Você está na página 1de 3

A Ciência

Ciência é o conjunto organizado dos conhecimentos disponíveis pela humanidade.


A ciência é o maior patrimônio da humanidade, obtido ao longo da evolução, numa
trabalhosa conquista através do constante aperfeiçoamento do pensamento.

Metodologia científica

Mas o que é conhecer?


É uma relação que se estabelece entre o sujeito que conhece e o objeto ou
fenômeno alvo da pesquisa.
Os povos da antiguidade faziam “o conhecer” mediante a catalogação de
observações feitas.
Sujeito: aquele que conhece. Objeto: o que é conhecido. Pode-se ser sujeito e
objeto ao mesmo tempo, a partir do auto-conhecimento.
*escrita mais antiga: sumérios.
Os gregos que deram o próximo passo: foram além da catalogação dos fatos.
Chegaram no pensamento científico, procurando conhecer as causas motivadoras dos
efeitos anotados.
A relação de causalidade é fundamental para a ciência. Um exemplo, na medicina,
é a febre, que não é doença, mas sintoma.
Três exemplos:
• Aristóteles: tinha obsessão por classificação. Reuniu todo o conhecimento de sua
época, escrevendo sobre os mais diversos temas.
• Galileo Galilei: comprovou, com a construção da luneta, os cálculos matemáticos de
Copérnico, que comprovavam que a Terra gira em torno do Sol.
• Edwin Hubble: descobriu as nebulosas e as galáxias.

Evolução do conhecimento:
Mundo: aumento das tecnologias, e do conhecimento.
As descobertas nos últimos 30 anos são maiores do que conhecimento acumulado
em 2000 anos. Estima-se que em oito anos o conhecimento é dobrado.
Algumas referências:

Eletricidade para telégrafo: 90 anos


Telégrafo para telefone: 45 anos
Telefone para a válvula (tubos das televisões antigas): 30 anos
Válvula para televisão: 24 anos
Concretização da televisão: 20 anos
486 (primeiro computador) para Pentium (placa mãe): 2 meses!!!!

Assim, as invenções se tornam obsoletas com maior rapidez.

Para refletir:
A diferença na evolução de algumas áreas de conhecimento: justiça, educação,
economia, política, administração, aeronáutica.
Os quatro tipos de conhecimento:

• Popular(empírico)
• Científico
• Filosófico
• Religioso (teológico)
Os tipos são diferentes, nenhum é superior.

Conhecimento popular:
Superficial: de acordo com a aparência.
Sensitivo: depende da vivência, das emoções.
Subjetivo: conforme os sentimentos das pessoas.
Assistemático: não há sistematização.
Acrítico: não há discussão sobre eles.
Exemplo: conhecimento sobre as ervas medicinais, que passou de geração para geração.
A dor no calo do pé significa que vai chover. O céu vermelho ao entardecer significa que
vai fazer frio. Tomar banho após a refeição causa morte. Os espelhos e tesouras atraem
raios. Chuva no dia de São José significa chuva o ano todo. Colocar a bolsa no chão atrai
a falta de dinheiro.

Conhecimento científico:
Real: se refere a ocorrências ou fatos.
Contingente: trabalha com ensaios e experiências
Sistemático: conhecimento logicamente ordenado, sobre o qual vão se acumulando
outros conhecimentos.
Verificável: pode ser testado, repetido e deve sempre apresentar o mesmo resultado.
Falível: está em permanente evolução. É passível de provar-se que está errada. Exemplo:
é possível que se descubra algo que prove que não exista a teoria da gravidade.
Aproximadamente exato: é provisoriamente aceito. Pode ser que nunca se prove o
contrário, mas é sempre um conhecimento provisório.
É importante perceber que os dogmas, muitas vezes encontrados nos meios
acadêmicos, não cabem no conhecimento científico.
Exemplos: todo corpo em queda livre cai com a aceleracao da gravidade. A chuva é
causada pela condensação das nuvens.

Conhecimento filosófico:
Procura conhecer as causas reais, profundas e remotas de todas as coisas, dos
fenômenos, não as causas próximas, como fazem as ciências particulares. a origem das
coisas e a finalidade, procurando respostas gerais.
Exemplos:
o universo, a vida, o homem,a sociedade,o pensamento,a justiça,a verdade,a liberdade,a
moral,a ética - o que são?
Quando um ser tem vida? A partir do ato da fecundação ou com 4 semanas de
desenvolvimento embrionário? Ou será que ele tem vida quando se forma o zigoto (ovo
fecundado). Quando a alma é anexada a esse novo ser?
A filosofia faz perguntas incômodas para a ciência.

Conhecimento Religioso:
O conhecimento religioso é um conjunto de verdades que o homem chegou, não
com o auxílio de sua inteligência, mas mediante a aceitação da revelação divina.
A religião existiu e existe em todos os povos, sendo baseada em dogmas e ritos.
Tudo em uma religião é aceito pela fé; nada pode ser provado nem se admite
crítica, pois a fé é a única fonte de dados.

Os 4 tipos de conhecimento:
Exemplo:
Um homem morreu. Em seu velório estavam presentes um padre, um filósofo, um inculto
e um médico. Uma pessoa pergunta aos 4, por que o homem morreu.
Explicações
O padre: O pecado original, blá, blá blá
O filósofo: Mudou de estado, a morte a vida, etc, etc.
O inculto: tava na hora dele
Médico: O fígado tava em processo acelerado de decomposição, por causa disto, disto e
disto...

O espírito científico
É a atitude do pesquisador em busca de soluções para o problema que enfrenta

O pesquisador deve ter:


Consciência crítica: Saber distinguir o essencial do acidental, o importante do secundário
Consciência objetiva: é o rompimento com todas as posições subjetivas pessoas e mal
fundamentadas do conhecimento vulgar.

Objetividade: O trabalho científico é impessoal. Não aceita mais soluções apenas


pessoais.

Racionalidade: A razão deve ser o “único juiz” nas decisões da pesquisa.

Conceituação:
Todas as atividades de pesquisa em nível de graduação e pós-graduação estarão
envolvidas única e exclusivamente com o conhecimento científico.