P. 1
Tipos de leituras

Tipos de leituras

|Views: 1.937|Likes:
Publicado porMario Correia

More info:

Published by: Mario Correia on May 09, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/28/2013

pdf

text

original

O que é realmente leitura? Quais os tipos de leitura?Qual a diferença entre elas?

• 2 anos atrás

Denuncie

by Auxy Membro desde: 19 de agosto de 2008 Total de pontos: 1.043 (Nível 3)

Adicionar amigo

Bloquear

Melhor resposta - Escolhida por votação
O que é Leitura” apresenta de início tipos de leitura, não somente ler palavras, mas fazer leitura de situações, sobretudo lutar para não nos tornarmos seres alienados. Em seguida nos explica de forma bastante curiosa que se não temos costume de ler podemos iniciar a qualquer momento, observando o que temos a nossa volta, aguçando nossa curiosidade de sermos autônomos “... deixar de ler pelos olhos de outrem.” Cita também exemplos de como pessoas notórias deixaramse apaixonar pela necessidade da leitura,e, posteriormente alguns se tornaram escritores. O assunto leitura se desenvolve em meio a críticas severas ao sistema de ensino de alfabetização e letramento. O livro nos remete a uma reflexão na falta de humanização do sistema educativo, quando se centraliza o saber ao invés do educador ajudar a desenvolver seus educandos. Podemos até imaginar, enquanto lemos o livro que nossos professores de ensino fundamental ou médio nos pediam para ler um livro e fazermos um resumo, resenha, síntese, enfim coisas que nunca nos explicaram “como se faz” , mas queriam e pronto, assim como: “se virem”, os estudantes são vocês e o vestibular vem aí. Por isso a

necessidade do “decoreba”. Somos levados a crer que o processo de alfabetização e letramento dura a vida inteira independente de condição social, bastando para isso ler e querer ler, construir conhecimento pessoal amando a vontade de saber mais com curiosidade buscando sentidos mais construtivos e alavancantes das palavras, respeitando, no ato da leitura, a subjetividade interior e a objetividade exterior. Sem querer conceituar ou definir, mas discutir de o porquê da leitura, o livro nos apresenta três níveis de leitura que se relacionam, sem hierarquia, ao mesmo tempo, são eles: sensorial, emocional e racional. O nível sensorial traduz no primeiro contato com o texto ou situação. O nível emocional nos leva a interpretação subjetiva que o nível sensorial nos trouxe, enquanto que o nível racional (presente em textos narrativos) busca a interpretação correta, a objetividade dentro da situação ou texto em leitura. Pensando bem caso venhamos a ler um livro, assistirmos a um filme ou ouvirmos uma canção mais de uma vez poderemos ter várias interpretações, porque na combinação desses níveis apresentados serão em doses diferentes, abrindo espaço para um nível predominante. Não obstante as novas leituras também trarão novas interpretações porque adquirimos mais

maturidade e isso facilita melhor entendimento do texto lido: novas possibilidades – novas reflexões. O livro também nos evoca a considerar se a leitura é importante o passo seguinte seria tentar produzir textos, ou seja deixar de consumir a forma de como os autores lidos vêem o mundo para criar demonstrando como podemos analisar o que está a nossa volta.

Espero que este texto te ajude!!!

Tipos de leitura

-Decifratória e automática

A leitura decifratória é aquela em que a atenção e o esforço do leitor se dissipam principalmente na decifração. É típica de indivíduos que estão se familiarizando com o código como os que estão sendo alfabetizados ou aprendendo uma segunda língua. Esta dificuldade não ocorre somente entre leitores desqualificados. Fatores externos à leitura podem tornar o texto ilegível criando dificuldades mesmo para

o leitor qualificado. A leitura silábica é um caso extremo da leitura decifratória.

A leitura automática é aquela em que se emprega pequeno esforço na decifração. Supõe leitor qualificado e texto otimizado para a leitura.

-Vocal e mental

A leitura vocal pode ir de sua forma mais apurada à recitação com esmeros de entoação e até o murmúrio entre dentes. A leitura mental pode simular uma recitação a plena voz ou se afastar disso rumo a uma leitura mais rápida que foge da entoação.

-Fonológica e ideogrâmica

A leitura fonológica, praticada tanto verbal como mentalmente, é a tradução de um código visual para um código acústico. O signo visual é convertido em fonema, palavra, frase.

Na leitura ideogrâmica ou visual, o signo visual, que é grafemático, é captado como signo visual remetendo ao significado sem a passagem pelo lingüístico. É assunto para experimentação determinar a possibilidade de leituras integralmente visuais, a partir de signos grafemáticos. A leitura ideogrâmica é típica do leitor qualificado, que a pratica associada à leitura fonológica tendendo mais para uma ou para outra dependendo da situação. Na leitura ideogrâmica a tendência é de velocidades de leitura maiores.

-Integral e seletiva

A leitura integral é feita palavra por palavra, linha a linha, sem qualquer pretensão. Contrariamente, na leitura seletiva o leitor tem objetivos previamente

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->