P. 1
História e Teorias de Enfermagem ( slide )

História e Teorias de Enfermagem ( slide )

|Views: 19.330|Likes:
Publicado porjohannes63

More info:

Published by: johannes63 on Apr 14, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/24/2013

pdf

text

original

História e Teorias de
Enfermagem

Aula Inaugural

09/09/2010

Refletindo a história da
enfermagem e do cuidado

A Enfermagem é marcada por história

de coragem, erros, acertos e,
sobretudo, muito idealismo, ela se
confunde com a história dos povos,
sendo a sobrevivência o primeiro e mais
forte instinto do ser humano.

A Enfermagem é a ciência do cuidar, do
cuidar humano, do cuidar planejado,
sistematizado, organizado, científico,
analisado,avaliado e implementado pela
assistência de enfermagem.

A enfermagem sabe ver o cliente em todas as suas
necessidades, aplicando o cuidado.

Trabalhar em enfermagem é atuar em prol da
qualidade de vida do indivíduo, orientando, olhando,
ouvindo, falando, medicando,
sonhando,banhando,alimentando,
confortando,fazendo-se confiável, instrumentalizando
para oferecer paz.

O enfermeiro é o profissional que está

mais perto do paciente, e com ele
permanece um bom período de tempo,
principalmente no leito
hospitalar.Nenhum outro profissional da
saúde está tão próximo do paciente
como o enfermeiro.

Portanto o enfermeiro não pode atuar

somente no atendimento imediato dos
problemas de enfermagem resultantes
das patologias.

O paciente não pode ser fragmentado,

dividido em pedaços, é necessário ser
visto como um todo.

Com o passar do tempo, o cuidado

tornou-se mecanizado, fragmentado e
tanto as pessoas que cuidam como as
que recebem cuidado parecem ter-se
esquecido de que esta habilidade ou
qualidade, além de construir uma ação,
é um valor, um comportamento, uma
filosofia, uma arte e ciência.

;, .

Enfermagem é ARTE, CIÊNCIA e IDEAL.

A enfermagem não pode ser executada sem
nenhum planejamento, apenas atendendo a
rotina diária da unidade do serviço.

Nenhuma patologia e nenhum paciente
poderá ser tratado tipo produção em série,
porque cada um tem a sua individualidade,
porque cuidar é humano.Cuidar é respeitar o
individuo, suas características próprias de
cada um.

Cuidar vem de humano para outro humano.
Precisamos dar ao paciente uma assistência holística
de enfermagem (corpo-mente-espírito.)

A saúde não pode perder o humano.

A enfermagem não pode ter rotinas prontas no
cuidado, pois cada individuo tem suas peculiaridades,
suas limitações, sejam físicas, psíquicas, econômicas
ou culturais que devem ser respeitadas, se não pela
competência profissional, pelo menos pelos preceitos
éticos que regem a profissão.

O enfermeiro não pode ver o paciente

como partes: coração, fígado, cérebro,
ossos, etc, como se essas partes não
pertencessem a alguém que pensa,
sente e que pode opinar. As pessoas
precisam de uma imagem completa, e
precisam de uma enfermagem que
possa atender as suas necessidades.

O paciente é a razão da nossa profissão.Asaúde é o nosso maior

bem e a enfermagem é a ciência do cuidar humano, que vê o homem
em sua totalidade.

O enfermeiro deve apropriar-se de uma nova identidade,
construir um caminho que atenda ás necessidades do homem
em todos os campos possíveis de atuação.

A sociedade busca uma enfermagem que saiba, sem tropeçar,
quem é, por meio de sua capacidade de atuação, que traga de
volta o homem para o centro do universo, em sua totalidade,
por intermédio do conhecimento; que possa integrar as partes,
que possa dizer onde está, que tenha compromisso com ela e
com a saúde e qualidade de vida; que saiba, realmente, a que
veio, por meios de atitudes.

Enfermagem é fazer saber, é
conscientizar, é respeitar, compartilhar.

Cuidar é ver além do visível e ousar ir
mais longe.

Nossos pacientes estão pedindo
socorro.Não há assistência,não há
cuidado.Cuidar não é só saber.É ser.São
atitudes.

Precisamos entender os caminhos que

levam os Enfermeiros a cuidar e a
descuidar do homem como um ser
holístico, carente de vários recursos
para a manutenção de sua saúde,não
apenas o tratamento para as suas
doenças.

Até quando pensamos poder ficar á

margem da medicina , de rotinas,
executando tarefas pré determinadas,
que exigem de um saber complexo e de
um conhecimento planejado?

Á Enfermagem não pode ser: alienada, pouco

reflexiva, pouco criativa e não se faz em real
a necessidade do cliente e da Sociedade.

Hoje, a sociedade busca profissional que

possa perceber as necessidades do paciente
(Cliente) que seja capaz de traçar um plano
de assistência que realmente complete as
necessidades desse ser.

Para tal, é imprescindível que o Enfermeiro

saiba refletir, agir, criar e planejar, com
conhecimento aprimorado e com
maleabilidade, vendo cada individuo em sua
individualidade e coletividade.

A vida humana não se limita ás necessidades

básicas representadas pela alimentação,
abrigo e reprodução.

Muitas são as suas necessidadespoisvariam deindividuo

para indivíduo, e de sociedadepara sociedade.

Para o ser humano doente, a solidão e o isolamento, a

desinformação, a ruptura de suas relações cotidianas,
principalmente quando impostos, talvez sejam os maiores
agressores psicológicas, pois corroem e desintegram, ele
sente-se perdido, com medo, em pânico.Neste momento,
corpo e membro desajustam-se , ele pede socorro das
mais variadas formas e muitas vezes não é percebido,
porque normalmente os profissionais da saúde estão
muito ocupados para atender a detalhes que não os
fisiológicos, pertinentes á causa da internação ou procura.

Quando adoecemos o medo nos fazinseguros,

carentes de atenção, não entendemoso que se
passa, não queremos entender, entramos muitas
vezes em pânico.A solidão, o isolamento por
imposição hospitalar ou mesmo pela impossibilidade
física de ir e vir, corrompe a mente, desinstala o ser
de suas relações, não há troca.Suplicamos, humilha-
se por atenção, carinho, por um olhar, por minutos
de conversa, por respeito.

Ética Profissional

Toda profissão possui seu próprio

código de ética,ou seja, seu conjunto
de regras e preceitos referentes á
conduta das pessoas que a exercem,
qualificando o que seja bom ou mal,
seja relativamente aos profissionais da
área , seja em relação á sociedade de
modo absoluto.

Todos têm sua vocaçãoprofissional ebuscam,

através dela, adquirirtodo o prestigiopossível.

Alguns, nessa jornada rumo ao sucesso,

agem com perfeita retidão de intenção,
utilizando seu potencial e as
prerrogativas de seu cargo para o bem
da sociedade e, conseqüentemente, o
seu próprio.

Outros tantos, porém, na ânsia de conquistar altos

postos, ou grandes lucros, adotam um procedimento
que ignora por completo a ética, passando por cima
de tudo e todos, que represente obstáculo á
consecução dos seus objetivos personalista.

Sob o pretexto de lutar com todas as armas

disponíveis para atingir seus fins, iniciam um
processo que faz desaparecer aos poucos quaisquer
vestígio de lealdade, e mesmo de honestidade, que
ainda marcavam sua conduta pregressa.

Toda conquista, daí em diante, será

completamente destituída do mérito
que seria se resultasse de um esforço
justo. Seria como possuir muitos bens,
tendo roubados a todos. A riqueza
material de nada vale se não for de um
comportamento que se submeta á
moral, á ética profissional.

Pode-se subir na vida de várias

maneiras, mas somente a honestidade
e material confiável para construir uma
estrutura sólida, que garanta firmeza a
todos aqueles que querem atingir
grandes alturas em sua profissão.

Pense em tudo que vale a penas

pensar, supere seus limites amplie
seus horizontes e ... Aceite o
desafio de transformar nosso
mundo num lugar melhor para
viver!

Valor e Virtude

O Valor e a virtude caracterizam o

crescimento do ser humano.

Gasta-se muito tempo buscando a

transformação dos outros, cuidando do
ambiente externo e pouco ou quase nenhum
tempo temos dedicado ao nosso crescimento
interior a nossa inteligência intrapessoal,que
impulsiona o nossos relacionamentos na
sociedade.

Periodicamente, devemos parar,

pensare observará á nossa volta,
verificando como está o nosso
mundo, os nossos hábitos, a nossa
casa, os nossos relacionamentos,
as nossas metas e objetivo de vida.

A atitude das pessoas dependem muito

dos seus valores. Ele é uma espécie de
padrão que orienta a conduta.

Julgamos os outros e a nós mesmos de

acordo com os nossos valores.

Que valores ou virtudes preciso

cultivar?

O cuidado humano é uma atitude ética em que
seres humanos percebem e reconhecem os
direitos uns dos outros.

Pessoas se relacionam numa forma a promover o
crescimento e o bem-estar do outro.

O ser humano é um ser de cuidado, mais ainda, sua
essência se encontra no cuidado.Colocar o cuidado
em tudo o que projeta e faz, eis a característica
singular do ser humano.

Cuidador é aquele que cuida, cuidadoso.

Cuidadoso é aquele que tem cuidado,diligente,
solícito,zeloso, cauteloso, meticuloso.

O cuidado nos remete aos primórdios de um embrião
até a finitude do ancião.

Como Surgiu o Papel do Enfermeiro

na História?

Não há documentos que comprove sua

existência. A sobrevivência da humanidade é
a resposta.

Enfermagem é preservação da vida,

promoção do conforto, cuidado e segurança.

Mãe foi a primeira cuidadora, proporcionando

saúde, protegendo o filho, cuidando dos
velhos a das pessoas doentes da família.

As enfermeiras eram pessoas com habilidades naturais,
pessoas bondosas que se sensibilizavam com os outros,
eram habilidosas, generosas, criativas, intuitivas que
aos poucos foram melhorando seus conhecimentos.

A essência do serviço era curar =cuidando.

Com o conhecimento que iam adquirindo,

encontravam alimentos que balanceavam a
dieta. Descobriram alimentos que eram
venenosos, encontraram raízes medicinais e
que hoje são a base da farmacologia
moderna.

A enfermagem era uma prática empírica,

exclusivamente do lar.

A bíblia foi uma fonte de pesquisa sobre a história da enfermagem,
no livro de gênesis que diz: partiram de Betel e havendo ainda
uma pequena distância para chegar a Efretá, Raquel deu á luz a
um filho, cujo parto foi penoso .

Em meio as dores do parto, disse-lhe

a parteira : Não temas, pois ainda terás
este filho.

Concluiu-se que: A enfermagem foi a

primeira profissão a surgir na área da
saúde.

Quando ainda não havia ciência, era o espírito do serviço que
realizava embrionariamente, aquilo que ainda hoje constitui alguns
dos objetivos da enfermagem: dar conforto físico e moral ao
doente e afastar dele os perigos, ajudá-los a alcançar a cura .

Só mais tarde aparece a verdadeira
ciência. As técnicas praticadas
atravessaram todas as civilizações sem
se tornarem obsoletas, hoje são
evidentemente requisitadas com o
implemento da tecnologia. O título de
parteira, por exemplo, surge
freqüentemente na enfermagem
obstétrica.

Em síntese, a enfermagem teve seu nascedouro bem
delineado.Não surgiu das lendas, seu desenvolvimento foi
demorado por motivos desconhecidos, mas em cada
civilização há indícios de seu itinerário.

Período Pré-cristão-As doenças eram tidas como um
castigo de Deus ou resultavam do poder do demônio.Por isso os
sacerdotes ou feiticeiras acumulavam funções de médicos e de
enfermeiros. O tratamento consistia em aplacar as divindades,
afastando os maus espíritos por meios de sacrifícios. Usavam:
massagens, banho de água quente ou fria, purgativos,
substâncias provocadoras de náuseas. Mais tarde os sacerdotes
adquiriram conhecimentos sobre plantas medicinais e passaram
a ensinar pessoas, delegando-lhes funções de enfermeiros e
farmacêuticos. Alguns papiros, inscrições, monumentos, livros
de orientações política e religiosas, e muitas outras descobertas
nos permitem formar uma idéia do tratamento dos doentes.

As práticas da saúde ao longo da História
e o desenvolvimento das práticas de
Enfermagem

Período Pré-Cristão As doenças eram tidas

como um castigo de Deus ou resultavam do
poder do demônio.Por isso os sacerdotes ou
feiticeiros acumulavam funções de médicos e
Enfermeiros. O tratamento consistia em
aplacar as divindades, afastando os maus
espíritos por meios de sacrifícios. Usavam:
massagens, banhos de água quente ou fria,
purgativos, substâncias provocadoras de
náuseas.

Continuação Período Pré - Cristão

Mais tarde os sacerdotes adquiriram
conhecimentos sobre plantas medicinais e
passaram a ensinar as pessoas, delegando-
lhes funções de enfermeiros e farmacêuticos.
Alguns papiros, inscrições, monumentos,
livros de orientações políticas e religiosa,
ruínas de aquedutos e outras descobertas nos
permitem formar uma idéia do tratamento
dos doentes.

Egito

Os egípcios deixaram alguns documentos
sobre a medicina conhecida em sua época. As
receitas médicas deviam ser tomadas
acompanhadas da recitação de fórmulas
religiosas. Praticava-se o hipnotismo, a
interpretação de sonhos; acreditava-se na
influência de algumas pessoas sobre a saúde
de outras. Havia ambulatórios gratuitos, onde
era recomendada e o auxilio aos
desamparados.

Índia

Documentos do século Vl a.c. nos dizem que os
hindus conheciam: ligamentos, músculos, nervos,
plexos, vasos linfáticos, antídotos para alguns tipos
de envenenamento e o processo digestivo.
Realizavam alguns tipos de procedimentos, tais
como: suturas, amputações, trepanações e corrigiam
fraturas. Neste aspecto o budismo contribuiu para o
desenvolvimento da enfermagem e da medicina. Os
hindus tornaram-se conhecidos pela construção dos
hospitais. Foram os únicos, na época, que citaram
enfermeiros e exigiam deles qualidades morais e
conhecimentos científicos.

Índia

Nos hospitais eram usados músicos e narradores

de histórias para distrair os pacientes.

O bramanismo fez decair a medicina e a

enfermagem, pelo exagerado respeito ao corpo
humano proibia a dissecação de cadáveres e o
derramamento de sangue. As doenças eram
consideradas castigo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->