P. 1
avaliação 7º

avaliação 7º

|Views: 6.627|Likes:
Publicado porEtiene
Avaliação com interpretação das aventuras de Dom quixote
Avaliação com interpretação das aventuras de Dom quixote

More info:

Published by: Etiene on Apr 24, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/15/2013

pdf

text

original

Escola: Língua Portuguesa Nome: Série: Data

: / /

E aqui apresentamos Dom Quixote de la Mancha
Numa pequena aldeia da Mancha, província espanhola, vivia um fidalgo. Homem de costumes rigorosos e de decadente fortuna. Dom Quesada ou Quixano, ninguém sabe ao certo – vivia da exploração de suas propriedades, que mal lhe rendiam para manter uma simples aparência de abastança. Homem forte, altivo e nervoso, cultivava a caça como esporte e forma de abastecer melhor sua mesa. Aos cinquenta anos, magro, alto e de gestos imponentes e uma certa altivez forçada, era mais conhecido pela sua enorme biblioteca , onde empenhava toda moeda conseguida nas colheitas ou pela venda sucessiva de partes de suas terras, do que propriamente por sua esquisita maneira de viver. Entre um povo de raras leituras, como era o de sua aldeia, causava espanto e admiração, aquela voracidade com que consumia livros e mais livros. E o mais intrigante era que sua biblioteca só abrigava livros sobre aventuras da cavalaria andante, na época, coisa do passado. De tanto ler e imaginar, foi-se distanciando da realidade a ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivia. Varando noites e noites à luz de um candeeiro, lia,relia e reconstruía à sua maneira, o desenrolar de todas as aventuras. A mente, cada vez mais confundida. De tanto imaginar, um dia rompeu de vez o elo com a realidade. Num estado febril e agitado, iniciou uma existência onde só existiam personagens da cavalaria andante. Eram gigantes para derrotar, castelos que deveriam ser assaltados, donzelas prisioneiras de algum tirano para salvar, e legiões de bandidos a combater. Foi assim que, completamente transtornado, resolveu que seria cavaleiro andante e partiria com suas armas e seu cavalo em busca de aventuras e perseguindo justa fama. Os nobres cavaleiros dos livros que lia, sempre mudavam de nome. E como faziam os cavaleiros andantes, juntou ao seu o nome do lugar de origem: Dom Quixote de la Mancha. Tudo preparado, faltava-lhe apenas uma dama por quem se apaixonar. Foi então que escolheu Aldonza Lourenço, mas resolveu chamá-la por outro nome: Dulcineia. E como ela morava na aldeia de Toboso, completou o apelido: Dulcineia de Toboso. Arranjou no porão uma velha armadura, que pertencera ao seu bisavô, um pangaré magro e feio ao qual deu o nome de Rocinante, e tudo estava preparado para partir. Estava o nobre cavaleiro pronto para buscar a glória das batalhas e o gosto da aventura. Certa madrugada, saiu ao encontro das razões dos seus sonhos. Completamente armado, montado em seu “altivo” corcel, lançou-se ao mundo. Foi aí que conheceu aquele que viria a se tornar seu fiel escudeiro, o Sancho Pança.
MIGUEL DE CERVANTES. Dom Quixote – O cavaleiro da triste figura. 3. ed. Adap. José Angeli. São Paulo: Scipione, 1997. (Série Reencontro)

PARTE I
Etiene Peixoto Língua Portuguesa/ Leitura e Produção de Textos – Ensino

Fundamental

2

1) Em que parágrafo começa a descrição da personagem Dom Quixote?

2) O que o povo da aldeia pensava sobre Dom Quixote?

3) Que características do povo da aldeia justificava esse pensamento sobre dom Quixote?

4) Escreva uma característica de Dom Quixote de acordo com os aspectos selecionados abaixo. a) Aparência física

b) Personalidade

c) Aspecto econômico

d) Hábitos

5) Como Dom Quixote passou a ver a si mesmo? Por que isso aconteceu?

6) Assinale o significado que melhor substitui os termos destacados.
I. “Aos cinquenta anos, magro, alto e de gestos imponentes...” (A) Arrogantes (B) Sem importância (C) Engraçados (D)Loucos II. “...uma certa altivez forçada...” (A) graça (B) medo (C) loucura (D)orgulho III. “Homem de costumes rigorosos e de decadente fortuna.”
Etiene Peixoto Língua Portuguesa/ Leitura e Produção de Textos – Ensino

Fundamental

2

(A) Grande fortuna (B) Pobreza (C) Riqueza (D)Fortuna que está se acabando IV. “... que mal lhe rendiam para manter uma simples aparência de abastança.” (A) Aparência de fartura (B) Aparência de besta (C) Aparência de bobagem (D)Aparência de pobreza PARTE II – PRODUÇÃO DE TEXTO Faça um breve resumo sobre o que você sabe sobre Dom Quixote. Não copie do texto lido. Procure basear-se em tudo o que você já ouviu e leu sobre esse herói em nossas aulas.

PARTE III 1. Separe sujeito e predicado de cada oração. Dom Quixote resolveu que seria cavaleiro andante. S P Sancho Pança e Rocinante eram seus acompanhantes. S P A armadura era muito velha. S P O escudeiro era gorducho. S
Etiene Peixoto Língua Portuguesa/ Leitura e Produção de Textos – Ensino

Fundamental

2

P 2. Quantas orações, quantos períodos? “Foi assim que, completamente transtornado, resolveu que seria cavaleiro andante e partiria com suas armas e seu cavalo...”. O P “Numa pequena aldeia da Mancha, província espanhola, vivia um fidalgo. Homem que tinha costumes rigorosos e de decadente fortuna.” O P 3. Em que tempo verbal estão as orações? “De tanto ler e imaginar, foi-se distanciando da realidade...” “Dom Quesada ou Quixano, ninguém sabe ao certo...” Dom Quixote será sempre lembrado como o cavaleiro da triste figura.

Etiene Peixoto

Língua Portuguesa/ Leitura e Produção de Textos – Ensino

Fundamental

2

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->