P. 1
ISS - Teresina

ISS - Teresina

|Views: 1.099|Likes:
Publicado porFelipe Leao

More info:

Published by: Felipe Leao on May 03, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/14/2013

pdf

text

original

IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA - ISS

BASE LEGAL A Constituição Federal de 1988 estabelece em seu artigo 156 que compete aos municípios à instituição do ISS desde que sejam serviços não compreendidos no artigo 155 da Constituição Federal de 1988, incluídos no ICMS, definidos e Lei Complementar. No município de Teresina, o ISS foi instituído pela lei nº 1.761, de 26 de dezembro de 1983 (Código Tributário de Teresina), regulamentada pelo Decreto nº 594, de 07 de agosto de 1984 e alterada pela Lei Complementar nº 3.254/2003. Atualmente o ISS é regido pela Lei Complementar nº 3.606, de 29 de dezembro de 2006 e regulamentada pelo Decreto nº 7.232, de 15 de maio de 2007.

FATO GERADOR A prestação de qualquer serviço constante da lista de serviços relacionados no anexo VII, da Lei Complementar nº 3.606, de 29 de dezembro de 2066 (Código Tributário do Município de Teresina) constitui fato gerador do ISS, ainda que tais serviços não se constituam como atividade preponderante do prestador.

INCIDÊNCIA A prestação de serviços, por pessoa física ou jurídica, constante na lista de serviços relacionados no anexo VII, do Código Tributário do Município de Teresina.

NÃO INCIDÊNCIA Não são alcançados pelo ISS os seguintes serviços: a) os prestados em relação de emprego; b) os prestados por trabalhadores avulsos, com intermediação obrigatória do sindicato da categoria ou órgão gestor de mão-de-obra; c) os serviços prestados pelos diretores e membros de conselho consultivo ou de conselho fiscal de sociedades e fundações, bem como pelos sócios-gerentes e pelos gerentes-delegados; d) as exportações de serviços para o exterior; f) o valor intermediado no mercado de títulos e valores mobiliários, o valor dos depósitos bancários, o principal, juros e acréscimos moratórios relativos a operações de crédito realizadas por instituições financeiras; g) os serviços não constantes no anexo VII, do Código Tributário do município de Teresina.

ISENÇÕES Poderão ser isentos do pagamento do ISS as prestações de serviços efetuadas por: a) associações comunitárias e clubes de serviços cuja finalidade essencial, nos termos do respectivo estatuto e tendo em vista os atos efetivamente praticados, esteja voltada para o desenvolvimento da comunidade; b) as atividades teatrais e circenses, os concertos e recitais, desde que qualquer uma destas atividades sejam apresentadas com artistas locais, na forma em que dispuser o regulamento; c) associações culturais e desportivas, sem venda de pules ou talões de apostas; d) entidades beneficentes e associações filantrópicas, estas registradas no Conselho Nacional de Serviço Social – CNSS, em serviços promovidos diretamente com renda em seu favor, através de exposições, quermesses e similares, espetáculos cinematográficos e teatrais, observadas as demais condições estabelecidas na legislação; e) os trabalhadores autônomos cuja renda mensal auferida não supere o valor de um salário mínimo; f) o artista, o artífice ou o artesão que exerça atividade na própria residência sem auxílio de terceiros e sem propaganda de qualquer espécie; g) profissionais autônomos permissionários de serviços de táxi e mototáxi. H – Empresas com incentivo fiscal Lei 2.528 (Henry)

Os interessados devem dirigir requerimento ao Secretário Municipal de Finanças pleiteando o benefício que será concedido mediante despacho, nas condições estabelecidas em regulamento.

IMUNIDADE É vedada a cobrança do ISS sobre: a) os serviços prestados pela União, Estados, Distrito Federal e por outros Municípios, inclusive por Autarquias e Fundações instituídas e mantidas pelo poder público, desde que, neste caso, os serviços sejam vinculados às suas finalidades essenciais ou delas decorrentes; b) os serviços religiosos de qualquer culto; c) os serviços prestados por partidos políticos, inclusive suas fundações e por entidades sindicais dos trabalhadores; d) os serviços prestados por instituições de educação e de assistência social, sem fins lucrativos, desde que os serviços sejam relacionados com suas finalidades essenciais e atendam os seguintes requisitos: - não distribuir lucros; - aplicação de seus recursos no Brasil e na manutenção de seus objetivos institucionais; - manutenção de escrituração de suas receitas e despesas em livros revestidos de formalidades legais e capazes de assegurar sua exatidão.

II . CONTRIBUINTES Todas as pessoas físicas ou jurídicas. gerado por meio do sistema ISSO (DMS). de quaisquer os poderes da União. 4% e 5%) de acordo com a atividade. de 29 de dezembro de 2006 (Código Tributário do Município de Teresina). da Lei Complementar nº 3. qualquer das atividades relacionadas no Anexo VII. DECLARAÇÃO MENSAL DE SERVIÇOS – DMS As empresas privadas e todos os órgãos da administração pública. por meio de Documento de Arrecadação de Tributos Municipais – DATM. através da rede bancária autorizada. ALÍQUOTAS As alíquotas do ISS são percentuais a serem aplicados sobre a base de cálculo para determinação do valor do imposto (3%. que exerça. Já o ISS retido na fonte será recolhido até o dia 10 do mês subseqüente ao do pagamento da prestação de serviço. RECOLHIMENTO O imposto será recolhido. os seguintes livros fisco-contábeis: I . LIVROS FISCAIS Os prestadores de serviços. a Declaração Mensal de Serviços – DMS.Livro de Registro de Prestação de Serviços eletrônico. adotar-se-á para cálculo do imposto a alíquota correspondente a cada atividade praticada. de 29 de dezembro de 2006 (Código Tributário do Município de Teresina). individualmente ou em sociedade. mensalmente. em que haja incidência ou não do ISS. em seus estabelecimentos. Se o contribuinte exercer mais de uma atividade tributável.606.606.Livro Registro de Contratos. inclusive os isentos e imunes são obrigados a escriturarem e manterem. com ou sem estabelecimento fixo. e III . As alíquotas deverão ser aplicadas com base no anexo VII. da Lei Complementar nº 3.Os interessados devem dirigir requerimento ao Secretário Municipal de Finanças pleiteando o reconhecimento da imunidade. habitual ou temporariamente. sem acréscimos. direta ou indireta. gerado por meio da DMS. contendo todas as informações sobre serviços prestados e/ou tomadas.Livros contábeis obrigatórios pela legislação federal. Estados e Municípios estabelecidos no município de Teresina são obrigados a apresentar. . até o dia 10 do mês subseqüente ao da prestação de serviço.

14. do art. 4.00 (quatrocentos reais) mensais por cada profissional habilitado. da Lei Complementar nº 3. na hipótese do §1o. 4. SOCIEDADE DE PROFISSIONAIS É a sociedade formada por profissionais que prestam serviços.O reconhecimento de imunidade. exceto nas hipóteses previstas abaixo. c) não possua em seu quadro societário pessoa jurídica. habilitando o requerente a usufruir dos benefícios. que após análise e deferimento.06.606. b) possua até 03 (três) empregados não habilitados para cada sócio ou empregado habilitado. e) não exerça qualquer atividade que constitua elemento de empresa. 4. no caso dos serviços descritos no subitem 3.04 do Anexo VII. de 29 de dezembro de 2006. III – da execução da obra.11.15. expedirá o Certificado de Sociedade de Profissionais. seja sócio empregado ou não que preste serviço em nome da sociedade.16.606. de 29 de dezembro de 2006. O valor do ISS será calculado e recolhido em função da quantidade de profissionais habilitados. do Código Tributário do Município de Teresina. na falta de estabelecimento.02 e 7. 4. 4. 17.02.12. d) não exerça atividade diversa da habilitação dos sócios. em nome da sociedade. II – da instalação dos andaimes. da Lei Complementar nº 3. de 29 de dezembro de 2006 ao Secretário Municipal de Finanças. embora assumindo responsabilidade pessoal nos termos da lei que rege a profissão. .13. no local do domicílio do prestador.606. a concessão de isenção ou estabelecimento de regime diferenciado para o pagamento do ISS. nos termos do Código Civil Brasileiro. 17.19 da lista de serviços constante no Anexo VII. 4. da Lei Complementar nº 3. 4. 7. onde ele estiver domiciliado.18 e 17. LOCAL DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E DO PAGAMENTO O serviço considera-se prestado e o imposto devido no local do estabelecimento prestador ou na falta do estabelecimento.606.13.03. no caso dos serviços descritos nos subitens 7. desde que atendidas as seguintes condições: a) todos os sócios possuam a mesma habilitação profissional e prestem serviços em nome da sociedade. não afasta a obrigatoriedade de apresentar a DMS. e f) que possua registro no órgão fiscalizador do exercício da profissão dos sócios. 17. mais de forma pessoal enquadrados no item 5 e subitens 4.01. com validade de 03 (três) anos. coberturas e outras estruturas. quando o imposto será devido no local: I – do estabelecimento do tomador ou intermediário do serviço ou. palcos. de 29 de dezembro de 2006.17 do Anexo VII. inciso I. As pessoas jurídicas interessadas no enquadramento como Sociedade de Profissionais devem dirigir requerimento pleiteando os benefícios da Lei Complementar nº 3. a razão de R$ 400.08. 90. até o dia 10 do mês subseqüente. 4. 10.01.

contenção de encostas e congêneres. XVI – da execução dos serviços de diversão.606. na falta de estabelecimento. da Lei Complementar nº 3.606. da Lei Complementar nº 3. no caso dos serviços descritos no subitem 7. no caso dos serviços descritos pelo subitem 17. do Anexo VII. da Lei Complementar nº 3.606.606. de 29 de dezembro de 2006. congresso ou congênere a que se referir o planejamento. de 29 de dezembro de 2006. arrumação e guarda do bem.15 do Anexo VII. de 29 de dezembro de 2006. adubação e congêneres. da Lei Complementar nº 3. XI – da execução dos serviços de escoramento. da Lei Complementar nº 3. no caso dos serviços descritos pelo subitem 16.13.09 do Anexo VII.606. jardins e congêneres.01 do Anexo VII. da Lei Complementar nº 3. imóveis. organização e administração.606. da Lei Complementar nº 3. descarga.606. de 29 de dezembro de 2006. do corte e poda de árvores. onde ele estiver domiciliado.606. da Lei Complementar nº 3. no caso dos serviços descritos no subitem 7.09 do Anexo VII. portos e congêneres.606.606.10 do Anexo VII. no caso dos serviços descritos no subitem 7. de 29 de dezembro de 2006. no caso dos serviços descritos no subitem 7.05 do Anexo VII. coleta. reflorestamento. no caso dos serviços descritos no subitem 7. no caso dos serviços descritos no subitem 11.606. de 29 de dezembro de 2006. no caso dos serviços descritos no subitem 11. de 29 de dezembro de 2006.02 do Anexo VII da Lei Complementar nº 3. de 29 de dezembro de 2006. XVIII – do estabelecimento do tomador da mão-de-obra ou. lazer. manutenção e conservação de vias e logradouros públicos. exceto o 12. XVII – onde está sendo executado o transporte. pontes. de 29 de dezembro de 2006. exposição. piscinas. no caso dos serviços descritos nos subitens do item 12. semeadura. no caso dos serviços descritos no subitem 7. e . VIII – da execução da decoração e jardinagem. no caso dos serviços descritos no subitem 11. no caso dos serviços descritos pelo subitem 17. parques. tratamento. reciclagem.606. da Lei Complementar nº 3. da Lei Complementar nº 3. XIX – da feira. no caso dos serviços descritos no subitem 7.11 do Anexo VII. de 29 de dezembro de 2006. de 29 de dezembro de 2006. de 29 de dezembro de 2006. da Lei Complementar nº 3. IX – do controle e tratamento do efluente de qualquer natureza e de agentes físicos. deste Código.606. V – das edificações em geral.IV – da demolição. da Lei Complementar nº 3. no caso dos serviços descritos no subitem 7.04 do Anexo VII. de 29 de dezembro de 2006. segurados ou monitorados. XII – da limpeza e dragagem.606. vigiados. remoção.01 do Anexo VII.606.05 do Anexo VII. de 29 de dezembro de 2006.04 do Anexo VII. separação e destinação final de lixo. incineração.12 do Anexo VII. químicos e biológicos. X – do florestamento. XV – do armazenamento. estradas.16 do Anexo VII. chaminés. depósito. da Lei Complementar nº 3.14 do Anexo VII. rejeitos e outros resíduos quaisquer. entretenimento e congêneres. da Lei Complementar nº 3. carga. VI – da execução da varrição. no caso dos serviços descritos no subitem 7. XIV – dos bens ou do domicílio das pessoas. VII – da execução da limpeza. XIII – onde o bem estiver guardado ou estacionado. de 29 de dezembro de 2006.

V. XII – as demais empresas que explorem as atividades de comércio. quando efetuarem pagamento de serviços a pessoas físicas ou jurídicas. IX. São responsáveis quanto à retenção e o recolhimento do ISS. do Estado do Piauí e do Município de Teresina. III – as concessionárias e permissionárias de serviços públicos concedidos ou permitidos por qualquer das esferas de governo da federação. as pessoas jurídicas de direito público ou de direito privado. encontram-se relacionados no Anexo VII deste Regulamento. VII. § 1o Os responsáveis a que se referem os incisos III. no caso dos serviços descritos pelo item 20 do Anexo VII. IX – as incorporadoras. VI – as companhias de aviação e seus escritórios de representação. abaixo relacionados: I – os órgãos e entidades da administração pública direta e indireta de quaisquer dos poderes da União. ainda que alcançadas por imunidade ou isenção tributária. indústria e serviço. § 2o A fonte pagadora deverá fornecer ao prestador do serviço o comprovante da retenção a que se refere os incisos anteriores deste artigo. V – os hospitais e clínicas públicos e privados. de 29 de dezembro de 2006. televisão e jornal. IV – as empresas que exploram serviços de plano de saúde. as administradoras de shopping centers e de condomínios.XX – do porto. IV. VIII – os supermercados. ou de assistência médica. X. II – os estabelecimentos bancários e demais instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. relacionadas no Anexo VII deste Regulamento. aeroporto. RESPONSÁVEIS PELA RETENÇÃO E RECOLHIMENTO DO ISS O código Tributário do Município de Teresina determina: “Art. construtoras. hospitalar e congêneres. 102. e os equiparados. empreiteiras e administradoras de obras de construção civil.606. previdência oficial ou privada. terminal rodoviário. X – as empresas de hospedagem. ferroporto. cadastradas ou não no Município. da Lei Complementar nº 3. deste artigo. quando autorizados. XI e XII. o qual lhe servirá de . inclusive no que se refere à multa e aos acréscimos legais. VIII. VII – os serviços sociais autônomos. XI – as empresas de rádio. ferroviário ou metroviário.

II – por empresa sob o regime de estimativa que não apresente certidão de enquadramento no regime de estimativa fixa do ISS. pelos substitutos tributários.comprovante de recolhimento do ISS. devidamente atualizada. independentemente de regulamentação. . em razão de determinação judicial. assim como as informações obtidas através do cruzamento de dados constantes na DMS do substituto tributário e dos prestadores de serviço. estando sujeita às penalidades previstas em lei pelo não cumprimento da obrigação. e não apresente Certidão Negativa de Débitos Municipal. na hipótese de serviço prestado: I – em caráter pessoal por profissional autônomo que não comprove a inscrição no CMC. § 3o Sujeitar-se-á a penalidades o prestador de serviço que não mantiver sob sua guarda o comprovante de retenção a que se refere o parágrafo anterior. Art. 105. 104. § 4o O ISS também deverá ser retido e recolhido. mediante a apresentação de ato de reconhecimento expedido pelo Secretário Municipal de Finanças. O Chefe do Poder Executivo fica autorizado a acrescentar ou excluir qualquer responsável do regime de substituição tributária. § 6o Os responsáveis a que se refere o caput. 103. Art. medida cautelar ou antecipação de tutela. e Certidão Negativa de Débitos Municipal. IV – por pessoa jurídica que alegar e não comprovar imunidade ou isenção. Art. A responsabilidade subsidiária do prestador de serviço não será excluída. dentre aqueles previstos em lei”. na hipótese de não ocorrer a retenção do ISS. LINK DE ACESSO À RELAÇÃO DOS CONTRIBUINTES RESPONSÁVEIS PELA RETENÇÃO E RECOLHIMENTO DO ISS. multa e acréscimos legais. em sede de mandado de segurança. e V – por sociedade de profissionais que alegar e não apresentar Certificado de Sociedade de Profissionais e Certidão Negativa de Débitos Municipal. III – por microempresa municipal que não apresente certificado de enquadramento atualizado junto ao CMC e Certidão Negativa de Débitos Municipal. estão obrigados ao recolhimento integral do imposto devido. ou ainda quando a retenção e recolhimento ocorrer em valor inferior ao efetivamente devido. a requerimento do interessado. independentemente de ter sido efetuada sua retenção na fonte. deste artigo. A efetivação da obrigação do substituto tributário de realizar a retenção e o recolhimento do ISS levará em consideração as informações cadastrais constantes no CMC. a não retenção do tributo pelo substituto tributário. dar-se-á mediante a apresentação de cópia de liminar concedida pelo juiz competente. mediante apresentação do Alvará devidamente atualizado. § 5o Nos casos em que o prestador de serviço alegar a condição de não ser contribuinte do ISS.

LTDA TELEMAR NORTE LESTE TEXACO BRASIL LTDA TIM NORDESTE TELECOMUNICACOES S/A TNL PCS S/A TRANSCOL TRANSPORTES COLETIVOS LTDA TRANSPORTE COLETIVO CIDADE VERDE LTDA .233-4 061.728-6 044.122-1 076.916-2 002.758-0 031. 2 – TODOS OS ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS E DEMAIS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS AUTORIZADAS A FUNCIONAR PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL.929-0 041.724-7 093.299-6 008.066-7 043.629-7 010. DE 15 DE MAIO DE 2007 ANEXO VII RELAÇÃO DOS SUBSTITUTOS TRIBUTÁRIOS 1 – TODOS OS ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIRETA E INDIRETA DE QUAISQUER DOS PODERES DA UNIÃO.084-1 076. DO ESTADO DO PIAUÍ E DO MUNICÍPIO DE TERESINA.330-7 008.090-5 043.511-2 000. 3 – AS CONCESSIONÁRIAS E PERMISSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS CONCEDIDOS OU PERMITIDOS POR QUALQUER DAS ESFERAS DE GOVERNO DA FEDERAÇÃO.599-6 045.ANEXO DO DECRETO Nº 7. TUR.960-5 008.195-8 083.652-4 065. TRANSP.307-1 000.232. QUANDO AUTORIZADOS. E OS EQUIPARADOS.996-2 043.345-5 023.058-2 008.344-9 007.340-3 RAZÃO SOCIAL ÁGUAS E ESGOTOS DO PIAUÍ S/A ASA BRANCA LTDA AUTO VIAÇÃO TERESINENSE LTDA BCP S/A BCP S/A COMPANHIA ENERGÉTICA DO PIAUÍ S/A EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES EMPRESA VIAÇÃO PIAUÍ LTDA EMTRACOL EMPRESA DE TRANSPORTES COLETIVOS LTDA EXPRESSO GUANABARA S/A EXPRESSO SANTA CRUZ LTDA FRANCISCO BARROSO SOBRINHO NACIONAL GÁS BUTANO DISTRIBUIDORA LTDA OSVALDO MENDES E CIA LTDA PETROBRÁS DISTRIBUIDORA S/A PETROBRÁS DISTRIBUIDORA S/A PETRÓLEO SABBA S/A TAGUATUR TAG. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 CMC 000.

962-8 05 032.501-6 RAZÃO SOCIAL ASSISTÊNCIA MÉDICA HOSPITALAR LTDA ASSOCIAÇÃO PIAUIENSE DE COMBATE AO CÂNCER BIOANÁLISE S/C LTDA CASAMATER CASA DE SAÚDE E MATERNIDADE TERESINA LTDA CENTRO ORTÓPEDICO TERESINA LTDA CLINEFRO CLÍNICA NEFROLÓGICA DO PIAUI LTDA CLÍNICA DE ACIDENTADOS SÃO LUCAS LTDA CLÍNICA DE IMAGEM LUCÍDIO PORTELLA LTDA CLÍNICA DE PRONTO ATENDIMENTO DO PIAUÍ LTDA CLÍNICA DR FLAVIO SANTOS LTDA CLÍNICA SANTA CLARA LTDA CLÍNICA SANTA CLARA LTDA CLÍNICA SANTA FÉ LTDA CLÍNICA SANTO ANTONIO S/C DMI DIAGNÓSTICO MÉDICO POR IMAGEM S/C . PREVIDÊNCIA OFICIAL OU PRIVADA.713-6 02 008.897-9 11 031. OU DE ASSISTÊNCIA MÉDICA. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM CMC 01 045.465-6 14 007. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM CMC 01 086.517-0 13 091.900-7 08 055.810-9 09 069.123-7 08 068.743-3 03 075.882-0 03 069.574-5 12 054.144-7 06 075.142-8 RAZÃO SOCIAL BEP CAIXA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CAIXA DE ASS.523-8 04 000.205-9 06 026.221-5 04 050.420-7 10 080.495-2 12 074.601-3 11 066.776-3 15 078.325-6 09 018.741-7 13 034.476-4 10 043.992-0 VIAÇÃO PIAUIENSE LTDA 4 – AS EMPRESAS QUE EXPLORAM SERVIÇOS DE PLANO DE SAÚDE.510-2 05 040.359-9 07 020. DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL CAIXA PEC ASSIST PREV SERVID FUND SERV S PÚBLICA FUNDAÇÃO CHESF DE ASSIST E SEG SOC FACHESF FUNDACAO ASSIST DOS SERVIDORES DO M DA FAZENDA FUNDACAO ASSISTENCIAL DOS SERVIDORES DO INCRA FUNDAÇÃO CEPISA DE SEGURIDADE SOCIAL GEAP FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL HAPVIDA ASSISTÊNCIA MEDICA LTDA HUMANA ASSISTÊNCIA MEDICA LTDA MEDPLAN ASSISTÊNCIA MEDICA LTDA PREVENIR PLANO DE SAÚDE LTDA UNIMED TERESINA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO 5 – OS HOSPITAIS E CLÍNICAS PÚBLICOS E PRIVADOS.25 044. HOSPITALAR E CONGÊNERES. DOS FUN DO BCO DO NORDESTE DO BRAS SA CAIXA DE ASS.275-1 14 034.555-1 07 002.568-7 02 076.

873-5 072. ABAIXO RELACIONADOS: ITEM 01 02 03 04 05 06 07 08 09 CMC 005.999-0 004.978-5 061.872-7 055. 7 – OS SERVIÇOS SOCIAIS AUTÔNOMOS.036-4 067. ABAIXO RELACIONADOS: .669-4 FUNDAÇÃO OFTALMOLÓGICA DO PIAUÍ H T I HOSPITAL DE TER INT E MED INT DE TERESINA LTDA HOSPITAIS DAS CLÍNICAS DE TERESINA LTDA HOSPITAIS E CLÍNICAS DO PIAUÍ S/C LTDA HOSPITAL DE OLHOS FRANCISCO VILAR LTDA HOSPITAL SAMIU LTDA HOSPITAL SANTA MARIA LTDA HOSPITAL SÃO PAULO LTDA INST DE AVAL END DIGESTIVA E ELETRONEUROMIOCRAF LTDA INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AV DO CORAÇÃO LTDA MED IMAGEM S/C MED IMAGEM S/C MED IMAGEM S/C ORTOCLÍNICA ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA LTDA SANTÓRIO MEDUNA UDI 24 HORAS S/C Obs.085-5 028.524-2 041539-1 057.786-4 062.343-0 066.194-5 072.807-6 039.373-7 003.642-5 071.491-8 049.674-4 079.962-0 084. do art.16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 084.: Os hospitais e clínicas públicos enquadram-se no inciso I. não sendo necessário relacioná-los.862-1 068. AS ADMINISTRADORAS DE SHOPPINGS CENTERS E DE CONDOMÍNIOS.037-2 RAZÃO SOCIAL SEBRAE SERVIÇO DE APOIO AS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS SENAI SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DE TRANSPORTE SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL – SENAR SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO PIAUÍ SESI SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA SEST SERVIÇO SOCIAL DO TRANSPORTE 8 – OS SUPERMERCADOS.308-2 084. 6 – TODAS AS COMPANHIAS DE AVIAÇÃO E SEUS ESCRITÓRIOS DE REPRESENTAÇÃO. 102.973-6 092.580-7 004.802-9 070. deste Regulamento.361-9 071.

173-2 CONSTRUTORA BR NOGUEIRA LTDA 011.911-2 072.315-4 SKAL ENGENHARIA INDÚSTRIA COMÉRCIO LTDA 013.999-3 CONSTRUTORA OAS LTDA 005.248-7 ALCATEL S/A 083.985-7 CONSTRUTORA GETEL LTDA 040.907-1 JUREMA INCORPORAÇÕES LTDA 026.490-6 RAZÃO SOCIAL BOMPREÇO SUPERMERCADOS DO NORDESTE LTDA CARVALHO & FERNANDES LTDA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO KING EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA MAKRO ATACADISTA S/A TERESINA ADMINISTRADORA DE SHOPPING CENTER 9 – AS INCORPORADORAS.301-0 CONSTRUTORA JUREMA LTDA 047.887-7 MOANA PREMOLDADOS E CONSTRUÇÕES LTDA 080. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 CMC RAZÃO SOCIAL 086.490-3 KV INSTALAÇÕES COMÉRCIO E INDÚSTRIA LTDA 068.374-8 087.730-1 038.450-3 CONSTRUTORA ANDRADE JÚNIOR E COMÉRCIO LTDA 031.098-0 CONSTRUTORA SUCESSO S A 034.763-0 CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO S/A 020.477-5 SPIC SOCIEDADE DE PROJETOS INSTALAÇÕES E COM LTDA 10 – AS EMPRESAS DE HOSPEDAGEM. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM CMC 01 073.883-7 BETACON CONSTRUÇÕES LTDA 057.415-0 DECTA ENGENHARIA LTDA 041.060-2 CONSTRUTORA HIDROS LTDA 017.887-6 CONSTRUTORA BOA VISTA LTDA 077.366-6 ELO ENGENHARIA LTDA 028.ITEM 01 02 03 04 05 06 CMC 076.985-4 031.424-4 L U F LEITÃO ENGENHARIA E PLANEJAMENTO 000.898-0 RAZÃO SOCIAL BOA VISTA HOTEL LTDA .704-0 ENGESER-CONSTRUÇÕES E SERVICOS LTDA 080. EMPREITEIRAS E ADMINISTRADORAS DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL.249-1 CONSTRUTORA TAJRA MELO 091.368-1 087. CONSTRUTORAS.

ASSOCIAÇÃO NORTE BRAS.070-7 056. ASSOCIAÇÃO NORTE BRAS. SOC. ASSIST.02 03 04 05 06 07 08 088.155-0 004. EDUC.171-7 RAZÃO SOCIAL ALEMANHA VEÍCULOS LTDA ALFA BEBIDAS E COMÉRCIO LTDA ASSOCIAÇÃO TERESINENSE DE ENSINO S/C LTDA ASSOCIAÇAO DE ENSINO SUPERIOR E TEC. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 CMC 086.686-0 081.628-9 090.659-2 009.265-8 034.821-3 060.833-5 002. SOC. DE CARTÃO DE CRÉDITO .531-9 000. ABAIXO RELACIONADAS: ITEM 01 02 03 04 05 CMC 035. TELEVISÃO E JORNAL. ASSIST.063-6 CONDOMÍNIO RIO POTY EXECUTIVE FLAT HOTEL RIO POTY SA LORD HOTEL LTDA M B HOTELARIA E TURISMO LTDA METROPOLITAN HOTEL LTDA R ROCHA PORTELA E CIA LTDA RIO PARNAÍBA EMPREENDIMENTOS TURÍSTICO LTDA 11 – AS EMPRESAS DE RÁDIO. ASSOCIAÇÃO NORTE BRAS.472-0 039. BIKE DO NORDESTE S/A C & A MODAS LTDA CACIQUE PNEUS INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA CANADÁ VEÍCULOS CENTRO DE APOIO AOS PEQUENOS EMPREENDIMENTOS CENTRO DE ENSINO UNIFICADO DE TERESINA-CEUT CLAUDINO S/A CLAUDINO S/A LOJAS DE DEPARTAMENTO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO PIAUÍ CRED-SHOP S/A ADMINIST.387-6 047.324-7 054.197-1 091.738-1 RAZÃO SOCIAL JET RÁDIO DIFUSÃO LTDA SISTEMA MEIO NORTE DE COMUNICAÇÃO LTDA SISTEMA TIMON DE RÁDIO DIFUSÃO LTDA TELEVISÃO PIONEIRA LTDA TV RÁDIO CLUBE DE TERESINA S/A 12 – AS EMPRESAS QUE EXPLOREM AS ATIVIDADES DE COMÉRCIO.432-3 093. SOC. ASSIST.106-1 089.526-7 082. EDUC. EDUC.150-0 004.124-5 079.031-8 045.118-5 082. SOC.582-8 066.937-2 091.518-0 078. INDÚSTRIA E SERVIÇO. EDUC.196-3 075. DO PIAUÍ ASSOCIAÇÃO NORTE BRAS.371-3 030.028-3 074.514-4 068. ASSIST.

122-2 011. DE PROJETOS TE PLANEX ENCOMENDAS URGENTES LTDA PLAST NORTE PLÁSTICO DO NORDESTE LTDA .896-0 020. PIAUIENSE FUNDAÇÃO JOSÉ ELIAS TAJRA GERDAU COMERCIAL DE AÇOS S/A GRAFICA E EDITORA DO POVO LTDA GRANDE MOINHO CEARENSE GUADALAJARA S/A INDÚSTRIA DE ROUPAS HOUSTON DO NORDESTE IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS INBRA-PACK INDÚSTRIA BRASILEIRA DE EMBALAGEM INSTITUTO CIVITAS CIDADANIA E POLÍTICAS INSTITUTO DOM BARRETO INTEGRAL GRUPO DE ENSINO FUNDAMENTAL INTEGRAL GRUPO DE ENSINO FUNDAMENTAL MÉD J.333-6 004.877-1 004.560-5 058.385-3 002.061-3 083.995-7 033.488-2 000.999-0 042. REPRESENTAÇÕES LTDA JORGE BATISTA & CIA LTDA JOTAL LTDA LIMPEL SERVIÇOS GERAIS LTDA LOJÃO DOS PNEUS AUTO SERVICE LTDA LOJAS GABRYELLA LTDA LOJAS RIACHUELO S/A M.154-6 083.903-3 085.376-6 075.616-0 081.019-8 090.156-0 079.874-4 079.823-6 040.464-2 DISCAR DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS CARVALHO DISTRIBUIDORA CRISTAL LTDA DISTRIBUIDORA YORK LTDA EMPRESA DE TRANSPORTES ATLAS LTDA ESPYDE GESTÃO EMPRESARIAL LTDA EXPANSÃO COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA FERRO NORTE FLORAMEL INDUSTRIA E COMÉRCIO LTDA FRIOSINA PRODUTOS ALIMENTÍCIOS LTDA FUNDAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO DE TERESINA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA ASSOCIAÇÃO COM.695-0 093.852-0 087. DIAS BRANCO S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO D MARKO COMÉRCIO E SERVICOS LTDA MANOEL BARBOSA LIMA NEWLAND VEÍCULOS LTDA NORDESTE SEGURANÇA E TRANSPORTE DE VALORES P NORSA REFRIGERANTES LTDA ONIX S/A INDÚSTRIA DE COLCHÕES ESPUMA ORNIASA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA PAG CONTAS SERVIÇOS E REPRESENTAÇÃO LTDA PINTOS LTDA PLANACON – PLANEJAMENTO ASS.454-5 064.229-0 003.541-2 044.793-2 078.437-1 000.426-4 026.457-9 080.637-4 013.137-8 089.869-4 094.772-4 064.051-9 002.825-6 089.381-7 050.547-9 089. B.181-9 000.19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 065.322-2 032.084-2 080.129-4 056.385-9 078.793-2 027.688-3 085.

286-0 088. INST.283-6 082.457-4 076.62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 034.572-5 071.061-2 009.472-2 PLUG PROPAGANDA E MARKETING LTDA QUALIX – SERVIÇOS AMBIENTAIS LTDA R.475-1 000.369-9 079.811-7 092.880-5 048. NACIONAL DE SEGURO TENTA GANHA LTDA TM LEAL TRANSPORTADORA COMETA S/A TRILHA VEÍCULOS LTDA VERA CRUZ SEGURADORA S/A .733-4 004. DAMÁSIO REDE FEMININA ESTADUAL DE COMBATE AO CÂNCER REMAC ODONTOMÉDICA HOSPITALAR LTDA RIVIERA VEÍCULOS LTDA RODABENS ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS LTDA RODOVIÁRIA 5 ESTRELAS RODOVIÁRIO RAMOS LTDA SANTA CLARA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS SEGURANÇA COMERCIAL DO PIAUÍ LTDA SERVI-SAN LTDA SERV-SAN VIGILÂNCIA E TRANSPORTE DE VALORES SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE URBANO DE PASSAGEIROS SOCIEDADE NAC.224-0 000.001-0 008.501-9 009.889-8 003.004-5 001.048-3 061.488-7 081.484-2 077.352-2 040.274-6 085. COLÉGIO SÃO FRANCISCO DE SALES SOCIEDADE PIAUIENSE DE ENSINO SUPERIOR SOCIMOL INDÚSTRIA DE COLCHÕES E MÓVEIS LTDA SOL NASCENTE MOTOS LTDA SOUSA CRUZ S/A SR BRASIL CIA LTDA SULAMÉRICA CIA.064-7 043.743-6 000.321-3 011.573-2 066.450-4 084.

TAXAS Link TAXA DE LICENÇA DE LOCALIZAÇÃO. Funcionamento e Fiscalização – TLIF. é devida em decorrência do poder de polícia do Município. em função do interesse público. interesse ou liberdade. de prévia concessão ou autorização. o exercício de atividades ou a prática de atos dependentes. INCIDÊNCIA A Taxa de Licença de Localização. FUNCIONAMENTO E FISCALIZAÇÃO – TLIF INSTALAÇÃO. . por sua natureza. Instalação. limitando ou disciplinando direito. visando regular.

na forma da Lei. no território do Município de Teresina.R$ Expedição de licença. instalação. e estará obrigada a se inscrever nos cadastros municipais.36 . PAGAMENTO O pagamento da TLIF será efetuado através de Documento de Arrecadação de Tributos Municipais – DATM. funcionamento e fiscalização de estabelecimento ou de atividades previstas neste Regulamento. pertinente ao zoneamento urbano.00 178.94 Acima de 200. quando da localização.01 até 60. antes da concessão da licença requerida ou de sua renovação anual. da Lei Complementar nº 3. inclusive pessoa física que desenvolve atividades.Qualquer pessoa.01 até 400.99 Acima de 30. quando for o caso. por classe de área (m2). dependerá de licença prévia. 1 funcionamento e fiscalização de pessoa jurídica ou de pessoa física.42 Acima de 260. e observância das normas de posturas municipais. Estabelecimento industrial. INSTALAÇÃO. comercial e prestador de serviços.00 50. ANEXO IX TAXA DE LICENÇA DE LOCALIZAÇÃO.1.96 Acima de 120. de 29 de dezembro de 2007.00 314.90 Acima de 400. para. intermitente ou temporária. exercer quaisquer atividades. por ano ou fração: Até 30. em estabelecimento fixo ou não. produtor. CÁLCULO O cálculo da TLIF será estabelecido conforme os valores constantes no anexo IX. física ou jurídica. indústrias. FUNCIONAMENTO E FISCALIZAÇÃO – TLIF Item Discriminação Valor .01 até 200. instalação. SUJEITO PASSIVO Contribuinte da TLIF é a pessoa física ou jurídica sujeita ao licenciamento municipal em razão da localização.47 Acima de 60. 1. produtoras.00 76.00 237.606.00 101. de forma permanente.00 135.01 até 260.01 até 120.01 até 550. prestadoras de serviços ou comerciais.

1.018.5.000. 1.000. artísticos.00 m2.4.00 Profissionais liberais e autônomos.0193 0.97 1. p/ m2/dia ou fração Armários de distribuição de redes telefônicas ou similares por unidade/ano ou fração Ocupações de áreas.000.01 até 700.74 84.1 15. por ano ou fração: a) de nível superior b) técnico profissional de nível médio c) artífices e outras categorias não enquadradas em “a” e “b” Exercício do comércio eventual ou ambulante. em eventos com área acima de 1.800.00 Acima de 1.500.76 679.09 19. 1.9.77 19.358. 1.4.00 Acima de 700.500. livros.100.4.6. 1.00 m2 Acima de 5.1. p/ m2/dia ou fração Trailers. 1.6.010 110. 1.45 19. fixas ou móveis.00 m2 Feiras livres.3.200.50 19.000.4.000.3. 1.2.8.800.100.88 0. 1.000.00 m2 De 1.3. jornais ou similares.85 7. vias e logradouros públicos.00 m2 Festejos.43 9.4.1.000.2.72 1.01 até 1.01 a 10.00 Acima de 1. por dia ou fração Barracas de feira livre. 1.00 Acima de 2.43 38. 1.99 8.3. barracas de lanche ou similares. parques de diversões Até 1. eventos culturais.2.000. feiras de amostra ou similares Até 1. esportivos e similares. 1.7.000. 1. barracas metálicas. por unidade e/ou mês ou fração Autorizações diversas Autorização para comércio sem utilização de veículos automotores Autorização para comércio com utilização de veículos automotores Licença para ocupação do solo nas vias e logradouros públicos.00 Acima de 1.43 0.000.01 até 2. Acima de 550.64 1.00 Acima de 1.1. exposições.33 19.090 48.200.4.01 até 1. 1. 1.01 a 5.00 m2 De 1. 4.6.55 . 1.01 até 1.81 560. 4.4.79 3.15 1. por mês ou fração Licença para ocupação de dependências públicas.186 0.3.3. por m2/ mês Quiosques 441.43 5.189. tendas ou similares Circos.43 5.97 33. p/ m2/dia ou fração Bancas de revistas.4.71 849.00 m2 Acima de 10.4.000.5. por m2/ dia ou fração Outras ocupações de áreas não especificadas anteriormente p/ m2/dia ou fração Licença para exploração de jazidas.01 até 1.

ISENÇÃO Estão isentos do pagamento da TLIF os atos ou atividades seguintes: I – templos de qualquer culto. observada a legislação eleitoral. exposições.08 1. Mercados do Grupo C 1. Feira Comunitária do Deus Quer e Mercado do Dirceu Arcoverde I.2. Box e salas nos mercados públicos 15. e III – ocupação de área em vias e logradouros públicos por: a) feira de livros. Mercado de Pequenos Animais e Mercado do Peixe.3. retretas.6. sem estabelecimento fixo. conferências e demais atividades de caráter notoriamente cultural ou científico. palestras. Mercado Lourival Lira Parente (Parque Piauí). Mercado do Lourival Parente. Mercado da Piçarra. pregações e demais atividades de cunho notoriamente religioso.2. Outros não enquadrados acima Mercados do Grupo A: Mercado Central. Mercados do Grupo A 1.22 11. Mercados do Grupo B 1. c) candidatos e representantes de partidos políticos. Feira Coberta da Piçarreira.6. conferências. sem fins lucrativos. Mercado do Morada Nova. Mercado do Bela Vista.55 13. Feira Comunitária Coberta do Promorar. Estados e Municípios.1.1.6.2. b) exposições.08 11.2. II – os órgãos da Administração direta. Mercado do São Joaquim. Mercados do Grupo C: Mercado do Satélite.3. que executem suas atividades em logradouros públicos. Mercados do Grupo B: Mercado do Buenos Aires.6. bem como as autarquias da União. e d) os feirantes ou assemelhados. associações de moradores e instituições de assistência social.6.2. palestras. Mercado Laurindo Veloso (Vermelha). Mercado do Mafuá e Mercado do Dirceu Arcoverde II. . concertos.

pela apresentação de documentos às repartições da Prefeitura. que requeira ou promova ou tenha interesse na liberação. segundo condições e formas previstas na legislação aplicável. . inclusive inscrição em Cadastro. e VIII – cemitérios. possui competência para lançar e cobrar a taxa de expediente. pelo ato de prestação dos serviços relacionados com cemitérios. do Código Tributário do Municipal. h) na hipótese do item VIII. termos. contratos e demais atos emanados do Poder Público Municipal. a Secretaria Municipal de Finanças. VI – expediente: VII – remoção de lixo extra-domiciliar. II – inspeção ante mortem e post mortem de animais.TAXA DE SERVIÇOS MUNICIPAIS DIVERSAS – TSMD Será cobrada em decorrência da prestação dos seguintes serviços. somente. INCIDÊNCIA A Taxa de Serviços Municipais Diversas – TSMD é devida: a) na hipótese do item I. animais e mercadorias apreendidas. física ou jurídica. emissões de guias para pagamento de tributos. titulares do domínio útil ou possuidores a qualquer título. pela pessoa física ou jurídica que requeira a remoção do lixo extra-domiciliar. V – numeração de unidades imobiliárias. IV – exame de anemia infecciosa eqüina. pelo proprietário ou possuidor a qualquer título do animal. por ocasião de exame. Das taxas citadas nos itens anteriores. possuidor a qualquer título ou qualquer outra pessoa. FATO GERADOR Ocorre com a efetiva prestação do serviço e o seu valor será o constante nas tabelas 1 e 2. f) na hipótese do item VI. despacho ou arquivamento pelas autoridades municipais ou pela lavratura de atos em geral. III – inspeção de produtos derivados do leite. por ocasião da numeração das unidades imobiliárias. d) na hipótese do item IV. para apreciação. pelo proprietário. pelos proprietários. por ocasião do abate. pela Prefeitura Municipal de Teresina: I – depósito e liberação de bens. c) na hipótese do item III. do Anexo XIV. b) na hipótese do item II. e) na hipótese do item V. por ocasião da inspeção. g) na hipótese do item VII. As outras taxas são de competência das demais entidades da Prefeitura de Teresina.

00 4.6.8.30 12.3 1.9. 6. 5.2.animais de pequeno porte (frangos.2.2. 6.50 5.00 10.1.00 7.1. queijo. 6.91 . por cada 1.3.animais de médio porte (suínos.20 18. unidade por dia Depósito e liberação de animais.00 0. 6.10 16. caprinos e ovinos Eqüídeos.2.50 0. 3.02 1.50 36. 2.70 2.1.1.7.2 1. por m2 Autenticação de projetos.70 2. 4.35 0. 2. 6. 6.1.000 kg Exame de anemia infecciosa eqüina (AIE) Numeração de unidades imobiliárias Expediente Emissão de alvará Emissão de documento de arrecadação Autenticação de notas fiscais de serviço.ANEXO XIV TAXA DE SERVIÇOS MUNICIPAIS DIVERSOS – TSMD Tabela 1 ITEM 1. 6. 2. codornas e rãs) Inspeção de produtos derivados do leite (leite.animais de grande porte (bovinos e buvalinos) . de demolição e de número Alterações ou substituição de projeto. 3. por cabeça .2. 1. asininos e muares Bovinos Depósito e liberação de mercadorias. por dia Inspeção ante mortem e post mortem de animais Em matadouro da empresa. 6. 2.3. por unidade VALOR R$ 36.3. 3.5. p/ bloco de 50 unidades Certidão de habite-se.44 10. 1. 1. DISCRIMINAÇÃO Depósitos e liberação de bens.00 10.000 l Leite processado. iogurte e derivados em geral) Leite pasteurizado. 6.1.1. 6.2. ovinos. suínos. 2.00 1. sem acréscimo de área.00 9.4.2. coelhos.20 0. avestruzes e perus) .1. por m2 Busca e desarquivamento de processo Declaração para obtenção de financiamento bancário para construção (modelo padrão) Vistorias. por cada 1. unidade por dia Cães. caprinos. animais e mercadorias apreendidas Depósito e liberação de bens.1 1.00 19.

7. 6. 6. 6.22.21.00 8.10. 6. não incidência ou imunidade tributária Autorização para impressão de documentos fiscais Emissão de notas ficais de serviço avulso Certificado de microempresa Emissão de Cartão do CMC Declaração de integração do imóvel ao cadastro imobiliário Emissão de 2ª via de boleto bancário Emissão de memória de cálculo do IPTU Emissão de 2ª via de quaisquer documentos municipais Emissão de cópias de plantas e mapas Declaração de localização cadastral do imóvel Certidões diversas Remoção de lixo extra-domiciliar.14.30 8. PAGAMENTO O pagamento será feito em cota única. 6.30 3.70 4. com base em dados cadastrais. Inscrição de Cadastro de Fornecedores Certificado ou declaração de isenção. .30 12. e seu recolhimento efetuado em cota única.00 LANÇAMENTO O lançamento da TSMD será feito em nome do contribuinte.30 3.12. 6. anterior ou posterior à execução do serviço. 6.20.16.50 8.00 2.15. 6.6. quando for o caso.17.30 20.47 40. 6.30 6.50 8.50 8.13. 6. 6.18. 6. anterior ou posterior à execução do serviço.11.19. por carrada de 5m3 26.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->