Você está na página 1de 3

Direitos e Deveres

O
Mundo do Trabalho mudou de forma radical e recentemente, em Portugal,
assistimos a mudanças e reformas legislativas que acompanham uma
evolução global nesta área.

Num passado recente foi concentrado em um só diploma as alterações que sintetizam o


novo Código de Trabalho. É importante (eu diria mesmo, obrigatório) para todos os
trabalhadores terem uma noção do seu conteúdo. Os detalhes, à semelhança de quase
todos os documentos estatais, podem ser consultados através da Internet, quer de em
sites diversos, quer nos oficiais.

Direitos e Deveres são dois itens que devem estar sempre presentes de um modo formal,
a que eu própria acrescentaria alguma dose de bom senso dado o contexto actual, que
apelará a uma flexibilidade acima daquela que eventualmente é contemporizada pelas
vias legais.

As alterações recentes que gostaria de salientar são:

• HORÁRIO CONCENTRADO

O período normal de trabalho pode ser aumentado até 4 horas diárias.

• PERÍODO EXPERIMENTAL DE TRABALHO

Alargado de 90 para 180 dias para a generalidade dos trabalhadores

• ALTERAÇÃO DAS REGRAS NOS CONTRATOS A TERMO

Limitação a 3 anos da duração do contrato de trabalho a termo certo e limitação do


contrato a termo incerto a 6 anos.

• LICENÇA PARENTAL EXCLUSIVA DA MÃE E PAI

A mãe pode gozar até 30 dias da licença parental inicial antes do parto. Igualmente, é
obrigatório o gozo pelo pai de uma licença parental de 10 das úteis, seguidos ou
interpolados, nos 30 dias seguintes ao nascimento do filho, 5 dos quais gozados de modo
consecutivo imediatamente a seguir ao nascimento.

Página |1 Fátima Melo / 15-04-2011


• CONTRATO DE TRABALHO DE MUITO CURTA DURAÇÃO

Contrato de trabalho em actividade sazonal agrícola ou para realização de evento turístico


de duração não superior a uma semana. Este contrato não está sujeito a forma escrita,
existindo um formulário próprio para o efeito. Em caso de violação destas regras o
contrato considera-se celebrado pelo prazo de 6 meses.

• PROCESSO DE DESPEDIMENTO

Está previsto que a entidade patronal continue a ter de fundamentar as causas e a enviar
uma nota de culpa ao trabalhador. Os erros processuais deixam de ser relevantes, desde
que se prove a justa causa do despedimento, e não obrigam à reintegração do
trabalhador. O prazo de impugnação passa também de 1 ano para 60 dias.

• ALTERAÇÃO DAS TAXAS CONTRIBUTIVAS PARA A SEGURANÇA SOCIAL

Nos contratos a termo, agravamento da taxa em 3%, a cargo das entidades


empregadoras. Nos contratos sem termo, redução da taxa em 1%.

No site da Segurança Social http://www.seg-social.pt/ podemos ter acesso a todo o tipo


de informações e consultas que Nos visam esclarecer acerca deste tema.

De um modo geral, quer para os Trabalhadores quer para os Empregadores, a consulta é


simples e eficaz, evitando numa fase preliminar idas aos respectivos organismos.

Página |2 Fátima Melo / 15-04-2011


R ecentemente,
Directa
foi implementado A Segurança Social
que é o novo meio de comunicação dos Cidadãos e das
Empresas com a Segurança Social, através da Internet.

Tem como Benefícios possibilitar aos Cidadãos e às Empresas relacionarem-se com a


Segurança Social através da Internet de forma Rápida, Simples e Segura.

O Acesso ao Serviço Para Beneficiários é feito no Site. É enviado o acesso para a


Morada registada na Segurança Social e a partir as consultas respectivas podem ser
feitas em qualquer altura, local e de forma individualizada.

Página |3 Fátima Melo / 15-04-2011

Interesses relacionados