Assunto: Tipos de Motores Elétricos

Trabalho máquinas e instalações
Renato da Silva Amorim

Página 1

Ti de motores El tri os: Tr b l Ren to d        ¦§©    ¨¦¥ § ¦ ¥ ¤£ ¢¡     qui i l ç il A oi P i 2 .

Tr b l Ren to d ( ) ( %' & % % !"$  #! " !     qui i l ç il A oi P i 3 . encontradas na prática. sendo adequado para quase todos os tipos de máquinas acionadas. Motor de indução(assíncrono): Funciona normalmente com velocidade constante. Devido a sua grande simplicidade. Os principais tipos são: Motor síncrono: Funciona com velocidade fixa. Atualmente é possível controlarmos a velocidade dos motores de indução com o auxílio de inversores de freqüência. utilizado somente para grandes potências (devido ao seu alto custo em tamanhos menores) ou quando se necessita de velocidade invariável. robustez e baixo custo é o motor mais utilizado de todos.Motores de Corrente Alternada São os mais utilizados. porque a distribuição de energia elétrica é feita normalmente em corrente alternada. que varia ligeiramente com a carga mecânica aplicada ao eixo.

Tr b l Ren to d C D C @B A @ @ 679 0 0865 7 605 43 21 0 0 qui i l ç il A oi P i 4 . sobre o qual se encontra um enrolamento ou um conjunto de condutores paralelos. O entreferro (distância entre o rotor e o estator) é bastante reduzido. de forma a red uzir a corrente em vazio e. portanto as perdas. Como podemos constatar o princípio de funcionamento do motor de indução baseia-se em duas leis do Eletromagnetismo. Funcionamento de um Motor Assíncrono A partir do momento que os enrolamentos localizados nas cavidades do estator são sujeitos a uma corrente alternada. Como exemplo apresentamos a "projeção" dos diversos elementos o motor assíncrono de rotor em gaiola de esquilo. que por sua vez transmite à carga a energia mecânica produzida. induzida dá origem a uma corrente induzida no rotor que tende a opor-se à causa que lhe deu origem. ao qual se dá o nome de estator. criando assim um movimento giratório no rotor. nos quais são induzidas correntes provocadas pela corrente alternada das bobinas do estator. no rotor surge uma força eletromotriz induzida devido ao fluxo magnético variável que atravessa o rotor. por um rotor constituído por um núcleo ferromagnético. O rotor é apoiado num veio. por bobinas localizadas em cavidades abertas no estator e alimentadas pela rede de corrente alternada. a Lei de Lenz e a Lei de Faraday.e. gera-se um campo magnético no estator.m. constituído por chapas ferromagnéticas empilhadas e isoladas entre si. mas também para aumentar o fator de potência em vazio. consequentemente. também laminado. A f.Constituição do Motor de Indução O motor assíncrono é constituído basicamente pelos seguintes elementos: um circuito magnético estático.

O torque é conseqüência direta do efeito originado pela indução magnética do estator em interação com a do rotor. B est .ângulo entre Best e Brot A velocidade de um motor de indução é essencialmente determinada pela frequência da energia fornecida ao motor e pelo numero de pares de pólos existentes no estator. nos locais onde não se dispõe de alimentação trifásica. As perdas.Jorge Eduardo Uliana . A velocidade do campo girante obtêm-se pela seguinte expressão: Curso Técnico em Plásticos .br 8 Motores de Indução Monofásicos Os motores monofásicos são assim chamados porque os seus enrolamentos de campo são ligados diretamente a uma fonte monofásica. Se o circuito é fechado será percorrido por uma corrente induzida". Tr b l Ren to d X Y X UW V U U QRT E ESQP R QEP IH GF E E qui i l ç il A oi P i 5 .Faraday: "Sempre que através da superfície abraçada por um circuito tiver lugar uma variação de fluxo. No motor assíncrono ou de indução o campo girante roda a velocidade síncrona. A Potência Mecânica traduz-se basicamente no torque que o motor gera no eixo do rotor. Os motores de indução monofásicos são a alternativa natural aos motores de indução trifásicos. escritórios. Apenas se justifica a sua utilização para baixas potências (1 a 2 KW).eu@terra. como nos motores síncronos. gera se nesse circuito uma força eletromotriz induzida. são quantificadas através do rendimento (mais à frente analisamos melhor os vários tipos de perdas nos motores). que são inerentes ao processo de transformação. Ex licação Teórica O motor elétrico transforma a potência elétrica fornecida em potência mecânica e uma reduzida percentagem em perdas. sen _ T = Torque K . oficinas e em zonas rurais.com. T = K . como residências. Brot .Indução magnética criada pelo estator .jorge.Constante Best Brot . Lenz: "O sentido da corrente induzida é tal que esta pelas suas ações magnéticas tende sempre a opor-se à causa que lhe deu origem".Indução magnética criada pelo rotor _ .

pela robustez e manutenção reduzida. robustez e baixo custo são ideais em aplicações tais como: movimentação de ar (ventiladores. sendo que uma das formas mais comuns é a de pólos salientes. também chamado de motor de campo distorcido (ou shaded pole). mas muito mais dispendiosos. pequenas bombas e compressores. Por terem somente uma fase de alimentação. A corrente induzida nesta espira faz com que o fluxo que a atravessa sofra um atraso em relação ao fluxo da parte não abraçada pela mesma.Pela sua simplicidade. Existem outros métodos para se obter inversão de rotação. Para solucionar o problema de arranque utilizam -se enrolamentos auxiliares. tendo em conta que no rotor se induzem campos magnéticos alinhados com o campo do estator. unidades de refrigeração. Motor de Condensador de Partida. Motor de Condensador Permanente. produzindo o torque tingir a rotação nominal. permitindo a formação do campo girante necessário para o arranque. graças ao seu processo de arranque. Motor de Pólos Sombreados O motor de pólos sombreados. portanto. baixo rendimento e baixo fator de potência. os motores de campo distorcido apresentam baixo torque de arranque (15% a 50% do nominal). fiável e econômico dos motores de indução monofásicos. o projeto deste tipo de motor é de extrema complexidade. Construtivamente existem diversos tipos. Apesar de sua aparente simplicidade. Motor de Fase Dividida. os motores com rotor tipo gaiola destacam pela -se simplicidade de fabricação e. O resultado disto à semelhante a um campo girante que se move na direção da parte não abraçada para a parte abraçada do pólo. Cada pólo vai ter uma parte (em geral 25% a 35% do mesmo) é abraçada por uma espira de cobre em curto-circuito. eles são normalmente fabricados para pequenas potências. Isto impede que tenham torque de arranque. exaustores. Quanto ao desempenho. que vão de alguns milésimos de cv a 1/4 cv. O sentido de rotação. mudando-se a posição da ponta de eixo do rotor em relação ao estator. Motor com dois Condensadores. principalmente. envolvendo conceitos de duplo campo girante. secadores de roupa e de cabelo). Tr b l Ren to d s t s pr q p p fgi ` `hfe g f`e dc ba ` ` qui i l ç il A oi P i 6 . purificadores de ambiente. Devido a esse fato. campos cruzados e complexa teoria eletromagnética. que são dimensionados e posicionados de forma a criar uma segunda fase fictícia. projetores de slides. Tipos de Motores de indução monofásicos: Motor de Pólos Sombreados. o motor de campo distorcido apresenta um único sentido de rotação. é o mais simples. gira-discos e aplicações domésticas. Este geralmente pode ser invertido. não possuem um campo girante como os motores trifásicos. depende do lado em que se situa a parte abraçada do pólo. mas sim um campo magnético pulsante. Consequentemente.Entre os vários tipos de motores elétricos monofásicos.

ambos defasados de 90 graus. para qualquer escorregamento. O condensador permite um maior ângulo de defasagem entre as correntes dos enrolamentos principal e auxiliar. o circuito auxiliar é desligado quando o motor atinge entre 75% a 80% da velocidade síncrona. O enrolamento auxiliar cria um deslocamento de fase que produz o torque necessário para a rotação inicial e a aceleração. compressores herméticos. O ângulo de defasagem que se pode obter entre as correntes do enrolamento principal e do enrolamento auxiliar é pequeno e. por isso. na Tr b l Ren to d ˆ ‰ ˆ …‡ † … … ‚„ u uƒ€ ‚ u€ yx wv u u qui i l ç il A oi P i 7 . proporcionando assim. com o circuito auxiliar ligado do que sem ele. Como no motor de fase dividida. elevados torques de arranque. o disjuntor centrífugo não abrir sempre exatamente na mesma velocidade. ventiladores e exaustores. para velocidades acima deste ponto. chave manual ou outros dispositivos especiais. tais como máquinas de escritórios. pequenos polidores. bombas centrífugas. o enrolamento principal sozinho desenvolve quase o mesmo torque que os enrolamentos combinados. Devido ao fato de o cruzamento das curvas não ocorrer sempre no mesmo ponto e. A principal diferença reside na inclusão de um condensador eletrolítico em série com o enrolamento auxiliar de arranque. o enrolamento auxiliarà é desligado da rede através de uma chave que normalmente é atuada por uma força centrífuga (chave ou disjuntor centrífugo) ou em casos específicos. se não for desligado logo após o arranque danifica-se. Para velocidades maiores. Como o enrolamento auxiliar é dimensionado para atuar apenas no arranque.Motor de Fase Dividida Este motor possui um enrolamento principal e um auxiliar (para o arranque). Motor de Condensador de Partida É um motor semelhante ao de fase dividida. Quando o motor atinge uma rotação predeterminada. estes motores têm torque de arranque igual ou pouco superior ao nominal. o que limita a sua aplicação a potências fracionárias e a cargas que exigem pouco torque de arranque. o motor desenvolve menor torque. a curva do torque com os enrolamentos combinados cruza a curva de torque do enrolamento principal de maneira que. é prática comum fazer com que a abertura aconteça. entre 80% e 90% da velocidade síncrona. etc. por relé de corrente. Neste intervalo de velocidades. ainda.

aumentando. elevados torques de arranque. Com o seu elevado torque de arranque (entre 200% e 350% do torque nominal). com o circuito auxiliar ligado do que sem ele. o seu funcionamento é idêntico ao do motor de fase dividida. Tr b l Ren to d g h g df e d d –—™  ˜–• — –• ”“ ’‘   qui i l ç il A oi P i 8 . para qualquer escorregamento. Devido ao fato de o cruzamento das curvas não ocorrer sempre no mesmo ponto e. o motor desenvolve menor torque. Como no motor de fase dividida. sendo o condensador do tipo eletrostático. um pouco antes do cruzamento das curvas. Após a abertura do circuito auxiliar. Porém o seu torque de arranque é inferior ao do motor de fase dividida (50% a 100% do conjugado nominal). pois não utilizam contactos e partes móveis. O condensador permite um maior ângulo de defasagem entre as correntes dos enrolamentos principal e auxiliar. ainda. a curva do torque com os enrolamentos combinados cruza a curva de torque do enrolamento principal de maneira que. A principal diferença reside na inclusão de um condensador eletrolítico em série com o enrolamento auxiliar de arranque. o motor de condensador de partida pode ser utilizado numa grande variedade de aplicações eà fabricado para potências que vão de ¼ cv a 15 cv. Neste intervalo de velocidades. o rendimento e o fator de potência. Motor de Condensador Permanente Neste tipo de motor. para velocidades acima deste ponto. entre 80 e 90% da velocidade % síncrona. o enrolamento auxiliar e o condensador ficam permanentemente ligados. com isso. como nos motores anteriores. o disjuntor centrífugo não abrir sempre exatamente na mesma velocidade. o que limita sua aplicação a equipamentos que não Motor de Condensador de Partida É um motor semelhante ao de fase dividida. Após a abertura do circuito auxiliar. na média.média. o seu funcionamento é idêntico ao do motor de fase dividida. Construtivamente são menores e isentos de manutenção. Para velocidades maiores. O efeito deste condensador é o de criar condições de fluxo muito semelhantes às encontradas nos motores polifásicos. o circuito auxiliar é desligado quando o motor atinge entre 75% a 80% da velocidade síncrona. o torque máximo. um pouco antes do cruzamento das curvas. proporcionando assim. é prática comum fazer com que a abertura aconteça. o enrolamento principal sozinho desenvolve quase o mesmo torque que os enrolamentos combinados. além de reduzir sensivelmente o ruído.

Porém o seu torque de arranque é inferior ao do motor de fase dividida (50% a 100% do conjugado nominal). sendo o condensador do tipo eletrostático. Motor de Condensador Permanente Neste tipo de motor. devido ao seu alto custo. Porém. pois não utilizam contactos e partes móveis. aumentando. Construtivamente são menores e isentos de manutenção. o motor de condensador de partida pode ser utilizado numa grande variedade de aplicações eà fabricado para potências que vão de ¼ cv a 15 cv. além de reduzir sensivelmente o ruído.Com o seu elevado torque de arranque (entre 200% e 350% do torque nominal). Motores Trifásicos Tr b l Ren to d v w v su t s s opr i iqon p oin ml kj i i qui i l ç il A oi P i 9 . com isso. o enrolamento auxiliar e o condensador ficam permanentemente ligados. o que limita sua aplicação a equipamentos que não Motor com Dois Condensadores É um motor que utiliza as vantagens dos dois anteriores: arranque como o do motor de condensador de partida e funcionamento em regime idêntico ao do motor de condensador permanente. o rendimento e o fator de potência. como nos motores anteriores. O efeito deste condensador é o de criar condições de fluxo muito semelhantes às encontradas nos motores polifásicos. o torque máximo. normalmente são fabricados apenas para potências superiores a 1 cv.

Além disso. tanto na indústria como no ambiente doméstico. também em alumínio. dispostos paralelamente entre si e unidas nas suas extremidades por dois anéis condutores. As barras condutoras da gaiola são colocadas geralmente com certa inclinação. Para potências inferiores justifica-se o uso de monofásicos. devido à maioria dos sistemas atuais de distribuição de energia elétrica serem trifásicos de corrente alternada. isoladas entre si. para evitar as trepidações e ruídos que resultam da ação eletromagnética entre os dentes das cavidades do estator e do rotor.O motor de indução trifásico é o tipo mais utilizado. que curto-circuitam os condutores. tem um leque muito maior de aplicações. como o arranque mais fácil. menor nível de ruído e menor preço para potências superiores a 2KW. que nas cavidades do qual são colocados os enrolamentos alimentados pela rede de corrente alternada trifásica. Tem a vantagem de ser mais econômico em relação aos motores monofásicos tanto na sua construção como na sua utilização. escolhendo o método de arranque ideal. A vantagem deste rotor relativamente ao rotor bobinado é que resulta numa construção do induzido mais rápida. Trata-se essencialmente de um motor de velocidade constante. Tr b l Ren to d … † … ‚„ ƒ ‚ ‚ ~ x x€~}  ~x} |{ zy x x qui i l ç il A oi P i 10 . A utilização de motores de indução trifásicos é aconselhável a partir dos 2 KW. Gaiola de Esquilo Este é o motor mais utilizado na indústria atualmente. mais prático e mais barato. sobre o qual são colocadas barras de alumínio (condutores). O motor de indução trifásico apresenta vantagens ao monofásico. O estator do motor é também constituído por um núcleo ferromagnético laminado. O rotor em gaiola de esquilo é constituído por um núcleo de chapas ferromagnéticas. A principal desvantagem refere-se ao fato de o torque de arranque ser reduzido em relação à corrente absorvida pelo estator.

constituído de um anel de material condutor.Motor corrente contínua Máquina de corrente contínua é uma máquina capaz de converter energia mecânica em energia elétrica (gerador) ou energia elétrica em mecânica (motor). de forma que o mesmo possa girar internamente. construído de um material ferromagnético envolto em um enrolamento chamado de enrolamento de armadura e o anel comutador. Anel comutador Responsável por realizar a inversão adequada do sentido das correntes que circulam no enrolamento de armadura. são eles que permitem variação de velocidade como de uma esteira ou de um comboio por exemplo. O anel é montado junto ao eixo da máquina e gira junto com a mesma. Também é constituído de material ferromagnético. Tr b l Ren to d ” • ” ‘“ ’ ‘ ‘ Ž ‡ ‡Œ Ž ‡Œ ‹Š ‰ˆ ‡ ‡ qui i l ç il A oi P i 11 . montada sobre o eixo da máquina. segmentado por um material isolante de forma a fechar o circuito entre cada uma das bobinas do enrolamento de armadura e as escovas no momento adequado. montada em volta do rotor. Este enrolamento suporta uma alta corrente em comparação ao enrolamento de campo e é o circuito responsável por transportar a energia proveniente da fonte de energia. Em algumas máquinas comercializadas no mercado é possível encontrar enrolamentos de compensação que tem como função compensar o efeito desmagnetizante da reação de armadura e enrolamentos de comutação que tem como função diminuir o faiscamento no anel comutador. O movimento de rotação do eixo produz a comutação entre os circuitos dos enrolamentos. envolto em um enrolamento de baixa potência chamado de enrolamento de campo que tem a função apenas de produzir um campo magnético fixo para interagir com o campo da armadura. A energia elétrica utilizada hoje em dia na distribuição e transporte da mesma é a corrente alternada. Escovas Peças de carvão responsáveis por conduzir a energia para o circuito do rotor. porém os motores de corrente contínua têm tradicionalmente grandes aplicações nas indústrias sendo que. Atualmente componentes eletrónicos de tensão alternada já são capazes de controlar a velocidade do motor assíncrono facilmente e pelo seu menor custo e recursos de aplicação estão substituindo os motores de corrente contínua na maior parte das Partes constituintes da máquina de corrente contínua Rotor (armadura) Parte girante. Estator (Campo ou excitação) Parte estática da máquina.

a energia mecânica fornecida ao eixo. Como o corpo do estator é constituído de materiais ferromagnéticos. é armazenada no campo magnético da máquina para ser transmitida para alimentar alguma carga conectada à máquina. ou seja. ao aplicarmos tensão nos terminais do enrolamento de campo da máquina temos uma intensificação do campos magnéticos no mesmo e. ao termos a interação entre os campos magnéticos da armadura no rotor e do campo no estator. a tensão é transferida ao enrolamento da armadura fazendo com que se circule uma corrente pelo mesmo o que produz um campo magnético e outros pares de pólos no enrolamento da armadura. Pela atuação do anel comutador que tem como função alternar o sentido de circulação da corrente no enrolamento da armadura. portanto. Desta forma. A orientação desse campo. a energia mecânica é suprida pela aplicação de um torque e da rotação do eixo da máquina. assim. provocar uma variação temporal da intensidade do mesmo. com a máquina parada. os mesmos tentarão se alinhar. fazendo com que se circule uma corrente elétrica nesse enrolamento que produz um campo magnético no enrolamento da armadura. A fonte de energia mecânica tem o papel de produzir o movimento relativo entre os condutores elétricos dos enrolamentos de armadura e o campo magnético produzido pelo enrolamento de campo e desse modo. simultaneamente temos uma tensão elétrica aplicada no enrolamento de campo no estator. uma turbina hidráulica. o pólo norte de um dos campos tentará se aproximar do pólo sul do outro. etc. Tr b l Ren to d £ ¤ £  ¢ ¡     œŸ – –žœ›  œ–› š™ ˜— – – qui i l ç il A oi P i 12 . uma fonte de energia mecânica pode ser . Operando como motor de corrente contínua No caso de motores.por exemplo. a produção de pólos magnéticos (Norte e Sul) espalhados por toda a extensão do estator. a posição do pólo norte e sul permanece fixa. o funcionamento é inverso: energia elétrica é fornecida aos condutores do enrolamento da armadura pela aplicação de uma tensão elétrica em seus terminais pelo anel comutador(coletor). e assim pela lei de Faraday induzir uma tensão entre os terminais do condutor. quando aplicamos uma tensão no comutador. uma turbina eólica. ou seja.Princípio de Funcionamento Operando como gerador de corrente contínua Quando se trata de um gerador.

surgirá um binário de forças que produzirá um torque no eixo. mudando o sentido do campo magnético produzido. sendo assim necessário apenas uma fonte para alimentar o circuito de campo e da armadura.Como o eixo da máquina pode girar. é necessário um enrolamento próprio para o circuito de excitação. Assim. fazendo o mesmo girar. Em geral o enrolamento de campo que produz a excitação é constituído de condutores que não suportam grandes correntes. Como o enrolamento de campo está em Tr b l Ren to d ² ³ ² ¯± ° ¯ ¯ «¬® ¥ ¥­«ª ¬ «¥ª ©¨ §¦ ¥ ¥ qui i l ç il A oi P i 13 . Nesta configuração. pois ambos os circuito estão em paralelo. Como neste caso a corrente que circula no enrolamento de campo que produz a excitação é a mesma corrente que circula no enrolamento da armadura. e ao girar o anel comutador muda o sentido de aplicação da tensão. Excitação shunt ou em derivação (paralelo) O circuito do enrolamento de campo que produz a excitação está em paralelo ou em derivação com o circuito de armadura. temos novamente a produção do binário de forças que mantém a mudança dos pólos e conseqüentemente o movimento do eixo da máquina. Ao girar. pois a excitação em geral utiliza correntes baixas para produzir o campo magnético em comparação com as correntes que circulam no enrolamento de armadura. o eixo gira o anel comutador que é montado sobre o eixo. capaz de suportar correntes relativamente altas da armadura. é necessário apenas uma fonte de corrente contínua para alimentar o circuito de armadura e de campo. Classificação das máquinas de corrente contínua segundo a maneira como se alimenta a máquina Excitação independente ou separada Nesta configuração o circuito de excitação da máquina é alimentada por uma fonte adicional independente ou separada da fonte de corrente contínua que alimenta a armadura. Excitação série O circuito do enrolamento de campo que produz a excitação está em série com o circuito de armadura. caso os campos da armadura e do estator não estejam alinhados. o que faz com que a corrente circule no sentido contrário. ao girar o anel comutador muda a posição dos pólos magnéticos norte e sul do campo da armadura e como o campo produzido pelo enrolamento de campo no estator fica fixo.

paralelo ou em derivação com o circuito de armadura. Tr b l Ren to d qui i l ç il A oi à P i 14 Excit ção Co post Ä Ã Á  Á ¾À ¿ ¾ ¾ º»½ ´ ´¼º¹ » º´¹ ¸· ¶µ ´ ´ . aspiradores de po e bombas centrifugas que requerem alta velocidade. y Sao usados comumente em pequenos eletrodomesticos como furadeiras e lixadeiras que requerem conjugado elevado e liquidificadores. é possível utilizar o mesmo tipo de condutor do caso de excitação independente. y y Pode operar tanto em CA como CC. Motor Universal Os motores do tipo universal podem funcionar tanto com '''corrente contínua''' quanto com '''corrente alternada'''. de forma a aproveitar os benefícios de ambas as ligações. daí a origem de seu nome. podendo existir o esquema de ligação longo ou curto e composto aditivo ou subtrativo. y O conjugado de partida tambem e elevado. O motor universal é o motor monofásico cujas bobinas do '''estator''' são ligadas eletricamente ao rotor por meio de dois contatos deslizantes (escovas). que nesse caso centelharia muito e levaria a queima do mesmo). um em série e outro em derivação. ligam em série o estator e o '''rotor'''. Em muitas aplicações o enrolamento série é utilizado para compensar o efeito desmagnetizante da reação de armadura. (apesar de funcionarem em correntes continuas não devem ser ligados nessa corrente pois cada motor e feito para ser ligado em um determinado tipo de corrente. porém os que se destinam a correntes alternadas. por sua vez. Velocidade variavel (baixas velocidades para grandes conjugados e altas velocidades para pequenas cargas). Neste esquema de ligação utiliza-se uma combinação da excitação série e shunt. Esses dois contatos. Com dois enrolamentos de excitação. os detalhes construtivos influenciam no funcionamento do motor.

Esse tipo de motor é o motor mais empregado e está presente em máquinas de costura. Os motores universais apresentam conjugado de partida elevado e tendência a disparar. Funcionamento A construção e o princípio de funcionamento do motor universal são iguais ao do motor em serie de '''corrente contínua'''. como furadeira. mas permitem variar a velocidade quando o valor de tensão de alimentação varia. Tr b l Ren to d Ò Ó Ò ÏÑ Ð Ï Ï ËÌÎ Å ÅÍËÊ Ì ËÅÊ ÉÈ ÇÆ Å Å qui i l ç il A oi P i 15 . Dessa forma. ou seja. a variação do sentido da corrente provoca variação no campo. tanto do rotor quanto do estator. não havendo inversão do sentido de rotação normal. e também em máquinas portáteis. o conjugado continua girar no mesmo sentido inicial.y Normalmente sao fabricados para potencias fracionarias de ate . enceradeiras e outros '''eletrodoméstico'''s. Quando o motor universal é alimentado por corrente alternada. '''liquidificador'''es. a bobina ligada a escova deverá ser ligada à outra escova e vice -versa. cv uma vez que para potencias acima de alguns cv funcionam precariamente em CA gerando grande faiscamento nas escovas e decrescem. e FP Observação É possível inverter o sentido do movimento de '''rotação''' desse tipo de motor. lixadeira e serras. invertendo apenas as ligações das escovas.

que faz com que o atraso entre as bobinas seja maior que no metodo anterior. O campo gerado no rotor. induz no rotor uma corrente induzida. Por esse motivo os motores monofasicos tem seu acionamento diferente dos motores trifásico. o auxiliar tem sua resistencia maior que o principal. Método com capacitor permanente: nesse caso o enrolamento auxiliar (junto com um capacitor de marcha) fica ligado permanetemente. só que nesse caso o enrolamento auxiliar não é desligado. vejamos os tipos de acionamentos: Método fase dividida: o motor é enrolado com dois enrolamentos o principal e o auxiliar. o campo magnético do estator. Método com capacitor de partida e capacitor de marcha: nesse metodo. o que tenderia gira-lo 180° de sua posição original. levando o motor a partida.. ao variar sua polaridade entre norte e sul. a oposição dos campos exerce um conjugado na parte superior e inferior do rotor. quando o motor é ligado os dois capacitores estão ligado em paralelo ( partida e marcha) quando o motor atinge a velocidade 75% da nominal o interuptor desliga o capacitor de partida deixando sempre o ernrolamento ligado e com o capacitor de marcha ligado com ele. devido a corrente induzida. o movimento provocado não é rotativo. tem polaridade oposta a do estator. o rotor continua parado. Como o conjugado é igual em ambas as direções.Motor de Indução Os motores de indução possuem um único enrolamento no estator. Nesse caso. como nos outros. também se faz uso do enrolamento auxiliar. O funcionamento é o seguinte. aumentando o conjugado de partida. isso geralmente é feito através de um interruptor centrifugo que desliga o enrolamento ao atingir essa velocidade. Assim. Tr b l Ren to d qui i l ç il A oi äèãçæåãä ã P i 16 á â á Þà ß Þ Þ ÚÛÝ Ô ÔÜÚÙ Û ÚÔÙ Ø× ÖÕ Ô Ô . esse metodo é empregado principalmente em ventiladores de teto. com isso os campos ficam defasados entre as bobinas e surge um campo magnetico girante. É importante salientar que o enrolamento auxiliar deve ser desligado quando o motor atinge 75% da velocidade nominal do mesmo. Método com capacitor de partida: Também faz uso de um enrolamento auxiliar só que ligado em serie com um capacitor de partida. Fu ci Quando o rotor estiver parado. Esse enrolamento gera um campo magnético que se alterna juntamente com as alternâncias da corrente. pois as forças são exercidas pelo centro do rotor e em seguida contrários.

geralmente com uma ou duas voltas de fio. no estator do motor se constrói duas bobinas (alem da principal). com uma espessura razoavelmente grande. essas bobinas ficam curto-circuitadas e se localizam numa porção de cada polo do estator. Tr b l Ren to d ö ÷ ö óõ ô ó ó ïðò é éñïî ð ïéî íì ëê é é qui i l ç il A oi P i 17 . com a energização do motor a bobina principal induz nessas bobinas uma corrente fazendo que elas criem um campo magnetico defasado da principal e inicie o movimento do motor.Método com bobina de arrastamento: nesse metodo o motor não possui enrolamento auxiliar.

wikipedia.Bibliografia: Eletrotecniva principios e aplicações Alexander Gray G.org/wiki/M%C3%A1quina_de_corrente_cont%C3%ADnua www.com/tipomotores. Wallace http://pt..wikipedia.eaglesgate.org/wiki/Motor_el%C3%A9trico pt.A.wikipedia..wikipedia.org/.org/wiki/Motor_monof%C3%A1sico http://pt.htm http://pt./ Motor_de_corrente_alternada Ren to d ¥ ¦ ¥ ¢¤ £ ¢ Tr b l ¢ qui il A oi þÿ¡ ø ø þý ÿ þøý i l ç üû úù ø ø P i 18 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful