Você está na página 1de 23

Gabarito das Autoatividades

LEGISLAÇÃO E PRÁTICA TRABALHISTA


(ADMINISTRAÇÃO/CIÊNCIAS CONTÁBEIS)
2010/1
Módulo III
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 3
NEAD
GABARITO DAS AUTOATIVIDADES DE
LEGISLAÇÃO E PRÁTICA TRABALHISTA

UNIDADE 1

TÓPICO 1

1 Cite e explique os tipos de relação trabalhista existentes no período pré-


industrial.
R.: No período pré-industrial não tínhamos indústrias e, portanto, não existia
o trabalho assalariado.
Tínhamos as seguintes espécies de trabalho, sem o requisito da
onerosidade:
• trabalho escravo que perdurou até o século XIX;
• as CORPORAÇÕES DE OFÍCIO, durante a Idade Média;
• e a LOCAÇÃO DO TRABALHO.

2 O que eram as corporações de ofício e os membros que as integravam?


R.: As corporações de ofício eram associações que regulamentavam o
processo artesanal na Idade Média (século XII). Eram formadas nas cidades
que contavam com mais de 10.000 habitantes. Para ingressar nessa
associação, os membros deveriam ser aceitos como aprendizes, não recebiam
L
salário, apenas o conhecimento do mestre. E
Existiam três categorias: os mestres, os companheiros e os aprendizes. G
I
Os primeiros eram os proprietários das oficinas; os segundos, eram os S
L
trabalhadores livres e recebiam salários dos mestres (empregadores); os A
terceiros, eram os que buscavam o aprendizado, eram menores em busca Ç
Ã
de um ofício ou profissão e deviam total obediência ao mestre. O

E
3 Quais as principais legislações mundiais que influenciaram o nascimento P
do Direito Laboral? R
Á
R.: As principais legislações que influenciaram o nascimento do Direito do T
Trabalho foram: I
C
• Constituição do México de 1917. A
• Constituição da Alemanha de 1919. T
• Carta Del Lavoro de 1927 (Constituição Italiana). R
A
B
A
4 Qual foi o marco do nascimento do Direito do Trabalho? L
R.: O marco do nascimento do Direito do Trabalho no mundo foi a Revolução H
I
Industrial e no Brasil foi a abolição da escravatura em 1888, com a Lei Áurea. S
T
Nasceu assim a mão de obra assalariada, com necessidade de proteger os A
trabalhadores.
4 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
5 Quais são os principais destinatários da Legislação Trabalhista?
R.: Os destinatários das leis trabalhistas são os trabalhadores. As leis
surgiram justamente para controlar a situação desumana que se perpetrava,
principalmente contra menores e mulheres. A falta de legislação permitiu a
contratação de crianças, normalmente entre sete e oito anos de idade. Alguns
registros apontam a existência de trabalhadores com seis anos de idade e
jornadas excessivas.

6 Explique a tendência do Direito do Trabalho na era pós-industrial.


R.: Uma sociedade onde as pessoas trabalharão cada vez menos e, se
trabalhando, farão cada vez mais atividades intelectuais e criativas e
menos atividades manuais e repetitivas.
Este sistema privilegia o individualismo nas relações de produção,
enfraquecendo a organização dos trabalhadores e tirando o poder de
negociação dos sindicatos.
Na sociedade atual o trabalho repetitivo e pesado será a cada dia mais
delegado às máquinas, se isso for mais eficiente e lucrativo para o capital.

7 Antes da CLT de 1943 tivemos várias leis esparsas importantíssimas. Cite,


no mínimo, três leis brasileiras que existiram antes da Consolidação.
R.: Como aqui se exige a citação de três, no mínimo, devem estar entre
elas:
L • Lei do Ventre Livre: 1871 = estabelecia que o filho de escravo nascesse
E
G
livre.
I • Lei Saraiva Cotegipe: 1885 = assegurou aos raríssimos escravos liberdade
S
L quando completassem 60 anos.
A
Ç
• Lei Áurea: 1888 = já citada acima. Aboliu a escravatura.
à • Lei que considerou livre a associação sindical: 1891.
O
• Decreto que proibiu trabalho infantil aos menores de 12 anos: 1891.
E • Código Civil de 1916: tratou da locação de serviços.
P • Organização Internacional do Trabalho: 1919 = organização mundial que
R
Á protege os trabalhadores e estipula convenções no sentido de uniformizar
T
I
as legislações trabalhistas no mundo, aplicando o Princípio da Dignidade
C Humana.
A
• Constituição Federal de 1934: trouxe direitos trabalhistas com status
T
R
constitucional, como, por exemplo: salário mínimo, jornada de 8 horas,
A férias, dentre outros.
B
A
L
H
8 Diferencie Direito Individual e Direito Coletivo do Trabalho.
I R.: No Direito Individual temos a figura do empregado e do empregador. Então,
S
T podemos concluir que ele cuida dessa relação, dos interesses concretos de
A ambos. O Direito Coletivo cuida das normas coletivas de trabalho: Acordo
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 5
NEAD
Coletivo de Trabalho, Convenção Coletiva de Trabalho e Dissídio Coletivo,
que será analisado na Unidade 2 (normas coletivas).

TÓPICO 2

1 A lei prevê a estabilidade provisória (não poder ser demitida sem justa
causa) em caso de gravidez, desde a confirmação até 5 meses após o parto.
A Empresa KMZ, em convenção coletiva, fixou o prazo da estabilidade em
8 meses após o parto. Maria do Carmo é empregada desta empresa de
cereais, foi demitida sem justa causa após 6 meses do nascimento de seu
bebê, com a alegação de que prevaleceria a lei em detrimento da convenção.
De acordo com os princípios trabalhistas analisados, qual legislação você
aplicaria e por quê?
R.: Pelo princípio da proteção, aplicação da norma mais favorável, a empregada
grávida tem direito à estabilidade provisória (não pode ser demitida), desde
a confirmação da gravidez até 8 meses após o parto.
Mesmo que a Consolidação das Leis Trabalhistas fixe prazo menor, a
convenção coletiva beneficiou a trabalhadora Maria do Carmo.
Assim, como ela foi demitida, sem justa causa, após 6 meses do nascimento
do seu filho, ela merece a reintegração no emprego ou a indenização pelo
período não cumprido.
L
E
G
TÓPICO 3 I
S
L
1 Acadêmico(a), agora que você já sabe quem pode firmar um contrato de A
Ç
trabalho e os requisitos para tanto, elabore um contrato de trabalho: Ã
O
Informações que devem constar:
a) Quem está firmando o contrato? E

b) Qual será o trabalho a ser realizado? P


R
c) Prazo desse contrato (se for a termo). Á
d) Local da prestação do serviço. T
I
e) Jornada exigida. C
A
f) Salário e demais benefícios se existirem.
T
R
Você pode se utilizar da internet para elaborar tal exercício. A
B
R.: Exemplo de contrato de trabalho que os acadêmicos farão com ajuda da A
internet: L
H
I
S
T
A
6 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
Contrato de Trabalho

Por este instrumento particular, que entre si fazem a empresa ..............


...............................,neste ato denominada simplesmente EMPREGADORA
e o(a) Sr.(a) ................................, portador da Carteira de Trabalho..............
série ...., doravante chamado EMPREGADO, fica justo e acertado o presente
contrato individual de trabalho, regido pelas seguintes cláusulas:

Cláusula 1ª - Este contrato é firmado por um período de experiência de


......... (.........) dias, a contar da data de sua assinatura, findo o qual, e
inexistindo manifestação em contrário por qualquer das partes e continuando
a prestação de serviços, considerar-se-á a experiência, automaticamente
prorrogada por mais ... (................) dias, durante os quais as partes
testarão a aptidão e a adaptação para as funções previstas na cláusula 3ª.

Cláusula 2ª - O encerramento deste contrato não poderá ser arguido como


fator obstativo à aquisição ou manutenção de qualquer direito trabalhista,
inclusive, salário/auxílio maternidade, por haver sido previsto, à data de sua
celebração, o seu caráter temporário e o seu término normal.

Cláusula 3ª - O Empregado trabalhará na função de ..............e demais


atribuições que lhe forem correlatadas ou que com ela guardarem qualquer
L afinidade, inclusive concordando e, expressando sua disponibilidade para
E
G
realizar eventuais viagens em decorrência da necessidade dos serviços.
I Compromete-se, ainda, ao fiel cumprimento das ordens de serviço, verbais
S
L e/ou escritas, que lhe forem dadas.
A
Ç
à Cláusula 4ª – O Empregado perceberá o salário inicial de R$........... (......
O
..............................................) por mês, pagável mensalmente e autoriza a
E Empregadora a depositar em organização bancária de sua escolha, salários
P e quaisquer outros vencimentos que se refiram à sua remuneração.
R
Á
T
I
Cláusula 5ª - A Empregadora fica autorizada a descontar da remuneração
C ou de quaisquer outros direitos de natureza trabalhista do Empregado, as
A
contribuições legais e/ou convencionadas, os eventuais adiantamentos
T
R
e empréstimos concedidos, outros valores devidamente autorizados, e
A também qualquer prejuízo ou dano causado ao seu patrimônio, por culpa ou
B
A dolo, inclusive os advindos de extravio, perda ou quebra de equipamentos e
L
H
ferramentas de trabalho, uniformes, vestimentas, equipamento de proteção
I individual ou outros materiais de qualquer natureza, postos sob sua
S
T responsabilidade.
A
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 7
NEAD
Cláusula 6ª - O horário de trabalho a ser cumprido pelo Empregado será de
segunda a sexta das ..... às ...... horas, com intervalo de ..... minutos para
refeição e descanso, e no sábado o horário será das ....... às ......, podendo
ser alterado a critério da Empregadora, inclusive de jornada diurna para
noturna e vice-versa ou em horário misto e, quando necessário, em regime
de revezamento, prorrogação, compensação e horário extraordinário. À
Empregadora cabe a faculdade de indicar e alterar, os períodos durante a
jornada.

Cláusula 7ª - O Empregado concorda em cumprir jornadas de trabalho,


em dias a serem determinados pela Empregadora e na forma por ela
estabelecida, para fins de compensações de folgas eventuais já estabelecidas
ou futuras.

Cláusula 8ª - O Empregado gozará de proteção trabalhista, previdenciária


e securitária, e se obriga a respeitar os regulamentos internos de trabalho,
defendendo os interesses da Empregadora, agindo com correção, dedicação,
lealdade e solicitude, não só com seus superiores hierárquicos, como
também com colegas de trabalho, terceiros e todos que, em decorrência
deste, com ele mantiverem contato.

Cláusula 9ª - O Empregado concorda expressamente para todos os fins


e efeitos legais, notadamente o Artigo 469 e seus parágrafos da CLT, em L
ser transferido deste para qualquer outro estabelecimento da Empregadora, E
G
situado nesta ou em qualquer outra praça ou Unidade da Federação, I
S
independente de vantagens ou remunerações não expressas neste L
contrato. A
Ç
Ã
O
Cláusula 10ª - As invenções decorrentes das atribuições do Empregado,
originadas de pesquisa pura e aplicada, bem como aquelas oriundas de E

estudos efetuados com utilização das instalações e equipamentos do local P


R
de trabalho, são de propriedade exclusiva da Empregadora. Á
T
I
Cláusula 11ª - Enquanto perdurar o presente contrato, poderão ser feitas C
A
modificações de salários, funções, cargos, horários à adaptação ao emprego,
conforme suas características individuais, desde que não resultem em T
R
prejuízos ao Empregado. A
B
A
E por estarem justos e contratados, o Empregado e o Representante L
H
Legal da Empregadora, firmam o presente instrumento, em 2(duas) vias de I
S
igual teor e para o mesmo fim, na presença das testemunhas. T
A
8 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
[Cidade], de de .

--------------------------------------
(Nome Empregado e Assinatura)

---------------------------------------
(Nome Empresa e Assinatura)

Testemunhas

----------------------------
Nome
CPF:
----------------------------
Nome
CPF:

2 Cite os elementos essenciais para a validade do contrato de trabalho.


R.: Agente capaz; objeto lícito, possível, determinado ou determinável; forma
prescrita ou não proibida pela lei.

L 3 O contrato de experiência pode ser firmado por quanto tempo? Admite-se


E
G
prorrogação?
I R.: O contrato de experiência pode ser firmado pelo prazo de 90 dias.
S
L A prorrogação pode ser feita uma única vez. Por exemplo: contrato de
A
Ç
experiência estipulado por 30 dias pode ser prorrogado por mais 60 dias. Se
à estipulado por 45 dias, pode ser prorrogado por mais 45 dias.
O
Cuidado: não pode ser prorrogado mais de uma vez. É comum algumas
E empresas fixarem o prazo de 30 dias, prorrogarem por mais 30 e depois
P mais 30. Verifique que depois da segunda prorrogação se tornou por prazo
R
Á indeterminado. Não tem validade a ultima prorrogação.
T
I
C 4 Acadêmico(a): você preferiria ser trabalhador empregado ou trabalhador
A
autônomo? Por quê?
T
R
R.: Aqui é resposta subjetiva do(a) acadêmico(a) que deve ser explicada: se
A ele prefere ser empregado, ter o salário prefixado no final do mês, ou prefere
B
A ser autônomo, correr os riscos do empreendimento.
L
H
I 5 Diferencie o contrato de safra do contrato por obra certa.
S
T R.: Contrato por safra é um contrato aplicado no âmbito rural para a
A colheita.
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 9
NEAD
O contrato por obra certa também é um contrato a termo, só que utilizado
no âmbito urbano.
O prazo máximo de ambos é de até dois anos. Estipula-se pela obra e pela
safra, mas estes eventos não podem ultrapassar o prazo máximo sob pena
de se tornar por prazo indeterminado.

6 Explique o requisito “sem finalidade lucrativa” exigido para o trabalhador


doméstico.
R.: Quem não possui a finalidade lucrativa é o empregador. O trabalhador
doméstico labora porque tem a intenção de ter lucros. Mas o empregador
doméstico não pode utilizar a mão de obra do doméstico em sua empresa
(onde labora com fins lucrativos), ou utilizar essa mão de obra para produzir
lucros (exemplo: não pode vender a comida que a doméstica faz em âmbito
residencial).

7 Qual destes direitos não é assegurado ao doméstico?


a) ( ) Repouso semanal remunerado.
b) ( ) Licença maternidade.
c) ( ) Aviso prévio.
d) ( ) Férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que
o salário normal.
e) ( x ) Adicional noturno.
R.: Letra e) Adicional noturno. Ele pode laborar depois das 22 horas sem L
direito ao adicional noturno. E
G
I
S
8 Quais desses trabalhadores devem se utilizar do sindicato ou do Órgão L
Gestor de Mão de Obra para realização de suas atividades? A
Ç
a) ( ) Empregado. Ã
O
b) ( x ) Avulso.
c) ( ) Eventual. E

d) ( ) Rural. P
R
e) ( ) Autônomo. Á
R.: Letra b) Trabalhador avulso precisa da intervenção do sindicato ou do T
I
Órgão Gestor de Mão de Obra para realização de suas atividades. C
A

T
R
UNIDADE 2 A
B
A
L
H
TÓPICO 1 I
S
T
1 Marque V para a(s) alternativa(s) correta(s) e F para a(s) falsa(s): A
10 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
( F ) Salário é a importância fixa estipulada.
( F ) Remuneração é a importância fixa estipulada.
( F ) No salário se incluem as ajudas de custo.
(V) Integram o salário a importância fixa, comissões, gratificações ajustadas
e diárias que excedem a 50% do salário percebido pelo empregado.
(V) Gorjetas são as importâncias cobradas pela empresa como adicional nas
contas e as espontaneamente dadas pelos clientes.
a) ( ) V – V – F – V – V.
b) ( ) F – F – F – F - F.
c) ( ) V – V – V – F - F .
d) ( ) V – F – V – F – F.
e) ( x ) F – F – F – V – V.
( F ) Salário é a importância fixa estipulada. (Salário não é somente a
importância fixa estipulada, como também os direitos do item 4.)
( F ) Remuneração é a importância fixa estipulada. (Remuneração é toda
gama de benefícios recebidos em troca do trabalho.)
( F ) No salário se incluem as ajudas de custo. (A Lei – CLT – retira da
ajuda de custo a natureza salarial. Integra a remuneração, mas o salário
não.)
( V ) Integram o salário a importância fixa, comissões, gratificações ajustadas
e diárias que excedem a 50% do salário percebido pelo empregado.
( V ) Gorjetas são as importâncias cobradas pela empresa como adicional
nas contas e as espontaneamente dadas pelos clientes.
L
E
G
I
2 Marque V para a(s) alternativa(s) correta(s) e F para a(s) falsa(s):
S (V) O adicional de insalubridade faz parte do salário.
L
A
(F) O adicional de transferência integra o salário.
Ç (F) Salário complessivo gera quitação de adicionais e é permitido no
Ã
O
ordenamento jurídico.
(V) É possível o pagamento de meio salário mínimo para jornada parcial.
E
a) ( ) V – V – F – F.
P b) ( x ) V – F – F – V.
R
Á c) ( ) F – F – V – V.
T d) ( ) F – V – F – V.
I
C e) ( ) V – F – V – V.
A

T 3 Determinado empregado recebe salário de R$ 800,00 (oitocentos reais)


R
A mensais e a empresa paga a mensalidade da faculdade correspondente a
B
A
R$ 415,00 (quatrocentos e quinze reais). O empregado terminou o curso
L universitário. Ele quer saber se o valor da mensalidade integra o salário.
H
I Responda de forma explicativa.
S
T
R.: Esse valor da mensalidade não integra o salário, por força do Artigo 458,
A Parágrafo 2º da CLT:
§ 2o Para os efeitos previstos neste artigo, não serão consideradas como
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 11
NEAD
salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: (Redação dada
pela Lei nº 10.243, de 19.6.2001.)
[...]
II – educação, em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros,
compreendendo os valores relativos à matrícula, mensalidade, anuidade,
livros e material didático; (Incluído pela Lei nº 10.243, de 19.6.2001.)

4 Determinada empregada recebe salário de R$ 900,00 (novecentos reais)


mensais e a empresa paga o plano de saúde correspondente a R$ 120,00
(cento e vinte reais). Foi inscrita como dependente no plano de saúde de
seu marido. Ela quer renunciar o plano pago pela empresa em que trabalha
e pergunta se o valor será integrado ao salário. Oriente-a sobre seus
direitos.
R.: O mesmo Artigo 458 dispõe que o plano de saúde não integra o salário.
§ 2o Para os efeitos previstos neste artigo, não serão consideradas como
salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: (Redação dada
pela Lei nº 10.243, de 19.6.2001.)
[...]
IV – assistência médica, hospitalar e odontológica, prestada diretamente ou
mediante seguro-saúde; (Incluído pela Lei nº 10.243, de 19.6.2001.)

5 Uma empregada recebe R$ 700,00 (setecentos reais) mensais, mais


habitação concedida pelo empregador como salário in natura (utilidade). O L
empregador recolhe depósitos mensais para o FGTS calculados sobre esse E
G
valor. É correto? Esse salário utilidade tem natureza salarial? Explique. I
S
R.: O salário utilidade tem natureza salarial. L
Se o empregado recebe R$ 700,00 de salário, tem que calcular mais 25% de A
Ç
habitação (R$ 175,00). O salário sobre o qual incide FGTS é de R$ 875,00. Ã
O

TÓPICO 2 P
R
Á
1 A empresa XY possui todos os empregados laborando 44 horas semanais. T
I
Entretanto, a empresa está passando por uma crise financeira e pretende C
A
alterar a jornada de trabalho dos empregados para 25 horas semanais.
Oriente-os sobre essa possibilidade. T
R
R.: Essa possibilidade somente é possível mediante convenção ou acordo A
B
coletivo, com a participação do sindicato. A empresa adotará agora o trabalho A
a tempo parcial. L
H
I
S
2 O empregado Camilo da Silva labora na Empresa CZ Ltda., com T
jornada de 8 horas. Na semana passada ele trabalhou em alguns horários A
12 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
suplementares; calcule o número de horas extraordinárias que deverão ser
pagas a Camilo.

DIA DA SEMANA Entrada Saída Entrada Saída Hora extra?


Segunda-feira 07:37 12:01 13:15 19:02
Terça-feira 07:00 11:50 14:05 18:02
Quarta-feira 07:57 12:01 13:00 17:02
Quinta-feira 07:50 12:00 13:00 17:00
Sexta-feira 07:44 12:30 13:35 19:15
Sábado 09:00 13:05

Considerando ainda, que Camilo possui um salário de R$ 800,00 (oitocentos


reais), calcule quanto ele deverá receber a título de horas extraordinárias da
semana destacada.
R.:
DIA DA SEMANA Entrada Saída Entrada Saída Hora extra?
Segunda-feira 07:37 12:01 13:15 19:02 1h11min
Terça-feira 07:00 11:50 14:05 18:02 47min
Quarta-feira 07:57 12:01 13:00 17:02 0 min
Quinta-feira 07:50 12:00 13:00 17:00 10min
L
E Sexta-feira 07:44 12:30 13:35 19:15 2h26min
G
I Sábado 09:00 13:05 0min
S
L
Total 4h34min
A
Ç
Ã
O R.: Valor da hora: 800/220 = 3,63 valor da hora trabalhada
E
16,57 (às 4h34min) = 50% = 24,85
P
R
Á
T
TÓPICO 3
I
C
A 1 É permitida prorrogação da jornada nas atividades insalubres? Em caso
T
positivo ou negativo, existe exceção?
R R.: A prorrogação do horário de trabalho nas atividades insalubres a princípio
A
B não é permitida, pois é prejudicial à saúde do trabalhador. Contudo o Artigo
A
L
60 da Consolidação das Leis Trabalhistas permite que se faça se houver
H autorização da autoridade competente em higiene do trabalho – Ministério
I
S do Trabalho.
T
A
Existe uma possibilidade de se laborar além da jornada diária em atividade
insalubre sem necessitar autorização do MTE, no caso de compensação de
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 13
NEAD
jornada instituída mediante acordo coletivo de trabalho ou convenção coletiva
de trabalho.

2 Empregado admitido para experiência, contrato de 90 dias, recebendo


piso salarial mensal de R$ 800,00 (oitocentos reais), mais adicional de
insalubridade, grau médio. Quanto esse empregado recebe mensalmente?
R.: Salário de R$ 800,00, mais insalubridade em grau médio (20%): o
empregado recebe mensalmente: R$ 800,00 + R$ 160,00: total de R$
960,00.

3 O adolescente Mário da Silva, de 16 anos, labora em ambiente insalubre e


precisa saber se poderá fazer hora extra durante a semana de Natal. Vamos
orientá-lo?
R.: Devemos orientar o adolescente Mário da Silva que, na idade dele, não
se permite sequer trabalhar em ambientes insalubres (Art. 7º da CF), muito
menos fazer hora extra em tal atividade. Esse contrato deve ser rescindido
ou Mário deve ser transferido para uma atividade salubre.

4 O empregado XY é contratado para laborar 8 horas por dia, das 8 h às


17h, com duas horas para intervalo (alimentação). No cartão de ponto consta
que no dia de ontem o empregado laborou no seguinte horário: 7:56 (horário
de entrada), 12:04 (saída para pausa), 13:55 (entrada) e 17:04 (saída, final
de expediente). Responda: para esse empregado nesse dia será devida L
remuneração extraordinária? E
G
R.: Vamos fazer o quadrinho para saber se tem direito à hora extra: I
S
DIA DA SEMANA Entrada Saída Entrada Saída Hora extra? L
A
7:56 12:04 13:55 17:04 Ç
Ã
O
No primeiro turno de trabalho, na entrada, esse empregado laborou a mais 4
E
minutos. Na saída, do mesmo jeito, 4 minutos extras. No segundo turno, na
P
entrada, laborou 5 minutos a mais e saiu 4 minutos mais tarde. R
Assim, nesse dia o empregado XY laborou 17 minutos extraordinários. Á
T
O limite admitido, sem pagamento, é de 10 minutos. Como ultrapassou, deve I
C
ser pago na integralidade: 17 minutos de hora extra no dia de ontem. A

T
5 Empregado urbano trabalha no horário noturno (das 22 às 5h), entretanto no R
A
dia de ontem prorrogou a jornada até as 6 horas da manhã. Pergunta-se: essa B
prorrogação deverá ser paga como extraordinária? Será ainda considerada A
L
como hora noturna ou diurna? Explique. H
I
R.: O Tribunal Superior do Trabalho, órgão da Justiça do Trabalho editou a S
Súmula 60, estabelecendo que se a jornada for “[...] integralmente noturna T
A
e houver prorrogação no horário diurno, estas horas extras diurnas serão
14 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
calculadas como se noturnas fossem“. Sendo assim, se o empregado em
questão laborou até as 6h, essa hora será calculada como se noturna
fosse.

6 O empregado Marco Aurélio é porteiro da Empresa CZ Ltda., localizada


numa região com alto índice de assaltos. Em alguns dias vai trabalhar armado
e pergunta se tem direito ao adicional de periculosidade. Responda à questão
de maneira explicativa.
R.: O empregado Marco Aurélio não tem direito ao adicional de periculosidade,
mesmo trabalhando armado. Tal adicional é devido apenas para os que
laboram nas atividades com inflamáveis, explosivos ou com alta voltagem
elétrica.

TÓPICO 4

1 A Empresa ALFA, no final da tarde de sexta-feira, decidiu colocar 3 pessoas


em férias a partir da segunda-feira seguinte, por um período de 15 dias. Estas
férias não haviam sido programadas antecipadamente. Se estas férias forem
concedidas, quais obrigações legais estaremos infringindo? Cite por quê.
R.: - Estaremos infringindo o prazo do Aviso de Férias que é de 30 dias
antes do início das férias.
L - Também o prazo de pagamento do Recibo de Férias, que deve ser de
E
G
2 dias antes de seu início, não estaria sendo cumprido, salvo se a empresa
I tiver dinheiro em caixa para pagar ainda na sexta-feira final da tarde.
S
L - Fracionamento das férias: somente podemos fracionar em casos
A
Ç
excepcionais, pois o correto mesmo seria quitar as férias de uma só vez.
Ã
O
2 A Empresa ALFA está programando férias coletivas para o período de 25-
E 12 a 02-01. O departamento de manutenção será o único que não entrará
P em férias coletivas. A empresa está cumprindo as normas celetistas nesta
R
Á concessão de férias coletivas? Por quê?
T
I
R.: - Férias coletivas, assim como as normais, não podem iniciar em dia de
C sábado, domingo ou feriado.
A
- Número mínimo de dias de férias coletivas é de 10 dias e nesta concessão
T
R
serão apenas de 09 dias.
A - O fato de a manutenção ficar trabalhando não descaracteriza a concessão
B
A em férias coletivas dos demais (este item não é obrigatório na resposta).
L
H
I 3 Observe o exemplo a seguir e verifique se o afastamento em auxílio-doença
S
T provocará a perda do direito às férias do empregado.
A Período aquisitivo de férias = 03/04/2008 a 02/04/2009
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 15
NEAD
Afastamento em auxílio-doença de 10/11/2008 a 20/09/2009.
Justifique.
R.: - Não terá perda de nenhum dos períodos aquisitivos envolvidos porque
em ambos não ultrapassou 6 meses de afastamento em auxílio-doença.

4 Observe o exemplo a seguir e identifique se haverá redução do direito de


férias do empregado.
Período aquisitivo de férias = 03/04/2007 a 02/04/2008
Faltas injustificadas = 03 e 04/10/2007
Licenças sem remuneração = 12 a 14/01/2008
Faltas por filho doente = 02 a 10/04/2008
Justifique os dias de direito de férias.
R.: - Terá redução do direito de férias para 24 dias no aquisitivo porque as
faltas não remuneradas, que totalizam de 06 a 14 dias, diminuem o direito
de 30 dias de férias para 24 dias. E neste caso as faltas nos dias:
03/10 e 04/10, 12/01, 13/01 e 14/01 e ainda de 02/04 estão dentro do período
aquisitivo 2007/2008 e totalizaram exatamente 6 dias levando a redução para
24 dias de direito.

5 A Maria recepcionista é esposa do João – mecânico. A empresa entrará


em férias coletivas, mas o setor de Mecânica ficará trabalhando. Assim, a
empresa poderá deixar o João trabalhando e colocar apenas a Maria de
férias coletivas? L
R.: - A CLT orienta que não fica descaracterizada a concessão em Férias E
G
Coletivas pelo fato de um setor ficar trabalhando. I
S
- Quanto ao fato de familiares que trabalham na mesma empresa saírem L
juntos na concessão das férias, a CLT prevê que se a empresa tiver prejuízos A
Ç
nesta concessão, ela poderá deixar um deles trabalhando. Ã
O

6 No dia 31 de outubro a empresa Alfa pagará a primeira parcela do 13o E

salário para os empregados do departamento de produção e somente em P


R
05 de dezembro pagará a primeira parcela aos demais. Á
R.: - O incorreto é pagar a primeira parcela em dezembro, tendo em vista que T
I
a empresa deve pagá-la até 30 de novembro, no máximo. C
A
- O fato de pagar departamentos ou pessoas em momentos diferentes não
é ilegal (esta parte não é obrigatória na resposta). T
R
A
B
7 Quanto à 2a parcela do 13o salário, a empresa Alfa precisa saber: A
a) Até quando poderá pagar a 2 a parcela do 13 o salário para seus L
H
empregados? I
S
b) Os afastados em auxílio doença e serviço militar, durante o ano, têm direito T
integral ao 13o salário? A
16 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
c) Como se calcula a proporcionalidade de avos de 13º salário do
empregado?
d) O empregado admitido em 18-04-2009 receberá quantos doze-avos na
2ª parcela do 13º?
e) As empregadas em maternidade no decorrer do ano recebem 13o salário
normalmente?
R.: a) Até o dia 20 de dezembro de cada ano.
b) A empresa pode deixar de pagar os avos de 13º salário dos meses do ano
em que eles não tiverem trabalhado 15 dias.
c) Os meses do ano em que não tiver trabalhado no mínimo 15 dias não
precisarão ser pagos, e sempre se considera a contagem a cada mês civil:
janeiro, fevereiro etc.
d) Somente 8 doze avos.
e) Quando a empresa pagou a licença-maternidade durante o ano o
pagamento para a empregada será normal também no 13º salário.
- Se foi a Previdência que pagou os dias de maternidade no ano, também os
avos de 13º salário serão pagos por ela, e a empresa pode deixar de pagá-
los no 13º salário.

8 No pagamento da 2a parcela do 13o salário, quais são os descontos a serem


efetuados na folha do empregado?
R.:  O empregado deverá ser descontado da contribuição para a Previdência
L e do Imposto de Renda, e será descontado ainda o valor da primeira parcela
E
G
do 13º salário, se houver.
I
S
L
A
Ç
UNIDADE 3
Ã
O

E TÓPICO 1
P
R
Á 1 A empresa ABC está admitindo um empregado no cargo de mecânico
T
I
soldador, ajude o responsável pela contratação a localizar os documentos
C que deverão ser preenchidos e assinados pelo empregado, assinalando V
A
para verdadeiro e F para falso:
T
R
( F ) Carteira de Trabalho, Contrato de Trabalho, Recibo de Salário, Carteira
A de Identidade.
B
A ( V ) Contrato de Trabalho, Ficha de Salário-Família e Termo de
L
H
Responsabilidade.
I ( V ) Declaração de Encargos para Imposto de Renda, Carteira de
S
T Trabalho.
A ( F ) Declaração de Deslocamento para Vale-Transporte, Carteira de
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 17
NEAD
Motorista.
( F ) Carteira de Trabalho, Carteira de Identidade, Ficha Registro.
a) ( x ) F – V – V – F - F.
b) ( ) F – F – F – V - F.
c) ( ) V – V – V – F - F.
d) ( ) V – F – V – F - F.
e) ( ) F – F – F – V - V.

2 A empresa ABC, ao admitir um empregado no cargo de mecânico soldador,


deverá tomar conhecimento a respeito do exame médico admissional. Assinale
a opção verdadeira:
a) ( ) O exame médico admissional é opcional. A empresa que exige exames
antes da admissão quer apenas garantir que o empregado não apresente
problemas no cumprimento de sua função.
b) ( ) O exame médico admissional é obrigatório somente nas empresas
de grande porte.
c) ( x ) O exame admissional deve ser realizado por todos os empregados
antes da admissão na empresa, e deve ser custeado pela empresa.
d) ( ) O exame médico admissional é obrigatório somente nas empresas com
mais de 100 empregados ou que atuem com produtos perigosos.

3 Determine quais as informações obrigatórias a serem preenchidas na


Carteira de Trabalho em uma admissão e qual a necessidade de atualização L
da carteira posteriormente à admissão. Preencha nas linhas a seguir. E
G
R.: I
S
• Preencher na página do Contrato de Trabalho: os dados do empregador, L
o cargo do empregado, número do CBO do cargo, conforme a Classificação A
Ç
Brasileira de Ocupações, data de admissão, número da ficha de registro Ã
O
e a remuneração. Esta página deverá ser carimbada e ter a assinatura do
empregador. E

o A remuneração deve especificar o salário e a forma de pagamento, se P


R
em dinheiro ou em utilidades e a estimativa de gorjeta, comissões sobre Á
vendas etc. T
I
• Preencher na página das Anotações Gerais: C
A
o O prazo do contrato de experiência se houver. Este é de, no máximo, 90
dias. T
R
o Se há atendimento médico ambulatorial na empresa, o que vai permitir o A
B
abono ou não dos atestados médicos externos. A
o Outras condições especiais, tais como: adicionais de insalubridade, L
H
periculosidade etc. I
S
T
Após a admissão, as anotações na Carteira de Trabalho e Previdência A
18 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
Social serão feitas: no mês da data-base; a qualquer tempo por solicitação
do trabalhador; na rescisão contratual, e por necessidade de comprovação
perante a Previdência Social, conforme artigo 29 da CLT. A CTPS também
deve ser atualizada nas saídas para férias (Artigo 133, parágrafo 1º da
CLT).

A Portaria nº 41, do Ministério do Trabalho e Emprego, regula o Registro


de Empregados e Anotações na CTPS, e dispõe em seu Artigo 5º que para
as anotações e atualizações da CTPS poderá ser adotado qualquer meio
mecânico ou eletrônico de impressão, exceto quanto às datas de admissão
e de rescisão que devem ser realizadas na própria CTPS.

TÓPICO 2

1 Detecte os problemas dos cartões de ponto e aponte a falta de cumprimento


das normas previstas na CLT e na Constituição Federal. Efetue a correlação
entre as colunas a seguir, interligando o erro e qual a norma que está sendo
infringida.
R.:
a) Empregados da área administrativa
trabalham de 2a a 6a feira, das 8h às 18h (b) Limite máximo de jornada diária e das horas
com 30min de intervalo para refeição e suplementares, previsto na CLT.
L
descanso.
E
G b) Os empregados do departamento de
I costura, quando realizam horas extras, (c ) CLT - Jornada urbana compreendida das 22h
S
L trabalham em média de 2h30min a 4h por às 5h do dia seguinte, com percepção de 20%
A dia neste regime, para cumprir os prazos de de adicional.
Ç entrega dos produtos vendidos.
Ã
O c) Empregados que trabalham na seção de
(d) CLT prevê o pagamento como hora extra,
Faturamento, e cumprem o horário das 15h
E sempre que o empregado ultrapassar 10 minutos
às 23h, recebem todas as horas trabalhadas
no cumprimento de sua jornada diária integral
P como diurnas, sem o respectivo adicional
R de trabalho; ou mais de 5 minutos em uma única
noturno, tendo em vista que não ultrapassam
Á entrada antecipada ou após o seu horário de
T a zero hora ou a meia-noite, para ter direito
saída.
I ao adicional noturno.
C
A
d) Na maioria dos cartões de ponto, tanto na
entrada como na saída do empregado, ob-
(e) Todo empregado deve receber um descanso
T serva-se que o empregado registra o horário
R semanal remunerado, desde que tenha cumprido
até 12 minutos antes ou após o seu horário,
A integralmente a jornada da semana. Lei 605/49.
B sem remuneração, tempo que leva para o
A deslocamento até o local de trabalho.
L
H e) Todos os empregados horistas recebem (a) Jornada semanal máxima de 44h prevista
I somente as horas trabalhadas, não sendo na Constituição Federal e número mínimo de
S
T
remunerados os dias de descanso nos do- horas/minutos para intervalo dentro da jornada,
A mingos, feriados ou folgas. previstos na CLT.
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 19
NEAD
2 Segue um cartão de ponto de abril com dados fictícios. Aponte as horas
trabalhadas, faltas e extras e ainda os DSRs nos dias 22 a 30, some ao
subtotal apresentado e totalize as horas do empregado em cada coluna.
Indique também se há infrações ao capítulo da Jornada de Trabalho, da CLT,
neste cartão de ponto que poderão gerar multas ao empregador.
R.: Sábado, dia 29, o empregado trabalhou sem intervalo para refeição e
descanso e ultrapassou o limite de 2 horas suplementares ao dia.

Indústria ABC Ltda. CNPJ: 82.640.723/0001-10


Cartão de ponto = Abril/2006
Empregado: Mauricio Pereira Falcão Cargo: Tecelão (Horista)
Horário: 5 às 13:30 - Intervalo 9:00 às 9:30 h (Acordo autorizado ) Sábado: 5:00 às 9:00 h
Marcações: Apuração das Horas Normais e Extras:
Dia Entrada Saída Entrada Saída HND HNN H.DSR H.Extr H.Falta
Sub- ------- ------- -------- ------- 116:00 -- 38:00 -- ---
Total
22 S 5:07 9:00 3:53 0:07
23 D DSR 7:20
24 S 5:04 9:00 9:30 13:29 8:00
25 T 4:55 9:00 9:30 13:35 8:00
26 Q 5:02 9:00 9:30 13:35 8:00
27 Q 5:03 9:00 9:30 13:40 8:00 0:10
28 S 4:55 9:00 9:30 15:30 8:00 2:30
29 S 4:58 13:00 4:00 * 4:00 L
E
30 D DSR 7:20 G
Total de Horas no mês...................... : 163:53 14:40 6:40 0:07 I
S
Assinatura Empregado: c/50% L
A
Ç
3 Comente e exemplifique três tipos de faltas que devem ser remuneradas Ã
O
pela empresa. Qual é o tipo de falta que a empresa não está obrigada a
remunerar? E

R.: - Licença ou atestado médico nos primeiros quinze dias da doença. P


R
- Licença-paternidade na primeira semana de nascimento do filho. Á
- Faltas previstas no Artigo 473 da CLT: casamento do empregado, falecimento T
I
de alguns tipos de parentes, prestar exame vestibular, dentre outras. C
A
Faltas que não precisam ser pagas são aquelas não previstas em legislação,
classificadas como faltas injustificadas ou atrasos. T
R
A
B
A
TÓPICO 3 L
H
I
S
1 O empregado XYW recebe salário de R$ 2,60 por hora. Em abril trabalhou T
190 horas normais e receberá 29,33 horas como repouso remunerado (DSR A
20 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
ou RSR). Possui um filho menor de 7 anos que está com vacinação em dia.
Recebeu 48 vales-transporte no valor de 2,00 cada.
R.: a) Calcule a folha de pagamento:
Horas normais 190h x 2,60 = 494,00
Horas repouso 29,33h x 2,60 = 76,26
Salário-família 1 x 18,08 = 18,08

b)Total bruto da folha: = 588,34


Valor desconto do INSS com %: 570,26 x 8% = 45,62
Valor desconto do IRRF: isento
Valor desconto do vale-transporte: (48 vales x 2,00 = 96,00) e R$2,60 x
220h x 6% = 34,32

c) Total dos descontos: 79,94

d) Líquido da folha: 588,34 (-) 79,94 = 508,40

e) Valor FGTS: 570,26 x 8% = 45,62

2 A partir dos valores da folha calculados no exercício 1 para o empregado


XYW, efetue o cálculo dos encargos da empresa para a Previdência
Social.
L R.:
E
G
Resumo da folha de pagamento:
I INSS FGTS IRRF Sal.fam.
S Nome
Base Descto Base Depósito Base Descto
L
A 570,26 45,62 570,26 45,62 570,26 --- 18,08
Ç
à Total
O

E Valores dos encargos da empresa para a Previdência Social:


P FPAS = 507 = 5,8% Outras Entidades
R Percentuais devidos = 20% Empresa + 2% RAT
Á
T % EMPRESA SOBRE BASE EMPREGADOS = 570,26 x 20% = 114,05 +
I % ACIDENTE TRAB. SOBRE BASE EMPREGADOS = 570,26 x 2% = 11,41 +
C
A % Outras Entidades SOBRE BASE EMPREGADOS = 570,26 x 5,8% = 33,08 +
T TOTAL DOS ENCARGOS DA EMPRESA SOBRE A FOLHA = 158,54
R
A
B
A
L
TÓPICO 4
H
I
S 1 Empregado admitido em 01-09-2007, salário R$ 1.800,00, gozará suas férias
T
A
de 01-05-2009 a 20-05-2009 com 10 dias de abono pecuniário de férias.
R.: - Em que data o empregado deverá ser avisado destas férias?
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 21
NEAD
01/04/2009.
- Em que data o empregado deverá receber o valor destas férias?
29/04/2009.
- Ele terá direito a receber as férias pagas em dobro? ( ) Sim (x) Não. Por
quê? Porque ainda estava dentro do período de concessivo, ou ainda não
haviam vencido as segundas férias.

Calcule o valor devido nestas férias:


20 dias de férias: 1.800,00 : 30d x 20d = 1.200,00
1/3 férias:1.200,00 : 3 = 400,00
10 dias de abono de férias: 1.800,00 : 30d x 10d = 600,00
1/3 abono de férias: 600,00 : 3 = 200,00
Total bruto: = 2.400,00
INSS férias: (1.200,00 + 400,00) x 9% =144,00
IRRF férias: (1.200,00 + 400,00) (-) 144,00 = 1.456,00 x 7,50% = 109,20
(-) 107,59 = R$1,61 – será descontado 0,00, pois ficou abaixo do valor
mínimo de R$ 10,00.
Total descontos: = 144,00
Líquido das férias: 2.400,00 (-) 144,00 = 2.256,00

2 Empregado admitido em 01-09-2007 com salário atual de R$ 1.800,00.


Calcule o valor devido na primeira parcela do 13º salário do ano atual.
R.: L
E
G
13º salário adiantado 1.800,00 x 50% = 900,00 I
S
Total proventos 900,00 L
Valor FGTS 13º 900,00 x 8% = 72,00 A
Ç
Ã
O
Calcule o valor devido na segunda parcela do 13º salário e seus
descontos. E

13º salário integral = 1.800,00 P


R
Total de proventos = 1.800,00 Á
INSS 13º = 1.800,00 x 11% = 198,00 T
I
IRRF 13º (1.800,00 (-) 198,00 = 1.602,00 x 7,50% = 120,15 (-) 107,59 = C
A
R$12,56
Desconto 13º Adto = 900,00 T
R
Total de descontos = 1.110,56 A
B
Líquido a ser pago = 1.800,00 (-) 1.110,56 = 689,44 A
FGTS 13º = 1.800,00 (-) 900,00 = 900,00 x 8% = 72,00 L
H
I
S
3 Vamos agora fazer um atividade mais lúdica? Desafio você a completar as T
cruzadas a seguir e reforçar ainda mais os seus conhecimentos! Pesquise A
22 GABARITO DAS AUTOATIVIDADES UNIASSELVI
NEAD
em todas as unidades, consulte outras pessoas, entre na brincadeira e, ao
final, terá aprendido bastante.
R.:

PALAVRAS CRUZADAS

1 Intervalo obrigatório entre duas jornadas de trabalho. (9 letras) - vertical/


central = Onze horas
2 Semanalmente deve ser de no mínimo 24 horas. (7) vertical Repouso
3 Número máximo de horas normais da jornada diária. (4) horizontal Oito
4 Número máximo de horas suplementares ao dia. (4) vertical Duas
5 Número máximo de horas diárias sem necessitar de repouso. (6) horizontal
Quatro
6 Como se definem as horas que excedem a jornada diária normal. (6)
horizontal trás p/ frente Extras
7 Tipo de remuneração de empregados. (6) vertical Tarefa
8 Trabalha sujeito a horário, subordinação e recebe salário. (9) horizontal
Empregado
9 Trabalhadora eventual. (8) horizontal Autônoma
10 É negociado entre sindicato dos empregados e empresas. (6) vertical
baixo p/ cima Acordo
11 Direito adquirido a cada 12 meses de serviço na empresa. (6) horizontal
L de trás para frente Férias
E
G
12 Pagamento anual proporcional aos meses trabalhados. (6) horizontal
I Décimo
S
L 13 Desconto obrigatório na folha de pagamento, respeitando uma tabela. (4)
A
Ç
horizontal INSS
à 14 Outro tipo de desconto obrigatório em folha. (4) vertical IRRF
O
15 Contribuição de 1/30 avos do salário descontado anualmente. (8)
E horizontal Sindical
P 16 Direito dos empregados calculado sobre a folha de pagto e depositado.
R
Á (4) horizontal trás p/ frente FGTS
T
I
17 Dia de vencimento da GPS. (4) horizontal Dois
C 18 Descontinuidade do emprego. (8) vertical Rescisão
A
19 Pagamento obrigatório quando empresa demite sem justa causa. (5)
T
R
horizontal Multa
A 20 Ocorre somente nas rescisões, quando prazo de contrato é indeterminado.
B
A (5) horizontal Aviso
L
H
21 Tolerância nas entradas e saídas é de tantos minutos. (5) horizontal
I Cinco
S
T 22 Refere-se ao trabalho após as 22 horas. (7) horizontal Noturno
A 23 Parte remunerada do repouso (Sigla). (3) vertical DSR
UNIASSELVI GABARITO DAS AUTOATIVIDADES 23
NEAD
24 Obrigatório quando mais de 10 empregados. (6) horizontal Cartão

L
E
G
I
S
L
A
Ç
Ã
O

P
R
Á
T
I
C
A

T
R
A
B
A
L
H
I
S
T
A