Apostila de MATLAB 7.

3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL

Apostila de

Decio Haramura Junior Guilherme Martins Gomes Nascimento Luís Paulo Carvalho dos Santos Luiz Fernando Almeida Fontenele Pedro André Martins Bezerra

Fortaleza – CE Abril / 2008
Página 1 de 58

Apostila de MATLAB 7.3 SUMÁRIO

1. APRESENTAÇÃO ................................................................................................................... 3 2. MATRIZES ............................................................................................................................... 4 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 2.6. DECLARAÇÃO ............................................................................................................ 4 SOMA ........................................................................................................................ 5 MULTIPLICAÇÃO ......................................................................................................... 5 MATRIZES PRÉ-DEFINIDAS .......................................................................................... 6 PROPRIEDADES DE MATRIZES ..................................................................................... 8 TRABALHANDO COM MATRIZES .................................................................................. 10

3. VETORES .............................................................................................................................. 15 3.1. 3.2. 3.3. DECLARAÇÃO .......................................................................................................... 15 OPERAÇÕES ............................................................................................................ 16 SISTEMAS DE COORDENADAS ................................................................................... 19

4. FUNÇÕES MATEMÁTICAS .................................................................................................. 21 4.1. 4.2. 4.3. FUNÇÕES PRÉ-DEFINIDAS ......................................................................................... 21 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS ............................................................................... 21 APROXIMAÇÃO INTEIRA ............................................................................................ 21

5. GRÁFICOS ............................................................................................................................ 22 5.1. 5.2. 5.3. GRÁFICOS BIDIMENSIONAIS ...................................................................................... 22 GRÁFICOS TRIDIMENSIONAIS .................................................................................... 26 CONFIGURAÇÃO ....................................................................................................... 29

6. MATEMÁTICA SIMBÓLICA.................................................................................................. 39 7. OPERAÇÕES MATEMÁTICAS BÁSICAS ........................................................................... 41 7.1. 7.2. 7.3. EXPRESSÕES NUMÉRICAS ........................................................................................ 41 POLINÔMIOS ............................................................................................................ 42 SOLUCIONANDO EQUAÇÕES OU SISTEMAS ................................................................ 45

8. OPERAÇÕES COM CÁLCULO DIFERENCIAL ................................................................... 46 9. M-FILE ................................................................................................................................... 51 9.1. 9.2. DEFINIÇÃO............................................................................................................... 51 ORGANIZAÇÃO ......................................................................................................... 52

10. PROGRAMANDO EM MATLAB ........................................................................................... 53 10.1. VERIFICAÇÃO DE ERROS .......................................................................................... 57

11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ..................................................................................... 58

Página 2 de 58

Apostila de MATLAB 7.3 1. APRESENTAÇÃO

MATLAB (MATrix LABoratory) é uma linguagem de alto desempenho para computação técnica. Integra computação, visualização e programação em um ambiente de fácil uso onde problemas e soluções são expressos em linguagem matemática. Usos típicos: Matemática e computação; Desenvolvimento de algoritmos; Aquisição de dados; Modelagem, simulação e prototipagem; Análise de dados, exploração e visualização; Construção de interface visual do usuário. Não é preciso declarar o tipo das variáveis utilizadas no programa, mas o usuário pode escolher qual o formato que vai ser utilizado. Usam-se os seguintes comandos:

Página 3 de 58

Apostila de MATLAB 7.3 2. MATRIZES

2.1. Declaração A declaração de matrizes é feita da seguinte maneira:

>> a = [1:10] >> b = [0:0.5:3]

%cria o vetor [1 2 3 4 5 6 7 8 9 10] %cria o vetor [0 0.5 1 1.5 2 2.5 3]

>> A = [16 3 2 13; 5 10 11 8; 9 6 7 12; 4 15 14 1] A =

16 5 9 4

3 10 6 15

2 11 7 14

13 8 12 1

>>A(1,2); >>A(:,3); >>A(1,:);

%Elemento de linha 1 e coluna 2 %Elementos da coluna 3 %Elementos da linha 1

O MATLAB também aceita o concatenamento de matrizes, por exemplo:

>> a=[ 4 1 ; 3 4]; >> b= [ 2 >> c=[a b]; 3; 4 5];

c = 4 3 1 4 2 4 3 5

Obs.: É bom lembrar que o MATLAB tem como primeiro índice do vetor o número 1, diferente da linguagem C que usa o primeiro índice como 0.

Página 4 de 58

Apostila de MATLAB 7.3 2.2. Soma A soma de todos os elementos de uma matriz com um número é feita da seguinte maneira:

>> c = 4 3 >> c+1 ans = 5 4 2 5 3 5 4 6 1 4 2 4 3 5

A soma de matrizes é feita da maneira tradicional:

>> d=[ 1 2 7 8 ; 4 7 5 8] ; >> e=[ 5 -4 7 0; 3 -1 6 -4]; >> d+e ans = 6 7 -2 6 14 11 8 4

2.3. Multiplicação Usa-se o sinal da multiplicação:

>> a=[1 4 2; 7 8 5; 9 5 4]; >> >> c = 20 68 68 2 12 15 9 -6 -26 b=[4 2 -5; 0 1 3; 8 -2 1]; c=a*b

Obs.: Se quisermos realizar outra operação matemática (exceto a soma e a subtração) entre os elementos com mesmo índice das matrizes devemos colocar um ponto antes do operador. Observe os exemplos abaixo:

Página 5 de 58

3 >> a=[1 4 2. 0 1 3. >> c=a.5000 0.1250 -0.*b c = 4 0 72 8 8 -10 -10 15 4 >> b.5000 0. 9 5 4].4000 -2. 7 8 5. 8 -2 1].6000 0. Matrizes pré-definidas • ones Def: Esta função gera uma matriz cujos valores são unitários Sintaxe: ones(n) ones(m./a ans = 4.n) >>ones(2) Gera uma matriz quadrada cujos termos são unitários Gera ma matriz m x n cujos termos são unitários ans = 1 1 1 1 Página 6 de 58 .Apostila de MATLAB 7.^2 ans = 1 49 81 16 64 25 4 25 16 2.0000 0 0.8889 0.2500 >> a.4. >> b=[4 2 -5.

>> vander(A) ans = 1 8 1 4 1 2 1 1 Página 7 de 58 . >>eye(2) ans = 1 0 0 1 • vander Def: Calcula a matriz de Vandermonde a partir de um vetor dado Sintaxe: Vander(A) Calcula a matriz de Vandermonde a partir de A A=[1 2 3 4].3 • zeros Def: Esta função gera uma matriz cujos valores são nulos Sintaxe: zeros(n) zeros(m.n) >>zeros(2) Gera uma matriz quadrada cujos termos são nulos Gera ma matriz m x n cujos termos são nulos ans = 0 0 0 0 • eye Def: Gera uma matriz identidade Sintaxe: eye(n) eye(m.Apostila de MATLAB 7.n) Gera uma matriz identidade n x n gera uma matriz de ordem m x n cujos termos que possuem i=j são unitários .

2 3] >>A = 1 2 1 3 >> A' ans = 1 1 2 3 Página 8 de 58 .9501 0.Apostila de MATLAB 7.5.4860 2. rand(2) ans = 0.3 27 64 9 16 3 4 1 1 • rand Def: Cria uma matriz com valores aleatórios Sintaxe: rand(m) rand(m. Cria uma matriz m x n com valores aleatórios entre 0 e 1.2311 0. Propriedades de matrizes • ’ (apóstrofo) Def: Calcula a matriz transposta Sintaxe: A’ Gera a matriz transposta de A >>A=[1 1.n) Cria uma matriz m x m com valores aleatórios entre 0 e 1.6068 0.

3 • det Def: Calcula o determinante de uma matriz Sintaxe: det(A) Calcula o determinante da matriz A >>det(A) ans = 1 • trace Def: Retorna um vetor com a soma dos elementos da diagonal principal de uma matriz Sintaxe: trace(A) Retorna a soma dos elementos da diagonal principal da matriz A A = 1 2 4 1 >> trace(A) ans = 2 • inv Def: Determina a matriz inversa dada Sintaxe: inv(A) Retorna a soma dos elementos da diagonal principal da matriz A >> A = [5 8. 4 9] A= 5 8 Página 9 de 58 .Apostila de MATLAB 7.

0000i 2. b] = eig(A) 0.8944 b = 1. 4 1] A = 1 4 -1 1 >> [a.0000 + 2.4472i -0.0000 .b]=eig(A) a = 0 .2. Trabalhando com matrizes • size Def: Retorna as dimensões de uma matriz Página 10 de 58 .6923 -0.3077 • eig Def: Calcula os autovalores e autovetores de uma matriz Sintaxe: eig(A) Retorna os autovalores de uma matriz quadrada Retorna em a uma matriz com os autovetores e em b uma [a.3846 matriz com os autovalores >> A=[1 -1.6154 -0.0.Apostila de MATLAB 7.4472i -0.3 4 9 >> inv(A) ans = 0.6.8944 0 + 0.0000i 0 0 1.

n] = size(A) colunas Retorna em m o número de linhas e em n o número de >> A=[1 1. 0 0 1]. .) Retorna em row uma matriz coluna com os índices das linhas dos elementos da matriz e em col a matriz coluna contendo os índices que descrevem as colunas dos elementos da matriz X e em v a matriz contendo os elementos de X. >> [m. 2 3].v] = find(X>2).3 Sintaxe: [m. >> [r c] Página 11 de 58 ..n]=size(A) m = 2 n = 2 • find Def: Procura os elementos em uma matriz de tal modo a respeitar a lógica fornecida.c. 0 3]. retornando os índices que descrevem estes elementos.. [row.. -5 0 7.col] = find(X. Retorna em row uma matriz coluna com os índices das [row.) linhas dos elementos da matriz e em col a matriz coluna contendo os índices correspondentes as colunas dos elementos da matriz X.col. Sintaxe: ind = find(X) Retorna os índices dos elementos não-nulos ma matriz X. .. A=[1 1. >> find(A) ans = 1 3 4 >> X = [3 2 0.v] = find(X. >> [r.Apostila de MATLAB 7.

Apostila de MATLAB 7. • sort Def: Retorna o vetor dado ou elementos de uma matriz em ordem crescente Sintaxe: sort(A) Retorna os elementos das colunas da matriz A em ordem crescente >> sort(A) ans = 1 2 1 4 • fliplr Def: Espelha as colunas de uma matriz Sintaxe: fliplr(A) Espelha as colunas da matriz A >> A=[1 2. Obviamente.3 4] A = 1 3 2 4 >> fliplr(A) ans = 2 1 Página 12 de 58 . os elementos a11 e a23 são os únicos maiores que 2.3 ans = 1 2 1 3 Veja no ultimo caso acima que r e c retornam em os índices das linhas e das colunas correspondentes aos elementos que respeitam a expressão oferecida.

Gere uma seqüência de números múltiplos de 3 compreendidos entre 100 e 132. Exercício 2 .Apostila de MATLAB 7.3 4 3 • flipud Def: Espelha as linhas de uma matriz Sintaxe: flipud(A) Espelha as linhas da matriz A >> A=[1 2.Dado o circuito. dispostos num vetor por ordem decrescente.Gere uma seqüência a começar em π e a acabar em −π com um passo de −π/15. calcule as tensões nos nós 1 e 2: R1 1 V1 10Vdc R2 5 R4 10 I1 2Adc Nó 1 V R3 Nó 2 V 2 0 Página 13 de 58 .3 4] A = 1 3 2 4 >> flipud(A) ans = 3 1 4 2 Exercício 1 . Exercício 3 .

6s 0.7000 -0.9091 -0.5V 10.0V 9.3 1 ⋅v R i = G ⋅v i= 1 1 1  10   + +  1  = 1 5 2    −1  2  2  −1 −1 G ⋅i = G ⋅G ⋅v v = G −1 ⋅ i −1  2   v1  ⋅  1 1   v2  +  2 10  >> i=[10/1 .0V 0s V(R1:2) 0.4s 0.0V 10. -1/2 1/2+1/10 ] G = 1.0s Página 14 de 58 .5000 0.8s 0.3s 0.7s 0. 2] i = 10 2 >> G=[1/1+1/5+1/2 -1/2 .1s 0.5s Time 0.2s V(R3:1) 0.6000 11.5V 9.Apostila de MATLAB 7.5000 >> v=inv(G)*i v = 9.0909 10.9s 1.

todas as operações se tornam possíveis a partir do uso de funções apropriadas. assim como no cálculo do seu módulo. a partir da função length. usando a função norm. serão dadas algumas funções que trabalham com vetores. entretanto. >> length(A) ans = 4 Página 15 de 58 . • length Def: Retorna o número de elementos que compõem o vetor.3 3.1. VETORES 3. nada que uma consulta no help para ajudar. basta iniciarmos com: >> R=[1 3 8] R = 1 3 8 Portanto. cuja representação é feita baseando-se numa matriz linha.3. ambas definidas abaixo. Sintaxe: length (A) Calcula o numero de termos do vetor A >>A=[8 9 5 7]. Logo depois. Declaração É possível trabalhar com vetores no MATLAB. Por exemplo. Uma operação básica com vetores é na determinação do número de elementos. para obter o vetor (1.Apostila de MATLAB 7. É importante salientar que certas funções exigem a declaração de vetores por matriz coluna.8).

3 • norm Def: Retorna o tamanho. define-se a função dot como a responsável pelo produto escalar de dois vetores dados.Apostila de MATLAB 7.6603 >> norm(x) % Usando norm ans = 8.B.6603 Exemplo: Tome um número inteiro aleatoriamente. de vetores.2. ou cruzado. >> sqrt(0+25+1+49) % Forma Euclidiana ans = 8. Determine o seu módulo e a sua dimensão. Operações Quando se deseja calcular o produto vetorial.dim) De modo análogo. utiliza-se a função cross. Sintaxe: norm(A) Calcula o módulo do vetor A >> x = [0 5 1 7]. o módulo do vetor. Página 16 de 58 . ou seja. conforme definição a seguir. Sintaxe: C = cross(A. entre 0 a 100.B) C = cross(A. apresentada a seguir: • cross Def: Calcula o produto vetorial entre A e B. e crie um vetor com o número de elementos igual ao número escolhido. 3.

b]=min(A) posição dos mesmos nas suas respectivas colunas Retorna em um vetor linha os maiores valores de cada linha da >> A=[1 4.dim) >> a = [1 7 3]. >> c = cross(a.b) Além disso.3 • dot Def: Determina o produto escalar entre dois vetores.B. • min Def: Retorna os valores mínimos de um vetor ou o das colunas de uma matriz.b) >> d = dot(a.B) C = dot(A. >> b = [5 8 6]. serão definidos algumas funções que poderão ser úteis quando se trabalha com vetores ou até mesmo com matrizes.b]=min(A) a = 1 b = 1 2 1 Página 17 de 58 . mas se deve atentar-se o fato de que ambos os vetores devem possuir a mesma dimensão.B) Retorna uma matriz com os menores valores de cada posição Retorna em “a” os menores valores de cada coluna e em b a correspondente de ambas as matrizes [a. Sintaxe: min(A) matriz A min(A. Sintaxe: C = dot(A. qualquer outra operação é possível. Dando continuidade. >> [a.Apostila de MATLAB 7. 2 4]. como soma e subtração.

Sintaxe: Página 18 de 58 .b]=max(A) a = 2 4 b = 2 1 • sum Def: Calcula o somatório dos elementos de um vetor ou o somatório das colunas de uma matriz. Sintaxe: sum(x) retorna a(o) soma/produto dos elementos de um vetor ou a(o) soma/produto das colunas de uma matriz >> sum(A) • prod Def: Calcula o produtório dos elementos de um vetor ou o produtório das colunas de uma matriz. Sintaxe: max(A) matriz A max(A.B) Retorna uma matriz com os maiores valores de cada posição Retorna em “a” os maiores valores de cada coluna e em b a correspondente de ambas as matrizes [a.b]=max(A) posição dos mesmos nas suas respectivas colunas Retorna em um vetor linha os maiores valores de cada linha da >> [a.3 • max Def: Retorna os valores máximos de um vetor ou o das colunas de uma matriz.Apostila de MATLAB 7.

rho.y. Também determine o ângulo θBAC no vértice A. Determine o vetor unitário perpendicular ao plano no qual o triângulo está localizado. B (-2.y) • pol2cart Def: Converte do polar/cilíndrico para o cartesiano.1.3 prod(x) retorna a(o) soma/produto dos elementos de um vetor ou a(o) soma/produto das colunas de uma matriz >> prod(A) Exemplo: Os três vértices de um triângulo estão em A (6.2).3.z] = cart2pol(x. 3. Sintaxe: [theta.rho] = cart2pol(x.rho.z) [theta.5). conforme listadas a seguir: • cart2pol Def: Converte do cartesiano para o polar/cilíndrico. Também determine o ângulo θBAC no vértice A.-1.z) Página 19 de 58 . Sintaxe: [x.y.y] = pol2cart(theta.z] = pol2cart(theta.3.5). Exemplo: Os três vértices de um triângulo estão em A (6.rho) [x.2).-4) e C (-3.3. Determine o vetor unitário perpendicular ao plano no qual o triângulo está localizado.Apostila de MATLAB 7.1. Sistemas de Coordenadas Existem funções no MATLAB que possibilitam as transformadas de coordenadas. B (-2.-4) e C (-3.-1.

phi.0).z] = sph2cart(theta.z] = meshgrid(-0.phi./(4.*8.0.y.r] = cart2sph(x.[-0.5:0.*pi.012:0.v. Vejamos o exemplo abaixo. Sintaxe: [x. >> [x. Sintaxe: [theta.fi. >> [teta. >> colormap hsv Página 20 de 58 .[-0.[-0.y.y.Apostila de MATLAB 7.5]. Exemplo: Um dipolo elétrico é formado colocando uma carga de 1nC em (1.y. Determine as linhas equipotenciais geradas a partir dessa configuração.z.5).5]). v = (1e-9*0.r) Um exemplo para o uso destas funções é na utilização das equações de potenciais elétricos para determinadas distribuições de carga que são simétricos a um sistema de coordenadas.5].y.5:0.5:.r] = cart2sph(x.85e-12.5:0.^2).0) e uma outra carga de -1nC em (-1.3 • cart2sph Def: Transforma do cartesiano para o esférico.2*cos(teta)).z).0.*r.z) • sph2cart Def: Transforma do esférico para o cartesiano. >> contourslice(x.

2. Obviamente.Apostila de MATLAB 7. Sintaxe: B = ceil(A) Página 21 de 58 .3 4. que arredonda para o inteiro mais próximo. esta importância depende do ambiente prático no qual a função está sendo submetida. além da round. a mais importante é a round. Indubitavelmente. estão definidas a seguir: • ceil Def: Arredonda os elementos de A para o inteiro mais próximo e maior que os elementos de A. como módulo e raiz quadrada. FUNÇÕES MATEMÁTICAS 4. há uma variedade que trabalha no intuito do arredondamento de números. Propriedades Fundamentais 4. Algumas dessas funções. Funções pré-definidas O MATLAB contém um conjunto de funções que executam algumas funções matemáticas elementares.1.3. A seguir disponibilizaremos uma lista de funções com uma breve descrição: Função log(X) log10(X) log2(X) exp(X) sqrt(X) Descrição Determina o logaritmo natural de X 4. Aproximação Inteira Na biblioteca de funções do MATLAB.

Apostila de MATLAB 7. Sintaxe: ezplot(f) Plota a expressão f ( x) . Sintaxe: B = fix(A) • round Def: Arredonda os elementos de A para o inteiro mais próximo desses elementos. Também é válido para números complexos.1. Gráficos Bidimensionais • ezplot Def: Plota a expressão simbólica f ( x) no domínio padrão −2π < x < 2π .3 • floor Def: Arredonda os elementos de A para o inteiro mais próximo e menor que os elementos de A. Página 22 de 58 . Sintaxe: Y = round(X) 5. Sintaxe: B = floor(A) • fix Def: Arredonda os elementos de A para o inteiro mais próximo de tal modo que esteja em direção ao zero. GRÁFICOS 5.

3 sin(x) 1 0. plota a parte real pela parte imaginária de cada Plota os elementos de X pelos de Y.5 -1 -6 -4 -2 0 x 2 4 6 >> ezplot('sin(x)') • plot Def: Plota as colunas de um vetor versus os índices de cada elemento.5 0 -0. Sintaxe: plot(X) plot(X) plot(X. É equivalente a plot(real(X).sin(t)) Página 23 de 58 . Se for complexo plota a parte real pela parte imaginária de cada elemento. Se X for complexo. elemento.imag(X)). se o vetor for real. plota as colunas de X pelos índices de cada elemento. >> t = 0:pi/50:10*pi.Apostila de MATLAB 7. >> plot(t.Y) Se X for real.

Cria uma linha no espaço tridimensional.2 0 -0.2 -0.01:5.4 -0.Y. >> line(x.3 1 0.4 0.6 -0.8 -1 0 5 10 15 20 25 30 35 • line Def: Cria uma linha no gráfico atual.6 0. >> x=-2:0.Y) line(X. Sintaxe: line(X.8 0.Apostila de MATLAB 7.exp(x)) 150 100 50 0 -2 -1 0 1 2 3 4 5 Página 24 de 58 .Z) Cria uma linha definida nos vetores X e Y no gráfico atual.

>> x=-4:4.Apostila de MATLAB 7.3 • stem Def: Plota uma seqüência de dados discretos.Y) Plota a seqüência de dados do vetor Y em um domínio discreto ao Plota X em função de Y em um domínio discreto. Sintaxe: compass(U.V) Plota o vetor de componentes cartesianas U e V partindo da origem do gráfico polar. Sintaxe: stem(Y) stem(X. Página 25 de 58 . >> y=exp(x). >> stem(y) 60 50 40 30 20 10 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 • compass Def: Plota vetores de componentes cartesianas a partir da origem de um gráfico polar. X e Y devem ser longo do eixo-x vetores ou matrizes de mesmo tamanho.

Apostila de MATLAB 7. Gráficos Tridimensionais • ezplot3 Def: Plota uma curva espacial de três equações paramétricas no domínio padrão 0 < t < 2π .3 >> compass(2.8 1 -0.2 0.'t') x = cos(t).y.5 y -1 -1 -0.5 0 -0.8 -0.4 -0.6 x Página 26 de 58 .2 0 0.z) Plota a curva paramétrica x = x(t ) .6 0. Sintaxe: ezplot3(x.2.3) 90 120 3 4 60 150 2 30 1 180 0 210 330 240 270 300 5.'sin(t)'. >> ezplot3('cos(t)'. y = y (t ) e z = z (t ) . y = sin(t). z = t 7 6 5 4 z 3 2 1 0 1 0.4 0.

Y.Y.4 -0.cos(t). >> ezsurf('1/sqrt(x^2 + y^2)') Página 27 de 58 . Sintaxe: ezsurf(X.Z) Plota uma ou mais linhas no espaço tridimensional através de pontos cujas coordenadas são elementos dos vetores ou matrizes X.t) 35 30 25 20 15 10 5 0 1 0. t ) no domínio −2π < s < 2π e −2π < t < 2π .Y e Z.2 0 0.8 1 -0. >> plot3(sin(t).6 0. t ) .2 0.5 -1 -1 -0.6 • ezsurf Def: Plota a superfície de um gráfico de uma função de duas variáveis no domínio padrão −2π < x < 2π e −2π < y < 2π .8 -0. y = y ( s. >> t = 0:pi/50:10*pi.4 0.3 • plot3 Def: Plota tridimensionalmente um gráfico.5 0 -0.Z) Plota a superfície paramétrica x = x ( s. Sintaxe: plot(X. t ) e z = z ( s.Apostila de MATLAB 7.

y) Transforma o domínio especificado pelos vetores x e y em matrizes de vetores X e Y.3 1/sqrt(x 2 + y 2) 7 6 5 4 3 2 1 0 6 4 2 0 -2 -4 -6 y -6 x -4 0 -2 2 4 6 • meshgrid Def: Prepara a criação de uma superfície de um gráfico tridimensional.^2).* exp(-X. >> Z = X.Apostila de MATLAB 7. Sintaxe: [X.Y.Y] = meshgrid(x.Y. as quais podem ser usadas para preparar a plotagem de superfície de um gráfico tridimensional de uma função de duas variáveis. >> surf(X. Sintaxe: surf(X.Y] = meshgrid(-2:.Y.^2 . -2:. • surf Def: Plota a superfície de um gráfico de uma função de duas variáveis cujo domínio é determinado pelo usuário.Z) Página 28 de 58 .2:2.2:2). >> [X.Z) Plota a superfície paramétrica de z em função de x e y.

5 -2 -2 -1.2 0. Configuração • Title Def: Dá um título ao gráfico Sintaxe: Title(‘string’) Dá o título string ao gráfico atual.3 0.3 -0.5 0 0.4 0. >> compass(2.4 -0.5 -1 -1.5 1 1.1 0 -0.5 0.5 2 1.5 2 5.3 0.Apostila de MATLAB 7.2 -0.3.5 0 -0.3) >> title('Gráfico Polar') Gráfico Polar 90 120 3 4 60 150 2 30 1 180 0 210 330 240 270 300 Página 29 de 58 .5 -1 -0.1 -0.5 1 0.

5 -1 34]) 30 25 20 15 10 5 0 1. >> plot3(sin(t).t) >> grid on Página 30 de 58 . Sintaxe: Axis([xmin xmax ymin ymax zmin zmax]) Define o eixo X de xmin a xmax. >> t = 0:pi/50:10*pi. Sintaxe: Grid on Grid off Adiciona as linhas de grade em um gráfico.5 -1 -1. o eixo Y de ymin a ymax e o eixo Z de zmin a zmax. plot3(sin(t).5 1.5 0 -0.5 -1.3 • Axis Def: Determina os limites dos eixos coordenados X.5 • Grid Def: Adiciona ou remove as linhas de grade em um gráfico.5 -1.5 -1 0 -0.5 1.cos(t). >> t = 0:pi/50:10*pi.cos(t). Y e Z.5 1 1. Remove as linhas de grade em um gráfico.Apostila de MATLAB 7.5 0.5 1 0.t) >> axis([-1.

3 35 30 25 20 15 10 5 0 1 0.Apostila de MATLAB 7.5 0 -0. Sintaxe: Hold on Hold off Adiciona objetos no mesmo gráfico Substitui os objetos existentes em um gráfico pelos atuais.5 -1 -1 -0. >> plot(t. >> plot(x.01:2.6 0. >> x=-6:0.8 1 -0.6 • Hold Def: Determina se objetos são adicionados ao gráfico ou se substituem o existente.8 -0.2 0.4 0. >> k=exp(t).2 0 0.4 -0. >> y=sin(x).01:6.k) Página 31 de 58 .y) >> hold on >> t=-6:0.

01:6. >> plot(t.Apostila de MATLAB 7.’string2’) atual. >> plot(x. >> k=exp(t).01:2.k) >> legend('Gráfico 1: y=sen(x)'. Sintaxe: Legend(‘string1’.'Gráfico 2: y=exp(x)') Página 32 de 58 .y) >> hold on >> t=-6:0. >> y=sin(x).3 8 7 6 5 4 3 2 1 0 -1 -6 -4 -2 0 2 4 6 • Legend Def: Adiciona uma legenda ao gráfico. Adiciona as legendas string1 e string2 ao gráfico >> x=-6:0.

Y e Z. >> plot3(sin(t).t) >> xlabel('x=sin(t)') >> ylabel('y=cos(t)') >> zlabel('z=t') Página 33 de 58 . Dá o título string ao eixo Y. Dá o título string ao eixo Z. ylabel. zlabel Def: Dá um título aos eixos X. Sintaxe: xlabel(‘string’) ylabel(‘string’) zlabel(‘string’) Dá o título string ao eixo X.Apostila de MATLAB 7. >> t = 0:pi/50:10*pi.3 8 Gráfico 1: y=sen(x) Gráfico 2: y=exp(x) 7 6 5 4 3 2 1 0 -1 -6 -4 -2 0 2 4 6 • xlabel.cos(t).

>> plot3(sin(t).4 -0. ylim. zlim Def: Estipula os limites dos eixos X.6 0.5]) >> ylim([-1.5 y=cos(t) -1 -1 -0.8 -0.2 0.4 0.cos(t).Y e Z.3 35 30 25 20 z=t 15 10 5 0 1 0.5 1.8 1 -0. Define o eixo Z de zmin a zmax.t) >> xlim([-1. >> t = 0:pi/50:10*pi. Sintaxe: Xlim([xmin xmax]) Ylim([ymin ymax]) Zlim([zmin zmax]) Define o eixo X de xmin a xmax.6 x=sin(t) • xlim.Apostila de MATLAB 7.5]) >> zlim([-1 34]) Página 34 de 58 .2 0 0.5 1.5 0 -0. Define o eixo Y de ymin a ymax.

n colunas... subplot(m.5 • figure Def: Cria uma nova janela para plotar gráficos.3 30 25 20 15 10 5 0 1. Sintaxe: figure figure('PropertyName'.5 0.p.5 -1 -1.... plotando o gráfico na posição p.5 1 0.5 0 -0.5 1 1. Sintaxe: h = subplot(m.) figure(h) h = figure(.Apostila de MATLAB 7.[left bottom width height]) h = subplot(.propertyvalue. Caso tenha uma matriz retangular..n.n.'replace') subplot(m. a contagem inicia-se no sentido anti-horário do gráfico superior esquerdo.p) or subplot(mnp) divide em m linhas.) • subplot Def: Divide a janela do gráfico em uma matriz definida pelo usuário.5 -1..n.'v6') subplot(h) subplot('Position'. podendo trabalhar com qualquer um.5 -1 0 -0.) Página 35 de 58 .p.

1.Apostila de MATLAB 7.1.2). 3*sen(2*x) – stem. Página 36 de 58 .Plote as funções a seguir com os respectivos comandos e de acordo com cada item: 5*sen(x) – plot. b) Cada função em uma janela diferente. c) Todas as funções na mesma janela.5 -1 -6 -4 -2 0 x exp(x) 250 200 150 100 50 0 -4 -3 -2 -1 0 x 1 2 3 4 5 6 2 4 6 Exercício 3 .3 >> subplot(2.1).5 0 -0.ezplot('sin(x)') >> subplot(2.ezplot('exp(x)') sin(x) 1 0. a) Todas as funções no mesmo gráfico. mas em gráficos diferentes. 4*sen(x+π/3) – ezplot.

axis ([-10 10 -1.5]). grid on. for k=1:1:size(x.50).yy). yy=[sin(x(k)) sin(x(k+1))]. x=-4*pi:0. aviobj=addframe(aviobj.3 Exemplo: Criação de arquivo em formato AVI aviobj=avifile('Filme Seno. Página 37 de 58 .'fps'.5 1. frame=getframe(gca). h=plot(xx.frame).2)-1 xx=[x(k) x(k+1)].'EraseMode'.1:4*pi. end aviobj=close(aviobj).Apostila de MATLAB 7.'xor').avi'. set(h. hold on.

grid on.01:4*pi. set(h. end aviobj = close(aviobj).'fps'.Apostila de MATLAB 7.avi'. Página 38 de 58 . hold off. x=cos(t).'xor'). frame=getframe(gca). y=sin(t).3 aviobj=avifile('Complexo. for k=1:1:length(t) c=x(k)+i*y(k). h=compass(c).50). t=0:0.frame). aviobj=addframe(aviobj.'EraseMode'.

pois nos possibilita uma visão mais geral sobre o resultado de um problema.Apostila de MATLAB 7. unreal syms arg1 arg2 . syms arg1 arg2 .. reservando funções que possibilitam este método.. Como de praxe... MATEMÁTICA SIMBÓLICA Há em algumas situações a necessidade de se trabalhar com variáveis simbolicamente. Sintaxe: S = sym(A) x = sym('x') x = sym('x'. real syms arg1 arg2 . que transforma uma expressão para a forma literal. Uma função bastante importante é a syms.. o MATLAB não nos abandona neste quesito. que declara as variáveis como simbólica.'real') x = sym('x'.'unreal') S = sym(A. positive • sym Def: Define variáveis.flag) Como exemplo...3 6. expressões e objetos como simbólicos. Mais detalhes dessas funções são dadas a seguir: • syms Def: Determina que os argumentos acompanhados terão caráter simbólico .. Uma outra função é a sym. veja a diferença dessas duas funções executando os comandos a seguir: Página 39 de 58 . Sintaxe: syms arg1 arg2 .

7.new) Exemplo: Dado o procedimento abaixo: y=3.n) • subs Def: Define variáveis. syms a b n t x z f = x^n+y. Sintaxe: findsym(S) findsym(S. Determine os parâmetros que são simbólicos em f e em g. g = sin(a*t + b)-cosd(w).old. que retorna os parâmetros que são simbólicos. expressões e objetos como simbólicos. que substitui a variável declarada inicialmente simbólica por uma outra ou mesmo por um número.Apostila de MATLAB 7. respectivamente. assim como. new) R = subs(S.3 >> rho = sym('(1 + sqrt(5))/2') >> syms x y >> f = x^2*y + 5*x*sqrt(y) Em alguns casos. substituir todos pelo valor 2. Suas definições estão listadas abaixo: • findsym Def: Determina as variáveis simbólicas em uma expressão.3 para f e 4. de acordo com a ordem das variáveis simbólicas que aparecer.1 para g. usa-se a função findsym. Página 40 de 58 . Sintaxe: R = subs(S) R = subs(S. Uma outra função é a subs.w=30. quando se desejar determinar quais as variáveis simbólicas numa expressão.

para determinar o m.1.c. O quadro 01 resume bem cada função.c. Em seguida.c. Isso também é válido para polinômios. Página 41 de 58 . como na fatoração.d.Apostila de MATLAB 7.c.3 7. calcular a função inversa.m. Exemplo: Verifique a relação trigonométrica fundamental utilizando a função simplify.m. utiliza-se lcm ou gcd. dos polinômios x 2 − y 2 e de x3 − y 3 .d. Função collect expand horner factor simplify Definição Agrupa os coeficientes de acordo com o grau Expande a expressão em produtos e somas Determina o fator em comum da expressão Fatora o polinômio..m. simplificações e entre outros. logo após. ou m. assim como determinar as raízes de um polinômio. em encontrar m. Expressões Numéricas Uma curiosidade é que o MATLAB dispõe de um conjunto de funções que contribuem para a fatoração.2). de dois números A e B. OPERAÇÕES MATEMÁTICAS BÁSICAS Nas variedades de funções que o MATLAB oferece. Por exemplo. de forma mais geral. se os coeficientes são racionais Simplifica as expressões. o comando finverse é o adequado para isso. expansão. Exemplo: Calcule o m. Quando se quer determinar a inversa de uma função. 7. determine a forma expandida de tan( x + y ) . determine a inversa de f = e x e de g = tanh( y ) . ou m. respectivamente (observa-se que a sintaxe é a mesma que a declarada na seção 4.c. há algumas dedicadas para as operações matemáticas elementares.

Caso a entrada seja uma matriz. este calcula o polinômio característico da matriz. basta entrar com uma matriz linha. nos quais os elementos dela representam os coeficientes do maior para o menor grau. As principais funções destinadas para os polinômios são descritas a seguir. 2 ou π . • poly Def: Determina os coeficientes do polinômio a partir de suas raízes. por exemplo. 2 11 -1] A = %Declara matriz 1 0 2 5 -2 11 3 9 -1 Página 42 de 58 . É bom 5 7 lembrar que o seu polinômio pode ter elementos irracionais como. Por exemplo. o 8 4 polinômio 5 x3 − 9 x 2 + x + é representado como p=[5 -9 8/5 4/7].3 7. 0 -2 9.2. Sintaxe: p = poly(A) p = poly(r) >> y=[-2 -1] y = % Declara um vetor linha [-2 -1] -2 -1 >> z=poly(y) z = %z é o polinômio (x+2)(x+1)=x²+3x+2 %que tem como raízes -2 e -1 1 3 2 >> A=[1 5 3. Para definir um polinômio no MATLAB.Apostila de MATLAB 7. Polinômios Agora trataremos com os polinômios.

0000 -106.0000 • roots Def: Retorna um vetor coluna com a(s) raiz(es) do polinômio fornecido. Se a entrada for uma matriz.2 >> polinomio=[1 5 -2 8 3. Sintaxe: y = polyval(p. Sintaxe: r = roots(c) >> c=[1 3 2] % declara um vetor correspondente ao polinômio % x²+3x+2 c = 1 3 2 >> x=roots(c) %Calcula as raízes desse polinômio.0000 -5.0000 2. %polinômio=x4+5x3-2x²+8x+3. que são -2 e -1 %Observe a oposição entre as funções roots e poly x = -2 -1 • polyval Def: Determina o valor do polinômio para uma determinada entrada.3 >> poly(A) %calcula o seu polinômio característico ans = 1.Apostila de MATLAB 7.X) y receberá os valores do polinômio desenvolvido para cada elemento da matriz X.2] polinomio = Página 43 de 58 . a função retorna o valor do polinômio para cada elemento.

>> y=sqrt(x).2000 225. Determine o polinômio que interpola estes pontos.1)+3.8000 187. Página 44 de 58 .-8) e (8. >> pontos_interpoladores=polyval(polinomio_interpolador.a) valores = 15.3 1.8300 >> valores=polyval(polinomio.2 • polyfit Def: Determina o polinômio interpolador com os pontos dados por x e y com o grau n.y. destacando o ponto no qual se tem o valor do polinômio para x=3.'color'. calcule as suas raízes e o esboce em um gráfico.10).3).2000 >> a=[1 -1. Em seguida.0000 8. (5.'r') >> hold on >> plot(x.-7).x). Sintaxe: p = polyfit(x.0000 3. >> plot(x.y.1)²+8 a(1.5]. Os coeficientes são retornados numa matriz linha.2906 %valores(1.0000 2. 3 2.0000 -1.83] a = 1.1)4+5a(1.1)= a(1. >> polinomio_interpolador=polyfit(x.0000 5.n) >> x=[0: 0.0000 3.1: 2.Apostila de MATLAB 7.2000 -10.-1).pontos_interpoladores) Exemplo: São dados os pontos (1.y. (2.0000 -2.1)3-2 a(1.

.eq2..eq2..3 7.'..var) solve(eq1.. em função da variável var..Apostila de MATLAB 7. você será capaz de economizar tempo e evitar resolver um tedioso sistema braçalmente. Quando a solução é armazenada em uma variável..'v') dsolve('eq1.eq2... o retorno é dado em uma estrutura de dados... Sintaxe: r = dsolve('eq1..eqn.'cond2'. Calcula as soluções de um solve(eq.var2....'.'..3.. A declaração desta função segue abaixo: • solve Def: Determina o valor do polinômio para uma determinada entrada. Resolve um sistema de equações definidas..'v') r = dsolve('eq1'.eqn) g = solve(eq1.cond2.varn) sistema de soluções em função das variáveis pré-definidas. resultando em um sistema.. Sintaxe: solve(eq) Resolve a equação eq=0 Determina as soluções de eq=0. Ao utilizar a função solve....cond2. 'cond1. definida abaixo: • dsolve Def: Soluciona simbolicamente uma equação ou sistema de equações diferenciais ordinárias.'eq2'.. Partindo para um âmbito mais complexo. a função destinada para este caso é a dsolve. o MATLAB poderá ser uma ótima solução.'cond1...'cond1'.. dt Página 45 de 58 .eq2...... 'v') Exemplo: Determine a solução de >> dsolve('Dx = -a*x') dx = −ax . quando se trata de equações diferenciais. Solucionando Equações ou Sistemas Quando você tiver um emaranhado de equações.var1..'.

Quando tu tiveres a minha idade. já definida. Por exemplo. Determine nossas idades utilizando a função solve. Considere todas as unidades 8.a. dt Exemplo: Eu tinha o triplo da idade que tu tinhas.a. em que x representa a posição no instante t . OPERAÇÕES COM CÁLCULO DIFERENCIAL O MATLAB disponibiliza funções que facilitam a operação de certos cálculos que são difíceis para o usuário. int(S. no instante 0. int() e limit são algumas delas. sabendo que este carro parte. integram ou calculam o limite de uma função de acordo com os parâmetros oferecidos. Determine a posição no instante π. nas quais diferenciam.3 Exemplo: Determine a solução de dx = −ax . Exemplo: Sabe que a aceleração de um carro em uma estrada é a = −4 x .I. respectivamente. quando eu tinha a idade que tu tens. π 2 . sendo que o motorista parou instantaneamente enquanto estava em no S. Sintaxe: int(S) integração indefinida a função S em respeito a uma variável simbólica integra de forma definida a função S de a a b.v. a função diff(). do ponto 1. a diferença de nossas idades será de duas décadas. integra de a a b em função de uma variável v. calcule a integral: • Indefinida Página 46 de 58 .Apostila de MATLAB 7. Vejamos essas e outras funções a seguir: • int Def: Calcula integral de uma função dada.b) int(S.b) Exemplo: Dado a função f ( x) = x 2 + 5 .

usa-se a função pretty. S por n vezes.3 >> syms x >> y=sqrt(x^2+5).5) 5/2*30^(1/2)+5/2*log(5^(1/2)+6^(1/2))-3-5/4*log(5) Caso a visualização de f não seja satisfatória. >> f=int(y.Apostila de MATLAB 7.x) 1/2*x*(x^2+5)^(1/2)+5/2*asinh(1/5*5^(1/2)*x) • Definida de 2 a 5 >>g = int(y. como ao utilizar a função eval. conforme ilustra abaixo: >> pretty(f) Como a integral é calculada de forma simbólica. diferencia a expressão simbólica S em função de uma variável Exemplo: Para determinar a derivada de 1ª ordem de f ( x) = ln( x) + e x . diff(S. diferencia em torno de uma variável v. Entretanto. diferencia. para um n inteiro positivo. o MATLAB não deixa a desejar neste ponto. fazse: Página 47 de 58 .'v'. não é calculado o valor numérico da função g.2. Por exemplo.x. que transforma a saída de acordo com a representação matemática. fazendo a instrução abaixo. Sintaxe: diff(S) simbólica. você obtém: >> eval(g) • diff Def: Calcula a diferencial de uma função/matriz dada.n) diff(S.'v') diff(S. S por n vezes.n) diferencia S em torno de uma variável simbólica v.

a. calcula o limite com x tendendo a a pela direita.'right') • gradient Def: Determina o gradiente numericamente. Sintaxe: FX = gradient(F) ∂x(default).1.x. [FX. ∂z. >>f=sqrt(log(x)+exp(x)). ∂y.'left') Exemplo: Faça o seguinte limite pelo MATLAB: lim − x →1 x2 −1 x2 − 1 >> limit('(abs(x^2)-1)/(x^2-1)'. retorna o coeficiente do gradiente de F em relação a Página 48 de 58 ... limit(F. retorna a matriz com os valores de ∂x. calcula o limite com x tendendo a a pela esquerda.] = gradient(F) respectivamente.x..a) limit(F) determina o limite de F com uma variável simbólica tendendo a a.x.x. calcula o limite de uma expressão simbólica F com x tendendo a limit(F.a) a.FZ.Apostila de MATLAB 7.3 >> syms x..FY..a.'right') limit(F. determina o limite com a = 0 como default.. >> diff(f) ans = 1/2/(log(x)+exp(x))^(1/2)*(1/x+exp(x)) >> pretty(ans) • limit Def: Determina o limite de uma expressão simbólica Sintaxe: limit(F.

8 1 -0.*sqrt(x.8 -0.6 0. >> quiver3(x.pz]=gradient(V.3:1). >> [x.W) meshgrid(1:n. usa como default para X.*8.y.4 0.2 0. respectivamente. div = divergence(U.*pi.^2+z.2 -0. O código segue abaixo.Ey./(4.Z.Y.0.z.5 0 -0. Sintaxe: div = divergence(X.V.^2)).V. >> Ez=(-1).1:p).4 -0.3.^2+y.4 -0.W) div = divergence(X. Y e Z definem os limites de U.*px.6 Página 49 de 58 . X.1:m. Y e Z o valor de Exemplo: Um exemplo clássico para o uso de gradiente seria na determinação do Campo Elétrico devido ao efeito de uma carga pontual de 18ηC.4 0.z]=meshgrid(-1:0. >> Ex=(-1).Ex.6 -0. determina o divergente do campo vetorial 3D U.2 0 -0.8 0.85e-12.py.V) determinado para 2D.U.V) div = divergence(U. calcula agora para 2D.2 0 0.*py.3).*pz.6 0.3.8 -1 1 0. >> [px.5 -1 -1 -0.Y. V e W.0.y.3 • divergence Def: Determina o divergente de um campo vetorial.Apostila de MATLAB 7. >> Ey=(-1).Ez) >> axis([-1 1 -1 1 -1 1]) 1 0.0. V e W. >> V=(18e-12).U.

Uma função muito utilizada em Séries Numéricas é a symsum. A sua descrição segue abaixo: • symsum Def: Determina o somatório simbólico de uma expressão. a) ∑x 0 x −1 2 b) ∑ 1 ∞ 1 ( 2n − 1) 2 Página 50 de 58 .3 Veja que a função quiver plota o que representaria o campo elétrico devido à carga. que encontra o somatório simbólico de uma expressão.a.b) até b.a.v.Apostila de MATLAB 7.v) r = symsum(s. Exercícios: Determine os seguintes somatórios: determina o somatório de s variando a incógnita v de a encontra o somatório da função s em função de uma variável fornece o somatório em função da variável v.b) b. Sintaxe: r = symsum(s) r = symsum(s. r = symsum(s. determina o somatório de s variando a incógnita de a até simbólica pré-definida.

saida2.. Através dela podemos definir o nome da função.. . Exemplo: %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% % % % % % Função exemplo A função recebe um vetor qualquer e retorna dois valores: vetor2 = vetor multiplicado por 2 e v1 = o valor do primeiro elemento do vetor % % % % % %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%% function [vetor2.] = nome(entrada1. . %multiplica o vetor por 2 %retorna o primeiro elemento do vetor de entrada Para chamar a função basta digitar na janela de comando o nome da função com as entradas entre parênteses. Definição O M-File é uma ferramenta do MATLAB que auxilia a criação de funções. M-FILE 9.) %declaração do código .Apostila de MATLAB 7. v1=vetor(1)..3 9.. Para criar um novo M-file deve-se clicar em File → New → M-File. Lembrar de salvar o M-File com o mesmo nome da função!! Na janela de comandos do MATLAB podemos colocar um vetor como exemplo: Página 51 de 58 . entrada2. v1]= funcao(vetor) vetor2=vetor*2... A declaração inicial é a seguinte: function [saida1.1. suas entradas e saídas.

ou selecionando o texto inteiro e teclando Crtl+R. no mesmo M-File.2. ou ‘%{‘ para abrir o comentário por bloco e ‘%}’ para fechar.y]=funcao(A) x = 4 y = 2 10 -16 8 2 12 9.Apostila de MATLAB 7. Para rodar somente a parte selecionada.3 >> A=[2 A = 2 5 -8 4 1 6 5 -8 4 1 6] >> [x. Podemos ainda utilizar o símbolo ‘%%’ para que. Organização Para uma melhor organização podemos fazer comentários utilizando o símbolo ‘%’. tecle Ctrl+Enter e para rodar o programa inteiro clique em F5 ou em: Exemplo: Ao teclar Ctrl+Enter somente a Primeira Parte será executada Página 52 de 58 . o usuário possa rodar apenas algumas partes do programa.

Sintaxe: for <condição> [Comandos] end • while Def: Comando de iteração. Para mais de uma condição. ||.Apostila de MATLAB 7. &&. e para “ou”. Executa as funções contidas no comando. Sintaxe: if <condição> [Comandos] elseif <condição> [Comandos] else [Comandos] end • for Def: Comando de iteração. Página 53 de 58 . utiliza-se para “e”. • if Def: Operação condicional.PROGRAMANDO EM MATLAB O MATLAB também oferece um ambiente para a programação assim como a linguagem C. Executa um bloco de instruções enquanto a condição for verdadeira. As funções são bem parecidas. e com elseif. Pode ser utilizado com else. modificando apenas a forma de declará-la. que executa caso a condição declarada for falsa. Permite que um conjunto de instruções seja executado até que a condição seja satisfeita. que executa a função caso outra condição posteriormente declarada for verdadeira.3 10.

Funciona como um bloco de “if’s” Sintaxe: switch <condição> case caso1 [Comandos] case {caso1.3 Sintaxe: while <condição> [Comandos] end • switch Def: Operação condicional. switch a case {2} disp('Resposta um') case {3} disp(' Resposta dois') case '5' disp(' Resposta tres') otherwise disp('Resposta ?') end • disp Def: “Escreve” no command window um texto ou o valor de um vetor.} [Comandos] otherwise [Comandos] end (Caso não seja nenhuma das outras condições) a = 3. Testa sucessivamente o valor da expressão dada e direciona para o caso especificado. sem escrever seu nome. caso3. caso2. .Apostila de MATLAB 7. Sintaxe: disp(x) Página 54 de 58 ...

3 • input Def: Pede uma entrada do usuário pelo command window. Sintaxe: entrada = input(‘O que deseja?’) X = input('Entre um número\n') num = 10*X Command Window: Entre um número 23 X = 23 num = 230 • break Def: Quebra um laço for ou while. Sintaxe: break for i = 0:5 if i == 1 break end i = i + 1 end Command Window: i = 0 i = 1 Página 55 de 58 .Apostila de MATLAB 7.

crie um programa que calcule as raízes de uma dada função através dos métodos abaixo. a) Bissecção b) Newton-Raphson Página 56 de 58 .Apostila de MATLAB 7.B) 0 1 1 0 Utilizando matemática simbólica. A entrada deve conter uma função simbólica e a precisão da raiz. Sintaxe: continue for i = 0:3 if i == 1 && i == 2 continue end i = i + 1 end Command Window: i = 1 i = 4 • Operadores Lógicos Def: Operadores lógicos Entradas A 0 0 1 1 B 0 1 0 1 and A&B 0 0 0 1 or A|B 0 1 1 1 not ~A 1 1 0 0 Xor Xor(A.3 • continue Def: Passa para o próximo laço de um for ou while.

e escolhendo a opção “Set/Clear Breakpoint”. Verificação de Erros É muito comum que depois de implementado. A partir daí pode-se pressionar F10 para a execução da linha seguinte do programa. como em compiladores C. O programa será rodado até que o primeiro “breakpoint” seja encontrado.Apostila de MATLAB 7. Quando utilizamos um “breakpoint” numa linha. de modo a tornar mais fácil a localização e de um erro e a sua correção. Com essa ferramenta é possível se executar o código do programa passo a passo. Caso se queira pular para o próximo “breakpoint”. basta pressionar F5 echo on/off momento. um programa apresente erros de lógica ou de sintaxe.1. Depois de se criar os “breakpoints” pode-se chamar o m. 2. Primeiro se adiciona break points.file digitando o seu nome no “workspace” 3. O MATLAB. surge um ponto vermelho à sua esquerda. clicando com o botão direito do “mouse“ nas linhas em que temos interesse de começar a verificação. Abaixo segue alguns procedimentos para se Debugar: 1. 4.3 10. Mostra o código do M-file que está sendo executado no Página 57 de 58 . também apresenta uma ferramenta de “Debug”.

CARNAHAN. Editora LTC. William H. Volume I. John Wiley & Sons. 6ª Edição. H. Rio de Janeiro – RJ. Applied numerical methods.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [ 1 ]. [ 3 ]. Nova Iorque – 1969. Ubaldo. Inc. [ 5 ]. 1994. 3ª Edição. James W & RIEDEL. Circuitos Elétricos. Matemática para Concursos. O Cálculo com Geometria Analítica. & BUCK. Jr. ABC Editora. Eletromagnetismo. LEITHOLD. 6ª Edição. Rio de Janeiro – RJ. Brice. 2001. 2001. [ 2 ]. 2003. NILSSON. [ 4 ]. A. Jonh A. São Paulo – SP. James O. GÓES. & WILKES. Susan A.3 11. Louis.Apostila de MATLAB 7. Editora Habra. Editora LTC. Hilder & TONAR. Fortaleza – CE. HAYT. Página 58 de 58 . 6ª Edição. LUTHER.