Você está na página 1de 31

1

FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas

SUMÁRIO

1 APRESENTAÇÃO................................................................................................................................................2
2. CITAÇÃO.............................................................................................................................................................3
2.1 Definição.........................................................................................................................................................3
2.2 Regra geral......................................................................................................................................................3
2.3 Citação direta...................................................................................................................................................3
2.3.1 Citação curta.............................................................................................................................................3
2.3.2 Citações longas.........................................................................................................................................3
2.4 Citação indireta...............................................................................................................................................4
2.5. Sistema numérico...........................................................................................................................................4
2.6 Sistema autor-data...........................................................................................................................................5
..............................................................................................................................................................................5
2.7 Citação de citação............................................................................................................................................5
2.8 Localização......................................................................................................................................................6
2.9 Recomendações...............................................................................................................................................6
2.10 Citação com indicação bibliográfica no rodapé............................................................................................9
2.11 Citações com indicações subseqüentes da mesma obra................................................................................9
3 NOTAS DE RODAPÉ.........................................................................................................................................11
3.1 Notas de Referência......................................................................................................................................11
3.2 Notas Explicativas.........................................................................................................................................13
4. REFERÊNCIA....................................................................................................................................................14
4.1 Definição.......................................................................................................................................................14
4.2 Transcrição dos elementos que compõem as referências..............................................................................14
4.3 Formas de entrada.........................................................................................................................................14
4.3.1 Autores Pessoais.....................................................................................................................................14
4.3.1.1 Abreviação de nomes e sobrenomes...............................................................................................15
4.3.2 Autor entidade........................................................................................................................................15
4.3.3 Entrada por título (autoria desconhecida)..............................................................................................16
4.3.4 Título e subtítulo....................................................................................................................................16
4.4 Edição............................................................................................................................................................17
4.5 Local..............................................................................................................................................................17
4.6 Editora...........................................................................................................................................................18
4.7 Data...............................................................................................................................................................19
4.7.1 Quando faltar dados tipográficos...........................................................................................................19
4.8 Descrição Física............................................................................................................................................19
4.9 Série ou Coleção............................................................................................................................................21
4.10 Notas............................................................................................................................................................21
4.11 Apresentação de Referências......................................................................................................................21
4.12 Publicações avulsas consideradas no todo no formato convencional e no eletrônico................................22
4.13 Publicação periódica...................................................................................................................................27
4.14 Disposição das referências..........................................................................................................................29
4.14.1 Sistema autor-data................................................................................................................................29
4.14.2 Sistema numérico.................................................................................................................................30
REFERÊNCIAS......................................................................................................................................................31
2
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
1 APRESENTAÇÃO

A normalização é uma característica essencial da atividade humana desde os primórdios da


civilização, tendo sido fundamental no desenvolvimento da linguagem falada e escrita. Outros
aspectos de normalização da atividade humana em épocas passadas podem ser observados quando
o comércio entre os povos primitivos exigiu o estabelecimento de medidas padronizadas de peso,
dimensão e formas de pagamento.

As normas simplificam o processo de produção em massa, asseguram a uniformidade do produto.

A normalização é uma atividade social a ser promovida mediante a cooperação de todos os


elementos envolvidos. O estabelecimento de uma norma deve ser baseado no consenso geral.

O papel que a normalização desempenhou na década de 1990 foi fundamental para o êxito das
empresas brasileiras em função de diversos fatores, a saber:

 A formação de blocos econômicos como o dos países da União Européia, o dos chamados
tigres asiáticos e o norte-americano;

 a crescente organização do consumidor brasileiro, mais exigente com a qualidade dos


produtos;

 a exigência de normalização de produtos e serviços, explicitada no Código de Defesa do


Consumidor e, finalmente, a necessidade de competitividade no mercado internacional,
aberto à concorrência externa, que tem exigido especificações de alto padrão tecnológico.

O número de normas técnicas que um país produz pode ser um indicador do seu grau de
desenvolvimento tecnológico.

No Brasil, o marco inicial da normalização foi a criação da Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT) em setembro de 1940. A ABNT é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, reconhecida pelo
Governo Federal como entidade de utilidade pública pela Lei 4150/1962. Seu objetivo é promover a
elaboração de documento normativo e colaborar nas atividades relativas à normalização, fornecendo
a base necessária ao desenvolvimento brasileiro. É representante no Brasil das entidades de
normalização ISO e IEC 1.

Dada a importância da normalização em todo processo de evolução da humanidade e da


necessidade contínua de aprendizado, base para a produção de conhecimento, torna-se imperativo a
docentes e discentes empreenderem esforços, no sentido de conhecer e praticar as normas
referentes à Informação e Documentação. Saber consultar, citar e referenciar uma informação
extraída de outra fonte é a finalidade deste curso.

Maria Gorete de Jesus Coutinho Cordeiro


Bibliotecária da Unimontes
Especialista em História do Brasil. “Unimontes”
Graduação em Biblioteconomia. “Fatema”

1
Organização Internacional de Normalização e International Electrotechnical Commission .
3
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
2. CITAÇÃO

2.1 Definição

Citação é a menção de uma informação extraída de outra fonte. As citações são utilizadas para
indicar a fonte de onde se retiram informações ou trechos de publicações consultadas para a
realização do trabalho. Todas as citações devem ser registradas na lista de referências, constante no
final do trabalho. A citação pode ser feita no corpo do trabalho ou em nota de rodapé.

2.2 Regra geral

Nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável ou título incluído
na sentença devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses,
devem ser em letras maiúsculas.

As citações podem ser diretas ou indiretas:

2.3 Citação direta

Transcrição textual literal de parte da obra do autor consultado. É reproduzida entre aspas duplas
exatamente como consta do original, acompanhada de informações sobre a fonte (em respeito à Lei
5.988, de 14 dez. 1973, que regulamenta os direitos autorais). Nas Citações Diretas, deve-se indicar,
obrigatoriamente, após a(s) data (s), página (s), volumes(s), tomo(s), parte(s) da fonte consultada.
Uma transcrição dentro de outra deve ser indicada por aspas simples.

Exemplo:

Neste contexto, Oliveira (1999, v. 2, p. 20) cita a participação da comunidade na gestão


escolar como “uma revolução cultural de dimensões ‘copernicanas’”.

2.3.1 Citação curta

As citações textuais de até três linhas devem ser inseridas na continuação do texto, entre aspas.
Indica-se logo após a citação, entre parênteses, o sobrenome do autor em maiúsculas, o ano de
publicação e a página correspondente à citação.

Exemplos:

“Apesar das aparências, a desconstrução do logocentrismo não é uma psicanálise da


filosofia [...].” (DERRIDA, 1967, p. 293).

O uso da categoria gênero propõe a desnaturalização das categorias homem e mulher;


ela indica “a dimensão inerente de uma escolha cultural e de conteúdo relacional”.
(HEILBORN, 1992, p.103).

2.3.2 Citações longas

São citações com mais de três linhas e devem constituir um parágrafo independente, recuado (4 cm
da margem esquerda), com tamanho de letra menor do que o utilizado no texto e com o espaçamento
1 entre linhas, dispensando as aspas, nesse caso.

Exemplo:

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de


deixar seu local de origem.Tipos comuns de teleconferência incluem o uso da televisão, telefone, e
computador. Através de áudio-conferência, utilizando a companhia local de telefone, um sinal de áudio pode
ser emitido em um salão de qualquer dimensão. (NICHOLS, 1993, p. 181).
4
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Observação: Recomenda-se para as citações longas o uso de recuo sem
aspas, no entanto, quando houver necessidade de, no meio de uma
citação longa, fazer-se uma interrupção para introduzir o comentário do autor, é preferível fechar a
citação com aspas, fazer o comentário e abrir nova citação com aspas.

2.4 Citação indireta

Texto baseado na obra do autor consultado. Neste tipo de citação, faz-se um resumo, ou se reproduz
com as próprias palavras, as idéias originais do autor, sem alterá-las. Ao final, indicar entre
parênteses o sobrenome do autor em maiúsculas, o ano de publicação e a página correspondente à
citação. Há várias formas de se fazer esse tipo de citação:

a) quando o(s) nome(s) do(s) autor(es) faz(em) parte integrante do texto, menciona-se a(s) data(s)
da publicação(ões) citada(s), entre parênteses, logo após o(s) nome(s) do autor(es). Nas citações
indiretas, a inclusão da página é opcional;

Exemplos:

como lembra Martins (1984), o futuro desenvolvimento da informação está cada dia mais
dependente de um plano unificado de normalização.

Oliveira e Leonardos (1943) dizem que a “[...] relação da série São Roque com os
granitos porfiróides pequenos é muito clara”.

b) a indicação da(s) fonte(s) entre parênteses pode suceder à citação, para evitar interrupção na
seqüência do texto. Havendo mais de uma fonte a ser citada, estas devem estar em ordem alfabética
e separadas por ponto e vírgula;

Exemplo:

após esse primeiro isolamento, na Inglaterra, vários casos têm sido descritos em paises
como Canadá, Noruega, Holanda, Dinamarca e Finlândia (BANGE; DUCROT, 1984;
GLAZERBROOK et al., 1973; JONES, 1981).

c) pode-se simplificar a citação mencionando-se apenas o número recebido pelo documento na


listagem bibliográfica. Esse procedimento pressupõe que essa listagem já possua numeração
definitiva, uma vez que inserções posteriores exigem mudança em toda numeração. Esse sistema
numérico não deve ser usado quando forem usadas notas de rodapé.

Exemplo:

Campos (20) destacou, em estudo sobre o atendimento aos menores em São Paulo, que
as creches comunitárias expressam uma relação diferente dos orfanatos [...]

2.5. Sistema numérico

Neste sistema, a indicação da fonte é feita por uma numeração única e consecutiva, em algarismos
arábicos, remetendo à lista de referências ao final do trabalho, do capítulo ou da parte, na mesma
ordem que aparecem no texto. Não se inicia a numeração das citações a cada página. O sistema
numérico não deve ser usado quando forem usadas notas de rodapé.

Exemplos:

Diz Rui Barbosa: “Tudo é viver, previvendo.” 15”

Diz Rui Barbosa: “Tudo é viver, previvendo.” 15


5
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
2.6 Sistema autor-data

Neste sistema a indicação da fonte é feita:

a) pelo sobrenome de cada autor ou pelo nome de cada entidade responsável até o primeiro sinal de
pontuação, seguido(s) da data de publicação do documento e da(s) página(s) da citação, no caso de
citação direta, separados por vírgula e entre parênteses;

Exemplos:

No texto:

A chamada “pandecística havia sido a forma particular pela qual o direito romano fora
integrado no século XIX na Alemanha em particular.” (LOPES, 2000, p. 225).

Na lista de referências:

LOPES, José Reinaldo de Lima. O Direito na História. São Paulo: Max Limonad, 2000.

b) pela primeira palavra do título seguida de reticências, no caso das obras sem indicação de autoria
ou responsabilidade, seguida da data de publicação do documento e da(s) página(s) da citação, no
caso de citação direta, separadas por vírgula e entre parênteses;

Exemplo:

No texto:

“As IES implementarão mecanismos democráticos, legítimos e transparentes de


avaliação sistemática das suas atividades, levando em conta seus objetivos institucionais
e seus compromissos para com a sociedade. “ (ANTEPROJETO ..., 1987, p. 55).

Na lista de referências:

ANTEPROJETO de lei. Estudos e Debates, Brasília, DF, n. 13, p. 51-60, jan. 1987.

c) se o título iniciar por artigo (definido ou indefinido), ou monossílabo, este deve ser incluído na
indicação da fonte.

Exemplo:

No texto:

E eles disseram “globalização”, soubemos que era assim que chamava a ordem absurda
em que dinheiro é a única pátria a qual se serve e as fronteiras se diluem, não pela
fraternidade, mas pelo sangramento que engorda poderosos sem nacionalidade. (A
FLOR ... , 1995, p. 4).

Na lista de referências:

A FLOR prometida. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. 4, 2 abr. 1995.

2.7 Citação de citação

Há citação direta ou indireta de um texto mesmo quando não se teve acesso ao original. Deve-se
empreender todo esforço para se consultar o documento original. No entanto, nem sempre é possível
o acesso a certos textos. Nesse caso, pode-se reproduzir a informação já citada por outros autores,
cujos documentos tenham sido efetivamente consultados. Deve-se adotar o seguinte procedimento:
6
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
a) no texto, citar o sobrenome do autor do documento não consultado,
seguido das expressões: citado por, apud, conforme ou segundo, e o
sobrenome do autor do documento efetivamente consultado. Em nota de rodapé, mencionar os dados
do documento original;

Exemplo

No texto:

Marinho1, (citado por MARCONI E LAKATOS, 1982), apresenta a formulação do


problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitado, simplifica e facilita a
maneira de conduzir a investigação.

Em rodapé
____________
1
MARINHO, Pedro. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: Vozes, 1980.

b) na listagem de referências, deve-se incluir os dados completos do documento efetivamente


consultado:

Exemplo:

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982.

c) quando não se usa nota de rodapé, deve-se incluir duas entradas na listagem de referências, uma
relacionando o documento não consultado, seguido da expressão Apud (citado por) e os dados do
documento efetivamente consultado;

Exemplo:

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982.

MARINHO, Pedro. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: Vozes, 1980. Apud


MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982.

2.8 Localização

As citações podem aparecer:

 no texto
 em notas de rodapé

2.9 Recomendações

As recomendações seguintes aplicam-se às citações diretas (textuais) e indiretas (livres).

a) Nas citações diretas (textuais) citar, após a data, a página de onde se transcreveu o trecho, o(s)
volume(s), tomo(s) ou parte(s) da fonte consultada; nas citações indiretas e (livres), a indicação da
página é opcional:

Exemplos:

Faust (1931, p. 15) mostrou que, “em cães naturais e experimentalmente infectados, o
sítio de localização primária do parasita é o ceco e o apêndice cecal”.

Anderr-Egg (1980) considera que, “a pesquisa um procedimento reflexivo sistemático,


controlado e crítico, que permite descobrir novos fatos ou dados, relações ou leis, em
qualquer campo do conhecimento”.
7
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
b) quando houver coincidências de sobrenomes de autores,
acrescentar as iniciais de seus prenomes:

Exemplos:

Azevedo, G. (1957)

Azevedo, M. (1957)

c) se persistir a coincidência, acrescentam-se os prenomes por extenso;

Exemplos:

Azevedo, Cândido. (1957)

Azevedo, Carlos. (1957)

d) em se tratando de entidades coletivas conhecidas por sigla, deve-se citar o nome por extenso
acompanhado da sigla na primeira citação e, a partir daí, usar apenas a sigla.

Exemplo:

A TAB. 2 confirma os dados apresentados anteriormente pelo Instituto Brasileiro de


Geografia Estatística (IBGE, 1975).

Nas citações subseqüentes, deve-se usar apenas a sigla:

Exemplo:

IBGE (1975) ou (IBGE, 1975).

e) quando se tratar de documento de autoria de órgão da administração direta do governo, cuja


referência se inicia pelo nome geográfico do País, Estado ou Município, deve-se citar o nome
geográfico seguido da data do documento:

Exemplo:

É neste nível de atuação da Universidade que se coloca o problema de conhecimentos


entre um público mais amplo, não limitado apenas à sua clientela habitual formada pelo
próprio corpo discente, (BRASIL, 1981).

f) quando se tratar de documento sem autoria conhecida, de publicação periódica referenciada no


todo ou dos casos em que a norma recomenda a entrada da referência pelo título, a citação é feita
usando-se a primeira palavra do título, em letras maiúsculas, seguida de reticências e data entre
parênteses:

Exemplo:

conforme análise feita em CONSERVACIONISTAS... (1980) os ecologistas nacionais


estão empenhados no tombamento da referida montanha.

g) quando se tratar de vários trabalhos de um mesmo autor, escritos em datas diferentes, cita-se o
sobrenome do autor, após as datas entre parêntese; para citação de vários trabalhos de um mesmo
autor com a mesma data, usam-se letras minúsculas acompanhando a data:

Exemplos:
8
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Pereira (1934, 1936, 1937)

Carvalho (1975a) Carvalho (1975b) ou Carvalho (1975a, b)

h) quando se tratar de citação indireta de mais de um documento de vários autores, indicá-los em


ordem alfabética seguidos da respectiva data, separados por ponto-e-vírgula:

Exemplo:

O modelo da fonologia gerativa padrão influenciou todas as teorias fonológicas que o


seguiram (CHOMSKY; HALLE, 1968; GOLDSMITH, 1990; LADEFOGED, 1982).

i) quando se tratar de documento sem data, registrar uma data aproximada, entre colchetes:

Exemplo:

Ramos [1950?]

j) quando houver necessidade de se suprimir partes de uma citação, no início, no meio ou no final
do trecho, usam-se reticências entre colchetes:
Exemplo:

“[...] a técnica é a maneira mais adequada de se vencer as etapas indicadas pelo


método. Por isso diz-se que o método equivale a estratégia, enquanto a técnica equivale
`a tática [...]” (GALLIANO, 1979, p. 14).

k) quando se fizerem interpolações, acréscimos ou comentários ao texto, deve-se indicá-los entre


colchetes:

Exemplo:

“nesse sistema ocorre o vozeamento [ou sua ausência] na produção dos sons.”
(CRYSTAL, 1997).

l) para enfatizar trechos da citação, deve-se destacá-los indicando esta alteração com a expressão
“grifo nosso” entre parênteses, após a chamada da citação, ou “grifo do autor”, caso o destaque já
faça parte da obra consultada.

Exemplo:

“[...] para que não tenha lugar a producçao de degenerados, quer physicos quer
moraes, misérias, verdadeiras ameaças à sociedade.” (SOUTO, 1916, p. 46, grifo
nosso).

m) quando se tratar de citação de textos em língua estrangeira, duas opções se apresentam:


transcrever a citação na língua original, traduzindo-a em nota de rodapé; traduzir diretamente no texto
e indicar, em nota de rodapé, a língua do documento original.

Exemplo:

No texto:

Isso reforça o que diz Reboul (1998, p. 33-34): “[...]unité profonde de lá réthorique [...]
n’est jamais simplement esthétique ni simplement argumentative, [elle] se situe toujours
au croisement dês deux”.1

Em rodapé:
1“
[...] A unidade profunda da retórica [...] não é jamais simplesmente estética nem simplesmente argumentativa,
[ela] se situa sempre no cruzamento da duas.” (tradução nossa)
9
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
n) a citação de dados obtidos por informação oral (palestras, debates,
comunicação e outros) é indicada pela expressão informação verbal,
entre parênteses, e mencionando-se os dados disponíveis em nota de rodapé.

Exemplo:

No texto:

O novo medicamento estará disponível até o final deste semestre (informação verbal)1

Em rodapé:
__________
1
Notícia fornecida por John A. Smith no Congresso Internacional de Engenharia Genética, em Londres, em
outubro de 2001.

o) os dados obtidos de trabalhos ainda não publicados, ou em fase de pré-publicação, são citados,
registrando-se as informações bibliográficas disponíveis (autor, título, nome da instituição, data),
conforme descrição desta apostila.

Exemplo:

No texto:

Os poetas selecionados contribuíram para a consolidação da poesia no Rio Grande do


Sul, séculos XIX e XX (em fase de elaboração)1.

Em rodapé:
____________________
1
Poetas rio-grandenses, de autoria de Elvo Clemente, a ser editado pelo EDIPUCRS, 2002.

p) erros gráficos ou de outra natureza, constantes do texto original, devem ser reproduzidos e
deverão ser indicados pela expressão (sic.) que significa que assim estava no original:

Exemplo:

“As reuniões do grupo devem objetivar o etendimento (sic.) do conteúdo do trabalho em


discussão.” (SILVA, 1999 p.10).

2.10 Citação com indicação bibliográfica no rodapé

Além de vir na seqüência do texto, a indicação bibliográfica pode vir também na nota de rodapé.
Neste caso, a indicação bibliográfica compreende o sobrenome do autor em maiúscula, o título da
obra grifado em itálico ou negrito, o ano de publicação e o número da página.

Exemplo:

“Pois para nós, brasileiros, a rua forma uma espécie de perspectiva pela qual o mundo
pode ser lido e interpretado.”1
1
DAMATTA, R. O que faz o Brasil, Brasil. 1999, p.30.

2.11 Citações com indicações subseqüentes da mesma obra

As subseqüentes citações da mesma obra podem ser referenciadas de forma abreviada, utilizando as
seguintes expressões, abreviadas quando for o caso. É muito comum nas notas de rodapé o uso de
termos, expressões e abreviaturas latinas, embora devam ser evitadas, uma vez que dificultam a
leitura. Em alguns casos, é preferível repetir tantas vezes quantas forem necessárias as indicações
bibliográficas.
10
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Exemplos de expressões latinas:

• ibidem ou ibid. – na mesma obra;


• idem ou id. – igual à anterior;
• opus citatum ou op. cit. – obra citada;
• passim – aqui e ali;
• sequentia ou et seq. – seguinte ou que se segue;
• loc. cit. – no lugar citado;
• C.f. – confira.
11
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas

3 NOTAS DE RODAPÉ

Deve-se utilizar o sistema autor-data para as citações no texto e o numérico para as notas
explicativas. As notas de rodapé devem ser alinhadas, a partir da segunda linha da mesma nota,
abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas
e com fonte menor. Usam-se algarismos arábicos, na entrelinha superior sem parênteses, com
numeração consecutiva para cada capítulo ou parte.

As notas de rodapé podem ser bibliográficas ou explicativas e têm por finalidade: indicar a fonte de
onde foi tirada uma citação, permitindo a comprovação ou ampliação do conhecimento pelo leitor,
incluindo comunicação pessoal, trabalhos não-publicados e originais não-consultados, mas citados
em outras fontes; inserir no trabalho considerações complementares que onerariam,
desnecessariamente, o desenvolvimento do texto, mas úteis ao seu aprofundamento; apresentar a
versão original ou a tradução de alguma citação, quando se fizer necessária a comparação de textos;
definir conceitos e termos utilizados; e apresentar passagens completas de onde se tirou a citação.

As notas de rodapé devem ser localizadas na margem inferior da mesma página onde ocorre a
chamada numérica recebida no texto. São separadas do texto por um traço contínuo de 3 cm e
digitadas em espaço simples (um) e impressas com caracteres menores do que o usado no texto.
Recomenda-se utilizar a notas de rodapé para o estritamente necessário, pois elas tendem a dificultar
a leitura.

Exemplos:
1
Veja-se como exemplo deste tipo de abordagem o estudo de Netzer ( 1976),
2
Encontramos este tipo de perspectiva na 2ª parte do verbete referido na nota anterior, em grande parte do
estudo de Rahner (1962).

3.1 Notas de Referência

A numeração das notas de referência é feita por algarismos arábicos, devendo ter numeração única e
consecutiva para cada capítulo ou parte. Não se inicia a numeração em cada página.

a) A primeira citação de uma obra, em nota de rodapé, deve ter sua referência completa.

Exemplo:
No rodapé da página
3
CARVALHO, Alfredo Leme Coelho de. O Simbolismo animal na obra do Padre. Curitiba: HD Livros, 1932.

b) As subseqüentes citações da mesma obra podem ser referenciadas de forma abreviada,


utilizando as seguintes expressões, abreviadas quando for o caso:

Idem – mesmo autor – Id.;

Exemplo:
3
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002 p. 5.
4
Id., 2006, p. 10.
12
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Ibdem – na mesma obra – Ibid.;

Exemplo:
_______________
4
ANDRADE, 1980, p. 150.
5
Ibid., p. 220.

c) Opus citatum, opere citato – obra citada – op. cit.

Exemplo:
_______________
4
SILVA, 1990, p. 20.
5
BONFIM., p. 220.
6
SILVA, op. cit., p. 60.

d) Passim – aqui e ali, em diversas passagens – passim.

Exemplo:
_______________
4
CARNEIRO, 2005, passim.

e) Loco citato – no lugar citado – loc. cit.

Exemplo:
_______________
4
TOMASELLI; PORTER, 1992, p. 33-46.
5
TOMASELLI; PORTER., loc. cit.

f) Confira, confronte – Cf.;

Exemplo:
____________
4
Cf. PEREIRA, 1994.

g) Sequentia – Seguinte ou que se segue – et. Seq.

Exemplo:
_______________
4
PEREIRA, 1994, P. 17 et. seq.

h) A expressão Apud - citado por, conforme, segundo – pode, também, ser usada no texto.

Exemplo:

No texto:

Segundo Silva (1983 apud Abreu, 1999, p. 3) diz ser [...]

“[...] o viés organicista da burocracia estatal e o antiliberalismo da cultura política de


1937, preservado de modo encapuçado na Carta de 1946.” (VIANNA, 1986, p. 172 apud
SEGATTO, 1995, p. 214-215).

No rodapé da página:
_______________
7
EVANS, 1987, apud SAGE, 1992, p. 2-3.
13
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
3.2 Notas Explicativas

A numeração das notas explicativas é feita com algarismos arábicos, devendo ter numeração única e
consecutiva para cada capítulo ou parte. Não se inicia a numeração a cada página.

Exemplo:

No texto:

O comportamento liminar correspondente à adolescência vem se constituindo numa das


conquistas universais, como está, por exemplo, expresso no Estatuto da Criança e do
Adolescente.1

No rodapé da página:
_______________
1
Se a tendência à universalização das representações sobre a periodização dos ciclos de vida desrespeita a
especificidade dos valores culturais de vários grupos, ela é condição para a constituição de adesões e grupos
de pressão integrados à moralização de tais formas de inserção de crianças e de jovens.
14
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas

4. REFERÊNCIA

Apresentamos três aspectos básicos: conceitos, transcrição dos elementos e apresentação de


referências de materiais impressos e documentos audiovisuais, sonoros, magnéticos e eletrônicos.

4.1 Definição

Referência é um conjunto de elementos que permite a identificação de publicações, no todo ou em


parte. Esses elementos são extraídos da publicação consultada e podem ser essenciais ou
complementares.

A NBR 6023 (ABNT, 2002) adota o termo Referência para apresentação das fontes consultadas,
devido à grande diversidade de informação bibliográfica e não bibliográfica que existe atualmente.

4.2 Transcrição dos elementos que compõem as referências

Conteúdo

• Formas de entradas (autor pessoal, autor entidade e título)


• Título e subtítulo
• Edição
• Local de publicação
• Editora
• Data
• Descrição física
• Séries
• Notas especiais

Nota: Os elementos apresentados em negrito caracterizam-se como essenciais.

4.3 Formas de entrada

Entrada é o termo ou palavra (nome do autor, título, assunto etc.) que encabeça uma referência,
determinando sua localização em índices, catálogos e bibliografias. E em alguns
casos chamada de cabeçalho.

4.3.1 Autores Pessoais

Pessoa(s) física(s) responsável(eis) pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de um


documento.

Indica(m)-se o(s) autor(es), de modo geral, pelo último sobrenome (exceto para sobrenomes
compostos) em maiúsculas, seguido do(s) prenome(s) e outros sobrenomes, abreviados(s) ou não.

Consideram-se sobrenomes compostos, entre outros:

a) Sobrenomes que indicam parentesco:

PEREIRA NETO, José.

ANTÔNIO JÚNIOR, Luiz.


15
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas

b) Sobrenomes compostos de um substantivo + adjetivo:

CASTELO BRANCO, Camilo.

ESPÍRITO SANTO, Humberto.

c) Sobrenomes ligados por hífen:

DUQUE-ESTRADA, O.

ROQUET-PINTO, E.

4.3.1.1 Abreviação de nomes e sobrenomes

Recomenda-se, tanto quanto possível, o mesmo padrão para abreviação de nomes e sobrenomes,
usados na mesma lista de referências.

 Autoria Individual

Exemplo:

CALEIRO, Regina Célia Lima. História e crime: quando a mulher é a ré – Franca 1890-
1940. Montes Claros: Ed. Unimontes, 2002. 168 p.

 Documentos elaborados por até três autores:

Exemplo:

GOMES, J. C. M.; DRUMOND, J. G. F.; FRANÇA, G. V. Erro médico. 2. ed. Montes


Claros: Ed. Unimontes, 2000. 210 p.

 Documentos elaborados por mais de três autores:

Exemplo:

Indica-se apenas o primeiro, seguido da expressão latina et al. (= e outros), em itálico,


conforme Houaiss (2001, p. xviii):

PETER, Coburn et al. Informática na educação. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

 Documentos elaborados por Organizador (Org.), Coordenador (Coord.), Compilador


(Comp.), Editor (Ed.): (Quando houver indicação explícita de responsabilidade da obra, em
coletâneas de vários autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida da
abreviação, no singular, do tipo de participação (Organizador, Compilador, Editor,
Coordenador etc.) entre parênteses.

Exemplo:

CARVALHO, Maria do Carmo Brant de (Org.). A Família contemporânea em debate. 6.


ed. São Paulo: Educ, 2005.

4.3.2 Autor entidade

As obras de autoria de entidade (órgãos governamentais, empresas, associações, congressos,


seminários, etc.) têm entrada pelo seu próprio nome, por extenso.
16
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Exemplo:

MINAS GERAIS (Estado). Tribunal de Justiça. Guia judiciário. 4. ed. Belo Horizonte:
Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, 1997. 221 p.

BRASIL. Ministério do Planejamento e Orçamento. Secretária de Orçamento Federal.


Manual técnico de treinamento: instruções para elaboração da proposta orçamentária
da União para 1999. Brasília: IN, 1998. 189 p.

ASSOCIAÇÃO DOS ARQUIVISTAS HOLANDESES. Manual de arranjo e descrição de


arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1973. 167 p.

ENCONTRO NORTE-MINEIRO DE CIENTÍSTAS SOCIAIS, 1., 1995, Montes Claros.


Anais... Montes Claros: Unimontes, 1995. 82 f.

4.3.3 Entrada por título (autoria desconhecida)

Deve-se entrar diretamente pelo título, sendo a primeira palavra impressa em letras maiúsculas.

Exemplo:

DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993.

4.3.4 Título e subtítulo

a) O título deve ser descrito exatamente como figura no documento. Os títulos muito longos podem
ter as últimas palavras suprimidas, usando-se reticências.

Exemplo:

ARTE de furtar... Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

LEVI, R. Edifício Columbus ...: n. 1930-33. 1997.108 f. Plantas diversas. Originais em


papel vegetal.

b) Quando o documento trouxer os títulos em mais de uma língua, a NBR 6023 recomenda que seja
feito registro do primeiro. No entanto, pode-se registrar também os demais, separando-os pelo sinal
de igualdade.

REVISTA BRASILEIRA DE BOTÂNICA = BRAZILIAN JOURNAL OF BOTANY

c) Quando se referenciam periódicos no todo (toda coleção), ou quando se referência integralmente


um número ou fascículo, o título deve ser sempre o primeiro elemento da referência, devendo figurar
em letras maiúsculas.

Exemplo:

REVISTA BRASILEIRA DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO. São Paulo:


FEBAB, 1973-1992.

d) Os títulos das publicações avulsas ou monografias, segundo a NBR 6023 (ABNT, 2002), devem
ser apresentados com destaque tipográfico (itálico ou negrito). Os títulos dos periódicos, quando
referenciados no todo (fascículos ou coleções), devem figurar em letras maiúsculas.

Exemplo:

OLIVEIRA, Alaíde Lisboa de. A bonequinha preta. 13. ed. Belo Horizonte: Lê, 1982.
17
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
MARTINS FILHO, Plínio. Direitos autorais na internet.
Ciência da informação, Brasília, v. 27, n. 2, p.183-188, maio/ago. 1998.

REVISTA DO CENTRO DE ESTUDOS PORTUGUÊS, Belo Horizonte: Faculdade de


Letras da UFMG, v. 22, n. 30, jan./jun. 2002.

e) O subtítulo só é mencionado na referência, quando fornecer informação complementar ao título;


nesse caso, usam-se dois-pontos para separá-los;

Exemplo:

As duas faces da moeda: uma leitura da obra de Aluízio de Azevedo.


Narrativa trivial: estranhamento e formalismo.

f) Quando no documento não existir título, pode-se atribuir um título que identifique o conteúdo do
documento, deve-se atribuir uma palavra ou frase que identifique o conteúdo do mesmo, entre
colchetes.

Exemplo:

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AGRICULTURA, 1., 1978, Recife. [Trabalhos


apresentados]. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 1980. ii, 412 p.

4.4 Edição

Quando houver uma indicação de edição, esta deve ser transcrita utilizando-se abreviaturas dos
numerais ordinais e da palavra edição, ambas na forma adotada na língua do documento.

Exemplos:

4. ed. (português e espanhol)


4e ed. (francês),
2nd ed.(inglês )
2. Aufl. (alemão)
2ª ed. (italiano)

Exemplos:

SCHAUM, Daniel. Schaum’s outline of theory and problems. 5th Ed. New York:
Schaum Publishing, 1956. 204 p.

PEDROSA, Irsael. Da cor à cor inexistente. 6. ed. Rio de Janeiro: L. Cristiano, 1995.
219 p.

Para os documentos eletrônicos, a versão equivale à edição e deve ser transcrita como tal.
Versão 3.7

Exemplo:

ASTROLOGY source. Version 1.0A. Seatte: Multicom Publishing, c1994. 1 CD-ROM.

4.5 Local

O local (cidade) de publicação deve ser indicado tal como figura no documento. Em caso de
homônimos, acrescenta-se o estado abreviado, ou nome do país.
Quando houver mais de um local para uma só editora indica-se o primeiro ou o mais destacado.
18
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
São Paulo
Viçosa, AL
Viçosa, MG
Viçosa, RJ

 Se o documento não informar o nome da cidade, mas esta puder ser identificada, registrá-la
entre colchetes.

Exemplo:

[São Paulo]

LAZZARINI NETO, Sylvio. Cria e recria. [São Paulo]: SDF Editores, 1994. 108 p.

 Não sendo possível determinar o local, deve-se indicar a expressão sine loco, abreviada,
entre colchetes.

Exemplo:

[S.l.].

OS GRANDES clássicos das poesias líricas. [S.l]: Ex Libris, 1981. 60 f.

4.6 Editora

O nome da editora deve ser indicado tal como figura no documento. Os prenomes de editores devem
ser abreviados e suprimem-se elementos que designem sua natureza jurídica ou comercial, desde
que dispensáveis à sua identificação.

Exemplos:

J. Olympio (e não José Olympio Editora)


Saraiva (e não editora Saraiva)
Ed. Unimontes
Ática

LIMA, M. Tem encontro com Deus: teologia para leigos. Rio de Janeiro: J. Olympio1,
1985.

 Havendo duas editoras, registram-se as duas com seus respectivos locais; acima de duas,
registra-se primeira ou a de maior destaque.

São Paulo: Educ; Rio de Janeiro: Revinter

Exemplos:

ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; MAIA, Carlos A. (Coord) História da Ciência: o


mapa do conhecimento. Rio de Janeiro: Expressão e cultura; São Paulo: EDUSP, 1995.
968 p. (América 500 anos, 2).

 Para os documentos sem editora, deve-se indicar a expressão sine nomine, abreviada e entre
colchetes.

1
Na publicação: Livraria José Olympio Editora
19
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Exemplo:

FRANCO, I. Discursos: de outubro de 1992 a agosto de 1993. Brasília, DF: [s.n.], 1993.

 Quando a editora é a mesma instituição responsável pela autoria, e já tiver sido mencionada,
não é indicada.

Exemplo:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Catálogo de graduação: 1994-1995. Viçosa,


MG: 1994. 385 p.

4.7 Data

A data é um elemento essencial e, segundo a NBR 6023, recomenda-se não deixar nenhuma
referência sem data. A data deve ser indicada em algarismos arábicos. Essa data de publicação,
preferencialmente, pode ser também a de copyright (registro dos direitos autorais), da impressão, da
apresentação, nos casos acadêmicos. No entanto, se nenhuma dessas estiver disponível, registra-se
uma data aproximada entre colchetes, como se segue abaixo:

[1981 ou 1982] um ano ou outro


[1989?] data provável
[1990] data certa, não indicada no item
[entre 1906 e 1912] use intervalos menores de 20 anos
[ca. 1970] data aproximada
[197-?] década provável
[18--] século certo
[18--?] século provável

 Ao referenciar uma coleção de obras em vários volumes, publicadas em datas distintas,


indica-se a data do volume mais antigo e a do mais recente.

1985-1996

Exemplos

RUCH, Gastão, HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO: da Antigüidade ao XX século, Rio


de Janeiro: F. Briguiet, 1926-1940. 4 v.

4.7.1 Quando faltar dados tipográficos

Indica-se da seguinte forma:

[s.l.]. = sem local (sine loco)


[s.n.]. = sem editora (sine nomine)
[S.l. : s.n.]. = sem local e sem editora
[s.d.] = sem data
[s.n.: s.d]. = sem editora e sem e sem data
[s.n.t.]. = sem notas tipográficas (na falta dos três dados)

4.8 Descrição Física

Pode-se registrar o número da última página, folha ou coluna de cada seqüência, respeitando-se a
forma encontrada (letras, algarismos romanos e arábicos).

Exemplos

LUCCI, E. A. Viver e aprender: estudos sociais, 3: exemplar do professor 3. ed. São


Paulo: Saraiva, 1994. 96, 7 p.
20
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
FELIPE, Jorge Franklin Alves. Previdência social na
prática forense. 4. ed. Rio de janeiro: Forense, 1994. vii, 236 p.

 Quando a publicação for constituída de apenas um volume, deve-se indicar o número total de
páginas ou folhas seguidos da abreviatura “p” ou “f”1.

Exemplo:

220 p. ou 190 f.

PIAGET, Jean. Para onde vai a educação. 7. ed. Rio de janeiro: J. Olympio, 1980. 500
p.

TABAK, F. A lei como instrumento de mudança social. Fortaleza: Fundação


Waldemar Alcântara, 1993. 17 f.

 Quando se referencia parte de publicações avulsas ou periódicas, o número das páginas


inicial e final deve ser indicado precedido da abreviatura “p.”

Exemplo:

p. 45-58
p. 12-30

REGO, L. L. B. O desenvolvimento cognitivo e a prontidão para a alfabetização. In:


CARRARO, T. N. (Org.). Aprender pensando. 6 ed. Petrópolis: Vozes, 1991. p. 31-40.

 Quando a publicação não for paginada ou for paginada irregularmente, registra-se a seguinte
forma:

“Não paginado” ou “Paginação irregular”.

Exemplo:

SISTEMA de ensino Tamandaré: sargentos do exército e da aeronáutica. [Rio de


Janeiro]: Colégio Curso Tamandaré, 1993. Não paginado.

 Quando se referencia uma coleção composta de mais de um volume, indicar conforme


exemplo abaixo:

Exemplo:
4 v.

RUCH, Gastão, HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO: da Antigüidade ao XX século, Rio


de Janeiro: F. Briguiet, 1926-1940. 4 v.

 Quando o número de volumes bibliográficos difere do número de volumes físicos, indicar


conforme exemplo abaixo:

Exemplos:
5 v. em 3

SILVA, De Palácio. Vocabulário Jurídico. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1996.


5 v. em 3.

1
“A folha é composta de duas páginas: anverso e verso. Alguns trabalhos, como teses e dissertações, são impressos apenas
no anverso e, neste caso, indica-se f” (ABNT – NBR 6023, 2002).
21
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
 Quando há uma parte no final da obra numerada com algarismos
romanos, indicar conforme exemplo abaixo:

Exemplo:
420, xxxi p.

FELIPE, Jorge Franklin Alves. Previdência social na prática forense. 4. ed. Rio de
janeiro: Forense, 1994. vii, 236 p.

 Pode-se também fazer referência às ilustrações constantes da obra, bem como às suas
dimensões, da seguinte forma:

Exemplo:

il. (para indicar que a obra inclui ilustrações);

CHUEIRE, C. Marca angelical. Ilustração Luciano Fadel. Petrópolis: Vozes, 1994.


18 p., il.

(para indicar ilustrações coloridas);

CÉSAR, A. M. A bala e a mira. Recife: Bogaço, 1994, 267 p. il., il. Color.

(para documentos sem texto, apenas ilustrado);

AZEVEDO, Marta R. de. Viva vida: estudos sociais, 4. São Paulo: FTD, 1994. 194 p., il.
Somente il.

4.9 Série ou Coleção

Após todas as indicações sobre os aspectos físicos, podem ser incluídas as notas relativas a séries
e/ou coleções. Indicam-se, entre parênteses, os títulos das séries e coleções, separados, por vírgula,
da numeração, em algarismos arábicos se houver.

Exemplo:

CARVALHO, Marlene. Guia prático do alfabetizador. São Paulo: Ática, 1994. 95 p.


(Princípios, 243)

4.10 Notas

Sempre que necessário à identificação da obra, devem ser incluídas notas com informações
complementares, ao final da referência, sem destaque tipográfico.

Exemplo:

MARINS, J. L. C. Massa calcificada da nasofaringe. Radiologia Brasileira, São Paulo,


n. 23, 1991. No prelo.

4.11 Apresentação de Referências

As referências dos documentos citados em um trabalho devem ser ordenadas de acordo com o
sistema utilizado para citação no texto, conforme NBR 10520. Os sistemas mais utilizados são:
alfabético (ordem alfabética) e numérico (ordem de citação no texto).

Os elementos da referência devem ser apresentados de forma padronizada, obedecendo à seqüência


dos elementos expostos anteriormente. As referências são alinhadas à margem esquerda, e devem
identificar individualmente cada documento. A pontuação segue padrões internacionais, devendo ser
uniforme para todas as referências.
22
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
4.12 Publicações avulsas consideradas no todo no formato
convencional e no eletrônico

a) livros e folhetos no todo. Inclui livro e/ou folheto (manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionários,
etc.) e trabalhos acadêmicos (teses, dissertações, entre outros),

Formato convencional

AUTOR. Título: subtítulo. Edição. Local de Publicação (Cidade). Editora, data. Número
de páginas ou volumes. (nome e número da série).

RAMOS, Graciliano. Angústia. 12. ed. São Paulo: Martins, 1970, 237 p. il.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos escolhidos. 2. ed.


São Paulo: Abril Cultural, 1978. 208 p. (Os Pensadores, 6).

Formato eletrônico

AUTOR. Título: subtítulo. Edição. Local de Publicação (Cidade). Descrição física do


meio eletrônico (Disquete, CD-ROM etc.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>.
Acesso em: dia mês e ano (para documentos on-line).

KOOGAN, A . HOUAISS, A. (Ed.). Enciclopédia e dicionário digital 98. Direção geral


de Andre Koogan Brekman. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5 CD-ROM.

ALVES, Castro. Navio negreiro. [s.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em:
<http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/lport2/navionegreiro.htm>. Acesso
em: 10 de jan. 2002, 16:30:30.

Observações: opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora, minutos e segundo:

b) Parte de livro (inclui capítulo, volume, fragmento e outras partes de uma obra com autor(es) e/ou
títulos próprios).

Os elementos essenciais são autor(es), título da parte, seguidos da Expressão “In:” e da referência
completa da monografia no todo. No final da referência, deve-se informar a paginação ou outra forma
de individualizar a parte referenciada.

Formato convencional

AUTOR DO CAPÍTULO. Título do capítulo. In: AUTOR DO LIVRO. Título: subtítulo do


livro. Edição. Local de Publicação (Cidade): Editora, data. volume, capítulo, páginas
inicial-final da parte.
23
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
ROMANO, Giovanni. Imagens da juventude na era
moderna. In: LEVI, G.; SCHIMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo:
Companhia da Letras, 1996. p. 7-16.

SANTOS, F. R. dos. A colonização da terra do Tucujús. In: ______.História do Amapá,


1º grau. 2. ed. Macapá: Valcan, 1994. cap. 3.

Formato eletrônico

AUTOR DA PARTE. Título da parte. In: AUTOR DA OBRA. Título. Edição. Local(Cidade)
de publicação: Editora, data de publicação. Volume ou páginas. Disponível em:
<endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano. (para documentos on-line).

ALENCAR, José de. O guerreiro. In: ______. Ubirajara. [S.l. : s.n.]. cap.3. Disponível
em: <http://www.vestibaboom.com.br>. Acesso em 30 nov. 2000.

Manual:

IBICT. Manual de normas de editoração do IBICT. 2. ed. Brasília, DF, 1993, 41 p.

Dicionário:

HOUAISS, ANTONIO (Ed.) Novo dicionário Folha Webster’s: inglês/português,


português/inglês. Co-editor Ismael Cardim. São Paulo: Folha da Manhâ, 1996. Edição
exclusiva para o assinante da Folha de São Paulo.

Catálogo:

UNB (Brasília, DF). Correio do livro da UnB: catálogo. Brasília, DF, n.1. out. / dez.
2000, 47 p.

Almanaque:

TORELLY, M. Almanaque para 1949: primeiro semestre ou Almanaque d’A Manhã. Ed.
fac-sim. São Paulo: Studioma: Arquivo do Estado, 1991. (Coleção Almanaques do Barão
de Itararé). Contém iconografia e depoimentos sobre o autor.

c) monografias, dissertações e teses

Formato convencional

AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou volumes.


(Categoria e área de concentração) – Nome da Faculdade, Nome da Universidade,
Cidade, ano da defesa.

Monografia

CORDEIRO, M. G. J. C. ; GARCIA, R. A. D. M.; CORDEIRO, Y. M. Catálogo do acervo


bibliográfico da Biblioteca Central Prof. Antonio Jorge - Unimontes, na área de
história até o período de maio de 2003. 2003. 2 v. il. Monografia (Especialização em
história) – Departamento de História, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes
Claros, 2003.

Tese:

DINIZ, Arthur José Almeida. Direito internacional público e o estado moderno. 1975.
196 f. Tese (Doutorado em Direito) - Faculdade de Direito, Universidade Federal de
Minas Gerais, Belo Horizonte, 1975.
24
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Dissertação:

MELO, Jussara. Núcleo do pólo saúde da família na Universidade Estadual de


Montes Claros [manuscrito]: desafios e possibilidades para a integração ensino-
serviço. 2001. 217 f. Dissertação (Mestrado em Medicina) – Faculdade de Medicina,
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

Observação: a primeira data a ser incluída na referência é a data em que o trabalho é apresentado
ou tornado público, e a última data é a da defesa.

Formato eletrônico

AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou volumes.


(Categoria e área de concentração) – Nome da Faculdade, Nome da Universidade,
Cidade, ano da defesa. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM, disquete etc.) ou
Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano. (para os documentos
on-line).

ASSUMPÇÃO, Solange Rodrigues Bonomo. O jogo da pontuação: a construção do


sentido na tessitura da escrita. 2002. Dissertação (Mestrado em Estudos LIngüísticos) –
Faculdade de le Letras Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. ISBN: 85-
87470-47-7. 1 CD-ROM.

Partes ou páginas isoladas

AUTOR DA PUBLICAÇÃO. Título. Edição. Local de Publicação


(Cidade): Editora, data. Número das páginas seqüenciais e isoladas.

BIER, O. Bacteriologia e imunologia. 15. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1970. p. 806-
807, 816, 831.

d) congressos, conferências, encontros e outros eventos científicos Inclui o conjunto dos documentos
reunidos num produto final do próprio evento (atas, anais, resultados, etc).

Formato convencional

NOME DO EVENTO, número, ano, local da realização (cidade). Título: subtítulo (se
houver). Local de publicação (cidade): Editora, data da publicação. Número de páginas
ou volumes.

CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 1.,


1980, Salvador. Anais... Salvador: FEBAB, 1980. 350 p.

Formato eletrônico

NOME DO EVENTO, número, ano, local da realização (cidade). Título: subtítulo (se
houver). Local de publicação (cidade): Editora, data da publicação. Descrição física do
meio eletrônico (CD-ROM, Disquete etc.). ou Disponível em: <endereço eletrônico>.
Acesso em: dia mês e ano. (para os documentos on-line).

SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE ANÁLISE DO DISCURSO, 2.,


2002, Belo Horizonte. Discurso, ação e sociedade. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2000.
1 CD-ROM.

CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPE, 4., 1996, Recife. Anais


eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em:
<http:www.propesq.ufpe.br/anais.htm>. Acesso em: 21 jan. 1997.
25
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
e) Trabalho apresentado em evento.
Formato convencional

AUTOR. Título do trabalho, In: NOME DO EVENTO, numeração., data, Local. Título do
documento (anais, atas, etc.), Local: Editora, data de publicação, página inicial e final
da parte referenciada

BRAYNER,. A. R. A. ; MEDEIROS, C. B. Incorporação do tempos em SGBD orientado a


objetos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 9., 1994, São Paulo.
Anais.... São Paulo: USP, 1994. p. 16-29.

Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico

AUTOR. Título do trabalho, In: NOME DO EVENTO, numeração., data, Local. Título do
documento (anais, atas, etc.), Local de publicação (Cidade): Editora, data. páginas
inicial-final.Formato ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e
ano. (para os documentos on-line).

GUNCHO, M. R. A educação a distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE


BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Tec Treina,
1998. 1 CD.

SILVA, R. N.: OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na


educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife.
Anais eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em:
<http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais/educ/ce04..htm>. Acesso em: 21 jan. 1997.

f) Normas técnicas

Formato convencional

AUTOR. Número da norma: título e subtítulo. Local de publicação (cidade): Editora,


data. Número de páginas).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICA. NBR 6023:


informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro,
2002. 24 p.

Formato eletrônico
AUTOR. Número da norma: título e subtítulo. Local de publicação: Editora, data.
Número de páginas. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM, disquete etc.) ou

Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano ( para documentos
on-line).

BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal de saúde. 005/99: norma


técnica de fiscalização e vigilância sanitária em laboratórios de citopatologia... Belo
Horizonte, 1999. disponível em: www.pbh.gov.br/smsa/vigilância/arquivo. Acesso em:
18 dez. 2002.

g) patentes (requeridas por empresa ou pessoa física)

Formato convencional

ENTIDADE RESPONSÁVEL. Autor. Título da invenção na língua original. Número da


patente, datas (do período de registro). Indicação da publicação onde foi citada a
patente, quando for o caso.

PRODUTO ERLAN LTDA (Uberlândia- MG). Paulo César da Fonseca. Ornamentação


aplicada a embalagem. C.i. 10-3-6. BR n. DI 2300045, 12 set. 1983, 28 maio 1985.
26
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Revista da Propriedade Industrial, Rio de
Janeiro, n. 762, 28 maio 1985.

WISCHHOFF, Dietric w. Cadeira multiuso. BR. N. MU7501381-9, 31 de maio 1995.

Formato eletrônico
ENTIDADE RESPONSÁVEL. Autor. Título da invenção na língua original. Número da
patente, datas (do período de registro). Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM,
disquete etc.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano
(para os documentos on-line).

CENTRO DE HISTOTERAPIA PLACENTÁRIA CUBANA. Carlos Manuel Miyares cão.


Composição para o tratamento da psoríase. PI 0008394-1 CU 00/00001, 22 fev.
2000, 31 ago. 2000. Disponível em: www.inpi.gov.br/pesq-patentes. Acesso em 28
nov. 2002.

h) Documentos Jurídicos: Legislação, Jurisprudência e Doutrina

Legislação formato convencional

JURISDIÇÃO (Nome do país, Estado ou Município) ou NOME DA ENTIDADE (no caso


de normas). Título, numeração e data (dia, mês e ano). Elementos complementares para
melhor identificação do documento (se necessário). Dados da publicação que
transcreveu o documento.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República


Federativa do Brasil, 1988. Brasília: Senado Federal, Centro
Gráfico, 1988. 292 p.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição Brasileira, 1988. Texto constitucional de 5


de outubro de 1988 com as alterações adotadas pelas emendas constitucionais n. 1/92 a
4/93 e pelas emendas constitucionais de revisão n. 1 a n. 6/94. Brasília: [Senado
Federal], 1994. 230 p.

MINAS GERAIS. Decreto n. 17.248 de 4 de julho de 1975. Minas


Gerais, 1 de maio de 1975. Minas Gerais, Belo Horizonte, 5 jul.
1975. p. 5.

Formato eletrônico

JURISDIÇÃO (Nome do país, Estado ou Município) ou NOME DA ENTIDADE (no caso


de normas). Título. numeração e data (dia, mês e ano). Dados da publicação que
transcreveu o documento. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM, Disquete etc.)
ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano (para documentos
on-line).

BRASIL. Congresso Nacional. Lei n. 10.523 de 23 de julho de 2002. Cria e transforma no


quadro permanente de pessoal da Secretaria do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª
região, os cargos que menciona e dá outras providências. Diário Oficial [da] República
Federativa do Brasil Poder Executivo, Brasília, DF, 24 de jul. 2002. Seção 1. p. 3.
Disponível em: http://www.in.gov.br. Acesso em: 23 dez. 2002.
27
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
Jurisprudência formato Convencional

JURISDIÇÃO (Nome do País, Estado ou Município) e Órgão judiciário competente.


Título (natureza da decisão ou ementa) e número. Partes envolvidas (se houver).
Relator. Local, data (dia, mês e ano). Dados da publicação que transcreveu o
documento.

MINAS GERAIS. Tribunal de Justiça. Construção – alvará de licença e alvará de


autorização – distinção – poder de polícia da municipalidade. Apelação cível n.
68.799. Posto CB Ltda. Versus Prefeito Municipal de Capim Branco. Relator: Oliveira
Leite. Belo Horizonte, Acórdão de 22 de abr. 1986. Jurisprudência Mineira, Belo
Horizonte, v. 94, p. 179-190, abr./ jun. 1986.

Jurisprudência formato eletrônico

JURISDIÇÃO (Nome do País, Estado ou Município) e Órgão judiciário competente.


Título (natureza da decisão ou ementa) e número. Partes envolvidas (se houver).
Relator. Local, data (dia, mês e ano). Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM,
Disquete etc.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano (para
documentos on-line).

SÃO PAULO (Estado). Tribunal de Alçada Civil. Nula é a ação de cobrança dirigida
contra quem, como mandatário, emitiu cheque. Ação rescisória n. 186.609. Marcos Pires
versus Domingos Teixeira. Relator: Machado Alvim. São Paulo, Acórdão de 27 de fev.
1974. Revista dos Tribunais, São Paulo, v. 463, p. 158-159, maio 1974. Disponível em:
http://www.rt.com.br/juris/.htm. Acesso em: 23 dez. 2002.

Doutrina formato convencional

AUTOR. Título. Dados da publicação que transcreveu o documento.

FRANÇA, Rubens Limongi. Direito intertemporal em matéria civil: subsídios para uma
doutrina brasileira. 1967. 581 f. Dissertação (concurso a Cátedra de Direito civil) –
Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1967.

Doutrina formato eletrônico

AUTOR. Título. Dados da publicação que transcreveu o documento. Descrição física do


meio eletrônico (CD-ROM, Disquete etc.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>.
Acesso em: dia mês e ano (para documentos on-line).

GOMES, Luiz Flávio. STJ cancela súmula 174: arma de brinquedo não agrava o roubo.
Jus Navigandi, Teresina, v. 6, n. 53, jan. 2002. Disponível em:
http://www.jus.com.br/doutrina/texto.asp?id=2561. Acesso em: 23 dez. 2002.

4.13 Publicação periódica

Publicação periódica designa obra ou publicação que aparece em tempos determinados.

Os elementos essenciais são: título, local de publicação, editora, data de publicação, em caso de
coleção, data de início e encerramento da publicação, se houver.

a) Coleção

Formato convencional (Coleção)

TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. Local de publicação (Cidade): Editor-autor, Ano do primeiro


volume. Periodicidade. ISSN.
28
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
UNIMONTES CIENTÍFICA. Montes Claros: Unimontes, 2001.
Semestral. ISSN 1519-2571.

Formato eletrônico (Coleção)

TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. Local de publicação (Cidade): Editor-autor, data da


publicação. ISSN. Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano
(para documentos on-line).

CIONLINE. Brasília: Ibict, 2002. ISSN: 1518-8353. Disponínel em: www.ibict.br/cionline.


Acesso em: 29 nov. 2002.

b) Fascículos

Formato convencional

TÍTULO DO PERIÓDICO. Local de publicação (Cidade): Editor, volume, número, mês e


ano. Número de páginas.

REVISTA DE ESTUDOS DA LINGUAGEM. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da


UFMG, v. 8, n. 1, jan./jun. 1999. 244 p.

c) Quando se tratar de números especiais e suplementos deve-se indicar essa característica nos
dados da referência;

BOLETIM DO DEPLAN. Rio de Janeiro: DEPLAN, 1967. Edição Especial.

ACTA ANATOMICA. Basel: S. Karger Ag., v. 83, Dec. 1972. Supplementum 59.

d) Artigos de publicações periódicas

Formato convencional

AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do periódico, Local de publicação


(Cidade), número do volume, número do fascículo, páginas inicial-final, mês e ano.

ROMANO, Roberto. Os laços do orgulho, reflexões sobre a política e o mal. Unimontes


Científica, Montes Claros, v. 6, n. 1, p. 15-41, jan./jun. 2004.

Formato eletrônico

AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do periódico, Local de publicação


(Cidade), número do volume, número do fascículo, páginas inicial-final, mês e ano.
Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano.(para documentos on-
line)

FRANCELIN, Marivalde Moacir. Ciência, senso comum e revoluções científicas:


ressonâncias e paradoxos. Ciências da Informação on-line, Brasília, v. 33, n. 3, 2004.
Disponível em:
< www.ibict.br/cionline>. Acesso em: 26 set. 2005.

e) Artigos de jornal

Formato convencional

AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do jornal, Local de publicação (Cidade),


dia, mês, ano. número ou título do caderno, seção ou suplemento, páginas inicial-final.
29
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas
LEISTER FILHO, Adalberto; MATTOS, Rodrigo. Escândalo
de arbitragem põe brasileiro em risco. Folha de São Paulo,
São Paulo, 25 set. 2005. Folha Esporte, p. 1

Formato eletrônico

AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do jornal, Local de publicação (Cidade),


dia, mês, ano. Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês e ano. (para
documentos on-line).

RECONDO, Felipe. PT perde mais dois deputados e deixa de ser maior bancada. Folha
Online. São Paulo, 27 set. 2005. Disponível em: <http://www.folha.com.br>. Acesso em:
27 set. 2005.

f) Imagem em movimento inclui filmes, videocassetes, DVDs, entre outros. Os elementos essenciais
são: título: subtítulo (se houver), créditos (diretos, produtor, realizador, roteirista e outros), elenco
relevante, local, produtora, data, especificação do suporte em unidades físicas e duração.

Filme longa metragem

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martire de Clermont-


Tonnerre e Arthur cohn. Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marília Per; Vinícius de
Oliveira; Sônia Lira; Othon Bastos; Matheus Nachtergaele e outros. Roteiro: Marcos
Bernstein, João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. [S.l]: Lê Studio Canal; Riofilme;
MACT Productions, 1998. 1 bobina cinematográfica (106 min), son., color., 35 mm.

Fitas cassete

OS PERIGOS do uso de tóxico. Produção de Jorge Ramos


De Andrade. São Paulo: CERAVI,1983. 1 fita cassete.

DVD

BLADE Runner. Direção: Ridley Scott. Produção: Michael Deeley. Intérpretes: Harrison
Ford; Rutger Hauer; Sean Young; Edward James Olmos e outros. Roteiro: Hampton
Fancher e David Peoples. Música: Vangelis, Los Angelis: Warner Brothers, c1991. 1
DVD (117 min), Widescreen, color. Produzido por Warner Vídeo Home. Baseado na
novela “Do androids dream of eletric sheep?” de Philip K. Dick.

4.14 Disposição das referências

As referências podem ser ordenadas pelo sistema alfabético (ordem alfabética de entrada) ou pelo
sistema numérico (ordem numérica crescente, obedecendo a ordem de citação no texto). O Sistema
numérico possui a desvantagem de somente permitir a inclusão dos documentos citados no texto,
deixando os demais, que também foram consultados, sem menção na lista.

4.14.1 Sistema autor-data

Exemplo:

BRASIL. Constituição (1988), Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Brasília:


Senado Federal, Centro Gráfico, 1988. 292 p.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
1976. 149 p.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 13. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1987. 79 p.
30
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas

________. Pedagogia do oprimido. 9. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1981. 218 p.

GUNCHO, M. R. A educação a distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE


BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Tec Treina, 1998. 1 CD.

SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação. In:
CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife:
UFPe, 1996. Disponível em: <http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais/educ/ce04..htm>. Acesso em:
21 jan. 1997

4.14.2 Sistema numérico

Exemplo:

1 GUNCHO, M. R. A educação a distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE


BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Tec Treina, 1998. 1 CD.

2 SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação.


In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos...
Recife: UFPe, 1996. Disponível em: <http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais/educ/ce04..htm>.
Acesso em: 21 jan. 1997

3 BRASIL. Constituição (1988), Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Brasília:


Senado Federal, Centro Gráfico, 1988. 292 p.

4 FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
1976. 149 p.

5 FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 13. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1987. 79 p.

6________. Pedagogia do oprimido. 9. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1981. 218 p.
31
FUNORTE
Faculdades Unidas do
Norte de Minas

REFERÊNCIAS

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION. Anglo-american cataloging rules. Chicago, 1976. 410 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação:


referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação:


citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação:


trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

CAMPELLO, B. S.; CENDÓN, B. V.; KREMER, J. M. (Org.) Fontes de informação para


pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: UFMG, 2000. 319 p. (Aprender).

FRANÇA, Júnia Lessa et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. Belo
Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

Interesses relacionados