P. 1
ApMecDosSolos

ApMecDosSolos

|Views: 8.064|Likes:
Publicado porwioesc

More info:

Published by: wioesc on Apr 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/27/2013

pdf

text

original

42

Para a classificação destes solos, basta a localização do ponto correspondente ao
par de valores IP e LL na Carta de Plasticidade. Os solos orgânicos se distinguem dos
siltes pelo seu aspecto visual, pois se apresentam com uma coloração escura típica
(marrom escura, cinza escuro ou preto).

Como característica complementar dos solos finos, é indicada sua
compressibilidade. Como já visto, constatou-se que os solos costumam ser tanto mais
compressíveis quanto maior seu Limite de Liquidez. Assim, o Sistema adjetiva
secundariamente como de alta compressibilidade (H) ou de baixa compressibilidade (L)
os solos M, C ou O, em função do LL ser superior ou inferior a 50, respectivamente,
como se mostra na Carta. Quando se trata de obter a característica secundária de areia
e pedregulhos, este aspecto é desconsiderado.

Quando os índices indicam uma posição muito próxima às linhas A ou B (ou
sobre a faixa de IP 4 e 7), é considerado um caso intermediário e as duas classificações
são apresentadas. Exemplos: SC-SM, CL-CH, etc.

Embora a simbologia adotada só considere duas letras, correspondentes às
características principal e secundária do solo, a descrição deverá ser a mais completa
possível. Por exemplo, um solo SW pode ser descrito como areia (predominantemente)
grossa e média, bem graduada, com grãos angulares, cinza.

O Sistema considera ainda a classificação de turfa (Pt), que são os solos muito
orgânicos onde a presença de fibras vegetais em decomposição parcial é
preponderante.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->