P. 1
EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO

EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO

|Views: 268|Likes:
Publicado porleonardobag

More info:

Published by: leonardobag on Apr 14, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/07/2014

pdf

text

original

EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. REQUISITOS DE LIMITAÇÃO.

• Para que ocorra o exercício regular de direito ou cumprimento de dever legal é necessário que o fato obedeça rigorosamente às condições objetivas a que a excludente de criminalidade está subordinada. Todo direito, como todo dever, é limitado ou regulado em sua execução. Fora dos limites traçados na lei, o que se apresenta é o abuso de direito ou excesso de poder. (Ac. – TJSP – RT 572/297).

EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. EXPULSÃO. PESSOA QUE ENTRA EM ESCRITÓRIO PARA INSULTAR O DONO. CARACTERIZAÇÃO. • Age no exercício regular de direito aquele que expulsa do seu escritório, empurrando-o para fora, quem ali fora ter para insultá-lo. (Ac. – TACRIM – SP – RT 421/248).

EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. EQUIMOSE EM MENOR QUE FURTA POMAR. CARACTERIZAÇÃO. • Age no exercício regular de direito aquele que, pretendendo impedir a fuga do menor que lhe invadira o pomar para furtar, ocasionar-lhe equimoses no braço. (Ac. Un. – 1ª CC – TASP – 20/11/1953 – Ap. 3.364 – RT 220/326).

EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. FIGITIVO MORTO A TIROS PELAS COSTAS. NÃO CARACTERIZAÇÃO. • O exercício regular de um direito (CP, art. 19, III) pressupõe, quando se trata de diligência para prisão de alguém, que a pessoa visada esteja em situação de flagrância ou quase flagrância. Quem atira, pelas costas, em indivíduo que foge, positivamente não exerce direito algum. (TACRIM – SP – 2º Gr. Cams. – Embs. Infr. 18.799 – 12/08/1970 – Julgados TASP – XIII/43).

EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITO. PATRÃO QUE AMEAÇA EMPREGADO SUSPEITO DE INFORMAR À POLÍCIA. CONFISSÃO. CARACTERIZAÇÃO. • Age no exercício regular de direito e, portanto não comete o delito de constrangimento ilegal, o patrão que obtém confissão de estar sendo furtado pelos empregados, fato verdadeiro, sob ameaça de levar a ocorrência ao conhecimento da Polícia. (HC – TACRIM – SP – RT 495/351).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->