Você está na página 1de 1

REFLEXO DAS FALTAS NAS FÉRIAS FALTAS JUSTIFICADAS / ABONADAS

Redução do Período de Gozo Regulamentação

ART. 130 - Na constância da relação de trabalho, ART. 473 - O empregado poderá deixar de
se o empregado comete excesso de faltas comparecer ao serviço sem prejuízo do salário:
injustificadas, o empregador pode reduzir o
período de descanso do empregado. Nesse sentido I - até 2 (dois) dias consecutivos, em caso de
a CLT em art. 130 determinou um sistema de falecimento do cônjuge, ascendente, descendentes
escalonamento: irmão ou pessoa que, declara em sua Carteira de
Trabalho e Previdência Social, viva sob sua
Até – injustificadas dependência econômica;
5 – faltas
De 6 a 14 – faltas II - até 3 (três) dias consecutivos, em virtude de
De 15 a 23 – faltas casamento;
De 24 a 32 – faltas
Acima de 32 – faltas III - por 1 (um) dia em caso de nascimento de
filho, no decorrer da primeira semana;
Férias - Perda do Direito - Não faz jus às férias o
empregado que, no curso do período aquisitivo, IV - por 1 (um) dias, em cada 12 (doze) meses de
houver faltado ao serviço mais de 32 vezes trabalho, em caso de doação voluntária de sangue
(inteligência do art. 130, inciso IV, da CLT) (TRT devidamente comprovada;
12ª R. - RO-V 6.931/97 - Ac. 2ª T. 2.384/98 - Relª
Juíza Maria Aparecida Caitano - DJSC V - até 2 (dois) dias consecutivos ou não, para fins
31.03.1998) de se alistar eleitor, nos termos da lei respectiva;

Não se deve confundir as faltas que são VI - no período de tempo em que tiver de cumprir
descontadas em folha de pagamento, com a as exigências do serviço Militar referidas na letra c
conseqüência que estas faltas produzem nas férias. do art. 65 da Lei n.º 4.375, de 17 de agosto de 1964
Isto porque, se as faltas não forem descontadas em (Lei do Serviço Militar);
folha de pagamento, elas não produzem
conseqüência nas férias e também não é permitido VII - nos dias em que estiver comprovadamente
usar o escalonamento. realizando provas de exame vestibular para
ingresso em estabelecimento de ensino superior.
O empregado trabalha 12 (doze) meses para
merecer o descanso, se nesse período ele comete
excesso de falta, podemos concluir que ele
trabalhou menos; logo, deve descansar menos.

Não é permitido abonar as faltas em folha de


pagamento e compensá-las com as férias , § único
do art. 130 CLT.

Importante: As faltas devem ser apuradas dentro


do período aquisitivo das férias.