Você está na página 1de 5

DESTILAÇÃO POR ARRASTE Á

VAPOR

Introdução

A destilação por arraste de vapor é uma destilação de misturas


imiscíveis, ou seja, que não se dissolvem na água devido a serem substâncias
apolares como compostos orgânicos e a água em forma de vapor. Os
componentes de uma mistura imiscível "fervem" a temperaturas menores do
que os pontos de ebulição dos componentes individuais. Assim, uma mistura
de compostos de alto ponto de ebulição e água pode ser destilada à
temperatura menor que 100°C, que é o ponto de ebulição da água.
O princípio da destilação a vapor é baseado no fato de que a formação
de vapores de água em um recipiente deve passar somente o vapor para o
recipiente que se encontra o material, que na maioria das vezes é termo lábil,
não sendo possível o contato direto pois a amostra será cozida e não extraída.
O carreamento da substancia a ser extraída é pela pressão de vapor da
água para o condensador e colhido em um recipiente imerso no gelo, já que o
material é altamente volátil.
As essências ou aromas das plantas devem-se principalmente aos óleos
essenciais. Os óleos essenciais são usados, principalmente por seus aromas
agradáveis, em perfumes, incenso, temperos e como agentes flavorizantes em
alimentos. Alguns óleos essenciais são também conhecidos por sua ação
antibacteriana e antifúngica.
Outros são usados na medicina, como a cânfora e o eucalipto. Além dos
ésteres, os óleos essenciais são compostos por uma mistura complexa de
hidrocarbonetos, alcoóis e compostos carbonílicos, geralmente pertencentes a
um grupo de produtos naturais chamados terpenos. Muitos componentes dos
óleos essenciais são substâncias de alto ponto de ebulição e podem ser
isolados através de destilação por arraste a vapor.(Guimarães, P.I.C, et al,
2000)
É recomendado o uso da destilação por arraste de vapor quando se
deseja separar uma substância cujo ponto de ebulição é alto e/ou apresente
risco de decomposição, ou para purificar substâncias contaminadas com
impurezas resinosas, que são apolares, ou como neste experimento, para
separar substâncias pouco miscíveis em água cuja pressão de vapor seja
próxima a da água a 100°C, o que é muito importante para as substâncias que
se decompõem nestas temperaturas.(Lima, I.L, Oliveira, C.L.F., 2003)

Neste experimento será isolado o eugenol (4-alil-2-metoxifenol) do óleo de


cravo (Eugenia caryophyllata), pela técnica de destilação por arraste a vapor.
Objetivo

Extrair o óleo essencial do cravo (Eugenol) através da Destilação por Arraste


de Vapor, dois componentes de uma mistura de líquidos, que
apresentem pontos de ebulição próximos.

Materiais e reagentes

• Água

• Cravos da Índia (24,53g)

• Clorofórmio

• Balão de fundo redondo 500 ml

• Pipetas Pasteur

• Provetas de 100 mL

• Funil

• Papel de filtro

• Espátula

• Gelo

• Grau e pistilo

• Suportes universais

• Garras para suporte

• Unha de destilação

• Manta de aquecimento de 220 V

• Termômetro

• Becker de 50 mL

• Coluna de condensação

• Pérolas de vidro

• Mangueiras de borracha
• Cabeça de destilação

• Pipetas de 5 e 1 mL

• Pêra

Procedimento experimental

1- Montou-se o sistema de destilação por arraste á vapor, conforme o


anexo 1;

2- Adicionou-se ao balão de 500mL, gerador de vapor, algumas pérolas de


vidro e, em seguida, água até atingir a metade de seu volume; esse
balão será aquecido manta de aquecimento, e será o balão que gerará
o vapor para a substância a ser destilada;
3- Triturou-se em um grau o cravo, juntamente com o auxilio do pistilo, e
adicionar ao balão de 500ml com 100ml de água que ficará no meio do
sistema recebendo o vapor, e sendo lentamente aquecido;
4- Começou-se o aquecimento, de maneira que se conseguisse uma
velocidade lenta, porém, contínua, de destilação, Continuar a destilação
a vapor até que a temperatura se estabilize, e tenha coletado cerca de
50mL de destilado;
5- Com um funil de separação, deve-se colocar o material obtido
juntamente com cerca do mesmo volume de clorofórmio para a
separação, pois o óleo essencial tem atração pelo clorofórmio que é
mais denso, e facilmente separado da porção aquosa; Repetir a
extração com clorofórmio por mais duas vezes.
6- Juntou-se os extratos orgânicos em erlenmeyer, e passar por um funil
contendo papel de filtro;
7- O óleo ficará retido no papel de filtro;
Resultados e Discussão

A partir de 24,53g de cravo triturado, foi obtido poucas gotas do óleo


essencial, que foram colhidas no papel de filtro, A solução final extraída do
cravo foi de óleo essencial com água, era possível ver uma pequena
heterogeneidade da mistura, com óleo sobre a superfície da água. O óleo
retido no papel de filtro apresentou uma coloração marrom clara.

Conclusão

O Eugenol pode ser extraído do cravo da índia utilizando a técnica de


destilação por arraste de vapor em conjunto a técnica de extração por solvente,
porém notou-se a necessidade de uma grande quantidade de matéria prima
para a obtenção de uma pequena quantidade de produto.

Anexos:

Referências Bibliográficas

Carvalho, A. P. O., Souza, K. C. R., “Extração do óleo essencial de eucalyptus


globulus utilizando material alternativo no ensino de química”,

Guimarães, P.I.C, Oliveira, R.E., Abreu, R.G., Extraindo óleos essenciais de


plantas, Revista Química nova na escola, n°11, maio 2000.
Lima, I.L, Oliveira, C.L.F., Aspectos gerais do uso de óleos essenciais de
eucalipto, Revista Cientifica Eletrônica de engenharia florestal ano I numero 1
– fevereiro 2003

Soares, B.G.; Sousa, N.A.; Pires, D.X. Química orgânica: teoria e técnicas de
preparação, purificação e identificação de compostos orgânicos. Rio de
Janeiro, Guanabara. 1988.