Você está na página 1de 16

Essa edição contou com

QUEM FEZ

a participação especial de:


VISITE MEU VISITE MEU VISITE MEU
SITE SITE SITE

Ana Corina Tomás Szpigel Jackline Pinto


Blogueira e Colunista Educador Canino Médica Veterinaria

Ana Corina, mora em Tomás Szpigel aborda a Jackline Pinto tem como sua
Florianópolis, SC, e em educação canina pelo viés paixão os animais. Médica
janeiro de 2007 iniciou o da psicologia. Segundo ele, Veterinária, terapeuta floral e
Mãe de Cachorro Também basta entender o que se estudiosa em comportamento
é Mãe, um blog educativo passa na mente do animal animal. Aplica os florais de
sobre cães e gatos, com para conquistar seu respeito. Bach em seu trabalho a
dicas de alimentação, saúde, Tomás nos ensina que com muitos anos. Autora do livro
adestramento, guarda carinho e paciência, podemos “Florais para Cães”- Tratando o
responsável e muita diversão. tornar nossos cães em amigos comportamento Animal com
obedientes não por medo, mas os Florais de Bach pela editora
por compreensão às ordens do Butterfly.
dono.

Como Funciona?

Para mudar de página, Se aparecer o ícone No meio do texto O ícone da foto, indica
simplesmente arraste azul no canto direito você pode encontrar um slideshow, clique
da direita para a inferior, significa que palavras em azul sobre a foto para ver as
esquerda. o texto continua. escuro, são links que outras.
Arraste de baixo para abrem sites externos. A dupla flecha indica
*leitura no momento cima para continuar a que você pode scrollar
somente na vertical. leitura. o conteúdo dentro do
box.

REVISTA Au. 2011


EDITORIAL

Se fosse fácil...
Não buscamos replicar os modelos de
revistas que vemos por aí, temos em
nossa frente um grande desafio, criar
algo completamento novo.

F
oram tantas surpresas que tivemos com o lan- que no segundo número da Au. trazemos algumas
çamento da Au. que fica difícil saber por onde novidades importantes. A Ana Corina, conhecida
começar. Grande parte do retorno que tivemos por muitos como a pessoa por trás do blog Mãe de
foi positivo o que nos deixa muito feliz. Mas eu já Cachorro vai apresentar o tema da edição. O educa-
sabia que nem tudo seriam flores e vimos reações dor canino Tomás Szpigel escreve sobre comporta-
ásperas por parte de alguns meios de comunicação. mento e humanização e a veterinária Jackline Pin-
Na verdade até consigo entender, imaginem que es- to nos explica como a humanização afetou a saúde
sas empresas investem milhões para produzir pro- dos nossos amigos.
dutos que simplesmente não funcionam, enquanto Procuramos manter algumas das características
nós sem investimento algum, a não ser nosso pró- que fez da primeira edição um sucesso, textos cur-
prio tempo, conseguimos ser destaque na imprensa tos sem imposição de idéias, interatividade e poucas
nacional, na própria App Store e o mais importante páginas para você poder sentar na poltrona e se di-
de tudo, não tivemos um email ou comentário se- vertir com a leitura.
quer negativo por parte de vocês, nossos leitores. Nosso canal de contato está sempre aberto,
Os desafios são grandes com certeza, mas a von- usem nossa página no Facebook ou pelo email
tade de fazer algo diferente é maior ainda, e as esta- au.revista@luccaco.com
tísticas da edição Nº 01 nos faz ter certeza que vo-
cês também procuram ares novos nesse segmento Boa Leitura!
que une pessoas apaixonadas por cães. É por isso Allysson Lucca @all_lucca

EXPEDIENTE
A revista Au. é uma publicação mensal

Responsável: Allysson Lucca Nós aceitamos fotos, opiniões, artigos, histórias,


Au. na web: www.facebook.com/Au.Revista poemas, desenhos, fotos do público em geral.
Email: au.revista@luccaco.com Mas não assumimos responsabilidade na falha em
Fotos: iStockPhoto publicar tais materiais assim como na correção de
Projeto gráfico/iPad: Luccaco *be digital possíveis erros no material enviado.
Copyright: Todos os direitos autorais são reservados aos seus
respectivos autores.

REVISTA Au. 2011


ESPECIAL PARA A Au.

Ana Corina
www.maedecachorro.com.br
SITE DO
AUTOR

Deixe seu cão


ser mais cachorro
D
e animais de utilidade pública e trabalho a filhos de patas, a
longa parceria de cães e homens existe e evolui há milhares
de anos. Hoje, a maior parte das raças previamente criadas
para exercer funções de trabalho já não lembra em nada as atribui-
ções antigas e sua maior função é fazer companhia aos humanos.
Está aí o nosso adorável e competente caçador de ratos, o Yorkshire
Terrier, para servir de exemplo!
A relação com os cães é cultural e varia de país para país e mesmo
em um único território nacional, pode variar bastante também de
região para região, principalmente nos países de grandes extensões

REVISTA Au. 2011


www.maedecachorro.com.br

continentais, como é o caso do Brasil. E se tintos arraigados em seu código genético.


em alguns lugares o cachorro ainda é visto De acordo com especialistas, de edu-
como animal, em outros tantos já foi eleva- cadores caninos a médicos veterinários, a
do à categoria de membro da família, mais humanização é uma das piores coisas que
precisamente, de filho. podemos fazer com nossos adoráveis filhos
Há mais de quatros iniciei o blog Mãe caninos. Ela traz consequências desastrosas
de Cachorro Também é Mãe, nome que para a saúde física e emocional dos cachor-
para mim e para meus leitores faz todo o ros. Que o digam os inúmeros cães que fi-
sentido e expressa o sentimento que te- cam agressivos e neuróticos por falta de li-
mos para com estas vidas maravilhosas mites ou os outros tantos que desenvolvem
que estão sob nossos cuidados. De lá para problemas de saúde decorrentes da obesi-
cá, o espaço que defendia um
certo “reconhecimento de ma- Um cão pode ser chamado de filho, pode
ternidade” evoluiu para ser uma ser tratado com o respeito e a dignidade
experiência de constante apren- que merece, mas isto não o torna menos
dizado e compartilhamento de cão. E não cria nele necessidades novas ou
informações. Ah, e são tantos os muito menos extingue instintos arraigados
conceitos mudados desde então. em seu código genético.
Tantos os assuntos estudados,
as certezas revistas, as novidades aprendi- dade, um mal na maioria das vezes provo-
das... E no meio disso tudo, o que mais me cado pelos humanos, que oferecem comida
chama a atenção é o fato de que muitas de mais e exercícios de menos.
pessoas, no afã de amar e bem-tratar seus Que possamos ser mães e pais de cachor-
cachorros, seus tão amados filhos de patas, ro, sim! E com muito orgulho! Que sejamos
acabam esquecendo-se de suprir suas re- amorosos e zelosos, mas também sempre
ais necessidades. Um cão pode ser chama- cientes de que nossos filhos precisam de
do de filho, pode ser tratado com o respeito cuidados específicos, relativos à sua natu-
e a dignidade que merece, mas isto não o reza de canídeos. De estimação, sempre,
torna menos cão. E não cria nele necessi- mas ainda assim, cães. Que possamos fazer
dades novas ou muito menos extingue ins- sobrar, nas vidas dos nossos filhos de patas,
cuidados com prevenção, palavras e gestos
de afeto, exercícios físicos. E que consiga-
mos diminuir todos os comportamentos e
ações de nossa parte que só terminam
por afastar os cães justamente da-
quele equilíbrio emocional que
fez com que conquistassem
os seres humanos há milha-
res de ano e se mantivessem
no posto de melhor amigo do
homem desde então.

REVISTA Au. 2011


BANHO E TOSA EM PETSHOP
Seu melhor amigo trancado em gaiolas.

Na banheira com outros 3 cães (ou mais) molhado, com


frio, esperando sua vez.

Produtos comuns, gravatinhas, lacinhos...

Ambiente altamente estressante.

BANHO E TOSA NA WOOF!


Seu amigo peludo solto ou em berços montados
especialmente para eles.

Só vai para a banheira na sua vez, não fica esperando


molhado.

Produtos diferentes, bandanas, colares, perfumes...

Hora marcada, ambiente tranquilo.

Curitiba . PR
(41) 30261885
www.woofboutique.com.br

Curtir
ESPECIAL PARA A Au.

Jackline Pinto
www.floraisparacaes.blogspot.com
SITE DO
AUTOR

Humanização e a saúde dos cães

H
umanizar um animal não é pratica so- terada, entram como animais de companhia, ou
mente aplicada aos cães, mas provavel- seja suprem nossas carências afetivas, solidão,
mente pela intensidade em que vivem tristeza, para nossa distração, suprem os nossos
esse processo na nossa sociedade, os nossos instintos paternos e maternos, são realmente
adoráveis amigos de quatro patas começam a tratados como filhos, muitos “Pais de Cachorros”
apresentar problemas de saúde que estão dire- moldam sua vida de acordo com as vontades
tamente relacionados ao fato. dos animais, pois em reconhecimen-
Lembrem que não indo muito longe, to as suas carências preenchidas
30, 20 anos atrás o objetivo dos cães se vêem na obrigação de mimar,
era de cuidar, proteger nossas ca- fazer as vontades, e nada lhes é
sas, viviam geralmente presos no negado. Infelizmente em mui-
quintal, comiam restos da nos- tos casos o exagero traz so-
sa comida e não frimento, é normal hoje em
eram considera- dia vermos doenças serem
dos membros desenvolvidas como a “An-
da nossa família. siedade de Separação” que
Podemos afir- provavelmente é a mais co-
mar que nos úl- mum. Nesses casos o ani-
timos 10 anos mal só está feliz e em paz se
começamos a o dono estiver junto, não
ver o mercado suporta a distância e
pet evoluir, chegaram as rações premi- sofre literalmente
um, cada vez mais elaboradas, remédios, de forma patológi-
roupas, acessórios etc. Mais recentemente eles ca, lambem as pa-
finalmente cairam na graça das famílias e pas- tas, salivam, latem
saram a ter um lugar na nossa matilha de hu- desesperadamente, raspam portas, tentam fu-
manos. gas desesperadas, alguns chegam a se auto-
A realidade dos cães mudou drasticamente mutilar. Outra alteração comportamental muito
em 30 anos, secundárias a nossa mudança de comum é o aumento de agressividade naqueles
estilo de vida, trabalhamos mais tempo, as mul- cãezinhos com carinha de anjo, pois são muito
heres assumiram responsabilidades fora do lar, mimados, fazem o que querem da maneira que
deixamos para ter filhos mais tarde, isso se o ti- querem, não tem limites e conseqüentemente
vermos, passamos também por um processo de se não são obedecidos reagem com agressivi-
longevidade, com isso a função dos cães foi al- dade.

REVISTA Au. 2011


www.floraisparacaes.blogspot.com

Vc pode estar se perguntando o que fez de animalzinho passem por esse processo de for-
errado?? Será que meu excesso de amor está ma saudável e equilibrada. E importante dizer
prejudicando meu “filho”? que tanto os donos quantos os animais devem
Essas alterações comportamentais podem e fazer utilização dos Florais para um resultado
devem ser tratadas. Uma das opções é o trata- melhor.
mento pelos Florais de Bach, eles atuam equili- Um estudo detalhado do caso e avaliação é
brando as emoções, fazendo com que vc e seu sempre feita antes do inicio do tratamento.

Alguns exemplos da aplicação de florais

ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO (manipular a 10% de veículo alcoólico)

Para os animais Para os humanos


• Red Chestnut (para preocupação excessiva • Red Chestnut (para preocupação excessiva
com os donos) com o cão)
• Walnut (pela situação de mudança) • Walnut (pela situação de mudança)
• Honeysuckle (para saudade) • Pine (para não se sentir culpado)
• Impatiens (para ter paciência)

AGRESSIVIDADE (manipular a 10% de veículo alcoólico)

Para os animais Para os humanos

• Vine (para cães dominantes) • Centaury (para humanos submissos)


• Holly (para equilibrar a raiva) • Walnut (pela situação de mudança)
• Cherry Plum (para perdas de controle, • Pine (para não se sentir culpado em educar e
ataque, irritação) impor limites)
• Impatiens (para ter paciência)

IMPORTANTE
Cada caso é um caso, deve ser avaliado por um especialista, os florais deverão ser receitados de acordo
com o momento que o animal se encontra.

Em muitos casos além da terapia floral há a necessidade de utilização de medicações alopáticas fortes,
em muitas vezes remédios controlados, mas prescritos por médicos veterinários após uma longa aval-
iação.

Ainda temos dentro das terapias alternativas opções interessantes como cromoterapia, massagens
que diminuem o stress, melhorando auto-estima e seguranças nos nossos amados cãezinhos.

REVISTA Au. 2011


ESPECIAL PARA A Au.

Tomás Szpigel
www.adestradoronline.com
SITE DO
AUTOR

Cães em um certo modo, são muito


parecidos com os humanos.

C
omo adestrador profissional, posso só recentemente, a ciência começou a ver os
afirmar que a humanização dos cães animais como seres capazes de pensar, de te-
não me incomoda e nunca a conside- rem sentimentos e de possuírem uma “per-
rei como uma barreira na hora de se educar sonalidade” única. Muitos dos mitos sobre os
um cão. Sempre usei exemplos humanos para cães estão caindo por terra, inclusive a visão
ajudar meus clientes a entenderem determi- da humanização como sendo um problema
nadas atitudes de seus cães, o que também sério. Na verdade, a cada dia que passa, fica
pode ser classificado como humanização. mais provado que muitos animais possuem
Mas, durante bastante características compor-
tempo, foi consenso na Mesmo sendo inteligentes, emo- tamentais semelhantes
comunidade de educa- tivos e possuidores de cinolidades aos do ser humano. Ter
dores caninos, que tra- distintas, cães podem ser “gente”, uma mente aberta em
tar cães como “gente” é mas não são humanos. relação a isso está nos
errado e causa proble- levando a uma nova era
mas sérios. A meu ver, sempre existiram pro- na educação, no treinamento e na convivên-
blemas muito mais importantes e muito mais cia com outras espécies.
decisivos na qualidade da educação e da vida Por outro lado é importante lembrar que
de um cão. Abandono, ignorância, negligên- humanizar seu cão pode trazer alguns proble-
cia, agressão e métodos abusivos de ensino mas e há limites para tudo, o que nos indica
encabeçam a minha lista de complicadores que a moderação é o caminho, como em tudo
na convivência dos cães em sociedade e, no na vida. Mesmo sendo inteligentes, emotivos e
meu dia a dia como adestrador, nunca pre- possuidores de cinolidades distintas, cães po-
cisei proibir um dono de humanizar seu cão dem ser “gente”, mas não são humanos. Eles
para que ele fosse educado. possuem fisiologia, comportamento e neces-
Aqueles que já conviveram sidades específicas, além de uma forma pe-
com cães, sempre soube- culiar de entender o mundo e aprender nos-
ram em seus corações, que sas regras. Podemos amá-los como humanos,
eles eram bem mais enchê-los de mimos e até mesmo conversar
do que a soma com eles sem que entendam o conteúdo de
de condicio- tudo que dizemos. Mas, precisamos entender
n a m e n t o a natureza de um cão, valorizar sua essência
e reações e educá-lo de uma forma que possa entender.
i n s t i n t i - Só assim faremos nossos cães plenamente fe-
vas. Mas, lizes.

REVISTA Au. 2011


FONTE

Pet Party Eventos


www.petpartyeventos.com

O LINK VAI ABRIR O VÍDEO NO YOUTUBE


*conexão web necessária

Festa de aniversário para cães, você acha exagero


ou pelos nossos amigos peludos vale tudo?
Humanizar também inclui eventos que antes eram exclusivos para nós, humanos. Até que
ponto isso pode ser exagero ou não? Vamos debater na nossa página no Facebook, abrimos
uma discussão com esse tema. Clique no botão abaixo, ou acesse o Facebook da Au. e
procure pelo link DISCUSSÃO que fica no menu esquerdo e participe com seus comentários.

PARTICIPE DA DISCUSSÃO NA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK, É SÓ CLICAR AQUI.

REVISTA Au. 2011


Declare seu amor
Os produtos da grife Mãe de Cachorro são exclusivos e
originais, desenvolvidos com qualidade e bom gosto para
alegrar a vida de quem gosta de cães e gatos.

Babylook Mãe de Cachorro Anel Energia Positiva Cães

COMPRAR COMPRAR

Veja mais produtos na nossa loja online


www.maedecachorro.com.br/loja

Curtir
DIVERSÃO

Humanizando... FONTE
DAILY MAIL

Dois Jack Russells brincando de gente :)


Esse calendário foi impresso em 2008 no Reino Unido, não temos informações se ainda está disponível
para venda ou não.

REVISTA Au. 2011


De tamanho médio e fácil limpeza por terem pelo curto, são amigáveis
com pessoas, pacíficos com outros pets e com sua expressão simpáti-
ca é perfeitamente natural que muitas pessoas os considerem como
um cão de estimação em potencial. Entretanto, os Beagles foram de-
senvolvidos para ser cães de caça e têm muitos instintos de caça-
dores profundamente arraigados em seus genes.

Eles precisam de muito mais exercício do que a maioria das pessoas supervisão porque os Beagles são inclinados a correr o mundo e
dá a eles, é por isso que você vê tantos Beagles acima do peso ideal e podem escalar e cavar, o que for preciso!, para fugir. Beagles tam-
sofrendo com problemas de saúde. Embora eles sejam geralmente bém não podem ser deixados para fora de casa porque se entediam
mantidos em apartamentos e condomínios, eles não deveriam ser! e quando isto acontece, tendem a ouvir, ganir e cavar buracos.
Beagles precisam de longas e frequentes caminhadas e de um quin- A forte teimosia e capacidade de distração dos Beagles requer um
tal cercado onde eles possam esticar as pernas soltos. Sim, quintais treino de obediência consistente e iniciado cedo. Use petiscos como
cercados, porque Beagles são exploradores e perseguidores que se- recompensa para motivá-lo, mas não exagere, ou você acabará com
guirão seus faros onde quer que os fascinantes cheiros e visões os um Beagle obeso e doente, como mencionado antes. Um Beagle vez
levem. E desde que os Beagles são dotados de uma surdez seletiva, ou outra é encontrado com a cabeça enterrada no lixeiro e ele rou-
raramente voltam quando você os chama. bará todo contente qualquer pedacinho de comida que você tenha
Além do mais, você não pode deixá-los sozinhos fora de casa sem deixado dentro dele!

Aproxime-se dele somente se: Não chegue perto dele se:


Gostar de cães com tamanho conveniente, forte e atlé- Quer apenas dar uma voltinha ao redor do quarteirão.
tico.
Se estressar com destruição por tédio ou falta de exer-
Gostar deles completamente natural na aparência. cício físico.

Você preferir uma pelagem curta e fácil de cuidar (pelo Deparar com atitude independente do tipo “O que
curto não quer dizer que não perde pelos) ganho com isso?”

Você gostar de fazer exercícios, brincar e fazer ativi- Não quiser manter ele solto em uma área segura e
dades externas. cercada e sair com ele sempre na guia.

Você procura um cão com bom temperamento e seja Não quiser controlar uivos e latidos graves.
pacífico com todo mundo.
Não tiver paciência para ensinar a usar o banheiro.
FONTE

Clube dos Vira Latas


www.clubedosviralatas.com.br
ABRIR
O SITE

Nome: TEKA Nome: NEGUINHA


Sexo: Fêmea Sexo: Fêmea
Porte: Pequeno Porte: Pequeno
Idade: Filhote Idade: Adulto
Pelagem: Médio Pelagem: Curto

QUERO SABER MAIS QUERO SABER MAIS

Nome: ANDRE Nome: DRIKA


Sexo: Macho Sexo: Fêmea
Porte: Médio Porte: Pequeno
Idade: Adulto Idade: Filhote
Pelagem: Curto Pelagem: Médio

QUERO SABER MAIS QUERO SABER MAIS

Nome: MARINA Nome: RYAN


Sexo: Fêmea Sexo: Macho
Porte: Médio Porte: Médio
Idade: Adulto Idade: Adulto
Pelagem: Curto Pelagem: Curto

QUERO SABER MAIS QUERO SABER MAIS

VOCÊ PODE AJUDAR O CLUBE DOS VIRA-LATAS DE VÁRIAS


MANEIRAS, VEJA COMO E COMECE HOJE MESMO!

REVISTA Au. 2011


REVISTA Au.

Guia de Parques
www.facebook.com/Au.Revista
SUGERIR
UM PARQUE

CURITIBA SÃO PAULO (1) SÃO PAULO (2) RIO DE JANEIRO

ONDE?
No gramado atrás do Museu Oscar Niemeyer - Rua Manoel Eufrásio, altura do
número 1.500

QUANDO?
De preferência aos sábados e domingos, das 15h às 18h

VER NO MAPA

REVISTA Au. 2011


Até a próxima!
PRECISAMOS DA SUA OPINIÃO E
COLABORAÇÃO PARA DAR CONTINUIDADE
AO PROJETO, ACESSE NOSSA PÁGINA
NO FACEBOOK E MANDE SUGESTÕES,
CRÍTICAS, ETC... É SÓ CLICAR NO
ENDEREÇO ABAIXO.

facebook.com/Au.Revista

www.luccaco.com

Interesses relacionados