P. 1
Ação de Reintegração de posse

Ação de Reintegração de posse

|Views: 7.996|Likes:
Publicado porPedro Bonini

More info:

Published by: Pedro Bonini on Apr 19, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/05/2013

pdf

text

original

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE VILA VELHA/ES ± COMARCA DA CAPITAL.

LEONEL DE TAL, nacionalidade, casado, profissão, portador do RG nº __________- SSP/__, inscrito no CPF sob o nº ___.___.___-__, e sua esposa, MARIA DE TAL, nacionalidade, casada, emprego, portadora do RG nº __________- SSP/__, inscrita no CPF sob o nº ___.___.___-__, ambos residentes e domiciliados na Rua ________, Praia da Costa, Vila Velha/ES, vêm, mui respeitosamente, perante Vossa Excelência, através do seu advogado e bast ante procurador infra-assinado, com procuração anexa (doc. __) , propor a presente

AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE COM PEDIDO DE LIMINAR ³INAUDITA ALTERA PARS´
Com arrimo nos artigo 1.210 e seguintes do Código Civil combinados com artigo 926 e seguintes do Código de Processo Civil, em face de SOLÓN DE TAL, nacionalidade, estado civil, profissão , portador do

a busca da tutela jurisdicional para reaver a posse de seu imóvel.00 (cem mil reais).000. que o terreno parcialmente invadido por Solón de Tal. ora REQUERIDO. há cerca de quinze dias. porém. fora Informou ainda que o REQUERIDO ali construiu um campo de futebol.___. Entre o período que compreende a compra do imóvel até a presente data. Inconformados com toda esta situação. É valido informar a urgência na tomada de providencias. O vizinho informou ao REQUERENTE. o imóvel foi alugado duas vezes. época em que a última locação foi desfeita e o imóvel devolvido aos REQUERENTES. tendo em vista que . senão. pelos razões de fato e de direito adiante expostas: II . podendo ainda ser encontrado no local do esbulho sito na Rua __________. o alugando ou vendendo. tudo estava ocorrendo de maneira correta. O valor venal do imóvel objeto desta ação encontra -se no valor de R$ 100. na cidade desta comarca._____. Ponta da Fruta. Cidade __________/Estado. os REQUERENTES adquiriram um terreno com 10. alugar e nem mesmo usar o bem. fato que vem trazendo enormes prejuízos aos REQUERENTES. inscrito no CPF sob o nº ___. nº __. Para os REQUERENTES.DOS FATOS Há dez anos. no bairro Ponta da Fruta. Bairro ________. Vila Velha/ES.RG nº __________.SSP/__. pois os mesmos não podem usufruir do bem. um vestiário e um pequeno bar. encontrava -se vazio há seis meses. se recusando a desocupá -lo. vez que os REQUERENTES pretendem usar o imóvel. não restou aos REQUERENTES outra alternativa. telefonou para o REQUERENTE. residente e domiciliado na Rua __________. O REQUERIDO está plenamente convencido que o imóvel esbulhado pertence à Prefeitura.000m². não podendo vender. nº __. até que o vizinho do imóvel esbulhado.

de algum dos poderes inerentes à propriedade´. O Código de Processo Civil. entendeu ser de suma importância assegurar a todo aquele que tiver sido privado de sua posse. 950. o direito de nela ser restituído. Segundo a grande doutrinadora Maria Helena Diniz ³esbulho é o ato pelo qual o possuidor se vê despojado da posse injustamente. confirma a vontade do legislador conferindo ao possuidor esbulhado o direito de ser reintegrado na posse perdida injustamente. afirmou em seu artigo 5º. por violência.as tentativas de resolver o conflito amigavelmente restaram -se infrutíferas. por sua vez.926. mas também o direito da inviolabilidade. vejamos: ³Art. Código Civil Anotado. ou seja. XXII: ³Art. nos termos do Código Civil Brasileiro vigente. Saraiva: São Paulo. injustamente. pleno ou não. pág. 11. ed. 5º . e segurado de violência iminente. O possuidor tem direito a ser mantido na posse em caso de turbação. por clandestinidade e por precariedade´ 1. O possuidor tem direito a ser mantido na posse em caso de turbação e reintegrado no de esbulho´. 2005.XXII ± é garantido o direito de propriedade´ Não é só garantido o direito à propriedade. restituído no de esbulho. se tiver justo receito de ser molestado´. não é permitido que ninguém adentre na propriedade de alguém sem o seu consentimento. Considera-se possuidor todo aquele que tem de fato o exercício. III ± DO DIREITO A Constituição Federal do Brasil.1210. por violência. Maria Helena.1196. O legislador. in verbis: ³Art. A autora cita 1 DINIZ. ³Art. clandestinidade ou precariedade. .

REINTEGRAÇÃO DE POSSE. conforme o exposto acima. se afasta do bem com o objetivo de se privar de sua disponibilidade física e de não mais exercer sobre ele quaisquer atos possessórios´ O que. segundo a Ilustre Doutrinadora Maria Helena Diniz: ³quando o possuidor. pois não houve nenhuma intenção de abandonar a posse do imóvel. não acarretou a perda de sua posse. o locador de serviço que não devolve casa que recebeu para morar. Neste sentido. uma vez que estes se aproveitaram de uma situação em que o imóvel esbulhado se encontrava desocupado . também. o aresto abaixo: AÇÃO POSSESSÓRIA. temporariamente. O fato dos REQUERENTES terem deixado o imóvel sem ocupação . a posse injusta dos requeridos se reveste do vício da clandestinidade. comodatário que não devolve a coisa emprestada findo o contrato. é . o bem é de suma importância. e cita como exemplo. quando um estranho invade casa deixada por inquilino. não caracteriza o seu abandono. quais sejam. em sua mesma obra. Presentes os requisitos do artigo 927 do CPC. intencionalmente. ABANDONO DO IMÓVEL. resultando na posse precária do bem. sendo dispensado pelo patrão . a sua posse. pois os REQUERENTES não se afastou do bem com o objetivo de perder a sua posse. pois com o aluguel do imóvel a renda dos REQUERENTES é maior.como exemplo. PRESENÇA DOS REQUISITOS. A simples ausência dos possuidores do imóvel. não ocorreu no caso em tela. No presente caso. muito pelo contrário. o esbulho praticado pelo Agravante. somente ocorre. concomitantemente com os requisitos da fumaça do bom direito e do perigo da demora. LIMINAR. e a conseqüente perda de sua posse. Tem-se a clandestinidade quando o esbulhador se estabelece na posse às ocultas daquele que tem interesse em conhecê -la. O abandono de um determinado bem. bem como a data da perda da posse. mesmo que prolongada.

É a ação movida pelo esbulhado. diz o Código.2009. pág. a fim de recuperar a posse perdida em razão de violência.8. ESBULHO CARACTERIZADO. tem como fundamento o aresto abaixo: 54943986 .0687. DJEMG 04/04/2011). Cabral da Silva.13. Tribunal de Justiça de Minas Gerais. pleitear o direito de ser em restituídos na posse do imóvel em questão.0625. 2 clandestinidade ou precariedade´. (TJMG. e isto significa que a ação tem por finalidade repor o possuidor no 2 DINIZ. Maria Helena. São João Del-rei. Agravo não provido. APCV 0914759-60. Comprovada a posse anterior e o esbulho cometido.07. Nona Câmara Cível. haja vista que. Data do Julgamento 19/02/2008) Os REQUERENTES vêm a Juízo. 11. Saraiva: São Paulo. POSSE ANTERIOR COMPROVADA. (AGRAVO N° 1. . Rel. Relator: Des. em virtude de tê-la perdido injustamente pela prática de atos clandestinos por parte do requerido. 950. como bem enfatiza a supracitada doutrinadora Maria Helena Diniz: ³Ação de reintegração de posse. Des.056796-5/001. ed. A respeito dos requisitos essenciais da ação possessória. 15/03/2011.de se confirmar a liminar de reintegração. Tito Fulgêncio discorre: "Restituir.AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE. No que tange a procedência do pedido de reintegração de posse. SENTENÇA MANTIDA. Generoso Filho. impõe-se a procedência da ação de reintegração de posse. Código Civil Anotado. Julg. 2005. 10ª Câmara Cível. por meio da presente ação de reintegração de posse.

portanto. a expedição do mandado liminar de manutenção ou de reintegração. no caso contrário. sem ouvir o réu. citando -se o réu para comparecer à audiência que for designada´. que se achava destruída ou perdida. determinará que o autor justifique previamente o alegado. IV ± DA MEDIDA LIMINAR Como foi exposto. de . trata-se o caso em questão de ação de força nova. vol. O pressuposto legal aqui é diametralmente oposto ao da manutenção: nesta . o juiz deferirá. I. p." (Da posse e das ações possessórias. 9ª ed.estado ou condição em que gozava a posse. ficando evidente a posse injusta do REQUERIDO. pois o esbulho foi praticado há cerca quinze dias. Forense. turbada apenas no seu exercíc io. tornar a pôr no estado primitivo a posse. os REQUERENTES apresentam todos os requisitos legais para propositura da ação.uma posse atualmente existente. uma vez que o imóvel configura-se um bem de propriedade exclusiva d os REQUERENTES.uma posse atualmente perdida..928. Preceitua o artigo 928 do Código de Processo Civil: ³Art. tendo em vista que o terreno foi adquirido há dez anos. afigura-se clarividente que os REQUERENTES estão sofrendo esbulho na posse do aludido imóvel configurado na conduta ilícita por parte do REQUERIDO. no esbulho . datando. Diante de todo o exposto acima. Ademais. Estando a petição inicial devidamente instruída. 128 129) Ressalta-se que a alegação do REQUERIDO de que ocupam o imóvel por o mesmo ser propriedade da prefeitura é insubsistente. donde resulta para uma e outra ação um caráter comum: fundarem-se numa posse anteriormente adquirida.

se mais de um ano e dia. do Livro IV. pág. 2005. 2002. 11. 4 3 4 DINIZ.menos de ano e dia. mediante antecipação da tutela. na qual é permitido ao juiz a expedição de um mandado liminar. Método: São Paulo. 2. 273. como vimos acima. b) ação de manutenção de posse. Maria Helena. Saraiva: São Paulo. pág. e c) ação de interdito pro ibitório. Desta forma. Código Civil Anotado. nada obsta. a particularidade do procedimento especial está exatamente na possibilidade de concessão de mandado liminar µinitio litis¶ ou após a audiência de justificação preliminar da posse. Luiz. ORIONE NETO. Neste sentido. . 427 e 428. art. ed. o juiz citará o réu para que ofereça contestação. mas. 3 No mesmo sentido destaca -se. o pensamento do ³As ações possessórias estão disciplinadas no Capítulo V. segundo enunciado n. do Código de Processo Civil. 238 do Conselho da Justiça Federal. é cabível e necessária a concessão da liminar. 461-A e parágrafos´. 951. destaca -se o pensamento da doutrinado ra Maria Helena Diniz: ³se o esbulho datar menos de ano e dia ter-se-á expedição de mandado liminar. doutrinador Luiz Orione Neto: também. A inserção destas ações entre aquelas de procedimento especial justifica -se por possuírem elas uma fase preliminar. a fim de reintegrar o possuidor imediatamente. As ações possessórias compreendem: a) ação de reintegração de posse. Aliás. que antecede o procedimento comum ordinário. que haja concessão de tutela possessória liminarmente. dedicado aos procedimentos especiais. Liminares no Processo Civil. I ou II. desde que preenchidos os requisitos do Código de Processo Civil. ed.

IV ± DAS PROVAS Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos. visto que a posse tem menos de ano e dia. ademais. não resta duvidas que o pedido de liminar é cabível. com os benefícios do art. resposta no momento devido sob pena de decretação dos efeitos da revelia. § 2º do Código de Processo Civil . considerando que a pretensão do autor encontra fundamentos no art. autorizando. 926 e seguintes do Código de Processo Civil. para a desocupação do imóvel. V ± DO PEDIDO Ante o exposto. de acordo com art. para o fim de reintegração definitiva dos REQUERENTES na posse do imóvel.210 e seguintes do Código Civil e art. o uso de força policial. vez que são os legítimos proprietários. os REQUERENTES preenchem todos os requisitos para a concessão da medida. 319 e seguintes. oitivas de testemunhas. e. especialmente pelos documentos colacionados. a fim de que os REQUERENTES sejam imediatamente reintegrados na posse do bem . despesas processuais e honorários advocatícios num valor a ser definido por este douto Juízo. apresentando. 172. . depoimento pessoal das partes. se necessária. c) A procedência do pedido. 1. requer-se a Vossa Excelência: a) A citação do REQUERIDO. sem prejuízo de quaisquer outros que se fizerem necessários no curso da instrução processual. b) A concessão da medida liminar inaudita altera pars. se quiserem.Diante do exposto. para o comparecimento a todas as audiências que se fizerem necessárias. d) A condenação do REQUERIDO ao pagamento das custas. com a conseqüente expedição do competente mandado.

requer a intimação e a oitiva da testemunha abaixa arrolada: 1.00 (cem mil reais).Para eventual designação de audiência de justificativa prévia. (O vizinho do imóvel esbulhado) Dá-se a causa o valor de R$ 100.000. deferimento Vila Velha. 05 de abril de 2011 _________________________ Advogado OAB . Nestes termos. p.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->