Você está na página 1de 13
ABNT-Assoclagio Brasileira do Normas Técnicas sa: De Trae co Mio, 19-20 ae ‘ee zanonabo Cana Pot 680 6 oer nae Procedimento Origem: Projeto 04:005.04-005/1986 CB-04 - Comité Brasileiro de Maquinas e Equipamentos Mecanicos ‘CE-04:005.02 - Comissao de Estudo de Desenho Técnico Geral NBR 10126 - Technical drawing - Dimensioning Descriptors: Dimensioning. Drawing Copyright © 1987, Esta Norma foi baseada na ISO/DIS 129 eNnssecarae oor Ge Norns lesa Froreso no rst Fidos os aeeto esanedon Incorpora ERRATA n? 1, de JUL 1990 e ERRATA n® 2, de JUL 1998 Palavras-chave: Cotagem. Desenho 13 paginas SUMARIO 1 Objative 2 Documentos complomentares 3 Dofinigses 4 Método de execucao 6 Disposigio © apresontaglo da cotagem 6 Indioagdes espociais 1 Objetivo Esta Norma fixa os principios gerais de cotagem a serem ‘aplicados em todos os desenhos técnicos. Notas: a) Quando nacessario, devem ser consultadas cutras normas técricas de reas especificas, ) As Rguras do texto so apreseniadas na forme mais simples; servem apenas como exempls. 2Documentos complementares Na aplicagdo desta Norma ¢ necessério consular: NBR 8402 - Execugao de caractores para escrita em desenhos técnicos - Procedimento [NBR 8403 - Apicagao de linhas em desenos - Tipos de linhas - Larguras das linnas - Prosedimente NBR 10067 - Principios gorais de representagso em desenho técnion - Vistas @ cortes - Procadimento 3Definigbes Para os efeitos desta Norma sao adoladas as definigdes: 3.1032 34 Golagern Representagao gréfica no desenho da caracierstica do ‘elemento, através de linhas, simbolos, notas e vatornumé- Fico numa unidade de medida. 3.441 Funcional Essencial para a funglo do objeto ou local (ver Figura 4). 3.4.2 NBo funcional Nao essencial para funcionamento do objeto (ver NF na Figura 1) 3.1.3 Auwiliar Dada somente para informagao. A cotagem ausit influ nas operagdes de prodiigao cu de inspec: vada de outros valores apresantados no doséiino ou emt documentos @ neta na se aplica tolerancia (ver AUX na Figura 1). 3.14 Elemento Uma das partes caracteristicas de um objeto, tal coro uma superficie plana, uma superficie cilindrica, um res salto, um feta de rosca, uma rantiura. um contorno et. NBR 10126/1987 Figura 3.1.5 Produto acabade ‘Objeto completamente pronto para montagem ou servigo, ‘sendo uma configuragao executada conforme desenho. Um produto acabado pode também ser uma etapa pronta para posterior processamento (por exemplo: um produto fundico ou forjado). 3.2 Aplicagao A aplicagdo das cotas deve ser conforme especificado 4032.13.27. 3.24 Toda cotagem necessaria para descrever uma pega ou componente, clara e completamente, deve ser repre- sentada ciretamente no desenho. 3.2.2 A colagem deve ser localizada na vista ou corte que represente mais claramente o elemento, 32.3 Desenhos de detalhes devem ussr a mesma unidade {por exempio, millmotro) para todas as cotas sem 0 empre- {90 do simbolo. Se for necessério, para evitar mau enten- dimento, 0 simbolo da unidade predominante para um determinade desenho deve sar incluidona legenda. Onde foutras unidados devem ser empregadas como parte na ‘especificagtio do desenho (por exemplo, N.m. para torque ‘ou KPA para prassdo), 0 simbolo da unidade apropriada deve ser indicado com o valor. 25to0e 3.24 Colar somente 0 necessério para dascrever o objeto ou produto acabado, Nenhum lemento do objeto ou produto acabado deve ser defnide por mais de uma cota, Excogées podem sor fetes: a) onde for necessério a cotagem de um estégioin- termediério da produgio (por exemplo: o tamanno do elemento antes da cementagao e acabamento}, by onde a adigao de uma cota auxilar for vantajosa, 2.25 Nao espacificar os processos de fabricago ou 0s, métodos de Inspecdo, exceto quando forem ingispensé- ‘vois para assegurar o bom funcionamento ou intercambia- bilidade, 328 A cotagom funcional deve ser esorila diretamento ‘no desenho (ver Figura 2) Ocasionaimente a cotagem funcional escrita indireta- mente é justificada ou necesséria. A Figura 3 mostra o eleito da cotagem funcional escrita indiretamente, ace- ‘vol, mantendo 08 requisites dimensionals estabelecidos na Figura. 32:7 A cotagem nfo funcional deve ser localizada de for ma mais conveniente para a produgao @ inspegao. 152901 Figura 25 40006 400,008, 408008 Figurag NBR 10126/1987 4 Método de execugao ‘AA Elomentos de cotagem Inciuem a linha auxlar, linha de cota (NBR €403) limite da linha de cota ea coia. Os varios elementos da cotagem 's80 mostrados nas Figuras 4 @ 5, 42 Linhas auxilares e cotas ‘Sio desenhadas como linhas estreitas continua, confor- ‘me NBR 8403, mostradonas Figuras 4. 5, 421 Linha auxiiar deve ser prolongada ligeiramente alémn dda respactiva inna de cota (ver Figuras 4 5). Um pequeno 1500 Linh de cote cespago deve ser deixado entre a linha de contorno ¢ linha auxlliar 422 Linhas auxiliares dever ser perpendiculares ao elemento dimensionado, entretanto se necessérin, pode ser desenhado obliquamente a este, (aproximedamente 60°), porém paralelas entre si (ver Figura 6). 423 A construgio da intersecgao de linhas auxiliares: deve ser feita com 0 prolongamento desta além do ponto de interseccdo (ver Figura 7). 424 Linhas auxiiares @ cota, sempre que possivel, no deve cruzar com outras linhas (ver Figura 8) Linko auxitiar § FA ca Figura 4-b) Figuras \ umitan do tane de cota Tiree obtin Figura Figuraé NBR 10126/1987 425 A linha de cota no deve ser interrompida, mesmo ‘que o elemento o seja (ver Figura 8. eet Figura 4.2.6 0 cruzamento des linhas de cota © auxilares deve ser evitados, porém, se isso ocorrer, as linhas ndo devem Ser interrompidas no ponto de cruzamento, 4227 A linha de centro e a linha de contomno, no devern ser usadas como linha de cota, porém, podem ser usadas como linha auxiiar (ver Figura 10). A linha de centro, quando usada como linha auxiliar, deve continuer como, linha de centro até a linha de contorno do objeto. Figura 10 4.3 Limite datinhade cota ‘A indicago dos limites da linha de cota ¢ feta por meio de setas ou tragos obliquos, 43:1 As Indicagbes s3o especificadas como segue’ a)a seta @ desenhada com linhas curtas formando “ngulosde 15°.A seta pode ser aberta, ou fechada reenchida (ver Figura 11); yo trago oblique ¢ desenhado com uma tinha curta ‘inclinado a 45" (ver Figura 12); Seer) Figura 14 — Figura 12 422 A indicagao dos limites da linha de cota deve ter 0 ‘mesmo tamarno num mesmo desanho. 4.3.3 Somente uma forma da indicago dos limites da f= rnha de cota deve ser usada num mesmo desenno. Entre tanto, quando 0 espace for mito pequeno, outra forma de Indicagao de limites pode ser utiizada (ver Figura 24), 4.34 Quando howver esparo disponiva, a8 sets de limita ‘pao da linha de cota devern ser apresentadas entre os I- mites da linha de cota (ver Figura 13). Quando o espago, for limitado as setas de limitagao da linha de cota, podem ser apresantadas externamente no prolongamento da ie nha de cola, desenhado com esia finalidade (ver Figh- rata) 4.35 Somente uma seta do timitagao da linha de cota uilizada na cotagem de raio (ver Figura 18). Pode ser dentro ou fora do contomme, (ou linha auxiliar) capendenco do elemento apresantado, NBR 10126/1987 5 eee ere eee Figura 13 Figura 14 Figura 15 4.4 Apresentagdo da cotager 4444 As cotas devom ser aprosontadas om dosenho em ‘caracteres com tamanho sufciante para garantir completa e | ¥ avin tc noel comenee epreaiso oe iB 2 en 2 nronmes ere NER 8203) No clas ee ene Ulrmn ao daante een 7 20 oetates ca soprtan por avmuor ours lhe me + 4442 beste dis nods decologon mes amie um oy eS g doles deve ser utilizado num mesmo desent: a) método 1 ~ as cotas devem ser ocalizadas acima e parale~ Figura 17 lamente as suas linhas de cotas & preferivelmente ‘no centro (ver Figura 16). Na cotagem angular podem ser seguidas uma des formas apresentades nas Figuras 18 019. 70 3g 8 Figura 16 Excegio pode sor feita onde a cotagem sobre- posta éulilizada (ver Figura 34). As cotas devem ser escritas de modo que possam ser lidas da base e/ou lado direito do desenho. Cotas em I= ‘nhas de cotas inolnadas devem ser sogulias como mostra a Figura 17. Figura 18 6 NBR 10126/1987 b) Método 2: 443 A localizago das cotas freqentemente necesita ‘ser adaptada as varias situagdes. Portanto, por exemplo, «as cotas devem sor lidas da base dafolhade pa- _as cotas podem estar: pel. As linhas de cotas devem sor interrompidas, praforivelmente no meio, para inscrigio da cota a) no centio submetido da finha de cota, quando a (ver Figuras 200 21). pega @ desenhada em meia pega (ver Figura 23) B310 9250 (8400 Figura 23 »b) sobre 0 prolongamento da linha de cota, quando ‘© espag0 for imitado (ver Figura 24); Figura 24 Na cotagem angular podem ser seguidas uma das formas apresentadas nas Figuras 19 ¢ 22. Figura24 ‘© sobre o protongamento horizontal da tinha de cota, ‘quando e espago no permit alocalizagao com a intertupgao da Tinka de cota no horizontal (ver Figura 26), are Figura2s NBR 10126/1987- : rupgao for utiizada) deve ser subtinhada com linha rete ‘com a mesma largura da linha do algarismo (ver Figu- 1226). ss 418 5 Disposicaoe apresentacao dacotagem 5.1 Disposigao {A disposigao da cota no dasenho deve indicar claramente a finalidade do uso. Geralmente é resultado da combina- ho de varias finaldades, 8.2 Cotagom om cadeia Deve ser utiizada somente quando o possivel actimulo de tolerdncias no comprometer @ necessidade funcional das partes. (Figura 32) Figura 32 4444 Colas fora de escala (exoeto onde a linha de intor- 4.45 Os simbolos seguintes sdo usados com cotas para ode dosoo, Os sinboos de metro e de qadrado om sor emfos quando a forma fr dramen indy da, Os simbolos devem peeceder& cola (er Figu ra27a3t) / Ese formas emelhorarainterpreta- ¢: 014m ESF: Ditmetro etrico — R:Relo RESF: Rai estrico Figura 26 - Couadrado me g 3 3 Figurazz Figura 28 Figura Best 0, Figueaso Figurast 5.3 Cotagem por elemento de referéncia 5.3.1 Este método de cotagem 6 usado onde o nimero de cotas da mesma diregaa se relacionar a um elemento de referencia. Cotagem por elemento de referéncia pode ser executada ‘cama cotagam em paralelo ou cotagem adiiva 5.2.1.4 Cotagem em paralelo é a ocalizagao de varias co- tas simples paralelas uma as outras e espacadas suficien- temente para escrever a cota (ver Figuras 33 6 34) 5.2.4.2 Cotagam adiiva 6 uma simplificagso da cotagom ‘om paraleloe pode ser ullizada onde ha limitacao de es- ago e no haja probloma de interpretaca0, A origem @ localizada num elemento de referéncia @ a8 cotas s8o localzadas na extremidade da linha auxilar (vor Figura 34) 5.2.2 Colagem adltiva em duas diregSes pade ser utiizada quando for vantajoso, Neste caso, a origem deve ser como mostra a Figura 35, NBR 10126/1987 ‘53.3 Quando 0s elementos estiverem prOximos, quebra- ‘mos as linhas auxilares para permit ainscrigao da cota ‘no lugar apropriado, como mostra a Figura 36. 5.4 Cotagem por coordenadas 5.44 Podo ser mais pratico reduzir-se a Tabela, como mosiraa Figura 37 de que @ Figura 35. 5.44.2 Coordonadas para pontos de intersecqo em malhas nos desenhos de localizagSo sao indicadas como mostra a Figura 38, 5.43 Coordenadas para pontos arbitrrios sem a malha, devem aparecer adjacentes a cada ponto (ver Figura 39) ‘ou na forma de tabeta (ver Figura 40). 5.5 Cotagem combina: Cotagem simples, cotagem activa o cotarem por elemen- to comum podem ser combinadas no desenho (ver Figu- rast 42) 6 Indicagées especiais 6.1 Cordas, arcos, angulos eraios 6.1.1 As cotas de cordas, arcos e angulos, devem ser co- mo mostra a Figura 43, 6.1.2 Quando 0 centro do arco cait fora dos limites do es- pago disponivel, ainha de cota do raio deve ser quebrada ou interrompida, conforme a necessidade de localizar ou do 0 centro do arco (ver Figura 15). 16.1.3 Quando 0 tamanho do raio for definido por outras ‘colas, ale deve sor indicado pela linha de cota do raio ‘com simbolo R sem cota (vor Figura 44), 6.2Elementos equidistantes: 162.4 Onde 08 elementos equidistantes ou elementos uni- formemente distribuides séo parte da espaciicagao do desenho a cotagem pode ser simpliicada, 162.2 Espacamento linear pode ser cotado como mostra a Figura 45, Se houver alguma possibilidade de confuséo, entre © comprimento do espago e 0 nimero de espaca- rmentos, um espago dove sor cotado como mostra a Figu- 1046, 6.2.3 Espagamentos angulares de furos e outros olemen- tos podem ser cotados como mostra a Figura 47. Espaca- ‘mentos das anguios podem ser omitidos senao ceusarem divides ou contusao (ver Figura 48). 6.2.4 Espacamentos circulares podem ser cotados indire- tamente, dando o nimero de elementos, como mostra a Figura 49, 40 2 30 2 3 8 6 ° Figura 36 xp y fe 1 | 2 | 10 [155 2 | =| 2 | 15 3 | «of [im @ | | | 135 3 [10 | 20 | 2 e 7 8 2 70 Figuras7 10 NBR 10126/1987 Keo + ¥ 00 x=70 Figura38, 80 x=20 : "e x Y¥ 7 1 10 2 [eo [a e290 , ete bee = |e L 69 x10 : YB Figura0 Figura Ff +}—F faseeegtenestaeeh Figura st Figura a2 409 ® ae Figura 43 Figura4a “NBR 10126/1987 4 12 NBR 10126/1987 6.3 Elomentos repetidos ‘Se for possivel dfinir a quantidacle de elementos de mes- ‘mo tamanho e assim, evitar de patra mesma cota, eles podem ser cotados como mostra as Figuras 50 @ 51 6.4 Chanfros 0 escareados 6.4.1 Chanfros devem ser cotades como mostra a Figu- +9 52. Nos chanlros de 45° a cotagam pode ser simplifica- da, como mostram as Figuras 53 54. 6.42 Escareados 40 cotados conforme mostra a Figu- ass, 6.5 Outras indicagéos 6.5.1 Para evitara repetigo da mesma cota ou evitar cha- rmadas longas, podem ser utlizadas lotras de referéncias, ‘em conjunto com uma legenda ou nota (ver Figura $8). 6.5.2 Em objetos simétricos representados em meio corte (ver Figura 57-a)) ou mela vista (ver Figura 57-b)) (ver Figura 50 Figura 52 2xas° Figura 54 NBR 10067), a linha de cola deve cruzar e se estender ligeiramente além do eixo de simetia. 6.5.3 Normalmente nao se cota em conjunto, porém, quan do for cotado, o grupo de cotas especifico para cada objeto deve permanccer, tanto quanto possivel, separados (ver Figura 68). 6.54 Algumas vezes, € necossério colar uma area ou Ccomprimento linitado de uma superficie, para indicar uma situagao especial Neste caso, a érea ou 0 comprimento @ sua localizagéo, so indicados por meio de linha, trago e ponto larga, dese- inhada adjacente e paralela & face correspondente. Quando esta origéncia especial se referir a um elemento do revolugéo, a indicagso deve ser mostrada somente ‘num lade (vor Figura 69). Quando a localizapao e a extensio da exigéncia especial necessitar de identiicagao, deve-se cotar aproximada- mente, porém, quando 0 desenho mostrar claramente @ sua axtonsdo, a colagem nao @ necessaria (ver Fiou: ra60). 2xase Figuras3 Figura 55 NBR 10126/1987 13 Ae 3x012 B= 3xG10 Figura sé Figura $7-a) Figura 57-b) Figura 57 Figura 58 Figura 59 Figura 60