P. 1
deficientes físicos

deficientes físicos

|Views: 62|Likes:
Publicado porJosue Passos

More info:

Published by: Josue Passos on Apr 13, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/13/2011

pdf

text

original

Nas sociedades primitivas, que existem até hoje nas mais diferentes partes do mundo, encontramos atitudes variadas

com relação a pessoas com deficiência, indo desde a aceitação e respeito, até a completa rejeição e eliminação Na opinião de autoridades em Antropologia e mesmo de diversos historiadores da Medicina, podem ser observados basicamente dois tipos de atitudes para com pessoas doentes, idosas ou com deficiências: Uma é de aceitação, de tolerância, de apoio e de assimilação e outra de rejeição, eliminação, menosprezo e destruição. Na primeira, as pessoas que estão à margem do grupo principal devido a acidentes, doenças, velhice ou defeito físicos são em geral aceitas das mais variadas maneiras, incluindo -se a tolerância pura e simples, chegando até ao tratamento carinhoso, ao recebimento de honrarias e à obtenção de um papel relevante no seu grupo ou em su comunidade. É interessante ressaltar que esses mesmos antropólogos e historiadores observam que as encontradiças atitudes positivas e de aceitação não correspondem necessariamente a raças mais cultas, experimentadas e evoluídas. No segundo tipo de atitude, todavia, essas mesmas pessoas são diminuídas e colocadas à margem do seu grupo, ou em certas culturas primitivas, são abandonadas à própria sorte em ambientes agrestes e perigosos, morrendo devido à inanição ou aos ataques de animais selvagens. Essas atitudes são bem diferentes daquelas de destruição habitual e sistemática adotadas por grupos primitivos mais complexos, dedicados à agricultura e também ao pastoreio e a uma incipiente pecuária. Se estudarmos com cautela verificaremos que dentre as diversas causas para a destruição das pessoas com deficiências existe uma relativa a crenças e cultos, mas há também aqu ela baseada na realidade que cerca a própria sobrevivência do grupo, face à quase inutilidade das mesmas.

DIFICULDADES DA INCLUSÃO DO DEFICIENTE FÍSICO NO MERCADO DE TRABALHO

O texto aborda a questão da integração da pessoa portadora de deficiência no m ercado de trabalho através de pesquisas bibliográficas. Apresenta como esta o quadro de deficiência atualmente, questões relacionadas ao estudo e ao trabalho desse profissional, a visão do Administrador diante dessa questão, sua falta de conhecimento sobre essa força de trabalho, o papel das entidades de formação profissional de pessoas portadoras de deficiência física, o papel do governo e as leis que tratam dos direitos dos cidadãos.

A CARA DA DEFICIÊNCIA NO BRASIL
A pessoa com deficiência física é segundo o decreto federal nº 914/93, aquela pessoa que apresenta em caráter permanente, perdas ou anomalias de sua estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica, que geram a incapacidade para o desempenho de atividades, dentro do padrão conside rado normal ao ser humano . A análise desses dados é assustadora, pois se verifica a existência de uma população de mais de 24,5 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência. Os dados do censo mostram ainda , que os homens predominam no caso de deficiência mental, física (³especialmente no caso de falta de membro ou parte dele´) e auditiva. O resultado é compatível com o tipo de atividade desenvolvida pelos homens e mostra que os acidentes de trabalho vêm contribuindo no aumento desses índices. Já as mulheres predominam no índice de dificuldades motoras .

Gênero literário (mais amplamente conhecido como gêneros literários) é geralmente dividido, desde a Antigüidade, em três grupos: narrativo ou épico, lírico e dramático. Essa divisão partiu dos filósofos da Grécia antiga, Platão e Aristóteles, quando iniciaram estudos para o questionamento daquilo que representaria o literário e como essa representação seria produzida.[1] Essas três classificações básicas fixadas pela tradição englobam inúmeras categorias menores, comumente denominadas subgêneros.
O gênero lírico se faz, na maioria das vezes, em versos e explora a musicalidade das palavras. Entretanto, os outros dois gêneros ² o narrativo e o dramático ² também podem ser escritos nessa forma, embora modernamente prefira-se a prosa. Todas as modalidades literárias são influenciadas pelas personagens, pelo espaço e pelo tempo. Todos os gêneros podem ser nãoficcionais ou ficcionais. Os não-ficcionais baseiam-se na realidade, e os ficcionais inventam um mundo, onde os acontecimentos

ocorrem coerentemente com o que se passa no enredo da história.[1] .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->