Você está na página 1de 1

Mecanismos de Defesa do Ego

Nosso Ego possui mecanismos que o auxiliam a “esquecer” ou distorcer


conteúdos indesejáveis da consciência, inconscientemente. Tais mecanismos
são chamados de Mecanismos de Defesa. Dividem-se em: mecanismo de
defesa bem sucedido, que elimina por completo a tensão daquilo que se rejeita;
mecanismo de defesa ineficaz, que não consegue eliminar a tensão daquilo
que se rejeita.
Os mecanismos de defesa estão presentes e atuam em qualquer pessoa, mas
sua atuação exagerada representa um perigo à sanidade mental.

* Mecanismos inconscientes pelos quais o Ego se dissocia de impulsos ou afetos


sentidos como perigosos para a integridade do organismo.

* Freud (1937) diz que mecanismos defensivos falsificam a percepção interna do


sujeito fornecendo somente uma representação imperfeita e deformada.

Principais mecanismos:

Repressão/Recalque: é rejeitar uma motivação (moral), emoção ou idéia,


penosa ou perigosa, tendendo a dissociar-se delas; há uma diferença sutil
entre esses dois mecanismos: a Repressão parte do pré-consciente para o
consciente, e o Recalque é inconsciente. Ex.: uma vítima de acidente que não
consegue se lembrar de nada.
Projeção: o ato de atribuir a outrem as qualidades, sentimentos ou intenções
que se originam em si próprio. Ex.: ao invés de você admitir que odeia uma
pessoa, fala que ela te odeia.
Formação Reativa: trata-se de uma inversão clara, exagerada e, em geral,
inconsciente do verdadeiro desejo. Ex.: fazer psicologia porque seus pais
querem, quando na verdade você quer fazer outro curso, e falar bem da
psicologia como se você gostasse.
Fixação: paralisação, temporária ou fixa, na evolução da personalidade,
causada por alguma frustração ou angústia no decorrer do desenvolvimento
que não quer ser revivida. Ex.: uma criança dependente, que não passa para o
próximo estágio do desenvolvimento, impedindo tornar-se independente.
Regressão: o indivíduo retorna a etapas anteriores de seu desenvolvimento,
para aliviar algum estresse. Ex.: uma criança quatro anos, que volta a ser
“bebê” quando ganha um irmãozinho.
Sublimação: canaliza a energia associada a impulsos e instintos pessoalmente
e socialmente inaceitáveis para atividades construtivas. Ex.: uma pessoa que é
agressiva, e canaliza essa agressividade para praticar algum esporte.
Racionalização: é o processo de achar motivos lógicos e racionais para
justificar pensamentos e ações inaceitáveis. Ex.: uma pessoa que bebe porque
diz ser a única forma de lidar com seus problemas.
Negação: é a tentativa de não aceitar na consciência algum fato que perturba o
Ego. Ex.: um alcoólatra que não admite ter uma doença.

Você também pode gostar