P. 1
Montagem de um lab de qmc, autolabor, kits de risco

Montagem de um lab de qmc, autolabor, kits de risco

|Views: 1.784|Likes:
Publicado porDomingas Bia Silva
aula da disciplina Instrumentação no ensino de química_UFSC/2009
aula da disciplina Instrumentação no ensino de química_UFSC/2009

More info:

Published by: Domingas Bia Silva on Apr 14, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/14/2013

pdf

text

original

‡ Os produtos químicos vendidos com duas
características básicas:
‡ reagentes chamados P.A. (Pró-análise), com alto grau
de pureza, e que por isso são mais caros.
‡ os regentes chamados ³técnicos´ou ³comerciais´, com
menor grau de pureza, e que, por isso, custam menos,.
‡ Sugerimos a compra dos reagentes técnicos ou
comerciais, cuja pureza é suficiente para trabalhos
escolares.

REAGENTES

Acetatode cálcio

100 g

Acetatode sódio

100 g

Acetona

1 L

Acido acético glacial

1 L

Ácido benzóico

100 g

Ácido clorídrico

2 L

Ácido nítrico

1 L

Ácido sulfúrico

2 L

Açúcar

1 kg

Álcool etílico

2 L

Alumínio em aparas

250 g

Amido

100 g

Azul de bromo timol

Quantidade mínima

Benzeno

1 L

Brometode sódio ou de potássio

200 g

Bromo

1 ampola

Carbeto de cálcio

100 g

Carbonato de cálcio

250 g

Carbonato de magnésio

250 g

REAGENTES

Clorato de potássio

250 g

Cloreto de amônio

250 g

Cloreto de bário

250 g

Cloreto de ferro III

250 g

Cloreto de potássio

250 g

Cloreto de sódio

250 g

clorofórmio

2 L

Cobre em aparas

250 g

Cromatode potássio

250 g

Dicromatode amônio

250 g

Dicromatode potássio

500 g

Dióxido de manganês

200 g

Enxofre em pó

500 g

Estanho em aparas

250 g

fenol

100 g

Fenolftaleina

Quantidade minima

Ferro em aparas

250 g

Glicerina

250 g

Hidrogenossulfito (bissulfito) de sódio

100g

Hidróxido de amônio

1 L

Hidróxido de cálcio

250 g

Hidróxido de sodio

500 g

REAGENTES

Iodeto de mercúrio II

50 g

Iodeto de potássio

250 g

Iodo sublimado

100 g

Magnésio em aparas

1 rolo

Magnésio em fita

Quantidade mínima

Metil orange

250 g

Naftaleno

250 g

Nitrato de chumbo II

100 g

Nitraro de potássio

250 g

Nitrato de prata

50 g

Nitroprussiatode sódio

100 g

Óleo comestivel

4 latas

Óxido de bário

100 g

Óxido de cálcio

100 g

Óxido cúprico

100 g

Papel azul de tornassol

3 blocos

Papel vermelho de tornassol

3 blocos

Papel indicador universal

3 blocos

Parafina

200 g

REAGENTES

permanganato de potássio

150 g

Sódio metálico

100 g

Sulfato de cobre II

500 g

Sulfato de sódio

250 g

Sulfato de magnésio

250 g

Sulfato de zinco

250 g

Sulfeto de carbono

1 L

Tetracloretode carbono

1 L

Tiocianato de amônio

200 g

Tiossulfato de sódio

100

Vaselina sólida

100 g

Vinagre

1 L

Zinco em aparas

250 g

APARELHOS

BALANÇADE ESCALATRÍPLICE ECOM PRECISÃO DE 0,1 G

2

BALANÇACOM PRECISÃO DE 0,01 g

1

Centrífuga manual ou elétrica

1

Destilador de água

1

MATERIAL AUXILIAR

Caderno com ordem alfabética

3

Etiquetas gomadas médias

100

Etiquetas gomadas pequenas

100

Lápis dernatográfico

2

Tesoura de tamanho médio

1

AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA
- Edson Albuquerque de Oliveira ±
editora Moderna ± 3ª edição ± 1995

Estocagem, Manuseio e Descarte
dos produtos químicos

‡ A estocagem, manuseio e o descarte dos produtos químicos são os
itens que exigem cuidados, pois as substâncias químicas que estão
no ambiente do laboratório possuem as mais diferentes
propriedades químicas e físicas. Assim, deve-se conhecer a
incompatibilidade entre os produtos químicos, seus
comportamentos em diferentes condições (temperatura, umidade,
incidência de direta luz solar) e a sua toxicidade.
‡ A lista abaixo, contém uma relação de produtos que devido a suas
propriedades químicas podem reagir entre si muitas vezes
violentamente. Portanto, devem ser armazenados separadamente.

‡ Fonte: Productos Químicos para Ia Producción Industrial. Manual
Mercki. Repú-blica Federal da Alemanha, 1988.

SUBSTÂNCIA

INCOMPATIBILIDADE

1. ACETILENO

Cloro, Bramo, Fh1or, Cobre, Prata e Mercúrio

2. ÁCIDO ÁCETICO

Oxido de Cromo (VI), Ácido Nítrico. Ácido Perclórico, Peróxidos e
Permanganatos

3. ÁCIDO NÍTRIco
CONCENTRADO

Ácido acético, Anilina. Oxido de Cromo (VI), Cianeto,

Hidrogênio. Carbono Sulfato, Líquidos e Gases combustíveis.

4. ACIDO oxalico

Prata e Sais de Mercúrio.

5. ÁCIDO PERCLÓRICO

Anidrido Acético, Bismuto e Ligas de Bismuto, Álcoois, Papel e Madeira

6. ÁCIDO SULFÚRICO

Clorato de Potássio, Perclorato de Potássio.

7. ALUMINIO, COMPOSTOS DE Água

8. AMONIACO, GÁS DE LAB. Mercúrio, Cloro, Hipoclorito de Cálcio, Iodo, Bromo, Fluoreto de
Hidrogenio

9. AMONIO, NITRATO DE

Ácidos, Metais em pó, Líquidos combustíveis, Enxofre, Substâncias
orgânicas

10. ANILINA

Ácido Nítrico, Peróxido de Hidrogênio.

11. BROMO

Vide Cloro (item 14)

12. CARBONO ATIVO

Hipoclorito de Cálcio e Oxidantes.

13. CIANETOS

Ácidos.

14. CLORO

Amoníaco, Acetileno, Butadieno, Butano, Metano, Propano,

15. CLORATOS

Sais de Amônia, Ácidos. Metais em pó, Enxofre. Substâncias

orgânicas.

16. COBRE

Acetileno, Peróxido de Hidrogênio.

17. CROMO (VI), OXIDO DE

Ácido Acético, Naftaleno, Glicerina, Benzina de Petróleo,

Álcoois, LíQuidos combustíveis.

18. , HIDROPEROXIDO DE

I Ácidos, orgânicos e inorgânicos.

19. FOSFORO

Enxofre, Compostos que contenham Oxigênio (exemplo

Clorados).

o. FLUO R

Armazenar separadamente.

21. HIDROCARBONETOS (Butano,

Flúor. Cloro, Bramo, Oxido de Cromo (VI). Peróxido de Sódio.

l'Tooano Benzeno etc.)

22. HIDROGENIO, FLUORETO DE Amoníaco, Gás de laboratório em solução.

23. HIDROGNIO, PERÓXIDO DE

Cobre, Cromo, Ferro, Metais, Álcoois, Acetona, Substâncias

orgânicas, Anilina, Nitrametano. Substâncias combustíveis

(sólidas e líQuidas).

24. HIDROGENIO, SVLFETO DE

Ácido Nítrico fumegante, Gases oxidantes.

25. LlQUIDOS INFLAMAVEIS

Nitrato de amônia, Óxido de Cromo (VI), Peróxido de

Hidrogênio, Ácido Nítrico, Peróxido de Sódio, Halogênios.

26. MERCÚRIO

Acetileno, Amoníaco.

27. MET AIS ALCALINOS

Água, Tetracloreto de Carbono e outros Alcanos Halogenados,

Dióxido de Carbono, Halogênios.

28. PRATA

Acetileno,Acido Oxálico, ÁcidoTartárico, Compostos de amônia.

29. POTÁSSIO

Vide Metais Alcalinos (item 27)

3O. POT ÁSSIO, CLORATO DE

Vide Cloratos (item 15)

31. POTÁSSIO, PERCLORATO DE Vide Cloratos (item 15)

32. POTÁSSIO, PERMANGANATO
DE

Glicerina, Etilenoglicol, Benzaldeído. Ácido Sulfúrico.

33. SaDIO

Vide Metais Alcalinos (item 27)

34. SÓDIO, PEROXIDO DE

Metanol. Etanol. Ácido Acético, Anidrido Acético, Benzaldeído,

Glicerina, Etilenoglicol, Acetato de etila, Acetato de Metila,

Furfural.

35.IODO

Acetileno, Amoníaco. Gás de laboratório em solução.

A - IDENTIFICANDO SITUAÇÃO DE
RISCO NO TRABALHO DE
LABORATÓRIO

‡ O objetivo desta atividade é oferecer ao
estudante uma oportunidade de identificar
situações perigosas no desenvolvimento
do trabalho de laboratório.

‡ Liste abaixo os principais perigos,
observando a figura 1

Estocagem, Manuseio e Descarte
dos produtos químicos

‡ A estocagem, manuseio e o descarte dos produtos
químicos são os itens que exigem cuidados, pois as
substâncias químicas que estão no ambiente do
laboratório possuem as mais diferentes propriedades
químicas e físicas. Assim, deve-se conhecer a
incompatibilidade entre os produtos químicos, seus
comportamentos em diferentes condições (temperatura,
umidade, incidência de direta luz solar) e a sua
toxicidade.
‡ A lista abaixo, contém uma relação de produtos que
devido a suas propriedades químicas podem reagir
entre si muitas vezes violentamente. Portanto, devem
ser armazenados separadamente.

Principais perigos na figura 1

01. Água em superfície polida.
02. Aparelhos altos perto da quina da bancada: um copo grande num
tripé com uma pipeta comprida saliente.
03. Uma criança colocando suas mãos inadvertidamente num tripé de
metal quente.
04. Um tubo de teste aquecido sendo apontado numa direção em que
o líquido fervente pode ser ejetado nos alunos.
05. Um tubo de teste sendo aquecido com uma quantidade muito
grande de líquido.
06. Garrafas de materiais inflamáveis ou corrosivos (por exemplo, éter
ou ácido clorídrico corrosivo) armazenadas no chão, onde podem
se chocar.
07. Conjunto suporte de retorta numa forma que, quando usado, irá

virar.

08. Trilha de tubo de borracha por entre garrafas e outros aparelhos:
pode derrubá-Ios ou destruir a bancada. Bancadas desorganizadas
podem ser uma fonte de acidentes. Garrafas que não estejam em
uso devem ser retiradas da superfície de trabalho.

09. Chave de fenda metálica sendo usada para explorar um soquete
condutor.
10. Pesos de metal ou outros objetos pesados sendo suportados por
cordões ou arames finos numa experiência com polias (roldanas).
11. Cabelos compridos balançando perto de bicos de Bunsen; roupas

largas.
12. Produtos químicos guardados em frascos que no passado
contiveram alimentos e ainda apresentam os rótulos originais.
13. Líquidos sendo despejados acima do nível dos olhos (neste caso,
em uma bureta).
14. Portas de saída bloqueadas.
15. Alunos muito perto da demonstração enquanto observam.
16. Alunos sacudindo papéis.
17. Aluno carregando volumes que tampam sua visão.
18. Avisos de segurança numa unidade de força muito altos para
serem lidos pelo alunos.

A - IDENTIFICANDO SITUAÇÃO DE
RISCO NO TRABALHO DE
LABORATÓRIO

‡ O objetivo desta atividade é oferecer ao
estudante uma oportunidade de identificar
situações perigosas no desenvolvimento
do trabalho de laboratório.

‡ Liste abaixo os principais perigos,
observando a figura 2

Principais perigos na figura 2
01. Superlotação fará com que os alunos esbarrem nos aparelhos
da bancada.
02. Ácido derramado na bancada em uma posição tal que as roupas
podem absorvê-lo.
03. Alunos despejando uma solução de um frasco muito grande.
04. Botijões de gás que podem cair ou levar esbarrões; deveriam estar
amarrados em determinada posição.
05. Aluno em pé numa banqueta tentando colocar um objeto pesado
em lugar alto.
06. Jarra na quina de um armário, com possibilidade de cair.
07. Aluno tentando acender, com pavio encerado, gás vindo de um
aparelho gerador de gás que inclui um funil Thistle (se estiver sendo
preparado hidrogênio dessa forma, o aparelho conterá

uma

mistura de gás-ar explosiva).
08. Tubo de prova na quina de uma bancada.
09. Alimento junto a venenos químicos.

Principais perigos na figura 2
10. Solvente inflamável (acetona) sendo aquecido com uma chama
desprotegida.
11. Mercúrio derramado na bancada.
12. Líquido sendo pipetado pela boca de um vasilhame em que a
extremidade da pipeta está pouco abaixo da superfície.
13. Quadro na parede solto por falta de tachinhas; pode ser aceso por
um queimador que esteja próximo.
14. Aparelho numa tal posição que pode ser derrubado pelo abrir das
portas do armário.
15. Aparelhos sem apoio.
16. Perigos combinados: por exemplo, um suporte cai e derruba outros
suportes num efeito dominó.
17. Garoto com as mãos molhadas conectando um plugue numa
tomada.
18. Banquetas e mochilas bloqueando o espaço de circulação.
19. Cabelos compridos e não amarrados podem ser um perigo de fogo
para as garotas.
20. Roupas largas.

PICTOGRAMAS

TRABALHANDO COM RÓTULOS

‡ 1) Faça leitura de 3 rótulos de reagentes químicos

Material
Fórmula
química

Marca
Comer
cial

Nome
IUPAC

Composição
química escrita
no rótulo

densida
de

Cuidados e
precauções

Formula
Química

escritano

rótulo

Grau de toxidez

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->