Você está na página 1de 3

1

OSCILAÇÕES – MOVIMENTO PERIÓDICO

MOVIMENTO PERIÓDICO decodificado no aparelho de televisão, transformando-


se em informações de som e imagem.
Observando uma criança num carrossel, vemos que, a
cada volta, seu movimento se repete, sempre no Os impulsos elétricos se propagando no ar formam
mesmo intervalo de tempo. Esse tipo de movimento é uma onda eletromagnética.
denominado movimento periódico. Inicialmente, estudaremos as oscilações. Nos
próximas seções, estudaremos as ondas.
Movimento periódico é aquele que se repete em
intervalos de tempo iguais.
PERÍODO E FREQUÊNCIA
Em um toca-discos, o movimento de um ponto do
disco também se repete com intervalos de tempo Para descrever os movimentos periódicos, utilizam-se
sempre iguais. Portanto, esse as grandezas período e frequência.
também é um movimento Período é o intervalo de tempo após o qual o
periódico. movimento periódico se repete.
Os movimentos de um Frequência é o número de vezes que um
carrossel e de um toca-discos movimento periódico se repete numa unidade de
são movimentos periódicos tempo.
circulares. Há outros tipos de Para movimentos de período pequeno, é mais
movimentos periódicos, como adequado trabalhar com a frequência.
o de um balanço de parque de
diversões, que executa um Vamos ver como se relacionam o período e a
movimento de vaivém sobre uma determinada frequência. Por exemplo, se a hélice de um ventilador
trajetória. Esse tipo de movimento periódico é dá 2 voltas por segundo, então o período do
chamado oscilação. movimento, isto é, o tempo decorrido em cada volta, é
1/2 segundo. Já se o ventilador dá 10 voltas por
A oscilação é, talvez, o movimento mais comum à segundo, o período é 1/10 segundo. Portanto, o
nossa volta, embora isso não seja muito evidente. período é o inverso da frequência.
Por exemplo, uma corda de violão, ao ser tocada, Sendo f a frequência e T o período, temos:
passa a executar um movimento de oscilação, que se
repete centenas de vezes por segundo. Esse tipo de 1
T
oscilação, rápida e com pequenos deslocamentos, é f
também chamado de vibração.
No SI, o período é medido em segundos e a
frequência, em hertz (Hz).
1 1
f   1 Hz 
T s
O movimento de rotação da Terra ao redor seu eixo
tem período de 24 horas e o movimento da Terra ao
redor do Sol tem período de um ano. Já o movimento
oscilatório de uma corda de violão tem período de
milésimos de segundo e o movimento dos elétrons
numa antena de TV tem período de bilionésimos de
segundo.
Esse movimento de oscilação se transmite para as Uma corda de violão tem frequência de centenas de
moléculas do ar e, por meio delas, chega até nosso vibrações por segundo. Já a oscilação dos elétrons
ouvido. Dentro do ouvido, o tímpano adquire o numa antena de TV tem frequência de centenas de
mesmo movimento de oscilação e gera impulsos milhões de vibrações por segundo.
nervosos periódicos, que são transmitidos ao cérebro,
gerando a sensação sonora. Exercícios
Também na antena transmissora de uma estação de 1. Uma torneira mal fechada pinga gotas com
TV há movimentos oscilatórios. Elétrons oscilam, intervalo de 0,5 s entre duas gotas sucessivas. Com
gerando no espaço impulsos elétricos periódicos. que frequência se ouvem as batidas das gotas no
Estes impulsos, ao atingirem a antena receptora, chão?
produzem nela um movimento oscilatório de elétrons 2. Qual é o período do movimento de uma corda de
igual ao da antena transmissora. Esse movimento é piano que vibra com frequência de 50 Hz?
2
MOVIMENTO OSCILATÓRIO - SISTEMA MASSA- A partir daí, o movimento se repete com sentido
MOLA oposto. O corpo ganha velocidade, passa pelo ponto O
Para entender o movimento e atinge novamente o ponto A, onde sua velocidade
oscilatório, vamos analisar o chega a zero. Nesse momento, completou-se um ciclo
seguinte sistema: um corpo da oscilação. A duração de um ciclo é igual a um
sobre uma superfície horizontal, período do movimento. A distância máxima atingida
preso a uma mola por uma das pelo corpo oscilante em relação à posição de
extremidades; a outra equilíbrio chama-se amplitude da oscilação.
extremidade da mola é fixa. Para simplificar o
raciocínio, vamos admitir que não haja atrito entre o
corpo e a superfície horizontal.
Denomina-se movimento harmônico simples
(MHS) quando o movimento oscilatório for
retilíneo e o seu sentido se inverter
periodicamente, como na oscilação de um
sistema massa-mola sem atrito.
Inicialmente, a mola está
com seu comprimento
natural e o corpo está em
repouso no ponto O, sua
posição de equilíbrio Sempre que o corpo passa pelo ponto O, que é a
(figura a). Puxando o posição de equilíbrio, sua aceleração muda de sentido,
corpo com a mão até o e o movimento, que era acelerado, passa a ser
ponto A e soltando-o, ele retardado. A velocidade vai aumentando até atingir o
inicia um movimento de ponto O. Neste ponto, a velocidade começa a
oscilação ao redor da diminuir. Logo, a velocidade é máxima em O. Já nos
posição de equilíbrio. extremos A e B, a velocidade é nula, mas a aceleração
Vamos entender por que a é máxima.
oscilação ocorre nesse
sistema. O movimento oscilatório pode ser melhor entendido
se raciocinarmos em termos de energia mecânica.
Quando a mola é inicialmente esticada, passa a aplicar Inicialmente, quando esticamos a mola, fornecemos
no corpo uma força elástica contrária ao sentido de energia mecânica ao sistema, na forma de energia
seu deslocamento. Essa força é proporcional ao potencial elástica. No movimento de retorno, a
afastamento do corpo, isto é, quanto mais longe o energia potencial vai se transformando em energia
corpo estiver do ponto O, maior será essa força cinética. Ao passar pelo ponto O, a energia potencial é
(figura b). nula e a energia cinética é máxima. Desse ponto em
Soltando o corpo no ponto A, a força elástica o levará diante, a energia potencial volta a aumentar e a
de volta ao ponto O, que é sua posição de equilíbrio. energia cinética diminui. Ao atingir o ponto B, a
Nessa volta, a velocidade é crescente. Quanto mais energia potencial volta a ser máxima e a energia
próximo da posição de equilíbrio, menor será essa cinética volta a ser zero, e assim por diante.
força e, portanto, menor será a aceleração. O fato de a De maneira geral, para que um corpo tenha
aceleração ir diminuindo significa que a velocidade movimento de oscilação, é preciso existir uma força
vai aumentando cada vez menos, mas ela não pára de que sempre tenda a empurrá-lo para uma determinada
aumentar enquanto não é atingido o ponto de posição de equilíbrio. Portanto, a origem do
equilíbrio. Somente ao atingir o ponto de equilíbrio a movimento de oscilação do sistema massa-mola está
força se anula. Nesse momento, a velocidade pára de 
na força F , força elástica produzida pela mola. Seu
aumentar (figura d). 
No entanto, por inércia, o movimento prossegue, e o módulo F varia de acordo com a Lei de Hooke:
corpo ultrapassa a posição de equilíbrio. Surge então F = kx
uma força elástica que retarda o movimento. A
velocidade começa a diminuir. Quanto mais o corpo A frequência e o período do oscilador massa-mola são
se afasta da posição de equilíbrio, maior é a força respectivamente:
elástica, portanto mais rapidamente a velocidade m
1 k
diminui. Ao atingir o ponto B, à mesma distância que f  e T  2
A em relação à posição de equilíbrio, a velocidade se 2 m k
anula (figura f).
3
MOVIMENTO OSCILATÓRIO – PÊNDULO Num pêndulo, a força-peso do corpo suspenso é a
SIMPLES força responsável pela oscilação. Assim, se a massa
for maior, o peso também será, e o sistema será
Outro movimento oscilatório fácil de observar é o impulsionado por uma força maior. Uma coisa
pêndulo: um corpo suspenso por um fio. Estando o compensa a outra, e a aceleração acaba não
fio na posição vertical, o corpo permanece em dependendo da massa.
repouso. Essa é, portanto, a posição de equilíbrio.
Para compreender melhor a oscilação de um pêndulo
Retirando o corpo da posição de equilíbrio, o sistema
simples, analisaremos em termos de energia
entra em oscilação.
mecânica: quando o corpo se afasta do ponto de
equilíbrio, sua energia potencial gravitacional
aumenta e sua energia cinética diminui. Nos pontos
extremos, a energia potencial é máxima e a energia
cinética é nula. Já no ponto de equilíbrio, a energia
potencial é mínima e a energia cinética é máxima.

OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA


Até aqui admitimos que a energia mecânica do
movimento harmônico simples se conserva, o que, na
realidade, não ocorre. Todo oscilador harmônico
perde energia, sobretudo devido ao atrito e à
resistência do ar. E como a
Esse movimento não é harmônico simples, pois a energia está ligada à
trajetória do corpo oscilante não é retilínea. No amplitude, as oscilações
entanto, se o corpo for deslocado de maneira que o fio resultantes têm amplitudes
forme ângulos pequenos com a vertical ( < 5º), a decrescentes, denominadas
trajetória do pêndulo será aproximadamente retilínea oscilações amortecidas.
e o movimento poderá ser considerado harmônico Embora a amplitude dessas
simples. Consideraremos um pêndulo simples oscilações diminua com o
satisfazendo esta condição. tempo, a sua frequência
No século XVII, Galileu Galilei (1564-1642) fez uma permanece constante.
importante descoberta: cada pêndulo tem uma Na prática, muitas vezes as oscilações devem ser
determinada frequência própria de oscilação. Logo, reduzidas, como nos automóveis. Nesse caso
se percebeu também que cada sistema massa-mola utilizam-se dispositivos amortecedores. Em alguns
tem uma frequência própria (vista na seção anterior). casos, no entanto, pretende-se evitar o amortecimento,
Essa característica possibilitou o uso do pêndulo e do como nos relógios de pêndulo, que dispõem de
sistema massa-mola como elementos reguladores de dispositivos movidos a corda ou a pilha para
relógios. compensar a perda de energia em cada oscilação.
Fazendo experiências em laboratório, Galileu chegou Assim o pêndulo passa a executar oscilações
à seguinte conclusão: para pequenos ângulos ( < 5º), forçadas mantendo sua amplitude constante. É dessa
as expressões da frequência própria e do período de forma que as crianças brincam num balanço: a cada
oscilação do pêndulo simples de comprimento l, num oscilação elas dão pequenos impulsos para manter a
lugar onde a aceleração da gravidade é g, são amplitude constante.
respectivamente: Em geral, a frequência das oscilações forçadas é
diferente da frequência própria (ou natural) do
1 g l
f  e T  2 oscilador, isto é, a frequência definida por suas
2 l g características próprias, como a massa e a constante
elástica do oscilador massa-mola. Um caso
Observe que quanto maior o comprimento do particularmente importante ocorre quando a
pêndulo, menor a sua frequência própria de oscilação. frequência das oscilações forçadas coincide com a
Uma observação interessante é que a frequência e o frequência natural do sistema oscilante — trata-se do
período de oscilação não dependem da massa do fenômeno da ressonância. Na ressonância, a
pêndulo. À primeira vista parece estranho, pois um amplitude das oscilações tende a aumentar
pêndulo de massa maior tem maior inércia e, por isso, indefinidamente, podendo causar até o colapso do
deveria oscilar mais lentamente. No entanto, se sistema oscilante. A ressonância possibilita a máxima
compararmos dois pêndulos de mesmo comprimento transferência de energia entre a fonte excitadora, que
e massas diferentes, verifica-se que ambos têm a produz as oscilações forçadas, e o sistema oscilante.
mesma frequência. Vamos ver por que isso acontece.