Você está na página 1de 3

RESUMO sobre a CEPAL

I. Apresentação

 Utilização do método histórico-estruturalista;

 Idéias aplicáveis às condições históricas próprias da periferia latino-


americana;

 Dois pontos principais: A) Deterioração dos termos de troca; B) Tese


estruturalista da inflação;

o Deterioração dos termos de troca: A deterioração dos termos


de troca é um conceito ainda muito utilizado, e que se caracteriza
pelo valor cristalizado que cada bem possui no momento das
trocas internacionais, assim, os produtos latino-americanos, por
possuírem pouco trabalho cristalizado, tinham um valor menor no
mercado, enquanto os bens europeus, ao contrário,
apresentavam um grande contingente de mão-de-obra, tornado
estes produtos com maior valor agregado. Logo, os países latino-
americanos recebiam menos por seus produtos e pagavam mais
pelos bens europeus.

o Tese estruturalista da inflação: Para os cepalinos, é um erro


considerar-se a inflação como um fenômeno puramente
monetário. A inflação explica-se pelos desajustes e tensões
econômicas e sociais que surgem no desenvolvimento
econômico dos países latino-americanos. E somente concebem
uma política antiinflacionária como parte integrante da política de
desenvolvimento. O desenvolvimento econômico exige contínuas
transformações no método de produzir, na estrutura econômica e
social e na distribuição da renda. Não realizar a tempo estas
transformações, ou fazê-las de modo imparcial e incompleto leva
aos desajustes ou às tensões que promovem a erupção de
forças inflacionárias sempre latentes e muito poderosas no seio
da economia latino-americana.

 Interação entre o método histórico indutivo e por uma referência abstrato


teórica própria.
o Método Indutivo: É aquele que leva a conclusões prováveis, mais
gerais do que o conteúdo das hipóteses; Parte de análises
particulares para generalização de conceitos.

 Princípio normativo: Necessidade de contribuição do Estado ao


ordenamento do desenvolvimento econômico nas condições da periferia
latino-americana.

 Mesmo enfoque metodológico:

o Enfoque histórico-estruturalista, baseado na idéia da relação


centro-periferia;
IMPORTAN
o Análise da inserção internacional;

o Análise dos condicionantes estruturais internos;

o Análise das necessidades e possibilidades de ação estatal;

 Cinco fases:

o Origens e anos 1950: Industrialização;

o Anos 1960: “Reformas para desobstruir a industrialização”;

o Anos 1970: “Estilos” de desenvolvimento;

o Anos 1980: Superação do endividamento externo;

o Anos1990: Transformação produtiva com equidade;

II. Método
 Análise econômica cepalina, o estruturalismo, é essencialmente um
enfoque orientado pela busca de relações diacrônicas, históricas e
comparativas, que se presta mais ao método indutivo.

 As condições estruturais da periferia condicionam comportamentos


específicos, de trajetórias a priori desconhecidas.

 Estrutura da periferia, assim, determina um modo próprio de


industrialização, introdução de progresso técnico e crescimento, e um
modo próprio de absorção da força de trabalho e distribuição da renda.

III. Os anos 1960: Redistribuir para crescer


1) Contexto histórico
 Três elementos que ocorreram na segunda metade dos anos 1950 que
refletiram nos anos 1960:

o Crescimentos ocorrendo em meio à crescente instabilidade


Motivado por
macroeconômica problemas de
o Industrialização impunha-se como tendência, mas a urbanização
correspondente fazia-se com crescente empobrecimento e
favelização.
Repercussão sobre a
o Revolução Cubana de 1959 atitude dos EUA sobre a
América Latina
 CEPAL anos 1960: Fórum de discussão de idéias criticas ao processo
de desenvolvimento em curso.

2) Reformas

 Furtado: Periferia estaria utilizando a tecnologia gerada exogenamente.

“Insuficiência

 Duas teses:

o Teoria da Dependência;

 Duas vertentes:
Um de seus principais
• Política teóricos foi FHC

• Econômica André Gunder

o Teoria da “Heterogeneidade estrutural”; Aníbal

3) Industrialização

 Reorientação da industrialização para promover às exportações.

 Problema da escassez de divisas.