Você está na página 1de 9

Lista de Exercícios de Física -

Assunto: Magnetismo, Força de Lorentz e Lei de Ampère

Magnetismo:
Força de Lorentz:
1) Uma partícula de massa 2 g, eletrizada com carga elétrica positiva de 5x10 -6C e com velocidade de 8x103
m/s, penetra paralelamente as linhas de um campo magnético uniforme de 1x10-3T. Determine o valor da
força magnética e o qual o valor da sua velocidade depois de cinco segundos?
Respostas: B = 0 e v = 8x103 m/s.

2) Uma partícula eletrizada com carga q = 2 µ C é lançada no interior de um campo de indução magnética de
intensidade B = 4T, com velocidade v = 200 m/s, numa direção tal que o ângulo entre B e v seja de 300.
Determinar a intensidade da força magnética que atua nessa carga.
Respostas: F = 8,0.10 –4 N

3) Um elétron em um tubo de raios catódicos está se movendo paralelamente ao eixo do tubo com velocidade
de 107 m/s. Aplica-se um campo de indução magnética B, de 4 T formando um ângulo de 300 com o eixo do
tubo. Sendo a carga do elétron 1,6x10-19C, calcule o valor da intensidade da força magnética que sobre ele
atua.
Respostas: F = 3,2.10 -12 N

4) Num campo magnético de intensidade 2 T, um dêuteron (um núcleo composto de um próton e um nêutron)
tem movimento uniforme, em trajetória circular de raio R = 50 cm. Determinar:
a. a velocidade do dêuteron; Resp.: v = 2,3.107 m/s
b. o tempo gasto por ele para completar uma volta. Resp.: T = 6,7.10 –8 s
Dados: massa do dêuteron = 3,4.10-27kg; carga do dêuteron: 1,6.10-19C.

5) Um corpúsculo carregado com carga de 100 µ C passa com velocidade de 25 m/s na direção perpendicular
a um campo de indução magnética e fica sujeito a uma força de 5.10-4N. A intensidade deste campo vale:
a) 0,1 T
b) 0,2 T
c) 0,3 T
d) 1,0 T
e) 2,0 T
Respostas: B

6) Uma partícula com carga negativa se desloca no segundo


quadrante paralelamente ao eixo dos x, para a direita, com
velocidade constante, até atingir o eixo dos y (conforme a figura).
A partir daí a sua trajetória se encurva.
Com base nisso, é possível que no primeiro quadrante haja

I - somente um campo elétrico paralelo ao eixo dos y no sentido


dos y negativos.
II - somente um campo magnético perpendicular ao plano xy,
entrando no plano xy.
III - um campo elétrico paralelo ao eixo dos x e um campo magnético perpendicular ao plano xy.

Quais afirmativas estão corretas?


a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III
Respostas: C

7) (FATEC – 2000) Com relação a um campo magnético e a uma carga elétrica são feitas as seguintes
afirmações:
I. Campo magnético e carga elétrica são grandezas distintas que nunca interagem entre si.
II. O campo magnético não atua em carga elétrica que esteja em repouso.
III. Se a carga elétrica se move na mesma direção do campo magnético, sobre ela atua o campo magnético.
IV. Quando o movimento da carga é perpendicular ao campo magnético, sobre ela atua o campo magnético.
São verdadeiras somente:
a) I e II.
b) I e III.
c) I e IV.
d) II e III.
e) II e IV.
alternativa E
I. Falsa. Uma carga elétrica (q) em movimento na presença de um campo de indução magnética (B) pode ficar sujeita à ação de uma
força magnética (Fmag) cujo módulo é dado por Fmag.=q v Bsen θ , onde v é o módulo da velocidade da carga θ é o ângulo entre v e B.
II. Verdadeira. Para v = 0 temos F mag. =0.
III. Falsa. Para θ = 0o ou θ = 180o temos Fmag = 0.
IV. Verdadeira. Para θ = 90o temos Fmag. = qvB

8) (FUVEST – 2000) Uma partícula, de massa m e com carga elétrica Q, cai verticalmente com velocidade
constante v0 . Nessas condições, a força de resistência do ar pode ser considerada como Rar = kv, sendo k
uma constante e v a velocidade. A partícula penetra, então, em uma região onde atua um campo magnético
uniforme e constante B, perpendicular ao plano do papel e, nele entrando, conforme a figura. A velocidade da
partícula é, então, alterada, adquirindo, após certo intervalo de tempo, um novo valor vL, constante. (Lembre-
se de que a intensidade da força magnética |FM| = |q|.|v|.|B|, em unidades SI, para v perpendicular a B).
a) Expresse o valor da constante k em função de m, g e v 0 .
b) Esquematize os vetores das forças (Peso, Rar e FM) que agem sobre a
partícula, em presença do campo B, na situação em que a velocidade passa a
ser a velocidade vL . Represente, por uma linha tracejada, direção e sentido
de vL .
c) Expresse o valor da velocidade vL da partícula, na região onde atua o
campo B, em função de m, g, k, B e Q.

RESPOSTA:
a) Como a velocidade (v0) é constante, a força de resistência do ar (Rar) deve equilibrar a força peso (P).
Assim, devemos ter:
kAr = mg/v0

b) Para que a velocidade (vL) seja constante, a soma vetorial das forças
peso (P), resistência do ar (Rar) e magnética (FM ) deve ser nula. Como a
força de resistência do ar tem mesma direção e sentido oposto à velocidade
e, segundo a regra da mão esquerda, à força magnética é perpendicular à
velocidade e ao campo de indução magnética, admitindo Q>0, podemos
ter: (figura)

c) No esquema anterior, para que a resultante das forças seja nula, devemos ter:
R 2ar + Fm2 = P2 ⇒
k 2 v L2 + Q 2 VL2B 2 = m2 g2 ⇒
mg
VL =
k 2 + Q 2B 2
9) (UNICAMP – 2000) Nas impressoras a jato de tinta, os caracteres são feitos a partir de minúsculas gotas de
tinta que são arremessadas contra a folha de papel. O ponto no qual as gotas atingem o papel é determinado
eletrostaticamente. As gotas são inicialmente formadas, e depois carregadas eletricamente. Em seguida, elas
são lançadas com velocidade constante v em uma região onde existe um campo elétrico uniforme entre duas
pequenas placas metálicas. O campo deflete as gotas conforme a figura abaixo. O controle da trajetória é feito
escolhendo-se convenientemente a carga de cada gota. Considere uma gota típica com massa m = 1,0 10 -10
kg, carga elétrica q = - 2,0x10-13 C, velocidade horizontal v = 6,0 m/s atravessando uma região de
comprimento L ≈8,0x10-3 m onde há um campo elétrico E = 1,5x106 N/C.

a) Determine a razão FE /F P entre os módulos da força elétrica e da força peso que atuam sobre a gota de tinta.
b) Calcule a componente vertical da velocidade da gota após atravessar a região com campo elétrico.

Respostas:
a) FE/FP= 3,0x102
b) Na direção horizontal, temos um MRU: t = L/v = 1,3x10-3 s. Desprezando o peso, podemos dizer
que: R = ma => Eq = ma => a = 3,0x103 m/s2. VV = at => VV = 4,0 m/s

10) (FUVEST - 2002) Um espectrômetro de massa foi utilizado para separar os íons I 1 e I 2 , de mesma
carga elétrica e massas diferentes, a partir do movimento desses íons em um campo magnético de intensidade
B, constante e uni-forme. Os íons partem de uma fonte, com velocidade inicial nula, são acelerados por uma
diferença de potencial V 0 e penetram, pelo ponto P, em uma câmara, no vácuo, onde atua apenas o campo B
(perpendicular ao plano do papel), como na figura. Dentro
da câmara, os íons I 1 são detectados no ponto P 1 , a uma
distância D 1 = 20 cm do ponto P, como indicado na figura.
Sendo a razão m 2 /m 1 entre as massas dos íons I 2 e I 1 ,
igual a 1,44, determine:
a) A razão entre as velocidades V 1 /V 2 com que os íons I 1
e I 2 penetram na câmara, no ponto A.
b) A distância D 2 , entre o ponto P e o ponto P 2 , onde os
íons I 2 são detectados.

Respostas:
v12 m2 v
a) τ = qV0 = mv2
2 → 2 = → 1 = 1,2
v2 m1 v2
mv 2m1v 1 2m2 v 2
sabemosque : R = ⇒ PP1 = 2R 1 = ePP2 = 2R 2 =
qB qB qB
b)
PP2
fazendo PP1 = 1,2 → D 2 = 1,2D1 = 24cm

11) Um feixe de partículas eletricamente carregadas é lançado horizontalmente numa região, entre duas placas
planas e paralelas, que contém campo elétrico e campo magnético uniformes, dispostos conforme a figura a
seguir.
Desprezando-se a ação do campo gravitacional sobre o feixe de partículas, assinale verdadeiro (V) ou falso
(F):
( ) A força elétrica que atua nas partículas de carga negativa é
perpendicular ao campo magnético.
( ) As partículas de carga negativa não sofrem a ação da força
magnética.
( ) Quando as partículas de carga positiva entram na região, a força magnética que atua sobre elas aponta no
sentido contrário ao do campo elétrico.
( ) A força elétrica atuante em cada partícula se mantém constante.
( ) As partículas de carga positiva passarão pela fenda f, qualquer que seja a velocidade do lançamento.
( ) As partículas de carga negativa serão aceleradas, ao atravessar a região entre as placas, qualquer que seja
a velocidade do lançamento.
Respostas: V, F, F, V, F e F.

12) (AFA-2002) Uma partícula de carga positiva, com velocidade dirigida ao longo do eixo x, penetra, através
de um orifício em O, de coordenadas (0,0), numa caixa onde há um campo magnético uniforme de
módulo B, perpendicular ao plano do papel e dirigido "para
dentro" da folha.
y
Sua trajetória é alterada pelo campo, e a partícula sai da Q
caixa passando por outro orifício, P, de coordenadas (a,a), a
com velocidade paralela ao eixo y. Percorre, depois de sair
da caixa, o trecho PQ, paralelo ao eixo y, livre de qualquer
x
P x
força. Em Q sofre uma colisão perfeitamente elástica, na
qual sua velocidade é simplesmente invertida, e volta pelo a
mesmo caminho, entrando de novo na caixa, pelo orifício P. x x B
A ação da gravidade nesse problema é desprezível. v x
As coordenadas do ponto, em que a partícula deixa a região O
que delimita o campo magnético, são x x
a) (0,0).
b) (2a,0). 2
c) (a,-a). a
d) (2a,-a).
e) (3a, - 2a)
resposta: B

13) (Fuvest 2003) Um feixe de elétrons, todos com mesma velocidade, penetra em uma região do espaço onde
há um campo elétrico uniforme entre duas placas condutoras, planas e paralelas, uma delas carregada
positivamente e a outra, negativamente. Durante todo o percurso, na região entre as placas, os elétrons têm
trajetória retilínea, perpendicular ao campo elétrico. Ignorando efeitos gravitacionais, esse movimento é
possível se entre as placas houver, além do campo elétrico, também um campo magnético, com intensidade
adequada e
a) perpendicular ao campo elétrico e à trajetória dos elétrons.
b) paralelo e de sentido oposto ao do campo elétrico.
c) paralelo e de mesmo sentido que o do campo elétrico.
d) paralelo e de sentido oposto ao da velocidade dos elétrons.
e) paralelo e de mesmo sentido que o da velocidade.
resposta: A

14) (ITA – 2004) Tubos de imagem de televisão possuem bobinas magnéticas defletoras que desviam
elétrons para obter pontos luminosos na tela e, assim, produzir imagens. Nesses dispositivos, elétrons são
inicialmente acelerados por uma diferença de potencial U entre o catodo e o anodo. Suponha que os elétrons
são gerados em repouso sobre o catodo. Depois de acelerados, são direcionados, ao longo do eixo x, por meio
de uma fenda sobre o anodo, para uma região de comprimentos L onde atua um campo de indução magnética
uniforme Br , que penetra perpendicularmente o plano do papel, conforme mostra o esquema.
Suponha, ainda, que a tela delimita a região do campo de indução magnética. Se um ponto luminoso é
detectado a uma distância b sobre a tela, determine a expressão da intensidade de Br necessária para que os
elétrons atinjam o ponto luminoso P, em função dos parâmetros e constantes fundamentais intervenientes.
(Considere b << L).

Resolução:
Pelo Teorema da Energia Cinética (TEC) tem se que:

τ = ∆E c
mv 2A 2eU
τ = e.U = ⇒ vA =
2 m

Ao entrar no campo: R 2 = ( R − b ) + L2 ⇒
2

⇒ R 2 = R 2 − 2Rb + b 2 + L2 ⇒
Por Pitágoras: ⇒ 2Rb = b 2 + L2 ⇒
b 2 + L2
⇒R =
2b
mv A L2 + b 2 mv A
Mas: R= ⇒ =
eB 2b eB

mv A L2
Como L >> b ⇒ ≈ ⇒
eB 2b
2bmv A
⇒B =
L2 e
2b 2mU
∴B = 2
L e
15) (ITA – 2004) Em 1879, Edwin Hall mostrou que, numa lâmina metálica,
os elétrons de condução podem ser desviados por um campo magnético, tal que no regime estacionário, há
um acúmulo de elétrons numa das faces da lâmina, ocasionando uma diferença de potencial VH entre os
pontos P e Q, mostrados na figura.

Considere, agora, uma lâmina de cobre de espessura L e largura d, que


transporta uma corrente elétrica de intensidade i, imersa no campo magnético
uniforme rB que penetra perpendicularmente a face ABCD, no mesmo
sentido de C para E. Assinale a alternativa correta.
A. ( ) O módulo da velocidade dos elétrons é Ve = VH/(BL).
B. ( ) O ponto Q está num potencial mais alto que o ponto P.
C. ( ) Elétrons se acumulam na face AGHD.
D. ( ) Ao se imprimir à lâmina uma velocidade V = VH/(Bd) no sentido
indicado pela corrente, o potencial em P torna-se igual ao potencial em Q.
E. ( ) n.d.a.
Resolução:
Alternativa: D
A figura ao lado ilustra a situação do problema.
Observa-se que há um acúmulo de elétrons em Q. Porém,
no equilíbrio tem-se que:
 
Fe = − Fm
qE = qv e B
E = ve B
vH v
E= ⇒ H = veB ⇒
d d
mas
v
⇒ ve = H
Bd

Ao se movimentar a lâmina no sentido indicado pela corrente com a mesma velocidade v e , r porém no
sentido oposto, a velocidade dos elétrons em relação ao campo se anula, igualando os potenciais em P e Q.

Indução magnética (Lei de Ampère e Lei de Gauss):


A lei de Ampère afirma que um fio com corrente elétrica tem em torno de si um campo
magnético cujas linhas são curvas e fechadas ao redor do fio. O sentido do campo magnético é
determinado pelo sentido da corrente (regra da mão direita). A lei de Gauss afirma que as linhas
de campo magnético são curvas fechadas.

1) Um fio reto, muito longo, conduz uma corrente elétrica de 6 A. Calcular a intensidade do campo magnético
−7
num ponto distante 20 cm do fio. Adote µ 0 = 4 π . 10 H/m.
–6
Resposta: B = 6x10 T

2) Uma espira circular de raio R é percorrida por uma corrente elétrica de intensidade i; nessas condições o
vetor indução magnética no seu centro tem intensidade B. Qual será o novo módulo do vetor indução
magnética no centro dessa espira se o seu raio for reduzido à terça parte e a intensidade da corrente elétrica
for quadruplicada?
Resposta: B´ = 12B

3) Um anel condutor de raio r = 0,2 π m, situado no vácuo, é percorrido por uma corrente elétrica i = 6 A.
Determine a intensidade do vetor de indução magnética no centro da espira.
Dado: µ 0 = 4π x10-7 T.m/A
Resposta: B = 6x10 –6 T

4) Uma espira circular de raio 62,8 cm, é percorrida por uma corrente I = 40 A. Qual a intensidade do campo
de indução magnética criado por esta corrente no centro da espira.
Dado: µ 0 = 4π .10-7 T.m/A
a) 1,0 x 10-3 T
b) 2,0 x 10-5 T
c) 1,0 x 10-5 T
d) 4,0 x 10-3 T
e) 4,0 x 10-5 T
Resposta: E

5) Quando a chave C está fechada, o circuito da figura a seguir é percorrido


por uma corrente elétrica, observando-se no ponto P um campo magnético de
módulo B. (Considere que o campo magnético terrestre pode ser desprezado).
Se os dois resistores do circuito forem substituídos por dois outros, cada um com resistência R/2, o módulo do
campo magnético observado no ponto P será:
a) B/4 b) B/2 c) B d) 2 B e) 4 B
Resposta: d

6) Num plano horizontal encontram-se dois fios longos


e retilíneos, dispostos paralelamente um ao outro.
Esses fios são percorridos por correntes elétricas de
intensidade i = 5,0 A, cujos sentidos convencionais
estão indicados nas figuras acima. Num dado instante,
um próton é disparado do ponto A do plano,
perpendicularmente a ele, distante 1,0 mm de cada
um dos fios, com velocidade V0 de módulo 2,0x106 m/s,
conforme a figura 2. Nesse instante, a força que atua
no próton, decorrente do campo magnético resultante,
originado pela presença dos fios, tem intensidade:
Dados: µ 0 =4x10-7 T .m/A; carga do próton =+ 1,6 .10
-19
C
a) zero
b) 2,0x10-19 N
c) 2,0x10-6 N
d)1,0x10-19 N
e)1,0x10-6 N
Resolução: A
A direção e o sentido do vetor campo de indução magnética resultante (B) no ponto A são dados pela regra da mão direita, como é
mostrado a seguir: Assim, como B é paralelo a V0 , a força que atua no próton no instante do lançamento, decorrente do campo
magnético resultante originado pelos fios, tem intensidade zero.

7) O condutor AB da figura a seguir está imerso numa região onde atua um


campo de indução magnética B de intensidade 0,5 T, perpendicular ao plano
desta folha e orientado para o leitor. O condutor situado no plano desta folha é
percorrido por uma corrente i = 2A. A intensidade da força magnética que
atua sobre o condutor é:
a) 5 N. b) 4 N. c) 2 N. d) 1 N. e) zero.
Resposta: A
3i P i
8) (AFA-2002) Dois fios metálicos retos,
paralelos e longos são percorridos por
correntes 3i e i de sentidos iguais (entrando no
plano do papel). O campo magnético
resultante produzido por essas correntes é nulo
a b
num ponto P, tal que
a 1 a 1 a a
a) = b) = c) =3 d) =9 e) nda.
b 3 b 9 b b

9) Duas espiras, A e B, estão próximas de um fio percorrido por uma


corrente I variável. Quando a intensidade da corrente aumenta, é
CORRETO afirmar que:
a) não aparece corrente induzida em nenhuma das espiras.
b) aparece uma corrente induzida no sentido horário na espira A e no
sentido anti-horário na espira B.
c) nas duas espiras aparecem correntes induzidas no sentido horário.
d) aparece corrente induzida apenas na espira B, pois o campo magnético é
formado somente no lado direito.
e) aparece corrente induzida apenas na espira A, pois o campo magnético é formado somente no lado
esquerdo.
10) (Fuvest 2003 - segunda fase) O ímã representado na figura, com largura L
= 0,20 m, cria, entre seus pólos, P1 e P2, um campo de indução magnética B,
horizontal, de intensidade constante e igual a 1,5T. Entre os pólos do ímã, há
um fio condutor f, com massa m = 6,0 x 10–3 kg, retilíneo e horizontal, em
uma direção perpendicular à do campo B. As extremidades do fio, fora da
região do ímã, estão apoiadas e podem se mover ao longo de guias
condutores, verticais, ligados a um gerador de corrente G. A partir de um
certo instante, o fio f passa a ser percorrido por uma corrente elétrica
constante I = 50 A. Nessas condições, o fio sofre a ação de uma força F0, na direção vertical, que o acelera
para cima. O fio percorre uma distância vertical d = 0,12 m, entre os pólos do ímã e, a seguir, se desconecta
NOTE/ADOTE:
1) Um fio condutor retilíneo, de comprimento C, percorrido por uma corrente elétrica I, totalmente inserido em um campo de indução
magnética de módulo B, perpendicular à direção do fio, fica sujeito a uma força F, de módulo igual a BIC, perpendicular à direção de B e à
direção do fio.
2) Aceleração da gravidade g = 10m.s–2
3) Podem ser desprezados os efeitos de borda do campo B, o atrito entre o fio e os guias e a resistência do ar.
dos guias, prosseguindo em movimento livre para cima, até atingir uma altura máxima H.
Determine
a) o valor da força eletromagnética F0, em newtons, que age sobre o fio.
b) o trabalho total τ , em joules, realizado pela força F0.
c) a máxima altura H, em metros, que o fio alcança, medida a partir de sua posição inicial.
Resposta.: a) F0 = 15N; b) τ F0 = 1,8J; c) H = 30m

11) Um fio metálico AB, suspenso por dois fios verticais, condutores e flexíveis,
é colocado próximo e paralelamente a um fio longo pelo qual passa a corrente
elétrica i, no sentido indicado na figura. O fio longo e o fio AB estão no mesmo
plano horizontal. Utilizando essa montagem, um professor pretende realizar
duas experiências, I e II. Na experiência I, fará passar uma corrente pelo fio AB,
no sentido de A para B. Na experiência II, fará passar a corrente no sentido
contrário. Nessas condições, espera-se que à distância entre o fio longo e o fio
AB:
(A) permaneça inalterada, tanto na experiência I como na experiência II.
(B) aumente na experiência I e diminua na experiência II.
(C) aumente, tanto na experiência I como na experiência II.
(D) diminua, tanto na experiência I como na experiência II.
(E) diminua na experiência I e aumente na experiência II.

1) Quando um imã em forma de barra é partido ao meio, observa-se que:


a) Separamos o pólo norte do pólo sul.
b) Obtemos imãs monopolares.
c) Damos origem a dois novos imãs. Nos quais o pedaço que continha o sul passará a ter um norte e o norte
um novo sul.
d) Os corpos não mais possuem propriedades magnéticas.
e) Damos origem a dois novos imãs. Sendo que a região sul do antigo imã se tornará um norte e do outro lado
passará a ter um sul. No outro pedaço teremos o processo inverso.
Resposta: C

2) (FUVEST – 2002) Quatro ímãs iguais em forma de barra, com as polaridades


indicadas, estão apoiados sobre uma mesa horizontal, como na figura, vistos de cima.
Uma pequena bússola é também colocada na mesa, no ponto central P, eqüidistante dos
ímãs, indicando a direção e o sentido do campo magnético dos ímãs em P. Sabendo-se
que a agulha de uma bússola se orienta de acordo com a resultante do campo magnético e
sem levar em conta o efeito do campo magnético terrestre, a figura que melhor
representa a orientação da agulha da bússola é:
Resposta: A

3) (FUVEST – 97) Três imãs iguais em forma de barra, de


pequena espessura, estão sobre um plano. Três pequenas agulhas
magnéticas podem girar nesse plano e seus eixos de rotação
estão localizados nos pontos A, B e C. Despreze o campo
magnético da Terra. A direção assumida pelas agulhas,
representadas pela figura I, é melhor descrita pelo esquema:

4) (UEL – 95) Considere o campo magnético nos pontos P1, P2,


P3, P4 e P5 nas proximidades de um ímã em barra, conforme
representado na figura a seguir.
A intensidade do campo magnético é menor no ponto
a) P1
b) P2
c) P3
d) P4
e) P5

Resposta: A

5) (VUNESP – 93) Nas demonstrações populares de


supercondutividade elétrica, é comum a exibição de um ímã
"flutuando" sobre o material supercondutor.
Neste caso, a configuração das linhas de campo magnético em
torno do ímã fica semelhante à da figura.
Para explicar a existência de uma força igual e oposta ao peso do
ímã, e que o mantém suspenso, pode-se imaginar que a função do
supercondutor equivale a se colocar um "ímã imagem" em seu
lugar, igual ao ímã real e convenientemente orientado dentro da
região tracejada. O "ímã imagem", em conjunto com o ímã real,
criaria na região externa ao supercondutor a configuração de linhas
de campo indicada na figura. A representação adequada do "ímã imagem" dentro da região tracejada é:
Resposta: A