Você está na página 1de 11

Bein Hametzarim

O termo Bein Hamtzarim - “entre os estreitos “- é o nome dado ao período que


começa no 17º dia do Quarto mês hebraico (Tamuz) e termina no 9º dia do quinto
mês (Av), e procede de Lamentações 1:3”“.

Zacarias 8:19 Assim diz o SENHOR dos Exércitos: O jejum do quarto, e o jejum do quinto,
e o jejum do sétimo, e o jejum do décimo mês será para a casa de Judá gozo, alegria, e
festividades solenes; amai, pois, a verdade e a paz.,

Zacarias 7:3 E para dizerem aos sacerdotes, que estavam na casa do SENHOR dos
Exércitos, e aos profetas: Chorarei eu no quinto mês, fazendo abstinência, como tenho
feito por tantos anos?

Lamentações 1:3 Judá foi ao exílio para sofrer a aflição e uma grande servidão; Ela habita
entre as nações, não acha descanso: Todos os seus perseguidores a têm alcançado no
meio dos seus apertos(estreitos) do Strong 04712 rum metsar , significando:
dificuldades, aflição.

Este período de 21 dias foi marcado na história com acontecimentos ruins para o povo
de Deus.

Este ano se inicia na viração do dia 29de junho, seguindo até 20 de julho de 2010.

Grandes catástrofes aconteceram na história.

1. Moisés quebrou as Tábuas da Lei em Monte Sinai em resposta ao pecado do


Bezerro de Ouro.

2. As oferendas diárias no Primeiro Templo foram suspensas durante o cerco de


Jerusalém, depois que os Kohanim não podiam mais adquirir animais.

3. Rompimento das muralhas de Jerusalem

4. Destruição do Primeiro Templo em 586 a.C por Nebucodenassar (Nabucodonossor)


9 de Av

5. Os muros de Jerusalém foram quebrados antes da destruição do Segundo Templo


em 70 a.C por Tito. 9 de Av

6. Antes da Grande Revolta, o general romano Apóstamos queimou um rolo da Torá


precedendo a terrível queima de livros judaicos ao longo dos séculos.

7. Uma imagem de idolatria foi colocada no Santuário do Templo Sagrado

8. Destruição do segundo templo em 70 dC

Outros acontecimentos:

Betar, a última fortaleza a resistir aos romanos durante a Revolta de Bar Kochvá, no
ano de 135 E.C.
Promulgação do decreto de expulsão dos judeus da Inglaterra (1290);

A 1ª Guerra Mundial iniciou-se em Tisha B’Av;

Neste ano, temos sinalizações das trevas para seus coligados,


neste período, como segue:

Saga Crepúsculo

1º filme Twilight Crepúsculo 20-11-


2008
2º filme New Moon Lua Nova 20-11-
2009
3º filme Eclipse Eclipse 30-06-
2010
4º filme Breaking Amanhece 18-11-
Dawn r 2011
Porque será que com um intervalo de aproximadamente um ano entre cada
estreia, o 3º filme Eclipse foge à regra ?

“Eu sou predador mais perigoso do mundo. Tudo em mim a atrai. Minha voz,
meu rosto, mesmo o meu cheiro … Eu estou destinado a matar … Eu queria
matá-la. Eu nunca quis o sangue humano tanto em minha vida…Seu
perfume, é como uma droga para mim. Você é como a minha própria marca
de heroína”.

Assim diz o bonito vampiro, Edward Cullen, à sua amada de 17 anos, Bella
Swan, no filme Crepúsculo. Lua Nova, o segundo filme de uma série de
quatro partes, estreou nos cinemas em 20 de novembro de 2009. O próximo
é Eclipse, previsto para Junho de 2010, a ser seguido por Breaking Dawn.
Enquanto muitos pais nunca ouviram falar da saga Crepúsculo, esta
sequência de romances sobre vampiros tornou-se maior que Harry Potter.

Tudo começou em uma noite escura – 1 de junho de 2003, para ser exato –
Quando Stephenie Meyer teve um sonho estranho. Em seu site oficial, Meyer
testemunha:

Eu acordei (naquele 2 de junho) de um sonho muito vívido. No meu sonho,


duas pessoas estavam tendo uma conversa intensa em uma campina na
floresta. Uma dessas pessoas era apenas uma menina comum. A outra
pessoa era fantasticamente linda, brilhante, e um vampiro. Eles estavam
discutindo as dificuldades inerentes aos fatos que os fizeram A) Cair de
amor um pelo outro enquanto, B) o vampiro estava particularmente atraído
pelo cheiro do sangue dela, e estava tendo um momento difícil restringindo-
se de matá-la imediatamente.(1)

Este sonho foi tão convincente que quando Meyer acordou, escreveu como
uma mulher atingida por um raio. Em um tempo relativamente curto, para
grande surpresa de sua família, sua escrita compulsiva não só produziu
quatro profundos romances como também a fez conseguir um grande
negócio com a Little Brown Books for Young Readers, uma das maiores
editoras de livros para adolescentes na América. Surpreendentemente, seus
romances rapidamente foram para o topo das listas de best-sellers do New
York Times. Em 21 de novembro de 2008, Crepúsculo, o filme, estrelou nos
cinemas, arrecadando quase 70 milhões de dólares só no fim de semana da
estreia. Neste momento, o rolo compressor parecia imparável.

Tal como aconteceu com Harry Potter, muitos consideram a saga Crepúsculo
como um entretenimento perfeitamente inofensivo. Afinal, Edward Cullen é
um vampiro vegetariano, isto é, ele só bebe o sangue dos animais, não dos
humanos. Ele também protege sua amada Bella de vampiros assassinos que
anseiam por seu sangue. “Soa como um romance saudável para mim!”
dizem frequentemente os fãs de Crepúsculo.

Então, o que a Bíblia diz sobre a ingestão de sangue? Surpreendentemente,


ela diz algo. Pouco tempo depois do dilúvio, o Senhor disse a Noé:

“Tudo o que se move e vive será para vosso alimento…mas você não deve
comer carne com a sua vida, isto é, o seu sangue” (Gênesis 9:3-4)
Em outras palavras, se a carne era para ser comida, depois do dilúvio, o seu
sangue devia primeiro ser drenado das carcaças dos animais mortos. Deus
repetiu este conselho aos israelitas através de Moisés em Levítico 17:10, e
isso foi mais tarde reafirmado pela Igreja primitiva em Atos 15:21. Assim, a
ordem “sem sangue!” se aplica a todas as épocas.

Significativamente, a Bíblia também conecta a ingestão de sangue com o


mundo místico do ocultismo. Moisés disse aos israelitas:

“Não comereis coisa alguma com sangue. Não agourareis, nem


adivinhareis”(Levítico 19:26)

Estou convencido de que o “Edward” que apareceu a Stephenie Meyer em


seus dois sonhos era um demônio com uma secreta e diabólica agenda. Que
agenda? Baseado no que a palavra de Deus diz em Apocalipse 12:11 ,
manter os mortais pecadores focados no sangue errado. A julgar pela
reação do público aos livros e filmes da saga Crepúsculo, não há dúvida de
que sua trama infernal está sendo bem sucedida.

O apelo de Crepúsculo é duplo. Primeiro, é um conto fascinante sobre


vampiros e lobisomens, e segundo, é uma história de amor agitando os
corações de Edward e Bella. “Você pode ser fictício”, escreveu uma fã de
Edward Cullen, “mas você tem roubado o coração de muitas garotas –
incluindo o meu!”

Nestes últimos dias antes do Seu retorno, não deixe Satanás desviar seu
coração para o sangue errado.

Eclipse lunar de 26 de junho de 2010

Um eclipse lunar parcial ocorrerá em 26 de junho de 2010, e será o primeiro do


ano. Poderá ser visto da Austrália, passando pela Ásia Oriental e acabando na
América do Norte.

Precedido por Sucedido por


Eclipse Lunar
31 de dezembro de 21 de dezembro de
26 de junho de 2010
2009 2010

Eclipse solar de 11 de julho de 2010

O eclipse solar de 11 de julho de 2010 será visto do sul do Pacífico e de parte do


sul da América do Sul. eclipse será no fim da tarde da América. Será parcial nas
cidades do sul, e não será visto pela Norte, e o único lugar a ser total será na
Argentina, no fim da tarde.[1]

Precedido por Eclipse Solar Sucedido por


15 de janeiro de 11 de julho de 4 de janeiro de
2010 2010 2011

LILITH

Relevo Sumério em terracota, Lilith 1950 a.C

A lenda de Lilith:

Na Bíblia, os principais arquétipos femininos são o de Eva, a mulher que trouxe o


pecado para a humanidade; e o de Maria, a mulher que trouxe ao mundo aquele que
salvaria todos os homens do pecado. Porém, há na mitologia semita, uma terceira
mulher cuja trajetória está diretamente ligada à do destino da humanidade: Lilith, a
primeira esposa de Adão, a serpente que enganou Eva, o demônio da luxúria.

Existem algumas versões diferentes da lenda de Lilith, na mais aceita pelos


estudiosos do mito e com fundamentos na Talmud (um dos livros considerados como
fonte da sabedoria rabínica), Lilith é criada por Deus da mesma forma como Adão, ou
seja, moldada pelas mãos divinas, só que a partir de lodo e fezes. Os dois são o
primeiro casal, responsáveis por cuidar do Éden. Só que com o tempo Lilith se rebela
por não se conformar em estar em uma posição inferior a de seu marido, já que
ambos foram criados a imagem e semelhança de Deus. A submissão é detectada
inclusive sexualmente, onde Lilith exerce poder de sedução e entorpecimento
orgástico em Adão e ele, por outro lado, se deita continuamente sobre ela, num sinal
de domínio no coito e na relação, o que Lilith não aceita.

Em busca de igualdade, Lilith entra em conflito com seu marido, contesta sua posição
de inferioridade, e contesta também á Deus, tendo que escolher entre se submeter ou
deixar o jardim. Ela escolhe a segunda opção e parte para um exílio no Mar Vermelho,
reduto de demônios. Durante algum tempo Lilith se vê impelida por anjos a voltar ao
jardim, porém escolhe viver como demônio e abandona de vez Adão. Este, triste por
perder sua mulher, adormece, e a partir de sua costela Deus cria Eva, uma mulher
que saiu do homem, portanto dependente e submissa a ele, a que seria oficialmente a
primeira esposa de Adão, a mãe da humanidade.

Após seu exilo no Mar Vermelho Lilith volta ao Jardim do Éden como um demônio, e
na forma de uma serpente é responsável pela tentação de Eva, que levou toda a
humanidade ao pecado. Com astúcia, Lilith confunde Eva e desperta nela o desejo de
igualdade, não a igualdade com o homem, que a primeira mulher antes desejava,
mas a igualdade com o próprio Deus.

Na Bíblia, não temos nenhuma referência à Lilith nestas passagens do Gênesis, e a


serpente é identificada com o Diabo, mas no imaginário judaico, já associado às
lendas mesopotâmicas, Lilith é o demônio da luxúria que tentava os jovens
sexualmente á noite levando-os a sonhos eróticos e “poluição noturna”-, e mais tarde,
com a maior sistematização das crenças de Israel, a lenda foi acoplada à ideia do
Diabo e suas hostes. Por outro lado, o mito de Lilith, presente originalmente na
cultura dos babilônicos e assírios, perdurou também na tradição oral dos hebreus e
nos livros de sabedoria, considerados apócrifos pela cultura cristã. Além disso, a lenda
tem sido retomada pelo estudo das religiões, religiões e mitologias comparadas,
psicologia e pela astrologia e misticismo, onde Lilith é a lua negra, a face oculta lunar.

Se Eva nega sua ambição e seu desejo de ser igual a Deus, conformando-se em ser
dominada por seu marido, arquétipo perfeito da mulher submissa; e Maria nega sua
sexualidade, sendo mãe virgem, arquétipo materno; Lilith, por sua vez assume desde
sua criação suas convicções, ambições e sua sexualidade, sendo, por isso, até mesmo
aquela mulher que assusta, domina e pode destruir.

Segundo descrições das escrituras hebraicas (Torah e Midrash), Lilith se apresentou a


Adão coberta de sangue e saliva. O sangue sugere a menstruação, uma característica
carnal e instintiva da mulher, além da ausência de pudor e tabus de Lilith, que
apresenta-se livremente ao homem, disposta também à experiência sexual no ciclo
menstrual. A saliva reforça o caráter sexual simbólico, remetendo a uma ideia de
secreções eróticas. Deste modo, fica evidente a condição sensual e libertada dos
preconceitos dentro do universo simbólico feminino em Lilith; é essa atuação sexual,
que leva o homem ao êxtase e fora do controle sobre si mesmo, o que amedronta o
universo simbólico masculino expressado em Adão: por isto, ele se afasta e busca
uma companheira adequada - ou seja, submissa, obediente, que sinta-se inferior.

De todo modo, Lilith seria um arquétipo feminino de independência e sensualidade.


Representaria a mulher que não se envergonha de si própria, mas ao contrário, tem
orgulho de ser mulher, e expressa esse orgulho através de sua sexualidade. Lilith
também demonstra esse orgulho ao não permitir-se viver em submissão a Adão,
deixando para trás o paraíso para ter, por opção, uma vida livre e fora da sombra
masculina, pagando por isso a pena de se tornar um demônio.

“Lilith é a figura da mulher insubmissa, intelectual, vigente, guerreira e fêmea em


todos os sentidos, porém, clitorianamente ativa.”

As consequências da repressão da sexualidade de Lilith são entre outras a dissociação


entre a maternidade e a sexualidade, o duplo padrão de moral e o controle da
sexualidade masculina.
Tal dissociação criou a figura da esposa dissociada da imagem da mulher, o que
significa que o homem ocidental não consegue identificar a esposa e a amante numa
mesma mulher, recorrendo ao duplo padrão de moral para realizar seus desejos
sexuais. O que se observa frequentemente é que ele mantém a esposa em casa para
lhe dar filhos e a amante para lhe dar prazer. Este padrão vem sendo quebrado pelas
mulheres que não mais aceitam esta condição de mulher incompleta que as coloca
numa condição humilhante perante Deus e o homem.

Segundo o mito, as relações entre Adão e Lilith foram marcadas pela emergência,
pela paixão capaz de dominar Adão e fazê-lo perder a razão e entregar-se a luxuria.
Acredita-se que a sedução produzida por ela o fazia afastar-se de seus compromissos
com Deus.

Lilith está por trás dos fenômenos histéricos, a partir da repressão da sexualidade,
que origina somatizações e enfermidades. É ela a responsável pela desunião da
família, seja projetada em uma amante sedutora que ‘tira’ e ‘rouba’ o marido da
esposa, seja projetada na rebeldia da esposa que não suporta o “não” de seu marido
Adão.

Certamente, no fator citado acima está mais um dos que tornam a figura de Lilith
perigosa, ela seria o tipo de mulher capaz de dominar o homem e fazê-lo esquecer de
suas responsabilidades, levando o fim das relações , com Deus e com o próximo.

Porém, para além da questão sexual, que desencadeia muitas outras lendas e
interpretações a respeito de Lilith, como a que coloca que ela seria um demônio que
povoava os sonhos dos homens israelitas, tornando-os eróticos, sendo, assim, o
primeiro súcubo, ou a mãe dos súcubos;.Lilith pode ser considerada um mal exemplo
de coragem do espírito feminino ao não se submeter, ao desafiar o homem e Deus em
busca de suas convicções.

Lilith teria tido um castigo a altura de suas afrontas no ponto de vista da misoginia
judaica, pois o preço por sua rebeldia foi tornar-se um demônio. Lilith fora criada
como mulher, mas a nova condição a impedia de um convívio com a humanidade, e
de acordo com a punição onde mulher e serpente seriam para sempre inimigas, Lilith
e seu arquétipo tornaram-se drasticamente opostos e até mesmo rivais de Eva e o
modelo de mulher que ela sugere. Nesse ponto temos ainda a já referida dicotomia
entre a esposa e a amante, presente no imaginário.

Outro aspecto é a referência demoníaca de Lilith, pois se Eva é aquela mulher que
cede aos assédios do demônio, Lilith é o próprio demônio. Sendo representada
durante séculos na literatura como a mãe dos súcubos, a esposa de Satanás, a Lua
Negra, a bruxa que mata criancinhas, e etc., sendo mencionada também no cinema e
em famosas séries de televisão com os mesmos atributos. O mito de Lilith reforçou,
nesse ponto, o preconceito contra as mulheres que eclodiu principalmente durante as
Inquisições medieval e moderna, onde milhares foram queimadas sob a acusação de
bruxaria, principalmente aquelas que explicitavam sua sexualidade e sua força,
tornando-se um incomodo social.
Nesse sentido, reforça-se a ideia de que a mulher que detém poder é geralmente
perversa e, ao contrário, a docilidade e a bondade, são atributos associados à
submissão feminina, à passividade em aceitar imposições.

Considerações Finais:

Lilith ( hebraico : ‫ )לילית‬é uma lendária criatura que aparece em muitos mitos da
criação . Ela tem algumas variações em seu nome , e os temas comuns da
infertilidade e desejo inabalável. Ela também é considerada um súcubo , um poderoso
demônio que seduz homens e às vezes come crianças.

Na Mesopotâmia ela era associada com o vento e tempestades ,portadora de doenças


e morte . A figura de Lilith apareceu pela primeira vez na Suméria , por volta de 3000
a.C como Lilitu.

A primeira menção de Lilitu está associado com uma serpente e um pássaro Anzu, ,
na Epopeia de Gilgamesh . Daí as asas e garras nos pés. Lilith era "a menina bonita",
tendo o leite em seu peito , porém incapaz de amamentar crianças.

No folclore popular hebreu medieval, ela é tida como a primeira esposa de Adão, que
o abandonou, partindo do Jardim do Éden por causa de uma disputa sobre igualdade
dos sexos, chegando depois a ser descrita como um demônio.

De acordo com certas interpretações da criação humana em Gênesis, no Antigo


Testamento, reconhecendo que havia sido criada por Deus com a mesma matéria
prima, Lilith rebelou-se, recusando-se a ficar sempre em baixo durante as suas
relações sexuais. Na modernidade, isso levou a popularização da noção de que Lilith
foi a primeira mulher a rebelar-se contra o sistema patriarcal.

Assim dizia Lilith: ‘‘Por que devo deitar-me embaixo de ti? Por que devo abrir-me sob
teu corpo? Por que ser dominada por ti? Eu também fui feita de pó e por isso sou tua
igual.’’ Quando reclamou de sua condição a Deus, ele retrucou que essa era a ordem
natural, o domínio do homem sobre a mulher, dessa forma abandonou o Éden.

Três anjos foram enviados em seu encalço, porém ela se recusou a voltar. Juntou-se
aos anjos caídos onde se acasalou com Samael que tentou Eva , ao passo que Lilith
tentou Adão, os fazendo cometer adultério. Desde que o homem foi expulso do
paraíso , Lilith tenta destruir a humanidade, filhos do adultério de Adão com Eva, pois
mesmo abandonando seu marido ela não aceitava sua segunda mulher. Ela então
perseguiria os homens, principalmente os adúlteros, crianças e recém casados para
se vingar.

Após os hebreus terem deixado a Babilônia Lilith perdeu aos poucos sua
representatividade e foi eliminada do velho testamento. Eva é criada no sexto dia,
depois da solidão de Adão .

No período medieval ela era ainda muito citada entre as superstições de camponeses,
como deixar um amuleto com o nome dos 3 anjos que a perseguiram para fora do
Éden, Sanvi, Sansavi e Samangelaf para que ela não os matasse, assim como acordar
o marido que sorrisse durante o sono, pois ele estaria sendo seduzido por Lilith.
Ela é também associada a um demônio feminino da noite que se originou na antiga
Mesopotâmia. Era associada ao vento e, pensava-se, por isso, que ela era portadora
de mal-estares, doenças e mesmo da morte. Algumas vezes ela se utilizaria da água
como uma espécie de portal para o seu mundo. Também nas escrituras hebraicas
(Talmud e Midrash) ela é referida como uma espécie de demônio.

Na Suméria e na Babilônia ela ao mesmo tempo que era cultuada era identificada
com os demônios e espíritos malignos. Seu símbolo era a lua, pois assim como a lua
ela seria uma deusa de fases boas e ruins. Alguns estudiosos assimilam-na a várias
deusas da fertilidade, assim como deusas cruéis devido ao sincretismo com outras
culturas.

Surgem as lendas vampíricas: Lilith tinha 100 filhos por dia, súcubos quando mulheres
e íncubos quando homens, ou simplesmente lilims. Eles se alimentavam da energia
desprendida no ato sexual e de sangue humano. Também podiam manipular os
sonhos e seriam os geradores das poluções noturnas. Uma vez possuído por uma
súcubos, dificilmente um homem saía com vida.

Há certas particularidades interessantes nos ataques de Lilith, como o aperto


esmagador sobre o peito, uma vingança por ter sido obrigada a ficar por baixo de
Adão, e sua habilidade de cortar o pênis com a vagina segundo os relatos católicos
medievais. Ao mesmo tempo que ela representa a liberdade sexual feminina, também
representa a castração masculina.

Pensa-se que o Relevo Burney, um relevo sumério, represente Lilith e que há uma
relação entre Lilith e Inana, deusa suméria da guerra e do prazer sexual.

Algumas vezes Lilith é associada com a deusa grega Recate, "A mulher escarlate", um
demônio que guarda as portas do inferno montada em um enorme cão de três cabeças,
Cérbero. Hécate, assim como Lilith, representa na cultura grega a vida noturna e a rebeldia
da mulher sobre o homem.

Nos dois últimos séculos a imagem de Lilith começou a passar por uma notável
transformação em certos círculos intelectuais seculares europeus, por exemplo, na literatura
e nas artes, quando os românticos passaram a se ater mais a imagem sensual e sedutora de
Lilith e aos seus atributos considerados impossíveis de serem obtidos, em um contraste
radical à sua tradicional imagem demoníaca, noturna, devoradora de crianças, causadora
pragas, depravação, homossexualidade e vampirismo. Lilith também é considerada um dos
Arquidemônios símbolo da vaidade.

Sua história foi muito desenvolvida durante a Idade Média , na tradição do Midrash , o Zohar
e o misticismo judaico .

Alguns acreditam que Lilith foi uma deusa-mãe de religiões semitas e agora , um ícone do
feminismo. A lenda de Lilith é ainda utilizado como matéria-prima da fantasia moderna e
terror.

Lilith aparece no Livro de Isaías 34:13-15, que descreve a desolação de Edom .A palavra
hebraica Lilith aparece em uma lista de oito animais imundos, alguns dos quais podem ter
associações demoníacas.
Is 34:13 Nos seus palácios, crescerão espinhos, e urtigas e cardos, nas suas fortalezas; será uma habitação
de chacais e morada de avestruzes.14 As feras do deserto se encontrarão com as hienas, e os sátiros
clamarão uns para os outros; fantasmas (03917 tylyl liyliyth) ali pousarão e acharão para si lugar de
repouso.15 Aninhar-se-á ali a coruja, e porá os seus ovos, e os chocará, e na sombra abrigará os seus
filhotes; também ali os abutres se ajuntarão, um com o outro. (RA)

Is 34:13 E nos palácios crescerão espinhos, urtigas e cardos nas suas fortalezas; e será uma habitação de
chacais, e sítio para avestruzes.14 As feras do deserto se encontrarão com as feras da ilha, e o sátiro clamará
ao seu companheiro; e os animais noturnos (03917 tylyl liyliyth) ali pousarão, e acharão lugar de repouso
para si.15 Ali se aninhará a coruja e porá os seus ovos, e tirará os seus filhotes, e os recolherá debaixo da
sua sombra; também ali os abutres se ajuntarão uns com os outros. (RC)

Estratégia:

Iniciar jejum às 5:37 do dia 29-06-2010


Terminar jejum às 17:50 do dia 29-06-2010
O jejum consistirá da não ingestão de pão, carne e
suco de uva.
O jejum inclui também o não tomar banho nem se
perfumar.

Orar de 30-06 até 19-07-2010, todos os dias das


5:00 até no máximo 6:00 da manhã.
Motivos de oração:
1. Pedir perdão individualmente por nossos
pecados
2. Pedir perdão pelos pecados geracionais
3. Pedir perdão pelos pecados de sua cidade
4. Pedir perdão pelos pecados do seu estado
5. Pedir perdão pelos pecados do Brasil
6. Pedir perdão pelos pecados mundiais
Pecados relacionados à Lilith
(Homossexualismo masculino e feminino,
rebeldia, feminismo,
Adultério, vampirismo,...)

Iniciar jejum às 17:39 do dia 20-07-2010


Terminar jejum às 18:03 do dia 21-07-2010
O jejum consistirá da não ingestão de pão, carne e
suco de uva.
O jejum inclui também o não tomar banho nem se
perfumar.

Durante os 21 dias, anotar o que Deus revelar e


entregar às lideranças, para envio ao e-mail
amigrace@amigrace.org

Que Deus os abençoe a todos.


No amor do Senhor Jesus.

Ed Sant’Anna,ap

Você também pode gostar