Você está na página 1de 6

ROTEIRO

O LÁVA-PÉS.

(NARRADOR): Sabendo, Jesus que o Pai lhe entregou todas as coisas entre as mãos, e
que de Deus ele saiu e para Deus Ele volta; toma então uma atitude inesperada.
*Jesus levanta-se da mesa tira o manto pega uma toalha enrola na cintura, derrama água numa bacia,
e começa a lavar os pés dos discípulos, enxugando com a toalha com que está cingido, chegando a vez
de Simão Pedro este lhe disse.
(PEDRO) _ Senhor tu me lavas os pés?
(JESUS) _ Agora não entendes o que estou fazendo, mais tarde compreenderás.
(PEDRO) _ Tu nunca me lavarás os pés Senhor! (puxando os pés).
(JESUS) _ Se eu não te lavar não terás parte comigo!
(PEDRO) _ Então Senhor, não somente os pés, mas lava-me também as mãos e a cabeça.
(JESUS) _ Aquele que tomou banho não tem nenhuma necessidade de ser lavado, pois
está inteiramente puro. Quanto a vós, estais puro, mas não todos vós estao puros.
*Jesus toma o seu lugar à mesa, mais ele volta proferindo estas palavras.
(JESUS) _ compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais de Mestre e senhor, e dizeis bem,
pois eu o sou, se pois eu, o senhor e mestre, vos laveis; também vós, deveis lavar os pés
uns dos outros. Pois é um exemplo que eu vos deixo. Pois um servo não é maios que seu
senhor nem o mensageiro maior do que aquele que o enviou, por isso vão e façam o
mesmo.
*Sentando-se à mesa Jesus continua a falar.

(JESUS) _ Irmãos é uma alegria muito grande fazer esta ultima refeição com vocês,
entretanto, eis que a mão de quem me trai está à mesa comigo, um dentre vos vai me trair
hoje; O Filho do Homem vai segundo o que está escrito, mas aí daquele que trai o Filho do
Homem, para ele seria melhor que não tivesse nascido.
*Os discípulos começam a dialogar entre si, e a perguntar:
(ANDRÉ) _ Quem Senhor?
(PEDRO) _ Eu não.
(JOÃO) _ Será eu Senhor?
*Simão Pedro faz sinal para o discípulo que Jesus amava para que ele pergunte de quem ele está
falando, o discípulo reclinado ao peito de Jesus, diz.
(DISCIPULO) _ Senhor, diga-nos, quem é?
(JESUS) _ É aquele a quem eu der o pão molhado.
(JUDAS) _ Está falando de mim Jesus?
(JESUS) _ Tu o dizes...
*Jesus molha o pão e o entregou a Judas Iscariotes; e exclama.
(JESUS) _ Judas, o que queres fazer, faça o logo.
*Tendo Judas recebido o bocado, apressa-se em sair da mesa. Jesus observa-o a afastar-se e exclama.
(JESUS) _ Agora é glorificado o Filho do Homem, e Deus é glorificado nele. Filhinhos meus,
por pouco tempo ainda estou convosco, vós haveis de procurar-me, mas para onde eu vou,
vós não podereis ir. Dou-vos um novo mandamento: “Amai-vos uns aos outros, como Eu vos
tenho amado”.
(PEDRO) _ Senhor para onde vais?
(JESUS) _ Para onde vou não pode seguir-me agora, mais irá seguir-me mais tarde.
(PEDRO) _ Senhor, por que não posso segui-lo agora? Darei a minha vida por ti!
(JESUS) _ Simão, Simão, escute bem, Satanás pediu permissão para vos peneirar como o
lavrador separa o trigo da palha, mas eu tenho orado por você Simão, para que não lhe falte
fé, e quando você voltar para mim anime seus irmãos.
(PEDRO) _ Mestre, estou pronto para ir contigo tanto para a prisão como para a morte.
(JESUS) _ Simão, digo-lhe que hoje antes do galo cantar, você me negará três vezes.
Porém, não perturbem vossos corações, credes em Deus, credes em mim. Depois de ir e
vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estiver também
vós estejais.
(TOMÉ) _ Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?
(JESUS) _ Tomé, Eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai se não por mim.
(FILIPE) _ Senhor, mostra o Pai e isto nos basta.
(JESUS) _ Há tanto tempo que estou convosco e não me conheceste Filipe! Aquele que me
viu, viu também o Pai... “Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim fará
também as obras que faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai.
E tudo que pedirdes ao Pai em meu nome, o farei para que o pai seja glorificado no Filho”.

AGONIA DE JESUS

(NARRADOR) Após a ceia, conforme Seu costume, Jesus dirigiu-se para o monte das
oliveiras, um jardim que ficava além da torrente de Cedron, seguido pelos seus discípulos.
Já tinha a alma oprimida de aflição e crescente angustia, então disse para os discípulos:
Orai para que não caiais em tentação (pausa).
(NARRADOR) Sabendo que sua hora estava próxima, Jesus tomou consigo Pedro e os dois
filhos de Zebedeu e afastou-se um pouco de seus discípulos e prostrando-se, orava ao Pai.
*Jesus pede para que os discípulos aguardarem, mas chama Pedro, Joao e Tiago.
(JESUS) _ “Fiquem aqui e vigiai comigo; Minha alma está triste até a morte”. Vou rezar um
pouco mais adiante.
*Jesus se distancia um pouco mais e começa a orar com a face por terra..
(JESUS) _ (em tom de sofrimento) Aba!Tudo te é possível, afasta de mim este cálice!
Todavia não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres.
*Jesus levanta e vai ao encontro dos três discípulos e os encontra dormindo.
(JESUS) _ Pedro, não fostes capaz de vigiar nem pôr uma hora comigo? Levantem-se e
orem, para que não caiam em tentação.
(PEDRO) _ Mestre o que te aconteceu?
(JOAO) _ Chamo os outros Senhor?
(JESUS) _ Não João! Não quero que eles me vejam assim.
(PEDRO) _ Corres perigo? Devemos fugir Mestre?
(JESUS) _ Não, fiquem aqui e vigiem! Orem, para que não caiam em tentação. O espírito
está pronto,, mas a carne é fraca.(pausa)
*Enquanto Jesus se afasta os discípulos dialogam entre si. Mas logo adormecem por causa do
cansaço.
(PEDRO) _ O que há com ele?
(TIAGO) _ Parece aterrorizado! Na ceia ele falou do traição, o que está acontecendo com o
Mestre?
*eles ficam olhando Jesus e logos se sentam e dormem de novos.
(JESUS) _ Pai, se possível que este cálice passe sem que eu o beba, faça-se a tua
vontade!
(NARRADOR) - Jesus se levanta uma segunda vez e encontra os discípulos novamente
dormindo, pois tinham seus olhos pesados, os deixa e volta para continuar orando.
*nesse momento o diabo começa a tentar Jesus...
(DIABO) _ Crês mesmo que um só homem possa carregar todo o fardo do pecado?
(DIABO) _ Ninguém pode carregar este fardo, eu te asseguro. É pesado de mais, salvar as
almas deles é caro demais, não vale a pena! Desista, teu pai bem tem poder para redimir os
homens sem teu sofrimento.
(JESUS) _ Pai, tu podes tudo, afasta de mim este cálice. Mas seja feita a tua vontade.
*Jesus cai por terra enquanto o diabo o tenta novamente!
(DIABO) _ Lembre-se que quem é teu Pai? Quem és tu? Porque sofres por aqueles que te
condenam, você não precisa disso é só dizer eu não quero, e tudo Cessa... Veja até aqueles
que dizem morrer por ti, dormem tranquilamente enquanto sofres sozinho.

(NARRADOR) – Nesse momento apareceu um anjo do céu para confortá-lo.


(NARRADOR) - Jesus se angustia mais ainda e começa a orar com mais instância. Seu
suor se converte em gotas de sangue, que chegavam a escorrer pela terra.

*Jesus de um salto se pôe de pé e com voz forte diz.


(JESUS) _ A tua vontade Pai! A tua vontade!
*O diabo sai de cena.
*Jesus vai ao encontro dos seus discípulos.
(JESUS) _ Dormi agora e repousai! Chegou a hora: o Filho do homem vai ser entregue nas
mão dos pecadores. Levantai-vos, vamos! Aquele que me trai está perto daqui.
*Jesus se dirige para perto dos outros discípulos .
(JOÃO) _ Veja Mestre! Tochas se aproximam!
(JESUS) _ Aquele que há de me trair vem chegando!
*De repente apareceu uma multidão conduzida por Judas. Eles se aproximam de Jesus. Jesus cruza
seu olhar com o de Judas, que retira o olhar.

(JESUS) _ A quem buscais?


(CHEFE DOS SOLDADOS) _ Procuramos por Jesus de Nazaré.
*Judas tenta se esquivar dos soldados e fugir, porem é impedido pelos mesmos.
(JESUS) _ Sou eu!
*quando Jesus diz “Sou Eu” os guardas e Judas recuam um pouco e caem por terra. Judas levanta-se
e vai até Jesus.
(JUDAS) _ Rabi! (E o beija).
(JESUS) _ Judas é com um beijo que trai o Filho do Homem.
*Após isso Judas se afasta, caminhando e olhado para traz, se questionando se fez a coisa certa.
Enquanto isso alguns discípulos fogem.
(JESUS) _A quem buscais?
(CHEFE DOS SOLDADOS) _ A Jesus de Nazaré
(JESUS) _ Já vos disse que sou eu. Se for, pois, a mim que buscais, deixai todos os outros
irem em paz!
(CHEFE DOS SOLDADOS) _ PRENDÃO ELE!

*Nesse momento os servos do Sumo Sacerdote tentam prender Jesus. E começa grande alvoroço.
(SOLDADO 1) _ É ele, a quem Judas beijou o homem que Anás e Caifás procuram. Vamos
agarrem ele!
*Os apóstolos começam a lutar com os soldados resistindo à prisão.
* Quando os soldados tentam agarrar Jesus, Pedro dá um grito, ” soltem-no,” puxando a espada
feri Malco, Servo do Sumo Sacerdote decepando-lhe a orelha. Jesus diz:
(JESUS) _ Pedro, guarde isso. Quem vive pela espada pela espada morrerá. Ou pensas tu
que eu não poderia apelar para meu Pai, a fim de Ele pusesse à minha disposição, agora
mesmo, mais de doze Legiões de anjos? Mas se me deixo prender é para que se cumpra as
Escrituras.
*Jesus pega a orelha e realiza mais uma cura.
*Os soldados lançam- se sobre Pedro.
*Jesus Vira-se para os soldados e diz.
(JESUS) _ Vieram com armas para me prender como se eu fosse um bandido, eu estava
com vocês todos os dias no Templo e não me tentaram prender, mas esta é a hora de
vocês, e também do poder da escuridão.
(MALCO) _ Ele me curou, ele me curou! Vejam.
(CHEFE DOS SOLDADOS) _ Não se deixe impressionar por um falso profeta homens!
Vamos, agarrem-no, soltem este aí e prenda Jesus; levem-no á Anás; vamos.
(NARRADOR) Seus discípulos fugiram temendo por suas vidas. Os soldados levam Jesus
acorrentado à casa de Anás, sogro do Sumo Sacerdote Caifás. Foi Caifás quem dera aos
judeus o conselho: “Convém que um só homem morra em lugar do povo”
(NARRADOR) – Simão Pedro seguia Jesus, junto com outro discípulo que era conhecido do
Sumo Sacerdote e entrou com Jesus no pátio da casa, o discípulo disse à porteira que o
deixasse entrar.
(1ª MULHER - PORTEIRA) não és acaso também tu dos discípulos desse homem?
(PEDRO) Não o sou. Eu nunca o vi!
(NARRADOR) Servos e os guardas acenderam um fogo, porque fazia frio, e Pedro também
estava junto à fogueira
(NARRADOR) Naquela noite, enquanto Jesus estava sobre a custódia dos guardas do
templo, Pedro o seguia à distância. Bem próximo dali havia uma grande fogueira, Pedro
sentou com os Servos que estavam em volta da fogueira até que alguém o reconheceu.
(HOMEM JUNTO À FOGUEIRA) _ Por acaso não estava com Jesus? Você é um deles.
(PEDRO) _ Não. Eu não sou um deles não sei do que está falando!
*Levantando-se sai em direção da porta para ir embora antes que seja preso. Quando estava já na
porta de saída uma criada o interroga.

(2ª MULHER) _ Você é um dos discípulos dele. Não há dúvidas, conheci pelo seu jeito de
falar.
(PEDRO) _ Eu juro que não sei do que vocês estão falando; eu não sou um deles!
• Neste momento o galo canta e Pedro lembrando-se da profecia, olha para onde Jesus estava
e começa a chorar. Cheio de dor sai correndo desesperado.

DIANTE DE ANÁS e CAIFÁS

(NARRADOR) Os guardas do templo caçoavam de Jesus e o espancavam, cobriam-lhe o


rosto e o interrogavam:
(SOLDADO 1) Vamos, quero que faça uma profecia e me diga, qual de nós te bateu?
*Todo sorriem muito.
(NARRADOR) Os guardas continuavam a proferir contra Jesus muitos insultos e não
paravam de espancá-lo. E quando amanheceu, reuniram-se o conselho dos anciãos do
povo, chefes dos sacerdotes e escribas e levaram Jesus para o Sinédrio e o interrogavam...

(CAIFÁS) _ Então és Jesus? Qual a sua doutrina? Você se faz judeu para espalhar
doutrinas estranhas à Lei e corromper o povo simples.
(SACERDOTE 1) A mim tu não enganas, não sei o que viram em você?
(SACERDOTE 2) Como fazes seus truques? Vamos explique-nos!
(SACERDOTE 1) em que consiste a doutrina que anda espalhando?
(JESUS) _ Eu sempre ensinei em público, nos templos, nas sinagogas, nas praças e em
todo o lugar, interroga aqueles que me ouviram. Estes sabem o que ensinei.
*Um soldado dá-lhe uma bofetada.
(SOLDADO 2) _ É assim que respondes ao Sumo Sacerdote?
(JESUS) _ Se falei mal, prova-o, mas se falei bem, por que me bates?
(NARRADOR) – Ora, os chefes dos sacerdotes e todo o Sinédrio procuravam um falso
testemunho contra Jesus, afim de matá-lo, mas nada encontraram, embora se
apresentassem muitas falsas testemunhas. Por fim, se apresentaram duas que afirmaram:
(1ª TESTEMUNHA) – Este homem declarou que poderia destruir o Templo de Deus e
edificá-lo depois de três dias.
(2ª TESTEMUNHA) – Ele disse que quem não bebesse do seu sangue, não herdaria o
Reino.
*Levantando-se o Sumo Sacerdote diz:
(CAIFÁS) – Nada respondes? Que testemunham estes contra ti?

(NARRADOR) Jesus porem ficou calado.

(CAIFÁS) _ Vamos homem, eu te conjuro pelo Deus Vivo que nos declares se tu és o
Messias, o Filho de Deus Bendito?
(JESUS) – Se eu vos disser, não acreditareis, e se eu vos interrogar, não respondereis. Mas
doravante , o Filho do Homem estará sentado à direita do Poder de Deus!
(CAIFÁS e os outros) _ Então você confirma que és, portanto, o Filho de Deus?
(JESUS) – Vós o dizeis: eu sou!
*O Sumo Sacerdote rasga suas vestes e grita:
(CAIFÁS) _ Blasfêmia! Não precisamos de mais provas nós ouvimos de sua própria boca.
*O Sumo Sacerdote aproxima-se de Jesus e o esbofeteia, da uma cusparada em seu rosto e diz:

(CAIFÁS) Qual a sentença? Qual a sentença?


*Todos os presentes, disseram em uma só vós: morte, morte.
*Então os outros do Sinédrio também se aproximam de Jesus, cospem e batem em seu rosto.

(NARRADOR) Então Caifás, junto com todo o Sinédrio e a multidão que acompanhava o
julgamento, conduziram Jesus até Pilatos.