Você está na página 1de 1

Desafio

Porto Alegre é a capital do estado do Rio Grande do Sul, localizada junto ao rio Guaíba, no
extremo sul do país. A cidade constituiu-se a partir da chegada de casais açorianos portugueses,
em 1742. No século XIX contou com o influxo de muitos imigrantes alemães, italianos, poloneses
e árabes. Porto Alegre tem uma população de 1.440.939 habitantes e área aproximada de 497
km², sendo que cerca de 4,1 milhões de pessoas do sul do país vivem na região metropolitana.
Apesar do mais elevado índice de desenvolvimento humano no Brasil, e de ter sido eleita por uma
consultoria inglesa como uma das 24 cidades com maior potencial para atrair investimentos no
mundo - sendo a única representante brasileira, Porto Alegre ainda sofre com problemas sociais e
altos índices de violência como qualquer outra metrópole brasileira.

Espiritualmente, a cidade é hoje um dos maiores desafios para a evangelização. Em 1960, Porto
Alegre tinha 10 igrejas e 1024 batistas. Quase 50 anos depois, a capital gaúcha tem 15 igrejas da
Convenção Batista Riograndense e cerca de 2000 batistas, que representam menos de 0,2% da
população. Porto Alegre tem apenas 9,3% de evangélicos, sendo a capital com menor índice de
crescimento do Evangelho. Por outro lado, é a capital que concentra o maior contingente espírita
do Brasil, tendo cerca de 30 mil centros de macumba. O tráfico de drogas, a gravidez na
adolescência e o índice de suicídio alcançam os maiores índices brasileiros. A cidade tem 78
bairros oficiais e quase todos sem nenhuma presença batista. O bairro Jardim Carvalho onde está
situada a Vila Cefer é um dos mais populosos de Porto Alegre. Alcançar este bairro populoso com
a mensagem de salvação e plantar novas igrejas batistas é o grande desafio.

Metas
- Alcançar um crescimento da membresia de 50%;
- Ter 100% dos membros matriculados na EBD;
- Ter 100% das famílias realizando o culto doméstico;
- Construção do templo;
- Autonomia da Igreja;
- Abertura de novas frentes.

Oração
1. A saúde física, emocional e espiritual da família missionária;
2. A conversão dos moradores do bairro Jardim Carvalho;
3. Construção do templo;
4. Abertura de novas portas para pregação do evangelho;
5. Crescimento numérico e espiritual da congregação.