P. 1
Justiça e Equidade

Justiça e Equidade

|Views: 722|Likes:
Publicado porRebeca Santiago

More info:

Published by: Rebeca Santiago on May 03, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/30/2012

pdf

text

original

JUSTIÇA E EQUIDADE

Conceito de Justiça O Caráter Absoluto da Justiça A Importância da Justiça para o Direito Critérios da Justiça A Concepção Aristotélica Justiça Convencional e Justiça Substancial Classificação da Justiça Justiça e Bem Comum Equidade Leis Injustas

JUSTIÇA E EQUIDADE 
Conceito de Justiça

JUSTIÇA E EQUIDADE  Conceito de Justiça Corpus Juris Civilis Acepção relativa ou absoluta? Reunião de valores éticos e morais:eternos.imutáveis e universais. Busca pela justiça facilitada e reduzida através das leis. .

JUSTIÇA E EQUIDADE  O Caráter Absoluto da Justiça A Justiça possui caráter absoluto? Positivistas Justiça Relativa O Justo varia de: Grupo «» Grupo Pessoa «» Pessoa Kelsen: Justiça Absoluta: ³Um sonho de liberdade´ A razão humana só pode conceber valores relativos Pascal: O Direito tem suas épocas A Corrente Jusnaturalista O Relativismo .

sendo também pressuposto da mesma. não teria sentido e nenhum valor que os homens vivessem sobre a terra. ³Se a mesma pudesse perecer.´ Immanuel Kant . - Positivismo: Não atribui importância à presença da justiça no Direito. O Direito pressupõe a justiça.´ Relação com o Direito Natural: Império da Justiça ou Leis Injustas.JUSTIÇA E EQUIDADE  A Importância da Justiça para o Direito ³A justiça se torna viva no Direito quando deixa de ser apenas ideia e se incorpora às leis.

que dispomos em duas ordens: .JUSTIÇA E EQUIDADE  Critérios da Justiça A noção de Justiça pressupõe uma avaliação de certos critérios.Critérios Formais Igualdade Proporcionalidade Mérito Capacidade Necessidade - Critérios Materiais - .

JUSTIÇA E EQUIDADE  Concepção Aristotélica 1)Virtude Geral 2)Virtude Especial 2.2.2) Forma Corretiva 2.2) Justiça Social .1) Forma Distributiva 2.2.1) Justiça Comutativa 2.

Consagre ou não os valores positivos do Direito. Simples aplicação das NORMAS JURÍDICAS. no sentido Totalmente verdadeiro. pelos positivista.JUSTIÇA E EQUIDADE  Justiça Convencional Justiça convencional é a que aplica a lei. Para esta categoria é Irrelevante se a lei é intrinsecamente. Admita como conotação de justiça. . Uma convenção social é seu fruto. sem fundamento. boa ou não.

Todos os VALORES MORAIS. Seus princípios promovem efetivamente. Citados exemplos: No Sermão da Montanha (Jesus) A Cidade Terrena (Santo Agostinho) e a Cidade de Deus. Acha-se sob o Império de uma ORDEM JURÍDICA LEGÍTIMA. .JUSTIÇA E EQUIDADE  Justiça Substancial Justiça substancial é verdadeiramente Uma justiça fundamentada no DIREITO NATURAL.

Comutativa .JUSTIÇA E EQUIDADE  Classificação da Justiça Justiça .Geral ou Legal .Distributiva .Social .

Justiça Distributiva ³Dar a cada um o que é seu.´ . na medida da proporcionalidade e necessidade.JUSTIÇA E EQUIDADE .

JUSTIÇA E EQUIDADE .Justiça Comutativa ³O valor de todas as coisas contratadas é medido pelo apetite dos contratantes.´ Thomas Hobbes . portanto o valor justo é aquele que eles acham conveniente oferecer.

Justiça Geral ou Legal Contribuição dos membros da comunidade para o bem comum. .JUSTIÇA E EQUIDADE .

atendendo a que eles estão.JUSTIÇA E EQUIDADE . de que é necessário. e todos concordam nisto. numa situação de infortúnio e de miséria imerecida´ Leão XIII . vir em auxílio dos homens de classes inferiores. pela maior parte. com medidas prontas e eficazes.Justiça Social ³Estamos persuadidos.

JUSTIÇA E EQUIDADE .

´ .JUSTIÇA E EQUIDADE  Justiça e Bem Comum ³Ninguém deve prejudicar injustamente o outro para o promover o bem comum.

uma igualdade entre as pessoas. Isso está inscrito no interior do homem. que represente uma diretriz para essa lei natural efetivar-se. devido a criação. mas precisa ser atualizada pela lei positiva. por si só. Alípio Silveira > O 1º dos bens comuns aos homens é a própria existência da sociedade. o pano de fundo da filosofia jurídica tomista será fazer o bem e evitar o mal. positiva. a existência de uma ordem em suas relações sociais. A ética. A lei natural está em potência no interior do homem. mas na relação entre as pessoas. . pela regra. é preciso uma justiça estabelecida na sociedade civil. Entretanto será preciso uma lei humana. Aristóteles > Deve se dar a cada um o que é seu.JUSTIÇA E EQUIDADE  Justiça e Bem Comum Tomás de Aquino > Assim. todavia. não basta. a cada um o que é seu não sugere. como lei natural.

´ Del Vecchio Ex.1: CC Referente a adoção - O adotante pode ser solteiro. ³O jus escriptum é insuficiente para refletir a realidade que constantemente se renova. de acordo com a sua peculiaridade. a lei não consegue prever todos os casos possíveis.JUSTIÇA E EQUIDADE  Equidade Conceito: é a justiça do caso particular Papel: Levar em consideração o que há de particular em cada caso. basta que pelo menos um deles tenha 18 anos (idade mínima para ser adotante) e haja diferença de 16 anos em relação ao adotado . Por que a lei não deve ser rígida e automática? 1)Como os acontecimentos sociais são diversos. e para oferecer uma solução a todas as exigências novas da vida. Os cônjuges ou companheiros com família estabilizada podem adotar.

porém não é legalmente justo. desestimulando-o à repetição do fato. Aristóteles comparou a equidade com a régua de Lesbos.1: Art. a intensidade do sofrimento do ofendido e punir o acusado do dano.JUSTIÇA E EQUIDADE Há casos que a equidade é autorizada por lei. 14 do CDC Para a fixação do quantum indenizatório o juiz deve obedecer ao Princípio da Equidade e moderação.2: O Direito Penal subordina inteiramente as decisões do juiz ao texto penal. Ex. e sim uma correção da justiça legal. ³O que faz surgir o problema é que o equitativo é justo. nesse caso ocorre uma elaboração e não uma adaptação da norma jurídica. considerando-se a capacidade econômica das partes. Ex. permitindo ao juiz julgar determinado caso com plena liberdade.´ 2) . a fixação da pena não fica entregue a apreciação do juiz.

para que os maus não aprendam a desrespeitar as leis boas´ - .Casuais .Por destinação .JUSTIÇA E EQUIDADE  Leis Injustas ³Nega ao homem o que lhe é devido ou que lhe confere o indevido´ Espécies .Eventuais Validade das leis injustas ³É preciso que os homens bons respeitem as leis más.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->