Você está na página 1de 23

ELEMENTOS COESIVOS

Os conectivos são elementos de coesão. Uma leitura eficiente do


texto pressupõe, entre outros cuidados, o de depreender as
conexões estabelecidas pelos conectivos.

Conjunções Coordenativas:

RELAÇÃO CONJUNÇÃO EXEMPLOS


adição E, nem, não só...mas
também
Adversativa Mas, porém, contudo,
(oposição) todavia, entretanto,
senão, no entanto
Alternativa Ou...ou, ora...ora,
já...já,
Conclusão Logo, pois ( depois do
verbo), portanto

Explicativa Que, porque,


pois(antes do verbo),
porquanto

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS – também locuções conjuntivas,


preposições e locuções prepositivas.

RELAÇÃO CONJUNÇAÕ EXEMPLO


Causal ( causa ) Porque, já que,
visto que, como,
em virtude de
Comparativa Mais...que,
(comparação) menos...que,
tão/tanto...como,
assim como
Concessiva Embora,
(concessão) conquanto, ainda
que, mesmo que,
apesar de ( +
infinitivo)
Condicional(condiç
Se, caso, desde
ão) que, a não ser
que, a menos que
Conformativa Conforme, como,
(conformidade) segundo
Consecutiva Tão/tanto...que,
(conseqüência) de modo que, de
sorte que
Final(finalidade) A fim de que, para
que,
para(+infinitivo)
Proporcional À proporção que,
(proporcionalidadeà medida que,

Temporal(tempo)Quando, logo que,


assim que,
enquanto, mal

PRONOMES RELATIVOS

Que, quem, qual, cujo, onde


ATENÇAÕ:
1 – Observar a palavra a que se refere o pronome relativo para evitar erros
de concordância verbal.
Ex. As pessoas que lêem bastante têm mais facilidade em redigir.
(que = as quais = as pessoas )
2- Respeitar a regência do verbo ou do nome, usando a preposição exigida
quando necessário.
As dificuldades a que você se refere são normais dentro de sua carreira.
O verbo referir-se pede a preposição a, por isso, ela aparece antes do que.

Exercícios sobre coesão:


1- Assinale a alternativa em que o pronome relativo onde
obedece aos princípios da língua culta escrita:
A- Os fonemas de uma língua costumam se representados por
uma série de sinais gráficos denominados letras, onde o conjunto
delas forma a palavra.
B- todos ficam aflitos no momento da apuração, onde será
conhecida a escola campeã.
C- Foi discutida a pequena carga horária de aulas de cálculo e
Física, onde todos concordaram e desejaram mais aulas.
D- Não se pode ferir um direito constitucional onde visa a garanti
a educação pública e gratuita para todos.
E- Não se descobriu o esconderijo onde os seqüestradores o
deixaram durante esses meses todos.

2 – Nos períodos abaixo, as orações sublinhadas estabelecem


relações sintáticas e de sentido com outras orações.
a- Eles compunham uma grande coleção, que foi dispersando à
medida que seus filhos se casavam, levando cada qual um lote de
herança. ( proporcionalidade)
b – Mal se sentou na cadeira presidencial, Itamar Franco passou a
ver conspirações. ( modo)
C – Nunca foi professor da UNB, mas por ela se aposentou.
( contrariedade)
d- Mesmo que tenahm sido só esses dois,... já não se configuraria
a roubalheira. ( concessão)
A classificação dessas relações está correta somente nos
períodos:
a- I, II e III
b- II e IV
c- I e III
d- II, III e IV
e- I, III e IV

2- No trecho: “Essa frase pode ser justamente a mais


perigosa, porque, em meio a eufóricos e deprimidos, há um
terceiro grupo “ =- a conjunção destacada pode ser substituída
por
A – já que
B- porém
C- por isso
D- portanto
E - À medida que

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Leitura Dispersiva

- O que você está lendo?


- Estou lendo um livro legal.
- Ah,é? E como ele se chama?
-Como ele se chama?

Quer dizer...o título dele?


- Isso, o título.
-Esqueci...
-Mas quem é o autor
-Ah, o autor é...é...Como é mesmo o nome do autor?
-É brasileiro?
-É...acho que é...escreve legal...
-Você não lembra do autor nem do livro?
-Olha, é um livro dessa largura, ... e tem capa verde...mas é legal!

Se a cor da capa e o tamanho são as únicas referências do livro


retidas pelo distraído leitor, será que ele está realmente
aproveitando a leitura?

A compreensão da leitura e da escrita pasa atualmente pelas


tecnologias de educação., como veremos:

- Letramento Digital – envolve novas práticas letradas: processos


cognitivos, análise, comparação, síntese, habilidades de leitura
não lineares. O letramento digital está presente no universo
infantil, mesmo antes das crianças aprenderem a ler e a escrever.
Ex. nos jogos infantis, celulares, identificaçaõ de ícones

Uso da Internet na comunicação: potencializar atividades


pedagógicas, proporcionando aprendizagens no âmbito do
letramento digital , em três aspectos:
- aprender a pesquisar;
- aprender a publicar conteúdos;
- aprender a comunicar-se no ambiente digital

CONTEÚDOS – César Coll

Professora Adelina
e-mail: adelinabengozi@hotmail.com

ALUNO – SUJEITO DE SUA PRÓPRIA APRENDIZAGEM

Conteúdos Conceituais –
► construção ativa das capacidades para operar com
símbolos, idéias, imagens, representações
►mais simples ► mais complexos
► aprendizagem – indas e vindas, avanços, recuos
► idéias provisórias – ampliam, modificam, indo a
conceitos cada vez mais precisos
► abrangem: fatos, princípios

Conteúdos Atitudinais:
►normas
►valores
►atitudes
►Atitudes = são complexas
►cogniçaõ ( conhecimentos e crenças)
► afetos ( sentimentos e preferências )
►condutas ( ações e declarações de intenção)

Conteúdos Procedimentais

►(saber fazer- “savoir faire”


► apropriação de ferramentas da cultura humana
necessárias para viver – ex. saber se vestir, amarrar os
aspatos
► procedimentos importantes no processo de conquista da
independência

Enfoque Globalizador e
Pensamento

Complexo – uma proposta para o currículo escolar

Antoni Zabala

Socioeducativos
Conteúdos < > decisões ► meios
Psicopedagogia

► finalidade ► CIDADÃOS
- Intervir
> realidade ► Democracia
- Modificar

Cidadão = que cidadão, ou que modelo de cidadão queremos?

Dimensões Desenvolvimento do Individuo:

► Social = transformar a sociedade


►compreendê-la
► avaliar
► intervir
Educação = instrumento = Humanidade
► paz
► liberdade
►justiça social

Cidadão ► contrapeso ►GLOBALIZAÇÃO


► Pleno desenvolvimento do ser humano na dimensão social

► Interpessoal = cooperação
= compreender►pessoas
= viver juntos
= sensível= sofrimento humano
► compromisso= justiça
= igualdade

► Pessoal
► compreensão si mesmo
►pessoas
►sociedade
►mundo► vive
►responsabilidade
►autônomo
►crítico- dialogo
► aquisição do conhecimento ► análise crítica

►Profissional ►

►habilidades
►conhecimentos ► tarefa profissional adequada
►indivíduo = saber fazer
► pensar
► nível elevado de escolarização
► formação permanente
► trabalhar em equipe

► Síntese = indivíduo = aprender a aprender

Educação = fio condutor ► desenvolvimento das pessoas não=


interesses do capital

Social Interpessoal
Dimensões {
Pessoal profissional

Finalidade da Educação
Desenvolver nos estudantes
a) cultura cientifica básica
►interpretar►fenômenos naturais
► atuar = crítica
= responsável > relações= problemas sociais
b) desenvolvimento contínuo da pessoa humana
mais harmonioso
► retroceder à pobreza
à exclusão
às incompreensões
às opressões
às guerras
►fomentar= compromisso virtual justiça
social
c) ensinar p/ a complexidade (47)
► conhecimento e sua atuação
complexa
► intervir ► sociedade
► gestão
► exercer democracia
► atuar para transformar
► cultura solidária
► respeitar seres humanos
► defender os mais fracos
► compreender a si mesmo
►às pessoas
► o mundo
► adaptar-se às mudanças
► ensino ► propor saber complexo

Currículo ► reflita:
► incertezas - vida presente
► visão mais complexa
► crítica do mundo
► superar a fragmentação

► Escola ► facilitar meios ► transição do pensamento simples


para ►complexo
► perspectiva mais sistêmica do mundo
► capacidade► além ►funcional
►concreto
► gerenciar ► próprio conhecimento
► promover ► desenvolvimento humano
► melhoria da sociedade
gráfico pág.48

Cidadão = precisa:
dominar ► estruturas cognoscitivas ou
esquemas de conhecimento
distinguir►
a) conhecimento cotidiano (pág.48)
b) conhecimento cientifico
Utilizar► compreender
> realidade
= intervir

CIDADÃO = Escola
► democratização do ensino
► novos conteúdos
► diferentes maneiras de organizá-
los
► como se aprende?
► como se ensina?

► conceitos = funcionalidade
>aprendizagem
= significatividade
► superar fragmentação
entre= atividade intelectual
►cultural
superação► eixo ►cooperação
interdisciplinar

ESCOLA REFLEXIVA E NOVA RACIONALIDADE – cap 1


Isabel Alarcão
Mudar a escola ►mudança de paradigma

►currículo
►organizaçaõ disciplinar
► pedagógico
► valores
►relações humanas
► agir►►transformar
Hoje ► alunos – não tem competências ► cognitivas
↓ ►atitudinais
↓ ►relacionais
↓ ►comunicativas
↓ ↓
↓ ► sociedade
precisa deles
►todos ► solitários
►desapoiados

Análise das Escolas início do Milênio


a- edifícios
►são apenas salas de aula?
►há espaços de convivência , desporto, cultura, trabalho
em equipe, inovação, experimentação?
►ligações de informática?
►locais são de aprendizagem cooperativa e autônomos?
b- espaços:
►flexibilizaçaõ para atividades docentes e discentes?
c- local
► longe ou perto da comunidade?
►que relações estabelecem som a comunidade? Aberta ou
fechada?
d- mobiliário
►estão adequados?
► as crianças se sentem bem quanto em suas casas?
Escola ►tempo de desenvolver /aplicar capacidades de:
►memorizaçaõ
►observaçaõ
►comparaçaõ
►associaçaõ
►raciocínio
►expressão
►comunicação
►risco
►iniciativa
►convivência saudável
►cooperaçaõ

Que tempo e espaço concebemos a nossos alunos?


E aos profs, funcionários?
Como aproveitamos essas qualidades tão características
da juventude e tão saudáveis para os profs trabalharem
em conjunto?

Função da Escola►preparar cidadãos, mas não pode se


pensada apenas como tempo de preparação para a vida.
Ela é a própria vida, um local de convivência e cidadania.

Que escola temos?


Que escola precisamos ter?

Escola- não acompanha as mudanças da sociedade

MUDAR A CARA DA ESCOLA- 10 idéias:


1- Centralidade das pessoas na Escola e o Poder da
Palavra
2- Liderança, Racionalidade Dialógica e Pensamento
Sistêmico
3- A escola e seu Projeto Próprio
4- A Escola entre o Universal e o Local
5- A Educação para o Exercício da Cidadania
6- Articulação Político-Administrativo-Curricular-
Pedagógico
7- O Protagonismo do Professor e o Desenvolvimento
da Profissionalidade Docente
8- O Desenvolvimento Profissional na Ação Refletida
9- Da Escola em Desenvolvimento e Aprendizagem `a
Epistemologia da Vida da Escola
10-Desenvolvimento Ecológico de uma Escola em
Aprendizagem

FORMANDO PROFESSORES REFLEXIVOS


Philippe Perrenoud e outros

Obj. livro:
►Quais são as competências essenciais dos professores
experientes?
►Como se constroem essas competências?

►Como formar professores para que eles se tornem mais


capazes de refletir sobre suas práticas?

► modo de agir ►”inconsciente prático”- (Piaget)


►esquecimento progressivo - ►
formação de rotinas
► nossos costumes ► não dizem respeito apenas a nossos gestos
concretos
► engloba ► percepções
► emoções
► funcionamento psíquico
► tomamos decisões

► analisamos situações
► tratamos as informações......ajuda de esquemas de pensamento
...que percebemos só os efeitos

► Esquemas de Piaget► “aquilo que é comum nas diversas


repetições ou aplicações da mesma ação”
►Esquema►forma de organização cognitiva
► esquema de ação►ex. pegar, puxar, empurrar
► Esquemas ► ampliam, coordenam entre si, diferenciam-se =
dando origem ao pensamento
Vergnaud = esquema

Noção de Habitus► (Tomás de Aquino – Bordieu) ► generaliza o


esquema
Habitus ► nossos esquemas de percepão, avaliação, de
pensamento de de ação
►Habitus – enfrentar ( acomodações menores) grande
diversidade de situações cotidianas
► Esquemas – permitem ao sujeito a sua adaptação – situações
cotidianas
► quando a adaptação for menor► não há aprendizado
For mais forte► criam-se novos
esquemas – Habitus = enriquecido
Reflexão: como agir no habitus de um sujeito...?

Bordieu► habitus ► interiorizaçaõ de limites objetivos


► não exclui a intenção educativa
► mas segue caminhos indiretos
► amoldado = compensações
= frustrações
= condicionamentos
► Foucault►”Vigiar e Punir”-1975 ► instrução e formas
elementares de socialização das crianças “► mecanismos –
moldar = corpos e espíritos

Formaçaõ de professores? Habitus profissional ►existe = currículo

Questionamento ►Tema do Livro


Ação Pedagógica ► mobiliza o habitus-= 4 mecanismos ( Schon/
conduta clínica)
1= ROTINA – naõ exige mobilizaçaõ explicita de saberes e regras
1= MOMENTO OPORTUNO – controle a esquemas inconscientes
3= O PAPEL DO HABITUS NA MICRORREGULAÇÃO DA AÇAÕ
RACIONAL- esquemas ► enfrentar incidentes críticos
4-=GESTÃO DA URGÊNCIA E A IMPROVIZAÇAÕ DE REGRAS
►agimos de acordo com nosso habitus ( Bourdieu)
► uma parte das preparações didáticas é feita na urgência

Habitus ► não se opõe aos saberes


► apenas traduz nossa capacidade de operar “sem
saber”

►Como formar habitus nos registros em que a ação depende de


esquemas inconscientes? 2 opções:
1- alterar as condições da prática;
2- tomada de consciência – muda o habitus porque o
combate em tempo real da situação.

MECANISMOS DE FORMAÇAÕ QUE FAVORECEM A TOMADA DE


CONSCIÊNCIA E A TRANSFORMAÇÃO DO HABITUS:

1 - -prática reflexiva – Schon- consciência de si-


metatognição - lucidez
2 -mudanças nas representações e nas práticas
3- observação mútua – instrutivo, mas de difícil aceitaçaõ
4- metacomunicação com os alunos – para entende-los há
necessidade de relação pedagógica positiva
5- escrita clínica – escrever sobre sua prática
6- videoformação – insistir na força da imagem para nos fazer
compreender nossas maneiras de falar, de movimentar, ouvir o
outro
7- entrevista de explicitação -
8- história de vida- eles são produto de uma linhagem,
classe, social, de uma cultura = certas reações suas tema suas
raízes há muitas gerações
9- simulação e o desempenho de papéis
10- experimentação e a experiência

FORMAR PARA A LUCIDEZ ?


► ofícios que lidam com o ser humano► a LUCIDEZ ►
competência profissional
► falta para nós ► vigilância, estado de alerta para
compreendermos um pouco melhor quem somos.

INOVAR NO INTERIOR DA ESCOLA


Mônica Gather Thurler

Tema- inovação centrada – construção de sentido


Nó estratégico – modernizar – gestão participativa ( importados)
Gráfico: (16)

Estabelecimento Escolar – confronto cotidiano


- sobrevivência profissional
Fracasso – Reformas ► resistência dos professores
Compreender – mudança► levar a sério “sentido das práticas”
Mudança ► nasce – reflexão- prática
► proposta – cultura
► necessária – sistema educativo
► individual
► coletiva
► interativa
Escola – situada- ( ) lógica burocrática X lógica profissional
Lógica Burocrática Lógica Profissional
►influencia – sistema escolar ► valorizaçaõ colegiado
►procedimentos padronizados ► participativa
►impede- mudança ► co-responsabilidade-decisões

Interação ( ) essas lógicas – círculo vicioso- pág. 17

Necessidade ►Lógica adaptativa


► flexível
► profs.- desenvolvem competências
►►transformar as pedagogias

Cooperação Profissional
►►ofício docente►individualismo – identidade profissional

“caixa de ovos”
Individualismo ► modo paradoxal de “cooperação”
► impede projetos coletivos
Tab. 2.1 – (17) – modelos de cooperação profissional
Cooperação Profissional durável
► ajuda / apoio mútuo
► confiança
► participação – decisões coletivas
► clima / humor / camaradagem

Dimensões culturais que influenciam a mudança: ( 18)

Estrato na Cultura do estabelecimento escolar (18) gráfico


Aça social eficaz- intenciona►“habitus são
rquestrados”(Bourdieu)

Três dimensões do projeto de estabelecimento escolar:


capacidade Individual / coletiva – se pro-jetar, num futuro incerto
(Develau- 1996)
► desenvolver percepções ► motores/bússolas- momentos difíceis

1- Identidade dos signatários(ator e autor) – projeto


2- Representaçaõ de como o sistema educativo aprende:

3 dimensões:
1-►ferramenta de mudança
- aprendizagem organizacional
2► liga processos individuais de reflexão em ação
3► elaboração coletiva

Gráfico 4.1
Líder e Liderança
Líder►
Liderança
Escolas eficazes – escolas inovadoras – líder
Noções de liderança – senso comum
- poder (1959)

Fontes formais e informais da Liderança- ( 152)


1- estatuto de autoridade – diretor
2- estatuto eletivo – delegação de poder ( coordenador)
3- habilidade profissional – competências
4- carisma pessoal – comportamento coletivo
- esperança, fé, confiança, entusiasmo
5-sentido da organização –criar, organizar compartilhar► trabalho
- negociação, mediação
6- posiçaõ no sistema social – extrapolar os muros da escola

Liderança Transformaçional- melhora►



► competências

Individuais e coletivas
►age- cultura existente
- emoções , atitudes, crenças
►instaura – cooperação profissional
► intervém – cultura organizacional- (globalidade)

Liderança e Empowerment ( 19)


► poder de decisão- aos envolvidos
► antítese da burocracia
►defende- acordo, participação, flexibilidade
►interiorização , apropriação ativa – processo de mudança
►leva- profissionalização interativa

Estabelecimento escolar – organização aprendente►(20)


►exploração cooperativa – modo de profissionalização
► eficiência
►escola – organização do aprendizado
- organização aprendente ( gráfico espiral) (Reid – 1987)

► Linha interior – dês. Individual e profissional
► linha exterior –des. Coletivo do estabelecimento

►organização social
►linha quebrada- integração – ir/vir processo coletivo

Tentativas de mudança da prática

Eixos – “Política da Cultura”


►trabalhar – concepção de Cultura
►aprender – reflexão X debate
►aprender – negociar/pilotar – processos de mudança
►incitar – cooperação profissional – responsabilidade partilhada
►tomar tempo e dar tempo ao tempo
►aprender a pedir e prestar contas
►des. Nova percepção - autoridades
- poder
►oscilar – novo paradigma da mudança

Como agimos?
Por que agimos desse modo?
Para que finalidade agimos desse modo?

Conclusão
Fim
adelinabengozi@hotmail.com

LDB nº 9394/96

Professora Adelina
e-mail – adelinabengozi@hotmail.com

Art. 1º - Ed. processos formativos –


-vida familiar
-convivência humana
-trabalho
-instituições ensino-pesquisa
-movimentos sociais
-organização sociedade civil
-manifestações culturais

1- disciplina Ed. Escolar

2- Ed. Escolar – vincula-se –


- mundo do trabalho - prática social

Art. 2º - Ed.
-dever Família – Estado -
--princípios da Ed.:
– liberdade
- ideais de solidariedade humana
- finalidade – pleno des, educando
- preparo exercício cidadania
- qualificação – trabalho

Ar. 3º- Princípios – Ensino -


- igualdade
-liberdade aprender
-pluralidade

Art. 4º - Dever do Est. – Ed. Escolar


Compromisso

Art. 5º - Acesso – direito publico subjetivo


...recensear – população – idade escolar (jovens e adultos).
...fazer-lhes a chamada pública.
...zelar...
2- Poder Publico – assegurará - EF

negligência – impute- crime de responsabilidade

Art. 6º- /dever – pais – matricular... partir 6 anos de idade -


redação Lei nº. 11.114 – 16/05/05

Art. 7º - Iniciativa Privada –


-ensino – livre

Art. 8º- U
-E
- DF
-M ...organizarão
- sistemas – ensino – colaboração

U – funções – normativa
- redistributiva
- supletiva

Art. 9º - U- incumbências – Plano Nacional de Ed.


- manter Instituições Federais
-Assistência Técnica e Financeira

Art. 10- Estados – incumbências-

Art. 11- Municípios – incumbências

Art. 12- Estabelecimentos de Ensino –incumbências


-elaborar – executar – proposta pedagógica
-administrar -pessoal
- recursos financeiros e materiais
-comprimento dias letivos e horas-aula estabelecidas
-velar- cumprimento – plano de trabalho – cada docente
-prover meios recuperação dos alunos – menor rendimento
-articulação famílias / comunidade – integração
-informar – pais e/ou responsáveis – freqüência
- rendimento
- execução proposta
pedagógica
-notificar – CONSELHO TUTELAR /
- JUIZ COMPETENTE DA COMARCA
- REPRES. MINISTÉRIO PÚBLICO
-relação de alunos – falta acima de 50% percentual
permitido em Lei (redação Lei nº. 10.287). – 20/09/01

Art. 13- Docentes – incumbências


- proposta pedagógica
- dias letivos / horas-aula
- plano de trabalho
- aprendizagem dos alunos
- recuperação
- articulação escola X família

Art. 14 – Sistemas de Ensino – normas gestão democrática


-
Art. 15 – Sistemas de /ensino
– autonomia pedagógica e administrativa – públicas

Art. 16 – Sistema Federal – compreende:


Instituições mantidas União
Órgãos federais

Art. 17- Sistemas de Ensino Estados e Distrito Federal –


compreendem
...
Art. 18- Sistemas Municipais de Ensino compreende
- instituições – EF – EM - EI

-mantidas - `Poder Público Municipal


- órgãos municipais de Ed.

Art. 19 – Instituições de Ensino-


diferentes níveis –
categorias administrativas
- públicas- Poder Público
- privadas – Particulares
- Filantrópicas / comunitárias / confessionais
Art. 21 – Ed. Escolar= níveis
1- Ed. Básica
2 - E. Superior = seqüenciais / graduação / pós-grad./ extensão

Art. 22 - Ed. Básica – finalidades


- Des. – ed.
- assegurar – formação indispensável – exercício da cidadania
- fornecer – meios – progredir – estudos
estudos posteriores

Art. 23 – Organização – Ed. Básica


- séries anuais / períodos semestrais /ciclos / alternância de
estudos
BASE – idade / competência / outros critérios...
Reclassificação
Adequação do calendário escolar

Art. 24 – EF. EM – organização


- carga horária – mínima anula – 800h
- 200 dias letivos, excluindo... recuperação / exames
Classificação
Transferência
Cíclos Escolares
- Verificação do Rendimento Escolar

Art. 25 – adequação – autoridades escolares –nº. de aluno X


professor

Art. 26 – Currículo – Base Nacional Comum


Art. 26-A – Parecer CNE – 03/04 – DCE Étnico Raciais e para
o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana

Art. 27 – Diretrizes – currículos escolares

Art. 28 – Oferta Ed. B. população rural


Conteúdos curriculares – necessidade / interesse – alunos
rural
- org. escolar – calendário – fase do ciclo agrícola
- condições climáticas

Art. 29 – 30 – 31- Educação Infantil

Art. 32 – EF – formação básica do cidadão, mediante.


- des. Capacidade aprender – meios básicos – pleno domínio-
leitura – escrita - cálculo

-compreensão ambiente – natural


- social
- sistema político
- tecnológico
- artes
- valores... fundamenta – sociedade
-des - Capacidade aprender – vista – conhecimento
- -habilidades
- -formação valores e atitudes

- fortalecimento – vínculos – família...........................


..laços – solidariedade
...tolerância recíproca.
... vida social
Art. 33 – Ensino Religioso

Art. 34 – Jornada E. F – 8h/diárias... ampliação...

Art. 35- E. M. – etapa final - Ed. Básica.


- duração mínima – 3 anos
- finalidades-consolidação
- aprofundamento... prosseguimento de estudos
- continuar aprendendo

Art. 36- Currículo – EM


- educação tecnológica básica
- compreensão – sdo – ciências
- letras
- artes
- processo - histórico- transf.- sociedade
- cultura
- língua portuguesa- instrumento comunic.
- acesso ao conhecimento
- exercício – cidadania
- avaliação
- LEM- disciplina obrigatória
- conteúdos – metodologias – educando demonstre:
- domínio princípios científico / tecnológicos...
- formas contemporâneas de linguagem
- domínio Filosofia / Sociologia – exercício cidadania
- Profissões Técnicas
- equivalência de estudos
- facultativa – preparação geral – trabalho

Art. 37 – EJA
- não tiveram acesso
- continuidade EF
-gratuidade
-oportunidades educacionais
-acesso / permanência – trabalhador – escola

Art. 38 – Cursos e Exames –


- cursos - presencial – base nacional comum
- exames – EF- conclusão – maiores de 15 anos
EM- conclusão – maiores de 18 anos

Art. 39 a 42 – Ed. Profissional Art. 43 a 57 – Ensino


Superior

Art. 58 – Art. 60 - Ed. Especial


Art. 61 a 67 – Profissionais de Educaçaõ
Art. 68 – Recursos Públicos – origem
Art. 69- Aplicação – recursos
U – anualmente – nunca menos – 18%
E – DF – M – 25%
Art. 70- Despesas com Ensino
- remuneração e aperfeiçoamento pessoal docentes
- aquisição – manutenção –
- bolsas de estudo
- material didático – manutenção de programas de transporte
escolar

Art. 71- não constitui despesas com o Ensino


- programas suplementares de alimentação
- assistência médico-odontológica, farmacêutica, psicológica, e
outras formas de asssitência social.
-obras d e infra-estrutura – beneficiem direta ou indiretamente a
rede escolar

Art. 72- 73- Balanços das receitas


Art. 74- U - padrões mínimos de oportunidades
educacionais

Art. 75- 76 - U – ação supletiva – redistributiva

Art. 77- Recursos Públicos = Escolas Públicas

Art. 78- 79- Assistência aos índios – oferta Ed. Bilíngüe –


Intercultural.

Art. 80 - Ensino a Distância – todos os níveis e modalidades