, mas, por Jesus, vosso Filho e nosso irmão, criastes, com a família humana, novo laço de amizade, tão estreito e forte que nada o poderá romper. Concedei agora, a vosso povo, tempo de graça e reconciliação. Dai, pois, em Cristo, novo alento à vossa Igreja, para que se volte para Vós. Fazei que, sempre mais dócil ao Espírito Santo, se coloque ao serviço de todos. Como é grande, o’ Pai, a vossa misericórdia! Cheios de admiração e reconhecimento, unimos nossa voz à voz das multidões do céu para cantar o poder de vosso amor e a alegria da nossa salvação: Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! O’ Deus, desde a criação do mundo, fazeis o bem a cada um de nós para sermos santos como Vós sois Santo. Olhai vosso povo aqui reunido e derramai a força do Espírito, para que estas oferendas se tornem o Corpo + e o Sangue do Filho muito amado, no qual também somos vossos filhos. Enquanto estávamos perdidos e incapazes de vos encontrar, Vós nos amastes de modo admirável: pois vosso Filho - o Justo e Santo - entregou-se em nossas mãos aceitando ser pregado na cruz. Como é grande, o’ Pai, a vossa misericórdia! Antes, porém, de seus braços abertos traçarem entre o céu e a terra o sinal permanente da vossa aliança Jesus quis celebrar a Páscoa com seus discípulos. Ceando com eles, tomou o pão e pronunciou a bênção de ação de graças. Depois, partindo o pão, o deu a seus amigos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Ao fim da ceia, Jesus sabendo que ia reconciliar todas as coisas pelo sangue a ser derramado na cruz, tomou o cálice com vinho. Ele vos deu graças novamente, e passou o cálice a seus amigos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T– T–

S–

Amém! Louvor e glória ao Pai, que em Cristo nos dá o seu perdão!

Oração Eucarística sobre Reconciliação II S– T– S– T– S– T– S– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É o nosso dever e nossa salvação. Nós vos agradecemos, Deus Pai todo-poderoso, e por causa de vossa ação no mundo vos louvamos pelo Senhor Jesus. No meio da humanidade, dividida em contínua discórdia, sabemos, por experiência, que sempre levais as pessoas a procurar a reconciliação. Vosso Espírito Santo move os corações de modo que os inimigos voltem à amizade, os adversários se dêem as mãos e os povos procurem reencontrar a paz. Fazei-nos, o’ Pai, instrumentos de vossa paz! Sim, o’ Pai, porque é obra vossa que a busca da paz vença os conflitos, que o perdão supere o ódio e a vingança dê lugar à reconciliação. Por tudo de bom que fazeis, Deus de misericórdia, não podemos deixar de

T– S–

T– S–

T–

vos louvar e agradecer. Unidos ao coro dos reconciliados, cantamos (dizendo) a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Deus de amor e de poder, louvado sois em vosso Filho Jesus Cristo, que veio em vosso nome! Ele é a vossa Palavra que liberta e salva toda a humanidade. Ele é a mão que estendeis aos pecadores. Ele é o Caminho pelo qual nos chega a Vossa paz. Fazei-nos, o’ Pai, instrumentos de vossa paz! Deus, nosso Pai, quando vos abandonamos, Vós nos reconduzistes por vosso Filho, entregando-o à morte para que voltássemos a Vós e nos amássemos uns aos outros. Por isso, celebramos a reconciliação que vosso Filho nos mereceu. Cumprindo o que ele nos mandou, vos pedimos: Santificai + por vosso Filho, estas oferendas. Antes de dar a vida para nos libertar, durante a ceia, Jesus tomou o pão, pronunciou a bênção de ação de graças e o entregou a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Naquela mesma noite, tomou nas mãos o cálice e, proclamando a vossa misericórdia, o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! O’ Deus, Pai de misericórdia, vosso Filho nos deixou esta prova de amor. Celebrando a sua morte e ressurreição, nós vos damos aquilo que nos destes: o sacrifício da perfeita reconciliação. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Nós vos pedimos, o’ Pai, aceitai-nos também como vossos filhos e, nesta ceia, dai-nos o mesmo Espírito, que arranca o que divide. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Ele nos conserve em comunhão com o Papa N., e nosso bispo N., com todos os bispos e o povo que conquistastes. Fazei de vossa Igreja sinal da unidade entre os seres humanos e instrumento da vossa paz. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Assim como aqui nos reunistes, o’Pai, à mesa de vosso Filho, em união com a Virgem Maria, Mãe de Deus, e com todos os santos, reuni no mundo novo, onde brilha a vossa paz, os homens e as mulheres de todas as classes e nações, de todas as raças e línguas, para a ceia da comunhão eterna, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou!

S–

T– T–

Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre! Amém!
(Outra opção é cantar)

S–

Amém! Louvor e glória ao Pai, que em Cristo nos dá o seu perdão!

Oração Eucarística Para Missa Com Crianças I S– T– S– T– S– T– S– O Senhor esteja convosco! Ele está no meio de nós. Corações ao alto! O nosso coração está em Deus. Demos graças ao Senhor, nosso Deus! É o nosso dever e nossa salvação. Deus, nosso Pai, Vós nos reunistes, e aqui estamos, todos juntos, para celebrar vossos louvores com o coração em festa. Nós vos louvamos por todas as coisas bonitas que existem no mundo e também pela alegria que dais a todos nós. Nós vos louvamos pela luz do dia e por vossa Palavra, que é nossa luz. Nós vos louvamos pela terra onde moram todas as pessoas. Obrigado pela vida que de Vós recebemos. O céu e a terra proclamam a vossa glória! Hosana nas alturas! Sim, o’ Pai, Vós sois muito bom: amais a todos nós e fazeis por nós coisas maravilhosas. Vós sempre pensais em todos e quereis ficar perto de nós. Mandastes vosso Filho querido para viver no meio de nós. Jesus veio para nos salvar: curou os doentes, perdoou os pecadores. Mostrou a todos o vosso amor, ó Pai: acolheu e abençoou as crianças. Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! Nós não estamos sozinhos para cantar vossos louvores. Estamos bem unidos com a Igreja inteira: com o Papa N., com o nosso Bispo N., e com todos os nossos irmãos. Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas! No céu também, o’ Pai, todos cantam o vosso louvor: Maria, Mãe de Jesus, os Apóstolos, os anjos e os santos, vossos amigos. Nós, aqui na terra, unidos a eles, com todas as crianças do mundo e suas famílias, alegres cantamos (dizemos) a uma só voz: Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! Hosana nas alturas! Pai, para vos dizer muito obrigado, trouxemos este pão e este vinho: Pedimos que mandeis vosso Espírito Santo para que estas oferendas se tornem o Corpo + e o Sangue de Jesus, vosso Filho querido. Assim, o’ Pai, vos oferecemos o mesmo dom que Vós nos dais. Bendito sejais, Senhor Jesus! Jesus, antes de sua morte, pôs-se à mesa com os Apóstolos, tomou o pão nas mãos e, rezando, vos louvou. Depois partiu o pão e o deu a seus amigos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Bendito sejais, Senhor Jesus!

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T– S–

T–

S–

T– S–

T– S–

T– S–

T–

T–

S–

T– S–

Antes de terminar a Ceia, Jesus pegou o cálice de vinho e vos agradeceu de novo. Depois o deu a seus amigos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA A REMISSÃO DOS PECADOS. E disse também: FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Bendito sejais, Senhor Jesus! Nesta reunião, fazemos o que Jesus mandou. Lembramos a morte e ressurreição de Jesus que vive no meio de nós. Oferecemos, também este pão, que dá a vida, e este cálice da nossa salvação. Junto com Jesus, o’ Pai, entregamos a nossa vida em vossas mãos. Com Jesus, recebei nossa vida! Pai, que tanto nos amais, deixai-nos aproximar desta mesa para receber o Corpo e o Sangue do vosso Filho. Pedimos que o Espírito Santo nos ajude a viver unidos na alegria. O’ Pai, sabemos que sempre vos lembrais de todos. Por isso, pedimos por aqueles que nós amamos (N.N.) e por todos os que morreram em vossa paz. Cuidai dos que sofrem e andam tristes: olhai com carinho o povo cristão e todas as pessoas do mundo. Com Jesus, recebei nossa vida! Diante de tudo que fazeis por meio de vosso Filho Jesus, nós vos bendizemos e louvamos. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre! Amém!
(Outra opção é cantar)

S– T–

Oremos por nosso bispo N. Que ele permaneça firme / e apascente o seu rebanho na vossa fortaleza, Senhor, / na sublimidade do vosso nome! Tu és sacerdote para sempre, (aleluia). Segundo a ordem de Melquisedeque. (Aleluia!) Oremos: O’ Deus, que velais sobre o vosso povo com bondade e o conduzis com amor, dai o espírito de sabedoria e a abundância de vossas graças a vosso servo N, nosso prelado, a quem confiastes o cuidado de nossa direção espiritual, para que ele cumpra fielmente, junto de nós, os deveres do ministério sacerdotal e receba, na eternidade, a recompensa de um fiel dispensador. Por Cristo, Senhor nosso. Amém!

S– T– S–

T– S–

T–

Tão Sublime Sacramento Tão sublime sacramento / Adoremos neste altar, Pois o Antigo Testamento / Deu ao Novo o seu lugar. Venha a fé, por suplemento, / Os sentidos completar. Ao Eterno Pai cantemos / E a Jesus, o Salvador. Ao Espírito exaltemos, / Na Trindade, Eterno Amor. Ao Deus Uno e Trino demos / A alegria do louvor. Amém! S– T– S– Do céu lhes destes o Pão, (aleluia). Que contém todo o sabor. (Aleluia!) Oremos: Deus, que neste admirável sacramento nos deixastes o memorial da vossa Paixão, concedei-nos tal veneração pelos sagrados mistérios do vosso Corpo e do vosso Sangue, que experimentemos sempre em nós a sua eficácia redentora. Vós, que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo. Amém!

T– S–

T– T–

Amém! Honra e louvor ao Pai, que em Cristo nos salvou! Ou: Amém! Aleluia! Aleluia! Ou: Amém! Louvor e glória a Deus, que é nosso Pai! Ou: Amém! Cristo é o nosso irmão, para a glória de Deus Pai!

T–

Bendito seja Deus Bendito seja Deus! Bendito seja o seu santo nome! Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem! Bendito seja o nome de Jesus! Bendito seja o seu sacratíssimo coração! Bendito seja o seu preciosíssimo sangue! Bendito seja Jesus no santíssimo sacramento do altar! Bendito seja o Espírito Santo Paráclito! Bendita seja a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima! Bendita seja a sua santa e imaculada Conceição! Bendita seja a sua gloriosa Assunção! Bendito seja o nome de Maria, Virgem e Mãe! Bendito seja São José, seu castíssimo esposo! Bendito seja Deus no seus Anjos e nos seus Santos! Oração pela Igreja e pela Pátria Deus e Senhor nosso, protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso Santo Padre, o Papa;

BÊNÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO S– T– Oremos pelo nosso Santo Padre o Papa N. O Senhor o guarde e lhe conceda longa vida, torne-o feliz na terra e não o deixe cair sob ira de seus inimigos! Tu és Pedro, (aleluia). E sobre esta pedra edificarei a minha Igreja. (Aleluia!) Oremos: Deus, pastor e guia de todos os fiéis, olhai propício para o vosso servo N. que constituístes pastor da vossa Igreja. Concedei-lhe, vos suplicamos, a graça de edificar seus súditos com suas palavras e exemplos, a fim de que, com o rebanho que lhe foi confiado, alcance a vida eterna. Por Cristo, Senhor nosso. Amém!

S– T– S–

T–

sobre o nosso bispo N..., e os bispos auxiliares N..., sobre o nosso Pároco, sobre todo o clero, sobre o chefe da Nação e do Estado, e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade, para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei, com os efeitos contínuos da vossa bondade, o Brasil, este bispado, a paróquia em que habitamos, a cada um de nós em particular e a todas pessoas por quem somos obrigados a orar ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório! Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna! Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai. Oração do Espírito Santo Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. - Enviai o vosso Espírito, e tudo será criado. - E renovareis a face da terra. Oremos: O’ Deus, que iluminais os corações dos vossos fiéis com as luzes do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de suas consolações. Por Cristo, nosso Senhor. Amém! Oração da Família Nós vos bendizemos, Senhor, pois quisestes que vosso Filho nascesse e crescesse numa família, experimentando as dificuldades e as alegrias que cercam nossa vida. Nós vos pedimos por nossa família: protegei-nos e guardai-nos. Acompanhai os passos de nossas crianças com o vosso olhar de Pai. Conduzi os jovens pelos caminhos do amor, da justiça, do diálogo e da fé. Fazei que os pais vivam a vocação assumida no sacramento do matrimônio e realizemos juntos uma Igreja doméstica, sendo testemunho de vosso amor. Isto vos pedimos por Jesus Cristo, que convosco vive na unidade do Espírito Santo. Amém! Oração pelas Vocações O’ Jesus, bom Pastor, / suscita em todas as comunidades paroquiais, / sacerdotes e diáconos, / religiosos e religiosas, / leigos consagrados e missionários, / segundo as necessidades do mundo inteiro, / que amas e queres salvar. Assiste os nossos pastores e todas as pessoas consagradas. / Guia os passos daqueles / que acolheram generosamente o teu chamado / e se preparam para as ordens sagradas / ou para a profissão dos conselhos evangélicos. / Volve teu olhar de amor sobre muitos jovens generosos / e chama-os para te seguir. Confiamos esses grandes interesses do teu coração / à poderosa intercessão de Maria, / Mãe e modelo de todas as vocações, / na certeza de que o Pai ouvirá / aquilo que Tu mesmo nos mandaste pedir. / Amém.
João Paulo II

EDIÇÃO REVISTA E ATUALIZADA DO “CANTAI AO SENHOR” CANTAI AO SENHOR 1330 Cantos para Missas, Celebrações e Animações em nossas Comunidades EQUIPE “CANTAI AO SENHOR” Celina Scandian Barbosa Francisco Carlos Peixoto Irmã Laura Effgen Maria Elza Bravim Calvi Pe. Ivo Ferreira de Amorim Rosa Pascohina dos Anjos EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Comunicação Impressa Ltda. Rua Henrique Moscoso, nº 833 Edifício New York, sala 208 Vila Velha - ES - CEP 29100-020 Telefones: (27)32290299 e 33199062 E-mail: c.impressa@uol.com.br ILUSTRAÇÕES Denílson Coelho Telefones: (27)339-3825 e 339-9330 IMPRESSÃO Paulus Gráfica - 2001 33230116 32002130

ARQUIDIOCESE DE VITÓRIA
Espírito Santo DIMENSÃO LITÚRGICA Rua Abílio dos Santos, 47 - Cidade Alta - Caixa Postal 107 CEP 29100-970 - Vitória - ES

Telefone: (27)223-6711 - Ramal: 235 - Fax: (27)223-1227 / 3223-8480 E-mail: dliturgica@aves.org.br

Orientações ao usuário do “CANTAI AO SENHOR”
1 – Este livro contém índice apenas alfabético. 2 – Esse índice refere-se às palavras ou frases iniciais de cada canto, por exemplo: Cantai ao Senhor um cântico novo...; Peregrino nas estradas...; Na aldeia sofrida..., etc. 3 – No caso do “aleluia”, ainda que repetido várias vezes, sua indicação é feita assim: Aleluia! Graças eu te dou...; Aleluia! Ponhome a ouvir..., etc. 4 – O bis indica a repetição de todo o refrão ou de toda a estrofe. 5 – As representações (2x), (3x), (4x), após um ou mais versos, indicam a quantidade de repetições desse(s) verso(s). 6 – A impressão em itálico dos versos indica ou a repetição apenas desses versos (cantos nos 35, 63, 100, etc.); ou a resposta ao verso anterior, que pode ser cantada por uma voz diferente ou pela própria assembléia (cantos nos 121, 155, 330, 368, etc.); ou ainda um solo (cantos nos 379, 386, etc.). Essa não é uma forma rigorosa, fica a critério da paróquia ou comunidade adotá-la ou não. 7 – Nesta nova edição, inseriram-se cantos de Acolhida do Livro das Sagradas Escrituras, de Partilha e de Padroeiros (apóstolos, mártires, santas e santos) e Refrãos Contemplativos. 8 – Os cantos próprios do Tempo de Advento, de Natal, de Páscoa, e de Maria seguem-se um ao outro, tanto nos cantos de Abertura, quanto nos de Aclamação, Oferendas, Partilha, Comunhão, e de Canto Final.

Apresentação
Nesta 3ª edição do nosso livro de cânticos “Cantai ao Senhor” encontramos várias novidades:  Troca de vários cantos pouco usados por outros com ênfase no aspecto litúrgico pastoral;  Partitura para todos os cânticos, o que vai facilitar o trabalho dos músicos;  Inserção de Orações Eucarísticas, o que possibilitará a aclamação dos refrãos diretamente pela assembléia. Nosso hinário torna-se, assim, um instrumento ainda melhor para uma participação ativa nas celebrações. A Igreja agradece de coração a toda sua equipe e a todos quantos colaboraram nesse importante serviço. Faço votos que o nosso “Cantai ao Senhor” seja sempre mais utilizado, não só por todas as Paróquias, mas por todos os segmentos da nossa Igreja. “Sob a inspiração da graça cantai a Deus, de todo coração, salmos, hinos e cânticos espirituais” (Col 3,16).

9– O canto deve estar sempre em sintonia com o tempo litúrgico ou com o momento da Dom Silvestre Luiz Scandian celebração; portanto, não cante cantos próprios po de Vitória – ES ao Tempo Pascal durante o Tempo Comum, nem cantos de Abertura no momento da Comunhão.

Orientações sobre o Canto Litúrgico
Liturgia como Ação Comunitária da Igreja
A Liturgia é ação comunitária da Igreja, o novo Povo de Deus, que está no mundo vivenciando as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias com todos os homens e mulheres de hoje, sobretudo com os pobres. (nº 16, doc. 52, CNBB) Por esse povo simples, Jesus continua bendizendo o Pai, por lhe revelar os seus segredos... convidando-o: “Venham a mim todos vocês que estão cansados de carregar o peso do seu fardo, e Eu lhes darei descanso. Carreguem a minha carga e aprendam de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas vidas, porque a minha carga e o meu peso é leve” (Mt, 11,25.28-30). E a celebração é, com certeza, um momento muito especial de experimentar “como o Senhor é bom” (Sl 34(33),9). Nesse sentido, o canto e a música têm muito que ver com essa experiência de Deus. Partindo desse ponto, o subsídio nº 79 da CNBB sobre a música litúrgica no Brasil é escrito para estudo, a fim de gerar reflexão sobre o assunto. Por isso mesmo, ele procura atender, de forma geral, a todas e diferentes realidades. Colocando em nosso livro “Cantai ao Senhor”, 3ª edição - revista e ampliada - algumas orientações sobre o canto litúrgico, extraídas do subsídio 79 da CNBB, desejamos que nossas comunidades conheçam esse precioso trabalho e participem da reflexão séria sobre esse assunto que vem acontecendo em nossa Igreja. Para um maior aprofundamento sugerimos recorrer ao próprio documento e a outras fontes. Amém! 1• Ministérios referentes à música na Liturgia Quando a assembléia litúrgica se reúne para celebrar o Mistério de Cristo, ela se serve de pessoas (os diversos ministros) e de coisas (músicas, flores, incenso, velas, etc.) que passam, então, a desempenhar um papel ministerial (um serviço) na celebração. Da Equipe Litúrgica (ou Equipe de Liturgia) fazem parte não só o ministro ordenado (diácono, presbítero ou bispo), mas também todas as pessoas encarregadas de algum serviço na celebração: pessoas da limpeza e ornamentação, da acolhida à porta da Igreja, leitores,

comentaristas, animadores do canto ou grupo de cantores, instrumentistas, pessoas que fazem as preces ou louvores, ministros da distribuição da Comunhão, etc. Como já é sabido, o Povo de Deus, sobretudo na assembléia litúrgica, expressa-se como um Povo sacerdotal e organizado, no qual a diversidade dos ministérios e serviços concorre para o enriquecimento de todos. A unidade e a harmonia desses diversos ministérios são um serviço do ministério da presidência. Convocada por Deus, a assembléia litúrgica, expressão sacramental da Igreja, unida a Jesus Cristo, é o sujeito da celebração (sbs . 79, nº 220/223). 1.1• Ministério da Assembléia  A melodia de um canto litúrgico é feita, sobretudo, para ser cantada pela assembléia. O canto do solista ou o toque de um instrumento podem ter o seu momento e função, mas não é o comum. Geral e prioritário é o canto da assembléia.  Onde não é possível organizar um pequeno grupo de pessoas que cantam, é importante a participação de, no mínimo, duas pessoas, a fim de apoiar e dirigir o canto dos fiéis. Seu ministério (serviço) será orientar a escolha dos cantos a ser cantados; equilibrar essa escolha com cantos conhecidos e novos; animar o canto da assembléia, ajudá-la, com a sua sensibilidade, a encontrar uma expressão corporal adequada a cada tipo de canto, sempre com muita naturalidade e simplicidade.  A escolha dos cantos seja feita sempre em sintonia com a preparação da celebração, levando em conta, no mínimo, três critérios: o tempo litúrgico, os textos bíblicos e a realidade da assembléia celebrante. 1.2• Ministério do(a) Salmista  É importante valorizar o ministério do(a) salmista, como dom de Deus, como um serviço a ser prestado à comunidade, e não como um “show”. Durante o canto da assembléia, o(a) salmista cante sempre a melodia principal, evitando a segunda voz ou o contracanto (principalmente ao microfone), para não inibir assim a assembléia.  “Não se deve, por hipótese alguma, admitir ‘cantores profissionais’ contratados apenas para ‘dar show’ na celebração. Isso tanto desmerece o trabalho das equipes de celebração, quanto transforma a própria celebração em mera formalidade ‘social’, sem significado litúrgico verdadeiro: mais ‘comércio’ que liturgia”. 1.3• Ministério do(a) Coordenador(a)

 Quando há um(a) coordenador(a), também chamado(a) de regente, sua função é acolher fraternalmente as pessoas, convidar e motivar a assembléia a cantar. Essa pessoa precisa estar em sintonia com os diversos ministérios: presidente, leitores, salmistas, músicos, equipe de celebração, enfim, com a assembléia. 1.4• Ministério da Equipe de Canto ou do Coral Com relação à Equipe de Canto ou ao Coral, dentro da liturgia, conforme já ficou evidente, ambos exercem uma função ministerial como qualquer outra equipe da Comunidade, isto é, prestam um serviço à assembléia litúrgica reunida. Sua função não é eliminar o canto da assembléia, mas dirigir e reforçar o canto litúrgico da assembléia, deixando que ela cante sozinha algumas vezes.  A Equipe deve estar próxima dos demais fiéis e dos instrumentistas, entre o Presbitério e a assembléia, à esquerda ou à direita. Deve participar ativamente da celebração, tomando cuidado para evitar comportamentos que tirem a atenção da assembléia ou desmereçam o próprio ministério. 1.5• Ministério do(a) Instrumentista O(a) instrumentista desempenha um verdadeiro ministério ou função litúrgica na assembléia celebrante; por isso esse ministério é importante para uma celebração viva na liturgia renovada. Por se tratar de uma celebração litúrgica, executar um instrumento musical exige do(a) instrumentista que realize esse serviço com uma atitude espiritual. 1.6• Aspectos importantes a) Os instrumentos são de grande importância na liturgia à medida que prestam serviço à Palavra cantada, ao rito e à comunidade em oração; b) não existe instrumento sagrado ou profano; o seu uso depende de sua integração à liturgia, acompanhando e sustentando o canto; c) os instrumentos, além de acompanhar e sustentar o canto, podem ser executados sozinhos em alguns momentos da celebração (mas não devem substituir os momentos de silêncio). Com o seu toque, pode-se criar um clima de oração e recolhimento. Ex.: Antes de começar a celebração; durante a procissão das oferendas; após a comunhão; no final da celebração; entre uma estrofe e outra do canto; d) durante a proclamação das leituras, a homilia, a oração eucarística, o fundo musical somente será oportuno se tiver a finalidade de

e) f)

g)

h)

sustentar a afinação (de quem está cantando o texto), mas feito com sensibilidade e discrição; o instrumento usado seja tocado sempre de forma adequada ao momento celebrável e à natureza da assembléia; na liturgia jamais o instrumento deve abafar o canto da assembléia, do(a) solista ou da equipe de canto; deve apenas dar suporte, sustentar as vozes, nunca sobressair; a quantidade de instrumentos numa celebração deve levar em conta o tamanho do espaço celebrável, a natureza da celebração, o volume do som e o equilíbrio entre os vários instrumentos; os instrumentistas devem preparar e afinar os respectivos instrumentos antes das celebrações, sem chamar demais a atenção da assembléia. 2• Função do Canto na Liturgia

1) Canto de Abertura Também conhecido como “Canto Inicial” ou “de Entrada”. Tem o papel de criar comunhão. Seu mérito é convocar a assembléia, juntar os corações no encontro com o Ressuscitado. Este canto serve para animar a assembléia a escutar a Palavra de Deus. 2) “Senhor, tende piedade” A música, o canto, a expressão corporal, neste momento, devem ajudar as pessoas a se encontrarem com o Pai das Misericórdias e Deus de toda Consolação (2Cor 1,30), que nos liberta de toda culpa. 3) O “Hino do Glória” É um antigo hino da Igreja (séc. II ou III d.C.). Não é usado no Advento e na Quaresma. Hinos são para ser cantados e não falados. É recomendável executar este hino em dois grupos. Este hino não deve ser substituído por nenhum outro hino de louvor (ex.: “Glória, glória, aleluia!”). 4) O Canto de Acolhida do Livro das Sagradas Escrituras Este canto, bastante usado nas comunidades, provoca atitude de alerta e exultação no momento em que o Livro Sagrado é introduzido solenemente na assembléia. Em certas oportunidades, podem ser usados refrãos (mantras) curtos de caráter meditativo, que favoreçam a interiorização e o silêncio necessários à escuta da Palavra. Em outras oportunidades mais solenes e festivas, podem ser usados refrãos animados que provoquem a alegria da assembléia ao receber seu tesouro mais precioso, como aconteceu com o Povo de Deus nos tempos de Esdras (Ne 8,56.18). 5) Salmo de Meditação ou Responsorial

É uma continuação, meditativa e orante, da Palavra proclamada na 1ª Leitura. Ele torna viva a Aliança entre Deus e o seu povo, reforça os laços de amor e fidelidade. Ele é parte integrante da Liturgia da Palavra e é sempre um texto bíblico. Não deve ser substituído por nenhum “canto de meditação”. É importante que seja proclamado da Mesa da Palavra e que o povo participe cantando ou rezando um breve refrão. É recomendável um tempinho de silêncio entre a 1ª Leitura e o Salmo, a fim de que haja uma acolhida e meditação da Palavra proclamada. 6) O “Aleluia” Também conhecido como de Aclamação ao Evangelho. Sempre foi uma forma de manifestar o acolhimento a Cristo, que vem a nós por sua Palavra viva. Ele é composto de dois “aleluias” e de um verso do Evangelho a ser proclamado entre um e outro “aleluia”. No tempo em que se omite o “aleluia”, cante-se um verso aclamativo da Sagrada Escritura (Mt 4,4; 1Tm 6,16; 1Pd 4,11; Ap 1,6). É importante repetir o “aleluia” (ou o refrão escolhido) após a proclamação do Evangelho. 7) O Creio Por esta “Profissão de Fé” a assembléia responde à Palavra de Deus, proclamada na Liturgia da Palavra, confirmando para si mesma a regra de fé. Não deve ser substituído por nenhum canto, especialmente se a letra não contiver o texto do “símbolo” da Fé. 8) A “Oração Universal” Na “Oração Universal” (ou Oração dos fiéis ou, ainda, Preces da Comunidade), o povo exerce sua função sacerdotal e suplica por toda a humanidade. Conhecemos várias formas: •a primeira e mais solene é a da Sexta-Feira da Paixão, em que as intenções também são cantadas; •a segunda - as intenções são proclamadas pelo diácono, cantor ou outra pessoa, e a assembléia responde cantando a uma só voz; •a terceira - todas as intenções são incluídas numa só oração, à qual se responde uma só vez; •a quarta - é uma forma alternativa - cantar a ladainha; •a quinta - anúncio das intenções seguido de silêncio orante, que poderia ser acompanhado de um conveniente fundo musical. 9) Canto de Apresentação das Oferendas Na Missa, este canto, quando previsto, acompanha o gesto de colocar em comum os bens para as necessidades da comunidade (Rm 12,1-2; Ef 4,28), juntamente com o pão e o vinho, que serão consagrados e partilhados na Ceia do Senhor. O canto escolhido não precisa falar, necessariamente, de pão e de vinho ou de ofertório. Na tradição do Canto Litúrgico no Brasil, o “Canto de Apresentação das

Oferendas” tornou-se um momento em que o povo deseja expressar a sua disposição de querer oferecer sua vida, sua luta, seu trabalho ao Senhor. 10) A Partilha Na Celebração da Palavra (culto), após a oração universal ou preces da comunidade, conforme é costume em nossas comunidades, pode-se fazer a coleta (ofertas, dízimos, alimentos, etc.), como expressão de agradecimento a Deus pelos dons recebidos, coresponsabilidade na manutenção da comunidade e seus servidores, e como gesto de partilha com os irmãos mais necessitados. Evitem-se, para este momento, cantos específicos de oferendas (que citam pão e vinho). 11) O “Santo” Sua função é concluir o Prefácio da Oração Eucarística (na Missa) ou então para cantar o Louvor de Deus na Celebração da Palavra. É um canto que pertence à comunidade toda. É recomendável cantar hinos que contenham apenas as palavras que Isaías, na sua visão no Templo, ouviu os Serafins cantarem (Is 6,3 e Mt 21,9). 12) Canto de Louvor / Louvação / Ação de Graças Este é um dos momentos fundamentais da Celebração da Palavra (culto), em que a comunidade reconhece a ação salvadora de Deus, realizada por Jesus Cristo, e canta os seus louvores. É a vida nova que brota da Ressurreição do Cristo e se manifesta na vida familiar, pessoal, comunitária e social. Este momento pode ser realizado por meio de salmos, hinos, cânticos, orações litânicas, benditos ou por outras expressões inspiradas na piedade popular. Não fazem parte deste momento:  a apresentação das ofertas de pão e vinho, como na missa;  a proclamação da Oração Eucarística;  o canto do Cordeiro;  a bênção dada por ministros ordenados;  a adoração ao Santíssimo Sacramento. 13) A Aclamação Memorial É uma das aclamações mais importantes da Missa, por isso convém que seja cantada por todos, em resposta à introdução “Eis o mistério da fé!”. É o momento do anúncio do Mistério Pascal, e não se deve substituir essa aclamação por um canto de devoção eucarística. 14) As Aclamações da Oração Eucarística Durante a Oração Eucarística (na Missa) estão previstas várias aclamações da assembléia. É o jeito mais significativo de o povo participar do grande louvor, da solene Ação de Graças, da Bênção das Bênçãos. 15) O Grande “AMÉM!” A Doxologia Rm 1,25; Ap22,20s

Com esta aclamação, cantada sempre, de forma solene, os fiéis concordam com toda a Oração Eucarística, proclamada por quem preside à celebração da Eucaristia. 16) O “Pai-Nosso” A “Oração do Senhor” introduz nossa preparação imediata para participação no Banquete Pascal. A melhor maneira é cantar o “Pai-Nosso” numa melodia simples, usando sempre, e somente, cantos que tenham o texto bíblico. 17) Canto da Paz Sua função é acompanhar o gesto da saudação da paz. É um canto facultativo, podendo ser reservado para ocasiões especiais. Pode também ser cantado apenas pela equipe de canto, enquanto a assembléia se cumprimenta. Nas celebrações mais simples, pode ser mais curto e discreto; nas celebrações solenes e festivas, pode ser mais vibrante, que expresse a alegria pascal do Povo de Deus e sua fraternidade em Cristo. 18) O “Cordeiro de Deus” Este canto (litânico) acompanha a “Fração do Pão” (partir o Pão Eucarístico) antes de sua distribuição. É uma invocação e súplica que pode ser repetida quantas vezes forem necessárias, terminando sempre com a resposta: “Dai-nos a paz!” Não deve ser usado para “acabar com o abraço da paz”. Quem inicia esse canto não é o presidente da celebração, e sim a equipe de canto ou a assembléia. 19) Canto de Comunhão O Canto de Comunhão visa, especialmente, a tornar forte o sentido de unidade. É um canto que expressa o gozo, o prazer pela unidade do Corpo de Cristo e pela realização do Mistério que está sendo celebrado. Não é momento de canto de adoração ao Santíssimo Sacramento. A letra também não se reduza a uma expressão subjetivista, individualista, intimista e sentimentalista da Comunhão. O canto deve mover cada um, também à assembléia, a se constituir como o Corpo Místico de Cristo. A forma dialogal que a tradição litúrgica oferece para o canto de comunhão é um refrão tirado do texto do Evangelho do dia, alternado por versos de um texto apropriado, foi mantido Hinário da Litúrgico CNBB (3º fascículo). Essa forma dialogal permite que as pessoas comunguem sem carregar livros ou folhas de canto nas mãos.

Em algumas oportunidades é importante que este canto faça transbordar a alegria da Festa com sorrisos, aplausos; em outras, pode ajudar a assembléia a meditar sobre o “costume rotineiro” de comungar. Este canto pode ser alterado com momentos de silêncio ou com algum tipo de solo instrumental que favoreça a interiorização. 20) Não deve haver um canto de “Ação de Graças após a comunhão” Segundo a Didaqué documento catequético da segunda metade do século II d.C. - neste período era usado um canto de Ação de Graças da assembléia depois da comunhão, sobretudo se, durante o repartir do Pão Eucarístico, houve música instrumental ou apenas coro polifônico (várias vozes ou instrumentos, sem a participação do povo). Se já houve um canto de Comunhão com a participação do povo, este “canto de Ação de Graças após a Comunhão” não é necessário nem desejável. Recomenda-se, então, um tempo de silêncio e interiorização (sem instrumentos). 21) Canto Final ou de Despedida Deve haver um canto final? Normalmente não tem sentido, já que o “Ide em Paz”, cantado pelo diácono ou pelo cantor, é respondido pela assembléia que se vai e assim é desfeita. Durante a saída do povo, o mais conveniente seria o acompanhamento de música instrumental. Mas, em alguma oportunidade, poderia parecer oportuno um “canto final”, por exemplo, o hino do Padroeiro (ou algo parecido), mas cantado com a presença de todo o povo, depois da bênção e antes do “Ide em Paz”.
Fontes:Coleção “Estudos da CNBB” - nº 79, “A Música Litúrgica no Brasil”; “Orientações sobre a Palavra de Deus”, doc. 52, CNBB; Hinário Litúrgico, 3º fascículo, CNBB. Pe. Manoel David Neto

ÍnDice Alfabético

A

A amizade não se compra..................................................1293 À beira do lago dos seus afazeres........................................707 Abençoa, Senhor, meus amigos.........................................1291

A Bíblia é a Palavra de Deus...................................................40 Abre agora o coração.........................................................1242 Abre as portas, deixa entrar o Rei........................................260 Abre tua porta, que alguém está batendo............................878 Abre, Senhor, os meus lábios.................................................45 Aceita, o’ Pai, a nossa oferta................................................514 Aceita, Senhor, a minha oferta.............................................509 Aceita, Senhor, nossos dons.................................................461 A certeza que vive em mim................................................1131 Aclamemos Cristo ressurgido...............................................429 A classe roceira e a classe operária....................................1207 A comunidade dança alegre.................................................233 Acorda, América, chegou a hora........................................1186 A cruz, quem olha envergonhado.........................................143 A edificar a Igreja...................................................................75 A família, como vai?...............................................................88 A fé é compromisso..............................................................446 A gente passa o ano inteiro assim........................................883 A gente tem um mundo pra celebrar.....................................18 Agora é tempo de ser Igreja...................................................76 Agora que a missa termina .................................................805 Agora, Senhor, podes deixar................................................833 Água cristalina, que jorra do peito......................................1280 Água santa! O’ água pura..................................................1277 Ah! Como é bom ser amado...............................................1037 Ah! Não há rosas sem espinhos..........................................1087 Ah! Um anjo proclamou o primeiro Natal.............................885 Ai de mim, se eu não disser.................................................350 Ainda que eu fale as línguas.................................................821 Ainda que eu passe por serras.............................................682 Alê! Alê! Aleluia! Vamos ouvir..............................................361 Alegre estou, feliz vou caminhar..........................................795 Alegres, em prece, teu povo agradece.................................452 Alegres vamos à casa do Pai..................................................17 Aleluia! Vem, minh’alma, bendizer.......................................304 Aleluia! Glória ao Senhor!.....................................................196 Aleluia! Hoje a morte foi vencida..........................................814 Aleluia! Louvação ao Senhor................................................333 Aleluia! Ao Deus Santo, aleluia.............................................413 Aleluia! Cantamos vibrando.................................................369 Aleluia! Cristo é o Senhor!....................................................345 Aleluia! Quem diria!.............................................................412 Aleluia! Quem é o maior?.....................................................390 Aleluia! A minh’alma abrirei.................................................371 Aleluia! A nossa Páscoa é o Cristo........................................421 Aleluia! A Palavra de Deus está viva....................................375 Aleluia! A Palavra de Deus escutai!......................................397 Aleluia! A pedra rolou do sepulcro........................................427 Aleluia! Acolhamos nosso Deus!...........................................373 Aleluia! Alegria no Senhor!...................................................418 Aleluia! Alegria! Vamos todos..............................................388 Aleluia! Alegria, minha gente...............................................420 Aleluia! Aleluia! Glória a Deus nos altos céus!......................126 Aleluia! Aleluias ao Senhor!..................................................379 Aleluia! Alguém do povo exclama........................................401 Aleluia! Anúncio da ressurreição..........................................428

Aleluia! Aos pastores na noite em paz..................................416 Aleluia! Bem-aventurado......................................................355 aventurados aqueles............................................................334 Aleluia! Cada um partilhe.....................................................386 Aleluia! Como o Pai me amou...............................................346 Aleluia! De alegria e de paz..................................................377 Aleluia! Diz o Senhor............................................................364 Aleluia! É Natal! Deus mandou.............................................886 Aleluia! Estou contente!.......................................................389 Aleluia! Eu sou o pão da vida...............................................335 Aleluia! Feliz quem te gerou.................................................404 Aleluia! Glória a Vós, Senhor................................................365 Aleluia! Glória, glória............................................................372 Aleluia! Graças eu te dou.....................................................351 Aleluia! Ide pelo mundo........................................................359 Aleluia! Jesus Cristo vai falar................................................368 Aleluia! Jesus, primeiro evangelizador..................................374 Aleluia! Minha rede tão vazia...............................................357 Aleluia! Não fostes vós.........................................................406 Aleluia! No princípio era a Palavra........................................367 Aleluia! Nós te louvamos, Senhor!........................................396 Aleluia! Ó mulher cheia de graça.........................................400 Aleluia! Ó Senhor, abre os ouvidos.......................................410 Aleluia! Onde dois ou mais...................................................354 Aleluia! Ouviremos co’atenção.............................................392 Aleluia! Páscoa do Senhor!...................................................417 Aleluia! Ponho-me a ouvir....................................................363 Aleluia! Que as nuvens se abram.........................................407 Aleluia! Rendei graças ao Senhor.........................................425 Aleluia! Ressuscitei!.............................................................426 Aleluia! Salve, Senhor..........................................................394 Aleluia! Se alguém quer vir após mim..................................360 Aleluia! Senhor, eu creio em ti.............................................380 Aleluia! Sou Rei e vim..........................................................393 Aleluia! Teu Evangelho, Senhor............................................381 Aleluia! Tu és Pedro, aleluia!................................................384 Aleluia! Vai, anuncia a toda gente........................................356 Aleluia! Vamos aclamar o Evangelho...................................382 Aleluia! Vamos, irmãos, a Palavra........................................362 Aleluia! Vinde, Espírito Santo...............................................376 Aleluia! Vós, povos todos da terra........................................419 Aleluia! Voz que clama no deserto.......................................409 Alguém chama, Ele me ama...............................................1122 Alimento aos caminheiros....................................................739 Alô, meu Deus, fazia tanto tempo......................................1224 Amar e servir, servir e amar.................................................928 Amém! Eu aceito teu Corpo, Senhor!...................................645 América do índio, América do branco.................................1183 A mesa santa que preparamos.............................................480 A mesa tão grande e vazia...................................................701 Amigo, sê bem-vindo!........................................................1292 A minha alma engrandece o Senhor.....................................834 A minha vela acenderei contente.......................................1268 A minha vida um dia foi deserto.........................................1274 A minh’alma tem sede de Deus............................................274 Amor é vida, e vida é alegria................................................815

Aleluia! Bem-

A morrer crucificado.............................................................896 Andavam pensando, tão tristes............................................842 Anjos cantam: Glória a Deus!...............................................215 À noite, enquanto a cidade sonhava....................................130 A noite se iluminou, o céu se vestiu.....................................129 A nós descei, divina luz!.......................................................955 A nossa comunidade tem lugar..........................................1203 A nossa oferta apresentamos no altar..................................502 A nossa vida a um sopro é semelhante................................706 A nossa vida é como um barco.............................................495 Antes da morte e ressurreição de Jesus...............................766 Antes de te formares dentro do ventre................................818 Anunciaremos teu Reino, Senhor!..........................................25 Ao recebermos, Senhor, tua presença..................................735 Ao Senhor dai graças, seu nome invocai..............................934 Ao Senhor dos senhores cantai............................................323 Ao subir a montanha de pedra...............................................95 Ao terceiro milênio rumemos...............................................112 Aos doze que estavam contigo.............................................484 A Paixão de um Deus amante..............................................897 A Palavra de Deus chegou para nós.....................................229 A Palavra de Deus é a verdade............................................254 A Palavra de Deus é luz, que nos guia..................................228 A Palavra de Deus é vida......................................................227 A Palavra de Deus já chegou!...............................................221 A Palavra do Senhor trazemos.............................................398 A Palavra de Deus vai chegando, vai!..................................225 A Palavra do anjo minha mãe acolheu..................................632 A Palavra é a semente..........................................................244 A Palavra se fez carne..........................................................332 A partilha começa na mesa..................................................691 A paz de Cristo, meu irmão..................................................606 A paz do Senhor, a paz do Senhor........................................609 A paz esteja contigo, a paz esteja comigo............................602 Aperta a minha mão.............................................................598 Aqui nos encontramos reunidos.............................................37 As coisas que o mundo oferecia...........................................541 As colinas vão ser abaixadas................................................756 As mesmas mãos que plantaram.........................................474 As nossas ofertas de vinho e de pão....................................507 As pedras da nossa estrada.................................................451 As sementes que me deste..................................................537 A salvação de nosso Deus já se aproxima............................113 Atendei-me, o’ Senhor..........................................................288 A terra canta: Alegria!..........................................................810 A terra Deus deixou............................................................1208 A ti, meu Deus, elevo o meu coração...................................527 A ti, o’ Deus, celebra a criação.............................................466 A ti, santo, hoje damos louvores........................................1079 A todo homem que procede retamente................................279 A treze de maio..................................................................1002 A tua santa Palavra..............................................................868 A tua santa Palavra nos diz..................................................745 A tua vida, Senhor, é minha vida..........................................785 Ave, Maria, Mãe do Salvador..................................................91 Ave, cheia de graça, ave, cheia de amor............................1011

Ave, Maria do povo, ave, Maria de Deus!.............................994 Ave, Maria dos oprimidos...................................................1006 Ave, Maria, cheia de graça.................................................1301 Ave, Maria, cheia de graça, Deus é contigo........................1052 Aves pelo céu, quais as flores do chão...................................61 A vida pra quem acredita.......................................................55 A vinha do Senhor é a casa de Israel....................................289 A vossa Palavra, Senhor.......................................................353 A vossos pés, Mãe nossa e de Jesus...................................1030 A voz de nosso Deus ainda não cessou................................829

Banhados em Cristo...........................................................1282 Bastariam dois pães e dois peixes........................................668 Batismo é como um outro nascimento...............................1262 Batiza-me, Senhor, no teu Espírito.....................................1263 Beijando teus lindos cabelos..............................................1310 Bem contentes viemos, Senhor..............................................39 Bem feliz é o manso e o pobre.............................................378 Bem vês o mundo em que vivemos....................................1168 Bem-vindos à mesa do Pai...................................................633 Bênção sobre bênção...........................................................592 Bendirei eternamente vosso nome.......................................327 Bendita e louvada seja.........................................................910 Bendita e louvada seja esta santa romaria!.......................1220 Bendita seja esta marcha dos pobres.................................1219 Bendita... A palavra do Senhor.............................................336 Bendito seja o Senhor, Deus de Israel..................................832 Bendito seja, seja o Senhor..................................................107 Bendito seja, seja o nosso Deus...........................................636 Bendito, louvado seja...........................................................971 Bendito sejas, o’ Rei da Glória..............................................556 Bendize, o’minh’alma ao Senhor..........................................302 Bíblia Sagrada, Palavra de Deus...........................................348 Boa Nova do Senhor Jesus....................................................846 Boa-noite, meu Pai...............................................................789 Bom-dia, sol, bom-dia, terra...............................................1330 Brilha uma luz sobre nós......................................................414 Brilha, brilha, linda estrela...................................................891 Buscai primeiro o Reino de Deus..........................................337

Cada vez que eu venho........................................................528 Cai a tarde, vem a noite.......................................................268 Caminhamos pela luz de Deus.............................................804 Caminhando e cantando....................................................1215 Caminhando Jesus junto ao mar...........................................828 Caminhemos, alma em festa................................................757 Canta, Igreja, o Rei do mundo (Tão Sublime Sacramento) . .969 Cantai a Deus, terra inteira..................................................300 Cantai ao Senhor um cântico novo ........................................01 Cantai ao Senhor um canto novo.........................................298 Cantai, cristãos, afinal..........................................................940 Cantar a beleza da vida........................................................699

Cantarei ao meu Senhor e Deus...........................................642 Cante a terra inteira, vibre o céu........................................1093 Cante ao Senhor a terra inteira............................................301 Cantemos a Jesus Sacramentado.........................................972 Cantemos alegres, vibrantes................................................241 Cantemos ao Senhor com hinos...........................................299 Cantemos com alegria, aleluia, aleluia!................................338 Cantemos confiantes a oração...........................................1164 Cantemos de alegria, ovelhas..............................................122 Catequista, missionário e poeta.........................................1084 CEB’s, povo unido, semente...............................................1196 Celebremos com alegria nosso encontro................................19 Celebremos na alegria nossa festa.........................................99 Chegando o dia de Pentecostes.............................................82 Chegou a hora da alegria.....................................................217 Chegou a hora de sonhar de novo........................................882 Chegou o dia da querida festa............................................1260 Com a Igreja subiremos..........................................................74 Com a presença de Cristo entre nós.......................................58 Com alegria, ofereço o meu sacrifício..................................516 Com amor eterno eu te amei...............................................641 Com as mãos abertas...........................................................526 Com Jesus tudo pode ser mudado......................................1228 Com minha mãe ‘starei........................................................993 Com o pão e com o vinho.....................................................472 Com o terço na mão...........................................................1315 Começa assim a história....................................................1288 Como é bela e graciosa........................................................403 Como é bom, como é bom!..................................................321 Como é bonito, Senhor.........................................................791 Como é bonito teu nome, o’ Maria.......................................986 Como eu amo vossa casa, o’ Senhor......................................09 Como Maria, agora vou ouvir...............................................402 Como membro desta Igreja peregrina....................................03 Como o Pai me enviou..........................................................771 Como o raiar, raiar do dia.....................................................825 Como o Senhor vos perdoou................................................912 Como o sol nasce da aurora.................................................806 Como o vento que sopra onde quer.....................................966 Como são belos os pés do mensageiro.................................817 Como te cantarei, Senhor?.....................................................57 Como vai ser? Nossa festa...................................................500 Companheira Maria, perfeita harmonia..............................1041 Confia minh’alma no Senhor................................................319 Confiar no Senhor é bom......................................................861 Confiemo-nos ao Senhor......................................................855 Conheço um coração tão manso..........................................965 Conversão, justiça, comunhão..............................................898 Convertei-nos, Senhor Deus.................................................754 Convidado para a mesa........................................................755 Coração adamantino..........................................................1321 Coração compadecido..........................................................689 Coração imaculado de Maria..............................................1050 Coração santo, Tu reinarás.................................................1319 Cordeiro... Cordeiro de Deus, que tirais................................623 Cordeiro de Deus, Tu, que tiras o pecado.............................616

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................621 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................617 Cordeiro de Deus, Cordeiro de Deus....................................614 Cordeiro de Deus, Cordeiro do Pai........................................624 Cordeiro de Deus, Cristo, nosso irmão.................................625 Cordeiro de Deus, que levaste os pecados...........................622 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................611 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................613 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................618 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................620 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................619 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................626 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................627 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................629 Cordeiro de Deus, que tirais o pecado..................................615 Creio em Deus Pai todo-poderoso........................................433 Creio em Deus Pai todo-poderoso........................................434 Creio em ti, meu Senhor e meu Deus.................................1284 Creio em um só Deus...........................................................439 Creio num Deus feito homem...............................................438 Creio, Senhor, creio, Senhor.................................................431 Creio sim, o’ Senhor, que estás no céu................................442 Creio, Senhor, mas aumentai minha fé................................430 Cremos em Deus Pai: Ele nos amou.....................................445 Cremos em Deus, Santíssima Trindade................................444 Cremos, Senhor! Cremos que Vós sois.................................435 Cristãos, vinde todos............................................................118 Cristo é a felicidade!............................................................775 Cristo padeceu por nós.........................................................841 Cristo ressuscitou. Aleluia!...................................................142 Cristo vence, Cristo reina...................................................1252 Cristo venceu, aleluia...........................................................422 Cristo, Mestre e Senhor........................................................347 Cristo, Missionário do Pai....................................................1124 Cristo, nossa Páscoa.............................................................932 Cristo, quero ser instrumento.............................................1134 Cubra-me com seu manto de amor....................................1316

Da cepa brotou a rama.........................................................822 Da terra tão seca já brota uma flor....................................1214 Dou graças ao Senhor de coração........................................306 Dá-nos um coração grande para amar.................................534 Daqui, do meu lugar.............................................................512 Das alturas orvalhem os céus..............................................291 Das muitas coisas do meu tempo.......................................1287 De alegria vibrei no Senhor....................................................98 De Cristo o Novo Mandamento...............................................22 De Deus criaturas e todos mortais.......................................838 De mãos estendidas, ofertamos...........................................453 De muitos grãos dispersos...................................................533 De nada vale a nossa oferta.................................................468 De onde vens, o’caminheiro?.................................................21 De ti, o’ meu Senhor e Deus...............................................1127 Deixa aqui tua oferta sobre o altar.......................................515

Deixa Jesus encher tua vida.................................................964 Deixa-me ser jovem...........................................................1158 Demos graças ao Senhor......................................................322 Dentro de mim existe uma luz...........................................1270 Desça como a chuva a tua Palavra.......................................866 Desde a eternidade o amor fecundo......................................42 Desde a manhã preparo uma oferenda................................548 Desta mesa ninguém é estrangeiro......................................659 Deus chama a gente..........................................................1191 Deus de amor, nós te adoramos...........................................973 Deus de nós quer formar........................................................44 Deus é nosso Pai de amor..................................................1325 Deus é Pai, Deus é amor....................................................1145 Deus é Santo, Deus é amor!.................................................568 Deus enviou seu Filho amado.............................................1230 Deus está chamando o povo..................................................46 Deus eterno, a Vós louvor!.....................................................63 Deus infinito, nós te louvamos...........................................1144 Deus mesmo planejou........................................................1305 Deus nos abençoe, Deus nos dê a paz!................................604 Deus nos espera em Belém..................................................761 Deus põe a mesa..................................................................697 Deus seja louvado no pão partilhado...................................637 Deus vê o coração..............................................................1317 Deus vem morar com seu povo............................................890 Deus vos salve, Deus!..........................................................864 Dia e noite, vai teu Espírito, Senhor.....................................947 Divino Espírito que sois amigo..............................................954 Dizei aos cativos: “Saí!”.......................................................826 Do abismo profundo.............................................................658 Do altar de Deus me aproximarei...........................................66 Do amor eu fugi...................................................................156 Do céu vai descer o Cordeiro................................................547 Do menor dos grãos de areia...............................................566 Do Rei avança o estandarte.................................................903 Dois amigos caminham pela estrada....................................719 Duas vidas, Senhor, se unem.............................................1307

É É É É É É É É É É E É É É É É

a Palavra como a semente na terra...................................238 bastante para mim a tua graça.......................................1227 bom cantar um Bendito (Advento)....................................881 bom cantar um Bendito (Natal).........................................893 bom cantar um Bendito (Páscoa)......................................939 bom estarmos juntos.........................................................644 bonita demais....................................................................595 como a chuva que lava.....................................................223 comunhão, é união............................................................696 de sonho e de pó.............................................................1216 eu que creio em Deus.....................................................1304 feliz quem a Deus se confia!.............................................246 feliz, muito feliz.................................................................313 festa de grande alegria.....................................................124 na Eucaristia que nós renovamos......................................703 Natal de Jesus! Festa de alegria........................................117

É no campo da vida............................................................1286 É o amor de Cristo que me faz cantar....................................51 É pão! É maná dos céus.......................................................751 É paz no meu coração..........................................................608 É por causa do meu povo machucado..................................688 É prova de amor, junto à mesa............................................469 É Sangue o que era vinho.....................................................763 É tempo do meu Advento.....................................................876 E todos repartiam o pão.........................................................23 Ei, você me ama?...............................................................1068 Eis a procissão do Rei...........................................................287 Eis meu Corpo, por vós doado..............................................648 Eis meu Corpo, que é dado por vós......................................727 Eis o dia que o Senhor fez....................................................312 Eis o grande sacramento......................................................724 Eis o lenho da cruz...............................................................922 Eis o Pão da Vida..................................................................647 Eis o tempo de conversão....................................................899 Eis que venho, o’ Pai..........................................................1223 Eis, meu povo, o banquete.....................................................70 Eis-me aqui, Senhor...............................................................13 Ele não disse: Isto é como se fosse......................................726 Ele veio e ensinou..............................................................1233 Eles queriam um grande Rei..............................................1254 Em cada caminho que ponho meus pés...............................178 Em Caná, o teu amor, Maria.................................................498 Em coro a Deus louvemos..................................................1151 Em Jerusalém, prenderam Jesus...........................................900 Em Jesus nós confiamos.....................................................1245 Em nossos dons de pão e vinho...........................................482 Em procissão vão o pão e o vinho........................................505 Em procissão, em romaria..................................................1017 Em todo o universo, glória a Deus........................................213 Em tuas mãos eu me abandono.........................................1115 Em Vós, o’ Senhor, esperamos.............................................272 Enche-me, Espírito...............................................................961 Enfrentei o dia inteiro...........................................................485 Ensina teu povo a rezar........................................................995 Então, da nuvem luminosa...................................................276 Entoou Moisés este canto.....................................................933 Entre aclamações Jesus subiu..............................................391 Entremos com grande alegria................................................79 Envia teu Espírito, Senhor....................................................953 Envia tua Palavra.................................................................408 Enviai o vosso Espírito, Senhor.............................................305 Enviai, Senhor, sobre os vossos filhos..................................946 És precioso para mim, Senhor............................................1236 És, Jesus, a oferta preferida..................................................475 És, Maria, a Virgem que sabe ouvir......................................983 Escolhendo a vida de trabalho...........................................1089 Escuta, Israel........................................................................231 Escutamos com grande carinho...........................................230 Espírito Criador!...................................................................511 Espírito de Deus, enviai dos céus.........................................945 Espírito de Deus, vem sobre nós..........................................958 Espírito Santo de Deus, inunda meu ser...............................959

Esta mesa nos ensina...........................................................455 Estamos aqui, Senhor.............................................................56 Estamos, Senhor, “esperando”.............................................110 Estás assentado no trono...................................................1234 Estava a Mãe dolorosa.........................................................911 Este é o dia que o Senhor fez...............................................311 Este é o dom da vida............................................................985 Este é o hino do povo de Deus.............................................765 Este hino de louvor...............................................................192 Esteja sempre com você......................................................594 Estes lábios meus vinde abrir.................................................50 Estou aqui, Senhor, pra te louvar.......................................1246 Estou pensando em Deus...................................................1162 Estrela da evangelização....................................................1038 Eu cantarei sempre ao Senhor...........................................1265 Eu canto a alegria, Senhor...................................................148 Eu canto louvando Maria, minha Mãe.................................1003 Eu confio em Nosso Senhor................................................1181 Eu creio em Deus Pai, poder e ternura.................................443 Eu creio em ti Deus Pai, divino Criador.................................432 Eu creio em ti, Senhor, mas aumenta..................................437 Eu creio nas promessas de Deus........................................1226 Eu creio num mundo novo....................................................555 Eu creio que Deus Pai criou os céus.....................................440 Eu creio que Tu estás no céu................................................441 Eu creio, eu creio, eu creio no meu Deus.............................436 Eu disse: Eis que venho, Senhor!.........................................273 Eu era ovelha desgarrada......................................................68 Eu era ovelha perdida........................................................1267 Eu era pequeno, nem me lembro.......................................1016 Eu levanto meus olhos pros montes.....................................315 Eu louvarei... ao meu Senhor.............................................1150 Eu me alegro no Senhor.......................................................664 Eu me entrego, Senhor, em tuas mãos................................269 Eu não sou digno, o’ meu Senhor.........................................830 Eu quero estar em tua vida................................................1154 Eu quero ver este mundo amando.......................................591 Eu quero ver, eu quero ver acontecer................................1198 Eu quero, quero, quero ouvir a voz....................................1206 Eu quis comer esta ceia agora.............................................709 Eu quisera, Jesus adorado....................................................977 Eu só tentava viver me iludindo...........................................270 Eu sou a Videira, meu Pai é o Agricultor...............................718 Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida...................................20 Eu sou o pão da vida............................................................764 Eu sou o pão que vem do céu..............................................720 Eu sou teu povo sou, em romaria.......................................1210 Eu te adoro, Hóstia divina....................................................975 Eu te agradeço bem de coração...........................................324 Eu te agradeço tanto..........................................................1302 Eu te exaltarei......................................................................331 Eu te ofereço o meu viver....................................................524 Eu te peço desta água que Tu tens....................................1278 Eu te saúdo, cheia de graça.................................................981 Eu te saúdo, meu irmão.......................................................600 Eu tenho um Pai no céu!....................................................1241

Eu venho do sul e do norte.................................................1099 Eu venho trazer pra junto do altar........................................454 Eu vim de longe pra encontrar...........................................1098 Eu vim para celebrar a vida..................................................649 Eu vim para escutar.............................................................349 Eu vim para que todos tenham vida.....................................643 Eu vos anuncio grande alegria.............................................127 Eu vos dou um novo mandamento.......................................314 Eu vou abraçar o meu irmão................................................589 Eu vou, com meu Jesus eu vou.............................................798 Evangelizar, pede de nós mais ardor....................................800 Existe um poço no meio do deserto...................................1273 Exultando, vamos todos à mesa do Senhor..........................646 Exulte de alegria..................................................................937 Exulte o céu e os anjos triunfantes.......................................936 Exultem os coros dos anjos..................................................938

Fala, Senhor, fala da vida!....................................................237 Fala, Senhor, fala, Senhor!...................................................232 Fazei ressoar a Palavra de Deus...........................................226 Fazemos comunhão construindo a unidade.........................663 Feliz aquele a quem Deus perdoa........................................271 Feliz de quem caminha tendo Deus.......................................08 Feliz o homem que ama o Senhor........................................630 Feliz quem teme o Senhor....................................................318 Felizes os que ouvem a Palavra do Senhor...........................239 Fica sempre um pouco de perfume....................................1247 Fiel madeiro da Santa Cruz..................................................930 Filha de Sião, tu és feliz........................................................835 Filho, por que fizeste assim conosco?.................................1048 Foi Maria de Nazaré que me ensinou..................................1015 Foi nas bodas de Caná.......................................................1024 Foi um anjo que disse, o’ Maria..........................................1032 Fonte de Alegria, Santa Eucaristia........................................730 Foram 500 anos de evangelização.......................................158 Francisco, que trazes para hoje..........................................1072 Fui escolhido pra servir-te..................................................1117 Fui judeu plenamente...........................................................725 Fui um fruto pequenino........................................................449

Glória Glória Glória Glória Glória Glória Glória Glória Glória Glória Glória Glória

a a a a a a a a a a a a

Deus... Glória ao Criador.........................................194 Deus... Pai de bondade e amor...............................216 Deus... Porque Ele vive...........................................187 Deus lá nas alturas..................................................191 Deus lá nos céus! Todos os anjos............................198 Deus lá nos céus, e paz na terra aos seus!.............203 Deus na imensidão e paz........................................189 Deus nas alturas.....................................................193 Deus nas alturas e paz na terra..............................206 Deus nas alturas: Glória, glória...............................200 Deus no mais alto dos céus!...................................188 Deus no céu e na terra paz aos homens.................185

Glória a Deus no céu!... Paz na terra....................................197 Glória a Deus no céu, paz na terra aos homens...................201 Glória a Deus no imenso azul do céu..................................1141 Glória a Deus nos altos céus!...............................................202 Glória a Deus, Pai de bondade.............................................195 Glória a Deus Trindade.........................................................212 Glória a Deus... Glória a Deus nos céus!...............................208 Glória a Deus nos altos céus, a Deus Pai..............................210 Glória a Jesus na Hóstia santa..............................................974 Glória ao nosso Deus... E paz na terra..................................214 Glória ao Pai e glória ao Filho...............................................207 Glória ao Pai Eterno, santo e criador....................................205 Glória e louvor ao ínclito Vicente........................................1076 Glória para sempre ao Cordeiro.............................