Você está na página 1de 1

Economia

Camarões é uma nação da África Subsaariana bem provida, com condições


agrícolas animadoras e ricos recursos de petróleo. Entretanto, os serviços públicos
do país são um tanto instáveis. Camarões está tentando superar esses problemas e
melhorar sua eficiência agrícola por meio de vários programas do Banco Mundial e
do FMI (Fundo Monetário Internacional).

• Indústrias: produção e refinamento de petróleo, produção de alumínio,


processamento de alimentos, bens de consumo simples, têxteis, madeira,
manutenção de navios.

• Índice de desemprego: 30% (2001).

• População abaixo da linha de pobreza: 48% (2000).

• Exportação: petróleo bruto e derivados do petróleo, madeira, semente de


cacau, alumínio, café, algodão.

• Importação: máquinas, equipamentos elétricos, equipamentos de


transporte, combustível, alimentos.

Alguns ados sobre a economia dos Camarões:

• Agricultura: cunhões (125 mil t), café (72 mil t), pluma de algodão (92 mil
t), caroço de algodão (110 mil t), mandioca (1,5 milhão de t), milho (600
mil t), sorgo (450 mil t)
• Pecuária: eqüinos (51 mil), bovinos (4,9 milhões), suínos (1,4 milhão),
ovinos (3,8 milhões), caprinos (3,8 milhões), aves (20 milhões)
• Pesca: 80 mil t
• Mineração: petróleo (33 milhões de barris), calcário (50 mil t)

Reservas não exploradas de gás natural.

• Indústria: madeireira, bebidas, alimentícia, extração de petróleo, carvão


• Principais parceiros comerciais: França, Alemanha, Estados Unidos da
América, Bélgica, Luxemburgo, Países Baixos, Itália, Espanha.

Governo

• Tipo: república; regime presidencial multipartidário.

• Sistema judicial: baseado no sistema de direito civil francês, com influência


do direito comum; aceita jurisdição compulsória da ICJ.

• Feriado nacional: Dia da República (Dia Nacional) 20 de maio de 1972.

• Constituição: aprovada por referendo em 20 de maio de 1972, adotada em 2


de junho de 1972; revisada em janeiro de 1996.