Você está na página 1de 10

c  

   

ñ  
    
’    
                

                 
       
            
       
     
  
 !   

          


 
        



       
         

   

ñ  
    



              

      



 
 "    #   $
        
  %

&
    
   
   
 
O f  refr erane na forma de  do sa rado passa peo dspos o de expansão
(resr ão), onde é submedo a uma queda de pressão brusca, onde passa a er dos
esados, o qudo e o gasoso. O fudo refrgerane, nesse pono, é denomnado de fash
gás. Enão o fudo é conduzdo peo evaporador, onde absorverá caor do ar do
ambene a ser refrgerado, vaporzando-se.

Na sada do evaporador, na forma de gás ee é succonado peo compressor, que eeva
sua pressão (e emperaura) para que possa ser conduzdo aravés do condensador, que
cederá caor ao ambene exerno, condensando o fudo e compeando o cco. O
venador ou fan, efeua a crcuação de ar, fazendo com que o ar a ser resfrado enre
em conao com a serpenna do evaporador.

Para deermnar as condções de rabaho do cco, apca-se a prmera

½ 

A evaporação é a eapa aonde o fudo refrgerane enra na serpenna como uma


msura predomnanemene quda, e absorverá caor do ar forçado peo venador que
passa enre os ubos. Ao receber caor, o fudo saurado vaporza-se, uzando-se do
caor aene para poder maxmzar a roca de caor.

ñ  
   
  
         
    
    
            
  

 
  !

        

   
   "
#  
    

ñ  
 

A condensação é a eapa aonde ocorre a re eção de caor do cco. No condensador, o


fudo na forma de gás saurado é condensado ao ongo do rocador de caor, que em
conao com o ar cede caor ao meo ambene.

½ 
 

A expansão é a eapa onde ocorre uma perda de pressão brusca, porém conroada que
va reduzr a pressão do fudo da pressão de condensação para a pressão de evaporação.
Em um cco dea ea é consderada soenápca, despreza-se as varações de energa
cnéca e poenca.

p
  
   
p

Os bebedouros são aparehos desnados a frar e resfrar a água. Devem ser mpos e
hgenzados
de forma a agradar o usuáro.
O seu cco de refrgeração é gua ao do refrgerador domésco.
Podem ser cassfcados em dos pos%
‡ garrafão com refrgeração;
‡ pressão.
&om refrgeração

pp
[p  p
 pppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppp p

p
p p  p

p
   p
 p $pp
p p  p

p    p

p  p p p

p   p

p
 p

p
pp
pp
]p
p p
  p

[p
  p p
 p p
  p

[[p  p

[ p
 p p

[p$p%p p&'p

[p   pp$p%p

[p  p p


  p

[p
   pp  p

[p
p 
 p

[p  p p
  pp

   
   

   p p  p
 p p pp


p
 p

(  p p
 p

   p pp

 p p

  p

 p


  pp
 p pp

  p p

p
 p

 p
 p p   p


 p

  p

    
 

Os bebedouros po garrafão são usados em ocas que não dspõem de rede hdráuca. Os
garrafões
são coocados de manera que a água do seu neror desça por gravdade aé o evaporador, onde
seráresfrada. 
O evaporador consse em um reserva ro abero na pare superor, onde será coocado o
garrafão;
na pare nferor, possu uma sada de água aravés de uma ornera. Exsem bebedouros que
possuem 
duas orneras% uma para sada da água resfrada do reserva ro e oura para a água norma, que
vem
dreo do garrafão, sem passar peo evaporador.

c  
Os bebedouros po pressão fornecem água aravés de rede hdráuca. Sua nsaação à rede
hdráuca é fea, geramene, com rabchos e conexões de ½" BSP, e a sada, com ubo PV& de
¾"
gada ao esgoo.

A água enra sob pressão; é frada peo fro exsene no bebedouro e va para o reserva ro
(evaporador), onde será resfrada.
Nese po de bebedouro, exsem dos pos de ornera%
 de boca e enchedor de copo. Ao ser
aconada uma deas; a água que esá no reserva ro sa resfrada. Para reguar a quandade de
água
há um parafuso na pare frona das orneras. Grando no sendo horáro, dmnu-se a sada de
água;
no sendo an-horáro, aumena-se.
A emperaura da água vara em função do consumo peo usuáro. Se o consumo for muo
grande, 
o evaporador não erá empo sufcene para resfrar a água do reserva ro; porém, so não
represena
probema para o bebedouro.
A nsaação dos bebedouros deve ser em ocas de fác acesso ao usuáro% are ados e
hg'ncos.
O funconameno e as pares que compõem o bebedouro são guas aos de um refrgerador
domésco,
só dferencando o evaporador.p
’ pp p’ 
p 
p

’ p p p’  p  p(  p p


 ( p    p pp
p   pp   pp p  p
  p  p  pp
 p p
 p  p p p
p  p p
 p  p p p p

 p  p p  p
  pp
p&   p p
 ( p p   p
 p
 pp
p’p p
p!p p   p  p p  p  p
 p
 p )  p     p p   p p   p p
  p p
pp
  pp
 p[p

p
p

’ p p  p 
  p p
 pp p p 
 p p p p  p
p  pppp  pppp p’ pp  p   pp
 p p
 p p  pp
p pp 
 p
 p p p  pp  #p p
 p p p  pp  pp
 p pp


ppp
p
pp pp
p  
p

 p p  pp p p  p’  p


  p  *pp $   p  p

 p  p p
 p
 pp  p   pp(p p  p
 p
p  p p p p
 p
p p  p p  p  p
 p  p  p pp
 (p p p

p  pp p p
 p p p
 p   p(  p p* pp  p  p pp
* p( p p p pp  p  p
  p p 
 
  
No evaporador de bebedouros o refrgerane passa por denro da serpenna e, a água, por fora.
O
refrgerane enra no evaporador no esado qudo, em uma emperaura muo mas baxa do
que a da
água. Rera caor desa, resfrando-a e se evapora, reornando ao compressor. A, o refrgerane,
no
esado de vapor, é comprmdo, eevando sua pressão e emperaura, e é envado ao
condensador, onde
rocará caor com o ar ambene e se condensará. Ao sar, á condensado, passa peo fro, onde
fcarão redas possves mpurezas, e enra no capar, que conroa a passagem para o
evaporador e
provoca a queda de pressão, necessára para que o refrgerane se evapore em uma baxa
emperaura





  
O evaporador para bebedouro em como fnadade resfrar a água poáve. É consudo de
serpenna de cobre em um reservaóro no qua crcua o refrgerane, por denro da serpenna,
rocando caor com a água conda no reservaóro, resfrando-a. É um recpene de mea,
fechado
hermecamene aravés de soda, com uma serpenna de ubos de cobre em seu neror, e ubos
para
a gação ao crcuo da rede hdráuca, conforme mosra a fgura abaxo. O evaporador é
soado
exernamene com sopor, ã de vdro ou ã de rocha, para evar a sudação exerna.
Exsem dos pos de evaporadores para bebedouro%
± po pressão;
± po garrafão.

’     

 
ubo de enrada do refrgerane na serpenna
r ubo de sada do refrgerane na serpenna
 ubo de enrada da água no reservaóro
 ubo de sada da água para orneras (copo e boca)
 ubo para coocação do bubo do ermosao (copo)
 recpene de mea fechado hermecamene para água
ñ 
  


‡ O ermosao deve ser bem reguado, para se evar o congeameno da água.
‡ O bubo do ermosao deve esar bem posconado, ou se a, denro do poço do evaporador.
‡ O evaporador deve ser soado, para que não fque pre udcado seu rendmeno e para evar a
sudação.

½  

    
ubo capar
r ubo de sucção
 reservaóro de água
 cna do soameno érmco
 enrada de água no reservaóro
 sada de água norma
 sada de água resfrada
 ubo para coocação do bubo do ermosao (poço)














ñ 
    
uma das pares báscas do ssema de refrgeração é o condensador, que em como
fnadade
berar o caor absorvdo no evaporador e o caor acrescenado na compressão. Essa
beração de
caor provém da mudança de esado fsco, de vapor para qudo. A capacdade de
ransfer'nca de
caor condensado depende da superfce, da dferença de emperauras exsene enre o
refrgerane
que se condensa e o meo ambene exerno, da quandade de refrgerane e da condção
de ransmssão
de caor.
Os condensadores resfrados a ar, que são os mas usados em refrgeração domésca,
'm como
agene de resframeno o ar, cu a crcuação, aravés do condensador, pode dar-se de
duas maneras%
a) por crcuação naura;
b) por crcuação forçada.
Por circulação natural é normamene consuda por uma sére
de aeas de aço, aravés das quas passa a ubuação. A fnadade
dessas aeas é aumenar a superfce de conao com o ar.

ñ       


No bebedouro po pressão, a nsaação hdráuca é necessára para que se enha um
pono de
água e uma sada de esgoo.
A nsaação do bebedouro à rede hdráuca é fea geramene com rabchos própros e
com
conexões de ½"; e a sada para o esgoo, com ubo de PV& de ¾".
 


  
   

&onsse no nveameno do gabnee e na nsaação da rede hdráuca.
1. Nvear o gabnee do bebedouro.
2. &onecar o rabcho de ½" do pono de água à enrada de água do bebedouro. Verfcar
para que
não ha a vazameno de água.
3. &onecar a ubuação do esgoo.