Você está na página 1de 43

2- CONVERSORES CA/CC - RETIFICADORES

2.1. Introdução :

CONVERSOR CA/CC ( RETIFICADOR ) : CONVERTER UMA TENSÃO EM


CORRENTE ALTERNADA, EM UMA TENSÃO COM VALOR MÉDIO ( CORRENTE
CONTÍNUA ), PARA ALIMENTAR CARGAS CC.

*CLASSIFICAÇÃO DOS RETIFICADORES :

• QUANTO AO TIPO DE CONTROLE ( CARACTERÍSTICA DA TENSÃO DE


SAÍDA ):

- SEM CONTROLE ( DIODOS ) : TENSÃO DE SAÍDA FIXA;

- TOTALMENTE CONTROLADO ( SCR's ) : TENSÃO DE SAÍDA


CONTROLADA, PODENDO SER POSITIVA OU NEGATIVA;

- SEMI CONTROLADO ( DIODOS E SCR's ) : TENSÃO DE SAÍDA


CONTROLADA, MAS SOMENTE POSITIVA.

CONTROLE
CONTROLE
DO
DA
ÂNGULO DE DISPARO ( α )
TENSÃO DE SAÍDA
DOS
SCR's

- EQUAÇÕES BÁSICAS DA TENSÃO DE SAÍDA DE UM RETIFICADOR :

- TENSÃO MÉDIA :

θ2
1
VMÉDIO =
2.π ∫V
θ1
MAX . sen θ .dθ

- TENSÃO EFICAZ ( RMS ) :

1/ 2
 1 θ2 2 
VRMS = . ∫ VMAX . sen 2 θ .dθ 
 2.π θ1 

- VMAX : Tensão Máxima de Entrada;


- p : número de pulsos da tensão de saída do retificador para um ciclo do
- θ1 e θ2 : Intervalo de Integração da Tensão de Entrada.
- QUANTO A FAIXA DE OPERAÇÃO :

- I; II; III e IV QUADRANTES

VMÉDIO

II I
IMÉDIO
III IV

Figura 01 : Quadrantes de Operação do Retificador.

I QUADRANTE : VMÉDIO e IMÉDIO > 0

SEM CONTROLE
RETIFICADOR CONTROLADO : 0 ≤ α ≤ 90º
SEMI-CONTROLADO : 0 ≤ α ≤ 180º

II QUADRANTE : VMÉDIO > e IMÉDIO < 0;

RETIFICADOR CONTROLADO DUAL : 90 ≤ α ≤ 180º

III QUADRANTE : VMÉDIO e IMÉDIO < 0;

RETIFICADOR CONTROLADO DUAL : 0 ≤ α ≤ 90º

IV QUADRANTE : VMÉDIO < e IMÉDIO > 0;

RETIFICADOR CONTROLADO : 90 ≤ α ≤ 180º

- QUANTO AO NÚMERO DE PULSOS DA FORMA DE ONDA DA TENSÃO DE


SAÍDA FORNECIDA À CARGA, DURANTE UM CICLO DA TENSÃO DE
ENTRADA.

APLICAÇÕES :
- CONTROLE DE VELOCIDADE DE MÁQUINAS CC;
- FONTES DE ALIMENTAÇÃO FIXAS OU VARIÁVEIS;
- ELETROQUÍMICA ( ELETRODEPOSIÇÃO );
- TRANSMISSÃO EM ALTA TENSÃO EM CORRENTE CONTÍNUA - HVDC
2.2 - PARÂMETROS DE "PERFORMANCE" :

* VARIAM DE RETIFICADOR PARA RETIFICADOR;

* DETERMINAM A QUALIDADE DO RETIFICADOR.

IMÉDIO
IS IRMS

VMÉDIO
VRMS
VS RETIFICADOR CARGA

Figura 02 : Conversor CA/CC - Retificador

Figura 03 : Formas de Onda da Tensão e da Corrente de Entrada.

VMÉDIO : valor médio da tensão de saída;


IMÉDIO : valor médio da corrente de saída;
VRMS : valor eficaz da tensão de saída;
IRMS : valor eficaz da corrente de saída;
IS : corrente de entrada;
IS1 : componente fundamental da corrente de entrada IS;
φ : ângulo entre as componentes fundamentas da tensão e da corrente de
entrada ( ângulo de deslocamento ).
PMÉDIO = VMÉDIO .I MÉDIO

PCA = VRMS .I RMS


a) - EFICIÊNCIA ( Razão de Retificação ) :

PMÉDIO
η= (% )
PRMS

b) - FATOR DE FORMA :

VCA = VRMS
2
− VMÉDIO
2

VRMS
FF =
VMÉDIO

c) - FATOR DE ONDULAÇÃO :

VCA
RF = = FF 2 − 1
VMEDIO

d) - FATOR DE UTILIZAÇÃO DO TRANSFORMADOR :

PMÉDIO
TUF =
VS .I S

e) - FATOR DE DESLOCAMENTO :

DF = cos φ

f) - FATOR HARMÔNICO OU TAXA DE DISTORÇÃO HARMÔNICA TOTAL ( THD ):

1/ 2
 I  2 
HF = THD =  S  − 1
 I S 1  

g) - FATOR DE POTÊNCIA :

VS .I S 1 I
PF = . cos φ = S 1 . cos φ
V S .I S IS
ou
1
PF = . cos φ
1 + THD 2

h) - FATOR DE CRISTA :

I S ( PICO )
CF =
IS

• RETIFICADOR IDEAL ⇔ η = 100%; VCA = 0 ; RF = 0 ; TUF = 1; THD = 0 ; DF = 1; PF = 1


2.2. Retificador Monofásico de Meia-Onda :

2.2.1 - Sem Controle :

a) – Carga RESISTIVA :

Figura 04 : Carga Resistiva.

- COMO : p = 1; θ1 = 0; θ2 = π

π
1 V
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO = ∫
2.π 0
VMAX . sen θ .dθ = MAX
π
p

1/ 2
 1 π 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS = .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
 2.π 0  2
b) – Carga R-L :

Figura 05 : a) Carga R-L; b) Sem DIODO de Retorno; c) Com DIODO de Retorno.

b.1 – Sem DIODO de Retorno :

A Equação da corrente iL(t) é dada por :

i L (t ) =
VMAX
Z
[
. sen(¹ t − φ ) + sen(φ ).e −t / τ ]
ωt = β ; Z = β / ω
Quando iL(t) é novamente zero :
sen( β − φ ) + sen(φ ).e − β / ω .τ = 0

Onde : β = π+σ

Equação Transcedental : solução numérica para se determinar o valor de σ.

- COMO : p = 1; θ1 = 0; θ2 = β
β

VMAX . sen θ .dθ = MAX .[1 − cos(β )]


1 V
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO = ∫
2.π 0 2.π
p
1/ 2
V 2 MAX  β 1 
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS = . − . sen 2.β 
 2.π  2 4 

b.2 – Com DIODO de Retorno ⇔ Comutação do DIODO D em π, não existindo assim


tensão negativa aplicada na carga . Opera como se fosse uma carga “RESISTIVA”.
V
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO = MAX
π
V
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS = MAX
2
2.2.2 - Controlado :

a) Carga RESISTIVA :

Figura 06 : Carga Resistiva.

- COMO : p = 1; θ1 = α; θ2 = π

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

π
V
VMAX . sen θ .dθ = MAX .(1 + cos α )
1
VMÉDIO =
π
2. α∫ 2.π
p

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :

1/ 2
 1 π 2 
1/ 2
V 1  sen 2.α 
- VRMS = .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  = MAX . . π − α + 
 2.π α  2 π  2 
b) - Carga R-L :

Figura 07 : a) Carga R-L; b) α pequeno e IL contínua; c) α grande e IL descontínua.

b.1 – Sem DIODO de Retorno :

A Equação da corrente iL(t) é dada por :


V
[
i L (t ) = MAX . sen(¹ t − φ + α ) + sen(φ − α ).e −t / τ
Z
]
ωt = β ; Z = β / ω
Quando iL(t) é novamente zero :
sen( β − φ + α ) + sen(−αφ ).e − β / ω .τ = 0

Onde : β = π+σ

Equação Transcedental : solução numérica para se determinar o valor de σ.

- COMO : p = 1; θ1 = 0; θ2 = β
α +β

.[cos α − cos(α + β )]
1 VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO =
2.π ∫V
α
MAX . sen θ .dθ =
2.π
p
1/ 2
VMAX  1  sen 2.α − sen 2.β 
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS = . . β − α + 
2 π  2 

b.2 – Com DIODO de Retorno ⇔ Comutação do SCR T em π, não existindo assim tensão
negativa aplicada na carga . Opera como se fosse uma carga “RESISTIVA”.
V
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO = MAX . cos(1 + α )
2.π
1/ 2
V 1  sen 2.α 
= MAX . . π − α + 
2 
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS
2 π 
2.3. Retificador Bifásico de Meia-Onda :

À PARTIR DESTA CONFIGURAÇÃO ( DOIS COMPONENTES ), A COMUTAÇÃO


DOS MESMOS É SEMPRE FEITA POR TENSÃO REVERSA APLICADA AO
COMPONENTE QUE ESTÁ CONDUZINDO.

CONSEQUENTEMENTE, SEJA A CARGA RESISTIVA OU R-L, O INTERVALO DE


CONDUÇÃO DOS COMPONENTES É SEMPRE DE 180 GRAUS.

A COLOCAÇÃO DO DIODO DE RETORNO EM PARALELO COM A CARGA,


QUANDO O RETIFICADOR É CONTROLADO, LIMITA A CONDUÇÃO DOS SCR’s
(INTERVALO DE α A 180º), PERMITINDO TENSÃO NA CARGA APENAS POSITIVA.

2.3.1 - Sem Controle :

Figura 08 : Carga Resistiva.

- COMO : p = 2; θ1 = 0; θ2 = π

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

π
1 2.VMAX
VMÉDIO = ∫
2.π 0
VMAX . sen θ .dθ =
π
.

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :


1/ 2
1 π 2  VMAX
- VRMS =  .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
π 0  2
2.3.2 - Controlado :

Figura 09 : Carga R-L.

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π+α
π +α
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO =
2.π ∫V
α
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α .

2
1/ 2
 1 π +α 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS =  . ∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
π α  2

Com DIODO de Retorno : p = 2; θ1 = α; θ2 = π

π
1 V
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO = ∫
2.π α
VMAX . sen θ .dθ = MAX .(1 + cos α .)
π
2

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :


1/ 2
1 π 2  V 1 
1/ 2

- VRMS =  .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  = MAX . .(2.π − 2.α + sen 2.α )


π α  2 π 
2.4. Retificador Monofásico de Onda-Completa :

- A COMUTAÇÃO DOS COMPONENTES É SEMPRE POR TENSÃO


REVERSA.

2.4.1. Sem Controle :

a) - Carga Resistiva :

Figura 10 : Carga Resistiva

- COMO : p = 2; θ1 = 0; θ2 = π

π
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO =
2.π ∫V
0
MAX . sen θ .dθ =
π
2

1/ 2
1 π 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS =  .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
π 0  2
b) - Carga ALTAMENTE INDUTIVA :

Figura 11 : a) Carga Altamente Indutiva ( ex. Motor de Corrente Contínua );.b) Corrente
Contínua na Carga ( IL ) e Quadrada na Fonte ( I1 ).

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π

π
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO =
2.π ∫V
0
MAX . sen θ .dθ =
π
2

1/ 2
1 π 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS =  .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
π 0  2
2.4.2. Semi-Controlado :

Figura 12 : Carga R-L.

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π

π
.(1 + cos α )
1 VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO =
2.π ∫V
α
MAX . sen θ .dθ =
π
2

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :

1/ 2
1 π 2 
1/ 2
V 1  sen 2.α  
VRMS =  .∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  = MAX . . π − α + 
π α  2 π  2  
2.4.3. Totalmente Controlado :

Figura 13 : Carga R-L. a) Operação em Dois Quadrantes.

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π+α

π +α
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO =
2.π ∫V
α
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α

1/ 2
 1 π +α 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS =  . ∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
π α  2
2.4.3.1 - Retificador Monofásico DUAL Controlado:

- Conexão de DOIS Retificadores Controlados em Anti-Paralelo;

- Tanto a TENSÃO quanto a CORRENTE na Carga poderão ser INVERTIDOS;

- Operação nos QUATRO QUADRANTES;

- Aplicação em Acionamento e Controle de Velocidade de MCC em Alta Potência;

- Através do controle dos Ângulos de Disparo, um Conversor opera como


RETIFICADOR e o outro como INVERSOR.

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π+α

- PARA O CONVERSOR 1 ( MODO RETIFICADOR ):

π +α 1
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO 1 =
2.π ∫V
α1
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α 1

1/ 2
 1 π +α 1 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS 1 =  . ∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
 π α 1  2

- PARA O CONVERSOR 2 ( MODO INVERSOR ):

π +α 2
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO 2 =
2.π ∫V
α2
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α 2

1/ 2
 1 π +α 2 2  VMAX
- TENSÃO EFICAZ NA CARGA : VRMS 2 =  . ∫ VMAX . sen 2 θ .dθ  =
 π α 2  2

- Como um Conversor está em RETIFICAÇÃO e o outro está em INVERSÃO :

VMÉDIO1 = −VMÉDIO2
cosα1 = − cosα 2 = cos(π − α1 )
α 2 = π − α1
Figura 13 : Operação em Quatro Quadrantes.
2.4.3.2 - Retificadores Monofásicos Controlados, em Série, com Diodo de Retorno:

- APLICAÇÕES EM ALTA TENSÃO ⇔ DIVIDIR A TENSÃO APLICADA E


MELHORA NO FATOR DE POTÊNCIA;

- Cada Secundário do Transformador tem o mesmo número de espiras e a Relação de


Espiras entre o Primário e o Secundário é N1/N2 = 2;

- A Tensão Máxima de Saída VDMAX é obtida quando α1 = α2 = 0.

- Para 0 ≤ Tensão de Saída ≤ VDMAX/2 : O Ângulo de Disparo α1 do CONVERSOR 1 é


Variado e no CONVERSOR 2 só é utilizado o DIODO de RETORNO;

- Para VDMAX/2 ≤ Tensão de Saída ≤ VDMAX: O Ângulo de Disparo α1 CONVERSOR 1 é


Disparado em ZERO e o Ângulo de Disparo α2 do CONVERSOR 2 é Variado.

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π

- PARA O CONVERSOR 1 :

π
1 VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO 1 =
2.π ∫V
α1
MAX . sen θ .dθ =
π
.( 1 + cos α 1 )

- PARA O CONVERSOR 2 :

π
1 VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO 2 =
2.π ∫V
α2
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α 2

- A TENSÃO de SAÍDA TOTAL é :

.(2 + cos α 1 + cos α 2 )


V MAX
V MÉDIO =VMÉDIO 1 + VMÉDIO 2 =
π

4.VMAX
- Se : α1 = α2 = 0 ⇒ VDMAX =
π

.(1 + cos α 1 )
VMAX
- Se : 0 ≤ α1 ≤ π e α2 = π ⇒ VMÉDIO = VMÉDIO 1 + VMÉDIO 2 =
π

.(3 + cos α 2 )
VMAX
- Se : α1 = 0 e 0 ≤ α2 ≤ π ⇒ VMÉDIO = VMÉDIO 1 + VMÉDIO 2 =
π
Figura 14 : Operação em Primeiro Quadrante.
2.4.3.2 - Retificadores Monofásicos Controlados, em Série:

- Como não há DIODO de COMUTAÇÃO, a Corrente não pode ser desviada de um


dos CONVERSOR, o que implica que AMBOS devem OPERAR
SIMULTÂNEAMENTE;

- Para CONTROLAR a Tensão de Saída, no MODO RETIFICAÇÃO, α1 é ZERO e α2


VARIA entre 0 e π;

- A Forma de Onda da Corrente de Entrada IS é SEMELHANTE á do Conversor Semi-


Controlado.

- Para CONTROLAR a Tensão de Saída, no MODO INVERSÃO, α2 = π e α1 VARIA


entre 0 e π;

- COMO : p = 2; θ1 = α; θ2 = π+α

- PARA O CONVERSOR 1 :
π +α 1
1 2.VMAX
- - TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO 1 =
2.π ∫V
α1
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α 1

- PARA O CONVERSOR 2 :

π +α 2
1 2.VMAX
- TENSÃO MÉDIA NA CARGA : VMÉDIO 2 =
2.π ∫V
α2
MAX . sen θ .dθ =
π
. cos α 2

- A TENSÃO de SAÍDA TOTAL é :

.(cos α 1 + cos α 2 )
2.V MAX
V MÉDIO =VMÉDIO 1 + VMÉDIO 2 =
π

4.VMAX
- Se : α1 = α2 = 0 ⇒ VDMAX =
π

.(1 + cos α 2 )
2.VMAX
- Se : α1 =0 e 0 ≤ α2 ≤ π ⇒ VMÉDIO = VMÉDIO 1 + VMÉDIO 2 =
π
( Modo RETIFICAÇÃO )

.(cos α 1 − 1)
2.VMAX
- Se : α2 = π e 0 ≤ α1 ≤ π ⇒ VMÉDIO = VMÉDIO 1 + VMÉDIO 2 =
π
(Modo INVERSÃO )
Figura 15 : Operação em Dois Quadrantes.
2.4.4 - Especificação dos Dispositivos de Potência e do Transformador de Alimentação para
Retificadores Monofásicos de Meia-Onda e Onda Completa:

- A ESPECIFICAÇÃO É SEMPRE FEITA EM FUNÇÃO :

- DO PIOR CASO PARA O RETIFICADOR ( TENSÃO E CORRENTE ) ⇒ α = 0;


- DAS PRINCIPAIS GRANDEZAS DA CARGA ( VMÉDIO E IMÉDIO );

- DA TENSÃO E CORRENTE DISPONÍVEIS NA FONTE DE ALIMENTAÇÃO


(TRANSFORMADOR);

- DO NÚMERO DE COMPONENTES LIGADOS À UM TERMINAL DA CARGA


(n);

• Dispositivos de Potência :

a) - Tensão Reversa Máxima : VRMAX ( COMPONENTE ) = VMAX 2o

b) - Corrente :
I MÉDIO( CARGA)
b.1 - Corrente Média : I MÉDIO( COMPONENTE) =
n
I MÉDIO ( CARGA )
b.2 - Corrente Eficaz : I RMS ( COMPONENTE ) =
n
Onda Completa : n=2

- Transformador de Alimentação :

N 1 V1 RMS
a) - Relação de Espiras : = ( Relação por Enrolamento )
N 2 V2 RMS

b) - Potência Aparente ( VA ) :

I MÉDIO( CARGA)
I RMS( FASE )2O = Bifásico
n

I RMS( FASE )2O = I MÉDIO( CARGA ) Onda Completa

S1O = S = V RMS 2 O .I RMS 2O ( VA )


2O
2.5. Retificador Trifásico de Meia-Onda :

• MAIS SIMPLES DOS RETIFICADORES POLIFÁSICOS;

• TRANSFORMADOR TRIFÁSICO NA ENTRADA, COM SECUNDÁRIO EM


ESTRÊLA ( Y );

• MELHORA NO FATOR DE RIPPLE E AUMENTO NO VALOR MÉDIO DA


TENSÃO DE SAÍDA, DEVIDO AO AUMENTO DO NÚMERO DE PULSOS;

• SEM CONTROLE OU TOTALMENTE CONTROLADO.

2.5.1 - Sem Controle :

• DIODOS LIGADOS EM CATODO COMUM;

• O DIODO COM ANODO MAIS POSISTIVO É QUE CONDUZ;

• CADA DIODO CONDUZ DURANTE 120º.

COMO : p = 3; θ1 = π/6; θ2 = 5.π/6

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :


-
5.π
6
1 3. 3VMAX ( FASE )
- VMÉDIO =
2.π ∫V
π
MAX ( FASE ) . sen θ .dθ =
2.π
3 6

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :


1/ 2
 5.π
 1/ 2
 3
6
 1 3
- VRMS = . ∫ VMAX ( FASE ) . sen θ .dθ 
2 2
= 3 .VMAX ( FASE ) . + 

2.π π  6 4 .π 
 6

Figura 16 :.Retificador Trifásico de Meia-Onda Sem Controle.
2.5.2 - Totalmente Controlado :

• TENSÃO MÉDIA NA CARGA É CONTROLADA PELO ÂNGULO DE


DISPARO DOS SCR's;

• A REFERÊNCIA PARA O ÂNGULO DE DISPARO ( α = 0 ), É O


CRUZAMENTO ENTRE SI DAS TENSÕES DE FASE. PORTANTO, PARA α = 0,
A TENSÃO MÉDIA NA CARGA É MÁXIMA E OS SCR's OPERAM COM
DIODOS.

Figura 17 : Retificador Trifásico de Meia-Onda Controlado.

- COMO : p = 3; θ1 = π/6 + α; θ2 = 5.π/6 +α


- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :
5.π

6
1 3. 3VMAX ( FASE )
- VMÉDIO =
2.π π
∫V MAX ( FASE ) . sen θ .dθ =
2.π
. cos α

3 6

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :


1/ 2
 5.π
+α  1/ 2
 3
6
 1 3 
- VRMS = . ∫ VMAX2
( FASE ) . sen θ .dθ 
2
= 3 .VMAX ( FASE ) . + . cos 2.α 
2.π π  6 8.π 
 6
+α 
2.6. Retificador Trifásico de Onda Completa :

- TRÊS COMPONENTES LIGADOS EM CATODO COMUM ( CORRENTE DA


FONTE PARA A CARGA ), E TRÊS COMPONENTES LIGADOS EM ANODO
COMUM ( RETORNO DA CORRENTE DA CARGA PARA A FONTE );

- ESTE RETIFICADOR PODE SER : SEM CONTROLE; CONTROLADO OU SEMI-


CONTROLADO;

- TRANSFORMADOR PODE TER O SECUNDÁRIO TANTO EM ESTRÊLA ( Y ),


QUANTO EM TRIÂNGULO ( ∆ ).

- A TENSÃO NA CARGA É PROVENIENTE DE DOIS RETIFICADORES


TRIFÁSICOS DE MEIA-ONDA, REFERENCIADOS AO PONTO DE NEUTRO N,
RESULTANDO UM VALOR POSITIVO E OUTRO NEGATIVO POR FASE. A
DIFERENÇA ( TENSÃO DE LINHA ) É A TENSÃO APLICADA NA CARGA;

2.6.1 - Sem Controle :

- A CORRENTE CONVENCIONAL VAI SEMPRE DO POTENCIAL MAIS


POSISTIVO PARA O MAIS NEGATIVO.

PARA O INTERVALO DE 30º A 90º :

Va É A MAIS POSITIVA ⇒ CONDUÇÃO DO DIODO D1


Vb É A MAIS NEGATIVA ⇒ CONDUÇÃO DO DIODO D6

VLINHA = VCARGA = Va - Vb

- CADA DIODO CONDUZ DURANTE 120º E, A CADA 60º EXISTEM DOIS


DIODOS CONDUZINDO SIMULTÂNEAMENTE.

- COMO : p = 6; θ1 = π/3; θ2 = 2.π/3


vab = VMAX ( LINHA ) . sen θ .dθ

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

2.π
3
1 3.VMAX ( LINHA )
- VMÉDIO =
2.π ∫V
π
MAX ( LINHA ) . sen θ .dθ =
π
6 3

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :

1/ 2
 2.π
 1/ 2
 6
3
  1 3. 3 
- VRMS = . ∫ VMAX ( FASE ) . sen θ .dθ 
2 2
= VMAX ( LINHA ) . + 

2.π π  2 4 .π 
 3

Figura 18 : Retificador Trifásico de Onda Completa Sem Controle.
2.6.2 - Totalmente Controlado :

- SEIS SCR'S;

- VALOR MÉDIO DA TENSÃO NA CARGA VARIA DE ACORDO COM O


ÂNGULO DE DISPARO α DOS SCR's

- REFERÊNCIA ( α =0 ) É O CRUZAMENTO DAS TENSÕES DE FASE;

- CADA SCR'S CONDUZ DURANTE 120º E A CADA 60º DOIS CONDUZEM


SIMULTÂNEAMENTE.

- EQUAÇÕES DAS TENSÕES DE FASE :

v an = V MAX . sen θ
 2.π 
v bn = V MAX . sen  θ − 
 3 
 2.π 
v cn = V MAX . sen  θ + 
 3 

 π
COMO : vab = van − vbn = VMAX ( LINHA ) . sen θ +  ;
 6
p = 6;
θ1 = π/6+α; θ2 = π/2 +α

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

π

1 2
 π 3.VMAX( LINHA)
- VMÉDIO =
2.π π
∫ MAX( LINHA)  6 
V . senθ +  .dθ =
π
. cosα

6 6

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :

1/ 2
 π
+α  1/ 2
 6 2
 π    1 3. 3 
- VRMS =  . ∫ VMAX
2
( FASE) . sen θ +
2
.dθ  = VMAX( LINHA) . + . cos2.α 
2.π π  6  2 4.π 
 6
+α 
π
2

Figura 19 : Retificador Trifásico de onda Completa Controlado.


2.6.3 - Semi-Controlado :

- TRÊS DIODOS E TRÊS SCR'S;

- RETIFICADORES EM SÉRIE ⇒ SEM CONTROLE + CONTROLADO DE MEIA-


ONDA;

- RETIFICADOR DE TRÊS PULSOS ⇒ ONDULAÇÃO MAIOR;

- PARA α ≥ 90º ⇒ A TENSÃO NA CARGA POSSUI INTERVALOS NULOS,


DURANTE OS QUAIS A CORRENTE NA CARGA É MANTIDA PELO DIODO DE
RETORNO. ASSIM A TENSÃO NA CARGA NUNCA ATINGE VALORES
NEGATIVOS.

a) -CASO 1 : Retificador Trifásico Semi-Controlado para α ≥ π/3 :

- EQUAÇÕES DAS TENSÕES DE FASE :

v an = V MAX . sen θ
 2.π 
v bn = V MAX . sen  θ − 
 3 
 2.π 
v cn = V MAX . sen  θ + 
 3 

- COMO : p = 3; α ≥ π/3; TENSÃO DE SAÍDA DESCONTÍNUA;


 π
vac = VMAX ( LINHA ) . senθ −  ;
 6
θ1 = π/6+α ;θ2 = 7.π/6

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

 76.π 
1   π   3.VMAX( LINHA)
.(1 + cosα )
2.π π ∫ MAX( LINHA)
VMÉDIO = V . senθ − .dθ  =
 6 2.π
 +α 
3 6

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :

1/ 2
 3  1 
- VRMS = VMAX( LINHA) . .π − α + . sen2.α 
 4.π  2 
Figura 20 : Retificador Trifásico de Onda Completa Semi Controlado (α ≥ π/3 ).
b) - CASO 2 : Retificador Trifásico Semi-Controlado para α ≤ π/3 :

- EQUAÇÕES DAS TENSÕES DE FASE :

v an = V MAX . sen θ
 2.π 
v bn = V MAX . sen  θ − 
 3 
 2.π 
v cn = V MAX . sen  θ + 
 3 

- COMO : p = 3; α ≤ π/3;
TENSÃO DE SAÍDA CONTÍNUA;
 π
vab = VMAX( LINHA) . senθ + 
 6
 π ;
vac = VMAX( LINHA) . senθ − 
 6
θ1 = π/6+α ;θ2 = π/2; θ3 = π/2; θ4 = 5.π/6+α

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

 π2 5.π
+α 
1   π  π   3.VMAX( LINHA)
6
.(1 + cosα)
2.π π∫ MAX( LINHA)
VMÉDIO= V . senθ + .dθ + ∫ VMAX( LINHA) . senθ − .dθ  =
 6  6 2.π
 +α π

3 6 2

- TENSÃO EFICAZ NA CARGA :

1/ 2
 3  2.π 
- VRMS = VMAX( LINHA) . . + 3 cos2 α 
 4.π  3 
Figura 21 : Retificador Trifásico de Onda Completa Semi Controlado ( α ≤ π/3 ).
2.7 - Outras Configurações :

2.7.1 - Retificador Hexafásico de Meia-Onda :

Figura 22 : Retificador Hexafásico de Meia-Onda Controlado. a) Circuito; b) Formas de Onda.

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

2.π

3
1 3.VMAX ( FASE )
- VMÉDIO =
2.π π
∫V MAX ( FASE ) . sen θ .dθ =
π
. cos α

6 3
Figura 23 : Retificador Hexafásico de Meia-Onda Dupla Estrêla. a ) Circuito; b) Formas de
Onda.

- TENSÃO MÉDIA NA CARGA :

 π2 2.π

1   v1 + v 2   v2 + v3   3. 3VMAX ( FASE )
3

2.π  π∫  2 ∫
- VMÉDIO =   .dθ +   .dθ  =
  2   2.π
 π
6 3 2 
2.7.2 - Retificador de Doze Pulsos :

- APLICAÇÕES DE ALTA POTÊNCIA COMO : TRANSMISSÃO DE CORRENTE


CONTÍNUA EM ALTA TENSÃO E ACIONAMENTOS DE MCC ( TRAÇÃO );

- REDUÇÃO DA ONDULAÇÃO DA TENSÃO DE SAÍDA E FORMA DE ONDA DA


CORRENTE DE ENTRADA PRÓXIMA DE UMA SENÓIDE;

- QUANTO MAIOR O NÚMERO DE PULSOS DO CONVERSOR, MELHOR O


NÍVEL DE RETIFICAÇÃO;

- TRÊS CONFIGURAÇÕES BÁSICAS :

- MEIA-ONDA : 04 GRUPOS DISPOSTOS DE FORMA A FORNECER DOZE


PULSOS. UTILIZA REATORES PARA EQUALIZAÇÃO DAS CORRENTES;

- ONDA-COMPLETA COM CONEXÃO EM SÉRIE : ONDE SE NECESSITA DE


GRANDES TENSÕES APLICADAS NA CARGA;

- ONDA-COMPLETA COM CONEXÃO EM PARALELO : ONDE SE


NECESSITA DE GRANDES CORRENTES NA CARGA;

- A ALIMENTAÇÃO DESTES RETIFICADORES, VEM DE DOIS SECUNDÁRIOS,


UM LIGADO EM ESTRÊLA ( Y ) E O OUTRO EM TRIÂNGULO ( ∆ ). OBTÉM-SE
ASSIM DOIS CONVERSORES DE SEIS PULSOS DEFASADOS DE 30º ENTRE SI,
EQUIVALENDO A UM DE DOZE PULSOS.

(c)

Figura 24 : a) Forma de Onda da Tensão na Carga; b) - Forma de Onda da Corrente de


Entrada; c) - Conversor de Doze Pulsos de Meia-Onda.
Figura 25 : Conversor de Doze Pulsos de Onda Completa.
2.7.3 - Retificador Trifásico Totalmente Controlado DUAL :

• OPERAÇÃO EM QUATRO QUADRANTES COM APLICAÇÕES DE ATÉ 2000kW;

• APLICAÇÃO EM ACIONAMENTO E CONTROLE DE VELOCIDADE

Figura 26 Conversor Trifásico de Onda Completa DUAL.


2.8 - Efeitos da Indutância da Fonte de Alimentação :

• A INDUTÂNCIA DA FONTE NÃO PERMITE QUE O COMPONENTE QUE ESTÁ


CONDUZINDO A CORRENTE DE CARGA, SEJA COMUTADO INSTANTÂNEAMENTE
POR TENSÃO REVERSA, DEVIDO À ENTRADA EM CONDUÇÃO DE OUTRO
COMPONENTE;

• EXISTIRÁ UM INTERVALO EM QUE A CORRENTE DE CARGA É


TRANSFERIDA PARA O OUTRO COMPONENTE. PORTANTO NESTE PERÍDO
EXISTIRÃO DOIS COMPONENTES CONDUZINDO;

• ESTE EFEITO IMPLICA NA REDUÇÃO DO VALOR MÉDIO DA TENSÃO NA CARGA,


E DEVE SER LEVADO EM CONSIDERAÇÃO PARA EFEITO DE PROJETO.

2.8.1 - Efeito da Indutância da Fonte em Retificador Sem Controle :

Figura 27 : Comutação em um Retificador Trifásico de Meia-Onda. a) Retificador;b) Formas de


Onda.
a) - Etapa do Processo de COMUTAÇÃO :

Figura 28 : Etapa do processo de COMUTAÇÃO.


b) - Cálculo da Tensão Média na Carga considerando o Ângulo de Comutação γ :

+ L. = 3.VMAX . sen (ω .t ) = 2. L.
di di di
v1 − v2 = L.
dt dt dt

. sen (ω .t )
3.VMAX
di =
2. L

- Integrando os dois lados e, sabendo que em t = 0, i = 0, tem-se que :

.(1 − cos ω .t )
3.VMAX
i=
2.ω .L

- A comutação termina quando i = IL => ω.t = γ ( γ = ângulo de comutação ).

3.VMAX ( FASE )
IL = .(1 − cos γ )
2.ω .L

2. I L .ω .L
cos γ = 1 −
3.VMAX ( FASE )

Observando a forma de onda da tensão na carga na figura 01, tem-se que a tensão média
na carga, para o retificador trifásico de meia-onda sem controle ( DIODOS ), é :

5.π
γ
1 6 π 
V = . ∫ V . sen θ .dθ + ∫ V . sen . cos φ .dφ
DC 2.π MAX ( FASE ) MAX ( FASE ) 6
3 π +γ 0
6

3. 3 .V
.(1 + cos γ )
MAX ( FASE )
V =
DC 4.π
2.8.2 - Efeito da Indutância da Fonte em Retificador Controlado :

Figura 29 : Comutação em Retificador Trifásico Controlado.

a) - Cálculo da Tensão Média na Carga considerando o Ângulo de Comutação γ e o Ângulo de


Disparo α para o Retificador Trifásico de Meia-Onda Controlado ( SCR’s ) :

di
3.VMAX ( FASE ) . sen(ω .t + α ) = 2.L.
dt

3.VMAX ( FASE )
i= .[cos α − cos(ω .t + α )]
2.ω .L

A comutação termina quando i = IL e ωt = γ. Logo :

3.VMAX ( FASE )
IL = .[cos α − cos(γ − α )]
2.ω . L

A tensão média na carga é :

5.π

1 6 +α π 
V = . ∫ V . sen θ .d θ + ∫ V . sen . cos φ .dφ
DC 2.π MAX ( FASE ) MAX ( FASE ) 6
3 π +γ +α α
6

3. 3 .V
.[cos α + cos(α + γ )]
MAX ( FASE )
V =
DC 4.π
2.9 - Especificação dos Dispositivos de Potência e do Transformador de Alimentação para
Retificadores Trifásicos de Meia-Onda e Onda Completa:

- A ESPECIFICAÇÃO É SEMPRE FEITA EM FUNÇÃO :

- DO PIOR CASO PARA O RETIFICADOR ( TENSÃO E CORRENTE ) ⇒ α = 0;


- DAS PRINCIPAIS GRANDEZAS DA CARGA ( VMÉDIO E IMÉDIO );

- DA TENSÃO E CORRENTE DISPONÍVEIS NA FONTE DE ALIMENTAÇÃO


(TRANSFORMADOR);

- DO NÚMERO DE COMPONENTES LIGADOS À UM TERMINAL DA CARGA


( n );

• Dispositivos de Potência :

a) - Tensão Reversa Máxima : VRMAX = VMAX ( LINHA ) 2 o

b) - Corrente :
I MÉDIO( CARGA)
b.1 - Corrente Média : I MÉDIO( COMPONENTE) =
n
I MÉDIO( CARGA )
b.2 - Corrente Eficaz : I RMS( COMPONENTE) =
n
Meia -Onda : n=3
Onda Completa : n=6

- Transformador de Alimentação :

N 1 V1( FASE )
a) - Relação de Espiras : = ( Relação por Enrolamento )
N 2 V2 ( FASE )

b) - Potência Aparente ( VA ) :

I MÉDIO( CARGA)
I RMS( FASE )2O = Meia-Onda
n

2
I RMS( FASE )2O = .I Onda Completa
3 MÉDIO( CARGA)

S1O = S O = 3.VRMS( FASE)2O .I RMS( FASE)2O ( VA )


2
2.10 - Equação Genérica para um Retificador de P-Pulsos :

Figura 30 : Forma de Onda Genérica de um Retificador de p pulsos.

 
1  (π / p ) + α α +γ π
V = ∫ V .cosθ .dθ + ∫ V .cos .cosφ .dφ 
MÉDIO 2.π / p   MAX( FASE) MAX( FASE) p 
− π / p + α + γ α

V
π
. sen .[cosα + cos(α + γ )]
MAX( FASE)
∴V = p.
MÉDIO 2.π p

E:

π
ω . L. I = V . sen .[cosα − cos(α + γ )]
L MAX ( FASE ) p