Você está na página 1de 3

Visita de Estudo ao Instituto Jean-Piaget de

Silves
Introdução

O Instituto Piaget de Silves é constituído por uma Escola Superior de Saúde com
grandes áreas verdes e blocos com salas bastante bem equipadas com diversos laboratórios e
material pedagógico. Para além de boas condições ainda se situa numa zona mais afastada da
cidade, ou seja, calma mas com bom acesso. Este campus faz parte de um conjunto de escolas
superiores de saúde que se encontram espalhadas por todo o país. O nosso Campus
Académico de Silves é relativamente recente pois só em 2002 é que foi autorizada pelo
Ministério da Ciência e do Ensino Superior

Na ESS Jean Piaget são leccionadas as licenciaturas de Enfermagem, Farmácia e


Fisioterapia. Devido ao facto de estes cursos constituírem saídas profissionais muito
apelativas a alunos da área científico-natural, achámos importante visitar o Instituto para
conhecermos um pouco mais destes cursos e de como funcionam.

Relatório
No dia 28 de Fevereiro de 2011 os alunos das turmas 12ºN1 e 11ºD1 da Escola
Secundária de Silves realizaram uma visita de estudo ao Instituto Jean-Piaget de Silves.

Este relatório terá um ponto de vista da turma 12ºN1 que realizou a visita de estudo no
âmbito da disciplina de Biologia com a professora Madalena Vitória.

Primeiro, a turma reuniu-se no portão da entrada da escola secundária por volta das
9:30h e dividiu-se pelos carros que nos levariam ao instituto que ficava um pouco longe da
escola.

Por volta das 10h fomos direccionados para o auditório do campus para assistir a uma
apresentação sobre o instituto em si e os cursos que neste podiam ser leccionados:
Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia. Esta pequena apresentação foi-nos dada pelo professor
Nelson Sousa que também nos elucidou sobre como seria o plano de actividades da nossa
visita.
A seguir à apresentação, tivemos um intervalo em que podemos usufruir do bar e
comprar as senhas de almoço bem como lanchar e apanhar sol.

Após esse intervalo, a visita consistia em duas actividades que preencheriam a manhã
até à hora de almoço. Uma seria uma visita ao laboratório de físico-química e a outra
actividade seria uma visita à sala técnica de enfermagem.

Assim, dividimos os alunos consoante as turmas e a nossa turma dirigiu-se à Sala


Técnica de Enfermagem onde já nos aguardavam alguns alunos de diferentes anos e o
professor-enfermeiro Jorge.

Após nos sentarmos, os alunos fizeram uma simulação de primeiros socorros para nos
dar a conhecer os métodos utilizados em caso de situações de risco.

Antes de passarmos aos métodos, as alunas ainda nos explicaram algumas noções
básicas de como se deve proceder antes de realizar algum método. Deve-se ter sempre
atenção ao meio que rodeia a vítima, devem estar sempre 2 pessoas a socorrer a vítima para
trocarem de posições quando necessário ( nas compressões por exemplo) e ainda uma regra:
Ver, Ouvir e Sentir que significa a observação de movimentos torácicos, a audição da saída
de ar pela boca e a sensação do ar que sai pela boca da vítima.

Um dos métodos apresentados era a PLS – posição lateral de segurança. Esta foi
simulada com dois alunos da turma para os restantes verem como deve ser realizada. Após a
simulação, as alunas que a demonstraram explicaram que era um método aplicado a vítimas
que não tinham problemas nas vias, ou seja, que respiravam.

O outro procedimento já é aplicado em vítimas que não respiram, este consiste em


aplicar 30 compressões e 2 insuflações alternadas. As compressões são feitas com a base da
mão no processo xifoíde e com os 2 braços em extensão completa, aplicado o peso do corpo
na vítima. Entre as 30 compressões e as seguintes 30 faz-se 2 insuflações com um Ambu, um
aparelho que direcciona o ar para a boca da vítima. Este processo só pode ser parado após
começado quando a vítima começa a respirar, quando a pessoa que está a fazer as
compressões chega à exaustão ou quando chegam os profissionais.

Após as demonstrações tivemos oportunidade para esclarecer algumas dúvidas, não só do


curso mas sobre os métodos demonstrados. Estas incidiram mais nos métodos apresentados.

De seguida, dirigimo-nos ao Laboratório de Físico-Química onde já estava à nossa espera o


professor Nelson Sousa. Primeiro, indicou-nos algumas regras de funcionamento do relatório, que já
sabíamos grande parte devido ao facto de termos tido aulas em laboratório os anos anteriores.

Posteriormente, o professor deu-nos a conhecer alguns equipamentos que estavam dispostos


nas bancadas incluindo um que mais tarde iríamos utilizar numa experiência em Biologia em parceria
com o Laboratório Itinerante. Para além disto, ainda nos foram apresentadas algumas experiências que
foram realizadas pelos alunos do curso, e uma delas era a obtenção de Aspirina que não podia ser
ingerida pois só em laboratórios especializados era possível atingir o grau de pureza próprio para
consumo. Tal como na actividade anterior, todas as dúvidas questionadas ao professor eram
respondidas com clareza e eficácia.
Após esta actividade, toda a turma almoçou no refeitório do instituto juntamente com os
alunos deste.

À tarde, fomos todos assistir a uma palestra sobre hidroterapia realizada por uma
fisioterapeuta aluna do curso de Fisioterapia. A palestra tinha por base uma apresentação em power
point onde era explicado o conceito de hidroterapia, em que casos era utilizado, o benefício que podia
provocar aos doentes, os equipamentos utilizados bem como fotografias de sessões de hidroterapia
com alunos do instituto a realizarem sessões com crianças doentes ou até com deficiências.

Após a apresentação a fisioterapeuta Raquel esteve aberta a quaisquer dúvidas que pudessem
surgir sobre a apresentação, mas as mais propostas foram referentes ao curso de fisioterapia.

Às 15h dirigimo-nos a uma sala de fisioterapia onde se encontravam vários alunos do curso.
A actividade consistia na medição e avaliação da nossa postura através de aparelhos especializados.
No final, ainda nos deram uma breve explicação sobre as medições feitas e os alunos tiraram algumas
dúvidas que ainda não tinham sido colocadas sobre o curso de Fisioterapia.

A visita terminou como uma pequena visita à biblioteca do instituto.

Conclusão
Em suma, a visita foi bastante útil não só pelo facto de ser de interesse para os alunos pois
muitos dos cursos visitados fazem parte das suas escolhas profissionais mas também pelo simples
facto de conhecermos o único estabelecimento de ensino superior que existe na nossa área e que por
ser tão perto pode ser bastante preferível para alunos que não conseguem suportar os custos de ir
estudar para fora.

Bibliografia
- http://www.ipiaget.org/silves/

Catarina Cabral 12ºN1 nº8

Você também pode gostar