HEMOGRAMA

Curso: Biomedicina 7º Bloco Maria das Graças M. S. Leão Patrícia Virna S. Leão

O HEMOGRAMA
Série Vermelha Série Branca Plaquetas

ERITROGRAMA no GV(mm3), Ht(%), Hb(g%) VCM(fl), HCM(pg), CHCM(g/dl), RDW

HEMOGRAMA

LEUCOGRAMA no GB, diferencial

PLAQUETAS

ERITROGRAMA HEMATOSCOPIA ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS  Anisocitose  Microcitose  Macrocitose  Poiquilocitose  Esferocitose  Eliptocitose  Acantocitose  Hemácias em alvo  Hemácias falciformes. drepanócitos  Hipocromia  Policromatofilia  .

Série Vermelha  Os glóbulos vermelhos são corpúsculos vermelhos do sangue. Um milímetro cúbico do sangue contém cerca de cinco milhões de corpúsculos ou glóbulos vermelhos.  . chamados também de eritrócitos ou hemácias.

Os glóbulos vermelhos contêm hemoglobina.   . Uma variação de 4 a 6 milhões é considerada normal e uma de 8 milhões pode ser encontrada em indivíduos que vivem em regiões de grande altitude. a qual é responsável pelo transporte de oxigênio para os tecidos. Esse número pode ser menor que 1 milhão em caso de anemia grave.

Alterações morfológicas: 

a) Quanto a coloração  Hipocromia:hemácias menos coradas do que o normal. Observa-se na hematoscopia uma aumento do halo central da hemácia.  Hipercromia: a hemoglobina está aumentada;  Policromatófila: alta concentração de hemoglobina;

Policromasia: Presença simultânea de eritrócitos azulados (eritrócitos jovens) com eritrócitos normais. Presente em tratamento com ferro, sangramento, hemólise, hipóxia acentuada. Poiquilocitose: Variaç o geral das formas das hem cias ue normalmente se apresentam em uma forma circular e com um halo central claro.

b)Quanto ao tamanho  

Macrocitose: Hemácias acima de 100 u3 (adulto). Está Associada à Deficiência de itamina B12, Quimioterapia, Doença Hepática, Hipotireoidismo e Mieloma Microcitose:Hemácias abaixo de 80 u3 (adulto) Está Associada à Deficiência de Ferro, Talassemias e Anemias Sideroblásticas. Anisocitose: diferença no tamanho das hemácias.

c) Quanto a forma  Poiquilocitose: variação na forma. .

Eli tó it : Hemácias elípticas e ovaladas. . que ocorrem na ovolacitose hereditária. Esferó it s: Hemácia pequena de forma esférica e hipercorada que aparece a esferocitose hereditárias e nas anemias hemolíticas auto-imunes. Podem também ser encontradas em anemias carenciais e mais raramente nas talassemias e outras anemias.

Ocorre um excesso de membrana. na anemia megaloblástica. com uma zona densa central. Ocorrem provavelmente por retardo da saída da medula óssea. fazendo com que a hemoglobina se distribua em um anel periférico. Encontradas nas talassemias. nas tatassemias e na esplenomegalia. Cod citos: Células em forma de alvo.Dacriócitos Hemácias em forma de lágrima. Presente na metaplasia mielóide. na hemoglobina C. . icterícia obstrutiva e na doença hepática severa.

alcoolismo. síndrome hemolítica urêmica. Estomatócitos: Eritrócitos em forma de estômago. nos casos de queimaduras graves. presentes na Estomatocitose hereditária.Esquizócitos: Fragmentos de hemácias de tamanhos diferentes e com formas bizarras. microangiopatias. . alterações na bomba de Na e K. Observados em muitos casos de próteses valvulares e vasculares. cirrose hepática.

Acant citos: Hemácias pequenas com projeções irregulares. após esplenectomia e após administração de heparina. na hepatite do recémnascido. na cirrose hepática. Presente na betalipoproteinemia hereditária e outras dislipidemias. característica da anemia falciforme. .Drepan citos: Hemácias em forma de foice. na anemia hemolítica.

.

.

Anemia.Sinais e Sintomas         Palidez Fadigabilidade Dor em membros inferiores Dispnéia aos esforços Taquicardia Angina Cefaléia Tonturas Irritabilidade .

Classificação pela Patogênese        Perda sangüínea muito recente Anemia por carência de ferro (Anemia Ferropênica) Anemia por carência de itamina B12 e Ácido Fólico Anemia das doenças crônicas Anemias por defeitos genéticos Anemias por destruição periférica dos eritrócitos Anemias decorrentes de doenças da medula óssea .

Perda Sanguínea Muito Recente Anemia Hipocrômica Microcítica Perda sangüínea crônica perda de FERRO é maior que a sua absorção e reserva hemácias são produzidas com pouca hemoglobina .

Perda Sanguínea Muito Recente Anemia Pós-Hemorrágica   Sangue remanescente é normal Rápida hemorragia: plasma reposto de 1 a 3 dias. porém há baixa concentração de hemácias .

perdas hemorrágicas. dieta láctea. verminoses. gestações repetidas.Carência de Ferro Anemia Ferropênica Causas: dieta carente. Deficiência na Síntese de Hb .

Carência de Ferro Anemia Ferropênica ferro HEME porfirina GLOBINA Hemoglobina .

Anemia Megaloblástica Por deficiência de Vit B12 ou de Ácido Fólico São distúrbios provocados pela síntese comprometida do DNA. A divisão celular é lenta. porém o desenvolvimento citoplasmático progride normalmente. porém são mais frágeis . Transportam O2. com uma proporção aumentada de RNA em relação ao DNA. de modo que células megaloblásticas tendem a ser grandes.

Carência de Vitamina B12 Anemia Perniciosa Vitamina B12   proliferação dos glóbulos do sangue integridade das células nervosas Causa: gastrite atrófica. absorção inadequada glossite dormências e falta de sensibilidade nas extremidades deterioração mental irreversível .

devido a patogenias: infecções. cirurgias ou traumas extensos e inflamações no trato digestivo. dematites bolhosas. . neoplasias. baço e fígado.Anemia das doenças crônicas É o seqüestro de Ferro nas células da medula óssea.

Anemias por Defeitos Genéticos anemia de células falciformes talassemias esferocitose deficiência de glicose 6P (favismo) desidrogenase .

Anemia Falciforme Troca de um aa polar (GLU) por um apolar (VAL) na cadeia F. Hb S A hemoglobina em baixa quantidade de oxigênio se precipita em cristais longos dentro da hemácia FORMA DE FOICE .

Crise de Dor 2.3-1%) Doença homozigota recessiva Durante toda a vida. Úlcera de Perna     . Icterícia 3. crises de dor e susceptibilidade aumentada para infecções reduzida tendência a contrair Malária 1.Anemia Falciforme Essa forma é menos solúvel e danifica a membrana celular célula mais frágil hemólise Ocorre principalmente na população negra (0. Síndrome Mão-pé 4. Infecções 5.

Talassemia ferro HEME porfirina GLOBINA Hemoglobina Deficiência na Síntese de Hb .

sendo a doença genética mais comum em todo o mundo. deformidades ósseas e esplenomegalia. icterícia.Talassemia Síntese desequilibrada de globina  quantidades menores de Hb funcionante  Talassemia E (defeito na formação das cadeias E)  Talassemia F (defeito na formação das cadeias F)  Traço talassêmico: Heterozigotos  elevada prevalência nos povos do mediterrâneo.  .  Talassemias Menores (apenas um gene):discreta anemia  Talassemias Maiores (dois genes): anemia severa.

não podem ser comprimidas (não possuem a estrutura flexível normal) leve compressão hemólise .Esferocitose   Doença autossômica dominante em 75% dos casos As hemácias se formam pequenas e esféricas.

Favismo Deficiência de glicose-6-fosfato-desidrogenase Enzima Marcapasso do Ciclo das Pentoses Produção de NadPH (poder redutor) Mantém o Glutatião reduzido Detoxificação do Peróxido de Hidrogênio Carência hemácias sensíveis à oxidação Hemólise .

Anemias por Agressão Periférica aos Eritrócitos   Malária: reprodução do Plasmodium sp. anemias hemolíticas imunológicas: reação auto-imune contra hemáceas . nas hémacias e seu posterior rompimento.

Pode ter como causa o uso de drogas. Leucemias e Tumores na Medula . a hepatite viral e a exposição à radiação ionizante.Anemias Decorrentes de Doenças da Medula Óssea   Anemia Aplástica: falta de medula óssea funcionate: lesão das células primitivas da eritropoese.

sejam: virais.Série Branca Parte do hemograma onde são evidenciados indícios de infecções das mais diversas causas ou infecções. . bacterianas ou parasitárias.

podendo ir além de 100 mil por mm³ de sangue.São nucleados.: em infecções. -Os glóbulos brancos são produzidos no tecido mielóide e no linfóide Homens e Mulheres: 5.000 leucócitos/ µL de sangue.Leucemia: É o aumento exagerado de glóbulos brancos no sangue. responsáveis pela defesa imunitária e presentes em todos os animais que contenham líquidos circulantes.Leucopenia: É a diminuição do número de glóbulos brancos no sangue.000 a 10.Glóbulos Brancos Vários tipos. . . Emitem pseudópodes. Obs.Leucocitose: É o aumento de glóbulos brancos no sangue.: . Atuam na defesa do organismo através da fagocitose e da produção de anticorpos. . . Ex. Os núcleos são de várias formas (polimorfismo nuclear).

Glóbulos brancos ou leucócitos Agranulócitos Linfócito Monócito Granulócitos Basófilo Neutrófilo Eosinófilo .

vírus e fungos . linfócitos T supressores determinam o momento de parar a produção dos anticorpos. são os responsáveis pela produção de anticorpos específicos Mon cito Núcleo em forma de rim ou ferradura y Função Fagocitar elementos estranhos ao organismo Fagocitar apenas determinados elementos. provocando sua morte. chegando a mascarar o núcleo Linf cito Núcleo muito condensado. Linfócitos B. Em doenças alérgicas ou provocadas por parasitas intestinais há aumento do número dessas células Liberar heparina (anticoagulante) e histamina (substância vasodilatadora liberada em processos alérgicos) Fagocitar bactérias. que formarão os plasmócitos do tecido conjuntivo.Classificação dos leuc citos Granul citos (apresentam grânulos no citoplasma) Agranul citos (não apresentam grânulos no citoplasma) Neutr filo Característica geral Núcleo geralmente trilobulado. Eosin filo Núcleo bilobulado Bas filo Grânulos citoplasmáticos muito grandes. linfócitos T citotóxicos que produzem substâncias que mudam a permeabilidade das células invasoras (bactérias) ou de células cancerosas. ocupando quase toda a célula Linfócitos T auxiliares ou células de ³memória imunológica´ orientam os linfócitos B na produção de anticorpos.

800 (60 a 70%) 240 (2 a 4%) 80(1%) 2.Neutr filo Eosin filo Bas filo Linf cito Mon cito Nº aproximado em cada mm³ 4.400 (20 a 30%) 480 (3 a 8%) .

malaria. intoxicaç ões. intoxicação por veneno. Em casos de infecções graves pode haver o que chamamos de desvio à esquerda que nada mais é que um deslocamento das células jovens mielóides para a corrente sanguínea obedecendo a uma proporção. destruição tecidual. septicemia. alterações fisiológicas como gravidez. alterações hematológicas como agranulocitose. antibióticos (cloranfenicol). septicemia. Como forma de combater a infecção a medula óssea ³libera´ segmentados imaturos para o sangue periférico. frio. alterações imunológicas como Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES). viroses. aplasia tóxica medular. Como causa de leucopenia com neutropenia temos: Estágios iniciais doenças infecciosas como febre tifóide. .NEUTROFILOS: Os neutrófilos possuem grânulos (lisossomos) contendo enzimas como a mieloperoxidade responsável pela destruição de agentes estranhos. analgésicos. A função dos leucocitose com neutrofilia há: inflamações. calor. stress. predomínio de células jovens. e causas medicamentosas como quimioterapia. alterações metabólicas e químicas. infecção grave.

Participam do processo de distribuição de algumas parasitoses. EOSINOFILOS: Os eosinófilos possuem grânulos maior es e menos numerosos que os neutrófilos. de reações de defesa humoral do tipo imunológica contra corpos estranhos e principalmente contra proteínas induzidas no organismo. alergias. infecção. psoriase. psoriase. Causas de Leucocitose Eosinofílicas: Parasitose intestinal ou de pele.eczema. eczema. . doença dermatológica como pênfigo. radiação.

pouco numerosos e ricos em mucopolissacarídeos ácidos. Pelo fato de possuírem receptores para IgE. radiação. doenças mieloproliferativas.BASÓFILOS: Os basófilos possuem grânulos grandes. estão envolvidas com fenômenos de Hipersensibilidade Sistêmica. São causas de Leucocitose Basofílica: Reações alérgicas. .

realiza a mitose gerando duas células: O LB de memória e Plasmócito. O LT tem origem e maturação no timo e está envolvido na imunidade celular e na regulação da síntese de Anticorpos. são basicamente divididos em dois grupos: Linfócitos T (LT) e Linfócitos B (LB) além das Células Naturais Killer (NK). mononucleares (sarampo. caxumba e rubéola) e hepatite. . responsável pela síntese de anticorpos. Quando o LB é estimulado. febre tifóide. A Célula NK possui a propriedade de destruir outras células como na resposta humoral. O LB tem origem medular e participa apenas dos processos de imunidade humoral. Infecções Crônicas ocorridas após fase aguda (tuberculose). Infecções Bacterianas Agudas como coqueluche. Dentre as causas de Linfocitose temos as Viroses Agudas: Infecciosa.LINFÓCITOS: Os linfócitos estão diretamente relacionados às respostas imunes.

.

após a fase aguda de infecções bacterianas. calazar. . toxoplasmasmose. nas Doenças do Colágeno: LES. nas Infecções Virais: mononucleose infecciosa. doenças mieloproliferativa. vírus e fungos). Estão levemente aumentados (dentro do limite de normalidade) nas Infecções Bacterianas: tuberculose. Fagocita e digere todos os agentes infecciosos (bactéria. tripanossomíase.eczema. MONÓCITOS E MACRÓFAGOS: Os monócitos são os macrófagos do sangue. linfomas. brucelose. psoriase. nas Infecções Parasitárias: protozoários: malaria. artrite reumatóide. a nomenclatura macrófago é dada quando aqueles atravessam a parede vascular (diapedese) e se infiltram no tecido. A principal função desta célula é a fagocitose. sífilis. nas Neoplasias: leucemia monocitica. alguns casos de septicemias. No tecido os monócitos recebem o nome de macrófago.

A seguir serão descritas as alterações encontradas nos leucócitos sejam elas adquiridas ou hereditárias: . que são provocadas por estímulos e desaparecem com a retirada do agente. inclusões ovais azuladas encontradas na periferia do citoplasma. acham-se isolados e são conseqüência de ribossomas que persistiram e costumam ser encontrados em infecções e grandes traumas . O achado de granulações grosseiras (tóxicas) no citoplasma dos neutrófilos pode acontecer em longos processos infecciosos. pode ser destacada a presença de corpúsculos de Döhle.ALTERAÇÕES DOS LEUCÓCITOS: Entre as alterações adquiridas. As vacuolizações citoplasmáticas acontecem como resultado da depreção dos grânulos azurófilos no processo de fagocitose. Geralmente.

por alterações no próprio granulóide lisossoma. Trata-se de granulações mais grosseiras que os normais e se apresentam no citoplasma de neutrófilos. moderada. e os resultados podem ser expressos em cruzes (+. queimaduras.São alterações adquiridas por estímulos externos. Pode ser: grosseira. São granulações azurófilas estimuladas por infecção.++ ou +++). fina. ranulações tóxicas: . inflamação.

septicemia. . onde há vacúolo é sinal degenerativo de leucócitos. Encontrado em processo supurativo.Degenerações vacuolares: São espaços circulares brancos de tamanho variado. febre tifóide. meningite.

fundos de olho pálido. Prognóstico: as crianças em geral morrem ainda muito cedo. grosseiros e refringentes em todos os leucócitos. Diagnóstico laboratorial: os leucócitos contêm grandes corpos de inclusão de cor escura e granulações no citoplasma. (hiposegmentação).Anemia leucocitária Chediak ± Higashi: É uma uma rara enfermidade genética autossômica recessiva que causa disfunção de melanócitos. . devido às infecções (sobrevivência de 5 a 10 anos). Com o processo da enfermidade surgem anemias. Características morfológicas: grânulos primários enormes. albino parcial. redução de Pigmentação. Aspectos clínicos: mais suscetibilidade a infecções bacterianas. plaquetas e dos neutrófilos. trombocitopenias e neutropenias.

toxoplasmose. pneumonia. vacinas. mononucleose. Causa: viroses.infócitos Atípicos: Presentes nas infecções virais são redondos ou alongados com abundante citoplasma. caxumba. . rubéola. sarampo. varíola. sendo este frágil. Morfologia: Basofilia marcante no citoplasma.

tuberculose. colicistites. colites crônicas. reumatismo crônico. . sem anomalias clinicas. Pode ser adquirido ou hereditário: Adquirido é resultado de células velhas.Hi erse e t çã e e tr fil : São neutrófilos com muitos segmentos nucleolares. na Hereditária é herdado de forma autossômica dominante.

São encontrados em infecções graves. .Corpúsculos de Döhle: S o inclusões no citoplasma dos polimorfonucleares periferia do citoplasma. e muitas vezes fazendo saliência no contorno da célula normal. anemia aplástica. câncer e normalmente é acompanhado de granulações tóxicas. trauma. queimaduras. gravidez. após uso de citotóxico.

no entanto ocorra alteração da função da célula. câncer ósseo.Pelger-Hüet: alteração hereditária autossômica dominante rara. sem que. que se caracteriza pelo achado de neutrófilos hipossegmentados. . leucemias. pacientes tratados com sulfonamidas. Ocorre em infecções graves.

Rubéola. Protozooses ( Malária e Tripanosomose ). Uremia. Diabetes. Parasitoses. Monócitos .Infecções bacterianas. Crônicas ( Tuberculose.Mielofibrose.Alergias. Leucemia mielocítica e Hemorragias Eosinófilos . Sarampo. Isquemia. por exemplo ) . Sífilis ) e Mononucleose ( grande número de linfócitos atípicos ).Tuberculose. Mieloma e Leucemia Plasmocítica Bastonetes . Colite e Leucemia crônica Linfócitos .Infecções agudas.Infecções Agudas gerais ( Viroses. Doenças da Pele e Hemopatias Basófilos . Sarampo. Gota. Mononucleose. Infarto Agudo. Leucemias agudas. Lúpus Eritematoso Sistêmico e Artrite Reumatóide Plasmócitos . Dermatites.Série Branca LEUCOCITOSE ASSOCIADA À CÉLULAS BRANCAS : Neutrófilos .

Contagem de Leucócitos .

Contagem de Leucócitos .

Contagem de Leucócitos .

Contagem de Leucócitos .

Plaquetas São elementos muito importantes na Hemostasia. podendo ser ativadas para exercer funções de proteção vascular.As plaquetas atuam no processo da coagulação do sangue através da produção de uma enzima denominada Tromboplastina . Podem participar de processos trombóticos se forem ativadas excessivamente. É útil também para manter o estado hemostático normal para proteger o mesmo de fenômenos hemorrágicos. São de pequeno tamanho na observação microscópica. forma discóide e inativas. Plaquetocitose/Trombocitose: N° de plaquetas aumentadas Trombose . Plaquetopenia/Trombocitopenia: N° de plaquetas diminuídas Hemorragia.

Uso abusivo de Drogas. Vasculites. Doenças Hereditárias ( Doença de May-Hegglin ). Neoplasias e Hemólise Intravascular.Plaquetas Causas de Plaquetopenia : Síndromes Congênitas. . Deficiência de Vitamina B12. Infecções. Púrpura Trombocitopênica.

A diminuição das plaquetas (plaquetopenia) pode ser observada em pacientes em uso de agentes químicos ou drogas que agem por mecanismos imunes ou por supressão medular como ocorre no uso de agentes Quimioterápicos antineoplásicos. .Plaquetas Observamos aumento das plaquetas (plaquetose) nas respostas às infecções. Pode estar presente na anemia ferropriva e doenças mieloproliferativas crônicas. Observamos também plaquetopenia na púrpura trombocitopênica idiopática ou secundária a doenças autoimunes. inflamação e hemorragia. anemia aplástica e as coagulopatias de consumo.

leucócitos e plaquetas. É importante que após a contagem percentual dos glóbulos brancos. o observador detenha-se a uma acurada observação das hemácias e possíveis alterações de tamanho (anisocitose ou de forma (poiquilocitose).A hematoscopia constitui-se em segmento importante do hemograma. com exemplos de hemácias.Visão Microscópica Exemplo de lâmina hematológica. .

anemias macro. . micro e normocíticas. Serve para avaliar os tipos de anemia que se manifestam com hemácias de grande. isto é .Volume corpuscular médio. pequeno ou tamanho normal.Índices Hematimétricos Volume corpuscular médio (VCM)  VR: 82 a 95 fl (fentolitros)  VCM= Htc(%) x 10 Hemácias (milhões) VCM .

Hemoglobina Corpuscular média (HCM)  VR: 27 a 32 (pg) HCM= Hg (g/dL) x 10 Hemácias (milhões)  .

Índice calculado a partir do valor da hemoglobina e hematócrito.Concentração de Hemoglobina Corpuscular Média (CHCM)  VR: > 30%. que significa quanto de hemoglobina média percentualmente está contida em cada hemácia.Concentração da Hemoglobina Corpuscular Média. CHCM= Hg (g/dL) x 100 Htc(%) CHCM .  .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful