P. 1
CRIMES DE TRÂNSITO - CTB - POR EDINALVA OLIVEIRA DOS SANTOS

CRIMES DE TRÂNSITO - CTB - POR EDINALVA OLIVEIRA DOS SANTOS

|Views: 1.017|Likes:
Publicado porEdinalva Santos
CRIMES DE TRANSITO - ARTIGOS 291-312- CODIGO DE TRANSITO BRASILEIRO . ABORDA AS PENALIDADES EM COMPARAÇÃO AO PROPRIO COD PENAL E LEGISLACAO DO TRANSITO
CRIMES DE TRANSITO - ARTIGOS 291-312- CODIGO DE TRANSITO BRASILEIRO . ABORDA AS PENALIDADES EM COMPARAÇÃO AO PROPRIO COD PENAL E LEGISLACAO DO TRANSITO

More info:

Categories:Topics, Art & Design
Published by: Edinalva Santos on May 01, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/12/2013

pdf

text

original

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO--

A Lei 9.503/97 (Código de Trânsito
Brasileiro, Capítulo XIX

11 / 60
/ 60

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

INSTITUTO JOÃO NEÓRICO
INSTITUTO JOÃO NEÓRICO--FARO
FARO

CURSO BACHAREL EM DIREITO
CURSO BACHAREL EM DIREITO

TURMA D-87

DIREITO PENAL:

EDINALVA OLIVEIRA DOS SANTOS

orientador ±PEDRO MANCEBO

GRUPO ±CRIMES DO TRÂNSITO

2

GRUPO CRIMES DE
GRUPO CRIMES DE

TRÂNSITO
TRÂNSITO

GRUPO:

DAYANA BOTELHO VALADARES.

EDINALVA OLIVEIRA DOS SANTOS

JOSÉ CLAUDIO N. DE CARVALHO

LAMY PERRY MARANGONI

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

33 / 60
/ 60

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

44 / 60
/ 60

INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO

O desenvolvimento do tema Crimes de
Crimes de

Trânsito
Trânsito
envolve ampla discussão doutrinária
e merece bastante atenção nos dias atuais

O trabalho a seguir aborda a parte legislativo-

doutrinária atual e, o CAPITULO XIX DO
CNT Artigos 291-312 ±CNT ±

CRIMES DE TRÂNSITO.

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

55 / 60
/ 60

GUERRA NAS ESTRADAS
GUERRA NAS ESTRADAS

Cerca 723 Acidentes acontecem

por dia nas estradas, sendo que
em média morrem 65 pessoas
por diariamente nas rodovias, e
417 pessoas ficam feridas
diariamente nas rodovias do
\Brasil ±dados segundo o
PROGRAMA SOS NAS
ESTRADAS -p

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

66 / 60
/ 60

ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA
ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA

³ O trânsito representa um espaço de

convivência e o número de pessoas que o
ocupam hoje em dia, é absolutamente
excessivo
´ (Sander Fridman, Psiquiatra)

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

77 / 60
/ 60

FATORES QUE MOTIVAM A VIOLÊNCIA
FATORES QUE MOTIVAM A VIOLÊNCIA

NO TRANSITO
NO TRANSITO

Sentimento de competição

Falta de respeito às instituições e

autoridades

Má avaliação de saúde mental do

motorista

Correria, stress e angústia

Falta de educação para o trânsito

Falta de planejamento e o constante

crescimento

Fatores que Contribuem para Acidentes de
Fatores que Contribuem para Acidentes de

Trânsito
Trânsito..

das cidades e metrópoles

O péssimo estado de conservação das

estradas

A falta de sinalização e infra-estrutura

adequada nas cidades-

Uso de álcool, , drogas e afins

Excesso de trabalho

Imprudência dos condutores.

Imperícia dos condutores

88 / 60
/ 60

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

99 / 60
/ 60

O PAPEL DA JUSTIÇA
O PAPEL DA JUSTIÇA

Os crimes de trânsito constituem-se em um

grande dilema que norteiam o sistema judiciário

Não há uniformidade quanto à interpretação da

norma e as decisões judiciais são influenciadas
pela opinião pública

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

10
10 / 60
/ 60

DOLO EVENTUAL OU CULPA
DOLO EVENTUAL OU CULPA

CONSCIENTE
CONSCIENTE??

Oscrimesdetrânsitodevemserpunidos

comodolosos

dolosos(doloeventual)ou

culposos
culposos
(culpaconsciente)?

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

11
11
/ 60
/ 60

DOLO
DOLO

Teorias
Teorias

Teoria da Vontade

Teoria da Representação

Teoria do Assentimento

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

12
12
/ 60
/ 60

DOLO
DOLO

Teoria da Vontade
Teoria da Vontade

Assim, não basta a representação, é preciso

que o agente queira o resultado

O principal elemento para o dolo é a

manifestação de vontade

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

13
13 / 60
/ 60

DOLO
DOLO

Teoria
Teoriada

daRepresentação
Representação

Basta a representação subjetiva ou a previsão

do fato como certo ou provável para
configurar o dolo

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

14
14
/ 60
/ 60

DOLO
DOLO

Teorias
Teoriasdo

doAssentimento
Assentimento

Basta que o agente prevendo o fato, não se

abstenha de atuar, consentindo previamente
em sua ocorrência

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

15
15 / 60
/ 60

DOLO
DOLO

Código Penal Brasileiro
Código Penal Brasileiro

Art. 18. Diz-se o crime: I -doloso, quando o

agente quis o resultado ou assumiu o risco
de produzi-lo

O Código Penal adotou as teorias da

vontade (na primeira parte) e do
assentimento (na segunda parte)

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

16
16
/ 60
/ 60

DOLO EVENTUAL
DOLO EVENTUAL

Distingue-se do dolo direto

O agente prevê o resultado de sua conduta,

mas mesmo não o desejando, aceita-o

Nos termos da segunda parte do art.18, I CP,

³assume o risco de produzi-lo´ (teoria do

assentimento)

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

17
17 / 60
/ 60

CULPA
CULPA

³É a voluntária omissão no calcular as

conseqüências possíveis e previsíveis do
fato
´ (CARRARA)

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

18
18
/ 60
/ 60

CULPA
CULPA

Elementos
Elementos

Conduta humana voluntária (ação ou

omissão)

Falta de cuidado objetivo (imprudência,

negligência ou imperícia)

ausência de previsão

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

19
19 / 60
/ 60

CULPA
CULPA

Elementos
Elementos

Resultado involuntário

Nexo de causalidade

Tipicidade

Possibilidade de previsibilidade objetiva

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

20
20 / 60
/ 60

CULPA
CULPA

Elementos
Elementos

Imprudência
Imprudência

É a pratica de um fato perigoso

Exemplo: dirigir veículo em rua

movimentada com excesso de velocidade

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

21
21
/ 60
/ 60

CULPA
CULPA

Elementos
Elementos

Negligência
Negligência

É a ausência de precaução ou indiferença

em relação ao ato realizado

Exemplo: o motorista que não faz uma

revisão de seu veículo antes de uma
viagem longa

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

22
22
/ 60
/ 60

CULPA
CULPA

Elementos
Elementos

Imperícia
Imperícia

É a falta de aptidão para o exercício de

um ato, arte ou profissão

Exemplo: dirigir veículo sem ter obtido

carteira de habilitação para tal fim

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

23
23 / 60
/ 60

CULPA
CULPA

Elementos
Elementos

Previsibilidade

Previsibilidade Objetiva
Objetiva

Talvez o elemento mais importante do delito

culposo

É a possibilidade do resultado ser antevisto,

nas condições em que o sujeito se encontrava

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

24
24
/ 60
/ 60

CULPA
CULPA

Código Penal Brasileiro
Código Penal Brasileiro

Art. 18. Diz-se crime: II -culposo, quando
o agente deu causa ao resultado por
imprudência, negligência ou imperícia

O CP., diversamente do que fez em relação
ao dolo, absteve-se de conceituar a culpa

Limitou-se a declarar os termos do crime
culposo

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

25
25 / 60
/ 60

CULPA CONSCIENTE
CULPA CONSCIENTE

Na culpa inconsciente
Na culpa inconsciente

o resultado previsível não é previsto pelo agente

Na culpa consciente
Na culpa consciente

o resultado é previsto pelo agente, que não o

deseja, mas pratica a conduta por esperar que ele
não ocorra ou que possa evitá-lo

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

26
26
/ 60
/ 60

DOLO EVENTUAL E CULPA
DOLO EVENTUAL E CULPA
CONSCIENTE
CONSCIENTE

Existe uma pequena diferença entre o dolo

eventual e a culpa consciente

Isto gera alguns problemas na doutrina e,

principalmente, nas decisões judiciais

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

27
27 / 60
/ 60

DOLO EVENTUAL E CULPA CONSCIENTE
DOLO EVENTUAL E CULPA CONSCIENTE

Alguns doutrinadores consideram que a culpa
consciente encontra-se fronteiriça entre o dolo
e a culpa

Outros, como Damásio de Jesus, preferem não
admitir esta diferença

Segundo eles, trata-se de um crime doloso, a
que o legislador resolveu aplicar a pena de
crime culposo

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

28
28
/ 60
/ 60

DOLO EVENTUAL E CULPA
DOLO EVENTUAL E CULPA
CONSCIENTE
CONSCIENTE

Critérios para diferenciá
Critérios para diferenciá--los
los

³Fórmulas de Frank´

Tipos de Previsão

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

29
29 / 60
/ 60

DOLO EVENTUAL E CULPA
DOLO EVENTUAL E CULPA
CONSCIENTE
CONSCIENTE

Fórmulas
Fórmulasde

de Frank
Frank

Teoria Hipotética do Consentimento

Teoria Positiva do Consentimento

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

30
30 / 60
/ 60

³³FÓRMULAS DE FRANK´
RMULAS DE FRANK´

Teoria Hipotética do Consentimento
Teoria Hipotética do Consentimento

A previsão do resultado como certonão teria

detido o agente, isto é, não teria tido o efeito de um
decisivo motivo de contraste

Neste caso configura-se o dolo eventual
dolo eventual

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

31
31 / 60
/ 60

³FÓRMULAS DE FRANK´
³FÓRMULAS DE FRANK´

Teoria Positiva do Consentimento
Teoria Positiva do Consentimento

O agente diz a si próprio: -seja como for, dê

no que der, em qualquer caso não deixo de
agir

É responsável a título de dolo
dolo

CRIMES DE TRÂNSITO
CRIMES DE TRÂNSITO

32
32 / 60
/ 60

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->