P. 1
Estado e governacao

Estado e governacao

|Views: 392|Likes:
Publicado porLu Gulle

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Lu Gulle on Apr 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/24/2014

pdf

text

original

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIA SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLITICA E ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Tema: O
CADEIRA: Introdução a ciência de Administração Publica

DOCENTES:

Discente

Maputo, Março de 2011

1

Indice

2

Introducao

3

1.0 Conceito de Governação segundo: 1.1 Banco Mundial Define governação como as tradições e instituições através das quais a autoridade é exercida num país para o bem comum: - O processo através do qual os que estão em posição de autoridade são seleccionados, monitorados e substituídos; - A capacidade do governo de gerir efectivamente os seus recurso a e implementar politicas adequadas; e - O respeito dos cidadãos e do estado pelas instituições que governam as interacções económicas e sociais entre eles. Neste ponto, o Banco Mundial Define Governação numa perspectiva economicista, como sendo um dos mecanismos através do qual é feita a gestão dos recursos públicos cujo o ultimo objectivo é influenciar o Desenvolvimento e Crescimento económico. Baseando se nesta perspectiva economicista, a boa governação seria caracterizado pela existência de instituições e regras que assegurassem o desenvolvimento da capacidade humana e institucional através da melhoria da qualidade de sector publico; pela transparência a accountability no processo de tomada de decisões. De acordo com o site do banco mundial, a boa governação é entendida como um componente fundamental nos processos de desenvolvimento. Assim os indicadores da boa governação segundo Banco Mundial: Participação dos cidadãos, transparência, respeito pela lei, igualdade e inclusão de todos grupos, orientação para consensos e efectividade e eficiência e responsabilidade.

1.2 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Conceptualiza a governação como sistemas de valores, politicas e instituições através das quais a sociedade gere os seus negócios económicos, políticos e sociais através da interacção dentro e entre o Estado, sociedade civil e sector privado. É a forma através da qual uma sociedade se organiza para tomar e implementar decisões, alcançando compreensão, acordo e acção mútua. Este compreende os mecanismos e processos para os cidadãos e os grupos articularem os seus interesses, mediarem as suas diferenças e exercerem os seus direitos e obrigações legais. É um conjunto de regras, instituições e praticas que estabelecem limites e proporcionam incentivos aos indivíduos, organizações 4

e empresas. A governação para a PNUD, incluindo as suas dimensões políticas, económicas e sociais, ópera a todos os níveis da empresa humana, quer seja na família, vila, município, nação, região ou globo. (PNUD, 1997) Para PNUD a governação é um processo de participação, transparência e responsabilidade no exercício da autoridade política e administrativa, devendo ter a fim a promoção do estado de direito. Para este organismo existem três elementos essenciais para suportar o desenvolvimento Humano: O Estado ao criar um ambiente político e legal propício à observância das leis O sector privado ao gerar emprego e rendimentos A sociedade ao facilitar a inteiração social. Na óptica da PNUD os indicadores chaves da boa governação são: A participação pública; a observância das leis; a responsabilidade (accountability) 1.3 Governação Na Lógica De NEPAD (new partnership for African¶s Development) Na óptica da NEPAD governação é um processo de tomada de decisão e o processo pelo qual são implementadas, deste modo na lógica da NEPAD a boa governação envolve: Participação; Accountability; Responsabilidade; Transparências; Instituições efectivas e eficientes; Observância das leis e Consenso.

1.4 Na Lógica da União Europeia Para UE governação reproduz um ambiente num contexto politico e institucional que preserva os direitos humanos e se rege pelos princípios democráticos e a observância as leis (rule of Law) Para UE os principais indicadores da governação resume-se em: Transparência; Gestão responsável dos recursos humanos, naturais e económicos. Os indicadores da UE devem conduzir ao propósito de um equilibrado e sustentável desenvolvimento.

2.0 As principais Diferenças e Similaridades Podemos verificar que cada organização possui um enfoque diferenciado do que é governação, apesar de no entanto apresentarem certas características ou indicadores em 5

comum. A accountability é um destes indicadores quase obrigatório. Estas diferenças conceptuais não incentivam um distanciamento entre as organizações, mas as aproximas na tentativa de conciliar e redigir uma governação ³ tipo ideal´ porque a transformação das sociedades ditou a modificação do conceito segundo a necessidade sócio-cultural de cada uma delas de ser governada. O BM considera a governação no âmbito dos estados, assim como às empresas privadas e às organizações não governamentais. Basicamente a boa governação é tida como ³gestão desenvolvida´ (1992) e ³a experiencia do BM´ (1994) ao considerar as áreas da administração pública e sector público em particular, que deve ser caracterizado pela responsabilidade, dispositivos legais, informação e transparência. A EU preocupa-se na sua mais nova aceitação de governação na questão da não incorporação do conceito nas suas próprias reflexões e praticas de com como as tradições e instituições cooperação para o desenvolvimento. Quer isto dizer que para alem da democracia, direitos humanos, participação de Estado de direito, quando se fala da governação para UE, surge imediatamente a necessidade de uma maior transparência na cooperação para o desenvolvimento, publica ou privada, que permitam aos cidadão europeus e dos países em desenvolvimento conhecerem os critérios e as formas de atribuição e de gestão dos fundos de cooperação e desenvolvimento. A NEPAD concede bastante importância no processo da governação, segundo AfriMAP ao sector da justiça e o Estado de direito (incluindo as prisões, a policia e os sistemas de justiça consuetudinário), participação politica (transparência ao mecanismo pelo qual se legitima a um pequeno grupo de indivíduos a tomar decisões em nome dos outros cidadãos de um determinado país) Prestação de serviços públicos (promover o funcionamento efectivo do sector publico nos países africanos, e existência de mecanismos que reduzem as oportunidades de corrupção quer pelos funcionários públicos quer pelos lideres políticos) O PNUD era ao conceptualizar segundo o LEFTWICH por idealizar a democracia como base institucional e politico para boa governação, no sentido em que declara que a democracia solidifica e torna-se sustentável por si só. Para o conceito do PNUD ³ a boa governação é sinónima de formas efectivas democráticas de governação. A promoção de igualdade, a tolerância, a mobilização dos recursos para o desenvolvimento do país é 6

alguns atributos desta democracia. Num estado de boa governação, os sistemas são participativos, o que implica que todos membros das instituições governativas têm voz para a tomada de decisão, esta é o fundamento da legitimidade do sistema democrático¶.

3.0 O Contexto Moçambicano Vejamos o exemplo, se dois indivíduos estão em litígio, será que o estado providencia ao meios necessário a para a resolução de problema a ponto de evitar o recurso à violência pelos litigantes? Os períodos pelos quais o nosso país passou caracterizam-se pela aceleração dos processos de transformação de uma sociedade, onde os elementos intrínsecos, combinados com factores externos, produziram dinâmicas globais assentes em desequilíbrios de diferentes naturezas que se reforçam mutuamente. Moçambique, Senegal, África do sul e Ghana foram os primeiros países a serem abrangidos pelo AfriMAP. Estes países rubricaram e submeteram-se ao MARP (mecanismo Africano de Revisão de pares) no âmbito da NEPAD, seria muito difícil dizer que Moçambique identifica-se com a governação e com indicadores da NEPAD, mas isso não seria Verdade, e nem seria verdade dizer que nos identificamos com uma da outras três organizações na totalidade. Assumimos o mesmo ponto de vista logo na introdução quando afirmamos que o conceito varia em conformidade ao contexto. - dado o compromisso global com o BM, PNUD, EU-ACP, diríamos que o pais viaja numa tentativa de enquadrar os indicadores destas organizações na sua politica governativa. - os indicadores das organizações em estudo complementam-se, o que dá a impressão de que a politica e filosofia de governação do pais se encontra dentro dos parâmetros destas instituições; - A tentativa do governo no que tange o respeito pelos direito humanos, aplicação, racionalização e simplificação de estruturas e processos democráticos, combate ao abuso do poder, conflitos de interesses a às práticas corruptas e na aplicação efectiva da ordem, revelam esforços do governo em fortalecer a sua governação e integrá-la segundo todas as perspectivas, mistificando-a. 7

Entrevista

8

Conclusao

9

Bibliografia AFRIMAP, projecto de monitoria & advogacia da Governacao em Africa.Open Society Institute, Maputo, Agosto 2004.

10

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->