Você está na página 1de 18

c   

„  „„ 
2 
 
c   




` 

Conto que narra a descoberta do amor e de toda a sensualidade


que cerca o descortinar desse mundo novo.
novo. É a história de Inácio,
jovem de 15 anos que vai trabalhar como ajudante do ríspido
solicitador (funcionário do Judiciário, algo entre procurador e
advogado) Borges, morando na casa destedeste.. É lá que acaba se
encantando com os braços de D. Severina, companheira do seu
patrão..
patrão

Deve-se lembrar que na época em que se passa a história, 1870,


Deve- 1870,
não era comum uma mulher exibir tal parte do corpo.
corpo. Mas, antes
que se pense que ela era despudorada, deve-
deve-se lembrar que só o
fazia por passar por certas dificuldades que tornavam o seu
vestuário carente de peças mais adequadas
adequadas.. Ainda assim, os
breves momentos em que via a mulher e principalmente os
braços dela eram, para Inácio, o grande alívio diante de um
cotidiano tão massacrante.
massacrante.
` 

Até que um dia D. Severina percebe o interesse que desperta no


moço.. Demora a aceitar, pois o considera apenas uma criança
moço criança..
Mas, quando vê o homem já na forma do menino, entra num
sentimento conflitante, misto de vaidade e pudor
pudor.. Por isso oscila
entre tratar mal o rapaz e mostrar preocupação com o seu bem bem--
estar.. Até que num domingo ocorre a cena mais importante da
estar
história.. D. Severina encontra Inácio dormindo na rede.
história rede. Dá-
Dá-lhe um
leve beijo na boca.
boca.

A senhora não sabe que naquele exato instante o garoto sonhava


com o beijo dela e ele não sabe que era beijado realmente,
enquanto estava mergulhado na fantasia do seu sonosono.. Pouco
tempo depois, Borges dispensa o garoto de forma
admiravelmente amistosa
amistosa.. O menino não vê mais D. Severina,
guardando a sensação daquela tarde como algo que não ia ser
superado em nenhum relacionamento de sua existência.

ác 
  
‰  
 

Matias Deodato, homem amargurado, que se define como ³um grande


caipora, o mais caipora de todos os homens´, sintetiza, nas entrelinhas, as
agruras de uma vida marcada por reveses que vão desde a infância solitária
a uma carreira sem brilhantismo, passando pelo casamento insosso e pela
tragédia de um filho tão esperado que nasceu morto, culminando com a
descoberta ± após a morte da mulher Rufina, Rufina, vítima de ³uma febre
perniciosa´ ± de que ela o traíra com o amigo Gonçalves, confidente e quase
compadre..
compadre

O caiporismo foi comigo, na garupa do burro, e onde eu me apeei, apeou-


apeou-se
ele também
também.. Vi
Vi--lhe o dedo em tudo, nas demandas que não vinham, nas que
vinham e valiam pouco ou nada, e nas que, valendo alguma coisa, eram
invariavelmente perdidas
perdidas.. Assim, Matias Deodato resume a falta de sorte
que o acompanhou por toda a vida, até que, cansado e sem esperança de ser
feliz, desiste de viver.
viver.
‰ 
 

p o conto bem poderia chamar-


chamar-se ³O caipora´, não fosse a descoberta
que nosso amigo faz enquanto se prepara para o ³mergulho na
eternidade´.. Debruçado na janela, vê passar um homem conhecidamente
eternidade´
vítima de vários infortúnios, que segue, no entanto, risonho,
contemplando os sapatos de verniz bem talhados, conforme observa
nosso caipora..
caipora

Ia alegre;
alegre; via
via--se lhe no rosto a expressão de bem- bem-aventurança
aventurança..
pvidentemente era feliz
feliz;; e, talvez, não tivesse almoçado
almoçado;; talvez mesmo
não levasse um vintém no bolso.bolso. Mas ia feliz, e contemplava as botas (...
...))
nada vale, para ele, um par de botas, comenta ele, concluindo assim que a
felicidade é um par de botas
botas..

TpMA::CpTICISMO
TpMA
` 

O autor conta as dificuldades de uma jovem mulher, dona Camila,


de aceitar a velhice, mostrando as artimanhas que faz de maneira
inconsciente, para evitar que a filha case, vendo só defeitos nos
pretendentes.. Até que, por fim, sem outro remédio, dobra-
pretendentes dobra-se às
imposições da vida, permitindo o casamento da filha e
conformando--se com a chegada do neto.
conformando neto. O autor levanta a
suspeita, pra o leitor, de que tanta dedicação ao neto seja
intencional:: ser vista como a mãe da criança, e não a avó
intencional avó..

pnfim, mais uma tentativa de disfarçar a idade


idade.. .Vale notar que D.
Camila procurou atrasar ao máximo o amadurecimento da filha,
tratando--a como criança e vestindo
tratando vestindo--a como menina até o
momento em que não foi mais possível
possível..
Machado de Assis, neste conto põe de manifesto os tormentos de
envelhecer para a alma de uma mulher vaidosa, D. Camila. Camila.

TpMA:: MULHpRpS
TpMA
‘  

Trata-se da história de um certo José Maria que, após sua morte,


Trata-
procura o Monsenhor Caldas alegando ter passado por outras
vidas.. O Monsenhor percebe que é um maluco e manda um
vidas
serviçal chamar a polícia
polícia.. pnquanto isso, vai distraindo o
visitante.. ple alega que falecera no dia 20 de março de 1860,
visitante 1860,
quando tinha 68 anos
anos..

Como era a milésima alma de uma seqüência, foi premiado com o


retorno à Terra
Terra.. ple declarou então que lhe era "indiferente nascer
mendigo ou potentado.
potentado. pscolheu nascer experiente
experiente.. Apesar do
"riso universal" com que os anjos ouviram o seu desejo, ele
teimou e conseguiu o que queria.
queria.

TpMA
TpMA:: LOUCURA
|  

Retrata um dos temas mais polêmicos na obra de Machado de


Assis:: adultério
Assis adultério.. Luís Negreiros, ao chegar a casa, cumprimenta a
esposa, beijando, mas esta parece indiferente ao gesto de
carinho.. No quarto do casal, vê em cima da mesinha, um relógio
carinho
de ouro, que não lhe pertence e não poderia ser da esposa.esposa. A
dúvida se instala quando, ao interrogar Clarinha sobre a
procedência do relógio, a esposa diz que não sabe. sabe. O pai de
Carinha o teria esquecido lá? Também não
não..

A dúvida aumenta.
aumenta. O interrogatório fica mais tenso
tenso.. À noite,
Meireles, pai de Clarinha, visita o casal.
casal. Convidado para jantar,
acrescenta que ali jantará também na noite seguinte, visto ser
aniversário de Luís Negreiros.
Negreiros. O marido de Clarinha subitamente
fica muito feliz.
feliz. pstava explicado
explicado..
|  

O relógio era um presente da esposa, uma surpresa


surpresa.. Agradece
Agradece--lhe
pelo mimo, e é tratado com frieza frieza.. Durante o jantar, Clarinha
manteve--se triste e distante
manteve distante.. Após a saída do sogro, Negreiros tenta
novamente reconciliar
reconciliar--se com Clarinha, agradecendo-
agradecendo-lhe pelo
presente, Clarinha, indignada, o repele e o deixa sozinho sozinho..

Depois de muito cogitar, o marido retoma as desconfianças e vai ter


com Clarinha, ameaçando-
ameaçando-a aos gritosgritos.. pntão, num final
surpreendente, a esposa mostra ao marido o bilhete que ± trazido
por um portador que não encontrara Luís Negreiros no escritório -
chegara junto com o relógio:
relógio:

Meu Nhonhô.
Nhonhô. Sei que amanhã fazes anos anos;; mando
mando--te esta
lembrança..TuaIaiá
lembrança TuaIaiá..

TpMA:: ADULTÉRIO
TpMA
o   

Neste conto humorístico Machado, de forma sutil e ao mesmo


tempo irônica, mostra o quanto as pessoas se preocupam
com os outros e esquecem
esquecem--se de seus próprios interesses e
como acham isso divertido.
divertido.

Tudo começa quando Luís da Costa, ³fofoqueiro de


carteirinha´, comenta para alguns freqüentadores da Loja do
Paula Brito, que a Lúcia, sobrinha do Major Gouveia, teria
fugido com o namorado porque o tio não queria o casamento.
casamento.
Como não conhecia o Major Gouveia pessoalmente, Luís da
Costa não poderia imaginar que o próprio também se
encontrava na loja.
loja.
o   

Ouvindo os boatos sobre a sobrinha, o que qualificou como


calúnia, o major resolve descobrir de onde partiu o boato.
boato. Segue-
Segue-
se então uma verdadeira maratona
maratona.. Os dois vão à procura de
todos os envolvidos na boataria.
boataria. O major quer saber exatamente
quem disse o quê a quem
quem..

Mais uma vez, Machado surpreende o leitor com um final


inesperado:: a autoria do comentário sobre a sobrinha tinha
inesperado
partido do próprio major, porém o que ele disse foi aumentado
por todos os outros que ouviram a história e a repassaram
repassaram..

TpMA
TpMA:: HUMOR
| 

Conto em que o autor retrata dois personagens com visões


diferentes sobre o dinheiro.
dinheiro. O autor apresenta o tabelião Vaz
Nunes, em um final de expediente, recebendo a visita de
Custódio, que veio lhe pedir dinheiro.
dinheiro. O primeiro tem a
capacidade de desvendar o interesse que se esconde atrás da
aparência;; o segundo tem ³a vocação da riqueza, sem a vocação
aparência
dotrabalho´
dotrabalho ´.

Custódio, valendo-
valendo-se do curto contato que tivera com Vaz Nunes,
numa ceia de Natal, tenta convencê
convencê--lo a lhe emprestar cinco
contos de réis para investir em uma fábrica de agulhas. agulhas.
Recebendo uma negativa atrás da outra, a quantia pedida vai
diminuindo até chegar a dez mil-
mil-réis.
réis. Consegue somente cinco
cinco..
| 

O leitor acompanha o confronto de disfarces entre os dois


cavalheiros.. A cada lance desse jogo, cada um dos contendores
cavalheiros
aparenta estar jogando a sua última cartada, ao mesmo tempo em
que cada uma das partes disfarça os trunfos de que ainda dispõe:
dispõe:
a elasticidade da ambição, de um lado, e a capacidade de
concessão, do outro.
outro.

pncerrada a contenda, ambos parecem sair satisfeitos com o


próprio desempenho cujo ganho é mínimo para um
um;; e a perda
insignificante para o outro.
outro.

TpMA
TpMA:: DINHpIRO
  

Beltrão vai, aos poucos, se tornando mais um homem público do


que privado, após receber elogios de um colega, através de um
jornal local e se deixar seduzir pela vaidade.
vaidade. Passa a manipular as
pessoas e a imprensa para se manter sempre em evidência
evidência.. No
final da vida, moribundo, resolve deixar seu legado para o poder
público e não para a família
família..

Sua fortuna é destinada para erigir uma estátua de Pedro Álvares


Cabral, segundo ele, precursor do Império Brasileiro - merecedor
da homenagem.
homenagem. Recomenda que a estátua seja de bronze, com
quatro medalhões no pedestal.
pedestal. Indica o retrato de duas figuras
ilustres, ficando a eleição dos dois retratos restantes a critério da
comissão (nomeada por ele) para escolham cidadãos notáveis, da
presente geração, que devam fazer parte da homenagem. homenagem.

TpMA - VAIDADp
‘ 
  

A história começa com um narrador que pede atenção para uma


descoberta da ciência brasileira, superior a outra, promovida por
um sábio inglês, que teria sido publicada em O Globo.
Globo. O conto é
uma crítica ao processo eleitoral, feita como um discurso de um
cônego, que afirma ter achado uma espécie de aranha que fala, e
ter criado uma sociedade delas, chamada "Sereníssima
República"..
República"

ple escolhe o sistema de eleição baseado no da República de


Veneza, onde se retirava de um saco bolas com o nome dos
eleitos.. pste sistema vai sendo fraudado pelas aranhas,
eleitos
corrigindo--se, adaptando
corrigindo adaptando--se e variando
variando--se diversas vezes e de
diversos modos, eternamente corruptos
corruptos..
‘ 
  

Na vigorosa sátira política ao sistema eleitoral brasileiro formulada


por Machado, o cônego Vargas tenta, com sucessivos
experimentos, dar organização social às aranhas
aranhas.. O conto termina
sem que essa pretensão tenha sucesso, uma vez que as facções
políticas e individualidades em confronto sempre darão um jeito
de burlar os sistemas eleitorais instituídos
instituídos..

pm "A Sereníssima República" pode-


pode-se perceber a intenção do
autor em analisar as cruéis relações de dominação entre seres
iguais, todos subjugados por um sistema político e social
marcado pelo autoritarismo, mas que não hesitam em reproduzir e
legitimar a opressão de que são vítimas
vítimas..

TpMA
TpMA:: POLÍTICA
| 

Jacobina - um homem que nunca expunha suas opiniões para


seus amigos porque não queria discutir - havia sido obrigado a
expressar sua opinião sobre a existência da alma. alma.

pmite, então, uma curiosa teoria sobre a existência não de uma,


mas de duas almas, interligadas
interligadas:: a alma interna, que pode ser
entendida como a verdadeira maneira como nos enxergamos, e a
alma externa, que é como os outros nos enxergam. enxergam.

Sem uma, a outra não existe.


existe. p para provar sua teoria, conta uma
história passada em sua juventude, quando havia recebido o título
de alferes..
alferes

ác