Você está na página 1de 2

EREMOB – Sertânia 15 de abril de 2011-04-12

Aluna: Ednirli Miro da Costa Turma: 3°C N°: 12

O IMPRESSIONISMO

Movimento artístico iniciado na França em fins do séc. XIX e cuja


influência se estendeu por boa parte da Europa e da América, avançando
também pelo séc. XX (inicial freq. maiúsc.).2. Conjunto de
particularidades técnicas e estilísticas que caracterizam obras e artistas
ligados a essa escola.3. Em arte, tendência geral a transmitir as impressões
fugazes e a mobilidade dos fenômenos, mais do que o aspecto estável e
conceitual das coisas (inicial maiúsc.). encicl. ART.PLAST Os pintores
impressionistas, seguidores de Courbet, escolheram seus temas na
realidade do seu tempo. Trabalhando “sobre o motivo”, como faziam freq.
os pintores de Barbizon, alguns paisagistas ingleses, como Boudin ou
Jongkind, ampliaram o estudo ao ar livre, fizeram da luz o elemento
essencial de suas pinturas, abandonando as cores sombrias e terrosas em
favor das cores puras, justapostas em pinceladas irregulares. Retratavam a
natureza cambiante, a particularidade do momento fugaz, indiferentes à
pesquisa, tão cara aos clássicos (e tão negligenciada pelos pintores
acadêmicos), e não os interessava a busca de um ideal ou da essência
eterna das coisas. Se Manet representa um papel importante na gênese
dessa nova pintura, os impressionistas, no sentido exato do termo, são
Monet (cuja tela Impressão: sol nascente, exposta em 1874, deu à crítica a
oportunidade de forjar, pejorativamente, o nome que passou a designar a
escola), Pissarro e Sisley, cujos caminhos foram acompanhados por outros
artistas que, com suas diferentes e respectivas personalidades, evoluíram
de forma claramente distinta: Renoir, Cézanne, Degas, Morisot, Cassatt
etc. O Impressionismo é um ponto de partida para Seurat e Signac,
mestres do Neo-Impressionismo, para Gauguin, Toulouse-Lautrec, Van
Gogh, bem como para inúmeros pós-impressionistas, na França e em
outros países. MÚS O termo conquistou a crítica musical em 1887,
designando as obras de Debussy e, em geral, as de todos os compositores
preocupados com a percepção subjetiva das cores sonoras e dos ritmos:
Ravel, Dukas, Satie, Roussel etc. Os músicos impressionistas priorizaram
a liberdade da forma, da frase e da linguagem harmônicas.
VEJAMOS ALGUMAS DE SUAS PRINCIPAIS OBRAS: