P. 1
identificação de bacterias causadoras de infecção hospitalar

identificação de bacterias causadoras de infecção hospitalar

|Views: 518|Likes:
Publicado poruninovefarmacia

More info:

Published by: uninovefarmacia on Apr 29, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/14/2013

pdf

text

original

Artigo

Identificação de Bactérias Causadoras de Infecção Hospitalar e Avaliação da Tolerância a Antibióticos
Lílian C. Carneiro 1, Thyana T. Carvalhares 1, Marcos Antônio Pesquero2, Rosangela Coelho Quintana 1, Sarah Borges Feitosa1, Jales Elias Filho 2, Marcos André Costa Oliveira2 1 - Laboratório de Microbiologia, Universidade Estadual de Goiás, GO 2 - Laboratório de Ecologia, Universidade Estadual de Goiás, GO

Resumo
Em função da abrangência sobre enteropatogenicidade e ação de antimicrobianos, decidiu-se focar um aspecto ligado ao tema. Este trabalho isola e identifica bactérias carreadas por formiga em vários pontos de um ambiente hospitalar e analisa a tolerância dessas bactérias enteropatogênicas isoladas aos seguintes antimicrobianos: ampicilina, penicilina, ceftriaxona, eritromicina e ceftazidima, em relação a seis gêneros bacterianos isolados. Foram realizadas seis coletas de formigas a cada dois meses no Hospital Regional de Morrinhos, GO, desde o mês de setembro de 2005. Utilizou-se uma isca de carboidrato e uma de proteína por ambiente em período diurno. Somente uma espécie de formiga do gênero Pheidole foi identificada ao longo das coletas. Previamente as formigas foram imersas em caldo BHI, depois procedeu-se ao semeio em ágar, MacConckey, cled, salmonella shigella – SS, ágar sangue, PCA (ágar para contagem) e foram realizadas provas bioquímicas: lactose, glicose, H2S, uréase, L-TDª, motilidade indol, lisina, oxidase e citrato de Simmons, sensíveis para identificação bacteriana. Os resultados apontam uma maior prevalência de Escherichia coli em todos os pontos estudados, salientando que durante a pesquisa foram encontrados carreadores contaminados em todos os ambientes hospitalares pesquisados. Também foi feito antibiograma e a espécie Staphylococcus sp apresentou resistências para todos os antibióticos testados e o antibiótico eritromicina não inibiu o crescimento de nenhum microrganismo. Os resultados alertam para a necessidade de implantação de um sistema de controle microbiológico no hospital. Palavras-chave: Análise microbiológica, resistência antimicrobiana e saúde pública

Summary
Identification of bacteria that cause hospital infections and evaluation of tolerance to antibiotics Because of the enteropathogenicity and antimicrobial actions, we decided to focus an aspect related to this subject. This work isolates and identifies bacteria carried for ant in many points of a hospital and analyzes the tolerance of these enteropathogens bacteria isolated to the antimicrobial: ampicilin, penicillin, ceftriaxone, eritromicine and ceftazidime, regarding six isolated bacterial species. Since September 2005 were had been accomplished six ants’ collections every two months in the public Hospital of Morrinhos city - GO. We used one carbohydrate and one protein baits per area in diurnal period. Only Pheidole gender ant was identified along the collections. Previously the ants were immersed in BHI broth, and after that was then sowed: MacConckey agar, cled agar, salmonella shigella agar – SS, blood agar, ACP (countains to agar) and it was realized some biochemistry tests: lactose, glicose, H2S, urease, L-TDª, motility, indol, lysine, oxidase and Simmons citrate, sensitive tests for bacterial identification. The results show a larger prevalence of Escherichia coli in all studied points, pointing out that during the research was found contaminated carrier in all searched hospitable environments. Antimicrobial tests were realized and the Staphylococcus sp bacteria introduced resistances for all of the antibiotics tried and the eritromicine antibiotic didn’t inhibit the growth of no microorganism. The results appoint to the need of implantation of a system for hospital microbiological control. Keywords: Microbiological analysis, antimicrobial resistance and public health

106

NewsLab - edição 86 - 2008

pois sua resistência pode comprometer o tratamento de infecções alimentares severas (9). Depois de várias décadas de antibioticoterapia continuamente bem-sucedida contra infecções bacterianas. A emergência de patógenos resistentes a antibióticos é um fenômeno de preocupação na área clínica e na farmacêutica. Entre os fatores predisponentes dessas infecções estão o próprio doente. O descobrimento da penicilina abriu o campo da terapia antibiótica. Um aspecto de extrema importância tem sido o aumento expressivo da ocorrência de amostras multirresistentes aos antimicrobianos. embora seja mais comum a sua implicação em infecções hospitares (aparelho urinário e feridas). Outra bactéria isolada foi a Salmonella. A Klebsiella pode causar pneumonia. retenção. estamos agora enfrentando um prospecto preocupante: a evolução acelerada de resistência para com os antibióticos de importantes patógenos humanos (8). A Escherichia coli foi a primeira categoria diarreiogênica identificada. Alguns microorganismos envolvidos em infecções tornam-se resistentes às drogas antimicrobianas comumente usadas nos ambientes hospitalares (2). refletem as condições de saneamento e um nível sociocultural e econômico precários (14). distribuição subcelular. As infecções por E. Constata-se que pacientes hospitalizados ou indivíduos cujas defesas foram enfraquecidas por doenças ou terapias estão susceptíveis também a patógenos oportunistas. associados. em particular em doente imunologicamente deprimido (13). coli são muito mais freqüentes em crianças pobres dos grandes centros urbanos. os microrganismos determinantes de tais infecções e o meio ambiente hospitalar (15). As Aeromonas também têm emergido como importantes patógenos humanos e o trato gastrointestinal parece ser a principal fonte de infecção. ampliando a descoberta e comercialização de demais antibióticos (1). Este trabalho isola e identifica bactérias carreadas por formiga em vários pontos de um ambiente hospitalar e analisa a tolerância dessas bactérias enteropatogênicas isoladas aos seguintes antimicrobianos: ampicilina. principalmente devido à escolha incorreta do medicamento. A resistência é transmitida a seus descendentes e a outras bactérias da mesma espécie e de espécies distintas (1). a ponto de corresponderem de 30% a 50% dos gastos hospitalares com medicamentos (4).edição 86 . assim como a morbimortalidade. mas podem causar infecção em diferentes órgãos e tecidos. com infecções hospitalares.2008 . Determinadas bactérias enteropatogênicas são isoladas freqüentemente em infecções ocorridas em enfermarias e pediatrias de unidades hospitalares (15). Em função da abrangência sobre enteropatogenicidade e ação de antimicrobianos. Certas espécies bacterianas têm conseguido adaptar-se aos antibióticos mediante seleção progressiva de clones resistentes. penicilina. A alta incidência de casos. verificando-se um aumento do seu isolamento nos últimos anos. em geral.Introdução s infecções entéricas constituem um dos problemas mais graves na maioria dos países em desenvolvimento. decidiu-se focalizar um aspecto ligado ao tema. Os Staphylococcus também são membros da microbiota normal da pele e mucosas. susceptibilidade da bactéria nos sítios de infecção com atenção para a sua fase de crescimento (11). Um dado antibiótico tem que satisfazer muitos critérios de seleção para sua ótima ativida- de. acarretando em doença diarréica de curta duração. Há espécies que são oportunistas. constatando que de 25% a 50% das prescrições eram inadequadas. incluindo entrada. expressão da atividade nos compartimentos infectados. Podem surgir surtos de infecções hospitalares e as espécies de maior A freqüência podem geralmente ser encontradas como membros da microbiota normal. sobretudo do trato intestinal de seres humanos. As bactérias encontradas neste trabalho possuem ação entérica no organismo humano e estão relacionadas a infecções hospitalares. dose ou tempo de tratamento (12). Há propensão elevada de crianças adquirirem a infecção em hospitais públicos. 108 NewsLab . Os Enterococcus constituem um importante grupo de microorganismos que se destacam como patógenos oportunistas. Antibióticos são amplamente usados para tratamento e profilaxia de infecções. Vários estudos analisaram o padrão de prescrição em hospitais de ensino e assistenciais.

o semeio era procedido em ágar Mac Conckey. considerando todos os ambientes do hospital e os resultados são representados no Gráfico 2. L-TDª. Resultados Este trabalho determinou o potencial das espécies de formigas Pheidole como vetores de bactérias em ambiente hospitalar no município de Morrinhos. No Gráfico 1 observamos quais bactérias foram mais isoladas e identificadas nos vários ambientes hospitalares ao serem transportadas pelos vetores. Foi realizado também um estudo de dados para determinar a ocorrência dos agentes bacterianos por ambiente hospitalar – os Gráfico 1. representado 68% (49) das espécies isoladas. Após a amostra do caldo BHI turvar. Ao analisar o gráfico nota-se que na maioria dos pontos estudados foi encontrado apenas um isolado durante toda a pesquisa. onde foram identificadas colônias sugestivas para as espécies Enterococcus. GO. A determinação da resistência ou sensibilidade foi realizada utilizando-se discos de antibióticos de concentrações estabelecidas. sensíveis para identificação das bactérias (7). em relação aos gêneros bacterianos isolados. permanecendo por 24 horas para análise inicial da presença de cultura positiva e prosseguimento da identificação. verifica-se que não houve uma freqüência de positividade em todas as coletas realizadas. onde cresceram colônias sugestivas para E. coli e Klebsiella. Bactérias carreadas por formigas isoladas no hospital 110 NewsLab . através da diluição da amostra nas concentrações de 101 a 107 e inoculação das amostras em ágar Mueller Hinton. Metodologia O trabalho foi desenvolvido inicialmente no Hospital Regional de Morrinhos – GO e a escolha do local se justifica pelo maior fluxo de pacientes.edição 86 . Previamente as formigas foram imersas em caldo BHI. Após identificar as espécies de bactérias que estavam sendo carreadas pelas formigas. foram analisados os pontos mais acometidos. O semeio em ágar salmonella shigella (SS) propiciou resultados sugestivos para a espécie Salmonella. lisina. Os pontos de corte dos halos de sensibilidade e resistência foram aqueles publicados pelo National Comittee for Clinical Laboratory (10).cefatriaxona. recomendado pelo National Comittee for Clinical Laboratory Standards. oxidase e citrato de Simmons. eritromicina e ceftazidima. analisando as espécies bacterianas isoladas e a tolerância dessas bactérias a determinados antibióticos. As formigas foram coletadas com pinça de ponta fina esterilizada e acondicionadas em sacos plásticos esterilizados e etiquetados segundo o ambiente hospitalar. Notamos que a espécie Escheria coli foi a mais encontrada. Procedeuse então à semeadura em ágar sangue. realizada a cada dois meses durante um ano em 48 ambientes do hospital através de iscas de carboidrato (doce de leite) e proteína (salsicha) em período diurno.2008 . ágar Cled foi usado para selecionar fermentadores de lactose e coloração de gram para ajudar na identificação. Aeromonas e Staphylococcus. motilidade indol. glicose. H 2S. Considerando que foram realizadas seis coletas (uma a cada dois meses). urease. As pesquisas se iniciaram em setembro de 2005 com a coleta de formigas. As coletas foram realizadas com luvas esterilizadas e manipuladas no laboratório de biologia da Universidade Estadual de Goiás. provas bioquímicas foram realizadas para concluir o diagnóstico: lactose. ágar PCA (ágar para contagem) foi utilizado como estimativa quantitativa do crescimento bacteriano.

2008 . S: sensibilidade. O banheiro teve maior acometimento de Staphylococcus sp e os demais ambientes da bactéria E. Amp: ampicilina.edição 86 . Cro: ceftriaxona. clínicas (masculina e feminina) e isolamento foram os quatro pontos mais acometidos. Eri: eiritromicina. Ao observar os resultados percebe-se que os ambientes do banheiro. Ocorrência de bactérias encontradas por ambiente hospitalar 112 a ul tó ri o s C oz in En ha fe rm ar Es ia te s ri l iz aç Is ão ol am e la b o n to ra tó ri o La s Po ct ár st o Pe i o de di en at ri fe rm a Sa ag la em de ae Sa ro la so de l Sa ci ru rg la ia de Sa ge s la d e so su R tu ea ra ni m aç ão ár io rç s nh e Ba Be C on s C lí n ic iro Espécies de Bactérias NewsLab . A Tabela 1 mostra o resultado do antibiograma referente às bactérias isoladas por meio do vetor Pheidole. Perfil de resistência a antimicrobianos de bactérias isoladas no hospital regional do município de Morrinhos – GO Espécies/antibióticos Escherichia coli Salmonella Staphylococcus sp Klebsiella sp Enterococcus sp Aeromonas Caz S R R S R S Amp R s R R S R Eri R R R R r R Cro S S r R R S Pen r S r r S R Caz: ceftazidima. coli (dados não mostrados). o antibiótico ceftriaxona apresentou maior eficiência ao inibir o crescimento de quatro espécies. Por outro lado. Foram pesquisadas 48 áreas diferentes. Cinco antimicrobianos foram testados em seis espécies de bactérias identificadas. r: resistência intermediária Gráfico 2. Pen: penicilina R: resistência. laboratórios. Frequência absoluta 12 10 8 6 4 2 0 11 9 8 7 6 5 4 2 1 4 4 3 2 2 1 3 5 Gráfico 3. s: sensibilidade intermediária.Tabela 1. O Staphylococcus sp foi a única espécie isolada que não apresentou sensibilidade a nenhum dos antibióticos testados. Frequência de área pesquisadas por número de bactérias encontradas dados estão demonstrados no Gráfico 3. O antibiótico eritromicina foi o menos eficiente e todos os isolados apresentaram resistência quando testados.

Ao analisar o Gráfico 2 notamos que em todos os ambientes houve isolamento de microorganismos. realizaram uma análise do perfil de microorganismos causados de infecções do trato urinário em pacientes hospitalizados e detectaram que a bactéria E. coli mostrou maior resistência à ampicilina (60.25%). aliada à programas de informação sobre a importância da IH e da HM. sendo que em 29 (60. tem despertado grande interesse no meio científico.4%) dos ambientes estudados houve a ocorrência de apenas uma espécie. Houve casos de sensibilidade intermediária como a Salmonella com relação ao antibiótico ampicilina e casos NewsLab . sendo essa uma das etapas básicas para o estabelecimento de estratégias particularizadas de controle de infecção hospitalar (3). apareceram quatro isolados.4%) apareceram três isolados e.Discussão Em nosso trabalho a espécie E. No Gráfico 3 os resultados demonstram que os banheiros e laboratórios foram as áreas mais acometidas. em 11 (22. Blatt e Miranda.. em três ambientes (6. A infecção hospitalar (IH).. seguida de Staphylococcus sp. Baseados em estudos anteriores podemos sugerir que o cuidado com a higienização é a primeira opção para a diminuição desses resultados. para que venham a ser medidas que contribuam para o melhor controle da infecção hospitalar (6). o que reforça a falta de higienização pessoal. (2002) foi relatada a importância de intervenções educativas de modo concomitante à disponibilidade do álcool gel para a satisfatória adesão ao seu uso e a combinação da lavagem das mãos com água e sabão.edição 86 . 2005. mas também devido à relativa simplicidade do procedimento mais importante para o seu controle: a higiene manual (HM). atualmente. Pode surgir uma divergência de ocorrência devido à diversidade de microorganismos isolados. coli foi a mais freqüente. coli foi predominante. seguida da espécie Klebsiella.2008 113 . No estudo realizado por Harbarth et al. entre o profissional de saúde e o paciente. Enterococcus e posteriormente Klebsiella e Aeromonas sp. conforme a disponibilidade de pias bem posicionadas. em cinco (10.4%).9%) ocorreu a presença de dois isolados por ambiente. não só em decorrência da substancial contribuição para a morbimortalidade dos pacientes. A Tabela 1 apresenta que a bactéria E.

283-96. 1992. 2002. 1: 85-91. Clin Infect Dis. São Paulo: Atheneu. Alibert-Franco S. Pediatr Infect Dis J. Vesco E. Ferdin EJ. Streptococcus. 1991. Samore MH. Role of infectious disease consultants in management of antimicrobial use in hospital. 11. Sunenshine RH. Silva MJB. Janda WM. Med Clin (Barc). 1994. 273 e 345. FEMS Immun Med Microbiol. Trabulsi LR. Rawasheded M. J Antimicrob Chemother. Gaúcha Hospitais.2008 . também. Bougnoux ME. em geral. and antimicrobial activity of antibiotics within phagocytes. Grady L. Microbiologia. Zaboury EL. 2001. 6. Jernigan DB and Strausbaugh LJ. Bacterial. pela autorização da pesquisa em todas as áreas hospitalares. Alarming baseline rates of nosocomial infections and surgical profilaxis errors in a small teaching hospital from Argentina. 1999. 193. 52:16-7. 28(3): 257-63. retention. Manual of clinical microbiology. sendo essa uma das etapas básicas para o estabelecimento de estratégias particularizadas em relação ao uso racional de antimicrobianos. de forma a poder lidar eficazmente com essas doenças. 2001. Penetration. Liedtke LA. Estas medidas são caras e. 5.br Referências Bibliográficas 1. editors. Staphylococcus sp apresentou resistência intermediária também para ceftriaxona e por último. Kabbash C. Harbarth S. pouco eficazes. Antibiotic efflux pumps in Gram-negative bactéria: the inhibitor response strategy. Introduction: microbial food safety. Schenkel OL. 272. 183. viral and parasitic enteric pathogens associated with acute diarrhea in hospitalized children from northen Jordan. Carneiro lilian. Correspondências para: Lílian C. Blatt JM.. 59(6):1223-1229. p. Schreckenberger PC. 13. 8. Jorn J Infect Dis. Interventional study to evaluate the impact of an alcohol-based hand gel in improve hand hygiene compliance. Anathan S.carneiro@ueg. Potter-Bynoe G. Mahamoud A. 2002. Pages JM. Tossello C. Hematol. 2005. Doyle M. 109: 264-270. et al. Altethum F. Diagnóstico microbiológico teto e atlas colorido. Este estudo contribui para o conhecimento de taxas de resistência locais. Strockbine N.de resistência intermediária: E coli. UNICEF. Microbes Infect. intracellular localization. Baron EJ. Silverstein SC. sendo habitual esperar que surja uma epidemia para que se tratem os doentes e se ativem os mecanismos de emergência necessários para controlar a epidemia. 10:16-26. As entidades oficiais e o público em geral não estão preparados para a prevenção. A Infecção hospitalar gastroentérica: relação custo-benefício do paciente infectado para a organização hospitalar. Curr. Busto J. Enterotoxigenicity of Klebsiella pneumoniae associated with childhood gastroenteretis in Madras. Winn WCJr. Consumo de antibióticos y resistencia bacteriana a los antibióticos: algo que te concierne. 2007. Whiley RA. O impacto das doenças infecciosas emergentes poderá ser menor se a estrutura de Saúde Pública for reativada. Washington (DC). Ray S. Opin. 2004. Agradecimentos À direção do Hospital Regional de Morrinhos. Pittet D. Allen SD.Youssef M. 10. que se voltar a pensar em termos de prevenção da doença. 15. 2000. Rev Panam Infectol. Alósa JI e Carnicerob M. São Paulo: Medsi. 1999. 22: 264-5. 3. Kern WV. New York. 38:934-8. Situação mundial da infância: relatório do diretor executivo do Fundo das Nações Unidas para a Infância. Beighton D. Miranda MC. 4(4):395-7. 7(4):10-14. Perfil dos microrganismos causadores de infecções dot rato urinário em pacientes internados. In: Murray PR.edição 86 . klebsiella e Staphylococcus sp apresentaram resistência intermediária para penicilina. Schuster V. GO. Koneman EW. 2004. Enterococcus sp apresentou resistência intermediária para eritromicina. Zawacki A. Bretagne S. 12. Há. 14. Pfaller MA. 7. Ruoff KL. 2. 114 NewsLab . Meng J. no desenvolvimento e implementação de estratégias de prevenção. India. Chevalier J. Shurman A. Rev. 4. Infect Control Hosp Epidemiol. Alvandi S. 21:489-95. 9. 1997. Os resultados alertam para a necessidade de implantação de um sistema de controle microbiológico no hospital.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->