Você está na página 1de 2
28 de ABRIL Quinta-feira - Largo Glénio Peres - a partir das 8 horas Dia Internacional em Memoria as Vitimas de Acidentes e Doencas Relacionadas ao Trabalho Temas a serem tratados: * Assédio Moral com a participagao de Eliane Luiza Schimidt, Gerente Sime ti Coat CTT Cor CL Et) Regional Sul do INSS - Doengas e Acidentes do Trabalho - Fator Previdenciario e Reforma da Previdéncia - SUS / Fundacgoes / Conferéncias de Saude POT Tal MoM AA OMA ew eeu EM Pe liT ee) consultoria juridica e de Medicina do Trabalho Realizagao Apoio (CEVS www.fsstrs.org.br’ 28 de Abril Data para protestar e lembrar das vitimas dos acidentes e doengas do trabalho AOIT (Organizacao Internacional do Trabalho), desde 2003, adota 0 28 de abril como o Dia Mundial em Memoria das Vitimas de Acidentes e Doengas do Trabalho. A data foi escolhida em homenagem aos 78 trabalhadores que, em 1969, morreram na explosdo de uma mina norte- americana, acidente causado pela falta de prevencao e pelas precarias condicées de trabalho impostas pelos patrées. Atualmente, neste dia, trabalhadores e trabalhadoras do mundo inteiro denunciam as mas condigdes que geram os acidentes e doengas do trabalho, a omissdo de empresarios e autoridades, além de avaliar e reivindicar alternativas para diminuir as vitimas desta guerra que incapacita e mata milhGes de pessoas todo o ano, e que so tem um lado perdedor: a classe trabalhadora. No dia 28 de abril deste ano (quinta-feira), das 8h30 as 13h, o FSST - Forum Sindical de Saude do Trabalhador vai realizar o tradicional ato publico no Largo Glénio Peres, Centro de Porto Alegre. No local havera assessoria médica e juridica para tirar duvidas e orientar o publico sobre direitos de assisténcia e previdéncia social. A Gerente Regional Sul do INSS, Sra. Eliane Luiza Schimidt, estara presente esclarecendo uma série de questdes que preocupam trabalhadores(as) e seus representantes. Neste ano, além de defender a reducao de jornada, que reduziria os efeitos da carga exaustiva de trabalho e diminuiria o tempo de exposicdo aos fatores de risco, o FSST vai defender o fim do Fator Previdenciario, mecanismo criado pelo governo FHC para frear “aposentadorias prematuras”, mas que na verdade tornou-se um grande redutor de beneficios, sobretudo para a populagdo mais pobre. Também sera um momento para divulgar o numero de vitimas no Brasil, protestar contra o “data-certa” (sistema que estipula a alta programada para retorno de segurados ao trabalho) e a forma desumana com que sao tratados os segurados atendidos por boa parte dos peritos do INSS.