Você está na página 1de 2

NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL

NOTIFICANTE: Juliano Zattar Antoniassi.

NOTIFICADA: Condomínio Lago Ibirá e Administradora Interage.

TEOR DA PRESENTE NOTIFICAÇÃO:

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma admitida em direito, o


NOTIFICANTE, por seu representante legal que a esta subscreve, vem formal e
respeitosamente NOTIFICAR, sobre os seguintes fatos que a seguir passa a expor:

No dia 14/01/2011, foi recebido pelo morador Juliano Zattar Antoniassi do


apartamento 13, a notificação interna 001/2011. A mesma refere-se a infração
regimental e a multa pecuniária relativos à lei do silêncio.

Em contato com a síndica, a mesma propiciou em ata a possibilidade do


contraditório e da defesa, e é através deste meio que entramos em contato com a
administradora do prédio para balancear o ocorrido e as providências tomadas.

Primeiramente, conforme constatamos em ata nas datas de 01/11/2010,


06/11/2010 e 29/11/2010, foi noticiado que nossa unidade consumidora emitiu ruídos
que vieram a incomodar outros condôminos. Após indagarmos quais fatos geraram tal
desconforto (os registros eram vagos e não continham a real descrição do ocorrido)
descobrimos que as reclamações referiam-se a obras de reforma realizadas em
domingos, estas proibidas em regimento interno. Entretanto, ressalte-se que não
existiram em nenhuma das datas citadas obras de reforma, mas sim, colocação de
quadros nas paredes – em horário absolutamente coerente (por volta de 19hs).

As reclamações continuaram, sempre pelo mesmo morador, e por tal


gostaríamos de relatar que em nenhum momento nos negamos a silenciar.
Oferecemos a oportunidade de nos avisar quando excedermos ao nível considerado
ideal pelos outros moradores, mas que por hora não conseguimos identificar qual seria
este.

Jamais se cogitou a ideia, até por se tratar de hipótese absurda, da utilização


de qualquer confraternização, principalmente as citadas pelos moradores do
apartamento 23, com intuito de perturbar a vizinhança.

Considerando o aspecto subjetivo do disposto no artigo 2º em seu inciso 2.8 e


a deficiência técnica de nós moradores em identificar e quantificar o nível de ruídos
que perturbe o sossego dos demais moradores, considera-se que a multa aplicada a
nossa unidade foi arbitrária e abusiva.

Solicitamos assim a suspensão da multa até a resposta da desta notificação e,


por conseguinte, o cancelamento da mesma por falta de motivos e provas
comprobatórias.

A presente NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL, estampada em 02 (duas) laudas


assinadas e rubricadas, representa a salvaguarda dos legítimos direitos do
NOTIFICANTE.

Certos de que seremos prontamente atendidos nesse cordial pedido, desde já


agradecemos sua compreensão.

Atenciosamente.

Curitiba, 14 de janeiro de 2011.

Antonio Andreatti da Silva

OAB/PR 56.196

Você também pode gostar