Você está na página 1de 10

Dispositivos de

Proteção de
Circuitos
Elétricos

Nome: Aline Serra Gonçalves


Turma: 4BMEC
Professor: Milton
Sumário
- Definição ........................................................................................... Página 1

- Fusíveis Limitadores Primários ............................................................. Página 1

- Tipos de Fusíveis Limitadores Primários ............................................... Página 1

- Proteção oferecida pelos Fusíveis Limitadores ...................................... Página 1

- Relés de Proteção .............................................................................. Página 2

- Características dos Relés .................................................................... Página 2

- Disjuntores de Alta Tensão ................................................................. Página 3

- Chave de Aterramento Rápido ............................................................ Página 4

- Seccionadores Automáticos ................................................................. Página 5

- Bibliografia ........................................................................................ Página 7


Definição:

Dispositivo que exerce uma ou mais funções de proteção em um sistema ou


equipamento elétrico.

Fusíveis Limitadores Primários

Os fusíveis limitadores primários são dispositivos extremamente eficazes na


proteção de circuitos de média tensão devido às suas excelentes características de
tempo e corrente. São utilizados na proteção de transformadores de força, acoplados,
em geral a um seccionador interruptor, ou ainda, na substituição do disjuntor geral de
uma subestação de consumidor de pequeno porte, quando associamos a um
seccionador interruptor automático.
A principal característica desses dispositivos de proteção é a sua capacidade de
limitar a corrente de curto-circuito devido aos tempos extremamente reduzidos em que
atuam. Além disso, possuem uma elevada capacidade de ruptura, tornando-os
adequados para aplicação em sistemas onde o nível de curto-circuito é de valor muito
alto.
Normalmente, os fusíveis limitadores podem ser utilizados tanto em ambientes
internos como externos, dependendo apenas das características de uso dos
seccionadores aos quais estão associados.

Tipos
• Rosca:
• Cartucho:
• Faca;
• Diazed;
• NH.

Proteção oferecida pelos Fusíveis Limitadores

Além de servirem como proteção geral de uma subestação, por exemplo, os


fusíveis limitadores são acionados por ação direta ou indireta e podem ser utilizados
para a proteção de vários equipamentos, Tais como:

• Proteção de Transformadores de Força;


• Proteção de Transformadores de Potencial;
• Proteção de Motores de Média Tensão.

Fusível Limitador de Corrente


1
Relés de Proteção

O nome relé representa uma gama numerosa de equipamentos e dispositivos,


com as mais diferentes formas de construção e operação, para aplicações diversas,
dependendo da importância, do porte e da segurança da instalação considerada.
Os sistemas elétricos, de um modo geral, estão freqüentemente sujeitos a
perturbações que podem ser resumidamente agrupadas em:

• Curtos-circuitos;
• Sobrecargas;
• Variações do nível de tensão;
• Variação do nível de freqüência;

Características dos Relés

a) Quanto à Forma Construtiva: Os relés podem ser fabricados de


diversas formas, cada uma delas utilizando princípios básicos peculiares.
Construtivamente, podem ser classificados como:

• Relés Fluidodinâmicos – Utilizam os líquidos, normalmente o óleo de


vaselina, como elemento temporizador. Normalmente, são construídos para
ligação direta com a rede e montados nos pólos de alimentação do disjuntor de
proteção;

• Relés Eletromagnéticos – Antes do advento e domínio do mercado


dos relés fluidodinâmicos para proteção de pequenas subestações, eles eram
largamente utilizados;

• Relés Eletrodinâmicos – Na realidade, eles não têm notável


aplicação como elementos de proteção de circuitos primários, apesar de sua
grande sensibilidade;

• Relés de Indução – Também são conhecidos como relés secundários,


sendo largamente empregados em subestações industriais de potência e de
concessionárias de serviço público, na proteção de equipamentos de grande
valor econômico;

• Relés Térmicos (ou imagem térmica) – São dotados de elementos


térmicos ajustáveis, chamados de réplicas térmicas. Eles são atravessados pela
corrente de fase do sistema, diretamente ou por meio de transformadores de
corrente, e, através dos elementos térmicos com características semelhantes às
características térmicas do equipamento que se quer proteger, atuam sobre o
circuito de alimentação da bobina do disjuntor, desenergizando o sistema antes
que a temperatura atinja valores acima do máximo permitido para aquela
máquina em particular;

• Relés Eletrônicos – São fabricados para atender todas as


necessidades de proteção dos sistemas elétricos, competindo em preço e
desempenho com os modelos eletromecânicos;

• Relés Digitais – Oferecem, além das funções dos seus antecessores,


novas funções aos seus usuários adicionando maior velocidade, melhor
sensibilidade, interfaceamento amigável, acesso remoto, armazenamento de
informações, etc.
c) Quanto às Grandezas Elétricas: Basicamente, um relé é sensibilizado
pelas grandezas de freqüência, da tensão e da corrente a que está submetido.
De modo geral, os relés podem ser assim classificados:
2
• Relés de Tensão;
• Relés de Corrente;
• Relés de Freqüência;
• Relés Direcionais de Potência e Corrente;
• Relés de Impedância.

d) Quanto à Temporização: Apesar de se esperar a maior rapidez


possível na atuação de um relé, normalmente, por questões de seletividade
entre os vários elementos de proteção, é necessário permitir aos relés uma
certa temporização antes que ordene a abertura do disjuntor. Logo, tomando-se
como base estas considerações, os relés podem ser classificados quanto ao
tempo de atuação em:

• Relés Instantâneos – Como o próprio nome já diz, não apresentam


nenhum retardo intencional no tempo de atuação;
• Relés Temporizados com Retardo Dependente – São os mais
utilizados em sistemas elétricos em geral;

• Relés Temporizados com Retardo independente – Ao contrário do


anterior, são caracterizados por um tempo de atuação constante, independente
da magnitude da grandeza que o sensibiliza.

Relé de Ação direta tipo Eletromagnético

Disjuntores de Alta Tensão

Os disjuntores são equipamentos destinados à interrupção e restabelecimento das


correntes elétricas num determinado ponto do circuito. A seguir, alguns tipos:
• Disjuntores a Óleo – Nos sistemas de média tensão e para aplicação geral
em subestações consumidoras de pequeno e médio portes, os disjuntores a óleo têm
uma forte presença no mercado;

3
• Disjuntores de Construção Aberta – Devem ser instalados em cubículos de
alvenaria ou metálicos em virtude da exposição de seus componentes ativos. São
disjuntores mais comercializados em instalações industriais de pequeno e médio
portes;

• Disjuntores de Construção do Tipo Extraível – São construídos para


funcionarem normalmente em cubículos metálicos apropriados, denominados metal
clad;

• Disjuntores a Sopro Magnético – É muito utilizado para interrupção em


sistemas de corrente contínua. Também encontra larga aplicação nos sistemas de
corrente alternada de elevada responsabilidade.

Disjuntor a Grande Volume de óleo

Chave de Aterramento Rápido

É um equipamento destinado à proteção de sistemas elétricos, que quando


sensibilizado pela ação de um relé, provoca o aterramento, em geral, de uma fase,
fazendo atuar um disjuntor de retaguarda, normalmente localizado longe do ponto de
instalação da referida chave. São constituídos basicamente de três partes: Terminal,
Coluna de isoladores e Caixa de comando.
A aplicação dessas chaves é mais aconselhável em subestações de potência
que não requeiram maiores níveis de continuidade de serviço, pois a sua operação
implica um desligamento completo do sistema a partir do disjuntor de retaguarda.
Normalmente, são utilizadas em subestações das concessionárias que suprem áreas
rurais ou pequenas vilas dotadas de cargas de pouca pressão.
4

Chave de Aterramento Rápido

Seccionadores Automáticos

São equipamentos de proteção utilizados em redes aéreas de distribuição e que


têm a finalidade de seccionar definitivamente um trecho do alimentado, quando ocorre
um defeito a jusante de sua instalação cuja interrupção é efetuada por equipamento de
retaguarda. Os seccionadores podem ser classificados quanto ao número de fases:

a) Monofásicos: São equipamentos monopolares destinados ao seccionamento


automático de redes aéreas de distribuição monofásicas.
b) Trifásicos: São equipamentos tripolares destinados ao seccionamento
automático de redes aéreas de distribuição trifásicas.
5

Seccionador de Comando Eletrônico


6
Bibliografia

Livro:
Manual de Equipamentos Elétricos - João Mamede Filho - Editora LTC

Internet:
ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas (Manobra e proteção de circuitos)
http://www.target.com.br/conteudo/b2b/especif/tecnica/5459.pdf

Dispositivos de proteção - Curso de Engenharia UFPR


http://www.madeira.ufpr.br/disciplinasklock/te500/disp.pdf
7

Você também pode gostar