Você está na página 1de 13

Uma introdução à linguagem dos conjuntos

A origem e a teoria dos conjuntos

Zenão de Eléia, filósofo grego que viveu por volta de 450 a.C., já se preocupava
com o conceito do infinito ao propor a questão a seguir , conhecida como paradoxo de
Zenão.
“Aquiles aposta corrida com uma tartaruga, que sai com uma pequena vantagem.
Por mais que corra, o jovem jamais alcançará o animal, pois quando chega à posição de
onde partiu a tartaruga, esta já terá percorrido certa distância; e quando Aquiles cobrir
esta distância, o animal terá avançado mais um pouco. E o processo continua
infinitamente, concluindo-se que o poderoso guerreiro jamais alcançara a lenta
tartaruga.”
Veja, portanto que desde a antiguidade grega já se discutia a noção de infinito,
porém ninguém antes da década de 1870 foi capaz de dar uma conceituação rigorosa
sobre essa noção. Nessa década, o matemático Georg Cntor ( 1842- 1918) e seu colega
Richard Dedekind ( 1831- 1916) definiram e classificaram precisamente tipos diferentes
de infinito. Para isso eles utilizaram de uma nova teoria, criada por Cantor em 1872: a
teoria dos conjuntos
Além da definição rigorosa de infinito, e de muitas outras contribuições, a teoria
dos conjuntos unificou a linguagem em todos os ramos da Matemática.

Conceitos primitivos

Os conceitos que iniciam uma determinada teoria são aceitos sem definição, pois
não existindo ainda a teoria, não há como defini-los; por isso são chamados de conceitos
primitivos. Na teoria dos conjuntos esses conceitos são: conjunto, elemento de um
conjunto e pertinência entre elemento e conjunto. Idéia de conjunto é a mesma de
coleção, conforme mostram os exemplos a seguir.

Exemplos

Uma coleção de revistas é um conjunto. Cada uma dessas revistas é m elemento


que pertence ao conjunto.
Os alunos de sua sala de aula formam um conjunto. Você é um elemento que
pertence a esse conjunto.

Formas de representar um conjunto

Representação tabular: A representação tabular (forma de tabela) de um


conjunto é aquela em que os elementos são apresentados entre chaves e separados por
vírgulas.

Exemplos

A= { a, e, i, o, u}
B= { 1, 2, 3, 4}
É usual dar nomes aos conjuntos usando as letras maiúsculas A, B, C, D,… Os
elementos de um conjunto são comumente representados pelas letras minúsculas a, b, c,
d,…
Note que, nos exemplos dados, u é elemento do conjunto A e não é elemento do
conjunto B. Esses fatos são indicados, respectivamente, por:

u A ( lê-se: “ u pertence a A” ) e u B ( lê-se “ u não pertence a B” )

Representação por um diagrama de Venn

A representação de um conjunto por um diagrama de Venn ( John Venn, 1834-


1923) é aquela em que os elementos são simbolizados por pontos interiores a uma régio
plana, delimitada por uma linha fechada que não se entrelaça.

Representação por uma propriedade

A representação de um conjunto por meio de uma propriedade é a que os


elementos são descritos por uma propriedade que os determina. Representa-se o
conjunto A por:

A= { x\x tem a propriedade p } ( lê-se: “ A é o conjunto de todos os elementos


x, tal que x tem a propriedade p” )

Exemplo:

A= { x\x é homem brasileiro}

Tipos de conjunto

Conjunto Unitário: É o conjunto formado por um elemento.


Exemplo:

A= { x\x é estrela do sistema solar} = { Sol }

B= { a }

C= { 3 }
Conjunto Vazio
É o conjunto que não possui elementos. O conjunto vazio pode ser representado
por ou { }.
Exemplo:

A= { x|x é nº e 0 . x = 5 } = { }

Conjunto Finito
É o conjunto que podemos contar todos os seus elementos.
Exemplo:

A= { x|x é mulher brasileira }

B= { verde, amarelo, azul, branco }

C= { a, e, i, o, u }

Conjunto Infinito
É o conjunto que não podemos determinar o nº total de elementos que o
compõe.
Exemplo:

A= conjunto dos números naturais: N: { 0 ,1 , 2 ,3 ,4... }

B= Conjunto dos números inteiros: Z: { -3 ,-2 ,-1 , 0 , 2 , 3 , ... }

Subconjunto
Consideremos o conjunto B formado por todos os brasileiros. Com este
conjunto, podemos montar outro conjunto, o conjunto M, composto por todas as
mulheres brasileiras e ainda um conjunto H, formado por todos os homens brasileiros.

Com este conceito, podemos usar o símbolo ( está contido) para representar a relação
entre os conjuntos.

M B ( lê-se: “ M está contido em B” )


H B ( lê-se: “ H está contido em B” )

Obs. : Um conjunto A só será subconjunto de um conjunto B se todos os elementos de


A pertencerem ao conjunto B.

B A ( lê-se: “ B está contido em A” )


Veja os conjuntos:

D= { 2, 5, 3 }

E= { 2, 5, 7, 9 }

O conjunto D não é subconjunto de E, pois D possui um elemento que não


pertence ao conjunto E.

{ 2, 5, 3 } { 2, 5, 7, 9 } ou seja: D E ( lê-se: “ D não está contido em E”)

Propriedades de Conjuntos

• O conjunto Vazio é subconjunto de qualquer conjunto.

A( A ) ( lê-se: O conjunto vazio está contido em A, qualquer que seja


o conjunto A).

• Todo conjunto é subconjunto de si mesmo

Exemplos

{ 5, 4, 0} { 5, 4, 0}

Igualdade de conjuntos
Observe que todo elemento do conjunto { 1, 2, 3} também pertence ao conjunto
{ 3, 2, 1} e que todo elemento de { 3, 2, 1} também pertence a { 1, 2, 3}. Por isso
dizemos:

{ 1, 2, 3} = { 3, 2, 1}

Dois conjuntos A e B são iguais (A = B) se, e somente se, A BeB A.

Exemplos

{ b, c, d, e} = { e, b, d, c}
=

Conjunto universo

Quando estudamos a história da humanidade, o conjunto de todos os seres


humanos é chamado de conjunto universo (U) desse estudo.
Quando estudamos os números que podem resultar da contagem de unidades, o
conjunto universo (U) é o conjunto dos números naturais:

N = { 0, 1, 2, 3, 4,…}
Generalizando:
O conjunto universo de um estudo é aquele ao qual pertencem todos os
elementos desse estudo.

Exercício resolvido

Um automóvel fabricado em três cores, azul, vermelha e preta, e cinco modelos


diferentes, 1, 2, 3, 4, e 5. A tabela mostra a disponibilidade de cor e modelo desse
automóvel em uma concessionária.

Cor/ Modelo 1 2 3 4 5
Azul X X X
Vermelha X X X
Preta X X

Indicando por A, V e P os conjuntos de automóveis nas cores azul, vermelha e preta,


respectivamente, represente por um diagrama de Venn os modelos disponíveis em cada
cor, nessa concessionária.
Se a concessionária apresentasse todos os modelos nas três cores, quantas possibilidades
de escolha teria um comprador?

Resolução

A tabela informa que:


O modelo 1 está disponível apenas na cor vermelha;
O modelo 2 está disponível apenas na cor azul;
O modelo 3 está disponível apenas nas cores azul e vermelha;
O modelo 4 está disponível nas três cores;
O modelo 5 está disponível apenas na cor preta;
Assim, é possível montar o diagrama ao abaixo.

Na tabela, as quadrículas disponíveis para assinalar as disponibilidades formam 3 linhas


e 5 colunas; logo, há 5 x 3 possibilidades de escolha
União e intersecção de conjuntos
Um professor de educação física marcou dois treinos: para o primeiro foram
convocadas as alunas que jogam voleibol ou basquetebol e, para o segundo foram
convocadas as alunas que joga voleibol e basquetebol.
Três alunas do colégio Regina, Cristina e Rita, são jogadoras. Regina joga
apenas voleibol, Cristina joga apenas basquetebol, e Rita joga voleibol e Basquetebol.
Quem dentre delas deve comparecer ao primeiro treino? E quem deve comparecer ao
segundo?
Fica claro que as três devem comparecer ao primeiro treina e apenas Rita, dentre
as três, deve comparecer ao segundo. Esse exemplo ajudará a entender as definições a
seguir.

União ou reunião de conjuntos

A união (ou reunião) de dois conjuntos, A e B,que indicaremos por A B (lê-


se: “A união B”), é o conjunto cujos elementos são todos aqueles que pertencem a A ou
B.

AUB={x|x A ou x }

Exemplos

Sendo A = { 1, 2, 3} e B= { 6,7}, temos: A B= { 1, 2, 3, 6, 7}


Sendo C= { 1, 2, 3, 4} e D = { 3, 4, 5, 6, 7}, temos C D = { 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7}
Sendo E = { 1, 2, 3} e F = { 0, 1, 2, 3, 4}, temos E F= { 0, 1, 2, 3, 4}

Representação da união de conjuntos em diagrama de Venn

Toda a região hachurada representa A B.

Toda a região hachurada representa C D.


Toda a região hachurada representa E F.

Intersecção de conjuntos
A intersecção de dois conjuntos, A e B, que indicaremos por A B ( lê-se: “ A
intersecção B”)

A B={x | x Aex B}

Exemplos

Sendo A= { 1, 2, 3, 4 } e B= { 3, 4, 5, 6, 7 }, temos: A B = { 3, 4 }

Sendo C= { 1, 2, 3 } e D= { 7, 8 , 9 }, temos: C D={ }

Sendo E= { 4 , 5, 6 } e F= { 2, 3, 4, 5, 6, 7 }, temos: E F = { 4 , 5 , 6}

Obs. Chamamos de conjuntos disjuntos os conjuntos que apresentam como


intersecção o conjunto vazio.

Representação de intersecção de conjuntos em diagramas de Venn

Toda a região hachurada, representa a intersecção entre os


conjuntos que é representada por A B.

Os conjuntos C e D são conjuntos disjuntos, pois não possuem


elementos em comum, logo sua intersecção é o conjunto vazio.
C D={}

A Intersecção dos conjuntos F e E está hachurada. E F= E


Conjunto diferença
A idéia de diferença de conjuntos é usada frequentemente em nosso cotidiano.
Vejamos: Você vai à faculdade todos os dias da semana? Provavelmente você usará o
conceito de diferença de conjuntos para gerar esta resposta, ou seja:
Você tirou do seu conjunto A, que é composto pelos dias da semana,
A= { segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado, domingo } o conjunto B, que é
composto pelos dias que você não tem aula na faculdade. Supondo que estes dias sejam:
B= { sexta, sábado, domingo }. Então sua resposta será, todos menos sexta, sábado e
domingo. Isto quer dizer que o conjunto diferença de A – B é composto por todos os
elementos que pertencem a A e não pertencem a B.

A – B = {x | x A e x B} ( lê-se: A – B: a todo o elemento x, tal que x pertence ao


conjunto A e não pertence ao conjunto B.

Exemplos:
a) Seja A: { 1, 2, 23, 4, 5} e B { 4, 5, 6, 7, 8, 9}, teremos A – B: { 1, 2, 3} e
B – A: { 6, 7, 8, 9}

b) Sendo C= { 1, 2, 3, 4, 5, 6} e D= { 3, 4, 5}, teremos: C – D: {1, 2, 6} e


D – C: { }

c) Sendo E= { 1, 2, 3} e F= { 4, 5, 6}, teremos: E – F: E e F – E = F

Representação de diferença de conjuntos em diagramas de Venn

A região hachurada representa A – B .

A região hachurada representa B – A .

Toda a região hachurada representa F – E.


Se E F, então: E – F = { }.

Toda a região hachurada representa E – F

Toda região hachurada representa F – E

Conjunto Complementar
Complemento é aquilo que completa, segundo o dicionário de Aurélio Buarque
de Holanda. Essa é exatamente a idéia de conjunto complementar: Aquilo que completa.
Por exemplo: dizemos que o conjunto complementar do conjunto das consoantes em
relação ao conjunto das letras do nosso alfabeto é o conjunto das vogais. Essa idéia será
formalizada pela definição a seguir.

Sejam A e B dois conjuntos tais que A B. Chama-se complementar de A em relação

a B, que indicamos por ( lê-se: “ Complementar de A em relação a B”), o conjunto


cujos elementos são todos aqueles que pertencem a B e não pertencem a A.

A B = { x|x Bex A}
Obs.: O conjunto{ x|x Bex A } é exatamente a diferença B- A. Assim, temos:

A B = B-A

A condição necessária é suficiente para que exista é que A B. Caso contrário,

dizemos que não existe .

Exemplos

A) Sendo A = { 1,2, 3} e B={ 1, 2, 3, 4, 5}, temos A B; logo, existe , que é


igual a B - A , isto é :

= B-A={4,5}

Sendo D= {1, 2, 3, 4} e E= { 3, 4, 6, 7}, Temos D E; logo, não existe

Representação do complementar de um conjunto em diagramas de Venn

Toda região hachurada representa

Complementar de um conjunto em relação a um universo U.


Quando tivermos um conjunto universo U previamente fixado, indicaremos o

complementar de A em relação a U simplesmente por A’ ou em vez de .


Toda a região hachurada represent , que será
indicada por A ou .

Problemas sobre quantidades de elementos de conjuntos finitos

Exercícios resolvidos

1- Foram entrevistadas 50 pessoas sobre suas preferências em relação a duas marcas, A


e B de sabão em pó. Os resultados da pesquisas foram precisamente:

21 pessoas responderam dizendo que usam o sabão de marca A;


10 pessoas responderam que usam a marca A e a marca B;
5 pessoas responderam que não usam nenhuma das duas marcas;

De acordo com esses dados, quantas pessoas usam somente a marca B

Resolução
Sejam:
U o conjunto universo das 50 pessoas entrevistadas;
A o conjunto das pessoas que usam a marca A;
B o conjunto das pessoas que Sam a marca B.

Inicialmente, vamos considerar o conjunto A B que é aquele das pessoas que usam as
duas marcas, ou seja, usam a marca A e também a marca B; tal conjunto possui 10
elementos. Para nos orientar, vamos escrever o numero 10 na região correspondente a
A B.

II- O conjunto A é aquele das pessoas que usam a marca A; tal conjunto possui 21
elementos, porém, na parte ( I) já foram consideradas 10 pessoas que usam a marca A,
faltando, portanto, 11 pessoas para completar o conjunto A. O número 11 deve ser
indicado na região A – B.
O conjunto (A U B)’ é aquele das pessoas que não usam nenhuma das duas marcas. O
número de elementos desse conjunto é 5.

O conjunto B – A é aquele das pessoa que usam somente a marca B. Seja x o número de
elementos desse conjunto:

Como n ( U) = 50, devemos ter 5+11+10+x=50


Ou seja, x=24; portanto : n ( B - A) = 24
Logo, 24 pessoas usam somente a marca B.

2- Um funcionário do departamento de seleção de pessoal de uma indústria


automobilística, analisando o currículo de 47 candidatos, concluiu que apenas 3
candidatos nunca trabalharam em montagem ou pintura; 32 candidatos já trabalharam
em montagem e 29 já trabalharam em pintura. Quantos desses candidatos já trabalharam
nos dois setores?

Resolução

Sejam:
U o conjunto universo dos 47 candidatos;
M o conjunto dos candidatos que trabalharam em montagem;
P o conjunto dos candidatos eu já trabalharam em pintura;

I -Convém, nesse tipo de problema, indicar inicialmente o número de elementos de


elementos da intersecção M P. Como esse número é exatamente o que o problema
pede, vamos indicá-lo por x:
II-O conjunto M tem 32 elementos. Como já admitimos que x elementos estão em M,
faltam, portanto, ( 32- x) elementos que devem ser indicados na região M-P:

O conjunto P tem 29 elementos já admitimos que x elementos estão em P; faltam,


portanto, (29-x) elementos que devem ser indicados na região P-M

Três candidatos nunca trabalharam em montagem ou pintura. Assim, o conjunto


( MUP)’ deve ter 3 elementos

Como n(U)= 47, temos:3+32-x+x+29-x=47, ou seja, x17, ou ainda: n(M P)= 17


concluímos, então, que 17 candidatos já trabalharam nos dois setores.